VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Vinicius Mansur: Mídia permanece blindada no caso “Cachoeira”


03/04/2012 - 21h03

Dezenas de agentes ligados ao esquema do contraventor Carlinhos Cachoeira já estão sob a mira da Justiça, do Congresso, da imprensa e da opinião pública após serem citados nas investigações que deflagraram a operação Monte Carlo. Envolvimento de jornalistas, porém, não recebe os mesmos holofotes. Questionada, Veja indicou telefone de consultoria jurídica que nega trabalhar em algo relativo à revista.

por Vinicius Mansur, em Carta Maior, sugestão de Franco Atirador

Brasília – A Operação Monte Carlo resultou na prisão de 35 pessoas acusadas de envolvimento com a quadrilha da jogatina de Carlinhos Cachoeira, em Goiás. Entre os acusados, dois delegados da Polícia Federal, seis delegados da Polícia Civil goiana, um agente da Polícia Rodoviária Federal e 29 soldados, cabos e oficiais da Polícia Militar de Goiás.

A classe política também sangra com a operação. Após terem seus nomes mencionados nas investigações do Ministério Público e da Polícia Federal, os deputados Carlos Leréia (PSDB-GO), João Sandes Júnior (PP-GO) e Rubens Otoni (PT-GO) e, especialmente, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) já são alvos de diversas reportagens e de um inquérito encaminhado pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, ao Supremo Tribunal Federal (STF). Caminho parecido deve seguir o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), dadas as denúncias crescentes na mídia que expõe seus vínculos com Cachoeira.

Mais complicado, entretanto, é vir a público quais são os setores da imprensa envolvidos com a organização criminosa.

Conforme noticiou Carta Maior, partes do inquérito que deram origem a Operação Monte Carlo – publicadas na internet – citam relações promíscuas de jornalistas com a quadrilha de Cachoeira. Porém, apenas o nome de Wagner Relâmpago, repórter do programa DF Alerta, da TV Brasília/Rede TV, é explicitado.

Os três procuradores federais do Ministério Público responsáveis pelo caso – Daniel de Resende Salgado, Léa Batista de Oliveira e Marcelo Ribeiro de Oliveira – não deram maiores informações sobre o envolvimento de jornalistas. “Vamos ter que estudar isso”, limitou-se a dizer o procurador Marcelo Ribeiro.

Por meio de sua assessoria, o juiz da 11ª Vara da Justiça Federal em Goiás, Paulo Augusto Moreira Lima, que expediu os mandados da operação Monte Carlo, disse que não vai se pronunciar porque o processo corre em segredo de Justiça e só quem tem acesso a ele são as partes envolvidas e seus procuradores.

Porém, diversas outras informações, além daquelas que já são públicas devido ao vazamento de trechos do inquérito citado acima, seguem sendo meticulosamente reveladas por veículos de comunicação. Mas praticamente nada diz respeito aos jornalistas envolvidos.

Rara exceção foi o jornalista Luis Nassif, que obteve a informação de que as investigações registraram mais de 200 telefonemas entre Cachoeira e o diretor da revista Veja em Brasília, Policarpo Júnior.

No intuito de se defender, no último sábado (31), a revista tornou pública a gravação de uma conversa, que teria sido feita em 8 de julho de 2011, entre Cachoeira e o ex-agente da Abin, Jairo Martins, acusado pela Justiça de pertencer à quadrilha. Na conversa, Cachoeira cita Policarpo como “alguém que nunca vai ser nosso” e ainda afirma que foi seu grupo quem deu “os grande furos do Policarpo”,“limpando esse Brasil, rapaz, fazendo um bem do caralho pro Brasil, essa corrupção aí”.

Para Nassif, esta gravação não é suficiente para desfazer a associação da quadrilha com a revista, entre outras razões, porque foi registrada em uma época em que a antiga relação entre elas já estava esgarçada. “Há um vazamento seletivo. Por que não divulgam os demais grampos?”, indaga.

Procurada pela reportagem, a revista Veja alegou que o assunto deveria ser tratado com seu departamento jurídico. Entretanto, no telefone informado, a Novoa Prado Consultoria Jurídica afirmou que, apesar de já ter prestado serviços para a Editora Abril, nunca trabalhou em nada relativo à revista Veja.

O assunto parece mesmo proibido nos veículos da mídia tradicional, ainda que em mínimas proporções. O blog “Rádio do Moreno”, que faz parte da edição digital do jornal O Globo, teve que retirar do ar, na última sexta-feira (30), um texto do colaborador Théofilo Silva. O artigo mencionava que “o poderoso editor da revista Veja” estaria envolvido com Cachoeira e indagava “se você compra a imprensa e as autoridades públicas, o que mais falta para ser o dono do Estado?”

