VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

São Paulo não põe um centavo no SAMU/192


15/07/2010 - 15h24

por Conceição Lemes

Selma Correa, 67 anos, mora na Vila Mariana, bairro de classe média alta de São Paulo. Há 15 teve um infarto agudo do miocárdio. Estava sozinha em casa.

“De repente, senti uma dor violenta e persistente no peito. Meu braço esquerdo começou a formigar e eu, a suar frio. Tive tosse e vontade de vomitar. Parecia haver algo espremendo o meu tórax”, relembra. “Desconfiei de infarto, pois uma irmã havia tido. Imediatamente desci [mora no 14º andar], peguei o primeiro táxi que passou e fui para o pronto-socorro do Hospital São Paulo. Era infarto violento. Minha pressão arterial chegou a 6 por 4 [considera-se normal 12 por 8]. O médico disse que se eu tivesse esperado mais uns minutos – de casa ao hospital são dez –, não estaria mais aqui.”

Há três anos uma amiga de Selma, Elenice Cortês, que reside no mesmo bairro, começou a passar mal enquanto conversavam ao telefone. Os filhos estavam na faculdade e o marido em viagem.

“No ato, liguei para o SAMU – o 192. Em 20 minutos a equipe chegou. Mediu pressão, ouviu o coração, colocou a Elenice no soro, conversou com a central e levou-a para o pronto-socorro. Ela teve um derrame [acidente vascular cerebral, ou AVC]”, conta Selma. “Hoje, quando vejo alguém se acidentar ou passar mal na rua ou em casa, chamo na hora o SAMU.”

Selma não é exceção. Cada vez mais o 192 é acionado. De telefone celular, fixo ou orelhão, a ligação é gratuita. SAMU é a sigla do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, programa criado em 2003 pelo governo federal. O SAMU atende o usuário na residência, na via pública e no local de trabalho.

“No Brasil, havia municípios que dispunham de alguns serviços para atender emergências pré-hospitalares”, afirma o médico Clésio Mello de Castro, coordenador geral de Urgência e Emergência, do Ministério da Saúde. “Porém, como programa do SUS [Sistema Único de Saúde], destinado a 100% da população, esse atendimento só passou a existir há sete anos, quando o SAMU foi criado.”

“Através do telefone 192, o socorro chega onde o usuário está. A equipe presta atendimento já no local, antes de chegar nospital, no menor tempo possível, salvando vidas e diminuindo seqüelas”, explica Castro. “O programa ‘enxerga’ ainda o serviço mais próximo e adequado para levá-los em seguida para diagnóstico preciso e tratamento, quando necessário. A ambulância vai direto, ganha tempo, o que é crucial em emergências.”

AMBULÂNCIA E EQUIPE ESPECÍFICAS PARA CADA SITUAÇÃO

A ambulância é a vitrine do SAMU. É a parte mais visível, a que se vê nas ruas. São 1.521 em 1.286 municípios já atendidos pelo programa. Dependendo da área, há também motos, lanchas e helicópteros.

“Quando você disca SAMU/192, está ligando para uma central de regulação, onde, além das telefonistas, há profissionais de saúde, inclusive médicos”, esclarece Castro. “O tipo de atendimento, ambulância e equipe vai depender da gravidade do caso. Há situações em que basta uma orientação por telefone.”

É o caso de uma criança que cai na escola e faz um pequeno corte na testa. Da própria central, o médico pode orientar a professora a proteger o machucado e encaminhar com o próprio carro o aluno até o hospital.

Outro exemplo: pai liga para o SAMU para saber se a dose do remédio que a criança ingeriu está adequada. Também da central, o médico orienta-o. Isso também salva vida, pois a dose errada pode ter efeitos colaterais graves.

Já se a pessoa cai da própria altura (por exemplo, escorrega na rua ou em casa), está consciente e sem fratura exposta, o médico da central envia ambulância com suporte básico, cuja equipe vai imobilizar o doente e levá-lo ao hospital mais próximo.

A ambulância de suporte básico normalmente é composta de motorista socorrista (treinado para auxiliar no atendimento) e técnico de enfermagem. Eles dão os primeiros cuidados para que este paciente não tenha prognóstico pior.

Em casos de capotamento de veículo, com perda da consciência, ou infarto, é necessário cuidado médico especializado no local. É enviada então uma UTI móvel, com médico e enfermeiro. Todos os equipamentos que existem numa UTI há nesta ambulância.

“Parte das ambulâncias do SAMU é equipada com aparelho que faz eletrocardiograma, transmite-o via telefone para uma central no Hospital do Coração [HCor], que faz a leitura e devolve o resultado”, ressalta Castro. “Todo esse processo dura, em média, cinco minutos. Ele permite diagnóstico mais preciso ainda em casa. Se confirmado infarto do miocárdio, por exemplo, a equipe do SAMU já inicia a medicação antes mesmo de levar o paciente para o hospital.”

O serviço de eletrocardiograma digital à distância é uma tecnologia de ponta e visa aos usuários do SUS. É uma parceria do Ministério da Saúde com o HCcor, em São Paulo, cujo diretor-geral é o dr. Adib Jatene. A central do hospital, com 16 cardiologistas, funciona também 24 horas por dia.

“O procedimento permite agilidade, precisão e redução do tempo de atendimento, diminuindo as sequelas e mortes por doenças cardiovasculares”, afirma o professor Adib Jatene, considerado um dos grandes cirurgiões cardíacos do país. “Pode reduzir em até 20% o número de mortes por doenças do coração.”

“O SAMU atende rápido e no local em que o paciente está”, reforça Clésio Castro. “Seguramente está salvando muitas vidas.”

“Aparentemente, o atendimento do SAMU diminui o risco de óbito no local, mas ainda não há estudos de longo prazo das vítimas após a alta”, observa Gustavo Fraga, professor e coordenador de Cirurgia do Trauma da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). “O SAMU faz o socorro pré-hospitalar. Mas isso não garante que as vítimas de trauma, que representam 25% dos atendimentos, sobreviverão depois e terão qualidade de vida. Para que o SAMU tenha impacto efetivo é preciso investir também e bastante nos hospitais de referência e na reabilitação. O SAMU resolve apenas um pedaço do problema. De qualquer forma, inegavelmente, é um avanço importante.”

TODOS OS ESTADOS CONTRIBUEM, EXCETO SÃO PAULO

O SAMU alcança 106 milhões de brasileiros. Região Sul: 17.221.962. Nordeste: 26.179.381. Centro Oeste: 10.407.577. Sudeste: 45.371.427. E região Norte: 6.550.451.

Acre, Distrito Federal, Goiás, Sergipe, Santa Catarina já têm 100% de cobertura. É provável que ainda em 2010 se torne também universal nos estados de Alagoas, Amapá, Amazonas, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul e Rio Grande do Norte.

“O financiamento do SAMU é tripartite: 50% vêem do governo federal, 25% do estado e outros 25% do município”, expõe Castro. “A participação dos três entes da federação dá mais sustentabilidade ao programa, facilita a sua manutenção e ampliação e possibilita atendimento adequado.”

Supondo que o custo anual seja de 50 milhões. À União cabem 25 milhões, ao estado, 12,5 milhões e aos municípios, outros 12,5milhões, divididos entre eles.

Todos os estados – inclusive os do Norte e Nordeste — participam da divisão de contas, exceto um: São Paulo, até recentemente governado pelo presidenciável José Serra (PSDB), ex-ministro da Saúde do governo Fernando Henrique Cardoso. São Paulo não coloca um centavo no projeto SAMU. É a opção gestora adotada pelo estado.

Portanto:

1) Todo o atendimento do SAMU em São Paulo, inclusive as ambulâncias, é custeado unicamente pelo governo federal e municípios. São 91 municípios e 32 centrais.

2) A conta dividida em dois fica então mais pesada para os municípios, que são obrigados a arcar com a parte que deveria ser do estado, aumentando os seus gastos.

3) Se São Paulo contribuísse com a porcentagem que foi pactuada, certamente a cobertura do SAMU no estado seria muito maior.

“Não temos como obrigar o estado a investir no SAMU”, atenta Castro. “Porém, é responsabilidade dele também pelo pacto tripartite. São Paulo não está cumprindo o seu papel. Esperamos que reveja a sua posição, pois facilitaria a ampliação do SAMU no estado.”

A propósito, se na sua cidade já tem o SAMU, não hesite em telefonar para o 192 nestas situações:

* Ocorrência de problemas cardiorrespiratórios

* Intoxicação

* Queimaduras graves

* Ocorrência de maus tratos

* Trabalhos de parto onde haja risco de morte da mãe ou do feto

* Tentativas de suicídio

* Crises hipertensivas

* Quando houver acidentes/trauma com vítimas

* Afogamentos

* Choque elétrico

* Acidentes com produtos perigosos

* Transferência entre hospitais de doentes com risco de morte

Não imaginam o alívio que dá, quando se vê o SAMU chegar, pois as equipes são treinadas para lidar com emergências. Esta repórter já testemunhou isso algumas vezes. A ligação para o 192, relembramos, é gratuita. Em caso de urgência, não perca tempo. Ligue IMEDIATAMENTE para o 192. Alguns minutos podem fazer a diferença entre a vida e a morte ou mais seqüelas.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



100 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

São Paulo é o único estado que não investe um centavo no SAMU/192 « A SAÚDE que temos, o SUS que queremos.

20 de julho de 2012 às 17h04

[…] dois anos o Viomundo denunciou:  São Paulo era o único estado brasileiro que não punha um centavo no SAMU/192, […]

Responder

São Paulo é o único estado que não investe um centavo no SAMU | SPressoSP

17 de julho de 2012 às 13h55

[…] dois anos o Viomundo denunciou:  São Paulo era o único estado brasileiro que não punha um centavo no SAMU/192), […]

Responder

São Paulo é o único estado que não investe um centavo no SAMU/192 « Viomundo – O que você não vê na mídia

17 de julho de 2012 às 11h28

[…] dois anos o Viomundo denunciou:  São Paulo era o único estado brasileiro que não punha um centavo no SAMU/192), […]

Responder

Cinco dias em Brasília: família, amigos, blogueiros e NaVaranda | Maria Frô

19 de setembro de 2010 às 13h34

[…] o governo do estado, junto com o do Espírito Santo e de Santa Catarina sequer investem no SAMU192. Assim, para eles saírem de Cubatão, cidade onde vivem, para tratamento em Brasília é algo que […]

Responder

Kika

01 de setembro de 2010 às 17h23

Realmente, alguém votou nos tucanos em SP.
Agora é a hora de mudar.
Nós aqui no RS, também tivemos grandes escandalos no DETRAN, e quem comandava este estado era a tucana
Yeda .Não quer largar o poder, é candidata novamente ao Piratini.

kIKA

Responder

Antonio

20 de julho de 2010 às 12h46

“Acho o Brasil infecto. Não tem atmosfera mental; não tem literatura; não tem arte; tem apenas uns políticos muito vagabundos.”
Carlos Drummond de Andrade

Responder

Carlos

20 de julho de 2010 às 08h55

"Todo o atendimento do SAMU em São Paulo, inclusive as ambulâncias, é custeado unicamente pelo governo federal e municípios. São 91 municípios e 32 centrais."

Dos 91 municípios, quantos/quais deles na Grande S. Paulo?

