VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Gurgel sugere arquivar ação contra deputado que recebeu de Cachoeira


24/09/2012 - 23h53

“Foi igual a ganhar na loteria”, diz Stepan sobre arquivamento

Ao comemorar parecer da PGR pelo arquivamento do inquérito a que responde no STF, deputado diz ter tirado “peso das costas”. Ele afirma que não se arrepende da amizade com Cachoeira e já admite rever decisão de deixar a política

POR EDSON SARDINHA | 24/09/2012 17:31, no Congresso em Foco

Stepan afirma que não sabia das atividades ilegais de Cachoeira quando lhe pediu empréstimo

Para o deputado Stepan Nercessian (PPS-RJ), a decisão da Procuradoria-Geral da República de recomendar o arquivamento do inquérito a que ele responde no Supremo Tribunal Federal (STF) teve o sabor de “ganhar na loteria” e de uma “nova reeleição”. Investigado por suas relações com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, Stepan diz estar se sentindo “aliviado” e “anistiado” com o parecer enviado na sexta-feira (21) passada pelo procurador-geral, Roberto Gurgel, ao ministro Ricardo Lewandoswki, relator do seu caso no Supremo.

“Foi uma das melhores notícias de toda a minha vida. Estava esperando com muita ansiedade o desfecho, independentemente de qual fosse. Era angustiante ficar no limbo das coisas. Recebi com muita alegria, era como se estivesse sendo reeleito. Tirou um peso das minhas costas”, declarou o deputado ao Congresso em Foco. “Foi igual ganhar na loteria”, acrescentou o parlamentar, que também é ator de teatro, cinema e televisão.

O deputado é investigado por corrupção passiva em razão de suas ligações com Cachoeira, de quem recebeu R$ 175 mil. Segundo Stepan, R$ 160 mil se referiam a um empréstimo, já saldado, para a compra de um apartamento. O restante foi usado na compra de ingressos para o desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro, sustenta o parlamentar. Ele afirma que mantinha apenas uma amizade, há duas décadas, com o contraventor, preso na Operação Monte Carlo.

Por praxe, o Supremo costuma acolher o parecer da Procuradoria-Geral da República quando a recomendação é pelo arquivamento. Segundo a assessoria da PGR, Gurgel não viu indícios de crime na relação do parlamentar com Cachoeira. Em entrevista ao Congresso em Foco, Stepan diz não se arrepender da amizade e reafirma que não sabia dos negócios do contraventor.

Responsabilidade

“Fiquei triste, mas jamais negarei minha relação de amizade. A gente não pode se arrepender de amizades de jeito nenhum. Lamento a situação em que ele está, preso há esse tempo todo. Ele vai responder como todos devem responder a tudo. Todos têm sua responsabilidade”, disse. “Os empréstimos foram feitos nos trâmites normais. Tenho certeza de que não cometi crime algum. Pedi empréstimo a um amigo que tinha várias empresas. Mas não sabia nada dos negócios dele. Ele era muito reservado”, acrescentou.

Stepan, que chegou a dizer que deixaria a política assim que teve seu nome associado ao caso Cachoeira, já admite rever sua decisão. “Deus queira que eu possa continuar trabalhando. O tempo é que vai dizer. Gostaria imensamente de continuar. Tem muita coisa para rolar. Quero me dedicar aos dois anos de mandato que me restam para saber o que vai acontecer. Tomei uma ducha de água fria na paixão que sempre tive pela política. Preciso me recuperar disso”, afirmou.

Ele conta que tirou uma grande lição desse episódio: “Quando você está num cargo público, tem de ser como a mulher de César, tem que não só ser honesto como mostrar ser honesto. Porque isso pode ser usado contra você e ser mal interpretado. Tem de tomar cuidado, mas não significa que vou abrir mão do meu jeito de ser. Estava me sentindo até proibido de rir”.

Leia a íntegra da entrevista de Stepan Nercessian:

Congresso em Foco – O que representa, para o senhor, o pedido de arquivamento de seu inquérito pelo procurador-geral da República no caso Cachoeira?

Stepan Nercessian – Foi uma das melhores notícias de toda a minha vida. Estava esperando com muita ansiedade o desfecho, independentemente de qual fosse. Era angustiante ficar no limbo das coisas. Recebi com muita alegria, era como se estivesse sendo reeleito. Tirou um peso das minhas costas. É algo que mexe com a gente. Só ontem vi a notícia no Congresso em Foco. Foi igual a ganhar na loteria. A sensação de alívio foi tão grande que me fez sentir que estava sofrendo até mais do que imaginava. Fui beber cerveja no botequim com uma sensação muito boa. É muito importante, nesse momento em que o Judiciário está sendo aplaudido pelas pessoas, que o Ministério Público tenha chegado a essa conclusão. É uma sensação de anistia e alívio.

O que mudou, na sua vida, nesse período de investigação?


