Paulo Moreira Leite: José Dirceu na Comissão da Verdade

Tempo de leitura: 5 min

DIRCEU NA COMISSÃO DA VERDADE

Brutalidade contra Dirceu é uma tentativa de nos convencer de que não adianta reagir

por Paulo Moreira Leite, em seu blog 

Num país que levou um mais de 40 anos para constituir uma Comissão da Verdade para apurar os crimes do passado do regime militar, talvez seja o caso de pedir a abertura de um novo item de sua pauta para investigar ataques aos direitos humanos que tem sido cometidos nos dias de hoje. O primeiro nome é José Dirceu.

O caso é exemplar.Embora nunca tenha recebido, em forma definitiva, uma sentença em regime fechado, o esforço para impedir Dirceu de respirar o oxigênio que só se encontra fora de uma prisão foi reforçado. Tudo se move para impedir que ele possa sair à rua, caminhar como uma pessoa durante oito horas por dia, trabalhar como um cidadão, conversar com homens e mulheres que não são nem carcereiros, nem advogados, nem parentes tensos, de olhos úmidos, nas horas tensas de visita.

Como se fosse um delírio, assistimos a um ato de terrorismo que não ousa dizer o seu nome, mas não pode ser definido de outra forma.

Ou como você vai definir um pedido de grampo telefônico que envolve o palácio da Presidência da República, o Congresso? Vamos fingir que não é um ataque à privacidade de Dilma Rousseff, constranger 513 parlamentares, humilhar onze ministros, apenas para maltratar os direitos de Dirceu?

Vamos encarar os fatos. É um esforço — delirante? quem sabe? — para rir do regime democrático, gargalhar sobre a divisão de poderes, atingir um dos poderes emanam do povo e em seu nome são exercidos.

Pensando em nossos prazos históricos, eu me pergunto se vale à pena deixar para homens e mulheres de 2050 a responsabilidade de coletar informações para apurar fatos desconhecidos e definir responsabilidades pelo tratamento abusivo e injusto que tem sido cometido contra Dirceu.

Sim, Dirceu foi um entre tantos combatentes que a maioria de nós não pode conhecer pelo nome nem pelo rosto, lutadores corajosos daquele Brasil da ditadura.

Depois de ajudar a liderar um movimento de estudantes que impediu, por exemplo, que o ensino brasileiro fosse administrado por pedagogos do governo norte-americano, Dirceu tomou parte da vitória do país inteiro pela democracia. Sem abandonar jamais uma ternura pelo regime de Fidel Castro que ninguém é obrigado a partilhar, mostrou-se um líder político capaz de negociar com empresários, lideranças da oposição e governantes estrangeiros.

Hoje ele se encontra no presídio da Papuda, impedido de exercer direitos elementares que já foram reconhecidos pelo ministério público e até pelo serviço Psicossocial. Trabalha na biblioteca. Já se ofereceu para ajudar na limpeza.

Sua situação é dramática mas ninguém precisa esperar até 2050 para tentar descobrir que há alguma coisa errada, certo?

Basta caráter. Em situações políticas determinadas, este pode ser o dado decisivo da situação política. Pode favorecer ou pode prejudicar os direitos das vítimas e também iluminar a formação das novas gerações. Os direitos humanos elementares, as garantias sobre a vida e a liberdade, costumam depender disso com frequência.

Vejam o que aconteceu com o general José Antônio Belham. Em 1971, ele exibia a mais alta patente na repartição militar onde Rubens Paiva foi morto sob torturas.

Quando precisou explicar-se, 43 anos mais tarde, Belham afirmou que não se encontrava ali. Estava de ferias. Acabou desmentido de forma vergonhosa. Consultando suas folhas de serviços, a Comissão da Verdade concluiu que o general não era verdade. Ele não só estava lá como recebera os proventos devidos pelo serviço daqueles dias.

Esse é o problema. Ninguém é obrigado a ser herói. Como ensina Hanna Arendt, basta cumprir seu dever. Caso contrário, a pessoa se deixa apanhar numa situação que envergonha a mulher, os filhos, os netos – sem falar nos amigos dos filhos, nos amigos dos netos. Nem sempre é possível livrar-se do vexame de prestar contas pela própria história.

