VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Deputado Simão Pedro: “Será que os tucanos paulistas vão pagar para ver outra tragédia?”


24/05/2012 - 16h25

por Conceição Lemes

Lembram-se desta propaganda da época em que José Serra era governador de São Paulo?

Aprovado em 2007 pelo próprio Serra, o Plano de Expansão do Transporte Metropolitano, ou simplesmente Expansão SP 2008-2010, foi “vendido” como o maior projeto de transporte público já realizado no Brasil. Tinha ainda um slogan sedutor: mais qualidade de vida, mobilidade e desenvolvimento.

Porém, quem hoje, em 2012, usa  as linhas do Metrô paulistano e da CPTM (na capital e Região Metropolitana) sabe muito bem que há uma distância monumental entre a propaganda tucana — trens modernos, confortáveis, espaçosos, ligeiros, arejados – e a realidade vivida pela população – vagões superlotados, paradas constantes, viagens lentas, falhas.

Desde 2007, no mínimo 102 panes graves aconteceram no Metrô de São Paulo; apenas em 2012, somam 33. A da quarta-feira retrasada, 16 de maio, levou à colisão de dois trens na Linha 3-Vermelha, entre as estações Penha e Carrão. Acidente inédito nos quase 38 anos de operação do metrô paulistano, causou danos a 103 usuários (49 usuários feridos, 54 passaram mal).

Nas linhas da CPTM, foram 124 panes de 2010 a 20 de abril de 2012, sendo 33 este ano. Houve ainda atropelamento e morte de cinco funcionários (em 2011), três choques de trens (em 2012) que deixaram 54 feridos e revolta da população na estação Francisco Morato (também 2012) por causa dos atrasos constantes.

Nessas horas, invariavelmente, os sucessivos governos tucanos têm terceirizado a responsabilidade, jogando a culpa “nos outros”. Os bodes expiatórios são manjados: aumento de passageiros, falha técnica, blusa vermelha, disputa eleitoral.

Uma blusa foi colocada na porta para travar o fechamento“, disse o ex-governador Alberto Goldman (PSDB) em 21 de setembro de 2010,  quando das 7h51 às 10h40, a Linha Vermelha parou totalmente, deixando no ar a hipótese de sabotagem com fins eleitorais.

Na verdade, houve — o Viomundo denunciou, depois se comprovou — foi uma pane técnica, que fez com que a porta se abrisse fora da plataforma, em pleno túnel, entre as estações Pedro II e Sé. No dia seguinte, nova pane. Dessa vez no sistema pneumático, na estação Sé do metrô.

 No choque de trens da Linha Vermelha, o sistema eletrônico de sinalização falhou. O deputado estadual Campos Machado, líder do PTB na Assembleia Legislativa, se apressou em dizer que havia indícios de sabotagem envolvendo os trens do Metrô e da CPTM.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), que demorou a se pronunciar sobre a colisão e afirmou ter sido acidente, aderiu ontem, 23, à hipótese de sabotagem. “Os problemas que as linhas da CPTM e do Metrô vêem tendo nos últimos meses se devem a atos de sabotagem”, disse.“Tivemos casos em que os fios foram cortados e caixas de transmissão quebradas. Isso foi feito especialmente para fazer o sistema parar de funcionar.”

Curiosamente Alckmin sequer cogitou ao menos como hipótese (ou será que  se “esqueceu”?) que por trás da situação caótica do sistema metroferroviário estão cortes de investimentos feitos por ele próprio, inclusive nos serviços de manutenção, e atrasos em obras de reformas das estações da CPTM, contratos de sinalização, tração e energia.

Curiosamente o governador também “se esqueceu” de que o sistema eletrônico que falhou no acidente da Linha Vermelha é da Alstom, empresa acusada de pagar propinas para ganhar concorrências e de fechar contratos fictícios por serviços não prestados.

Explico. Em 2008, a Alstom fechou contrato com o Metrô para modernização dos sistemas de sinalização e controle para as linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha no valor de R$ 780.499.512. Portanto, a linha onde houve o choque fazia parte do pacote.