Não mudei nada, do começo da ação até hoje. Sempre me coloquei à disposição de todos, da Justiça, da CPI e do Conselho de Ética. Expus logo todas as provas que eu tinha. A partir daí, foi tudo muito angustiante, uma saga, porque não tenho outra coisa na vida, a não ser o nome. Politicamente, foi como se eu, que nunca tive nada, tivesse perdido tudo. Não tenho cargos, não exerço essa política. Fui eleito com meu nome, com minha história, minhas posições políticas. Sempre estive do outro lado. Não sou um fundamentalista, mas sempre me coloquei à disposição de fazer política com ética. De repente, apareci no lançamento desse escândalo. Não fui um personagem que chegou depois do capitulo 100. Meu nome serviu de lançamento. Foram cinco ou seis noites seguidas no Jornal Nacional, sem que soubéssemos da dimensão que tinha essa coisa toda.

Que lições o senhor tira desse episódio todo?


Nunca tive dois comportamentos na vida. Nunca criei a imagem de que sou um artista assim ou um político assado. Sempre agi com naturalidade. Quando você está num cargo público, tem de ser como a mulher de César, tem que não só ser honesto como mostrar ser honesto. Porque isso pode ser usado contra você e ser mal interpretado. Tem de tomar cuidado, mas não significa que vou abrir mão do meu jeito de ser. Estava me sentindo até proibido de rir. Quando você responde a um negócio desses, é como se você tivesse de parar de beber porque não tem mais direito. Eu entrava na rede social para falar de futebol, aí vinha uma avalanche de agressividade no twitter. As pessoas se sentem imediatamente no direito de tratar você feito um lixo. Felizmente, fora isso, não me faltou, em momento algum, incentivo e apoio.

Apoio de quem, por exemplo?

Fiquei emocionado com a quantidade de pessoas na Câmara que imediatamente se solidarizaram comigo no sentido de demonstrar confiança absoluta na minha versão dos fatos. Gostaria de citar nominalmente o Psol, que apresentou denúncia contra todo mundo, mas não apresentou contra mim por me conhecer. Lideranças do PT vieram falar comigo e disseram que, apesar de eu estar na oposição, tinham um olhar especial em relação a mim. Assim que tive meu nome citado, o ministro (do Esporte) Aldo Rebelo logo me telefonou. Disse que estava à disposição para prestar depoimento, em qualquer instância, para dizer quem eu sou.

Vocês são amigos?

Nunca tivemos amizade pessoal, mas é uma amizade política porque há uma relação de confiança.  Isso tudo me ajudou demais a passar por esse período. Mesmo na Comissão de Educação e Cultura, fui eleito presidente da Subcomissão Permanente de Cultura, uma demonstração grande de como as pessoas estavam separando as coisas.

O senhor se arrepende de ter mantido relação com o Cachoeira?


Fiquei triste, mas jamais negarei minha relação de amizade. A gente não pode se arrepender de amizades de jeito nenhum. Lamento a situação em que ele está, preso há esse tempo todo. Ele vai responder como todos devem responder a tudo. Todos têm sua responsabilidade. Fui vereador por seis anos aqui no Rio. Fui eleito vice-presidente da Câmara Municipal, com 51 votos de todos os vereadores, quando meu partido só tinha duas cadeiras. Fui eleito por causa da amizade. Nesse período, assassinaram três ou quatro vereadores envolvidos com crimes, uns três vereadores foram presos. Convivi com todos eles ali dentro, mas nunca me envolvi com esse pessoal.

O senhor pediu empréstimo a ele, mas não sabia dos negócios do Cachoeira?


Os empréstimos foram feitos nos trâmites normais. Tenho certeza de que não cometi crime algum. Pedi empréstimo a um amigo que tinha várias empresas. Mas não sabia nada dos negócios dele. Ele era muito reservado. Acredito que tenha sido uma grande demonstração de amizade e respeito da parte dele não me contar nada, porque nunca tivemos conversa sobre essas coisas. Falávamos do Botafogo, de amenidades. Por ser goiano, tenho uma quantidade enorme de amigos em Goiás. Na última vez que estive em Goiânia, sentei num bar e, em menos de duas horas, tinha umas 20 pessoas na mesa.

O senhor chegou a dizer que deixaria a política assim que o caso estourou. Mantém essa posição?

Deus queira que eu possa continuar trabalhando. O tempo é que vai dizer. Gostaria imensamente de continuar. Sei que não vai ser no mesmo volume, mas espero que boa parte da imprensa divulgue o pedido de arquivamento numa proporção aproximada à da divulgação da abertura das investigações. Outro dia encontrei uma senhora com lágrimas nos olhos, que me disse ter ficado decepcionada ao ver meu nome nisso, porque votava em mim há três eleições e me achava diferente. E ela não sabia exatamente qual era a acusação que havia contra mim. Tem muita coisa para rolar. Quero me dedicar aos dois anos de mandato que me restam para saber o que vai acontecer. Tomei uma ducha de água fria na paixão que sempre tive pela política. Preciso me recuperar disso. Por conta desse negócio, fiquei afastado da campanha municipal, que é um momento em que todo deputado que pretende se eleger dá apoio a candidatos a vereador e prefeito. Dancei nisso este ano. Eu mesmo resolvi me afastar, não pedir voto para os outros, até para não prejudicar as pessoas que queria ajudar. Estava me sentindo alijado do processo.

Que avaliação o senhor faz do trabalho da CPI do Cachoeira, que suspendeu seus trabalhos às vésperas das eleições, quando se voltava mais para as doações da Delta?

