VIOMUNDO

Diário da Resistência


Opinião do blog

Exportando as armas de contenção em massa


23/11/2011 - 19h07

por Luiz Carlos Azenha

As três imagens acima foram extraídas do site do Occupy Wall Street. Algumas universidades dos Estados Unidos estão fervilhando nos últimos dias, com a organização de protestos, marchas, ocupações. E a polícia tem a oportunidade de expor todas as últimas invenções do famoso complexo industrial-militar, na versão “você já bateu em um contribuinte hoje?”.

Eu morava em Washington durante a mais recente campanha eleitoral estadunidense. Tive a oportunidade de testemunhar a Convenção Nacional Democrata, em Denver, no Colorado. Fiquei pasmo com a atuação desproporcional da polícia diante de algumas dezenas de manifestantes. Era como se os policiais precisassem desesperadamente demonstrar ao público a necessidade de toda aquela tecnologia.

Li, naquele período, a primeira versão da plataforma de Barack Obama para a América Latina. Chamava a atenção o tom moderado do discurso. A ideia era dizer que Obama aceitava os governos demonizados pelos republicanos como promotores do bem estar social na região.

Hugo Chávez, Evo Morales e Rafael Correa não como encarnações de belzebu, mas como versões latinas de Franklyn Delano Roosevelt.

Mas, entre o projeto inicial de Obama (antes dele derrotar Hillary Clinton pela nomeação do Partido Democrata) e a plataforma de candidato a presidente muita coisa mudou. Na versão final, a ênfase era em ajudar os governos latino-americanos a combater a violência nos grandes centros urbanos. Alguma coisa na linha da “segurança cidadã”, adotada na Colômbia pelo ex-presidente direitista Álvaro Uribe.

Eu me lembro de, na época, ter pensado que a mudança poderia atender aos interesses dos exportadores de armas dos Estados Unidos, loucos para espalhar por aí gás pimenta, gás lacrimogêneo, pistolas de choque elétrico, escudos e  outros badulaques. Conter os 99%, meu nome é lucro! A que ponto chegamos…

Leia também:

Naomi Klein: Não falta dinheiro para comprar balas de borracha

Sara Robinson: A ascensão do fascismo nos Estados Unidos

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



62 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Renato

04 de dezembro de 2011 às 23h55

Estranho, na Venezuela e em Cuba a oposição não consegue ter voz. Não consegue protestar. Em um o carequinha idolatra do Bolivar mandou fechar uma emissora que se opunha ao regime dele e mandou prender o médico que o atendia E na ilha a pessoa é mandada para o paledón, mas o site não fala nada disso.

Responder

Samyra

24 de novembro de 2011 às 17h15

"Gás de pimenta para temperar a ordem", já dizia uma excelente música do Nação Zumbi.

Responder

Antonio

24 de novembro de 2011 às 12h05

Todo governo opressor, que defende o dono do capital precisa mostrar ao povo de seu país que ele pode dizimá-lo. É como acontece em SP. Polícia para bater em trabalhador e estudante tem de sobra. Agora pra pegar bandido, acabar com o tráfico de drogas, coibir assaltos e assassinatos, nem pensar. Pelo contrário, eles escondem o PCC e sua indústria. Vai o senhor ou a senhora prescisar da polícia. Para o cidadão ela não existe. Mas quando teve a manifestação de metalúrgicos em defesa da indústria brasileira em São Bernardo, a algum tempo atrás, Alckmin colocou todo o efetivo ali e nos bairros ao redor. Era muito policial, era muito carro da polícia mostrando pro povo que ele não tem vez, que os donos são da direita. Eu nunca vi um contingente desses defendendo o povo de SP, pelo contrário, na hora H, eles não aparecem, se fingem de mortos. E nós pagamos essa polícia que serve aos poderosos. Vota neles nas próximas eleições e mereça isso.

Responder

Bernardino

24 de novembro de 2011 às 10h52

A DEmocradura do TIO SAM´´e a maior Mentira do Planeta Terra só os lambe botas brasileiros da politica eos millicos covardes das forças armadas os defendem como modelo,excaçao do GEISEL,nacionalista e guerreiro que fez a abertura politica no Brasil.
TODO PODER emana das CORPORAÇOES E em NOME DE SEUS LUCROS SERA EXERCIDO–Sensacional FABIO PASSOS,PARABENS!!!!

