VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

CartaCapital: Depoimento de doleiro foi “retificado” antes de acabar em revista; “Veja bandida” tentou golpe, diz deputado


29/10/2014 - 16h31

aecio-veja

PF suspeita de armação em depoimento de Youssef, diz jornal

Para a Polícia Federal, a acusação do doleiro contra Lula e Dilma pode ter sido estimulada pela defesa de Youssef, com intenção eleitoral, um dia antes da publicação de “Veja”

CartaCapital — José Antonio Lima – publicado 29/10/2014 13:57, última modificação 29/10/2014 13:58

sugestão de Eduardo Prestes Diefenbach e Yumi Kawamura

O jornal O Globo traz em sua edição desta quarta-feira 29 uma informação que pode ajudar a elucidar a história por trás da “bala de prata” da oposição contra Dilma Rousseff (PT), a indicação, feita pelo doleiro Alberto Youssef, de que a presidente reeleita e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinham conhecimento do esquema de corrupção na Petrobras.

Segundo o jornal, os investigadores suspeitam que a declaração do doleiro pode ter sido forçada pela defesa para influenciar o resultado do segundo turno das eleições.

A Polícia Federal investiga como o depoimento de Youssef vazou e, segundo a reportagem do Globo indica, suspeita da ação da defesa do doleiro. De acordo com o jornal, Youssef prestou depoimento na terça-feira 21, como vinha fazendo normalmente, e não citou Lula ou Dilma.

Na quarta-feira 22, diz o jornal, um dos advogados de Youssef pediu para “fazer uma retificação no depoimento anterior”. No interrogatório, afirma o Globo, o advogado “perguntou quem mais, além das pessoas já citadas pelo doleiro, sabia da fraude na Petrobras”.

Youssef disse, prossegue o jornal, “acreditar que, pela dimensão do caso, não teria como Lula e Dilma não saberem”. A retificação acabou exatamente neste trecho.

No dia seguinte, a quinta-feira 23, antecipando sua circulação semanal em um dia, Veja publicou as declarações de Youssef a respeito de Lula e Dilma.

Segundo a reportagem da revista, o doleiro não apresentou provas e elas não foram solicitadas.

A suspeita da PF levanta uma questão temporal curiosa. Enquanto a retificação do depoimento de Youssef teria ocorrido na quarta-feira, segundo O Globo, Veja afirmou em nota que sua apuração “começou na própria terça-feira, mas só atingiu o grau de certeza e a clareza necessária para publicação na tarde de quinta-feira”.

A defesa de Youssef é coordenada pelo advogado Antonio Augusto Figueiredo Basto.

Por um ano, Basto teve um cargo de conselheiro do Conselho de Administração da Sanepar, a Companhia de Saneamento do Paraná. Como consta no site da empresa, ele assumiu o cargo em 17 de janeiro de 2011, 16 dias após a posse de Beto Richa (PSDB) como governador do Paraná.

Em 25 de abril de 2012, a carta de renúncia de Basto foi lida em assembleia geral da Sanepar, como consta em ata também publicada no site da companhia. No último 23 de outubro, no mesmo dia da publicação de Veja, Basto disse ao mesmo jornal O Globo que desconhecia o teor do depoimento dado por Youssef na terça-feira 21.

A notícia veiculada pelo Globo, apurada de Brasília e Curitiba e que não tem assinatura em sua edição imprensa, apenas na versão online, foi relegada à parte inferior da página 6 do periódico, uma escolha que chama atenção diante da repercussão que teve a capa da revista Veja.

No horário eleitoral do dia seguinte, a sexta-feira 24, Dilma Roussef disse que iria processar Veja, e prometeu investigar a corrupção na Petrobras “doa a quem doer”.

Na Justiça, o PT conseguiu proibir a editora Abril de veicular propagandas de sua capa, considerada “propaganda eleitoral”, e também o direito de resposta diante da reportagem.

Na sexta-feira e no sábado, véspera do segundo turno, panfletos com a capa impressa de Veja foram distribuídos em várias cidades do Brasil. Na madrugada de sábado 25 para domingo 26 começou a circular pelas redes sociais o boato de que Youssef, internado em Curitiba, teria sido envenenado.