Na nota em que comunicou a retirada do texto, Jorge Moreno disse ter recebido “uma grave e merecida advertência do diretor de redação, Ascânio Seleme”, alegou falta de apuração e concluiu “não considero correto que um blog de jornalista agrida outro jornalista”.





39 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Altamiro Ferreira

05 de abril de 2012 às 17h06

Não, o Demostenes não pode renunciar agora e nem ser cassado muito de imediato. Deixa esta catinga ficar insuportável e ai sim, iremos ver como fica. O Ar temde ficar irrespirável para as Opinião pública e estes Senadores e Deputados Federais chegarão a conclusão que é melhor abrir um aCPI.

Responder

Delano

05 de abril de 2012 às 16h55

E o pior de tudo que a imprensa tem escondido ainda, a aliança da VEJA com Carlinhos Cachoeira para fabricar escandalos e favorer os interesses do grupo criminoso do bicheiro !
Não é possível que essa revista que tanto bancou o senador Demostenes Torres e que mantinha contatos com Carlinhos Cachoeira não sabia de nada !
Os interesses de poder do grupo Veja/Abril de e de Carlinohs Cachoeira de influenciar na política foram desmascarados não adianta mais esconder isso da população !
A mídia corrupta toda tempo fabricando escândalos dizendo que estava limpando o Brasil da corrupção , mas que no fundo estava sim , escolhendo um lado do crime para favorecer seus interesses e de grupos do crime organizado .
Quero ver quando chegar nas empresas de laboratório genéricos do Carlinhos Cachoeira , aí a casa cai de vez porque vai chegar on José Serra !

CPI da CACHOERIA JÁ ! Pra investigar a fundo e varrer do poder público esses bandidos infiltrados nos 3 poderes.
A lei que combate a corrupção precisa ser mudada ,para crime hediondo. A lei precisa ser mudada imediatamente! Corrupção precisa ser tratada pela justiça como crime hediondo e a punição precisa ser pesada !
Essa impresa corrupta que se escondem atrás da tão falada e defendida" liberdade de impresa" , e que usam desse direito democrático exatamente para cometer e esconder seus crimes, precisam ser punidos exemplarmente . Não podemos aceitar uma mídia aliada ao crime organizado , produzindo com o crime organizado escândalos na tentativa de chantagear governos , para defender os interesses de grupos criminosos políticos e empresarias . Não podemos aceitar que essa mídia manipulando a verdade para tentar enfraquecer o governo perante a sociedade e no quem sabe até realizar um golpe de estado. Queremos a punição desses corruptos da impresa , queremos a LEI DE MARCO REGULATÓRIO DEMOCRÁTICO DA COMUNICAÇÃO JÁ !

Responder

Marat

05 de abril de 2012 às 10h16

O pessoal da impren$$$a tá tão acostumado a autocensura e aos acobertamentos, que age em bloco. Dificilmente outra categoria é tão corporativa e salafrária quanto ela!

Responder

    pperez

    05 de abril de 2012 às 11h25

    Sabe quando o governo vai disputar a bola com o PIG: Quando o sargento Garcia prender o zorro!

eduardo

04 de abril de 2012 às 22h13

nitroglicerina pura na oposição cínica.cadê o maillard?????

Responder

Fernando Brito: Cachoeira é um tsunami na oposição « Blog de Osvaldo Palmeira

04 de abril de 2012 às 20h39

[…] Vinicius Mansur: Mídia permanece blindada no caso “Cachoeira” […]

Responder

Gustavo Pamplona

04 de abril de 2012 às 15h42

Vocês provavelmente viram este post do Tijolaço -> http://www.tijolaco.com/operacao-some-demostenes/

Bom… o PHA republicou em seu "Conversa Afiada" mas era aquilo que eu disse aqui outro dia… querem livrar do Mr. Demosthenes Towers (*) o mais rapidamente possível… afinal a bomba caiu no colo deles em especial na nossa querida e ultra-detestada revista (In)Veja

Agora fiquem atentos quanto ao lance da CPI… bom… diz o Marco Maia que a câmara só tem espaço para mais uma CPI…

Bom.. .entre investigar o Mr. Demosthenes e a Privataria Tucana fico com a segunda opção.