Responder

    Marcelo

    24 de novembro de 2011 às 11h29

    No tempo do Geisel,Vladimir Herzog,JK,Jango,Manuel Fiel Filho foram mortos pela "democracia" do
    senhor Geisel.Este sujeitinho criticava Brizola por causa dos Cieps.Até o FHC chamou de estadista.
    O Mino Carta sabe muito bem quem é este sujeitinho desprezível.

Nelson

24 de novembro de 2011 às 09h18

Azenha.
Tens certeza de que estas fotos não foram tiradas na ruas de Cuba ou da Venezuela?
Pelo que vemos e ouvimos nos órgãos de mídia hegemônicos, e de alguns comentaristas que transitam por este sítio, é nestes países que imperam ditaduras repressoras assim.

Responder

O Maldoror

24 de novembro de 2011 às 09h03

…outro dia o trool ReiNazi Azedo estav dizendo que "o Spray de pimenta é o lança perfume da democracia"… este é o nível de "pessoas" que temos hoje em dia…sinistro….

Responder

    Fabio SP

    24 de novembro de 2011 às 11h13

    Por isso que a PM da Bahia não usa o spray de pimenta… Os caras lá levam sanduíche e usam o spray como tempero…

Eduardo Raio X

24 de novembro de 2011 às 06h26

Azenha meu bom amigo, será que vai ter manifestação contra a corrupção dos jovens caras escarradas no dia 25 de dezembro e do dia 31 para o dia primeiro de janeiro de 2012??? Aguardo informação! Este é o país exemplo da turminha cheirosa e elegante do BraZil com Z que sonha em ver a polícia daqui fazendo o mesmo no povo que vota em governo do trabalho. Engraçado porque eles não fazem manifestação enfrente as bolsas de valores daqui também para pelo menos imitar um pouquinho, já que eles são tão copia xerox dos de lá?!?!

Responder

Caracol

24 de novembro de 2011 às 06h02

República de bananas.
Sem bananas.

Responder

Polengo

24 de novembro de 2011 às 01h48

O chefe da PM aqui de sampa, não é amigo daquele povo que tira sapatinho pra se mostrar lacaio?

Responder

marcus_fitz

24 de novembro de 2011 às 00h34

As corporações estão tirando suas máscaras, trasformando os Estados Unidos em USA INC….
O governo Obama se tornando cada vez mais autoritário, com suas leis de segurança estrangulando a outrora inibalada democracia americana. Não me espanta os USA se tornar um pesadelo digno de George Orwell.

MF

Responder

valdeci Elias

24 de novembro de 2011 às 00h24

O Brasil já teve sua primavera arabe. Foi em 2002, os brasileiros se revoltaram, foram pra rua e e votara em Lula.

Responder

    Marcelo

    24 de novembro de 2011 às 13h41

    É uma pena.Porque quando votaram no Lula,não estava incluido no pacote o Sarney,o Valdemar Costa Neto,
    o Romero Jucá,e o Garibaldi Alves Filho.Mas a verdade é que se o Lula fosse do PSDB,e FHC fosse do PT,os
    petistas já estariam pedindo a cabeça do Lula numa bandeja,se ele fosse tucano,claro.

Che da Fiel

23 de novembro de 2011 às 23h53

Azenha, o Dom Sebastião da massa cheirosa defendeu hoje os estudantes e a democratização da USP. Cantanhêde et caterva vão cortar os pulsos! Quero ver sair isso na velha mídia!

ultimainstancia.uol.br

“Certamente considerá-los maconheiros foi um absurdo e não faz nenhum sentido. O modo como foi permitido o episódio aqui [na USP] deu à sociedade a sensação disso”, disse FHC a Última Instância, após participar de um debate sobre a crise internacional no GACInt (Grupo de Análises da Conjuntura Internacional) da USP.

