VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Depois de um show de intolerância, para Dilma ouvir as ruas tem de aceitar a guilhotina
Opinião do blog

Depois de um show de intolerância, para Dilma ouvir as ruas tem de aceitar a guilhotina


15/03/2015 - 21h17


IMG_3208 IMG_3192 IMG_3202

Mercadores do ódio, em inglês

Foto da capa de Lumi Zúnica

por Luiz Carlos Azenha

O pacto político que permitiu a Lula governar a partir 2002, se ainda não tinha morrido, foi pisoteado hoje por 200 mil pessoas na avenida Paulista — e algumas centenas de milhares em outros pontos do Brasil. Por conta da crise econômica, o jogo do ganha-ganha acabou. Trata-se agora de decidir quem paga a conta. Hoje ficou claro que o andar de cima não pretende fazê-lo.

Seria temerário para o governo Dilma imaginar, no entanto, que o descontentamento se concentra apenas na classe média bombardeada pelos noticiários do Ali Kamel e leitora da revista Veja. Como já escrevemos anteriormente, Dilma e o PT perderam a batalha da comunicação. Uma derrota espetacular num campo estratégico. Por falta de planejamento, de competência e de instrumentos, não há recuperação à vista. Quando publicamos esta opinião, fomos taxados de “sombrios”.

Como se traduz isso, na prática?

Basta acompanhar por um dia a programação da rádio Jovem Pan, que chega a todo o Brasil via satélite. Basta desnudar a estratégia da Globo, milimetricamente calculada, para as manifestações de hoje. “Esquenta” de manhã para bombar São Paulo, à tarde. Com jogo adiado, catraca livre no metrô e uma PM que contabilizou 1 milhão de pessoas, quando o Datafolha — logo ele — contou 210 mil. O número que importa é o de Geraldo Alckmin, redondinho, para sair no Fantástico e no Jornal Nacional.

Dilma, em tese, não deveria se preocupar com o milhão que foi às ruas, mas com os milhões que ficaram em casa. E destes ela descuidou ao mexer com o salário desemprego e o Fies, para citar apenas as primeiras contas do rosário.

Politicamente, o fato de a presidente adotar a plataforma do candidato derrotado não a beneficiou com os eleitores de Aécio Neves, nem com os que a elegeram. De ganha-ganha, independentemente de a guinada de Dilma na economia ser ou não necessária, passamos politicamente ao perde-perde.

A lubrificar tudo isso, o petrolão bombardeado diuturnamente na cabeça dos brasileiros, como se fosse o único escândalo já enfrentado na História da Via Lactea. O problema é que Dilma paga por isso e por muito mais: pela seca em São Paulo, pela falta de ônibus na periferia, pelas contusões do Valdívia.

Desprovida de uma estratégia e de instrumentos de comunicação com os brasileiros, o governo está refém dos barões da mídia, aqueles mesmos que foram descobertos no Suiçalão. A eles interessa uma presidente acuada e sitiada, como Dilma ficará de agora em diante. Ou alguém acredita que a direita não vai seguir a agenda de Dilma e promover apitaços, panelaços e buzinaços sempre que ela aparecer, pessoal ou virtualmente?

IMG_3189 IMG_3200

A política partidária é um teatro repleto de hipocrisia. A realidade crua do poder se esconde sob o palavreado diplomático.

A manifestação a que assisti, hoje, na praia de Copacabana, descrita pelas emissoras de TV como “pacífica” ou “democrática”, foi a síntese da intolerância política.

Pediram o impeachment de uma presidente antes dela ser acusada de cometer um crime. Pediram a prisão de um ex-presidente antes dele ser acusado de cometer um crime. Condenaram as cores de uma agremiação política, que deveria ter liberdade para escolher as que bem entender. Condenaram seletivamente a corrupção, ao não falar do trensalão ou mensalão tucanos, nem do suiçalão midiático. Nas franjas, pediram a intervenção militar, o fim do Supremo Tribunal Federal, a extinção dos partidos e dos sindicatos.

Não há outra forma de dizer: as pessoas que foram às ruas pregar a destituição de uma presidente legitimamente eleita pela maioria querem golpe. E quem prega golpe é golpista.

Isso não significa, necessariamente, que Dilma vá cair. Porém, é líquido e certo que as ruas que vi hoje não querem nada menos que o pescoço dela. Se ela negociar, será sobre as condições da aplicação da guilhotina.

Do ponto-de-vista da política não partidária, o dia 15 de março marca a consolidação do Tea Party brasileiro, da militância maciça de rua com a qual a direita brasileira nunca contou. É, mal comparando, o que uma aliança entre cristãos e evangélicos conservadores permitiu ao presidente Reagan, quando ele se elegeu pela primeira vez em 1980: que a mensagem de Reagan fosse bater à porta das pessoas, à procura de votos. Uma vez eleito, a aliança permitiu a Reagan que iniciasse uma reforma do capitalismo norte-americano baseada essencialmente na supressão de direitos duramente conquistados anteriormente.

Já o Tea Party nasceu de uma reação a Barack Obama. Não tem sido bem sucedido nas disputas eleitorais, mas é uma gazua a serviço dos grandes interesses econômicos para impedir reformas que beneficiem os 99%.

No Brasil, os dois fenômenos se combinam: trata-se de barrar o caminho de qualquer reforma que dê continuidade ao processo que levou o PT a vencer quatro eleições seguidas. Sem elas no plano econômico, o PT será desidratado até a morte. A direita ascende ao poder com o PSDB, se ele souber canalizar as ruas, ou através de um salvador da Pátria, um Berlusconi à brasileira. Será o Joaquim Barbosa?

Seja como for, se democracia significa respeitar as escolhas alheias, mesmo que discordando delas, o 15 de março não foi uma “vitória da democracia”, como tantas vezes enfatizou a Globo.

Se a negação do outro, que testemunhei pessoalmente em Copacabana, é representativa das manifestações como um todo, vivemos um dia dedicado à intolerância política, a esquartejar e salgar um — e apenas um — de nossos partidos políticos.

[São as assinaturas de leitores que nos mantêm vivos para produzir conteúdo exclusivo como este]

Leia também:

Milhares saem às ruas gritando “Fora Dilma” e “Lula na cadeia”



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


143 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Messias Franca de Macedo

16 de março de 2015 às 23h47

A cronologia da “Procuradoria que só procura petistas” desmoraliza a mesma “Procuradoria que só procura petistas”! ENTENDA A LAMBANÇA paga com dinheiro público!

#####################

(…)
A Procuradoria da República afirma que Vaccari ajudou a intermediar o pagamento de propinas ao PT que foram consumadas por meio de doações oficiais para o partido entre os anos de 2008 e 2010. Essas doações somam mais de R$ 4 milhões e foram feitas a entidades como o diretório nacional e o diretório da Bahia. Não foram feitas doações específicas para candidaturas nesse caso.
(…)

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/03/1603595-procuradoria-apresenta-denuncia-contra-tesoureiro-do-pt.shtml

EXCERTO DA NOTA DA DEFESA DO JOÃO VACCARI NETO

Ressaltamos que causa estranheza o fato de que o sr. Vaccari não ocupava o cargo de tesoureiro do PT no período citado pelos procuradores, durante entrevista no dia de hoje, uma vez que ele assumiu essa posição apenas em fevereiro de 2010.

FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/poder/173472/PT-contesta-MPF-'Vaccari-n%C3%A3o-participou-de-esquema‘.htm

Ou seja, para “pegar o Lula e a Dilma via Vaccarri”, “a Procuradoria que só procura petistas” acusa um réu por um [suposto] crime perpetrado previamente ao momento em que [o acusado] poderia tê-lo cometido!

EM TEMPOS FASCIGOLPISTAS:
qualquer semelhança com o julgamento do MENTIRÃO “não [não!] é mera coincidência”!

Ah esse Projac jurídico-midiático tão previsível!…

E MAIS:

o que pode provar o envolvimento do tesoureiro do PT, segundo a PGR, o ‘miniSTÉRIO’ Público e a ‘Folha de São Paulo’:

Os detalhes do relacionamento com o tesoureiro, caso confirmados com registros como câmeras internas dos hotéis e dados telefônicos, podem comprovar pela primeira vez a proximidade entre Barusco e Vaccari.

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/03/1603595-procuradoria-apresenta-denuncia-contra-tesoureiro-do-pt.shtml

A pergunta do matuto:

e as demais pessoas que, historicamente, contataram com o Barusco “não vem ao caso”?

Responder

Messias Franca de Macedo

16 de março de 2015 às 23h19

O MATUTO “tentando colaborar na defesa do João Vaccari, antes que ‘o domínio do fato fascigolpsita’ pegue o Lula e a Dilma Roussef”!

(…)
Ressaltamos que causa estranheza o fato de que o sr. Vaccari não ocupava o cargo de tesoureiro do PT no período citado pelos procuradores, durante entrevista no dia de hoje, uma vez que ele assumiu essa posição apenas em fevereiro de 2010.

Trecho da nota assinada pelo advogado Luiz Flávio Borges D’Urso

Agora, o que diz o delator da Camargo Correia, “a empreiteira protegidinha do ‘juiz do brazil’”!

[O vice-presidente da Camargo Corrêa, Eduardo Leite, disse em depoimento prestado no âmbito de um acordo de delação premiada que o tesoureiro do PT, João Vaccari, pediu que a empreiteira pagasse uma propina de cerca de R$ 10 milhões
em forma de doação oficial ao partido.]

O episódio, segundo Leite, ocorreu “por volta de 2010”.

[“por volta”, ‘capiche’?! – adendo do matuto!]

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/03/1603840-tesoureiro-do-pt-pediu-propina-de-r-10-mi-em-forma-de-doacao-legal-diz-delator.shtml

Agora, sobre “as doações legais” (sic) da mesma empreiteira!

PF
investiga doações ilegais da Camargo Corrêa a políticos / outro lado Empreiteira nega acusações; doação é legal, dizem políticos / Íntegra/Empresa se diz perplexa com operação

Em grampo, executivo diz que presidente da Fiesp, Paulo Skaf, se queixava da demora de pagamentos a senadores de DEM e PSDB

A Polícia Federal deflagrou ontem a Operação Castelo de Areia, que atingiu a direção da empreiteira Camargo Corrêa, investigada por supostos crimes de remessa ilegal de dólares, superfaturamento de obras públicas e doações ilegais para partidos políticos. O
relatório da PF cita o PSDB, DEM, PPS, PSB, PDT e PP.

FONTE, pasme: Publicado por Ministério Público do Estado do Paraná (extraído pelo JusBrasil)

Quatro diretores da empresa são presos; há suspeita de superfaturamento de obras

http://mp-pr.jusbrasil.com.br/noticias/964387/pf-investiga-doacoes-ilegais-da-camargo-correa-a-politicos-outro-lado-empreiteira-nega-acusacoes-doacao-e-legal-dizem-politicos-integra-empresa-se-diz-perplexa-com-operacao

Em 2012, doações de empresas jorraram para o PSDB-MG. Que nem tinha candidato em BH

abril 4, 2014 09:14

Levantamento mostra que o PT nacional ficou com R$ 38,9 milhões destes grandes doadores. E o diretório mineiro do PSDB, que faria campanha para 11% do eleitorado brasileiro, recebeu R$ 29,4 milhões

Por Fernando Brito, do Tijolaço

FONTE: http://www.revistaforum.com.br/blog/2014/04/em-2012-doacoes-de-empresas-jorraram-para-o-psdb-mg-que-nem-tinha-candidato-em-bh/

Responder

Leo V

16 de março de 2015 às 22h27

Um discurso lamentável e um espetáculo de servilismo.

por Mauro Iasi

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=619057538225049&set=a.111826865614788.14401.100003624263984&type=1

Um dia depois das manifestações da direita a presidente Dilma se apressa em aparecer em um discurso e numa coletiva de imprensa para dizer que as manifestações são democráticas e que está aberta ao diálogo.
Vamos lembrar que em 2013 fomos tratados como vândalos e terroristas, o ministro da justiça, José Eduardo Cardozo, defendendo legislação que criminalizou e levou para a cadeia os manifestantes.
Para as demandas dos setores populares, nenhuma resposta, ou pior, a reafirmação que os ajustes são necessários e serão impostos aos trabalhadores, assim como a esperada reforma política será feita pelo Congresso.
Num ato falho cheio de significado Dilma afirmou que tem concordâncias e discordâncias com o que foi cobrado nas manifestações. Concorda com o combate à corrupção, discorda da crítica ao ajuste. Isto é, concorda com o ato da direita e deu uma banana para o ato governista de sexta feira.
Uma pessoa disfarçando o nervosismo e tentando parecer o que não é. Apenas uma nota positiva foi a defesa da luta contra a ditadura, mas se perde numa postura de rendição total à defensiva diante da ação das classes dominantes.
Só posso chegar a uma conclusão: protestar por transporte público, por moradia, contra a violência policial e contra os limites da chamada democracia representava é crime; defender a ditadura militar, a morte dos comunistas, o obscurantismo e a intolerância é uma ato de democracia. Para os primeiros, repressão brutal e cadeia, para os segundos o governo está aberto ao diálogo.
Lamentável. Um espetáculo de servilismo.

Responder

    Mário SF Alves

    15 de abril de 2015 às 18h35

    Um espetáculo de servilismo?
    Onde, quando?
    Afinal, você sabe quais as condicionantes que ela deve cumprir?
    Você qual é o grau de liberdade dela, a presidenta, para conduzir o GF nas atuais circunstâncias?
    Você sabe quais são as estratégias montadas pelo GF para alcançar seus objetivos?
    Ah, não se esqueça: é um governo eleito para governar o Brasil segundo o modelo econômico dominante. E segundo consta, esse modelo é capitalista. E pior, um dos capitalismo mais selvagens do Planeta. Se não é, era até uma década atrás. Portanto, Leo V… e não seria demais lembrar que quem governa o Brasil governa para todos os brasileiros, sejam eles, ricos, riquíssimos, multimilionários, bandidos, rentistas, capitalistas, pobres, pretos, índios, mulatos, petistas, demotucanos, crentes, gays, lésbicas, católicos, ubandistas, kardecistas e outros.

abolicionista

16 de março de 2015 às 21h57

Fiquei ainda mais desanimado depois de ouvir as declarações da presidenta. Até onde entendi, Dilma fechou a porta do governo às reivindicações da esquerda contra o arrocho fiscal só para os de baixo e abriu-as para o udenismo da direita.

