VIOMUNDO

Diário da Resistência


Ciro e Dino: “Não se pode rasgar a Constituição”; Golpe Nunca Mais tem 25 mil adesões
Denúncias

Ciro e Dino: “Não se pode rasgar a Constituição”; Golpe Nunca Mais tem 25 mil adesões


06/12/2015 - 19h53

Captura de Tela 2015-12-06 às 19.46.18

Da Redação

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) e o ex-ministro Ciro Gomes, candidato do PDT ao Planalto em 2018, lançaram hoje em São Luís a versão 2015 da Cadeia da Legalidade.

Em 1961, o então governador Leonel Brizola montou a Cadeia da Legalidade original, utilizando emissoras de rádio para defender a posse de João Goulart como presidente da República depois da renúncia de Jânio — Jango era o vice-presidente constitucional.

A ênfase era então, como hoje, na defesa da Constituição.

Os instrumentos mudaram: Brizola discursava nas rádios, Dino e Ciro anunciaram uma página no Facebook, onde os internautas podem aderir (para fazê-lo, clique aqui) — já eram mais de 10 mil apoiadores em algumas horas.

Em seu discurso, Flávio Dino esmiuçou o artigo 85 da Constituição brasileira, que define os chamados “crimes de responsabilidade”.

Enquanto isso, parece consolidado o desembarque do vice-presidente Michel Temer para aderir ao golpe paraguaio que vai beneficiá-lo diretamente.

Importante frisar que, além de Eduardo Cunha — que deu o pontapé inicial no processo — Renan Calheiros também está sendo investigado na Operação Lava Jato, que pode chegar ao próprio Michel Temer.

Ou seja, o golpe paraguaio tem o potencial de garantir impunidade aos principais líderes do PMDB.

Temer ascenderia ao Planalto com o programa Uma ponte para o Futuro, que retira direitos sociais conquistados na Constituição de 1988.

Portanto, está em andamento um duplo golpe constitucional.

O economista Paulo Guedes, um dos fundadores do Instituto Millenium, já aderiu ao programa econômico de Temer sem Dilma, em artigo n’O Globo.

06/12/2015 – Copyleft

O Vice-Presidente Michel Temer é sócio do golpe

Não se esperaria solidariedade de Temer, mas apenas seu compromisso com a legalidade. Entretanto, com sua deslealdade, ele se tornou sócio do golpe

Jeferson Miola, na Carta Maior

Michel Temer fez questão de deixar transparecer sua absoluta falta de solidariedade institucional com Dilma, cujo cargo legítimo de Presidente da República está ameaçado pelo processo de impeachment instalado pelo psicopata corrupto que preside a Câmara dos Deputados.

Não se esperaria solidariedade política de Temer com Dilma, mas apenas o compromisso dele com a legalidade e com a democracia. Com sua deslealdade, entretanto, ele se tornou sócio e fiador do golpe.

O afamado Constitucionalista, que é vice-chefe de Estado do Brasil, teria o dever elementar de se solidarizar com a instituição Presidência da República, mesmo que não se solidarizasse com a figura da Presidente.

Ele preferiu, ao invés disso, marcar seu descolamento de Dilma. A renúncia do ministro Eliseu Padilha, um dos seus principais representantes, é uma demonstração estridente deste rumo assumido.

Enquanto Brasília fervilha com os passos iniciais do impeachment que ameaça o governo do qual é vice-presidente, Temer viaja a São Paulo para conchavos com os setores oposicionistas e com o empresariado.

Na bagagem, leva aos tucanos a promessa de não disputar a reeleição em 2018, caso assuma a Presidência uma vez consumada a deposição de Dilma.

Ele é também portador do documento “Uma ponte para o futuro”, a bula programática para o pós-impeachment.

Este texto reflete um liberalismo rudimentar, pré-constituição de 1946: profundamente retrógrado na visão de desenvolvimento nacional e sobre a idéia de nação brasileira. É o programa mínimo para coesionar o reacionarismo nacional na cruzada do retrocesso e da restauração neoliberal-conservadora.

A traição de Temer é chocante. Qualquer análise de boa fé reconhece a total inadmissibilidade da denúncia de impeachment. Não há a menor evidência de crime de responsabilidade cometido pela Presidente da República.