Fernando Henrique, que tem defendido publicamente o debate sobre a descriminalização das drogas, classificou o modus operandi da polícia no caso como “repressivo”. “A repressão faz mais mal do que o uso da maconha”, afirmou o ex-presidente.

FHC, que também foi professor da USP, defendeu a reforma do estatuto da universidade. “Acho que o estatuto deve ser repensado, bem como toda a educação universitária. Esta é uma boa oportunidade para isso”.

Responder

Roberto Locatelli

23 de novembro de 2011 às 23h51

A polícia de Nova York é extremamente violenta, principalmente com negros e pobres. Mesmo os policiais negros têm o conceito de que "se é negro, é suspeito".

Por outro lado, os banqueiros e especuladores roubam bilhões e são protegidos pela polícia, como vemos nessas fotos em que os valentes policiais enfrentam os perigosos estudantes.

Medalha de honra ao mérito para o policial que está atirando spray de pimenta, na primeira foto. Um homem realmente corajoso…

Responder

Regina Braga

23 de novembro de 2011 às 23h41

Devem ter vendido tbém para os tucanos…estão usando muito em Sampa.Aliás,se Sampa não seguir os americanos,as socialites vão ter convulsões,chiliques,ataques…Afinal,toda a sofisticação americana, deve ser copiada.Nada como ser chique…os estudantes,são baderneiros,não têm no que pensar.Cidadania,prá pobre?Melhores condições de vida!Melhoria do ensino!Liberdade de expressão! Democracia!Ai ! Chega,já está na hora do chá!…Hillary,estava tão distinta…

Responder

Alessandro

23 de novembro de 2011 às 23h33

Putz,já tive o desprazer de conhecer os efeitos do spray na greve dos professores aqui em SP.É terrível,não desejo nem pro alienado do policial!!!

Responder

Conservador316

23 de novembro de 2011 às 22h07

99% são os "pobres" oprimidos.
Obama está dos lados dos "pobres" e oprimidos.
Os republicano, segundo os "progressistas" estão do lado dos ricos, dos 1%.
Então Obama não precisa se preocupar. 99% votarão nele. hehehehehe

Se os republicanos representassem os 1%, eles nunca seriam eleitos.
Como vocês explicam isso?

Responder

    ZePovinho

    23 de novembro de 2011 às 22h52

    Abstenção nas eleições.Na Espanha,apenas 38% compareceram e votaram.

    Bruno

    24 de novembro de 2011 às 08h58

    Cesar e Scan: contra-argumentar com ataques pessoais é uma das coisas mais baixas que podem existir , além de escancarar que vocês não tem resposta à pergunta feita.

    Zepovinho: A questão levantada pelo Conservador é explicada pelas abstenções? vamos seguir o seguinte raciocínio:
    1- Os indignados são os 99%.
    2- No caso da espanha, apenas 38% votaram.
    3- Vamos supor que a parcela dos "1% maus" votaram totalmente.
    4- Então, 37%/99%, ou seja, aproximadamente 38% dos "bons" votaram.
    5 – Mesmo assim, o Rajoy ganhou.
    6- Os "99%", em sua maioria, votaram na direita!
    7- E, melhor: 62% nem votaram!
    8 – Ou seja: estão pouco se lixando pra política, e só querem viver suas vidas tranquilamente sem que o Estado interfira. Ou seja, se fossem americanos seriam republicanos.

    Assim sendo, repito a pergunta:
    "Se os republicanos representassem os 1%, eles nunca seriam eleitos.
    Como vocês explicam isso?"

    Patricio

    24 de novembro de 2011 às 10h56

    Simples, Bruno. Manter um raciocínio linear não vai trazer nenhuma resposta para sua pergunta. Pertencer aos 99% não garante nenhuma consciência política. Conhece o refrão: "a ideologia dominante é a ideologia da classe dominante"? Significa que há uma máquina enorme, sempre azeitada para manter o mito da democracia capitalista: a defesa política dos 1% é cotidianamente alimentada pela inteligentsia burguesa, pela mídia burguesa, pelos governos burgueses, pelos professores burgueses, por comentaristas burgueses, como os trolls que infestam este blog. O curioso é que esses burgueses, pequenos como são, nem sempre são os milionários de Wall Street. Às vezes não passam de pobres de espírito, que não pensam por si próprios. Já alugaram seu cérebro. E pertencem aos 99%. É a chamada classe média – os pequenos burgueses, em outra terminologia. Não são capazes de produzir uma teoria que defenda o roubo que representa o capitalismo em si. E são conservadores. E desejam a pena de morte – dos outros. Se escandalizam com a corrupção – dos outros. Lêem a Veja e a Folha, entre outras obscenidades. Lá, votam nos republicanos e nos democratas, o que dá no mesmo. Aqui votam no Serra.

