VIOMUNDO

Diário da Resistência


Opinião do blog

Post exclusivo para quem gosta de teorias de conspiração


22/06/2013 - 22h59

 

Gráfico desenvolvido por Sergio Amadeu demonstra que os perfis ligados ao Anonymous Brasil e AnonymousBR foram os mais importantes para a disseminação de conteúdo relacionado às manifestações do Movimento Passe Livre no dia 17 de junho de 2013

Por Luiz Carlos Azenha, respondendo ao que me perguntaram aqui e ali e testando hipóteses

REVOLTA ANTICAPITALISTA?

Se fosse, os manifestantes teriam se dirigido à fábrica da Volks em São Bernardo, para cercá-la. É o símbolo do capitalismo industrial no Brasil e de onde saem os automóveis que entopem as ruas das metrópoles e inviabilizam o transporte público. Provavelmente os manifestantes teriam de enfrentar os trabalhadores da Volks, que não querem perder os próprios empregos.

Se fosse uma revolta anticapitalista, os manifestantes teriam cercado a sede do Itaú, que tem lucros bilionários graças aos juros e taxas escorchantes. Provavelmente seriam rechaçados pelos bancários, que não querem perder os próprios empregos. Uma coisa eu garanto: se a revolta se tornar anticapitalista, some do Jornal Nacional.

REVOLTA DA CLASSE MÉDIA?

O comando é da classe média urbana que tem bom acesso à internet nas regiões metropolitanas. Frações da classe trabalhadora remediada, aquela que ascendeu  ao longo do governo Lula, aderiram.

O lúmpen vai no bolo. Quando ele se manifesta politicamente através do saque, é reprimido.

Parar uma rodovia estratégica, causando milhões de reais em prejuízo para o público em geral, é aceitável; invadir uma loja de automóveis e “espancar” os veículos, causando um prejuízo de alguns milhares de reais, é um horror! O que guia esta rebelião juvenil são valores da classe média e seus interesses de classe — pelo menos é o que nos quer fazer crer a mídia.

CONTRA O ESTADO?

Os ataques se concentram em prédios públicos ou obras públicas consideradas desnecessárias pelos manifestantes, como os estádios da Copa. O ex-presidente Lula, em seus dois mandatos, trouxe o debate ideológico para dentro do governo, resolvido em conchavos de bastidores a portas fechadas.

Os manifestantes agora batem na porta, de forma espontânea e desarticulada. Só acredito tratar-se de um movimento progressista quando surgir algum cartaz pedindo a taxação da fortuna da família Marinho para financiar o transporte público gratuito;  quando os manifestantes se dirigirem às garagens das grandes empresas de ônibus que financiam campanhas políticas e tem lucros extraordinários para protestar; quando incluirem na pauta do debate sobre corrupção a Privataria Tucana, corruptores, empreiteiras e o jabá que a Globo paga às agências para manter o monopólio das verbas publicitárias. Por enquanto, só se debate a corrupção pública, nunca a corrupção privada.

NOSSO GUIA?

Um estudo de Sergio Amadeu demonstrou que vários perfis dos Anonymous são os mais influentes na disseminação das mensagens dos manifestantes que se organizam em redes sociais. Quem faz a cabeça dos Anonymous? A cabeça dos Anonymous é feita no Brasil ou fora do Brasil?

P2 E INFILTRADORES?

Houve várias denúncias de que infiltradores e provocadores agem em manifestações. Um grande número de despolitizados nas ruas, sem lideranças conhecidas e organizados de forma horizontal ficam sujeitos a todo o tipo de manipulação. São alvo fácil para todo tipo de agenda. Desde a dos militares que se revoltam contra a Comissão da Verdade a outros agentes interessados em criar algum tipo de instabilidade institucional.

Embora não haja provas disso, a denúncia de uma conspiração internacional foi assumida pelo primeiro ministro da Turquia, Recep Erdogan.

CONJUNTURA INTERNACIONAL INDICA CONSPIRAÇÃO?

O Brasil é o pilar central de sustentação de um projeto alternativo à hegemonia completa dos Estados Unidos na América do Sul. Não fosse Lula e Dilma, o risco de uma derrota de Nicolás Maduro em recentes eleições na Venezuela teria sido muito maior. O apoio do Brasil é essencial ao Mercosul, à Unasul e a outras iniciativas de caráter regional.

Desde a ascensão de Hugo Chávez os Estados Unidos desenvolvem planos abertos — via sociedade civil — e secretos para instalar um governo que garanta acesso às maiores reservas de petróleo do mundo em condições mais vantajosas para Washington. Pelo seu tamanho, as reservas da Venezuela são o fiel da balança na determinação dos preços internacionais do petróleo. Em menor escala, o mesmo podemos dizer sobre o pré-sal. Portanto, não devemos descartar 100% a possibilidade de ação subterrânea, especialmente através das redes sociais, onde muita gente atua atrás da cortina do anonimato. O ciberespaço é hoje território de guerra. Mas, repito, não há qualquer indício, nem prova de que isso de fato esteja acontecendo.

BOICOTE TARDIO À COPA?

Sei lá, mas o vídeo bombou.

REVOLUÇÃO COLORIDA?

Duvido. Ou, pelo menos, não existe qualquer prova disso. O dado concreto é de que temos um tremendo descontentamento dos jovens com as instituições brasileiras — e este é o motor principal. Porém, como se perguntou Gilberto Maringoni durante ato da Paulista: como explicar a revolta num país com alta taxa de emprego e com crescimento econômico razoável?

As revoluções coloridas, como se sabe, foram promovidas através de investimento direto ou indireto de ONGs dos Estados Unidos, algumas delas com financiamento público, como o National Endowment for Democracy (NED), que desenvolve programas de “promoção de democracia” em várias partes do mundo; ou a Open Society, do especulador George Soros. Há vários livros ou artigos, como este, descrevendo a atuação mundial destas organizações. Elas foram bem sucedidas em diversas rebeliões que derrubaram governos na Europa Oriental, com a mobilização de jovens através das mídias sociais.

As campanhas obedeciam técnicas inovadoras de marketing, símbolos e palavras de ordem de fácil entendimento. Também há relatos sobre a atuação destes grupos antes ou durante a Primavera Árabe. Argumenta-se que o objetivo dos Estados Unidos é promover governos mais dóceis ou causar instabilidade interna que deixe os governos mais vulneráveis a seus interesses. Na Líbia, a derrubada do ditador pela via militar teria tido o objetivo não de “promover a democracia”, mas de obter melhores condições na exploração do petróleo e eliminar um governo que sustentava o projeto político da África para os africanos, muito parecido com o papel que o Brasil desempenha na América do Sul.

A jornalista canadense Eva Golinger escreveu um livro, chamado USAID, NED e CIA, Uma Agressão Permanente, sobre a atuação destes organismos dos Estados Unidos na Bolívia, Cuba, Honduras e Venezuela (clique no link para baixar o livro em PDF). A possibilidade de um golpe institucional foi aventada por leitores depois que a embaixadora dos Estados Unidos no Paraguai, Liliana Ayalde, foi indicada para ocupar o cargo no Brasil. Ela teve uma longa trajetória na USAID, a agência de desenvolvimento internacional de Washington e estava em Assunção quando o presidente Fernando Lugo foi derrubado.

ATAQUES COMBINADOS?

Muito embora não exista uma coordenação nacional organizada, chama a atenção o fato de que ações parecidas tenham acontecido em lugares distintos, como a repressão a ativistas de esquerda ou de movimentos sociais que portavam seus símbolos. O mesmo se pode dizer dos ataques a viaturas da mídia, uma para cada emissora: Record, SBT e Bandeirantes. Isso é garantia de que a mídia não fará uma cobertura negativa dos acontecimentos? Não sei.

INFILTRADOS NA ESQUERDA? 

Nem um fio de indício ou prova desta teoria conspiratória. Ela é sustentada aparentemente pelos leitores do livro Quem Pagou a Conta? A CIA na Guerra Fria da Cultura. Este e outros livros demonstram que, ao longo da guerra fria, a agência de espionagem dos Estados Unidos financiou direta ou indiretamente muitas pessoas ou organizações tidas como “de esquerda”.

AÇÃO CLANDESTINA NACIONAL?

Aí, sim. Improvável, mas possível. Hoje, pela segunda vez, a Globo mostrou em jogo da seleção brasileira a marca #ogiganteacordou em cartaz. A primeira foi no jogo Brasil vs. México. Agora, reaparece na partida Brasil vs. Itália. Onde anda aquele guru indiano do José Serra?

COINCIDÊNCIA?

Houve uma campanha midiática contra Lula no ano que antecedeu sua reeleição, em 2005. As denúncias foram formuladas no laboratório de Carlinhos Cachoeira e propagadas pela revista Veja. Dilma Rousseff vive o ano que antecede aquele em que poderá ser reeleita sob várias crises: apagão elétrico que nunca se materializou, hiperinflação do tomate de 5% ao ano e agora rebelião juvenil organizada através das redes sociais. Coincidência? Mas o cavalo-de-pau dado pela mídia na cobertura da rebelião juvenil reforça a tese do oportunismo, não de uma ação pré-organizada.

Leia também:

Em Minas, a faixa que não vai sair na Globo

 

 





79 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Murdok

09 de setembro de 2013 às 18h45

Preparem-se, vem jogo sujo, rasteiro, baixaria por ai.

Responder

Renato

11 de julho de 2013 às 14h09

Moro aqui nos Estados Unidos, tenho carro, minha família toda no Brasil tem carro, mas estamos solidários contra a carestia e a corrupção. Sou torcedor, assisto aos jogos em pay-per-view, minha família toda assiste também, vamos à Copa e às Olimpíadas, mas faremos protestos contra nas ruas e no Face. Aqui em S.Francisco organizei uma manifestação que reuniu vinte pessoas, metade americanos que também se solidarizam com as incríveis condições de vida dos brasileiros. kkkkkkk

Responder

Álvaro Caropreso

28 de junho de 2013 às 10h52

CRISES POLÍTICAS E CRISES ECONÔMICAS
O link abaixo remete para gráfico interessante.
É para lembrar que as grandes crises políticas do País sempre aconteceram nos períodos de baixa da economia. Parece óbvio, mas pouca gente se lembra de olhar para a história. Para refrescar a memória, veja o gráfico das variações anuais do PIB do Brasil desde o começo do século 20 e até 2012, no qual estão indicados os principais eventos políticos desse período.

Baixe o gráfico:

Responder

H

25 de junho de 2013 às 16h45

Teorias da conspiração?! Antes fossem somente teorias…
E isso (abaixo, nos links), significa algo?

“Ofensiva imperialista em grande escala 
– Não é só a Venezuela que está na mira, é o continente”
http://www.resumenlatinoamericano.org/index.php?option=com_content&task=view&id=3634&Itemid=1&lang=en

“Assange: ‘EEUU pone en riesgo la soberanía en América Latina’”
http://www.contrainjerencia.com/?p=67419&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+contrainjerencia%2FjvtA+%28CONTRAINJERENCIA%29

E na própria Folha SP, via ViOMUNDO : “Mark Weisbrot: O Brasil precisa se manter vigilante diante da ameaça dos EUA”
https://www.viomundo.com.br/politica/mark-weisbrot-o-brasil-precisa-se-manter-vigilante.html

Responder

O anonymous tem nome? É CIA?

24 de junho de 2013 às 18h31

[…] Post exclusivo para quem gosta de teorias da conspiração […]

Responder

paulo roberto

24 de junho de 2013 às 17h23

“O Brasil é o pilar central de sustentação de um projeto alternativo à hegemonia completa dos Estados Unidos na América do Sul. Não fosse Lula e Dilma, o risco de uma derrota de Nicolás Maduro em recentes eleições na Venezuela teria sido muito maior. O apoio do Brasil é essencial ao Mercosul, à Unasul e a outras iniciativas de caráter regional.” E a Presidenta continua se fazendo de desentendida, como se não acreditasse que há uma tentativa de golpe em andamento…

Responder

Regina Braga

24 de junho de 2013 às 11h00

È mesmo, uma grande teoria da Conspiração…Como diria o Assange e o Snowden Eduard.Como os Livros de história e relatos de presos políticos sobreviventes.Adorável o google,face e o PRISM.

Responder

Jose Mario HRP

24 de junho de 2013 às 09h03

Ele está na “encolha”, na miúda!

Porque será?

Responder

Jose Mario HRP

24 de junho de 2013 às 09h00

O video infame da mocinha brasileira in USA é típica revolta juvenil ” vamos mudar o mundo” que dá em filho de classe média até quando pinta o chamamento de classe!
Agora é enfadonho essa gritaria moralista contra corrupção!
Para ela o meu “hummmmmmmmmmmmmm”!
“Sei não”!
Já a clara visão de que a direita cooptou a massa é evidente!
E a teoria da renúncia do Joaquimzão Barbosa é histéricamente hilária, porque se verdade seria mais ridicula do que a trama farsesca do Janio Quadros em seus tresloucados últimos dias de Brasilia!
Aliás esse senhor JB de presidente e Charles Chaplinn se estivesse vivo , com certeza haveria um novo filme, claro uma bela comédia.

Responder

Bonifa

24 de junho de 2013 às 03h18

O que a Dilma falou continua verdade. Não há dinheiro do orçamento na construção de estádios da Copa. Mas estádios não são monumentos inúteis. São produtos geradores de muita receita, como qualquer outro, além de terem também alcance social inegável. Merecem financiamento com juros subsidiados. Melhor que sejam financiados pelo BNDES que por algum banco internacional. Esta reportagem da Folha apenas quer distorcer fatos na linha de tentar disparar contra Dilma Rousseff. A Folha já demonstrou que odeia futebol. Lulipe, você também é a favor do Golpe? Lembre-se que este golpe agora não será nacionalista, e não tentará fazer bomba atômica para defender o Brasil, como o outro. Ele será entreguista e renunciará à soberania nacional na primeira oportunidade. Adeus, Amazônia Azul.

Responder

    Acássia

    24 de julho de 2013 às 17h18

    Qualquer exagero no Brasil é pouco para o crescimento enorme da população. Em poucos anos vai faltar estádios.

    É assim em tudo. O governo planeja uma coisa e sai outra, só de crescimento inercial.

    O governo planeja uma rede de esgoto, e quando chega lá, já há aduas novas vilas.

FrancoAtirador

24 de junho de 2013 às 02h48

.
.
‘Veja’ está certa

O ministro (?!) Paulo Bernardo rejuvenesceu o sentido político do termo ‘serviçal’, personificando-o com refinado esmero na hora mais oportuna.

Bernardo deu entrevista à edição de ‘Veja’ desta plácida semana; a revista retribuiu sua defesa do monopólio midiático, e os ataques ao PT, com o epíteto humilhante de ‘o bom petista’.

Equivale ao indulgente, ‘o bom negro’, destinado pela casa-grande aos traidores da senzala.

‘Veja’ está certa…

Carta Maior

(Leia o artigo de Breno Altman, transcrito abaixo)
.
.

Responder

FrancoAtirador

24 de junho de 2013 às 02h33

.
.
Parece que a infiltração na esquerda não é na passeata,

mas está no bom-mocismo quinta-coluna dentro do Governo:

O PT e o governo precisam de uma faxina

Se a vontade política da presidente Dilma Rousseff e seu partido for realmente enfrentar a onda reacionária que tenta controlar as ruas, há uma lição de casa a ser feita. O PT e o governo precisam se livrar da quinta-coluna, que representa interesses alheios à esquerda e aos setores populares.
A maior expressão de quinta-colunismo no primeiro escalão atende pelo nome de Paulo Bernardo e ocupa o cargo estratégico de ministro das Comunicações. Ele não é, porém, o único que flerta com o outro lado da barricada.

Por Breno Altman (*), na Carta Maior

Se a vontade política da presidente Dilma Rousseff e seu partido for realmente enfrentar a onda reacionária que tenta controlar as ruas, há uma lição de casa a ser feita.
O PT e o governo precisam se livrar da quinta-coluna, que representa interesses alheios à esquerda e aos setores populares.

O termo nasceu na guerra civil espanhola, nos anos trinta do século passado.
Quando Francisco Franco, líder do golpe fascista contra a república, preparava-se para marchar sobre Madri com quatro colunas, o general Quepo de Llano lhe assegurou:
“A quinta-coluna está esperando para saudar-nos dentro da cidade.” Referia-se às facções que, formalmente vinculadas ao campo legalista, estavam a serviço do golpismo.

A maior expressão de quinta-colunismo no primeiro escalão atende pelo nome de Paulo Bernardo e ocupa o cargo estratégico de ministro das Comunicações.
Não bastasse vocalizar o lobby das grandes empresas de telefonia e a pauta dos principais grupos privados de comunicação, resolveu dar entrevista às páginas amarelas da revista “Veja” desta semana e subscrever causas do principal veículo liberal-fascista do país.

Na mesma edição na qual estão publicadas as palavras marotas do ministro, também foi estampado editorial que celebra a ação de grupos paramilitares, na semana passada, contra o PT e outros partidos de esquerda, além de reportagem mentirosa que vocifera contra as instituições democráticas e os governos de Lula e Dilma.

Nesta entrevista, Bernardo referenda que se atribua, à militância petista, um programa que incluiria a defesa da censura à imprensa.
Vai ainda mais longe, oferecendo salvo-conduto à ação antidemocrática da mídia impressa e restringindo qualquer plano de regulação a perfumarias que deixariam intactos os monopólios de comunicação, o maior obstáculo no caminho para a ampliação da liberdade de expressão.

De quebra, o ministro chancela o julgamento do chamado “mensalão”, ainda que escolhendo malandramente os termos que utiliza, caracterizando a decisão como um resultado “normal e democrático”.
Por atacar seu partido nas páginas do principal arauto do reacionarismo, recebe de “Veja” elogio rasgado, ao ser considerado “um daqueles raros e bons petistas que abandonaram o radicalismo no discurso e na prática.”

Paulo Bernardo não é, porém, o único que flerta com o outro lado da barricada, apenas o que mais saçarica.
Está longe de ser pequena a trupe de figuras públicas petistas que dormem com o inimigo, a maioria por pânico em enfrentar os canhões da mídia ou desejosos de receberem afagos por bom-mocismo.

O governador baiano, Jacques Wagner, é outro exemplo de atitude dúbia.
Há algumas semanas bateu ponto, na mesma revista, para dar seu aval aos maus-feitos jurídicos de Joaquim Barbosa e seus aliados. Mas não parou por aí.
Quando o presidente do PT, Rui Falcão, estava sob cerrados ataques por chamar sua gente à mobilização, Wagner correu aos jornais para prestar solidariedade.
Não ao líder máximo de seu partido, mas aos lobos famintos que se atiravam contra o comandante petista.

Nos últimos dias assistimos incontáveis cenas que igualmente merecem uma séria reflexão.
Não foi bonita ou honrosa a oferta do ministro da Justiça à repressão da PM paulista contra a mobilização social.
Ou o prefeito paulistano fazendo companhia ao governador Alckmin na resposta ao movimento contra o aumento das tarifas de transporte.
Nesses casos, contudo, não houve facada nas costas, mas flacidez político-ideológica que não pode ser relevada.

A questão crucial é que, para avançar na luta contra o reacionarismo e na reconquista das ruas, o PT e o governo precisam restabelecer uma ética de combate.

A defesa dos interesses populares e da democracia não poderá ser feita, às últimas consequências, sem uma faxina de comportamentos e representantes que favorecem os inimigos do povo no interior das fileiras aliadas.

(*) Breno Altman é jornalista e diretor editorial do site Opera Mundi e da revista Samuel.

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=22237

Responder

    FrancoAtirador

    24 de junho de 2013 às 02h41

    .
    .
    ‘Tudo isso que tá aí’

    Por Emir Sader, no Blog do Emir – Carta Maior

    O campo ideológico estava polarizado entre a prioridade do social – encarnada pelo governo – e o antiestatismo – protagonizado pela oposição.
    Que o Brasil havia mudado, e para melhor, era um dado consensual.
    O governo buscando aprofundar e estender as políticas sociais, a oposição denunciando que o estatismo é o obstáculo para o Brasil avançar.

    Valendo-se das mobilizações das últimas semanas, a direita trata de impor outra visão, mais radical ainda:
    a de que nada de importante passou no Brasil, que só agora a população “desperta” e que é preciso se opor “a tudo o que está aí”.
    Mais radical porque desconhece todos os avanços no combate à desigualdade, à miséria e à pobreza logrados na última década.
    Tenta fazer tábula rasa e apagar tudo o que os governos do Lula e da Dilma conseguiram.

    Só assim é possível a segunda parte da visão: opor-se “a tudo o que está aí”.
    Neste caso, esse “tudo” se resume ao governo, somando a ele o Congresso.
    Se absolvem os bancos, os monopólios midiáticos, as grandes corporações econômicas, entre outros, que seriam os beneficiários de uma derrota de “tudo o que está aí”.

    Se esse consenso chega a se impor – e ele tem uma massa de jovens mobilizados e sensíveis para impô-lo, multiplicado pela ação da mídia –, se apagariam os avanços da última década e se concentraria o fogo no governo como o “velho” que bloqueia o avanço do país.

    Nas acusações sobre os gastos da Copa – desde a suspeita de corrupção até o desvio de recursos de setores vitais –, mais além de que o governo tem argumentos contra – como se viu no discurso da Dilma –, o fracasso da política de comunicação fez com que o governo sofresse uma imensa derrota. É como se esses argumentos fossem já um consenso na opinião pública e na juventude em particular.

    Essa visão busca invisibilizar o povo – os trabalhadores, os sem terra, todas as camadas populares beneficiadas pelas políticas governamentais –, reivindicando-se para eles a representação do Brasil, com o argumento forte de que eles são os jovens.

    Está em disputa assim o consenso geral no país, a partir de uma nova ofensiva ideológica da direita, agora se valendo dos jovens e da sua disposição espontânea de atacar “o poder, a corrupção”, “isso tudo que está aí”.

    Se o governo não mudar políticas fundamentais, a começar pela de comunicações – que falhou estrepitosamente – e desenvolver políticas sobre temas tão caros à juventude – como a ecologia, o aborto, a descriminalização das drogas, a internet –, criando canais de contato e discussão permanente com os jovens, vai ter muita dificuldade para recuperar sua imagem, valorizar o que foi feito e executar seus planos de futuro.

    http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=1&post_id=1270

Marcio Sotelo e Patrick Mariano: A hora de discutir o papel da PM é agora - Viomundo - O que você não vê na mídia

24 de junho de 2013 às 02h21

[…] Post exclusivo para quem gosta de teorias de conspiração […]

Responder

Cláudio

24 de junho de 2013 às 01h39

“AÇÃO CLANDESTINA NACIONAL? Aí, sim. Improvável, mas possível.”… como a intervenção externa também é (muito) possível.

É interessante notar as cores que envolvem as patricinhas da foto: a palavra ‘corrupção’ em vermelho e o termo ‘#ogiganteacordou’ em azul, além das cores das roupas para denotar (forçadamente) a ‘neutralidade’ de um suposto brasileirismo…


“Com o tempo, uma imprensa [ = mídia ] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma.” >>> Joseph Pulitzer


“Se você não for cuidadoso, os jornais [ = mídias ] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” >>> Malcolm X



Ley de Medios Já ! ! !



Responder

Cláudio

24 de junho de 2013 às 01h13

Gostar eu não gosto mas também não posso deixar de considerar tal possibilidade, principalmente levando-se em conta a história brasileira, ainda tão mal resolvida. Interessante o artigo seguinte:

“Brizola: “Onde está a CIA? Fechou?””
http://www.tijolaco.com.br/index.php/brizola-onde-esta-a-cia-fechou/


“Com o tempo, uma imprensa [ = mídia ] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma.” >>> Joseph Pulitzer


“Se você não for cuidadoso, os jornais [ = mídias ] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” >>> Malcolm X



Ley de Medios Já ! ! !



Responder

laura

24 de junho de 2013 às 01h08

Não tenho mais dúvida, É CONSPIRAÇÃO. Podem ir lá: o you tube está CHEIO de anúncios de direita.para listha
Estou acessando Glenn Miller.
Pois aparecem a torto e a direito links com o tal
vídeo do Change Brasil ou outros.
Vídeo da Folha…
Pt recolhe as bandeiras…
Contra o golpe comunista de 2014 com uma garota de olhar inocente…
Cada página tem um.

http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=IivA-6wB_08
https://mail.google.com/mail/?shva=1#inbox?compose=13f742e65a36aa30
http://www.youtube.com/watch?v=v6WYLA9nsys
http://www.youtube.com/watch?v=yhYna-OI-qE

Cada página que acesso, aparece um anuncio de direita sobre as manifestações. ISSO É AÇÃO ORQUESTRADA. E de fora.
Impressiona.
Não é possível que isso continue assim. É uma guerra planejada mesmo, já não acho que seja teoria da conspiração é conspiração mesmo!

Estou atarantada com a virulência.
Não é possível que isso possa acontecer sem que possamos fazer nada.
É guerra!
MESMO.

Responder

Paulo Agostinho

23 de junho de 2013 às 23h44

Só sendo muuuuuuuuuuito ingênuo pra achar que não há aí os interesses imperialistas (ouviram? Isso mesmo, imperialistas!!!) norte-americanos. Como diz o Tijolaço lembrando o velho Briza: até parece que a CIA fechou.

Responder

Maria Thereza

23 de junho de 2013 às 21h24

“o gigante acordou” foi usado em 1964, conclamando os moradores de santos para a marcha com deus e a família pela liberdade, contra a corrupção, o “comunismo” e esse negócio de reformas de base que tinha chance de misturar a patuleia com “gente bem”. E as mocinhas que aparecem no post são muito bonitinhas, muito bem vestidinhas… duvido que tenham andado de ônibus uma vezinha só, nem que fosse para experimentar, ou recorrido a uma unidade pública de saúde ou educação (exceto universidade, claro). É uma clara tentaiva de golpe, mesmo!

Responder

geniberto paiva campos

23 de junho de 2013 às 21h01

Seria interessante trazer á nossa lembrança o filme do Flávio Tavares & Filho sobre o golpe de 1964: ” O DIA QUE DUROU 21 ANOS”. Nele, ficamos sabendo que a conspiração foi planejada/monitorada na Casa Branca, com “timing” perfeito.
Respeito a correção jornalística do Azenha quanto á realidade factual. Mas, pergunto: – o que estaria faltando como provas do Golpe em marcha? recibos???

Responder

H.92

23 de junho de 2013 às 20h54

Não duvido de nada, esse Anonymous cheira muito mal!

Querer derrubar ditadores dóceis ou não com relação aos EUA é uma coisa, derrubar um governo democraticamente eleito, independente e com o país caminha relativamente bem?

Pra mim isso não faz sentido.

Será que essa tal MPL tá metida nisso?

Responder

Leandromattos85

23 de junho de 2013 às 20h48

Esse Anonymous hojem em dia, literalmente não tem mais cara. Defende bandeiras contraditórias, ora progressitas, ora reacionárias. Talvez exista vários Anonymous embarcando no sucesso do original.

Já vi Anonymous atacando a PEC 37. Não que não possa, mas é conservador, coisa que eu acho que não era.

Abs

Responder

    Rodrigo

    24 de junho de 2013 às 01h00

    Os “Anonymous” são apenas uma piada inventada por um fórum americano para deixar ignorantes com medo.

    Chega a ser hilário ver como muitos “jornalistas” e outros metidos a sabichões caem feito patos numa piada criada por volta de 2007.

    Até mesmo esses manifestantes com mascara de Guy Fawkes não sabem o ridículo pelo que estão passando.

Cebes e Abrasco apontam à Dilma os caminhos para a saúde no Brasil - Viomundo - O que você não vê na mídia

23 de junho de 2013 às 20h45

[…] Post exclusivo para quem gosta de teorias de conspiração […]

Responder

    Bonifa

    24 de junho de 2013 às 04h18

    Esta reportagem da Folha é um escândalo de mistificação. O Governo deve ficar atento para o seguinte: Se o Congresso já tivesse votado a instituição do Direito de Resposta, que tramita sob dificuldades criadas pelos aliados da Mídia, a Advocacia Geral da União poderia entrar na Justiça para obter sobre a Folha de São Paulo este direito, por conta dessa singela reportagem.

Magaly Pazello

23 de junho de 2013 às 19h33

Como se Dilma precisa-se de uma teoria conspiratória contra ela… ai meus sais!

Responder

Carlos Wolff

23 de junho de 2013 às 19h32

Sobre os anonymous citados no texto. Sem dúvida a influência deles é colossal. Eu já havia questionado em posts anteriores o que move este anonymous, vou repetir aqui minha análise:

Antes porém, vejamos o lema dos anonymous (se esqueci alguma frase, é só procurar na internet):
Somos legião
Somos multidão
Somos você
Não seguimos ideologia fixa
Não temos pátria
Não temos líder
Somos cidadãos do mundo
Unidos como um, divididos por zero (aqui vai um trocadilho com o binário da computação 1 e 0, indicando a máquina por onde agem. Também se baseiam na matemática, pois divisão por zero não existe, ou seja, não existem, são anônimos. Divididos por zero também significa que não haverá racha entre eles)

São o manifesto da rebeldia, de uma geração internetada, dão caráter embora com máscara a um desejo de paladino digial, de zorro poderoso. São apaixonantes, reconhecidos como os românticos que funcionam pois se for ver o estardalhaço que andaram fazendo, é mesmo de se espantar. O que entraram em página do governo e partidos, modificando informações não tá escrito. Demonstraram um poder que regojiza os jovens, que fazem acreditar que essa anarquia toda tem muito poder e mudará o mundo.

Falei de anarquia… Pronto. Cheguei no ponto que queria. Historicamente a anarquia intercala 2 modelos, seja de governança, comportamento, quaisquer 2 modelos distintos. Anarquia está presente por exemplo na transição de um modelo democrático para um totalitário. O contrário também ocorre.

