VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Bob Fernandes: FHC diz não saber de espionagem da CIA; fatos desmentem
Denúncias

Bob Fernandes: FHC diz não saber de espionagem da CIA; fatos desmentem


12/07/2013 - 11h57

por Bob Fernandes, no Jornal da Gazeta, sugestão Julio Cesar Macedo Amorim

Leia também:

Criada CPI da Espionagem para investigar braço da CIA

Estados Unidos espionaram “comunicação de lideranças” em Brasília

Ivan Valente: Quais empresas colaboram com a espionagem?

Ramonet: Serviços de espionagem já controlam a internet

Tijolaço protesta contra a bandidagem eletrônica: Somos ratos

Spiegel: A aliança entre a NSA e 80 corporações globais

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


40 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Messias Franca de Macedo

14 de julho de 2013 às 10h04

DINAMITE! NITROGLICERINA PURA: SE A POLÍCIA FEDERAL E ALGUNS OUTROS ÓRGÃOS “FUNÇAREM” UM POUCO “PEGA O PSDB DESDE ‘ONTEM’ NA BOCA DA BOTIJA”! A LAMBANÇA “QUE HÁ MUITO JÁ SE SABIA”!… CPI JÁ! ‘AS [LEGÍTIMAS E SAPIENTES] VOZES DAS RUAS HÃO DE QUERER! E MUITO!’…

DA SÉRIE ‘[MAIS] SOBRE O QUE O FHC &$ OS DEMAIS [DEMo]TUCANOS NÃO SABIAM’!

#######################

EMPRESA ALEMÃ SIEMES DELATA CARTEL EM LICITAÇÕES DO METRÔ DE SÃO PAULO

A multinacional alemã Siemens delatou às autoridades antitruste brasileiras a existência de um cartel –do qual fazia parte– em licitações para compra de equipamento ferroviário, além de construção e manutenção de linhas de trens e metrô em São Paulo e no Distrito Federal.
Gigante da engenharia, a empresa já foi condenada em outros países por conduta contra a livre concorrência.
Multinacionais acusadas de formação cartel dizem colaborar com investigação
A Folha apurou que o esquema delatado pela companhia envolve subsidiárias de multinacionais como a francesa Alstom, a canadense Bombardier, a espanhola CAF e a japonesa Mitsui.
Essas empresas e a Siemens são as principais candidatas a disputar o megaprojeto federal do trem-bala que ligará Rio e São Paulo. O leilão deve ser no mês que vem.
Combinações ilícitas entre empresas podem resultar em contratações com preços superiores (entre 10% e 20%, segundo estimativas) aos praticados caso elas concorressem normalmente.
No início do mês, a Superintendência-Geral do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) realizou busca e apreensão nas sedes das companhias delatadas. A Operação Linha Cruzada executou mandados judiciais em São Paulo, Diadema, Hortolândia e Brasília.
Segundo as denúncias, o cartel atuou em ao menos seis licitações. Mas ainda não se sabe ao certo o tamanho real, alcance, período em que atuou e o prejuízo causado.
Ao entregar o esquema, a Siemens assinou um acordo de leniência, que pode garantir à companhia e a seus executivos isenção caso o cartel seja confirmado e condenado.
A imunidade administrativa e criminal integral é assegurada quando um participante do esquema –antes que o governo tenha iniciado apuração– denuncia o cartel, suspende a prática e coopera com as investigações.
No caso de condenação, o cartel está sujeito a multa que pode chegar a 20% do faturamento bruto da empresa no ano anterior à abertura de processo pelo Cade.
No final da década de 90, houve uma troca no comando mundial da Siemens depois de escândalos de pagamento de propina em vários países. A empresa foi punida no exterior por formação de cartel.
A análise do material apreendido levará até três meses. Confirmados os indícios de cartelização, o Cade abrirá processo contra as envolvidas. O conluio, segundo a apuração, inclui outras sete empresas: TTrans, Tejofran, MGE, TCBR Tecnologia, Temoinsa, Iesa e Serveng-Civilsan.

POR CATIA SEABRA
JULIANA SOFIA
DIMMI AMORA
DE BRASÍLIA

em http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/07/1310864-empresa-alema-siemens-delata-cartel-em-licitacoes-do-metro-de-sp.shtml

14/07/2013 – 01h45

Responder

renato

13 de julho de 2013 às 21h04

Eu GOSTO do BOB Fernades.
É curto (nem tanto) e grosso.
PARABENS.
Isto sim é cumprir dever de jornalista.

Responder

Elias

13 de julho de 2013 às 18h22

Academia Brasileira de Letras

Responder

    Elias

    13 de julho de 2013 às 18h24

    Traz um sigilo sem gelo para o mais novo acadêmico da casa.

JOTACE

13 de julho de 2013 às 17h53

O SUCATEAMENTO
DO BRASIL

Lamento como brasileiro concordar com quase a totalidade de afirmações como as do José Sena, por exemplo. No caso digo ‘quase’ pois até o momento não me consta, simples leitor de noticiários que sou, de como a China já está com uma pistola em cima de nós. Mas, como ele diz muito bem, o terrível sucateamento do Brasil alcançou até o que deveria ser patrimônio exclusivo das nossas Forças Armadas. E muitos detalhes do que sucedeu – e continua a suceder – neste setor, figuram em artigos do Mauro Santayana e publicados no blog desse jornalista e patriota, reproduzidos alguns pelo Viomundo. O último que li a respeito – que cito apenas para referir a que ponto nos situamos na vergonhosa escala de rebaixamento -, tem o título de “A Espanha, o Brasil e a LAAD”. Mas aqui fica uma observação minha: é grande a nossa dose de culpa, pois temos nos comportado como toupeiras vivendo quase exclusivamente no buraco escuro da acomodação com o que sucede. Há que reagirmos e até ‘dentro de casa’ a chapas brancas travestidos de filósofos que tentam confundir com a mais parva das fraseologias. Pois só como exceção, e muito raramente, temos estabelecido uma discussão sobre o que vem acontecendo também depois do miserável governo do traidor FHC . E os que vieram depois? Lula e Dilma são endeusados ainda que tenham continuado – e até ampliado de muito – o leque da entrega da pátria e tudo vem sendo disfarçado sob os mais variados e falazes titulos e argumentos. O tempo urge como o disse bem aqui o Marat e precisamos nos unir para tentar sair democraticamente desse lixo em que estamos metidos até o pescoço. De minha parte não acredito, como milhões de outros brasileiros, que Lula e Dilma deixem por um minuto sequer a vergonhosa trilha da entrega da soberania do Brasil. Abraços e um bom fim de semana para todos, do

Jotace

Responder

Valcir Barsanulfo

13 de julho de 2013 às 16h55

Sabia sim, sabia de tudo, pois foi ele quem autorizou a montagem do centro de espionagem da CIA no Brasil.
O Brasil no governo do fhc(minúsculo) foi tratado como colônia dos Yankes.
O cínico tirava os sapatos no Aeroporto de Nova York.

Responder

    Abel

    14 de julho de 2013 às 00h14

    E aquela foto comprometedora do Clinton com as mãos nos ombros do nosso “imortal”?

H. Back™

13 de julho de 2013 às 14h30

Como que o FHC não sabia? Se ele próprio era um elemento infiltrado no governo como presidente? Ele veio do CEBRAP, que era um ninho de espiões estrangeiros!!

Responder

Raidilson

13 de julho de 2013 às 12h49

Minha teoria é que de algum modo os que controlam o mundo e que não são americanos perderam o controle da NSA e passaram a ser espionados também no mundo todo por isso essa choradeira agora. É briga para tomar novamente esse controle. Quanto a espionagem no Brasil, já foi explicada pela Carta Capital em diversas reportagens desde 1999. Então já se sabia em detalhes e não se fez nada. Se estão tirando o foco da democratização das comunicações? Pode ser…
A realidade é que não temos candidato. Temos que encontrá-lo dentro desses partidos que estão ai? Temos que fundar um novo partido?

Responder

    H. Back™

    13 de julho de 2013 às 14h18

    Ou eleger um novo ditador.

José de Queiroz

13 de julho de 2013 às 12h01

Depois falam que o Lula que nunca sabe de nada.

Responder

Julio Silveira

13 de julho de 2013 às 11h51

Para uma mídia tão descaradamente tendenciosa pró Yanke não deve ser por acaso essa tentativa de fazer do FHC um herói brasileiro.

Responder

Fabio Passos

13 de julho de 2013 às 11h44

Sabemos há muito a quem serve este capacho…

E o PiG aplaude toda e qualquer demonstração de submissão do Brasil ao imperialismo.

Responder

Raimundo

13 de julho de 2013 às 11h27

Minha teoria é que de algum modo os que controlam o mundo e que não são americanos perderam o controle da NSA e passaram a ser espionados também no mundo todo por isso essa choradeira agora. É briga para tomar novamente esse controle. Quanto a espionagem no Brasil, já foi explicada pela Carta Capital em diversas reportagens desde 1999. Então já se sabia em detalhes e não se fez nada. Se estão tirando o foco da democratização das comunicações? Pode ser…

Responder

Fabio Passos

13 de julho de 2013 às 11h19

Espiões ianques agindo com total liberadade no Brasil. O eua financiando ações da PF.
O primeiro passo para nos tornarmos uma nação é garantir soberania.

