VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Juventude do PT paulista pede a expulsão do deputado Vaccarezza

03 de outubro de 2013 às 18h14

MAU ELEMENTO

Juventude do PT pede expulsão de Vaccarezza, ‘expoente máximo da desvirtuação’

Militantes querem Comissão de Ética para deputado que tem contrariado diretrizes do partido, entre elas a da reforma política

por João Paulo Soares, da Rede Brasil Atual, última modificação 03/10/2013 16:03

São Paulo – A Juventude do PT do Estado de São Paulo vai protocolar hoje (3), no Diretório Municipal da capital, um pedido de Comissão de Ética para expulsar do partido o deputado Cândido Vaccarezza. O documento já foi enviado por e-mail e também postado na página JPT em Debate do Facebook.

O pedido vem a público no dia em que Vaccarezza foi cercado por um grupo de índios que protestavam na Esplanada dos Ministérios e teve de abandonar seu carro para escapar da confusão.

Vaccarezza tem provocado descontentamentos na militância petista – e mesmo entre os dirigentes de sua corrente política interna – por posicionamentos que contrariam diretrizes partidárias e são considerados “conservadores” ou de “direita”.

Há três anos e meio, quando tentava viabilizar sua candidatura à presidência da Câmara junto a setores conservadores, Vaccarezza deu uma entrevista às páginas amarelas da revista Veja em que pregou a reforma da CLT e atacou direitos trabalhistas. A CUT e o PT reagiram. E a bancada escolheu outro nome para disputar (e vencer) aquela eleição.

Agora, o deputado bateu de frente com uma das principais bandeiras do PT desde a crise de 2005, a da reforma política.

Contra a vontade do partido e da própria bancada petista, Vaccarezza aceitou coordenar o Grupo de Reforma Política controlado pelo presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). As propostas desse grupo, encampadas e defendidas por Vaccarezza, passam bem longe daquelas que o PT definiu como prioritárias em reuniões, encontros, convenções e congressos ao longo de sua história – entre as quais o fim do financiamento privado de campanhas eleitorais e do voto uninominal para o parlamento.

O grupo de Vaccarezza também tem ignorado os apelos da presidenta Dilma Rousseff pela convocação de um plebiscito para decidir sobre o tema.

No documento da JPT-SP, escrito e votado durante uma reunião num assentamento agrícola, no fim de semana, a militância expressa repúdio por “alguns elementos” do PT que “se aliam aos setores conservadores da política para bombardear o projeto de reforma política construído no Partido dos Trabalhadores”.

Na sequência, diz que Vaccarezza é “o expoente máximo dessa desvirtuação”.

O texto diz ainda que a juventude petista vai exigir “atitudes coerentes das instâncias partidárias” e de seus parlamentares, no sentido de que “se mantenham na defesa de uma constituinte exclusiva e plebiscito para a implementação de uma verdadeira reforma política no Brasil”.

Leia a íntegra:

Moção de Repúdio

Com pedido de instauração de Comissão de Ética para expulsão do deputado Cândido Vaccarezza do PT.

Entre as diversas bandeiras defendidas por nosso partido, como reforma agrária, política de cotas e transferência direta de renda, temos também como prioritária a defesa da democracia e a ampliação desta. Neste sentido, julgamos que a reforma política nos modelos construídos pela militância partidária e pela população é objetivo central para avançar a democracia brasileira.

No entanto, alguns elementos do partido se aliam aos setores conservadores da política para bombardear o projeto de reforma política construído no Partido dos Trabalhadores. O expoente máximo desta desvirtuação do projeto petista de reforma política é o deputado federal Cândido Vaccarezza.

Reunidos na Comunidade Padre Josimo, na Agrovila Campinas, Assentamento Reunidas, no município de Promissão, reivindicamos a instalação de comissão de ética para expulsão do referido deputado dos quadros do Partido dos Trabalhadores, uma vez que este não nos representa, assim como exigiremos atitudes coerentes das instâncias partidárias.

Indicamos ainda, neste mesmo sentido, que nossos parlamentares se mantenham na defesa de uma constituinte exclusiva e plebiscito para a implementação de uma verdadeira reforma política no Brasil.

Promissão, 29 de setembro de 2013.

Juventude do Partido dos Trabalhadores do Estado de São Paulo

Apoie o VIOMUNDO

Crowdfunding

Veja como nos apoiar »

O lado sujo do futebol

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Entre os mais vendidos da VEJA, O Globo, Época e PublishNews. O Lado Sujo do Futebol é o retrato definitivo do que acontece além das quatro linhas. Um dos livros mais corajosos da história da literatura esportiva, revela informações contundentes sobre as negociatas que empestearam o futebol nos últimos anos. Mostra como João Havelange e Ricardo Teixeira desenvolveram um esquema mafioso de fraudes e conchavos, beneficiando a si e seus amigos. Fifa e CBF se tornaram um grande balcão de negócios, no qual são firmados acordos bilionários, que envolvem direitos de transmissão e materiais esportivos. Um grande jogo de bolas marcadas, cujo palco principal são as Copas do Mundo.

por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet.

Compre agora online e receba em sua casa!

 

90 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Dinha

07/10/2013 - 21h33

Até que enfim alguém no PT se mobilizou contra essa cobra.

Responder

Guilherme Leite Gonçalves: No Brasil, a direita poderá ir para a cadeia? - Viomundo - O que você não vê na mídia

07/10/2013 - 19h36

[…] Juventude do PT paulista pede a expulsão do deputado Vaccarezza […]

Responder

Eduardo

07/10/2013 - 10h40

O Fontana é serio, mas complacente quando classifica como ” impasse” do parlamento! É “vagabundagem” ” bandidagem”.As recentes posições do Eduardo Cunha são ” Berlusconistas” e o Michel Temer está comendo na mão dele.O PMDB de Cunha não é o mesmo de Temer. O Cunha veio para “Confundir”e se “Beneficiar”. Quer fogo no circo para ficar com a bilheteria!

Responder

nelc

06/10/2013 - 21h28

A Que serve esta JPT,os comentaristas continuam com o perfil troll, infiltrados, principalmente o Locateli. A Presidenta sabe o que faz!Não queiram diminuir a capacidade dela em comandar o seu Governo, ao futuro que o Brasil merece.

Responder

Elias

06/10/2013 - 14h07

Megafone 1: Quando um nome expressivo, como é o caso de Vaccarezza, “pisa no tomate” é constrangedor. E se a juventude pede sua expulsão, melhor é ouvir os jovens.

Megafone 2: Alguém do Partido dos Trabalhadores, de preferência a Dilma, pode fazer o favor de mandar o marqueteiro João Santana calar a boca? SANTA QUE PARIU! Salto alto não interessa a ninguém.