A Polícia Federal e o hospital em que ele esteve desmentiram a informação, que circulou pelas redes sociais em uma velocidade impressionante, assustando a militância petista na reta final da votação e provocando um impacto que dificilmente poderá ser mensurado.

Também na imprensa brasileira houve repercussões. No domingo 26, um colunista da Folha de S.Paulo, que publicou reportagem de teor semelhante ao de Veja a respeito do suposto conhecimento de Lula e Dilma sobre a corrupção, acusou a TV Globo de ter “medo” ao não repercutir as denúncias dos dois veículos no Jornal Nacional.

Em resposta, o diretor de jornalismo da Globo afirmou que as fontes da emissora não confirmaram “com suas fontes o sentido do que fora publicado” pela revista e classificaram como “distorcida” da reportagem da Folha.

*****

No discurso abaixo, o deputado estadual Rogério Correia (PT-MG) entre outras coisas acusa Aécio Neves de ter “comprado”o instituto Sensus:

Leia também:

Chico Alencar apoia o pedido de impeachment de Geraldo Alckmin

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



40 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

leo

31 de outubro de 2014 às 09h34

Atenção pessoal! Voltando atrás, nada foi retificado. Seria melhor tirar essa notícia da página principal, pois passa a impressão de que o Viomundo é pró PT. O doleiro envolveu sim o Lula e a Dilma. Só o brasileiro é que não quer enxergar a verdade.

Responder

abolicionista

30 de outubro de 2014 às 12h39

É óbvio que a Veja tentou dar um golpe, ela é a vanguarda kamikase. Tanto que os outros órgãos do PIG recuaram. A pergunta é: e a gente, o que vai fazer? Vai deixar por isso mesmo em nome da governabilidade?
mais uma vez? Vamos nos acovardar de novo?

Responder

    WANDERLEY SANTOS FERRAZ

    30 de outubro de 2014 às 20h30

    qual será o futuro da ESPIA?, quem está disposto a injetar grana nela…. todo erro está sujeito a conseqência, com um agravante nem sempre se pode escolher a dimensão…juridica….economica(DESCREDITO), E AINDA O MARCO REGULATÓRIO… AQUÍ, SE DIZ,,”QUEM PARIU MATEUS, QUE SE BALANCE”,

leo

30 de outubro de 2014 às 10h59

As eleições de 2014 foram as piores já vistas. Além do show de corrupção de ambos os lados, a quantidade de mentiras pregadas para enganar o eleitor foi da pior espécie. De um lado a Dilma dizendo que a inflação se encontra controlada (não está), que seu governo luta contra a corrupção e que uma candidata seria defensora dos banqueiros (Dilma está procurando banqueiros para a Pasta da Fazenda!!!!). De outro um partido com um mensalão em Minas e um escândalo no metrô de SP. Que país é este, em que sua maior empresa é roubada debaixo de nossos olhos e que um candidato à presidência é flagrado na Lei Seca?

Responder

leo

30 de outubro de 2014 às 10h45

Quem diria, pessoal! A Globo falando a verdade sobre o depoimento de Youssef. E mais: sendo referenciada pelo Viomundo! Acho que esse é o clima de diálogo entre forças antagônicas, agora estimulado pela Presidente.

Responder

leo

30 de outubro de 2014 às 10h42

É, pessoal. Não existe corrupção no melhor governo que o Brasil já teve em sua história. Mensalão foi uma mentira e nunca houve roubo na Petrobras, nos Correios, no Bolsa Família, etc. E o filho do ex-presidente, realmente, é uma pessoa capaz e competente, que ficou rico em poucos anos (pasmem, justamente na época que seu pai era Chefe do União). Eu só acho que o Lula tinha que dizer para a população quem são os verdadeiros traidores, assim por ele chamados quando da reunião com os ministros logo após a eclosão do escândalo em 2005. E, aliás, Dilma é uma administradora de mão cheia.

Responder

Fernando

30 de outubro de 2014 às 10h39

No dia que acabar o papel higiênico no mundo então comprarei uma revista VEJA. Minha preocupação é se, em vez de me limpar, ficarei ainda mais sujo…

Responder

FrancoAtirador

30 de outubro de 2014 às 09h24

.
.
Proporcionalidade de Tempo Efetivo

de Propaganda Eleitoral no braZil

(http://imgur.com/g4GfSY4)
i.imgur.com/g4GfSY4.jpg
.
.

Responder

Pafúncio Brasileiro

30 de outubro de 2014 às 08h15

O Brasil escapou de uma grande “roubada” com a eleição de Dilma. Se o Ah,é sim, levasse, estaríamos no pior.

Responder

    Mancini

    30 de outubro de 2014 às 10h10

    PB,Conceiçao, Azenha.Perde-se muito tempo com coco. Ao ostracismo seria melhor, muito melhor! Mas votei no deputado!
    Das Teoria Quântica das Elites em http://refazenda2010.blogspot.com.br

Romanelli

30 de outubro de 2014 às 07h08

quer saber ?

LULA e DILMA tiveram 12 anos pra tentar nos dar uma imprensa mais LIMPA.

Uma que fosse PUNIDA em caso de mentira ..que se sentisse no DEVER de ser plural, de ouvir o outro lado, de dar o contraponto, de ser celeremente instada a abrir espaço pro direito de resposta ..enfim, que fosse mais transparente

NÃO fizeram pq não quiseram ?

NÃO fizeram pq não se preocupam com a ética e a verdade, muito menos com a censura que tb pega em quem deles pensa o contrário e critica, pois pra eles, a mentira tb tem lá sua serventia, desde que elas não lhes causem problemas, não é mesmo ?

Não fizeram pq enquanto isso algumas alas mais ideológicas, IGNORANDO os paquidermes da MENTIRA e MANIPULAÇÃO que pisam e destroem a floresta inteira, ficaram preocupados com algumas causas FORMIGUINHAS, secundárias, que seria a tal regulação “econômica” da mídia.

Aliás, o mesmo erro conceituação de se priorizar a “regulação econômica da mídia” é o que sustenta a lógica de que a causa da corrupção do nosso modelo política estaria na “contribuição, ou não, de dinheiro público para as campanhas” ..ou que a liberação da maconha faria com que a criminalidade caísse bruscamente ..e o abroto diminuísse a quantidade de gravidez indesejada e de sexo irresponsável ..francamente

Oras, faz favor, pra mim, CIDADÃO, pouco importa quem é o dono, desde que este seja OBRIGADO a me servir a INFORMAÇÃO de forma ética e com qualidade.

Responder

    Romanelli

    30 de outubro de 2014 às 07h23

    Fora de pauta, mas dentro do bolso

    Cada um tem a DILMA que merece ..e SP tem duas.

    No plano Estadual, a presidente da SABESP, DILMA PENA (piada pronta, né ??! tipo Jacinto Lamas), diz que recebeu orientações superiores pra não alarmar a população sobre a SECA SECULAR que se instalou desde out/13 por aqui, seca jamais presenciada neste país pós Cabral.

    Agora, indignados, políticos da oposição prometem cobrar explicações sobre o pq a SABESP não foi mais dura com eventual racionamento à população, agricultura, serviços e indústria (fácil, né ??!!)

    ..racionamento adiado que o governador do Estado ensaia devolver parte do problema pra federação, alegando, com razão, que SP ficou impossibilitado de captar água de outros mananciais locais, por estes estarem priorizando a geração elétrica ou as piscinas de outros territórios como os do RJ.

    E no Plano Federal, o BC de DILMA continua com a mesma LADAINHA.

    Ontem, após um período breve de congelamento no teto, o BC retomou mais um ciclo de aumentos INFRUTÍFEROS da SELIC (SE_rá LI_ndo se C_olar), visto que a inflação ao consumidor neste período JAMAIS parou de pressionar.

