VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


O assassinato de Santiago no Rio e a injustiça contra Marcelo Freixo
Denúncias

O assassinato de Santiago no Rio e a injustiça contra Marcelo Freixo


10/02/2014 - 16h01

protesto_censurado

Santiago Ilídio Andrade, 49, repórter cinematográfico da TV Bandeirantes, morto barbaramente no Rio de Janeiro durante protesto contra aumento de tarifas.

Tragédia no Rio

A injustiça contra Marcelo Freixo

Noticiar, simplesmente, que um dos suspeitos de atingir o cinegrafista no Rio tem “ligações” com o deputado é exemplo de mau jornalismo

por Pedro Estevam Serrano — publicado 10/02/2014 13:55, última modificação 10/02/2014 13:59

na CartaCapital

Vejo nos principais veículos de noticia a informação do falecimento trágico do cinegrafista da TV Bandeirantes em virtude da explosão do rojão promovida por manifestantes no Rio de Janeiro.

Segundo os portais, a policia prendeu um suspeito que já identificou outro suposto agente da conduta, aparentemente fechando o quadro dos agentes do delito.

Por óbvio a conduta de tais suspeitos, se verdadeiras as notícias, não se deve confundir com o legítimo exercício do direito à livre expressão e manifestação de milhares de pessoas que protestavam pacifica e legitimamente contra o aumento tarifário do transporte coletivo, sempre motivo de justa insatisfação.

Não se trata também de um “abuso natural” inerente a grandes concentrações. Trata-se de um homicídio, crime grave e violento que deve ser punido com rigor, pois não se trata de ato contra a propriedade, de ofensividade menor. Foi um ato contra a vida cujas circunstâncias indicadas no noticiário mostram não um resultado imprevisto e acidental, mas uma intenção de ofender a integridade física do cinegrafista, que naquele momento apenas exercia sua profissão.

Ato cruel que apenas tem por resultado, além da trágica morte de um pai de família que nada tem a ver com as autoridades contra as quais se protestavam, colocar a população em geral contra os movimentos reivindicatórios, que por sua vez em momento algum estimularam este tipo de prática criminosa.

O que é relevante é que o crime de um não pode macular o legítimo exercício do direito a manifestação de muitos.

Neste sentido, ao que parece em primeira impressão, andou muito bem o trabalho da Policia Judiciária carioca no caso: rapidamente identificou os agentes do crime e caminha para esclarecer o delito com uso de seu aparato de inteligência, e não da violência.

A mesma boa conduta, contudo, não teve nossa mídia ao noticiar de forma espalhafatosa o que seria uma suposta “ligação” de um dos supostos agentes do delito com o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), homem público de grande valor na luta pelos direitos humanos em nosso país.

Pelo noticiado, uma pessoa declarou a um estagiário do advogado de um dos suspeitos que o outro suspeito seria “ligado” ao deputado.

Em anos de militância na advocacia, creio que nunca encontrei palavras mais dadas a maledicência injusta, apressada e futriqueira do que as expressões “ligado” e “envolvido”.

A vaguidade semântica de tais conceitos serve perfeitamente a qualquer intento difamatório de boas pessoas.

O que significa um dos suspeitos ser uma pessoa “ligada” a Marcelo Freixo em relação ao delito em questão? Certamente nada.

Pode ser um eleitor de Marcelo Freixo, um amigo seu, um parente, um assessor ou simplesmente ser ninguém, não ter relação alguma com ele.

Nenhuma dessas hipóteses depõe contra Marcelo Freixo. Nada se pode dizer contra ele. Só se poderia querer envolvê-lo no crime e na tragédia se algum indício houvesse de que ele tenha comandado a conduta, o que obviamente não ocorreu.

Entretanto, o tom das notícias e comentários da internet é de “suspeita” de seu envolvimento no delito, sem evidência ou indício algum.

Uma imensa injustiça, própria de um mau jornalismo “ligado” a péssimas intenções políticas.

PS do Viomundo: Abaixo, a escabrosa manchete do G1, das Organizações Globo, sobre o assunto.

Leia também:

Gilberto Maringoni: Black Blocs justificam a violência policial

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



107 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Hell Back

25 de fevereiro de 2014 às 00h00

Onde está o “jornalista” do jornal da band que antes estava incentivando a violência? Desapareceu? Vai continuar incentivando a violência?

Responder

Claudio Freire

18 de fevereiro de 2014 às 10h58

Azenha, o PT soltou nota se solidarizando com o Marcelo Freixo contra a “sanha da mídia empresarial brasileira”. Segue a nota:

“A morte do cinegrafista Santiago Andrade deve servir de alerta para algumas reflexões. Em primeiro lugar, solidarizamo-nos com amigos e familiares da vítima, cuja perda e dor deve ser respeitada, e não espetacularizada ou apropriada por uma ofensiva conservadora. Criticamos duramente a ação de pequenos grupos que substituem a organização popular, o trabalho de base e o debate político pelo uso performático da violência, prestando um desserviço às lutas por mais direitos e pela radicalização da democracia, servindo de pretexto para o aumento da repressão, colocando em risco a integridade dos próprios manifestantes e diminuindo a adesão popular aos movimentos de massa.
Para nós, do PT, a construção de uma sociedade em novas bases é uma tarefa de milhões de pessoas, e ações irresponsáveis e de legitimidade social reduzida não contribuem para a superação das desigualdades que ainda existem em nosso país. No entanto, não concordamos que o episódio que vitimou Santiago – que deve ser devidamente apurado, e processados os responsáveis – sirva como cortina de fumaça para encobrir a escalada de violência policial, que vitimou mais de uma dezena de pessoas, inclusive nas manifestações, ou como pretexto para tentativas conservadoras de alteração na legislação brasileira, como o PL-499 (conhecida como “lei anti-terrorismo”) ou a proposta do secretário estadual de segurança de tipificar o crime de desordem, abrindo perigosas janelas para o aumento da criminalização dos movimentos sociais.

Por último, solidarizamo-nos com o PSOL e o deputado estadual Marcelo Freixo, vítimas recentes da sanha da mídia empresarial brasileira, sempre disposta a atacar as ideias, as organizações e as lideranças da esquerda brasileira, como ocorre sistematicamente contra o PT, sendo a cobertura do julgamento da AP-470 um caso emblemático. Entendemos os ataques desferidos contra o deputado e o seu partido como parte de um processo mais amplo de disputa ideológica – como ficou explícito nos editoriais da imprensa sobre o VI Congresso Nacional do MST, cabendo a todos e todas que lutam por um mundo melhor uma postura mais generosa entre nós e de repúdio à campanha difamatória orquestrada.”

Responder

irineu

15 de fevereiro de 2014 às 00h22

Azenha e leitores,
Sei que o que vou divulgar aqui não tem nada haver com o assunto
Porem é muito importante, pois nesse vídeo “informa” que os EUA financiam essas manifestações que ocorrem no mundo afora
Muito sinistro isso.

http://www.youtube.com/watch?v=fVq82tW6LdU

Responder

carlos

13 de fevereiro de 2014 às 21h52

Reforma politica já, como é que um pequeno partido paga esses manisfestantes, ora eis resposta com dinheiro do contribuinte ou atrvés do fundo partidario, ou través de caixa dois dos grandes partidos, exemplo aí os tresalões da vida, está na hora de acabar com essa parafenalia , o povo brasileiro não pode financiar violencia, chega de hipocrisia, pelo fim do fundo partidario, quem quiser baderna que pague inclusive com as consequencia da violencia. Outra sugestão que eu faço aqui vamos acabar com o financiamento de passagens e hospedagem para politicos que se elegem para o congresso nacional, é só fixar residencia em Brasilia e pronto, não ficar gastando o dinheiro do contribuinte, com escritorio nos estados pelo Brasil.

Responder

henrique de oliveira

13 de fevereiro de 2014 às 11h00

A meses atras um dirigente do partido de extrema direita o Psol , vivia glorificando esses terroristas dos black bostas e do mpl , agora estão tirando da reta , mas a pratica desses caras junto com o pig , é essa mesmo , quebrar tudo que tem pela frente inclusive pessoas , ja demostraram isso varias vesez e ja produziram varios cadáveres por onde passam.
O que deu errado é que foi um cinegrafista do proprio PIG que morreu ai fedeu.

Responder

    João Carlos

    26 de fevereiro de 2014 às 21h03

    PSOL de extrema direita?????

    parei de ler aí…

Marcos Antonio Silva

12 de fevereiro de 2014 às 23h54

Só lembrando que é inverossímil demais acreditar que PSOL, PSTU ou outros partidos minúsculos paguem qualquer quantia para manifestantes de aluguel. Isso é uma grande piada. Só acredita nisso quem se liga na Globbels…

Desde o início dessas manifestações, os infiltrados são ligados aos governantes, P2s, associados, etc. O que aconteceu foi um acidente infeliz, uma tragédia. Agora, quem fabricou o rojão? Onde foi comprado? Quem teria jogado no chão? Quem transformou o rojão em buscapé?

Tudo isso a “puliça” nem investigou. Depois de flagrarem um helicóptero com 500 kg de cocaína pura, agora descobriram que a maior criminosa do Brasil é uma jovem de 40 quilos que atende pelo nome de “Sininho”!!!??? O brasileiro está ficando completamente mal informado…

Responder

FabioT

12 de fevereiro de 2014 às 20h32

eu não ponho a mão no fogo pelo freixo, nem pelo psol, alias é precipitado dizer que ele tem ligações como é precipitado dizer que não…
tem muito “manifestante” do psol, pstu , isto é fato.
-advogado assessor do freixo defende manifestantes presos, inclusive o tatuador fabio raposo
-dirigente edinho silva defendeu união com black blocs, só faltou chama-los de santos, bom não tem nenhum santo nessa estoria…

Responder

Wildner Arcanjo de Morais

12 de fevereiro de 2014 às 18h38

O problema é que as vezes o pitbull mal treinado acaba matando o dono. E este é o caso. Bem, não vou julgar se ele é ou não associado a deputado a,b ou c, mas que ele é associado a alguma força política, que neste momento deve estar dizendo “criamos um monstro!” ah… disso eu tenho certeza!

Responder

Bonifa

12 de fevereiro de 2014 às 16h34

O caso da morte do cameraman se complicou e muito com a revelação do advogado do suspeito Caio de que existe uma vasta organização por trás das manifestações Black Bloc. A organização distribuiria, já dentro das manifestações, máscaras contra gases, rojões e outras espécies de objetos, além de pagar aos jovens 150 reais por participação. Haveria também remuneração por página de adesão de pessoas na Internet.

Diante dessa revelação, as primeiras perguntas a serem feitas são se esta organização ou se estas organizações se restringem à parte violenta das manifestações ou se dizem respeito também à promoção da parte dita pacífica das mesmas. E se elas têm origem nacional ou estrangeira, se são ONGs, partidos políticos, institutos ou associações sociais formais ou informais e por fim se são de esquerda ou de direita.