Responder

    clemes

    20 de julho de 2010 às 13h33

    Carlos, não sei. Consultarei o Ministério da Saúde. Depois, postarei aqui. Abs

    Conceição Lemes

    20 de julho de 2010 às 15h58

    Carlos, estes são os municípios do Estado de São Paulo que têm SAMU. Abs

    Alambari, Angatuba, Aparecida d'Oeste, Araçatuba, Araraquara, Ariranha, Aspásia, Barretos, Bauru, Campina do Monte Alegre, Campinas, Cândido Rodrigues, Carapicuíba, Catanduva, Catiguá, Colina, Colômbia, Cotia, Cubatão, Diadema, Dirce Reis, Dolcinópolis, Elisiário, Embaúba, Fernando Prestes, Ferraz de Vasconcelos, Guairá, Guareí, Guarulhos, Hortolândia, Irapuã, Itajobi, Itanhaém, Itapetininga, Itapevi, Itaquaquecetuba, Jaborandi, Jales, Jandira, Jaú, Jundiaí, Marapoama, Marília, Marinópolis, Mauá, Mesópolis, Nova Canaã Paulista, Novais, Novo Horizonte, Osasco, Palmares Paulista, Palmeira d'Oeste, Paraíso, Paranapuã, Pindorama, Piracicaba, Pirangi, Pirapora do Bom Jesus, Poá, Pontalinda, Ribeirão Preto, Rubinéia, Sales, Santa Adélia, Santa Albertina, Santa Clara d'Oeste, Santa Fé do Sul, Santa Isabel, Santa Rita d'Oeste, Santa Salete, Santana da Ponte Pensa, Santana de Parnaíba, Santo André, São Bernardo do Campo, São Carlos, São Francisco, São José do Rio Preto, São Paulo, São Vicente, Sarapuí, Sorocaba, Sumaré, Suzano, Tabapuã, Taboão da Serra, Tatuí, Três Fronteiras, Urânia, Urupês, Vargem Grande Paulista, Vitória Brasil

    Carlos

    22 de julho de 2010 às 09h27

    Gracias, Conceição.

    Só agora (22/julho) que voltei aqui.

    Caso de recolocar o assunto em destaque?

Max Tenório

20 de julho de 2010 às 00h55

Puxa vida que legal, o José Serra é culpado de tudo!!! É Culpado do mensalão do PT, É Culpado da palhaçada da Seleção na Copa, Do Ricardo Texieira, Do Garotinho e esposa, de D. Mariza ser a baranga do País, das alianças espurias com sarney, Collor, Renan, Lobão, e tantos mais, puxa vida como esse Zé Serra incomoda!!!! Ele é culpado do edividamento da Petrobrás(É a Petrobrás está no VERMELHO!!!! Pasmem!!!! As ações de Petrobrás desvalorizaram mais de 24% nos últimos meses) Claro isso é Culpa do Zé Serra e do Indio, quando já foi liberado de verbas do PAC? Quando das Obras foram concluidas? Acorda Brasil!!!!! Vamos ter o minimo de dignidade!!!!

Responder

    eduardo

    20 de julho de 2010 às 11h06

    Na verdade, Serra não é culpado de nada. Culpados são seus eleitores…

    jose

    13 de setembro de 2010 às 17h28

    Max, sinceramente eu espero que vc sofra um acidente grave e precise do serviço do SAMU! Espero que o serviço não esteja funcionando por falta de verbas estaduais e que vc morra na mão de um PM (que é um mero socorrista e não pode te dar nem uma aspirina, pq isso seria prática ilegal da medicina, e o estado de sp usa e abusa dos pms para trabalharem no lugar do samu, erro absurdo, que aumenta o serviço, já super puxado, dos pms e engana a população), ou estatelado em uma valeta, ok?
    Ah, claro, a petrobras tá falida? Afff… vai ver se eu estou na esquina, ok? Quanto a queda das ações da empresa, isso não tem relação alguma com as denuncias infundadas da plataforma enferrujada, né? coisa eleitoreira que só presta para tentar afundar a empresa, pra aí poder vender ela a preço de banana!
    Obras concluídas? opa! vamos falar então das obras prometidas e concluídas do serrote!!! o rouboanel já está completo? ou só tem metade? ah…. entendi… e a linha amarela do metrô? não era pra estar completa já faz 2 anos? oq existe atualmente? 2 estações q funcionam num horário q ninguem usa! mas que mega obra, ein?
    Alianças… meu caro, o psdb, no governo fhc estava aliado com quem mesmo? vc pode citar todos os tranqueiras?
    Mensalão? ah… aquele que surgiu em minas gerais, comandado por um nobre senador tucano de lá? conheço muito bem! Seu partidão começou com isso (lembra a compra de parlamentares para votar a favor da reeleição do fhc?) e o pt fez a merda de continuar com essa palhaçada!
    Acorda brasil? vc é o datena, ou apresentador tosco do naipe? afff… Minimo de dignidade? tenha o mínimo de dignidade votando e apoiando algum candidato que não seja sujo que nem o seu candidato, ok?

Gerson Carneiro

18 de julho de 2010 às 09h56

Só lembrando também que além de não colocar um centavo no SAMU, a gestão tucana em São Paulo pegou o dinheiro do SUS (verba federal destinada ao Estado) e aplicou na especulação financeira.

Os tucanos gostam mesmo é de aplicar o dinheiro público no mercado financeiro, em pedágios e no buraco do metrô.

Responder

Tavares

17 de julho de 2010 às 14h16

Essa atitude de não contribuir com algo tão importante para a melhoria da qualidade de vida da população, simplesmente porque foi o outro lado que fez, é típica de gente bem pequena. Viva Lula!, que teve a grandeza de adotar o Bolsa-Família e investir muito nele.

Responder

    José Aparecido Neto

    17 de julho de 2010 às 21h54

    Vocês querem mesmo saber pq SP não quis participar? Sei que nao é novidade, mas sempre vale relembrar. O PSDB faz política com as vidas das pessoas, nao aceitaram participar, pois SAMU é bandeira de outra esfera de governo. Não entraram para que não fosse possível o MinSau fazer propaganda disso em todo o Estado. É o que acontece com as UPAs também.
    No caso do Samu, vale lembrar que a desculpa é que o Estado entra com recursos, sim, só que nao repassando recursos diretamente, mas oferecendo os hospitais estaduais para que o samu leve as vítimas. Como se isso não acontecesse nos demais estados.