Anarquia é a antítese de tudo aquilo que representa o antigo (que não funiona mais) em busca do novo (que um dia se desgastará também). Anarquismo não é modelo de governo, ninguém e todo mundo manda, ninguém e todo mundo obedece, não existe conceito de pátria embora lutem por uma. Não é modelo de governo como eu disse pois é insustentável. Funciona por um tempo, mas logo clamam pela mudança para um novo. É o que vemos por aí.

Não é nada novo, não é nova ordem mundial, é só o velho se repetindo, com um novo nome, uma máscara, e um novo jovem que o sustenta.

Agora o que fiquei encafifado é a frase do lema: “Não seguimos ideologia fixa”. Ora… Num mundo majoritariamente capitalista, onde a arma deste grupo é a tecnologia, bem como todo-mundo-sabe-da-vida-de-todo-mundo através do digital, como que estes gênios da computação se sustentam? Trabalhar não trabalham, pois estão o tempo todo no ativismo. Como conseguem pagar seus equipamentos (que precisam ser poderosos)? E o acobertamento? Isto custa também.

Então, o “não seguimos ideologia fixa” para mim se traduz em “defendemos quem nos paga mais”, isso é mercenário, não se enganem.

Quem tá por trás deles? Uma causa nobre? O amor? Ali acima mesmo eles dizem que não seguem ideologia, causa fixa… Contradições… E o anarquismo também já coloquei como um modelo de governança insustentável, um dia a coisa desanda… Só que eles não desandam, já estão aí há algum tempo, não apareceram nesta Primavera Brasileira.

Anonymous sofre também de seu próprio anonimato e anarquia. Hoje, qualquer um pode se declarar um anônimo e agir no contrário do movimento anonymos original. Como saber quem é quem?

Anonymous tende a sumir, não no próprio anonimato, mas em sua descrença, ambiguidade e esquecimento, como todos os outros movimentos anárquicos que um dia passearam sobre a história.

Responder

Jose neto

23 de junho de 2013 às 18h22

O golpe começou com a mensagem subliminar certamente encomendada pelo psdb, que foi a propaganda da fiat repetida massivamente bem antes do protestos “vem pra rua, porque a rua é a maior arquibabcada do Brasil”

Responder

    Sandra

    23 de junho de 2013 às 20h11

    Olá, José:
    Sabe que eu também pensei nisso, mas, ao comentar com “alguém mais ‘politizado’ do que eu”, recebi a resposta de que não “tinha nada a ver”…
    Bom ver que eu não pensei sozinha.
    Abraço.

    [email protected]_2

    24 de junho de 2013 às 00h29

    desde a primeirissima vez que escutei o tal comercial me deu uma vontade quase incontrolavel de IR PRA RUA!

    Skinner deve ter aplaudido lá do fundo dos infernos…

    Comercial terrivelmente genial. E nocivo, no caso…

Jandira Feghali: Grupos fascistas pagos jogaram bombas nos próprios manifestantes - Viomundo - O que você não vê na mídia

23 de junho de 2013 às 17h47

[…] Post exclusivo para quem gosta de teorias de conspiração […]

Responder

Julio Silveira

23 de junho de 2013 às 16h41

Azenha, meu caro, concordo plenamente com as grandes possibilidades de verdade contidas em suas ponderações. Mas temos que pensar, havendo de fato essa conjunção de situações, haveremos também de admitir que a inteligência que governa o país é de um QI muito abaixo da média.
Sequer se preparam após anos de repressão e estrutura montada para manutenção das oligarquias, para lidar com elas, desarmar as bombas culturais por elas criada. Pensaram errado, que apenas fazendo as vontades dessa gente, comprando-os, poderiam inserir novidades que significassem a quebra desse domínio cultural, a libertação da escravidão mental, que custou décadas, mesmo século, para ser construída. Acredito que essa turma é menos venal e mais ideológica que muita gente acredita, fazem o jogo da oportunidade e lucram o máximo sem abrir mão de suas convicções. Sob certos aspectos são mais fieis que a própria esquerda, pelo menos a nacional. Sou daqueles que vê e cobram culpados, e para mim são os que abrem o flancos aos inimigos. E a um bom tempo meu caro, estas pessoas que nos governam, que foram eleitas para uma mudança de paradigma, apesar de não entenderem isso, esqueceram que deviam continuar lutando o bom combate, preferiram dormir com os inimigos, partindo de premissas infantis de cooptação e troca, foram usados, foi invertido o jogo. As vitimas como sempre serão os cidadãos. Infelizmente dói ver mais uma oportunidade que pode estar se perdendo para se construir um país mais justo, mais digno, mas existem culpados. Inexperiência, fraqueza, vaidade, ambição, arrogância, não sei, talvez todos esses ingredientes reunidos apontem para todas a fraquezas que você aponta como um aviso, e ele é visível e consequente, mas para mim os culpados não são os oportunistas a espreita, os internos e o externos que temos, esses todos já sabemos quem são.

Responder

Dimi

23 de junho de 2013 às 16h27

…”Porém, como se perguntou Gilberto Maringoni durante ato da Paulista: como explicar a revolta num país com alta taxa de emprego e com crescimento econômico razoável?”
Falta informação, Informação e muita informação. A mídia desconstroi o governo 24h/dia. O Governo/PT fica esperando pela mídia, não divulga, baixa a guarda, se recolhe…
Os protestos pedem mais Saúde, Educação e Segurança como se o governo nada tivesse feito. Sim, há muito pra fazer.
Mas o governo precisa urgente divulgar o que faz comparando com os governos anteriores. Só assim fica claro os avanços e melhorias alcançadas na era Lula/Dilma.

Responder

Cláudio

23 de junho de 2013 às 16h13

E o Facebookie (sic) fez-se boohoo com Analnymous só fazendo merda. Coisa de Anonymouse (ou Anonymou$$).

“Com o tempo, uma imprensa [ = mídia ] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma.” >>> Joseph Pulitzer


“Se você não for cuidadoso, os jornais [ = mídias ] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” >>> Malcolm X



Ley de Medios Já ! ! !



Responder

Marat

23 de junho de 2013 às 16h06

Apenas uma teoria conspiratória, ou seja, delírio… isso não vai acontecer:
Eles vão radicalizar cada vez mais. Vão destruir patrimônio público. As forças federais, paralisadas, não responderão. Quando um soldado, verdadeiro soldado, cumprir seu dever e matar um vândalo, aí a imprensa e o judiciário vão cair de pau. Nesse momento um abnegado ministro do STF pronunciará um impeachment, e será inserido no poder uma pessoa honesta, séria, competente e liberal, que, sob a tutela do FMI e dos países ricos, entregará tudo para eles, e nós, num período de prosperidade jamais visto, viveremos felizes para sempre, sem pobres, que serão devidamente excluídos. Sieg heil…

Responder

Marcela

23 de junho de 2013 às 15h44

Leio má fé na forma como o nome do Movimento Passe Livre foi utilizado no título do Post para quem gosta de teorias da conspiração.

Responder

Flavio Lima

23 de junho de 2013 às 15h35

Chamar de teoria da conspiração é um jeito de disfarçar a conspiração. Concordo com a linha de pensamento do LCA.
Pensar o impensável é um dos melhores jeitos de pensar.

Responder

Cláudio

23 de junho de 2013 às 15h13


“Com o tempo, uma imprensa [ = mídia ] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma.” >>> Joseph Pulitzer


“Se você não for cuidadoso, os jornais [ = mídias ] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” >>> Malcolm X



Ley de Medios Já ! ! !



Responder

Bacellar

23 de junho de 2013 às 14h50

Num tabuleiro de xadrez começa-se movimentando as peças de acordo com as respostas do adversário dinamicamente até que depois de um certo numero de movimentos se tenha a oportunidade de atacar ou a necessidade de se defender. Claro que não vivemos uma disputa entre apenas dois adversários mas achatando as diferentes forças em correntes principais é um exemplo válido. O maior perigo desse tabuleiro é que um lado começa com 8 bispos, 3 rainhas e 10 cavalos e o outro basicamente só tem peões.

Eu entendo que como jornalista exista a necessidade de provas concretas para não se reproduzir meras ilações, mas as vezes essas provas concretas demoram 50 anos para vir a tona. Quando 20 coincidências se alinham é hora de analisar se realmente são coincidências. VoM não joguem argumentos válidos no balaio das teorias conspiratórias, não tem ninguem aqui falando em maçonaria e illuminattis…

Responder

Luiz Moreira

23 de junho de 2013 às 14h13

Olhe!
Na minha opinião, o Cristovão Buarque, pleiteando a desconstrução e encerramento de TODOS os partidos atuais, está certa. Possivelmente o BARBOZA será o proximo presidente, isto se o golpe não acontecer. Eu teria algumas idéias para as propostas das ESQUERDAS, e lançar agora no meio do fogo. 1- Estabelecimento da pena de morte. Ele, assim como está, só atinge os pobres.Para estes, existe na prática. Vamos democratizar as punições.
2-Todo o corruptor, perderá os bens, inclusive familiares e os direitos de cidadão por 10 anos. Não poderá votar, ser votado, ter conta em banco e ter identidade ou adquirir propriedades.
3-As universidades publicas serão pagas. Após concluir o curso, deverão cumprir serviços a salario minimo profissional por um periodo igual ao do curso. Com isto estarão devolvendo ao Estado aquele investimento.
4-Todos os presos cumprirão trabalhos obrigatórios durante a pena. Os funcionarios publicos serão demitidos, como qualquer trabalhador da área privada. Todos os funcionários publicos (políticos ou outras categorias), envolvidos em corrupção, perderão seus direitos de aposentadoria. (além das penas)
5-As RELIGIÕES não poderão receber, de modo algum, recursos públicos.
6-O preso por assassinato,(ou que incapacite alguem) terá de, através de seu trabalho como preso, ressarcir a familia que perdeu uma pessoa que garantia a manutenção.
Muitas outras seriam acrescentadas, como imposto sobre fortuna (que ia se tornar rara), exigência de cortes de cidadãos para verificar projetos e concorrências (para impedir os erros, barbaridades e superfaturamento) e outras muitas. Mas, para uma boa cobertura, não creio que ultrapassassem 20 quesitos.

