VIOMUNDO

Diário da Resistência


Rogério Correia: Dr. Janot, por obra de Aécio, a Cemig foi vendida de bandeja à Andrade Gutierrez, que banca suas campanhas. Investigue!
Denúncias Falatório

Rogério Correia: Dr. Janot, por obra de Aécio, a Cemig foi vendida de bandeja à Andrade Gutierrez, que banca suas campanhas. Investigue!


09/10/2015 - 16h10

Aécio e Andrade Gutierrez

Publicada originalmente em 9 de outubro de 2015

por Rogério Correia e Ilson Lima, especial para o Viomundo

O deputado Rogério Correia (PT) se reúne na terça-feira (13/10) com o promotor Eduardo Nepomuceno,  titular da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público do Ministério Público do Estado de Minas Gerais, a quem entregará documentação referente às nebulosas transações entre a Cemig e a empreiteira Andrade Gutierrez. O parlamentar irá, objetivamente, contribuir no processo em andamento naquela promotoria, que estava em banho-maria, mas que com a Operação Lava-Jato voltou com carga total nos últimos dias.

Não é à toa que mensagens trocadas entre executivos da Andrade Gutierrez pelo WhatsApp* — interceptadas na Operação Lava-Jato — os mostram em franca torcida pela vitória do tucano Aécio Neves na eleição presidencial. Sob a mira da 14ª fase da Lava-Jato desde junho passado, a Andrade Gutierrez foi a maior doadora de recursos da campanha do senador Aécio Neves em 2014. Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam que a empreiteira fez 322 doações ao então candidato tucano à Presidência que somaram mais de R$ 20 milhões.

Há entre um e outro antigas e estreitas relações que remontam ao governo Eduardo Azeredo (1995/1998). Em 1997, um acordo de acionistas possibilitou que a American Electrical Systems (AES) se apropriasse de um terço das ações ordinárias da Cemig, além de ter outros privilégios contratuais que lhe davam controle da empresa. Tudo fazia parte do plano de privatização da estatal, preparado pelo governo Eduardo Azeredo, seguindo as políticas do então presidente FHC, conforme ficou bem-exposto no livro “A Privataria Tucana”,  do jornalista Amaury Ribeiro Júnior.

A privatização da Cemig foi interrompida durante o governo Itamar Franco (1999-2002), que conseguiu na Justiça derrubar o acordo de acionistas, ainda que a AES tenha mantido sua participação na estatal como sócia minoritária. O projeto de privatização foi retomado no período Aécio Neves e Antonio Anastasia (2002/2014), quando entrou em cena a Andrade Gutierrez. As partes nebulosas da transação surgem nos detalhes do esquema montado pelos tucanos.

Para viabilizar o negócio, a Cemig comprou, em 2009, a participação da Andrade Gutierrez na Light  do Rio de Janeiro por R$ 785 milhões, pagos à vista. A Andrade Gutierrez, por sua vez, deu R$ 500 milhões de entrada na compra de 33% das ações ordinárias da estatal mineira, ficando o restante do valor da compra, no total de R$ 1,6 bilhão, para pagamento em 10 anos com a emissão de debêntures a serem adquiridos pelo BNDES, a juros e taxas facilitadas.

Na prática, a Andrade Gutierrez fez um negócio da China. De 2010 a 2013, recebeu mais de R$ 1,7 bilhão em dividendos da Cemig. O poder da empreiteira na estatal não se restringe à participação nesse item. No acordo de acionistas a Andrade Gutierrez garantiu, por meio de artifícios embutidos no documento, o direito de indicar seu representante na Diretoria de Desenvolvimento de Negócios e Controle Empresarial das Controladas e Coligadas, que simplesmente é quem conduz os investimentos da Cemig, em especial as grandes construções.

Em quatro anos, a Andrade Guiterrez já havia recebido mais de R$ 1,7 bilhão de dividendos por sua participação como acionista da estatal

Um outro negócio questionável realizado pela Cemig nos últimos anos é o que redundou na aquisição da Usina Hidrelétrica (UHE) de Santo Antônio, localizada em Rondônia. A Cemig já detinha uma participação de 10% na Usina, pela qual investira R$ 610 milhões. Posteriormente, a estatal comprou a parte da Andrade Gutierrez na usina, o equivalente a 83%, pelo qual pagou R$ 835 milhões.

Como a usina vinha registrando prejuízos recorrentes, além de ter recebido por sua participação como acionista, a Andrade Gutierrez recebeu os pagamentos referentes ao seu trabalho na construção da UHE.

Para o diretor do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Energética de Minas Gerais (Sindieletro/MG) Marcelo Correia a Andrade Gutierrez tem hoje todo o controle da Cemig, inclusive o de ter informações privilegiadas sobre os negócios envolvendo investimentos da estatal. “Há um enorme conflito de interesses nesse caso, o que, para nós, do sindicato, é irregular e ilegal”, observa.

Ele  disse que os trabalhadores do setor e a população brasileira aguardam o encaminhamento das investigações e que os negócios nebulosos da estatal com a empreiteira venham a público.

Em resumo, a Andrade Gutierrez tem o retorno de 100% do lucro em dividendos e o direito de dirigir os investimentos da estatal por até 30 anos. A pergunta que não cala é por que o Estado de Minas Gerais assinou um acordo em que não há nenhuma cláusula que lhe dê direitos ou vantagens, mas somente obrigações e garantias para a empreiteira.

O acordo feito com a Andrade Gutierrez foi um prato cheio para os governadores tucanos Aécio e Anastasia, que obtiveram vultosas doações em suas campanhas, para a presidência e para o senado, respectivamente.

Andrade Gutierrez é a que doou mais recursos às campanhas presidenciais. De um total de R$ 23 milhões, mais de R$ 20 milhões foram para a de Aécio Neves

Andrade Gutierrez é a que doou mais recursos às campanhas presidenciais. De um total de R$ 23 milhões, mais de R$ 20 milhões foram para a de Aécio Neves

Com essas informações sobre a participação daAndrade Gutierrez nos negócios da Cemig, compreende-se exemplarmente como ocorre em nosso País a apropriação do público pelo privado, como uma estatal lucrativa como a Cemig foi entregue de bandeja primeiramente para a AES e, posteriormente, para a Andrade Gutierrez, que nunca ao menos foram fiscalizadas pelos poderes públicos nos últimos 20 anos, desde o governo Eduardo Azeredo.

Entende-se, também, porque os executivos da Andrade Gutierrez torceram tanto pela vitória de Aécio na última eleição presidencial. E torceram até o último minuto, porque davam como ganha a eleição que perderam nos minutos finais da prorrogação. É singular o apoio revelado no WhatsApp pelos executivos da empreiteira, por meio das mensagens, nas quais a presidente é chamada de “poste” e de “presidanta”.

Pelo grupo os executivos Fávio Barra e Elton Negrão de Azevedo Júnior, ambos presos na Operação Lava-jato, trocam mensagens com seus colegas durante a apuração eleitoral passada, nas quais lê-se coisas do tipo: “fora, sapa com cara do Satanás”, se referindo à candidata Dilma Rousseff, ou, “…Agora o homem (Aécio) moeu a gorda (Dilma) de perna aberta”, afirma um dos executivos.

Na opinião do deputado estadual Rogério Correia, líder do Bloco Minas Melhor na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, não há como ficar impune uma transação desse porte, em que uma estatal como a Cemig é utilizada para jorrar lucros vultosos para a iniciativa privada, em proveito da candidatura tucana de Aécio Neves e tudo ficar por isso mesmo.

“O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, tem que adotar o mesmo procedimento dado às outras investigações. Afinal, já entreguei a ele em mãos esta e outras denúncias. Não apurar isso é esconder muita sujeira debaixo de pouco tapete”, concluiu o parlamentar.

*Rogério Correia é deputado estadual (PT-MG)  e líder do Bloco Minas Melhor na Assembleia Legislativa. Ilson Lima é jornalista

 [A sobrevivência do Viomundo depende da contribuição dos leitores. Seja um assinante nosso!]

*Mensagens trocadas por executivos da Andrade Gutierrez, publicadas pelo Estadão:

msgandrade1 msgandrade2 msgandrade3 msgandrade4 msgandrade5

 

Leia também:

MP de Minas acolhe representação contra fascistas que atacaram velório de Dutra 

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



22 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Carlos Furtado

14 de outubro de 2015 às 12h40

Quem vendeu as ações para a Andrade Gutierrez foi o BNDES, que as tinha assumido depois que Itamar Franco rompeu o acordo com a AES e o banco assumiu. Não acho adequado questionar essa venda, ainda mais que foi executado pelo BNDES no governo Lula.

Responder

FrancoAtirador

11 de outubro de 2015 às 21h50

.
.
AÉCIO NEVES E AS DOAÇÕES DAS EMPREITEIRAS PARA O PSDB
.
Não se espere de Aécio Neves qualquer contribuição ao debate de ideias.
.
Como reconhecem seus próprios apoiadores, é incapaz de sustentar qualquer discussão sobre qualquer tema nacional.
.
No máximo, repete bordões sobre economia e tamanho do Estado.
.
Sua entrevista ao Estadão confirma esse diagnóstico.
.
É incapaz de uma ideia sequer sobre o futuro do país.
.
Só senso comum e considerações sobre o momento mais apropriadas a mesas de bar.
.
Suas alegações sobre as contribuições à sua campanha são deboches.
.
A primeira alegação é de que ele nada tem a ver com a Petrobras.
.
Coloca o chapéu de burro nos leitores do jornal e se exime
de explicar as Obras que UTC, Andrade Gutierrez e outras
receberam no seu Governo [em Minas Gerais].
A começar da Cidade Administrativa [na Capital do Estado].
.
A segunda alegação é de que ‘muitos dos que nos doaram
o fizeram para se ver livre da extorsão do PT’.
.
Com essas afirmações, Aécio não demonstra a menor solidariedade
com todos aqueles que se incumbiram de criar uma blindagem para ele,
a começar do seu conterrâneo, Procurador Geral da República, Rodrigo Janot.
.
O PGR não aceita uma denúncia de propinas de Furnas,
apresentada com riqueza de detalhes pelo doleiro Alberto Yousseff
– que teve todas as demais acusações aceitas no acordo de delação.
.
E mantém na gaveta uma inquérito sobre uma conta de Aécio
aberta em Linchenstein, em nome de uma offshore de Cayman.
.
Como o próprio Ministério Público se refere a Eduardo Cunha,
o único objetivo de uma conta aberta em nome de uma offshore
é esconder a titularidade da conta e a origem dos recursos.
.
Na gaveta do PGR, desde 2010 está guardado um inquérito contra Aécio
– aberto por três procuradores da República que hoje integram o staff do PGR,
no bojo de uma investigação em escritório de doleiro no Rio.
.
Em respeito a tanta consideração, Aécio poderia poupar o PGR de entrevistas
como esta que, pela desfaçatez, obriga o blog a voltar novamente ao tema
e cobrar de Rodrigo Janot o Desengavetamento do Inquérito.
.
(http://jornalggn.com.br/noticia/as-explicacoes-de-aecio-para-o-dinheiro-das-empreiteiras-em-sua-campanha)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    11 de outubro de 2015 às 21h53

    .
    .
    Crédito do Artigo Acima Transcrito
    ao Jornalista Luis Nassif, no GGN
    .
    .

    Mário SF Alves

    13 de outubro de 2015 às 09h28

    “Não se espere de Aécio Neves qualquer contribuição ao debate de ideias.”
    ______________________________
    Não espere nada de um neoliberal a não ser sucatear, afundar, desmoralizar e privatarizar.
    Não espere nada de um conservador a não ser associar-se ao que há de mais deplorável na comunicação social midiática pra manter a velha ordem escravagista, agora travestida de neoliberal/neocolonial.
    Não espere nada de um governo de direita a não ser frases de tipo:
    1) O que é bom pra os Estados Unidos é bom para o Brasil;
    2) Primeiro vamos ter de fazer o bolo crescer pra só depois dividir.

Márcia Nogueira

11 de outubro de 2015 às 12h00

Adorei as mensagens finais do whats…. kkkkkkkkkkkkkk Valeu Brasil, que impediu essa corja de voltar.

Responder

Márcio Gaspar

10 de outubro de 2015 às 20h07

Agora entendemos porque os executivos da Andrade Gutierrez torciam loucamente e trocavam mensagem por Whatsaap elogiando o Aécio e detonando a Dilma. Era uma relação de favores. Espero que esta turma não volte ao poder, pois eles irão fazer uma festa!!! com o dinheiro público e ninguém irá saber.

Responder

Messias Franca de Macedo

10 de outubro de 2015 às 15h06

(Quer dizer dela? Que dizer da austera consciência,
Esse espectro em meu caminho?
Chamberlain, Pharronida)

(…)
Os homens em geral tornam-se vis gradualmente. De mim, num instante, toda a virtude caiu por inteiro, como um manto. Da perversidade relativamente trivial passei, com as passadas de um gigante, a excessos maiores que os de um Heliogábulo. (…)
A morte se aproxima; e a sombra que a precede lançou uma influência suavizante sobre meu espírito.
(…)
Eu de bom grado faria a todos crer que fui, em alguma medida, escravo de circunstâncias além do controle humano.
(…)
Acaso não terei vivido em um sonho? Não estarei perecendo vítima de horror e mistério das mais fantásticas dentre todas as visões sublunares?
(…)

Excerto do conto William Wilson
do livro Contos de Imaginação e Mistério, autor Edgar Allan Poe

Responder

Messias Franca de Macedo

10 de outubro de 2015 às 15h01

Ainda o ‘Dias Amigão do GilMAU Toffoli’:
“Considero ‘absolutamente equivocado do ponto de vista jurídico’ o parecer do professor Dalmo Dallari segundo o qual a corte não tem competência para decidir sobre a cassação do mandato da presidente Dilma Rousseff.”
“Como é que é, ‘menino'”?!
Onde está o respeito ao contraditório?!
Onde está o respeito à figura de um jurista consagrado e intelectualmente honestíssimo?!
Por que o ‘miniSTRO’ “supremo” recorreu ao termo ‘absolutamente’ [equivocado]?!
O Dias Toffoli, além de “supremo ‘miniSTRO'” se considera o Deus da verdade absoluta?!
(…)
As questionáveis declarações proferidas em… Washington!
Sintomático?!
Espírito de colonizado?!
Títere do reles achacador Gilmar Mendes?!
(…)

Responder

    Messias Franca de Macedo

    10 de outubro de 2015 às 15h02

    O ‘ministro’ Toffoli afirmou:
    “A corte tem competência para decidir sobre a cassação do mandato da presidente Dilma.”
    Quando seria prudente e tecnicamente oportuno:
    ‘A corte tem competência para decidir sobre a cassação eventual do mandato do(a) presidente(a) da República, considerando sentença em processo transitado em julgado, medida condenatória compatível com os preceitos Constitucionais vigentes.’
    Mas, não!
    Ato falho?!
    Réu confesso?!
    (…)

    Messias Franca de Macedo

    10 de outubro de 2015 às 15h03

    NOTA FÚNEBRE:
    a direitona [eterna] Casa Grande desmoraliza, inclusive, a “Justiça” do ‘braZ$&l’!

    Ainda sobre o ‘miniSTRO’ “supremo” Dias Toffoli sendo achacado pelo congênere Gilmar Mendes

helio

10 de outubro de 2015 às 12h17

Michael Lauber (Procurador-geral suíço) me representa. Moro tem muito que aprender…

Responder

Urbano

10 de outubro de 2015 às 11h56

Para encontrar um pelo menos mal lavado é um trabalho tão atroz, que os de Hércules ficam na poeira…

Responder

FrancoAtirador

10 de outubro de 2015 às 11h13

.
.
Quem desponta na lista de doadores, sem nenhuma surpresa, é o banqueiro Daniel Dantas.
Foram 4,2 milhões de reais por meio da CEMIG.
Desses, 750 mil reais chegaram “via Daniel Dantas/Elena Landau/Mares Guia” numa rubrica “AES/CEMIG”.
O dono do Opportunity aparece ainda no registro “Southern/CEMIG” (590 mil reais) ao lado de Elena Landau e Mares Guia, e seu banco é citado num repasse de 1,4 milhão de reais via Telemig Celular.
Elena Landau foi uma das principais operadoras das privatizações no governo Fernando Henrique Cardoso.
Casada com o ex-presidente do Banco Central, Pérsio Arida, ex-sócio do Opportunity, foi diretora de desestatização do BNDES.
E uma das representantes do grupo Southern Electric Participações do Brasil, consórcio formado pela Southern, AES e Opportunity.
O banco de Dantas adquiriu, com financiamento do BNDES, 33% das ações da Cemig em 1997.
.
(http://abre.ai/seb_falcatrua_psdb_opportunity)
(http://xeque-mate-noticias.blogspot.com.br/2013/09/carta-capital-vaza-documentos-e-mostra.html)
(http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/quem-deu-a-azeredo-o-dinheiro-da-cemig)
(http://www.ifch.unicamp.br/profseva/capitOSEVA_CapitalismoHidreletricoemMG_livroUFVJM_2012.pdf)
(http://www.diariodoaco.com.br/noticias.aspx?cd=64436)
.
Em 1997, Alavancado pelo Fundo de Investimentos Opportunity,
do Poderoso Banqueiro Daniel Dantas [o mesmo dos HCs de Gilmar],
o Consórcio Southern Electric Brasil Participações (SEB),
formado por Southern Electric e Applied Energy Services (AES),
adquiriu em Leilão de Privatização 33% do Capital Total da CEMIG,
– então avaliada em cerca de R$ 5 Bilhões – pelo Valor Subfaturado
de R$ 1,2 Bilhão, incluídos R$ 550 Milhões Emprestados pelo BNDES,
.
Esse Conluio Privateiro NeoLiberal do Governo Federal de FHC (PSDB-SP)
com o Governo Estadual Mineiro de Eduardo Azeredo (PSDB-MG)
ficou conhecido como uma das Maiores Negociatas da Eletricidade no Brasil.
.
Hoje, 76,59% do Capital da Companhia Energética de Minas Gerais (CEMIG),
Patrimônio Constituído com Recursos Públicos ao Longo da História do Brasil,
está em mãos de Corporações Privadas Internas e Externas,
principalmente da Andrade Gutierres, pela Subsidiária AGC Energia S/A,
que detém 14,41% do Total das Ações (32,96% ON e 5,09% PN),
e de Grandes Grupos Financeiros Estrangeiros Associados,
como o Francês Lazard Freres, os Norte-Americanos Black Rock
e Southern, que possuem 46,43% do Total Acionário da CEMIG.
.
(https://en.wikipedia.org/wiki/AES_Corporation)
(http://www.bloomberg.com/research/stocks/people/people.asp?ticker=SO)
(https://en.wikipedia.org/wiki/Southern_Company)]
(http://ri.cemig.com.br/static/ptb/estrutura_acionaria.asp?idioma=ptb#)
(http://www.correiocidadania.com.br/antigo/ed175/economia3.htm)
(http://www.nuca.ie.ufrj.br/blogs/gesel-ufrj/index.php?/archives/6537-Cemig-Opportunity-vende-participaco-na-SEB-para-empresa-da-AES.html)
(http://www.diariodocomercio.com.br/noticia.php?id=60682)
(http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Sala_de_Imprensa/Comunicados/2010/20100616_seb.html)
(http://cemig.infoinvest.com.br/ptb/8867/AcordodeAcionistas_por.pdf)
(http://ri.cemig.com.br/static/ptb/estrutura_acionaria.asp?idioma=ptb#)
(http://ri.cemig.com.br/static/ptb/diretoria_conselheiros.asp?idioma=ptb)
(http://www.econoinfo.com.br/governanca-corporativa/posicao-acionaria?codigoCVM=23000)
(http://www.econoinfo.com.br/governanca-corporativa/posicao-acionaria?codigoCVM=20303)
(http://www.cade.gov.br/ASPintranet/andamento.asp?pro_codigo=10367)
(http://www.cade.gov.br/Processo.aspx?processo=08012.009723/2009-93)
.
.

Responder

FrancoAtirador

10 de outubro de 2015 às 07h25

.
.
CAMINHO DO DINHEIRO DO PREMIÊ CUNHA
.
PARCEIRO DO PSDB E DO DEM NA CÂMARA:
.
(http://imgur.com/YlAN4Zv)
.
.

Responder

Messias Franca de Macedo

09 de outubro de 2015 às 23h41

[A honrada e impávida presidente Dilma Rousseff “deu corda aos pilantras e não ficará pedra sobre pedra”!
Tremeis nazifasciterroristas &$ golpistas [mega]corruptos da [eterna] Casa Grande irrecuperável!]

… Para completar a “suprema” bandalheira…
Ô, GilMAU Dantas, ‘vá’ ser “sortudo” assim lá nos alpes suíços do ‘CU(nha)’!
E o “foro íntimo” do decano Celso de Mello do STF!
PQP

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Os nove anos da investigação sobre as contas de Cunha

SEX, 09/10/2015 – 20:08

(…)
Joaquim Barbosa, oito anos depois de feita a petição [pela Polícia Federal], encaminhou o processo ao relator, que não é identificado no despacho, assim como não há referência ao processamento como “petição”, não mais “petição avulsa”, o que dificultou o rastreamento de seu destino.
(…)
Gilmar Mendes recebeu o caso por sorteio depois que o Ministro Celso de Mello, dias depois de receber o processo, “se declarou suspeito por razões de foro íntimo” Gilmar recebeu o caso por sorteio depois que o Ministro Celso de Mello, dias depois de receber o processo, “se declarou suspeito por razões de foro íntimo” .
(…)

FONTE [LÍMPIDA!]: http://tijolaco.com.br/blog/a-incrivel-historia-da-investigacao-de-9-anos-sobre-os-dolares-de-cunha-que-nunca-andou/

Responder

Messias Franca de Macedo

09 de outubro de 2015 às 23h23

A legenda que acompanha a tenebrosa – e reveladora – horrenda fotografia acima:

Siameses
‘CU(nha)’ e unha!

Responder

Sérgio

09 de outubro de 2015 às 20h13

A mídia não muda em nada mesmo. Itamar quando era presidente e governador foi desmoralizado de todas as maneiras. Até uma prostituta sem calcinha ao lado do Presidente foi plantada para as fotos da galera mercenária. República do Pão de Queijo.
Saudade desse que era um dos raros com sangue nas veias neste país de bananas.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.