Com uma esquerda dessas, quem precisa de direita?

Responder

marcio gaúcho

16 de março de 2015 às 19h02

A maioria da população brasileira é de cor negra. Pouquíssimos negros estavam nas manifestações. A “revolução” é dos brancos lacerdinhas!

Responder

Mário SF Alves

16 de março de 2015 às 15h46

A esticarem ainda mais essa corda, cegamente guiados pelo que há de pior na história política mundial, vão jogar pelo ralo não só as conquistas democráticas, mas, o que seria ainda incomparavelmente pior: a promoção da tragédia que pode resultar desse ensaio de UCRANIZAÇÃO do Brasil.

Resta saber quem seria o Poroshenko¹ da extrema direita de cá.
________________________________________
¹Petro Oleksiyovych Poroshenko, em ucraniano: Петро Олексійович Порошенко (Bolgrad, 26 de setembro de 1965), é um empresário bilionário e político ucraniano. É o quinto e atual presidente de seu país, já tendo servido como ministro dos Negócios Estrangeiros e ministro do Comércio e Desenvolvimento Econômico.

O império de negócios de Poroshenko inclui várias plantas de carros e ónibus, o estaleiro Leninska Kuznya, o canal de televisão “Canal 5”, que apoiou os protestos do Maidan medialmente. Em Julho de 2014 Forbes estimou sua fortuna em US$ 1,3 bilhão.

______________________________
Repetindo: “…o canal de televisão “Canal 5”, que apoiou os protestos do Maidan [extrema-direita] mediaticamente.

Fonte: a de sempre, a imprescindível Wikipedia.

Responder

    Mário SF Alves

    16 de março de 2015 às 20h46

    Ih, viajei. Me desculpem.

    Ucranização do Brasil?

    Não. Sem chance. Até porque o poder de fato, há séculos tão bem acomodado nos límpidos lençóis do Estado, jamais consentiria em dividir-se e ser protegido por neo-nazistas.
    Sem dúvida que tal poder hegemônico não hesitaria em jogar seus teleguiados no enfrentamento físico, mas decerto preferem mesmo é o de sempre, ou seja, golpes contra governos populares e a eterna exclusão social, branda, dissimulada, hipnotizante, sádica, lenta e gradual.
    O que há de mais macabro na dominação imperialista em países de terceiro mundo é sua sutileza: com exceção de ápices como o nazismo, a morte vem aos poucos; nunca aos borbotões; mata-se por envenenamento, de fome e por alienação mental.

Mário SF Alves

16 de março de 2015 às 14h22

Direto ao ponto II:

Com todo respeito ao ex-presidente Lula, mas… é inevitável:

Lula como porta-voz do Governo!

A única reação imediatíssima possível à embromação coletiva diuturnamente imposta pela mídia golpista.

Responder

Elias

16 de março de 2015 às 13h44

O olho clínico do Azenha chega a me dar inveja. Ele está sempre à frente do que vou pensar. Eduardo Guimarães também. São dois pesos pesados da blogosfera que sigo.
Mas eu sei o motivo dessa antevisão dos dois. Enquanto sou um romântico de esquerda, e não me envergonho disso, os dois são realistas e por consequência mais concretos. Por isso os sigo. Para aprender. Para sacudir minha paixão e fazê-la pôr os pés no chão.

Responder

eric

16 de março de 2015 às 13h04

Azenha, vc acha que foi só golpismo? Só isso.
Não faltou mais análise? Será que as pessoas que foram às ruas, assim como milhares que não foram, mas gostariam de ir, querem somente golpe, ou querem protestar contra a impunidade reinante?
A situação do Brasil esta boa para voce, e para os outros?
Voce, como jornalista, só conseguiu enxergar isso? Pena.

Responder

Nena

16 de março de 2015 às 12h50

A Dilma mandar seus ministros patetas responderem aos protestos na Globo é sinal que está aceitando tudo isso. De tudo o que aconteceu no domingo o que mais me chateou foi a reação covarde, outra vez, por parte do governo Dilma.

Responder

Romanelli

16 de março de 2015 às 11h55

discordo ..DILMA tem culpa em quase TUDO SIM (nos transportes, saúde e segurança que ainda não ocorreram ..no atraso, congelamento e sobrepreço dos projetos e promessas não cumpridas ..nas reformas que não apareceram ..até pelo excesso de Estádios desertos e não pago )
.
..ela esta há 12 anos no Poder cumpadi ?
.
Suas falhas e/ou desvios éticos e funcionais pegam desde o tempo em que fora Ministra da Energia, depois da Casa Civil, membro e presidente do Conselho da Petrobrás, candidata em 2010, depois presidente da República e agora, candidata outra vez.
.
Foram inúmeras omissões, conivências, atos de imprevidência e/ou INCOMPETÊNCIA ..teve crime de Responsabilidade e mentira às pencas.
.
Não sei se teve MILHÕES nas ruas, mas aqui em SP, da tv e de INÚMERAS transmissões – vi muito mais que os 210 mil da Folha ..ou isso ou na Sé e Anhangabaú das diretas, em jul/13, no fora Collor, mentiam e não passavam de 100 mil..
.
Interessante que antes falavam que a Classe média era alienada e a mídia alienante ..quando resolvem mudar de postura, tb são criticados, decida ? eles são ou não brasileiros tb ?
.
O escândalo da Petrobrás, lava jato e seus satélites, não são os unicos, mas SEM duvida irão figurar entre os MAIORES da Galaxia ..não tenha duvida disso..
.
Não acho que Dilma deve ir pra guilhotina agora ..apesar de seus GRAVÍSSIMOS erros, não temos lei que a puna (uma pena) ..pois aqui reeleição não foi legislada como continuidade (tremendo erro do casuísmo)
.
FATO, as manifestações dos “amigos” do dia 13 e os protestos do dia 15 traziam DESCONTENTAMENTO ..hoje se conta nos dedos quem esta satisfeito com a dama de bege
.
Pior mesmo é ficarmos sendo governados por mais 4 anos por um Pato Manco ..tremendo risco de retrocedermos ainda mais nas POUCAS e frágeis conquistas que vieram (visto que já tem muito eletrodoméstico e automóvel recém comprado inadimplente e/ou estragado)
.
..então, se a coisa continuar a descer ladeira a baixo, e termos que ver sinistros ficarem batendo cabeça tal qual a duple de ontem, a do Digo e o Negado, como foi com Rosetto e o Caridoso ontem) ai então digo:
.
Dela não desejo o destino dum Jango, ou Getúlio ..nem dum Collor por falta de jurisprudência, não de provas (por enquanto) ..mas no mínimo, se a coisa começar a apertar, cobro uma atitude tipo a do Jânio, de renunciar

..tudo com direito a um discuto similar ao de D.pedro I e seus demais sucessores:
.
“..brasileiros e brasileiras, primeiro, beba se for líquido e coma se for sólido, e se é para o bem da Nação, como nunca antes neste país, diga ao povo que saio desta pra entrar na história da minha gente de descamisados e de pés no chão..” ..ou isso, ou alguma coisa parecida ..o importante seria terminar com “eu renuncio”

Responder

    Mário SF Alves

    17 de março de 2015 às 20h34

    A presidenta Dilma tem uma história, Romanelli. E eu sei que você, assim como todos nós, humanos, também tem.
    Só que a história de vida da presidenta Dilma não é uma história comum ou singular como é a da imensa maioria de nós. Ela deixou a segurança de vida financeiramente próspera e de grande conforto, com, inclusive, professora particular de piano, e dedicou-se ao enfrentamento de uma ditadura militar; em realidade, uma das atitudes mais perigosas que um ser consciente, e tão jovem quanto ela, poderia assumir, e mais difícil ainda para alguém que seja da alta classe média.
    Olha, não me sentiria minimamente constrangido em considerá-la como autêntica heroína. E não apenas por ter enfrentado uma ditadura militar, mas sobretudo por ter enfrentado um império que por meio de tal ditadura insistia e ainda insiste em nos colonizar.
    Aí, possivelmente, você me perguntaria, mas, o que dizer da realidade atual?
    Eu não diria nada além de reafirmar o heroísmo dela. Ou alguém em pacífica consciência seria capaz de negar a complexidade, a dificuldade e os desafios inerentes à superação desse capitalismo subdesenvolvimentista que os colonizadores plantaram e que ora chegam às raias do absurdo para impedir que seja superado no Brasil?
    Brasil, um país de poucos é relativamente fácil. Para isso basta contar com a mídia empresarial e com a repressão do Estado oligárquico que até hoje p sustém. Difícil mesmo é a construção de o Brasil Um País de Todos; um país para todos os brasileiros; um país justo e soberano. Isso, meu caro, e em nossas circunstâncias, nem um Churchill e nem um Roosevelt fariam.
    Aí, meu caro, não há medíocre que dê conta de tal imensa é tarefa. Isso é desafio para os raros.

    Ralph de Souza Filho

    17 de março de 2015 às 22h08

    A História pessoal deixa de ter a importância de nossas idiossincrasias mesquinhas e egocêntricas, na medida em que nos lançamos à uma aventura que exige coragem, brio, desabridas atitudes e impensadas ações, não raro. Dilma Roussef, sem dúvida, tem um lugar de destaque absoluto, na história recente de um Brasil saqueado e destroçado em seus melhores quadros de pensadores, pedagogos e educadores de cepa tão sofisticada, que a Sorbonne, quando não Harvard, Oxford, Yale, e outras instituições de prestígio internacionalmente reconhecidas, os acolheu. Ora, se um País que se quer reconhecer Civilizado, tem na Educação a porta de entrada para que este estágio se materialize, é, então, duplamente perversa a intervenção a saquear e a impedir que esta faceta irreversível e irredutível, quando se pensa no progresso rumo à uma sociedade de cunho sofisticado, em educação, pesquisa e extensão, se constitua em realidade. A criminosa indiferença, das elites da casa grande, que, criminosamente, já sob o Golpe dentro do Golpe, o AI – 5, deixaram que a ignorância se disseminasse e a demografia, em função e razão, assaltasse a população excluída e desassistida, multiplicando-a, pois, em 1970, quando éramos 90.000.000 em ação, cantava o poeta polpular, saltássemos para 206,000.000, hoje. Isto sem que houvesse um planejamneto que contemplasse uma logística de recepção à este contigente humano deveras avassalador, em concomitância com a concentração da terra em poucas mãos, sem portanto uma Reforma Agrária consistente e, corolário, a inevitável e chocante ocupação urbanística desordenada, culminando em um amontoado de seres humanos, à mercê, de uma total ausência de condições de habitabilidade, digna e decente. O que espanta, é a apatia e submissão desta gente honrada e aviltada, e, ao mesmo tempo a caradura e a hedionda hipocrisia dos que se utilizam de Panelas Francesas, de Cr$ 1.500,00 a unidade para bradar seu incorformismo, uma patética demonstração de mediocridade, insensibilidade e atroz falta de respeito e apreço para com a alteridade, e por conseguinte, com a própria espécie. A impressão que fica, é a de que desceram das Árvores ante-ontem…Saudações Cordiais, do planta do Deserto, a quem, basta, tão somente, o orvalho do alvorecer…

niveo campos souza

16 de março de 2015 às 11h54

O fascismo e todo o lixo da ditadura nas ruas.

Responder

Marat

16 de março de 2015 às 11h05

Na boa, sugiro a esse 1% de manifestantes, que tanto odeia o Brasil e tanto ama os EEUU, que se vão de uma vez… Já que lá é tão bom, fiquem por lá, e nos deixem em nosso terceiro mundo. Façam esse imenso favor a todos!

Responder

FrancoAtirador

16 de março de 2015 às 10h59

.
.
MANIFESTAÇÃO DE ÓDIO DE CLASSE EXPLÍCITO
.
Nas manifestações de ontem na Paulista
.
só NeoNazi-Fascista Rico pôde protestar
.
Skinheads High Society tentaram linchar Carecas do Subúrbio.
.
https://www.youtube.com/watch?v=Eo7RajcWz9E

Responder

    FrancoAtirador

    16 de março de 2015 às 11h54

    .
    .
    Refrão na Paulista: “PM, MEU AMOR!”
    .
    .

Fabio

16 de março de 2015 às 10h58

Ou a Dilma acorda e enfrenta os golpistas de vez ou os golpistas vão coloca-la logo logo no Galeão, rumo ao exilio.
O PT como partido não existe mais, está morto.
Dilma como presidenta está dormindo, acovardada e perdida.
Depois do que vi ontem, me preocupa demais o rumo que estamos indo, pois estamos num enorme navio, cuja comandante em chefe não tem o minimo controle de nada.
Acorda Dilma, antes que seja tarde demais.

Responder

    Mário SF Alves

    17 de março de 2015 às 21h54

    E quanto a você, caro Fábio, já acordou?
    Ou é daqueles que ainda têm a ingenuidade de acreditam que o Governo Federal pode tudo?
    Neste sentido, considero indispensável uma releitura e nova reflexão sobre a origem e o significado político do Estado no Brasil.
    Seja como for, hoje, mais do nunca, “as praças e as ruas têm de ser do povo.”
    Hora de adotar a tática da comunicação por eco aplicada durante o Ocupe em Nova Iorque. Hora dos tambores do Olodum ecoarem nas ruas. Hora da arte mostrar por quem os sinos da democracia dobram.

    Ademais, não custa recordar:
    Manifestantes anti-Wall Street protestam contra Romney:
    “Tirem o dinheiro da política’, dizia UM dos CARTAZES contra o pré-candidato, que estava em Nova York para arrecadar fundos para campanha.”
    Um dos Cartazes… ah, se os politicamente lúcidos lessem a mensagem expressa nos tenebrosos cartazes do tenebroso dia 15.