Jairo_Beraldo

17 de julho de 2010 às 14h04

E purque sunpaulu botaria dindin? A esfera federal coloca…ôxente!

Responder

    clemes

    17 de julho de 2010 às 17h46

    Jairo, o governo federal investe os 50% pactuados. O pepino sobra para os munícipios que implantaram o SAMU, que são obrigados a cobrir a parte do estado. Portanto, gastam mais.. E por conta do Estado de São Paulo não investir no SAMU, a área de cobertura é pequena. Ou seja, pelo fato de o estado de São Paulo não assumir a sua responsabilidade no SAMU, quem é toda a população do estado. Abs

    Jairo_Beraldo

    17 de julho de 2010 às 18h46

    Tá,Conceição…eu falei foi sacaneando, curtindo com a cara dos DEMos/tucanos…
    Quis dizer….PRA QUE COLOCAR, SE QUEM FAZ COLOCA!

    Flávio

    16 de setembro de 2010 às 11h48

    agora entendi porque na única vez que tentei usar o SAMU. não fui atendido
    Telefonei às 10,30hrs. da manhã, pedindo uma ambulancia para transportar minha esposa para o Hospital Gloria, liguei novamente ao meio dia. Nas duas ligações disseram que mandariam a ambulancia. Esperei até 18 hrs. e, vendo que o SAMU não funcionava mesmo, acabei desistindo e com acerteza de que o SAMU, não presta. Minha esposa faleceu em 16/6/2010. Moro em São Paulo e meu telefone é 11-3965-1167, meu nome é Flávio.

Milton Hayek

17 de julho de 2010 às 12h23

Até o Nassif(que é amigo dele) se desiludiu com "o mais preparado":
http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-auto-i

A auto-ilusão do Serra "faço e aconteço"
Enviado por luisnassif, sab, 17/07/2010 – 10:29
José Serra sempre cultivou essa imagem do "faço e aconteço". Sua primeira atuação como Executivo, na prefeitura e no estado de São Paulo, mostrou o contrário: não faz, nem acontece. E tem raiva de quem o obriga a se posicionar.

Durante muitos anos enganou a muito – eu, entre eles. Um artigo meu, em dezembro de 1994, ajudou a demover FHC da decisão de não trazer Serra para seu secretariado.

Até então, meia dúzia de iludidos acreditávamos que Serra era o FHC que fazia acontecer, capaz de tirar o PSDB do marasmo malaniano, capaz de encampar idéias ousadas. Com base nessa esperança, o fato de Serra só ser valente nas declarações em off era perdoado: ele não pode se expor agora, mas quando chegar ao poder terá a coragem que se exige dos grandes estadistas.

À medida que o protagonismo de um cargo executivo relevante expôs sua atuação, o que se percebeu foi que, em qualquer circunstância, fosse como coadjuvante (ministro de FHC), fosse como protagonista (governador de São Paulo) o verdadeiro Serra era titubeante, inseguro, sem idéias e sem vontade de renovar nada. Era incisivo apenas no discurso do "faço e aconteço" que foi se esmilinguindo à medida que a prática não corroborava a prosa.

A primeira decepção dos secretários de Serra com ele, foi quando se recusou a resolver o pepino do Detran (Departamento de Trânsito) que, em muitos estados, se transformou em fonte permanente de corrupção. Covistas integrantes da sua equipe jugavam ser a revanche de Covas – que foi obrigado a aceitar o jogo do Detran, na época, por falta de recursos de campanha. Para surpresa geral, Serra recusou-se a mexer no vespeiro, para não se indispor com alas da Polícia Civil.

Sua atuação no Executivo – como Ministro do Planejamento do primeiro governo FHC – foi pífia. Para fora, em conversas reservadas, apresentava-se como o sujeito pragmático, que não encarava a privatização como um fim em si próprio, mas como um meio. Para dentro – conforme revelou o próprio FHC – era um privativista arraigado………………………………………………………………………………………………………………

Responder

ed.lima

17 de julho de 2010 às 07h47

No nosso município,Patos-PB,com o SAMU-192,criou-se 80 empregos especilizados diretos,Médicos,Emfermeiros,Técnicos em Enfermagem,Condutores-socorristas,Tarms eTelefonistas,fora o envestimento indireto de custeio,gerando nestas catergorias,melhora de vida e Saúde da nossa população.Viva Lula,e o M.S na pessoa do então Ministro Humberto Costa.Dilma 2010, para continuar melhorando o BRASIL.

Responder

    José de Queiroz

    17 de julho de 2010 às 11h33

    Que legal ed.lima ter encontrado um Patoense aqui. Hoje moro em João Pessoa mas sempre visito minha querida Patos. Por sinal, o posto do SAMU fica na rua em que eu morava, no meu querido bairro São Sebastião.

    beattrice

    18 de julho de 2010 às 00h19

    Humberto Costa entra para a história como um dos melhores ministros deste governo e um dos melhores minsitros da saúde do brasil, certamente.

ed.lima

17 de julho de 2010 às 07h36

ÊLLES querem em S.P.sucatear o SAMU,para depois tercerizar p´ra UNIMED.

Responder

    beattrice

    18 de julho de 2010 às 00h19

    Aquela que foi à pique e transferiu a dívida para os médicos credenciados?

robledo

16 de julho de 2010 às 20h58

Incrível como o psdb não consegue fazer projetos sociais e nem a menos fazer valer a lei. Tudo em São Paulo foi para as mequetrefes elites.

