VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Favorita de Paulo Bernardo junta ratos e a bandeira vermelha


30/06/2013 - 15h42

Revista para a qual o ministro Paulo Bernardo recentemente deu entrevista atacando petistas, o que provocou protesto do Forum Nacional pela Democratização da Mídia.

Do Rodrigo Vianna, no Escrevinhador:

Tempo da “gestão técnica” fica pra trás: Helena e Bernardo viram peça de museu

publicada sábado, 29/06/2013 às 17:08 e atualizada sábado, 29/06/2013 às 18:26

Ninguém acha que é possível dirigir o Brasil como se fosse um grêmio estudantil ou uma associação de moradores.

Quem dirige o país, no Executivo, não pode tudo. Há que se respeitar a famosa “correlação de forças”. Isso é evidente.

Mas é evidente também que aqueles que ocupam o centro do governo (ainda mais se representam forças que historicamente lutaram por mudanças estruturais do Brasil) têm a obrigação de lutar para que a correlação de forças se altere e permita mais e mais reformas.

O governo Dilma, nesse sentido, é um equívoco completo. Concentrada em derrubar os juros e enfrentar os setores financeiros (associados ao monopólio midiático e à classe média tradicional, esses setores compõem o principal núcleo opositor ao governo petista), Dilma abriu mão de qualquer mexida na Comunicação. Abriu mão de disputar hegemonia e de lutar para mudar a correlação de forças. Nessa e em outras áreas.

A “Ley de Medios” foi enterrada. Bernardo (amigo das teles) e Helena (amigona da Globo) mandaram recados: tudo deve ficar como está na área da Comunicação. Dilma começou o governo preparando omeletes na Ana Maria Braga. Foi ao convescote da família Frias (dona da Folha) e ainda lançou a frase brilhante: “controle da Comunicação só se for o controle remoto”.

Agora, está aí o resultado. A velha mídia transformou as manifestações de rua (que eram contra aumento de ônibus e contra a violência policial) numa grande “festa cívica” cujo alvo era (e é)  Dilma. A pesquisa DataFolha (por mais que desconfiemos do instituto da família Frias) é a demonstração de que a mídia quebrou os ovos e prepara-se pra transformar o governo Dilma num omelete: bom/ótimo recuaram de 57% para 30%.

Sinto-me à vontade para falar porque comentei nesse mesmo tom quando Dilma tinha 70% ou 80% de popularidade. Naquele tempo, trancada no palácio com marqueteiros e ministros medrosos, Dilma acreditou (?!) que tudo era uma questão de “gestão técnica”.

Aqui trecho do que escrevi em setembro de 2012, em “A Ilusão de um acordo com a mídia”:

A turma que cuida da Comunicação no governo Dilma parece dividir-se em duas: uma tem medo da Globo e da Abril, a outra quer garantir empregos na Globo e Abril quando terminar o mandato. Dilma segue popular. Mas a base tradicional lulista está ressabiada. A velha mídia e os tucanos perceberam a possibilidade de abrir uma cunha entre Dilma e o lulismo. A estratégia é simples: poupa-se Dilma agora, concentra-se todo o ódio no PT e em Lula. Com PT e Lula fracos, ficará mais fácil derrotar Dilma logo à frente.

A presidente, pessimamente aconselhada na área de Comunicações, parece acreditar na possibilidade de uma “bandeira branca” com a mídia. Não percebe que ali está o coração da oposição.

O primeiro texto sobre a escolha “centrista” de Dilma escrevi em fevereiro de 2011, logo que o governo começou. PT rumo ao centro e oposição na UTI:

Dilma capturou a simpatia (real? duradoura?) de setores da mídia que estiveram fechados com Serra durante a campanha. Faz o mesmo em relação à política internacional (menos “terceiro-mundista” do que Lula, como comemora a “Folha” em editorial nessa sexta-feira). E já há sinais de que o governo pode abandonar a proximidade estratégica que mantinha com movimentos como o MST.

As Rebeliões de Junho – ainda sem um desfecho claro – colocam Dilma e esse PT dominado pelo pragmatismo numa encruzilhada. Os tempos dos acertos de bastidor acabaram. A era dos Vacareza e Bernardos já era. Agora, é guerra  aberta. E a disputa está nas ruas.

Sob a batuta da velha mídia, que pauta ruas e redes dominadas pela classe média, o Plebiscito da Dilma pode levar à vitória de bandeiras que interessam aos conservadores: voto distrital e rejeição do financiamento público de campanha. Podem apostar: Globo, Veja e classe média vão berrar nas telas e nas ruas que voto em lista e financiamento público são chavismo!

Dilma fará o que? Vai preparar um omelete com Ana Maria? Vai mandar o Bernardo falar na Veja?

Helena e Bernardo são os condutores de uma política que inundou com dinheiro público a empresa de comunicação que é acusada de sonegação milionária. Mesma empresa que, se pudesse, transformaria Dilma e Lula em dois omeletes.

A atual conjuntura mostra um governo relativamente fragilizado. Verdade que governadores tucanos e lideranças como Aécio não parecem ser a alternativa em 2014. Mas há outras. O conservadorismo é matreiro. E conta com aliados fortes no campo internacional. Os Estados Unidos estão loucos para botar o Brasil no velho trilho.