    Dum lado, novamente, os iluminados alegam pressão de DEMANDA (bobagem) e doutro, a dura realidade de vermos os EUA anunciarem que ACABOU o período de estímulos artificiais, fazendo com que BILHÕES em recursos pensem em pra lá voltar.

    Assim, pensam os de cá, já que o cliente cansou, quem sabe se nós abrirmos um pouco mais as pernas eles ficam mais um pouco né ??!! ..e tome divida pública, e tome tributação, e tome corte de investimentos pra compensar tanta esculhambação.

    então ..não é dilmais a qualidade de decisões que este nome nos trás ?

    reflexão do dia – em período de represamento de cambio, tarifas e combustível, de QUEDA vertiginosa no preço das commodities, em período de queda de atividade, renda e aumento do CALOTE tanto das famílias como das empresas ..em queda da OCUPAÇÃO e geração de emprego ..convenhamos ..não teria dado tempo pro placebo da SE.LI.C. (SE_rá LI_ndo se C_olar) ter tido efeito e jogado os índices inflacionários pra menos de 2% aa ?

    ….NÃO não, verdade é que há mais coisas na economia do que estes caras tentam nos fazer acreditar.

    abolicionista

    30 de outubro de 2014 às 11h35

    Desculpe, mas isso é desonestidade, Romanelli. A Sabesp sabia desde 2004 da insuficiência do sistema cantareira, por que não tomou medidas necessárias? Por que não alertou a população do problema?
    Culpar o governo federal e não o estadual é ridículo. Com tanto malabarismo, vocês deveriam procurar emprego no circo.
    Aliás, agora que a coisa estourou, o governo resolveu começar a construção das barragens de Pedreira, no Rio Jaguari, e Duas Pontes, no Rio Camanducaia, em Amparo, que servirão de reserva estratégica para estiagem em Campinas e terão vazões médias de quase 10 mil litros por segundo cada uma. O governo publicou semana passada decreto para desapropriar as áreas de até 4,6 km² e lançou edital para contratar o estudo de impacto ambiental, com prazo de 17 meses. Também decidiram começar a construção de uma represa no Rio Piraí, que estava dois anos atrasada. Que coisa, né? Por que só agora? É culpa do governo federal também?
    A empresa de produção de águas no Japão desperdiça 7% da água, a Sabesp desperdiça 40%. Se esse desperdício fosse reduzido pela metade, a crise estaria solucionada. Só que a Sabesp, em vez de investir em tecnologia, optou por agradar os acionistas de NY. Que estão muito felizes, por sinal, ali ao lado do rio Hudson.

    abolicionista

    30 de outubro de 2014 às 11h39

    Nisso eu concordo, Romanelli. Dilma e Lula não tiveram peito para enfrentar a máfia midiática tupiniquim. São conciliadores. Além disso, muitos dos políticos no congresso são donos de rádios, jornais, redistribuidoras, quem ali vai votar uma reforma de mídia?

Sidnei Brito

30 de outubro de 2014 às 06h56

Hum!
Para mim, tudo isso está parecendo uma operação “livra a cara da Veja”.
O advogado do tal Youssef pode ser mesmo um crápula, mas, para alguém que tinha tanto interesse político na história, ele se comportou bem demais na repercussão do caso: negou a todo momento o depoimento que foi parar na capa de Veja – quer dizer, isso até pelo menos onde acompanhei.
Tenho pra mim que ele não precisava ter sido tão peremptório na sua negativa. Poderia ter, para usar um termo da moda, tergiversado, coisa que os advogados sabem fazer bem: “nem sim nem não, antes pelo contrário, entende?!”.
Como estratégia de defesa, ele poderia até ter instado seu cliente a “retificar” depoimentos. Mas se houvesse interesse acima de tudo político, como sugere a reportagem, o advogado teria botado lenha na fogueira ou ao menos teria deixado acesa uma chama de dúvida.
No mais, se eu não estou enganado, no caso do Paulo Roberto Costa, correu uma história de que havia orientação para não citar, em delações, nomes de autoridades de foro privilegiado, pois, desse modo, ter-se-ia que mandar tudo para a instância adequada, cessando os procedimentos. Alguém confirma isso?
Ora, tal orientação não teria sido dada também para o doleiro?