    Marcelo

    24 de novembro de 2011 às 12h05

    A policia que está reprimindo em Nova York é a Guarda Municipal,do prefeito de NY,Michael
    Bloomberg.Ele era Republicano e saiu do partido.Hoje,está sem partido e com uma popularidade
    baixissima.Na verdade,Obama está sendo vítima da imprensa comandada por Rupert Murdoch.E
    a repressão em NY nada tem a ver com Obama.Ninguém que está protestando quer os
    Republicanos de volta.Não vale a pena dar uma de PSTU ou PCO e dizer que Obama e Bush são
    a mesma coisa.Consertar o que os Republicanos fizeram em 40 anos não dá para fazer em 4 anos.

    Fernando Garcia

    24 de novembro de 2011 às 17h46

    Obama e Bush nao sao a mesma coisa, Bush torturava e Obama manda matar. Obama nao tenta consertar nada. Ele apenas representa uma ala mais bem educada do Business Party. Certamente que ele tem alguns compromissos minimos com questoes ambientais, com seguridade social, educacao, etc… mas isso se deve ao fato que a base dele tem um fundo popular e portanto precisa lhes jogar algumas migalhas. A proxima campanha dele vai custar 1 Bi (!!!) e certamente que quem vai custear toda esta festa espera receber algo em troca.

    Bruno

    24 de novembro de 2011 às 13h07

    Agora sim…. Não concordo com a sua resposta, mas pelo menos o nível melhorou.
    Não é problema nenhum ser de esquerda, de direita, marciano, palmeirense…… Se pudesse me definir, diria que sou liberal ( no sentido econômico, e não demoníaco como alguns aqui acham).
    O grande problema são idéias pré-concebidas, palavras ao vento.
    A discussão em bom nível dos grandes temas só leva à evolução das idéias. Grande parte da evolução do capitalismo moderno se deve a Marx. Pode parecer irônico a primeira vista, mas não é. É o curso natural do conhecimento.

    Fernando Garcia

    24 de novembro de 2011 às 17h35

    Acredito que sua afirmacao sobre Marx eh correta, mas nao entendo a ironia que nela estaria contida. Afinal, Marx foi um teorico do Capitalismo do seculo 19 e me parece natural que estas ideias iriam guiar as transformacoes do capitalismo no seculo 20. Outra coisa eh a doutrina do manifesto comunista, esta foi, em menor ou maior grau, seguida por alguns movimentos… mas, me esclarece uma coisa: o que significa liberal no sentido demoniaco? E liberal no sentido economico? Porque aqui, tb me parece importante separar doutrina da teoria, se eh que vc me entende…

    ZePovinho

    24 de novembro de 2011 às 13h55

    Bruno

    Você já erra em uma premissa básica(talvez por pressa em responder ou porque errei no percentual).Os espanhóis(dos 58% que foram votar,esse é o número correto) não votaram na direita.Esses 38% votaram no populismo de direita do Rajoy,enquanto os outros 20% votaram nos outros partido.Ficaram 40% das pessoas sem votar,por verem que as alternativas eram as mesmas.Não há democracia.O governo foi capturado pelo sistema financeiro.
    No caso dos EUA,as pessoas estão deixando de votar porque perceberam que não vivem em uma democracia real.Eles votam o voto popular(um voto de segunda classe,chamado pela oligarquia de "federalismo") e escolhem representantes que decidem,no Congresso,quem vai ser o presidente dos EUA.Ora,os donos do Congresso são as empresas privadas!Por isso,e porque também o sistema é fraudável,Al Gore e John Kerry ganharam as elições de 2000 e 2004 e não levaram.
    As eleições foram fraudadas para dar a vitória ao populista de direita George Bush.
    O rapaz que ajudou Bush a fraudar urnas eletrônicas,por exemplo,a mando de Karl Rove,foi suicidado, recentemente,quando ameaçou depor na justiça sobre essas eleições:
    http://www.voltairenet.org/Misteriosa-muerte-de-M

