VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Bob Fernandes: Violência e silêncio em SP… mas os mortos gritam


13/11/2012 - 11h46

 





20 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jornalismo, outra vítima da “onda de violência” | Caótico | Espaço de leituras, histórias & especulações

26 de dezembro de 2012 às 18h56

[…] por dente” que setores da elite paulista defenderam naquele ano para revidar os ataques do PCC. (clique aqui para ver)A opção de Alckmin parece ter sido pelo viés da violência policial, pela repressão sem limites, […]

Responder

Marilda Pansonato: Desumanidade escancarada « Viomundo – O que você não vê na mídia

17 de novembro de 2012 às 17h55

[…] Bob Fernandes: Violência e silêncio em SP… mas os mortos gritam […]

Responder

Deputados querem CPI para investigar onda de violência em SP « Viomundo – O que você não vê na mídia

16 de novembro de 2012 às 12h41

[…] Bob Fernandes: Violência e silêncio em SP… mas os mortos gritam […]

Responder

Repúdio à violência da política de segurança em São Paulo: Parem de matar! « Viomundo – O que você não vê na mídia

14 de novembro de 2012 às 23h47

[…] Bob Fernandes: Violência e silêncio em SP… mas os mortos gritam […]

Responder

cleverson

14 de novembro de 2012 às 20h07

Bob Fernandes esqueceu de dizer que Mario Covas-criminosamente- negou a existencia do PCC. Mesmo sem conseguir a taxa , se ele tivesse atuado com rigor, nao teríamos estas matanças.
Outra coisa, nao adianta gastar bilhoes de reais na polícia e ao mesmo tempo nao mudarmos as leis, pois, policial e cidadao nenhum gostam de ver bandidos saindo da cadeia com uma série de benefícios. Resultado: se o estado nao faz jústiça, os políciais fazem jusiça com as próprias maos, e aí muitos deles “erram a mao”.

Responder

Ivonete

14 de novembro de 2012 às 11h55

Em SC nesses dois últimos dias ocorreram ataques à delegacias e queima de ônibus. A impressão que dá, é que o noticiário da Globo esta criando uma “moda” a esse respeito. Vejo uma intenção que, para além do perígo que esses ataques colocam na população, pretende aumentar o pânico nas pessoas. E se isso está acontecendo, vislumbro que esse contexto de ataques e pânico possa ser um atalho golpista. É fácil fazer uma população amendrontada abrir mão de direitos básicos, como democracia e liberdade.

Responder

    rodrigo

    15 de novembro de 2012 às 19h03

    BINGO!

Tia de Duda: “Nós estamos no meio de uma guerra, que não é nossa, e a gente está perdendo” « Viomundo – O que você não vê na mídia

13 de novembro de 2012 às 23h21

[…] Bob Fernandes: Violência e silêncio em SP… mas os mortos gritam […]

Responder

Fabio Passos

13 de novembro de 2012 às 17h29

O governo PiG-psdb destruiu São Paulo.
Um Estado rico, que deveria ser capaz de prover excelente qualidade de vida, submerge no caos pelo desgoverno da pior “elite” do mundo.

Responder

kilimanjaro

13 de novembro de 2012 às 15h22

O silêncio da sociedade evidentemente não é por acaso.

a sociedade paulistana apoia o sangue de gente pobre correndo

Responder

    Fabio Passos

    13 de novembro de 2012 às 17h50

    Não acredito nisso.
    Apesar de programas fascistóides ainda contarem com grande audiência no PiG, creio que este sentimento de “pobre morto não tem importância” é característica da pior “elite” do mundo e da ralé ética-intelectual adestrada pela revista veja.

    Maria Libia

    14 de novembro de 2012 às 10h29

    É isso mesmo, veja que só morrem gente da periferia. Veja se em HIGIENÓPOLIS (que não se perca pelo nome) acontece alguma coisa parecida com o que está ocorrendo na periferia. Entender o que é São Paulo, só vivendo aqui. São Paulo é bem pior do que o Rio de Janeiro, pois o preconceito contra essa gente diferenciada, e o racismo, nem na Alemanha foi igual.

Eunãosabia

13 de novembro de 2012 às 15h12

Usar o PCC para ganhar eleição em São Paulo não me parece uma boa idéia.

Vão perder.

Responder

    abolicionista

    13 de novembro de 2012 às 17h02

    Eunãosabia, você voltou! Onde esteve? Estávamos sentido falta de seu fino senso de humor. Esteve acamado?

    FrancoAtirador

    13 de novembro de 2012 às 18h34

    .
    .
    Ele(a) tem um alter-ego que o(a) reprime.
    .
    .

    xacal

    14 de novembro de 2012 às 10h55

    Fiote, o PCC já tem “dono”.

    Os demotucanopatas não abrem mão das possibilidades ideológicas que a manipulação desta “agenda do medo” lhes confere para justificar sua tenebrosa política (?) de segurança pública.

    O problema é que “o troço” parece ter desandado…têm “peças” acusando “defeito”, embora para a mídia e o governo, até antes de ontem, estivesse tudo sob controle.

    Agora, quem sabe, na ausência de uma solução para o problema que criaram, comecem a procurar “culpados” do outro lado…daqui a pouco a culpa será de todos, menos do secretário de segurança, do governador e de suas equipe.

    Não vai por aí não, fiote…fica feio.

Hélio Pereira

13 de novembro de 2012 às 13h37

Pois é,nossa elite vive pregando a Lei de Talião “Olho por olho,Dente por dente”,mas quer mesmo é ver SANGUE,para o Pessoal acostumado a mandar e desmandar no estado,quanto mais gente morrer melhor,desde que entre os mortos não estejam seus Parentes ou representantes da “Massa cheirosa”.
Eu acho que chegara o dia em que moradores da Periféria que são massacrados pela Policia comandada pelo PSDB/DEM/PPS,terão clareza que o que vem sofrendo é responsábilidade deste pessoal que Governa o Estado de SP,desde a posse de Franco Montoro em 1983 e talvez resolvam aplicar a Lei de Talião também,não contra os Policiais Militares que saem de seu próprio meio,mas contra esta elite que os humilha,mudando a direção da mira para certos Politicos,uma vêz que os Soldados também fazem parte do Povo da Periféria.

Responder

FelipeB

13 de novembro de 2012 às 13h20

Quando os jornalões começarão a colocar em evidência a parte da culpa que cabe ao Alckmin?
Quando a incompetência dele finalmente virá à tona?
Quantas pessoas mais precisam morrer?

Responder

    Hélio Pereira

    13 de novembro de 2012 às 13h52

    Pois é Felipe,
    O Secretário de Segurança foi avisado em Agosto que o PCC faria ataques contra os PMs,mas se omitiu,não informou o comando da PM sobre este fato.
    A omissão de António Ferreira Pinto,pode ser apontada como responsável pelas dezenas de mortes de PMs e pelas centenas de mortes de civis também.
    Temos o caso da PM Marta Umbelina da Silva Moraes,morta na Vila Brasilândia com 10 tiros pelas costas e na frente da Filha de 11 anos.
    A Policial “Martinha” como era conhecida tinha 44 anos,deixou Três Filhos e alem do Trabalho na PM,vendia Produtos no Bairro para poder pagar a Prestação de sua Casa,isto quando estava de Folga!
    O enterro da PM Marta Umbelina (MARTINHA),foi custeado pelos próprios colegas de Farda,que fizeram uma “vaquinha” para arrecadar recursos!
    Felipe,se dependesse da ajuda do Governador Alckmim ou do PSDB ela teria sido enterrada como INDIGENTE,pois este pessoal enxerga o Policial apenas como um numero,uma engrenagem que pode ser trocada a qualquer hora.

Marcelo de Matos

13 de novembro de 2012 às 12h51

Assisti ontem a esse comentário do Bob Fernandes na TV Gazeta e li o post do Cláudio Lembo, no portal Terra. Fiz um comentário, mas, o post já estava fora de pauta. Destaquei: “Em todo o episódio presente, é significativo o silêncio da sociedade e de seus representantes – entidades ou personalidades. Parece existir um alto grau de passividade social. Uma sociedade, que não eleva sua voz em defesa de seus valores e de sua integridade física, é uma sociedade enferma”. É preciso que a sociedade compreenda a origem do conflito, pré-requisito para sua solução. O doutor Walter Fanganiello Maierovich diz que o PCC é uma máfia e que eliminadas suas fontes de renda ela não sobreviverá. As máfias surgem para fazer fortuna e não parece ter sido essa a origem do PCC. No seu nascedouro está a reação contra os maus tratos e a tortura nos presídios, bem como contra a matança de suspeitos nas ruas, que só é admitida oficialmente quando filmada. Precisamos mudar essa cultura. É passada a hora, também, de unificar as polícias civil e militar.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura