VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Engenheiros da Petrobrás denunciam Temer e Parente: política de preços beneficia os Estados Unidos

23 de maio de 2018 às 20h01

Foto Marcelo Camargo/Agência Brasil

Nota sobre a política de preços da Petrobrás

da Associação dos Engenheiros da Petrobrás

A AEPET reafirma o que foi expresso no Editorial Política de preços de Temer e Parente é America First!, de dezembro de 2017.

A Petrobrás adotou nova política de preços dos combustíveis, desde outubro de 2016.

A partir de então, foram praticados preços mais altos, que viabilizaram a importação por concorrentes.

A estatal perdeu mercado e a ociosidade de suas refinarias chegou a um quarto da capacidade instalada.

A exportação de petróleo cru disparou, enquanto a importação de derivados bateu recordes.

A importação de diesel se multiplicou por 1,8 desde 2015, dos EUA por 3,6.

O diesel importado dos EUA,, que em 2015 respondia por 41% do total, em 2017 superou 80% do total importado pelo Brasil.

Ganharam os produtores norte-americanos, os traders multinacionais, os importadores e distribuidores de capital privado no Brasil.

Perderam os consumidores brasileiros, a Petrobrás, a União e os estados federados com os impactos recessivos e na arrecadação.

Batizamos essa política de America first! , Os Estados Unidos primeiro!

Diante da greve dos caminhoneiros assistimos, lemos e ouvimos, repetidamente na “grande mídia”, a falácia de que a mudança da política de preços da Petrobrás ameaçaria sua capacidade empresarial.

Esclarecemos à sociedade que a mudança na política de preços, com a redução dos preços no mercado interno, tem o potencial de melhorar o desempenho corporativo, ou de ser neutra, caso a redução dos preços nas refinarias seja significativa, na medida em que a Petrobrás pode recuperar o mercado entregue aos concorrentes por meio da atual política de preços.

Além da recuperação do mercado perdido, o tamanho do mercado tende a se expandir, porque a demanda se aquece com preços mais baixos.

A atual direção da Petrobrás divulgou que foram realizados ajustes na política de preços com o objetivo de recuperar mercado, mas até aqui não foram efetivos.

A própria companhia reconhece nos seus balanços trimestrais o prejuízo na geração de caixa decorrente da política adotada.

Outra falácia repetida 24 horas por dia diz respeito a suposta “quebra da Petrobrás” em consequência dos subsídios concedidos entre 2011 e 2014.

A verdade é que a geração de caixa da companhia neste período foi pujante, sempre superior aos US$ 25 bilhões, e compatível com o desempenho empresarial histórico.

Geração operacional de caixa, US$ bilhões: 2011, 33,03; 2012, 27,04; 2013, 26,03; 2014, 26,60; 2015, 25,90; 2016, 26,10 e 2017, 27,11.

A Petrobrás é uma empresa estatal e existe para contribuir com o desenvolvimento do país e para abastecer nosso mercado aos menores custos possíveis.

A maioria da população quer que a Petrobrás atue em favor dos seus legítimos interesses, enquanto especuladores do mercado querem maximizar seus lucros de curto prazo.

Nossa Associação se solidariza com os consumidores brasileiros e afirma que é perfeitamente compatível ter a Petrobrás forte, a serviço do Brasil e preços dos combustíveis mais baixos e condizentes com a capacidade de compra dos brasileiros.

Associação dos Engenheiros da Petrobrás (AEPET)

Leia também:

Rodrigo Vianna: Sombras sobre o Brasil

Apoie o VIOMUNDO

Crowdfunding

Veja como nos apoiar »

O lado sujo do futebol

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Entre os mais vendidos da VEJA, O Globo, Época e PublishNews. O Lado Sujo do Futebol é o retrato definitivo do que acontece além das quatro linhas. Um dos livros mais corajosos da história da literatura esportiva, revela informações contundentes sobre as negociatas que empestearam o futebol nos últimos anos. Mostra como João Havelange e Ricardo Teixeira desenvolveram um esquema mafioso de fraudes e conchavos, beneficiando a si e seus amigos. Fifa e CBF se tornaram um grande balcão de negócios, no qual são firmados acordos bilionários, que envolvem direitos de transmissão e materiais esportivos. Um grande jogo de bolas marcadas, cujo palco principal são as Copas do Mundo.

por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet.

Compre agora online e receba em sua casa!

 

7 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Edson Eugênio Barboza

27/06/2018 - 16h06

verdade estamos falando de acontecimentos no Brasil é provável que um candidato condenado ele lula realmente é um bandido alguém que realmente roubou deixou roubar esta provado e provavelmente sera candidato e ganha A eleição por culpa de eleitores irresponsáveis que não sabem decidir corretamente pena a ignorância atrapalha o progresso l

Responder

Severino Silva de Araújo

24/05/2018 - 22h24

A culpa de o Brasil está desse jeito é de nós todos os brasileiros que só pensa no próprio umbigo, nós temos uma força para mudar tudo isso, o voto que depositamos nas urnas, agora depende de todo nós mudamos isso. Se cada um de nós brasileiro pensar no próximo iremos mudar o Brasil. #VAMOS MUDAR O BRASIL.

Responder

Érica

24/05/2018 - 09h18

É culpa do PT, o velho clichê de sempre. Tudo de ruim que a acontece é culpa do PT e tudo de bom que acontece é por causa dos nossos gênios Temer e meirelles.
Vai ficar inviável ter carro. E é culpa do PT e da variação do dólar.

Responder

    dane-se

    25/05/2018 - 02h33

    Vai catar coquinho analfabeta política.!!!!!

    leonardo-pe

    25/05/2018 - 16h10

    cara érica, esse dane se é um típico infantil midiotizado. mais 1 que passa recibo.

Olavo

24/05/2018 - 06h35

PARENTE E MIRIAM LEITÃO MANDAM NO PEDAÇO. NÃO ADIANTA CONVERSAR COM O TEMER

Parente e Mirian Leitão ditam a política de preços da Petrobras. Portanto, os caminhoneiros vão ter que negociar com o Pedro Parente e a Rede Globo de Televisão. Na realidade é a Rede Globo quem manda em tudo no BraZil e os caminhoneiros deveriam se dirigir diretamente à Vênus Platinada para resolver o problema.

É o que sugere PHA neste vídeo:

https://youtu.be/RytTcHGgWUI

Responder

Julio Silveira

23/05/2018 - 22h09

O problema do Brasil atual é gigante. Por que, enquanto a gente, distraidos, tentamos defender a frente com a Petrobras, eles já estão entrando pelos fundos com a Amazonia, já possuiram a Embraer e estão na iminencia de desfrutarem de Alcantara. E, com o que já foi entregue, praticamente doado a base de moedas podres, na outra gestão, do outro entreguista o parceiro de golpe o tucano FHC, para sermos considerados estado lacaio, colonia, estamos muito perto. E tem gente desnaturados que já criou seu modelito de bandeira metade Brazil metade States e desfilaram com ela sob aplaudos na maior desfaçatez, no maior discaramento, os safados.

Responder

Deixe uma resposta