    Implicado en la manipulación de votos en los EEUU

    Misteriosa muerte de Mike Connell, ladrón de elecciones y secuaz de Karl Rove
    por Brad Friedman, Larisa Alexandrovna, Mark Crispin Miller, Muriel Kane

    California (EEUU) | 11 de junio de 2011

    Mike Connell, principal consejero en informática de George W. Bush y experto en trucos y manipulaciones mediante la utilización de computadoras había sido el cerebro del fraude durante las elecciones presidenciales en los EEUU por haber manipulado los votos de los electores. Convocado ante la justicia su avión se estrella misteriosamente. Por otro lado, la extrema vulnerabilidad al fraude sistemático de los sistemas electorales electrónicos en EEUU es un problema que nunca ha sido resuelto o siquiera examinado seriamente por ningún organismo oficial del gobierno en Washington.

    Pela sua conclusão,parece que você é um liberal à moda atual.Se você acha que o Estado não deve interferir na vida dos cidadãos,por que admite que as empresas privadas pervertam a democracia com essas eleições fraudadas e com o aparelhamento do judiciário?Isso ái é 1/2 liberdade ou liberdade só para alguns do topo da pirâmide.

    Renato

    04 de dezembro de 2011 às 23h53

    Pois, o individuo tem o direito de decidir a sua vida. De se não quiser trabalhar como empregado público ou de uma empresa, que consiga abrir a empresa e ser dono dela.

    Scan

    23 de novembro de 2011 às 23h08

    Você acredita que alguém aqui esteja minimamente interessado em explicar algo para você ou gente (?) da sua espécie?
    Acha que um sujeito com o avatar que você exibe, pode ser levado a sério em algum blog por alguém que tenha QI superior a 17?
    Acha realmente que estamos aqui para atirar pérolas aos porcos?
    Se enxerga, lumpen. Você está no blog errado, pedindo coisas erradas para as pessoas erradas.
    Tente o esgoto do Reinaldinho Cabeção, o Eunuco, e permaneça entre seus iguais: como o QI médio lá é próximo de zero, você se sentirá em casa…
    Se manca, indigente!

    Cesar Constantino

    24 de novembro de 2011 às 00h22

    Se você possui um raciocínio tão simplório como este exposto aqui, não espere que alguém perca seu tempo lhe explicvando as complexidades do mundo e da humanidade. Você não as entenderá. Pode voltar para o seu video-game!

    cronopio

    24 de novembro de 2011 às 07h21

    Isso é o Reagan? Que lástima. Pelo menos os conservadores antigos eram nacionalistas.

    Daniel

    24 de novembro de 2011 às 09h53

    "Os republicano, segundo os "progressistas" estão do lado dos ricos, dos 1%."

    Citação?

daniel

23 de novembro de 2011 às 21h46

A realidade superou a ficção: o filme tinha um Vader, a realidade tem um exército de Vaders! http://www.pelomundo.radio.br/blog/wp-content/upl

Responder

Lu_Witovisk

23 de novembro de 2011 às 21h46

Quem vai gostar das fotos são as socialites da Folha. Aposto que ate vão importar uns sprays desses para defesa pessoal.

American way of life, sei. Conta outra, pq essa piada é velha. Democracia?? ah ta, essa tb é velha… quem acredita?? a maite proença com certeza.

Responder

    Roberto Locatelli

    24 de novembro de 2011 às 08h16

    É isso aí, Lu. A verdadeira democracia está acontecendo nas ruas e praças do Egito, dos EUA e da Europa.

    E esses lutadores têm uma arma poderosa que não existia no passado: a internet.

    Se os EUA pudessem, mandariam um Exterminador ao passado para matar os criadores da internet.

assalariado.