—-
Desde Jun/2007 comissionando parlamentares a inquirir no "Vi o Mundo"! ;-)

(*) Alusão a Charlie Waterfall (também conhecido como Carlinhos Cachoeira)

Responder

FrancoAtirador

04 de abril de 2012 às 14h18

.
.
LENDA URBANA: A PREMONIÇÃO
.
.
CONVENÇÃO REGIONAL DO DEMOCRATAS (DEM)

DISCURSO DO VICE-GOVERNADOR DE GOIÁS, JOSÉ ELITON JR

[youtube aBaGEGPra50 http://www.youtube.com/watch?v=aBaGEGPra50 youtube]
.
.
Os Bastidores da "Política" em Goiás

O projeto do DEM em Goiás passa por prefeituras de Anápolis e Goiânia

Do Jornal Opção

“Em política não existe cedo. Só tarde.” A frase, atribuída ao político mineiro Tancredo Neves, tem a simpatia de alguns líderes do DEM local e nacional.
Durante dezesseis anos, o partido comportou-se como coadjuvante do PSDB, nos governos de Fernando Henrique Cardoso e de Lula da Silva, e dedicou-se a eleger deputados federais e senadores. Enfraquecido pelo combate ostensivo do lulo-petismo, que sempre viu no Democratas seu principal adversário na raia ideológica, ainda que não eleitoral, os líderes do partido decidiram mudar de rota.
Querem, a partir de 2012, investir suas energias na campanha para prefeito, tanto nas capitais quanto nas principais cidades dos Estados. Em Goiás, onde é forte na cúpula e fraco na base, o DEM deve escolher algumas cidades, notadamente onde tem líderes fortes, para a realização da nova experiência. Em Rio Verde, município mais rico do Sudoeste, vai bancar a reeleição do prefeito Juraci Martins. Como praticamente não há oposição na cidade, Martins tende a sagrar-se vitorioso.
Os ideólogos do Democratas em Goiás, notadamente o deputado federal Ronaldo Caiado, o senador Demostenes Torres e o vice-governador José Eliton — jovem muito elogiado pelo governador eleito Marconi Perillo, do PSDB —, pensam em todo o Estado, mas devem concentrar esforços na Grande Goiânia e Anápolis.
Em Anápolis, o prefeito Antônio Gomide, do PT, pode ser eleito por W.O., ou seja, não comparecimento dos adversários. Por enquanto, Gomide está sozinho, sem concorrentes com sua estatura.
Por isso, no lugar de bancar algum nome que tem sido citado na mídia, as oposições devem se unir e, por assim dizer, “fabricar” um candidato.

O DEM pode bancar o empresário Wilder Pedro de Morais, suplente do senador Demóstenes Torres e dono da Orca Construtora e de um shopping em Anápolis.
Em Goiânia, a aposta é o senador Demóstenes.

Investimento
O empresário Wilder Pedro de Morais, dono da Orca Construtora, está construindo condomínios horizontais na Colômbia e hipermercados na Índia.
Dono de dois shoppings, em Goiânia e Anápolis, Wilder é suplente do senador Demóstenes Torres e tomou gosto pela política.
Mas não vai deixar de investir em negócios lucrativos.

Jânio Darrot não vai para a SIC
Um auxiliar do governador eleito Marconi Perillo diz que o deputado eleito Jânio Darrot deve parar de plantar notas nos jornais sugerindo, com alguma esperteza, que vai assumir a Secretaria da Indústria e Comércio.
Ao saber da articulação para retirar a SIC de Anápolis, os empresários da cidade se articularam e, no momento, já têm o apoio dos principais integrantes do Fórum Empresarial.

Mesmo Wilder Pedro de Morais, que tem shopping em Anápolis, não é muito bem-visto pelos anapolinos.
Eles exigem um secretário “do” município.
Marconi sabe que, se não indicar um secretário de Anápolis, pode se tornar o “Maguito Vilela 2”.

Íntegra em:

http://www.jornalopcao.com.br/posts/bastidores/o-

Responder

Luiz Moreira

04 de abril de 2012 às 13h38

Eles, que são contra punir os que praticaram a tortura durante a Ditadura Militar, poderiam agora, para sentir o "pepino", serem disponibilizados para seus herois de 64, possibilitando àqueles de se redimirem parcialmente, aplicando as técnicas que usaram nos militantes de esquerda, que corruptos nunca foram.
Então iam apelar para a DEMocracia, aquela que o TONINHO Malvadeza nunca gostou, exceto quando servia para beneficiar os grandes.

Responder

Sérgio Ruiz

04 de abril de 2012 às 12h28

Onde tá o Policarpo, quando ele vai se pronunciar?

Responder

    FrancoAtirador

    04 de abril de 2012 às 17h00

    .
    .
    O Policarpo Jr. constituiu um advogado

    para rosnar por ele na Veja On Line.

    É só acessar o Blog do Rosnaldo.
    .
    .

