VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

New York Times: “Clima de ódio no discurso político encorajou indivíduos violentos”


24/07/2011 - 16h53

Norway Attacks Put Spotlight on Rise of Right-Wing Sentiment in Europe

By NICHOLAS KULISH

Published: July 23, 2011

do New York Times

BERLIM — Os ataques em Oslo na sexta-feira despertaram nova atenção em relação aos extremistas de direita não apenas na Noruega, mas em toda a Europa, onde a oposição aos imigrantes muçulmanos, à globalização, ao poder da União Europeia e à busca do multiculturalismo se provou uma potente força política e, em alguns casos, um incentivo à violência.

O sucesso de partidos populistas que apelam a um sentimento de perda de identidade nacional, causou críticas às minorias, aos imigrantes e particularmente aos muçulmanos, que não ficam mais restritas aos bares ou salas de debate da internet mas agora fazem parte da política cotidiana. Embora os partidos em geral não apoiem a violência, alguns especialistas dizem que o clima de ódio no discurso político encorajou indivíduos violentos.

“Não fico surpresa quando coisas como a bomba detonada na Noruega acontecem,  já que você pode encontrar gente que acredita que meios mais radicais são necessários”, disse Joerg Forbrig, um analista do Fundo Marshall da Alemanha que estuda questões da extrema-direita na Europa. “Literalmente, é algo que pode acontecer em um número de lugares e existem problemas maiores por trás do fenômeno”.

Em novembro passado um homem sueco foi preso na cidade de Malmö em conexão com mais de uma dezena de casos de tiros disparados contra imigrantes, causando inclusive uma morte. Os incidentes, nove dos quais aconteceram entre junho e outubro de 2010, parecem ter sido trabalho de um único indivíduo. Mais amplamente na Suécia, no entanto, o [partido] direitista Democratas Suecos experimentou renovado sucesso em eleições. O partido ingressou no Parlamento pela primeira vez depois de receber 5,7% dos votos nas eleições gerais de setembro passado.

A bomba e os assassinatos em Oslo também serviram como alerta para os serviços de segurança da Europa e dos Estados Unidos, que em anos recentes focaram tanto em terroristas islâmicos que podem ter subestimado a ameaça de radicais domésticos, inclusive dos que se revoltaram contra o que enxergam como influência do islã.

Nos Estados Unidos os ataques mortais reavivaram a memória do bombardeio de Oklahoma City em 1995, quando um extremista de direita, Timothy J. McVeigh, usou uma bomba de fertilizante para detonar um prédio público federal, matando 168 pessoas. Aquele ato mortal ficou encoberto pelos eventos de 11 de setembro de 2001.

De acordo com o sr. Forbrig, grupos isolados de direita na Europa surgiram e desapareceram rapidamente entre os anos 60 e os anos 90. Mas em anos recentes posições de extrema-direita deixaram de ser o tabu do pós-Segunda Guerra mesmo entre importantes partidos políticos.

Uma combinação da crescente imigração com o movimento largamente irrestrito de pessoas numa ampliada União Europeia, como da perseguida minoria Roma, ajudou a assentar as bases para um renascimento nacionalista, muitas vezes profundamente chauvinista.

Grupos assim ganham tração da Hungria à Itália, mas isso é particularmente aparente nos países do norte europeu que há muito tempo tem políticas liberais de imigração. A rápida chegada de refugiados, dos que buscam asilo e de migrantes econômicos, muitos dos quais muçulmanos, levaram a uma significativa revolta em países como a Dinamarca, onde o Partido Popular da Dinamarca tem 25 dos 179 assentos no Parlamento, e na Holanda, onde o Partido da Liberdade de Geert Wilder ganhou 15,5% dos votos nas eleições gerais de 2010.

O sr. Wilders famosamente comparou o Corão, o livro sagrado do Islã, ao livro Mein Kampf, de Adolf Hitler. Os partidos direitistas dinamarquês e holandês apoiam governos precários, em minoria, e não participam destes governos com ministros, mas no processo avançam lentamente em busca de aceitação geral.

Os ataques de sexta-feira foram rapidamente condenados por líderes políticos da Europa, em todo o espectro político. A chanceler da Alemanha Angela Merkel foi particularmente dura ao descrever o “crime repugnante”. O tipo de ódio que poderia alimentar tal ação, ela disse, vai contra “a liberdade, o respeito e a crença em coexistência pacífica”.

Ainda assim, algumas das motivações primárias citadas pelo suspeito da Noruega, Anders Behring Breivik, se tornaram questões de amplo debate [na Europa]. A sra. Merkel, o presidente da França Nicolas Sarkozy e o primeiro ministro britânico David Cameron, todos declararam recentemente o fim do multiculturalismo. O multiculturalismo “fracassou, fracassou redondamente”, a sra. Merkel disse aos colegas cristãos-democratas [da Alemanha] em outubro passado, embora tenha dito também que os imigrantes são benvindos na Alemanha.

Talvez a maior surpresa aconteceu no Reino Unido, um país que há muito tempo se considerava entre os mais amigáveis para imigrantes na Europa, até uma série coordenada de ataques à bomba em Londres seis anos atrás. Em um de seus mais famosos discursos, o sr. Cameron disse em uma cúpula de segurança em Munique em fevereiro que a política multiculturalista britânica de décadas tinha encorajado “comunidades segregadas”, onde o extremismo islâmico poderia vicejar.

A França, um estado secularista onde toda religião é banida da esfera pública, há muito era isolada e atacada por sua forte oposição ao laissez-faire do multiculturalismo. Mulheres que aparecem em escolas públicas com o lenço muçulmano são suspensas, assim como professores ou qualquer outro funcionário público.

Se o sr. Sarkozy parece ter tido um posição menos favorável ao secularismo oficial, ou “laicidade”, no início de sua carreira política, quando contemplou até mesmo a ideia de [políticas de] ação afirmativa,  recentemente ele tem feito de tudo para voltar atrás. Sarkozy apoiou um debate sobre “identidade nacional” no ano passado e, no início deste ano, baniu os véus muçulmanos que cobrem a face, como o niqab, e também a burqa.

Isso não evitou que o direitista National Front, liderado por Marine Le Pen, a filha do fundador do partido, ganhasse apoio em pesquisas de opinião, com levantamentos prevendo que Marine pode ter chance de disputar o segundo turno na próxima eleição presidencial. Ela comparou os muçulmanos que oram nas ruas, do lado de fora de mesquitas lotadas, à ocupação nazista, e ataca a União Europeia e o euro.

Mais cedo este mês, o jornal diário Berliner Zeitung noticiou que neonazistas estavam atacando os escritórios do esquerdista Left Party com crescente frequencia. No que um dia foi o estado de Mecklenburg-Vorpommern, na Alemanha Oriental, estatísticas mostram que aconteceram 30 ataques do tipo na primeira metade de 2011, comparados a 44 em todo o ano de 2010.

Devido a seu passado nazista, a Alemanha mantém vigilância sobre os extremistas de direita, e os partidos de extrema-direita tem dificuldades em obter apoio, sem contar com qualquer representante no Parlamento.

Na Finlândia, o True Finns, um partido nacionalista populista fundado em 1995, se tornou o terceiro maior do parlamento, depois de conquistar 19% dos votos em abril. O Partido do Progresso da Noruega, populista de direita, é o segundo maior do país, tendo obtido 23% dos votos nas eleições parlamentares de setembro de 2009.

“Os grupos de direita da Noruega sempre foram desorganizados, nunca tiveram líderes carismáticos como os grupos bem organizados e bem financiados que se vê na Suécia”, disse Kari Helene Partapuoli, diretor do Centro Norueguês contra o Racismo. “Mas nos últimos dois ou três anos nossa organização e outras redes antifacistas tem alertado para a crescente temperatura do debate e para o fato de que grupos violentos tinham se estabelecido”.

Mas a Noruega não existe em um vácuo. A cena direitista local está conectada ao resto da Europa através de foruns da internet, onde o discurso do ódio prolifera, e através de manifestações públicas de extrema-direita, que atraem uma mistura internacional de participantes.

“Este pode ter sido o ato de um indivíduo louco, solitário e paranoico”, disse Hajo Funke, um cientista político da Universidade Livre de Berlim que estuda o extremismo de direita, se referindo aos fundamentalistas cristãos acusados pelos crimes [na Noruega], “mas o milieu da extrema-direita cria uma atmosfera que leva essas pessoas ao caminho da violência”.

Reporting was contributed by Steven Erlanger from Oslo, Katrin Bennhold from Paris, Stefan Pauly from Berlin, and Scott Shane from Washington.

PS do Viomundo: O artigo fracassa em um ponto essencial. É como se a imigração, pura e simplesmente, fosse a responsável pela “revanche” da extrema-direita europeia. Não é. O caldo de cultura que alimenta a extrema-direita não é apenas cultural, mas econômico. Deriva da concentração de renda e da falta de perspectiva de emprego dos jovens europeus. É nesse caldeirão — para o qual contribui a elite europeia, como temos visto na Grécia — que se alimentam os fascistas e os nazistas.

Leia aqui sobre a ascensão do fascismo nos Estados Unidos

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



168 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Nicolau

12 de abril de 2015 às 00h30

O assassino Brejvik da Noruega , é um Maçom, e o jornal judeu New York Times diz que e “fascista”, vai mentir assim no inferno!

Responder

Emir Sader: A “guerra ao terror”, 10 anos depois | Viomundo - O que você não vê na mídia

22 de agosto de 2011 às 11h54

[…] New York Times: Clima de ódio no discurso político encorajou indivíduos violentos. A ascensão do… […]

Responder

Noam Chosmky: Os Estados Unidos em decadência | Viomundo - O que você não vê na mídia

09 de agosto de 2011 às 14h44

[…] New York Times: Clima de ódio no discurso político encorajou indivíduos violentos. O crescimento …   […]

Responder

Pedro

27 de julho de 2011 às 09h32

Este artigo tem assuntos em demasia. Se partisse da crise da civilização capitalista chegaria a conclusões mais próximas do que é necessário fazer para enfrentar assassinatos em massa como esse agora da Noruega. Jornalista, às vezes, sabe muito, mas não sabe o essencial.

Responder

lucio

26 de julho de 2011 às 21h03

Nossa Senhora!!!! A coisa tá feia por aqui.

Responder

    Sergio Barbosa

    26 de julho de 2011 às 22h36

    PUXA VIDA,tem direitistas e neofascistas defecando pela boca .É melhor estes comentaristas sairem deste blog e procurarem a LATRINA MAIS PRÓXIMA e embrulhar a sua sujeira com folhas da revista Veja.

Bonifa

26 de julho de 2011 às 18h35

O PS do Viomundo é fundamental: "O caldo de cultura que alimenta a extrema-direita não é apenas cultural, mas econômico. Deriva da concentração de renda e da falta de perspectiva de emprego dos jovens europeus. É nesse caldeirão — para o qual contribui a elite europeia, como temos visto na Grécia — que se alimentam os fascistas e os nazistas." Diante das tremendas dificuldades que ainda estão por vir na Europa e nos EUA, muito difícil vai ser para as pessoas de bom senso tentarem segurar a loucura da extrema-direita, que se apresentará como solução salvadora.

Responder

José do Ceará

26 de julho de 2011 às 15h22

O pasquim vagabundo oia usa de eufemismos para tentar encobrir o crime que esse comparsa dele(revista) cometeu.a mídia safada ,agora,se faz de cega,muda e surda. Pilantras…

Responder

weiland

26 de julho de 2011 às 03h30

Puro terrorismo cristão e de ultra direita… que ele passe o resto da vida na cadeia… mesmo sabendo que as leis tem o maximo de 21 anos de pena…

Primeiro terrorista templario do Seculo 21!!!