Responder

mariazinha

23 de junho de 2013 às 12h28

Interessante….O primeiro sinal da interferência ALIENÍGENA, VEIO, justamente, daquele monstro que esta sentado no centro das águas que divide dois continentes. Esse monstro sempre viveu de sugar povos, criar conflitos e ser pirata dos mares; foi quem gerou outro monstro feroz. É de lá que vem o primeiro sinal de interferência: diz que a Copa de 2014 pode ser disputada lá, se o BRASIL não for capaz de dar condições à Fifa. Antes, já tinha, em seu pig, desfeito do BRASIL. Vamos deixar esses demoníacos subjugarem o BRASIL, novamente?
“Snowden: britânicos são piores do que norte-american”
http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=216804&id_secao=9

Responder

Adelaide

23 de junho de 2013 às 12h07

Prezado Azenha,
que relações teriam também o eclodir das manifestações e a denúncia de Edward Snowden (20 de maio) que vazou o esquema de ciberespionagem dos EUA, onde o governo espiona pessoas com ajuda do Facebook, Google e Apple?
Acompanhar com mais precisão o que está acontecendo no mundo?

Responder

Messias Franca de Macedo

23 de junho de 2013 às 12h05

… O JORNALISMO FASCISTA E AS CONSPIRAÇÕES COMUNS! ENTENDA

[LÁ VEM O MATUTO “COM AS ORELHAS EM PÉ”!…]

… Depois da ‘veja’ estampar em capa: ‘O menino pobre que mudou o Brasil’… Agora, a mesma ‘veja’: ‘Sete dias que mudaram o Brasil’ – ‘depois dos protestos, nada será como antes’…
… E, aí, a *’jornalista amiga dos patrões barões da “grande” mídia nativa’ “levantou um ‘dedinho’” e afirmou: “**’Meninos’, ‘eu não te conto’, o Datafolha fez uma pesquisa nas ruas entre os manifestantes dos protestos! Vocês sabem quem ficou em primeiríssimo(!) lugar na preferência pela corrida presidencial?” [Toda a pantomima acompanhada de um sorriso ‘verde oliva (sic) de felicidade e regozijo’! – a(de)n(do) sujo nosso!] A resposta pela própria inquisidora (idem sic): “Joaquim Barbosa!” Em seguida, a mesma ‘jornalista amiga dos patrões’, levantou… Dois ‘dedinhos’ – e: “E vocês sabem quem ficou em segundo lugar? Sim, a Marina Silva! Mesmo porque ela não tem vínculos com partidos políticos, apesar de ter vindo do PT, rompido com o PT, e, agora, está organizando a ‘Rede’!” [“Pode ‘to be’?!” – de novo, a(de)n(do) sujo do matuto!] Fala, Cantanhêde, afinal de contas, quem tem microfones e câmeras de TV à disposição, convenhamos, falar o que quer! Não é para isso que serve a democracia?! (ibidem sic) “E vocês sabem quem ficou em terceiro lugar? Nesta mesma pesquisa do Datafolha, realizada nas ruas e entre os manifestantes dos protestos, a presidente Dilma Rousseff fica com, apenas, 10% das intenções de votos! A mesma presidente Dilma Rousseff que, na pesquisa geral do Datafolha, vence as próximas eleições, em primeiro turno, com 51% dos votos…”
Dois ‘dedinhos de prosa do matuto’! A Cantanhêde não esqueceu de levantar ‘os três dedinhos da mãozinha direita'(!!!) ao informar o nome do terceiro colocado na pesquisa [realizada nas ruas, entre os manifestantes dos protestos!]; Os sorrisos progressivamente contagiaram o outro ‘convidado a dedo’ pela âncora do programa e a própria âncora, óbvio!
*Eliane Cantanhêde “da Folha da ‘ditabranda dos Frias’ & dos Marinhos das organizações(!) Globo”!
**’os meninos’: o outro convidado a ‘dedinho’ pela âncora do programa, o Sérgio Fadul [“do jornal ‘O Globo’”] e a âncora do programa ‘Fatos & distorções’(!), GloboNews!
“CINCO(!) ‘DEDINHOS’ DE PERGUNTAS!”:
1- por que será que os três ‘jornalistas amigos dos patrões’ não informaram ao ‘eleitor assinante’ acerca da “metodologia” aplicada na tal pesquisa Datafolha?! [realizada entre os manifestantes dos protestos(!)];
2- será que os três ‘jornalistas amigos dos patrões’ deram conta de que, ao corroborar com uma “pesquisa” que “pesquisa” desqualificar os partidos políticos, estão difundindo um dos preceitos clássicos do fascismo?!…
3- o que está acontecendo no Brasil – em meio à realização da Copa das Confederações(!) – evidencia alguma coincidência com a tal ‘primavera árabe’?!
4 – o que está acontecendo no Brasil – em meio à realização da Copa das Confederações(!) – tem alguma correspondência com o fascismo?!
5- lá isso é jornalismo?!…

NOTA ACAUTELATÓRIA: com relação à questão de número 3, o primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, já nos deu a contundente e peremptória resposta:
“Os protestos registrados nos últimos dias no Brasil fazem parte uma conspiração para desestabilizar a presidente Dilma Rousseff, assim como está acontecendo comigo.” Em Denúncias
Erdogan diz que mesma conspiração atua na Turquia e no Brasil
publicado em 22 de junho de 2013 às 21:13

FONTE: https://www.viomundo.com.br/denuncias/erdogan-diz-que-mesma-conspiracao-atua-na-turquia-e-no-brasil.html

E VAMOS ***“AOS FINALMENTES”! “inté”!…
***lembrando o saudoso Odorico Paraguaçu! Bom político – e militante(!) – aquele!

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    Bonifa

    24 de junho de 2013 às 03h29

    Na pesquisa entre os Vândalos, quem ficou em primeiro lugar?

O Anonymous tem nome ? É CIA ? | Conversa Afiada

23 de junho de 2013 às 11h49

[…] Post exclusivo pra quem gosta de teorias da conspiração […]

Responder

Tomudjin

23 de junho de 2013 às 11h13

Já faz um bom tempo que a conspiração deixou de ser apenas uma teoria.

Responder

Cláudio

23 de junho de 2013 às 11h13

I$$o é a Mo$$ad da $$Cia… Tem “gente” que num aprendi nunca

“Com o tempo, uma imprensa [ = mídia ] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma.” >>> Joseph Pulitzer


“Se você não for cuidadoso, os jornais [ = mídias ] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” >>> Malcolm X



Ley de Medios Já ! ! !



Responder

Bernardino

23 de junho de 2013 às 11h07

Perfeitas as consideraçoes do AZENHA,bem fundamentadas,citando lugares,pesssoas e fatos.

ESSA do clube militaré demais!ESSES VAGABUNDOS passaram longos vinte anos no poder e nao fizeram aquilo que o pais necessitava:REforma agraria.Trubutaria e ate politica para o futuro do Pais e mais armas nucleares para nosssa soberania.Viveram debaixo das botas dos EUA com rarissimas exceçoes dentro da tropa como o LOTT E O GEISEL,dois nacionalistas
VIVI A ditadura e lembro que essesPIlantras safados viviam se locupletando em empresas estatais e segurando a VACA ppra Burguesia nacional se aproveitar e roubas os cofrs publicos: O ACM e O SARNEY sao dois exemplos da epoca,entre tantos outros e depois veio a nova REPUBLICA e ai sim o PMDB.Bandido deitou e rolou se destando o QUERCIA E O NeWton Cardoso dentre tantos hoje Milionarios!!

A CULPA foi do seu CABRAL que por aqui aportou tranzendo a CORJA Portuguesa tao DELETERIA a formaçao de uma NAÇAO!!!

Responder

Joana

23 de junho de 2013 às 10h48

E esse video: http://www.youtube.com/watch?v=L1NcCGUKz7A

Isso cheira a quê ?

Responder

Maria Rita

23 de junho de 2013 às 10h12

Depois de ter confundido PEC com PL, estou até com medo de me pronunciar. Gostei muito desse texto (se é que eu entendi). Desculpa o mea culpa, mas às vezes faz bem rir de si mesma.

Responder

Gilberto Silva

23 de junho de 2013 às 09h28

Caro Azenha.
Concordo em genero , numero e grau com tudo que esta acima descrito .
Realmente é isto que esta ocorrendo .
Acho que Dona Dilma deveria se cercar de gente que é aliada e não estes incopetentes que ela acha que o são : Cardozo,Filito e o chefe da PF ….
Cardozo é do PSDB , que governo do PT vai dar certo com um ministro da justiça que pertence a outro partido ? KKKK

Responder

J Souza

23 de junho de 2013 às 09h10

Quem escolhe o que você vê?
Quem determina o que pode ou não pode ser visto?
Quem é o censor?

Quanto às manifestações, o que pensam os que NÃO foram às RUAS?
Só porque milhões de jovens vão a baladas, todos os jovens gostam de baladas?
Algumas manifestações pelo país não passaram de “baladas”? Ah, “eu vou”, “eu vou também”…
Se protestam contra várias coisas diferentes, querem todos nas manifestações as mesmas coisas?
A quem interessa tanta gente nas ruas?

O que começou como uma coisa séria, ou vai virar circo, ou vai virar golpe…

Responder

Douglas Fróis

23 de junho de 2013 às 08h22

Onde encontro esse estudo do Sérgio Amadeu sobre a influência dos perfis anopnymous na disseminação de informações a respeito das manifestações? Tentei procurar pelo google mas não encontrei. Por favor, alguém me passa o link. Obrigado.

