VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Em BH, protesto contra noticiário tendencioso teve grito de “a verdade é dura”


11/07/2013 - 19h44

Foto: Benedito Maia / Sindieletro-MG

Protesto em frente à TV Globo fecha Dia Nacional de Lutas em BH

Qui, 11 de Julho de 2013 17:05 Portal Minas Livre – Thaíne Belissa e Thaís Mota

do Portal Minas Livre

Trabalhadores de diversas categorias percorreram Belo Horizonte em luta geral. Protesto passou pela Prefeitura de Belo Horizonte, Banco Central, Assembleia Legislativa, Cemig, Elevado Castello Branco e sede da TV Globo, em Minas

Um grande protesto em frente à sede da TV Globo em Minas Gerais fechou o Dia Nacional de Lutas em Belo Horizonte, nesta quinta-feira. Os trabalhadores protestaram pela democratização da comunicação.

“O protesto em frente à Globo é uma resposta à imagem negativa e tendenciosa que televisão passa à população das manifestações, dos atos e protestos dos movimentos sociais, sindicais e estudantis”, afirmou Joceli Andrioli, do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

O clipe é de Lidyane Ponciano:

A verdade é dura. A Rede Globlo apoiou a ditadura. from Lidyane Ponciano on Vimeo.

Os trabalhadores percorreram vários quilômetros desde a Praça Sete, passando Prefeitura de Belo Horizonte, Banco Central, Assembleia Legislativa e Cemig, onde fizeram um coro e vaiaram a direção da empresa.

O coordenador geral do Sindicato dos Eletricitários de Minas Gerais (Sindieltro-MG), Jairo Nogueira Filho, denunciou o repasse de R$4,5 bilhões de lucro para acionistas, enquanto a população paga uma das tarifas mais caras do Brasil.

Ele também lembrou a média de cinco mortes de trabalhadores da Cemig por ano. “Conseguimos fazer um grande ato hoje em Belo Horizonte e cumprimos nosso papel nessa luta.

A manifestação em frente à Cemig foi importante porque a empresa simboliza o que há de pior no atual governo neoliberal em Minas Gerais, com precarização dos serviços e má qualidade dos serviços”, afirma.

Em seguida, os manifestantes seguiram para o Viaduto Elevado Castello Branco e pediram a mudança do nome da via, que lembra o período da Ditadura Militar no Brasil. A substituição seria pelo nome de Helena Grecco, que teve grande importância na defesa dos direitos humanos e da cidadania em Minas Gerais.

[Participe da campanha de assinaturas do Viomundo clicando aqui]

A presidenta da CUT-MG, Beatriz Cerqueira, afirma que a manifestação não somente foi positiva, como foi melhor que o esperado. “Em Minas construimos uma rede de mobilização que não é formada só por sindicatos, mas por movimentos populares, estudantis, juvenis.

Fizemos uma longa caminhada hoje que superou as expectativas”, afirma. Ela acredita que o movimento já teve resultados imediatos, como a reunião com o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Dinis Pinheiro (PSDB), mas ainda deve gerar outras mudanças.

“São protestos assim que pressionam o governo”, diz.

O diretor do Sindieletro-MG, Arcângelo Queiroz, destaca a participação da população e o ambiente de luta pacífica. “O medo não foi para as ruas.

As pessoas abriam as janelas, tiravam fotos, acompanhavam das calçadas. Além das questões das centrais sindicais, a manifestação também trouxe reivindicações da classe trabalhadora, como o fim do fator previdenciário e da terceirização e a redução da jornada de trabalho”, afirma.

Paralisação

Desde as primeiras horas do dia,diferentes categorias já haviam aderido à greve geral. No início da manhã, manifestantes se dirigiram às estações do Barreiro, Venda Nova, Diamante e São Gabriel para impedir a saída dos ônibus.

Além disso, os metroviários também aderiram à paralisação e as estações de metrô estão fechadas. Uma liminar expedida pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) na noite de quarta-feira (10) determina que o metrô realize operação em escala mínima nos horários de pico com 50% dos trens circulando das 5h20 às 9 horas e das 17 às 20 horas. Entretanto, a categoria entendeu que a medida foi abusiva e manteve a paralisação total.

Em Contagem, duas importantes vias da cidade foram fechadas por metalúrgicos no início da manhã. As avenidas Amazonas e Cardeal Eugênio Pacelli foram completamente bloqueadas nos dois sentidos por um grupo de manifestantes.

Protesto tem várias bandeiras

Cumprindo a programação nacional, trabalhadores, estudantes e participantes dos movimentos sociais estão realizando nas ruas de BH, do interior de Minas e em todo o Brasil uma grande manifestação em defesa do transporte público de qualidade, investimento de 10% do PIB para a educação e 10% do orçamento da União para a saúde.

Também cobram maior investimento dos estados e municípios para melhorar o atendimento à população. Manifestantes vão protestar contra a terceirização sem fim, cobrando o arquivamento do Projeto de Lei 4.330, a eliminação do fator previdenciário e a valorização das aposentadorias.

As bandeiras dos trabalhadores incluem a defesa da redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, sem redução dos salários e o fim da dispensa imotivada. Além disso, os manifestantes vão defender a reforma política, auditoria nas grandes obras públicas, passe livre para estudantes e o fim das parcerias público-privadas (PPPs).

(Com informações da CUT-MG e Sindieletro-MG)

Leia também:

Leia os documentos revelados pelo Cafezinho e o livro Afundação Roberto Marinho

 

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


11 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Mídia global prova do próprio veneno | A Tal Mineira – Blog da Sulamita

05 de agosto de 2013 às 21h22

[…] diferenciada sobre os protestos em Beagá, onde a mídia global também foi alvo. Com direito a vídeo de Lidyane Ponciano, diretora do Sindicato dos Jornalistas de […]

Responder

Luiza Maria Toti

17 de julho de 2013 às 21h38

Nós precisamos trabalhar o seguinte “slogan”: “Desligue a rede GLOBO. Saia de casa, vá visitar um amigo ou quem sabe fazer novas amizades. Precisamos dialogar mais, deixar de assistir a programas que não nos acrescentam nada. Precisamos interagir com o outro, trocar ideias, revitalizar o tão desgastado relacionamento humano.

Responder

Luciano

13 de julho de 2013 às 11h41

Essa Globo prejudica o país de todas as formas.

Responder

Luciano

13 de julho de 2013 às 11h39

Dinheiro sonegado que poderia ir para a saúde e educação.Essa Globo prejudica o país de todas as formas

Responder

renato

12 de julho de 2013 às 20h44

Belo Horizonte me representa. parabéns.

Responder

Adilson Filho: Provocadores e mídia marcam protesto nas ruas do Rio - Viomundo - O que você não vê na mídia

12 de julho de 2013 às 09h57

[…] Em BH, o grito de “a verdade é dura” […]

Responder

Em SP, ato contra monopólio da Globo tem queima de DARF de R$ 1,5 bilhão por sonegação - Viomundo - O que você não vê na mídia

12 de julho de 2013 às 00h32

[…] Em BH, protesto contra noticiário negativo e tendencioso […]

Responder

anderson

11 de julho de 2013 às 23h14

SEGUE INFORMAÇÃO:
http://www.novojornal.com/politica/noticia/tjmg-processo-que-incrimina-governantes-mineiros-desaparece-10-07-2013.html
TJMG: Processo que incrimina governantes mineiros desaparece
Certidão do TJMG atesta que processo contendo provas de corrupção,assassinato e suborno que incriminam o grupo de Aécio Neves desapareceu
Marco Aurélio Carone
Só mesmo através da interferência de organismos internacionais a moralidade e legalidade poderão ser restauradas em Minas Gerais. Á princípio imaginava-se que uma intervenção federal seria suficiente para por fim as constantes quebras das garantias civis e do Estado Democrático de Direito, porém sabe-se agora que a organização criminosa que opera em Minas Gerais tem apoio e até mesmo participação de integrantes da máquina pública federal.

Hoje sem medo de cometer injustiça, pode-se afirmar que os diversos Poderes do Estado de Minas Gerais encontram-se reféns de um grupo criminoso que ameaça, intimida, frauda, seqüestra e mata sob a proteção das instituições do Governo do Estado. A Polícia, o Ministério Público e a Justiça que deveriam combater a organização criminosa estão imobilizadas devido o comprometimento de seus dirigentes.

Não se pode isentar de culpa nem mesmo o governador, Antonio Anastasia, uma vez que é de seu total conhecimento o que vem ocorrendo no Estado. É bem verdade que Anastasia herdou de Aécio o esquema criminoso já montado, entretanto a permanência do mesmo assim como de seus integrantes junto à máquina pública estatal indiscutivelmente depende de sua cumplicidade.

Como já narrado em outras reportagens, Minas Gerais se transformou em um Estado perigoso de se viver, e principalmente para constituir família e criar filhos, em função da inversão de valores após a eleição de Aécio Neves em 2002. Diante de seus vícios e hábitos, sua ida para o Poder representou a captura das instituições do governo por seus companheiros de vício e práticas.

Literalmente, a droga, a corrupção e a pederastia, (não confundir com homossexualismo, opção sexual) passou a ser quesito primordial para escolha de seus assessores e auxiliares. Evidente que a imprensa pouco falou a este respeito devido à censura imposta, contudo os que não eram adeptos do vício e das práticas de Aécio foram afastados do círculo do Poder.

Até mesmo no interior do Estado, tal fato ocorreu através da eleição de prefeitos e vereadores adeptos do que se convencionou chamar de “modelo Aécio”.

Por justiça, é necessário destacar que a grande maioria dos integrantes do TJMG e do MPMG vem lutando contra este estado de desmanche institucional, porém, desembargadores, juízes, promotores e procuradores são impotentes diante do comprometimento de seus dirigentes com o “modelo Aécio”.

Durante seis anos tramitou no TJMG o processo nº 0024.06.001.850-4 oriundo do inquérito nº 1027539, colhendo provas e depoimentos de integrantes e vítimas do esquema criminoso montado no Poder Judiciário, no Ministério Público e na Polícia Civil do Estado de Minas Gerais, até que o mesmo foi noticiado por Novojornal.

A partir deste momento o processo passou a tirar o sono de Aécio Neves, pois as investigações fatalmente chegariam a ele devido seu envolvimento em fatos apurados e citados nas investigações e da comprovada participação de seus principais assessores e amigos no esquema criminoso.

Além de Aécio, grandes empresários, advogados e alguns integrantes dos Poderes, Executivo, Legislativo, Judiciário do Ministério Público e da Polícia Civil de Minas Gerais também passaram a temer o processo.

Após a instauração do inquérito nº 3530 no STF em Brasília devido ao atentado contra Nilton Monteiro atribuído a Clesio Soares Andrade, Eduardo Azeredo e Walfrido dos Mares Guia o processo anteriormente citado passou a ser cobrado insistentemente pela Polícia Federal, pelo STF e CNJ e ninguém o encontrava.

Segundo seus colegas, incansável foi à busca pelo advogado Dino Miraglia, nas diversas varas por onde passou o processo para encontrá-lo e comprovar serem verdadeiros os documentos e fatos narrados por Milton Monteiro, que embora não condenado, se encontra preso por prazo “indeterminado” sob a acusação de falsificação de documentos. Diante da insistência do Dr. Dino o TJMG foi obrigado a certificar que o processo havia desaparecido.

Consta da representação do Dr. Dino ao CNJ, que o delegado Nabak, vem avocando todas as investigações que tenham relação com o grupo criminoso a exemplo dos inquéritos que estavam sob sua presidência quando de sua transferência do DEOESP e de ser o responsável pelo desaparecimento do processo.

A atuação do delegado é igualmente investigada em vários procedimentos instaurados pelo Ministério Público Mineiro e através da Ação Penal do processo nº 0024.13.003.776-6 por ter ameaçado de morte o advogado de Monteiro, Dr. Dino Miraglia.

Enquanto isto, Nilton Monteiro permanece como preso político do PSDB mineiro, tendo em vista ter entregado a “Lista de Furnas”, a “Lista do Mourão”, AP 2280 ao STF e por ser a principal testemunha de acusação no processo do “Mensalão Tucano”. Segundo versão corrente no meio jurídico, dificilmente o mesmo sairá vivo da prisão, principalmente, após o atentado conforme apurado no inquérito 3530 do STF.

Novojornal teve acesso à representação do Advogado Dino Miraglia e de Milton Monteiro ao Conselho Nacional de Justiça – CNJ, acompanhada das principais peças constantes do processo desaparecido.Tais peças são disponibilizadas com exclusividade para nossos leitores. Trata-se de documentos que chocam qualquer cidadão comum, pois mostram as vísceras do Poder construído por Aécio Neves e seu grupo.

Importante: Todos os documentos apresentados nesta reportagem estão autenticados e a disposição do TJMG com o advogado Dr. Dino Miraglia, caso o Tribunal queira restaurar o processo desaparecido.

Responder

Protesto contra Globo em BH | Brasil Unido

11 de julho de 2013 às 22h39

[…] Fonte: https://www.viomundo.com.br/denuncias/em-bh-protesto-contra-noticiario-negativo-e-tendencioso.html Curtir isso:Curtir Carregando… […]

Responder

renato

11 de julho de 2013 às 22h24

Abaixo a rede Globo!

A partir de agora estão disponíveis mais R$ 7 bilhões em crédito para a agricultura, sendo R$ 4 bilhões para a agricultura familiar e R$ 3 bilhões para os produtores médios e grandes. “Esses novos recursos reforçam a continuidade dos investimentos do Governo Federal para melhorar a convivência do sertanejo com a estiagem”, explicou o ministro Fernando Bezerra Coelho.
Gostei!!!

Responder

FrancoAtirador

11 de julho de 2013 às 20h17

.
.
Belo Horizonte-MG

O GIGANTE SONEGADOR ACORDOU COM O GRITO DO TRABALHADOR

“A verdade é pura, a Rede Globo apoiou a ditadura!”

Depois de se concentrarem na praça Sete na manhã desta quinta-feira (11), manifestantes mineiros que aderiram ao Dia Nacional de Mobilização e Greve realizaram uma passeata pelo centro de Belo Horizonte e seguiram pelas ruas da avenida Presidente Carlos Luz, conhecida também como Catalão, no bairro Caiçara, na região Noroeste da capital.

A Globo Minas foi o ponto final da manifestação.
Segundo a Polícia Militar, o grupo formado por cerca de 7 mil pessoas, se posicionou na frente da Rede Globo Minas, localizada na avenida América Vespúcio e cada representante sindical falou no megafone por dois minutos.

A sede da emissora, que estava protegida por barras de ferro desde a última manifestação ocorrida na avenida Antônio Carlos, foi cercada pelos manifestantes. As grades foram retiradas e o local foi ocupado, mas não houve registro de conflitos.

O grupo, munido de cartazes e faixas, fez coro ao gritar:

“A verdade é pura, a Rede Globo apoiou a ditadura!”.


Manifestantes protestaram em frente à Globo Minas

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.