Responder

edv

26 de julho de 2011 às 01h02

No caso do tiroteio na escola, a mírdia tentou insinuar que o louco era um terrorista islâmico.
No caso da Noruega, a mírdia já afirma que o possível terrorista nazistóide é apenas um louco…
Sintomático.

Responder

Nelson

25 de julho de 2011 às 23h14

Percebi uma gosma, uma baba, escorrendo do terminal de vídeo de meu computador. Fui verificar e constatei que a meleca tem origem no ódio cego que um determinado cometarista nutre contra os muçulmanos. Tão irracional que ele está, desperadamente, querendo arrumar adeptos a seu rancor entre os demais comentaristas.

Responder

Nelson

25 de julho de 2011 às 23h07

Tem comentarista por aqui que não se esquiva de cometer o despautério de afirmar que "Che Guevara foi pior que o norueguês, matou mais e mais covardemente" ao mesmo tempo em que suspira de emoção ao ouvir os nomes de Bush pai e Bush filho, Reagan, Clinton, Nixon, Obama, Blair e outro, todos notórios terroristas e assasinos.

Responder

Fabio_Passos

25 de julho de 2011 às 22h27

Um grande desafio para a esquerda é evitar que o desespero e falta de perspectivas das populações fubecadas pela ruína neoliberal seja instrumentalizada pela direita.

E a situação deve piorar com o colapso da europa e o agravamento da crise nos eua.

Este assassino covarde é fruto típico do lixo produzido pela mídia-corporativa ocidental.
O sujeito escrevia o tempo todo contra o Islã e o marxismo. Era um "colunista da veja" norueguês.

Responder

    Diógenes

    26 de julho de 2011 às 02h47

    Que esquerda???
    Aqueles que cabem na Kombi do PSOL?
    Ou os do patrocínio da Petrobrás, BNDES e Caixa (Econômica, não Dois)?
    Os comunistas Roberto Freire e Aldo Rebelo?
    A socialite Marta relaxa?
    O secretário tripolar do governador do Eike, digo, do Rio?
    Os ministros da banda ancha galega?
    Ou os twitteiros e comentaristas "esquerdistas-de-horas-vagas" antes de ir pra balada?
    Os progressistas da campanha da Roseana e do Hélio Costa?
    A sertanista neo-ecostar?
    Ou seriam os diversos consultores progressistas?
    Ou quem sabe a UNE e o MST, afônicos, digo, atônitos, com o governo bonzinho?
    Onde? onde, ó Senhor, é que estará essa tal esquerda?

    Fabio_Passos

    26 de julho de 2011 às 13h15

    Como qual esquerda?
    Está nas universidades, movimentos sociais, sindicatos… cada vez mais há pessoas conscientes.

Fabio_Passos

25 de julho de 2011 às 22h07

Olha só como o direitista assassino da Noruega citou o Brasil:

"A razão da nossa preocupação e oposição deve-se ao fato de que a imigração massiva, a mistura racial e s adoção por não europeus são uma ameaça à unidade da nossa tribo (…). Primeiramente, um país que tem culturas competitivas vai se dilacerar ou vai acabar como um país disfuncional, como o Brasil e outros países"

Pelo jeito o fascista norueguês era fã de ali kamel e leitor da revista veja…

"O assassino noruegues contra a mistura de cores do Brasil" http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-assass

Responder

    Leider_Lincoln

    26 de julho de 2011 às 06h59

    Poderia-se tirar este trecho, com ´pouquíssimas alterações, de alguns dos comentaristas aqui do Viomundo… Só neste tema já apareceu alguns defendendo que a culpa foi dos trabalhistas noruegueses, outro falando que quem não gosta de São Paulo que deixe o estado… E o discurso do "é democracia, deixe eles falaram" continua, célere. Sábia é a legislação alemã, extremamente intolerante com os intolerantes.

    Fabio_Passos

    26 de julho de 2011 às 13h20

    O fascista norueguês é idêntico a estes figuras da nossa classe-média branquicela.
    É a imagem dos figuras que leem revista veja e assistem JN.
    cara de um… focinho do outro.

    Junior

    26 de julho de 2011 às 15h23

    Como eu disse, só repetição de slogans de Diretório acadêmico. Não sai disso.

    Fabio_Passos

    26 de julho de 2011 às 19h49

    rapaz, você realmente me venera.
    fico lisongeado mas preciso te avisar… a recíproca não é verdadeira.

    Junior

    27 de julho de 2011 às 09h13

    O verbo não é bem esse… mas será que fui sutil demais para sua cabecinha de movimento estudantil?

    Fabio_Passos

    27 de julho de 2011 às 11h26

    bom, já que você me venera como um Deus…

    Deus te ordena: Não leia revista veja.

    Como recompensa será liberto de preconceitos de raça e classe… e (quem sabe) até perderá o estigma de pouco inteligente.

    Só vai te fazer bem.

Rogério Leonardo

25 de julho de 2011 às 21h04

Eu tenho nome, sobrenome e um rosto, e os trolls que infestaram o vi o mundo?

Muito fácil ficar defendendo algumas ideias fascistas atrás do anonimato.

Deixem de ser covardes e mostrem a cara e aí eu resolvo se vou debater em um nível em que vocês parecem não querer alcançar.

Até agora vocês só vomitaram preconceitos e asneiras sem o menor sentido: "PT da Noruega", "comunismo", "terrorismo islâmico"?

Acordem fascistóides, o terrorista em questão é europeu, mais precisamente nórdico, branco, de direita, além de loiro de olhos azuis.

Ele é a própria face do discurso xenófobo da direita européia, agora turbinado pela crise que devora empregos, um assassino covarde e paranóico gestado no caldo de intolerância próprio do discurso ultra-liberal.

E alguns imbecis querem nos convencer de que a culpa é da tolerância aos imigrantes e minorias, vão à merda!!! Como diria Nelson Rodrigues: "Os idiotas perderam a modéstia"!!!!

Responder

    Pedro Luiz Paredes

    25 de julho de 2011 às 22h53

    Os cara querem distinguir raça no Brasil?
    kkkk
    Por mais atrocidades que cometam só causarão cocegas.
    A única coisa que poderia alcançar o sonho deles no Brasil seria um ataque nuclear em cada buraco deste país.
    Todos são imigrantes e mestiços de alguma forma.
    Brasil não é lugar de puro sangue.
    Saiam fora!

    Leider_Lincoln

    26 de julho de 2011 às 07h02

    É o que eu digo amiúde, Rogério. Os Richard Smith da vida e seus seguidores que vieram do esgoto ou de sites da extrema direita católica, os apologéticos do DEM de SC e do PSDB do PR e de SP, os funcionários das máquinas de fazer dinheiro com pedágio,os defensores a soldo do amianto e toda esta boa gente atrás de "liberdade", não de debate…

    Hidden T. Roll

    26 de julho de 2011 às 10h34

    Putz…eu jurava que Rogério Leonardo eram dois nomes.

Alex Gonçalves

25 de julho de 2011 às 20h36

Ô, rapá! Os trolls de extrema direita se emplumaram todos mesmo. O sujeito faz uma monstruosidade e os caras se enchem de moral(!) pra vir trolar. Só mostram que são doentes mesmo.

Bando de monstros.

Responder

Pedro Luiz Paredes

25 de julho de 2011 às 20h34

É como eu sempre digo: para ser de direita basta ser burro.
Agora me vem a cabeça que ser de ultra direita então deve ser fruto de um estado mental diferente, parecido com o de uma ameba.
Esse cara não é líder nem de longe, foi usado.
Se fosse esperto não seria preso pra matar cem basta fechar umas comportas em São Paulo depois de contratar empresas de fachada para limpar a calha dos rios da cidade.
Se tudo der certo ainda afunda algum partido, funda outro, ou concorre a presidência.

Responder

Leonardo

25 de julho de 2011 às 20h04

Prisão de segurança máxima da Noruega, onde provavelmente esse maluco vai ficar:

[youtube aiZUvDMdnik http://www.youtube.com/watch?v=aiZUvDMdnik youtube]

Ou seja, vai ficar no máximo 21 anos nesse hotel de luxo, haja vista que essa é a pena máxima naquele país.

Responder

    Augusto Mendes

    25 de julho de 2011 às 21h06

    E ainda tem gente que acusa de "fascista" quem é a favor de leis mais duras para punir homicidas. Ironicamente, o verdadeiro fascista assassino é que vai se beneficiar dessa miopia dessa turma que não entende a importância da punição severa como instrumento de combate a todos os tipos de crime.

Fabio_Passos

25 de julho de 2011 às 19h44

É a direita.
Incita a violência e perseguição dos imigrantes. Daqueles que são diferentes.

Atenção porque aqui temos bolsonaro e cia.

Responder

    Junior

    25 de julho de 2011 às 21h06

    Ora, mas outro dia mesmo esse playboy defendeu a eliminação de adversários por aqui…

    Fabio_Passos

    25 de julho de 2011 às 22h57

    força, juju! Você consegue! Repita: mais livros… menos revista veja

    <img src=http://www.kaosenlared.net/img2/192/192068_dosis_xm.jpg>

    Junior

    26 de julho de 2011 às 09h59

    Ora, Fafá, mas vc lê livros? Não parece, suas manifestações são apenas uma coleção de slogans de D.A. de Jardim de Infância. Precisa elaborar um pouco mais, porque se te proibirem de usar meia dúzia de palavras de ordem, vc regride aos grunhidos e mímica.

    Mariano

    26 de julho de 2011 às 12h13

    Comentário certeiro, além de demolidor.

    Fabio_Passos

    26 de julho de 2011 às 13h21

    pfff… não acerta uma.
    Melhor ir a um oculista.

    Fabio_Passos

    26 de julho de 2011 às 13h07

    junior, não aguenta?
    Pede ajuda prá um senior…
    Deve haver algum fascistinha mais inteligente do que esta ralé que lê revista veja.

Jairo_Beraldo

25 de julho de 2011 às 18h22

“Clima de ódio no discurso político encorajou indivíduos violentos"…

Mandatário polista Picolé de Xuxú desmancha tese do Viomundo…ele, depois da violenta eleição de 2010 baixou 12% dos assassinatos em sunpaulu…só não especificou a fonte de tal eresia.

Responder

yacov

25 de julho de 2011 às 17h18

Nossa Véi!!! Isso aqui já foi bom, agora que os trolls tomaram conta, virou uma bos…. Parece aquelas intemináveis discussões cabeça de bêbados pseudo-intelectuais num boteco ao lado da facul, madrugada a dentro. Já superei esta fase. Vou me mandar prá outros cantos menos reaça. FUI!!!

"O BRASIL PARA TODOS não passa na glObo – O que passa na glObo é um braZil para TOLOS"

Responder

Leonardo

25 de julho de 2011 às 16h07

Dias atras olhem o que aconteceu na Noruega:

[youtube bYqzy-QrQZM http://www.youtube.com/watch?v=bYqzy-QrQZM youtube]

Um muçulmano insulta uma idosa, chegando a ameaçá-la, acusando-a de danificar a sua bicicleta.

Os outros passageiros advertem o "nobre" rapaz, dizendo-lhe que não falasse dessa maneira com a mulher (idosa ainda por cima). E ele, em resposta, faz-se de vítima, enquanto chamava"cães" todos que o criticavam. Cão é como os muçulmanos costumam chamar aos infiéis, visto que o cão é, para o Islã, um animal impuro.

É dessas coisas que estou falando ao dizer que o PT da noruega criou o "monstro".

Ainda vão fingir que nao entenderam?