Se o país caminhar para a confrontação e abrir-se uma temporada de “caça ao lulismo”, Serra vem aí. Podem apostar. Ele é o “anti-Lula”. Desgastado, sem apoio interno no PSDB – mas com bons amigos na mídia, nos bancos e no exterior – obteve 45% dos votos.

Do outro lado, há Lula e um patrimônio político ainda importante. Mas vai falar através de quais canais? Qual controle remoto Dilma e Lula pretendem usar agora?

Para a esquerda, não há saída a não ser a radicalização do quadro político. Isso não significa jogar ao mar o “centro”. Mas significa ter disposição para luta aberta. É preciso isolar a direita e o conservadorismo. Paralisada e apegada às tentativas de acordos, Dilma será engolida pelos “profissionais”. Se o governo e o lulismo sairem da toca para o confronto, correm também risco de derrota. Mas não há outra escolha.

Inação e acordos de gabinete = derrota certa da centro-esquerda em 2014.

Mobilização e Política com “P” maiúsculo = uma chance para nova vitória da esquerda em 2014.

Essa nova vitória, se vier, terá que ser fruto de um novo acordo de forças, que reflita o novo momento do país. Será outra esquerda, com outra composição. Outro governo. É preciso lançar ao mar as Helenas, os Bernardos e os gatos gordos do petismo.

Os tempos são outros. Não está escrito em lugar nenhum (muito menos nessa pesquisa do DataFolha)  que o lulismo estará derrotado em 2014. Mas, para ganhar, terá que ser outro lulismo. E terá que ser outra a esquerda.

A direita, meus amigos, vem babando. E ela não costuma fazer omeletes na cozinha do inimigo quando ganha a parada.

Leia também:


Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


60 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Pedro Macambira

23 de julho de 2013 às 11h02

Curiosa a reportagem da revista do Apartheid Naspers fazando fofoca do Mandela…

Responder

wagner paulista de souza

02 de julho de 2013 às 18h44

Tomem esta chapa completa para 2014: LULA Presidente; DILMA Vice. Tomou ?

Responder

FrancoAtirador

02 de julho de 2013 às 04h47

Responder

Andre

01 de julho de 2013 às 22h50

Boa reflexão, mas vc pegou leve com Dilma.
Tucanizada, ela paralisou a reforma agraria
enquanto deu todo espaço para o crescimento descontrolado
do agronegócio: 3 mil escolas fechadas no campo em menos
de 1 ano, famílias campesinas esmagadas, comunidades indígenas massacradas,
funai sabotada, nenhum apoio para a agroecologia > o cultivo que salvaria
o pequeno agrocultor do lobby do transgenico e veneno que reina livre no Congresso e também salvaria nossa saude: todos os alimentos disponiveis estao entupidos de agrotoxicos, e agora transgenicos(que a chefe, katia abreu, dos ruralistas e capataz dos conglomerados do veneno sequer deseja que sejam identificados com um simples “T” nas embalagens dos produtos derivados de sementes transgenicas!!!! assunto grave que merece atenção maior do blogueiro!!!! lembremos q no começo deste ano dilma desceu a rampa de braços dados com esta katia abreu, a maior inimiga dos movimentos sociais)

Responder

    JOTACE

    01 de julho de 2013 às 23h50

    Caro André,

    De fato, cabia a referência no que é sem dúvida uma admirável análise que destaca o valor e a qualidade dos nossos blogs e o patriotismo de muitos. Uma beleza que são, em sua grande maioria, na absoluta permissão ao sagrado direito da liberdade de expressão. É disto que precisamos ainda e muito no Brasil-dos-paulos bernardos, no qual se faltam recursos a esses blogs sobram para a imprensa marrom e até para os chapa-brancas que nada enxergam e aos quais só falta culpar extraterrestres pelo que sucede no país. Com o cordial abraço do, Jotace

Márcio Martins

01 de julho de 2013 às 22h06

Concordo em gênero, número e grau com o brilhante artigo do Rodrigo. Temos de isolar a direita, em especial a extrema-direita; partir para o confronto; tirar os tucanos travestidos de petista do governo e tentar ganhar novamente. Ainda dá, mas não podemos errar mais, chega! Dilma estará disposta?

Responder

JOTACE

01 de julho de 2013 às 20h26

FHC E DILMA, O CASAL FELIZ

Pra lá de interessante a tentativa em se aproximar de FHC, que revela o tão demonstrado amor da nossa Presidente pelo apóstata-mor da nossa democracia. Sentimento que foi cuidadosamente escondido de todos que a elegeram e para isso empreenderam o melhor dos seus esforços. Perfeita a apreciação que faz o Rodrigo Vianna do que sucede e do que irá suceder no país, face ao comportamento aos mais altos mandos petistas. Mas para completar o que é um exemplo de análise no âmbito da sociologia política, faltou a de um especialista no campo da psicometria. Pois não dá pra entender o recuo do ‘ser’, que caminha pari passu com a atitude arrogante e de desprezo da Dilma às grandes necessidades do povo que a elegeu e até quanto à soberania da nação. Conduta que a converte ainda em uma governante que, em nome da suposta democracia que pretende impor, se cerca de ministros que tratam de satisfazer os sórdidos interesses de uma casta corrupta que nunca deixou de atentar contra a soberania do Brasil. Não satisfeita, nossa Presidente, que encarnou as melhores esperanças do povo brasileiro, e agora mesmo vaiada a ponto de se encontrar impedida de aparecer em público, como boa sucessora de Lula tenta mais uma vez trair o povo. Se aquele juntou-se a seres como Maluf, ela procura se aliar com um dos mais conhecidos expoentes dos anti-pátrias brasileiros.