23 de novembro de 2011 às 21h36

Como domina o Estado burguês. A teoria da raposa e do leão. Manter a ordem burguesa e a exploração capitalista é preciso, mas como?

Como o Estado gerado/ criado, segundos os interesses do capital, cumpre sua função de dirigir o conjunto da sociedade, de acordo os interesses da classe dominante?

Fundamentalmente por dois meios: CONVENCIMENTO e COERÇÃO.

Já dizia Maquiavel, no século 16, que o príncipe deve ser igual a uma raposa, muito esperta e, ao mesmo tempo, igual a um leão muito forte. Ou que deve ser muito forte igual a um centauro, figura lendária grega, que tem cabeça de homem, mas corpo e patas de cavalo. Enfim, o príncipe, isto é, a pessoa, a classe social, ou a instituição que tem o poder, para se manter nele, tendo em vista a defesa de interesses pessoais ou grupais, deve ter um duplo tipo de preocupação.

1º ) Convencer o conjunta da sociedade de que ( SEU PODER É LEGITIMO), isto é, conseguir um certo consenso, uma certa aceitação de que o poder é exercido para o bem comum. No minimo, de que o poder atual é um mal menor do que algum outro que pudesse vir a substitui-lo.

2º ) Possuir ( MEIOS DE DISSUASÃO), para que o poder não seja contestado, isto é, convencer a não contestar o poder, por ameaça de retaliação, e, no caso de vir a ser, utilizar meios coercitivos para reprimir os contestadores pela força.

Então, o Estado, como instituição politica da classe dominante, precisa, primeiramente, agir de forma inteligente para que as classes subordinadas aceitem em boa paz a ( HEGEMONIA ) desta classe dominante ( QUE NÃO É MAIS QUE 5% DA SOCIEDADE). Uma forma geralmente eficaz de se conseguir esta legitimidade é dar a impressão de que um certo governo da classe dominante foi escolhido por todas as classes. Também a cooptação de certos setores das classes subordinadas é importante para esta legitimação. As vezes cooptam classes sociais inteiras, pela concessão de "migalhas do banquete".

Esta claro que, o Estado burgues usa as duas formas de dominação. Prefere geralmente pela legitimidade e e convencimento. Quando, porém, isto não é mais possível, usa todo seu arsenal repressivo para assegurar sua continuidade e, em muitos casos a não hesitam: tiram a mascara e impõe a ditadura militar ou civil, desde que seja mantido o Estado de direita.

Trechos deste comentário, extraídos do livro (CLASSE contra CLASSE).

Saudações, rumo ao socialismo.

Responder

Roberto Locatelli

23 de novembro de 2011 às 21h14

Agora já sabemos de onde os demotucanos copiaram o modelo de nossa PM…

Responder

    Marcio H Silva

    24 de novembro de 2011 às 01h25

    Acho que é mais profundo. De poder,proteção e armas a qualquer pessoa que ela vai querer experimentar em alguém. Com pseudo-motivo então, e com ordens superiores, eles fazem a festa e ainda babam pelos cantos da boca.

Gui Milani (SP)

23 de novembro de 2011 às 21h05

Taí… Pra quem diz que a PM paulista é violenta, como se ela fosse a única, que tal contemplar essas imagens "made in USA"? Se tivessem sido feitas aqui, e dentro da USP, por exemplo… Já imagino o alarido, a gritaria, as palavras de ordem… Bah… Violência policial existe em qualquer lugar do mundo, não é "privilégio" só nosso. E continua sendo injustificada. Nunca defendi truculência fardada, especialmente porque sou filho de professora aposentada do Estado de SP, que corria pra lá e pra cá quando a PM do Maluf dissipava os grevistas à base de porrada. Estes sim são heróis, lutavam e lutam por mais dignidade no trabalho e por um sistema educacional eficiente. O que não dá pra tolerar são certos grupinhos por aqui que adoram se fazer de vítimas, especialmente quando são pegos enrolando um charutinho de canabis numa universidade pública… Aí não dá!!!