Um Constitucionalista como ele deveria encabeçar a reação a esta decisão absurda do seu correligionário Eduardo Cunha, mas ele optou por se associar aos golpistas.

O governo, os partidos e as organizações do campo democrático-popular e de esquerda e os setores democráticos da sociedade, estão ante o desafio gigantesco de compensar a minoria congressual e frear a marcha golpista com uma ruidosa maioria política e social em defesa da legalidade e da democracia.

A disputa pela sobrevivência do governo será complexa e dramática. Para conseguir maior eficiência política, o Governo e a Presidente terão de ter um desempenho muito superior ao atual, que até agora tem sido muito aquém da exigência histórica.

O governo tem de começar a executar o programa eleito em outubro de 2014, pois do contrário corre o risco de esvaziar a energia e a pulsação popular indispensável para a defesa da democracia e para a resistência ao impeachment.

O impeachment da Dilma é a versão neogolpista que atinge o Brasil em 2015, depois de ter atingido Honduras em 2009 e o Paraguai em 2012. Ocorre, contudo, que o Brasil não é Honduras e nem é o Paraguai, onde as resistências sociais foram ineficazes.
 
É nas ruas que o destino da democracia brasileira será traçado. É das ruas que devem ecoar as vozes estridentes e ensurdecedoras para pressionar o Congresso e bloquear o golpe.

Somente o povo organizado ocupando as ruas e defendendo a democracia, a legalidade, a igualdade, os direitos, poderá deter o golpe e os golpistas e expulsar delas os intolerantes do MBL, do Vem Pra Rua e as entidades congêneres do fascismo que apregoam intervenção militar, disseminam ódio e intolerância e estimulam práticas xenófobas, racistas, sexistas, machistas.

Em paralelo à ampla mobilização popular, deve ser travada uma guerra comunicacional de informação, de esclarecimento e de disputa narrativa dos acontecimentos como nunca antes o PT e o governo conseguiram travar.

Temer é sócio do golpe; um dos seus principais fiadores e o interessado direto no desenlace do impeachment. Com esta escolha, ele assume também a condição de sócio do caos no país, porque ninguém pode prever o resultado da reação democrática de massas à violência que ele co-patrocina com Eduardo Cunha contra o legítimo mandato da presidente Dilma.





12 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Mauricio Gomes

07 de dezembro de 2015 às 16h29

Acho a iniciativa válida, mas e quem não tem feicibuki como eu e milhões de outros? Deveria ser uma petição online para todos poderem assinar. E o número de adesões até agora aponta que é preciso ter mais divulgação.

Responder

Urbano

07 de dezembro de 2015 às 13h23

Golpe é coisa de bandidos e é exatamente o que não falta na corja da oposição ao Brasil.
Volta e meia eu deixo claro que há uma Oposição Republicana feita por pessoas íntegras em todo o seu ser. São exatamente essas pessoas que fazem tão somente oposição a possíveis erros ou enganos que atrapalhem o desenvolvimento da Nossa Pátria. Tanto isso é verdade, que nesse momento estão contra o impítima da Presidenta Dilma, a fim de livrar o Brasil da sanha dos bandidos escroques da oposição ao Brasil. Oposição, Oposição ao Governo e Oposição ao PT se equivalem dentro da Ordem Constitucional. Já oposição ao Brasil é o antro mais daninho de gangsters latrocidas de milhões e milhões de brasileiros, através de tudo que fazem. Exemplos são o que não faltam, portanto é só fazer uma longa reflexão.

Responder

Dilma Coelho

07 de dezembro de 2015 às 12h11

O que farão com essas listas de adesão? Quem irá considerá-las. Quem irá considerá esses movimentos? Se até agora o nosso sórdido poder judiciário, se borrando de medo, ou enfastelado no alto salário, não conseguiram prender ou afastar o cunha…A quem poderemos recorrer? Quem nos livrará do pulha do sinistro gilmar dantas? Quando julgarão o cunha, no dia de São Nunca? O judiciário, a maioria com os pés na cova, ainda alimentando a pobreza interna, não são capazes de agir com o mínimo de dignidade. Esse temer dirige um partido de parasitas, plantas daninhas que só se limentam do trabalho dos outros. O dia do temer vai chegar. Por peço que Deus abençoe a Dilma, que ela reaja, que ela afaste ou traíras de sua equipe.Lamento a situção da Dilma, um bando de abutres não a deixam governar. Obrigada Dilma, você vencerá!!!