Responder

assalariado.

05/10/2013 - 16h46

No PT a casa grande, já é maior que a senzala. E faz tempo!

Meus pêsames!

Responder

Fabio Silva

05/10/2013 - 13h37

E se o vice de Padilha em São Paulo for mesmo um RURALISTA, será a primeira vez (e quiçá, daqui por diante) que não voto no PT.

Responder

    von Narr

    06/10/2013 - 00h23

    Mas é ruralista que apóia tomar terra dos índios? Que é contra a reforma agrária? Brizola era ruralista e cedeu metade das suas terras pros camponeses. Generalizar é complicado. Além disso, vice em geral não é nada. Ou você votou na Dilma porque o Temer é um excelente nome, progressista, companheiro estudioso da obra de G. Lukács e K. Korsch?

Eliezio

05/10/2013 - 13h10

Concordo planamente, si Vaccarezza.

Responder

FrancoAtirador

05/10/2013 - 10h37

.
.
Entrevista: Deputado Federal HENRIQUE FONTANA (PT-RS)

“Minirreforma eleitoral é prejuízo para política do país”

O impasse para a aprovação da minirreforma eleitoral na Câmara é a prova de que a presidenta Dilma Rousseff estava certa quando defendeu um plebiscito sobre o sistema eleitoral brasileiro, diz o deputado Henrique Fontana.

“Se em 15 anos o parlamento não saiu do impasse e o que ele apresenta como possibilidade de voto é exatamente uma antirreforma que mexe em meia dúzia de coisas cosméticas, nós só vamos sair do impasse quando a população for consultada”.

Para Fontana, a ameaça feita nesta quarta (2) pelo líder do PMDB, deputado Eduardo Cunha (RJ), de convocar a bancada a obstruir a votação do programa Mais Médicos, caso o PT continue impedindo a aprovação da minirreforma, “varia do inacreditável ao inaceitável”.

“Essa posição que o líder do PMDB expressou varia do inacreditável ao inaceitável, porque a minirreforma é uma assunto e o Mais Médicos é outro assunto.”
“Não há o que possa constranger o PT a exercer sua opinião política, até porque o PMDB também teve toda a liberdade de detonar o plebiscito que a presidenta Dilma queria fazer”, afirmou.

Por Najla Passos, na Carta Maior

Brasília – O impasse para a aprovação da minirreforma eleitoral na Câmara, que colocou PT e PMDB em campos opostos e ameaça até mesmo a viabilização do programa Mais Médicos, é a prova de que a presidenta Dilma Rousseff estava certa quando defendeu a realização de um plebiscito para que a sociedade brasileira possa decidir qual é o sistema eleitoral mais adequado para o país.

Quem afirma é o deputado Henrique Fontana (PT-RS), um dos maiores defensores de que, ao invés de uma minirreforma, o Congresso efetive, de fato, a reforma política estrutural pela qual a sociedade anseia.
“Se em 15 anos o parlamento não saiu do impasse e o que ele apresenta como possibilidade de voto é exatamente uma antirreforma que mexe em meia dúzia de coisas cosméticas, a presidenta Dilma estava certa: nós só vamos sair do impasse quando a população for consultada”, disse ele, em entrevista exclusiva à Carta Maior.

Para Fontana, a ameaça feita nesta quarta (2) pelo líder do PMDB, deputado Eduardo Cunha (RJ), de convocar a bancada a obstruir a votação do programa Mais Médicos, caso o PT continue impedindo a aprovação da minirreforma, “varia do inacreditável ao inaceitável”.

“Não há o que possa constranger o PT a exercer sua opinião política, até porque o PMDB também teve toda a liberdade de detonar o plebiscito que a presidenta Dilma queria fazer”, afirmou.

Carta Maior: Essa ameaça do PMDB de obstruir a votação do Mais Médicos para garantir a aprovação da minirreforma eleitoral pode afetar, de fato, a posição histórica do PT sobre o tema?
Henrique Fontana: Olha, eu considero que essa posição que o líder do PMDB expressou varia do inacreditável ao inaceitável, porque a minirreforma é uma assunto e o Mais Médicos é outro assunto. O PT tem uma visão de que a minirreforma é um prejuízo para a política do país, porque ela propõe um conjunto de mudanças que pioram a política do país. E ela também carrega o símbolo do anticlímax – e por isso eu a apelido de antirreforma – porque não muda nada do que precisa ser mudado na política brasileira.

CM: A alegação do PMDB é a de que ela baratearia as campanhas políticas…
HF: Essa frase usada pelo líder do PMDB na tribuna para justificar a minirreforma soa, inclusive, de maneira irônica. Não é verdade que ela vai baratear as campanhas eleitorais. Ao contrário, ela vai vender a ilusão do barateamento de campanha como outras minirreformas já fizeram porque, ao proibir um determinado tipo de campanha sem colocar um determinado teto de gastos para cada nível de eleição, você simplesmente só transfere os gastos eleitorais de um tipo de propaganda para outra.

Não é por nada que parte do PMDB, através do líder da bancada, tem uma posição pública e conhecida pela continuidade do financiamento de empresas às eleições. O Eduardo Cunha é defensor convicto disso, até porque ele é beneficiário dessa lógica política. Ele faz uma das campanhas mais caras do Brasil, recebe muito dinheiro empresarial em campanha. Eu não estou dizendo que isso seja ilegal, estou falando de dinheiro legal. Mas quando um pode fazer uma campanha dez vezes mais cara do que o outro candidato, este tem vantagem no processo eleitoral. E o líder do PMDB defende essa lógica.

CM: Esta é a grande diferença de concepção entre o PT e o PMDB sobre a minirreforma?
HF: A grande diferença entre a concepção do PT e a concepção hegemônica do PMDB, porque o líder da bancada defende esta posição, é que o PT defende o financiamento público de campanha ou, pelo menos, que seja proibido o financiamento de empresas, que haja o teto de RR$ 700 par contribuições de pessoas físicas, como propõe o Movimento Eleições Limpas, e que haja um teto geral de gastos. Isso, sim, é baratear campanha. Se um candidato tem muita facilidade de arrecadar dinheiro empresarial ou tem muito dinheiro próprio, mesmo que ele queira, não vai poder gastar R$ 6 milhões numa campanha para deputado federal, porque o teto será, por exemplo, R$ 800 mil. Então, ele vai ter que baixar, pela lei, sete ou outro vezes. E isso vai baratear a campanha.

Não há o que possa constranger o PT a exercer sua opinião política, até porque o PMDB também teve toda a liberdade de detonar o plebiscito que a presidenta Dilma queria fazer. O líder do PMDB não demorou 24 horas para se colocar em posição frontal contra a posição da presidenta, que queria chamar uma constituinte exclusiva ou fazer um plebiscito. Só o que falta é o líder do PMDB querer mandar na vontade política da bancada do PT. Quem elegeu a bancada do PT foram os eleitores que confiam na bancada do PT, no nosso conjunto de ideias.

O nível de desrespeito que ele [Eduardo Cunha] chega é extremo. Ele tem o direito de fazer o que quiser, regimentalmente. E até usou isso no discurso que fez ontem quando nós nos confrontamos no debate: “Se o PT quer obstruir a votação da minirreforma, nós também vamos obstruir a votação do Mais Médicos”. Eu espero que, se for o caso, ele obstrua uma votação porque ele é contra. Isso é outra coisa. Agora, se for uma simples chantagem para obrigar o PT a mudar de ideia sobre o sistema político do país, não dá. É óbvio que ele não vai conseguir fazer isso porque o PT tem uma posição unânime da executiva nacional contra a minirreforma. Não tem como.

CM: Não tem como, mas é sabido que o programa Mais Médicos é muito caro ao governo e também à maioria da população brasileira, que abraçou essa causa. Então, uma ameaça a este projeto coloca as coisas em um termo muito complicado, não?
HF: Eu tenho convicção de que o PMDB vai apoiar o programa Mais Médicos. Aliás, já está apoiando. O vice-presidente da República é um defensor do Mais Médicos. E eu imagino que a bancada do PMDB apoia as posições políticas que são tomadas no governo de comum acordo entre a presidenta e o vice. Eu estive em uma reunião com todos os líderes em que o Eduardo Cunha elogiou o programa. Temos que partir do pressuposto que nós estamos governando juntos o país. E em relação ao sistema político, do mesmo modo que o PMDB assumiu uma posição frontal contra o plebiscito ou contra a alteração do sistema de financiamento eleitoral, o PT tem todo o direito – mais do que o direito, o dever – de defender suas ideias. A nossa base social quer eleições mais baratas, quer retirar dinheiro empresarial. É uma diferença de concepção efetiva sobre o sistema político.

O Cunha tenta várias vezes fazer uma fala de que o relatório que eu apresentei [ sobre reforma eleitoral, em 2012] não foi votado porque eu não tive habilidade de negociar uma maioria. Não, não foi votado porque eu propunha uma mudança estrutural e substancial do sistema eleitoral, e um conjunto de bancada foi contrário a isso. Eu prefiro ver a sintonia que meu relatório tem com o da OBA, o da CNBB, da CUT, da Contag, do Movimento de Combate à Corrupção. A essência do projeto apresentado pelo Movimento Eleições Limpas [que reúne essas e outras entidades] tem muito a ver com a do que eu apresentei. Mas eu compreendo muito bem porque o Eduardo Cunha pensa diferente de mim e do PT: ele é um beneficiário deste modelo de campanha com financiamento empresarial caro.

CM: O ponto mais polêmico da minirreforma é o que autoriza as concessionárias públicas a doarem dinheiro para as campanhas. Isso não injeta mais recursos em relação à legislação atual?
HF: Na legislação atual, é proibido que concessionárias de serviços públicos financiem campanhas eleitorais. Infelizmente, muitas vezes a gente sabe que elas colocam recursos de caixa dois. Essa proposta vai totalmente na contramão daquilo que a sociedade está reivindicando. Tem pesquisas mostrando que 75% da população, quando perguntada se empresas devem financiar campanhas eleitorais, responde que não. Quer dizer, a maioria já compreendeu que o financiamento das empresas é canal de privilégios, corrupção e outras disposições que precisam ser mudadas. Esse ponto da proposta piora o sistema eleitoral, mas tem outras coisas piores.

CM: Como?
HF: A pior coisa do projeto é o que chamo desse anticlímax. Está-se esperando uma mudança estrutural, abre-se a pauta do legislativo para mudar algo, e isso não muda nada estrutural. É um desrespeito, inclusive, com a necessidade efetiva de mudanças que o país e a política brasileira precisam. E o pior, vai de medidas que eu chamo de “cosméticas” a outras piores. O limite de cabos eleitorais, por exemplo. No Rio Grande do Sul, para se ter uma ideia, o limite sugerido pelo projeto do senador Romero Jucá (PMDB-RR) é de 940 para cada candidato. O limitador é de 940 cabos eleitorais. Outra coisa que dizem deste projeto, e que eu acho que tem lógica, é que ele beneficia quem já é deputado, ou seja, vai dificultar ainda mais a renovação de quadros do legislativo.

CM: Com este parlamento, existe alguma forma da reforma política sair da gaveta?
HF: Eu acho que existem duas formas. A primeira é a votação o quanto antes do projeto que estabeleça o plebiscito. Se em 15 anos o parlamento não saiu do impasse, e o que ele apresenta como possibilidade de voto é exatamente uma antirreforma que mexe em meia dúzia de coisas cosméticas, a presidenta Dilma estava certa: nós só vamos sair do impasse quando a população for consultada. E não podemos ter medo de pergunta nenhuma. “O senhor concorda que empresas devem financiar campanhas eleitorais?” É sim ou não. Eu vou responder que não e acho que o não vai ganhar. Mas é justamente disso que o líder do PMDB tem medo. Ou, outro exemplo, o PSDB que diz que quer fazer a primeira pergunta sobre a reeleição. Pode fazer.

Vamos votar o decreto do plebiscito, e cada partido vai colocar as perguntas que quiser, as perguntas são votadas uma a uma. Vamos votar o decreto legislativo nos próximos 60 dias e chamar o plebiscito para abril do ano que vem. E aí nós podemos, inclusive, votar que a primeira pergunta do plebiscito seja se a população concorda que se eleja uma assembleia constituinte para fazer a reforma política.

O segundo caminho é o fortalecimento do projeto Eleições Limpas [de iniciativa popular]. Você lê o projeto Eleições Limpas e lê a minirreforma. Não vou dizer que tem zero, mas talvez tenha 1% de coincidência de contato entre as duas propostas.

(http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=22817)

Responder

pierre

04/10/2013 - 21h35

O Álvaro Dias é muito mais petista do que todos os parlamentares eleitos pela sigla do PT. É aquele velho ditado “falem mal, mas falem de mim. A turma do PT nem pra isso não serve. O Álvaro dias fala mal, mas coloca o PT todos os dias na mídia. Chegou a ora do pessoal que manda no PT criar vergonha na cara e correr com traidores.

Responder

Ronaldo Silva

04/10/2013 - 19h05

Aproveitem para cobrar uma atitude digna deste senado petista omisso.

Responder

leprechaun

04/10/2013 - 19h01

juventude do pt? isso é lenda

Responder

Urbano

04/10/2013 - 18h25

Nem deveria ter entrado. Mas nunca é tarde para se reparar o erro. É bom lembrar que há uma lista e tanto desse naipe. Só na comissão de frente elitizada…

Responder

Roberto Locatelli

04/10/2013 - 16h00

Sério que o Vacarezza é do PT? Puxa, eu jurava que ele é tucano…

Responder

Lelê Teles: Marina vai aceitar ser vice de Aécio?; Rede diz que a luta continua - Viomundo - O que você não vê na mídia

04/10/2013 - 15h33

[…] Juventude do PT paulista pede a expulsão do deputado Vaccarezza […]

Responder

MariaC

04/10/2013 - 13h53

O mundo requer definições. Em todos os países os partidos e os políticos estão tendo que se revelar novamente. Pois em todos, tinham-se escondido.

Responder

Sérgio Vianna

04/10/2013 - 12h55

Sou de Minas, mas acompanho a juventude petista paulista, que resolveu em boa hora retomar nossa história original, a de que o parlamentar praticante da política pessoal não deve permanecer no partido, uma instituição coletiva.

Pior ainda quando esse parlamentar ignora não apenas a tradição do partido, mas se coloca contra as decisões tomadas em fóruns coletivos do PT.

Fora Vacarezza e seus seguidores da direita reacionária, conservadora e hipócrita.

Responder

Rodrigo Barros

04/10/2013 - 12h29

Poderiam aproveitar e mandar o Tarso Genro aqui do RS junto com o Vacarezza.

Responder

    Julio Silveira

    04/10/2013 - 15h12

    Falou certo. Esse é mais um da turma do PT vaselina.

    trombeta

    04/10/2013 - 16h36

    Tarso é um dos melhores quadros do PT.

    Menos!

    Julio Silveira

    04/10/2013 - 19h45

    Depois de ver medico petista vereador batendo entrando batendo o ponto e logo a seguir saindo do trabalho, depois de ver vereador petista torcedor corintiano distribuindo numa briga de torcida organizada distribuindo porrada até nos PMs, que neste caso defendia as famílias presentes desses sim, bárbaros. Depois de ver o petista melhores quadros quando ministro da educação implantar para os outros o piso da categoria de professor e depois de eleito governador, se espernear até na justiça para não pagar. Então, veja bem, minha critica não é a sigla mas a pessoas que estão tornando a sigla mera sigla. Sabe por que? por que tem gente lá que acha esse tipo de gente os melhores quadros do partido.

    Julio Silveira

    04/10/2013 - 20h13

    Me desculpe por refazer a escrita da minha opinião achei muito muito inapropriado, mas não tenho copy desc, fazer o que.
    Depois de ver medico petista vereador entrando no trabalho publico batendo o ponto e logo a seguir saindo do trabalho, sem trabalhar. Depois de ver vereador petista, torcedor corintiano, distribuindo porrada numa briga de torcida organizada( esses sim, bárbaros), até nos PMs, que neste caso defendiam famílias presentes no estádio, inclusive com crianças. Depois de ver o petista, por ti considerado “melhores quadros” quando ministro da educação implantar, para os outros, o piso salarial nacional da categoria dos professores e depois, eleito governador, se espernear até na justiça para não pagar. Então, veja bem meu prezado, minha critica não para a sigla, mas para as pessoas que estão tornando a sigla uma mera sigla. Sabe por que? por ter gente lá que acha esse tipo de gente os melhores quadros do partido, gente não respeita a própria cidadania, como tantos, apenas a seus interesses.

    Ronaldo Silva

    07/10/2013 - 10h55

    Vc deixou de citar que na função de Ministro da Justiça foi um dos responsáveis pelo abafa da OPERAÇÃO SATIAGRAHA da Polícia Federal.

Fabio Silva

04/10/2013 - 12h00

E que leve Paulo Bernardo e Gleisi Hoffmann junto!

Responder

nelc

04/10/2013 - 11h45

Não dá para acreditar, que o JPT, é autor desse movimento. Com certeza os comentarista não tem simpatia pelo PT.

Responder

    Roberto Locatelli

    06/10/2013 - 08h38

    nelc, a maioria aqui é simpatizante do PT, sim. Mas isso não quer dizer que não haja críticas ao partido ou aos seus membros.

    Vaccarezza deu entrevista à Veja (órgão oficial do “grupo” de Cachoeira) pregando o fim de direitos e conquistas dos trabalhadores.

    Então, que ele vá procurar sua turma, que pensa como ele: Geraldo Alstom, Zé Siemens Serra, Aébrio Lista de Furnas Neves, Marina Itaú, Joaquim Apê-em-Miami Batman, etc.

RICARDO

04/10/2013 - 11h40

Lembra do flagrante da msg enviada de cel para o Sr Cabral….estamos juntos….uma parada asssim

Responder

Eduardo

04/10/2013 - 11h38

Vaccarezza faz há algum tempo o papel de “infiltrado”. Serve-se da politica e do PT. Resta saber qual Partido se interessa em acomodá-lo. Não é o caso de expulsar! É o caso de dar prazo até o dia 5/10/13, amanhã, para ele sair.

Responder

Flavio Lima

04/10/2013 - 11h23

Conheci o Vagarezza (boa essa!) nos anos 80, movimento estudantil, ele cabeludo, barbudo, e ja grisalho no sexto ano de medicina. Veio fazer internato em São Paulo, e frequentou por uns tempos o CA da Santa Casa. Seria bom levantar essa informação, mas pela carinha “madura” dele, estava no sexto ano ha uns bons anos, pra continuar no movimento estudantil. Nunca acrescentou nada a discussão nenhuma. Depois de anos vi o cara na Câmara Federal, surpresa.
Pra finalizar, apoio a expulsão dele. Sou petista ha 30 anos, não mais jovem, mas com esses jovens.
No fundo. vai ver que é mais um infiltrado.

Responder

    MAURILIO FELIX

    05/10/2013 - 23h07

    Seria bom também conhecer uns poucos flash’s da brilhante “estória” de vida política do “paulo hibernando cabral”. Na verdade seria bom termos alguns Curriculum’s Vitae de outros infiltrados, quem souber favor contar.

Julio Silveira

04/10/2013 - 11h01

Minha surpresa é saber que ainda existe juventude petista. Achei que o partido tinha envelhecido junto com seus dirigentes e petistas mais graúdos. Fico contente em saber que ainda tem sangue novo disposto a não aceitar a regra de que se tem de andar de acordo com a conjuntura nacional, conservadora imperial, opressora da maioria, e altamente capciosa para defender alguns interesses, exatamente os daqueles que lhes facilitam o “sucesso”. Antes tarde do que nunca.

Responder

    Vlad

    05/10/2013 - 22h42

    Sim…exato…são “jovens”…meio rodados… mas SIM, jovens. Afinal, como diria o estatuto da juventude, jovem é até surgirem cabelos brancos.
    E nenhum tem cargo em comissão no Senado (ops…era segredo) nem em outra parte da vaca leiteira. São idealistas puros!!!

    Expulsar o Vaccarezza é bom, desde que seja expulso do sistema solar, não apenas do PT.
    Pra continuar ferrando a Nação lá da base aliada, tipo PMDB, PP ou PROS, é perda de tempo.

Roberta Ragi

04/10/2013 - 11h01

O que seria do PT de hoje se passasse, efetivamente, por uma limpeza séria?… Se fossem embora os que fazem política inspirados no conservadorismo da direita, sobraria muita coisa no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto? E a Dilma, ocupada em leiloar/privatizar a maior reserva de petróleo do planeta? Iria pra onde? E os PSDBistas enrustidos da SECOM?

Ah… Esqueci… Tem a tal da governabilidade… E o pleito eleitoral de 2014…

Responder

    Museusp Batista

    04/10/2013 - 18h46

    Governo é Governo! Não pode ignorar a conjuntura de forças que condicionam o seu movimento. Política é política. Pode e deve perseguir utopias com os pés na realidade. Partido é Partido! Tem que ter coerência com suas bandeiras e extirpar traíras e “quinta coluna” como Zé Cardozo e Bernardo.

    Scan

    05/10/2013 - 14h17

    Incrível a quantidade de pessoas que não compreende isso…

Jose Mario HRP

04/10/2013 - 10h55

Vejam isso aqui :

Xeque – Marcelo Bancalero

Olha só como é o destino…
Postamos aqui sobre a possibilidade disso acontecer numa provável denúncia do Wikeleaks…
Ai como disseram que era mentira deixamos quietos…

Mas hoje já não sei se era mentira…

Em menos de 10 dias duas panes no helicóptero da Dilma?
Leia,

Helicóptero usado por Dilma sofre pane e obriga presidente a ir de carro
Presidente utilizaria a aeronave, que não chegou a decolar, para se deslocar do Palácio da Alvorada à Base Aérea

A Força Aérea Brasileira (FAB) informou, em nota divulgada à imprensa, que o helicóptero colocado à disposição da presidente Dilma Rousseff teve um “problema no motor de partida” na manhã desta quarta-feira, 2. A presidente utilizaria o helicóptero para se deslocar à Base Aérea de Brasília, mas acabou fazendo o trajeto de carro oficial.
“Por volta das 8:00 da manhã de hoje, 2 de outubro, a aeronave H-34 (Super Puma), que realizaria o transporte da comitiva presidencial do Palácio da Alvorada para a Base Aérea de Brasília, apresentou um problema no motor de partida durante o acionamento de um dos motores”, informou a FAB, em nota.
De acordo com a FAB, a aeronave não chegou a decolar e “não houve qualquer risco à segurança dos ocupantes do H-34, que já se encontra novamente em operação, após ter passado pela devida manutenção”.
Dilma viajou nesta quarta-feira ao Rio Grande do Norte para participar da cerimônia de formatura de 4.500 alunos do Pronatec e de inauguração de novas instalações do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN).
O Grupo de Transportes Especiais da Aeronáutica dispõe de duas aeronaves VH-34 (Super Puma) e duas VH-35 (EC135). Na semana passada, houve um problema na bateria de um dos helicópteros que transportou a presidente Dilma Rousseff da Base Aérea de Brasília ao Palácio da Alvorada. A FAB não soube informar se os dois episódios envolvem a mesma aeronave.
http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2013-10-02/helicoptero-usado-por-dilma-sofre-pane-e-obriga-presidente-a-ir-de-carro.html

BOMBA! Wikileaks vaza conspiração militar que visa tomar a presidência do Brasil
“Nos foi repassado o plano de Golpe de Estado mais sofisticado da história do Brasil. Sem armas e sem exército nas ruas! Se o gigante realmente acordou é necessário que lave logo o rosto.”

Muito se comenta que as manifestações ocorridas nos últimos dias podem rumar numa direção de violência sem controle. A tendência é que a situação se agrave até que o cenário político torne-se insustentável e sobrevenha um golpe militar com o pretexto de recolocar a nação em ordem. Aparentemente, a conjuntura descrita não passava de mera paranoia coletiva que, para a surpresa geral, acaba de ser tornar real e efetiva. Uma lei aprovada de última hora sobre morte e vacância do presidente e a fundação relâmpago do PMB (Partido Militar brasileiro), já davam certos sinais de um clima conspiratório rondando o país. Um whistleblower brasileiro, que ainda não se assumiu publicamente, vazou ao Wikileaks, organização internacional que dá publicidade a documentos extraoficiais, um arquivo de áudio que expõe a descoberta de uma conspiração militar reacionária de Direita que visa tomar o poder no Brasil. O áudio, ainda sendo descriptografado pela equipe de Julian Assange, detalha passo a passo a ação. Os interlocutores do diálogo conspiratório ainda não foram identificados. “Forjarão a necessidade de uma reunião emergencial entre as principais lideranças brasileiras. Alguns deles irão em conjunto num helicóptero rumo a um destino não revelado. Dentro da aeronave estarão Dilma, a presidente, Temer, o vice, Henrique Eduardo Alves, presidente da Câmara dos Deputados e Renan Calheiros, atual presidente do Senado. Este helicóptero sofrerá falhas mecânicas, caindo no oceano e levando a óbito todos os passageiros. Uma vez que é o atual presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa assumiria compulsoriamente a Presidência da República. Barbosa está em processo de filiação ao PMB, Partido Militar Brasileiro, que acaba de nascer! O Brasil está diante de um dos golpes mais sofisticados da história dado que nenhum tiro precisará ser disparado e nenhum soldado sequer precisará ir às ruas. Não será necessário nem mesmo acionar a lei da vacância, que curiosamente acaba de ser suscitada”, afirmou Julian Assange, direto da embaixada do Equador em Londres.

http://www.diariopernambucano.com.br/noticias/bomba-wikileaks-vaza-conspiracao-militar-que-visa-tomar-a-presidencia-do-brasil/
http://xeque-mate-noticias.blogspot.com.br/2013/10/helicoptero-de-dilma-da-pane-wikileaks.html
Postado há 13 hours ago por Blog Justiceira de Esquerda

Responder

    Museusp Batista

    04/10/2013 - 18h59

    Só falta a lógica porque não há necessidade dessa operação toda para matar tanta gente que dá na vista. Bastaria “adoecer” a nossa Presidenta que é muito mais fácil! Sobrariam Michel Temer, Henrique Eduardo Alves que estariam perfeitamente alinhados ao Joaquim e ao PMB ou qualquer outra força que lhes oferecesse alguma vantagem! Ou seja, é melhor redefinir as estratégias de campanha e reforçar a segurança da Presidenta.

    Bonifa

    04/10/2013 - 19h53

    Com um helicóptero ao mar, e com ajuda de uma bomba sob a cadeira de um dos passageiros, já se matou dois grandes brasileiros nacionalistas: Ulisses Guimarães e Severo Gomes.

    Bonifa

    04/10/2013 - 19h35

    Este é o tipo da notícia que merece toda a atenção e o máximo de investigação possível. E prudência para analisar e aguardar mais esclarecimentos. Este plano de golpe (sim, porque há outros, há pelo menos três ou quatro planos de golpe permanentemente em execução no país) merece atenção especial, já que envolve muita colaboração externa. E nele Barbosa é a figura central. Barbosa foi o único nome citado pelo WikiLeaks, afora os nomes dos líderes brasileiros que seriam assassinados. Se Barbosa é a figura central deste plano que agora é denunciado mundialmente pelo WikiLeaks, então há motivos para crer que Barbosa estaria sendo preparado para o golpe desde há muito tempo. Primeiro, foi sua eleição em abril deste ano de 2013 como uma das pessoas mais influentes do mundo, pela revista Time dos EUA, por “simbolizar a promessa de um novo Brasil”. Junto a ele, foi eleito também o mestre cozinheiro Alex Atala. Esta premiação causou espécie. É óbvio que nenhum dos dois mereciam esta distinção de estar entre as cem personalidades mais influentes, com todo o respeito ao grande mestre Atala. Depois deste episódio, Barbosa é chamado (ou convocado?)a Yale, a universidade mais fechada dos EUA, para uma reunião ou uma série de reuniões secretas, a portas fechadas, onde a imprensa não foi admitida e onde uma jornalista brasileira foi presa por bisbilhotar. O que fizeram com Barbosa dentro daquela universidade? Quem estava lá? Depois deste episódio, a revista Economist, da Inglaterra, a qual vem sistematicamente lançando mísseis poderosos contra o Brasil, vai promover no próprio território brasileiro um evento, um seminário marcante, também com Barbosa como figura central, e também inexplicavelmente ao lado do mestre Alex Atala. Poderiam pelo menos ter mudado de mestre, ou chamado alguém da área musical/ambiental. Por último, Barbosa, que sempre foi de falar e querer holofotes, ultimamente tem ficado calado, o que também dá o que pensar. A pergunta é: Se o Brasil se colocou entre os maiores do mundo, será que tem condições de manter sua posição? Ou vai ser ingênuo o suficiente para achar que, se puderem, as potências hegemônicas, em nome do mais puro interesse econômico, não o derrubam apenas com um simples plano bem urdido e muita propaganda nas redes sociais? A Índia, outro gigante como o Brasil, já foi ao espaço, tem armas nucleares e se equipa dia a dia com o que há de mais moderno no ar, no mar, em terra, em guerra eletrônica e de informação, em termos de defesa. O Brasil vai continuar sendo um enorme peru gordo e indefeso? Cheio de orgulho e crença na bondade do gênero humano? É um prato cheio para qualquer conspiração de alguns desentranhados donos do mundo.

Fabio

04/10/2013 - 10h44

Seria bom juntar o Min Cardozo e expulsá-lo também e claro não esquecendo o Paulo Bernardo, outro traíra.

Responder

AlvaroTadeu

04/10/2013 - 10h14

O partido precisa de uma limpeza. Vamos começar pelo vagareza. Em vez de expulsá-lo, o Partido deve dizer-lhe que está livre para procurar um outro partido que seja a sua (dele) cara. Que vá para o PPS fazer companhia ao Roberto Freire. Quero ver a reeleição de Freire no ano que vem. No ano que vem termina o mandato do Suplicy, que deu apoio ao ex-símbolo moral do parlamento brasileiro, um tal de Demóstenes Torres de quem ninguém se lembra mais e a imprensa golpista já esqueceu. Suplicy já supliciou o partido o suficiente com sua postura prototucana. Que fique na paz.

Responder

Claudio Freire

04/10/2013 - 09h21

Concordo totalmente com a JPT.

Responder

trombeta

04/10/2013 - 08h46

É difícil entender porque um sujeito conservador quer fazer carreira política pela esquerda.

Vaccarezza faça um favor a você mesmo e ao partido vá embora!

Responder

Bonifa

04/10/2013 - 08h41

Até que enfim um sinal de vida emerge de dentro do PT. Que não se deixe esta chamar apagar. O partido precisa de alento, de vitalidade com o poder da juventude. Vacarezza de há muito não é mais um petista, se é que algum dia o foi.

Responder

Romanelli

04/10/2013 - 08h30

pois é, se assim, ele vai ter que ligar pro seu amigo Cabral ..ou mandar um SMS

Aliás, estatísticas mostraram que o “Ruim Faltão”, presidente do PT, é o deputado que MAIS faltou

e pra este, nenhuma palavra ou cobrança por mais empenho e dedicação ?

Responder

Tiao

04/10/2013 - 07h50

Este é tranqueira,nunca foi petista,nunca me representou.Tem que sair já e levar com ele um monte que está lá atrapalhando e denegrindo o nome do
partido. Precisamos fazer uma limpeza e voltar às nossas origens.

Responder

Karl

04/10/2013 - 07h28

Essa é a JUVENTUDE QUE NOS ORGULHA.
Só eles para DEFENESTRAREM ESSES DIREITISTAS CAPITALISTAS MIDIATICOS, sem vergonha, vacarezas/suplicis-yoani sanches/paulos bernardos/delcidios amorais/zés cardosos e mais alguns.
ELES NÃO FAZEM FALTA A NINGUÉM. Ao contrário, SÓ AFUNDAM O PT JUNTO COM ESSE ESGOTO FÉTIDO DA DIREITA.
Nossa Pátria, nossa sociedade, estará MUITO MELHOR NAS MÃOS DESSA JUVENTUDE DO PT E NAS MÃOS, dentre outros, DA U.J.S..
PARABÉNS!

Responder

Jose Mario HRP

04/10/2013 - 07h09

OFF TO`PIC, mas muito triste!
FORA JOAQUIM!!!!

Barbosa pede que mulher de repórter deixe cargo no STF
Presidente do Supremo diz a Lewandowski que permanência de servidora casada com jornalista do ‘Estado’ no gabinete é ‘antiética’
03 de outubro de 2013 | 2h 03
Notícia
Email Print A+ A-
Assine a Newsletter

O Estado de S.Paulo
BRASÍLIA – O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, encaminhou ofício ao vice-presidente da Corte, Ricardo Lewandowski, pedindo que este reconsiderasse a decisão de manter em seu gabinete uma servidora que atua no tribunal desde o ano 2000.

Veja também:
link Magistrado diz que não vai mandar novo ofício

Adriana Leineker Costa é funcionária efetiva do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e está cedida ao STF. Ela é mulher do jornalista Felipe Recondo, repórter do Estado, que cobre poder Judiciário. Lewandowski disse que não vai reconsiderar a decisão de manter a servidora.

No ofício, o presidente do STF afirma que a manutenção de Adriana seria “antiética” pela relação dela com o jornalista. O ofício não cita o repórter do Estado, tratando-o como “jornalista-setorista de um grande veículo de comunicação”. Sustenta que a permanência da funcionária poderia “gerar desequilíbrio” na relação entre jornalistas que cobrem a Corte.

“Reputo antiética sua permanência em cargo de comissão junto a gabinete de um dos ministros da Casa, além de constituir situação apta a gerar desequilíbrio na relação entre jornalistas encarregados de cobrir nossa rotina de trabalho”, diz Barbosa. “Estando a servidora lotada no gabinete de Vossa Excelência, agradeceria o obséquio de suas considerações a respeito”, complementa.

Felipe Recondo venceu o prêmio Esso de Jornalismo de 2012, na categoria Regional Sudeste, com uma série de reportagens em parceria com Fausto Macedo intitulada “Farra Salarial no Judiciário”. Atua no Estado desde 2007, fazendo a cobertura do Judiciário. Trabalhou na cobertura do julgamento do processo do mensalão.

Em março deste ano, Barbosa o chamou de “palhaço” e o mandou “chafurdar no lixo”. A agressão ocorreu após o Estado requerer, via Lei de Acesso à Informação, dados sobre despesas com recursos públicos de ministros da Corte com passagens aéreas, reformas de apartamentos funcionais, gastos com saúde, entre outras. Na ocasião, o presidente pediu desculpas pelo episódio e o atribuiu ao cansaço e a fortes dores na coluna após uma sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Formada em Direito pelo Centro Universitário de Brasília, Adriana atua no STF desde 2000, quando foi aprovada em concurso de nível médio. Em 2011 foi aprovada em concurso de nível superior do TJ-DF e cedida para continuar trabalhando no STF. A cessão vence neste ano e um ofício do vice-presidente ao TJ-DF pedindo a renovação motivou a reação de Barbosa. Adriana atuou no gabinete de Carlos Velloso até 2006, quando este se aposentou, passando, então, a trabalhar com Lewandowski.

Em resposta ao Estado, por meio de sua assessoria, Lewandowski afirmou não ter sido registrado ao longo dos anos de atuação da servidora nenhum episódio relativo a sua relação com o jornalista que tenha interferido no trabalho. Disse que vai manter a servidora em seu gabinete e que não vê motivo justificável para o ofício do presidente da Corte.

Responder

    Bonifa

    05/10/2013 - 04h51

    Com este tipo de birra pessoal, Barbosa, realmente, não ajuda. Acabará por deixar de figurar em listas de golpistas nacionais e internacionais, fakes ou verdadeiras. Aliás, essa briga de Barbosa com o Estadão é um verdadeiro duelo de titãs.

Bene

04/10/2013 - 05h49

Fora a banda podre…. Parabéns a juventude petista

Responder

Dan

04/10/2013 - 02h18

100% do mal! Defende as sementes Terminator, a soldo do agronegócio. Que alguém possa se apiedar de sua alma.

Responder

Ednivio Dias Simões

04/10/2013 - 02h10

Concordo plenamente com a jpt!!!!

Responder

von Narr

04/10/2013 - 00h51

O Vacarezza tem prestado um serviço inestimável aos latifundiários e ao PIG. As cenas dele peitando os índios, anunciando que agora tem antipatia pela causa estão aí pra o regojizo da direita. Se não houver quorum pra expulsar, que haja pelo menos uma suspensão e reprovação pública. Ele pode aproveitar e mudar pro PSDB alegando que fez uma escolha ética contra a corrupção, etc que ganhará todo o espaço com que sonha.

Responder

    Antonio Bento

    04/10/2013 - 04h03

    Lembram do Almir Pazzianoto, o Vacarezza está fazendo a mesma coisa, não serve o partido, serve-se dele.

FrancoAtirador

04/10/2013 - 00h36

.
.
“O deputado Domingos Dutra (PT-MA), que iria se filiar à Rede,
disse que agora irá aderir ao Partido Solidariedade,
recém criado pelo deputado Paulinho da Força Sindical”

Aproveita a onda do oportunismo e te ‘arretira’ Cavvallezza!

Ah, e não esquece de levar a cambada de X9 infiltrada!
.
.

Responder

    Bonifa

    04/10/2013 - 08h47

    Domingos Dutra foi um rapaz bem intencionado. Perdeu-se quando mergulhou no detalhe e perdeu de vista o geral, quando passou a personalizar demasiado a luta política, de resto um defeito de quase todos os políticos maranhenses, sejam de que ideologia forem.

Scan

04/10/2013 - 00h03

Só o Vaccarezza?
Podiam também defenestrar o pusilânime Rui Falcão e monte de lixo conhecido como Suplicy.

Responder

    José Ricardo Romero

    04/10/2013 - 04h32

    Você se esqueceu do Delcídio Amaral, Argh!

    Maria Thereza

    04/10/2013 - 11h05

    Aproveitando a onda de “novos” partidos, podiam consultar suas alminhas e ver onde se encaixam melhor com seu pendor para direita Já vão tarde (espero que sejam alguns a se abrigar sob novas asas e bicos)

Bacellar

03/10/2013 - 23h49

A questão é: O quanto os vaselinas do PT, como o dito cujo, sustentam a governabilidade?

Responder

    Bonifa

    04/10/2013 - 08h53

    Pela governabilidade, é bem melhor fazer uma aliança com um partido de vacarezzas que tê-los dentro do próprio partido. A relação será respeitosa e o divórcio, se houver, será amigável. Bem melhor que comprometer internamente a força e a unidade dos princípios.

    Bacellar

    04/10/2013 - 18h25

    apenas pontuei uma pergunta sem indicar nenhuma resposta justamente pq me faltam subsídios para responde-la corretamente. Só estando lá nos bastidores para entender a força de certas figuras.

    Scan

    06/10/2013 - 23h21

    Perfeito, Bonifa.

josias

03/10/2013 - 23h35

demorô…

Responder

Alves Reis

03/10/2013 - 23h26

Esse Vagarezza(divagar mesmo)tem que ir pro Dudu Campriles.

Responder

Rodrigo Leme

03/10/2013 - 23h25

Se for tirar os conservadores e de direita do PT não sobra um do primeiro escalão, rs.

Responder

    Mardones

    04/10/2013 - 08h19

    Concordo em parte. A corrente dominante no PT é de tendência conservadora. Não sei se atinge a todos.

    von Narr

    04/10/2013 - 09h44

    Opa! Mais um novo eleitor do PT?

    Marcilio Serrano

    04/10/2013 - 15h41

    Andastes sumido…apareceu a Margarida….

    Sobre o Matarazzo nenhuma palavra?????

V IÇOSO

03/10/2013 - 22h50

Paulatinamente, o PT começa seu processo de decantação e depuração em suas hostes. Até que enfim!!!

Responder

Marta Lys

03/10/2013 - 22h48

Eu, um velho, também assino, junto com a juventude do PT
Tenho 60 anos, não sou mais nenhum jovem, rs,rs,rs,rs
Sou fundadora do PT.
Estou “P” com esses boçais que acham que irão se dar bem abrindo as pernas para a direita em nome da “governabilidade”.
Ainda mais com essa mentira chamada PED que irá eleger para a direção os MESMOS, como Cândido Vaccarezza.
Meu bisavô era comunista, meu avô e meu pai também.
Sou petista há 30 anos!
Até quando teremos que aceitar esses dirigentes que rasgam as resoluções do partido?
Em Minas tem um boçal mentiroso!
Um covarde, cagão, como candidato a presidente.
Odair Cunha,(o cagão da Veja – hilário — kkkkkkkk )
Candidato a presidente, que publicou uma carta em 2008, jogando no lixo todas as resoluções do partido em defesa das mulheres.
Será que o covarde da Veja, da CPI de Cachoeira, irá negar o que publicou contra as mulheres do PT, as mulheres de Minas e do Brasil?
Fico no partido, para combater esses boçais! Eles não representam Dilma.

Responder

    Bonifa

    04/10/2013 - 09h00

    Os exemplo de morte ou fragilização de partidos progressistas por infecção de direita acentuada e não programática, estão aí e o melhor exemplo é o PSB. Ainda há tempo de recuperar, renovar e reforçar o PT, antes que se torne um deles.

Luiz

03/10/2013 - 22h06

Vacca rezza e vá pastar no brejo.

Responder

nadja

03/10/2013 - 20h53

Se não está cumprindo as diretrizes do partido, tem que dá explicações e se não puder sai. Está certo a atitude dos jovens.

Responder

renato

03/10/2013 - 20h29

Acho bom escutar a rapaziada e a moçada, e a moçadinha!
Senão não tem mais passeata…

Responder

oziel f. albuquerque

03/10/2013 - 20h17

Esse deputado Vaccarezza é a decepção do PT. Mesmo porque, a reforma politica que ele está defendendo, é a mesma que a direita tem defendido

Responder

Andrea S

03/10/2013 - 19h57

Muito boa essa atitude…. Essa gurizada está de parabéns!!! Vai pro PPS ou qualquer outro P.. mas deveria levar junto o Zé da (IN)justiça.

Responder

demetrius

03/10/2013 - 19h42

Gordo, parrudo, como um boi de estimação do agronegócio.

Responder

Rodrigo

03/10/2013 - 19h31

Acho que a juventude do PT está coberta de razão. Fora Vacareza!

Responder

mineiro

03/10/2013 - 19h13

mas so agora começaram a se manifestar , todos nos vem chamando o pt de corrupto e tucano desde que a pres.dilma entrou no poder. inclusive eu , quando eu chamo e pt de tucano é exatamente essa parte podre que so agora começaram a se manifestar. nao é a historia do pt e do proprio pt em si que pelo menos eu venho criticando a muito tempo , é essa banda podre corrupta , elitizada e traidora que queremos fora do pt. e pelo amor de deus nao é so esse traste , inutil e traidor do vaccarezza nao , fala para todo mundo ouvir quem é a corrente golpista instalada dentro do pt. da nomes aos bois, nos queremos saber quem é os outros porque esse vaccarezza é só um dos tantos calhordas que tem dentro do pt que vem vendendo o pais a muito tempo. entao quem souber fala um por um dos vendedores de patria. alguns ja sabemos , como o mercador mercadante, o ze cardoso , o hibernardo , o suplicio . e agora falta o resto.

Responder

Mário SF Alves

03/10/2013 - 19h07

Oh! Tão cândido. Tão cândido, coitado.

Tá. Vamo expulsar essa coisa, mas… e aí? E se ele for dar bandeira no PSDB, por exemplo? Imagine-se o quanto um sujeito desse conhece de estratégias do PT.
__________________________
Se bem que… a essas alturas do campeonato, tudo o que podia ser vazado ele já vazou.
________________________________
Então… vaaaza, Vaccareza! #Vaza Vaccareza!

Responder

Márcia

03/10/2013 - 19h03

Não foi ele que disse para o Cabral: “você é nosso e nós somos teu”? Talvez estivesse mesmo em melhor companhia no PMDB.

Responder

Sergio A B

03/10/2013 - 18h49

Aleluia, aleluia. Há uma luz no fim deste tunel. E como sempre é dos jovens que nos vem a salvação. Parabéns,parabéns, não desistam e nem se contetem com migalhas.

Responder

Regina Braga

03/10/2013 - 18h47

Caiu a ficha do PT…graças a Deus!O lento e repetitivo vai para o solidariedade com o Paulinho.Deus existe e a reforma política precisa sair!

Responder

Malvina Cruela

03/10/2013 - 18h47

Pena que não consigo mais achar graça nos brasileiros que muito já me divertiram com suas distinções do tipo progressistas e conservadores (sabe-se lá o que querem progredir ou conservar)…mas o grotesco e ridículo que são a essência de sua alma só faz se acentuar..

Responder

Gerson Carneiro

03/10/2013 - 18h38

Por muito menos forçaram a saída da Luiza Erundina.

Responder

    MariaC

    04/10/2013 - 13h54

    Eram outros tempos….

Eunice

03/10/2013 - 18h28

Muito bom!

Responder

Deixe uma resposta