Responder

    cronopio

    24 de novembro de 2011 às 07h24

    Em cinco anos, PM de São Paulo mata mais que todas as polícias dos EUA juntas
    Com uma população quase oito vezes menor que a dos Estados Unidos, o Estado de São Paulo
    registrou 6,3% mais mortes cometidas por policiais militares do que todo os EUA em cinco anos,
    levando em conta todas as forças policiais daquele país. Dados divulgados pela SSP (Secretaria de
    Segurança Pública), e analisados pela Ouvidoria da Polícia, revelam que 2.045 pessoas foram
    mortas no Estado de São Paulo pela Polícia Militar em confronto – casos que foram registrados
    como resistência seguida de morte – entre 2005 e 2009.
    ( fonte: “Em cinco anos, PM de São Paulo mata mais que todas as polícias dos EUA juntas” em http://noticias.r7.com)

    cronopio

    24 de novembro de 2011 às 07h27

    Em 2011, a cidade de São Paulo teve 629 pessoas mortas, sendo que 128 foi a própria polícia que matou. Entretanto, para escapar da fama de 'polícia assassina', a própria corporação alega que 60% dos confrontos no período não tiveram mortos.
    De cada cinco pessoas assassinadas na cidade de São Paulo em 2011, uma foi morta pela Polícia Militar. Os dados fazem parte de relatório da Secretaria da Segurança Pública do estado.
    Nos primeiros meses do ano, entre janeiro e julho, 629 pessoas foram assassinadas na capital paulista. Deste total, 128 registros foram feitos como "pessoas mortas em confrontos com a Polícia Militar em serviço".
    O tipo de ocorrência, conhecido em outros estados como "auto de resistência", é um indicativo de revides da Polícia Militar a ataque de criminosos ou enfrentamento em ação policial.
    (fonte :http://port.pravda.ru/news/science/22-09-2011/32193-policia_violencia-0/)

    Antenor L Moreira

    24 de novembro de 2011 às 09h57

    Usar um aparato policial descomunal como o que foi usado para reprimir um grupinho de estudante fumando maconha é insensatez, loucura ou o que?
    Não consigo entender isso, principalmente quando a imprensa mostra as ruas do centro de São Paulo transformadas em cracolândia, onde todas as organizações do estado estão presentes, para não só falar da presença policial.

    Patricio

    24 de novembro de 2011 às 10h20

    Sua mãe deve estar morrendo de vergonha de sua posição. Não se abaixe tanto, Guigui. Quanto a sua tolerância, ninguém precisa dela, entende? Outra coisa: a não existência de fotos, não quer dizer que o demônio não exista. Vá ver de perto o que esses mastodontes fazem numa manifestação pacífica. Ao invés de paparicar os robocops do Alckmin, saia do conforto que a geração de sua mãe te deu e vá para as ruas. Sua defesa é tão velha quanto aquela que correu atrás de sua mãe: reacionária, estúpida e dissimulada.
    A polícia é a mesma, aqui e lá nos EUA. O interesse de ambas é privado (defender o capital) e não público. Não deviam nem existir. Nem aqui nem lá.

JORGE

23 de novembro de 2011 às 20h58

Azenha

Não se iluda, há males que vêm para o bem, como já diziam nossos avós. Essas armas uzadas contra os jóvens desempregados, filhos de empregados ou amigos de empregados ou conhecidos de ex-empregados dos próprios fabricantes dessa máquina de matar a cidadania, acabará por CRIAR inevitavelmente rupturas mais surpreendentes ainda.

Nunca é tarde para lembrar: PAU QUE DÁ EM CHICO DÁ EM FRANCISCO TAMBÉM.

um abraço.

Responder

    Ana Cruzzeli

    24 de novembro de 2011 às 09h15

    É verdade Jorge, enquanto elas eram aplicadas em paises subdesenvolvidos os estadunidenses nada faziam, pois nada sabiam. Agora que as armas serão usadas em jovens indefesos é que os trabalhadores iram se perguntar:
    -Que merda nós fizemos.
    Da reflexão a ação é um passo.
    Esses conflitos em territorio estadunidense serão bastante educativos, para eles é claro. Essa lição já tivemos e já aprendemos há tempos.