Para quem não acredita que o Brasil, com sua postura internacionalmente independente, com seu crescimento e suas conquistas sociais e econômicas enormes dentro de um quadro mundialmente recessivo e sem muitas perspectivas, tem contrariado fortemente interesses internacionais do chamado Bloco Ocidental, a ponto de provocar reações objetivas de setores deste bloco visando a desestabilizar o seu governo e provocar um retorno do país ao rumo de dependência econômica e alinhamento de política externa que ele tinha antes de dez anos atrás, lembramos este post de teoria conspiratória publicado pelo Cafezinho, ainda de 2013, ressalvando que este é apenas um dos posts que falam de ações externas contra o Brasil: http://www.ocafezinho.com/2013/12/05/teoria-da-conspiracao-alemanha-contra-o-brasil/

Colocamos este post apenas para que não se descarte esta possibilidade externa, ainda que mínima, entre as possíveis organizações suspeitas de fomentarem as manifestações de rua no Brasil, principalmente as manifestações contra a Copa.

Com a constatação de que existe uma organização, ou algumas organizações, a promoverem as manifestações no país e a promoveram as ações de violência no interior destas manifestações, este caso da morte do cameraman se complica ao extremo. A investigação sobe de nível de interesse para as máximas alturas. Não pode absolutamente se restringir ao nível da polícia estadual. Requer investigação de uma equipe de elite da Polícia Federal e de outros setores da inteligência de segurança nacional.

Sabemos que já houve tentativa de envolver um partido de esquerda na responsabilidade pelos acontecimentos. Mas tanto o rapaz de nome Fábio como o outro de nome Caio se mostraram apavorados com a possibilidade de que a organização por eles referida viesse a matá-los para se preservar em segredo. Queriam até fugir do país. E é um absurdo para qualquer analista da cena política que o PSOL venha a representar ameaça de morte para qualquer de seus manifestantes apanhados em qualquer situação. É ridículo até pensar que o PSOL possa financiar manifestações a 150 reais por cabeça.

Entretanto, organizações de estofo nazifascista, abertas ou camufladas, bem podem chegar a tais limites. E se tiverem ligações externas, estes limites podem ir muito mais longe.

Responder

Hélio Pereira

12 de fevereiro de 2014 às 14h12

Segundo o Jovem Caio que acendeu o Rojão,que tirou a vida do cinegrafista da BAND,muitos Jovens são CONTRATADOS pra participarem dos atos e praticarem VANDALISMO. O garoto disse que fugiu porque temia ser assassinado por pessoas ligadas a estes grupos que recrutam Jovens. Eu acho que a PF tem de entrar nesta história e verificar se estas afirmações procedem,uma vez que o próprio Advogado do Caio confirmou estas acusações de cooptação de Jovens pra atuarem nos Protestos violentos. Tudo indica que existem ONGs estrangeiras e Partidos Politicos por traz destes ATENTADOS TERRORISTAS .
..

Hélio Jacinto Pereira isto é muito estranho.

alguns segundos atrás · Curtir
..

Escreva um comentário…

Responder

Mancini

12 de fevereiro de 2014 às 10h26

Azenha, Conceição, se esta mídia e seus órgãos corporativos dedicassem 1% do tempo gasto com esse trágico episódio com a divulgação, esclarecimento sobre a censura, truculência e a prisão do dono do Novojornal – que já está fora do ar desde tarde/noite de sábado(8/2); já estaria de bom tamanho.

Mas preferem blindar os verdadeiros bandidos( Como também da mesma forma a Tv Brasil, o MJ, a SNDH…! (http://refazenda2010.blogspot.com)

Responder

Bode do Lula

12 de fevereiro de 2014 às 00h26

É preciso que se diga que quando a PM do Alkmin combateu esses logo no começo, até petista elogiou a bravura do governador.

Responder

Luís Carlos

11 de fevereiro de 2014 às 22h55

A manchete do G1 é de fato escabrosa. Porém cabe perguntar: que relação tem o PSOL com o Balck Bloc e com Anonymous? Ou as informações de que integrantes do PSOL estão fazendo parte dessas situações de violência não tem fundamento?

Responder

Luís Carlos

11 de fevereiro de 2014 às 20h57

Quando PT era atacado pela grande mídia e criminalizado pelo PIG e STF, PSOL aplaudia, apoiando destruição do PT. Quem deu asas a Black Blocs e Anonymos deve assumir responsabilidade por morte de Santiago e quase tragédia do fusca em chamas.

Responder

Alexandro Rodrigues

11 de fevereiro de 2014 às 19h51

Tem que matar eh filho de governador! Tem que matar eh filho de ministro do STF! Tem que sequestrar eh netinho de presidenta! Tem que atacar o eixo do poder!

Claro que o que escrevi acima eh apenas uma retorica radical. Mas somente quando a dor da violencia afetar o eixo do poder no Brasil, talvez, alguma coisa concreta seja feita.

Nao consigo entender como em 12 anos de poder o PT nada fez em relacao a seguranca publica no Brasil. 50 mil pessoas assassinadas por ano! O que acontece no Brasil eh um holocausto popular. E enquanto o PT assiste isso de camorote, a direita se prepara com o discurso de `resolver a baderna e impor a ordem`.

Realmente temo pelo futuro, 2014 so esta comecando!

Responder

Carlos Ribeiro

11 de fevereiro de 2014 às 13h48

“Por óbvio a conduta de tais suspeitos, se verdadeiras as notícias, não se deve confundir com o legítimo exercício do direito à livre expressão e manifestação de milhares de pessoas que protestavam pacifica e legitimamente contra o aumento tarifário do transporte coletivo, sempre motivo de justa insatisfação.” Fica combinado assim então; no Brasil, está expressamente proibido qualquer reajuste de tarifa de ônibus.

Responder

abolicionista

11 de fevereiro de 2014 às 13h29

Nosso tempo não respeita os mortos. Já tornou útil a morte do jornalista, ela virou arma de guerra ideológica. É como se o morto morresse duas mortes. Uma nas barricadas e outra nas manchetes. A primeira morte é trágica, o morto morre sozinho, sem nome, perde a luta contra o tempo, os olhos se fecham, o ar já não vem. A segunda é farsa, o morto, que já não tem mãos, nem olhos nem boca pra morrer, morre com nome, profissão, endereço. Outras bocas gritam seu nome, mas para elas o nome nunca teve boca, olhos, mãos. A morte que gritam é a morte que desejam. E seu grito é o grito de uma multidão de mortos, gritos sem bocas, gestos sem mãos, olhos sem visão. O morto já é lama, e lodo, e coisa nenhuma. Mas seu nome ainda morre aos poucos em meio à multidão sem nome.

Responder

Jorge Portugal

11 de fevereiro de 2014 às 13h20

Alguém lembra quando a globo acabou com essa mulher? Tê-la acusada nacionalmente de tem matado a filha com overdose de cocaína e até hoje não pediu desculpa. E a família de japonês, que na época foi acusado em jornais da globo em molestar crianças. http://youtu.be/ueiNwsxyEUc. Até hoje a Globo continua fazendo vitimas, e continua por isso mesmo.

Responder

Luís Carlos

11 de fevereiro de 2014 às 12h02

Quantas quebradeiras foram causadas por manifestantes do Fórum Social Mundial? Quantas mortes de trabalhadores foram causadas por manifestantes do Fórum Social Mundial? Nenhuma.
Black Blocs conseguiram seu primeiro cadáver e mostram a covardia de assumirem seja atos. Sem lideranças, sem responsabilidade.

Responder

ricardo silveira

11 de fevereiro de 2014 às 11h21

Todos os partidos que apoiam os “ativistas” mascarados nessas manifestações de rua são fascistas. Uma vez no poder o que esses partidos vão fazer com os seus fascistinhas de rua? Alguém acredita, seriamente, que o discurso da mídia golpista contra essa molecada transformada em idiotas violentos é pela democracia?

Responder

augusto2

11 de fevereiro de 2014 às 10h25

sr dep marcelo freixo:

>eu nao sei se vossencia ja o fez, se NAO o fez faça agora:

Venha a publico, muuuuito bem publico, e diga, escreva, proclame mais ou menos os seguinte:

Eu, marcelo, CPF no. tal, nao aprovo, nao tenho ligaçoes, REPUDIO qualquer ato de pessoas assim, assim e assado, como por ex. blac blocs e
encapuzados que em manisfestaçoes de qualquer natureza, depredem, queimem, ou causem dano a bens publicos ou privados, usem armas que poe em risco a vida,integridade de pessoas, ou em atigudes que, por si mesmas, PONHAM OU ACEITEM POR EM RISCO essas vidas ou integridades fisicas. DATA/ E assinatura.
Pronto, deputado marcelo, será o suficiente.

Responder

Tião Macalé

11 de fevereiro de 2014 às 10h22

.
.
As perguntas que não querem calar, após este crime são:

1) Porque a TV Bandeirantes enviou, novamente, um cinegrafista para uma zona de conflito sem o equipamento de segurança adequado (capacete e colete) ?

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2011/11/antes-de-morrer-cinegrafista-alertou-que-pms-haviam-sido-vistos.html

2) Porque a TV Bandeirantes fez um intenso boicote ao estatuto do desarmamento ?

http://tvuol.uol.com.br/assistir.htm?video=editorial-campanha-de-desarmamento-04020E1A346AD4893326

3) Quanto sangue terá que jorrar para pagar o salário do Datena ?

http://vejasp.abril.com.br/materia/datena-band-apresentador-perfil

” Se você não cuidar, os jornais farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo – Malcolm X “

Responder

marcio ramos

11 de fevereiro de 2014 às 09h41

… pelas imagens percebe-se que o rojão estava no chão e qualquer um podia ser a vitima, não houve intenção de matar, quem mata com intenção ate agora é a PM a mando do comando daPM e do Poder Executivo que se autoprotegem via Poder Judiciario…

… as escolas continuam uma porcaria, a reforma agraria nao existe, os professores estão apanhando, deficit de moradia aumenta devido a especulação imobialiaria e a transposição do Rio Sao Francisco entre centenas de outras obras do governo estão sendo superfaturadas, os indigenas continuam morrendo nas estradas… enquanto isso o PIG mente, o MST mente e a blogosfera puxa o saco de seus líderes…

… sem chance de mudanças!

Responder

    Leo V

    11 de fevereiro de 2014 às 11h44

    O incrível é que além disso tudo, vemos uma unidade conservadora entre o tal do PIG e os tais “progressistas” de internet.

    Em meio à insatisfação com tarifas do transporte a medida do governo é tentar passar com urgência “lei anti-terrorismo” para criminalizar protesto social.

    Foi pro espaço a história que a correlação de forças que não deixava o governo avançar. Quando as pessoas vão pra rua contra os empresários do transporte e o o que o governo faz junto com o PIG é tentar suprimir e criminalizar isso.