Sempre se disse que esta era uma CPI diferente, que começava de onde as outras terminavam. Ela partiu de uma investigação. O que vejo é o seguinte: ela foi para um lado que não era a intenção inicial. A CPI foi criada para investigar o envolvimento de pessoas públicas e empresas com o Carlinhos Cachoeira. Agora, parece que estão com dificuldade porque entraram na Delta. Isso atravancou tudo. É como se tivesse quase que abrir outra CPI. Pode ser que as pessoas estejam fazendo coisas que surpreendam todo mundo. Mas acho que as investigações vão esfriar depois das eleições.  Acho que, terminadas as eleições, a tendência é a CPI despolitizar mais e centrar na investigação. Perdeu-se muito tempo nessa briga política, em vez de ser mais técnica. Depois das eleições, a CPI precisará dar uma guinada, até para dar uma satisfação à sociedade.

Leia também:

Venício Lima: Liberdade de expressão comercial, só no Brasil

Rui Martins: Governo Dilma financia a direita

Requião: Não me arrependo de ter extinto a publicidade oficial

Beto Almeida: O pecado capital do PT

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



78 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Janio de Freitas: Nenhum dos Poderes goza de mais conforto e maior luxo do que o Judiciário « Viomundo – O que você não vê na mídia

16 de novembro de 2012 às 09h58

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Lewandowski, um desagravo ao Direito brasileiro « Viomundo – O que você não vê na mídia

15 de novembro de 2012 às 17h41

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Saul Leblon: O silêncio que ofende a consciência nacional « Viomundo – O que você não vê na mídia

14 de novembro de 2012 às 15h54

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Nassif: Por que o ministro Ayres Britto se calou? « Viomundo – O que você não vê na mídia

14 de novembro de 2012 às 15h44

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Rui Falcão: Muito injusta, com viés político « Viomundo – O que você não vê na mídia

13 de novembro de 2012 às 21h40

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Collor diz que não houve entrevista de Valério a Veja « Viomundo – O que você não vê na mídia

12 de novembro de 2012 às 18h51

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Lewandowski: “A teoria do domínio do fato, nem mesmo se chamássemos Roxin, poderia ser aplicada” « Viomundo – O que você não vê na mídia

11 de novembro de 2012 às 20h56

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Patrick Mariano: Decisão do ministro Joaquim Barbosa viola a Constituição e as leis vigentes « Viomundo – O que você não vê na mídia

09 de novembro de 2012 às 23h06

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Mariana Boujikian: “O Estado não pode mais ser conivente com o extermínio velado dos guarani” « Viomundo – O que você não vê na mídia

25 de outubro de 2012 às 18h23

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

O apoio de Lula e a crise do PSOL em Belém « Viomundo – O que você não vê na mídia

25 de outubro de 2012 às 01h10

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Mário Alves: O Jornal Nacional, em êxtase com as condenações do mensalão « Viomundo – O que você não vê na mídia

24 de outubro de 2012 às 23h27

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

O STF e as terras dos Guarani Kaiowá: a morte coletiva « Viomundo – O que você não vê na mídia

24 de outubro de 2012 às 22h45

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

filho

24 de outubro de 2012 às 18h43

De fato, se fosse um deputado do PT o PGR já teria denunciado há tempos. Depois o Ministério Público pede respeito.

Responder

jonios

24 de outubro de 2012 às 12h40

Se o, digamos, competente deputado Nercessian fosse filiado a outro partido – o PT, por exemplo – e não ao PPS, comandado pelo escamoso Roberto Freire (que foi expulso de Pernambuco), teria o, digamos outra vez, digno PGR Roberto Gurgel recomendado a sua desvinculação com o contraventor Carlos Cachoeira?

Responder

Ramatis Jacino: O sonho do ministro Joaquim Barbosa pode virar pesadelo « Viomundo – O que você não vê na mídia

22 de outubro de 2012 às 17h51

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Pochmann pode ir ao segundo turno em Campinas « Viomundo – O que você não vê na mídia

30 de setembro de 2012 às 14h18

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Dalmo Dallari critica vazamento de votos e diz que mídia cobre STF “como se fosse um comício” « Viomundo – O que você não vê na mídia

28 de setembro de 2012 às 22h51

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Rômulo Gondim – As dúvidas sobre a atuação de Joaquim Barbosa

28 de setembro de 2012 às 10h37

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

As dúvidas sobre a atuação de Joaquim Barbosa « Viomundo – O que você não vê na mídia

28 de setembro de 2012 às 01h14

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Bonifa: Dos males de julgar primeiro o mensalão do PT « Viomundo – O que você não vê na mídia

27 de setembro de 2012 às 18h57

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Kid Prado

26 de setembro de 2012 às 18h18

Não foi o mesmo que ganhar na loteria, como disse o correligionário de dr. Bob Freire. Ele ganhou foi no bicho, ou melhor, do bicho. E o Jô Gurgel livrando a cara do artista global…

Responder

Requião: “Oportunismo, irresponsabilidade, ciumeira e ressentimento” « Viomundo – O que você não vê na mídia

26 de setembro de 2012 às 15h50

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

Matheus

26 de setembro de 2012 às 11h59

“Aos amigos, os beneses da lei, aos indiferentes, a lei, aos inimigos, os rigores da lei” Frase com muitas versões e muitos autores, mas com ainda mais praticantes nesse Brasil.

