VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


El Pais: Brasil desiste de trazer os médicos cubanos
Denúncias

El Pais: Brasil desiste de trazer os médicos cubanos


22/05/2013 - 05h00

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



48 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

karol

25 de maio de 2013 às 14h28

Lamentavel.

Particularmente alguns Estados necessitam de profissional principalmente para Atenção Básica, onde os médicos mandam e desmandam com a carga horaria de 60h, ficam apenas 2 dias, atendem 10 a 15 pacientes e olhe olhe, mudam constantemente de lugar,querem trabalhar em muitos lugares e deixam a desejar no atendimento. Precisamos de profissionais dessa área que queiram realmente cuidar da população e não apenas ganhar dinheiro, esnobam 15 mil reais, muitas regalias se não for para trabalhar apenas 2 dias, é mole?!. Pois que venham os cubanos.

Responder

Vander

24 de maio de 2013 às 19h33

Os médicos cubanos são especializados em prevenção e atendimento a populações carentes e não torcem a cara para atender pessoas que não são “limpinhas” como as dos Jardins, Higienópolis, Ipanema, Leblon… Nossos médicos elitistas e mercenários que desrespeitam as demais profissões ao julgar que 12 mil reais por 6 horas de trabalho é baixo salário, são defendidos por órgãos de classe sem real interesse na saúde da população do seu próprio país. Dizer que no interior e periferias o médico não tem condições de “crescer”, significa: tem menos chances de ficar rico em pouco tempo com o gordo salário mais a participação nos lucros ao receitar remédios caros, muitas vezes desnecessários, que os laboratórios deixam como suborno nos consultórios (lugar de representante comercial é nas farmácias!). Não trazer médicos comprometidos com um trabalho decente e respeitoso com os pacientes é a maior covardia que o governo pode cometer contra essa população carente.

Responder

Malvina Cruela

23 de maio de 2013 às 08h38

espanhóis??? portugueses???? pronto..começou de novo a colonização..eles vem completar a chacina de habitantes da América do Sul que começaram em 1500???? não basta a recolonização que fizeram através das telefônicas que prestam o pior serviço do mundo pelo mais alto preço do mundo???
nós não aprendemos nunca????

Responder

Jussara

22 de maio de 2013 às 19h46

É uma pena que o governo tenha recuado… Nada contra trazer médicos de Portugal e Espanha, mas deveria trazer os de Cuba também, e todos fazem o exame de revalidação do diploma. (Mas acho que muitos médicos brasileiros também não passariam nesse exame…) O fato é o seguinte: o governo deu uma solução para atender as comunidades carentes e afastadas, onde nossos “médicos” que querem ganhar fortunas com seus consultórios, clínicas e hospitais não querem ir trabalhar. Então, se a sociedade médica é contra, que dê uma solução para o problema… arranje 6 mil médicos pra trabalharem nesses rincões. Aliás, por que o Congresso não vota a lei do Cristóvão Buarque, de que todo médico – que deveria ser estendido para todos os outros profissionais de saúde e educação,advogados,engenheiros,
e todas as profissões que possam colaborar com a população – recém- formado que tenha estudado em universidade/faculdade (e até curso técnico) pública, paga com o dinheiro dos impostos de todos, seja obrigado a trabalhar por no mínimo dois anos no serviço público, exatamente nesses lugares onde há permanente falta de médicos. Porque outro fato é que em universidades como USP, por exemplo, mais de 50% dos alunos vêm das classes A e B. Claro que os novos médicos receberiam pelo trabalho, mas teriam que de alguma maneira retribuir a população que o ajudou a estudar. Por que essa lei não anda no Congresso? Não seria uma maneira de ir resolvendo a situação a médio prazo? Depois podem ser chamados também a ajudar os recém-formandos do Prouni, que também poderiam continuar como profissionais nas comunidades onde já trabalham.

Responder

Altemar

22 de maio de 2013 às 19h17

Não quero banalizar o nome porque pode cair no esquecimento mas a presidenta está com a deixa e o momento nunca foi tão oportuno para a criação do “PAC DA MEDICINA”, simples assim, demanda/oferta.
Imaginem só “Escola Brasileira de Medicina”, aí ministro! tá esperando o que?