Responder

Igor_

23 de junho de 2013 às 05h00

Que é um golpe planejado,organizado isso sem dúvida.
O jovens nas ruas não tem nada de “povo” da da classe média que em sua maioria já possuem um ódio ao PT, graças ao PIG…
Foi sí dar um “star” que se crou o “efeito manada”
E outra algumem, “eles” andam estimulando esses jovens irem as ruas com convocações etc….
E o fato de não ter comamando é proposital também, pis dificuilta o entendimento, etc.
São jovens de classe média, de direira, pró – PSDB, etc dando o golpe o resto é puro Blá bla´blá

Responder

Marcelo

23 de junho de 2013 às 03h18

No livro “Cypherpunks – Liberdade e o Futuro da Internet”, Julian Assange faz um alerta sobre a “guerra da informação” que acontece neste momento no mundo. Assange – “Este livro não é um manifesto. Não há tempo para isso. Este livro é um alerta.”

Uma busca no Yandex e se acha o livro em pdf para ler ou baixar.

No Brasil, geralmente falamos “googlear”, ou algo do tipo, para referirmos as buscas web; mas, por exemplo, o site de buscas mais acessado pelos russos, é o http://www.yandex.com/, que também oferece outros serviços: como email, etc. (É ótimo)

Há países em que serviços web simplesmente são proibidos ou inacessíveis.

Richard Stallman desde sempre alerta sobre a privacidade e características nocivas do Windows da Microsoft.
E ainda hoje continua alertando http://www.fsf.org/windows8

O incansável Stallman há tempos também alerta sobre o Facebook http://stallman.org/facebook.html
Apple também http://stallman.org/apple.html, Amazon também http://stallman.org/amazon.html e Skype também http://stallman.org/skype.html

Quando Mark Zuckerberg foi escolhido personalidade do ano em 2010 pela revista Time; a Free Software Foundation publicou: http://www.fsf.org/facebook

Facebook e Casa Branca são “assim ó”, unha e carne!
Há indícios de que Google, Twitter e outros também.

Este é o ambiente da minha Teoria da Conspiração.

O PRISM, e os documentos no WikiLeaks (pouco aproveitados pela imprensa) completam o cenário “informático”.
O cenário político brasileiro é fértil em motivações conspiratórias. Esse cenário é familiar e deixo à sua imaginação.

A minha “teoria da conspiração” é:

Os governos de EUA e Inglaterra, Rede Globo e algumas figuras da direita brasileira estão numa empreitada para desestabilizar o governo Dilma e consequentemente o PT/Lula.

Eua e Inglaterra entram com a logística informacional, marketing digital e infraestrutura computacional. Seleciona e recruta simpatizantes “anonymous” responsáveis na vigilância do apartidarismo das manifestações, iniciam gritos de guerra do tipo “sem partido” e hostilizam grupos. Provavelmente devido as circunstâncias promovem vandalismo. Embora o vandalismo seja quase certo neste tipo de ambiente. * Naturalemte marginais “não recrutados” usam a ocasião para saques, roubos, furtos…

“Vidas digitais” foram e são vasculhadas e analisadas.

A Rede Globo é responsável pela…

A figura “da direita” é o elemento nas cidades estratégicas; São Paulo, Rio e Brasília… que coordena polícias e bandidos para complementar o trabalho “de campo”. Provavelmente entram neste grupo jornalistas, juristas, políticos… recrutados pela Globo para execução do movimento político do Golpe.

–fim da viagem–

A internet é a criação mais importante da humanidade desde a escrita. Afirmam alguns sociólogos, segundo Rick Falkvengie, pres. Partido Pirata Sueco.

* adendo: Alternativas “open source” para “softwares”, navegação e serviços web: http://prism-break.org/
* Identi.ca é um exemplo de sucesso em alternativa ao twitter …

Responder

Angela

23 de junho de 2013 às 02h19

Hoje ao receber emails de ongs estrangeiras com abaixo assinado contra corrupção, reforma politicas politca etc, dei a seguinte resposta ao greenpeace via email : GO HOME, XÔ, vai cuidar do teu quintal, vai mobilizar o povo americano.

Responder

Matheus

23 de junho de 2013 às 02h01

Gente, vocês esqueceram que a tarifa foi reduzida? A direita, a oligarquia e a mídia querem se apossar e dispersar a manifestação. Para isso, tentam impôr a agenda política genérica, vaga, vazia, sem qualquer pauta concreta que satisfaça os anseios da juventude revoltada (mas ainda muito confusa). Os grupos de fascistas, os pitiboys anabolizados que perseguem os movimentos populares e partidos de esquerda, estão se infiltrando de maneira organizada e planejada. Não é por acaso isso.
A esperança da mídia, da oligarquia e da direita (que são quase uma única e mesma coisa, diga-se de passagem) é que, sem agenda política concreta, sem direção mobilizadora (ou seja, “sem partido”, sem bandeira, sem cérebro…), a coisa acabe se dispersando, sob a mão de ferro “sanadora” das tropas de repressão militar. Estão armando para isso.
Mas não precisa ser assim.
Se já tiveram que recuar, reduzir a tarifa e admitir que é legítimo protestar, podem recuar ainda mais, mais, mais e mais, até cair no precipício atrás deles, da sua mídia, dos seus partidos reacionários e dos seus pitiboys acéfalos.
Nós precisamos nos organizar e unir para mobilizar a periferia, mandar essa mensagem de esperança e força para a juventude pobre, para os excluídos e marginalizados.
Vejam aqui no Vi o Mundo o exemplo da Cooperifa, dos protestos na periferia urbana de São Paulo.

Responder

    abolicionista

    23 de junho de 2013 às 23h07

    É isso aí, Matheus! Terça-feira a zona sul vai à luta! E os playboyzinhos que tentem dar uma de valente…

FrancoAtirador

23 de junho de 2013 às 01h27

.
.
Faz parte de uma Agenda calculada.
Eles estudaram o Perfil dos 44%.
Construção ideológica de longo tempo.
E não digam que eu não avisei:
.
.
FrancoAtirador
sáb, 11/05/2013 – 20:49

O ambiente passou a se tornar propício, a partir das eleições presidenciais de 2010, com as campanhas de Jose Serra e Marina Silva que trouxeram à tona o obscurantismo (http://bit.ly/138PKE6) e o reacionarismo (http://bit.ly/qb5nil), e tudo o mais que se possa imaginar de indignificante e moralmente degradante na espécia humana, que, diante do avanço democrático civilizatório em curso no Brasil, encontravam-se esgotados nos subterrâneos da sociedade brasileira.

Foi ali que, sob a regência, como sempre, do Departamento de Estado Norte-Americano [(http://bit.ly/138xH0J) e (http://bit.ly/X3rjUU)]
e das Corporações Econômicas Apátridas [(http://bit.ly/fJJpCv) e (http://bit.ly/yHu2jc)],
e com o apoio financeiro de empresas locais [(http://bit.ly/12lwyFB) e (http://bit.ly/YBAkde)],
o Instituto Millenium [o novo IBAD/IPES (http://bit.ly/12GWZCP) e (http://bit.ly/9AUdAQ)]
e seus subprodutos, como por exemplo o IEPE/CdG [(http://bit.ly/17eKbe7) e (http://bit.ly/XVSN0B)],
através dos capatazes da Mídia Bandida,
distorcendo a biografia de Dilma Vana Rousseff,
vislumbrou o resgate de uma grande articulação com os mais diversos setores da Direita e da Extrema-Direita [nos moldes da antiga ADEP (http://bit.ly/10hztvK)],
nos quais se incluíram desde líderes católicos e evangélicos até uma gama de sindicatos de latifundiários rurais comandados pela CNA, associações de profissionais liberais de toda a espécie,
e, ainda, de organizações políticas que não possuíam a menor significância e representação na sociedade brasileira, como os integralistas [(http://bit.ly/aytt3Z) e (http://bit.ly/dAgYdo)],
os monarquistas [(http://glo.bo/t8zK9u) e (http://on.fb.me/YBjqLN)],
os ademaristas [(http://bit.ly/blQvmm) e (http://bit.ly/mjBKmN)],
os militares saudosos do Golpe de Estado de 1964 [(http://bit.ly/15Zp9Af) e (http://bit.ly/121jPpM)].

Todos esses grupos direitistas de pregação moral fundamentalista, por interesses políticos e econômico-financeiros e, em conjunto, ideológicos, aproveitando-se da ignorância e da boa-fé de grande parte da população brasileira, especialmente a mais jovem que está distanciada daquele tempo, proporcionaram e continuam proporcionando, cada vez mais, a capilarização de uma idéia propositadamente distorcida da História do Brasil, cuja autoria literária ficou notadamente ao encargo de ‘neoestoriadores’ (http://bit.ly/ZQGBzn), que é depois projetada pela Mídia Bandida em todos os canais de comunicação, na tentativa de mistificação da Verdade e adulteração dos fatos, principalmente sobre o período de agosto de 1961 a março de 1964, intervalo histórico que imediatamente antecedeu a derrubada do Presidente da República João Goulart, eleito diretamente pelo voto popular [(http://bit.ly/11tLJzH) e (http://bit.ly/12lAN3L)], com o nítido objetivo de justificar os atos cruéis e sanguinários, como a tortura e a execução sumária de cidadãos e cidadãs [email protected] absolutamente inocentes, praticados por agentes civis e militares, na fase seguinte, enquanto imperou a Ditadura Militar no País até março de 1985.

Existe, sim, um movimento insurgente esquematizado em grande escala pelo Brasil afora, e coordenado logisticamente de cima, com infiltração, inclusive, nas instituições públicas, em todas as instâncias ligadas aos três poderes constituídos, que pode atingir, de um momento para outro, proporções incontroláveis, a tal ponto que o Mentirão irá parecer brincadeira de criança.

Aliás, está sendo apenas um teste a sugestão de eleição do Magnânimo Juiz da ‘Time Magazine’, o Ministro-Presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, midiaticamente elevado acima dos Três Poderes da República, para ocupar o cargo de Sumo Justiceiro Protetor da Propriedade Particular, na ditadura civil a ser instalada sob o Estado Policial mantenedor da ‘Ordem’ e dos “Valores Morais da Sociedade”.

(https://www.viomundo.com.br/denuncias/adriano-diogo-sobre-ustra-ele-tirou-o-capuz-e-falou-acabei-de-mandar-o-minhoca-para-a-vanguarda-popular-celestial.html)
.
.