Responder

FrancoAtirador

07 de dezembro de 2015 às 10h38

.
.
Região Nordeste Contra o Golpe
.
Em nota publicada na quinta-feira (3), de nove dos dez governadores
dos estados da região Nordeste do País repudiaram a abertura
de processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff
pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.
.
Segundo os governadores, o processo
é uma “absurda tentativa de jogar a nação
em tumultos derivados de um indesejado
retrocesso institucional”.
.
“O processo de impeachment, por sua excepcionalidade,
depende da caracterização de crime de responsabilidade
tipificado na Constituição, praticado dolosamente
pelo Presidente da República.
.
Isso inexiste no atual momento brasileiro. Na verdade, a decisão de abrir o tal processo de impeachment decorreu de propósitos puramente pessoais, em claro e evidente desvio de finalidade”,
diz a nota.
.
Os governadores afirmam que “em vez de golpismos, o Brasil precisa de união,
diálogo e de decisões capazes de retomar o crescimento econômico,
com distribuição de renda”.
.
Camilo Santana (PT) – Ceará
Flávio Dino (PCdoB) – Maranhão
Jackson Barreto (PMDB) – Sergipe
Paulo Câmara (PSB) – Pernambuco
Renan Filho (PMDB) – Alagoas
Ricardo Coutinho (PSB) – Paraíba
Robinson Farias (PSD) – Rio Grande do Norte
Rui Costa (PT) – Bahia
Wellington Dias (PT) – Piauí
.
(https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_dos_estados_da_Regi%C3%A3o_Nordeste_do_Brasil)
.
.

Responder

italo

06 de dezembro de 2015 às 23h13

A vitória de Dilma em 2014 e a operação lava jato, deram inicio à uma reação do PMDB e as peças se moveram no tabuleiro à espera desse momento agora. O Vice Michel Temer deu uma guinada pró Cunha, elegendo o já suspeito Cunha à Presidência da Câmara, garantindo toda linha de sucessão da Presidência da República. Um ano de chantagens e achaques. Estou com Dilma, nenhum outro Presidente homem dos últimos 30 anos suportaria o que Dilma está enfrentando e VENCENDO.

Responder

Lukas

06 de dezembro de 2015 às 23h01

Não deixa de ser irônico que uma cadeia defenda um governo petista.

Responder

    italo

    06 de dezembro de 2015 às 23h17

    Tem transmissão televisiva em cadeia nacional também. quá.