    Quanto ao discurso do Obama…
    Ele é um camaleão, muda de cor de acordo com a paisagem. Aquela historia de apoiar o golpe em Honduras foi preludio de um fascista. Normalmente eles são otimos em oratória.

Marcelo

23 de novembro de 2011 às 20h46 Responder

trombeta

23 de novembro de 2011 às 19h54

A democracia americana é uma grande farsa, enquanto o país era próspero e ninguém tinha motivo para protestar parecia o paraíso na terra, agora, que a coisa degringolou vemos que as lições de moral dos governos yanques é conversa de marqueteiro.
Além de uma eleição presidencial cheia de filtros e cálculos que ninguém entende, a maneira como os políticos comandam as polícias do país faz inveja a qualquer ditadura sul-americana ou africana, o cidadão é tratado como terrorista por expressar sua insatisfação com a economia e/ou a política.
A cada dia que passa cai a máscara dos EUA, sua democracia fajuta e elitista só funciona na televisão.

Responder

    Fabio_Passos

    23 de novembro de 2011 às 21h27

    Farsa. O regime é uma ditadura.
    Todo poder emana das corporações e em nome de seus lucros será exercido.

    Roberto Locatelli

    23 de novembro de 2011 às 22h52

    Rapá, essa frase ficou muito boa.

    FrancoAtirador

    24 de novembro de 2011 às 01h11

    Mas é mesmo!

    Vale repetir:

    "Todo poder emana das corporações
    e em nome de seus lucros será exercido."

    (Fabio_Passos)

    Polengo

    24 de novembro de 2011 às 01h46

    De acordo.

    "Todo poder emana das corporações
    e em nome de seus lucros será exercido."

    (Fabio_Passos)

    FrancoAtirador

    24 de novembro de 2011 às 01h53

    Patricio

    24 de novembro de 2011 às 10h59

    Vale retrucar:
    "… e em nome de seus lucros (roubo) será derrotado"

Heloisa Villela

23 de novembro de 2011 às 19h46

Um jornalista americano checou u o nome do fabricante das bombas de gas usadas no Egito. Foram fabricadas na Pensilvania, EUA. Ele disse que algumas nao tem origem, nome, nada. E os efeitos sao bem piores. Deixam a pessoa totalmente sem ar.

Responder

Bonifa

23 de novembro de 2011 às 19h17

Neste exato momento, a polícia egípcia está matando seu próprio povo na Praça Tahir, ao vivo e a cores pela CNN. No Brasil, nenhuma emissora sequer toca no assunto. Seguem a doutrina do EUNAOSABIA, de que somos insignificantes demais para tomarmos conhecimento destas coisas.

Responder

    Lucas Vila

    23 de novembro de 2011 às 19h23

    Ué… Mas esses aí não foram os "democratas" do Egito que derrubaram o Mubarak?

    Onde foi parar a "primavera"?

    Fernando

    23 de novembro de 2011 às 21h08

    Não quero ser insensível aos estudantes das fotos, mas acho que, para os EUA, "primavera" no olho dos outros é refresco.

    Roberto Locatelli

    23 de novembro de 2011 às 22h51

    Quem derrubou Mubarak foi o povo do Egito, e não os militares que o apoiaram todos esses anos.

    FrancoAtirador

    24 de novembro de 2011 às 01h09

    E é o povo do Egito que irá derrubar a ditadura militar egípcia.

    Klaus

    23 de novembro de 2011 às 21h11

    O Jornal Nacional já passou várias reportagens. Vá ao G1 que você as encontra e popderá vê-las.

    FrancoAtirador

    24 de novembro de 2011 às 01h08

    .
    .
    Volta lá para o G1 e não incomoda, Klaus Himmler.

    Heil Rei.
    .
    .

    agostinho

    23 de novembro de 2011 às 23h34

    Enquanto a mídia estiver nas mãos de uma família "globo" só saberemos o que interessa a eles e da forma que eles querem. Se é verdade ou não, nunca saberemos. Com relação a violência policial nos EUA, nem se toca no assunto. Se fosse aqui,… haveria linchamento no congresso do policial, seu chefe e seu ministro e do governo.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!