Responder

    Alex Gonçalves

    25 de julho de 2011 às 20h57

    1ª e mais votada resposta do vídeo:

    "We, as Europeans should be ashamed of the way we evolved since the 60's.

    In the 60s, a muslim wouldn't dare talk like that to a European and if he did, every man on the bus would have put him back to his place, with force if necessary.

    The multicultural-tolerance-antira­cism bullshit has made us weak and unable to answer to such blatant assault for fear of being labeled racists.

    I'm afraid one day Europeans will step up it will end in violence after holding on our anger for too long."

    Por outro lado, de vários comentaristas: Nada prova que é mulçumano.

    Vários links para mais vídeos de incentivo à intolerância.

    Já entendemos há muito tempo o que tu é Leonardo. Hoje tu provou ser bem pior do que imaginávamos.

    Lucas

    25 de julho de 2011 às 21h14

    Ora, vamos Leonardo, primeiro que ninguém a não ser o título do vídeo faz menção à religião do homem da bicicleta (e a pessoa que fez esse vídeo é claramente islomofóbica, se você ler o que ela escreve). Segundo, a propensão de uma pessoa brigar num transporte público não tem nada a ver com a religião dela. Eu pessoalmente já vi muitas brigas nos ônibus da vida, e a não ser que esteja enganado, a maior parte dos briguentos não era muçulmano.

    Helio Aguiar Filho

    25 de julho de 2011 às 22h34

    Caro Leonardo (ou teria outro nome?)
    Este tipo de video circula com frequencia nos sites neo-nazistas.
    A defesa que voce faz, nas entrelinhas, da xenofobia na Europa, associada a inevitavel e previsivel referencia
    ao PT, o coloca no campo da extrema-direita camuflada. Muitos europeus pensam assim, ainda que
    nao cheguem a votar nestes partidos.
    Pra seu governo, eles tambem nao gostam de brasileiros e acham – desde Morel e Gobineau no Sec. XIX –
    que a miscigenacao leva a degenerescencia. E so conferir as referencias que o noruegues faz ao Brasil,
    sem provavelmente nunca ter visto um brasileiro.
    Se voce nao esta neste campo, reveja seus conceitos e informe-se um pouco mais sobre a xenofobia
    na Europa. Anti-lulismo tem limites.

    Leider_Lincoln

    25 de julho de 2011 às 22h49

    Você é um doente preconceituoso. E acredite: cada vez menos de nós está disposta a tolerar gente como você, pois sabemos o que vocês podem fazer. Conceição, minha flor: isso aqui é realmente lugar para este tipo de comentário? Realmente escrever coisas como estas e postar vídeos como este é "debate"?

    Pedro Germano Leal

    26 de julho de 2011 às 08h51

    O que eu vi foi um sujeito idiota e grosseiro. Eu não vi um muçulmano. Em momento algum eu o vi dizer que era muçulmano.
    Enquanto um IDIOTA de origem árabe insulta uma senhora (e é repreendido publicamente) por razões triviais, um loiro dos olhos azuis, um príncipe nórdico, massacra crianças com um fuzil por razões políticas espúrias. E nem por isso estamos dizendo que os noruegueses são covardes narcisistas.

    A essência do fascismo, da intolerância, é querer tratar tudo como a mesma coisa. Tomar um caso isolado e oferecê-lo como regra (o que caracteriza uma falácia da generalização apressada, e que portanto PROVA-SE SEM VALIDADE LÓGICA ALGUMA) é próprio de gente ignorante, ou com a intenção de promover um discurso irracional.

    Eu vivo em um bairro de muçulmanos, numa grande cidade européia, e JAMAIS, JAMAIS fui insultado, importunado, ou qualquer coisa do tipo por muçulmanos. Ao contrário. Entre eles estão meus melhores amigos aqui. E eu sou um pagão. Já de alguns europeus já tive que tolerar as maiores grosserias.

    Portanto, lançando mão da belíssima cultura árabe, deixo-te um pequeno ditado: 'se o que você tem a dizer que não for melhor que o silêncio, cale-se'.

    P.S. Eu gostaria de pedir aos moderadores do Viomundo para apagar esse post, apresentado de maneira completamente deturpada. Ele não tem qualquer validade argumentativa, não enobrece a discussão. O grande problema hoje é dar, de fato, um basta a quem propaga esse tipo de baixeza. Se gente como esse sujeito não consegue perceber os erros em que incorre, e se nega a entender isso, que fique bem longe de um espaço como esse, ao invés de trazer seu lixo para cá.

Eudes H. Travassos

25 de julho de 2011 às 15h37

"Klaus · 16 horas atrás
Fui no site indicado. O carinha condena o norueguês mas idolatra Lenin e a guerilha brasileira. Vai entender… Che Guevara foi pior que o norueguês, matou mais e mais covardemente, mas é idolatrado pela esquerda. Vai enternder, né Dudu? "

Klaus, você não tem graça mesmo, quer dizer então, que tu acahas o Anders Behring Breivik um revolucionário?

Responder

Leonardo

25 de julho de 2011 às 15h29

Quando eu citei que o PT noruegues criou o "monstro", sendo pró-imigrantes, fazia referencia a esse tipo de coisa:

"História de um menino norueguês que teve de mudar a escola por causa da intimidação e do racismo dos muçulmanos em sua escola (com 97% de imigrantes). "

[youtube m3rEZjuswho http://www.youtube.com/watch?v=m3rEZjuswho youtube]

[youtube wFMsPaqF3MM http://www.youtube.com/watch?v=wFMsPaqF3MM youtube]

Será entenderam agora ou vão continuar se fazendo de "lerdos"?

Responder

    Leider_Lincoln

    26 de julho de 2011 às 07h04

    O Viomundo agora virou depositário de vídeos da extrema direita racista e xenófoba? Por que com a desculpa de "comentar" já há mais vídeos desta gente aqui do que no Coturno Noturno…

    Leonardo

    26 de julho de 2011 às 17h59

    Voce são radicais dissimulados. Fingem não entender as coisas para continuar com o discurso inalterado.

    O nazismo e o comunismo soviético cresceram justamente baseados, dentre outras coisas, em práticas como a de voces.

    Pessoas assim são capazes de tudo.

    Anti

    26 de julho de 2011 às 22h37

    E você é a mais perfeita forma de hominídeo (cof, cof, cof) pensante.
    Que tal?

    Pedro Germano Leal

    26 de julho de 2011 às 08h54

    Mais uma vez, eu peço a moderação desse espaço para apagar esses vídeos que não passam de propaganda xenófoba.

Eudes H. Travassos

25 de julho de 2011 às 13h24

É isto mesmo, Azenha! Mas pra quê o Mr. Nicholas Kulish no New York Times vai falar em economia quando os planos milagrosos na Europa querem salvar o mundo enchendo os bolsos das empresas e dos bancos com empréstimos do FMI e por outro lado proletarizando o trabalhador?
A culpa nunca é da economia, sempre é da política que tem sua parcela, claro, e da cultura, esta tal intolerância. Ora, alguem eacredita que em uma economia em expansão os europeus estariam preocupados com as burcas, lenços, barbas e outros caracteres mulçumanos?

Responder

Eudes H. Travassos

25 de julho de 2011 às 13h23

Ao contrário, numa situação de bonança a imigração é bem vinda, pois é mão de obra barata e sujeita a qualquer tipo de serviço, não é assim mesmo? Se o espaço e o dinheiro estiverem garantidos, não serão as diferenças de costumes que vão trazer conflitos, isto é como diria um certo prussiano – o gigante do pensamento – em meados do século XVlll : "na base de tudo está a economia", ou seja, a necessidade de cada um sobreviver.
Certo está quem denuncia a ideologia perversa e agressiva destas elites, ideologia que nada mais é do que a tradução do espirito capitalista da atualidade.

Responder

Julio Silveira

25 de julho de 2011 às 12h07

O PIG está escondendo que ele proprio é extrema direita, e da pior especie. Aquela que não tem coragem de assumir, que gosta de ficar transitando como um, falso, civilizado. Mas que apoia disfarçadamente e as vezes veladamente na politica (que é quem toca as demandas da cidadania), todas as formas opressoras de poder, que vão desde a ditadura militar de direita até o coronelismo escravocrata. Mas com a visão que têm, para eles não restará outra alternativa. A visão egoísta e concentradora do sistema que defendem os colocarão inexoravelmente em antagonismo com a multiplicidade. E a contradição aparece justamente quando eles, defensores de seus feudos comerciais, falam em concorrencia e livre iniciativa, mas produzem e apoiam gestores que lhes permite exclusividades e oportunidades pela estado. Gostam tanto de recursos financeiros públicos como outros ativos públicos, como por exemplo, doação de terrenos publicos. A Democracia, para eles não é uma convicção, por saberem que isso implica em multiparticipação, multilarismo, e toda forma de diversidade que não se coaduna com a concentração que pretendem. Gritam, para os tolos, uma defesa mas não com um interesse real para fortalecimento da cidadania, e sim como uma forma buscar oportunidades, de se aproveitar da fragilidades do sistema, de aumentar o poder de suas bases familiares movida a recursos financeiros. Também convivem bem com regimes de exceção, desde que tenham mantidas suas oportunidades e privilégios. Na verdade a midia ocidental e principalmente a brasileira, moldada como cópia e colonizada, movida a conceitos dos Murdocks tupiniquins precisa é assumir sua real identidade e correr os riscos da incompatibilidade com os cidadãos e de produzir futuros radicais de extrema direita que possam dividir com ela a cumplicidade de algum atentado bestial.

Responder

kkg

25 de julho de 2011 às 11h53

motivo financeiro? que tal por motivos politicos, luta do poder, poder pelo poder mote da direita em qualquer espectro? As mazelas do capitalismo como nunca antes expostas e reacinha nao suportando as consequencias.
E outra, o NYT fala como se o fenomeno dos reaças se rebelando contra a perda do poder fosse privilegio da Europa. Eles que adoram mostrar suspeito de crime algemado antes de julgamento omitem que lá tem a foxnews, o tea party que são criminosos, e eles proprios!. Quem lembra no inicio do ano quando mataram a deputada democrata e mais uns ai numa reuniao comunitaria? Que a Palin tinha a deputada no seu mapa de inimigos politicos a serem eliminados. E da Judith Miller?

Responder

Marat

25 de julho de 2011 às 11h32

Se o atentado a esse insignificante país, que está interessado nos recursos naturais dos árabes, fosse perpetrado por um islâmico, nossa impren$$$a ame$$$trada daria notícias de cinco em cinco minutos do "terrível ataque terrorista". Como foi um terrorista de direita, e cristão, o noticiário está sendo bem tranquilinho!

Responder

    Leonardo

    25 de julho de 2011 às 14h59

    Mas de ataque terroristas islâmicos já se tem às centenas, milhares.

    Ou voce acha que são poucos?

    Voce quer mais ataques terroristas do que os que já foram produzidos?

    Pelo que escreve, é isso que dá a entender.

    Marat

    25 de julho de 2011 às 15h10

    Leonardo, o foco é o seguinte: Já que é "novidade", por que não noticiar. Agora, terrorismo de Estado, aquele perpetrado pelos EEUU e seus países-satélite europeus, esses sim, ocorrem diuturnamente, e já há anos!

    Leider_Lincoln

    25 de julho de 2011 às 15h15

    E muitos mais os da extrema direita e dos religiosos, né? Ou você acha que os ataque a imigrantes, estrangeiros, minorias, clínicas de aborto, libertários, ciganos, céticos, homossexuais não é terrorismo? Ou você se esqueceu de Timothy McVeigh? Ah, meu caro, esse norueguês colocou as coiss nos seus devidos eixos, desmascarou toda uma laia!
    Mas, já que estamos falando da direita e seus governos, eis o Tietê, rio-símbolo de São Paulo: http://www.youtube.com/watch?v=qrbcfujzFOs&fe

    Lucas

    25 de julho de 2011 às 16h07

    Na realidade, ataques de terroristas islâmicos são bem poucos no mundo ocidental. Os terroristas islâmicos costumam matar muito mais muçulmanos do que pessoas de outras religiões, e muito mais árabes do que pessoas de outras etnias. Na Europa, por exemplo, houveram dezenas de vezes mais ataques do ETA e do IRA do que de terroristas islâmicos.

    O que acontece, como o Marat notou, é que ataques de árabes são muito mais noticiados do que ataques de separatistas, ou de radicais de direita e esquerda.

    Leonardo

    25 de julho de 2011 às 15h03

    Cristão? Você é louco?

    "Terrorista se proclamava como darwinista, não cristão"

    Manifesto de norueguês mostra Breivik como não religioso e não tendo nenhuma fé pessoal

    WASHINGTON, EUA — Uma análise do manifesto de 1.500 páginas de Anders Behring Breivik mostra que a atitude dos meios de comunicação de apressadamente caracterizar o terrorista norueguês como “cristão” pode ser incorreta do mesmo jeito que foi incorreto chamar Timothy McVeigh, o terrorista do ataque a bomba na Cidade de Oklahoma, de cristão.

    (…)
    Entretanto, embora McVeigh tivesse rejeitado Deus completamente, Breivik escreve em seu manifesto que ele não é religioso, tem dúvidas acerca da existência de Deus, não ora, mas afirma a supremacia da “cultura cristã” da Europa bem como sua própria cultura nórdica pagã.

    Por outro lado, Breivik louva Charles Darwin, cujas teorias da evolução se opõem às afirmações da Bíblia, e afirma: “Quanto à Igreja e à ciência, é essencial que a ciência tenha uma prioridade indiscutível sobre os ensinos da Bíblia. A Europa sempre foi o berço da ciência, e deve sempre prosseguir desse jeito. Com relação ao meu relacionamento pessoal com Deus, imagino que não sou um homem excessivamente religioso. Sou em primeiro lugar um homem de lógica. Contudo, apoio uma Europa cristã monocultural”.

    O terrorista de forma franca também confessa que não encontra apoio, nem nas igrejas protestantes nem católicas, para suas ideias violentas.

    “Tenho a confiança de que a futura liderança de uma hegemonia conservadora cultural na Europa garantirá que a atual liderança eclesiástica seja substituída e os sistemas sejam de certo modo reformados”, escreve ele. “Temos de ter uma liderança eclesiástica que apoie uma futura cruzada com a intenção de libertar os Bálcãs, a Anatólia e criar três estados cristãos no Oriente Médio. São necessárias inciativas para facilitar a desconstrução das igrejas protestantes, cujos membros devem se converter de volta ao catolicismo. As igrejas protestantes tiveram um papel importante em outros tempos, mas suas metas originais já foram alcançadas e contribuíram para reformar a Igreja Católica também. A Europa tem de ter uma Igreja unida liderada por um papa justo e não suicida que tenha disposição de lutar pela segurança de seus súditos, principalmente com relação às atrocidades islâmicas”.

    “Tenho orgulho de minha herança Viking”, escreve ele. “Meu nome, Breivik, é o nome de uma localidade do Norte da Noruega, e dá para datá-lo até mesmo antes da era Viking. Behring é um nome germânico de antes da era cristã, o qual é derivado de Behr, a palavra germânica que significa Urso (ou ‘aqueles que são protegidos pelo urso’)”.

    De forma semelhante, as reportagens dos meios de comunicação caracterizavam McVeigh como um “cristão”, embora ele tivesse de forma categórica negado toda e qualquer convicção e crença religiosa — colocando sua fé na ciência.

    Breivik acrescenta: “Fui de moderadamente agnóstico para moderadamente religioso”.

    (…)

    O manifesto de Breivik nunca menciona adoração e estudo religioso como parte da rotina dele para se preparar para sua missão de assassinatos em massa. Ao discutir seus preparativos para o ataque, ele escreve: “Tem sido um processo de longo prazo desde que decidi pela primeira vez que eu queria contribuir. Mas não é como se eu tivesse estado isolado há anos. Tenho vivido uma vida quase normal até agora. Ainda tenho um relacionamento íntimo com meus amigos e família, não tão estreito quanto costumava ser. Quanto à minha situação atual, venho trabalhando num livro agora por quase dois anos. É essencial que você se recompense e goze a vida nesse período. Você pode fazer coisas que normalmente você não faria. Você pode basicamente viver uma vida normal se escolher; você tem de ter cuidado extra. Venho praticando certos rituais e meditação para fortalecer minhas crenças e convicções. Para mim, o ritual mais comum é dar uma longa caminhada escutando minha música favorita no meu iPod”.

    Segue:
    http://networkedblogs.com/kPyEI

    Marat

    25 de julho de 2011 às 22h19

    Quem falou que o terrorista ai em questão é cristão foi um jornal de canal de televisão que tem seu perfil: Rede Globo!

Marat

25 de julho de 2011 às 11h30

Ahhh, se fosse um árabe!!!

Responder

    Leonardo

    25 de julho de 2011 às 15h05

    Ué?

    Se fosse um árabe?

    Você já nao está cansado deles explodindo pessoas inocentes em milhares de atentados no mundo inteiro e usando crianças, mulheres e velhos como escudo há décadas?

    Ainda quer mais?

    yacov

    25 de julho de 2011 às 17h10

    Quero que vc se exploda!!! Papinho furado esse de culpar os muçulmanos por todo o terrorismo do mundo e as políticas integracionistas do "PT da Noruega" pelo atentado do terorista cristão . Vc é pazzo, rapaz!?!?

    "O BRASIL APRA TODOS não passa na glObo – O que passa na glObo é um braZil apra TOLOS"

    Celso Abud

    25 de julho de 2011 às 20h24

    Sr. Leonardo o seu comentário é profundamente racista,poís nem todo Árabe é Muçulmano,Há muitos Árabes Cristãos, é nem todo Muçulmano é um Terrorista Suicida.No Mundo há Um Bilhão e Quinhetos milhões de Islãmicos,totalizando 25% da população mundial e os que praticam o terrorismo é uma pequena minoria,imagine se todo muçulmano fosse homem bomba que caos haveria no mundo.
    Sr. Leonardo no Islamismo existem vários ramos,o Sr. já ouviu falar da vertente mística e esotérica do Islamismo,O SUFISMO,acho que não.Seu comentário é de um ignorante ou de um racista.

    Celso Abud

    25 de julho de 2011 às 21h32

    Os Mulçumanos são quase 25% da população Mundial no total de 1,5 bilhões de pessoas e desta população menos de 20% são Árabes,a maioria da população Muçulmana vive na Ásia principalmente na Indonésia,Irã,Paquistão e Bangladesh.Há a Índia com 160.945.000 de Islâmicos,número que representa 10,3% da pop. Muçulmana Mundial e 13,4% da pop. indiana.
    Inglaterra,França e Alemanha têm menos de 1% da população Muçulmana Mundial e na Europa a uma sensação exagerada sobre a imigração Islâmica.Historicamente,estes Muçulmanos foram a Europa em buscas de trabalhos braçais que os próprios europeus recusavam.

    Celso Abud

    25 de julho de 2011 às 22h10

    Sem falar que muitos imigrantes muçulmanos estão na Europa por conta das guerras,patrocinadas pelos EUA E A OTAN no Iraque,no Afeganistão e agora na Líbia.
    O maior número de mortos do "terrorismo Islâmico" são os próprios Islãmicos,principalmente no Iraque e no Paquistão.Por falar em Iraque existem comunidades Cristãs neste país de dois mil anos de idade,ou seja a mema idade do Cristianismo(como se vê muitos Árabes já eram Cristãos mil anos antes do que a população Nórdica) e estas comunidades estão sendo obrigadas a emigrar para a Síria por conta da invasão dos EUA,iniciada em 2003, pelo" MUI CRISTÃO" GEORGE W. BUSH.

    Marat

    25 de julho de 2011 às 21h16

    Ainda falta um atentado nas reservas de petróleo do país mais terrorista do globo: os EEUU. Se esses canalhas ficarem sem dinheiro, o mundo prosperará e viverá livre de guerras. Aliás, seu conteúdo é estúpido e grotesco. Defender os EEUU já é demais. Vá para lá fazer faxina!!!

    Leider_Lincoln

    26 de julho de 2011 às 07h07

    E os "cristãos" da extrema direita que fuzilam, surram até a morte ou incendeiam imigrantes, estrangeiros e ciganos na Europa há décadas, os bonitões da extrema direita como Timothy McVeigh e o Unabomber… Destes você não fala nada não, não é? Vocês foram desmascarados, cidadão. Acabou.

Marat

25 de julho de 2011 às 11h29

Os amigos internautas repararam como a repercussão desse atentado terrorista na impren$$$a ocidental foi bem discretinha e rápida?

Responder

Giovani Montagner

25 de julho de 2011 às 11h19

eu já vi esse filme, digo, eu já li sobre isso. não faz muito tempo, em 1933 quando colocaram fogo no parlamente alemã.

Responder

Anti

25 de julho de 2011 às 11h14

Pra quem quiser ir um pouco além e tentar entender algo do que que a gente aqui tem a ver no meio desse turbilhão todo, vai no gúgol e digita "stormfront brasil".

Responder

Regina Braga

25 de julho de 2011 às 10h46

Extrema direita ganhando força no mundo…Ganhando força e espaço no Brasil…Aproveita o PSDB-DEM da boa fé dos jovens e estão se infiltrando nos movimentos…Marina e FHC,agora são sonháticos,aqueles que sempre foram apolíticos e contra corruptos…Emails estão circulando pedindo apuração dos corruptos do PT e outros partídos…Nada falando do PSDB-DEM…nem da sua herança maldita que foi o fortalecimento da extrema direita…Nem das privatizações e dos corruptos sempre ajudados pelo engavetador geral…O Brasil precisa ACORDAR…São Paulo precisa ACORDAR…O PT precisa acordar.A grobo fez mais uma declaração no ig,falando que o Estado, não pode intervir na sua programação…só a família.Que o Ministério da Justiça é autoritário…Mentiras,aos poucos se tornam verdades…E como ficamos? Acredito que o Edu está coberto de razão…subestimar a extrema direita é a pior coisa que fazemos.

Responder

Jose Livramento

25 de julho de 2011 às 10h34

Escrevi isso meses atrás. O perigo fascista ainda é enorme, especialmente no Brasil.

O fascismo é anti-liberal e natural que numa crise do liberalismo ele apareça com nova força, fornencendo "novas" respostas à população carente de explicações coerentes sobre os problemas que a afeta.
http://riorevolta.wordpress.com/2010/11/04/a-velh

Responder

Gerson Carneiro

25 de julho de 2011 às 09h24

<img src=http://tonigumauskas.files.wordpress.com/2010/10/tucanismo2.jpg>

Responder

    Aline C Pavia

    26 de julho de 2011 às 00h40

    Sensacional, Gerson, como sempre. =)

Caracol

25 de julho de 2011 às 09h20

Mesmo concordando com o PS do Azenha, independentemente de explicações de ordem política ou econômica tem uma coisa que não me sai da cabeça: o Ocidente arrota altos níveis de civilização ao se referir a outras culturas como sendo “atrasadas”. Consideram com soberba, arrogância e grosseria desde seus modos de vestir até suas formas de governo, a maneira com que tratam as mulheres, o fato de não gostar de hambúrguer e coca-cola, o produzir filmes cafonas para seus mercados internos ao invés de “curtir” os mais caros e “mudernos” sobre violência e pornografia exportada pelos mais “civilizados”… etc,etc, etc…
Diante de uma exibição de selvageria dessa ordem – e notem, num dos países tidos como dos mais “civilizados” – acompanhada, aliás, por mais um assassinato grupal no Texas (vem mais por aí), eu pergunto: onde é que está o sucesso da “civilização” ocidental? É por aí que nós vamos? Ora, então me devolvam minha tanga e enfiem sua “civilização” nos seus…
Como afirmar que o “multiculturalismo fracassou”? Que babaquice é essa? Ora, os “civilizados” é que não possuem categoria nem competência suficiente para lidar com multiculturalismo e diversidade. O que fracassou foi a “civilização” ocidental. Vai pro brejo. Ou melhor: é o brejo, está no brejo.

Responder

mara

25 de julho de 2011 às 09h01

O PS do Azenha é perfeito. Vale lembrar que os preconceitos que nunca abandonaram totalmente a Europa do oeste valem também para os nacionais do leste europeu, que são desprezados e ridicularizados. Os preconceitos e ódios são dirigidos a todos que não são " iguais " . O livro do Sartre " reflexões sobre a questão judaica" – creio ser o título em português – foi escrito há tempos e tão atual, infelizmente.

Responder

trombeta

25 de julho de 2011 às 08h55

O PIG está escondendo que o psicopata assassino norueguês é de direita, ou melhor, extrema-direita, público alvo de sua catequese reacionária diária.

Responder

    Jairo_Beraldo

    25 de julho de 2011 às 15h02

    Claro que esconde, pois como vão falar de seus iguais? Daí desnudariam a santa igreja do papa ratzinger, o pastoreio do silas malafaia, a baboseira dos pastores da assembleia de deus contra o aborto, o zé derrotado, fhc, aécio, etc, etc, etc, etc………………….

    Leonardo

    25 de julho de 2011 às 15h06

    Terrorista de esquerda pode. Supostamente de direita, nao pode?

    Explique sua lógica.

    edv

    26 de julho de 2011 às 00h47

    Leonardo, convenhamos, a sua pergunta deve ser dirigida ao PIG, nemêz?

Eduardo Guimarães

25 de julho de 2011 às 08h46

Sou blogueiro há quase sete anos. Nesse período, meu blog acumula quase 500 mil comentários de leitores. Nunca deixo de me surpreender com comentários como esses que parecem justificar o ataque do extremista de direita norueguês. Um chega a dizer que por defender homossexuais e imigrantes, o PT norueguês seria "culpado" pelo ataque. É apavorante pensar que um cara desses pode ser seu vizinho ou colega de trabalho. Quem quiser saber mais sobre o assunto, leia sobre sociopatia. E tenha medo, muito medo.

Responder

    Elton

    25 de julho de 2011 às 10h04

    E muitas vezes esses sociopatas também comentam como trolls aqui no blog do Azenha. Podem em si não fazerem mal digamos "físicamente" aos outros, mas são perigosos pelas "idéias" que defendem.

    Anti

    25 de julho de 2011 às 15h38

    Oi Elton, o perigoso não é o sujeito, que geralmente quando sozinho na rua não tem coragem de ficar defendendo "sua" ideologia em altos brados.
    O problema é a brutalidade e a violência com que esse tipo de pensamento é inserido na sociedade.
    Problema ainda maior quando existem pessoas que se aproveitam do medo criado dessa maneira.

    Maria 1

    25 de julho de 2011 às 11h41

    É realmente assustador. Sobretudo pq não se trata mais de um ato isolado de um ou mais psicopatas. Mas da cooptação destes por organizações mundiais poderosas e criminosas que, nestas chacinas, mandam seu recado aos governos que contrariam o apodrecido "stabilshment" .

    Jairo_Beraldo

    25 de julho de 2011 às 15h04

    Eu tenho medo de caras que graduaram em UNESQUINAS como a Estácio de Sá, onde a mordaça se faz na boca daqueles que, para eles, são polemicos. Este site foi devidamente censurado naquela espelunca. E adivinhem por que?

    Leonardo

    25 de julho de 2011 às 15h19

    Nao sei se você é lerdo ou se faz.

    Eu nunca disse que o simples fato de defender quem quer que seja seja motivo para um ataque desses.

    Desonestidade intelectual é coisa muito presente entre os esquerdistas em geral, mas eu nunca achei que fosse necessário ter que desenhar para eles.

    Uma coisa é defender gays, feministas etc.

    Outra coisa é querer impor a todos a ditadura desses movimentos políticos, na qual eles pregam a destruição dos valores da maioria do povo e ascensão moral dos seus valores, empurrando-os goela abaixo de quem nao se assemelha ou nao concorda com eles.

    Onde a esquerda entra, podem esperar: guerra racial, guerra de "gênero", guerra de valores, guerra moral.

    Isso só nao acontece onde a esquerda se impôs ou ainda se impõe como ditadura.

    Pesquisem a respeito dos direitos dos gays, das mulheres etc, veja ainda se a sociedade é "progressista" nos seguintes países: Coreia do Norte, Russia, China e Cuba.

    Depois venha aqui ilustrar o post com suas conclusões.

    Rogério Leonardo

    25 de julho de 2011 às 17h41

    Além de tudo é dissimulado e mentiroso.

    Os movimentos gays, feministas e outros movimentos sociais não pregam a destruição de nada, ao contrário, quem vive pregando a destruição e a demonização dos gays, das feministas e afins são instituições como a Igreja Católica ou Evangélica.

    Estas instituições é que tentam impor seu modo de vida como se fosse o único, o certo.

    Ademais, é muita cara de pau querer imputar à esquerda os atos cometidos por extremista de direita.

    Fascistas como você vão ter de aprender a aceitar os diferentes.

    Se eu sou obrigado a conviver com um hipócrita mentiroso como você e repeitar seu "TFP way of life" você terá de aceitar a opção das pessoas pelo homossexualismo, ateísmo, feminismo e qualquer outra filosofia de vida ou ideologia.

    Quanto aos países citados, qual é a relação entre o ato do extremista de direita e tais países.

    Não venha com essas análises rasas típicas de torcedores de futebol e dos seguidores do funesto José Serra, aprenda a raciocinar, deixe de ser descarado.

    Leonardo

    25 de julho de 2011 às 18h22

    Basta jogar a verdade na cara desse pessoal e o resultado sempre é o mesmo.

    Chiliques, xingamentos, agressões pessoais, deturpação do que afirmamos e mentiras.

    É típico…

    Anti

    25 de julho de 2011 às 22h20

    Então que tal discorrer a respeito da ausência de Estado (governo) preconizada por Liev Tolstói?
    Terrorista perigosíssimo do fim do século XIX…

    Leider_Lincoln

    26 de julho de 2011 às 07h09

    Você chama os outros de "lerdos", acuda de defensores da ditadura e ainda diz que nós somos "agressivos"? Ah, faça-me o favor! Além disso sua estratégia de trollagem já é bem conhecida. Havia um outro (?) troll chamado Henderson Souza que fazia igualzinho. E ainda colocava "saudações" no final. Cínicos!

    Leonardo

    25 de julho de 2011 às 18h27

    "Os movimentos gays, feministas e outros movimentos sociais"

    A mentira já começa por aqui.

    Esses NUNCA foram movimentos sociais. São movimentos políticos (na maioria deles partidários) e organizados.

    Faça uma consulta ao POVO a respeito de todos esses assuntos por meio de um plebiscito e veja o resultado.

    Por isso esses movimentos políticos MORREM DE MEDO dos plebiscitos, porque de sociais eles nao têm nada!

    Vá mentir e fazer proselitismo para outros do seu tipo, pois a mim voce e a qualquer pessoa sensata, suas "idéias" baseadas em falsificações não irão convencer.

    Aline C Pavia

    26 de julho de 2011 às 00h47

    129 mulheres morreram queimadas em 8 de março de 1857.
    O que tem de "político" nisso?
    Você está só 150 anos atrasado filho. Espero que uma filha sua nunca seja estuprada na rua. Espero que seu filho não seja homossexual; e se assim for, não o abrace em público, pois vc corre o risco de ser espancado e mutilado. E estamos em 2011 d.C não a.C.
    Continue repetindo à exaustão suas baboseiras e continue defendendo atos ignominiosos perpetrados por acéfalos iguais a vc. Se isso o faz feliz. Em pessoas inteligentes só causa pena.

    Leonardo

    26 de julho de 2011 às 18h06

    "129 mulheres morreram queimadas em 8 de março de 1857."

    Você ainda acredita nisso, filhota?

    "Desde a década de 1970, porém, este fato já era questionado por mulheres que estudavam o tema. Teria mesmo ocorrido esta greve com mulheres queimadas? Não havia indícios sobre elas em nenhum jornal ou outro documento da época. Sequer relatos orais. Estas pesquisadoras foram à luta e fuçaram a origem da data.

    (…)

    "Depois de muito trabalho, muita pesquisa, comprovaram que a origem do 8 de Março é bem outra. É uma história alegre. A história da greve bem sucedida das costureiras de São Petersburgo, na Rússia, em 1917, que obrigou o czar a mudar radicalmente o regime de opressão. A greve foi o estopim da Revolução Russa."

    Na Conferência não houve referência à greve Nova Iorque e às 129 mulheres queimadas. O texto aponta como origem do primeiro 8 de Março da história, a famosa greve das mulheres tecelãs de São Petersburgo, em 1917.

    (…)

    Ao final, indica, como referência bibliográfica, o texto-chave sobre o assunto. Um livro de uma pesquisadora canadense intitulado: O dia Internacional da Mulher – Os verdadeiros fatos e datas das misteriosas origens do 8 de março, até hoje confusas, maquiadas e esquecidas.

    A autora, René Cote, após doze anos de pesquisa prova, através de mil documentos, que a história da origem do 8 de Março é mais bonita do que aquela que ouvimos até hoje.

    Há vários outros estudos, em vários países, cada um acompanhado de uma vasta bibliografia, que vão no mesmo sentido das pesquisas da Côté. Um destes é um estudo de Liliane Kandel, de 1982, O Mito das Origens: sobre o Dia Internacional da Mulher.

    Neste texto, a autora mostra como se construiu o mito das 129 queimadas. Como se chegou a inventar a tal greve que nunca aconteceu, naquela fábrica que nunca existiu, com as 129 mulheres queimadas que nunca existiram.

    (…)

    Mostra que este mito nasceu, aos poucos, de uma preocupação legítima dos comunistas franceses, nos anos 1950, querendo ampliar o alcance do Dia da Mulher.

    Nasceu – sem ninguém perceber como – da necessidade de sair da limitação de "Dia das mulheres comunistas" e chegar a um dia geral da luta da mulher, seja ela socialista, libertária, comunista, cristã, ou simplesmente mulher em busca de sua identidade e libertação do peso de séculos de opressão.

    (…)

    "A canadense Renée Côté pesquisou, durante doze anos, em todos os arquivos da Europa, EUA e Canadá e não encontrou nenhuma traça da greve de 1857. Nem nos jornais da grande imprensa da época, nem em qualquer outra fonte de memórias das lutas operárias.

    Ela afirma e reafirma que essa greve nunca existiu. É um mito criado por causa da confusão com a greve de 1910; com o incêndio de 1911, nos EUA; e com a greve das costureiras de São Petersburgo, na Rússia, em 1917.

    O mito estava fixado, firmado e consolidado. Agora era só repeti-lo."
    http://www.diap.org.br/index.php/noticias/artigos

    Anti

    26 de julho de 2011 às 22h44

    Além de tudo revisionista histórico?!!
    Uia!!!
    Só falta me dizer que é amiguinho do Castan também?

    edv

    26 de julho de 2011 às 00h50

    Política se faz para defender posições.
    Que podem ser por poder, por grana…
    Até mesmo por motivos sociais.
    Sejam lá quais forem.

    Pedro Germano Leal

    26 de julho de 2011 às 09h06

    Texto típico de um covarde que nem sobrenome dá.

    Primeiro, diz que 'a esquerda' é que promove as tais 'guerra racial, guerra de gênero' etc.
    E depois apresenta um punhado de países (Corea, Russia, China e Cuba) sugerindo que não haja essa liberdade nos mesmos.

    Ora! Se alguns desses países são de 'esquerda' (como Cuba), como é que não há essa 'guerra de gênero', essa 'imposição da ditadura de gays' ou coisa do gênero?

    Só sujeito incapaz de perceber uma contradição tão tosca pode ser capaz de aceitar, como um tolo, os argumentos que vem vomitar aqui.

    Mais uma vez, ao contrário de fazer uma argumentação decente, prefere atacar ('os esquerdistas') com o mesmo tipo de argumento utilizado pelo terrorista-narciso da Noruega. E claro, não pode deixar de fazer a típica generalização apressada que é a ferramenta fundamental dos fascistas (que aqui determinar que 'os esquerdistas' não tem honestidade intelectual). Quem não tem honestidade intelectual aqui é quem tenta justificar o fascismo, quem apresenta contradições no próprio discurso (mas ataca o próximo), quem promove falácias da generalização apressada.

    Não passarão!

    Leonardo

    26 de julho de 2011 às 18h12

    "Ora! Se alguns desses países são de 'esquerda' (como Cuba), como é que não há essa 'guerra de gênero', essa 'imposição da ditadura de gays' ou coisa do gênero?"

    Esse aí vive num mundo de conto de fadas, historinhas do Emir Sader e congêneres.

    Eu nem vou me dar o trabalho de responder, apenas postarei videos de como os gays são tratados em Cuba, só usarei o exemplo de "tolerância" cubana:

    O video abaixo mostra um casal lésbico se beijando num ponto de ônibus em Havana, Cuba. Ao chegar a PNR (Polícia Nacional Revolucionária), numa viatura de número 795 (Lada Laika), um dos amigos parece intervir na defesa das duas e fica de mãos dadas a uma das mulheres.

    [youtube VVCDj_ji1dE http://www.youtube.com/watch?v=VVCDj_ji1dE youtube]

    O fato chama a atenção de várias pessoas, e forma-se uma multidão ao redor. O "policial" pega uma prancheta e ordena a ambos que assinem. Então ele aborda a outra mulher, que se recusa a ser levada para a viatura. São necessários mais de 5 policiais para arrastá-la à viatura, com socos, chutes e pontapés.

    [youtube FNWEogwhCKI http://www.youtube.com/watch?v=FNWEogwhCKI youtube]

    Os vídeos acima provam, com toda evidência, que o dia-a-dia dos gays e lésbicas cubanos é infernal, e o que se sabe sobre violência naquele país é apenas uma ponta do iceberg. Prova, também, que as propagandas de Mariela Castro Espín, filha do ditador Raúl Castro, são todas mentirosas. Fatos assim jamais aconteceriam, por exemplo, no Brasil, país em que se fala por aí que o "fundamentalismo" religioso persegue homossexuais.

    Pedro Germano Leal

    26 de julho de 2011 às 22h19

    Então está escancarada sua contradição:

    Se Cuba é de esquerda,
    E a esquerda defende a igualdade de direitos constitucionais a todos os cidadãos, inclusive gays,
    Logo, segundo você, Cuba não é de esquerda!

    Aprenda a pensar.

    Leider_Lincoln

    25 de julho de 2011 às 15h52

    Não precisa ir longe, Eduardo. Aqui mesmo no Viomundo há exatamente com este intento o do "Leonardo" (provavelmente mais um heterônimo do Richard Smith, troll que, como o assassino norueguês, é cristão de extrema direita…

Pepe

25 de julho de 2011 às 06h09

Os imigrantes são de fato uma ferramenta com a qual as "democracias" liberais estão destruindo a cultura e a civilização europeias. Não é por acaso que o norueguês atacou alvos do Estado, em vez de alvos islâmicos, por exemplo.

Responder

    Leider_Lincoln

    26 de julho de 2011 às 07h14

    E esta civilização, autora de pérolas como o catolicismo papista, a inquisição, as cruzadas, o nazismo, o comunismo, o capitalismo, o franquismo, o racismo, a eugenia, a Kulturkampf, os skinheads, o fascismo, o darwinismo social, o nacionalismo, o imperialismo, o colonialismo e tantas outras belas invenções da humanidade merece mesmo ser defendida, não é mesmo? Pelo bem que eles fizeram e pela felicidade que suas ideias trouxeram à espécie humana!

    Pedro Germano Leal

    26 de julho de 2011 às 09h10

    Para começar, não promova a ignorância. Em NADA os imigrantes estão destruindo a civilização européia já que ELA MESMA é composta de imigrantes.

    A Espanha é o que é, por exemplo, tanto por causa dos celtas, romanos, cartagineses, árabes, etc. O principal gênero musical (e que caracteriza a identidade de muitos espanhóis) é o Flamenco – de origem árabe, judia e cigana.

    Só um profundo ignorante do que é civilização, e do que é história, pode dizer que uma cultura é destruída (e nos termos que você coloca). O problema é que gente capaz de professar uma coisa como essa, é capaz de engolir cegamente o discurso falacioso e covarde do terrorista-narcisista norueguês. Triste.

Marcos AC Lopes

25 de julho de 2011 às 02h17

Esse norueguês está parecido com os adeptos do Serra. Se não cortamos pela raiz esse discurso de ódio, esses grupos grupos de extrema direita que andam agindo em São Paulo, em breve teremos, com bastante frequência, coisa semelhante ou pior no Brasil.

Responder

João PR

24 de julho de 2011 às 23h34

Toda vez que há uma crise econômica, buscam-se "responsáveis" pela mesma.

Como esses seguidores da direita tem um cérebro de lagosta (sem ofender as lagostas), não conseguem enxergar o que acontece de fato (são lumpens).

Lembremos que o liberalismo econômico era a doutrina econômica dominante até a primeira guerra mundial. Sem entender o que gera a crise no sistema capitalista a população pode acreditar em qualquer coisa, desde que bem disseminada. Deu no que deu: o assassinato de Francisco Ferdinando deflagrou a I Guerra. Depois veio a segunda, que nada mais foi do que um "segundo tempo" da I Guerra.

Temo que discursos como os de Merkel, Sarkozy, Cameron e outros por aí levem a população a acreditar, cada vez mais, no viés da direita fascistóide. A humanidade já viu este filme. Espero que não haja uma reprise.

Responder

Roberto Locatelli

24 de julho de 2011 às 22h52

Com a Europa afundando na crise e os EUA à beira do abismo, as "teorias" neoliberais fracassaram. Só resta à direita o discurso do ódio e o terrorismo.

Responder

Gerson Carneiro

24 de julho de 2011 às 22h11

Pois é, né. Na mesma semana, por aqui, o PIG, de forma seletiva como sempre, tentou incitar manifestações "contra a corrupção". Falhou. Veremos a Eliane Cantanhede nesta semana incitando militantes a imitarem os extremistas de direita da Europa?

E o pastor Malafaia, vai bancar a reconstrução da orelha do moço que foi agredido por homofóbicos em São João da Boa Vista-SP?

Responder

    Marcelo Fraga

    24 de julho de 2011 às 22h36

    Porque você ridiculariza o Malacheia?
    Nunca ouviu ele dizer que AMA os homossexuais, e que são os homossexuais que odeiam ele?
    Justo o Malacheia, pessoa tão honesta, justa e respeitadora das diferenças.

    Gerson Carneiro

    25 de julho de 2011 às 05h23

    É mermo, né. Vou parar de ridicularizar o Malacheia senão minha alma vai pro braseiro do inferno.
    Ah, mas também… quem vai pro inferno é minha alma, num é eu! Então eu vou continuar… hehehe. Disculpaí, minha alma. Vou me dar esse prazer, depois a sinhora se vira lá com o tinhoso.

    Jairo_Beraldo

    25 de julho de 2011 às 15h10

    Gersu, não compra briga com o tinhoso. Faça como o minerin no leito de morte, quando o padre fala – "renegue satanás e aceite jesus como seu salvador" … depois de 4 vezes sem dar a resposta, o padre perdeu a paciencia, e cobrou postura do maledito, que revidou – "vou falar nada disso…eu sei lá pr ' onde eu vou!"

PAULO P,

24 de julho de 2011 às 21h05

APENAS coincidencias…

A Noruega é um dos Países (primeiro na Europa) que anunciou o voto favorável à criação dum Estado Palestiniano na votação na ONU, no próximo Setembro. Mas esta é uma coincidência.
A Noruega, por questões éticas, no ano passado impediu que duas empresas israelitas participassem na exploração dos poços petrolíferos no Mar do Norte. Esta parece mesmo uma coincidência.
O Sosialistisk Venstreparti Partido Socialista de Esquerda), que faz parte da coligação de governo, apresentou uma proposta na qual é pedida uma acção militar contra Israel no caso este decida intervir militarmente contra Hamas em Gaza. Como se chama esta?…Talvez "coincidência".
Jonas Gahr Støre, Ministro dos Negócios Estrangeiros, ao longo da semana passada visitou um campo de Verão da juventude trabalhista e pediu que o muro de Jerusalém seja derrubaido. O campo era o da ilha de Utoya. Isso só pode ser uma coincidência.

Responder

    Bucaneiro

    25 de julho de 2011 às 17h30

    Paulo, deixaver se eu entendi: Quer dizer que o tal autor dos atentados é um agente do Mossad? Oh, então toda evidência que aponta no sentido dele ser um ultra-nacionalista preconceituoso e nojento é apenas informação falsa produzida pelo mesmo Mossad? E eles teriam conseguido se não fosse por esse bando de garotos intrometidos e seu cachorro!

    Pelamordideus, é cada um que me aparece…

    Pirata

    26 de julho de 2011 às 14h32

    Hmmmmmm…
    Vamos ver, em 73 o MOSSAD matou um marroquino na Noruega crendo ser um palestino do Setembro Negro. Deu uma merda gigantesca.
    O comentário do Paulo P. nada disse sobre serviço secreto, tua filigrana linguística muito mais atrapalha do que ajuda quem gostaria de entender algo mais do que se passa realmente no sub-mundo da política internacional.
    (além de não honrar um nick bão e bunito como esse seu…)

Ozeias Laurentino

24 de julho de 2011 às 21h03

Certo esta Antonio Cândido, quando disse que os salários deverá ser de 1 a 10, para a sociedade viver em paz, proposta que eu concordo, e Karl Marx já dizia, cada um de acordo com sua necessidade e produtividade.

Responder

ricardo silveira

24 de julho de 2011 às 20h58

Concordo com o PS do Viomundo. A extrema direita, com muita pertinência, associada ao nazismo, volta à cena, não como força política, mas de terror. Penso que o fato que deve chamar a atenção é o de que essa volta se deve à globalização sócio-econômica, nos termos neoliberais. Contra o que seria necessário, se a reflexão dos governos fosse em função do bem comum, que os estados nacionais mudassem a lógica capitalista dos mercados. Começando por tirar a primazia do interesse do capital financeiro sobre o interesse público. Mas, aí seria querer demais.

Responder

Ozeias Laurentino

24 de julho de 2011 às 20h55

Certo esta Antonio Cândido, quando disse que os salários deverá ser de 1 a 10, para a sociedade viver em paz, proposta que eu concordo, e Karl Marx já dizia, cada um de acordo com sua necessidade e produtividade.
E a burguesia tem que caminhar para o aceitamento dessa proposta , coisa que a Europa e seu Liberalismo não esta discutindo, mesmo diante de tamanha crise, isto serve também aos EEUU e ao resto do mundo.
Não adianta jogar com as palavras, com o conhecimento, com o formalismo, com todo o saber que a sociedade humana acumulou nesses milênios de história, se não formos capazes de dividirmos materialmente e preservarmos a riqueza de forma racional, como reza a DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS.

APARECIDA DE GOIÂNIA

Responder

Sergio Barbosa

24 de julho de 2011 às 20h36

O pior que há muitos comentários postados em alguns portais da internet por elementos de extrema-direita incitado pessoas a cometer atos criminosos,semelhamtes ao cometido na Noruega,aqui no Brasil contra membros do PT,da Esquerda e do Governo.
Parece que o Norueguês deixou uma carta fazenda apologia à violência contra Marxistas,Imigrantes e Mulçulmanos.Afinal isto não é um ato terrorista? Será que a palavra" terrorista" só serve para designar um lado,geralmente o mais fraco como por exemplo ,a resistência popular de movimentos,religiosos ou laicos, contra a invasão de seus Países por Potências Ocidentais,notadamente no Oriente Médio.

Responder

José Bsb

24 de julho de 2011 às 20h33

O terrorista norueguês trabalhou na formatação do discurso na campanha do PSDB? Pelo perfil do sujeito, não acho difícil.

Responder

    Klaus

    24 de julho de 2011 às 21h49

    Parabéns, conseguiu fazer um link com os tucanos.

    Marcelo Fraga

    24 de julho de 2011 às 22h30

    Boa mesmo é a Veja que já conseguir ligar o PT a "terroristas" islâmicos.

    João PR

    24 de julho de 2011 às 23h23

    Não sei se o terrorista norueguês fez o programa do PSDB, mas posso afirmar que o programa que o Serra defendeu no ano passado, as alianças que fez (Malafaias e Bergonzinis da vida), o discurso preconceituoso e intolerante, com certeza aguçaram muito a discriminação, principalmente em São Paulo.

    Basta fazer uma análise dos casos de violência homofóbica (por exemplo) na internet, e ver o quanto esse tipo de atitude cresceu.

    Temo por jovens que não tem um rumo na vida, e que se juntam em grupos e, para se autoafirmar saem batendo em outros jovens com a desculpa de que "eram gays".

    ZePovinho

    25 de julho de 2011 às 00h06

    Com os tucanos não,Klaus.Com o Padim Pade Cerra,sim.

    El Cid

    25 de julho de 2011 às 06h14

    ofendido, herr troll ??

Maria 1

24 de julho de 2011 às 20h22

Falta ainda estabelecer mais conexões nessas avaliações da barbárie na Noruega. O caso não parece se restringir tão somente à violência de um extremista, agravada pela crise econômica européia que, é bom frisar, ainda não vitimou aquele país nórdico, nem o assassino confesso, um bem sucedido produtor de orgânicos. Tem mais "coisas no ar" . Como vem se comportando o atual governo norueguês, segundo os "donos do mundo"?

Responder

Eduardo Raio X

24 de julho de 2011 às 19h58

No ano passado com a eleição de 2010 o senhor Zé Cegueta foi amplamente apoiado pelas piores escorias da ultra extrema radical direita ou melhor até ressuscitou algumas. Imagina o pesadelo de terror que todos nós teria que viver e conviver. Apesar que nós temos esse estado de corrupção geral e vergonhoso em todos os graus e latitudes do país tanto a nível federal, estadual e municipal passando pela situação e oposição… ops… ato falho de minha parte a impressa PIGueixa não informa, esclarece ou investiga as coisas erradas, mau feitos e negócios escusos dos seus clientes protegidos e diletos.

Responder

SILOÉ -RJ

24 de julho de 2011 às 19h55

A DIREITA RADICAL daquí, cada vez mais perdendo espaço, também está em total desespero.
Essa incursão do PIG clamando contra a corrupção, é um sinal bem claro disso.
Nos chamando de INERTES de maneira até ofensiva para nos instigar, quando são eles os maiores corruptores, dá até pra desconfiar!!!
Aqui no RIO, nas mais recentes passeatas, a maioria dos gritos de guerra era contra a GLOBO, e seus repórteres trabalhavam sem a logo-marca para não sofrer constrangimentos.
Com tantos loucos em busca de fama, fazendo qualquer coisa pra aparecer, não sei não!!!.
Temos que ficar muito atentos, porque na atual conjuntura todo cuidado é pouco.

Responder

Rafael

24 de julho de 2011 às 19h53

Como aconteceu na Alemanha após a primeira guerra a crise incentiva esse tipo de atitude. com o que está acontecendo na europa hoje vai ser um rande incentivo à extrema-direita

Responder

Sérgio

24 de julho de 2011 às 19h24

Bem, pelo texto percebe-se motivações face ao preconceito cultural, mas há o imensa questão das diferenças econômicas. Agora, o assasino pode se dizer cristão….mas pra mim, Cristão é quem segue os ensinamentos de Jesus Cristo. "Mestre qual é o principal mandamento – Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo" onde está o convite à vilolencia?

Responder

Fabio

24 de julho de 2011 às 19h11

O ser humano definitivamente não é e no fundo não quer ser global. Tribos urbanas, neuroses cada vez mais numerosas, acessos de violência imotivados, somatizações diversas, gangues, seitas, excentricidades, isolamento, depressões, apatias, fadiga, etc. não nos deixam dúvida quanto à natureza do ser humano e como ele reage quando se lhe quer "globalizar", ou seja, FUNCIONALIZAR. O modo de vida antigo nos fascina e causa até uma certa nostalgia, poucas vezes confessada nos atuais dias, onde somos coagidos a professar a nossa funcionalidade, objetividade, conformidade.
Penso que é partir daí que se deva iniciar uma análise desse novo tipo de violência (NOVO porque vivemos num novo tipo de sociedade, sujeito a novo sistema de constrangimentos, que fez surgir uma violência nova, algo impessoal, fria, diria até desinteressada) e não como vem sendo tratado na mídia, sempre com as velhas explicações: esquerda/direita muçulmano/cristão, explicações falsas, porém tranquilizadoras porque mantém intacto o nosso frágil princípio de realidade, ao passo que uma análise das causas reais seriam perigosas porque colocariam em xeque o próprio sistema.

Responder

Fabio

24 de julho de 2011 às 19h11

Importa, antes de analisarmos como o constrangimento de globalização afeta as pessoas, verificar se o ser humano têm essa tendência "natural" a aceitar essa miscelânea de imposições a que chamamos de globalização, tendência que hoje assumiu status de mito. Não é difícil descobrir que "desde os primórdios até hoje em dia" o ser humano apresenta uma natureza essencialmente tribal, em oposição à natureza "global" que hoje se quer lhe impor Para Maior Glória do Mercado Amém. (continua)

Responder

    cronopio

    26 de julho de 2011 às 20h16

    Fábio, o nacionalismo não é a mesma coisa do que sentimento tribal, cuidado com as ideologias redutoras.

Leonardo

24 de julho de 2011 às 19h06

Engraçado esse ataque terrorista ser dirigido contra o Partido Trabalista Norueguês. Por que será?

O PT da Noruega é um partido social-democrata, liberal e politicamente correto: pró-imigrantes (tresloucadamente, dando a eles mais direitos que os cidadãos do próprio país); pró-agenda gay; pró-feminista; etc.

Ou seja, esse partido ajudou a criar e alimentar o monstro que o atacou. Agora esse monstro cresceu de mais e quer comer o partido.

A esquerda fomenta o ódio.

Responder

    Leo V

    24 de julho de 2011 às 21h35

    Pela sua (falta de) lógica, então os EUA fomentam o ódio mais que todo mundo, visto como seus governantes e próprio povo tem que se precaver de ataques.

    Completamente absurda uma lógica que diz que quem é pelos direitos dos gays, imigrantes e etc. é quem fomenta o ódio! Ora, é o contrário. Quem tem ódio contra essas 'minorias' é que odeia quem não as odeia. O ódio já estava lá.

    Marcelo Fraga

    24 de julho de 2011 às 22h29

    Quer dizer que por lutar pelos direitos das pessoas, estamos criando esses monstros e somos culpados disto?

    Você pelo menos releu o que escreveu? Pensou no que escreveu?
    Escreva alguma coisa lógica da próxima vez.

    Pedro Germano Leal

    26 de julho de 2011 às 09h20

    Pensar não é o negócio dele, não.

    Nadja

    25 de julho de 2011 às 02h10

    Leonardo anda vendo estrelas… O PT da Noruega? rsrsrs Isso é que eu chamo de amor.
    pró-agenda gay, pro-feminista, pró-imigrante…
    tendi… é pra descer a lenha nos gays e nas mulheres e imigrantes é na chibata… e se quiser comer é trabalho escravo…

    Leider_Lincoln

    25 de julho de 2011 às 13h34

    Deixe-me entender, Richard: os trabalhistas ao defenderem e pregarem a tolerância são os responsáveis pelos intolerantes, sendo assim os próprios 80 e tantos jovens os assassinos de si mesmos e o pobre loirinho cristão de ultra-direita apenas uma vítima? Entendo por que você votou no Serra! Aliás, não saia matando jovens por aí, hein? Por que por mais que o papa (segundo por exemplo, o governo irlandês) seja um protetor de pederastas pedófilos (padres) creio que Jesus mesmo não aprovaria, tá?!?

    Rogério Leonardo

    25 de julho de 2011 às 14h52

    Que me desculpe Paulo Freire e seus ensinamentos, mas você é um perfeito imbecil.

    Leonardo

    25 de julho de 2011 às 16h52

    Não sei se você é imbecil ou se faz.

    Eu nunca disse que o simples fato de defender quem quer que seja seja motivo para um ataque desses.

    Desonestidade intelectual é coisa muito presente entre os esquerdistas em geral, mas eu nunca achei que fosse necessário ter que desenhar para eles.

    Uma coisa é defender gays, feministas etc.

    Outra coisa é querer impor a todos a ditadura desses movimentos políticos, na qual eles pregam a destruição dos valores da maioria do povo e ascensão moral dos seus valores, empurrando-os goela abaixo de quem nao se assemelha ou nao concorda com eles.

    Onde a esquerda entra, podem esperar: guerra racial, guerra de "gênero", guerra de valores, guerra moral.

    Isso só nao acontece onde a esquerda se impôs ou ainda se impõe como ditadura.

    Pesquisem a respeito dos direitos dos gays, das mulheres etc, veja ainda se a sociedade é "progressista" nos seguintes países: Coreia do Norte, Russia, China e Cuba.

    Depois venha aqui ilustrar o post com suas conclusões.

    Aline C Pavia

    26 de julho de 2011 às 00h55

    Os EEUU é que são progressistas. Ou a Inglaterra. Ou a França.

    Pedro Germano Leal

    26 de julho de 2011 às 09h22

    Típico recurso fascista: repetir as mesmas mentiras querendo que sejam verdades. É intelectualmente tão preguiçoso que é incapaz de manter uma argumentação numa postagem! Tem que 'copiar e colar' – exatamente como fez o terrorista-narcisista norueguês em seu 'manifesto'.

    luiz pinheiro

    25 de julho de 2011 às 22h57

    Um fanático cristão de extrema direita explode uma bomba, mata 14, depois pega uma arma e vai matando, um após outro, 60 jovens desarmados. E voce, sr. Leonardo, sai-se com essa de que "foi o partido que alimentou o monstro", de que "a esquerda fomenta o ódio".
    Esse seu não é um comentário, sr. Leonardo. É um míssel covarde arremessado na cara dos direitos humanos.

    Pedro Germano Leal

    26 de julho de 2011 às 09h19

    Talvez por isso tudo que o PT faz, é que a Noruega tem o maior IDH do mundo. Não foi isso que criou o terrorista-narcisista Noruegues – muito pelo contrário.
    O que alimenta esse terrorista é o discurso falacioso promovido por pessoas como você. Você é que está do lado dele no espectro político, comungando dos mesmos valores fascistas.

    Era só o que faltava, dizer que a culpa do terrorista de direita é da esquerda! Tem que jogar a lógica no lixo para pensar assim!

    cronopio

    26 de julho de 2011 às 20h13

    Leonardo, você fez um comentário lamentável. Culpar o Partido Trabalhista norueguês pelo crime de que vítima equivale a dizer que os judeus foram responsáveis pelo holocausto. Afinal, segundo seu argumento, afinal, Hitler teria apenas "reagido" ao excesso de judeus na Alemanha. Cuidado, meu amigo, você esta enveredando por um caminho sem volta. A esquerda fomenta sim o ódio dos que são rancorosos como você, Leonardo, mas o ódio não vai calar a esquerda se suas reivindicações forem legítimas. Não vou nem comentar o fato de que sua afirmação "dando a eles mais direitos que os cidadãos do próprio país" é uma mentira deslavada. Mas vale lembrar que a Europa tem uma dívida histórica com os países que colonizou. Os horrores da colonização européia são rapidamente esquecidos pelos líderes europeus que reclamam da invasão africana na Europa. Sua atitude lembra a do personagem Prudêncio do romance Brás Cubas. Ao ser alforriado, comprou seu próprio escravo para chicotear e passou a defender a escravidão. A colonização é também intelectual, não devemos esquecer. Ou não temos nossos Neo-nazistas mulatos? Melhoras, Leonardo.

PAULO P,

24 de julho de 2011 às 19h02

VEJAM ESTE ARTGO…..

Noruega, Islã e a ameaça que nasce no ocidente

Ibrahim Hewitt

23/7/2011, Ibrahim Hewitt, Al-Jazeera, Catar
Norway, Islam and the threat of the West
Traduzido pelo pessoal da Vila Vudu
Ibrahim Hewitt é editor-chefe de Middle East Monitor

Divulgar, antes de qualquer investigação e a partir de depoimentos de testemunhas traumatizadas que esse ato assassino foi “ato de um único louco” impede qualquer estudo mais detalhado das motivações do assassino.
————————-
http://redecastorphoto.blogspot.com/2011/07/norue

Responder

Pardalzinho

24 de julho de 2011 às 19h02

Pois é… Da mesma forma que a carapuça de Murdock não serviu, a grande mídia (inclusive a americana) fará de conta que este "discurso" não é dela. Particularmente aqui no Brasil, a pauta não muda; é ser contra Lula e o PT em todas as circunstâncias, até nas mais improváveis (fiquemos apenas com o acidente aéreo em Congonhas da TAM).

O fanatismo exacerbado de alguns extremistas de direita, inflado diuturnamente por uma mídia inconsequente e irresponsável, cedo ou tarde, como na Naruega, acabará causando uma grave tragédia. Espero estar redondamente enganado; mas seria bom que gente como Reinaldo Azevedo, Clóvis Rossi e tantos outros, colocam-se a mão na consciência embora isso, francamente, já seja querer demais…

Responder

Lucas

24 de julho de 2011 às 17h41

Outro fator importante é que a tese de que o multiculturalismo fracassou é exatamente a mesma usada pelo terrorista responsável pelos ataques em Oslo para justificar seu ataque. Ou seja, políticos como Sarkozy e Merkel estão dando corda aos radicais fascistas xenófobos com seus discursos inflamatórios.

E o multiculturalismo não fracassou. O Canadá é multiculturalista e nunca teve problema com terroristas islâmicos. O que fracassou foram os guetos que até hoje existem na Europa (o que o Cameron chama de "comunidades segregadas"), o que fracassou foi o racismo e leis islamofóbicas como a proibição do véu e de minaretes, que tentam tornar mulçumanos cidadãos de segunda classe, e acabam criando ódio destes contra os países onde residem.

Islamofobia é o novo anti-semitismo. Agora que odiar judeus ficou fora de moda, os fascistas resolveram odiar os muçulmanos.

Responder

operantelivre

24 de julho de 2011 às 17h40

Que exemplo estão dando os governos dos USA, França, Itália, Inglaterra, Israel e outros? Se estes mentem para agir com violência não é de se espantar sirvam de exemplo para o surgimento e fomento de pequenos e grandes grupos segregacionistas.
Ou mudamos essas cabeças puritanas, chauvinistas ou a promessa de multiculturalismo corre o risco de se transformar em uma monocultura absolutista genocida, seja com justificativas econômicas, religiosas ou outra qualquer que esconde a odienta intolerância às diferenças pacíficas.

Responder

Cronopio

24 de julho de 2011 às 17h34

Perfeito o PS do Viomundo, no final. Embora o artigo traga dados novos e preocupantes, falha em não relacionar a ascensão da extrema-direita aos aspectos econômicos. Não se trata apenas da crise de 2008 (que se desdobra até agora), embora ela tenha agravado esse quadro, mas de algo ainda maior. Refiro-me ao desemprego estrutural oriundo da terceira revolução industrial. A pequena burguesia, como Hobsbawm demonstra muito bem no seu livro sobre o século XX, "embarcou" no nazifascismo principalmente em decorrência da perda dos pequenos privilégios de que dispunha. Algo análogo ocorre hoje, embora em escala ainda muito reduzida se compararmos com o quadro europeu do entre-guerras. De todo modo, é um fenômeno que vem sendo tratado com cinismo pelos políticos europeus. A expressão com que o papa se referiu à trajédia de Oslo é emblemática: "violência sem sentido". Trata-se da primeira estratégia para evitar que se relacione o evento de Oslo ao crescimento da extrema direita. A violência dos ataques tem sentido sim, e compreender o seu sentido profundo é a única forma de evitar que eventos ainda piores ocorram no futuro.

Responder

    anna db

    24 de julho de 2011 às 19h01

    Crise economica fabricada pelo capitalismo neoliberal de Thacher e Reagan de concentração de renda.
    Nas outras vezes descambou para duas guerras mundiais.

EUNAOSABIA

24 de julho de 2011 às 17h29

Eu tinha um professor que dizia…. """As consequências são várias, os motivos sempre serão econômicos"".

Responder

    P Pereira

    24 de julho de 2011 às 19h16

    Para quem tiver estômago, e quiser conhecer melhor o sujeito acima, veja os comentários às 7:36 e às 10:37, em :

    http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2010/12

    Marcelo Fraga

    24 de julho de 2011 às 22h16

    Graças ao seu link, eu vi que tipo de pessoa é esse EUNAOSABIA.

    Não passa de uma viúva da ditadura.

    Quem diz abertamente que mataria alguém se tivesse a oportunidade não pode ser nada além de um doente. Um lixo.

    Só resta a eles espernear. Nas urnas não ganharão nunca.

    EUNAOSABIA

    24 de julho de 2011 às 19h58

    Muitos aqui nunca tiveram um bom professor, de uma boa universidade de ponta para se lembrarem do que ele dizia.. daí que só lhes resta de forma odienta por o dedinho pra baixo mesmo.

    Elton

    24 de julho de 2011 às 22h19

    Ahhh então só tiveram bons professores os que reproduzem o fascismo e seguem teu exemplo………nem bom fascista você consegue ser.

    Gerson Carneiro

    25 de julho de 2011 às 05h38

    Eu tive um bom professor de Educação Física que sempre assistia aos gols de domingo e dizia: "A consequência são os gols de domingo, o motivo sempre será o almeijado caneco".

    yacov

    25 de julho de 2011 às 10h22

    Ahhh…. Então vc teve um BOM PROFESSOR de um BOA UNIVERSIDADE, de PONTA, é?!?! PONTA GROSSA???? E o professor colocava o dedinho para baixo de forma odienta…. Ai, ai, ai… Pobre criança… E vc não sabia nada… Ô, dó!!! Acho que o tal bom professor fud…a tua idéia. huahuahuahuha…

    "O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na gLObo é um braZil para TOLOS"

    Elton

    24 de julho de 2011 às 20h16

    Você teve professores? Muitas vezes não é o que aparenta.

Tânia

24 de julho de 2011 às 17h20

Azenha, concordo plenamente com seu P.S. É fundamental entendermos que a falta de perspectiva é a alavanca para o crescimento desses grupos de extrema direita. O mesmo acontece em São Paulo. O estado vem decrescendo economicamente; as oportunidades de trabalho no mercado paulista estão muito competitivas, pois muitas estão migrando para outras regiões do Brasil; temos uma sociedade que estimula: o consumo sem reflexão, a ideia da existência de direitos sem deveres, impunidade, irresponsabilidade, princípio é coisa de otário, desqualificação do diferente, entre outros. Tudo isso um terreno fértil para o discurso da intolerância e da violência.

Responder

Eduardo

24 de julho de 2011 às 17h17

A extrema-direita brasileira comemorou o atentado Azenha, veja no meu post:

Terrorista de Oslo era de extrema-direita, branco, loiro, limpinho e cheirosinho
http://www.comunistas.spruz.com/pt/Terrorista-de-

Responder

    Klaus

    24 de julho de 2011 às 22h48

    Fui no site indicado. O carinha condena o norueguês mas idolatra Lenin e a guerilha brasileira. Vai entender… Che Guevara foi pior que o norueguês, matou mais e mais covardemente, mas é idolatrado pela esquerda. Vai enternder, né Dudu?

    eroni spinato

    25 de julho de 2011 às 08h56

    Klaus, tenha vergonha, você nem chega a ter o direito de pronunciar o nome de Che Guevara, quanto mais acusa-lo de assassinato…Faça cultura de neuronios, você está precisando…

    Aline C Pavia

    26 de julho de 2011 às 01h04

    Quem não tem argumentos factíveis costuma ficar rodando em círculos em torno de asneiras com a data de validade vencida há pelo menos 60 anos. Um monte de cérebros ocos, "sonháticos" e "coesionários" em torno do vento contido nas próprias marmitas de recalque, ódio, inveja, egoísmo, arrogância e ignorância, temperadas com o fel de 3 derrotas consecutivas no poder máximo deste país.
    Contra fatos não há argumentos e a carta do terrorista de extrema-direita norueguês é um libelo per si.
    Embora seja justamente em posts como esse, em que trolls, desocupados e papagaios da imprensinha merdorrágica deveriam recolher-se ao silêncio de seus próprios amontoados de nada, é que surgem os comentários que atestam o quanto essa cambada ainda é capaz de descer mais do que o fundo do fundo do poço do rancor e da estupidez.
    Um dia a ração da verba de partidos ou de pessoas derrotadas irá acabar e esses miquinhos amestrados sumirão, tal como a praga do gerundismo, que todos achávamos que seria impossível vencer mas está arrefecendo.

    Bonifa

    26 de julho de 2011 às 18h40

    Tem razão, Klaus, não dá para você entender. Desista, Klaus, você nunca entenderá nada de nada.

    cronopio

    26 de julho de 2011 às 20h19

    Klaus, você não está planejando nada, está?


Deixe uma resposta