edson tadeu

06 de dezembro de 2015 às 22h09

A TAL PONTE PARA O FUTURO É UM DOCUMENTO ELABORADO PELA DIREITA BRASILEIRA MAIS precisamente com os EUA , Temmer ao levar esse temerario ponte para o futuro, Ja estava sinalisando ha muito tempo a sua posiçao perente o impeachment da presidente, so nao viu quem nao quis.
Apartir do momento que um vice presidente lança um documento daquela natureza totalmente contrario aos interesses do Brasil do trabalhador, da economia e dos principios dos quais o PT procurou pautar seu governo como um governo para todos, fica claro que MICHEL TEMMER, é mais um dissimulado eque esta de olho tanto nopoder como no interesse de jogar para debaixo do tapete toda corrupçao praticada por ele,Eduardo Cunha, FHC,Serra,Alckmin, Aecio, e Renam Calheirios. Apartir daí nos sabemos qual o interesse de Michel Temmer,e tomamos ciencia que ele quer proteger todos os bandidos nao so do partido dele que sao muitos, mais conforme acordo feito como PSDB,que será tambemprotegido assim como Democratas PPS, PP,
Eles todos ja temem que o braço dajustiça atraves de Janot chegue a alcança-los o que mais cedo ou mais tarde irá acontecer.e tomara que seja bem cedo.por que a naçao brasileira precisa saber quem sao esses facinoras, corruptos larapios dos cofres publicos e que nunca sao punidos.
Ha interesses de organismos(CIA) INTERNACIONAIS, deixarem que os corruptos do mundo todo governem naçoes, porque eles sempre estarao nas suas maos, e se caso eles contrariar os interesses americanos sao depostos como traficantes,corruptos.é o Caso por exemplo de Aecio Neves. Ocara construiu um aeroporto numa fazenda do tio gastou 14 milhoes dos cofres publicos. numa cidade com menos de 22 mil habitantes, onde a maioria nao tinha nem dinheiro para comer quanto mais pegar um aviao. O que é ainda pior é que a POLICIA FEDERAL fechou na mesma cidade um REFINO DE COCAINA. Que coincidencia nao é. UM AEROPORTO CONSTRUIDO NUMA FAZENDA LONGE DE TUDO – E UM REFINO DE COCAINA NA MESMA CIDADE. caso Aecio venha governar o Brasil, ele vai ficar nas maos dos EUA porque o departamento ant-drogas de la sabe tudo do trafico de cocaina feito na cidade de Claudio,so nao usaram isso contra Aecio piorque ele é oposiçao e o governo americano tem interesse em acabarcom DILMA e sepultar o PT.É assim que eles usam os tiranos, os golpistas, os facistas os canalhas, corruptos,

Responder

Euler

06 de dezembro de 2015 às 21h54

Eis uma oportunidade de ouro para que a presidenta Dilma e o PT estabeleçam novas alianças no congresso e fortaleçam sua base de apoio nas ruas com a mudança na política econômica do governo, em favor de políticas geradoras de emprego, aumentos salariais, redução nos juros e fim das políticas recessivas e neoliberais. Será a oportunidade também para Dilma chutar o traseiro desse traíra que está na vice-presidência e que conspira contra a democracia brasileira. Será o momento, ainda, para desmascarar esta mídia golpista e exigir mais democracia nas comunicações. É hora, portanto, de unirmos as forças populares e progressistas e transformarmos a tentativa de golpe em mais avanços, com a depuração desses crápulas e a ampliação das políticas públicas em favor dos de baixo. Golpe, nunca mais!

Responder

    Mário SF Alves

    07 de dezembro de 2015 às 12h05

    Sim, e já não era sem tempo. O acumulador de forças já está a plena carga; agora é só ligar na tomada. Assim creio.
    ______________________________
    Em tempo 1: três dos líderes mundiais com maior poder de salvar a Humanidade do desastre nazi-neoliberal: Dilma, Putin e o presidente chinês.

    Em tempo 2: Impeachment… humm… deixa ver… deixa ver o resumo dessa ópera bufa que já veio malhada desde antes d’eu nascer:
    Este golpe institucional à Paraguai, tão ansiado pelos barões da mídia, caixa de ressonância do poder de fato (antagônico do Poder de Direito), oligárquico, plutocrático e neoliberal, somente chegará às vias de fato se os terroristas corporativistas mercenários do EI vencerem a guerra na Síria; portanto… tem muita água pra rolar sob essa ponte geopolítica e geoestratégica mundial. Quem viver… verá.

    Democracia, sempre! E às favas e/ou ao inferno todos os Cunhas: Eduardo, Aécio, Temer, FHC, Renan, Paulinho, Gilmar e Cia.

Francisco de Assis Ramos da Silva

06 de dezembro de 2015 às 20h28

Não consigo compartilhar com meus amigos no Facebook. Diz que não é mais possível hoje. Seria censura?

Responder

    Morvan

    07 de dezembro de 2015 às 09h41

    Bom dia.
    Francisco de Assis Ramos da Silva (06/12/2015 – 20:28):

    Não consigo compartilhar com meus amigos no Facebook. Diz que não é mais possível hoje. Seria censura?

    Amigo Francisco de Assis, pode ter sido problema momentâneo. Acabo de assinar e publicar texto, nesta página do Facisbuk.
    Saudações “Por uma Justiça verdadeira, apartidária, federativa, sem ‘Não Vem Ao Caso’, sem udenismo, a serviço do cidadão“,
    Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding