VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Pai e filho são confundidos com casal gay e agredidos em São João da Boa Vista, SP


19/07/2011 - 11h58

do site EPTV, via O Globo

SÃO PAULO – Um homem de 42 anos teve metade da orelha decepada após ser agredido por um grupo de jovens no recinto da Exposição Agropecuária Industrial e Comercial (EAPIC), em São João da Boa Vista, a 225 km de São Paulo. Os agressores pensaram que ele e o filho de 18 anos fossem um casal gay, pois estavam abraçados. As informações são do site da EPTV.

A agressão aconteceu na madrugada da última sexta-feira. O homem, que preferiu não se identificar, ainda está traumatizado. Ele contou que depois de um show um grupo de sete jovens se aproximou e perguntou se os dois eram gays.

Ele disse que explicou que eles eram pai e filho e, mesmo assim, houve um princípio de tumulto. Os rapazes foram embora, voltaram cinco minutos depois e começaram a agredir os dois. Um deles teria mordido a orelha do pai, decepando parte dela.

– Eu lembro de ter tomado um soco no queixo e apagado. Quando eu comecei a acordar eu ouvi as pessoas dizendo que eu estava sem a orelha – explicou.

Ambos foram levados para a santa casa, onde foram atendidos e liberados. O filho teve apenas ferimentos leves.

O delegado do 1º Distrito da Polícia Civil de São João Boa Vista, Fernando Zucarelli, disse que foi aberto um inquérito e que já está tentando identificar os possíveis autores. A homofobia, que é a aversão a homosexuais, ainda não consta como crime no código penal brasileiro, mas, além da agressão, os jovens também podem responder por discriminação.

A organização da EAPIC informou que havia 150 seguranças, além da Polícia Militar, durante toda a festa e que vai colaborar com a polícia para a identificação dos agressores.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



95 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Sob a égide da violência | Ani Dabar

16 de julho de 2012 às 20h36

[…] noite, pai e filho foram agredidos porque estavam abraçados; em outra, dois irmãos foram espancados, sendo um morto, por estarem também […]

Responder

NA SOCIEDADE CONSTRUÍDA SOB A ÉGIDE DA VIOLÊNCIA E DA INTOLERÂNCIA, O AMOR E O AFETO DE DOIS IRMÃOS PRECISAM SER ESPANCADOS « Educação Política

29 de junho de 2012 às 10h59

[…] noite, pai e um filho foram agredidos porque estavam abraçados; em outra, dois irmãos foram espancados, sendo um morto, por estarem também […]

Responder

bissoli junior

28 de julho de 2011 às 10h52

eu esperava que esse episódio fosse um divisor de águas na questão da homofobia na nossa sociedade.
esperava que houvesse uma gigantesca repercussão e calasse de vez os doentes homofóbicos. esperava que os congressistas se mobilizassem e com urgência trabalhassem para tipificar tal crime. é inimaginável ser agredido por mostrar amor ao filho. não sabem os monstros agressores que se eu dou a mão ao meu filho, se o beijo e o abraço e lhe cubro de carinhos, eu reafirmo minha masculinidade, o que é desnecessário, aliás, já que tal comportamento é de foro íntimo. se não basta, lembremos de que as espécies animais se desdobram de cuidados para que os filhotes sobrevivam. vida, é o que importa, de gente, bichos e plantas. cadeia para os agressores!

Responder

zata2ltb

25 de julho de 2011 às 10h51

Mesmo não concordar com a pessoa ser gay, eu não discrimino, é apenas uma pessoa como eu ou como você.
Bom, quer ser gay, o que eu tenho a ver com isso ?

Esse pessoal que agride essas pessoas por causa de alguma intolerância, seja religiosa ou sexual, deveria receber o mesmo castigo que eles fizeram as pessoas agredidas passar.

Responder

Daniel

22 de julho de 2011 às 10h49

Porque insistem em apontar que o motivo da agressão tenha sido por serem gays? Se eles responderam que não eram gays, e um tempo depois foram agredidos, é porque o motivo deve ter sido outro. Onde estão as namoradas? Elas podem explicar? Na grande maioria das vezes, este tipo de violência se dá por motivos de mulher e nao de homossexualidade.

Responder

Regina Braga

20 de julho de 2011 às 23h16

Eu gostaria tbém de agradecer ao Cerra,Jair e demais grupinhos da Opus…Dividiram um país,levaram a intolerância,marginalizaram o afeto…Manifestações de carinho e amor não podem ser mais permitidas?Vamos ficar com os hipócritas de plantão,com pedófilos nas igrejas,mas que cantam bem:com os abortos feitos em consultórios luxuosos,com o pcc e sua violência diária,com a substituição do SUS por pagamentos de convênios….Grande Choque de Gestão dos Demotucanos.O HUMANISMO pelo SERVILISMO.Conseguiram um feito inédito…recriaram a Idade das Trevas na Nova Era.

Responder

João

20 de julho de 2011 às 10h45

Senhores, concordo com tudo dito anteriormente acima.. mas também não seria interessante questionar onde estava toda a segurança do evento? Sou daqui de São João e é lamentavel dizer que a segurança nesse evento tem duas funções: a primeira garantir que todos entrarão pagando, a segunda, garantir que quem pagou mais entenda-se como quem comprou camoratores, areavip e tudo mais) poderá ficar separado do pessoal "diferenciado".

Sobre o que vocês ouviram, dizendo que havia centenas de seguranças, policia e bla bla bla… não é bem assim… que esteve no evento pode dizer se viu algum segurança no meio do povo. E outra, a primeira informação deu conta de o ferimento foi causado por um objeto cortante, agora foi uma mordida. Claro, afinal se fosse um objeto cortante, a feira seria mais responsável do que já é por tudo isso.

Mas ainda sim, isso é tudo culpa da intolerância e homofobia, só que não concordo quando dizem que só isso é que resulta em uma agressão como essa.

Responder

Caracol

20 de julho de 2011 às 10h17

Sei não… acho que esses agressores são viados enrustidos. Onde já se viu, morder orelha de homem até arrancar pedaço? Eu, hein, tesconjuro!…
Acho que o problema é esse, são viados enrustidos, precisam de terapia para se assumirem, poderem viver felizes e deixarem os outros viverem felizes, todos de acordo com sua sexualidade.
Tesconjuro!…

Responder

RK!

20 de julho de 2011 às 09h25

Codigo de HAMURABI NELES. Queria ver se são realmente duroees.

Responder

anna

20 de julho de 2011 às 03h26

Em uma sociedade plural e democrática, todos tem direito de serem e pensarem o que quiserem, mas o que vejo nesses comentários é um grupo, que se diz vítima de intolerância, sendo tão intolerante quanto aos quais acusam, e indiretamente incentivando a violência contra qualquer um que ousar discordar de suas práticas.

A MALDADE HUMANA NÃO TEM COR,SEXO, RELIGIÃO…
Estes covardes é fascinoras que agrediram pai e filho, são os mesmos que brigam e matam em portas de boates, estupram, assaltam, roubam …e o lugar dessa corja é na cadeia!
Mas infelismente em nosso país isso só foi feito para os "três P" .
e a impunidade reina para os " intocáveis".

Chega de "INTOCÁVEIS" , não?!

Responder

Rafael Andrade

20 de julho de 2011 às 00h23

O homofóbico é um gay trancado no armário a sete chaves.

Responder

    Anna

    20 de julho de 2011 às 13h19

    ué… Então concordas que a violência é de gay pra gay.
    Eu também.

Mari

19 de julho de 2011 às 23h07

A homofobia MATA!

Responder

Antonio

19 de julho de 2011 às 23h02

Viva Se-erra, o rei da Estupidez. Esses estúpidos precisam levar um cacete e depois cana para aprenderem a respeitar o outro. Gente desse nível só entende as coisas na porrada e na privação da liberdade. Lei neles. O delegado do caso precisa ser cobrado para que eles sejam detidos e interrogados.

Responder

Fabio_Passos

19 de julho de 2011 às 22h31

Isto é a direita…

"informados" pela mídia-lixo-corporativa: veja, estadão, fsp e globo.
fãs do bolsonaro,
eleitores do psdb/dem

Responder

Poracebano

19 de julho de 2011 às 22h16

Como dito, sou aqui da terrinha. Leia se São joão da Boa Vista, é inadmissivel o que ocorreu, duas pessoas pai e filho que simplesmente demonstravam afeto sem qualquer escandalo foram simplesmente massacradas por pairas, vagabundos e ignorantes que ficam irados por suas pessoas demonstrarem afeto. Não entendem nada de afeto e cidadania, pobres diabos. As pessoas de bem da terrinha e cidades vizinhas estão todas chocadas. A Policia já identificou dois dos autores do fato, foram levados para a delegacia e um deles até mesmo confessou a autoria, entetanto, não obstante tenha sido pedida a sua prisão a justiça negou, a mingua de legislação para casos envolvendo lesões corporais em situações conforme.

Responder

renato

19 de julho de 2011 às 21h58

Se eu quisesse ganhar dinheiro combinaria uma surra, em um ambiente de festa e pediria indenização, é possível isto? Já que advogado adora estas questões. É possível ou estou deslizando……

Responder

    Fabricio Alves

    19 de julho de 2011 às 23h00

    A vitima perdeu metade da orelha!! combinaria perder metade da orelha???

    Evandro

    19 de julho de 2011 às 23h46

    Pra quem perdeu o cérebro inteiro, metade da orelha não é nada.

    Tal tipo de indivíduo é doente ao ponto de formular idéias bizarras como gays contratando trogloditas para bater em pessoas e denegrir assim a causa dos homofóbicos.

    Leider_Lincoln

    20 de julho de 2011 às 00h44

    Alguém aposta um centavo que este não é o Richard Smith (EUNAOSABIA, Joao, Carmem Leporace…)?

    ana

    20 de julho de 2011 às 09h33

    Renato,
    realmente tem gente que passa dos limites. você não é uma pessoa séria. muito menos responsável. você atribui à vítima um crime. que disparate. que horror. sua mensagem foi uma das piores que já li na vida. tratamento psiquiátrico para você é pouco.

    Marcelo Lincoln

    21 de julho de 2011 às 09h56

    Se interna Renato, que você não tem mais jeito, vai votar no PSDB e chamar o Bolsonazi de bom político……

João PR

19 de julho de 2011 às 21h12

A intolerância, após a campanha do Serra em 2010, só aflorou.

Os jovens, na maioria de classe média, não têm um objetivo na vida,e ficam se juntando em grupos para parecerem fortes perante os outros.

Como se informam (??) mal, carregam dentro de si o germe da intolerância, do proconceito, da discriminação que culmina em atos como este que o Brasil todo viu.

Responder

    @BorbaGabriel

    20 de julho de 2011 às 22h59

    Não sejam míopes, até o Governo Dilma, eleito com o nosso voto, o de LGBT, voltou atrás em questões importantes para nós, primeiro para ganhar as eleições, depois para manter a cabeça daquele ministro. Além do mais, a questão dos LGBT's, que profundamente não tem grande empatia de nenhum setor significativo da sociedade, está longe de ser um dos assuntos governamentais pelos quais a Presidente e sua equipe vá se interessar. O nível de conhecimento e comprometimento dela é visto nas próprias palavras que ela usa para falar de algumas das questões, "propaganda das opções (sic) sexuais". Jean Willys – que a todo momento essa gente culta, inteligente e sensata faz questão de frisar que é um ex-BBB, coisa que realmente não acrescenta nada as pessoas, mas também não sei porque tira – que está certo, a sexualidade não é escolha, o voto sim.

Leonardo

19 de julho de 2011 às 21h08

Na grande maioria dos casos de assassinos descritos como “homofóbicos”, o autor do crime é também homossexual.

Ou seja, quem mata os homossexuais são os próprios gays.

De um modo geral, são pessoas envolvidas com tráfico de drogas, com histórico de roubos e assassinatos, garotos de programa delinquentes, etc.

Se alguém discordar eu posso mostrar dezenas de exemplos aqui mesmo no blog.

Responder

    Vili Beck

    20 de julho de 2011 às 08h24

    É claro que gays também são vítimas de latrocínio, violência no trânsito, crimes passionais, etc. A diferença é que, como exemplifica bem este caso, são vítimas de violência simplesmente por serem gays, o que não acontece com heterossexuais. Se fossem pai e filhA abraçados este caso simplesmente não teria acontecido. Se isso não é homofobia, o que é?

    ana

    20 de julho de 2011 às 09h34

    mostre. mas a estatística deve ser de um instituto sério, tipo IBGE. ok?

    Arriagada

    20 de julho de 2011 às 13h13

    Aprenda:

    Bê, a: Bá
    Bê, é: Bé
    Bê, i: Bí
    Bê, ó: Bó
    Bê, ú: Bú

    Agora a segunda lição; aprenda a enxergar a chamada metalinguagem dentro um texto…

    Marcelo LIncoln

    21 de julho de 2011 às 09h59

    Leonardo eu discordo, agora estou esperando você mostrar os exemplos………….

Mac

19 de julho de 2011 às 20h37

Culpa do Bolsonaro , cadeia nele !!!

Responder

Leider_Lincoln

19 de julho de 2011 às 20h10

Parabéns PSDB, por mais esta contribuição ao civismo nacional. Ou vai o PSDB alegar que não é responsável pelo que fez o Serra e outros protofascistas, como o Beto Richa? E viva São Paulo, a locomotiva da nação, orgulho do Brasil!

Responder

    Klaus

    19 de julho de 2011 às 20h38

    Aí Leider, vais ganhar vários dedinhos pra cima!!!!! Score!!!!!

    ana

    20 de julho de 2011 às 11h15

    e você, como sempre, vai ganhar inúmeros dedinhos para baixo.

    Francisca Caldeiras

    20 de julho de 2011 às 09h37

    Sou fã dos seus comentários.

Klaus

19 de julho de 2011 às 19h34

Bater em gay é a maior viadagem!

Responder

    Marcelo Fraga

    19 de julho de 2011 às 22h15

    Essa sua piada foi tão engraçada que eu até imagino você dessa forma depois de inventá-la:

    [youtube j1yvFUw2ANg http://www.youtube.com/watch?v=j1yvFUw2ANg youtube]

    Leider_Lincoln

    20 de julho de 2011 às 00h45

    Aí, Klaus: vai ganhar vários dedinhos para baixo! Não fosse a Dona Lourdes eu te daria uma excelente sugestão do que você poderia fazer com eles…

    Elton

    20 de julho de 2011 às 10h44

    Excelente dica!!! Ele entendeu…….e deve ter apreciado!!!

    ana

    20 de julho de 2011 às 22h47

    discordar de gente como você dá vários dedinhos pra cima

Leonardo

19 de julho de 2011 às 19h20

Art. 129 do CP – Ofender a integridade corporal ou a saúde de outrem:
Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano.

Se alguém pratica esse ato contra mim ou outro heterossexual, a pena é essa.

Por que um grupo que sofre o mesmo crime, deve ter privilégios, deve ser considerado especial?

Responder

    tavaresdemello

    19 de julho de 2011 às 20h09

    Porque, no caso, a agressão foi cometida pelo simples fato de as vítimas supostamente pertencerem a um determinado "grupo". E não se trata de um caso isolado e sim, recorrente. Precisa desenhar?

    Leonardo

    19 de julho de 2011 às 20h31

    Então vamos inventar uma lei especial para todos os comerciantes que forem assaltados, porque ele sao assaltados e mortos pelo simples fato dos bandidos os identificarem como vitimas prediletas?

    Eles nao pertecem a um determinado grupo (comerciantes)?

    Então, lei diferente pra eles?

    Preciso desenhar para voce entender que seu argumento é estapafúrdio e não tem lógica?

    Marcelo Fraga

    19 de julho de 2011 às 22h07

    Deixa de ser estúpido. Nestes casos de agressão os gays são atacados simplesmente por gostarem de pessoas do mesmo sexo. Não é uma escolha, é algo que nasce com o indivíduo.

    Do mesmo modo que alguns policiais bateram em um estudante baiano que fazia intercâmbio em uma universidade aqui no interior do RS. Bateram no cara simplesmente porque ele era negro e nordestino. Vai dizer que não precisamos de leis que punam esses animais que agridem pessoas dessa forma? O mesmo vale para os homossexuais.

    O seu "exemplo" do comerciante assaltado é ridículo, exceto se você acreditar que certas pessoas já nascem predestinadas a serem comerciantes. Neste caso você deve conversar mesmo é com um psiquiatra.

    Leonardo

    19 de julho de 2011 às 23h19

    Acho que burrice é pouco para definir suas idéias:

    "Do mesmo modo que alguns policiais bateram em um estudante baiano que fazia intercâmbio em uma universidade aqui no interior do RS. Bateram no cara simplesmente porque ele era negro e nordestino. Vai dizer que não precisamos de leis que punam esses animais que agridem pessoas dessa forma? O mesmo vale para os homossexuais. "

    Ô menininho, voce fala como se nao houvesse uma PENA para esses policiais, como se fosse autorizado a eles bater em quem quer que seja, pelo motivo que lhese seja mais fétil.

    Se qualquer pessoa é atacada por quem quer que seja injustamente, JA HÁ LEIS QUE PUNEM O INFRATOR!

    Repita comigo, pra ver se entra nessa sua cabecinha de porcelana:

    Se qualquer pessoa é atacada por quem quer que seja injustamente, JA HÁ LEIS QUE PUNEM O INFRATOR!

    Se qualquer pessoa é atacada por quem quer que seja injustamente, JA HÁ LEIS QUE PUNEM O INFRATOR!

    Outra coisa:

    "Bateram no cara simplesmente porque ele era negro e nordestino."

    Como voce sabe disso? Só porque a suposta vitima falou? Voce acredita em tudo que te falam?

    ana

    20 de julho de 2011 às 09h36

    e eles estão presos? foram processaods? afastados da polícia?
    Leonardo, você não vê porque não quer. está tudo bem aí na sua frente.

    Marcelo Fraga

    20 de julho de 2011 às 12h38

    Bem, agora sei que falo com um estúpido, daqueles que preferem acreditar no criminoso ao invés de acreditar na vítima.

    Nunca havia me deparado com troll tão estúpido.

    Como o seu cérebro só deve absorver algum conhecimento útil por meio de osmose, eu desisto.

    Me recuso a discutir com alguém de idéias (copiadas, não próprias) tão retrógradas, reacionárias, fascistas até.

    alex85

    19 de julho de 2011 às 21h26

    Leonardo, simplesmente o objeto de maior valor que foi violado no ato não foi a integridade física, mas sim a dignidade do indivíduo. Por ser homossexual, (no caso não era) ele foi agredido, ou seja, existem grupos sociais mais vulneráveis e suscetíveis a pressões contra sua dignidade. Para defendê-los o Estado deve atuar.
    A dignidade é o bem maior que um indivíduo pode ter. Uma pessoa pode ser agredida numa briga, provocada ou não por ela, mas subentende-se que a principal intenção é a agressão e não a ofensa a uma escolha ou condição étnica ou sexual.

    Leonardo

    19 de julho de 2011 às 22h26

    "Para defendê-los o Estado deve atuar. "

    Mas para defendê-los, assim como a todos, o Estado já não atua através da sanção penal?

    Se alguém bate num homossexual, seja pelo fato dele ser homossexual ou não, já não existe uma pena específica (lesão corporal, art. 129 do CP)?

    Gênio da lampada

    20 de julho de 2011 às 16h34

    Não, porque o ato é acompanhado de ódio as minorias/diferenças, com o intuito claro de matar ('sumir') com o 'que não aceito'.

    É tentativa de homicídio,moral ,física, completa. Não há necessidade de criar novas leis, basta enquadralas no artigo penal 121…

    @BorbaGabriel

    20 de julho de 2011 às 23h08

    Estranha-me você escrever essas coisas como se você entendesse do assunto. Não existe um projeto para criar um grupo com maiores privilégios do que outros, nos casos os homossexuais sobre os heterossexuais. O que existe é um projeto que especifica uma nova natureza de discriminação para uma lei que já existe, e a especificação diz respeito a orientação sexual, termo que não acho correto, mas que ainda assim não faz acepção de pessoas, pois sua heterossexualidade também é uma orientação. Leia melhor o que você critica, o texto do PL 122/06 e veja que você está repetindo apenas um discurso medíocre.

Arthur Schieck

19 de julho de 2011 às 18h47

O vilão dessa história toda, por incrível que pareça, não é a mídia. A globo por exemplo vem adotando em suas novelas uma abordagem bastante positiva sobre o tema. O problema está nos templos. Todo o ódio homofóbico que vivemos hoje está sendo alimentado ferozmente por pastores e padres e afins. E exclusão das igrejas na lei contra a homofobia é um crime e precisa ser revista. Não entendo esse zelo que há com as religiões. Crime é crime e ninguém tem o direito de comete-lo.

Responder

    Gersier

    19 de julho de 2011 às 19h23

    Concordo,lembram que até levaram o padim/pastor "cerra" para falar aos "fieis"?

    Poracebano

    19 de julho de 2011 às 22h03

    O Pior é que um dos religiosos e aproveitadores que motiva a intolerância não é nada mais nada menos que um bispo filho aqui da terrinha, (SJoão da Boa Vista), leia se D. Luiz gonzaga Bergonzini, Bispo de Guarulhos. E pensar que tudo ocorreu em uma amgiente festivo, cheio de gente. É o cumulo da ignorancia de vagabundos e pairas. Em nome dos Sanjoanenses peço desculpas as vitimas e a todas pessoas de bem.

    Poracebano

    19 de julho de 2011 às 22h08

    O pior que a Legislação é falha, ou seja, sou aqui da terrinha, leia se São João da Boa Vista. No caso, a Policia trabalhou incansavelmente e já encontrou dois dos autores do fato, representou contra os mesmos mais a Justiça não aceitou a preventiva a mingua de Lei eficaz. Assim, não obstante um deles tenha até mesmo confessado a infração penal por determinação judicial foi colocado em liberdade no mesmo dia, (19/07/2011)

    Elton

    20 de julho de 2011 às 10h48

    Infelizmente no Brasil "mexer com religião" é um grande problema. Esses caras têm um poder de mobilização muito grande. Moro em uma cidade de interior, quase todo mundo católico praticante e se tiver missa quinze vezes por dia, a igrejinha estará lotada em todas elas!!!

    beattrice

    21 de julho de 2011 às 15h46

    Mas o lobby religioso no BRASIL vive às expensas do ESTADO, basta conferir as isenções fiscais que o beneficiam em todas as esferas, da municipal à federal.

Tânia

19 de julho de 2011 às 18h31

O crescimento de grupos neonazistas é preocupante e não apenas no interior de São Paulo, mas na capital também. A imprensa tem tratado como grupos isolados, mas os fatos dizem outra coisa. Está na hora das autoridades deixarem de pôr panos quentes e enfrentarem o problema. Está na hora da sociedade deixar de olhar de lado e enfrentar o problema. A serpente do nazismo nasce de um ovo muito inocente e, se deixarmos, vira um monstro. E não podemos dar espaço a candidatos que fazem o discursos da ultradireita, como: Serra, Miriam Ryos e Bolsonaros da vida.

Responder

    Fabricio Alves

    19 de julho de 2011 às 23h19

    correto!! disse tudo.

    beattrice

    21 de julho de 2011 às 15h44

    Vale a pena ressaltar que o nazifascismo espanhol, concretizado na figura do Franco, foi apoiado diuturnamente pelo OPUS DEI que sustenta e apoia o des-governador de SP.

robledo duarte

19 de julho de 2011 às 18h20

Porque estas coisas somente acontecem em São Paulo?

Responder

    Klaus

    19 de julho de 2011 às 20h40

    Não é que só aconteça em São Paulo. Só aparece aqui quando é em São Paulo. Conhece o Google? Dá uma olhada lá.

marcia

19 de julho de 2011 às 18h19

E afirmo, 70% da população brasileira é contra a lei que puna a homofobia. É o país da hipocrisia.

Responder

Euripedes Ribeiro

19 de julho de 2011 às 18h00

Pior é que se os dois agredidos eram pai e filho, como nossa justiça é refem do "quem dá mais", os dois, que ora são vítimas, poderão passar a ser réus em um processo por incesto!

Responder

Francisco

19 de julho de 2011 às 17h56

Homofóbico que é homofóbico não beija homem, logo não beija filho. Quando vê gente capaz de se amar, pai e filho, mãe e filha, irmãos entre sí, irmãs entre sí, homossexuais homens ou homossexuais mulheres, estranham.

Esse pessoal que ama a Deus demais, frequentemente, não ama gente.

Responder

    Francisco Sena

    20 de julho de 2011 às 15h23

    Para Francisco,

    "Esse pessoal que ama a Deus demais, frequentemente, não ama gente."

    Brilhante Francisco.

beattrice

19 de julho de 2011 às 16h26

Mais um brilhante episódio que expõe a Caixa de Pandora aberta em 2010 pelo Zé da Bolinha.
O problema é que nada, rigorosamente nada, foi feito para apurar as responsabilidades pelos inúmeros crimes cometidos por ele e seu séquito durante toda a campanha, e o resultado de tamanha impunidade é o que se vê.
A lei anti-homofobia deveria ser expandida, para englobar todos os crimes cometidos com base em discriminação por raça, gênero, etnia, religião, sexualidade etc.
Isso geraria um movimento social de amplos setores viabilizando sua aprovação, se o governo resolver se mexer, evidente.

Responder

Morvan

19 de julho de 2011 às 16h23

Boa tarde.
Vi esta notícia pela manhã, na imprensa "limpa" (não me lembro do sítio). Não posso alegar estarrecimento, pois nada ou quase nada mais me estarrece. Depois de um tempo de vida, você começa a entender a dinâmica de uma sociedade com valores "globalizados", "muderna"(sic!) "pra frente". Admira as reportagens dizerem que eles são jovens. Estes agressores doidivanos são, no máximo, velhos com pouca idade. Jovens conservando o mundo reacionário… jovens conservadores(?).
Jovem é quem ainda quer mudar as coisas e não deixou de sonhar.

Morvan, Usuário Linux #433640.

Responder

    Robson

    20 de julho de 2011 às 08h57

    Excelente sua expressão "velhos com pouca idade". Eu estava lendo o sociólogo Bourdieu ontem e ele falava sobre os "revolucionários conservadores" nas três primeiras décadas do século XX na Alemanha.

    Morvan

    20 de julho de 2011 às 18h29

    Boa noite.
    É, eu sempre pontuei. Claro que eu também já fui jovem (e um jovem bem convencional, tentando mudar tudo).
    A propósito, você tem algum elo de ligação para sugestão de leitura, sobre estes textos que você lê ora?

    Abraços,

    Morvan, Usuário Linux #433640.

Jair Almansur

19 de julho de 2011 às 16h21

É preciso indagar mais profundamente, como alguns jovens chegam ao ponto em que chegaram os agressores será que os pais, professores, meios de comunicação, sociedade em geral não nem nada com isso. Que falem os antropólogos, psicologos e filosofos sobre a metamorfose de homens em monstros. Vejo aqui, entre os comentaristas, gente tão raivosa que penso que seriam capazes de atos semelhantes.

Responder

    kaiser II

    19 de julho de 2011 às 21h03

    Jair, é difícil realmente chegar a uma resposta, mas o conjunto de coisas que vemos no nosso dia-a-dia, seja na tv, no jornal, nas revistas ou nos rádios, nos dá uma clara visão de quanto é violento o Brasil, e mais, a violência virou espetáculo, travestida de noticiário em programas do tipo que o Datena apresenta, a própria Band e a Record duelam com tais fatos no vespertino do dia, e quantas crianças ficam extasiadas frente a tanta desgraça… A cultura da violência transformou a tragédia em produto de consumo, porque noticiar-se à exaustão casos como o do goleiro Bruno, o caso Nardoni, o da japonesa, advogada, sacrificada pelo namorado, o que trazem de bom para a nossa sociedade, além de ser um diário exercício de raiva, dirigida por um apresentador que repete a mesma falta de notícia uma, duas horas a fio. O nosso povo escolhe mal o que vê, apesar da já pequena possibilidade de escolher…

Marcelo Fraga

19 de julho de 2011 às 15h32

E os crentes de sempre continuam bradando que não é necessária uma legislação que puna quem comete atos como esse. Querem mesmo é ter o direito que humilhar aqueles que lhes parecem "aberrações", anormais".

Aberração é alguém que acha que tem o direito de ferir o outro porque é "diferente".

E assim vamos, sem lei, sem polícia, sem segurança e desarmados.

Responder

    @_taw_

    19 de julho de 2011 às 16h48

    Só faltou você dizer que esses violentos agiram com tal violência a mando de algum pastor, ou de algum padre, e que todos eram crentes FANÁTICOS…

    assim, então, sendo assim, por via das dúvidas é melhor prender todos os crentes que dizem que o ato sexual homossexual é imoral…

    Os crentes dizem o mesmo dos adúlteros, nem por isso os adúlteros são espancados no Brasil… Além do mais, esses que praticaram tal violência, pelas leis vigentes deveriam ser presos.

    Eu ainda não entendo pq há no mundo tanto ódio contra os crentes e contra os judeus… tudo é culpa deles. Até uma atrocidade dessas… -.-"

    brasileira

    19 de julho de 2011 às 19h35

    andando pela rua, como se reconhece um adúltero?

    @_taw_

    19 de julho de 2011 às 23h19

    Da mesma forma, que identificaram esses "dois homossexuais"… quem é violento, não precisa de certeza, precisa só ser criativo o suficiente pra inventar um pretexto, e executar sua vontade.

    ana

    20 de julho de 2011 às 11h18

    te perdi de vista.

    romos

    19 de julho de 2011 às 18h01

    È uma absurdo esse fato, cana nesses agressores. Mas também não vamos ser contra o preconceito com preconceito.

    ANNA

    20 de julho de 2011 às 03h22

    Qual é a sua sujestão??

    Sair por ai agredindo aos "crentes" por exigirem que se cumpra a lei de liberdade de pensamento, de opinião e de religião ?

    Quantos "crentes" vc tem notícia de que agrediu algum gay só pelo fato dele ser gay, ou mesmo tenha incentivado a violência contra essas pessoas ?

    Foram "crentes" que bateram na empregada doméstica no ponto de `^onibus no Rio?
    Foram crentes que queimaram o Indio em Brasilia?
    Foram Crentes que deixaram um rapaz em SP praticamente inutilizado na saída de uma boite ?
    e casos.. e casos…

    Se meia dúzia de mau carater, ligado a religião, sai por aí dizendo besteiras e se associando a quem não deve, isso não é motivo para "colocar na conta" de todos os Cristãos verdadeiros, que pregam e praticam o amor e tolerãncia com o próximo.

Luci

19 de julho de 2011 às 15h07

Se houvesse punição exemplar da justiça, estes casos não se repetiriam.

Responder

Sebastião Medeiros

19 de julho de 2011 às 14h31

A explicação para este fato lamentável protagonizado por estes jovens pode ser de ordem psicológica como projeções de seus medos enrustidos e outros distúrbios emocionais ,porém há outros motivos, eu que viajo muito pelo interior de São Paulo noto a ressurgimento de vários movimentos neofascistas,notadamente o Integralismo e o renascimento de um Catolicismo ultraconservador pré 1958 e pré Vaticano II estilo TFP.

Responder

    beattrice

    19 de julho de 2011 às 16h21

    Esse catolicismo ultraconservador em SP é alimentado e nutrido, inclusive financeiramente, pelo OPUS DEI, a base eleitoral do des-governador Alckmin.

    Gersier

    19 de julho de 2011 às 19h29

    É bom não esquecermos daquele "pastor" ,o tal mafáia que por diversas vezes foi ao programa do Ratinho "berrar" contra a Dilma e a favor do "cerra",já que esse,num cinismo total,ora declarava ser a favor,outra hora contra a união dos homosexuais.

    Aline C Pavia

    19 de julho de 2011 às 19h45

    Vamos ver quantos votos o neo-santinho do pau oco Chalita vai ter no ano que vem??

fátima mattos

19 de julho de 2011 às 14h30

Isso é um absurdo,onde vamos parar?O Brasil precisa de leis mais sérias;que punam esses bandidinhos safados.

Responder

Francisco Mendes

19 de julho de 2011 às 14h30

Como são filhinhos de papai, os homofóbicos agressores não serão identificados pelo delegado. Se fosse um policial espancado, em menos de 24h todos estariam identificados e presos. Cadê a OAB? Cadẽ o Ministério Público?

Responder

fabio

19 de julho de 2011 às 14h16

Caso a justica nao faca seu papel, e acredito que nao fará para nao fugir à regra, que se aplique a lei de talião, quando esta retornar as coisas vão melhorar exponencialmente. O problema é a certeza da impunidade, isso dá forca às hordas de marginais que atormentam a vida dos cidadaos, marginais estatizados ou nao. Torco pelo dia em que as pessoas exaustas de esperar o socorro daqueles que deveriam nos proteger e se vendo abandonadas comecem a reagir com a mesma forca às agressoes, e nem vem dizer que isso é a barbarie, barbarie é ser a vitima dia após dia sem ninguem que nos defenda, o abandono em que estamos é a barbarie.

Responder

Aline C Pavia

19 de julho de 2011 às 13h54

Obrigada José Serra!
Obrigada Jair Bolsonaro!!
Obrigada Miriam Rios!!

Responder

    ricardo silveira

    19 de julho de 2011 às 17h08

    Acrescento, se for permitido usar tais termos: o primeiro é um velhaco, oportunista e irresponsável; o segundo, um boçal e, a terceira é uma pobre ignorante e idiota.

    El Cid

    19 de julho de 2011 às 19h58

    aos 3 que continuam semeando a discórdia: terão sua colheita em breve… e será obrigatória !!

Gênio da lampada

19 de julho de 2011 às 13h22

Isso já é demais, olha o nível…. Que passem a lei contra homofobia, nem que seja por caráter 'temporário'.
Deveriam ser atuados por tentativa de homicídio também.

Ps: Morder orelha de homem é o que, agressor? Deve ser muita macheza….

Responder

Jairo_Beraldo

19 de julho de 2011 às 13h01

sabe quando este delegadinho vai apresentar os agressores? Quando a senhora mãe dele o parir de novo!

Responder

Julio Silveira

19 de julho de 2011 às 12h51

Francamente, não venham me dizer que os que fizeram isso são gente, são humanos.
Para mim, está mais que hora de se colocarem as coisas no seu devido lugar, tem seres monstruosos andando por aí, se aproveitando de premissas que foram feitas para os humanos, se beneficiando delas e predando os humanos de verdade, alguma coisa tem de ser feita quanto a isso e enquadrá-los na categoria a que pertencem de fato, de bestas feras.

Responder

    Rhael

    19 de julho de 2011 às 13h18

    São gente, que nem você, que vê tevê, trabalha, come, vai no mercado, namora e nega a existência do que não quer admitir…

    Julio Silveira

    20 de julho de 2011 às 10h23

    Não é gente como eu, pode ter semelhança fisica comigo, aparencia humana como eu, mas difere sutilmente e grandemente de mim no que podemos qualificar como humano. Sua colocação foi pessima, pessoas como voce que vê semelhança entre eu e eles, pode ser até entre você e eles, ainda não entendeu a essencia das artimanhas que eles usam. E enquanto proliferar gente como voce eles serão mais importantes que nós.
    Voce é a vitima que todo predador gostaria de ter, aquela que pode amar quem lhe destroi. Quem sabe, voce não esteja doente e não saiba, talvez você já seja vitima da sindrome de estocolmo e nem tenha se dado conta.

Suiá

19 de julho de 2011 às 12h43

É inacreditável o retrocesso em que estamos entrando…a intolerância de jovens contra a própria existencia…não sei onde vamos parar…

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.