Duração:3 anos. Início: 3/julho/2008. Término: julho de 2011. Segundo dados publicados no Sigeo, foram pagos R$ 271.019.870 milhões, portanto, 34,72%.

Considerando que, pela lei, qualquer aditamento tem 20 dias para ser publicado, por que isso não ocorreu?

O que aconteceu com o contrato, virou secreto? Pesquisa no site do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo sobre esse contrato revela apenas o que está na imagem abaixo.

 

Por que a obra não foi concluída?

Qual a razão do atraso?

A Alston pagou multa por não ter cumprido o prazo?

A mudança do sistema de sinalização causou a falha?

“Na verdade, os problemas constantes nas linhas do Metrô e CPTM se devem à combinação de negligência, incompetência gerencial, irresponsabilidade e insensibilidade das sucessivas gestões tucanas”, acusa o deputado estadual Simão Pedro (PT-SP). “Quando não faltam com a verdade, tentam minimizá-la. ;É um desrespeito à inteligência das pessoas.”

“Estamos assistindo à mesma novela que antecedeu à tragédia da Linha 4-Amarela do Metrô, que matou sete pessoas em janeiro de 2007”, avisa o deputado. “Em 2006 e nos primeiros dias de 2007, nós alertamos sobre acidentes menores que estavam ocorrendo e falhas na execução da obra. Tal como agora, os tucanos fizeram pouco caso das críticas, dizendo que eram da oposição para atrapalhar a eleição do Alckmin, então candidato à presidência da República pelo PSDB. Deu no que deu, infelizmente. Será que vão pagar para ver nova tragédia?”

ALCKMIN CORTOU R$ 162 MILHÕES DA CPTM EM 2012

Ao arquitetar o plano Expansão SP, Serra priorizou a compra de trens em relação às melhorias em vias, tração, sistemas de sinalização e oferecimento de energia, que ficaram descompassadas com as composições.

Guardadas as proporções, compraram-se “carrões” para circular em estradas “esburacadas”, de terra batida, já que os serviços de manutenção das linhas e dos equipamentos não foram feitos de forma concatenada.

Resultado: trens novos em serviços “velhos”, obrigando milhares e milhares de paulistanos e paulistas a viver diariamente um verdadeiro inferno nas linhas do metrô e da CPTM.

“Não bastassem a superlotação e as panes constantes, o governo Alckmin acaba de cortar  investimentos nas linhas da CPTM”, informa o deputado estadual Alencar Santana Braga, atual líder do PT na Assembleia. “Do total de R$1,04 bilhão previsto para 2012, cortou R$ R$ 165 milhões.”

De 2003 a 2011, a CPTM deixou de investir quase R$ 1,1 bilhão a menos que a previsão. São dados oficiais do Sistema de Acompanhamento da Execução Orçamentária (Sigeo).

EM 12 ANOS, SÃO PAULO PERDEU 0 EQUIVALENTE A 25,8 KM DE METRÔ

Os cortes nos investimentos do Metrô são ainda  maiores.

Dos R$ 664,7 milhões orçados para 2011, foram executados apenas R$ 456,2 milhões. Ou seja, o Metrô deixou de investir cerca de R$ 208 milhões, ou 31% a menos do que previsto inicialmente. Os dados referem-se à rubrica recapacitação e modernização, que, segundo o Balanço do Metrô de 2011, indicam as despesas com  manutenção.

Levantamento comparando o Balanço do Metrô com o do Orçamento do Estado de 2011 revela ainda nas despesas em manutenção em todas as linhas do Metrô, inclusive na que os dois trens se chocaram.

Dos R$ 253,7 milhões previstos para a Linha 3-Vermelha foram gastos R$ 188 milhões. Ou seja, mais de R$ 65 milhões a menos — um corte de 25%.

Se considerados os investimentos na rede atual e os na ampliação de novas linhas, o corte é mais assustador. Dos R$ 4,5 bilhões orçados para 2011, só foram executados R$ 1,16 bilhão, ou seja, diminuição de quase 74%. Detalhe: 56% do R$ 1,1 bilhão (R$ 686 milhões) foram gastos exclusivamente com compras de trens.