Responder

Marat

29 de outubro de 2014 às 23h41

Isso acontece em todas eleições. Nesta apenas foi mais ousado e mais sórdido, pela certeza da impunidade, pois, aqui não há Justiça!

Responder

Marat

29 de outubro de 2014 às 23h40

Prezados, algumas considerações que me inquietam:
– Temos uma imprensa venal, sórdida, que tem como objetivo maior transformar o Brasil numa colônia (de fato e de direito) dos Estados Unidos;
– Temos um judiciário (caixa baixa!) que é no mínimo leniente com o PSDB;
Não bastassem esses dois absurdos, vi e ouvi coisas de arrepiar, aqui em SP:
– Conversei com muitas empregadas domésticas, com muitos choferes de madames, com porteiros, em suma, com trabalhadores humildes, que vendem (barato) sua mão de obra para as gentes da classe média de SP, um dos mais fortes cabos eleitorais do PSDB. Sabe o que eles me disseram? Todos aqui nesta casa votam no PSDB. Eles ficam o dia inteiro falando mal do PT e pedindo, quase mandando eu votar no PSDB; Também ouvi: “Eles me disseram que se eu votasse na Dilma, seria demitido(a)”; Também: “eles dizem que quem vota no PT é burro”. Isso é só uma pequena amostra. Não bastasse isso, uma amiga muito humilde, que trabalha de operária numa fabriqueta de máquinas, disse que o patrão lhe falou o seguinte: “Peço a todos vocês que votem no Aécio, pois se a Dilma ganhar, não haverá investimentos no país, eu não terei dinheiro para comprar máquinas, e terei que mandar todos vocês embora”… E isso não é tudo: Uma amiga empresária me disse que seu economista de confiança disse que se Dilma ganhar, os países ricos não vão investir no Brasil e assim, quebraremos. Ela, que já e de direita, fcou assustada, declarou voto no Aécio, e fez a cabeça de todos seus empregados domésticos…
A pergunta: Como reverter tal quadro de podridão? Como se denunciar pessoas assim por estes crimes?
Ah, toda essa turma idolatra o Alckmin, não obstante USP, UNESP e UNICAMP estarem destruídas, não obstante nos banharmos com lodo, não obstante o superfaturamento do Metrô, não obstante a violência estar sem limites!

Responder

Euler

29 de outubro de 2014 às 22h55

Todo o processo eleitoral foi marcado por golpes midiáticos. Destacaria os três principais capítulos: 1) a morte de Eduardo Campos, com a sua imediata canonização pela mídia, para turbinar a linha auxiliar dos tucanos, também conhecida como Marina Silva; 2) o escândalo da Petrobras, com vazamento seletivo e transformado criminosamente pela Globo e demais meios de manipulação em verdadeira novela, sempre envolvendo o PT como culpado; 3) por último, a bala de prata que falhou, mas que por pouco roubava o mandato de Dilma, foi a vergonhosa acusação sem prova contra Dilma e Lula às vésperas da eleição, no esquemão Veja-Globo-Folha e afins.

Nada disso foi surpresa para nós, comuns dos mortais. Surpreendente foi a capacidade de Dilma enfrentar estes golpes, e sobreviver a eles. E mais surpreendente ainda foi a capacidade de resistência da maioria do povo brasileiro, ante ao sistemático bombardeio de uma mídia bandida.

O que se espera agora, de Lula, Dilma, PT e governo federal é que se mude de atitude em relação ao monopólio da mídia no Brasil. O povo brasileiro não merece viver refém de um resquício da ditadura como é a mídia golpista. Eu não mereço ouvir e ver diariamente em rádios e TVs apenas os inimigos do povo. Eu e milhões de brasileiros votamos em Dilma para que outras vozes tenham o direito de se manifestar através das concessões públicas, além das redes sociais.

Ser bombardeado por cretinos diariamente através dessa mídia golpista, sem direito de resposta, constitui uma espécie de tortura diária. Somos obrigados a ouvir ou ver programas da chamada turma da bala em todos os canais, um verdadeiro atentado contra os direitos humanos; somos obrigados a ouvir comentaristas de economia e política sempre dando os piores diagnósticos e as piores receitas para o país e para o povo; somos obrigados a ouvir e ver os porta-vozes dos piores interesses, das elites dominantes, ditarem o que é certo e o que é errado, o que deve ser feito pelo congresso, pelo parlamento, pelo judiciário, e o que deve ser escondido. Nós, que por maioria elegemos uma outra visão de Brasil e de mundo, não podemos e não queremos ficar submetidos a este criminoso monopólio privado das comunicações.

Responder

Marat

29 de outubro de 2014 às 21h27

Algo me diz que não é à toa que governos pessedebistas gastam milhões e milhões de reais com esse lixo de panfleto extremista!

Responder

Luiz Clete

29 de outubro de 2014 às 20h41

Estou em uma aula de direito e o prof., que chama o joaquim barbosa de “Heroi nacional”, disse que esta vindo o impeachment pq “muitos” eleitores não votaram pq alguem ja havia votados por eles. A tese dele é que o PT usou o expediente bancário de desviar centavos das c/c, e de centavos em centavos chega a milhão. O oitavo turno das eleições presidência esta só começando.

Responder

marta

29 de outubro de 2014 às 19h48

Mas, a veja não foi proibida de circular e de vender esse semanário sobre Dilma e Lula? Hoje, tinha uma porção nas prateleiras da Cultura, aqui em Porto alegre. Alguém pode me dizer alguma coisa sobre isso?

Responder

    FrancoAtirador

    29 de outubro de 2014 às 21h18

    .
    .
    Cara Marta.

    O TSE proibiu somente a propaganda da Veja/Abril/Naspers,

    por quaisquer meios de comunicação, outdoors e internet,

    não determinou a retirada de circulação da edição em papel.
    .
    .

Mineira

29 de outubro de 2014 às 19h48

Votei em você, Dep Rogério Correa e também no Patrus Ananias.
Admiro sua coragem e honestidade.
Qualquer dia irei te visitar no seu gabinete.
Espero ser bem recebida.

Abraços.

Responder

Edgar Rocha

29 de outubro de 2014 às 19h16

Neste ambiente golpista, toda a sociedade deve estar atenta às movimentações dos que foram derrotados nestas eleições. Às vezes o que parece inofensivo pode se mostrar terrível no futuro. Bom ficar esperto.

A CCJ aprovou hoje o relatório do senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), que muda a lei sobre as drogas. O relator incorporou algumas mudanças sugeridas pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, defensor da descriminalização do consumo da maconha. http://new.d24am.com/noticias/politica/senado-agora-considera-usuario-quem-porta-drogas-para-5-dias-consumo/123072

Parece algo inocente. Até bem intencionado, mas vejam o que diz o texto:
“Uma dessas alterações estabelece um parâmetro para diferenciar usuário de traficante. Pelo projeto, será considerado usuário quem portar drogas em quantidade suficiente para consumir por até cinco dias.

O volume da droga será calculado a partir de limites definidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Fernando Henrique defendia dez dias, mas Valadares optou por um teto menor.

O projeto terá uma tramitação longa no Congresso antes de ir à sanção presidencial. Depois de passar pela CCJ, o texto ainda vai passar por mais quatro comissões do Senado.

O projeto começou a tramitar na Câmara, onde já foi aprovado. Caso o Senado mantenha as mudanças, precisará voltar à Câmara, que decidirá se acata ou não as alterações feitas.

O parâmetro fixado não é absoluto. Caso a pessoa flagrada com alguma droga ilícita tenha menos que o suficiente para cinco dias, ainda assim ela poderá ser considerada traficante se, durante a investigação, for provado que estava traficando. O oposto também é verdadeiro: mesmo portando droga em volume maior, há possibilidade de alguém ser considerado usuário.