Mauricio Bernardi

11 de fevereiro de 2014 às 09h16

Essa expressão “ligado a” é um novo artifício da mídia. Nos tempos do Lula, quando ocorria qualquer ilícito, diziam: o suspeito é “amigo do Lula”. Todo mundo era amigo do Lula. Jornalista, entretanto, tem hora que “viaja”. Hoje, no Bom Dia Brasil, falaram em “mais um crime contra jornalista”. O autor deste post afirma que os autores tiveram a “intenção de ofender a integridade física do cinegrafista, que naquele momento apenas exercia sua profissão”. Mais sensato foi Ricardo Boechat, para quem o artefato foi deixado no chão e poderia atingir qualquer pessoa: um idoso, uma criança, uma mulher grávida. Se a intenção fosse atingir o jornalista o artefato deveria ser colocado na vara para ser apontado contra ele. Explosivos não são projéteis de precisão: no Iraque um instrutor de homens bomba detonou sem querer os explosivos e acabou morrendo e matando 22 alunos e ferindo 15.

Responder

Hildermes José Medeiros

11 de fevereiro de 2014 às 08h41

Olhe, esse problema da presença dos black blocs nas manifestações em São Paulo e no Rio de Janeiro tem sido uma constante. Dá para desconfiar de que essa quadrilha de malfeitores mascarados, participando dessas pretensas manifestações, na realidade praticam atos de terrorismo, no sentido de desmoralizar as instituições (as polícias principalmente) e os governos federal, estaduais e municipais e assustar a todos, principalmente a população pacífica e desarmada. A chamada inteligência, os intelectuais, num morde-assopra constante, usando seus títulos, prestígio e na condição de pessoas públicas fazem análises pretensamente na defesa do Regime Democrático, dando razões e argumentos à mídia sabidamente oposicionista para ajudar os partidos de oposição a atingir o poder, e não só, também numa clara cantilena conspiratória preparando terreno para se possível chegar ao poder pela força, ou usando o já preparado Poder Judiciário, que atua politicamente de forma nítida, que poderá dar suporte a um golpe branco, tipo os ocorridos em Honduras e no Paraguai. Basta ver que não estão bem eleitoralmente, pois a Globo, o Estadão e a CNI tês esquecido de encomendar pesquisas ao IBOPE e ao DataFolha. Claro que fazem pesquisas qualitativas e estas certamente estão desaconselhando pesquisas de intenção de votos, usadas para influir no eleitorado, mas que com os números disponíveis vão dar resultado contrário, e fortalecer a candidatura Dilma. Essas manifestações nada têm a ver “com o legítimo exercício do direito à livre expressão e manifestação de milhares de pessoas que protestavam pacifica e legitimamente contra o aumento tarifário do transporte coletivo, sempre motivo de justa insatisfação”. São movimentos nitidamente de oposição, nada isentos, com participação dos black blocs, com elevados custos de armamentos simples, mas letais como se vê, transporte, alimentação, que o simples desejo de se manisfestar diante problemas postos, não permitiria tanta gente individualmente assumir. Sem falar, claro, no alto custo de manter advogados à disposição para impedir a prisão dos malfeitores. Alguém está pagando, e paga sem dúvida para atingir objetivos políticos, e o eixo de tudo está em São Paulo, onde tudo costuma iniciar e no Rio de Janeiro. Há um nítido preparo ideológico desses manifestantes, com participação de partidos nanicos como o PSOL, não só, e de grupos semi-clandestinos como os black blocs. Não dá para dizer que o deputado Marcelo Freixo tenha nada a ver com essa manifestação, mas o PSOL tem. Não é curioso Marcelo Freixo ser procurado pela militante (?) Sininho e sem mais essa fazer carga na polícia, dizendo que a preocupação de ambos era a possibilidade de tortura? Os intelectuais que dão palpite e os jornais, tevês, rádios, numa orquestração dizem que a polícia deve atuar sem usar a força. Só não dizem como não usar a força diante de uma multidão armada e grande parte mascarada. Urge que o poder público estabeleça regras para as manifestações, como acontece em todo país civilizado, como por exemplo licença para o movimento, número provável de manifestantes, local e horário onde ocorrerá. Isso em nada atenta contra a democracia. Contra a democracia é usar armas letais no meio de multidões, atos de vandalismos atingindo estabelecimentos públicos e privados, queimar ônibus, estabelecendo o terror onde esteja e para aonde se dirijam.

Responder

Andre

11 de fevereiro de 2014 às 08h37

Desde de que presenciei as manifestações de junho do ano passado que venho alertando pessoas para o levante de extrema direita que vem se armando no Brasil, seguindo o que tem acontecido no mundo todo. Primeiro a maioria me chamou de paranóico. Depois as evidencias começaram a ficar claras. Já tinha perguntado aqui se seria necessário ter um cadáver para começarmos a nos mobilizar contra esse levante nazifascista. PArece que infelizmente foi isso que acabou acontecendo.Desde que começaram as manifestações em Janeiro estava evidente que eles procuravam um cadáver: primeiro o fusca incendiado; depois o garoto baleado em circunstancias que não foram esclarecidas; depois o video – que eu particularmente achei muito estranho- de uma garota que ninguem sabe quem é sendo atropelada por policiais.
Em todas as revoltas populares no mundo, os black block, os Anonymous e grupos que dizem autonomistas – muitos inspirados em teóricos das brigadas vermelhas da Itália da década de 1970 que era financiada pelo grupo fascista loja maçonica P2 – impedirem qualquer avanço e organização do povo pela esquerda.
Eles agem na surdina, fazem jogo duplo, usam bandeiras, lemas e nomes de esquerda (‘anarquistas’) se infiltram para causar confusão e desorganizar a esquerda e trazer adeptos para o lado deles. Isso tem acontecido no mundo todo. É necessário denunciá-los, desmacará-los. É necessário uma investigação criteriosa – que não pode ser deixada a cargo só da policia, já que essa ‘tem suas limitações’. E principalmente é necessário não ceder ao terror e ao ódio que esses grupos nazifascistas mascarados tentam disseminar no meio da população.

Responder

    João Carlos

    26 de fevereiro de 2014 às 21h09

    deixa ver se eu entendi…

    os black blocs falam como esquerda, usam bandeiras da esquerda, são apoiados por partidos de esquerda…

    Mas são de direita, “infiltrados”!?!?!?!?!

    É pra ser levado a sério?

Walter

11 de fevereiro de 2014 às 08h04

Acho que essas manifestações e depredações deveriam ser feitas nas casas dos políticos.causarem prejuízos aos caras que causam prejuízos e não pejudicarem a população que precisa deônibus, metro e outros serviços que estão sendo depredados.
Façam um catálogo geral dos políticos, onde moram, onde seus filhos estudam… Se for pra tocar o terror , que toquem o terror em cima dos responsáveis por essa vida de m…… Que estamos levando.
Impostos escorchantes, serviços de décima qualidade, preços absurdos.
Os responsáveis são eles, deputados, prefeitos, governadores, senadoes. Nós os colocamos lá.
Se for pra partir pra baderna, os primeiros alvos tem que ser eles e suas famílias.

Responder

Edno Lima

11 de fevereiro de 2014 às 01h37

Bom, se a Globo fosse pautar suas matérias a partir da opinião dos muitos palpiteiros que andam por aí,simplesmente não haveria notícias; os jornais seriam utilizados apenas para difundir receitas de bolo. O estagiário e o advogado alegam que , dentro da delegacia, receberam um telefonema em que a ativista Elisa Quadros oferece auxílio jurídico e informa que o autor do , até então, homicídio tentado seria ligado a Marcelo Freixo. As circunstâncias da conversa foram presenciadas pelo delegado que toma termo de declaração do advogado e do estagiário (Para a autoridade policial o fato foi relevante) e informa que intimará a ativista que confirma que telefonou ,dá sua versão ao jornal e diverge a respeito de parte do teor da conversa. Marcelo Freixo é ouvido, nega que tenha ligações com o autor do crime e informa que a ativista telefonou-lhe por temor de que Fábio Raposo fosse torturado (?)( é estranho que ativista tenha julgado que a polícia tivesse coragem ou burrice suficiente para torturar alguém acompanhado por advogado e exposto pelas mídias de todo o país) . Todos ouvidos pela Globo e cada um dando sua versão a respeito dos fatos. Os editores de jornal alheio certamente não publicariam nada a respeito; esperariam o fim do inquérito ou processo em que fosse apurado quem disse a verdade e quem mentiu ( se é que tal dúvida pode vir a ser desfeita ) e aí publicariam o resultado, quando o fato já não fosse mais notícia. Tenho curiosidade em saber quanto tempo duraria nas bancas um periódico produzido por esses palpiteiros!

Responder

Marat

10 de fevereiro de 2014 às 23h47

A Globo quer ser o gênio da lâmpada Tupiniquim da Rachel Sheherazade?

Responder

    Mauricio Bernardi

    11 de fevereiro de 2014 às 09h16

    Quer mesmo? Mas a Globo já tem tanta loira.

Gerson Carneiro

10 de fevereiro de 2014 às 22h58

Curioso foi a rapidez com que o Ricardo Boechat mudou de opinião em função apenas de ter virado vítima. Confiram:

https://www.youtube.com/watch?v=JgFdyEGHK1U

Responder

    FrancoAtirador

    10 de fevereiro de 2014 às 23h37

    .
    .
    E ao mesmo tempo desconstruiu o discurso inicial da Mídia Empresarial

    de que a explosão do foguete foi um atentado à liberdade de imprensa.

    O cinegrafista da Band não era o alvo do manifestante irresponsável.
    .
    .

    FrancoAtirador

    11 de fevereiro de 2014 às 00h01

    .
    .
    Aliás, esse ato irracional de agressão do hoje acusado de homicídio,

    equipara-se ao daquele fanático torcedor corintiano na Bolívia,

    que direcionou um sinalizador à torcida do time boliviano San José

    e acabou por atingir o olho de um adolescente de 14 anos, matando-o.
    .
    .
    03/08/2013 14h07 – Atualizado em 03/08/2013 15h15
    GLOBO ESPORTE

    Torcedores do Corinthians libertados na Bolívia chegam a São Paulo

    Justiça boliviana solta últimos cinco torcedores
    que estavam presos em Oruro enquanto eram investigados
    pela morte de um garoto de 14 anos

    Por Maria Clara Ciasca
    São Paulo

    Após 156 dias presos na Penitenciária de San Pedro, em Oruro, os cinco corintianos libertados na última sexta-feira, pela Justiça da Bolívia, chegaram a São Paulo no início da tarde, no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos.

    Eles e outros sete, libertados em junho, eram acusados da morte do garoto Kevin Espada, atingido por um sinalizador marítimo durante jogo entre Corinthians e San José, no dia 20 de fevereiro, pela primeira fase da Libertadores.

    A defesa dos 12 sempre alegou que eram todos inocentes.
    Um menor, de 17 anos, assumiu a autoria do disparo em depoimento à Vara da Infância e da Juventude de Guarulhos, onde vive, e também no Consulado da Bolívia em São Paulo, mas ainda aguarda o julgamento do caso em liberdade.