A “elite” branca e seus capachos são uma renca de traidores e entreguistas.

cia
nsa
fuck usa!

Responder

Carlos Lima

13 de julho de 2013 às 10h55

Conversando com um amigo sobre assuntos diversos ao cair neste ele me fez uma revelação interessante; Me disse que aproximadamente em 2004 uma parente sua que mora nos EUA foi contratada pelo Exercito dos EUA para ensinar português para fuzileiros navais e mais curioso de sua revelação foi quando ele me disse que havia ganhado uma “grana violenta” quando essa sua parente veio para o Brasil com vários fuzileiros americanos e num tour pelo norte de Minas entre grutas e o Rio São Francisco ele ganhava R$ 300,00 reais de diária levando essa turma em sua Kombi e no final um gorjeta considerável. Na sua simplicidade ele me perguntou o que será que esses soldados americanos queria aqui? Eu não soube lhe responder, ele me disse fez uma coisa que se arrepende até hoje, existe em Montes claros umas cavernas inclusive com pinturas rupestres e uma delas chamada LAPA GRANDE, disse me ele que os Americanos atravessaram essa caverna de um lado para o outro várias vezes. Inclusive essa caverna é o epicentro dos tremores de terra que sacodem a cidade quase que rotineiramente, disse ele também que após esse tour dos fuzileiros nesta região eles se deslocaram para o Amazonas e encerrou o assunto. É de se assustar que uma pessoa comum relate isso porém é mais assustador quando o atual governo, não sei se aconteceu ou se ainda acontece como li no blog do Nassif um poste que relatava que o governo Dilma havia contratado o EXERCITO AMERICANO para fazer estudos no RIO SÃO FRANCISCO na área de navegação, fiquei assustado mesmo e até teci alguns comentários repudiando tal por assim dizer “Sacanagem” por parte de um governo em quem eu votei e com certeza não foi para entregar nossa soberania para outro país, não sei o que deu isso, depois foi um silencio de toda a blogosfera e também da mídia bandida, mas esse assunto andou pipocando nos blogs e depois sumiu como o processo global. Juntando as peças o país inteiro está violado pela máquina imperial e infelizmente, temos que admitir que não sabemos para quem se governa este país, verdadeiramente não sabemos, é triste más é pura verdade.

Responder

Gerson Carneiro

13 de julho de 2013 às 10h13

Por onde anda o comentarista “EUNAOSABIA”?

Responder

    Nelson

    13 de julho de 2013 às 12h55

    Suspeito que esteja em Lins, meu caro Gerson.
    Isto mesmo: lugar ignorado e não sabido

JACÓ

13 de julho de 2013 às 09h20

Prisão para esse entregão e pallhaço das midia fgagácê, o vedilhão só sera imortal no inferno.

Responder

Luís Carlos

13 de julho de 2013 às 09h16

FHC e seu bando de traidores, mancomumados com Globo, Veja, e jornais de grande circulação no país. Venderam tudo, inclusive o que nunca tiveram, compromisso com o povo brasileiro. Agora posam de vestais com çaras e bocas, apontando o dedo em riste para todos, como se não fizessem parte disso e como se não tivessem dinheiro em contas o exterior, como a Globo.

Responder

Jose Mario HRP

13 de julho de 2013 às 09h06

PARA QUE ESCREVER?

Responder

Marat

12 de julho de 2013 às 22h38

É bom o Bob ensinar ao pessoal como fazer jornalismo investigativo!

Responder

Heloisa Villela: Governo dos EUA incentiva colega a dedurar colega - Viomundo - O que você não vê na mídia

12 de julho de 2013 às 22h26

[…] Bob Fernandes: FHC diz não saber sobre espionagem da CIA no Brasil; fatos desmentem […]

Responder

Marat

12 de julho de 2013 às 21h35

Ué, mas segundo a veja é outro cara o que não sabe de nada – rsrsrsrsrs… E com relação à espionagem, nem a revistinha de esgoto sabia, não é me$mo?

Responder

ricardo silveira

12 de julho de 2013 às 20h33

O sujeito foi presidente da República e no meio do mandado a Constituição foi mudada, com compra de votos de deputados, para que ele pudesse concorrer a uma nova eleição. No livro sobre a Privataria Tucana há documentos que provam que houve corrupção grossa, mas e daí, ele se beneficiou da mudança constitucional em pleno mandato e ficou por isso mesmo. Agora, um ex espião que trabalhou para a CIA revela que os Estados Unidos espionavam o Brasil de escritório em Brasília e o FHC diz que nunca ouviu falar sobre o assunto. Então um jornalista lembra a série de reportagens que Carta Capital fez durante o governo do sujeito mostrando justamente o que ele diz que nunca ouviu falar. E eles querem voltar a governar o país e contam com o monopólio da mídia para isso.

Responder

FrancoAtirador

12 de julho de 2013 às 19h25

.
.
30 de julho de 1998
JC OnLine

BOLSAS II

MCI compra Embratel com ágio de 47,22%

Com uma oferta de R$ 2,65 bilhões, representando um ágio de 47,22% sobre o preço mínimo de R$ 1,8 bilhão, o grupo MCI, dos EUA, por meio de sua subsidiária Startel, venceu o leilão de 51,79% das ações com direito a voto da Embratel, o braço de telefonia de longa distância do Sistema Telebrás, ontem, na Bolsa de Valores do Rio.

Incluída no primeiro grupo do leilão de privatização do Sistema Telebrás, a disputa pela Embratel foi a mais acirrada de todas as vendas, sendo decidida por lances a viva-voz depois que os lances iniciais apresentados em envelopes fechados pelas duas corretoras representantes dos dois grupos concorrentes foram iguais ao valor de corte, isto é, ficaram muito próximos um do outro.

Representando o consórcio formado pela empresa norte-americana Sprint, fundos de pensão e banco Opportunity, a corretora Itaú ofereceu seu lance inicial de R$ 2.499.300,00, com um ágio de 38,85%.

Representando a MCI, a corretora Unibanco ofereceu seu lance inicial de R$ 2.473.000,00, com um ágio de 37,38%.

Depois de 12 lances alternados a viva-voz, a corretora Unibanco fez a oferta vencedora de R$ 2.650.000,00.

O leilão da Embratel começou às 10h23 e foi concluído às 10h32.

A MCI vai pagar 40% do lance vencedor ao governo brasileiro dentro de cinco dias e o restante em duas prestações anuais.

Jerry DeMartino, vice-presidente sênior de estratégia global e desenvolvimento do grupo MCI (faturamento de US$ 20 bilhões, em 1997), informou que agora a Embratel é 100% da MCI porque o grupo disputou o leilão sem parceiros.

Depois de afirmar que o MCI descarta a busca de parceiros na Embratel, pelo menos a curto prazo, DeMartino disse que ficou muito feliz com a vitória porque, na opinião do grupo MCI, a Embratel é a “jóia da coroa das telecomunicações no Brasil”.

De Martino previu que o aumento da competição no mercado de telecomunicações do Brasil, que estava avaliado em US$ 15 bilhões no ano passado, vai ter como principal consequência a queda das tarifas, a melhoria da qualidade dos serviços, principalmente o acesso à Internet, e o lançamento de novos produtos.

A compra da Embratel é o maior investimento da MCI no exterior.

(http://www2.uol.com.br/JC/_1998/3007/ec3007l.htm)
.
.
17/3/2004
Telmex compra participação da MCI na Embratel
Empresa mexicana pagou US$ 360 milhões por 51,8% da operadora brasileira

Redação

A mexicana Telefonos de Mexico (Telmex) fechou acordo com a norte-americana MCI para a venda do controle da Embratel por 360 milhões de dólares, um valor abaixo do esperado pelo mercado.
Em 1998, a MCI venceu o leilão de privatização da Embratel com oferta de 2,3 bilhões de dólares por 52 por cento do capital votante da empresa brasileira.

Segundo a MCI, com a desvalorização do real o total pago pela operadora brasileira foi de 1,9 bilhão de dólares.

A Telmex venceu a disputa contra outros dois grupos, um formado pelas empresas brasileiras de telefonia fixa Telemar, Telefônica e Brasil Telecom, e outro pelo fundo de pensão Telos, dos funcionários da Embratel.

“Foi muito positivo para a Embratel ser comprada pela Telmex, que tem recursos, tecnologia, e vai tornar a empresa brasileira mais competitiva”, disse o analista da corretora Sudameris, Petros Georgios.
O analista se surpreendeu com o preço pago pelo controle da empresa, ou 19,26 por cento do capital total.
Para ele, a expectativa era de um preço em torno de 20 reais por ação, enquanto a operação ficou em 16,23 reais por cada ação ordinária.
“As ações ordinárias deverão se ajustar e o tag along (preço paga aos minoritários) deve girar em torno dos 13 reais”, calculou Georgios.