Me incomodou e muito o último parágrafo. Entendi que, caso o projeto entre vigor, o parâmetro para definir quem é usuário e quem é traficante fica ao critério pessoal do agente de segurança responsável. Bonito isto, né? quem decide se você é usuário ou traficante agora, É O POLICIAL QUE TE ENQUADRA..

Pra que isto? Por que justo agora? sua santidade FHC quer somente evitar prisões injustas? Ele defende mesmo, a descriminalização das drogas, como disse o texto?

Possibilidades:
– Fazer dinheiro;
– Satisfazer às corporações interessadas;
– Beneficiar aliados.
– Trocar por apoio a algum “projeto”.

Quem dá mais?

Responder

Paulo

29 de outubro de 2014 às 18h18

A toda poderosa PF,extremamente capacitada,ágil e rápida em esclarecer as “corrupções petistas” agora passou a “suspeitar”?Tão achando que temos bolinhas vermelhas no nariz?Gente,alguém aí sabe quem é e onde está o Ministro da Justiça desse Brasil?

Responder

Eduardo

29 de outubro de 2014 às 18h17

Sonho sempre ver os Civita na cadeia! Meu sonho não se realizará! Eles são da parte radical do PIG e do PSDB, portanto aparelhados na Policia Federal e no MPF !

Responder

Fabio Passos

29 de outubro de 2014 às 18h13

Foi uma tentativa descarada de golpe!

Os bandidos da veja e da globo armaram esta canalhice para favorecer aécio neve e derrotar Dilma.

Estes pilantras do PiG não vão escapar impunes.

Responder

FrancoAtirador

29 de outubro de 2014 às 18h07

.
.
Como diria o PN no DCM: “Pausa Para Gargalhar”

Capo di tutti i capi Marino tirou o dele da reta

e enfiou o trabuco no Capo do Clã dos Civita.

Os negócios das Organizações Mafiosas Globo,

é sabido, não dependem do Mercado de Impressos

como a Editora Abril no Estado de São Paulo.

A armação do COMETA G.A.F.E.* já estava montada,

mas, na última hora, o Capo di tutti i capi Marino

mandou puxar o freio no Jornal Nacional da TV Globo,

devido à péssima repercussão que teve a Capa da Veja,

criticada, inclusive, por jornalistas de outros países:

(http://imgur.com/wjiyMDc)*.

No Sábado, 25/10, véspera do Grande Dia da Eleição,

#GolpeNoJN ficou em 1º lugar no Twitter Mundial (**).

A Reeleição de Dilma Vana foi salva por uma HashTag.

Mas não será surpresa, se, no fim da investigação,

a Culpa recair no Estagiário do Escritório

de Advocacia do Defensor do Doleiro Bandido.
.
.
*(http://m.mudamais.com/divulgue-verdade/jornalistas-internacionais-criticam-reportagem-mentirosa-da-veja)
**(http://jornalggn.com.br/noticia/hashtag-golpenojn-fica-em-1o-lugar-no-twitter-mundial)
.
.
FASCISTAS!

NÃO PASSARÃO!

MARCO REGULATÓRIO JÁ!
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    29 de outubro de 2014 às 19h23

    .
    .
    PANFLETO DA MÍDIA BANDIDA PREJUDICOU

    VOTAÇÃO DE DILMA NA CIDADE DE SÃO PAULO
    .
    .
    O Prefeito de São Paulo concedeu hoje entrevista

    ao Jornalista Paulo Henrique Amorim (PHA) no C Af

    29/10/2014
    Conversa Afiada (C Af)

    O Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad considera

    que a votação da Presidenta Dilma Rousseff

    na capital paulista foi prejudicada

    pela última edição da revista Veja,

    que trouxe denuncias sobre suposta corrupção na Petrobras.

    O petista condenou a forma como a publicação

    foi distribuída em pleno processo eleitoral.

    “A última semana foi muito atípica.
    Nós tranquilamente superaríamos os 40% na cidade de São Paulo.
    A edição da Revista Veja, a distribuição gratuita nos metrôs, trens e terminais,
    o rumor, que vamos apurar e punir, de que a Prefeitura tirava as revistas das bancas
    e, por fim, o boato da morte por envenenamento do doleiro delator”,

    denunciou Haddad nesta terça-feira (28)

    em entrevista a Paulo Henrique Amorim na TV Afiada.

