VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

John Pilger: Guerra contra a Democracia


19/04/2013 - 09h47

Leia também:

John Pilger: A perseguição a Assange é um insulto ao jornalismo

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



11 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

FrancoAtirador

23 de abril de 2013 às 02h48

.
.
O PIÑERA PARAGUAIO
.
.
A mídia e o mafioso eleito no Paraguai

Por Altamiro Borges, Blog do Miro, via Blog do Saraiva

O bilionário Horácio Cartes é o novo presidente do Paraguai.
A vitória do candidato do Partido Colorado foi anunciada no final da noite deste domingo (21) pelo ministro do Tribunal Superior de Justiça Eleitoral, Alberto Zambonini, quando mais de 80% dos votos já estavam apurados.
O empresário liderava com 46% dos votos, seguindo pelo postulante do Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA), Efrain Alegre, com 37% das preferências.
A eleição de Horácio Cartes cria constrangimentos para a mídia colonizada do Brasil, que apoiou o golpe contra o ex-presidente Fernando Lugo e agora precisará conviver com um notório mafioso.

Horácio Cartes é dono de um conglomerado de 26 empresas – a maioria delas no ramo de cigarros –, e presidente do clube de futebol Libertad (atual campeão paraguaio).
Um dos homens mais ricos do país, ele é acusado de ligações com o narcotráfico, contrabando e lavagem de dinheiro. Com a surpreendente vitória de Fernando Lugo em 2008, que colocou fim a 60 anos de hegemonia dos colorados, o empresário ganhou influência no partido em crise graças a sua fortuna.
Ele passou a ser o principal financiador da legenda.

No final dos anos 1980, Horácio Cartes chegou a ser preso por crimes financeiros.
Ele foi acusado de ter obtido dólares por um preço preferencial do Banco Central paraguaio para vendê-los na cotação paralela.
O mafioso também foi alvo de um processo aberto pela Justiça brasileira por remessa ilegal de divisas, envolvendo o Banco Amambay, de sua família. Em 2004, a CPI da Pirataria mencionou o mafioso como contrabandista de cigarros para o Brasil através da empresa Tabesa.

Telegrama vazado pelo WikiLeaks, em 2010, revelou que Horácio Cartes integra um rede internacional de narcotráfico e lavagem de dinheiro.

O mafioso vive cercado por seguranças e alimenta um misto de medo e fidelidade entre os seus subordinados.

Segundo o ex-presidente Fernando Lugo, ele foi um dos principais mentores do golpe do ano passado.
Na sua campanha para presidente, Horácio Cartes contou com o apoio dos latifundiários, de ricos empresários e de parte expressiva da mídia venal do Paraguai.

(http://saraiva13.blogspot.com.br/2013/04/a-midia-e-o-mafioso-eleito-no-paraguai.html)

Responder

Alípio Freire: Um golpe contra o Brasil - Viomundo - O que você não vê na mídia

20 de abril de 2013 às 18h28

[…] John Pilger: Guerra contra a democracia […]

Responder

Nelson

19 de abril de 2013 às 23h50

Magnífico documentário.

Responder

FrancoAtirador

19 de abril de 2013 às 23h38 Responder

Urbano

19 de abril de 2013 às 17h36

O John Pilger é muito bom, muito bom mesmo… um jornalista de primeira grandeza. Certo nazifascista quase que tinha um treco, diante de suas perguntas e argumentações…

Responder

rodrigo

19 de abril de 2013 às 16h52

E pra quem gosta de teorias “conspiratórias” (segundo lá os gringos), basta misturar o Francisco Franco (só pra não falar do Balaguer), a CIA, as ratlines, a escola das américas e vamos ter o que foi o governo Pinochet de cabo a rabo. E com um plus pra quem se interessar e procurar a respeito de quem foi Walter Rauff e o que foi a “colonia dignidad”.

Responder

    rodrigo

    19 de abril de 2013 às 17h07

    P.S. – Pra entender a fundo o “War on Democracy” é bom assistir o “My Enemy’s Enemy”.

FrancoAtirador

19 de abril de 2013 às 15h02

.
.
“Bolívar acreditava que a Liberdade só chegaria
quando o Povo se unisse contra todos os invasores.

Hoje, os Povos Latino-Americanos estão de novo em pé
contra um Império construído por um Capitalismo Raivoso
conhecido como “O Consenso de Washington.

Em todos os países têm havido privatizações,
pondo à venda os seus recursos naturais
para as companhias estrangeiras.

Na Venezuela disseram: – CHEGA!”

(John Pilger)
.
.

Responder

    Mário SF Alves

    21 de abril de 2013 às 16h59

    E estão de olho [e garras afiadíssimas] até na água. “Poucos devem ter ouvido falar da cidade de Cochabamba localizada no centro da Bolívia. Ela, porém, foi protagonista em 2000 de um momento histório onde a população inteira da cidade se uniu contra uma grande multinacional e o próprio governo, e foi às ruas lutar pelos seus direitos através da “guerra da água”. Fonte:http://gotasdeciencias.blogspot.com.br/2011/07/privatizacao-da-agua-da-chuva.html
    ___________________

    Afinal, sem água não existiria a vida. Quer recurso mais estratégico do que esse?
    __________________________
    E la nave va…

priscila maria presotto

19 de abril de 2013 às 11h37

Assisti por duas vezes este documentário,é ótimo e fiquei com engulhos ao ver a postura da Cia.É necessário assistir ao documentário completo ,pois ele mostra os golpes contra a América Latina……Ótimo resgate ,abs

Responder

A revolução bolchevique na Venezuela e os "oprimidos" caprilistas - Viomundo - O que você não vê na mídia

19 de abril de 2013 às 10h39

[…] John Pilger: Guerra contra a Democracia […]

Responder

Deixe uma resposta