Com isso, o analista espera queda nas ações ordinárias e alta nas preferencias, movimento inverso ao verificado nos últimos dias.
As preferenciais serão valorizadas pelo fato da Embratel agora ter condições de crescer no mercado.
“A Telmex vai ter condições de capitalizar a empresa, o que gera uma expectativa otimista”, explicou o analista.

Analistas apostavam desde o início na vitória da Telmex, devido aos seus amplos recursos financeiros e ao interesse no Brasil demonstrado pelo controlador da companhia, o magnata mexicano Carlos Slim, dono da operadora Claro, que tem 21 por cento do mercado de telefonia celular no Brasil.

A operação, no entanto, ainda está sujeita à aprovação das autoridades judiciais da área de falências dos Estados Unidos, já que a MCI é concordatária, e das autoridades reguladoras brasileiras, informou a companhia norte-americana em comunicado.

No Brasil, a Embratel confirmou a venda em nota ao mercado e por enquanto não deverá se pronunciar, segundo a sua assessoria de imprensa.

Tiroteio à vista

As operadoras de telefonia Telemar , Telefônica , Brasil Telecom e Geodex vão recorrer juntas, imediatamente, à Justiça dos Estados Unidos contra o acordo de venda da Embratel para a mexicana Telmex por 360 milhões de dólares.
Segundo fonte próxima às negociações, o consórcio formado pelas quatro empresas ofereceu 550 milhões de dólares pela participação de 52 por cento da MCI na Embratel.
“Vamos à corte de falência americana dizer que os ativos poderiam ser vendidos muito mais caros”, disse a fonte que preferiu não se identificar.

O comitê de credores da MCI também será acionado, segundo a mesma fonte.

A companhia que dará entrada no processo nos Estados Unidos será a Calais, criada pelas três operadoras locais [SIC] e a Geodex para fazer a oferta pela Embratel.
A Geodex é uma empresa de telecomunicações controlada por Goldman Sachs e Credit Suisse First Boston. [!!!]
A Geodex tem 100 por cento do capital votante da Calais e as três operadoras locais 100 por cento do capital preferencial, informou a fonte.
“Se a operação for revertida e sairmos vencedores na disputa, será a Calais que vai controlar a Embratel”, explicou.

Segundo a fonte, o argumento utilizado pela MCI, antiga WorldCom, para recusar a oferta do consórcio foi a dificuldade que o negócio teria para receber autorização dos órgãos reguladores brasileiros.
A proposta das três operadoras incluía também o pagamento de 50 milhões de dólares à vista antes mesmo da aprovação da agência reguladora do setor, a Anatel, enquanto a Telmex ofereceu 40 milhões de dólares, informou a fonte.
“Não foi uma concorrência que a corte americana possa considerar justa”, comentou a fonte.
“Os credores e minoritários da MCI e Embratel saíram perdendo”, afirmou, lembrando que o tribunal dos EUA tem o direito de realizar um novo leilão de ativos se considerar a proposta prejudicial.

Essa percepção dos investidores podia ser sentida no desempenho das ações ordinárias da Embratel, que caíam mais de 23 por cento no início da tarde, depois de forte alta registrada nos últimos dias com a expectativa de venda do controle da maior operadora de longa distância do país.

(http://cidadebiz.ig.com.br/conteudo_detalhes.asp?id=28741)
.
.
MCI vende a Embratel aos mexicanos

Nova York (Agência Estado) – A Justiça americana aprovou ontem a compra da Embratel pela mexicana Telmex, do bilionário Carlos Slim Helú, por US$ 400 milhões.

De acordo com o juiz Arthur Gonzalez, do Tribunal de Falências do Distrito Sul de Nova York, a americana MCI, dona da operadora brasileira, fez “uso de bom julgamento” ao escolher a Telmex. O juiz negou o direito ao consórcio Calais (formado pela Telefônica, Telemar, Brasil Telecom e a operadora de serviços para empresas Geodex) de comprar a Embratel.
O consórcio havia oferecido mais pela operadora, US$ 550 milhões, mas a MCI considerou que a proposta trazia muitos “riscos regulatórios” por causa do seu impacto na competição.

No último dia 5, uma busca policial na sede da Telefônica em São Paulo encontrou documentos que previam aumentar tarifas “pelo teto”, caso as empresas conseguissem comprar a Embratel.
Ontem, a Polícia Civil de São Paulo abriu um inquérito para apurar crime contra a ordem econômica.
“Você acha que a MCI quer se associar a alguém que está sob investigação criminal?”, perguntou o juiz Arthur Gonzalez ao representante da Calais.