    E continuou:

    “Nosso tracking diário apontava algo em torno de 40 e 41%.
    Comparado com os 46% de 2010, não teria revelado nenhum problema.
    A cidade foi tomada por uma comoção nos últimos quatro dias antes da eleição”,
    declarou o prefeito.

    Ainda nesta terça, ao SBT Brasil, a Presidenta Dilma defendeu
    uma regularização econômica dos meios de comunicação no Brasil
    ao afirmar que o “direito de resposta é democrático e deve ser regularizado.

    Abaixo, trechos da entrevista de Haddad ao Conversa Afiada:

    ELEIÇÃO DE 2014 E VOTAÇÃO DA DILMA EM SÃO PAULO:

    A última semana foi muito atípica.
    Nós tranquilamente superaríamos os 40% na cidade de São Paulo.

    Nosso tracking diário apontava algo em torno de 40 e 41%.
    Comparado com os 46% de 2010, não teria revelado nenhum problema.

    Na última semana, sobretudo a partir de quinta,
    três ou quatro episódios dramáticos para a cidade.

    A edição da Revista Veja, a distribuição gratuita nos metrôs, trens e terminais,
    o rumor, que vamos apurar e punir, de que a Prefeitura tirava as revistas das bancas

    e, por fim, o boato da morte por envenenamento do doleiro delator.

    Cidade foi tomada por uma comoção nos últimos quatro dias antes da eleição.

    Em quatro dias, é natural termos caído de 40% para 36% na capital.

    Mesmo assim, tivemos o mesmo percentual de Belo Horizonte.

    Afetou o humor da cidade.

    Íntegra em: (http://youtu.be/Bsx12aHZnlE)

    (http://www.conversaafiada.com.br/politica/2014/10/29/haddad-veja-e-boatos-roubaram-votos-da-dilma-em-sp)
    .
    .

Marcelo

29 de outubro de 2014 às 17h47

Azenha, veja que absurdo: dono do Instituto Veritá confirma que sofreu pressão para não divulgar pesquisa onde a presidenta Dilma aparecia em primeiro lugar: http://www.otempo.com.br/blogs/pol%C3%ADtica-19.298822/sensus-explica-seus-erros-s%C3%B3cio-do-verit%C3%A1-confirma-press%C3%A3o-19.329650

Responder

Nivaldo

29 de outubro de 2014 às 17h20

Uma dúvida de um leigo?
Quem faz as perguntas a qualquer acusado em um inquérito, não é o Juiz do processo? É o advogado de defesa? Aquelas perguntas publicadas na revista Veja quem afinal fez? (que induziu a reposta de que a Dilma e Lula sabiam). Sinceramente, não estou entendendo esta coisa.

Responder

Homero Mattos Jr

29 de outubro de 2014 às 16h41

“a mentira, a calúnia, as mais torpes invencionices… numa publicidade dirigida, sistemática e escandalosa.
a resposta do povo vira mais tarde…”
http://passalidadesatuais.blogspot.com.br/2014/10/fim.html

Responder

Julio Silveira

29 de outubro de 2014 às 16h36

Esse doleiro tem que mofar na cadeia e a justiça não devia dar moleza pra ele,mnão é confiavel.

Responder

    Luiz

    29 de outubro de 2014 às 17h26

    O mesmo juiz que o liberou e não prendeu ninguém… pouco provável que aconteça algo.

    FrancoAtirador

    29 de outubro de 2014 às 17h47

    .
    .
    Meu caro Julio Silveira.

    Qual das ‘justiças’? Eis a questão:

    A do Gilmar Mendes ou a de Lewandowski?

    A do Juiz Môro ou a de Fausto de Sânctis?

    A do Ives Gandra ou a de Souto Maior?

    (http://blogdaboitempo.com.br/2014/10/27/assedio-eleitoral)
    .
    .


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.