Responder

    Mateu O'Paul

    16 de julho de 2010 às 21h19

    OOo Criatura, você quer que alguem acredite que o resto do brasil não tem também elites iguais ou até piores que São Paulo? Que mamam nas tetas do dinheiro público igual ou até mais, e se beneficiam de impunidade e vicios do judiciario para servir aos seus aliados internacionais na continuação de sua agenda de expropriação da mais valia do trabalho e dos recursos naturais. O governo Lula foi uma ruptura histórica na estrutura de poder no Brasil, mas infelizmente falta muito chão para caminhar, em todo o brasil. Falta muito estrago para corrigir e desenvolvimento para cumprir. Ou vc mora na Suiça enquanto posta perolas como esta: "Engraçado o resto do país deixa os paulistas andarem pelas suas cidades bem soltinhos sem coleira e sem focinheira, somos tão hospitaleiros." (comentário do Robledo para um post de viomundo na quinta feira 8/8/10). Não tente enganar, vc não passa de um sujeito muito Preconceituoso e altamente Ignorante que tenta se aproveitar de uma situação politica-eleitoreira para passar sua mensagem alienante e fascista. Por que vc não vai escrever os seus comentários no twiter do Nosferatu?

    beattrice

    16 de julho de 2010 às 23h48

    A postura federalista de alguns é uma piada, de mau gosto.

Urbano

16 de julho de 2010 às 20h56

Desvio de dinheiro, seja lá para o que for e como for, é a grande marca deles, que fazem oposição ao Brasil.

Responder

Wilma

16 de julho de 2010 às 20h29

Em Belém o SAMU192, funcionava a contento. Fui vitíma de atropelamento em 2006, e o atendimento não demorou, e em 15 minutos já estava recebendo os primeiros socorros. Mas o atual prefeito de Belém, pilantra, resolveu privatizar o serviço 192 e entregar a administração para um sobrinho. O MPF está no enlcalço dele, por várias irregularidades administrativas, desvio de verbas federais para a saúde. Sofreu processo de cassação do mandato, mas mais uma vez consegiu se safar. O pilantra falsificou diploma de médico, e atuava como oftalmilogista, numa ótica de sua propriedade. Mas infelizmnte, a massa da população e parte da elite safada de Belém, resolveram eleger este indíviduo,. Belém é uma cidade bonita, arborizada, mas está entregue as baratas, ratos e outras cositas mas…. , desde que este energumeno assumiu o comando da capital. Passa mais tempo em Brasília do que aqui. A última dele, é privatizar o sistema de água/esgoto. Para isso, paga um mensalinho na câmara. E a justiça faz cara de paissagem….

Responder

    beattrice

    16 de julho de 2010 às 23h49

    OS demotucanos adoram privatizar a água, basta ver o proejto SERRA-ALckmin para o Paraíba do SUl.

Miguel Baia Bargas

16 de julho de 2010 às 20h29

Conceição,

Por favor, onde que eu posso conseguir esses dados sobre a não participação do governo do Estado de São Paulo no Samu?
Gostaria de fazer um trabalho a respeito desse assunto.
Grato

Responder

Letícia

16 de julho de 2010 às 14h26

Com mais esta, fica cada vez mais clara a opção gestora do Serra…

Responder

FabioT

16 de julho de 2010 às 12h37

será que tem algo a ver com compra de ambulancias pros municipios quando o serra era min saude ?
ele entende muito disso

Responder

Antõnio Carlos

16 de julho de 2010 às 13h39

O difícil é eplicar como o estado mais rico da federal não apoia e faz funcionar um serviço tal essencial como o SAMU. O Estado de São Paulo é a colomotiva do Brasile não tem dinheiro pra um serviço importantissímo desses?

Responder

    beattrice

    16 de julho de 2010 às 23h51

    FOI a locomotiva, hoje está mais para carroça empacada, até porque só tem havido burro para puxar.

Alessandro

16 de julho de 2010 às 13h12

Serra tem coragem de dizer que vai acabar com as filas. Claro! Ele não quer que o SAMU funcionando!

Responder

Marat

16 de julho de 2010 às 07h47

Como vocês querem que eles invistam em saúde, transporte e educação, se grande parte da grana que arrecadam vai para a privataria?

Responder

Gerson Carneiro

16 de julho de 2010 às 01h19

E a turma do Serra vive a alardear que ele foi "o melhor ministro da saúde".
Talves porque como ministro, assim como falou o xerife do PSDB Sergio Guerra: "ninguém faz nada sozinho". Já como governador, quando teria que mostrar serviço sozinho…

Esse boicote paulista aos programas do governo federal é regra. A cidade de São Paulo também boicotou o Minha Casa, Minha Vida. O Governo Federal propôs o Estado doar o terreno e o Governo Federal construir as casas, mas não aceitaram. Queriam a grana.

Responder

    beattrice

    16 de julho de 2010 às 23h57

    o MS sobreviveu apesar dele, o da Educação também, alías o país sobreviveu apesar deles.

beattrice

16 de julho de 2010 às 00h58

Conceição,
eu gostaria de sublinhar o que vc registrou, que a adequação e a rapidez do primeiro atendimento é questão crucial na sobrevivência a curto prazo e na qualidade de vida a médio e longo prazo dependendo da situação clínica.
Assim, a importância do SAMU ultrapassa qualquer questão socio-econômica, pois a qualificação técnica de seus profissionais é rigorosamente controlada.

Responder

    clemes

    16 de julho de 2010 às 04h37

    Beattrice, o pessoal é muito bem treinado. E gentis. Pelo que eu constatei em algumas circunstâncias. beijo

Daniel Fatini

16 de julho de 2010 às 00h56

Os tucanos e demos não colocam um centavo porque não dá para privatizar…

Responder

beattrice

16 de julho de 2010 às 00h51

Vale a pena reiterar mais e mais:
SP NÃO SOBREVIVE a mais meio mandato tucano,
é URGENTE lutar pelo segundo turno no estado, votando em MERCA ou em SKAF, para que XUXU OPUS DEI AL-ckmin seja desmascarado.

Responder

João Pedro Nizan

15 de julho de 2010 às 23h11

Isso é uma vergonha!!!!!!! Um estado tao rico tem uma atitude tão mesquinha como essa do Serra. Não voto neste cara nem com reza brava.

Responder

Uélintom

15 de julho de 2010 às 23h07

Enquanto isso, a tentação de promover um GOLPE continua dando coceirinha na direita inconformada:

"Procuradora estuda ação que pode tirar Dilma do pleito"

no Estadão, hoje, 15/07/2010: http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,procu

Responder

Sônia Bulhões

16 de julho de 2010 às 01h31

Aqui na minha cidade são 12 viaturas do SAMU, sendo que uma é UTI. Elas rodam aprox 100 km / dia. Passam por buracos, vias alternativas, no afã de transportar os pacientes e logo estão destroçadas. Aí são encostadas em oficinas para conserto, mas tem atendido a contento a população. Antes havia duas pequeninas ambulâncias e o usuário contava com duas viaturas do Resgate 193. E era só. No início eram 15 viaturas porque dpois municípios abriram mão do serviço por não ter como custear, nem próprio recurso nem do Estado, e a pupulação foi estreando o serviço um pouco sem critérios, o que a mal acostumou. Hoje, chamam o SAMU para tudo e para nada, e, diante da entrevista de triagem, ficam às vezes revoltados e reclamam por não estar dentro dos critérios do atendimento, que em princípio é Urgência / Emergência.

Responder

josé fernandes

16 de julho de 2010 às 01h24

e os trens?? tem de falar dos trens super lotados… !!!!

Responder

    Bruno

    16 de julho de 2010 às 17h14

    Mas o cerne do artigo não são as ambulâncias?

    beattrice

    17 de julho de 2010 às 00h00

    Tanto faz, em SP nada funciona ou presta, graças à dinastia tucana que assolou o estado.

Pafúncio Brasileiro

16 de julho de 2010 às 01h24

PHA,
Esta questão de São Paulo (tucanalhas) não ajudar a financiar o SAMU, precisa ser levada à exaustão à população. Assim os Pafúncios paulistas prestarão mais atenção em quem votar nestas próximas eleições. Esta notícia do Estado de SP não bancar nada lá machuca muito a gente.

Responder

    Arthos

    16 de julho de 2010 às 11h31

    Ouviu MERCADANTE?
    Desentoca o chuchu opus dei que se faz de morto para abocanhar na manha o governo paulista…
    O chuchu não é médico, Mercadante? Não foi governador de SP? Então entende bem de SAMU… de verba destinada e desviada na área da saúde…
    Bate em cima disso, não é possível que ele não tenha um resquício de vergonha.

    beattrice

    17 de julho de 2010 às 00h01

    E pode aproveitar e bater tb na questão do Butantã que finge que produz vacinas e não produz nem o rótulo delas.

italo

15 de julho de 2010 às 22h02

Neste serviço de emergencia dão muito destaque aos bombeiroa, porém as ambulâncias dos bombeiros não contam com médicos e são menos equipadas que a do SAMU

Responder

    clemes

    16 de julho de 2010 às 01h37

    Italo, no SAMU não são bombeiros, são técnicos de enfermeiros, enfermeiros, médicos. Tem ambulâncias do SAMU que são UTI móveis. abs

Silvio - Sampa

15 de julho de 2010 às 21h21

O maior crime nisso tudo é que o funcionário público estadual fica desautorizado a acionar o SAMU em casos necessários, acredito eu. Há aproximadamente três meses, presenciei um caso de urgência médica em que seria necessária a solicitação deste tipo de serviço. Este fato ocorreu no Poupatempo Sé. Quando perguntei a um funcionário por que não tinham chamado o SAMU, ele me disse que a orientação era para acionar o SERVIÇO DE RESGATE dos bombeiros pois aquela instituição demoraria mais de uma hora para chegar. Com todo o respeito aos bombeiros. Este é o "jeito" crimeinoso de governar do PSDB.

Responder

Jorge Zimbábue

15 de julho de 2010 às 20h10

Este é o programa que o "Jênio" Zé Pedágio, o "Economista" sem diploma, quer implantar para a Saúde Pública no Brasil importado de São Paulo: investimento zero na saúde e desmantelo do SUS, sem falar no tratamento a base de porrete nos professores que ousarem pedir melhorias de salários…. Isto caso seja eleito….Ops!!! É melhor nem falar! Dilma na Cabeça! Já

Responder

tonypoeta

15 de julho de 2010 às 19h54

Como médico trabalhei em pronto socorro no interior, e afirmo: o doente que chegava do 192 , como é chamado pela enfermagem , já estava com grande parte da conduta adiantada, as vezes até com inicio de ressussitação, .era e creio ainda é, não estou mais no PS, uma tranquilidade atender estes doentes, independente da gravidade; porém não sabia que a parte do Estado de São Paulo não estava sendo honrada. É uma pena, pois se me acidentar, vou rezar para que o 192 me atenda.

Responder

jbmartins

15 de julho de 2010 às 19h43

Os Paulistas merecem o Governo que tem, se continuarem colocando Demo/tucano no poder SP vai virar piada em todo o Pais.

Responder

    beattrice

    16 de julho de 2010 às 01h03

    Não, os paulistas não merecem, ninguém merece.

    Scan

    16 de julho de 2010 às 03h27

    Ah! Merecem sim!
    Ô, se merecemos. Se elegemos esses lixos aí, o fazemos porque?

    Sou paulista e tenho vergonha.

    Mateu O'Paul

    16 de julho de 2010 às 22h30

    Camarada,
    só deve se envergonhar quem depositou seu voto nos demo-tucanos ou nos malufs da vida em alguma urna, o resto tem que se orgulhar de ser um sobrevivente resistente e obstinado na luta pelos seus direitos.
    Paulistas Levantem a cabeça e lutem pela democracia que merecemos.

    beattrice

    17 de julho de 2010 às 00h03

    Excelente apoio, SP agradece.

    beattrice

    17 de julho de 2010 às 00h03

    VOCÊ votou nessa gente?

    Carol

    16 de julho de 2010 às 09h25

    Merecem sim!
    Foram eles quem votaram no Serra.

    beattrice

    17 de julho de 2010 às 00h02

    Quem não é de SP não tem nenhuma noção do que acontece em termos midiáticos neste estado.
    Não! Não merecem. Nenhum povo merece ser enganando, ludibriado e roubado durante décadas.

Governo de SP não põe 1 centavo no serviço de emergência SAMU/192 « Blog do Artur Henrique

15 de julho de 2010 às 19h39

[…] Leia o texto, escrito pela jornalista Conceição Lemos, especializada na área de Saúde, clicando aqui. […]

Responder

Alexandre Tambelli

15 de julho de 2010 às 19h25

Conceição, Azenha! Lembro do Jornal Nacional de 2003, quando da implantação do SAMU! O Presidente LULA estava numa fábrica automotiva no ABC paulista (não lembro a marca – é a que fabrica o SAMU) e mostraram o discurso do Presidente por lá, porém, não disseram nada do que fazia por lá, simplesmente estava iniciando as operações desse serviço de saúde tão especial chamado: SAMU!

Responder

Adriano Barbosa

15 de julho de 2010 às 19h18

Só corrigindo, há uma parceria entre o SAMU da cidade de São Paulo e a Unifesp/Hospital São Paulo na realização de eletrocardiograma à distância e remoção dos pacientes para esta instituição ou para outra mais próxima.

Adriano

Responder

    clemes

    15 de julho de 2010 às 22h40

    Adriano, a parceria do Ministério da Saúde/HCor e SAMU é para todo o Brasil. Isso inclui a cidade de São Paulo. É estranho ter um convênio especifico para a regiao da Vila Clementino/Vila Mariana. O SAMU não tem ligação com a UNIFESP. O que acontece é que os usuarios acidentados naquela são levados normalmente para lá. Onde vc viu ou leu isso? Eu gostaria de saber para checar a informação. Abs

Renato

15 de julho de 2010 às 19h13

Tem que denunciar que o Estado de São Paulo também não apoia o PROJOVEM URBANO em cidades com menos de 200 mil habitantes.

Responder

Dilson

15 de julho de 2010 às 19h11

Quando estava em Maranhão,Serra prometeu um "enxovalzinho" para cada bebê em seu programa de pré natal (antes de Serra não existia acompanhamento pré natal no Brasil?).
Vai ser um enxovalzinho azul pra menino e rosa para menina?Vai ter licitação no ministério da saúde (que ele conhece tão bem) para comprar os enxovalzinhos?

Prometeu acompanhamento médico (preciso destacar de novo,ele disse "médico") para todas as grávidas.Isto é bom,é quase um modelo de saúde cubana.Falta esclarecer se o nano estado que ele prega, vai fazer concurso para novos médicos (atenção obstetras),ou se vai terceirizar o atendimento…por que é muita grávida que tem no Brasil,vai precisar de muito médico pra cumprir esta promessa.

Responder

Julio Cesar

15 de julho de 2010 às 18h55

É verdade que o SAMU é baseado no Programa Resgate, implantado por Patrus Ananias quando foi Prefeito de Belo Horizonte pelo PT?
O SAMU não é apenas um Programa de Entrega de Ambulância. Suas ambulâncias possuem Centrais Reguladoras que detectam de antemão onde há uma vaga na rede pública de hospitais, não precisando perder tempo à procura de hospitais disponíveis, o que é de fundamental importância nas grandes cidades em que o deslocamento é dificultado pelos congestionamentos de trânsito.

Responder

    clemes

    15 de julho de 2010 às 22h52

    Julio, não sei se é baseado no programa do Patrias Ananias. As ambulâncias são só a vitrine. Por tràs há uma tremenda retaguarda. POr isso, o dr. Clésio diz que o SAMU além de atender, 'enxerga' onde tem vaga para aquele caso especial, evitando que a equipe da ambulância bata de porta em porta. Abs.

    beattrice

    16 de julho de 2010 às 01h02

    O SAMU firmou o conceito de rigor técnico ao atendimento com ambulâncias que durante muito tempo eram carros com sirene e uma maca, sem nenhum tipo de atendimento especializado ou treinamento dos profissionais.

    renato

    24 de setembro de 2010 às 00h08

    Isso em SP já exisita com os bombeiros do Resgate.

Depaula

15 de julho de 2010 às 21h34

A situação é mais que vexame. Precisamos divulgar mais que o Dr. Saúde está se lixando para a saúde

Responder

dukrai

15 de julho de 2010 às 18h30

tive um acidente de moto e quebrei o fêmur. eu mesmo liguei pro Samu e chegou rapidinho. o engraçado é que um dos paramédicos foi meu aluno de cursinho comunitário.

Responder

    clemes

    15 de julho de 2010 às 21h45

    Dukrai, que bom que vc foi atendido bem. abs

Giovana

15 de julho de 2010 às 21h23

Acho que eles fazem isso de sucatear o Samu para ferrar com o governo federal, pois numa serie de reportagem feita pela Record, aparece as ambulâncias em estado deprimente, e foram medicos e funcionários que fizeram a denúncia.