O ministro das Comunicações, Eunício de Oliveira, aguarda o envio dos documentos da venda da Embratel pela MCI.
“O vencedor não importa”, disse Eunício.
“O importante é seguir a legislação.”

De acordo com o ministro, o governo continua a querer uma golden share (ação com direitos especiais) na StarOne, subsidiária de satélites da Embratel. [!!!]

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou que continua analisando o pedido de anuência entregue pela MCI sobre a venda da Embratel.

Para que a operação seja finalizada, ela ainda precisa da aprovação da agência reguladora e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade)

A venda da Embratel precisou da autorização da Justiça americana porque quando a operação começou, em novembro, a MCI estava em concordata.
A operadora deixou de ser concordatária no último dia 20.

Denúncias – Em Brasília, três comissões permanentes do Senado deverão organizar uma audiência pública quinta-feira sobre as denúncias de cartelização na telefonia fixa: as comissões de Assuntos Econômicos (CAE), a de Educação e a de Fiscalização e Controle.

O presidente da Comissão de Fiscalização e Controle, senador Ney Suassuna (PMDB-PB), disse que após, a decisão do Tribunal de Falências de Nova York, cabe ao Senado acompanhar o processo para evitar perdas para os consumidores.

“Estamos lidando com dois grandes grupos empresariais, que não estão preocupados em salvar o Brasil, e sim, os seus negócios”, disse Suassuna.
Ele disse que o Senado, ao realizar diversas audiências públicas sobre o assunto, procurava entender o que estava ocorrendo.
“Agora estamos informados e vamos observar o desfecho”, disse, em relação à decisão da corte americana e às denúncias de formação de cartel para a compra da Embratel.

Foram convidados para a audiência pública os presidentes da Anatel, Pedro Jaime Ziller, e do Cade, João Grandino Rodas, além dos secretários de Direito Econômico do Ministério da Justiça, Daniel Goldberg, e de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, José Tavares.

A audiência com os três primeiros foi aprovada de manhã pela Comissão de Educação, por iniciativa do senador Hélio Costa (PMDB-MG).
Em seguida, requerimento com o mesmo objetivo foi aprovado na CAE por iniciativa dos senadores Eduardo Suplicy (PT-SP) e Ana Júlia Carepa (PT-PA).

A Comissão de Educação aprovou ainda requerimentos de informação de Hélio Costa que serão enviados à Anatel, à SDE, ao Cade e à Comissão de Valores Mobiliários.
O senador quer detalhes sobre a venda da Embratel, no que toca a transmissões de informações governamentais por satélites, riscos aos acionistas minoritários, risco de cartelização e possibilidade de adiamento da decisão por iniciativa da presidência da República.
Costa pediu ainda esclarecimento sobre a existência, ou não, de financiamento do BNDES ao grupo de telefonia celular Claro.

O presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados, Gilberto Kassab (PFL-SP), vai propor a convocação de todos os envolvidos para audiências destinadas a apurar as denúncias de cartelização por parte das operadoras Telemar, Telefônica e Brasil Telecom.
Kassab disse que não queria ser leviano afirmando que há um cartel, e que com a convocação quer dar oportunidade para todos se manifestarem.

(http://201.59.48.71/oliberal/painel/default16.asp)
.
.
O que o Brasil perdeu com a venda da Embratel

Por Marcelo S. Alencar

A Embratel é atualmente uma empresa do Grupo América Móvil, visto que a Telmex a adquiriu em julho de 2004 da empresa norte americana MCI. Em 2007, a Embratel passou a fazer parte da Telmex Internacional, que foi incorporada pela América Móvil, do México, em 2010.

A Embratel, criada por lei no governo de João Goulart, mas implantada no governo de Humberto de Alencar Castelo Branco, tem a concessão para longa distância nacional e internacional em todo o País. Ela funcionou como empresa de estatal, aliás a mais eficiente delas, até 1998, ano em que faturou perto de dois bilhões de reais.

A privatização da Embratel ocorreu em 1998, por pouco mais de um bilhão de reais, no governo Fernando Henrique Cardoso. A joia da coroa das estatais foi vendida em leilão por pouco mais da metade do que faturou no ano. Sem dúvida, um crime de lesa pátria.

Em agosto de 2003, foi anunciada a assinatura de uma carta de intenção para a aquisição da Vésper pela Embratel.

Em setembro, houve a assinatura de um acordo de compra e venda com a AT&T Latin America Corp. para adquirir suas subsidiárias operacionais em cinco países: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia e Peru.