Eu aplaudiria a punição do “mensalão” segundo as normas legítimas do Brasil. Mas o que estou presenciando é uma dupla moral descarada, um denuncismo partidarizado. Os crimes de tortura, desaparecimento forçado e genocídio cometidos por agentes do Terrorismo de Estado seguem impunes. A privataria demotucana e o mensalão tucano seguem impunes. Milhares de denúncias de trabalho escravo, grilagem e devastação ambiental contra latifundiários e empresas seguem ignoradas. A compra e coação do voto são ainda práticas comuns nos grotões e nas favelas.

Responder

Roberto Locatelli

26 de setembro de 2012 às 11h52

Então estamos combinados:
– se o réu for do PT, a ausência de provas mostra que ele é culpado e ocultou as provas.
– se o réu for da oposição, ele é inocente. As provas da culpa mostram que o PTY

Responder

    Roberto Locatelli

    26 de setembro de 2012 às 11h53

    completando:
    – se o réu é da oposição, a existência de provas mostram que o PT está tentando incriminá-lo.

lando carlos

26 de setembro de 2012 às 10h18

me engana que eu sou otario, acredito em papai noel e saci perere, vai te cata mane.

Responder

Fabio Passos

25 de setembro de 2012 às 21h36

Impressionante.
O prevaricador gurgel… agindo em plena luz do dia!

Responder

Rubens Casara: “Risco da tentação populista é produzir decisões casuísticas” « Viomundo – O que você não vê na mídia

25 de setembro de 2012 às 20h53

[…] Gurgel pede arquivamento de denúncia contra deputado que recebeu de Cachoeira […]

Responder

francisco.latorre

25 de setembro de 2012 às 20h11

argh.

..

Responder

Regina Braga

25 de setembro de 2012 às 20h07

Para os amigos tudo(máfia)para os inimigos a Lei(mesmo rasgando a Constituição).Como o MP está desmoralizado!

Responder

FrancoAtirador

25 de setembro de 2012 às 20h03

.
.
Algo me diz que o que o Collor falou na CPI tem fundamento… e prova.
.
.

Responder

Azuir Ferreira Tavares Filho

25 de setembro de 2012 às 18h56

Azuir Disse:

Enquanto Isso, o Falso Mensalão de 2005 foi colocado na frente do verdadeiro Mensalão de 1998. Neste Periodo de campanha Eleitoral.
Mesmo sem provas estão condenando caixa 2 de despesas de campanha por compra de apoio Político, inclusive o Acusador e Juiz, colocou a Presidenta como Prova, e a Presidenta Provou que todos apoiaram porque as propostas do Presidente LULA eram Patrióticas e até a Oposição Psdb, Dem, Pps com apoio da Mídia e consequentemente até com o apoio do Judiciário, não tinham como Negar ou votar contra. Tem de sempre Lembrar que o Governo Lula Mudou o Brasil. O Mundo não deixa ninguém negar
Todos apoiaram alí e com toda certeza o Alvaro Dias nem o Jefferson não vai poder dizer que houve compra de apoio. A Admiração da Presidenta Dilma prova que o ACUSADOR esta se equivoCando com esta insinuação circunstancial.
Com a Palavra o próprio Acusador Juiz, para Dizer definitivamente se mantém a sua acusação de compra de apoio em todas votações, ou se diante desta que se equivocou assume e passa a respeitar a inocência do Pessoal do PT e lhes dar a Merecida Absolvição. No caso de ter a hombridade de assumir esse erro de se fundamentar no Circunstancial, e, a partir de agora, para nunca mais repetir esse equivoco, … porque não se cala…
Abração Amigo para Todos.

Responder

Julio Silveira

25 de setembro de 2012 às 18h50

Vi nesse episódio o peso da Globo.

Responder

Messias Franca de Macedo

25 de setembro de 2012 às 17h38

A OPOSIÇÃO AO BRASIL [MAIS UMA VEZ] ACHINCALHA O JUDICIÁRIO! ENTENDA

Os oposicionistas dos partidos dos outros mensalões (hehehehehehehe…) estão, pasme, colocando em suspeição um emérito e honrado magistrado… Ademais, os correligionários dos réus dos outros mensalões (idem hehehehehehe…) comprovam que o julgamento do tal mensalão (o do PT), claramente, tem conotação eminentemente política e eleitoreira…
[Senão vejamos, “ESCUTA ESSA”, a insolência e o absoluto desrespeito desta gente, o senador *Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) à frente!]: Se Teori Zavascki disser que pretende entrar no julgamento do mensalão, porém, a estratégia da oposição será tentar obstruir os trabalhos na CCJ do Senado, mesmo em minoria, prolongando os discursos de forma que não haja tempo para que a votação ocorra hoje ou amanhã. No caso de obstrução da oposição, a sabatina do novo ministro ocorreria apenas após o dia 7, primeiro turno das eleições municipais.
(…)
CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE: “grande” mídia nativa!