Responder

    Mário SF Alves

    01 de julho de 2013 às 21h09

    Fazendo apologia ao caos, prezado JOTACE?
    _____________________________
    Prove seus argumentos, doutor. Prove e sugira um outro partido e um outro presidente capaz de enfrentar as terríveis forças do fascismo brasileiro. Vai lá. Não se intimide.
    _______________________________________
    Só não vale vir de novo com essa retórica tabula rasa, esse vício de comparar o incomparável, essa falácia de defender que o Brasil tinha de fazer o Hugo Chávez fez na Venezuela. Ou o que a Cristina Kirchner fez na Argentina.
    _____________________________________________
    Vai lá. Já seria um bom começo sugerir soluções para a união das ditas esquerdas. Cadê?
    ____________________________________________________
    A não ser isso, companheiro, exceção feita aos Bernardos, Cardozos, Gurgels e Helenas da vida, perdoe-me, mas vou continuar entendendo tal crítica como pura insensatez.

    JOTACE

    01 de julho de 2013 às 22h55

    Caro Mário,

    Perdôo teu arranques tão dramáticos que muito caberiam a um ‘chapa-branca’, mercenário cuja opinião varia como o vento geral que não agrada aos jangadeiros. Pois sopra sem direção, ao sabor de fatores variados – no caso em foco das decisões dos donos de suas vontades. Não me incluo nos apologistas do apocalípse, caro Mário, mas afortunadamente não chego aos extremos da cegueira dos pobres de espírito ou de uma mula mal educada, disposta a ferir os cascos escouceando mesmo aqueles que, conhecendo suas manhas, sempre lhes dedicam atenção. Mas, sempre como amigo, fico à espera que voltes ao teu juízo, e que tenhas a necessária acuidade para veres e refletires sobre o que realmente se passa no Brasil desde os tempos de FHC e do ‘Nuncadantes’. E ainda para que, como da vez que te admoestei porque insisnuastes que eu era do PSOL, possas compreender que hoje são milhões de brasileiros decepcionados como eu. Frustrados com esse comportamento de negociantes do Brasil que têm adotado Dilma e o seu mentor, Lula, como até o insinuou o Lula em 2002 na sua Carta Aos Brasileiros. Comparar Chávez com Lula e Cristina Kirchner com Dilma, eu não o faço, pois como brasileiro me envergonharia a comparação. Um cordial abraço e um bom descanso pra tua mente! Jotace

    Mário SF Alves

    02 de julho de 2013 às 01h40

    E aí, Jotace? Desde quando você entende como razoável o uso de uma metralhadora verbal para contra argumentar comigo?
    __________________________________
    É… parece que o discurso daquele impoluto senador subiu mesmo à sua cabeça. Culto à personalidade, meu caro?
    __________________________________________
    Quanto ao Lula, o mesmo ao qual você, ao entrar na onda dos maledicentes, rotula de “nuncadantes”, e que não satisfeito, o faz navegar em águas tão turvas quanto às navegadas pelo FFHHCC, sinto ter de lhe informar, mas é esse mesmo Lula que, intencionalmente ou não, estrategicamente ou não, e seja como for, mérito dele, fez vergar a espinha dorsal da prepotência política no Brasil. Sem o que, amigo velho, possivelmente, estaríamos nós e a América Latina como um todo ainda muito mais distantes da paz social.
    Bom, a não ser que de tanto ver triunfar as nulidades… de tanto ver agigantarem-se o poder nas mãos dos maus… o Brasil acordasse, aí sim, em plena e acéfala primavera árabe.
    _____________________________________________________
    Pelo povo brasileiro, por todos os povos do mundo, por nós: Democracia sempre. Ainda que tenhamos de conquistá-la para além de nossos corpos, para além de nós mesmos.

    JOTACE

    02 de julho de 2013 às 13h32

    Caro Mário,

    Para de devaneios melancólicos, e evitas te molhar nas águas de FHC como o está tentando a Presidente em sua pretensão de abandonar o barco. Nau de velame rompido, cujo comando já entregou aos piratas do dia…Cordialmente, Jotace

JAIRO

01 de julho de 2013 às 20h20

MUITA IMPRUDÊNCIA DA PRESIDENTA DILMA. TRAIDORA! VAI NOS FAZER PAGAR CARO . MALDIÇÃO!!!!

Responder

Antônio

01 de julho de 2013 às 19h45

Vejam que pesquisa escrota feita grupo Folha: 74% dos brasileiros querem prisão imediata de condenados no mensalão, diz Datafolha.

Os fascistas estão tomando conta desse país. Alguém tem dúvida?
Dirceu, vá a uma embaixada e peça asilo político antes que a Folha de São Paulo instigue a massa ignara a tocar fogo na sua casa. Vá você e o Genoíno.

Responder

    Mário SF Alves

    01 de julho de 2013 às 21h15

    Antônio,
    Só agora li seu comentário. Irretocável, companheiro, irretocável.
    _________________________________
    No Brasil, o fascismo jamais mostrou tão forte e descaradamente sua horrenda face.
    _______________________________________
    Culpa nossa? Culpa do PT? Culpa do Lula? Culpa da Presidenta Dilma? Culpa do USA?

Marat

01 de julho de 2013 às 19h37

E o que pretende Dilma com o Bernardo? Ele está ali a mando de quem?

Responder

    Mário SF Alves

    01 de julho de 2013 às 23h14

    E eu que achava que isso não era mais nenhum segredo para você. Tá vendo?
    ___________________________
    Bom, seja como for, o que importa é isso mesmo. É questionar essa joça toda. Mas, sobretudo questionar. Questionar desse jeito mesmo, com humildade; mesmo correndo o risco de mostrarmo-nos ingênuos. Creio que só assim, despidos da arrogância e do preconceito é que vamos poder efetivamente contribuir na superação do fascismo dissimulado que há décadas assolou e ainda assola o Brasil.

Rose PE

01 de julho de 2013 às 16h11

Agora Senhoa Presidenta aguenta as consequências! Coragem é para Cristina da Argentina.

Responder

    Mário SF Alves

    01 de julho de 2013 às 20h56

    Ainda insisto no ponto. Argentina é Argentina, USA é USA, Venezuela é Venezuela e Brasil é Brasil e complexidade política, as condicionantes políticas afeta a todos são exatamente outras. Agora, se se tem convicção e provas de que o Governo da Presidenta Dilma está sendo omisso, ou está sendo conivente ou covarde, aí, sim, seria hora de assumir de vez as ruas.
    Ou será que de fato a permanência do tal ministro Bernardo é por si só prova suficiente disso?
    __________________________________

    Enquanto isso, a esquerda, hein? Desunião histórica… até quando?
    __________________________________________
    Pelo visto depois que inventaram o tal socialismo científico toda e qualquer luta contra as forças do atraso socioeconômico que aflige e humilha povos inteiros e que não seja mediada pela esquerda virou mesmo pura utopia.
    __________________________________________________
    Interessante seria saber como teria sido isso, todo o clamor contra as injustiças, antes de tal referido invento?

    JOTACE

    02 de julho de 2013 às 00h35

    Prezada Rose,

    Como você vê, a defesa do indefensável sempre sem fundamentos do questionável exagera e sem argumentos passa a questionar não só fatos verdadeiros como os relacionados pelo Rodrigo, mas passa a exigir que sejam oferecidas “provas”…Será que alguém esqueceu que apenas 13 (treze) minutos antes, o mesmo crítico mencionava neste mesmo blog o “equívoco” da inclusão daqueles que chamou “Bernardos, Cardozos, Gurgels e Helenas da vida” como ministros ? Por que passou ele a vestir o manto de pacifista somente agora e passa a pregar a união das esquerdas somente quando pode acontecer o total naufrágio petista? Está ele pensando em
    abandonar o navio que afunda? Falta-lhe o que, coragem? E entôo vivas com você à corajosa e patriota Presidenta Cristina Kirchner, sempre na defesa dos bons costumes políticos e da soberania da maravilhosa Argentina! Cordial abraço, Jotace

    Mário SF Alves

    02 de julho de 2013 às 01h45

    Jota, Jota, onde estás que não te escutas?

    JOTACE

    02 de julho de 2013 às 13h02

    Caro Mário,

    Respondendo à tua indagação, estou na praia, assistindo o naufrágio e os ratos apressados abandonando o navio…Cordial abraço e um viva a Requião!

    Jotace

    Mário SF Alves

    03 de julho de 2013 às 11h27

    Pois é, e sem entrar no mérito de onde tu te encontras, vou direto ao ponto. Daqui por diante serás por mim conhecido como super JOTACE.
    _____________________________
    Com franqueza e com todo o respeito, dito isto, use agora seus superpoderes para fazer as corporações que sequestraram o Estado nos EUA lamberam o chão de tua prepotência. Depois disso, quem sabe… quem sabe eu não lhe dê razão.
    _______________________________________
    Enfim… fazer o quê, não é?

Flor de Ipê

01 de julho de 2013 às 10h10

Acertou quem chama isso de esgoto há muito tempo. Só no esgoto podem estar misturadas substancias tão diferentes de acordo com a dejeção.

Responder

Djijo

01 de julho de 2013 às 09h24

Gostei do deboche: ministros medrosos. Mulheres são intimidadoras quando tem poder pois se perdem as estribeiras rapidamente atingem quem está perto e nem pedem desculpas. Os homens, por viverem milênios em guerras, aprenderam a arte da diplomacia, até para não provocar o outro que pode reagir. As mulheres com poder parece que carecem desse instinto de boa convivialidade.

Responder

Julio Silveira

01 de julho de 2013 às 09h18

Já disse antes e repito a Dilma pode ganhar de braçada sobre esses seus adversários que estão postos. Para isso deve fazer correção de rota se aproximando mais de seus eleitores, e pode fazer isso se afastando daqueles seus auxiliares que tem provado nada ter a ver com quem a elegeu. Mesmo os de dentro de seu partido, tipo esse do tema do post. Deve sintonizar mais com as vozes que sempre mantiveram a coerência com a visão de esquerda. Ela deve entender que em politica sua divida deve ser apenas para com a cidadania e deve pautar suas possíveis amizades e sentimentos baseadas nesse parâmetro.

Responder

FrancoAtirador

01 de julho de 2013 às 04h28

.
.
TEM REINALDÉTE APAVORADA COM A VOLTA DO LULA

Responder

Luís CPPrudente

01 de julho de 2013 às 00h13

Tá mais que na hora desses dois encostos saírem do Governo Dilma: o Bernardão Civita e a Helena Chagas Marinho.

O Brasil já acordou, agora só falta a Dilma acordar para a realidade e demitir esses encostos que fazem serviço para o PIG.

Responder

Mário SF Alves

01 de julho de 2013 às 00h04

Afinal, quem vai ser incriminado por boicotar a Copa do Mundo de Futebol no Brasil?
__________________________________

Ou será que o incêndio na porta (e dentro) dos estádios podem ser debitados na combustão espontânea?

Afinal, quem e quantas incontáveis vezes jogou a opinião pública(da) contra o Governo Federal ao afirmar que as obras estavam mal planejadas, indo devagar demais para os prazos contratados?

Afinal, quem andou soltando matéria de capa insinuando (ou melhor, afirmando) as obras somente ficariam prontas em 2023?
_______________________________________
Alguém deve pagar por isso! Quem? Só o povo feito de besta mais uma vez?

Responder

Marinalva

30 de junho de 2013 às 23h24

A batata da Globo está assando

Manifestantes que se concentram na Praça Saens Peña, na Tijuca, zona norte do Rio, hostilizaram uma equipe da Rede Globo que fazia a cobertura jornalística de mais um protesto contra a realização de grandes eventos esportivos no Brasil, como a Copa das Confederações e Copa do Mundo. Ao avistarem o repórter Vandrey Pereira, os manifestantes começaram a gritar palavras de ordem contra a emissora.
Ver matéria completa em http://www.jb.com.br/rio/noticias/2013/06/30/equipe-da-rede-globo-e-expulsa-durante-protestos-contra-copa/

Responder

Mariano

30 de junho de 2013 às 22h52

A gozação que circula na internet:

Dilma não perde por esperar: a oposição está exigindo uma CPI para apurar como o Brasil ganhou a Copa das Confederações. O primeiro a ser chamado vai ser o Filipão que está sendo chamado de poste da Dilma. Corre o boato que a Espanha recebeu dinheiro de Cuba para abrir as pernas. Carlinhos Cachoeira disse que quer depor e que tem provas que Lula comprou a Fifa para trazer as duas Copas para o Brasil. “Foi dinheiro alto”, teria dito aquele ilustre cidadão.

Marina do Itaú, Aécio Bebum e Roberto Campos de Pernanbuco disseram que o Brasil terá que recorrer ao FMI para pagar o dinheiro gasto nos estádios construídos. Roberto Gurgel já começou a compilar as provas e disse que vai botar todo o mundo na cadeia, inclusive ele mesmo.

Responder

    Rose PE

    01 de julho de 2013 às 16h08

    Mariano, a coisa fedeu, hein? Isso me faz fazer um plágio “país da piada pronta”.

FrancoAtirador

30 de junho de 2013 às 22h16

.
.
Eu já estava desconfiado com aquela pesquisa DataFolha
para o Governo de São Paulo,
em que o Alckmin dava um capote no Lula.

(http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/113314-alckmin-venceria-ate-lula-na-disputa-pelo-governo-paulista.shtml)

Agora, pelos últimos movimentos da Mídia Bandida,
não tenho mais dúvidas:

O candidato da Direita Reacionária à Presidência
é o indicado pela Opus Dei.

E o Serra vai para Governador.
.
.

Responder

Valmont

30 de junho de 2013 às 21h41 Responder

abolicionista

30 de junho de 2013 às 21h14

Sou totalmente a favor de trocar a Dilma pelo Lula, que não tem medo de peitar a mídia corporativa.

Responder

    Abel

    30 de junho de 2013 às 22h33

    Hein? Peitou quando? Bem que o Franklin Martins queria, mas não deixaram. Agora, é tarde…

    abolicionista

    03 de julho de 2013 às 10h36

    A distância entre o Franklin e o Bernardo é evidente, só não vê quem não quer. Lula pode não ter machucado a mídia bandida nem democratizado (Ok, foram apenas petelecos), mas entrou em conflito com ela em várias ocasiões. Ao contrário de Dilma, que tenta virar queridinha da Globo. Tanto que, até hoje, é Lula o mais odiado. A diferença pode não ser suficiente, mas é inegável.

    Luís

    01 de julho de 2013 às 07h57

    Lula peitar a “mídia corporativa”?

    AUEHEAUHEAUHEAUAEHEAUHAEUEAHAUEHAEUAEHUAEHEAUEAHUEAHAEUHAEUAEHEAUHAE
    UHAEUEAHUEAHEAUHEAUEAHEAUHEAUEAHAEUHAEUAEHAEUHEAUEAHEAUHEAUEAHUEAHAU
    UESHUESHESUHESUESHESUHEUEHEUHEHUESHUHEAUHEUEHAUEAHEAUHEAUEAHUEAHEAEH

Fabio Passos

30 de junho de 2013 às 21h02

O PiG é o grande adversário da população brasileira.
Os políticos que oferecem munição ao PiG são quinta-coluna.