Responder

Ministério da Saúde diz governo não desistiu de médicos cubanos - Viomundo - O que você não vê na mídia

22 de maio de 2013 às 19h03

[…] publicada ontem pelo Terra e repercutida no El Pais anunciava que o ministro Padilha teria afirmado que o Brasil receberá mais médicos estrangeiros, […]

Responder

JOTACE

22 de maio de 2013 às 18h47

MAIS RACISTAS PARA O BRASIL ?

Comentários de internautas sobre medidas que deveriam ser tomadas se o Brasil adotasse uma política de reciprocidade na questão do tratamento de brasileiros nos aeroportos espanhóis (Ver artigo de Mauro Santayana intitulado “A Xenofobia Espanhola e a Reciprocidade Brasileira” e que tem informação ainda mais completa)

SOBRE AS MEDIDAS DE RECIPROCIDADE:

128.-Solución sencilla y que aplicaría cualquier país que se preciara un poco y que tuviera un líder con lo que hay que tener: expulsión masiva de los inmigrantes brasileños en España, unos 150 mil legales y probablemente unos 50 a 100 mil más ilegales. En su inmensa mayoría población de baja estofa, que se mueve en círculos de economía sumergida o ya claramente delictiva, es decir putas y maricones [chaperos y travelos]. A la calle con ellos. Si es que nos están ofreciendo la ocasión en bandeja de echar a esta chusma parásita. Y a ver si también la UE hace algo por una vez.

#138 Si, majosalao, si. Los españoles hemos creado mucha riqueza en Brasil. En cambio, de ellos, tenemos sus “doctoradas” que ejercen en la universidades a pie de carretera. Ellos, son los mayores delincuentes, de todos los que conozco, no hay ninguno decente, que trabaje honradamente, el que no trapichea, roba. Mi esposa es de allí, y al llegar aquí, lo primero que dijo fue; Dios mío, entre unas y otros, nos llenan de vergüenza. No tenemos trato con nadie de sus compatriotas, por motivos obvios.

120.-Este truño del gobierno brasileño es totalmente absurdo. En todos los países sudamericanos, hay un 80% de la población que vive con sueldos de 200 € al mes o menos. ¿Qué ocurre? Pues si esa gente viene a Europa, limpiando casas o haciendo trabajos no deseados por nuestros aborígenes, ganan entre 1000 y 1500 € mensuales. Por ello, es muy común que muchos quieran venir de vacaciones y quedarse ilegalmente aquí. Y por ello, se imponen políticas muy restrictivas con esa gente. Como yo no creo que el que vive aquí y gana 1500 € quiere ir a brasil a ganar 200 €, no se entiende que ese y otros países decidan calcar las políticas nuestras cuando las situaciones son diferentes. Ellos necesitan capitales y turismo para desarrollarse. Si ponen trabas, mejor para nosotros, más españoles invertirán en españa y más trabajo para los españoles. Por envidia, orgullo y por estupidez, ellos están actuando en contra de sus intereses. Allá ellos, más tiempo les durará la pobreza. Y hablo de países sudamericanos, como Brasil, Bolivia, …, que quieren aplicar las mismas políticas restrictivas que nosotros con circunstancias diferentes.

97.-Esto es producto de ataque de grandeza “brasuca” y del complejo que tienen como la mayoría de los otros sudamericanos, bañados en una gran epidemia de envidia. Quieren jugar a ser una potencia mundial. En los medios oficiales, se les llena la boca de propagar ser “o sesto pais mais rico do mundo” [ que Dios nos coja confesado por su estúpido nacionalismo cutre Y eso ya desde mi última visita, hace casi cuatro años. Viví allí mucho tiempo, cree trabajo [ estaba mal visto; esa cosa no les gusta mucho, ellos al “forró” y caipirinhas ]. Pobrecitos, me dan pena, quieren comparar nuestros técnicos que están allí la gran mayoría en empresas españolas, con sus “técnicas” que están aquí dando “docencia” en las “universidades” que hay al pié de carretera. De su repugnante sistema sanitario, prefiero no hablar. De la corrupción de sus autoridades, ya ni comento. La corrupción es el sistema. Las bolsas de pobreza son dignas de ejemplo. Les podría decír miles de cosas. ¿ Que siguen así ?.- Visado para ellos y punto. ¿ Que les causan problemas a nuestras Multis ?.- No pasa nada: Indemnización, se les deja solos y a los 5 años, están otra vez, pidiendo que volvamos.Serían otras condiciones.

7.-El problema no es tan simple como eso… Muchos españoles han invertido dinero en Brasil sobre todo durante la burbuja inmobiliaria y se ven abocados a seguir manteniendo relaciones con ellos. Una de los grandes problemas que han sido engañados y después de invertir no pueden abrir cuenta corriente, por ser extranjeros con lo que se les complica muchísimo la administración y venta de esos inmuebles. Como primera medida habría ya que aplicarles la ley de la reciprocidad [como dicen que hacen ellos] y suprimir todas las cuentas corrientes que tienen los no residentes brasileños en España. Y tantas otras cosas. Luego en lo que respecta al tráfico de personas la mayoría de los brasileños que vienen a España es para ejercer la prostitución mientras que la mayoría de los españoles que van a Brasil es para generar riqueza, ya sea de turismo gastando o invirtiendo. No se lo que harán en las aduanas pero en mi último viaje a Natal volví con una fulana a mi lado que incluso se atrevió a ofrecerme sus servicios en vuelo. ¡De coña!. ¡Pero si Brasil es un país tercermundista donde la mayoría de la población mal vive y unos cuantos tienen toda la riqueza!. ¡Dejemos de chorradas!.

11.- #5 Te recuerdo que estamos hablando de Brasil, no de Chile o de USA o estas muy mal informado o que te pagan por escribir estas bobadas… Yo llevo 10 años con negocios y viajando a Brasil y se de lo que estoy hablando. Brasil, aunque se le llame país emergente, es un país tercermundista en la mayoría de los aspectos y la mayor parte venían a España es para buscarse la vida, sobre todo ejerciendo la prostitución [putas y travestis]. Como ahora las cosas han cambiado y nuestro país no está para eso y ven que algún español está intentando ganarse la vida ahí, nos salen con estas normas. Cuando nosotros hemos admitido a miles de indocumentados aquí. Los que van a esas universidades que los españoles no podemos pagar?, serán los hijos de los terratenientes y la oligarquía brasileña que, eso si, viven como enanos mientras la mayoría de sus ciudadanos están en la miseria. Los brasileños han engañado y siguen engañando a muchos españoles [y a España] que han invertido allí, porque es un país donde el engaño está a la orden del día [mucho más que aquí]. Para conocer un país hay que vivir, hacer negocios y viajar en el, no tener un par de amigos ricos que te cuenten una milonga.

18.- #6 ¿Reunificación familiar? Mira, si yo necesito a alguien que me haga un trabajo -pongamos un fontanero- lo contrato, hace el trabajo, le pago y se va. No necesito que se traiga a su madre, ni a los cincuenta hermanos y a los ochocientos medio hermanos. Mucho menos a su padre [divorciado de su madre] que está encamado con otra y esa otra ya tiene dos churumbeles y otro cociéndose en el bombo. Si es muy simple: vienen, curran, cobran y se vuelven al lugar de donde han venido. Todo limpio y ordenado.

24.- #15 He invertido ahí porque me ha dado la gana y porque, desde luego, desconocía los entresijos del país. He sido un pardillo, lo reconozco, y por eso lo cuento para que a los demás no les ocurra lo mismo que a mi. A Brasil hay que ir de turismo y a lugares donde la seguridad este controlada y disfrutar de su naturaleza. No hay que invertir en nada hasta que los extranjeros no podamos tener cuentas corrientes y se hagan otras reformas. Que se queden ellos con lo suyo y hasta que abrán las fronteras no se les compra nada, ni se deja entrar a nadie en la CEE. Y si se echa algún polvo a alguna lugareña mucho cuidado que luego llega toda la parentela…

31.- #25 Pues a ver si das tu alguna muestra tu de intectualidad… o por lo menos aporta algo nuevo al debate. Yo por lo menos aporto la experiencia que tengo haciendo negocios y viajando en ese país durante 10 años. Ya sabemos que los extremos nunca existen al 100% pero la generalidad de lo que sucede esta claro. Ahora que nosotros no estamos bien, esos cabrones nos suben los requisitos de entrada y para hacer negocios de una manera brutal y cuando era al revés nosotros les hemos dejado pasar como perico por su casa. ¡¡Esa es la correspondencia brasileña y la puta verdad!!. Y ahora frente a su pueblo, en general ignorantes, sacan pecho diciendo lo del orgullo patrio, la ley de la reciprocidad y otras zarandajas mientras sus políticos se lo llevan crudo [casi como los nuestros en eso nos parecemos].

34.- #30 Pero, ¿de que estás hablando?. Los que pedimos reciprocidad somos nosotros, ¡a ver si te enteras!. Mientras nosotros hemos hecho muchísimas inversiones importantes allí, ellos nos han llenado el territorio nacional de putas y travestis, con sus respectivas familias y España les ha acogido porque esta gente no tenía donde caerse muerta en sus país. ¡ A ver si os enteráis!. Y ahora que aquí las cosas no andan bien nos ponen todo tipo de problemas, no para ir a poner culo, como han hecho ellos, sino para ir a generar riqueza.

49.-Por mi, que les den por ahí… ¿Quién tiene interés en ir a uno de los países más corruptos e inseguros de América? 50.-

#30 lo de Brasil potencia Mundial, lo estoy oyendo desde los 60. Se decía que a fin de siglo superaba a Rusia que entonces se la tenía por segunda. Pasó el Fin y el Siglo. Un pueblo para progresar lo primero es su educacdión, y si tiene educación es posible que encuentre buenos dirigentes. Y a partir de ahí podemos hablar. Comparar Brasil, a como estábamos en España hace 20 años es ser un advenedizo. Cuando murió Franco en el 1975. España era la 9ª Poténcia Industrial del Planeta.

Esta é a opinião de muitos espanhóis sobre o Brasil, inclusive dos que viajam para cá frequentemente. Ver artigo de Mauro Santayana intitulado “A XENOFOBIA ESPANHOLA E A RECIPROCIDADE BRASILEIRA”.

Responder

Eduardo

22 de maio de 2013 às 18h25

Sugestão para solucionar a falta de médicos: Criar muitas faculdades de medicina gratuitas com hospitais escola nas regiões mais carentes do país.Estabelecer que as vagas somente podem ser preenchidas por estudantes carentes,incluindo cotas reservadas para Nordestinos,afrodescendentes,indios e outros excluidos. Atribuir excelência ao ensino, preferencialmente contratando professores oriundos dessas regiões e do exterior. Os diplomados deverão trabalhar na região por prazo razoável.Formar médicos especificos para as classes C,D e E.Garantir-lhes emprego pelo SUS. O interior e os rincões não precisam de “Mauricinhos”,precisam sim de atendimento básico à saúde e medicina preventiva. Um governo para o povo deve esquecer CFM, CRM e agir. As Ditaduras de profissões que reservam mercado à custa da vida alheia são imorais.Precisam ser superadas. Plageio o FHC ” Assim não dá “.

Responder

Luciano Bezerra Gomes

22 de maio de 2013 às 17h56

Azenha: isto foi desmentido pelo governo, pois foi uma interpretação equivocada de fala do Padilha. O que foi afastado foi a possibilidade de vinda de estrangeiros formados em Cuba na Escola LatinoAmericana de Medicina (ELAM), mas não a vinda de médicos cubanos formados nas faculdades daquele país. Isto se deve ao fato de que a ELAM realiza uma formação de apenas 4 anos que permite aos estudantes entrarem em processos de complementação da formação na própria ilha, para poderem concluir o curso. No link abaixo tem a transcrição da fala do ministro que causou confusão: http://www.pragmatismopolitico.com.br/2013/05/resposta-a-terra-e-el-pais-brasil-nao-desistiu-dos-medicos-cubanos.html

Responder

J Tavannes

22 de maio de 2013 às 17h51

Prefiro aguardar a notícia oficial. Afinal, El País é tão confiável quanto EL PIG do Brasil, êh êh êh…

Responder

Nelson

22 de maio de 2013 às 16h39

Então, o problema nao era só com os médicos cubanos, mas também com os iranianos?
Seria mera coincidência o fato de Cuba e Iran terem, há várias décadas, governos que não se submetem aos ditames dos governos dos EUA?

Pusilanimidade e subserviência, ao mesmo tempo. Coisas que, lamentavelmente, não é a primeira vez que aparecem em “nossos” governos.

Responder

Janah

22 de maio de 2013 às 14h06

Quem acredita em el país? Eu não!
Só vou acreditar se a Dilma vir a público e confirmar.

Responder

Ricardo

22 de maio de 2013 às 13h20

É piada, isso, certo?…

Responder

lidia virni

22 de maio de 2013 às 13h09

Cadê ocomunicado oficial? Até lá nem comento. E quem falou em médicos da ELAM? Haja disse que disse.

Responder

Rodrigo Leme

22 de maio de 2013 às 12h58

Trocando em miúdos, estragaram a festa de trazer médicos do pais “companheiro” sem validação do diploma. Precisa de validação do diploma, não dá pra trazer de lá.

Responder

    Djijo

    22 de maio de 2013 às 16h51

    Prefiro esperar e não concluir apressadamente, como certos “companheiros”.

    Fernando

    22 de maio de 2013 às 17h10

    Não meu caro. Se a noticia for verdadeira, o que se troca em miudos é que venceu a pressão de uma entidade porco-rativa preocupada unicamente com os interesses de uma classe profissional que não tem nenhum compromisso com nossa sociedade.

Ricardo Macedo

22 de maio de 2013 às 12h39

Quer dizer que o EL PAIS ja definiu estas contratações?

Responder

Ted Tarantula

22 de maio de 2013 às 12h31

Isso é o tipo de profecia fácil de fazer..é exatamente o que vai acontecer. Ninguem desse governo de covardes vai ter coragem de comprar essa briga com a corporação médica. Imagine o que aconteceu ano passado com o pobre Duvanier Paiva Ferreira (secretario de recursos humanos do ministério do planejamento, que não era exatamente um pobre diabo como nosotros). Que foi deixado morrer sem socorro depois de percorrer todos os hospitais de Brasilia com enfarto. Só pq era negro, por puro racismo. Quem desse governo teria coragem de procurar um hospital se trouxesse os cubanos???? Médicos e juízes…médicos e juizes..ahhhh
ao menos no inferno não vai ser difícil encontra-los aos magotes..

Responder

Wellington Cecotte

22 de maio de 2013 às 11h34

Viva a Globo e os reaças de plantão… teremos por aqui a “fina nata médica” do primeiro mundo falido… em vez dos comunistas médicos cubanos…
Tirando a ironia… acho muito improvável que esses médicos europeus aguentem muito tempo no meio da floresta amazônica ou do nordeste… com poucos recursos quase sem comunicação…
Bem… a lógica não conta nada neste caso… o que vale mesmo é uma ideologia barata de botequim da classe média… e os interesses da classe médica rica do Brasil… que estão pouco se lixando para o que acontece nos limites extremos do país…

Responder

ejedelmal

22 de maio de 2013 às 11h27

Será que a gente pode ficar com esses médicos de elite, que vêm de España e Portugal, e mandar os carniceiros e curandeiros daqui do Brasil lá pro Acre e pro sertão nordestino? Pô, os caras devem aplicar Botox como ninguém!

Responder

Marcelo de Matos

22 de maio de 2013 às 11h03

Dilma tem mais o que fazer: não vai ficar se engalfinhando com a direita parlamentar por causa dos médicos cubanos. Traremos médicos europeus e os cubanos irão para Portugal e Espanha. Esses países lucrarão nas duas pontas: na compra e na venda, porque os cubanos terão menor custo. Resolvido o problema: o pessoal da direita e do PSOL que arranje outro motivo para criticar o governo.

Responder

    José Vilar da Silva

    22 de maio de 2013 às 14h55

    Prezado, acho que o seu comentário é de um achismo formidável, médicos cubanos na Europa? Duvido muito que isto ocorra. A verdade dos fatos é que estes tais médicos cubanos são na verdade estudantes brasileiros que foram indicados pelo MST sem nenhum critério meritocrático com a benção do Presidente Lula para após a conclusão do curso se arrumar um jeito de trazê-los, pronto, o governo usa o pretexto de faltar médico nos sertões, e isto é verdade, agora além da formação incompleta para o exercício da Medicina no Brasil esses tais médicos teria um papel político estratégico, o contato direto com os eleitores, portanto, por debaixo do jaleco branco de médico a camisa vermelha do PT, isto também ninguém dúvidas. Digo prá todos que se o médico brasileiro tiver a mesma formação dos médicos cubanos conseguida aqui eles não poderão exercer a profissão de médico porque o Conselho da categoria não vai emitir o seu numero de registro. Não existe milagres para resolver o problema da saúde no Brasil, não é somente os sertões que tem problema não e não contratando meia dúzia de médicos que vai resolver o problema, falta infraestrutura e sobra esperteza nesta questão.

    Nelson

    22 de maio de 2013 às 16h33

    Mais um que vê “pelo em ovo”, “chifre em cabeça de cavalo” e “otras cositas más”.

    Fernando

    22 de maio de 2013 às 17h15

    Por falar em achismos voce tem provas das suas afirmações????

Francy Granjeiro

22 de maio de 2013 às 10h42

O PIG TA PUTO….DILMA ACABOU DE MATAR O RESTINHO QUE AINDA TEM.
Dilma Rousseff é a segunda mulher mais poderosa do mundo na lista da Forbes
http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2013/05/22/dilma-rousseff-e-a-segunda-mulher-mais-poderosa-do-mundo-na-lista-da-forbes.htm

Responder

    Willian

    22 de maio de 2013 às 11h45

    Em primeiro ficou Ângela Merkel, em terceiro a mulher de Bill Gates e em quarto a mulher do Obama.

    Bem, a mulher do Lula ficou bem na foto…rs

    Marcos W.

    22 de maio de 2013 às 14h45

    Achas que o Lula é poderoso, Willian?!

FrancoAtirador

22 de maio de 2013 às 10h41

.
.
O MINISTÉRIO DESSE GOVERNO É UM CACHO DE BANANAS

Padilha descarta trazer médicos de escola cubana para o Brasil
Segundo o ministro, a prioridade é incentivar a vinda de profissionais da Espanha e de Portugal

Por Gustavo Gantois, Direto de Brasília, no Portal Terra

O ministro Alexandre Padilha, da Saúde, descartou nesta terça-feira trazer médicos cubanos para atender em municípios do interior do Brasil. No início do mês o Itamaraty anunciou que o Brasil estaria negociando com Cuba um acordo para receber cerca de 6 mil médicos daquele país. Para o ministro, uma das exigências é que os profissionais venham de países cuja formação universitária garanta o exercício da medicina no Brasil.

“Descartamos buscar médicos cujo tempo de formação não é reconhecido no próprio país, como ocorre na Elam (Escola Latino-americana de Medicina), em Cuba [que oferece um curso de especialização de apenas dois anos voltado para a assistência básica em saúde]. A simples formação na universidade não garante o exercício da medicina, há a necessidade de cursos de especialização e residência médica. Tirando isso, não existe, por parte do Ministério da Saúde, nenhuma preferência, mas também nenhuma restrição. Desde que seja um médico formado, com qualidade, não temos preconceito ou restrição”, garantiu Padilha.

O ministro ainda manteve declarações dadas na semana passada de que a prioridade seriam médicos vindos da Espanha e Portugal. Segundo Padilha, já há tratativas com o Ministério da Saúde espanhol e o governo brasileiro pretende trabalhar em um memorando bilateral para estreitar a negociação.

“O Ministério da Saúde da Espanha sinalizou o interesse de ampliar a cooperação conosco, interesse de intercâmbio para o envio de profissionais médicos e interesse de cooperar em projetos específicos para periferias ou municípios do interior”, disse.

Um dos pontos que estão sendo trabalhados com os municípios do interior é que eles acessem recursos do Ministério da Saúde para construir ou ampliar a rede de saúde. Com esse trabalho, as unidades básicas de saúde poderão resolver até 80% dos problemas da comunidade.

Não concordo com a categorização de que um médico que não tenha sido aprovado no Revalida seja chamado de pseudomédico ou médico de segunda categoria porque não admito que falem assim de médicos brasileiros
Alexandre Padilha
Ministro da Saúde
“Os municípios que queiram (receber médicos) terão que acessar recursos para a construção e a ampliação das unidades de saúde. Queremos colocar médicos brasileiros e estrangeiros em unidades cada vez mais com qualidade, para resolver mais perto, nos bairros, o problema de saúde das pessoas”, acrescentou o ministro.

Alexandre Padilha ainda criticou a posição das entidades médicas, que têm sido enfáticas na rejeição à proposta de trazer médicos sem passar pela revalidação nacional dos diplomas. Padilha garantiu que não haverá validação automática dos diplomas e que os médicos terão de passar pelo Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida). O ministro defendeu um “diálogo que seja respeitoso, que não seja agressivo e venha cheio de adjetivos”.

“Não concordo com a categorização de que um médico que não tenha sido aprovado no Revalida seja chamado de pseudomédico ou médico de segunda categoria porque não admito que falem assim de médicos brasileiros. Não admitimos que queiram transformar em tabu qualquer política de atração de médicos estrangeiros porque não é tabu em nenhum lugar do mundo. Podemos discordar, mas não adjetivar as políticas. Vocês não ouviram da minha boca qualquer adjetivo em relação às entidades médicas. Quero um dialogo respeitoso”, desabafou Padilha.

Contratação de médicos estrangeiros
A polêmica começou no dia 6 de maio quando o governo anunciou que estuda alternativas para suprir a deficiência de profissionais nas regiões mais remotas do País e analisava a possibilidade de trazer médicos de países como Portugal, Espanha e Cuba. De imediato, o Conselho Federal de Medicina (CFM) criticou a proposta e, na última semana, entrou com uma representação da procuradoria-Geral da República contra a medida.

Segundo o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, os cerca de 6 mil médicos que devem ser contratados vão permanecer no País temporariamente, por um período de até três anos. “Se discute trazer médicos de fora que tenham registro em seu país de origem, que trabalhariam por, no máximo, três anos, em regime provisório. Teria tutoria de universidades e trabalhariam exclusivamente no Sistema Único de Saúde (SUS), em áreas de carência de médico”, disse.

(http://t.co/j0TgYj0y4Y)

Responder

    FrancoAtirador

    22 de maio de 2013 às 10h43

    .
    .
    Melhor dizendo:

    UMA PENCA DE BANANAS

    Euler

    22 de maio de 2013 às 11h15

    Não sei porque a banana nos supermercados anda tão cara. O que não falta nesse governo são ministros-bananas!

    FrancoAtirador

    22 de maio de 2013 às 11h18

    .
    .
    E esse ministro Bananilha (Banana com Baunilha)

    ainda quer ser candidato a governador de São Paulo.

    https://www.facebook.com/AlexandrePadilhaGovernador

    FrancoAtirador

    22 de maio de 2013 às 11h23

    Gerson Carneiro

    22 de maio de 2013 às 12h21

    JOTACE

    22 de maio de 2013 às 18h07

    Caríssimo Franco,

    Mais uma de Dilma e do mentor que a assiste, na subserviência mais vil à coroa enferrujada e corrupta do falido Reino da Espanha. Que me desculpe a maneira de enxergar o problema de ministros bananas e ministros corruptos – neste caso incluindo os ministros vendepátrias. Suas escolhas e nomeações passaram todas pelas mãos de Dilma e não cabe argumento que decorreram de imposições de partidos coligados. O compromisso de qualquer Presidente é unicamente com o povo que, certamente, nunca aprovou que Dilma buscasse apoio na nata da corrupção brasileira e se afogasse nela. Cordial abraço, Jotace

Marcio H Silva

22 de maio de 2013 às 10h39

Vamos aguardar pelo pronunciamento oficial do Governo. De repente é golpe corporativo dos Espanhóis, querendo que se contrate somente médicos da península ibérica……afinal estão com nível de desemprego de 27%, colocando cadeados em lixeiras e cheio de mendigos pelas ruas.

Responder

Lu Witovisk

22 de maio de 2013 às 09h56

Não dá pra acreditar que a bananisse desse governo chegue a esse ponto.

Fala serio! não vão trazer os cubanos nem iranianos pq a direita deu piti. E assim vai nosso país, contornando aqui, ali, a cada piti. Não tem jeito, sonhar com um pais mais igualitario será só sonho.

Responder

Rogerio

22 de maio de 2013 às 09h42

Os médicos espanhóis e portugueses já estão na lista DOS MÉDICOS TAMBÉM CONTRATADOS. Isso aí é uma mentira sem vergonha. Qualquer post meu em midia sociais do final do mês passado já comentava que achava interessante a indignação do CRM ser apenas contra médicos cubanos e não se falava nos esponhóis e portugueses QUE TAMBÉM SERÃO CONTRATADOS… Essa matéria tem tanda verdade quanto a foto de Chaves em coma.

Responder

    FrancoAtirador

    22 de maio de 2013 às 10h59

    .
    .
    A notícia decorreu de uma “Padilhada” no Twitter:

    Olá, @adilsonbombom. Sobre a notícia do @terranoticiasbr tuitada ao ministro @padilhando, o @minsaude esclarece que estuda as experiências de outros países para atração de médicos estrangeiros diante da dificuldade apresentada pelos prefeitos em contratarem profissionais para trabalharem no interior e periferias de grandes cidades.

    Embora não exista definição sobre qual modelo será adotado pelo Brasil, algumas possibilidades estão descartadas: a contratação de médicos de países cujo índice de profissionais é menor que o do Brasil; a validação automática de diplomas; e só serão atraídos profissionais formados em instituições de ensino autorizadas e reconhecidas por seus países de origem. Dessa forma, exclui-se, por exemplo, médicos da Bolívia e do Paraguai, devido ao baixo índice de médicos por habitante, e da faculdade Escuela Latinoamericana de Medicina (Elam) de Cuba, cujo tempo de formação não é reconhecido no próprio país.

    Continuamos à disposição.

    (http://tl.gd/n_1rkdnta)

Mardones

22 de maio de 2013 às 09h38

Não foi esse jornaleco que matou o Chavez na véspera? O desemprego espanhol não justifica uma campanha desse baixo nível. Mas vindo do El País não era possível esperar outra coisa.

Responder

Sr.Indignado

22 de maio de 2013 às 08h49

Que ótimo. Estes médicos tratarão os brasileiros como os agentes de migração de Barajas?
Nada como reforçar o status quo de uma sistema de saúde caro e ineficiente.
Esses médicos em pouco tempo irão abrir suas clínicas nos grandes centros, buscarão especializações nos países de origem (adivinhem quem irá pagar?), buscarão as universidades para dar aulas, pesquisar e clinicar (e isto não ocorre no sertão nordestino, por exemplo).

Mas alguém virá com uma idéia brilhante, um estágio probatório de quatro anos, que logo virará dois e em nada, através das mais fortes justificativas.

A única coisa talvez boa seria que estes novos médicos estrangeiros (e provavelmente competentes) empurrem os nossos jovens médicos recém formados para o interior. Mas a longo prazo, se tudo der certo, se não chover muito, se der vento noroeste…

Responder

Gerson Carneiro

22 de maio de 2013 às 08h39

Só tá faltando a Dilma RussÇerra entrar de vice na chapa do Aécio.

Responder

Gerson Carneiro

22 de maio de 2013 às 08h35

Golpe Tucano 2014

Responder

Gerson Carneiro

22 de maio de 2013 às 08h31

Acabou o “Golpe Comunista 2014”.

Pior que a gente fica sabendo pelos outros. Tô me sentindo um verdadeiro corno.

Mais um Ministro banana da Dilma RussÇerra.

:(

Responder

ejedelmal

22 de maio de 2013 às 08h18

NÃÃÃÃÃÃO!!! Como agora poderemos realizar o Golpe Comunista de 2014 sem nossos 6000 agentes cubanos! !hostia! !coño!

Responder

Julio Silveira

22 de maio de 2013 às 08h07

Mais uma capitulação de um governo sem convicção, que tem medo de um debate nacional quando o assunto é de interesse de seus cidadãos mais pobres. Prefere agradar ricos e classe merdia os mantenedores de todos os tiranos.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.