Responder

João Santos

15 de julho de 2010 às 21h21

Não põe dinheiro nem no resgate e nos Bombeiros que são do próprio estado, imagina no Samu.
É assustadora a péssima condição de trabalho, poucos profissionais e equipamentos sucateados, em que se encontram as guarnições do estado de SP. Chegam ao cúmulo de esconder as viaturas em funcionamento nos fundos dos quartéis porque não tem quem as opere.
Há lugares que deveriam ter dezenas de bombeiros trabalhando que estão funcionando com turmas de 5 a 8 diariamente.
Lastimável.
Não justifica a falta de investimento no Samu, mas explica a falta de prioridade deste governo.

Responder

Lis maria

15 de julho de 2010 às 21h18

Moro na cidade de Ribeirão Pires, há dois anos tive uma problema serio de coluna que havia travada, ligamos para o samu, mais por recomendação deles deveria chamar o Corpo de bombeiros que menos de 10m ja estavam aqui em minha casa como sempre gentis, copetentes, com muita boa vontade fizeram o que deveria ter sido feito pelo Samu. Até aproveito para agradecê-los pelo carinho e atenção em que fui tratada são eles nossos anjos de guarda sempre graças a deus de plantão.

Responder

ivonildo dourado

15 de julho de 2010 às 20h35

A Bahia quando era governada pelo DEM, não participava com sua contrapartida. Hoje a Bahia no governo Wagner participa com uma contrapartida de 30%, e o Samu já tem uma cobertura de mais de 60% da nossa população

Responder

FabioT

15 de julho de 2010 às 20h27

Gostaria de saber qual a posição do governo do estado / sec saude , POR QUE ?
e o que o serra acha disso ? só falta ele dizer que foi ele que criou o samu…

Responder

    Conceição Lemes

    15 de julho de 2010 às 21h04

    Carlos, não saberia dizer. Só sei que o SAMU. Para quem mora na periferia entao é uma bênção, pois as pessoas frequentemente não têm carro. Nas horas de emergência, é um deus nos acuda pela vizinhança — principalmente de madrugada — em busca de alguém que tenha carro e ainda seja solidario. Abs

Supertramp68

15 de julho de 2010 às 17h04

SAMU é a sigla do Serviço de Atendimento Móvel de Emergência, não seria Urgencia?
De novo São Paulo. Que fixação… Quem sabe se o Merdacante, o irrevogavel, ganhar a coisa muda.
Gostaria até que ganhasse (azar de SP). Queria ver o heroi da renuncia baixar os pedagios, melhorar o metro, acabar com os engarrafamentos, pagar o SAMU. Se acontecer de ele ganhar, duvido que faça alguma dessas coisas. A vantagem vai ser não ter artigos sobre SP já que falar mal do partidinho não pega bem.

Responder

    Conceição Lemes

    15 de julho de 2010 às 21h05

    Supertramp, corrigido. Obrigada. Abs

    Antônio Carlos

    16 de julho de 2010 às 10h35

    Não se preocupe que a Folha de São Paulo, Globo e as Vejas irão ter o maior prazer de falar de qualauer administração do PT em São Paulo. OU você se esqueceu como era a imrensa na Ad. de Marta Suplicy e Lujiza Erundina (quando era PT). Embora chamar a atenção que se ficar mostrados os fatos reais (mesmo ruim) é o que toda imprensa séria deve e devia ter feito no passado. Aqui me Sergipe (menor etado da Federação), que não é o estado mais rico da federação, o SAMU já funciona faz tempo com a participação dos três poderes.

vantuil

15 de julho de 2010 às 16h47

Serra vai dizer: Será mais um veículo no tansito de São Paulo, e ambulância é coisa de pobre, os paulistas não precisam.

Responder

Conceição Lemes

15 de julho de 2010 às 16h32

Carlos, era já era o dr. Luiz Roberto Barradas Barata. Ele assumiu em janeiro de 2003. Abs

Responder

    Carlos

    15 de julho de 2010 às 20h30

    Pelo menos em tese, secretário orienta mas não delibera…

    Que se manifestem a oposição na ALESP e as entidades vinculadas à saúde (CRM, Associação Médica, sindicatos, centrais sindicais…).

    A política isolacionista do governo de SP é emblemática, reveladora.

    A propósito: como votaram os tucanos de SP em relação à CPMF?

    beattrice

    16 de julho de 2010 às 00h53

    Carlos, desde o des-governo COVEIRO a oposição só tem direito, quando muito ao jus esperneandi na ALESP, que vive dominada pelo chicote tucano.

trombeta

15 de julho de 2010 às 19h29

Como se sabe o paulista é um dos únicos povos do planeta que vota e defende, ardorosamente, o direito do patrão chupar o sangue do trabalhador, não larga a turma demo-tucana nem que a Larissa Riquelme (a gostosa paraguaia da copa) resolva num ato de extrema generosidade liberar…

Pra que dinheiro público pra carregar pobre pro hospital?

Responder

    Paulo Vitor

    15 de julho de 2010 às 21h09

    Com tantos pedágios, fica financeiramente inviável para o governo de São Paulo pagar por estes serviços.

    Roseli

    16 de julho de 2010 às 04h50

    morri de rir com seu comentario!!!

Carlos

15 de julho de 2010 às 18h40

" 3) Se São Paulo contribuísse com a porcentagem que foi pactuada, certamente a cobertura do SAMU no estado seria muito maior."

Conceição

Quando tal pacto foi firmado e quem era o secretário de Saúde de SP então?

Responder

    Carlos

    15 de julho de 2010 às 19h24

    Distraído, só agora prestei atenção: Samu foi criado em 2003…

    Assembléia Legislativa de SP tinha conhecimento de tal política isolacionista?
    Algum jornal denunciou o fato?

    Conceição Lemes

    15 de julho de 2010 às 20h01

    Carlos, não saberia dizer. Só sei que o SAMU. Para quem mora na periferia entao é uma bênção, pois as pessoas frequentemente não têm carro. Nas horas de emergência, é um deus nos acuda pela vizinhança — principalmente de madrugada — em busca de alguém que tenha carro e ainda seja solidario. Abs


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.