Responder

Post exclusivo para quem gosta de teorias de conspiração | Diálogos Políticos

23 de junho de 2013 às 01h18

[…] Via https://www.viomundo.com.br/ Share this:CompartilharFacebookCurtir isso:Curtir Carregando… « What is this, “companheiro”? […]

Responder

Leo V

23 de junho de 2013 às 01h01

Eu corrigiia a seguinte fase:

“Um grande número de despolitizados nas ruas, sem lideranças conhecidas e organizados de forma horizontal ficam sujeitos a todo o tipo de manipulação.”

Na verdade, aqueles desorganizados é que ficam sujeitos à manipulação. Os cara-pintadas da Globo que foram para as ruas não estão organizados horizontalmente, eles simplesmente não tem organização nenhuma, são indivíduos atomizados que saíram da frente da TV ou do computador e foram para rua como tais, como indivíduos.

Os organizados horizontalmente, isto é, sem hierarquia, o MPL, tem sua pauta, seu foco, e a menos que faça avaliações ruins (que até agora não me parece que tenha ocorrido), não estarão sujeitos à manipulação.

Responder

FrancoAtirador

23 de junho de 2013 às 00h31

.
.
MÍDIA BANDIDA INDUZ POPULAÇÃO A PENSAR
QUE A VIOLÊNCIA PARTE DA EXTREMA-ESQUERDA

Todas as menções da Mídia Bandida sobre agressões
e depredações a prédios públicos e particulares
são atribuídas genericamente a ‘grupos ultra-radicais’.

No inconsciente do brasileiro médio todo radical é de esquerda.

É A AMEAÇA COMUNISTA DE VOLTA AOS LARES CRISTÃOS…

Jornal O Globo

Ultrapassou os limites (Editorial)

De quinta-feira da semana passada, quando a violenta e despropositada ação da tropa de choque da PM de São Paulo contra um grupo de manifestantes do Movimento Passe Livre (MPL) serviu de centelha para uma adesão maciça às manifestações de rua, até ontem, a mobilização cumpriu um percurso meteórico.

Começou como ação de um pequeno grupo de jovens reunidos em torno da crucial questão da precariedade do transporte urbano de massa, cresceu com a ampliação da pauta de críticas e reivindicações, e chegou à noite de anteontem com manifestações sem controle, utilizadas por vândalos movidos a ideologias políticas (!!!) ou não.
Limites legais e políticos foram ultrapassados.
Chegou a hora de parar e refletir.

O balanço da noite de quinta é trágico, com a disseminação de depredações e toda sorte de atos de vandalismo em várias cidades.
Chama a atenção o ataque a sedes de governo, como já acontecera em São Paulo nas tentativas de invasão da sede da administração central do estado, Palácio dos Bandeirantes, na segunda, e, no dia seguinte, na da prefeitura.

As cenas se repetiram no Rio, quinta, com a tropa de choque da PM obrigada a afastar vândalos das proximidades do prédio da prefeitura, com o uso da cavalaria, bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo, e, no fim da noite, proteger o Palácio Guanabara.

Como tem acontecido, os grupos se dispersam e voltam, sempre em meio a um quebra-quebra.
Violência pura, sem qualquer relação com a absoluta maioria dos manifestantes, incapazes de conter quem tem usado as passeatas para agredir e destruir.

Os absurdos vistos em Brasília foram um dos sinais fortes de que a mobilização ultrapassara os limites mais magnânimos.
Na segunda, o teto e a rampa do Congresso foram tomados, como já ocorrera no passado em outras circunstâncias.
Na quinta, impedidos de fazer o mesmo, os bandos investiram contra o prédio do Itamaraty, onde chegou a haver um foco de incêndio.

Não faltou, nestes dias, sequer o bloqueio de estradas importantes na região da Grande São Paulo — Anchieta, Castelo Branco, Dutra, Anhanguera, por exemplo —, cena clássica de crises políticas latino-americanas.

Desde segunda, a violência havia escalado de maneira assustadora.
Até ontem à tarde, o saldo era de dois mortos — um rapaz atropelado em Ribeirão Preto, interior paulista, ao fazer um bloqueio de rua, e uma gari, em Belém, intoxicada por gás lacrimogêneo. O movimento perdia parte da boa imagem de expressão do ressurgimento do exercício independente da cidadania.

Para completar esta espécie de desconstrução, uma pequena passeata — pequena, mas catastrófica para o trânsito, como costuma ser — na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, deu ontem no final da tarde chance para a ação de saqueadores no comércio.

Na própria quinta-feira, o MPL percebera, em São Paulo, que o movimento escapara de qualquer controle e passara a hostilizar de forma agressiva partidos, principalmente os da esquerda, no poder, aliados dos defensores do passe livre.
Ao comparecerem às ruas da capital convocados pelo presidente do partido, Rui Falcão, militantes do PT foram atacados, assim como os de outras legendas próximas ao MPL.

Numa das mais importantes manifestações de rua dos últimos 28 anos, a maior desde as realizadas a favor do impeachment de Collor, em 1992, pela primeira vez na sua história o PT perdeu espaço em um ato público.
Sinal dos tempos.

O que era considerado uma virtude da mobilização — sem lideranças visíveis, gerenciada por redes sociais — voltou-se contra o movimento, na hora em que foi necessário um comando para evitar a manipulação das manifestações por outros interesses.

O apartidarismo, por sua vez, se converteu em antipartidarismo, reconheceu o próprio MPL em nota divulgada na madrugada de ontem, para explicar o abandono do protesto na Avenida Paulista e da própria condução de novas manifestações.

O conflito entre apartidário e antipartidário terminou desvendando uma faceta de toda esta mobilização:
a existência de uma agenda ultrarradical (!!!) para além do passe livre, como a proposta de uma “reforma urbana”, fachada de um programa lunático (SIC) de desapropriação de propriedades privadas nas cidades [É O ATAQUE COMUNISTA!].

Questões como esta à parte, uma das várias zonas de perigo em que entrou o movimento é a ideia, também ilusória, subjacente às manifestações, de que, na democracia, é possível atingir objetivos políticos à margem dos partidos.

O problema é que, se goste deles ou não, pensar em alguma tramitação ao largo dos partidos é enveredar por atalhos golpistas.

Algo que se aproxima da perniciosa “democracia direta” chavista, em que as instituições republicanas são subordinadas a um Executivo cesarista, senhor de todas as decisões, manipulador-mor das massas, mantidas coesas por programas populistas assistenciais economicamente insustentáveis. [OQUÊQUIÉISSO, CARA?!?]

Os tempos eram muito diferentes, mas, mesmo na ditadura militar, quando o único partido de oposição existia por uma concessão do regime, a História provou que a atuação por meio do MDB e organizações formais da sociedade (ABI e OAB, por exemplo) foi a mais produtiva na luta pela redemocratização, afinal conseguida.
A guerrilha, subterrânea, nas florestas e na cidade, foi retumbante fracasso e causa de enormes dramas pessoais e familiares.
De ambos os lados.

Não foi fácil reconquistar a democracia.
Mesmo para os que optaram pela resistência aberta, na legalidade, nos espaços possíveis de atuação que existiam. No final, houve a desejada transição pacífica, por meio de um acordo com os militares, com a adesão ao projeto de volta à democracia de políticos do antigo regime, como José Sarney, nos últimos dez anos uma das sustentações dos governos do PT, símbolo forte da conciliação negociada com eficiência e da qual o país se beneficia.
Este é um patrimônio de toda a sociedade, e não será agora, com 28 anos ininterruptos de estabilidade democrática, o mais longo período na República, que haverá retrocessos.

Deste fenômeno que tem sido a erupção vulcânica de centenas de milhares de pessoas nas ruas das capitais e de inúmeras cidades menores é preciso extrair aspectos positivos e protegê-los do efeito da atuação de vândalos e saqueadores.
Bandeiras importantes foram erguidas — não à impunidade, à corrupção, a partidos de aluguel, a um sistema partidário ineficiente etc.

Trata-se de convertê-las em agenda de atuação política pelos canais institucionais, também com a ajuda das redes sociais.
As ruas são apenas parte dos processos de mobilização política.
Uma etapa que se esgota, como a atual se esgotou.

(http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2013/06/22/ultrapassou-os-limites-editorial-500843.asp)

Responder

    Mário SF Alves

    23 de junho de 2013 às 02h00

    “Os absurdos vistos em Brasília foram um dos sinais fortes de que a mobilização ultrapassara os limites mais magnânimos.
    Na segunda, o teto e a rampa do Congresso foram tomados, como já ocorrera no passado em outras circunstâncias.
    Na quinta, impedidos de fazer o mesmo, os bandos investiram contra o prédio do Itamaraty, onde chegou a haver um foco de incêndio.”
    ______________________________
    Interessante a forma verbal e as expressões usadas para referir-se aos ataques em Brasília: ultrapassara, ocorrera, limites mais magnânimos. É…

Mateus

23 de junho de 2013 às 00h23

As massam se “politizando” diariamente pela televisão e pelas redes sociais dá nisto. Uma massa de manobra para os mais execráveis fins.

Responder

FrancoAtirador

22 de junho de 2013 às 23h53

.
.
Corrupção e Ética

No dia 13 de junho ocorreu na Sede Central o painel sobre “Corrupção e Ética”, organizado pelo Departamento Cultural em parceria com a Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense.

Este evento contou com a participação da ministra do Superior Tribunal de Justiça Eliana Calmon, do jornalista Reinaldo Azevedo e do professor Marcus Fabiano, da UFF, que realizaram lúcidas explanações sobre ética e corrupção e os papeis desempenhados pela educação, jornalismo e justiça, visando minorar o flagelo da corrupção em nosso país.

O economista Rodrigo Constantino mediou o painel, realizando intervenções, coordenando as exposições e passando as perguntas realizadas pelos assistentes aos painelistas.

http://clubemilitar.com.br/corrupcao-e-etica-2

Responder

    FrancoAtirador

    23 de junho de 2013 às 00h02

    .
    .
    Mensagem dos Clubes Militares

    Rio de Janeiro, 20 de junho de 2013.