A AT&T acabou sendo adquirida pela Telmex em outubro de 2003.

Em novembro de 2003, a MCI anunciou a intenção de vender a Embratel.
A Anatel aprovou a compra da Vésper pela Embratel, e a operação foi concluída em dezembro.
Quando a Embratel adquiriu a Vésper, passou a ter as autorizações de serviço local de empresa espelho, e a Embratel passou a ser a prestadora do serviço telefônico fixo comutado (STFC) local.

Em março de 2004, a Telmex anunciou um acordo com a MCI para a compra da Embratel.
A Anatel aprovou a compra da Embratel pela Telmex, e, em junho do mesmo ano, a Telmex adquiriu participação na Globopar/Net.

A Embratel adquiriu a Primesys da Portugal Telecom, em agosto de 2005, por R$ 231,25 milhões.
Em setembro do mesmo ano, a Embratel Participações anunciou a incorporação da Telmex do Brasil e da participação acionária de 37,1% do capital social da Net Serviços de Comunicação S.A. que pertencia à Telmex do México.

A Embratel começou a oferecer telefonia VoIP por intermédio do Net Fone via Embratel, em 2006.
Em maio, a Telmex fez uma oferta pública para a compra de todas as ações ordinárias e preferenciais da Embratel Participações no mercado para cancelar o seu registro como companhia aberta.

Porém, em abril de 2008, a Anatel informou à Embratel Participações S. A. que a Embrapar, holding que controla a Embratel, deve continuar como companhia aberta.
A Embratel inaugurou sua rede WiMax em março.
Em abril de 2008, a Anatel autorizou a Embratel a prestar o serviço de TV por assinatura via satélite (DTH).

A Anatel aprovou a transferência do controle da Net da Globo para a Embratel, em janeiro de 2012, e a Embratel anunciou um investimento, em 2012, de R$ 1,8 bilhão, volume similar ao aplicado, em 2011, pela operadora no País.

O faturamento da America Móvil, holding que controla atualmente as empresas Embratel, Claro e Net foi de R$ 36,30 bilhões em 2010, valor que subiu para R$ 39,96 bilhões, em 2011, e deve fechar 2012 acima do patamar de R$ 43,59 bilhões.

Esse valor é 33 vezes aquele pago pela Embratel no leilão de privatização, e parte dele vai direta, ou indiretamente, para o México.

Um excelente negócio para os compradores, mas péssimo para o Brasil.

(http://ne10.uol.com.br/coluna/difusao/noticia/2012/11/20/o-que-o-brasil-perdeu-com-a-venda-da-embratel-382026.php)

Responder

    Nelson

    13 de julho de 2013 às 13h21

    “De Martino previu (…) a queda das tarifas, a melhoria da qualidade dos serviços, principalmente o acesso à Internet, e o lançamento de novos produtos.”

    Bem, Atirador. A questão é sabermos a qual país o emérito Sr De Martino se refere. No Brasil, nada do que a monumental propaganda a favor das privatizações prometeu nos foi entregue.

Apavorado por Vírus e Bactérias

12 de julho de 2013 às 18h36

FHC é um pilantra hipócrita. Além de serviçal dos ianques, é um lesa pátria. Devido a sua política econômica, nossas melhores terras agriculturáveis, nossas empresas e empresas governamentais estratégicas para o governo, para o País e para o povo brasileiro foram doadas e vendidas para estrangeiros, que deitam e rolam no Brasil. Em busca de lucro fácil e farto exportado para seus países, essas empresas estrangeiras, além de terem recebido as benesses do BNDES, não estão nem aí para as necessidades do povo brasileiro de telecomunicações, eletricidade, alimentação saudável (produzem, fabricam e vendem alimentos cancerígenos, como é o caso dos alimentos transgênicos e outras guloseimas adulteradas para agregar valor). Além de outras mazelas, como as das montadoras de automóveis, que vendem lixos automotivos por preços e insegurança altíssimos. Enfim, a elite brasileira, sua Justiça, sua mídia e seus representantes políticos fazem deste País um lixo e um inferno para os brasileiros e, pasmem, esses idiotas aqui também vivem, como FHC, Serra, Alckmin, Daniel Dantas, Família Sarney, Família Magalhães, os idiotas da Veja, da Globo, além dos empresários idiotas que aplaudem toda essa coisa e apostam nos ianques para nos ferrar. Sem contar ainda, com a inoperância da polícia comandada por esses caras, que coadunam com o tráfico de drogas, o qual virou epidemia, causando doença, violência e morte massificadas no País. Esses caras não valem o bolo alimentar que expulsam no ambiente.

