VIOMUNDO

Diário da Resistência


Luís Carlos da Silva: Janot ‘atira’ em Azeredo e acerta no tucanato em geral
Denúncias

Luís Carlos da Silva: Janot ‘atira’ em Azeredo e acerta no tucanato em geral


08/02/2014 - 16h09

Luís Carlos da Silva: Janot “atira” em Azeredo, ricocheteia em Aécio e desmonta armações do tucanato

por Luís Carlos da Silva, especial para o Viomundo

Nessa sexta-feira, 7 de fevereiro, o Procurador-Geral da República (PGR), Rodrigo Janot, apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) as alegações finais à Ação Penal 536, o chamado mensalão tucano, que a mídia insiste em chamá-lo de mensalão mineiro.

Janot manifesta-se pela condenação do deputado federal Eduardo Brandão de Azeredo (PSDB) e sugere pena de 22 anos de reclusão e 623 dias-multa.

As chamadas alegações finais da Procuradoria Geral da República (na íntegra, ao final deste texto) trazem toda a argumentação que sustenta a tese de que Eduardo Azeredo, de fato, foi o líder do mensalão tucano.

Além disso, trazem um um roteiro completo que deixa, de cabelo em pé, parte dos que festejaram as condenações na AP 470. O passo a passo que será lido a seguir mostra também o potencial desmonte de vários pilares da ação que levou petistas à condenação. O negrito das imagens abaixo são do próprio procurador-geral, Rodrigo Janot.

PGR rejeita a tentativa (da defesa de Azeredo) de desqualificar testemunhas e documentos

Primeiro, porque o texto de 84 páginas mostra os nexos concretos e materiais que vinculam o então governador Eduardo Azeredo ao esquema de desvio de recursos públicos para fins de financiamento de campanhas eleitorais. Há uma referência direta à autenticidade da assinatura de Cláudio Mourão, tesoureiro da campanha, na confecção da lista de beneficiários da operação criminosa. Isso é importante porque uma das atitudes mais contundentes do alto tucanato, nacionalmente, em todo esse período, foi tentar desqualificar planilhas e listas como sendo produto de falsificação.

Neste afã, os tucanos tinham um alvo prioritário: o lobista Nilton Monteiro. Lembremo-nos que, no caso da afamada Lista de Furnas, eles contrataram por 200 mil reais um perito estadunidense, que já fora preso por perjúrio, para fazer um laudo por sobre cópias xerox a ele enviadas. Lógico que o tal perito, Larry F. Stewart, conclui ser uma montagem a tal lista, em face dos interesses de seus contratantes. No caso da “lista do Mourão”, a PGR é conclusiva: a lista é autêntica. E seu divulgador foi Nilton Monteiro. No caso da de Furnas, laudo do mesmo Instituto Nacional de Criminalística (INC/PF) também a considerou autêntica.

Montante arrecadado pelo esquema em 1998 ultrapassa  R$ 365 milhões (valores atualizados)

Segundo, porque o que se arrecadou salta aos olhos: “mais de 100 milhões de Reais”, de acordo com o próprio tesoureiro da campanha de 1998, em documento também considerado autêntico pelo INC/PF. Se atualizados, esses valores chegariam, em janeiro de 2014 a cerca de R$ 365 milhões! E isso é o que vem à tona.

Há robustas provas documentais, testemunhais e circunstanciais que ligam Azeredo a Valério

O terceiro motivo para tirar a tranquilidade do alto tucanato é que as provas documentais (vários documentos declarados de fé pública e a lista de telefonemas dados entre Azeredo e Valério), somadas às testemunhais e às circunstanciais, vinculam o líder tucano ao esquema, de forma robusta. O que contrasta com as alegações na AP 470, que indicavam José Dirceu mentor do mensalão petista. A não ser a acusação de Roberto Jefferson, nada há em relação a Dirceu que se assemelhe às provas contra Azeredo.

O desvio de recursos públicos, no caso tucano, é irrefutável

Em quarto lugar, o desvio de recursos públicos para as campanhas tucanas é comprovado à exaustão nas “alegações finais” da PGR. A conclusão, expressa na imagem abaixo, é inequívoca quanto a isso. Isso contrasta com a afirmação, na AP 470, de que teria havido recursos públicos no chamado mensalão petista. Segundo Gurgel e Barbosa, o Fundo Visanet seria a prova disso. Pizzolato e outros réus já demonstraram que a Visanet é uma entidade jurídica de direito privado e que foi esta empresa que repassou recursos à agência de Valério. E não o Banco do Brasil.

Neste caso, o uso do “domínio do fato” foi distinto daquele dado à AP 470

Longe da teoria original de  Claus Roxin, inadequadamente usada na AP 470, teve-se na peça acusatória a Azeredo o uso do princípio do domínio do fato, nos termos previstos pelo Código Penal brasileiro (art. 29) e não na doutrina germânica. Nesta, o domínio do fato era uma “forma” de encontrar a responsabilização (desde que igualmente com provas) do partícipe no crime. No caso em evidência, partiu-se para o “conteúdo” da responsabilização, exaustivamente demonstrado. Isso tudo contrasta também com as ilações e generalidades que “fundamentaram” a AP 470.

A validação do testemunho de Nilton Monteiro

A tentativa de desqualificação, por parte da defesa de Azeredo, dos depoimentos de Nilton Monteiro, foi considerada primária e carente de razoabilidade pela PGR. Os supostos fatos narrados e atribuídos a Nilton Monteiro, em ações distantes daquelas que o envolvem com o mensalão tucano, não invalidam o conteúdo de seus depoimentos. A PGR destaca, em itálico, a expressão “suposta” pratica de ilícitos por ele, para dizer que nem isso invalidaria seu testemunho. Ou seja, para a PGR é preciso manter distância dessa tentativa de descrédito da testemunha, pela parte interessada na absolvição de Azeredo.