Lembra daquele frase comum em filmes de gangster, quando o herói recebe uma advertência criminosa: “você vai se arrepender de estar vivo?” Isso também pode acontecer com pessoas que não tem caráter.

Imagine como vai ser difícil, para homens e mulheres de 2050, explicar seu silêncio diante de tantos fatos que envolvem o tratamento dispensado a Dirceu. Ele foi cassado em 2005 por “quebra de decoro parlamentar”, essa acusação que, sabemos há mais de meio século, é tão subjetiva que costuma ser empregada para casos de vingança e raramente serviu para fazer justiça — porque dispensa provas e fatos, vale-se apenas de impressões e convenções sociais que, como se sabe, variam em função de tempo e lugar, de pessoa, de geração e até classe social.

Em 2012, não se encontrou nenhuma prova capaz de envolver Dirceu no esquema de arrecadação e distribuição de recursos financeiros para as campanhas do PT. A necessidade de garantir sua punição de qualquer maneira explica a importação da teoria do domínio do fato. Inventaram uma quadrilha porque era preciso condenar Dirceu como seu chefe mas o argumento não durou dois anos. Depois que o STF concluiu que não havia crime de quadrilha, ficou difícil saber qual era a atuação real de Dirceu nessa fantasia.

Pensa que o Estado brasileiro pediu desculpas, numa daquelas solenidades que nunca receberão a atenção merecida, com as vítimas dos torturadores do pós-64? Pelo contrário. O sofrimento imposto a Dirceu aumentou, numa forma perversa de punição.

Numa sequência da doutrina Luiz Fux, que disse no STF que os acusados devem provar sua inocência, coube-lhe tentar provar o que não falou ao celular com um Secretário de Estado da Bahia.

Foi invadido em sua privacidade, desrespeitado em seus direitos humanos. Para que? É um espetáculo didático.

Como cidadão, tenta-se fazer Dirceu cumprir a função de ser humilhado em público – ainda que boa parte do público não se dê conta de que ele próprio também está sendo ultrajado. Através desse espetáculo, tenta-se enfraquecer quem reconhece seu papel político, quem reconhece uma injustiça – e precisa ser convencido de que não adianta reagir para tentar modificar essa situação.

Não poderia haver lição mais reacionária, própria daqueles homens que fogem da Comissão da Verdade com mentirinhas e desculpas vergonhosas.

Não se engane: o esforço para inocular um sentimento de fraqueza em cidadãos e homens do povo é próprio das ditaduras. Fazem isso pela força — e pela demonstração de força, também.

Outra razão é política. Tenta-se demonstrar que o sistema penitenciário do governo do Distrito Federal – cujo governador é do PT, como Dirceu e todos os principais réus políticos dessa história, você sabe — não é capaz de cuidar dele, argumento sob medida para que seja conduzido a uma prisão federal, onde não poderá cumprir o regime semiaberto.

Este é o objetivo. Vai ser alcançado? Não se sabe.

Animal consciente dos estados de opressão, o que distingue os homens dos vegetais – e de alguns animais inferiores – é o reconhecimento da liberdade.

O que se quer é encontrar uma falta disciplinar grave, qualquer uma, que sirva como pretexto para revogar os direitos de Dirceu. Pretende-se obter uma regressão de sua pena e conseguir aquilo que a Justiça não lhe deu, apesar do show – o regime fechado.

Isso acontece porque o projeto, meus amigos, é o ostracismo – punição arcaica, típica dos regimes absolutistas. Você lembra o que disse Joaquim Barbosa:

“Acho que a imprensa brasileira presta um grande desserviço ao país ao abrir suas páginas nobres a pessoas condenadas por corrupção. Pessoas condenadas por corrupção devem ficar no ostracismo. Faz parte da pena”.

Imagine a maldade que é deixar tudo isso para os homens e mulheres de 2040. Imagine as páginas nobres da imprensa, dos jornais, das revistas. Pense como vai ser difícil, para os leitores do futuro, entender o que Joaquim Barbosa quis dizer com isso.

Mais uma vez teremos uma página horrenda da história e cidadãos perplexos a perguntar: como foi possível? O que se queria com tudo aquilo?

E, mais uma vez, num sinal de que se perdeu todo limite, vamos pedir desculpas. As futuras gerações merecem um pouco mais, concorda?

Não precisam encarar esta derrota colossal de todos que lutaram com tanta coragem pela democracia.

Leia também:

Conceição Lemes, 33 anos de estrada: Resposta em público a O Globo

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

antonio mariano valadares filho

PRECISAMOS TER CUIDADO COM OS COMENTÁRIOS SOBRE DESAVENÇAS DENTRO DO PT E DE OMISSÃO DA PRESIDENTA PARA COM JOSÉ DIRCEU.ASSIM ESTARÃO FAZENDO O JOGO DOS ADVERSÁRIOS. É TUDO QUE ELES QUEREM!
JOSÉ DIRCEU E JOSÉ GENOINO SÃO MAIORES DO QUE SE IMAGINA E SAIRÃO DISTO MAIORES DO QUE SÃO HOJE. ESTA DETERMINAÇÃO EM DESTRUILOS SÓ OS ENGRANDECERÃO:ESTA ATITUDE É UM RECONHECIMENTO DE SUAS DIMENSÕES.
PORTANTO, VAMOS COMUNHAR,TODOS JUNTOS, COM SEUS SOFRIMENTOS DE HOJE, SABENDO QUE ELES ENTRARÃO PARA A HISTÓRIA DO BRASIL COMO LÍDERES SACRIFICADOS PELO BEM MAIOR DO NOSSO PAÍS.

    Luiz Carlos Azenha

    Minúsculas, antonio, minúsculas, do jeito que vc escreveu seu nome. abs

Anja

“Figura chaves no judiciário, STF, PRG, MPF, a grande mídia mais os setores empresariais comprometidos até o pescoço com a sangria do país, entenderam que a figura a ser sacrificada era Zé Dirceu”

Mas não se importam se o fascismo já adiantado assumir. Desde que as vítimas não sejam do lado de lá….

Mardones

Quem, nos seus maiores delírios, imaginou que o PT chegaria ao poder e isso aconteceria? Quem comanda o partido _ Rui Falcão e sia Ltda _ não defende os condenados injustamente no Mentirão. Tudo em nome de uma governabilidade discutível.

Esse grupo que controla o PT ajuda a escrever essa página do Brasil.

p.s: alguém acha que o sr Falcão e cia Ltda vai querer investigar o doleiro Youssef e suas relações além do André Vargas?

Sérgio Vianna

Esse texto do Paulo Moreira Leite é mais um legado para a nossa história, que um dia será revista ou revisitada sob outro ângulo analítico.

A verdade dos fatos demora a se sobrepor às versões construídas pela nossa elite branca e cínica, pois o povo ainda não chegou ao poder de fato, apenas ao exercício da presidência da República e de outros espaços republicanos, cuja distância do poder de fato – da mídia, das elites dominantes de todos os matizes políticos, sociais e religiosos – se mede pela régua dos anos-luz.

José Dirceu é um ícone dessa elite que busca retomar o controle da presidência da República para seu absoluto proveito próprio, elite que faz uso das armas necessárias, inclusive – e principalmente – aquelas que decretam ao ostracismo as suas vítimas da vez, produzindo nelas muita dor e uma comoção exacerbada no público em geral, com o objetivo de demonstrar a única verdade: quem manda no país são eles, os membros dessa elite hipócrita, e a todos os demais resta a obediência cega, caso contrário a foice cortará quantas cabeças se puserem a contestar as versões criadas pelos poderosos de sempre.

Por isso o Zé Dirceu é o ícone dessa gente, pois ele é o representante de um estilo de vida, e simboliza uma época (o governo do PT) que precisa ser apagada da história.

O que estamos assistindo é a mais pura e desgraçada Luta de Classes.

Maria

Dizer que é um artigo brilhante, é pouco. Parabéns Paulo Leite. Eu fico indignada não só em relação ao PT, como aos seus parlamentares wue deveriam, todos os dias subir à tribuna e questionar a postura arbitrária do dito cujo sujeito. Fico também admirada da posição da OAB. E os demais ministros do STF. Estamos vivendo uma inversão de valores terrível. Deputados, senadores são constantemente questionados pelos barbosas, gilmares etc. Ficam caladinhos? Não se respeitam? Tem algo a esconder? Por que ninguém enfrenta essa situação. Socorro!

Paulo Ribeiro

Vamos lançar uma campanha exigindo ANISTIA JÁ para Jose Dirceu, Jose Genoino e Delubio Soares.É uma medida que depende unicamente da vontade política da presidenta Dilma e que contará com o apoio de todo o povo brasileiro!
ANISTIA JÁ

C.Paoliello

Se a atual ditadura do stf pensa que vai dobrar a consciência ou a vontade do grande líder José Dirceu, está muito enganada pois ele enfrentou com coragem e altivez uma ditadura ainda mais violenta do que a atualmente executada pelo temporário presidente do apequenado stf e não se vendeu.
Na minha opinião José Dirceu é, atualmente, a maior liderança política do país e se elegeria para qualquer cargo que se candidatasse com uma avalanche de votos.

Sagarana

Barbosa, guerreiro, do povo brasileiro.

Sagarana

“Não precisam encarar esta derrota colossal de todos que lutaram com tanta coragem pela democracia.”
Pô Paulinho, nessa você se superou!

Luiz Paixão

A justiça e a grande imprensa brasileira sempre foram mentirosas, injustas e covardes com a esquerda no Brasil.

ricardo silveira

Paulo Moreira Leite continua denunciando as injustiças da AP470 de modo firme e corajoso. Felizmente ainda temos jornalistas com essa qualidade de caráter. Falta os brasileiros acordarem e se voltarem contra a manipulação da informação e a covardia dos operadores da justiça.

Fabio Passos

A casa-grande persegue, com extrema crueldade, aqueles que ousam questionar seus privilégios.
A “elite” branca e rica, que tem saudades da ditadura, fez novos presos políticos com a farsa do mentirão.

Querem fazer de Dirceu um exemplo para intimidar as forças progressistas.
A perversidade da minoria rica está explícita.

Temos de nos livrar definitivamente da pior “elite” do mundo para viver em um país justo e democrático.

Viva José Dirceu!
Herói do povo brasileiro!

marcos

PMl, a pergunta que nos massacra a todos : O que fazer?

Francisco

Se fizessem um filme dobre a vida de Dirceu, dando a versão dele sobre as coisas todas que lhe aconteceram na vida (inclusive o mensalão), esse filme passaria em quantos cinemas? E em quais canais de TV aberta? E de TV paga?

Nenhum, porque a Rede Globo é dona de tudo isso: TV aberta, circuitos de cinemas, TV paga, tudo.

O nosso equivoco é esse: como fazer Comissão de Verdade de uma ditadura, sem encerra-la antes? Na Papuda esta preso todo o programa de governo do PT e toda a “democracia” brasileira.

Ou faz como eles querem ou não faz. Acreditar em voto é para idiotas.

    Dalton Godinho Pires

    O PT tem a maioria na Câmara. No Senado. Tem o Poder político e econômico, representado por Dilma. A maior liderança política das Américas – Lula. O que falta ainda para que a verdade sobre Dirceu, e companheiros,seja reconhecida?????

Marcio Ramos

… e a ditadura continua ou a democracia não existe?

Ciro Gomes

Meu querido e grande PAULO MOREIRA LEITE, você é MAIOR do que o próprio PT. Sei que não é filiado ao PT e com muita isenção, sempre mirando seus Artigos na linha da honestidade, mostra ao seu Leitor o fato verdadeiro e imparcial. te digo isto porque estou cansado de esperar algo deste PT que ai esta, que não tem coragem de sair em defesa de um dos seus criadores, parece que o PTZINHO, junto com um poucos de insanos mentais condenaram ZÉ DIRCEU.

Nelson

Já ouviram falar em fogo amigo?
Só existe em meu ponto de vista uma razão para o Zé e os outros terem sido preso, a briga pelo poder interno no PT, nada mais explica isso.
Não vemos isso nos outros partidos, pelo contrário, vemos o oposto. Quando um membro é pego com a boca na botija e/ou em alguma armação de opositores eles são defendidos com unhas e dentes.
A história está se repetindo novamente no PT com o Deputado André Vargas, já foi jogado a própria sorte, querem que ele renuncie.
A traição dentro do PT é uma coisa a ser estudada e erradicada antes que o PT acabe. Bobeou, dançou!

    Sagarana

    Sério? Pensei que nesse partido só havia gente “do bem”.

Ciro Gomes

Lamento Profundamente, o abandono de DILMA e LULA proferido a pessoa de Zé Dirceu. Se pensam que é ruim politicamente pra reeleição de Dilma ou a Eleição de Lula, é um grande engano de ambos, pois, quem não sabe das ligações de Zé Dirceu com o PT. “diga-se de passagem, mais forte do que Dilma e Cia”, penso que somente os dois tem esta visão, sob orientação de quem não sei. Seria altamente positiva uma visita de Lula a Zé Dirceu, para por um fim neste preconceito burro que pouquíssimas pessoas ainda tem. mais tenho uma certeza, hoje tem uma corrente no PT que querem ver Zé Dirceu morto e Dilma quanto Lula embarcou nesta onda. Zé é Inocente, como os outros também, este PT que esta ai não tem meu VOTO.

francisco pereira neto

O calvário de Zé Dirceu perpetrado por seus algozes é proporcional à sua importância como estrategista da luta e a consagração do feito: o PT ascendeu o poder.
Se enganam aqueles que achavam que Lula era o grande líder estrategista. Não era e nunca foi.
Lula é um complemento do Zé Dirceu pela facilidade de comunicação, pelo “apelo” de ser um ex-líder sindicalista, torneiro mecânico, semi analfabeto, mas com uma argúcia pouco comum nos seres humanos. Uma redundância: uma dádiva divina.
A teoria do sangramento, proposto pelo lesa pátria do FHC, na eclosão do mensalão, ruiu, e portanto tinha-se que continuar a batalha para desestabilizar o PT. A mídia tentou de tudo e mesmo assim não conseguiu derrubar Lula na sua reeleição. Pior. Conseguiu fazer sua sucessora. Um poste chamado Dilma.
O arsenal desencadeado pelas oposições, grande mídia e a elite conservadora, exauriu-se. Se viram numa encruzilhada. E perceberam que a figura a ser combatida, não era o Lula e sim Zé Dirceu. Os argumentos se elevaram pela consagração do índice de aprovação de Lula, quando deixou o governo.
Tudo articulado e os exemplos da era Lula não deixam dúvidas. Todas as operações da PF, depois de sua valorização, tanto no aumento do quadro efetivo dos delegados concursados e remuneração compatível com as suas funções, viu-se atuações e investigações espetaculares contra grandes personalidades da vida nacional.
Tudo isso não podia continuar, sob o risco dos grandes corruptores, empresários defensores do estado mínimo serem finalmente incriminados. Mínimo para o povo, e o máximo para eles, como sempre foi.
Figura chaves no judiciário, STF, PRG, MPF, a grande mídia mais os setores empresariais comprometidos até o pescoço com a sangria do país, entenderam que a figura a ser sacrificada era Zé Dirceu.
Não me estranha nada do que ocorreu com o mensalão, e agora com a crucificação de seu condenado símbolo, trancafiado na Papuda.
Resta saber, até pelo fato da saúde debilitada do Dirceu, quem terá o comando estratégico para desnudar essa barbárie.
Na bancada petista no Congresso, não há a menor chance. Muito pelo contrário. Existe uma omissão criminosa dos senhores deputados e senadores do partido.
A guerra foi declarada em 2005, e o PT dorme em berço esplêndido.
Não se iludam. A fatura será cobrada de vocês.

Tânia

Excelente texto! Triste! José Dirceu não merecia tal destino. Mas não consigo me livrar do meu otimismo! Sonho com o dia em que estaremos aqui comemorando sua liberdade afinal! Força Dirceu!!!

Marina Gusmão de Mendonça

A análise de Paulo Moreira Leite é perfeita. Aqueles que não são petistas, mas têm um mínimo de respeito pelo que se convencionou chamar de Estado de Direito, têm a obrigação de assumir a defesa pública de José Dirceu e de seus mínimos direitos de cidadão, já que os poderes do Estado os violam sistematicamente e os militantes e dirigentes do PT se fazem de mortos. Estes últimos ainda não entenderam que, se vencerem as eleições, governarão um Estado que caminha a passos largos para o fascismo. E quando este se instaurar, não adiantará de nada chorar sobre o leite derramado.

Caracol

Olha, Paulo Moreira Leite, eu acho que você tem razão. Reconheço que estar vivendo a minha vida prosaica ao invés de me dedicar a protestar veementemente contra esse estado de coisas é uma atitude covarde e indigna, e já que você citou Hanna Arendt, reconheço também que se trata de uma acomodação de minha parte face à “Banalidade do Mal” exposta por ela.
Saiba que eu sou um dos que se sente muito mal por isso.
Agora… tem uma coisa: tudo isso que José Dirceu passa em nome dos brasileiros contribui para fortalecer duas de minhas poucas certezas na vida, sendo a primeira: no dia que ele for candidato a qualquer coisa… ele terá meu voto. E quanto mais mal lhe causarem, mais do meu apoio ele terá.
A segunda certeza: se hoje, à minha atual sensação de impotência junta-se outra de um sentimento de solidão, serei compensado na hora de se fazer Justiça a Dirceu através de uma eleição, pois por muitos estarei significativamente bem acompanhado.

    Antônio Ângelo

    Li e reli esse seu comentário. Mesmo não sabendo seu nome (caracol) a parti de hoje sou seu fã. Vc escreveu tudo aquilo que sempre pensei em escrever, mas devido meu pouco saber nunca fui capaz. Obrigado!

Belmiro Machado Filho

O que mais dói, o que mais revolta é sentir-me impotente diante de tamanha injustiça.

Isabela

O texto me fez lembrar no caso Dreyfus na Europa de fins do século XIX e também no Plano Cohen, o motivo midiático pra Vargas dar o golpe do Estado Novo: o tempo passou e a verdade apareceu. Eu me envergonho e me sinto uma incapaz: uma contemporânea lúcida (?) do caso da AP 470, mas que é consumida pela vidinha, pela rotina de sobrevivência, pela inglória rotina…

Urbano

O que continuam a fazer desde sempre é fruto unicamente de uma atitude de pessoas destituídas de uma única gota de moral humana, coisa essa tão natural nos fascistas. E o que se vê ainda no mundo atual, pois está bem à mostra, são os senhores das trevas na invisibilidade dos cordéis e os capatazes e jagunços na condição de bonecos, de verdadeiros androides em pleno eito, sob um braseiro estelar.

Euler

Joaquim Barbosa já comprou apartamento em Miami. Sabe que será difícil, talvez impossível, continuar vivendo no Brasil, quando tudo for esclarecido. Já está passando da hora de algum bom jornalista produzir um livro sobre o martírio vivido por Dirceu, praticamente isolado, abandonado à própria sorte – ou azar -, vítima de uma mídia que nunca perdoa os inimigos de classe – ao contrário de governos ditos de esquerda, que continuam financiando esta mídia criminosa; vítima também de uma justiça que se submeteu à vontade de um personagem, que transformou sua vingança pessoal contra Dirceu em razão de ser e de viver. Sob os olhares coniventes de ministros do STF, de senadores e deputados, e de um executivo incapaz de reagir às práticas de tortura a que Dirceu está submetido.

Alguém já imaginou algo semelhante acontecendo com lideranças do PSDB e do DEM?

O monopólio da mídia nas mãos dos mesmos golpistas de 64 e mais a ação do judiciário brasileiro no caso da AP 470 são a prova de que alguns dos principais instrumentos de terror e intimidação aos movimentos e às lutas sociais continuam vivos. E impunes.

Jorge Moraes

Apoio as palavras do Paulo Leite.

Entre outras serventias, todas vis, a absurda, ilegal e covarde permanência de José Dirceu na Papuda presta-se, me parece, a entregar à (parte da) classe média a ração de carniça diária com a qual se mantém, e é mantida fiel (subserviente) a seus senhores: o capital, em suas múltiplas formas.

José Dirceu é um preso político. A história cobrará pela omissão.

O governo acha-se emparedado. Os interesses hostis à verdade ainda têm muita força.

renato

E Dirceu continua Preso..

Deixe seu comentário

Leia também