Lafaiete de Souza Spínola

16 de março de 2015 às 10h55

Trechos do professor Noam Chomsky (86 aninhos), professor titular do MIT, em seu livro MÍDIA – Propaganda política e manipulação:

Temos um sistema educacional direcionado para os homens responsáveis, a denominada classe especializada que deve ser doutrinada, fortemente, nos valores e interesses do poder privado.

O resto do rebanho, a maioria do povo, desorientado só precisa ser distraído, a atenção deve ser desviada para outros assuntos. Deve permanecer como mero espectador. De vez em quando esse rebanho é mobilizado para dar o aval a um outro dos verdadeiros líderes dessa classe especializada escolhido pelos donos do poder.

Como exemplo, o Reinhold Niebhur, teólogo e crítico de política externa, chamado de “teólogo do establishment”, guru de George Kennan e dos intelectuais especializados que rodeavam a família Kennedy, dizia que a razão somente um pequeno número de pessoas a possui. A maioria das pessoas é guiada pela emoção e pelo impulso. Nós que dispomos da razão precisamos criar ilusões e simplificações emocionalmente poderosas para manter os ingênuos mais ou menos nos trilhos.

Como a sociedade tem se tornado mais livre, com mais informações, temos perdido parte desse poder.

Consequentemente, precisamos recorrer às técnicas da propaganda política.

A propaganda política está para uma Democracia assim como o cacete está para uma Ditadura.

Você continua acreditando que os acontecimentos do dia 15.03.15 são espontâneos?

Precisamos disso: https://www.facebook.com/lafaiete.spinola.3/posts/449642818526465

Deixemos de ser parte do rebanho manipulado! Precisamos, pacificamente, mudar o Brasil! A maioria não recebe educação. Eles precisam do rebanho!

Responder

abolicionista

16 de março de 2015 às 10h43

Caros, só pra constar, o fascismo e o nazismo também levaram muita gente às ruas, muita gente do povo, inclusive. É comum encontrar os nos escritos da época descrições do sentimento de alegria popular que emanava das grandes convenções nazi-fascistas. A direção do movimento que tomou a paulista no dia 15 de março de 2015 é de ultra-direita, ultra-neoliberal, privatista, conservadora, homofóbica, golpista. Elas mostram que a redemocratização deu errado, simples assim. O Brasil continua um país atrasado, militarizado, provinciano e escravocrata. As fotos desse protesto nos envergonham aos olhos mundo, mostram nossa burrice, nossa sociedade tacanha e grotesca. De resto, deslumbrados sempre existirão.

Provérbio revisto
Newton de Lucca
A voz do povo
é a voz de Deus…
Que povo?
Que Deus?
O que beijou Stálin?
O que delirou com Hitler?
Ou o que soltou Barrabás?
(Será que Deus já não teria se
enforcado em suas próprias cordas vocais?)

Além disso, acho de um oportunismo irresponsável ver gente como Luciana Genro, que se diz de esquerda, elogiando de modo a-crítico uma manifestação de cunho fascista como essa. É uma atitude eleitoreira e populista semelhante à que o PT adotou para chegar ao poder. Fascismo precisa ser combatido, e não relativizado.
Seu comentário está aguardando moderação

Responder

    FrancoAtirador

    16 de março de 2015 às 11h46

    .
    .
    Caro Abô.
    .
    Luciana Genro pareceu bem ponderada,
    quando fez a seguinte avaliação crítica:
    .
    “O que salta aos olhos é que a situação exige uma mudança profunda.
    .
    Mas nem tudo o que as ruas falam sugerem um bom caminho.
    .
    As faixas em favor do golpe são um sintoma claro
    .
    de que mesmo que milhares tenham tomado as ruas,
    .
    não se abriu um caminho novo e progressista.
    .
    Não tenho dúvida de que a maioria dos que estavam nos atos
    não querem uma saída fascista e nem querem ser controlados por aparatos burocráticos.
    Por isso Bolsonaro e Paulinho da Força Sindical foram hostilizados.
    .
    As pessoas querem mudanças, mas para que a direita não ganhe na inércia
    é preciso avançar em um programa.
    .
    A questão é que mudanças são necessárias
    e quem são os agentes desta mudança.”
    .
    Íntegra em:
    .
    (http://www.revistaforum.com.br/blog/2015/03/luciana-genro-globo-quer-sangrar-o-governo-e-liquidar-a-esquerda)
    .
    .
    No momento em que a Direita está predominado ideologicamente,
    o PSoL é a alternativa viável para reconquistar a esperança das pessoas,
    até porque possui parlamentares com legitimidade e credibilidade
    para liderar e promover a atuação da esquerda no Congresso Nacional.
    .
    E a situação só está mais difícil de ser enfrentada atualmente,
    porque os asnos lá de cima, logo depois de uma Guerra Eleitoral,
    precipitaram-se em adotar medidas tecnocráticas impopulares,
    sem considerar os efeitos psicológicos impactantes na população.
    .
    Um erro estratégico gravíssimo na Batalha da Comunicação,
    que acarretou a perda total da popularidade da Presidente,
    e agora está servindo de mote para a “Grande Imprensa HSBC”.
    .
    .

    abolicionista

    16 de março de 2015 às 12h23

    Caro Franco, tentar disputar as pautas dessas manifestações com a direita é um erro grave. Luciana Genro trata as faixas pedindo intervenção militar e impeachment como se fossem uma exceção ao ato. Elas não são, elas são a essência desse ato. Ato vergonhoso, nefasto, ilustração do que há de pior no Brasil. Os grupos que convocaram a manifestação apoiam a ditadura, são conservadores e evidentemente fascistas. Tentar surfar na onda da direita é um erro ainda maior do que todos aqueles que o PSol já cometeu. As ruas também erram, e erram feio. É preciso conscientizar, fazer trabalho de base, recomeçar da estaca zero. Não se faz concessões ao fascismo, isso é uma lição histórica.

    Mário SF Alves

    16 de março de 2015 às 13h50

    Direto ao ponto:

    I) Ficou claro: ao poder hegemônico, poder de fato, historicamente contrário ao poder de direito, não interessa em absoluto a consolidação da Democracia no Brasil e em nenhum outro lugar do mundo.
    II) A extrema direita [local e/ou a alienígena] e seus seguidores politicamente ingênuos não hesitarão um só segundo em promover a UCRANIZAÇÃO do Brasil.
    III) Temos, nós e o Governo Federal, de resolver a crise política detonada por circunstâncias socioeconômicas.
    IV) Alguém vai ter de perder um pouco, e dessa vez a solução não há ser às custas do povo brasileiro.
    _________________________________
    Pra pensar:
    ______________________
    Torres gêmeas como elemento definidor da posmodernidade… sim…
    Hegemonia da posmodernidade…. sim… e não…
    BRICS… sim!
    Sader, Chomsky, Leonardo Boff e uma dirigente do Sein Fein… sim… mas… só?
    Por isso, me pergunto: não estaria a superação da fascistização resultante da posmodernidade a exigir – muito mais do que homens – um computador quântico que trabalhasse as equações políticas/realidade objetiva matematicamente engendradas por essa mesma referida posmodernidade?

    Penso que a exemplo do que entendi de uma fala do Papa Francisco, o CENÁRIO atual, em termos internacionais, já seja um cenário de guerra global ou …[ainda] não?

    E o discurso de Valdai? Não seria ele o diagnóstico fundamental e suficiente dessa REALIDADE e respectiva correlação de forças em nível mundial?

    FrancoAtirador

    16 de março de 2015 às 14h08

    .
    .
    A História é Moto-Contínuo que Não Anda Para Trás.
    .
    É Possível extrair Energia Positiva desse Movimento.
    .
    Não obviamente das Lideranças do Tea Party braZil.
    .
    A Maioria das Pessoas, ainda que inconscientemente,
    .
    está clamando por um Líder Autêntico que a represente.
    .
    Então, que seja de Esquerda e não de [Extrema]Direita.
    .
    Porque a Disputa Ideológica, em 2018, será dessa forma.
    .
    .

    abolicionista

    16 de março de 2015 às 15h56

    Putz, pode ser. Mas ser de esquerda a esse custo? Eu não tenho estômago para protestar ao lado dessa gente. Prefiro assumir minha condição de apátrida, de pária social, mas não vou me vender, não conseguiria. A impressão que tenho é a de que essa manifestação foi desmascaradora. Eu vi essa gente como ela é de fato, e ela é podre até o osso, é fascista e desumana, tóxica, inóspita. Gente escravocrata, intolerante, néscia, preconceituosa, gente com quem não gostaria nem de cruzar na rua. Eu fecho com Mário de Andrade, essas águas venenosas não são águas que se beba, são águas venenosas. Meu único consolo é que esses muares terão de viver no mundo infernal que eles mesmos criaram. Enfim, para glosar um filósofo, eu acho que a marcha da história vai em direção ao abismo, arrastando com violência a tudo e a todos, e a nós não cabe acompanhá-la em seu trajeto catastrófico, nossa tarefa é puxar o freio de emergência.

    FrancoAtirador

    16 de março de 2015 às 18h08

    .
    .
    Os Militantes do PSoL não participaram dos Protestos de ontem.
    .
    E não acredito que chegarão ao ponto de se juntar com Fascistas.
    .
    O erro de avaliação da Luciana é em relação ao Poder da Mídia.
    .
    .

    FrancoAtirador

    16 de março de 2015 às 18h23

    .
    .
    Aliás, é um erro antigo do PSoL, e da esquerda como um todo,
    .
    considerar que conseguirá mobilizar as massas trabalhadoras
    .
    sem mexer na Estrutura de Comunicação da “Mídia HSBC Suíça”,
    .
    subestimando o Aparato de Propaganda do Capital Internacional.
    .
    .

Hudson

16 de março de 2015 às 09h50

Em 2012: “Metrô de São Paulo afirma que liberar as catracas é ilegal” http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,metro-de-sao-paulo-afirma-que-liberar-as-catracas-e-ilegal,875861

Responder

Marat

16 de março de 2015 às 09h33

Um recado ao rapaz que, no UOL, se disse “preto, pobre e que deseja a queda de Dilma”… O cara, você na realidade tem alma de branco… Sabe o que muitas dondocas das Ruas Haddock Lobo, Alameda Lorena, Alameda Casa Branca e adjacências pensam sobre vocês? Elas têm NOJO de pretos… Isso mesmo. Muitas branquinhas bonitinhas e bem cuidadas de lá dizem que jamais beijariam um preto, que tem nojo… Dizem isso e outras barbaridades mais. Elas querem pretos faxinando e ganhando pouco. E os querem longe de aviões e de navios e cruzeiro! Pense bem nisso, e não renegue suas origens e suas lutas. Essa burguesada de SP é sórdida e golpista!

Responder

Marat

16 de março de 2015 às 09h26

Além de tudo, ainda há nádegas esseteefeanas sobre um importante processo que está 1 x 6…

Responder

Marat

16 de março de 2015 às 09h24

O maior drama é uma PF reacionária e sem comando!

Responder

Fabio SP

16 de março de 2015 às 08h43

Azenha

Para o AI-5 está faltando um pouquinho só, lá na sua Venezuela adorada…

http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2015-03/congresso-venezuelano-aprova-lei-que-autoriza-maduro-governar-por

Responder

Igor_

16 de março de 2015 às 08h31

Como 100% esperado o PIG obteve o que queria dia 15. Um show de golpismo nas ruas. Não tinha como ser diferente afinal desde que Lula eleito o PIG vem fazendo seu trabalho: implantando ódio na população, planejadamente e propositalmente. Somente o PT não viu, não quer ver e ainda parece não ver isso. Para não te reagido desde do inicio como sérias medidas contra o PIG como regulamentações, democratização da mídia ,etc. Agora c/ o trabalho já feito o PIG & Cia* (*afinal nos não sabemos exatamente a quais interesses $$$ estão por trás disso tudo não é mesmo? ) partirão com tudo para tentar tirar Dilma na marra ! Portanto o PT que se cuide que o negócio vai ser 100% feio !

Responder

PENSANDO O BRASIL

16 de março de 2015 às 08h16

O FIEL DA BALANÇA É A CLASSE C!

O Governo deu uma guinada à direita na economia. Esses ajustes certamente eram necessários, mas não conquistam 1% de apoio dentre aqueles que votaram contra o PT nas eleições passadas. As medidas, porém, tem o dom de fazer ruir boa parte do apoio que veio das esquerdas e do eleitorado de centro, a “insondável” Classe C.

Como elo fraco da corrente, essa massa eleitoral, mais concentrada no Centro-Sul do país, precisa de quem a defenda, ajudando o governo a reconquistá-la. Os textos acessíveis a partir do link abaixo propõe uma agenda de esquerda, com propostas para informação, saúde, educação e reformas urgentes que o Brasil precisa.

Recomendamos a leitura.
http://reino-de-clio.com.br/Pensando%20BR.html

Responder

sergio m pinto

16 de março de 2015 às 07h51

Sei não. Como escreveu o PHA, com esse ministério a Dilma não aguenta o tranco

Responder

Ciro

16 de março de 2015 às 07h49 Responder

Hélio J. Pereira

16 de março de 2015 às 07h46

As Urnas já se expressaram em 2014 e aprovaram o Primeiro mandato de Dilma e lhe garantiram o Segundo,numa votação em dois Turnos,portanto é isto que importa !
Sobre os participantes das manifestações de ontem,eu faço duas observações :
Primeira o Brasil possui atualmente 202 milhões de hábitantes,portanto 1 milhão de pessoas que participaram ontem segundo o Data-Folha,representam menos de 0,5% dos Brasileiros,sendo assim eu posso dizer que, 99,5% dos Brasileiros “estão com Dilma”,uma vez qu não participaram dos Protestos.
Segunda,nossa população é composta de 55% de Negros,Índios e Mestiços,sendo assim basta observar qualquer Foto ou Video feito ontem pra observar que nestas manifestações não hávia nem 1% destes 55%.
Portanto eu posso concluir que: os manifestantes são a “elite Branca” que sempre apoiou Aécio Neves e que odeia o PT,são os DERROTADOS de 2014 que não se conformam com a derrota do PSDB e estão tentando derrubar Dilma pelo Golpe uma vez que não tem votos pra ganhar a eleição !
Acho que a Presidente Dilma deve continuar Governando para todos Brasileiros e não dar muita importância pra estes Golpistas que não aceitam o resultado das Urnas !
Eles que fiquem nas Ruas até 31/12/2018 .

