VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Lígia Bahia e Mário Scheffer: Os planos de saúde deitam e rolam


25/07/2013 - 16h25

por Lígia Bahia e Mário Scheffer, na Folha de S. Paulo

No jargão dos planos de saúde, sinistro é a perda financeira a cada demanda de um cliente doente. Já a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) foi tomada pelo sinistro no sentido popular do termo — ou seja, aquilo que é pernicioso.

Dois ex-executivos de planos de saúde — um serviu à maior operadora do país e outro, à empresa líder no Nordeste — acabam de ser nomeados diretores da ANS.

Desde sua criação, há 13 anos, a agência foi capturada pelo mercado que ela deveria fiscalizar. As medidas sugeridas para coibir o conflito de interesses na ANS — frise-se, um órgão público sustentado com recursos públicos — sempre foram contestadas sob o argumento de que tais pessoas “entendem do setor”.

Assim, a agência instalou em suas entranhas uma porta giratória, engrenagem que destina cargos a ex-funcionários de operadoras que depois retornam ao setor privado.

A atuação frouxa da ANS, baseada no lucro máximo e na responsabilidade mínima das operadoras, tem a ver com essa contaminação. Impunes e protegidos pela fiscalização leniente, os planos de saúde ao fim restringem atendimentos e entregam emergências lotadas e filas de espera para consultas, exames e cirurgias.

As empresas deixaram de vender planos individuais, pois têm o aval da ANS para comercializar planos coletivos a partir de duas pessoas, com imposição de reajustes abusivos e rescisão unilateral de contrato sempre que os usuários passam a ter problemas de saúde dispendiosos. Sob o olhar complacente da ANS, dão calote no SUS, pois não fazem o ressarcimento quando seus clientes são atendidos em hospitais públicos.

Os planos de saúde doam recursos para candidatos em tempo de eleição que, depois de eleitos, devolvem a mão amiga com favores e cargos. Há coincidências que merecem explicação.

Em 2010, as operadoras ajudaram na eleição de 38 deputados federais, três senadores, além de quatro governadores e da própria presidente da República. Da empresa que doou legalmente R$ 1 milhão para a campanha de Dilma Rousseff, saiu o nome que presidiu a ANS até 2012.

O plano de saúde que doou R$ 100 mil à campanha de um aliado — o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral — emplacou um diretor da agência que, aliás, acaba de ser reconduzido ao cargo.

Em 1997, o texto do que viria a ser a lei nº 9.656/98, que regula o setor, foi praticamente escrito por lobistas dos planos.

Em 2003, na CPI dos Planos de Saúde, as empresas impediram investigações.

Em 2011, um plano de saúde cedeu jatinho para o então presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), em viagem particular.

Quase mil empresas de planos de saúde que atendem 48 milhões de brasileiros faturaram R$ 93 bilhões em 2012.

Com tal poder econômico, barram propostas de ampliação de coberturas, fecham contratos com ministérios e estatais para venda de planos ao funcionalismo público, definem leis que lhes garantem isenções tributárias. E se beneficiam da “dupla porta” (o atendimento diferenciado de seus conveniados em hospitais do SUS) e da renúncia fiscal de pessoas físicas e jurídicas, que abatem do Imposto de Renda os gastos com planos privados.

Agora as operadoras bateram às portas do governo federal, pedindo mais subsídios públicos em troca da ampliação da oferta de planos populares de baixo preço — mas cobertura pífia.

No momento em que os brasileiros foram às ruas protestar contra a precariedade dos serviços essenciais, num rasgo de improviso os problemas da saúde foram reduzidos à falta de médicos. O que falta é dotar o SUS de mais recursos, aplicar a ficha limpa na ocupação de cargos e eliminar a promiscuidade entre interesses públicos e privados na saúde, chaga renitente no país.

MÁRIO SCHEFFER, 46, é professor do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP); LÍGIA BAHIA, 57, é professora do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Leia também:

Cebes e Abrasco apontam à Dilma os caminhos para a saúde

Mílton de Arruda Martins: “Elitização brutal” ajudou a concentrar médicos

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



34 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Mário Scheffer: Governo Temer se entrega aos planos privados de saúde; ANS e Ministério agem como se operadoras fossem vítimas de abusos, não os pacientes | bita brasil

23 de junho de 2016 às 23h08

[…] frouxa e perniciosa, os planos privados deitam e rolam sobre os usuários, já denunciaram aqui Mário Scheffer e Lígia […]

Responder

Dr. Rosinha: Paciente é coagida a assinar abaixo-assinado contra o Mais Médicos - Viomundo - O que você não vê na mídia

14 de agosto de 2013 às 11h17

[…] Lígia Bahia e Mário Scheffer: Os planos de saúde deitam e rolam […]

Responder

Novo diretor da ANS é crítico de órgãos de defesa do consumidor; Padilha defende-o e pressiona CNS - Viomundo - O que você não vê na mídia

10 de agosto de 2013 às 16h59

[…] Lígia Bahia e Mário Scheffer: Os planos de saúde deitam e rolam […]

Responder

Dr. Rosinha: Quando o comportamento da mídia é criminoso - Viomundo - O que você não vê na mídia

30 de julho de 2013 às 11h09

[…] Lígia Bahia e Mário Scheffer: Atuação frouxa e perniciosa da ANS […]

Responder

fatimacoelhosantanna

29 de julho de 2013 às 17h44

Epior não cumpre o que promete no contrato,so mentira e ninguei faz nada .e opovo so toma.

Responder

Valente

29 de julho de 2013 às 15h39

94 bi deve ser uns 5% do PIB. Por isto estão tão dispostos a pagar tanta propina. E há tanta gente louca para receber a propina.

Falar de Dilma é sacanagam. Só o Congresso recebe propina. Dilma é honesta. Dilma propõe MP e etc. mas tudo é recusado, se não houver espaço para negociar a propina com as empresas corruptoras.

Tente falar assim na midia besta e irá preso na hora. Eles são irmãos em tudo.

Responder

Hélio Pereira

29 de julho de 2013 às 09h42

Isto é o que se pode chamar de Máfia de Branco,com a “benção” do Governo Federal.

Responder

Gilson

28 de julho de 2013 às 23h58

Essas tais seguradoras de plano de saude só prestariam realmente o serviço (atendimento medico) aos seus clientes, quando todos eles “CANCELASSEM EM MASSA” seus planos de saude, assim as empresas “PICARETAS” seriam banidas do mercado, se voces observarem, quem banca realmente a assistencia medica aos cidadães que tem plano de saude é o governo, deixa eu explicar: os gastos com assistencia à saude (plano de saude), é debitada do imposto de renda a pagar, assim, todos os brasileiros é quem realmente paga, os empresarios dos planos de saude, apenas embolsam essa bolada, em 2012 foram 92 bilhões de reais, e o pior, as empresas de plano de saude não paga imposto algum, isso é o “maior negocio da china”, voces viram a “ESPERTEZA DO FHC”?, ele é beneficiario dessse setor, por isso ele e seus amiguinhos do psdb, dem e pps, são ricos. Se os cidadão brasileiro que pagam plano de saude, criassem em cada estado uma cooperativa sem fins lucrativos de prestação de serviços medicos, e que a maioria dos administradores da cooperativa fosse os os proprios cooperados (pessoas aposentadas ou que dispussesem de tempo)para gerir a propria cooperativa, eles teriam realmente a prestação de serviços, bastaria que a cooperativa tivesse uma estrutura minima, com medico para fazer a triagem e encaminhar a pessoa que necessitassem do serviço para o medico especialista, os casos de urgencia e emergengia, o cidadão dirigiria à clinica e ao hospital, para isso, ele teria um cartão que permitia transferir para a clinica e o hospital o valor do atendimento, e os recibos dos gastos ele entregaria à cooperativa ou enviava, isso é possivel, não é um sonho.

Responder

José Souza

28 de julho de 2013 às 21h11

Fato acontecido em março com um amigo:a confusão começou quando ele ligou para marcar uma consulta em um cardiologista. A atendente informou que só tinha vaga para final de junho. Nesse momento ele informou que era particular e não plano de saúde. Ai a atendente disse que ele poderia ir no dia seguinte. Ele foi no horário marcado. Chegando lá ele apresentou documentos do plano de saúde. Pronto, fechou o tempo. Foi uma confusão dos diabos para ele ser atendido. Esse é o sistema que funciona no país. Com grana é na hora, plano é pro futuro e, se fosse no INSS também demoraria. O que fazer? Eu acredito que não existe solução.

Responder

claiton de souza

28 de julho de 2013 às 19h36

O Brasil, principalmente o rio de janeiro, foi invadido pela juventude mundial em evento comemorativo da jornada mundial da juventude. Entre os Peregrinos, um se fez destaque, com seu carisma e simplicidade conquistando incondicionalmente o povo brasileiro, é ele o Papa Francisco. VIVA! Viva! Viva! Francisco, O CONQUISTADOR.

Responder

marco

28 de julho de 2013 às 19h32

Acho que todos os que postaram comentários referentes a ANS tem razões de sobra para faze-los.Gostaria contudo de saber,onde estavam todos eles,quando privatizaram a saúde no Brasil além das estradas,da siderurgia,dos portos,enfim de todas as privatizações que houve no país,ha pouco tempo atraz.Eu estava nas ruas protestando.Como não conheõ nenhum dos missivistas,gostaria de saber onde estavam?Ah!A telefonia!

Responder

lulipe

28 de julho de 2013 às 18h21

Quanto doaram à campanha do PT????

Responder

anac

28 de julho de 2013 às 17h28

Não adianta, para o plano de saúde privado enquanto compensar financeiramente não cumprir contratos, negar tratamentos, cirurgias, etc. os consumidores vão continuar sendo pessimamente assistidos. Muitas vezes precisando para a realização de uma cirurgia acionar judicialmente o plano privado para conseguir uma liminar na Justiça. Rezem para não ficar doente. A classe media se deixou levar pelo canto da sereia do neoliberalismo abandonou o SUS a própria sorte e agora se vê sem condições de arcar com os altos custos de uma empresa que visa acima de tudo o LUCRO. Nos USA quem não tem plano de saúde privado morre a míngua. No Brasil pode pelo menos ser atendido no SUS que, bem ou mal, tendo perdido 40 bi da CPMF, ainda funciona.Mais uma vez o coxinha homer simpson se deu mal ao cair no engodo dos 5% milionários e bilionarios visando o fim da CPMF, quando pela primeira vez os 5% estavam pagando imposto, segundo sua capacidade.

Responder

Marcelo Sant'Anna

28 de julho de 2013 às 17h13

Sugiro a todos lerem o artigo publicado por Giovano Iannoti no Vermelho.
http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=218959&id_secao=1

O texto é muito esclarecedor e diz respeito ao texto em lide.

Levei 24 min cronometrados para ler e não me arrependo.

Uma pequena introdução:

“Contudo, muito estava em jogo ali. Primeiro, uma peculiaridade jurídica do Brasil. O DL 66 aprovara uma Convenção internacional, incorporando-a ao Ordenamento jurídico brasileiro. Como pode um presidente revogar um ato votado pelo Congresso Nacional com uma canetada?

Segundo, o acordo internacional aprovado pelo Congresso fora a “Convenção Regional Sobre o Reconhecimento de Estudos, Títulos de Diplomas de Ensino Superior na América Latina e Caribe” (Cidade do México, 19 de julho de 1974), havendo o instrumento brasileiro sido depositado junto à UNESCO.

Um pouco confuso na aparência, mas o importante é saber que sob Fernando Henrique Cardoso e Paulo Renato, a educação brasileira passou a ser, definitivamente, um serviço, um “bem” a ser comercializado no mercado, seguindo regras de mercado. Muitas faculdades privadas foram abertas nesse período, muitas delas ligadas a políticos influentes e a grupos econômicos sem compromisso com a educação. Até multinacional há nesse meio. Quantos bilhões renderam a “canetada” de FHC? Para quem?

Até ali, vários formados alhures retornaram ao Brasil e foram autorizados a exercer sem maiores problemas. Inclusive os que foram a Cuba”

Responder

Emilia Faust

28 de julho de 2013 às 16h42

A DECISÃO DO MINISTRO LEWANDOWSKI:

“Trata-se de mandado de segurança coletivo, com pedido de medida
liminar, impetrado pela ASSOCIAÇÃO MÉDICA BRASILEIRA(AMB),contra ato da Senhora Presidente da República,DILMA VANA ROUSSEFF, consubstanciado na Medida Provisória 621, de 8 de julho de 2013, que instituiu o “Programa Mais Médicos e dá outras providências”.

http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/noticiaNoticiaStf/anexo/MS_32238_Programa_Mais_Medicos_MLewandowski.pdf

Responder

Olavo

28 de julho de 2013 às 15h13

Dilma e Lula, são pruro engodo com se trata de defender o interesse coletivo com os grupos de pressão. Comunicação e saúde são apenas dois exemplos. O resto é partidarismo.Puro.

Responder

Apavorado por Vírus e Bactérias

28 de julho de 2013 às 13h45

A culpa de todo esse descalabro é da Dilma. Ela prometeu em palanque uma saúde melhor mas deixa a ANS nas mãos dos bandidos. As prefeituras deixam os postos de saúde sem os medicamentos e insumos básicos, mesmo as prefeituras governadas pelo PT. Se a Dilma quer a reeleição, vai ter que se mexer e colocar os planos de saúde e os postos do SUS na linha. Foi promessa e deve ser cumprido.

Responder

IstoÉ: Rombo tucano em São Paulo foi de R$ 425 milhões - Viomundo - O que você não vê na mídia

28 de julho de 2013 às 09h50

[…] Lígia Bahia e Mário Scheffer: Atuação frouxa e perniciosa da ANS […]

Responder

Bernardino

27 de julho de 2013 às 14h50

ó houve um freio quando o Lula assumiu em 2003.Em que mundo voce vive D ANA CRUZELLI o Goveerno do PT foi quem mais deu corda a essa ANS,tanto que um grupo medico doou Um milhao para campanha de D DILMA que nomeou o pres da ANS ate pouco tempo e antes o sr LULA so nomeava os indicados dos planos de saude a corja é a mesma entao esse papo de que no governo lula as agencias eram disciplinadas é BALELA!!

Responder

Urbano

27 de julho de 2013 às 13h55

As nossas agenciações…

Responder

FrancoAtirador

27 de julho de 2013 às 11h17

.
.
CRIME CONTRA O CONSUMIDOR

MÉDICOS CREDENCIADOS POR PLANOS DE SAÚDE COBRAM CONSULTA PARTICULAR

É cada vez mais frequente o caso de médicos que põem em prática uma nova forma de cobrança irregular para os clientes de planos de saúde: a da primeira consulta.

Práticas irregulares, como a cobrança da consulta à parte ou a priorização de pacientes particulares em consultórios e a imposição de taxas extras misteriosas, se mesclam a outras falhas no atendimento médico por planos de saúde, tornando o assunto o quarto na lista dos dez serviços mais reclamados pelos consumidores no Procon.

“Não existe base legal para essa situação e, com certeza, descumpre qualquer contrato do plano de saúde. Se quem faz a cobrança é o próprio médico, ele deve ser denunciado aos órgãos de defesa do consumidor, à operadora a que é afiliado e na ANS”,
diz o presidente da Comissão de Direito do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil seção Minas Gerais e coordenador do Procon Assembleia, Marcelo Barbosa.

Fonte: O TEMPO
.
.

Responder

Ana Cruzzeli

27 de julho de 2013 às 05h34

Essa conversa de novo?

Saude complementar ou SUPLEMENTAR NÃO EXISTE, todo o SUS atende a todas as especialidades, essa agencia criada por FHC foi o que provocou a explosão de planos de saúde. Os militares introduziram esse sistema no Brasil e o FHC foi determinante para a avacalhação. Só houve um freio quando o Lula assumiu em 2003.

Por mais que você diga: Olha plano de saúde, você tem que seguir regras humanitárias, esqueça que você é uma empresa capitalista e atenda seus segurados com carinho, é de uma ingenuidade de fazer corar um gangster

ESQUEÇAM, PELO AMOR DE DEUS, ESQUEÇAM ESSA AGENCIA, ELA ESTÁ COM OS DIAS CONTADOS. SUA EXISTÊNCIA PARA LÁ NA FRENTE SERÁ DISPENSADA.

Desperdicem seu tempo precioso na volta da CPMF, aquilo foi um roubo, aquilo foi que ajudou a retomada da falácia que o SUS não funcionava.

Essa agencia tem 13 anos e vendeu-se a falácia que no Brasil precisariamos de um área que completasse o que o estado não provinha.
Foi nessa época que FHC arregaçou as pernas para esse sistema que já nos EUA entrava em convulsão.
Quando alguém pede de maneira INGÊNUA que os segurados de saúde paguem por tratamento no SUS, melhor, deixa eu corrigir, que as seguradoras paguem pelos segurados quando estes usarem o SUS eu MORRO DE RIR, afinal no final das contas quem paga é o segurado mesmo e isso retroalimenta o sistema privado.

PELO AMOR DE DEUS, isso não tem cobertura legal esqueçam. Quem inventou essa baboseira só queria dar sobrevida as seguradoras e deu.
Como dizia a Miriam Leitão em 2010: ATÉ BAIXA RENDA TEM SEGURO DE SAÚDE, VEJAM COMO A SAÚDE MELHOROU NO BRASIL?

QUEM QUISER AJUDAR O SUS,ESQUEÇA ESSA AGENCIA.

Quem quiser realmente ajudar o SUS…ESQUEÇA essa agencia mequetrefe. Quem paga Seguro de Saúde está recebendo em qualquer hipotese o pior que a medicina pode lhe dar
– Minha irmã foi mutilada pelo seu seguro de saúde 4 vezes. Fez 2 cesárias desnecessárias e 2 biopsias mamárias desnecessária, minha mãe perdeu dois cristalinos OTIMOS por causa de seu seguro de saúde e tomou colírio por 2 anos para um claucoma que não tinha.

É DISSO QUE SE TRATA.

Os mutilados, os maltratados pelos seguros de saúde tem vergonha de vir a publico falar sobre isso. Então irmãs, filhas e mães, tem que ter essa coragem.
-Eu não tenho seguro desde 1993, estou bem, estou OTIMA, nenhum medico MERCENÁRIO botou a mão em mim. Eu não permito.

Responder

    Mário SF Alves

    28 de julho de 2013 às 22h13

    “Eu não tenho seguro desde 1993, estou bem, estou ÓTIMA, nenhum medico MERCENÁRIO botou a mão em mim. Eu não permito.”

    __________________________________
    Se a moda pega, hein, Ana?

Bernardino

26 de julho de 2013 às 22h28

COM CERTEZA esses dois ai medicos de gabarito e comprometidos com a verdade nao defendem vinda de medicos estrangeiros,pois que defende o SUS e senta a pua no Governicho do PT(partido terminal)e irmao do PSDB em politicas publicas de Saúde protejendo os baroes dos planos de saúde e colocando seus ASSECLAS na ANS ou seja colocando o Bode pra tomar conta da HORTA e com discurso mentiroso e cafajeste de cuidar da saude do POVO

Responder

ricardo silveira

26 de julho de 2013 às 20h10

Saúde é um grande negócio e os caras ficam muito ricos, mas não há nenhum compromisso. Sempre foi assim, porque sempre foram eles que mandaram e, desalojá-los é muito difícil, eles têm o controle das instituições do estado e, principalmente da mídia. Mas isso parece que está mudando.

Responder

Marcos Coimbra: Dilma caiu, mas seus candidatos efetivos não subiram - Viomundo - O que você não vê na mídia

26 de julho de 2013 às 16h30

[…] Lígia Bahia e Mário Scheffer: Atuação frouxa e perniciosa da ANS […]

Responder

Regina Braga

26 de julho de 2013 às 15h39

ANS não existe é uma mera fachada…Um faz de conta.Faz de conta que fiscaliza,mas só serve para acobertar os planos de saúde.

Responder

Acássia

26 de julho de 2013 às 10h00

Isso se aplica ao menos a 30 instituições que deveriam fazer serviços de fiscalização – em muito maior grau do que aparece aqui. Foram discretos e medrosos com razão.

Responder

    Valente

    29 de julho de 2013 às 15h30

    Pow!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Yole

26 de julho de 2013 às 08h58

Parabéns. Concordo com os autores, de cabo a rabo

Responder

José X.

25 de julho de 2013 às 20h50

Isso aí pra mim mostra mais uma vez a imbecilidade do tal MPL.

Que tal lutar por uma “Saude Livre”, pra acabar com a privatização e a mercantilização da saúde ? Nessa campanha eu entraria com todo prazer.

Responder

J Souza

25 de julho de 2013 às 17h19

E nem falaram da autorizaçao de reajuste, acima da inflação, de até 9,04% para os planos de saúde. Ou seja, a ANS fomenta a inflação!
E os otários, digo, nós, o povo, pagamos!
Enquanto isso, para a Tabela do SUS, “rejuste” ZERO!
Viva a safadeza, digo, o neoliberalismo!
Viva o “livre” mercado!
Viva a “concorrência”…

Responder

Mardones

25 de julho de 2013 às 16h53

Todas as agências ‘reguladoras’ das concessões são presididas por ex ou futuros executivos das empresas que ‘deveriam’ fiscalizar e exigir serviços de acordo com uma lógica que não fosse a mera geração de lucros para os acionistas das empresas. No entanto, na prática, sempre ocorreu a obediência aos interesses das concessionárias, tanto durante os governos tucanos quanto nos governos petistas. E isso não deverá mudar, infelizmente. Por mais que o Lula e o PT minta sobre a esperança e os miseráveis que multiplicam os R$ 90,00. Isso para não falar nos infelizes que multiplicam os 5% do PIB destinados aos credores da dívida pública. Fora os aumento do nível de emprego, salário mínimo, programa minha casa, minha vida, a distribuição de bolsas família, para os miseráveis, e bolsa-tudo-o-mais para banqueiros, montadoras e concessionários de todo tipo, o PT é um PSDB fingido.

Responder

    Acássia

    26 de julho de 2013 às 10h01

    Não trabalhavam enquanto a coisa era estatal e depois ficaram tão eficientes!


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.