VIOMUNDO

Diário da Resistência


Concurso de Saúde Coletiva da UFPB: Anulação suspeita é considerada irregular; 1º colocado renuncia
Arquivo pessoal e UFPA
Denúncias

Concurso de Saúde Coletiva da UFPB: Anulação suspeita é considerada irregular; 1º colocado renuncia


17/07/2018 - 13h53

Fotos arquivo pessoal

por Conceição Lemes

Em 17 de outubro de 2017, o Viomundo denunciou: Hêider Aurélio Pinto foi aprovado em 1º lugar para professor de Saúde Coletiva, mas  logo depois o concurso foi cancelado por razões suspeitas.

Hêider, 41 anos,  é médico sanitarista.

O concurso foi para o Departamento de Promoção da Saúde do Centro de Ciências Médicas (CCM) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Ele foi aprovado por 20 a zero, nenhum voto contra:

*Em 6 de abril de 2017, saiu no Diário Oficial da União – DOU o edital do concurso público para professor de várias áreas da UFPB. Entre elas, uma vaga para docente efetivo na área de Saúde Coletiva do Departamento de Promoção de Saúde, dedicação exclusiva, assistente classe A.

*Dez candidatos se inscreveram, sete fizeram as provas escrita, quatro obtiveram pontuação para a etapa seguinte – a prova didática. Dois passaram para a fase final – a prova de títulos.

*No 7 dia de julho, o Departamento de Promoção de Saúde da UFPB divulgou o resultado final. Hêider somou 97 pontos em 100. Diferença de 22,2 pontos sobre a segunda colocada, que atingiu 74,8.

*Curiosamente, dois meses depois, o Conselho de Ciências Médicas da UFPB cancelou o concurso.

Mais ou menos o seguinte: o juiz não gostou do resultado do jogo, pegou a bola e foi embora, dizendo que a partida não valeu.

Em 22 de fevereiro de 2018, o caso foi analisado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão  da UFPB, que concluiu que a decisão do CCM não atendia às normas e decisões do próprio Conselho.

Portanto, a anulação do concurso deveria ser revogada, ou seja, ele deveria ser homologado pela reitoria e os aprovados, convocados.

Só que, em vez de isso acontecer, diversas medidas protelatórias foram sendo tomadas para evitar que o concurso seguisse.

Diante disso, Hêider Pinto decidiu renunciar à luta pela vaga, para, ao menos, não prejudicar a segunda colocada.

Ele o fez por meio da carta abaixo, protocolada na UFPB em 11 de julho de 2018.

Leia também:

Advogados pedem ao MPF investigação de Moro por prevaricação



2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Felipe

20 de julho de 2018 às 22h03

No final, ganhou a UFPB. Menos um esquerdista profissional contratado para não trabalhar.

Responder

enganado

18 de julho de 2018 às 11h40

IRRETOCÁVEL!!!! É isso aí o que dá ser honesto em um país que vive a mercê de MILITARES e uma JUÇÇÇTISSSA comandada pelo ninguém menos __thief_statele$$$_judge__çerjiou murrow__ .

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!