Responder

silvio

16 de março de 2015 às 07h45

O velho hábito de tentar separar o nós e eles, o PT fez tantas merdas que até extrema direita tá fazendo sucesso, o problema é que o brasileiro é conservador, e se a economia não estiver bem! tudo degringola, e a estupidez da presidente que tentou reinventar a roda na economia não ajudou em nada e chegou ao que vemos hoje.

Responder

Julio Silveira

16 de março de 2015 às 07h16

Eu tenho dito em outros espaços, que esse momento que vivemos esta sendo muito proveitoso para os adeptos da democracia no Brasil pelo plena capacidade de identificação dos golpistas desse país, antes situados no imaginário popular como sombras inofensivas ficando com o papel exclusivo de reacionários aqueles milicos que os representavam, e ainda representam, sem ser entretando uma voz unanime na caserna.
Nunca foi tão facil identificar os inimigos da nação Brasil nem tão facil identificar seus instrumentos, sempre camuflando seus interesses particulares por trás da falacia dos interesses coletivos. Ao governo compete combatê-los em todas as frentes sem tergiversações sobre a pratica democrática por que esses não tem qualquer afinidade com essas praticas. Seu intuito é estarem sempre na posse do poder e para esses o Brasil tem de estar preparado, inclusive com os aparatos jurídicos para os levarem a corte judicial por que se tem uma coisa que essa gente despreza mais que democracia, é lei que tenham que respeitar.

Responder

    Ralph de Souza Filho

    16 de março de 2015 às 08h17

    Aqui, o nó Górdio a ser desatado, juntamente com a profunda Reforma do Judiciário e de seu Arcabouço Jurídico, com dispositivos remanescentes do Regime de exceção, em concomitância com a Reforma Inadiável do Sistema Político Eleitoral e a transformação daquilo que Brizola sempre adiante de seu tempo, conclamava, a unificação da Polícia Militar com a Polícia Civil, gerando um organismo menos repressor e mais Inteligente e, ademais, a Criação, em Nível Federal, um dos raríssimos exemplos bons dos Red necks do Tea Party, do Tio Sam, a criação da ” Guarda Nacional “, controlada pelo Governo Federal e imune às influências Políticas nefastas e maléficas dos Governos Estaduais. E, onde estão, nas passeatas e manifestações, os que mais necessitam? Os Pobres, maioria de Negros, exceção do Joaquim Senzala Casa Grande Miami Barbosa, e os excluídos, ainda em grande número, pois que 206.000.000 já somos e, de fato, a questão Demográfica foi, sem dúvida um dos Crimes mais eloquentes cometidos pelos nossos Gorilas fardados e seus fâmulos, Sarney, Collor et caterva. Pois, como deixar crescer uma população, sem planejar para tal façanha, uma infra-estrutura que a acolhesse, e, não, que a amontoasse, como se faz com o resíduo sólido e, se fez, ao concentrar a terra, desprezando a Reforma Agrária, concentrando nas favelas inchadas e precariamente urbanizadas, este entulho humano aviltado…

Francisco

16 de março de 2015 às 06h06

Dilma e o PT são tão primários em Comunicação que devem estar reclamando das contas da PM sobre quantas pessoas foram às ruas no ato contra eleições diretas (foi isso, né? ou foi outra coisa?).

Dilma e o PT poderiam ter posto 600 milhões de brasileiros na rua: pelo gargalo da mídia, passa o número que ELA quer…

É a Comunicação, estúpida!

Responder

abolicionista

16 de março de 2015 às 02h24

No filme, O Leopardo (1963), de Luchino Visconti, há uma cena em que o jovem Tancredi diz ao príncipe Don Fabrizio, seu tio: “é preciso que tudo mude, para que tudo continue como sempre foi”. A Itália se unifica, a nobreza mantém seus privilégios e até hoje arrasta impasses arcaicos. Quando penso nas pessoas que estavam na Paulista, é essa a grande mensagem que elas me passam: queremos que tudo mude para que tudo continue igual. A política brasileira costuma embatucar nesse tipo de paradoxo.

Responder

Fernando cerqueira

16 de março de 2015 às 02h18

Seu texto combina muito com as explicações do Rosseto e do Cardoso.

Responder

S.Bernardelli

16 de março de 2015 às 01h55

A Dilma e o PT estão em alerta, o que ela precisa é deixar de negociar com as traíras como Cunha e Renan e mostrar a eles quem ela é, estão subestimando a Dilma e até mesmo o partido do PT. Agora mais do que nunca ela tem que enfrentar essa raça de vaiadores e paneleiros; encarar todos de frente e não falar como gatinho e sim como leão. Ir senado e meter bronca, ir a câmara e fazer o mesmo, ela chefe desse estado e desse bando como bem disse o Ministro da Educação “achadores” começando pelo Eduardo Cunha (o insano) PSOL que está certo, Cunha tem que deixar a cadeira de presidente assim como Renan eles estão na lista da lava jato, e o Cunha tudo que ele esta fazendo para quem não deve nada como diz está sendo mais motivo para desconfiança. Os inimigos podem pensar que eles saíram vitoriosos, mas ainda não acabou. Esta na hora de ir para rua e ir pra porta do Gilmar e bater panela na porta de onde mora para ele devolver o que esta com ele. A Dilma tem que parecer na TV em rede nacional todas as vezes que houver medidas importantes sem dar aviso aos repórteres golpistas e sem que os golpistas do planalto saiba para que sejam pegos de surpresa é errado jogar a toalha, pois é tudo que eles querem

Responder

alex

16 de março de 2015 às 01h45

Na fila enorme da padaria aqui na Pompéia, ouço: “essa vaca fdp nunca mais vai conseguir falar num evento. vai ter que ficar calada até cair”. Azenha: é assim que pensam e é assim que vão agir.

Responder

Leo V

16 de março de 2015 às 01h35

Nathalie Drumond
3 h · Editado ·

Meu pai me ligou para falar das manifestações de hoje em São Paulo. Comentou comigo da felicidade que compartilhou com seus amigos de ver as manifestações novamente tomando a avenida. Estava de fato feliz. Como ele sabe que gosto de política e ele compartilha desse gosto comigo, colocou crédito no seu celular para fazer uma ligação do ABC para o Rio e avaliarmos juntos a repercussão do dia.

Ouvi bastante, porque queria entender mais o espírito de quem saiu a rua hoje. Só falei uma coisa ao final “pai, mas tinha muita gente com cartazes pela volta da ditadura”. Ele “filha, eu sei, falei com meus amigos que tem muita gente querendo tirar proveito da raiva do povo, mas a manifestação foi gigante filha: estava todo mundo na rua pelo Brasil!”.

Desliguei pensativa. Meu pai não é de direita. Ele é torneiro mecânico de formação e trabalhou muitos anos como metalúrgico nas fábricas do ABC. Em 1990, trocou o chão de fábrica – por imposição da vida – pelo ofício de motorista. Tirou carteira E e foi tentar escapar do desemprego sendo caminhoneiro, guincheiro, vendedor/motorista e, finalmente, motorista executivo da Mercedez Bens – voltando à fábrica na condição de terceirizado.

Até 2010, o partido do meu pai era o PT. Deixou de ser. Mais ou menos em 2010 tbm ele perdeu o contrato na Mercedez. Devido à crise internacional, muita gente perdeu o seu emprego. Foi esse motivo que deram pra ele. Desde então meu pai vive de bicos. Até que há pouquíssimos meses entrou numa parceria com um amigo pra administrar uma lanchonete em frente a uma das maiores escolas públicas de SCS, ali no nosso bairro. Está sentindo o peso da carestia de tudo e a dificuldade de tirar uma graninha com um pequeno negócio próprio.

Meu pai se desencantou com o PT. Viu de perto as maracutaias que o partido se meteu para manter seu predomínio eleitoral no ABC. Depois do PT não se organizou em mais nada. Não tolera sindicato, não gosta de partido.

Hoje não foram as organizações de classe (como os sindicatos) ou o velho PT do ABC que levaram meu pai pra rua. Foi uma direita disfarçada em nacionalismo e numa suposta luta contra a corrupção, vocalizada pelas organizações Globo.

Desliguei o telefone e fiquei pensando: como arrastar meu pai pra rua novamente, dessa vez para defender um programa verdadeiramente à esquerda? Não nos restam sindicatos, ou nos restam poucos verdadeiramente combativos, não temos ainda um partido à altura para organizar estes que estão insatisfeitos e não acreditam nas velhas estruturas organizativas. O nosso PSOL ainda está construção. Tarefa difícil.

Por hora, a conclusão que pude tirar é que enquanto reconstruímos as ferramentas que o PT desmantelou, e até que consigamos novamente estarmos conectados com gente como meu pai (e espero que não leve tanto tempo assim), a primeira coisa que posso fazer é lutar para que em cada casa que tenha um homem ou mulher como ele, que tenha um jovem com ideias radicais para contrapor a isso tudo.

Que a disposição de luta que a juventude demonstra nas escolas e universidades contamine novamente, como em junho de 2013, o conjunto da população. E que a juventude possa dar o tom, nessa caminhada, demonstrando que o caminho está à esquerda.

Vamos pra rua novamente molecada, construir o dia nacional de luta pela educação. ‪#‎26M‬

https://www.facebook.com/ThalieDrumond/posts/854098217990327?fref=nf&pnref=story

Responder

    abolicionista

    16 de março de 2015 às 10h39

    Leo, só pra constar, o fascismo e o nazismo também levaram muita gente às ruas, muita gente do povo, inclusive. É comum encontrar os nos escritos da época descrições do sentimento de alegria popular que emanava das grandes convenções nazi-fascistas. A direção do movimento é de ultra-direita, neoliberal, privatista, conservadora, golpista. Deslumbrados sempre existirão.

    Provérbio revisto
    Newton de Lucca

    A voz do povo
    é a voz de Deus…
    Que povo?
    Que Deus?
    O que beijou Stálin?
    O que delirou com Hitler?
    Ou o que soltou Barrabás?
    (Será que Deus já não teria se
    enforcado em suas próprias cordas vocais?)

    Acho de um oportunismo irresponsável ver gente como Luciana Genro, que se diz de esquerda, elogiando de modo a-crítico uma manifestação de cunho fascista como essa. É uma atitude eleitoreira e populista semelhante à que o PT adotou para chegar ao poder. Fascismo precisa ser combatido, e não relativizado.

    Ralph de Souza Filho

    16 de março de 2015 às 15h23

    Concordo com o Hélio Pereira, apenas, acrescentando que esta esbórnia com o dinheiro público vem de muito longe e, como sempre, do arcabouço jurídico – político – institucional gerado pelos Gorilas Fardados Golpístas e Corruptos, vide Amaury Kruel e suas três malas de US 1.500.000,00, dólares em notas de cem, com o Carão do Benjamin Franklin, que lhe foi dada em mãos, pela FIESP, para trair Jango. As medidas tem sentido eminentemente redutor de custos, através fiscalização acerca da bagunça generalizada, pois, pasmem, como o exemplo deve vir de cima, o próprio FHC, este agente da CIA e Corruptor da PEC da reeleição, se aposentou na USP aos 37 anos. Um mamata legal…Imagine, escrutinando meticulosamente, o que encontraremos neste INSS ou Isto Não Será Solucionado, como era praxe se dizer à época de Sarney, o Bedel da Ditadura….

Leo

16 de março de 2015 às 01h18

Azenha, a discussão de ideias é algo que prezo muito. Tenho receio das reações de ódio de ambos lados, pois elas afastam o saudável choque de boas argumentações.
Desejo para todos os brasileiros uma ótima semana e que, amanhã, consigamos obter respostas que nos conduzam a um país melhor, mais digno, sem corrupção e com um futuro promissor para os nossas gerações.
Abrs.

Responder

Leo Oliveira

16 de março de 2015 às 00h32

Em 1930 a elite paulista perdeu; também perdeu em 1954, mesmo isso tendo custado a vida de Getúlio. Finalmente venceu em 1964.

Nova vitória com redemocratização e a eleição do Collor, depois duas vezes com FHC.

Depois somente derrotas, com as quatro vitórias do PT.

Se é verdade que a história é repetitiva, a reação de SP é a prova.

Porque esse movimento é antes de tudo da elite a da classe média paulista.

Mesmo no Rio, em Copacabana, é um movimento que não traduz a cidade, muito menos os bairros mais distantes e outras cidades da baixada – é uma ação de fanáticos, não há nada de manifestação democrática.

Há muita insatisfação, sim, contra o governo nas classes mais baixas, em relação a inflação, os últimos aumentos nas tarifas de energia, principalmente, mas não há ódio, tampouco acreditam que tirar a Dilma vai resolver alguma coisa.

Uma demonstração que SP, BH, Copacabana e Brasília não falam pelo Brasil foi o fracasso do movimento no norte e nordeste.

Ao contrário do que ocorre em SP, que vive uma histeria de aversão totalitária contra o PT, algo que não tem paralelo na nossa história.

Hora do PT centrar forças no país, pois SP é um caso perdido. Talvez em algumas décadas isso seja revertido.

Explicar politicamente também a elite paulista que SP não é o Estado, é só mais um estado da Federação, e que seus interesses são tão importantes quanto os interesses dos demais estados.

Se querem o poder que o conquistem através das urnas.

Tomara que alguém do PT no Congresso tenha coragem de enfrentar, se opor a esse elite e defender o direito de todos os brasileiros.

Responder

    Leo

    16 de março de 2015 às 00h58

    Isto é programa de perpetuação de poder.
    Ora, por que dizer que SP está perdido? Lá existem brasileiros e nunca um brasileiro pode deixar outro brasileiro para trás! Que discurso seletivo é este? És adepto de Darwin!?
    As manifestações foram democráticas e fechar os olhos para elas é não aceitar o contraditório.
    Seu discurso é ideológico, partidário e não condiz com o futuro que queremos para o Brasil. O futuro do Brasil não é o PT. O futuro do Brasil é o Brasil, sem Aécios, Lulas, Dilmas, FHCs, Sarneys, Collors, etc.