Responder

Julio Silveira

12 de julho de 2013 às 18h16

Os States é um país tão transparente que até nos filmes eles mostram que investem pesado para inserir em comandos de países elementos que facilitem sua dominância cultural e econômica. Por que no Brasil, um dos poucos países no mundo com potencial de autonomia e capacidade de rivalizar com eles ia ser diferente? Ainda mais aqui, país sem tradição cívica, onde traição a pátria é apenas uma expressão na linguagem, com pouca ou nenhuma consequência prática pra quem comete. Todos os países proeminentes no Mundo fazem desse um dos maiores crimes que se pode cometer. Aqui a cultura é considerar o assunto irrelevante, sendo colocado no nível de elucubrações de alucinados.

Responder

Rogério

12 de julho de 2013 às 17h40

Bob Fernandes, este sim um repórter de mão cheia e não aqueles da Globo que só fazer matérias quando a Globo tem algum interesse escuso.
Porque a Globo noticiou o esquema d eespionagem? Sabemos que não foi por ser uma descoberta de agora ou puro jornalismo. Em um projeto de espionagem gigante como estes, algumas coisas saem dos rumos esperados. Recentemente o ICIJ divulgou uma série de pessoas e empresas com dinheiro em paraísos fiscais no mundo todo e continua publicando. Como sabemos a Globo pagou a CBF em paraíso fiscai, com que dinheiro? O medo da Globo é que estas informações possuem diversos caminhos e certamente vão cair sobre ela, como já tem acontecido.

Responder

Nelson

12 de julho de 2013 às 17h35

Doutor em Sociologia, renomado intelectual; conforme o filósofo Paulo Arantes, o governo com a mais alta densidade de intelectuais que jamais tivéramos. Aparentemente, o Brasil tinha tudo para dar certo, mas o resultado final foi pífio, para dizer o menos, ou para não dizer desastroso.
Na verdade, um governo de brochas, para o qual o povo brasileiro nada podia, de nada era capaz e, com isso, queria justificar a entrega de tudo à iniciativa privada, principalmente à estrangeira.
FHC fez, creio, o governo mais deletério e, provavelmente, o mais corrupto da história do nosso país. Como dizia o saudoso jornalista Aloysio Biondi, “FHC destruiu a alma nacional”.

Responder

jaime

12 de julho de 2013 às 13h14

Se dependesse do FHC nós estaríamos tirando os sapatos para poder entrar na Base de Alcântara, território nacional que iria se converter em extensão do território norte americano.
Desculpe, vou ali vomitar e já volto.

Responder

    José Sena

    12 de julho de 2013 às 18h26

    Meu amigo Jaime,

    Infelizmente o estrago feito pelo grupo dele (não podemos acusá-lo como o único culpado pois seríamos hipócritas) foi muito mais extenso do que pensamos. Hoje não temos forças armadas para nos defender (estão completamente sucateadas), nossos sistemas de telecomunicações (item critico em um conflito de larga escala, hoje nossos militares têm que alugar transponders de satélites que pertencem a estrangeiros, satélites que um dia foram nossos) foram entregues aos estrangeiros, nossa elite é traidora da pátria e do povo e continua comandando nosso país, nosso programa espacial está enfrentando uma guerra pela sua sobrevivência e ninguém reverencia nossos heróis que deram suas vidas em Alcântara no acidente que até hoje não está bem explicado, nossos centros de pesquisa pedem socorro e são tidos como gastos desnecessários.

    Jaime e amigos leitores do Viomundo, o Brasil é um gigante de joelhos diante dos donos do mundo (EUA, China, etc.) com uma arma apontada para sua cabeça.

    O Brasil, o povo, está pedindo socorro para nós.

    Abraços para todos…

Tiao

12 de julho de 2013 às 13h11

Bob Fernandses,como sempre ” Brilhante”!!!

Responder

lukas

12 de julho de 2013 às 12h48

FHC sabia, Lula sabia e Dilma sabia.

Responder

    DELOURDES

    12 de julho de 2013 às 14h40

    Só vc não sabia não é mesmo?!

    Lukas

    12 de julho de 2013 às 16h24

    Não, mas desconfiava.

    Antonio

    12 de julho de 2013 às 16h40

    Boa! Muito mais elegante do que eu!

    LEANDRO

    12 de julho de 2013 às 17h05

    Nem ele e nem a PF, nem a Abin…..esse governo nunca sabe de nada…

    “Investigação da PF contraria discurso do governo sobre ação orquestrada em boatos do Bolsa Família”

    Se nem isso eles solucionam, imagine um caso de espionagem?


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.