Detalhe off topic: as recentes operações da cúpula da Polícia Civil mineira, tentando incriminar Nilton Monteiro e Marco Aurélio Carone, aparecerão também como uma armação tucana…

O STF ante uma “sinuca de bico”

Diante de robustas provas e argumentações, o STF terá que condenar Azeredo. Mas, se o fizer estará “condenando” também boa parte das argumentações e condenações oriundas da AP 470. Se não o fizer, cairá a máscara da justiça e aparecerá, oficialmente, o emblema da partidarização e politização do Supremo. As consequências disso são imprevisíveis.

A PGR atirou e acertou no que viu: o mensalão tucano. E, involuntariamente, atingiu o que não viu: a AP 470 e suas incongruências. Isso aí, somado ao inquérito 2474 e ao provável julgamento de Pizzolato pela Corte italiana, pode levar às desmoralização da mais alta instância do judiciário brasileiro.

Ação Penal 536 — Mensalão tucano by conceicaolemes

 

Leia também:

Paulo Moreira Leite: É fácil apontar desvio público no mensalão tucano

Janot pede 22 anos de prisão para ex-presidente do PSDB por mensalão tucano, que a mídia chama de “mineiro”

Exclusivo: O jornalista que foi preso por denunciar Aécio Neves

Exclusivo: Uma entrevista com o delator do mensalão tucano, que ao contrário do Roberto Jefferson, está preso e não fala à Folha

Exclusivo: Advogado diz que morte de modelo tem relação com o mensalão tucano

Exclusivo: Saiba tudo sobre a Lista de Furnas, outro escândalo tucano ainda impune

Exclusivo: Valério operou ao mesmo tempo para o Aécio em Minas  e o PT em Brasília; a íntegra da Lista de Furnas e do mensalão tucano

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



64 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

JULIO*Dilma2014/Contagem(MG)

11 de fevereiro de 2014 às 20h29

Se não fosse a blogosfera, jamais poderiamos visualizar estes documentos,
que desnudam o mensalão do PSDBosta, agora entendo, a luta incessante do
sr, EDUARDO BRANDÃO AZEREDO,em seu mandato parlamentar, para tentar censu
rar a internet no Brasil.

Responder

jõao

11 de fevereiro de 2014 às 20h11

PSDB e DEM preferem tirar médicos do Brasil e levá-los a Miami

Responder

Fabio

11 de fevereiro de 2014 às 15h49

Segundo a Folha no dia 10/02/2014 (ontem), o mensalão petista movimentou 136 milhões enquanto o tucano 14,5 milhões. Passou desapercebido de vocês isso? Foi só 14,5 milhões?
Desmascarar estes bandidos, Azenha.

Aqui a matéria:
http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/02/1409794-ex-governador-tucano-diz-que-e-inocente-como-lula.shtml

Responder

Messias Franca de Macedo

11 de fevereiro de 2014 às 11h48

A VERDADE SOBRE O MENSALÃO

O jornal Brasil de Fato lança em Brasília uma edição especial sobre o julgamento da AP 470 nesta segunda-feira (10/2). A publicação será distribuída gratuitamente em áreas de grande circulação em Brasília. O jornal, que tem como manchete “A verdade sobre o ‘Mensalão’”, apresenta artigos do jornalista Breno Altman, do advogado Aton Fon Filho e do dirigente do MST João Pedro Stedile, além do editor do Blog Escrevinhador, Rodrigo Vianna.

(…)

FONTE: http://www.rodrigovianna.com.br/plenos-poderes/brasil-de-fato-especial-a-verdade-sobre-o-mensalao.html

Responder

jõao

10 de fevereiro de 2014 às 23h16

maior do q em 2…

Publicado em 10/02/2014
DIRCEU: CEMIG É ESTATAL.
VISANET, NÃO !
Thomas Jefferson é a única “testemunha” contra o Dirceu

COMPARTILHE Vote: Avaliação NegativaAvaliação Positiva (+55) | Imprimir Imprimir

O Conversa Afiada reproduz post do Blog do Dirceu – veja que ele está para entrar no regime semi-aberto – que ajuda a desmistificar a tentativa do PiG (*) de misturar o Caixa Dois do PT com o avanço sobre o dinheiro estatal pelos tucanos.

Nem o Inspetor Clouzot Pereira conseguiu provar que a Visanet é estatal …

COMPARAÇÃO ENTRE AP 470 E “MENSALÃO TUCANO” NÃO PASSA DE FALSIDADE

Nos últimos dias, os jornais vêm comparando o que chamam de “mensalão tucano” e “mensalão petista”, numa tentativa de apontar um modus operandi comum na corrupção. A imprensa sublinha que os dois “esquemas” são parecidos, que um nasceu do outro, que tiveram o mesmo “operador” e que os “comandos” agiam de forma semelhante. Nada mais falso porque não há e não teremos qualquer base de comparação mesmo após o julgamento do caso tucano no Supremo. Isto porque o STF já sinalizou tratamento desigual para os dois processos: o mensalão tucano foi desmembrado (encaminhando a maioria dos réus para primeira instância), enquanto a AP 470 manteve todos os réus em julgamento na Suprema Corte.

O resultado deste julgamento nós conhecemos muito bem: o que se viu na AP 470 é um marco de injustiças, em flagrante violação do devido processo legal. As condenações da AP 470 se sustentaram com base em indícios, presunções e desprezo às contraprovas, entre outras violações de garantias, como esta Equipe do blog vem denunciado há tempos. (clique aqui para saber mais) Violações que esperamos, para o bem do Estado Democrático de Direito, que não se repitam em nenhum outro julgamento – incluindo este em relação a um réu isolado do PSDB no Supremo Tribunal Federal.

Dito isso, é inegável, evidente e salta aos olhos a diferença entre os dois processos. A começar dos pilares das acusações. Na AP 470, a tese central se baseou na denúncia de que houve desvio de dinheiro público do Banco do Brasil para compra de votos de deputados para aprovar as reformas Tributária e da Previdência. Os dois pilares, no entanto, não têm qualquer fundamento, o que ficaria evidente se o julgamento tivesse se limitado aos autos e sem pressão política e da mídia.

Já mostramos aqui – e diversas outras fontes também o fizeram – que a acusação de desvio de dinheiro público não se sustenta sob nenhum ângulo. Em primeiro lugar, porque a Visanet, de onde teria saído o desvio, é uma empresa privada, fato que foi ignorado no processo. E mais: ainda que se aceite o torto argumento de que o dinheiro era indiretamente do Banco do Brasil, a tese do desvio continua insustentável. Auditorias, documentos, notas fiscais e outras provas atestam que todo o serviço contratado pela Visanet foi efetivamente prestado, uma farta comprovação que aponta como foram gastos os R$ 73,8 milhões que os ministros dizem que foram desviados.

Entre esses serviços, estão peças publicitárias em grandes veículos de comunicação do Brasil, patrocínios a atletas e a eventos esportivos e culturais Brasil afora. Estamos falando de comprovantes com validade jurídica e contábil, atestada por auditorias ignoradas no Supremo. Uma pergunta ainda está em aberto: por que todas as comprovações foram sumariamente menosprezadas para justificar o crime de peculato?

O mesmo pode ser dito sobre a compra de votos. O dinheiro repassado aos parlamentares da base aliada tinha claro objetivo de pagar dívidas não-declaradas da campanha de 2002 e acordos para apoio às legendas coligadas na eleição de 2004. Todos os depoimentos – de réus e testemunhas – confirmam o destino do dinheiro, à exceção de Roberto Jefferson, que denunciou o caso, mas não apresentou uma prova sequer de que houve compra de votos. Um estudo estatístico que analisa todas as votações em Plenário na Câmara dos Deputados em 2003 e 2004, anos investigados, mostra que não há qualquer relação entre os saques em dinheiro e a atividade parlamentar. Esta é a verdade de mérito que o julgamento não considerou e que cabe revisão criminal.

O mensalão mineiro

Não cabe a nós, no entanto, fazer qualquer julgamento de mérito sobre o processo no qual o ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) é réu. A ação cita desvio de milhões de reais de empresas estatais do governo de Minas Gerais. De acordo com a acusação, o dinheiro saiu das estatais oficialmente para ser gasto com publicidade. Mas a maior parte dos recursos acabou nos cofres da campanha estadual do PSDB em 1998. A defesa de Azeredo deverá apresentar nos próximos dias suas alegações finais, respondendo à acusação da Procuradoria-Geral da República. É importante que se repita: para o bem da nossa democracia, espera-se que o julgamento aconteça apenas com base nas provas dos autos.

Comparação indevida

Também carece de qualquer sentido comparar o papel do ex-ministro José Dirceu e do deputado Eduardo Azeredo como artífices dos dois casos. Não há nenhuma prova, nenhum dado, nenhum telefonema, nenhum documento que associe Dirceu ao pagamento aos partidos para quitar dívidas de campanha. Há apenas uma testemunha – Roberto Jefferson – que sustentou tal tese. Dirceu teve os sigilos quebrados e nada foi encontrado. O próprio ex-procurador Roberto Gurgel admitiu que as provas contra Dirceu seriam “tênues”. Na clara ausência de provas, o Supremo recorreu de maneira equivocada à chamada teoria do domínio do fato para condená-lo. Na prática, foi condenado pelo cargo que ocupava e não por seus atos. O jurista Ives Grandra Martins, em entrevista à Folha de S. Paulo, em 22 de setembro do ano passado, foi enfático ao afirmar que Dirceu foi condenado sem provas.

Mais uma vez, não nos compete aqui fazer o julgamento dos réus do chamado mensalão tucano. Mas é nítida a diferença nos dois casos. A acusação contra a Azeredo mostra, entre suas sustentações, dezenas de ligações telefônicas feitas ou recebidas pelo tucano que o ligariam ao esquema. Contra Dirceu, repetimos, não há nada disso.

Silogismo

E hoje a Folha de S.Paulo chega a colocar na manchete a comparação que o próprio Azeredo fez entre ele e o ex-presidente Lula: “Ex-governador tucano diz que é inocente como Lula”. “Minha situação é semelhante à do Lula. Ele foi presidente e houve problema no Banco do Brasil. Corretamente, não foi responsabilizado. Eu também não posso ser responsabilizado”, diz Azeredo.

O jornal reproduz o silogismo sem informar que Lula não recebeu ou fez dezenas de ligações que pudessem sustentar qualquer tipo de comparação.

Ainda a respeito dessas evidentes diferenças entre os dois processos, recomendamos a leitura dos artigos de Paulo Moreira Leite e Luis Nassif abaixo

Responder

Abelardo

10 de fevereiro de 2014 às 18h13

A indignação com a covardia que fazem com os réus da AP470, às vezes, nos fazem descuidarmos do crime mais sério que está sendo cometido, que é a intencional trama de condenação posta em prática por alguns ministros do STF. Se observamos o andamento da sequência do que deveria ser um verdadeiro julgamento, chegaremos a conclusão que parte dos ministros do STF tratou todo o processo como verdadeiros juízes e provendo, de sua parte, um real e justo julgamento. Porém, uma outra parte de juízes tratou o processo ora como promotores de acusação, ora como advogados de defesa de partidos políticos de oposição, ora como se fossem apresentadores de Tv e ora como se fossem preconceituosos carrascos que torturam e destroçam intencionalmente a honra e a defesa de pessoas, ainda que réus. A brutalidade da intencional maldade em condenar a qualquer custo, deixou claros indícios de favorecimento político para outra parte e deixou-nos uma forte indignação em perceber o prazer, em determinados juízes, quando percebiam que suas tramas avançavam com cobertura e apoio total da mídia, que, em minha opinião, influenciou muito,sim, a alguns ministros. A relação de casos atípicos, condenáveis, covardes e desumanos são inúmeras e foram todos criticados veementemente por autoridades jurídicas com muito maior conhecimento e credibilidade do que muitos dos que estão no STF. Essa aberração que foi o julgamento da AP470 é mais grave pelo forte partidarismo, pela parcialidade abusiva, pela intencional e covarde trama de se condenar a qualquer custo e principalmente pelo desprezo total das provas e dos argumentos, que contém muito mais credibilidade, consistência e suporte jurídico do as ocas e frágeis argumentações e enredos que criaram para justificarem as estórias apresentadas. Na invenção do maior julgamento da história, conhecemos a maior farsa já utilizada por grupos de juízes de tribunal superior com intuito exclusivo de não se julgar, mas fazer de tudo para condenar e castigar e torturar como é próprio da Casa Grande.

Responder

Vicente

10 de fevereiro de 2014 às 17h03

O enrolo mineiro desviou recursos públicos para pagar a campanha de Azeredo; o mensalão petista surrupiou recursos públicos para compra de deputados.

Responder

Eduardo Oliveira

10 de fevereiro de 2014 às 17h00

Diante dos fatos do mensalão tucano ,AP 536, só resta deletar o PSDB do mapa. É a jogada para os que não tem preocupação com identidade ou princípios fundamentais. Quanto ao mensalão do PT, AP 470 cheia de erros de fundamentos e vícios, não podemos esperar nada senão sua nulidade. Os fatos de contrabalanço a ação do poderosíssimo supremo não podem ser relegado à geração espontânea,pois a liberdade de pessoas e sentimentos de milhares se encontram em expectativa, o que já é injusto.

Responder

PEDRO SANCHES

10 de fevereiro de 2014 às 15h22

Você entendeu o texto? É exatamente o contrario, A possivel condenação de Azeredo, baseada em provas robustas , demonstra que a ação penal 470 foi uma farsa.
Desmoralizado o stf já está, há muito tempo. Os últimos factoides envolvendo membros dessa “corte” de napoleões vencidos só demonstra o desespero de quem vê ruir seus castelinhos cercados de boa vontade da mídia velha. A mídia velha, golpista, mentirosa e ensandecida afogou todos que se agarraram a ela como último bastião de poder: o pig (Partido da imprensa Golpista) – especialmente a globo – acabou com o desfile das escolas de samba do Rio, com o futebol, com a oposição e , agora, com o stf. Mas, ainda tem gente que acredita nisso. como o Joaquim Barbosa, por exemplo.

Responder

Messias Franca de Macedo

10 de fevereiro de 2014 às 15h15

“Entretanto, eu não consigo tirar da cabeça aquele vídeo, onde Barbosa aparece tentanto explicar porque manteve o Inquérito 2474 em sigilo. Fiz inclusive um resumo de 2 minutos. Assistam de novo.
Observe como Barbosa fica nervoso, mexendo descontroladamente as mãos, e se enrola todo. Não consegue explicar. Marco Aurélio Mello lhe pergunta qual o “móvel” do sigilo. Barbosa gagueja. Afinal responde, com uma expressão que oscila entre o cinismo, o constrangimento e a malícia, que era para “o bom andamento” do processo.
Marco Aurelio, sarcástico como sempre, imediatamente rebate: “aí não, ministro. Aí não vinga”.
Outros ministros, Luiz Fux e Brito, tentam salvar a pele de Barbosa. Não dá muito certo. Barbosa, então, mais confuso que nunca, observa que o mensalão se restringe ao “Baanco Ruuuraal”. Ele estica as vogais. Outras linhas de investigação, diz ele, ficam para outro inquérito, como o 2474.
Só que não tem sentido. O inquérito 2474 trata do Banco Rural o tempo inteiro. Do Banco Rural E do BMG.
Por que tanta mentira?…”

Por jornalista Miguel do Rosário
em ‘Barbosa e o inexplicável sigilo do Inquérito 2474’

FONTE:
http://www.ocafezinho.com/2014/02/10/barbosa-e-o-inexplicavel-sigilo-do-inquerito-2474-2/

Responder

Abelardo

10 de fevereiro de 2014 às 15h14

Vamos saber , em breve, como está o poder da velha elite inerte, conservadora e rentista. Iremos saber se o folego esta com bom preparo, caso eles consigam imobilizar ou derrubar o procurador Janot ou vamos saber se são daquelas espécies de covardes, que para livrarem seus pescoços, sacrificam um ou dois dos seus lado para fingir a prática da ética,

Responder

Elias

10 de fevereiro de 2014 às 14h20

Os blogs sujos são sujos da poeira das ruas, dos charcos das periferias abandonadas à própria sorte, do sangue dos injustiçados. Diferentemente da sujeira moral, da desonestidade dos jornalões que propagam todos os dias as mais ensebadas mentiras, as mais pútridas digressões para defender o PSDB que hoje subsiste mais dessa mídia podre do que dos seus representantes no Congresso. Prova do que digo é a enfase que a Folha dá à opinião basbaque de Eduardo Azeredo: “Ex-governador tucano diz que é inocente como Lula”. A que ponto chega o banditismo midiático! Óbvio que interesses financeiros estão por trás de tudo isso. Nossa imprensa não é mais imprensa, é um negócio mafioso, tal e qual àqueles que vendem produtos falsificados. O PT corre o risco de perder tudo, moral e eleitores, se continuar aceitando toda a desfaçatez de uma mídia explicitamente golpista, facciosa, declaradamente de direita que não preza pelos interesses do Brasil e sim do capitalismo internacional. Melhor dizendo, a mídia brasileira é voltada à especulação de toda ordem: Financeira, imobiliária que em síntese é uma mídia testa de ferro da BM&F BOVESPA e da Wall Street. Devemos ficar cada vez mais atento a essa mídia. Se ela quer manifestações nas ruas, tudo bem, que a militância de esquerda, então, vá às ruas e dê também suas palavras de ordem.

Responder

O DOUTRINADOR

10 de fevereiro de 2014 às 12h45

Para preservar os Dedos perde-se os Anéis! O STF, simplesmente jogara a culpa no Batman, dizendo que o mesmo mentiu aos seus pares, escondeu provas, abusou da boa fé dos outros ministros e sendo assim o mesmo não poderá continuar a fazer parte da Suprema Corte.

Responder

Messias Franca de Macedo

10 de fevereiro de 2014 às 12h30

HENRIQUE PIZZOLATO APRESENTA DEFESA CABAL EM ATO EM DEFESA DO PT

http://www.youtube.com/watch?v=tsqeNjjP3k4

Responder

Julio Silveira

10 de fevereiro de 2014 às 11h07

O que me incomoda de fato, com isso tudo, é ter certeza que o partido que aprendi a respeitar e que votei praticamente desde a sua fundação, o PT, caiu no conto do vigário da formula fácil e contumaz de se fazer a má politica no país, adotada pelos partidos tradicionais que se revezavam no poder. Os vigaristas travestidos de empresários e seus aliados travestidos de políticos. venderam bem um armistício para uma falsa pacificação politica desde que, os antes ideológicos petistas, adotassem os ritos e procedimentos tão usuais na manutenção dos bolsões de votos, conveniente as principais oligarquias. Em troca apenas a promessa da facilidade na condução do comando do País. Viraram os símbolos negativos exatamente da mesma forma como costuma acontecer com a parcela mais frágil do extrato social que costuma ser apontada e criminalizada como exemplo, mas apenas para os próprios, enquanto os mentores dos atos, do alto, surfam de moralizadores e senhores dos destinos. Esse país é o que é por que é formado com base em muita hipocrisia, hipocrisia cultural.

Responder

renato

10 de fevereiro de 2014 às 10h28

Onde tem tucano, não deixe seu carro embaixo da árvore.

Responder

Flavio Lima

10 de fevereiro de 2014 às 08h47

O que da mais vergonha? A mídia piguista ou o stf?

Responder

Jose C. Filho

09 de fevereiro de 2014 às 21h18

Até que enfim, os tucanos serão desmascarados, e que com eles. em pouco tempo, os demos e pigais irão direto ao abismo. Não há mais espaço para tranqueiras dos tempos coloniais no Brasil do século XXI.

Responder

Bonifa

09 de fevereiro de 2014 às 20h01

A situação está muito pior do que imaginávamos. Mas há um fato novo: De encobertas e ensombradas, as convicções de uma classe média iludida pela mídia de maneira criminosa e por seus sub-intelectuais de extrema direita, estão aflorando e podem ser abatidas por rajadas de argumentos serenos e racionais em plena luz do dia. Tivemos uma conversa bastante informal com um amigo há algum tempo não visto, um amigo que tínhamos na maior conta, muito inteligente e muito interessado nos problemas nacionais. No decorrer da conversa chegamos ao assunto de como o complexo de vira-latas impedia empreendimentos ousados no Brasil. Quando exemplifiquei com o caso das manifestações contra a copa do mundo, ele recuou, para depois atacar: “Peraí, no caso da copa é diferente. É manifestação contra o dinheiro absurdo que foi todo para a corrupção!”. Que conversa é esta, amigo! As obras foram feitas, bons estádios de nível internacional, e a maior parte do dinheiro público empregado foi destinado a obras de sistema viário e de infraestrutura de transportes e outras obras imprescindíveis nas cidades, obras que vão ficar depois que a copa passar, melhorando todas estas cidades do ponto de vista urbanístico e turístico. Neste ponto nosso amigo se encolerizou:
“-O Brasil é o país mais corrupto do mundo!” -falou quase gritando- -Que conversa é esta amigo, retrucamos. A corrupção em países como os Estados Unidos sobe a trilhões de dólares, é muita ingenuidade sua achar que o Brasil tem este privilégio de ser o país mais corrupto do mundo. “-É, e aqui a corrupção é a pior, porque parte do governo central, entregue a este partido que é o mais corrupto do mundo, só tem ladrão!”. -Que conversa é esta, amigo, as estatísticas apontam que há corrupção no PT, sim, mas que ele, dos grandes partidos, é de longe o menos corrupto! “-Não é verdade, o PT é um antro de corrupção!”, rebateu, já gritando. -Quais são suas fontes, amigo? Acreditamos que você só esteja se informando através da revista Veja e da rede Globo. Nem no jornal Valor, uma direita mais específica, você tem se informado. Sabe quem são os donos destas mídias? Sabe quais são os interesses delas? Sabe em que jogo político elas estão metidas? Você tem que procurar se informar direito, este pessoal desqualificado está fazendo sua cabeça. “-Ninguém está fazendo minha cabeça, o PT é um antro de corrupção, só tem ladrão, e ainda tem mais: Eles querem acabar com a Democracia, estão marchando para instituir o partido único no Brasil, o comunismo, seguindo o modelo de Cuba, daí estes médicos cubanos que eles estão trazendo!”
-Amigo, seu problema é bem maior do que pensávamos. Você está enquadrado no mais baixo padrão de lavagem cerebral da mídia e de blogs de extrema direita. Vamos nos despedir por aqui, com sinceros votos de que no próximo encontro você tenha acordado deste seu pesadelo.

Responder

    Marat

    09 de fevereiro de 2014 às 23h30

    Oi Bonifa.
    Também conheço muita gente assim. Uma pequena argumentação os faz desmoronar. Eles são radicais e lambe-botas. Pode verificar: são leitores e ouvintes do PIG, amam a tal da “meritocracia” (sem bafômetro!), e adoram dizer que tudo nos Estados Unidos é melhor e mais barato. Quando eu lhes digo que eles o são o que são devido ao roubo do petróleo e dos seus massacres pelo mundo, eles ficam alucinadamente encolerizados. O pior é que eles não querem ir para Maiami. Querem que seus salvadores invadam aqui e nos tornem seus escravos de direito!

Messias Franca de Macedo

09 de fevereiro de 2014 às 19h50

[data venia]

E se Pizzolato decidir contar o que sabe na Itália?

Por jornalista Paulo Nogueira
Postado em 09 Feb 2014

Na Itália, ele pode ser ouvido

(…)
Na Itália, Pizzolato vai poder falar sobre coisas que ele não teria a quem dizer no Brasil: nem a mídia lhe daria voz e nem muito menos a Justiça o levaria em conta.
Uma pequena amostra disso se viu neste final de semana. Cercada de jornalistas depois de visitar seu marido na cadeia, Andrea Haas, mulher de Pizzolato, produziu uma mistura de desabafo e manifesto ao ver gente da Globo ali presente.
(…)
O problema – ou solução — é que a Globo não controla a Itália. Não manda na mídia italiana, não manda na justiça italiana.
Se um repórter italiano decidir ouvir Pizzolato em profundidade, ouvirá. Se o que ele tiver a dizer afetar a Globo, azar dela.
Isso pode mudar muita coisa.
A explosão de Andrea mostrou que os Pizzolatos estão com muita vontade de falar.
Caso isso efetivamente ocorra, a Globo não terá como deter o vento, como faz usualmente no Brasil.
Isto é muito bom.

FONTE: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/e-se-pizzolato-decidir-contar-o-que-sabe-na-italia/

Responder

lukas

09 de fevereiro de 2014 às 17h59

Em matéria de corrupção, o Brasil é ambidestro.

Responder

    Apavorado com a cara-de-pau humana.

    11 de fevereiro de 2014 às 16h06

    Lukas,

    A corrupção na Comunidade Europeia é de 120 bi de euros ao ano.
    Isso é unidestro ambidestro ou o quê?

    Que tipo de comparação vc quer fazer?

ricardo silveira

09 de fevereiro de 2014 às 14h49

Parece que ficou difícil, se condenar Azeredo, até porque com as provas não é possível inocentá-lo, vai pôr em questão as falhas da 470, pois não se poderá fugir de ver de frente as injustiças praticadas. Como se portará o STF é a questão. Antes, teremos os embargos infringentes, não deixa de ser um novo julgamento da AP 470. Para erros, às vezes há justificativas, para a persistência no erro, não.

Responder

    ricardo

    09 de fevereiro de 2014 às 21h36

    Está difícil ligar lé com cré, hein. A condenação do mensaleiro tucano, que em alguma medida virá, lança por terra a tese ridícula do julgamento de exceção. Os mensaleiros petistas estarão mais presos do que nunca. Vejo que petistas graúdos já se empenham em pedir “julgamento justo” para Azeredo. Me engana que eu gosto. Quando vejo um político concedendo algo ao adversário sempre me pergunto: o que ele quer em troca? Tem gente que ainda não se deu conta de que o tempo das “ações” contra a ditadura (“soltem os nossos que nós soltamos os de vocês”) definitivamente acabou. Sinto muito, petistas, não há mais espaço para o locupletemo-nos todos.

    Fernando

    10 de fevereiro de 2014 às 08h36

    Você entendeu o texto? É exatamente o contrario, A possivel condenação de Azeredo, baseada em provas robustas , demonstra que a ação penal 470 foi uma farsa

    Apavorado com a cara-de-pau humana.

    11 de fevereiro de 2014 às 16h00

    Ricardo,

    Julgamento justo …

    Parece que você escreve isso mas pensa “pena justa” enquanto escreve, e assim diz que petista diz que quer pena justa pois teria medo da pena injusta.

    Mas o que os petistas pedem é julgamento justo. Como poderia ser justo? Legal. Por exemplo. Pois o julgamento do PT foi ilegal. Não usou a lei brasileira em geral, usou a Lei do Dominio do Fato, uma lei Alemã. Começa aí o problema.

    Leia melhor as reportagens sobre o julgamento. O povo anda falando muito e lendo pouco. Pode não ser o seu caso.
    Mas tenho um coleguinha que cita o que leu no tweeter e quer filosofar, KKKKKK ou seja ele filosofa em 180 caracteres. Espero que vc não seja assim.

    Barbacena

    10 de fevereiro de 2014 às 00h12

    Detalhezinho “bunitim”…coisa de “minerim”…o pedido lá para “desqualificar depoimento e testemunha e SALVAR O TUCANO AZEREDO aos 44 do 2º tempo foi feito “irônica e coincidentemente” por uma “tal” 11ª Promotoria de Justiça do MPMG…e adivinhem quem é o “Seu Dotô Coroné” dessa Promotoria “aparentemente” PSDBista de “Combate ao Crime (des)Organizado”?! ELE MESMO!! O “FAMOSO” PROMOTOR ANDRÉ LUIZ PINHO… O “hômi” tá em todas ! ALÔ ALÔ CNMP ! APOSENTA o hômi e mande ele prá casa pitá seu cigarrin di páia !

Junior

09 de fevereiro de 2014 às 13h44

Vixe!!

Responder

Mancini

09 de fevereiro de 2014 às 12h02

Azenha, excelente reportagem! E a seleção de fotos não poderia ser melhor! O último – de camiseta vermelha, do sistema prisional – é o Nilton Monteiro. Agora pergunto, se o próprio MPF tem dúvida quanto à sua “criminalidade” por que o mesmo está preso há cerca de dois anos? Quanto ao Carone, o terceiro da foto, o MPF não irá fazer nada? O CNJ também não? A ministra do Direitos Humanos da mesma forma?!

Para aqueles que ainda tem alguma dúvida sobre Carone, um depoimento isento é do deputo estadual Durval Ângelo – que foi atacado por ele – mas que nem por isso deixa de protestar e elucidar as as maquinações tucanas em
http://brasil.indymedia.org/media/2014/02//528819.mp3 , cuja origem é:
http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2014/02/528818.shtml .

Portanto, aqui nas montanhas, temos dois presos políticos, por enquanto…

Ainda no mês passado fiz um resumo de memória dos principais fatos e links, destaque para o Vi o Mundo, dessa prisão descabida e da censura em Minas. É só clicar no nome aí da direita.

Responder

    Bonifa

    09 de fevereiro de 2014 às 21h12

    Meu caro, tudo isto acontece porque estão preparando um golpe de estado. Se acontecer, o Janot será o primeiro a ser preso. A blindagem tucana transcende os poderes brasileiros e se estende aos poderes internacionais. Não há outra explicação, contando com a maneira bárbara de como conseguiram virar a cabeça da classe média no país, de um modo que nem os alienígenas de Hollywood conseguiriam. O golpe virá e a primeira coisa que acontecerá será a suspensão da compra dos caças suecos, que se dará com o aplauso até dos militares. Em seguida, virá o fim do segredo em torno do enriquecimento de urânio pelo método inventado pelos brasileiros. Em seguida, o fim do Mercosul. Em seguida, o fim da Amazônia Azul. Em seguida, a destruição da estrada Brasil-Peru. Em seguida, a suspensão da construção de Belomonte. Em seguida, a venda da Petrobras para um consórcio anglo-americano. Em seguida, a chegada de alegres delegações estrangeiras falando que agora o Brasil é um país livre. O povo periférico estará calado e voltará a sua condição de não-cadadãos. Claro que estamos brincando. Brincadeirinha.

    Barbacena

    10 de fevereiro de 2014 às 00h16

    Prezado Mancini,
    Detalhezinho “bunitim de “minerim”…o pedido lá para “desqualificar depoimento e testemunha e SALVAR O TUCANO AZEREDO aos 44 do 2º tempo foi feito “irônica e coincidentemente” por uma “tal” 11ª Promotoria de Justiça do MPMG…e adivinhem quem é o “Seu Dotô Coroné” dessa Promotoria “aparentemente” PSDBista de “Combate ao Crime (des)Organizado”?! ELE MESMO!! O “FAMOSO” PROMOTOR ANDRÉ LUIZ PINHO…

Rafael

09 de fevereiro de 2014 às 10h52

“Diante de robustas provas e argumentações, o STF terá que condenar Azeredo. Mas, se o fizer estará “condenando” também boa parte das argumentações e condenações oriundas da AP 470.”

Por que?

Poderia descrever melhor esta análise?

Responder

Maria Thereza

09 de fevereiro de 2014 às 10h46

desmoralizado o stf já está, há muito tempo. Os últimos factoides envolvendo membros dessa “corte” de napoleões vencidos só demonstra o desespero de quem vê ruir seus castelinhos cercados de boa vontade da mídia velha. A mídia velha, golpista, mentirosa e ensandecida afogou todos que se agarraram a ela como último bastião de poder: o pig – especialmente a globo – acabou com o desfile das escolas de samba do Rio, com o futebol, com a oposição e , agora, com o stf. Mas, ainda tem gente que acredita nisso. como o jb, por exemplo.

Responder

Nigro

09 de fevereiro de 2014 às 10h38

É… A coisa tá preta para o Azeredo.
O modus operandi é o mesmo. Seria bom se todo mundo fosse para a mesma cadeia. Mensaleiros Tucanos e Mensaleiros petistas.
Contudo, aqui está só a peça de acusação. Vamos ver como a defesa se pronuncia e como os juizes vão encarar.
Mesmo que as teorias conspiratorias esquerdo-lulo-petistas fossem reais, e o STF quisesse livrar o cara, na situação atual parece difícil que dê para escapar.

Corrupto é tudo igual!

Quer ver, daqui a pouco vão falar que o recurso não era público, igual os petistas falaram da grana do BB do Pizzolato (que além de tudo é falsificadornde do umentos e fraudou até eleição)

Responder

    Antenor Loula Moreira

    09 de fevereiro de 2014 às 18h27

    Que grana do BB, estúpido?

Claudia Dornelles

09 de fevereiro de 2014 às 10h06

Que bom que estão apurando os crimes do mensalão tucano.

Responder

    Barbacena

    10 de fevereiro de 2014 às 00h20

    APURANDO?????? QUEM “APURA” LÁ EM MINAS É O PROMOTOR DE JUSTIÇA ANDRÉ DE PINHO QUE PRENDE ATÉ IRMÃO E JORNALISTAS E DIZEM QUE RECENTEMENTE FORJOU PRA TENTAR PRENDER DEPUTADOS DO PT PRA PROTEGER O SENADOR ADVERSÁRIO… AONDE VAMOS PARAR?! VEJA NO SITE DO http://WWW.MINASSEMCENSURA.COM.BR E http://WWW.NOVOJORNAL.COM (CENSURADO E JORNALISTA PRESO PELO PROMOTOR CITADO)

Araújo

09 de fevereiro de 2014 às 05h20

O STF cometeu um erro mortal com relação a AP 470. Sua imagem é quase irrecuperável. Enquanto houver um foco de podridão, no caso JB, o mal cheiro continuará. O desejo de ser aceito pela Casa Grande levou esse homem a cometer os maiores desmandos. Os exemplos são muitos: bater em mulher, aproximação com a Globo ver o exemplo do filho, compra de imóveis nos estados unidos usando artifícios esquisitos, abertura de empresa com endereço da residencia oficial, maquiagem na viagem em férias para usufruir do dinheiro público. Um total despudor. Perdeu totalmente o senso Espero que a loucura e a ambição descomunal desse ministro asqueroso o leve a carreira política, afastando-o definitivamente esse senhor da área jurídica, que precisa de pessoas com muito descimento. Só assim podemos ter alguma esperança com relação aos rumos do STF. JB precisa entender que nossa elite não mudou. A Casa Grande não gosta da grande maioria da população, que é pobre, é de origem negra, não é a massa cheirosa, é de trabalhadores que adora nosso país. E JB representa tudo que a elite mais rejeita.

Responder

marco

09 de fevereiro de 2014 às 00h39

alguém sabe quando vence a concessão da globo televisão?

Responder

Marat

09 de fevereiro de 2014 às 00h35

Janot parece ser muuuuuuito mais equilibrado e imparcial que Roberto Gurgel, além de se mostrar sóbrio, sem fanfarronices. É desse perfil de pessoas que a Justiça precisa!

Responder

Marat

09 de fevereiro de 2014 às 00h34

Texto devastador. Acredito piamente que certos ministros do STF deveriam abdicar do julgamento, pela proximidade ideológica com o réu!

Responder

Marat

09 de fevereiro de 2014 às 00h30

Confesso a vocês que sou adepto de um pensamento de Grouxo Marx, que disse algo assim: A TV é muito educativa. Cada vez que alguém liga uma, eu vou ler um livro.
Não tenho muito tempo nem vontade de ver TV, por isso, pergunto: Como está a repercussão, na “grande” imprensa 50 tons de marrom sobre tal caso? Algum “jornalista” pediu o pescoço do Azeredo? Algum comentarista usou o termo “mensalão tucano”? Houve alguém clamando por justiça?
Obrigado.

Responder

Israel Just da Rocha Pita

08 de fevereiro de 2014 às 23h23

Não devamos nos iludir o PT nomeou todos os ministros do STF da ala PSDEBISTAS com uma minoria ínfima de Ministros honrados e isentos.

Responder

Messias Franca de Macedo

08 de fevereiro de 2014 às 22h49

TV Globo, Editora Abril, Estadão, Folha serão notificadas pela Justiça! Terão que confirmar ou não se receberam “dinheiro público da Visanet privada” (sic)!

em ‘MENSALÕES DIFERENTES’

Por jornalista Paulo MoreiraLeite

http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/coluna/347201_MENSALOES+DIFERENTES
EM TEMPOS GOLPISTAS: A FARSA CADA DIA MAIS FARSA!

Responder

Ismailia

08 de fevereiro de 2014 às 22h05

Voce revela certa demência nessa pergunta.

Responder

H Menon Jr

08 de fevereiro de 2014 às 19h46

Quem com Mensalãp fere, com Mensalão será ferido… Sujô!

Responder

José X.

08 de fevereiro de 2014 às 19h43

A banda podre tucana do stf, com a ajuda da globo, vai dar um jeito de desmontar a acusação do janota. Podem escrever aí.

Responder

Mineirim

08 de fevereiro de 2014 às 19h12

Desculpem o termo (talvez não seja publicado), mas o judiciário brasileiro está “cagando e andando” para uma possível desmoralização que possa vir do julgamento do Pizzolato pela Corte italiana. O PIG vai esconder e dizer, em poucas linhas, que na Itália é diferente, etc. Afinal, os tucanos não teriam sido “condenados” na Suíça no caso Alstom e aqui, com a ajuda do MP, não foi tudo abafado? Pois é…

Responder

    Francisco

    08 de fevereiro de 2014 às 20h06

    Estimado Mineirim,

    Como compartilho da sua opinião e desejo que seu comentário seja mantido nessa página, proponho o neologismo, neopoliticamente correto, neobesta que criei, fica assim:

    “O STF está ‘defecando e se locomovendo’ para uma possível desmoralização”.

    Claro! Ninguém pode perder o que nunca teve!!!

    Ronaldo

    08 de fevereiro de 2014 às 23h31

    Tudo bem, é possível e previsível que nossa mídia canalha e alguns membros do STF tentem desqualificar tais contradições… No entanto, acredito que não podemos aceitar tais abusos de forma passiva… O STF não pode agir de forma unilateral, desproporcional e partidária.
    Afinal, sua função e sua razão de existir é a promover a justiça, mediante instrumentos já consagrados tais como os princípios da jurisprudência, da isonomia, da proporcionalidade, etc… Todos esses visam impedir o desencadeamento de uma BARBÁRIE.
    No entanto, caso insistam em agir de tal modo, deveriam estar cientes de que suas cabeças não serão poupadas quando toda essa revolta vir à tona…

Marcos

08 de fevereiro de 2014 às 18h07

Vamos ver se a grande mídia dá o mesmo espaço para isso…

Responder

    Bonifa

    09 de fevereiro de 2014 às 00h36

    Não vai dar. E o que se observa principalmente na Globo é uma clara tentativa de exacerbar o caso Pizzolato para tentar encobrir o caso Mensalão Tucano. Em pouco tempo os pobres crentes da religião fundada por Roberto Marinho estarão exigindo declaração de guerra à Itália, pela não-extradição do perigoso Pizzolato.

Lukas

08 de fevereiro de 2014 às 17h54

Será Janot um agente petista?

Responder

    abolicionista

    08 de fevereiro de 2014 às 21h18

    Não, de modo algum. Ele é um cidadão de bem.

    Rodrigo Caio

    08 de fevereiro de 2014 às 21h20

    Será o Lukas um agente tucano ?

    FrancoAtirador

    08 de fevereiro de 2014 às 22h56

    .
    .
    Da Última Laia.
    .
    .

    FrancoAtirador

    08 de fevereiro de 2014 às 21h22

    .
    .
    Não. Ele só não é tucano como o Gurgel.
    .
    .

    lukas

    08 de fevereiro de 2014 às 22h47

    Desonestos são sempre os outros…

    FrancoAtirador

    09 de fevereiro de 2014 às 17h58

    .
    .
    Disse que o Gurgel é tucano.

    Desonesto, tu o disseste.
    .
    .

    Mário SF Alves

    08 de fevereiro de 2014 às 23h55

    Será o Lukas um agente…………… complete com qualquer coisa que se relacione com “cada um por si e só Deus por todos.”

    renato

    10 de fevereiro de 2014 às 10h26

    Seria neutro, ou agente secreto rastejando na linha tenue do muro.
    Ou esta querendo fazer amizadinha.

    Marcus Vinicius

    09 de fevereiro de 2014 às 10h44

    tentando se fazer de engraçadinho “luquita” ?


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!