    Mariano Bonfin

    05 de abril de 2012 às 16h54

    Hoje no Jornal 13.15 a Venus Platinada não deu uma linha sobre o Demostenes. Começou a enrolação! Eles (Mídia) devem ter feito um trato de ninguém falar nadica de nada e deixar o assunto morrer por si.
    Mas, tem um detalhe as Redes Sociais nãot em patrões e não vão deixa barato não!

Márcio Gaspar

04 de abril de 2012 às 11h17

"Na conversa, Cachoeira cita Policarpo como “alguém que nunca vai ser nosso” e ainda afirma que foi seu grupo quem deu “os grande furos do Policarpo”,“limpando esse Brasil, rapaz, fazendo um bem do caralho pro Brasil, essa corrupção aí”." KKKK . O corrupto dizendo que está limpando o Brasil e fazendo um bem para a nação. Piada. né. Somente os leitores da VEJA acreditam nesta história.

Responder

Remindo sauim

04 de abril de 2012 às 09h21

Ou o Brasil acaba com a Veja ou a Veja acaba com o Brasil.

Responder

José Ruiz

04 de abril de 2012 às 08h18

Não faltam elementos para enquadrar esses bandidos, me refiro a políticos, membros do judiciário, policiais, jornalistas, etc. Aliás, o livro Privataria Tucana já era mais do que suficiente para, pelo menos, colocar na cadeia vários protagonistas da política brasileira. As provas são escancaradas. O que falta são culhões. Falta vergonha na cara.. no final toda essa safadeza vai ser esquecida, o Demóstenes renuncia agora e se reelege para reassumir o cargo de protetor da ética e da decência.. a "esquerda" brasileira vive o conceito de ganhar guerras sem disparar nenhum tiro.. é uma dança das cadeiras.. e o povo que se ferra..

Responder

Taiguara

04 de abril de 2012 às 08h04

Apesar da eficientíssima blindagem administrada pela primeira irmã a onda produzida pela cachoeira está se aproximando do Aócio. Mais uma vez, ao sentir a proximidade do perigo, tomou a filha como escudo e “pirulitou-se” para Paris. Seu silêncio tumular é sintomático.
http://www.novojornal.com/politica/noticia/braco-

Responder

Marcio H Silva

04 de abril de 2012 às 00h55

Pra mim tem estratégia do governo federal por trás destes vazamentos……Dilma não é boba…….nota-se que a direita tá sendo m inada em doses homeopáticas…….as operações da PF rejeitadas pelo STJ sendo enviadas para o STF. De grão em grão a galinha enche o papo…….

Responder

Cassio Guimaraes

03 de abril de 2012 às 23h37

Agora que o Demóstenes pediu afastamento o DEM apoia a CPI….. os caras não são bobos.. CPI para o caso do bicheiro não afeta a canditatura do Serra em são paulo que será uma prévia para as próximas eleições presidenciais.. ou vcs acham que o Serra não disputará para presidente? E outra, uma CPI da Privataria seria um fim político para toda a legenda PSDB/DEM… e se fizer uma não dará tempo para a outra e vice-versa.. eles vão forçar a CPI do bicho.. aliás nem o PT quer a CPI da privataria… é isto!!

Responder

    dukrai

    04 de abril de 2012 às 10h08

    correto, dos males o menor pra oposição, a CPI da privataria pega o Serra e todo o PSDB, a do Cachoeira pega o DEMOstenes, que já se estrebuchou-se com as quatro patas, o PSDB e um manezinho do PT, que pode ter entrado de gaiato na estória, tudo restrito a Goiás.

    Eduardo Mendes

    04 de abril de 2012 às 14h39

    Infelizmente não vão acabar com o PSDB todo.

    Mas já estou feliz de ver a direita afundando em Goiás.

Lenin

03 de abril de 2012 às 23h29

É o q está me incomodando.Q o PiG abafe,entendemos desde sempre;q os blogs sujos n consigam ter acesso ao amargo 'maná',preocupa -espero q seja estratégia jurídica,espero.

Responder

pperez

03 de abril de 2012 às 22h46

Vamos ver quanto tempo levará para esta cachoeira secar e o foco mudar para outro lugar!
Não dou 15 dias irão plantar outro factoide, para neutralizar este!
E assim vamos vivendo…..

Responder

Cleverton_Silva

03 de abril de 2012 às 22h42

As vestais da direita vão caindo, de pouco em pouco. Que vergonha, pig, num pé tem o crime organizado, no outro os demotucanos, e ainda por cima a Veja já se atirou no poço.