De 1999 a 2011, os governos tucanos deixaram de investir R$ 10,3 bilhões no Metrô. Considerando que cada quilômetro de rede metroviária custa R$ 400 milhões (segundo dados do Metrô), São Paulo perdeu o equivalente a 25,8 quilômetros. É quase 30% dos 74,3 quilômetros de linhas disponíveis atualmente.

“Diante desse quadro, o governador Alckmin insinuar sabotagem chega a ser má-fé”, vai fundo Simão Pedro. “É manobra diversionista, tal como a blusa vermelha em 2010,  para tentar jogar nas costas dos outros uma responsabilidade que é única e exclusivamente do governo paulista.”

Em tempo. Como o governo paulista bloqueia a instalação de CPIs, o deputado Simão Pedro protocolou na semana passada na Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa requerimento para convocar o presidente do Metrô para dar esclarecimentos sobre o acidente e providências tomadas. Será uma ótima oportunidade para ele esclarecer a situação do contrato da Alstom para a sinalização do Metrô, inclusive da Linha 3-Vermelha.

Leia também:

Carlos Zarattini: Mais metrô, menos embromação

Gerson Carneiro: Reino fantasioso dos tucanos & Cia leva um choque

Cansou do Metrô em São Paulo? Vá de trem

Narciso Fernandes: “É mentira que estamos participando da investigação do acidente do Metrô”

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



25 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

O propinoduto do tucanato paulista - Viomundo - O que você não vê na mídia

20 de julho de 2013 às 16h06

[…] Deputado Simão Pedro: “Será que os tucanos paulistas vão pagar para ver outra tragédia?” […]

Responder

Roberto Lobo ( lobão)

08 de outubro de 2012 às 08h36

Concordo, e não é de graça !…..

Assim como o atendimento médico hospitalar, remédios distribuidos na rede pública, em campanha alguns politicos insitem em dizer que são de graça! não é engraçado pois pagamos “IMPOSTOS’ e o salario do tal de for eleito.

Responder

Jose Mario HRP

26 de maio de 2012 às 15h17

O feudo tucano já deveria ter acabado.
Mas eu não consigo enterder os paulistas!

Responder

Evaristo

25 de maio de 2012 às 17h56

Quem está sabotando o Metrô e a CPTM é o governador Geraldo Alckmin ao não fazer os investimentos necessários para que os paulistas tenham uma rede decente de Metrô e CPTM.

Responder

Alexandre Bitencourt

25 de maio de 2012 às 16h14

“Os problemas que as linhas da CPTM e do Metrô vêem tendo nos últimos meses se devem a atos de sabotagem”, disse.“Tivemos casos em que os fios foram cortados e caixas de transmissão quebradas. Isso foi feito especialmente para fazer o sistema parar de funcionar.”

Segundo um parente meu que trabalha no Metrô, esses fios estariam sendo roubados, inclusive, algumas dessas pessoas haviam sido mortas atropeladas, mas o Metrô silencia sobre essas mortes. Inclusive os funcionários haviam pedido que a PM fizesse rondas para evitar esse tipo de problema, mas a PM não aparece.
Pior é a forma de fazer a manutenção, não é feito uma manutenção correta, é improvisada, o que estariam causando falhas de energia nessa região (entre estações Penha e Vl. Matilde).

Responder

acmsouza

25 de maio de 2012 às 14h19

TRIBUTO, O BEM MAIOR DA HUMANIDADE.
Tributo é pago única e exclusivamente pelo consumidor final. Todo tributo de qualquer natureza vai 100% para o consumidor final..
Empresário de qualquer categoria não paga um único centavo de tributo, ele é, quando honesto, um digno recolhedor de tributo.
DONO DE POSTO PAGA TRIBUTO? NÃO, ELE É, QUANDO HONESTO, UM DIGNO RECOLHEDOR DE TRIBUTO.
CNPJ não paga tributo, é somente recolhedor do tributo.
Dono de posto de gasolina que é contra o tributo, pegue o seu posto e o instale em uma localização sem acesso publico.
Querer usufruir das benesses do tributo e não querer fazer sua parte é coisa de bandido.
EXISTEM SOMENTE TRÊS QUALIDADES DE INDIVIDUOS QUE SÃO CONTRA O TRIBUTO: 1- O IGNORANTE; 2 – O ESCRAVISTA; 3 – O BANDIDO.
Aqueles que querem usufruir da sociedade e das benesses que ela proporciona e não quer fazer sua parte é – digo afirmativamente: É – ESCRAVISTA BANDIDO

Responder

Roberto Locatelli

25 de maio de 2012 às 13h52

E digo mais: fornecimento de água para o estado de SP está próximo do colapso.
Eletropaulo está perto de um colapso. E o Metrô está apenas à espera de uma tragédia anunciada. Tudo culpa da blusa vermelha, segundo a pequena Sonia.