*RESCALDO: quer dizer, então, que o tucano – que outrora participou do memorável (sic) **ASSALTO AO TREM PAGADOR – quer ditar o comportamento de um juiz do STJ prestes a ingressar no STF?! É a DESMORALIZAÇÃO definitiva do Poder Judiciário tupiniquim, quer dizer, brasileiro!…
**queira ver – http://pt.wikipedia.org/wiki/Aloysio_Nunes
É o tal negócio: o golpismo está sempre à espreita!

AS RUAS ESPERAM POR VOZES! OU NÃO?!…

Saudações democráticas, progressistas e civilizatórias,

República de ‘Nois’ Bananas e Babacas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo – “preparando mais pipoca e refresco de limão para continuar a assistir aos espetáculos!”

Responder

Messias Franca de Macedo

25 de setembro de 2012 às 17h36

A ARROGÂNCIA E A PETULÂNCIA DA DIREITONA E POR QUE O PSOL PERDEU O MEU VOTO NA PRÓXIMA ELEIÇÃO! ENTENDA

“A coisa está muito corrida. Não se vai tirar o pai da forca. Mas não creio que ele se prestaria a essa chicana [de pedir vista do processo]”, disse o senador *Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP).
“Na sabatina ele vai ter que dizer se vai participar do mensalão ou não”, afirmou o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP). [“Pode ‘to be’?!” – adendo nosso!]

*Quer dizer, então, que o **tucano – que outrora participou do memorável (sic) ***ASSALTO AO TREM PAGADOR – quer ditar o comportamento de um juiz do STJ prestes a ingressar no STF?! É a DESMORALIZAÇÃO definitiva do Poder Judiciário tupiniquim, quer dizer, brasileiro!…

**correligionário do (S)erra, o mesmo (S)erra da ‘Privataria Tucana’ do egrégio e impávido jornalista Amaury Ribeiro Junior.

***Aloysio Nunes Ferreira, cidadão brasileiro, em 10 de agosto de 1968, juntamente com alguns companheiros, assaltou o trem pagador da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí. Foi mais um dos crimes que vinham ocorrendo naquele ano.
Segundo relatos da imprensa da época, a ação ocorreu sem que houvesse o disparo de qualquer tiro. Aloysio Nunes foi o motorista do carro no qual os assaltantes fugiram do local com os malotes que continham NCr$ 108 milhões(US$ 21.600), dinheiro suficiente para o pagamento de todos os funcionários da Companhia Paulista de Estradas de Ferro. Em outubro do mesmo ano, participou do assalto ao carro-pagador da Massey-Ferguson interceptando o veículo na praça Benedito Calixto, no bairro paulistano de Pinheiros.
Sofrendo um processo penal em que já havia um pedido de prisão preventiva e com a possibilidade de que descobrissem algo sobre suas ações armadas, foi enviado a Parispor Marighella utilizando um passaporte falso. Foi posteriormente identificado como guerrilheiro e condenado com base na extinta Lei de Segurança Nacional. Pretendia realizar um treinamento de guerrilha em Cuba, mas a gravidez de sua mulher o fez desistir.
(…)
FONTE: http://pt.wikipedia.org/wiki/Aloysio_Nunes

Responder

Messias Franca de Macedo

25 de setembro de 2012 às 17h32

[SOBRE CRONOLOGIA…
#################################
Indicado pela presidente DilmaRousseff para integrar o Supremo Tribunal Federal, Teori Zavasckiafirmou nesta terça- feira (25), durante sabatina naComissão de Constituiçãoe Justiça do Senado, que o Conselho Nacional deJustiça (CNJ)“revolucionou” o controledo Judiciário. “Tivemos revolução no âmbito do controle externo do poder judiciário com a emenda que criou o Conselho Nacional de Justiça. A finalidade do conselho é a atividade de controle do cumprimento dosdeveres funcionais do juiz”, disse. Zavascki foi escolhidopara ocupar vaga de Cezar Peluso, que se aposentou aocompletar 70 anos.
A oposição tentou adiar a sabatina com a apresentação de um requerimento pedindo que a reunião fosse remarcada para o dia 17 de outubro. Para a oposição, eventual participação de Zavascki poderá prejudicar ouatrasar a análise do processo do mensalão pelo Supremo. O requerimento, de autoria do senador *Aloysio Nunes (PSDB-SP), foi rejeitado o por 14 votos a seis
*o mesmo do memorável (sic) ‘ASSALTO AO TREM PAGADOR’! Queira ver: http://pt.wikipedia.org/wiki/Aloysio_Nunes
###############################
… Os advogados (medalhões] dos réus do tal mensalão (o do PT!) poderiam aproveitar o discurso da ‘oposição ao Brasil’ e encaminhar requerimento solicitando ao STF o adiamento das próximas sessões do julgamento para depois das eleições… Mesmo porque os parlamentares da oposição são correligionários e – alguns – réus dos mensalões do PSDB e do DEMo (sic)… Ademais, semana de eleição é semana de votação!
Voltando à CRONOLOGIA: não esquecer que o MENSALÃO tucanoDEMoníaco do Eduardo Azeredo caracteriza-se por revelar-se o nascedouro do ‘Valerioduto’!..
Ou, no Brasil, em termos de produzir crimes e delitos, “os primeiros serão os últimos!”?! Ou, quiçá, “os primeiros delituosos terão seus processos prescritos”?!…]

AS RUAS ESPERAM POR VOZES! OU NÃO?!…

República de ‘Nois’ Bananas e Babacas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo – “preparando mais pipoca e refresco de limão para continuar a assistir aos espetáculos!”

Responder

Hélio Pereira

25 de setembro de 2012 às 17h06

João Paulo Cunha solicitou 50 mil de emprestimo para pagar contas de Campanha ao PT,recebeu,usou ,pagou e ainda informou o TSE deste fato,mas por ter sido Pres da Câmara dos Dep e do PT foi condenado pelo STF,muito embora contra ele não existisse nada que justificasse tal ato,mas era do PT e isto bastou.
Já o Dep do PPS “embolsou” uma quantia muito maior de um conhecido Quadrilheiro que já tinha contra ele dezenas de Processos,mas contra ele o PGR Roberto Gurgel nada viu que justificasse a abertura de um Processo,afinal ele não é do PT e para o Procurador Roberto Gurgel isto basta!
Eu não tenho duvida que Marconi Perillo sera absolvido,alias acho que o Procurador vai mandar arquivar o Processo,afinal ele também não é do PT.

Responder

    Samira

    25 de setembro de 2012 às 17h33

    Nosso procurador geral e nossa corte máxima procedem de modo distinto de acordo com o réu. É o famoso tratamento ‘personalíssimo’. O dever de impessoalidade passa longe …

Messias Franca de Macedo

25 de setembro de 2012 às 15h45

… Após “tirar o peso das costas”, sugiro ao ator Excelência que volte a se banhar na Cachoeira!… Quem sabe, a Glória Maria não aproveita ‘a deixa’ e produz um especial sobre a [gloriosa e auspiciosa] redenção dele?!…

Que país é esse, sô?! República de ‘Nois’ Bananas, responde, “na lata”, o matuto ‘bananiense’!

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo – empanturrado de pipoca e limonada, elevando a audiência da TV (In)Justiça!…

Responder

    Messias Franca de Macedo

    25 de setembro de 2012 às 15h47

    Título do especial ‘Grobal’: ‘Na Natureza Selvagem [para alguns!]’

    Que país é esse, sô?! República de ‘Nois’ Bananas, responde, “na lata”, o matuto ‘bananiense’!

    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo – empanturrado de pipoca e limonada, elevando a audiência da TV (In)Justiça!…

    Messias Franca de Macedo

    25 de setembro de 2012 às 15h50

    ‘Na Natureza… Selvagem [para alguns!]‘

Messias Franca de Macedo

25 de setembro de 2012 às 15h38

… Teria que ser um ator: um braço midiático; o outro, bloco partidário da oposição ao Brasil… Realmente, somente um ator poderia alterar o script – perdão, AUTOS falho -, alterar os autos do diretor, quer dizer, do procurador!…
Coisas do ‘Brazil’ – perdão, ato falho -, Brasil! Ô elitizinha ordinária e capacha!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

O JUIZ

25 de setembro de 2012 às 15h22

Inocente ou culpado, o fato é que ele é da Globo.
E para a Globo a Lei não vale.
Agora vem me dizer que não sabia que o Cachoeira era o Cachoeira.
Tá bom, todos somos otários.

Responder

Luiz Reis

25 de setembro de 2012 às 15h00

Esse é o mesmo sujeito que quando o Belo foi preso foi lá para defendê-lo… vai ver também não sabia… ah, o cara é muito ingênuo, coitado! Agora, porque será que tiraram a reportagem do ar no site congresso em foco???

Responder

fabio

25 de setembro de 2012 às 13h46

Esse grande Tênue da PGR, hoje aqui em Fortaleza-ce recebe o prêmio Seréia de Ouro, hormenegeia grandes personalidades do Ceará oferecido pelo Sistema Verdes Mares de Comunicação que é parceira da Tv Globo, PODE?

Responder

    Helenice

    25 de setembro de 2012 às 15h21

    Tudo a ver: Verdes Mares, Globo, Jô Soares II.

Tiago Tobias

25 de setembro de 2012 às 13h00

O Gurgel e o Supremo são muito perigosos. Ele é a bala de prata do golpe paraguaio.

Responder

O DOUTRINADOR

25 de setembro de 2012 às 12h42

E ainda criticam a Eleição do TIRIRICA, dizendo que é analfabeto e burro! Pelo menos NÃO é DESONESTO igual este Deputadozinho do pps, que vem dizer que é amigo do Cascata a mais de duas décadas e não sabia que o mesmo é Contraventor.Se pegar, psdb,pps,dem,pr,psd e uma parte do pdt,e misturar bem, nem GAMBÁ vai aguentar o ODOR que exalara.

Responder

Paulo Geroldo

25 de setembro de 2012 às 12h38

Se eu encontrasse esse Gurgel na rua algum dia, diria-lhe tantas verdades que tiraria uns 20 kilos de peso do meu corpo.

Responder

Messias Franca de Macedo

25 de setembro de 2012 às 12h32

[ALHOS E BUGALHOS, TUDO A VER!]

A OPOSIÇÃO AO BRASIL [MAIS UMA VEZ] ACHINCALHA O JUDICIÁRIO! ENTENDA

Os oposicionistas dos partidos dos outros mensalões (hehehehehehehe…) estão, pasme, colocando em suspeição um emérito e honrado magistrado… Ademais, os correligionários dos réus dos outros mensalões (idem hehehehehehe…) comprovam que o julgamento do tal mensalão (o do PT), claramente, tem conotação eminentemente política e eleitoreira…

[Senão vejamos, “ESCUTA ESSA”, a insolência e o absoluto desrespeito desta gente, o senador *Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) à frente!]:
Se Teori Zavascki disser que pretende entrar no julgamento do mensalão, porém, a estratégia da oposição será tentar obstruir os trabalhos na CCJ do Senado, mesmo em minoria, prolongando os discursos de forma que não haja tempo para que a votação ocorra hoje ou amanhã. No caso de obstrução da oposição, a sabatina do novo ministro ocorreria apenas após o dia 7, primeiro turno das eleições municipais.
(…)

CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE: “grande” mídia nativa!

*RESCALDO: quer dizer, então, que o tucano – que outrora participou do memorável (sic) **ASSALTO AO TREM PAGADOR – quer ditar o comportamento de um juiz do STJ prestes a ingressar no STF?! É a DESMORALIZAÇÃO definitiva do Poder Judiciário tupiniquim, quer dizer, brasileiro!…
**queira ver – http://pt.wikipedia.org/wiki/Aloysio_Nunes

É o tal negócio: o golpismo está sempre à espreita!

Saudações democráticas, progressistas e civilizatórias,

AS RUAS ESPERAM POR VOZES! OU NÃO?!…

República de ‘Nois’ Bananas e Babacas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo – “preparando mais pipoca e refresco de limão para continuar a assistir aos espetáculos!”

Responder

JULIO/Contagem-MG

25 de setembro de 2012 às 12h23

È do PPS, do coroné freire, e da gROBO, ai pode arquivar !!!!

Responder

Jorge Portugal

25 de setembro de 2012 às 11h50

Ele já mandou arquivar e a CPMI ainda investigando.

Responder

Bonifa

25 de setembro de 2012 às 11h48

Mais um fato daqueles que só vendo para acreditar. A pilha já está enorme, mas é preciso colecionar todos, sem perder nenhum de vista.

Responder

Jorge Portugal

25 de setembro de 2012 às 11h48

Luiz Paulo Cunha foi condenado por 50 mil e Marcos Valério não é contraventor. Stepan Nercessian tava se borrando.Eu acho que nesse angu tem caroço!!! Gurgel tem rabo preso com o PSDB, DEM e PPS, ou será que tem outra explicação?
INACREDITÁVEL!!!!! Será que ninguém vai fazer nada.

Responder

Eneas

25 de setembro de 2012 às 11h16

Saiu na Veja!? Deu no Globo!?! No JN!?!?
Se nao saiu, nao é crime!!

Responder

Go Oliveria

25 de setembro de 2012 às 10h40

Corram atrás que tem o DEDO DAQ gRobo…

Responder

Paulo Henrique Tavares

25 de setembro de 2012 às 10h38

Para quem tem dúvidas de que a PGR é um órgão a serviço da direita, este caso poe uma pá de cal nas dúvidas

Responder

Gerson Carneiro

25 de setembro de 2012 às 10h07

Gurgel inocenta deputado do PPS que recebeu dinheiro do Cachoeira. Gurgel sabia que Gushiken do PT era inocente, mas manteve o processo.

Responder

    Jairo Beraldo

    25 de setembro de 2012 às 14h43

    O que mais uma vez comprova que a elite, ou a direita, ou mesmo o “ladodelá”, não deixa seus pares caídos na beira da estrada!

pedro - bahia

25 de setembro de 2012 às 10h06

O deputado é ator da Globo e o Gurgel está a serviço da emissora. Quanto a deixar a política não vai acontecer. Ele viu que o crime compensa, considerando ser inimputável. Mesmo se não contasse com o Gurgel, dificilmente seria condenado no STF.

Responder

Ronald

25 de setembro de 2012 às 10h02

ha ha ha…Brasil da direita segue vencendo o jogo!

Responder

    Neiva

    13 de novembro de 2012 às 00h41

    A direita ganha é no tapetão, mas no voto é a esquerda que ganha!!!!

Marco

25 de setembro de 2012 às 09h26

Este PGR seria apenas uma piada se suas atitudes não fossem pensadas apenas para a politicagem mais baixa e execrável!!! Uma lástima!!! Onde vamos parar??? Enquanto faz de tudo para criminalizar uns, libera outros na cara dura!!!

Responder

Gersier

25 de setembro de 2012 às 09h10

Esse sósia mal acabado do intragável jô é uma gracinha,não?
Ele segue a máxima: aos amigos tudo.
Nesse caso “aos da confraria”.
Nada como ter sido um ator de um órgão do PIG,principalmente se for opositor do Lula e da Dilma.

Responder

Luiz Rodrigues

25 de setembro de 2012 às 08h35

Banco Cachoeira? Quanto de juros? Quem tem um Cachoeira, tem tudo!!!!

Responder

FrancoAtirador

25 de setembro de 2012 às 08h12

.
.
Esse aí não tinha domínio do fato, só do dinheiro.

Ademais, membro do PPS, partido de oposição ao PT,

e ator da ilibada Rede Globo jamais cometeria crime.

Portanto, nada a estranhar no procedimento do PGR.

Deve mesmo é acusar o Lula por ousar ser Presidente.
.
.

Responder

edson tadeu

25 de setembro de 2012 às 08h01

olha so. sendo ele ex vereador da camara mais corrupta do Brasil, duvido muito dessa conversa mal feita, ja que ele disse que o emprestimo foi feito em tramites legais. vamos ver se foi registrado em cartorio, se tem uma promissoria, sim porque ninguem empresta 175 mil sem garantias, quem sabe os os 175 mil nao foram para comprar seu voto em algum projeto no rio de janeiro?, Ele alguma vez publicou documentos anteriores ao escandalo mostrado que o emprestimo foi legal? eu nao caio nessa, ai tem. o Procurador como eu ja disse vai absolver ele, daqui ha mais alguns meses absolve outro e por ai vai. As absolviçao de kuchiken agora faz sentido. foi so para querer justificar as absolviçao dos envolvidos no caso cachoeira. So que os dois ministros que foram absolvidos ele nao tinha provas mais poderiam inventar como fizeram com outros, ja que ja se falou ai que o procurador rasgou documentos e adulterou outros.

Responder

Gerson Carneiro

25 de setembro de 2012 às 07h46

Detalhe importantíssimo: Stephan Nercessian é da Comissao de Combate ao Crime Organizado.

Conseguem vislumbrar o Stephan combatendo ele mesmo?

Responder

jgomes

25 de setembro de 2012 às 07h29

Conta outra stepan, dizer que não sabia das atividades de seu amigo não cola nem com superbond.

Responder

Gerson Carneiro

25 de setembro de 2012 às 07h28

Ah tá. Sou amigo do Cachoeira há duas décadas (a ponto de pedir-lhe grana emprestada para comprar apartamento, e não a um Banco) mas não sei de nada sobre os negócios dele. Sei.

Cachoeira “emprestou” R$ 175 mil apenas porque tem uma boa alma.

“Acredito que tenha sido uma grande demonstração de amizade e respeito da parte dele não me contar nada, porque nunca tivemos conversa sobre essas coisas.”

Santa “ingenuidade”, Batman!

Responder

    Gabriel Braga

    26 de setembro de 2012 às 10h33

    Pois é.

    Fico só imaginando se essa demonstração de amizade do contraventor tivesse sido feita pra algum deputado do PT.

    Seria capa da veja,com aquele fundo vermelho bem dramático,assunto das colunas do Merval e do Noblat,e,claro,manchete do JN.

    Enquanto isso,o STF condena João Paulo Cunha por ele ter recebido um empréstimo de R$ 50 mil do próprio partido.

Roberto Locatelli

25 de setembro de 2012 às 07h15

“Foi igual a ganhar na loteria.”

Pois é, amigos do Cachoeira ganham na loteria sempre…

Responder

    Sônia Bulhões

    26 de setembro de 2012 às 11h59

    pois é Locatelli, usam-se dois pesos e duas medidas: para os amigos TUDO, para os adversários UMA LEI DE PERNAS TORTAS.Esse procurador que só encontra o que lhe interessa, e só procura o que possa dar visibilidade à sua mulher, como a denúncia contra Demóstenes Torres. Estamos de olho nele.

Roberto Locatelli

25 de setembro de 2012 às 07h13

É óbvio que Gurgel quer arquivar. Afinal, é um deputado da oposição. E a oposição tem que ser protegida a qualquer custo.

O golpe de estado virá em breve.

Responder

    andre i souza

    25 de setembro de 2012 às 17h45

    Amigo Locatelli, li todos os comentários, e todos eles, de certa forma, em completa incredulidade sobre mais esse passo do sr. Gurgel. Mas o que me subia a alma, enquanto lia o post e os comentários, era exatamente o que você diz aí no seu último parágrafo.

    Está assustando, temo que teremos de ir às ruas e, aí, o resto nós sabemos.

    Roberto Locatelli

    26 de setembro de 2012 às 11h51

    André, estou preocupado com o final de ano, com o recesso do Congresso, recesso do STF, Joaquim Barbosa de plantão. Paranóia? Bom, segundo Churchill, “até os paranóicos têm inimigos reais”.

    Kid Prado

    26 de setembro de 2012 às 18h35

    Os processos contra membros da oposição levados ao Jô Gurgel ficam fedendo a peido, depois de tantos anos escondidos sob a bundona deste preguiçoso que não tem ânimo nem para engavetá-los. Vergonhosa e degradante a atuação deste sujeito que pratica uma justiça tão injusta.

Rossi

25 de setembro de 2012 às 04h43

Caro Nercessian,pior que sua ligação com Cachoeira é a com o serristaex-comunistafisiologista Roberto Freire.O que que virou seu partido,hem?

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.