    Mário SF Alves

    16 de março de 2015 às 01h15

    Gostei.

    E só pra somar na sua análise, segue o link:

    http://tvbrasil.ebc.com.br/espacopublico/episodio/espaco-publico-entrevista-joao-pedro-stedile

    Obs.: Além de social e politicamente útil é divertido.

    Fabio SP

    16 de março de 2015 às 08h46

    Mas na hora de coletar os impostos para sustentar o resto do país, São Paulo é uma maravilha…

    Sidnei Brito

    16 de março de 2015 às 11h06

    O problema é que as imagens de São Paulo é que vão para a CNN…

Sidnei Brito

16 de março de 2015 às 00h28

O grande erro foram os titubeios em relação a junho de 2013.
A esquerda, para não parecer que era contra essa “coisa de povo na rua”, ou apoiou ou tomou posição dúbia.
Já havia ali bons sinais de que se tratava de um movimento de direita.
Dizem que teve início com pautas de esquerda, com aquela turma do MPL, que ganhou até espaço generoso na blogosfera progressista. Ninguém, porém, perguntou para os garotos do MPL por que falavam grosso com o Haddad, depois de aumento abaixo da inflação acumulada, e não falara grosso com o Kassab com aumentos mais substanciais dados anteriormente. E, principalmente, ninguém foi atrás do MPL quando não fez nada contra os aumentos dos ônibus intermunicipais na região metropolitana de São Paulo, de responsabilidade do governador Alckmin.
Ah, sim, claro, teve muita reivindicação, em junho de 2013, de melhorias na saúde, educação e transporte. Ora, os estrategistas da direita não são burros: precisavam de mais povo na rua do que nos projetos fracassados anteriormente, como o Cansei. Não poderiam falar claramente que querem uma restauração neoliberal, menos pobres em aeroportos e universidades mais “assépticas”. Agora, troca uma ideia de meia hora com a maioria dessa turma que liderou esses protestos (falo dos de junho de 2013) e depois me conta o quanto eles realmente prezam a ideia de educação ou saúde pública.
EStá na hora de uma crítica e, quando o caso, autocrítica em relação a junho de 2013.

Responder

    Mauro Doria

    16 de março de 2015 às 06h28

    Sidnei
    Os movimentos de junho de 2013 foram uma estratégia montada para enfraquecer a Dilma. Insatisfações sempre existem a mídia as canalizou. A questão são as correlações feitas. Falta água em São Paulo, ah salvemos o planeta. Cai um clipes na mesa de alguém na Petrobras, deve ter algo a ver com a Dilma. Simples

    Sidnei Brito

    16 de março de 2015 às 10h33

    Você tem razão, Mauro Doria.
    Meu ponto é que a direita soube o que fazer com junho de 2013; a esquerda, não.
    Sei que muitos, em poucos dias, perceberam o que aquilo estava virando.
    Ficaram quietos ou não deram o braço a torcer, além dos motivos que eu elenquei anteriormente, também com medo de serem tachados de “Arnaldo Jabor às avessas”.
    Até nisso a direita foi mais sábia. Jabor, quando percebeu o que era aquilo, não teve nenhum pudor de reconhecer que errara – na visão dele, claro – sobre o significado daquele movimento: criticou ferozmente primeiro, para depois tratar o evento como uma redenção nacional.

Leo

16 de março de 2015 às 00h08

Azenha, brasileiro nenhum negocia o Brasil com outro brasileiro! Que história mal contada é esta!? Então Dilma deve tapar os ouvidos para a oposição que é feita nas ruas!? Acaso pode o presidente da República desprezar milhões de brasileiros insatisfeitos, dentre os quais há muitos que votaram nela no primeiro e segundo turno em 2014!? Que estória é essa de guilhotina! Informe melhor seus leitores! Jornalista tem que noticiar a verdade e não ser tendencioso como Globo, Veja, etc.! Vá às ruas, senhor Azenha! Escute as ruas e não se paute apenas pelo que ouve em diretórios de partidos ou em centrais sindicais!

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    16 de março de 2015 às 00h22

    Sou repórter. Ando nas ruas todos os dias. Centro e periferia. São Paulo, Rio, Maranhão e Bahia. Foi um show de intolerância o que vi em Copacabana. abs

    Leo

    16 de março de 2015 às 00h31

    Foi não, Azenha! Intervenção militar, “go to hell”, etc. são atos de loucura. Mas o PT já gritou muito “fora FHC”.

Fabio

16 de março de 2015 às 00h05

SUGESTÃO DE PRONUNCIAMENTO PARA DILMA (eu pegaria ainda mais pesado):

O Governo reitera que considera democráticas e legítimas as manifestações ocorridas no Brasil neste final de semana. Nunca é demais lembrar que há poucas décadas isso era impensável no Brasil. E muitos que hoje fazem parte deste Governo lutaram muito para que, hoje, os jovens pudessem estar na rua portando seus cartazes e suas reivindicações. Outros tantos companheiros, que lutaram pelo direito do seu exercício da cidadania e democracia, não tiveram a mesma sorte e padeceram no regime totalitário.

Assim, da mesma forma que reiteramos o direito à livre manifestação, repudiamos qualquer atitude que vá de encontro aos princípios do estado democrático de direito. Portanto, repudiamos manifestações violentas, intolerância, ódio, além das manifestações que pedem a ruptura do processo democrático, golpismo e mais ainda aquelas que incitam a volta de uma ditadura no Brasil.

Só lamentamos que os manifestantes de hoje não fossem tão ativos quando o Brasil passava por outros tantos momentos ainda piores do que o que vivemos hoje. Momentos em que o Brasil passava por crises de desemprego, inflação galopante, corrupção jogada para debaixo de tapete. Vários governos se sucederam, desde a retomada da democracia, com sérios problemas estruturais, de corrupção e, principalmente, econômicos, sem que os brasileiros fossem às ruas como foram nos últimos dias. Isso nos causaria estranheza e até a suspeita de que existem outros interesses por trás dessas manifestações. Interesses econômicos e de políticos, aliados ao poder de influência da grande mídia e seus donos. Interesses estes, não tão nobres quanto aqueles defendidos pelos seus participantes, que podem inadvertidamente, estar sendo conduzidos a lutar por uma causa que não é totalmente sua (como a destruição para posterior venda da Petrobrás, que hoje administra uma reserva de 8 Trilhões de Dólares em Petróleo, o que causa “olhos grandes” em muita gente mundo afora).

Mas, por outro lado isso pode ser bom. Isso também pode estar demonstrando o quanto o Brasil mudou. Que as instituições estão mais fortes e, que, nos últimos 12 anos, temos caminhado no rumo certo para fazer o Brasil e o povo brasileiro crescer politicamente. A enorme inclusão social que promovemos nos últimos 12 anos no Brasil criou uma classe mais esclarecida, mas politizada e mais combatente na defesa de seus direitos. E, nesse sentido, o Governo do PT reitera que não compactua com a corrupção e que deseja que todos os desvios de conduta sejam investigados, dentro e fora do Governo Federal. E, para isso, este Governo foi o único que, com a valorização e aparelhamento da Polícia Federal, permitiu que todas as investigações fossem levadas a cabo, tendo a PF e o MPF total independência para agir, ao contrário do que ocorria nos governos anteriores.

Por isso, este Governo reitera seus compromissos de campanha, de continuar mudando o Brasil pra melhor. O compromisso que assumiu e que foi referendado pela maioria dos eleitores no último dia 26 de Outubro de 2014.

Deste modo, penso que as manifestações, embora legítimas, não podem ter a intenção de modificar o resultado das eleições, mas apenas reforçar a ajuda ao governo a aprimorar sua estratégia de ação futura, inclusive no enfrentamento da crise que se instalou em todo o mundo, inclusive no Brasil. Estratégia esta, que foi aprovada e referendada, repito, nas últimas eleições.

Registramos que combate à corrupção passa, acima de tudo, por uma ampla reforma política, bandeira antiga do PT, assim como o fim do financiamento privado de campanhas políticas, taxação de grandes fortunas, etc. Todos os brasileiros “de bem” devem ser favoráveis a essas medidas. Porém, sua aprovação e discussão com os demais ramos do governo, como o Legislativo não tem sido fácil e todos sabem disso, pois existem muitos interesses envolvidos. Por isso, nos entristece ver cartazes de “Fora Dilma” ou “Fora PT” quando, a despeito da existência de problemas no governo (como em todos os anteriores), nosso partido é um dos poucos que têm trazido essas questões tão importantes ao debate no âmbito do Congresso Nacional. Uma pessoa não governa sozinha, muito menos um partido. Assim, seria muito importante que as pessoas que carregam esses cartazes também cobrassem maior lisura comportamental dos seus representantes legislativos, no que tange à corrupção e às reformas necessárias, e não somente da presidenta da república ou do seu partido. A corrupção está presente em todos os ramos de atividade econômica e administrativa no Brasil (pública ou privada) e a postura honesta e correta deve ser cobrada de todos, inclusive dos membros dos poderes legislativo e judiciário (não só da presidenta ou do PT). E também da própria população. Não adianta você cobrar do governo hoje e amanha comprar uma carteira de habilitação, cometer infrações de trânsito, sonegar imposto, pagar propina para obter um documento ou autorização mais rapidamente em um órgão público, etc. O combate à corrupção começa em casa. Só com uma mudança na sociedade, vamos mudar o comportamento daqueles que nos representam. E o governo do PT, apostando na educação, na distribuição de renda, na inclusão social, está pavimentando o caminho para que isso ocorra no Brasil.

Embora estejamos apresentando sempre novos projetos e medidas de combate à corrupção, não cabe ao executivo punir corruptos. Isso é uma questão de investigação policial e processo judiciário. Cabe ao Poder Judiciário, dentro do estado democrático de direito, punir os atos de corrupção. E todos os casos de corrupção identificados, já estão sendo devidamente investigados e julgados, dada a independência dos poderes e autonomia das instituições hoje existente no Brasil.

Este Governo recebeu o mandato popular e democrático para mais 4 anos de trabalho sério, no sentido de continuar melhorando e mudando o Brasil. Assim, àqueles que desejam e panfletam pela ruptura do processo democrático, digo que, em respeito aos mais de 53 milhões de eleitores, que cumprirei meu mandato integralmente, respeitando a vontade da maioria da população brasileira que me elegeu, porém, governando para TODOS. Aos irresignados que, derrotados nas eleições, desejavam outro caminho para o Brasil, digo a eles que quero o melhor para o nosso país e peço seu respeito às instituições democráticas e aos seus compatriotas brasileiros que me deram mais um mandato, sem ódio e sem preconceito, respeitando as regras do jogo, como em toda democracia consolidada deve ser. A esses, digo que, respeitando o processo democrático consolidado neste país há décadas, deverão esperar as próximas eleições presidenciais, onde poderão, novamente, exercer seu direito universal de sufrágio, conquistado a duras penas. Até lá, o Brasil continuará no rumo certo, o mesmo rumo que melhorou a vida de milhões de brasileiros e nos proporcionou um segundo mandato eletivo (e quarto do PT).

FICA A DICA DILMA

Responder

    Leo

    16 de março de 2015 às 01h04

    Teoria da árvore envenenada. Começou o discurso errado, logo, tudo o mais está errado.
    Como assim as pessoas de hoje lutaram pela democracia!? Que estória é essa?
    Como já bem disse o senhor Gabeira, eles não lutavam por democracia, mas pela ditadura do proletariado. A democracia foi uma alternativa à ditadura militar e à pretensa ditadura de esquerda. Pena que em 30 anos estamos rodeando em círculos, tendo como centro a corrupção.

    Mário SF Alves

    16 de março de 2015 às 14h15

    Gostei muito dessa fase do hipotético discurso:

    “A corrupção está presente em todos os ramos de atividade econômica e administrativa no Brasil (pública ou privada) e a postura honesta e correta deve ser cobrada de todos, inclusive dos membros dos poderes legislativo e judiciário (não só da presidenta ou do PT). E também da própria população. Não adianta você cobrar do governo hoje e amanha comprar uma carteira de habilitação, cometer infrações de trânsito, sonegar imposto, pagar propina para obter um documento ou autorização mais rapidamente em um órgão público, etc. O combate à corrupção começa em casa. Só com uma mudança na sociedade, vamos mudar o comportamento daqueles que nos representam. E o governo do PT, apostando na educação, na distribuição de renda, na inclusão social, está pavimentando o caminho para que isso ocorra no Brasil.”

Luiz Lula

16 de março de 2015 às 00h04

Essa Direitas Já desse 15/03/15: Que pesadelo, eu que já andava de bem com meu plexo solar, agora , com essa manipulação midiática da direita se concretizando em fatos , com essa massa organizada tirando de dentro de si o pior que existe de reacionarismo, engatilhou em mim aquele velho sintoma de angustia, aquele sentimento de chute no estômago voltou….Fica uma apreensão, um busca quixotesca de solução. Busca essa que observo também no esforço de muitos muitos que aqui escreve …. Uns sugerem Fechar a Globo. Penso que no cenário atual com essa “não politização da classe trabalhadora” com a falta das novelas, e outros lixos, fechar a Globo geraria uma crise coletiva, uma síndrome de abstinência das drogas do Projac ( que invade todos os buracos das cabeças brasileiras diariamente). Da falta do Projac teríamos que passar ao Prozac. O Brasil Pátria Educadora parece estar só no slogan ou acham que educação eh só abrir escolas? O trabalho de educação cultural da classe trabalhadora e de todos, brasileiros e brasileiras, com programas de valor numa TV livre poderia ser uma grande contribuição para nos livrarmos desse mal midiático…. Os artistas verdadeiros amariam trabalhar com a educação da consciência. Mas, aqui ficamos trocando ideias e nem sabemos se D. Dilma esta a ler alguma coisa desse precioso blog. Em que sinuca a Sra Presidenta colocou nossos sonhos !!!.