Responder

Roberto Locatelli

25 de maio de 2012 às 13h50

Tudo mentira, tudo farsa acobertada pelo PIG, que não cobra JAMAIS as promessas de Serra, Alckmin ou Kassab.

Alckmin só dá entrevistas a veículos do PIG, pois sabe que a Record, ou a Gazeta, ou a revista Carta Capital, ou a Caros Amigos, etc, cobrarão dele as promessas.

Só para lembrarmos: Heródoto Barbeiro foi defenestrado da Cultura porque questionou Serra sobre o preço dos pedágios em São Paulo. Essa é a “liberdade” de imprensa que os demotucanos querem.

Responder

Sérgio Ruiz

25 de maio de 2012 às 13h29

expansão SP da corrupção no metrô. Cerra o maior corrupto do Brasil.

Responder

Francy Granjeiro

25 de maio de 2012 às 13h12

Desemperra Gurgel
…….+ de quatro mil processos estão paralisados no gabinete do procurador-geral, o que atrapalha as investigações contra políticos acusados de corrupção

Responder

Rudá

25 de maio de 2012 às 12h37

Adoro a maneira como tratam o Metrô de São Paulo!

Fica passando a impressão que é o único no Brasil que funciona mal.
Fica até parecendo que o do Rio de Janeiro, não é um inferno que mais parece transporte de animais onde pessoas são empurradas, espremidas, assaltadas e esfaqueadas em vagões lotados.

Seria mesmo muito útil saber qual a diferença para o metro de SP e do Rio,
pois na minha humilde opinião, muda apenas os nomes das estações. E o sotaque dos passageiros.

Abro aqui o espaço para quem quiser defender esse aprazível meio de transporte do Cidadão do Rio de Janeiro que com Delta ou sem Delta vai muito mal das pernas. Levando uma maquiagem de fazer inveja ao Cesar Maia.

O que o Metrô de São Paulo tem de pior que o do Rio de Janeiro?

Responder

    Nádia

    25 de maio de 2012 às 15h16

    Compare a população de São Paulo com Rio…

abolicionista

25 de maio de 2012 às 12h21

Esse texto é irretocável. É a prova cabal do descaso do PSDB com o transporte público e com a condição de vida da população em geral. Tenho certeza de que, caso a população seja educada e tome consciência, esse partido será extinto. Por isso fazem questão de sucatear a educação. O PSDB é uma ameaça à democracia.

Responder

augusto2

25 de maio de 2012 às 09h17

Conheço empresas ligadas diretamente ao setor ferroviario/metroviario.a Alston dificilmente vai achar concorrentes efetivos aqui no pais para o que ela faz, teria que buscar propostas de fora. MAS de qualquer modo, assinado o contrato de modernizar a sinalizaçao e sistemas com significativos 700 milhoes, devia faze-lo e tem condiçoes de fazer bem.
Agora, do ponto de vista geral dos transportes na cidade temos a certeza absoluta que, se qualquer trabalhador comum da cia do metro, de repente se tornasse governador do Estado, JAMAIS assinaria contratos que levassem somente a ‘encompridar’ as linhas existentes, ou canalizar a elas os passageiros do Metrô. Isso aliás qualquer imbecil entende.Mas é basicamente isso que tem sido feito.

Responder

Marco Galo

25 de maio de 2012 às 08h55

Eles sempre dão e mesma desculpa medíocre porque sabem que tem milhares e milhares de alienados ( os que mantém esta quadrilha no poder através de seu voto )que certamente acreditarão em suas versões sem o menor senso crítico, pois burro não foi feito para pensar.