    Entenda o processo
    O grupo estava detido devido à morte de Kevin Douglas Beltrán Espada, garoto boliviano de 14 anos vitimado por um sinalizador atirado na partida entre San José e Timão, na estreia alvinegra na Taça Libertadores da América, no dia 20 de fevereiro.
    No total, foram 12 presos. Sete deles foram liberados no dia 6 de junho, por falta de provas.

    Em 24 de julho, Davi Gebara Neto, advogado da Gaviões da Fiel, principal torcida organizada do Corinthians, anunciou a liberação dos cinco torcedores que ainda permaneciam presos em Oruro.
    Entretanto, eles permaneceram na Bolívia por cerca de uma semana, pois a Justiça concedeu um período para que a família de Kevin e o San José pudessem recorrer da decisão.

    Todos os 12 se dizem inocentes.

    Um jovem de 17 anos, identificado apenas como H.A.M., assumiu a autoria do crime, mas nada foi alterado no processo. Ele depôs na Vara da Infância e no Consulado da Bolívia em São Paulo, mas ainda aguarda o julgamento do caso em liberdade.

    Devido à morte de Kevin, o Corinthians sofreu uma punição da Conmebol.

    O time chegou a jogar uma partida da Libertadores com os portões fechados e não pôde contar com sua torcida nos jogos como visitante.

    No início de julho, a Conmebol voltou atrás e permitiu a presença de corintianos no Morumbi, para a primeira decisão da Recopa, contra o São Paulo.

    Livre de qualquer pena esportiva, o clube alvinegro, na figura de seu presidente, Mário Gobbi, acompanhou de perto a situação dos torcedores presos, trabalhando em parceria com o Ministério da Justiça.

    Na sexta, com a informação da liberação dos corintianos, o Timão emitiu nota oficial comparando a felicidade com a conquista de um título.

    À família de Kevin Espada, o Corinthians doou US$ 50 mil.

    (http://globoesporte.globo.com/futebol/times/corinthians/noticia/2013/08/torcedores-do-corinthians-libertados-na-bolivia-chegam-sao-paulo.html)
    .
    .

    FrancoAtirador

    11 de fevereiro de 2014 às 00h24

    .
    .
    A diferença de abordagem para tratar

    de dois casos idênticos de agressão

    caracteriza a má-fé da Rede Globo.
    .
    .
    Ainda que na clandestinidade,

    a Globo é o Partido Político

    mais poderoso do Brasil.
    .
    .

    Leo V

    11 de fevereiro de 2014 às 11h51

    Bem lembrado FrancoAtirador.

    Toda a diferença é que os torcedores não estavam lutando contra os interesses do capital.

    O grande crime que a Globo e os governistas de plantão não admitem é ir lutar diretamente contra interesse do capital.

    Marcelo

    11 de fevereiro de 2014 às 09h44

    Ele mudou de opinião porque morreu alguem, passou dos limites que qualquer um imaginava desde a primeira manifestação.

    Mudar de opinião não é crime, em alguns casos mostra-se até inteligente. Só idiotas mantém e defendem uma opinião que sabem que fracassou, deturpou e é completamente torpe.

    de qual lado você se encontra?

    Leo V

    11 de fevereiro de 2014 às 11h52

    Ele mudou de opinião porque morreu alguém que ele conhece.

    Morreu gente antes em manifestações desde junho, e não foram poucos. Inclusive um devido ao gás lançado pela polícia.

    Mas evidentemente a imprensa burguesa é bem seletiva em relação aos cadáveres convenientes e inconvenientes.

    Marcelo

    11 de fevereiro de 2014 às 21h32

    La vamos nós para as falacias que os petistas inventam pra provar seu ponto, e de quebra já poder usar “grande mídia” na mesma frase.

    Claro que sim morreram pessoas, desde que começaram as manifestações, e muitas ainda. hehe

Luís Carlos

10 de fevereiro de 2014 às 22h03

Quem ateia fogo em um fusca com pessoas dentro quer o que? Quem explode rojão em cinegrafista quer o que? Isso é acidente? Não. Não defendem democracia nem os trabalhadores. Defendem outros interesses. Aliás o quebrem em comum Black Blocs e Anonymous além de não mostrarem o rosto?

Responder

    Leo V

    11 de fevereiro de 2014 às 11h54

    Troca o disco.

    Só um alucinado pode acreditar que alguém vai em manifestação para tocar fogo em uma família dentro de um fusca.

    Incrivel como os governistas se nivelam aos comentaristas de blog de esgoto, martelando a mesma coisa 500 vezes até virar verdade.

    Luís Carlos

    11 de fevereiro de 2014 às 18h23

    O “disco” vai continuar a rodar até que tenhamos respostas claras e transparentes sobre esses fatos.
    Mesmo com você repetindo as mesmas coisas na defesa de Black Blocs, não lhe digo para trocar o disco. É teu direito falar e repetir o que quiseres, quantas vezes quiseres, mas não apenas teu, de todos nós, e mesmo que discordemos, ninguém aqui vai te tirar esse direito, pelo contrário, será defendido, sem que joguem rojão em você por isso.
    Repito: afinal, qual relação entre Black Blocs e Anonymous além de esconderem o rosto?

FrancoAtirador

10 de fevereiro de 2014 às 21h15

.
.
Era tudo o que a Extrema Direita do Tea Party BraZil queria:

Um motivo eloqüente para aprovar um Patriot ACT no Brasil. (http://pt.wikipedia.org/wiki/USA_PATRIOT_Act)

Ano eleitoral, Governo acuado pelo Fascismo, Congresso vota…

10/2/2014 às 19h51 – Atualizado em 10/2/2014 às 19h51
Estadão Conteúdo
Redação Folha Vitória

Senadores cobram votação de projeto sobre terrorismo

Brasília – Senadores defenderam a votação pelo plenário da Casa do projeto de lei que tipifica o crime de terrorismo. {!!!]
A iniciativa ocorre horas depois de ter sido anunciada a morte cerebral do jornalista e cinegrafista da TV Bandeirantes, Santiago de Andrade.
No último dia 6, ele foi atingido na cabeça por um rojão durante a cobertura de uma manifestação no Rio de Janeiro.

A proposta é o terceiro item da pauta do Senado e foi aprovada no final de novembro por uma comissão composta por deputados e senadores que busca regulamentar dispositivos previstos na Constituição.
Atualmente, não há na legislação esse tipo penal.
Crimes como esse são enquadrados na Lei de Segurança Nacional, editada na época da ditadura militar.

“É importante lembrar que, desde as manifestações de junho do ano passado, uma nova realidade passou a fazer parte dos protestos: os chamados Black Blocks”,
afirmou a senadora Ana Amélia (PP-RS), uma das que defendeu urgência na aprovação da proposta.

Para o primeiro vice-presidente do Senado, Jorge Viana (PT-AC), o cinegrafista foi vítima de um ato terrorista.
“Foi usado um explosivo. Não é um rojão de festa junina.
Foi usada uma bomba. Poderia ter matado muitas pessoas.
E ela foi colocada [SIC] nas costas do jornalista para matar.
Foi, sim, uma ação terrorista o que nós vimos na manifestação”, disse.

Estão uma medida provisória e um projeto de lei complementar na frente da proposta.
Se o projeto de terrorismo for aprovado no plenário do Senado, terá de ser apreciado ainda pela Câmara.

(http://www.folhavitoria.com.br/geral/noticia/2014/02/senadores-cobram-votacao-de-projeto-sobre-terrorismo.html)
.
.
Senado Federal
Portal de notícias › Matérias › Plenário
10/02/2014 – 18h55 Plenário – Votações – Atualizado em 10/02/2014 – 20h17
Agência Senado

Morte de cinegrafista esquenta debate sobre tipificação do crime de terrorismo

A morte do cinegrafista Santiago Andrade, atingido por um rojão durante protestos na semana passada no Rio de Janeiro, acrescentou um novo elemento à discussão do projeto que tipifica o crime de terrorismo (PLS 499/2013: http://www.senado.gov.br/atividade/materia/detalhes.asp?p_cod_mate=115549).

O Plenário do Senado pode começar a examinar a polêmica matéria nesta terça-feira (11).

O senador Paulo Paim (PT-RS), que havia sugerido a análise da proposta pela Comissão de Direitos Humanos (CDH), o que adiaria a votação no Plenário, desistiu de seu requerimento diante da morte de Santiago.

– Mediante o acontecido com o cinegrafista, que foi covardemente assassinado, acredito que o Senado tem que responder, não só para esse fato, mas para alguns que já aconteceram e outros que vão acontecer se nada for feito. Por isso, estou disposto a retirar o requerimento e fazer o debate que faríamos na CDH – disse durante a sessão desta segunda (10).

O senador Jorge Viana (PT-AC) afirmou ser possível fechar a semana com a aprovação do projeto.
Na avaliação de Viana, a ação que resultou na morte do cinegrafista se encaixa perfeitamente na definição de terrorismo que consta do PLS 499/2013, “provocar ou difundir terror ou pânico generalizado mediante ofensa ou tentativa de ofensa à vida, à integridade física ou à saúde ou à privação da liberdade de pessoa”, inclusive com previsão de pena maior quando há emprego de “explosivo, fogo, arma química, biológica ou radioativa, ou outro meio capaz de causar danos ou promover destruição em massa”.

– É o caso. Foi usado um explosivo. Não é um rojão de festa junina. Foi usada uma bomba – argumentou.

Segundo Viana, a lei antiterrorismo vai dar um “sinal concreto” à sociedade de que crimes como o que resultou na morte de Santiago Andrade vão ser punidos “com mais de 30 anos de cadeia”.

O PLS 499/2013 prevê pena de 15 a 30 anos para a prática de terrorismo e de 24 a 30 anos se do ato resultar morte.
A punição pode ser aumentada em um terço se o crime for praticado com explosivo, fogo, arma química, biológica ou radioativa; em meio de transporte público ou sob proteção internacional; ou por agente público.

Punição
Sem mencionar especificamente o projeto do terrorismo, o presidente do Senado, Renan Calheiros, afirmou, ao comentar a morte do cinegrafista, que o Congresso vai fazer a sua parte no sentido de agravar a punição para atos desse tipo.

– Quando se pune levemente, passa-se a ideia para a sociedade de que o crime compensa e o crime não pode jamais compensar – declarou.

A aplicação de uma lei antiterrorismo a protestos populares, no entanto, não é considerada adequada por uma parte dos senadores.

Na semana passada, Alvaro Dias (PSDB-PR) disse que o Brasil não precisa de uma legislação especial contra o terrorismo para a Copa do Mundo, um dos argumentos em defesa da medida.

Nesta segunda, ao repudiar a ação que resultou na morte do cinegrafista, o senador criticou a participação de mascarados em manifestações e sugeriu que a polícia possa retirá-los dos protestos.
– Seria uma medida cautelar adotada, nesse caso, pela autoridade policial. Fiquem detidos até o final da manifestação, para que não coloquem em risco a vida de pessoas que são livres, que são democratas e que vão para as ruas na esperança de melhorar o país.

(http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2014/02/10/morte-de-cinegrafista-esquenta-debate-sobre-tipificacao-do-crime-de-terrorismo)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    11 de fevereiro de 2014 às 01h02

    .
    .
    Carta |Maior
    Hora à Hora

    Morte de cinegrafista alvejado por rojão, no Rio,
    impõe mobilização suprapartidária contra violência
    nas manifestações de rua;
    da parte do governo, cumpre redefinir o papel dissuasivo
    das forças policiais para que não ajam como black-blocs fardados…
    .
    .

marcosomag

10 de fevereiro de 2014 às 20h40

Sim, é mau jornalismo. O que o PIG faz todos os dias.

O Marcelo Freixo deveria ter sido menos inocente e não ter se aliado a Globo.

Agora, que a Globo já conseguiu o objetivo de desgastar o Sérgio Cabral e a relação do PMDB fluminense com o PT, importante para a governabilidade em Brasília, o Marcelo Freixo não é mais útil.

Vai ser massacrado como Pitta e Simonal já foram, e como será Joaquim Barbosa quando não for mais útil ao PIG.

Como diz o meu avô: “quem se mistura aos porcos, farelos come!”

Responder

Marat

10 de fevereiro de 2014 às 20h38

Acho tal crime abominável, horrendo!
Não obstante tal barbárie, não posso deixar de crer que se fosse um mendigo ou um pobretão qualquer, não haveria tanta repercussão!
Esse é o nosso Brasil (Que espero um dia não seja só grafado, mas também pensado com “s”)!

Responder

Alexandre Tambelli

10 de fevereiro de 2014 às 20h31

Fiz dois comentários e repito aqui à respeito dessa acusação do “Jornalismo da Globo”:

1) A surpresa seria se não existisse jamais uma reportagem culpando o PSOL. Só o pessoal do PSOL, talvez, acredite que a Rede Globo é boazinha com eles. Ela usa o PSOL para atacar o PT quando lhe é conveniente, apenas isto! PSOL para a Rede Globo é extrema-esquerda e o PSOL acredita que isto não faça diferença, claro que faz! Ninguém que esteja do lado do trabalhador a Rede Globo apóia. O PSOL é um brinquedo, infelizmente, nas mãos da velha mídia e tem como função detonar o PT e o Governo trabalhista. Espaço dado na Rede Globo, até hoje, é para detonar o Governo e o PT, não é espaço para expor suas ideias e plataformas de governo, pois, são diametralmente opostas da Rede Globo. Alguém já viu gente do PSOL entrevistada na Globonews, na CBN criticando o neoliberalismo, o mercado, o Capitalismo? Vão lá em época de eleição em pequenas passagens para atacar o PT e só. Enquanto, parcelas da extrema-esquerda como o PSOL não souberem diferenciar PT e Direita (PSDB, DEM, PPS) e elas quererem amizades com essas pessoas, pessoas erradas, que lhes usam e são, na verdade, seus maiores inimigos, elas não vão crescer.

2) A Globo não tem para onde correr! Ela alimentou as passeatas e manifestações querendo ferrar o Governador Sérgio Cabral para atingir a Presidenta DILMA e não deu o resultado esperado. O alvo era a DILMA e quem se ferrou foi só o CABRAL. Agora ficou uma situação maluca para a Rede Globo, pode dar um segundo turno entre o candidato Tarcísio de Carvalho apoiado por Marcelo Freixo que será candidato ao Senado (PSOL) e Lindenberg Farias (PT). O que a Rede Globo está fazendo é tentar minar a candidatura do PSOL ao Governo e ao Senado para ver se emplaca algum outro candidato, o Lindenberg a força do PT alavanca para o 2º turno. Imagina a situação. PT X PSOL no segundo turno.

A verdade dos fatos é que o imediatismo adotado pela velha mídia, sem nenhuma estratégia e aproveitando ocasiões quaisquer para tentar tirar o PT do poder criou a situação impensada. No Rio de Janeiro podemos ter um Governador Petista, afinal PMDB perdeu força eleitoral no Estado por causa do Governador Cabral, houve ruptura da aliança de anos, certo? Abriu-se caminho para uma candidatura do PT! O PSOL, até então poupado, porque servia como um meio de tirar votos do PT no Estado via Marcelo Freixo, agora, precisa ser detonado, também.

A Rede Globo sem saída resolveu a situação da maneira mais lógica possível: abandonou a cordialidade eleitoreira e interesseira com o PSOL no Rio de Janeiro porque senão nem com segundo turno ela terá um candidato para apoiar.

O lance de atacar Marcelo Freixo é eleitoral. Agora, pouco importa se ele era bom para enfraquecer o PT no Estado do Rio de Janeiro. O perigo é ter dois candidatos de esquerda disputando, com chances de vencer, as eleições para o Governo em outubro. E imagina, junto com tudo isto, os votos do Legislativo.

– Tratemos de destruir o PSOL! – eis a nova estratégia de sobrevivência da Globo no Estado do Rio de Janeiro. E que se promova o assassinato de reputações!

Responder

    Fernando

    11 de fevereiro de 2014 às 09h44

    Nenhuma chance do PSOL passar de 5% dos votos, muito menos chegar no segundo turno com o professor Tarcisio.

    Márcia Lima

    24 de fevereiro de 2014 às 16h35

    Concordo com seus argumentos. Sou eleitora do PSOL, mas muitas vezes tenho a impressão de que o partido vem permitindo diversas manipulações pela mídia hegemônica. Talvez este lamentável fato sirva de alerta ao PSOL e outros partidos de esquerda.

abolicionista

10 de fevereiro de 2014 às 20h12

Vou usar a manchete nas minha aulas de português como exemplo de “queísmo”. De resto, vivemos num país sombrio, diante do qual não estamos muito melhor do que o áporo drummondiano.

Responder

Leo V

10 de fevereiro de 2014 às 20h10

“Você aí que está pensando ou dizendo que o primeiro morto nas manifestações foi o cinegrafista Santiago Ilídio Andrade: você é muito mal informado.

Antes morreram, pelo menos:

1. a gari Cleonice Vieira de Moraes, em Belém (PA), vítima do gás lacrimogêneo lançado pela polícia militar;

2. 13 mortos na favela Nova Holanda, no Complexo da Maré (RJ) – neste caso, a imprensa sequer se deu ao trabalho de informar todos os nomes;

3. o estudante Marcos Delefrate, de 18 anos, em Ribeirão Preto (SP), atropelado por um carro que furou um bloqueio de manifestantes;

4. Valdinete Rodrigues Pereira e Maria Aparecida, atropeladas em protesto na BR-251, no distrito de Campos Lindos, em Cristalina (GO);

5. Douglas Henrique de Oliveira, de 21 anos, que caiu do viaduto José Alencar, em Belo Horizonte (MG), por ter sido acuado pela polícia militar;

6. o marceneiro Igor Oliveira da Silva, de 16 anos, atropelado por um caminhão que fugia de uma manifestação, numa ciclovia próxima à Rodovia Cônego Domênico Rangoni, na altura de Guarujá (SP);

7. Paulo Patrick, de 14 anos, atropelado por um táxi durante manifestação em Teresina (PI);

8. Fernando da Silva Cândido, ator, por inalação de gás lançado pela polícia, no Rio de Janeiro.

9. o senhor que foi atropelado por um ônibus, ao tentar fugir da polícia, na mesma manifestação em que o cinegrafista Santiago foi atingido – sobre esta outra vítima, nenhuma linha na imprensa. Chamava-se Tasman Amaral Accioly e era vendedor ambulante.

Por Eduardo Sterzi”

Responder

    Jader

    10 de fevereiro de 2014 às 20h51

    Alguém desses aí estava trabalhando?

    abolicionista

    11 de fevereiro de 2014 às 17h39

    Comentário lamentável e desrespeitoso. Aliás, os dois. Esse e o anterior. Onde foi parar nossa humanidade?

    Andre

    11 de fevereiro de 2014 às 08h12

    Leo meu caro, acho que o desespero bateu em vocês. Há uma grande diferença entre pessoas mortas pela policia e pessoas mortas por manifestantes que dizem estar lá contra o assassinato de trabalhadores pela policia. (ME DESCULPE MAS TENHO QUE GRITAR: VOCÊS FIZERAM A MESMA COISA QUE ELES).Não me venha justificar o assassinato de um trabalhador que estava ali sendo explorado por uma grande empresa de comunicação – que vocês dizem criticar – com mortos pela policia. Então se a policia mata manifestantes, vamos revidar matando trabalhadores?? Não foi um policial que foi morto – e nem acho que se deve combater o erro o repetindo – nem nenhum tubarão da midia. Sua justificativa aqui só mostra uma coisa: voce e os seus de fato são nazistas. Se matar trabalhadores é errado para a policia porque seria certo para ‘manifestantes’ nazistas??? qual a diferença entre vocÊs e os ‘justiceiros’ da zona sul do rio?? NENHUMA são todos nazistas e merecem ir para a jaula.

    Leo V

    11 de fevereiro de 2014 às 12h01

    “Vocês fizeram” em capslock.

    Bom saber que no seu ideal de justiça muitos são condenados pelo ato de um.

    Isso mostra bem qual a intenção desses trolls conservadores… usar uma morte pra criminalizar a dissidência.

    pela sua lógica seria muito simples colocar todos os militantes do MST na cadeia. Bastaria colocar um pra atirar num jagunço ou policial. Então seriam “olha o que vocês fizeram”, e estão todos condenados, de norte a sul.

    O obscurantismo chegou e ele quer se passar por esquerda.

    Andre

    11 de fevereiro de 2014 às 08h21

    Só para completar: santiago não foi o primeiro morto em manifestações, mas o foi morto por manifestantes. Isso não é pouco – e não venha com essa de que ‘eram infiltrados’, não eram black blocks, só falta dizer que os assassinos eram policiais como os seus cumplices, os black blocks fizeram. Segurem os seus manifestantes, controlem eles; se não o fazem é porque são cúmplices. Voces perderam qualquer legitimidade para reivindicar a pureza de lutar contra a violencia policial, criminalização de movimento social (alias como voce mesmo ‘desenhou’ para mim, black block não é um grupo politico e portanto criminalizá-los por cometerem crimes não é criminalizar movimento social). Se queriam conquistar o espaço da esquerda organizada, perderam. Se queriam provocar o terror e o ódio, perderam. Deve ter muita gente com ódio, mas é de vocês. Voces são arrogantes, autoritários, totalitários nao valem nada.

    Leo V

    11 de fevereiro de 2014 às 11h57

    Andre,

    quem está justificando o que?

    O post é só pra mostrar a parcialidade.

    Alguns mortos interessam explorar politicamente, outros não.

    E a quem perguntou se algum deles estava trabalhando, faça o favor de ler novamente. O primeiro da lista é um gari que estava trabalhando.

    Interessante, o argumento, se não estava trabalhando podia morrer.

    Andre

    11 de fevereiro de 2014 às 21h24

    Leo meu caro, não fui quem foi na porta de uma delegacia defender alguem que se entregou voluntariamente a policia. Não fui eu quem aqui o tempo todo, e em outros lugares inclusive repassando artigos do MPL defendeu o black block Quando falo VOCES é a isso que me refiro; VOCE(ou seriam voces mesmo?) defendeu e ainda continua defendendo os black block na internet não só aqui. Então acho que obscurantista e conservador não sou eu exatemente. Voce não me conhece não sabe NADA da minha vida para me acusar de obscurantista e conservador. Não disputando espaço de esquerda como voces autonomistas que em sites como o ‘passa palavra’ tem a maioria dos seus textos criticando a esquerda.

    Andre

    11 de fevereiro de 2014 às 21h29

    Leo eu vou ‘desenhar’ para você: o santiago foi morto por um manifestante. Todas as vidas tem o mesmo valor, até a de assassinos pois não sou a favor da pena de morte. Mas politicamente isso é diferente sim, não é uma questão de exploração, de imagem, de sentido e interpretação que voces pós-modernos tanto gostam. É um fato nu e cru. E te digo mais: quem mais deveria estar lamentando politicamnte essa morte, quem mais deveria estar chocado e revoltado policamente com ela seriam as pessoas de esquerda porque politicamente ela é um tiro na esquerda.Porrada e morte de manifestante da esquerda não é novidade embora não seja correto e aceitável; trabalhador morto por gente supostamente de esquerda só me lembro na ditadura e no nazismo.

    Andre

    11 de fevereiro de 2014 às 21h43

    AS sendo bem chato: não compare com o MST. Quem morreu no rio não foi um jagunço ou um policial. Foi um trabalhador que estava ali sendo explorado pela grande midia que vocês tanto criticam. MST não ataca trabalhador essa é diferença entre ele e os que você apoia.

Francisco

10 de fevereiro de 2014 às 20h09

O cinegrafista era afro-brasileiro e o “ativista” (o termo é da Globo) era branco.

O motorista do Fusca queimado era negro e o “ativista” era branco.

A sociologia é uma ciência insondável?

No seu pedido de “desculpas” (?), os “socialistas” “anarquistas” do “Bloco Negro” (em português pronuncia-se “Black Bloc”), lamentavam a morte do segundo trabalhador atacado por esses (segundo eles) “protestantes” e lamentavam a “burrice e ignorância do povo brasileiro” (de nós, que trabalhamos e sustentamos essa policia que alisa pequeno-burguês).

Numa nota de condolências por uma morte (atribuida a eles), esses senhores agridem o povo e a democracia brasileira. Uns fofos…

Quando um crioulo baixar o sarafo num desses playboys (como eles têm advogados, heim?), a cana nele será dura. O crioulo será “chamado de “terrorista”, “traficante” ou “rolezinho”. Trinta anos na Papuda, no minimo.

Aos “anarquistas”, não, mas a mim me preocupa é o dia seguinte…

Será curioso ver o povo negro e trabalhador brasileiro tomando consciencia de que a “consciencia” desses caras é o desemprego de milhares…

PS. pela lógica dos “Black Gringos”, deveria haver o Movimento “Não vai ter Carnaval”, “Não vai ter Natal”, “Não vai ter Reveillon” e, principalmente, “Não vai ter Miami”. O SUS não tem padrão FIFA em nenhum deles…

Responder

    Andre

    11 de fevereiro de 2014 às 08h16

    tá na hora do não vai ter black block. Não estou defendo que se faça com eles o mesmo que eles e a policia fazem. Mas a verdade é que muita gente, de esquerda inclusive, passou a mão na cabeça desses nazis. Aqui mesmo no viomundo que é um blog democrático e que apresenta a diversidade de opiniões vários xoxólogos justificavam a ação dos black blocks. Onde estão essas pessoas? o que elas tem a dizer??? Que tomem consciencia e começem o não vai ter black block. Lugar de nazista é na jaula.

    Leo V

    11 de fevereiro de 2014 às 12h05

    Que medo de black bloc hein.. como o brasileiro é conservador, Uns moleques que quebram vidraça causam esse pavor todo..

    Mas claro, o problema não são os black blocs, eles são bode expiatório.

    A lógica é simples é só sendo muito cego para não enxergar:

    Criminaliza-se o black bloc, cria-se uma imagem de que ele é tipo uma Al Qaeda, uma coisa muito muito má. Em seguida, chama-se quem quiser de black bloc, isto é, qualquer manifestantes. Que é o que fizeram com o rapaz baleado em São Paulo, por exemplo, ou mesmo com quem soltou o rojão (apesar da imagem mostrar que não havia bloco e muito menos preto).

    Quem alimenta isso só pode ser progressista do conservadorismo.

    Luís Carlos

    11 de fevereiro de 2014 às 18h29

    Como fizeram com o PT, criminalizando o partido?

    Andre

    11 de fevereiro de 2014 às 21h51

    Cometário de leo V no artigo “OS protestos como linha auxiliar do conservadorismo’ aqui no viomundo:

    ” Leo V

    Black Bloc é uma tática, não uma organização política.

    É como se você perguntasse para uma passeata o que ela pensa sobre um assunto. Uma passeata é uma forma de manifestação não o conteúdo da manifestação.”

    Entenderam? Black Block não é um movimento social, não é uma organização politica. Então, segundo seus próprios defensores, quando eles cometem crimes como depredação e assassinato, se trata apenas de uma tática criminosa. Então voces vêem como são as pessoas que defendem os black blocks,sua coerencia. Sou fui coerente o que me foi dito e por isso sou reacionário(porque tiro conclusõeslógicas do que alguem que defende black block me disse!). Não se trata de criminalizar movimentos sociais pois o black block não é isso(ou seria o black block uma tática para criminalizar os movimentos sociais?);

Lukas

10 de fevereiro de 2014 às 20h04

1) achei uma injustiça maior com o cinegrafista da Band do que com o Marcelo Freixo;
2) a foto ACIMA é mais escabrosa que a foto ABAIXO;
3) se não fosse a injustiça com o deputado a morte do cinegrafista passaria batido na blogosfera, como tinha passado até agora;
4) que bom que os movimentos sociais não serão prejudicados, é o que importa nesta hora.

Responder

    FrancoAtirador

    10 de fevereiro de 2014 às 20h37

    .
    .
    Sentença do Dotôre Reinaldo Azevedo, Juiz de Direita.
    .
    .

Marcio Leandro

10 de fevereiro de 2014 às 20h00

É bom o PSOL sentir na pele o que a mídia brasileira faz. Aliás não lembro, talvez tenha passado despercebido, de ter visto Psolistas defenderem a regulamentação da mídia em seus protestos pelo país afora.

Responder

FrancoAtirador

10 de fevereiro de 2014 às 19h59

.
.
Marcelo Freixo apresenta defesa, no Facebook…

Há 22 horas…

Nota de esclarecimento

A acusação publicada hoje pelo portal G1 é irresponsável e leviana.

Segundo a matéria, uma ativista teria ligado para o estagiário do advogado de Fábio Raposo e dito que o responsável por acender o rojão que atingiu o cinegrafista Santiago Andrade é ligado a mim.

Além de a fonte da informação ser de uma fragilidade absurda e de a própria ativista negar ter me associado ao ocorrido, nenhuma prova concreta foi apresentada.
Aqueles que afirmarem que o responsável pela explosão é ligado a mim terão que provar.
Caso contrário, serão devidamente processados.

Sempre repudiei a violência nos protestos, seja ela praticada por manifestantes ou policiais.
Discordo dela como princípio e como método para conquistar qualquer coisa.

As investigações sobre essa tragédia apenas começaram e é triste ver que um assunto tão importante e delicado é tratado com tamanha irresponsabilidade.
A quem interessa transformar uma informação tão frágil num acusação tão grave?

Há 20 horas…

Bomba: advogado que me acusa defendeu chefe da milícia

Vejam que coincidência! O advogado Jonas Tadeu Nunes (OAB/RJ 49.987), que me acusou de ter ligações com o homem que detonou o rojão que atingiu o cinegrafista Santiago Andrade, defendeu o miliciano e ex-deputado estadual Natalino José Guimarães, que chefiou a maior milícia do Rio de Janeiro.

Eis a peça que faltava no quebra cabeça destas acusações absurdas. Natalino foi preso em 2008 graças às investigações da CPI das Milícias, presidida por mim na Assembleia Legislativa.
À época, mais de 200 pessoas, entre elas várias autoridades, foram indiciadas.
Natalino e seu irmão, Jerominho, que dividiam o poder, cumprem pena em presídios federais.

Seis anos depois, Jonas apresenta contra mim uma história cheia de contradições e fragilidades.

O mais assustador é a imprensa repercutir uma informação tão grave e duvidosa sem checar minimamente o histórico da fonte.

Há 2 horas…

Hoje de manhã, durante minha entrevista à Rádio Globo, o advogado Jonas Tadeu Nunes entrou no ar e me pediu desculpas publicamente.

Jonas foi absurdamente inconsequente ao dizer que o rapaz responsável por detonar o rojão que matou o cinegrafista Santiago Andrade é ligado a mim.

Resumindo: o advogado falou ao telefone com Sininho. Após a tal conversa, ouvida apenas por ele, seu estagiário – isso mesmo, o estagiário, que não ouviu o papo – assinou um termo de declaração me acusando de algo gravíssimo.

Há 1 hora…

Ótima texto do antropólogo e escritor Luiz Eduardo Soares.

“Enquanto a história vira pelo avesso, O Globo comete um verdadeiro crime contra o jornalismo, procurando macular um dos homens públicos mais dignos e honrados de nosso país: Marcelo Freixo.
Acusa-o, na capa, por interposta pessoa, e encerra o parágrafo com a indefectível sentença:
‘O deputado nega.’
Isso não ocorreu por acaso:
O Globo sabe perfeitamente que com a derrota dos grupos nas ruas e seu isolamento, com a desmoralização da linguagem da violência, o maior inimigo das iniquidades e da brutalidade estatal é a política, o espaço participativo em que as ruas e as instituições dialogam.
Quem, no Rio, quiçá no Brasil, melhor do que Marcelo Freixo, hoje, representa essa via?”

(https://pt-br.facebook.com/MarceloFreixoPsol)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    10 de fevereiro de 2014 às 21h35

    .
    .
    A CONFISSÃO DO ADVOGADO QUE FEZ FALSA DECLARAÇÃO:

    “FOI NA ‘EMOÇÃO’ DA ENTREVISTA PARA A GLOBO”

    “Eu estava cedendo entrevista à repórter [da Globo]
    na hora que o estagiário apareceu com o documento.
    Ela pegou e tirou uma foto [!!!].
    Talvez eu tenha sido irresponsável nesse momento.
    A Sininho foi imprudente ao usar o nome do Freixo.
    Peço desculpas por ter entregado o papel à jornalista,
    por ter sido levado pela emoção.”

    (Jonas Tadeu Nunes, advogado de Raposo, na Rádio Globo)

    Ouça o áudio: (http://goo.gl/fzHdxL)
    .
    .

Gersier

10 de fevereiro de 2014 às 19h49

Jornalismo?Chamo isso de ESGOTO.
Jornalismo é quando se vai atrás dos verdadeiros fatos.
Jornalismo é quando se investiga tanto o chico como o francisco.
No Brasil o que temos é uma MÍDIA tucana que se traveste de imprensa mas(eles adoram essa preposição)que só enganam os incautos.Já os mal intencionados e os da confraria tem orgasmos múltiplos com seus “facistóides”.

Responder

francisco.latorre

10 de fevereiro de 2014 às 19h36

Os filhotes de corvos
10 de fevereiro de 2014 | 17:06 Autor: Fernando Brito

É óbvio que, poucas horas depois do anúncio da morte cerebral do cinegrafista Santiago Andrade, não existem condições para o protesto convocado para hoje no centro do Rio.
Faze-lo é abrir caminho para todo tipo de provocador.
E para as reações mais brutais de policiais que vão se sentir politicamente protegidos para “baixar o porrete”.
Tanto é assim que duvido que a ele compareçam mais do que uma dúzia de gatos pingados, “ativistas” da falta de bom-senso e da irresponsabilidade.
Assim como é falta de bom-senso e de responsabilidade a ação dos que estão sustentando estes grupos, sejam quem forem.
Inclusive do Ministério Público e da Justiça, que não os responsabilizaram por todo tipo de depredação e destruição que provocaram.
E dos políticos que, à direita e à pseudoesquerda, toleraram e passaram a mão na cabeça deste tipo de atitude que, afinal, conseguiu o que queria: transformou os legítimos movimentos sociais de protesto – e não falta contra o que protestar – em sinônimo de pancadaria e baderna.
Alguns entram aqui para fazer agressões e ameaças, pouco se me dá.
Não vou parar, como faço há dias, de afirmar que é hora de dizer não a isso.
Quem tem que se lamentar, a esta altura, são os que, por um paternalismo equívoco, deixaram de cumprir seu papel e dizer que democracia se faz com povo e de cara limpa, não com paus, pedras e máscaras.
Claro que nem todo mascarado é vândalo.
Mas, mesmo não sendo, é no mínimo um idiota que não percebe que dá cobertura com isso aos que são e a todo tipo de imbecil que vai descarregar seus desajustes psíquicos com estas fantasias.
Isso não é uma brincadeirinha.
Isso  mutila pessoas e mata pessoas, de todos os lados.
Mas, pior, isso arruina a democracia, a liberdade, o direito de manifestação pacífica e desarmada.
E abre caminho para os fascistas, se os democratas não tem coragem de dizer não.
Quem tem história nas lutas populares, inclusive quando não havia liberdades, não pode aceitar ser patrulhado por quem é leniente com a selvageria.
Mesmo que seja a selvageria de meninos de “boa família”.

..

http://tijolaco.com.br/blog/?p=13827

..

Responder

FrancoAtirador

10 de fevereiro de 2014 às 19h34

.
.
Então ficamos assim:

O Estadão é uma Polícia Civil que faz confessar sob tortura;

A Folha de S.Paulo é uma PM que pratica a execução sumária;

A Revista Veja é um MP que acusa e faz a denúncia sem provas;

E a Rede Globo é um Poder Judiciário que julga e condena.

E essa Organização Criminosa serve de paradigma institucional.
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    10 de fevereiro de 2014 às 19h45

    .
    .
    Agora, convenhamos:

    A tal ‘fadinha militante’ Sininho deu exclusiva ao G1/Globo

    para expor a verdade sobre o tal telefonema ao advogado.

    Essa militância é, no mínimo, ingênua e, no máximo, burra.
    .
    .
    10 de fevereiro de 2014
    MIC, via REbaixada.Org

    A ativista Sininho responde a reportagem do G1.

    “Isso so pode ser sacanagem…

    Nessa manhã de domingo, assim que soubemos que o Fabio (Fox), estava na 17 DP, começamos a espalhar por inbox para ajudar de alguma forma, inclusive para vários advogados ativistas, que todos sabem que dão todo o suporte para os manifestantes e presos políticos.

    Ligamos para a irmã e a mãe do Fox, oferecendo suporte no que precisar, a mãe de Fox passou o telefone do Marcelo, estagiário do advogado Jonas Tadeu Nunes.

    Logo depois da ligação com a mãe, falamos com o Deputado Marcelo Freixo, já que é da comissão de DIREITOS HUMANOS, também tentamos ligar para outros pessoas de direitos humanos.

    Na ligação com o Freixo, informei que Fox estava da Delegacia e pedi ajuda para que nada acontecesse nada com ele fisicamente.

    Depois liguei para o advogado e repeti a mesma coisa, que se precisasse poderíamos ajudar com os advogados ativistas, ele falou que não precisava, mas falei que de qualquer forma eu e algumas pessoas iriamos na delegacia para ver como ele estava. E NÃO UM ATO.

    ASSIM QUE CHEGAMOS OS JORNALISTAS VIERAM PRA CIMA DA GENTE NOS CHAMANDO DE ASSASSINOS, GRITANDO MEU NOME FALANDO “E AGORA SININHO, VAI FALAR O QUE?”. COMO ASSIM? PRA QUE ISSO? AGORA SOMOS ASSASSINOS?

    Houve confusão, um jornalista agrediu um dos manifestantes, pois falo que foi ameaçado, não tava perto, não vi… Mas o menino admitiu o que falou.
    O cinegrafista jogou a câmera na cabeça do rapaz e foi pra cima dele.
    Fomos extremamente agredidos verbalmente.

    Depois fiquei sabendo que o advogado falou que eu falei que conhecia o segundo menino do rojão e que era conhecido do Marcelo Freixo. MAS QUE LOUCURA É ESSA? O QUE ESSE ADVOGADO QUER COM ISSO?

    O delegado me chamou na sala dele, com vários outros na sala, o tempo todo querendo que eu falasse de Black Bloc, mais uma vez me colocando como líder, foi a ponto de um deles perguntar porque a gente invadia manifestação dos outros como dos professores. TA DE SACANAGEM.

    No final das contas eu acabei recebendo uma intimação para ficar cara a cara com o advogado para esclarecer isso… LOGICO QUE VOU, NÃO TENHO NADA A ESCONDER, SEI MUITO BEM O QUE FALEI.

    E A GLOBO? Mais uma vez manipulou tudo, deixou somente 2 segundo do que falei, como se eu tivesse admitindo que não oferecia ajuda…. Foi uma entrevista longa e esclareci o que estou escrevendo aqui….

    Dentro de um contexto toda, usam uma frase e manipulam para me incriminar?”

    (http://rebaixada.org/a-ativista-sininho-responde-a-reportagem-do-g1-isso-so-pode-ser-sacanagem)
    .
    .

    Luís Carlos

    10 de fevereiro de 2014 às 22h13

    A Globo manipulou contra o PT. E o que ouvíamos de militantes do PSOL. Menitira. O PT fez mesmo, etc. Agora, dizer o que. Apoiaram as manipulações da Globo antes…

    Andre

    11 de fevereiro de 2014 às 08h45

    Não acho que seja ingenuidade nem burrice; é falsidade mesmo. A grande militante ‘contra a mídia’ não sai da globo. Aliás teve o descaramento de ir a uma assembléia de professores para dar a declaração fascista de que ‘quem decide greve é o povo’. Nunca saberemos o que ela falou ao rapaz; se fosse roteito de filme de espionagem ela realmente teria falado o que ele escreveu com a inteção de espalhar um boato sem que se soubesse a origem. Mas isso é só especulação e ninguem pode ser acusado com hipóteses. O fato é que ela acabou envolvendo o Marcelo Freixo na história ao ligar para ele. Para mim é no mínimo estranho que alguem que vai para porta de uma delegacia se manifestar a favor de alguem que se entregou voluntariamente para a policia ligue para um deputado para defender alguem que tem um advogado. Acho que eles pensam que nós somos ingênuos, não são nada ingênuos.

Mauro Assis

10 de fevereiro de 2014 às 18h13

Uai, Azenha, porque escabrosa? O estagiário e o advogado disseram exatamente o que está na manchete, tendo registrado inclusive em documento para o delegado. Ainda tem subtítulo dizendo que o deputado nega.

Como vc faria?

Responder

    Jader

    10 de fevereiro de 2014 às 20h43

    Ele provavelmente não daria a notícia. É assim que funciona.
    Notícia é aquilo que te interessa. Se não, vira falácia.
    E ele não está sozinho nessa.

Tatiana

10 de fevereiro de 2014 às 18h08

A gente acha que em sites como este não vai se deparar com comentários imbecis. Mas não.

Responder

Marcos

10 de fevereiro de 2014 às 17h38

Não sei que “legítimo exercício do direito à livre expressão e manifestação” é esse, se todo mundo sabe que tais protestos vão terminar sempre em pancadaria. Qualquer um que seja convocado vai ganhar a adesão dos black blocs para depredarem o patrimônio público e privado, e não serem punidos por isso.
Queriam um corpo, e o do cinegrafista da Band era o ideal, desde que tivesse sido morto pela polícia. Não foi, e todos os jornalistas que pediam os protestos vão ficar agora com a cara torcendo.

Responder

Iza

10 de fevereiro de 2014 às 17h12

Talvez o deputado e seu partido o PSOL, agora aprendam que agradar a mídia criminosa que vive batendo no PT e em Dilma, não seja um bom “negócio”.

Responder

Luís Carlos

10 de fevereiro de 2014 às 17h05

Black Blocs pagarão o preço de insistirem, em tempos de democracia política, na tática do terror. Serão isolados politicamente, pois nenhum trabalhador apóia assassinato de outro como legítimo direito de expressão, mas entende isso sim, como violência e brutalidade absolutamente desnecessárias e contrárias aos interesses dos trabalhadores.

Responder

    Leo V

    10 de fevereiro de 2014 às 20h38

    Luis Carlos,

    Um pouco mais de razão não faz mal.

    As imagens nao mostram formação de bloco e muito menos preto. Engraçado, se a Al Qaeda atacar Nova York daqui a pouco vão colocara culpa nos black blocs, serve pra tudo.

    Segundo, qual seria especificamente esa prática de terror a que vc se refere? Quebrar vitrines de bancos? Defender professores em greve do ataque da polícia? Defender militantes de partidos de esquerda, inclusive do PT na avenida Paulista de ataques de fascistas?

    Andre

    11 de fevereiro de 2014 às 08h48

    Jogo duplo. Dividir para conquistar.

    Luís Carlos

    11 de fevereiro de 2014 às 11h19

    Quando você opta por usar máscaras não é possível identificar pessoas,,porém o rapaz que preso, seria sim integrante ou simpatizante dos Black Blocs. Segundo, a prática terrorista a que me refiro é optar por usar rojões e outros artefatos que não são pacíficos nem democrãticos e tem por finalidade gerar medo, violência e, como no caso, mesmo ferir e matar.
    As imagens com fogo (como semanas atrás ateando fogo na via pública incendiando um fusca) também não são ações pacíficas e democråticas, passando mensagens claras de medo, terror e caos.
    Isso tem sido visto em outros lugares do mundo, de forma muito semelhante, senão igual.

    J Fernando

    11 de fevereiro de 2014 às 12h01

    Muito esperto, Leo.
    Seu pequeno relato transforma os black blocs em heróis defensores dos fracos e oprimidos.
    A pergunta é se os professores grevistas pediram a ajuda dos black blocs para defendê-los do ataque da polícia…

    Leo V

    11 de fevereiro de 2014 às 14h59

    J Fernado,

    que diferença faz para o que está sendo discutido se os professores pediram auxílio ou não? O que se viu foi muitos professores segurando cartaz “black bloc é meu amigo”. Mas isso é fugir do central. Foi dito que eles são “terroistas”, eu simplesmente respondi perguntando por qual motivo.
    Quem os chamou de “terroristas” é que tem que apresentar fatos. O que vemos são os governistas se igualarem aos direitistas que chamam os outros de petralhas como se fosse argumento pra algo. Os governistas chamam outros de “terroristas” ou “fascistas” achando que não precisam argumentar.
    Peça pra outro desligar o cérebro, não eu.

    Luís Carlos

    11 de fevereiro de 2014 às 18h40

    Leo
    Quando alguém erra ou faz propositadamente ato que custe, como no caso, a vida de alguém, mesmo sendo de nosso campo de luta, movimento, partido, etc, o que devemos fazer? Devemos exigir que se assuma responsabilidade por ato cometido. Onde está a pessoas que disparou o rojão?
    Quanto aos governistas agirem da forma como relatas, pergunto, que diferença tem teu comportamento dos governistas, defendendo inclusive versão Black Bloc que motorista do fusca teria dirigido carro sobre colchões em chamas, como se ele fosse responsável pelo fato, e não Black Blocs? Responsabilizar o motorista (ele desmentiu essa versão pessoalmente) difere em que do que acusas os governistas? Defender, ou minimizar responsabilidades de Black Blocs de seus atos que tem exposto pessoas comuns a perigo, difere em que de quem tenta “limpar a barra” de governistas envolvidos em atos ilegais?
    Se Black Blocs tem por objetivo contribuir para causas dos trabalhadores estaão escolhendo meios equivocados para isso. Porém, após que estamos vendo, não acredito nisso. pelo contrário, lendo pela web ações de Black Blocs em outros países, associados a Anonymous, fica claro que objetivos são outros.

Erich

10 de fevereiro de 2014 às 17h03

Assassinato? De acordo com os manifestantes por aí, não foi assassinato, mas suicídio do cinegrafista, que resolveu filmar sem capacete.

Responder

Luís Carlos

10 de fevereiro de 2014 às 17h02

Se tem relações ou não com deputado Freixo, será averiguado e caso não, ele poderá acionar meios legais para recuperar possíveis prejuízos. Quem não poderá recuperar prejuízo algum será Santiago que está morto. A família dele também não. E quem incentivava a violência nas manifestações? Quem queria fogo em veículos de trabalhadores com família dentro? Quem queria imagens pirotécnicas nas ruas? Quem quebrou Itamaraty? Não foi o PT. Apontar dedos em riste é muito fácil, quase pueril, assim como a irresponsabilidade de jogar massas às ruas sem lideranças. Sem comando. Queriam não apenas manifestar, queriam fragilizar pelo terror. Mataram, e agora devem responder por isso, sem esconder o rosto.
Black Blocs, partidos políticos que os apoiavam e meios de comunicação como Globo que gozavam de prazer com imagens de violência, brincaram com fogo e se queimaram. Todos são responsáveis pela morte de Santiago e pela quase tragédia do fusca em chamas.
Alguns partidos que andavam de mãos dadas com Globo para prejudicar Governo e PT, descobriram que o escorpião pica as costas do sapo, mesmo depois de cruzar o rio nas costas dele.

Responder

Ari

10 de fevereiro de 2014 às 16h56

Quem manda Freixo e seus comandados, assim como os marineiros e afins, serem usados como massa de manobra da direita? Agora a própria direita que se valeu desses grupos se volta contra eles. De certa forma, Freixo, é, sim, cúmplice desse homicídio, pois nunca se opôs aos protestos violentos.

Responder

    Narr

    11 de fevereiro de 2014 às 20h26

    Teoria do Domínio de Fato: a culpa do ato de um indivíduo é estendida a todo o grupo. Mas essa é teoria do bem, só fuzila os inimigos do partido e da revolução.

Leo V

10 de fevereiro de 2014 às 16h55

Mas me parece que o autor também pratica mau jornalismo quando sentencia quem acendou o rojão a homicida doloso.

É interessante comparar quando alguém dirigindo um carro mata outra pessoa. Daí se chama “acidente”, e trata-se de caso culposo e não doloso. Mas quando é um manifestante que direciona um rojão na direção da polícia depois dela atacar brutalmente os manifestantes como relata repórter da Deutsche Welle, aí não é “acidente”, e só pode ser culposo, mesmo que a razão diga que não havia motivos para querer ferir o cinegrafista. Isso é tão mau jornalismo quanto aquele que o autor se contrapõe no caso das acusações ao Freixo.

Infelizmente a morte de um trabalhador de rua ocasionada pelo ataque da polícia, na mesma manifestação, não merece nota de rodapé nos jornais. São os dois pesos e duas medidas. Isso não é jornalismo, é luta de classes.

Responder

    Otto

    11 de fevereiro de 2014 às 08h18

    Puxa, o inocente manifestante não sabia que um rojão daqueles poderia matar uma pessoa? Fala sério!

    Leo V

    11 de fevereiro de 2014 às 12h09

    Vou desenhar:

    Alguém que dirige um carro sabe bem que carro pode matar. Nem por isso um atropelamennto é tratado como doloso. Dois pesos, duas medidas.

    Andre

    11 de fevereiro de 2014 às 08h52

    So falta sabe de qual lado quem incendeia carro de trabalhador e assassina um trabalhador que estava ali sendo explorado pela grande midia está. Para mim é evidente qual o lado que vocês estão.

    Leo V

    11 de fevereiro de 2014 às 12h12

    Certamente eu não estou do lado das pessoas que repetem as mentiras do PIG até o disco furar.

    O engraçado é a estupidez dos governistas, que mesmo que o único interesse seja se manter no poder, não percebem que estão fortalecendo os gestores rivais (a “oposição”), e quando não servirem ao interesse do capital mais, serão jogados pra escanteio. Tipo os inocentes úteis.

    Luís Carlos

    11 de fevereiro de 2014 às 18h50

    O setores “rivais”, a oposição, já está fortalecida desde quando muitos que se dizem à esquerda, aplaudiram versão da grande mídia contra PT, criminalizando PT. Não só aplaudiram como apoiaram grande mídia afirmando que o “PT é corrupto”. Aplaudiram a decisão do STF, com todos absurdos jurídicos cometidos no julgamento da AP 470. A oposição já vinha sendo fortalecida, contra governo popular, contra governo trabalhista, por alguns que se serviam de interesses da granda mídia, alimentando os prórprios, para destruir projeto dos trabalhadores, repetindo mantras da grande mídia de que “bolsa família não serve de nada”, “SUS é uma porcaria”, “Mais Médicos é trabalho escravo”, etc.

mineiro

10 de fevereiro de 2014 às 16h35

que eu me lembro o psol sempre anda de maos da dada com essa midia gopista e tambem apoia os golpes para derrubar o pt. e agora psol? eu pergunto a perseguiçao agora nao é contra o pt e contra um de seu partido e voces ainda vao estar do lado do pig golpista? com vao , se é contra o pt com certeza , entao eu tambem nao to nem ai para o seu aliado politico. voces devem muitas explicaçoes no caso do mentirao , que voces junto com a imbecil da heloiza helena visitavam os programas de tv para descer o pau nos acusados. e agora estao sentindo na pele? o marcelo freixo pode ate nao ter nada com isso , mas o psol partido esquozofrenico com certeza tem , porque sempre apoiou a direita e o pig salafrario golpista.

Responder

    Leo V

    11 de fevereiro de 2014 às 16h34

    E que eu saiba os governistas estão sempre reclamando do PIG e agora estão juntinhos a ele e repetindo as mesmas bravatas que saem no PIG.

    Se eu fosse como vc governistas eu diria que vocês estão sendo manipulados pela direita, fazendo o jogo da Globo. Mas como sou um pouco mais racional, não vou dizer isso, por não é disso que se trata e não me presto a desqualificações baratas.

Mauro Azevedo

10 de fevereiro de 2014 às 16h25

Pois é…
Talvez agora o PSOL consiga enxergar O PRINCIPAL ADVERSÁRIO a ser combatido em prol da maioria dos brasileiros…
As penas de aluguel.
Admiro a coragem de Freixo (votei nele para prefeito), porém tenho sérias restricões ao partido.

Responder

lidia virni

10 de fevereiro de 2014 às 16h08

Quem sabe o PSOL aprende a não ficar do lado daqueles que querem derrubar o governo. Porque é disso que se trata desde o inicioe a maioria dos manifestantes não passa de massa de manobra e são incitados pela oposição fascistas, pela midia golpista e pela suposta esquerda.

Responder

    Leo V

    10 de fevereiro de 2014 às 17h45

    Desde as últimas eleições, de 2010, o que tem diferenciado esquerda e direita é a razão. A esquerda tenta fazer debate político e apelar ao racional; a direita apela aos preconceitos e moralismo difusos na sociedade, tenta mobilizar o irracional.

    Lidia, suas afirmações são sem pé nem cabeça, são irracionais e apelam ao irracional das pessoas.

    Manifestações contra aumento do transporte no Brasil existem há mais de dez anos, inúmeras, às centenas. Sempre de esquerda. Ah, com muito apoio do PT inclusive.
    Eu mesmo participei de umas tantas, junto com muitos militantes do PT, durante o governo Lula.

    Andre

    11 de fevereiro de 2014 às 08h26

    E o que diferencia os nazistas mascarados de black block que vocÊs defendem é o assassinato de trabalhadores em manifestações e o terror contra os trabalhadores

    Leo V

    11 de fevereiro de 2014 às 11h48

    Andre,

    discuta com fatos não com adjetivos, senão vou achar que vc é igual aos comentaristas da Folha.

    Mostre “black bloc” na imagem e podemos conversar.

    Não estou aqui para defender um ação irresponsável. Estou aqui para defender a racionalidade, contra o oportunismo do capital (representando pela grande mídia e pelo governo) que tenta imputar a outros a atitude de um.

    E sabemos como funciona, uma hora haveria ataque de bandeira trocada caso necessário.

    Troca o disco, porque só o que você tem a dizer é chamar quem vc quer destruir de nazista ou fascista.
    Mas quem tem discurso irracional é vc Andre.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Últimas matérias
Ao vivo: Impactos do coronavírus na Educação pública de Minas Gerais

Participam Beatriz Cerqueira, Denise Romano e Elaine Ribeiro

Ler matéria