Responder

Leo

16 de março de 2015 às 00h01

Se o 15 de março não foi democrático, ele deveria ter sido objeto de denúncia policial ou deveria ser proibido em sua origem! Tudo que é antidemocrático atenta contra a Constituição! Por acaso, alguém arguirá as manifestações em juízo, senhor Azenha! Até quando vamos acobertar petistas, psdebistas, etc. em detrimento do Brasil? Portanto, informe melhor seus leitores e não seja colaborador de partido, conforme bem afirmou o Rui Falcão em pleno Canal Livre. Seja um colaborador do Brasil e não de ideologias que cegam a opinião e a personalidade das pessoas!

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    16 de março de 2015 às 00h23

    Eu denuncio como antidemocrático.

    Leo

    16 de março de 2015 às 00h34

    Então o faça judicialmente! Tudo que é antidemocrático vai contra o Estado de Direito. E, portanto, deve ser levado à apreciação do Poder Judiciário.

Lucas

15 de março de 2015 às 23h59

Em tempo: “Brasil” significa “COR DE BRASA”!!!

Responder

Tio Osvaldo

15 de março de 2015 às 23h58

Dilma será sempre a “Fidel de saias” (cartaz de hj), não importa se fizer o jogo do mercado ou não.
Então que dê uma guinada para a esquerda mesmo, pois levar a culpa sem ter feito é sacanagem.
Parece meio simplista isso, mas o Brasil tem reservas não?
As regularização da midia? Essa então era pra ontem.

Responder

Marcos Martins Machado

15 de março de 2015 às 23h58

A impressão que dá é que como ocorreram escândalos no governo FHC e ele nao caiu…agora ninguem pode querer tirar a Dilma.
Se ela é incompetente, tem que sair.
Se a esquerda nao foi competente no passado para tirar o FHC…vida que segue.

Fora Dilma.

Responder

Lucas

15 de março de 2015 às 23h57

Eles odeiam Cuba porque “é uma Ditadura”, odeiam a Venezuela porque “é uma Ditadura…”, e querem de todo jeito uma intervenção militar???? Meio confuso isso hein!!

Responder

    Leo

    16 de março de 2015 às 00h45

    Meu caro, isto é a expressão do desespero! Liste os presidentes desde 1985 e verás que Itamar Franco foi o melhor de todos. E se ele tivesse recebido o país como Lula recebeu, dificilmente estaríamos na situação em que estamos hoje.

    Mas não se preocupe com esses devaneios de “intervenção militar”, pois os milicos sabem muito bem em que lugar devem estar e não é no Poder.

    Tio Osvaldo

    16 de março de 2015 às 00h48

    Hehe, realmente eles não sabem o que querem.
    Mas se for parecido com a Cuba de Batista pré-revolução iria ser exatamente o que está nos cartazes.

Euler

15 de março de 2015 às 23h56

O problema todo em relação ao PT e ao governo Dilma é que não são eles apenas os “desidratados” nessa história. Todos nós, os de baixo, seremos derrotados também. O povo brasileiro não construiu uma alternativa popular, de massa, à esquerda, até porque depositou toda a expectativa no PT, em Lula, no que deveria ser um governo popular.

É fato que houve conquistas sociais importantes nos últimos 12 anos. Mas, o PT e o governo federal desprezaram o essencial: o combate político e ideológico à direita e seus poderosos instrumentos, a começar pelo monopólio da mídia. É inaceitável que não se tenha, nesse tempo todo, tentado desmontar essa estrutura midiática golpista e canalha que nunca, em momento algum, fez qualquer concessão ao governo federal. Encheu as burras de dinheiro público – como fez em Minas com Aécio Neves – , mas lá, pelo menos, a mídia se tornou uma espécie de autarquia do governo tucano. Claro que não é isso o que desejamos para a mídia em relação ao governo federal. Mas, que houvesse o mínimo de respeito e de garantia do contraditório. Não há. Nunca houve. E o PT sabe disso, e mesmo assim foi tolerante durante 12 anos. Apanhou praticamente calado, só reagindo nas campanhas eleitorais, assim mesmo empurrado pela base.

E o pior, para nós, é que a direita tem tempo para jogar. Tem dinheiro, inclusive de grupos estrangeiros, tem mídia, tem um estado maior que pensa e age em diversas frentes, podendo errar e retomar as conspirações. Alguém imagina que essa combinação toda: operação Lava Jato a partir de um núcleo antipetista do Paraná; a estranha eleição de um blocão conservador na câmara de deputados que troca os favores do Planalto pela fidelidade a Eduardo Cunha; mais os ataques coordenados pela mídia diariamente contra o governo, tudo junto, aconteceu de forma espontânea, até culminar com as manifestações de agora?

Claro que não há nada de espontâneo nisso. Há todo um golpe sendo montado, peça por peça, e o governo completamente desorientado, agindo com amadorismo que dá dó. Dilma pode ter a melhor boa vontade do mundo e ser a pessoa mais honesta do planeta, mas ela e sua equipe parece não perceber o que está em jogo.

Já foi uma burrice sem igual ter lançado, nos primeiros dias do novo governo, um ajuste neoliberal que ataca o seguro desemprego e as pensões, aumenta o preço da energia elétrica, da gasolina, cria problemas com estudantes do FIES, tudo assim, no começo do governo. E somente depois de 4 longos meses após disputadíssima eleição é que Dilma aparece para pedir paciência ao povo brasileiro. Isso depois de uma campanha eleitoral que combateu o arrocho, o desemprego, os ajustes neoliberais, enfim. Haja paciência!

Dilma poderia até chegar nos ajustes, embora devesse buscar alternativas para não atingir aos de baixo. Deveria ter convidado os movimentos sociais para construir propostas coletivas para enfrentar a crise. Deveria ter convidado a população para um diálogo aberto. Explicar o problema da crise internacional, os problemas climáticos e construir soluções que todos poderiam até colaborar com o governo. Denunciar os ataques da Globo e da Lava Jato, que estão provocando crise econômica, afastando investidores, gerando desemprego e fazendo denúncias seletivas. Nada disso foi feito.

As manifestações de hoje e as de 2013 são o resultado da falta de comunicação, de diálogo, e acima de tudo do enfrentamento político com a direita e sua mídia. Nós estamos perdendo – nós, os que estamos no campo da esquerda e que de alguma forma apoiamos o governo federal contra o golpismo, com todas as críticas que fazemos ao governo – estamos perdendo não para a crise econômica ou para os tucanos, mas para a ausência de diálogo com a população, que foi entregue ao deleite da mídia golpista, que faz uma verdadeira lavagem cerebral diária, sem contraditório e sem concorrência.

É tão grave a permanência do monopólio da mídia, que se permitiu que fosse construído um tipo de consciente coletivo que associa corrupção com PT. Para um número muito grande de pessoas, atos de corrupção e desvios cometidos por tucanos e outros grupos não têm a menor relevância. Trensalão, mensalão tucano, caso Banestado, privataria tucana, castelo de areia, etc., nada disso importa. Para eles, só conta aquilo que de alguma forma atinge ao PT. E só o lado negativo. Mesmo os setores beneficiados pelas políticas públicas desenvolvidas pelo governo do PT foram contagiados pela voz única da mídia golpista.

Por isso, para sobreviver o governo federal terá que fazer o que não fez quando tinha condições mais favoráveis: enfrentar a mídia, enfrentar a Globo, principalmente, mas não somente. E para fazer isso sem voltar atrás, Dilma terá que se preparar previamente. Primeiro, buscando apoio nos movimentos sociais – MST, MTST, CUT, UNE, UBES, grupos e coletivos e indivíduos ligados ao campo da esquerda. Mas, para isso, tem que aceitar rediscutir sua política de governo. Não dá para aceitar ajustes em cima dos trabalhadores, enquanto os ricos são poupados.

Além do apoio nos movimentos sociais, que deveria ser costurado em torno de propostas comuns que beneficiem os setores envolvidos – os sem terra, os sem teto, os assalariados de baixa renda, os estudantes, etc. -, o governo precisa formar uma espécie de conselho político de guerra. Sim, presidenta, estamos em guerra contra forças da direita internacional e locais. Por isso é preciso formar um conselho político, um estado maior, que reúna diplomatas – e o Brasil tem alguns nomes de primeira grandeza -, o ex-presidente Lula, a quem deveria ser dada a coordenação desse conselho, representantes dos partidos aliados e movimentos sociais.

Este conselho atuaria em quatro frentes: a) nas comunicações, com Franklin Martins à frente, e com a orientação de cortar as verbas da mídia empresarial e injetar recursos na construção de mídias alternativas – portais na Internet, uma TV Brasil turbinada, NBR turbinada e com alcance nacional (vide a TV Venezuelana); banda larga para todos; rádios e TVs comunitárias, blogs, jornais de interior, enfim, um exército de comunicadores para enfrentar a mídia golpista; b) junto ao congresso, recompondo a base de apoio, o que é plenamente possível em torno de diálogo, propostas, cargos e concessões paroquiais, além da pressão popular; c) junto à Polícia Federal e à Receita Federal, redirecionando o trabalho desses órgãos para o combate à sonegação de impostos pelos ricos; vasculhar as contas do HSBC – outro objetivo, já que o Brasil precisa de dinheiro para bancar as conquistas sociais; d) junto aos movimentos sociais, formulando um plano de governo que produza efeitos imediatos com investimentos em setores que geram empregos, redução dos juros, fortalecimento da Petrobras e seu entorno, e apoio às micros e pequenas empresas, etc.

Na questão da corrupção, é preciso colocar para a população que a única forma de reduzir a prática de propinas e desvios e corrupções é através da reforma política que tenha como ponto central o fim do financiamento empresarial das campanhas eleitorais. É a população que tem que defender essa tese na porta do STF e do congresso nacional.

Talvez esteja na hora dos movimentos sociais começarem a mobilizar a população para atingir objetivos concretos, tipo: contra as medidas de ataque ao seguro desemprego e pensões – na porta do Ministério da Fazenda; pelo fim do financiamento empresarial de campanha – na porta do STF, para Gilmar Mendes destravar a votação em curso; contra os ataques a Petrobras e a indústria naval – na porta da Globo, da Band, da Itatiaia, enfim, da mídia golpista; contra o problema da falta de água em SP, na porta da Sabesp. É muito importante que a população comece a identificar os seus interesses de classe e quem são os verdadeiros inimigos do povo brasileiro. Até para não se tornar bucha de canhão de causas alheias.

Em suma, não dá mais para fingir que existe um governo de coalizão no Brasil, dirigido pelo PT. Ou o partido assume de vez que é neoliberal e convida o PSDB para uma parceria e se entrega aos braços da mídia; ou compra briga com os de cima, com sua mídia, e atende aos interesses dos de baixo, e convoca os de baixo para defender o governo. Já que a direita quer tanto transferir para o Brasil aquilo que eles chamam de “venezuelização”, não podemos decepcioná-los.

Responder

    Terezinha Siqueira

    16 de março de 2015 às 09h31

    Perfeito!

Leo

15 de março de 2015 às 23h55

O marxismo não acabou. Ele foi customizado para o século XX em diante pelo renomado pensador italiano Gramsci.

Senhores, em verdade, o artigo sobre o qual aqui comentamos apenas despreza o que ouvimos em botequins, postos de gasolina, supermercados, portas de escola, etc. A população está insatisfeita, os preços estão subindo, a gasolina saltou em três meses, a comida está mais cara, os juros aumentaram assustadoramente (e pensar que em 2013 chegamos a irresponsáveis 7,25% de Selic) e bilhões foram subtraídos da Petrobras.

Como estamos em plena democracia, não desprezem a voz da oposição, pois, quem assim o faz ruma a passos largos para um regime de exceção. Não se deixem enganar pela cega ideologia e sejam humildes brasileiros, prontos para ouvir e conversar com outros brasileiros que pensam diferente de vocês.

O Brasil está mudando e, infelizmente, constatamos que a forma como país ficou desgovernado nos últimos 12 anos tem como consequência as manifestações do dia 15 de março. Não aceitar o contraditório é sinal de soberba, arrogância e orgulho, sentimentos estes que vendam os olhos das pessoas e que atraem regimes para lá de totalitários.

Boa semana para todos.

Responder

    Mário SF Alves

    16 de março de 2015 às 14h48

    E o que é que tem Gramsci a ver com isso?

    Deixa ver se entendi.

    “O marxismo não acabou. Ele foi customizado para o século XX em diante pelo renomado pensador italiano Gramsci.”

    Ah, sim, Gramsci contribui para tirar a viseira daquele que bem ou mal intencionado apenas enxerga a realidade de modo compartimentalizado e apenas na ótica da classe dominante. Por quê? Complexo de colonizado? Herança repressiva de 400 anos de escravidão? Lavagem cerebral midiática? Quer maior anacronismo do que esse?
    Entendi.
    Em sendo assim, viva Gramsci!

    __________________________________________
    Já quanto a isso… “o que ouvimos em botequins, postos de gasolina, supermercados, portas de escola, etc. A população está insatisfeita, os preços estão subindo, a gasolina saltou em três meses, a comida está mais cara, os juros aumentaram assustadoramente (e pensar que em 2013 chegamos a irresponsáveis 7,25% de Selic) e bilhões foram subtraídos da Petrobras.”, sim, faz sentido. E apenas nesse sentido, sim, parabéns.

Angela

15 de março de 2015 às 23h29

Se falta competência na comunicação, basta pedir emprestado os 4 excelentes textos do Mauro Santayana, sobre a Marcha dos Insensatos, e distribuir para os ministros reproduzirem em suas entrevistas. Simples assim.

Responder

    Claudia

    16 de março de 2015 às 01h58

    Concordo com você, Angela.
    Santayana devia ser mais lido nesse país…

Sérgio Rodrigues

15 de março de 2015 às 23h26

Disseram: VIVA A LISTA DO HSBC!….VIA A REDE GLOBO!…

Responder

    Leo

    16 de março de 2015 às 00h53

    Dilma é chefe da Polícia Federal. Por que não criar uma Força-Tarefa para investigar as donas da comunicação? Não apenas, mas por que não investigar banqueiros, contratos de estatais, etc. ? Lembre-se: nas manifestações de 2013, as empresas de comunicação lançaram nas ruas jornalistas desconhecidos e desprovidos de logomarca. Por quê? Por que a população já não aguenta mais saber, por exemplo, que a Globo é réu em processo fiscal e não é condenada, a despeito de uma auditora fiscal ter sido demitida do serviço público por ter sumido com o citado processo.

Carlos Vieira

15 de março de 2015 às 23h25

A “viola está em cacos” e só resta infelizmente enterrar o que sobrar do governo Dilma e, por extensão, do PT. A direita agiu com grande competência para articular a manifestação gigantesca ocorrida neste domingo em todo o país e, particularmente, em São Paulo. Neste momento, não passa, certamente, pela cabeça da massa outra possibilidade de que a deposição pura e simples da presidente, por bem ou por mal. Se as manifestações não resultarem no pretendido, o inferno continuará ardendo. Não vejo escapatória para a situação. A esquerda, mais uma vez, totalmente sem capacidade de reação, mostra toda a sua incompetência na história do Brasil. O PT, como seu lídimo representante, ficou 12 anos no poder e não conseguiu conquistar “as mentes e corações” para o seu projeto e prepará-las para os percalços que pudessem ocorrer no caminho. Aliás, ao invés de injetar recursos para melhorar a qualidade do primeiro e segundo graus e ampliar as vagas no ensino público universitário , financiou as universidades particulares -muitas delas de capital americano-para “doutrinar” as classes beneficiadas pelos programas(Fies) do governo e formar “doutores” reacionários e de qualidade discutível. Muitos destes “fiesistas”, como a filha da minha vizinha, engrossaram os pelotões de ódio da manifestação. Quanta burrice! E diante do imenso poderio mediático dos opositores, se contrapõe com meia dúzia de blogs – grilos perto do gigante. Dilma e Lula correm, diante do clima de beligerância, sério risco de serem pendurados em praça pública, sem que ninguém os defenda. Tomara que eu esteja errado…

Responder

Marat

15 de março de 2015 às 23h09

E há um bando e idiotas que escreve cartazes na língua dos colonizados… Isso cheira à Padre Peyton (ou seja, cheira muito, muito mal…)

Responder

    Fabio SP

    16 de março de 2015 às 08h51

    Nas manifestações de sexta-feira tinha um bando de idiotas carregando a bandeira da Venezuela…

    Marat

    16 de março de 2015 às 11h01

    Temos muito mais a ver com a Venezuela do que com os EEUU, além do mais, a Venezuela é um país honesto e decente, que não fica inventando pretextos para iniciar guerras ou impor genocídios para os que discordam de suas ideias!
    A mente do colonizado é muito tosca: Falar grosso com Bolívia e Venezuela, e ficar de 4 pro Tio Sam…

    abolicionista

    16 de março de 2015 às 12h32

    O pior é que escrever errado:

    Vi, por exemplo, uma foto de um cartaz em que estava escrito: “Military intervention already” e outro, cartaz, ao lado desse, arriscava em alemão macarrônico: “militarische Intervention schon”.

    lulipe, caso não saiba, essas frases não fazem sentido em inglês, em alemão ou em javanês.

    Ou seja, nem como colonizados eles prestam, atabalhoam-se para macaquear a língua do colonizador que tanto admiram.

    Aliás, os jornais mundo afora noticiaram as manifestações com um misto de asco e surpresa (e aquele tantinho de hipocrisia de quem vive num país imperialista ou que teve colônias, mas fica horrorizados diante da barbárie terceiro-mundista).

Leo V

15 de março de 2015 às 22h59

“Polarização assimétrica

Em recente passagem pelo Rio de Janeiro, o filósofo Paulo Arantes apresentou algumas idéias instigantes para a caracterização dessa nova direita, ou direita radical. A partir de uma reflexão sobre o fenômeno do Tea Party, encontrou a noção de “polarização assimétrica”, para pensar como o jogo político estadunidense tem sido caracterizado pela oposição entre forças de centro interessadas na governabilidade contra uma direita intransigente e sem nenhum interesse em governar; seu único propósito é, ao contrário, inviabilizar o governo. Assim, sabe-se que a direita radical já conseguiu algumas vezes paralisar o governo Obama. Paulo Arantes propôs pensar essa nova direita brasileira a partir dessa característica de ser intransigente em seus princípios, enquanto a “esquerda oficial”, em suma o PT, transige o tempo inteiro e abandonou todos os princípios para viabilizar o governo.”

http://blogconvergencia.org/blogconvergencia/?p=3021

Responder

Apolônio

15 de março de 2015 às 22h59

Nós internautas que mourejamos nos diversos blog progressistas, temos é que continuar lutando. A democracia, o estado democrático de direito tem que ser defendido. Vamos para o face, twitter, e outros meios mais, defender não só o governo, mas as consequências que sua caída representaria para a Nação Brasileira. Nós já vivenciamos muitas tragédias a de 1954, 1964, até mesmo o governo Juscelino foi muito fustigado à época. Vamos conhecer melhor a nossa história para que essas coisas não se repitam. Nos dois governos, Getúlio e Jango, dois governos trabalhistas e reformistas, foram simplesmente encurralados e todos sabem no que deu. Devemos então evitar que essas coisas aconteçam. Nós temos dados e argumentos para defender esse governo. Temos também dados históricos, que não nos deixam mentir. Existem livros e mais livros sobre esses dois personagens de nossa história. Devemos fazer nossa parte e não ficar culpando o governo disso, ou daquilo. A situação não é tão simples como parece. O governo não tem o poder, ou o condão para resolver tudo. Vamos à luta companheiros !

Responder

Wilton

15 de março de 2015 às 22h57

Querem roubar o voto de 54 milhões de brasileiros, meia dúzia de coxinhas fascistas. Se não houver reação a altura da Dilma e do PT, podem se preparar para a guerra civil que se avizinha. Não e o que queremos mas também não podemos admitir sermos desconsiderados.

Responder

Ana

15 de março de 2015 às 22h49

Obrigada pela análise, Azenha. Simplesmente perfeita.

Responder

abolicionista

15 de março de 2015 às 22h33

O PT está pagando o pato por não ter politizado a classe trabalhadora e nem a seus próprios quadros. A única saída é o combate, mesmo que for para perder. O PT está arrastando a esquerda brasileira para uma derrota sem precedentes. A gente vem falando isso há anos, mas não adianta. O PT se deixou seduzir pelo espetáculo institucional, pela pompa e circunstância. Se a esquerda vai ser escurraçada, que o seja lutando. Mas lutando de verdade, Dilma precisa deixar de ser covarde, porque é ela infelizmente que representa a esquerda na consciência dos brasileiros. Mostre a que veio, cadê a valentia desse coração? Até agora só vi covardia, falta de brios, de dignidade. Vamos começar de novo, fazer trabalho de base, aumentar a aliança entre o partido e o povo, não há outra saída.

Responder

    Leo V

    15 de março de 2015 às 23h10

    exato!

    claudia

    15 de março de 2015 às 23h28

    A esquerda brasileira é inexistente! Restou o PCO e o PSTU, mas não tem expressão politica.

    Leo

    16 de março de 2015 às 00h13

    O brasileiro é tão desmemoriado que não se lembra da inexistência de direita no país. Procure a definição de direita e procure alguém deste perfil na política brasileira. Mas lembre-se: se atrelares equivocadamente direita ao capital, não se esqueça de que a URSS sempre teve bilionários que sustentavam o regime.

    abolicionista

    16 de março de 2015 às 02h15

    Certo, não existe esquerda nem direita puras no país, aliás, em lugar nenhum do passado, do presente ou do futuro. Então vamos falar do que existe e parar com essa idiotice? Quando penso na esquerda atual, refiro-me aos grupos que apoiam reformas de base, como reforma agrária, reforma tributária, reforma fiscal, reforma educacional, reforma administrativa, reforma urbana, etc. Por direita me refiro a quem adota uma pauta conservadora, que pede criminalização do aborto, defende privatizações, redução da maioridade penal, intervenção militar etc.

GILBERTO

15 de março de 2015 às 22h26

E dizer que tudo isso começou por aqueles 20 centavos, uma perguntinha aonde anda a líder do bloco de lutas e o próprio, como as esquerdas se sacaneiam a si próprias,ai se dar mal.Lamento tudo isso mas acho que a Dilma é uma das maiores culpadas pelo que está acontecendo, enquanto não houver democracia na mídia sempre será uma luta desigual, tem que enfrentar essa imprensa podre, caso contrário esse governo vai pro saco. Que saudades do velho Briza.

Responder

Fabio SP

15 de março de 2015 às 22h17

Mas Debi e Lóide vieram às 18:30hs para explicar a solução de todos os problemas!!!!

Meu Deus!!!!

Responder

Cláudio

15 de março de 2015 às 22h13

:
1♥2♥3♥4♥ **** 4xPT 1♥2♥3♥4♥5♥6♥7♥8♥9♥10♥11♥12♥13♥ 4xPT
Valeu, Azenha.
.
Acorde, PresidentA Dilma ! ! ! ! … que peite seu maior inimigo: a Rede Goebbels. O resto é o luar de Paquetá.
.
Sempre ouvindo As Vozes do Bra*♥S♥*il e postando:
.
**** ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
**** ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ ****
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ ****
.
************* Abaixo o PIG brasileiro — Partido da Imprensa Golpista no BraSil, na feliz definição do deputado Fernando Ferro; pig que é a míRdia que se acredita dona de mandato divino para governar.

************* Lei de Mídias Já!!!! **** “Com o tempo, uma imprensa [mídia] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma” **** Joseph Pulitzer. **** … “Se você não for cuidadoso(a), os jornais [mídias] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” **** Malcolm X. Ley de Medios Já ! ! ! ! ♥♥♥♥

Responder

    Leo

    16 de março de 2015 às 00h18

    Pensamentos ideologicamente equivocados e eivados de ódio levam a um nada existencial. Não odeie brasileiros, mas a corrupção que se instalou no PT, PSDB, nas mídias, etc. Não perca seu tempo com romantismos e com chavões criados pelos pseudos arautos da moralidade. Tenha personalidade e discuta o Brasil.

Bacellar

15 de março de 2015 às 22h11

Tem que rolar um blocão de esquerda para contrapor esse oba oba reaça. Se não forem os 150-200 mil que estiveram na Paulista hoje que seja 50tinha, tá ótimo, mas com mais presença e atitude. Algo como 3 atos em um mês mostrando aquilo que esses manifestantes “família” não conseguem; consistência. Hoje o clima próximo a paulista era de passeião de domingo…Imaginem protesto amiguxo da tropa de choque (quando eu penso que já vi de tudo)…Se tivesse caído a água que caiu sexta tinha encolhido na metade. Esses caras não tem fôlego pra repetir o ato de hoje 3 ou 4 vezes. Movimentos sociais de esquerda tem. Não deixa de ser uma jogada arriscada pois mais do que nunca esta claro que a PM paulista é agente do golpe (nos Jardins a Rocam fez um “sirenaço” que antecedeu o buzinaço e tirou muita gente dos aps, trabalham ativamente pra intimidar manifestantes nos atos de esquerda e incentivar nos dos golpistas) a PM paulista pode sim armar confusão nas manifestações de esquerda…Mas a opção de se encolher nesse momento é pedir para ser tratorado.

Responder

    Leo

    16 de março de 2015 às 00h21

    É uma pena esse sentimento de competição entre brasileiros e brasileiros. Comentário de desprezo a brasileiros iguais a você, que trabalham, pagam seus impostos, levam seus filhos às escolas e que desejam um país sem corrupção. Por que não admitir que o Governo vai mal e que seus aliados estão arrolados em peças judicias por motivo de roubo?

    Bacellar

    16 de março de 2015 às 00h38

    Puxa vida meu panglossiano compatriota Leo, de fato né? Esses brasileirinhos e brasileirinhas pagadores de impostos nessa tertúlia hiper do bem espontaneamente exercendo seu fervor cívico e nós segregacionistas aqui de maledicências…Que biltre eu sou. Perdão.

    Leo

    16 de março de 2015 às 01h10

    Mais uma vez, desprezas brasileiros. Pareces mais um membro do Partido Democrata de Obama do que um apreciador de Lula e cia.

    Nelson Soares

    16 de março de 2015 às 10h32

    Foice e martelo?

    Sério?

    Quando vc chegar ao século 21, me avisa!

    Mário SF Alves

    16 de março de 2015 às 11h14

    Bacellar,
    O apelo do Leo faria sentido se antes ele não tivesse contra argumentado o seguinte em relação ao comentário do Cláudio:
    “Pensamentos ideologicamente equivocados e eivados de ódio levam a um nada existencial. Não odeie brasileiros, mas a corrupção que se instalou no PT, PSDB, nas mídias, etc. Não perca seu tempo com romantismos e com chavões criados pelos pseudos arautos da moralidade. Tenha personalidade e discuta o Brasil.”
    Onde ele viu pensamento ideologicamente equivocado ali? E mais: eivado de ódio? Como? Qual o astrólogo que o impregnou disso?
    _________________________________________
    É apenas ingenuidade política, Leo?
    _________________________________________________________
    No mais, sim, grande parte [ou mesmo a imensa maioria] dos brasileiros que estiveram nas ruas e participaram da catarse coletiva de ontem [e… adeus contrato com o analista] o fizeram seja por medo da crise econômica [que desde a marolinha de 2008 vem sendo martelada pela mídia empresarial na cabeça de todos], seja por endividamento pessoal e por medo de perder emprego, a chance de concursos públicos ou capacidade de compra.
    É certo e é pena que ao fazerem isso se misturaram ao que há de pior na história política da humanidade, mas… ainda assim… brasileiros.
    ______________________________________________________________________
    Em síntese, é hora de contra atacar (basta escolher as armas):
    1) Regulamentação [nem que seja por decreto] do dispositivo CONSTITUCIONAL que permite a cobrança de impostos sobre as grandes fortunas, e que desde 1988 até hoje encontra-se vergonhosamente como letra morta na Constituição da República Federativa do Brasil;
    2) Auditoria da Dívida Pública Interna que anualmente joga no ralo da ambição antissocial R$ 250 bilhões do Orçamento da União à título de pagamento juros sobre a referida dívida;
    3) Reforma política de modo a fazer valer o parágrafo único do artigo primeiro da Constituição Federal de 1988;
    4) Democratização do acesso às concessões públicas de rádio e televisão;
    5) Classificar e punir como hediondos os crimes de corrupção, especialmente, os de sonegação fiscal, evasão de divisa e os de difamação política através de concessões pública de rádio e televisão;
    6) Divulgar princípios básicos de economia aos consumistas desnorteados e demais perdulários desorientados.

    Nelson Soares

    16 de março de 2015 às 14h00

    Mário SF Alves

    Rapaz,

    quanta bobagem!

    Se dependesse dos seus conselhos, esse governo já teria caído de podre…

    Bacellar

    16 de março de 2015 às 14h05

    Leo não menospreze a inteligência dos leitores do VoM. Tua tática grosseira de suavizar o golpismo aqui não cola. Sabemos como agem os ativistas virtuais de direita. Quanto ao fiscal de avatar aí eu nem comento…

    Como são toscos né Mario? aproveitando-se da democracia desta seção, que não lima comentários oposicionistas (diferente dos espaços da direita), pensam que estão criando algum tipo de contraponto. Não. Viralatismo, liberalismo e fascismo aqui tem pouquíssima permeabilidade.

Gilberto

15 de março de 2015 às 22h08

Acho que o erro nisso tudo foi o PT pensar que seria algum dia palatável a elite brasileira. Na minha visão a maioria das pessoas que participaram do ato de hoje dia 15 não são vítimas da manipulação da globo e muito menos ingênuos eles expressaram aquilo que são. Como numa espécie de delírio coletivo evocam a ameaça comunista na verdade um manto onde se esconde um fundamentalismo advindo do susto diante de um processo de igualdade engendrado pelos governos do PT. Se isso não for contrabalançado já deixa um cheiro de morte no ar. Muitos de nós já participaram de um filme semelhante. Que a Dilma e o PT se acordem.

Responder

    Vanilse Jesus

    15 de março de 2015 às 23h58

    Parabéns Gilberto, muito pertinente a sua percepção dos fatos. Disse tudo em poucas linhas.

    Leo

    16 de março de 2015 às 01h12

    Dizer que tudo é culpa da Globo é sinal de fraqueza e incompetência. Por que não cassam a licença da Globo? Pelo menos eu não a assisto!

Ralph de Souza Filho

15 de março de 2015 às 21h56

Se outro caminho não houver, diante deste discurso de nazifascistas, intolerantes e, que não aceitam a derrota como própria da natureza do processo Democrático do Estado de Direito, vamos rasgar esta Consituição e, partir, para , aquilo que Brizola conclamou Jango a fazer: O primeiro tiro não será nosso, mas, o ,segundo, não duvide, vai pipocar. Guerra Civil declarada ante estes facínoras e, aí, sim, como disse o ex-chofer de Marighella, o Trânsfuga, traidor, Crápula, Cretino, Corrupto e Vigarista, sem nenhum caráter, Aloysio Nunes Ferreira, vamos sangrar, não apenas a Dilma, mas o Brasil inteiro…

Responder

    Nelson Soares

    16 de março de 2015 às 10h35

    Mais um “macho de internet”, armado com teclado e mouse…

    Típico!

    Ralph de Souza Filho

    16 de março de 2015 às 14h57

    Assim como não lhe conheço, coloque sua ironia em lugar onde melhor lhe aprouver. Nada sabendo de mim, és, apenas um comentarista preconceituoso e cagão, pois como sabes se estou armado apenas com teclado. És prestidigitador, ilusionista ou paranormal, ou, ainda algo esotericamente similar? Eu, não me posto anônimo como grande parte dos que aqui navegam. Tenho um passado de lutas,razoavelmente substancial contra Médici e Geisel, e , se quiser sabê-lo, pesquise, levante-se, saia já de sua zona de conforto e vá à luta investigar. Onde estavas, aliás, no auge da repressão, entre dezembro de 1971 e Dezembro de 1975, quando, Vladimir Herzog, é assassinado no DOI – CODI do 2º exército, por Ednardo D’àvila Mello, General no comando, imediatamente deposto pelo luterano protestante Gorila fardado? Se duvidares é só marcares hora e lugar, pois, isto não envolve machismo e, sim, consciência política e social. Estou à sua disposição. venha calibrado…

Dilter Folha

15 de março de 2015 às 21h52

Este texto é de uma ingenuidade inacreditável, que me leva a pensar que foi proposital.

O comunismo acabou!

Embora eu entenda e concorde com os conceitos marxistas de mais valia, alienação do trabalho, estrutura e superestrutura e na luta de classes, passei a advogar que o objetivo de cada um é “passar para o lado que está ganhando a luta de classes” ou, o que é mais realista, subir alguns níveis na escala social e procurar evitar que os que ficaram para trás venham perturbar à ordem e destruir as vantagens obtidas com o suor do MEU trabalho! Para isso o objetivo deve ser: aumentar a mais valia sobre os empregados, incentivar os órgãos/instituições e conceitos da superestrutura que permitam manter o proletariado/camponeses/classe trabalhadora onde está, bem como criar mecanismos sociais de destruir a discussão sobre luta de classes, negando-a até, como faz a direita.

Dilter Folha

Responder

silvio carlos nobre

15 de março de 2015 às 21h50

A omissao e covardia do gonverno e do PT em enfrentar a #globogolpista pode, e vai, custar caro ao pais e ao proprio PT! Ja passou da hora de reagir. Com golpista nao se negocia, se combate.

Responder

    renato

    15 de março de 2015 às 22h28

    Tá preparado?

    abolicionista

    15 de março de 2015 às 22h35

    Pois é, meu caro. Estou começando a achar que é melhor a Dilma sair mesmo, mas que saia lutando. Que saia dizendo a verdade com todas as letras. E bora voltar a construir um caldo político de esquerda, desde a base.

    Leo

    16 de março de 2015 às 00h28

    Por que todas as manifestações contra o Governo são necessariamente orquestradas pela mídia, pelos banqueiros e empresários? Se isto é verdade, significa que todas as pessoas que hoje se manifestaram são manipuladas e sem opinião formada? Ora, será que isto é realmente verdade ou se trata de orgulho do Governo e de seus aliados por não admitirem que administram mal o país? Não procurem uma razão sempre estapafúrdia para todas as manifestações contra a atual presidente! Aceitem o contraditório e sejam inteligentes o bastante para formar sua própria opinião ao invés de sempre caírem no canto da sereia de “socialistas neoliberais” (quem conhece o Lula e a Dilma que os compre!).

Marat

15 de março de 2015 às 21h48

E pensar que nossa imprensa burguesa, nos tempos de FHC, dizia a todo instante que as esquerdas e os trabalhistas eram radicais e adeptos do quanto pior, melhor… Hoje, com o discurso raivoso, intolerante e pra lá de radical, essa mesma imprensa burguesa vem com o embuste e “democracia”. Ora, se querem ser hipócritas, ao menos tentem dar uma atualizada em sua inteligência. Falta de sutileza é perceptível, viu… Nem todo pobre é burro ou massa de manobra, e nó sabemos que você odeiam pobres!

Responder

    Marat

    15 de março de 2015 às 21h48

    discurso raivoso, intolerante e pra lá de radical da direta, que se diga!

    Nelson Soares

    16 de março de 2015 às 13h32

    Quer irritar um petista?

    Aja como um!

    Marat

    16 de março de 2015 às 14h21

    O Nelson… escreva isso para um petista… Mas, aproveitando a deixa: Quer irrita um pessedebista? Escreva a verdade (num jornal) sobre seus péssimos governos.. isso dá até perda de emprego!

Leo V

15 de março de 2015 às 21h45

Nem na Parada Gay catracas são liberadas.

Quando se trata de manifestantes em ato pela tarifa zero que tentam pular a catraca a polícia chega a jogar bomba de gás dentro da estação.

Mas para os manifestantes num ato da direita, o governador Alckmin libera as catracas do metrô.

Uso político da máquina pública?

http://g1.globo.com/sao-paulo/videos/t/exclusivos-do-g1/v/metro-libera-catraca-para-a-saida-de-manifestantes-no-triano-masp/4036712/

Responder

    Fabio SP

    15 de março de 2015 às 22h18

    Eu paguei… e havia filas imensas em todas as estações para a compra de bilhetes…

Silvio

15 de março de 2015 às 21h44

Não tem nem tinha alternativa para o que aconteceu. O Brasil faz parte da “globalização da miséria” e não tem como sair disto, pelo menos no curto prazo. Tem que jogar o “peso” dos ataques no próprio atacante, como fizeram muito bem o Rosseto e o Zé. No mais, é a famosa “resiliência”, tão cobrada ao candidato a emprego em entrevistas de empresas, que a presidenta é mestre, e um resto de fé no ser humano. O resto é tempestade.

Responder

Christiane Maria

15 de março de 2015 às 21h41

Concordo na íntegra com o texto e quero acrescentar que quem ainda tá segurando o tranco é a militância. Mas é uma queda de braço injusta.
Nada contra a presidenta. Ótima gestora e figura humana espetacular.

Responder

    Fabrício Alves

    15 de março de 2015 às 22h05

    Ótima gestora? Acho que voce ja pode fazer stand-up.

    Ana

    15 de março de 2015 às 22h56

    Péssima gestora (alguém pegar o país do jeito que Lula deixou e afundá-lo, é para poucos), ainda assim melhor que o outro que lá poderia estar, e figura humana exemplar.

Lukas

15 de março de 2015 às 21h38

Saudade do “FORA FHC”…

Responder

lulipe

15 de março de 2015 às 21h37

Gostaria de saber se o Azenha está satisfeito com a situação atual do país???

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    15 de março de 2015 às 21h51

    Não, mas se toda vez que eu estivesse insatisfeito fosse o suficiente para trocar o governo vocês estariam perdidos. abs

    Leo

    16 de março de 2015 às 00h40

    Sempre haverá alguém insatisfeito. Sempre! Nunca haverá consenso geral entre mais de 200 milhões de pessoas. O problema é que o nível de insatisfação está grande, já descontando toda o desvio causado pela mídia. Mas lembre-se: se a mídia antigoverno mente sobre o Governo, por que não crer que a mídia pró-governo mente sobre a oposição, inclusive a das ruas?

    lulipe

    16 de março de 2015 às 11h01

    Boa parte dos que estavam nas manifestações não são a favor do impeachment não, caro Azenha, estavam protestando contra o estelionato eleitoral e todas as medidas tomadas pela presidente, isso é democracia!!!Ah, sem esquecer que nos anos de FHC o mote mais ouvidos dos petistas era “FORA FHC”, lembra?? Abs.

FrancoAtirador

15 de março de 2015 às 21h31

.
.
O PT continua a tolerar a [Extrema] Direita
.
mas a [Extrema] Direita nunca tolerou o PT.
.
.
A Classe Média está totalmente endividada.
.
Não consegue mais trocar de carro todo ano.
.
Se o Governo Federal não aumentar o crédito,
.
a Presidente não conseguirá mais sair às ruas,
.
sem ser hostilizada por essa Manada Irracional.
.
.

Responder

    Leo V

    15 de março de 2015 às 21h47

    Pois é, o PT tolera a extrema-direita mas não tolera a extrema-esquerda.

    Ana

    15 de março de 2015 às 23h12

    Desculpe-me, Franco Atirador, pela franqueza, mas discordo de sua opinião. Não é de carro que estamos falando, e sim de seguro-desemprego, seguro-defeso e pensão por morte. Pedir para a viúva do trabalhador, dona de casa, ex-empregada doméstica ou faxineira, ganhar meio salário mínimo depois que o cidadão morrer não é o mesmo que falar de troca de carro zero. Ainda que eu ache que trocar de carro, pelo menos em SP, é mto importante e já valeria o protesto, visto o “excelente” sistema de transporte público que temos. Outro ponto que discordo é sobre quem estava no protesto. Em Sorocaba era muita gente eleitora de Dilma Rousseff, que se sentiu traída pelas medidas econômicas (eu sou uma, mas não fui ao protesto). Aqui concordamos: muita classe média. Mas… muita, muita classe C e D, que parece ter passado por um processo de lavagem cerebral. Talvez nem pareça, e sim tenha passado de fato… infelizmente. Mais uma coisa: aumentar o crédito sem emprego não vai adiantar muito. E por essas bandas, a coisa tá ficando feia mesmo. Tá fechando muito negócio e tem muita gente sem receber desde dezembro. Abraços!

    Hélio J. Pereira

    16 de março de 2015 às 08h08

    Ana deixe de “papo furado” !
    O Seguro Desemprego tinha que ser revisto sim,pois muitos recebiam este Seguro e continuavam trabalhando sem Registro,numa clara ilegalidade,incentivados por seus Patrões que mantinham o empregado pagando apenas o sálario e deixando de pagar os tributos devidos,prejudicando o INSS e o próprio trabalhador,pois ao se aposentar o tempo em que ele recebeu o Seguro não é contado pra fins de aposentadoria, Ana isto é corrupção,portanto Dilma acertou em cheio neste caso !
    Também sobre Viúvas,muitas Jovens de 20 anos ou até menos se casam com senhores idosos com idade acima de 70 anos e quando eles falecem as mulheres ficavam numa boa,recebendo a Aposentadoria por dezenas de anos sem nunca ter contribuido com a Previdência e isto também é errado e não deixa de ser uma forma de “corrupçao” que prejudica todos os que contribuem com a Previdência, Ana neste ponto Dilma também acertou,embora em alguns casos certas pessoas possam ser prejudicadas,mas elas tem a opção de procurar a Justiça e comprovarem este fato e com certeza a Justiça fara uma revisão destes casos pontuais. Ana me diga,você é a favor disto,você não acha que existem abusos neste tipo de beneficios ?
    Ana a Presidente Dilma esta de parabéns,pois combate a corrupção em todos os setores !

    FrancoAtirador

    16 de março de 2015 às 10h18

    .
    .
    Perdão, Ana, mas você escolheu
    o dia errado para protestar.
    .
    As manifestações populares
    contra as medidas recessivas
    ocorreram no dia 13, sexta.
    .
    Ontem, foi contra os vermelhos.
    .
    .


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!