Responder

julia mattos

25 de maio de 2012 às 07h48

Eu, sinceramente, não compreendo por que o povo de São Paulo continua votando em Tucano. Meu Deus!!! Eles, com certeza, não leem…..Pudera com um transporte precário desses, chegam em casa bastante cansados. Deve ser estratégia para manter o povo desinformado e não campanha fazerem uma lavagem, capaz de fazê-los acreditar que tudo está maravilhoso. Ousar é preciso, experimentem mudar…..com certeza não vai piorar a vida de vcs. Fiquei chocada com as cenas que vi, os trabalhadores são tratados como marginais pela polícia. PENSEM e MUDEM

Responder

Cláudio

25 de maio de 2012 às 03h39

“Se você não for cuidadoso, os jornais farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” – Malcolm X (1925-1965).

“Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma.” – Joseph Pulitzer (1847-1911).

Ley de Medios, já ! ! ! Comissão da Verdade, já ! ! !

Responder

Fabio Passos

24 de maio de 2012 às 21h26

Impressionante a irresponsabilidade dos (des)governantes de São Paulo: A trupe incompetentes do psdb.

Os sabotadores são conhecidos: alckmin e serra.

E o PIG faz propaganda das mentiras destes sujeitos sem sequer corar.

Responder

Serrote

24 de maio de 2012 às 20h13

Os tucanos do governo do Estado de São Paulo não se importarão se houver um acidente em que morram duzentas ou trezentas pessoas, desde que possam culpar algum terceiro e continuar sendo eleitos. Começei utilizar o metrô no ano de 1976 e sou usuária até hoje. Utilizei também a linha da CPTM para Francisco Morato de 1999 a 2005. Aquilo que ocorre na CPTM jamais é mencionado pela imprensa, houve uma época em que eram comuns as bombas colocadas nos trens, e quem já ouviu falar nisso? Só aparece na imprensa quando um bando de vândalos criminosos e violentos (segundo a imprensa) depreda tudo. Ninguém se interessa em ver o que acontece por lá, quando muito aparece aquela linha que passa perto da avenida Berrini. A única vez que vi uma reportagem sobre a superlotação da CPTM foi aqui no Viomundo. Mas existem outras coisas além da superlotação. Um grande número de mortos é uma certeza, é apenas questão de tempo.

Responder

abolicionista

24 de maio de 2012 às 19h40

Esse texto tem que ser impresso em larga escala e distribuído na entrada das estações.

Responder

    Alexandre Bitencourt

    25 de maio de 2012 às 16h08

    É uma boa ideia, porque a maioria dos usuários quando reclamam do metrô cheio falam da Dilma, do Kassab, menos do Alckimin e do Serra. Isso é um sinal que o “trem da Dilma” que passa no programa humorístico da Globo tem o poder de manipular disfarçadamente a opinião pública.
    A grande trava do desenvolvimento brasileiro é essa mídia golpista!

joão33

24 de maio de 2012 às 18h30

será que alguem , pode iniciar uma romaria até o ministério publico em são paulo , fazer eles justificarem o salário que recebem do povo , e faze-los agir , por que é um absurdo as denuncias não darem em nada e denuncias serias e bem fundamentadas , até quando.

Responder

    Wladimir

    25 de maio de 2012 às 10h28

    Eu tenho outra sugestão João33! Que tal a alteração do nome de Ministério Público para MPTSP – Ministério Privado Tucano de São Paulo?!

    Sérgio Ruiz

    25 de maio de 2012 às 13h40

    Wladimir sua sugestão já está em vigor, 18 anos de MPE nas mãos dos demotucanos. Bandidagem em SP é o que não falta, até o PCC tem inveja dos bandidos do DEM-PSDB.

    Nádia

    25 de maio de 2012 às 15h23

    João, isso não adianta, pois, está cheio de demotucanos, tanto no poder judiciário, como MP, Assembléia, etc…todos pedidos de abertura de CPI são engavetas, há quadrilha instalada aqui em São Paulo, o correto seria a Policia Federal intervir, nós paulistas estamos sós com esses bandidos…PCC faz parte da quadrilha…


Deixe uma resposta