    A leitura que os Clubes Naval, Militar e de Aeronáutica fazem das recentes manifestações populares é que elas expressam, majoritariamente, o grito daqueles que estão indignados com o descaso e, às vezes, com a conivência das autoridades governamentais, no que diz respeito às legítimas aspirações da sociedade, ressalvado o perigoso aproveitamento por segmentos radicais que buscam interesses inconfessáveis.

    Quando o povo se convence de que antigos vícios e omissões se repetem, impunemente, percebe que é chegada a hora de se manifestar clamorosamente.
    Não mais aceita ser conduzido, resignadamente, como grupo ingênuo.

    Obriga-se a dar um basta à impostura e à impunidade.

    Estaremos sempre atentos e acompanharemos a evolução dos fatos.

    “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer”.

    Presidente do Clube Naval
    Vice-Almirante Paulo Frederico Soriano Dobbin
    Presidente do Clube Militar
    General de Exército Renato César Tibau da Costa
    Presidente do Clube de Aeronáutica
    Tenente-Brigadeiro Ivan Moacyr da Frota

    Matheus

    23 de junho de 2013 às 01h50

    “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer”

    Clube militar citando um verso da canção “Caminhando”, de Geraldo Vandré? LOL

    Luiz Moreira

    23 de junho de 2013 às 15h34

    O CLUBE MILITAR ESQUECEU DE DIZER QUE A CAMPANHA “O PETROLEO É NOSSO” foi feita pelos comunistas brasileiros. Que absolutamente não são capacho de potencia estrangeira. Ao colocar na pesquisa do CLUBE MILITAR, o titulo SARGENTO RAIMUNDO, resultou não encontrado. Eu encontrei nas minhas recordações. “MORTO AFOGADO NO GUAIBA, COM MÃOS AMARRADAS” Acrescento: Entregue por um “PINTOR EDU”. Façam HISTÓRIA, não historieta.

    José X.

    23 de junho de 2013 às 00h15

    Surrealista.

Roberto

22 de junho de 2013 às 23h45

Essa juventude alienada e facilmente manipulada,pois é altamente desinformada, conhecendo o mundo apenas via Facebook e vídeo game, anda pelas ruas tal qual zumbis como no filme A Madrugada dos Mortos. O meu único medo é que eles comecem a morder os cachorros.

Responder

    José X.

    23 de junho de 2013 às 00h14

    Boa. World War Z.

José X.

22 de junho de 2013 às 23h37

“O lúmpen vai no bolo. Quando ele se manifesta politicamente através do saque, é reprimido.”

Não acredito nisso, a violência é de grupos organizados. Inclusive, está havendo violência, mas não saques. Ou está ?

Que os Anonymous estão infiltrados por gente da CIA são favas contadas. Que os americanos com certeza vão se aproveitar desta conjuntura, é certeza. E realmente causa estranheza o enorme sucesso das manifestações, quando a Globo já tinha tentado insuflar o povo contra o governo federal, sem conseguir. A teoria de que as manifestações têm a mão dos EUA tem alguma probabilidade de ser verdade, já fizeram isso em outros países. Mas o maior fator de sucesso, eu acho, foi o enorme trabalho de lavagem cerebral sobre o povo brasileiro perpetrado pela mídia, especialmente a Globo, é óbvio.

Responder

lin

22 de junho de 2013 às 23h30

O Itamaraty não vai tomar providencia ………………………………………………………………..
ou vamos somar com os tttttttttteeeeeeeeerrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrooooooooooooooiiiiiiiiiiiiiiiisssssssssssssttttttttttttttttttaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa do Bin Lader

Responder

    FrancoAtirador

    23 de junho de 2013 às 04h40

    .
    .
    O MOVIMENTO NAS RUAS É APENAS A PARTE VISÍVEL
    O GOLPE FASCISTA NÃO SERÁ TELEVISIONADO
    .
    .
    What is this, “companheiro”?

    Deu no Tijolaço: ‘Recebi e copio aqui um texto da maior importância, que deve ser lido por todos os que ainda duvidam da presença de grupos organizados de provocadores e por gente contrária ao Brasil que se aproveita dos desejos generosos que movem os jovens que estão se manifestando em todo o Brasil.’

    Por: Fernando Brito, no Tijolaço, via Carta Maior

    Tem boi na linha. #changebrazil? Qual seus interesses?

    “Quanto mais pessoas colocarem pressão sobre o Brasil, mais rápido o Brasil terá que se dobrar”, diz porta-voz anônimo do movimento ChangeBrazil.

    Nem tudo que está acontecendo parece ser espontâneo. Qualquer pessoa que já tenha trabalhado com planejamento de campanha publicitária, especialmente online, sabe que algo assim é possível.
    Não é tão diferente de planejar o lançamento de um filme ou turnê para o público jovem.

    Há um movimento na internet, que surgiu no dia 14 de junho, voltado principalmente para jovens, chamado #changebrazil (surgiu assim mesmo, em inglês).
    Em português o nome do movimento é Muda Brasil.
    Esse movimento postou vídeos, aparentemente espontâneos, que foram vistos por mais de 1 milhão de pessoas, a maioria deles jovens (muitos secundaristas) que estão indo para as manifestações em clima de festa e máscara V de Vingança.

    Na quinta-feira, dia 13 de junho a polícia de Geraldo Alckmin (PSDB) reprimiu de forma violenta manifestantes do Movimento Passe Livre, cidadãos e jornalistas.
    Logo no dia seguinte a grande imprensa passou a defender o movimento e surgiu um vídeo, em inglês, com legendas em inglês, que se intitulava “Please Help us” (Por favor, nos ajude).
    O vídeo, com um narrador com visual rebelde (alguém sabe quem ele é?) que já foi visto por mais de 1 milhão e 300 mil pessoas, passa rapidamente sobre tarifa de ônibus, critica a mídia e estimula aos jovens o ódio contras os políticos, enaltece o STF e estimula quem ver o vídeo a espalhá-lo e debater o assunto na internet.
    Sugiro que quem não entende o clima da juventude no protesto ou que tem ilusões de que eles são de esquerda, o assista.

    (http://youtu.be/AIBYEXLGdSg)

    O vídeo parece simples, mas a iluminação e fundo é profissional, foi feito em estúdio, e se prestar atenção, verá que o manifestantes (alguém o conhece?) de inglês perfeito, está lendo um teleprompter.
    O vídeo é feito em inglês, mas a maioria dos comentários é de brasileiros.
    Não há acessos a estatísticas.
    O vídeo foi feito e visto provavelmente por brasileiros, jovens, de classe média e alta que falam inglês.
    Fala da Copa do Mundo (preste atenção: todos falarão).
    E termina dizendo que “o povo é mais forte que aqueles eleitos para governá-los”.

    Que movimento pelo Passe Livre faria um vídeo em inglês?
    Que é esse sujeito?
    Quem pagou essa produção, feita em estúdio com teleprompter?

    (http://youtu.be/AIBYEXLGdSg)

    As dicas sobre quem ele é o que as pessoas que estão por trás disso querem estão no segundo vídeo, postado durante as manifestações de segunda-feira.
    Este fala em português.
    Carregado de sotaque, celebra a tomada do Congresso Nacional por “protestantes” (sic).
    Esse vídeo foi menos visto, mas não pouco visto, são 66 mil pessoas.

    (http://youtu.be/z-naoGBSX9Y)

    Ele dá parabéns pela manifestação, pelas pessoas mostrarem que “amam” seu país.
    E segue para dar instruções.
    Cita as hashtags #changebrazil e o #brazilacordou.
    Diz que o público não pode se desconcentrar nisso pelo gol do Neymar, ou pelo BBB.
    Diz que não devem falar de outros assuntos.
    Mas ao mesmo tempo a mensagem é vazia além de “Muda Brasil”.
    Ele se refere sempre sobre o que acontece como isso.
    E no minuto 2:06 ele diz para as pessoas fazerem o material para o exterior porque “quanto mais pessoas colocarem pressão sobre o Brasil, mais rápido o Brasil terá que se dobrar”.

    Que movimento é esse que quer mudar o Brasil fazendo ele se dobrar?

    Ele mistura nas pautas do seu “movimento coisas que todos defendem, como contra a corrupção, e mais verbas para saúde e educação.
    Talvez por “coincidência” as mesmas pautas centrais, com a mesma linha de discurso foi postada em um vídeo supostamente feito pelo grupo Anonymous justamente quando as tarifas iam baixar para propor novas causas.
    Ele já foi visto por 1 milhão e 400 mil pessoas

    (http://youtu.be/v5iSn76I2xs)

    Importante lembrar que como os vídeos do Anonymous usam imagem padrão e voz falada por digitada pelo Google, e são postadas em contas do Youtube aleatórias qualquer um pode fazer um vídeo se dizendo Anonymous.

    O nosso amigo de sotaque não é o único vídeo que veio de fora.
    Já ficou famoso o vídeo de uma menina bonitinha, Carla Dauden, uma brasileira que mora em Los Angeles, falando contra a Copa do Mundo.
    Na descrição do vídeo ela diz que tinha feito o vídeo antes dos protestos (talvez para justificar a produção apurada), mas postou no dia 17 de junho.
    Carla diz Mais de 2 milhões de pessoas o viram.
    De novo, em inglês com legendas.
    Pretensamente para o exterior, mas de novo a maioria dos comentários é brasileiro.
    Ou seja, são para jovens que falam inglês.
    Diz mentiras como que os custos do evento teriam sido 30 bilhões de dólares, o que parece que os estádios custaram isso.
    Quando na verdade os custos reais são 28 bilhões de dólares, a maior parte em obras de mobilidade urbana, não estádios – veja o vídeo aqui: (http://youtu.be/ZApBgNQgKPU)

    Mas quem está checando acusações?

    Prestem atenção. A soma de apenas esses 3 vídeos somente deu 5 milhões de visualizações no Youtube.

    Dê uma busca por changebrazil ou Muda Brasil, o nome dos vídeos em português do “movimento” que quer dobrar o Brasil no Youtube, e descubra você mesmo.

    Será que está acontecendo um 1964 2.0?

    (http://www.tijolaco.com.br/index.php/what-is-this-companheiro)

    (http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=22232)
    .
    .


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding