VIOMUNDO

Diário da Resistência


Boulos: TV que interrompeu programação para mostrar patos na Paulista quase não deu cobertura ao Levante das Mulheres
Fotos Mídia Ninja e redes sociais
Denúncias Falatório

Boulos: TV que interrompeu programação para mostrar patos na Paulista quase não deu cobertura ao Levante das Mulheres


30/09/2018 - 13h04

Em 2016, a TV interrompeu jogo de futebol para mostrar os manifestantes de verde e amarelo na Paulista. Ontem, teve até reprises, mas quase não teve cobertura dos atos gigantes do #EleNão. Democratizar a comunicação é enfrentar esse tipo de partidarização da mídia brasileira. Guilherme Boulos, candidato do Psol ao Planalto, no twitter

Da Redação

O Levante das Mulheres brasileiras foi organizado numa página do Facebook, com mais de dois milhões de integrantes.

Sem flashes na programação da TV Globo — que em 2016, a título de noticiar, promovia os encontros da “família brasileira” em Copacabana e na avenida Paulista –, elas conseguiram arrastar multidões em dezenas de cidades brasileiras e do mundo (veja um resumo de imagens no vídeo acima).

Foi a reconquista das ruas por uma pauta progressista e multipartidária — em defesa da democracia, contra o feminicídio, o machismo, a misoginia, a violência e a tortura incorporadas à candidatura neofascista de Jair Bolsonaro.

Foi a maior manifestação da história do feminismo brasileiro, com o potencial de influir no resultado do primeiro turno das eleições de 2018.

José Roberto de Toledo, na Piauí, notou que um candidato que se organizou nas redes sociais, quase sem tempo na propaganda eleitoral da TV, teve sua resposta no mesmo campo.

De certa forma, ficou enfatizada não só a perda de importância da TV, mas exposta a falsa equivalência que é típica das coberturas supostamente neutras:

O resultado dessa omissão e falta de contextualização é que coisas diferentes são tratadas como iguais. Uma manifestação de dezenas, no máximo centenas de pessoas em um lugar é apresentada da mesma maneira e com a mesma magnitude que dezenas de milhares de mulheres em dúzias de cidades. Na tela da tevê, o ato solitário pró-Bolsonaro em Copacabana foi equivalente à maior manifestação popular capitaneada por mulheres na história do Brasil. Felizmente, a internet provê o que a tevê omite.

Leia também:

Pesquisa CNT: Haddad sobe e empata com Bolsonaro em primeiro

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



11 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

LUIZ HORTENCIO FERREIRA

01 de outubro de 2018 às 10h00

Corrigindo… brincar com os filhos e namorar a esposa, não é qualquer coisa, é muito, muito especial, alem de muito importante e extremamente melhor que assistir qualquer programa das tvs abertas atualmente.

Responder

LUIZ HORTENCIO FERREIRA

01 de outubro de 2018 às 09h58

Outra coisa que pode ser feita por muitos, é não assistir mais os canais abertos (globo, Record, SBT, etc)… Troque por ler um livro… brincar com seus filhos… namorar sua esposa…
Atualmente qualquer coisa é melhor que assistir os canais abertos de televisão em nosso país.

Responder

Leandro

01 de outubro de 2018 às 09h46

Como a esquerda nao se une corremos o risco de nao ter segundo turno. Espero que acirdemos e nos unamos! Voto 13 a unica forma de vencer o coiso.

Responder

LUIZ HORTENCIO FERREIRA

01 de outubro de 2018 às 09h26

É por estas coisas que temos que regulamentar as mídias televisivas e rádios de nosso país, está mais que provado que se não regulamentar estes meios de comunicação, não teremos democracia tão cedo!
E a solução se chama internet!!!

Responder

Cláudio

01 de outubro de 2018 às 04h13

:
: * * * * 04:13 * * * * .:. Ouvindo As Vozes do Bra♥♥S♥♥il e postando:

Estou aqui contando os dias (E as horas!!!) para poder votar no vindouro domingo, 7 de outubro de 2018, quando iremos todos/todas demonstrar na prática o nosso mais veemente repúdio ao golpismo e darmos a virada por cima votando em Haddad e Manuela em nome do querido eterno Presidente LULA, o queridão das multidões, e esperando a vitória completa, total, já no primeiro e único e definitivo turno.

.:.
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ * * * * * * * * * * * * * ♥ ♥ ♥ ♥ * * * *
Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já pra antonti (anteontem. Eu muito avisei…) ! ! ! ! Lul(inh)a Paz e Amor (mas sem contemporizações indevidas, ou seja : SEM VASELINA) 2018 neles/as (que já PERDERAM, tomaram DE QUATRO nas 4 mais recentes eleições presidenciais no BraSil) ! ! ! ! !
* * * * ♥ ♥ ♥ ♥
* * * * * * * * * * * * *
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏
:: 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏 :.:

Responder

Daniela

30 de setembro de 2018 às 23h19

O Guilherme Boulos deveria ter se candidatado a deputado federal, não a presidente.
Infelizmente não vamos ter nele atuação parlamentar que seria fundamental no Congresso.
Espero que ele tenha um convite para algum ministério caso Haddad seja eleito.

Responder

Julio Silveira

30 de setembro de 2018 às 21h29

Boulos, esse é meu primeiro candidato.

Responder

Darcy Brasil Rodrigues da Silva

30 de setembro de 2018 às 17h39

Gostei do “17 é teu cú”. É uma excelente hashtag. #17éteucú

Responder

Efuarfo

30 de setembro de 2018 às 17h38

Vote em Haddad ou Ciro Gomes! Ajude a esquecer a Globo!

Responder

Joana Mello

30 de setembro de 2018 às 17h34

Será que nao existe o perigo do Aparecido Moro prender o Haddad depois das eleiçoes e antes de assumir caso ele ganhe. Ou mesmo no segundo turno. Enfim, sera que nao existe o risco de um Aparecido da justissa fazer isso.
O Aparecido de Cúritiba é bem capaz de fazer isso.
Uma vez golpista sempre golpista.

Responder

Lukas

30 de setembro de 2018 às 14h39

Em 1989, a Rede Globo apoiou ostensivamente Collor nas eleições presidenciais. Insatisfeitos, artistas e jornalistas da emissora fizeram uma manifestação em frente à sua sede às vésperas das eleições.

30 de setembro de 2018: Edir Macedo, auto-proclamado bispo e dono da Rede Record de Televisão, declara apoio a Jair Bolsonaro.

Não estou cobrando nada, só relatando os fatos.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

Últimas matérias
Bebianno só acredita “quando sair o papel com a exoneração” e teria dito a interlocutor que com sua demissão “o Brasil vai tremer”

Da Redação  “Eu quero ver o papel com a exoneração, a hora em que sair o papel com a exoneração é porque eu fui exonerado”, afirmou aos jornalistas neste sábado Gustavo Bebianno, o ministro da Secretaria Geral da Presidência. O cala boca de Bebianno, agora acusado de ter vazado conversas sigilosas entre ele e Jair […]

Ler matéria