O PiG é inimigo do povo… e assim deve ser tratado.

Responder

Rebelde

30 de junho de 2013 às 18h53

O povo vai pra rua exigir EDUCAÇÃO, SAÚDE E SEGURANÇA e o governo oferece pra gastar 500 milhões em reforma política.

Isto não é hora de reforma política, tiveram 12 anos pra fazer e não fizeram.

Se Dilma tivesse anunciado a CONSTRUÇÃO E APARELHAMENTO DOS HOSPITAIS, ela recebia toda a popularidade de volta.
Mas, gastar mais dinheiro que não seja pelas reivindicações é BARBEIRAGEM PURA.

Responder

Urbano

30 de junho de 2013 às 18h42

A inveja já morreu, e faz tempo; espera-se apenas o gato para enterrar…

Responder

Robin

30 de junho de 2013 às 18h31

Que dor. Que dor no coração. Eu já estava prevendo isto há muito tempo. Tudo jogado fora.

Responder

FrancoAtirador

30 de junho de 2013 às 18h17

.
.
MARGEM DE ERRO DO DATAFRIAS É DE 101%

Datafolha registra criminalização da política
e romaria pró-Marina

A pesquisa divulgada neste domingo indica a ação pesada dos fiéis da balança, a mídia e os evangélicos, conforme havíamos previsto.
Os evangélicos na organização da campanha por Marina e contra Dilma, e a mídia com a instrumentalização dos protestos a seu favor.
Eles irão continuar operando contra a presidenta até o dia do pleito, não importa o que ela faça.
Simplesmente porque defendem outro projeto para o país.

Por Marcelo Salles (*)

A pesquisa Datafolha para intenção de voto divulgada neste domingo (30) foi realizada num momento de plena ebulição popular e, portanto, seu resultado deve ser analisado a partir dessa perspectiva. Dilma passou de 51 a 30, Marina foi de 16 para 23, Aécio de 14 a 17 e Eduardo de 6 para 7. Ou seja, dos 21 pontos perdidos pela presidenta, sete foram para Marina, três para Aécio e um para Eduardo, num total de onze pontos transferidos para adversários. A outra metade, dez pontos, engrossa a fileira dos “desiludidos” com a política, que alcança 24, justamente o aspecto mais amplificado pelas corporações de mídia durante os protestos – o que encontra-se em consonância com sua eterna pauta de criminalização da Política e seus representantes.

DATAFOLHA 30/06/2013 – Intenção de voto para presidente em 2014

30 – Dilma Rousseff
23 – Marina Silva
17 – Aécio Neves
07 – Eduardo Campos
24 – Branco, nulo ou indeciso

Obs: os números divulgados pelo jornal Folha de S. Paulo somam 101 pontos [!!!], ao invés de 100, como nos levantamentos anteriores.

Pesquisas de intenção de voto são um retrato do momento e, portanto, nunca são estáticas. Um ponto importante a ser destacado é que, muito provavelmente, a conjuntura em que foi realizada não poderia ter sido pior para Dilma. A presidenta, eleita democraticamente pelo povo para governar o país, não fugiu às suas responsabilidades: foi para a televisão, falou diretamente aos cidadãos, afirmou que seu governo está ouvindo as vozes das ruas e reafirmou compromissos importantes com o desenvolvimento do país.

No entanto, com milhões de pessoas nas ruas e tantas pautas diferentes em voga, as insatisfações, de modo geral, tendem a recair sobre quem está no comando, mesmo que várias das reivindicações não estivessem sendo dirigidas à esfera federal de governo.

Se é verdade que o momento foi o mais delicado possível, é muito provável que os próximos levantamentos registrem uma recuperação nas intenções de voto da presidenta. Isso, claro, desde que a Economia não entre em colapso e o governo mantenha o foco na Agenda Social – dar continuidade ao combate à miséria, à garantia dos direitos humanos e ao diálogo com os movimentos organizados, sem, no entanto, ficar refém de interesses estrangeiros que instrumentalizam, geralmente através de ONGs, um sem número de grupos sociais.

Como registrei há três meses, era preciso ficar especialmente atento a duas variáveis de lá até as eleições – mídia e evangélicos. Disse que eles seriam os fiéis da balança em 2014. Naquele mesmo texto, dividi o período que nos separa das eleições em três momentos: o primeiro seria de março/13 a outubro/13, quando todos os partidos devem estar constituídos e aqueles que pretendem se candidatar a cargos de deputado, senador, governador e presidente precisam estar devidamente registrados em suas agremiações. O segundo período seria de outubro/13 a março/14, quando termina o prazo para desincompatibilização de cargos públicos, o que deixará o cenário praticamente definido. E o terceiro e último período seria o que transcorre de março/14 até outubro/14, quando ocorrem as articulações finais e a tem início a campanha propriamente dita.

Ao analisarmos o avanço de Marina Silva, vemos claramente o papel do fator “evangélicos”, cuja atuação tem sido determinante no recolhimento das assinaturas para a fundação de seu partido. Como registrei no último artigo, seu avanço nas intenções de voto era esperado, não pelos protestos, mas porque a militância em massa nas ruas colocaria seu nome na boca do povo. Além disso, ela encontra uma vasta camada da sociedade que recentemente ascendeu socialmente, mas sem qualquer ideologia, sendo, portanto, vulnerável a mensagens de cunho religioso e/ou a chamadas “politicamente corretas”. É possível que Marina continue no movimento ascendente, caso seus militantes permaneçam nas ruas e ela consiga o registro do partido em tempo hábil para disputar as eleições, o que lhe dará direito a tempo de televisão e recursos financeiros adicionais.

Já o caso de Aécio Neves é diferente. Ele vem avançando lentamente, mas com consistência. Em março tinha 10, no início de junho foi a 14, passando agora a 17. Ocorre que nos dois intervalos ele foi beneficiado pela variável “mídia”, que no primeiro momento teve a seu favor a conjugação do programa de seu partido na televisão com os boatos sobre o fim do Bolsa Família, culminando com sua eleição para a presidência do PSDB (tudo com ampla divulgação pelas corporações de mídia); agora, durante os protestos, Aécio apareceu, também em propaganda partidária de rádio e tv, convidando os brasileiros para conversar sobre o Brasil. É possível que siga crescendo, mas dificilmente vai tirar pontos de Dilma ou Marina; terá que disputar os indecisos.

Como venho afirmando desde março, não era conveniente fazer o jogo do “já ganhou” que se ouviu de parte da esquerda quando Dilma despontou com 57 pontos.

Dizia que faltava muito para as eleições e, até lá, muita coisa podia acontecer.

Aconteceu justamente a ação pesada dos fiéis da balança, a mídia e os evangélicos, conforme havíamos previsto.

Os evangélicos na organização da campanha por Marina e contra Dilma, e a mídia com a instrumentalização dos protestos a seu favor.

Eles irão continuar operando contra a presidenta até o dia do pleito, não importa o que ela faça.

Simplesmente porque defendem outro projeto para o país.

(*) Marcelo Salles é jornalista.

(http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=22278)

Responder

    JOTACE

    01 de julho de 2013 às 17h43

    Caro Franco,

    Vejo como muito recomendável que o Marcelo leia o excelente artigo do Rodrigo Vianna, e que é verdadeiramente antológico. Com isso ele se ilustraria mais e poderia opinar melhor sobre o que irá acontecer caso a Dilma continue com os mesmos programa e atitude de alheiamento, que tem desenvolvido e ostentado desde o primeiro dia de governo. Abraços do, Jotace

Luís

30 de junho de 2013 às 18h16

E Dilmedíocre está esperando o que para enxotar esse traste?

Ah, desculpa. Isso não vai acontecer. Dilmedíocre e Paulo Hibernardo se complementam. Dilmedíocre deve ver Paulo Hibernardo quando se olha no espelho. E vice-versa. E Dilmedíocre também adora aparecer na Veja. Se merecem.

Sinceramente, dessa bosta de governo só espero o pior.

Responder

Valcir Barsanulfo

30 de junho de 2013 às 18h00

Devemos nos mobilizar para a manifestação em frente a Globo.
Vamos todos postar o convite à toda população do Rio de Janeiro, depois S.Paulo, depois BH, depois Brasília, demais capitais e cidades onde a Globobo mantem repetidora.

Responder

    Abel

    30 de junho de 2013 às 22h34

    Por enquanto só vi o pessoal do Telexfree em frente a Globo – e era para pedir apoio para continuar vendendo pirâmide.

BACAMARTE

30 de junho de 2013 às 17h59

É do PHA essa:
O candidato do PIG para 2014 é Luciano Huck!
Alguma duivida?

Responder

francisco pereira neto

30 de junho de 2013 às 17h37

A Dilma convive com alguns fantasmas do seu passado de militância política, e que ficou claro agora, quando precisou agir como presidenta do país.
Na ditadura ela foi militante de um grupo contrarrevolucionário que era taxado como comunista. A ditadura foi implantada com esse mote: Perigo comunista.
Para fugir a esse princípio, hoje como presidenta eleita democraticamente, ela cometeu dois erros políticos que estão abalando a sua credibilidade.
Das oposições, das classes conservadora e da grande mídia, isso estava claro desde quando Lula pensou em lançá-la como candidata. Diziam eles: não tem a menor chance, é um poste, é uma terrorista… De outra parte, desde quando tomou posse, além da escolha da sua equipe ministerial medíocre, “flertou” com o inimigo maior – o PIG. Isso provocou pruridos nos autênticos petistas.Daí a conclusão que se extrai hoje que Dilma se afasta do PT.
Com as manifestações de junho, bisonhamente “imprevisível” para o governo (cadê o zé cardozo, a PF, a Abin?),Dilma ficou refém do seu passado.
Se agisse como deveria, como chefe da nação, todos a criticariam por impedir manifestações “democráticas”. A própria base aliada, que já a classifica como ditadora e aliada aos descontentes do PT, que dizem que ela se afastou do partido, também não a pouparia.
Não teve outra saída, a não ser deixar correr solto as manifestações com todas as consequências que vem provocando, para o deleite da grande mídia, dos conservadores e principalmente da oposição que não tem discurso.
Foi negligente desde o início do seu mandato, com o engavetamento do projeto do ex-ministro das Comunicações Franklin Martins, e o pior de todos os erros, confiar no controle remoto.
Quis ser republicana num país secularmente conservador fascista, sem se assegurar de instrumentos importantes, que só dependia dela.
Temo que seja tarde para ela.
Talvez possamos dizer aquele velho ditado: há males que vem para o bem.
Cada vez mais me convenço que a volta de Lula seja necessário.

Responder

    Mário SF Alves

    30 de junho de 2013 às 23h17

    E não teria aí o dedo da ABIN a influenciá-la negativamente, engessando-a na tomada de decisão em relação às comunicações no Brasil?

    Flor de Ipê

    01 de julho de 2013 às 10h16

    Tenho certeza, embora não as provas, de que muitas instituições estão sendo solapadas por diretores.É só vc somar:

    Apagão nunca explicado bem no dia das eleições.
    Crime contra ao Enem na direção Hadad. Provado.
    Palhaçadas na Caixa Economica.
    Má direção nos Correios, já antiga, desde o gov. anterior.
    Má direção em outras empresas e coisas estranhas.
    Falação orquestrada na midia por parte desses diretores contra Dilma.
    Coisas estranhas na Petrobrás.
    Esse Cardozo…
    Essa Helena.
    A demora de Dilma em tudo. Seria a agenda?

    JOTACE

    01 de julho de 2013 às 22h17

    Caro Francisco,

    Concordo de minha parte com a quase totalidade dos teu pontos de vista. Mas dizer que Dilma foi ‘negligente’ no caso do projeto de comunicações do ex-Ministro Franklin é uma maneira bondosa de qualificar o procedimento que adotou simplesmente pra desrespeitar o direito do povo. E cuja importância, ela conhecia muito bem com o que experimentou no próprio lombo, quando das eleições. Então, só a salvaram da derrota, os esforços de patriotas de todo o país que ela teima ver no poder definitivo dos piratas nacionais ou internacionais na mesma linha de Serra e FHC. Ao invés de ‘negligente’, caberia melhor qualificar de diligente a escolha zelosa do Paulo Bernardo para o cargo de ministro-representante da Globo e outras entidades do mesmo naipe, como a Veja, por exemplo. O zelo e aplicação de Dilma aos desígnios dos vende-pátrias foram imediatos à sua posse, como insistiu em demonstrar quando do festim da Folha, do programinha de quitutes da Globo e por aí adiante. Admiro teus propósitos, mas discordo ainda quando confias que, com a volta de Lula, ‘seria diferente’…Ele não voltará, pois sabe que será apupado com vaias ainda maiores que as de sua pupila. O PT se quiser continuar, há que se apoiar – e apoiar – um nome digno, corajoso e que nunca se acocorou à Globo como Lula o fez (também). De fato, precisamos mais do que nunca de alguém como ROBERTO REQUIÃO, para tirar o Brasil da situação em que se encontra e da que inevitalvemente virá e que os chapa-brancas em sua cegueira simplesmente insistem em não enxergar. Um cordial abraço, do Jotace

cirineu fernandes

30 de junho de 2013 às 16h59

A Velha mídia agora esta apostando na cadela que pariu a Ditadura, o siu da cadela já esta no fim. Este movimento é copia do vamos ocupar wal strit. Neste final de semana a Globo tem se esforçado bastante para manter o terror na população e incitar mais ainda os fascistas e alienádos,inventaram ate uma greve geral para o dia 01/07/2013

PSDB e DEM tenta se amamentar na cadela mais não consegue, porque as raposas são as mesmas, a direita tenta lançar Marina Silva, mais não vai se sustentar porque qualquer mudança fora do petismo só é possível com um Lider Nacionalmente respeitado, coisa que a Direita não tem…

Responder

Renato M

30 de junho de 2013 às 16h57

Ótima análise. A direita tradicional, a classe média fascista, a extrema-esquerda que vive no século XIX, a “gurizada de prédio” alienada e os velhotes fascinados pelas novas mídias, conseguiram o que desejavam: debilitar e talvez inviabilizar a reeleição da Presidente Dilma. Há de se reconhecer que um governo com Ideli Salvatti, Paulo Bernardo, Gleise e tantas outras mediocridades não está preparado para enfrentar qualquer crise. Ingenuamente a Dilma confiou na “isenção” e na “seriedade” da grande mídia. Agora é tarde. Só há uma saída: LULA 2014!

Responder

    Luís

    30 de junho de 2013 às 18h18

    A dona Dilma politicamente é uma completa idiota, imbecil e inepta e a culpa é da classe média? PELAMORDEDEUS!!!!

    Renato M

    30 de junho de 2013 às 22h56

    Ninguém disse que a culpa é da classe média. Apenas que setores da classe média que nunca engoliu o PT está tirando proveito da situação para dinamitar o Governo da Dilma. Idiota ela não é, pois senão não teria chegado onde chegou. Respeite a nossa Presidenta e por favor, leia direito senhor Luís!

    Luís

    23 de julho de 2013 às 08h39

    Realmente, ela não é idiota. Idiota é quem votei nela.

lukas

30 de junho de 2013 às 16h30

Será que a ordem pra fritar a Dilma veio do Lula?

Lula é mais candidato hoje que há um mês.

Bye bye DILMA 2014.

Responder

Avelino

30 de junho de 2013 às 16h12

Taí, Dilma, não dá pra fazer omelete sem quebrar os ovos.
Agora não tem amis nem Ana Maria e nem Louro José.
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!