Responder

baader

03 de abril de 2012 às 22h36

o primeiro jornal brasileiro, impresso em Londres em 1808 (Correio Braziliense), já era comprado pelo monarca português D.João VI, segundo laurentino gomes no seu livro. nas pequenas cidades do interior do Brasil, ocorre o mesmo. o que esperar da mídia tradicional? e o senhor Dines continua na sua quixotesca cruzada defendendo o que seria uma imprensa. e o povo, bem, este continua a acreditar no que lê/ouve/assiste. na minha humilde opinião o problema começa na CF que obriga as autoridades a darem publicidade aos seus atos (mas não diz como). e o que fazem? despejam rios de dinheiro em agências propaganda. não por acaso o mensalão mineiro começou com um publicitário. desgraça. por uma constituinte exclusiva já!

Responder

FrancoAtirador

03 de abril de 2012 às 21h44

.
.
Revista Veja acaba de publicar, em primeira mão leve,
transcrição de um grampo de áudio feito por Cachoeira
e entregue com exclusividade ao mano Policarpo Jr.

No telefonema é captado o diálogo dos "Democratas"
sobre a desfiliação do mano Demóstenes Torres:

Demóstenes Torres: O ÚLTIMO QUE SAIR APAGA A LUZ.

ACM Neto: MAS EU NÃO ALCANÇO O INTERRUPTOR!

José Agripino: PRECISA, NÃO… JÁ ESTAMOS NAS TREVAS.
.
.
Se preferir, ouça o aúdio sem som, clicando na figura abaixo:

<img src="http://3.bp.blogspot.com/-wcrX7Y9jF3U/T1OWygd4p7I/AAAAAAAAeyU/f4f-hE42NZ0/s1600/%C3%8Dndice4577.jpg"&gt;

Responder

    roberto

    04 de abril de 2012 às 08h31

    Excelente!

    Scan

    04 de abril de 2012 às 12h21

    Valeu pela do jóquei de pônei.
    Muito boa!

Fabio_Passos

03 de abril de 2012 às 21h42

Incrível.
Esta é a mídia-corrupta do Brasil: rede globo, quadrilha veja, estadão e fsp.

Acostumados a mentir e difamar a esquerda, quando são pegos com a boca na botija servindo ao crime organizado, silenciam achando que ninguém vai saber.

Só que está por toda a rede: A revista veja faz parte da quadrilha de carlinhos cachoeira

Responder

    Armando

    04 de abril de 2012 às 10h18

    E a maioria absoluta dos jornais do país comportam de maneira servil em relação aos coronéis do poder.
    E o povo… pfff.

    Eduardo Mendes

    04 de abril de 2012 às 14h37

    Esse é o momento pra mostrar a todos que a grande mídia é parcial sim.

    Mostrar que a mídia quase não toca no assunto, mesmo mediante investigação e provas da PF.

    Mostrar que pra mídia atacar o PT, bastava a denúncia, sem uma prova sequer, de uma pessoa com caráter duvidoso.

    Mas mesmo assim é triste pensar que haverá pessoas que insistirão que a mídia é imparcial e que o PT é o partido mais corrupto.

    Fabio_Passos

    04 de abril de 2012 às 16h09

    Mais um momento.
    Também foi assim quando a direita se empenhou em salvar daniel dantas
    E quando se empenhou em esconder a roubalheira de serra na privataria tucana

Bonifa

03 de abril de 2012 às 21h36

A pressão está aumentando na Câmara. O Maia admitiu para a imprensa que pode dar CPI. O Psol se mostra com vontade de tirar a forra do mico das "vassouras moralistas".

Responder

    Peroba

    03 de abril de 2012 às 22h33

    Psol não é nada confiavel, é um grupo de pessoas que cuja finalidade é afrontar PT. É um partido da boquinha só que não tem coragem de assumir.

    Bonifa

    04 de abril de 2012 às 09h06

    A suposta inconfiabilidade do Psol não inclui voltar atrás em espaço de tempo tão curto e não apoiar a CPI. E, talvez por conta de votar frequentemente com a direita, tem boa visibilidade na televisão. O que importa é a união de forças para exigir a CPI.

Luana

03 de abril de 2012 às 21h18

BEm lembrado este artigo, porque de fato não deixa de ser curioso vazar um monte de coisas, mas não vaza nada sobre os jornalistas envolvidos e, de fato, o silêncio obsequioso da mídia assim como um assunto proibido. Quem está protegendo a mídia? Gurgel? Os Procuradores? A PF? Por que vaza umas coisas, mas o PIG envolvido não vaza nada? E a pressa de OAB e PIG pedirem a renuncia de Demóstenes para que ele suma, desapareça do assunto em pauta?

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding