Mark Weisbrot: Apostando na crise para justificar a ditadura dos bancos

Tempo de leitura: 3 min

O futuro econômico dos europeus foi sequestrado por perigosos ideólogos

Autoridades europeias, apoiadas pelo governo da Espanha, estão defendendo uma agenda política às custas da recuperação econômica

Mark Weisbrot, no diário britânico Guardian, em 30.05.2012

Tenho argumentado faz algum tempo que a crise recorrente da zona do euro não é guiada por demandas dos mercados por austeridade em um período recessivo, como se ouve frequentemente. Em vez disso, a causa primária da crise e de seu prolongamento é a agenda política das autoridades europeias — lideradas pelo Banco Central Europeu (BCE) e pela Comissão Europeia.

Estas autoridades (as quais, se incluirmos o FMI, constituem a troica que define a política econômica da zona do euro) querem forçar mudanças políticas, particularmente nos países mais frágeis, mudanças nas quais os eleitores destes países nunca votariam.

Isso está se tornando claramente óbvio aqui na Espanha, onde o governo — do direitista Partido Popular — tem a mesma agenda das autoridades europeias, talvez mais até que o FMI. O governo do PP tirou vantagem da crise para impor mudanças nas leis trabalhistas, que facilitam para os empregados ficarem de fora de acordos coletivos.

O governo também acabou com o direito dos trabalhadores de questionar demissões injustas. O objetivo é enfraquecer o trabalhismo como parte de uma estratégia de longo prazo para atacar o estado do bem estar social; estas questões não têm relação com a resolução da crise atual, ou mesmo com a redução do déficit.

O governo também determinou grandes cortes nos gastos com saúde, de 7 bilhões de euros.

Isso é comparável a cortar 25% do Medicaid [programa de saúde] nos Estados Unidos, o que seria devastador para os pobres e politicamente impossível. Outros 3 bilhões de euros serão cortados dos gastos da Espanha com educação.

Naturalmente, a redução do déficit na Espanha vai tornar pior a atual recessão — o governo da Espanha estima que o corte de orçamento deste ano, em si, vai reduzir o PIB em 2,6% .

Num país que tem cerca de 25% de desemprego e mais da metade de seus jovens desempregados, isso deixará mais centenas de milhares de pessoas sem trabalho.

Os mercados financeiros têm um papel nesta confusão: ajudam a aumentar os custos de empréstimos da Espanha no momento em que investidores e especuladores vendem os papéis bancados pelo país.

A taxa de risco dos papéis da Espanha que vencem em dez anos atingiu 6,69%. Mas mesmo estas taxas não significam crise imediata e os mercados estão exagerando grandemente o risco de moratória.

A Espanha tem de rolar cerca de 85 bilhões de euros de sua dívida este ano, e mesmo que tivesse de emprestar tudo isso sob as taxas de juros atuais ou ainda maiores — o que é improvável — não faria grande diferença na sustentabilidade da dívida ou no pagamento de juros.

O pagamento de juros projetado para a Espanha este ano ainda está em 2,4% do PIB, o que é um valor moderado.

Muito mais importante, o Banco Central Europeu poderia facilmente intervir no mercado para derrubar as taxas de juros pagas pela Espanha, como fez em novembro passado e em outras ocasiões.

Isso não teria custo para os contribuintes europeus e requereria pequena intervenção, já que investidores privados e especuladores responderiam imediatamente, comprando papéis da Espanha se o valor deles aumentasse e a taxa de risco diminuisse.

O BCE não fará isso porque está usando a crise para forçar “reformas” direitistas em toda a zona do euro, — não apenas na Grécia, Portugal, Irlanda, Espanha e Itália — mesmo nos países mais ricos, que em dezembro assumiram o compromisso de equilibrar o orçamento de forma drástica, que seria politicamente impossível nos Estados Unidos.

Enquanto isso, o governo Obama mandou mais uma vez a subsecretária do Tesouro, Lael Brainard, para a Europa. Depois de dar uma dura na Grécia, ela vai tentar persuadir autoridades europeias a pelo menos reduzir o risco de um derretimento financeiro.

A crise na Europa, que tem o maior sistema bancário do mundo, está afetando os mercados financeiros e ameaça a campanha de reeleição de Barack Obama.

Tristemente, hoje em dia o governo Obama provavelmente tem mais influência na política econômica da zona do euro que os milhões de eleitores europeus cujo futuro econômico foi sequestrado por ideólogos perigosos.

Isso deixa claro o que a zona do euro e os governantes dela fizeram com um grupo de paises relativamente democráticos, que tinham uma população com renda ascendente.

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Guardian: A crise europeia atinge novo patamar « Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] Mark Weisbrot: O futuro dos europeus sequestrado por perigosos ideólogos […]

Stiglitz: Socorro aos bancos da Espanha não vai funcionar « Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] Mark Weisbrot: Apostando na crise para justificar a ditadura dos bancos […]

Flávio Aguiar: O fantasma da crise bate à porta « Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] Mark Weisbrot: Apostando na crise para justificar a ditadura dos bancos […]

Ana Cruzzeli

É isso mesmo, o problema europeu se chama EUA, quando eles perceberem isso mandarão os EUA e a OTAN para aquele lugar que não me atrevo a pronunciar.
Hollande já entendeu o problema e está mandando o Obama e suas manteneduras de ¨ações humanitárias ¨para aquele lugar inominável.
Para mim o Hollande tem total foco da crise e ela se chama OTAN, uma vez matando essa organização que só foi criada para expandir o império estadunidense vamos começar a respirar um momento de prosperidade e ela só se conquista com paz.
O Hollande estará por esses dias chegando ao Brasil, ele tem muita coisa à falar no Rio + 20, afinal as guerras destroem tudo, a natureza selvagem sofre impiedosamente com elas. Fiquemos atentos a esse francês que não fará milagres, mas será um exemplo a ser seguido pelos europeus.

Gerson Carneiro

Enquanto isso, por aqui, Banco Central decreta intervenção no Banco Cruzeiro do Sul.

Essa notícia interessa especialmente aos que após a ida do Lula ao Programa do Ratinho tentaram, de forma atabalhoada, tecer ilações com fatos relacionado ao Banco Panamericano.

Eis que inspeções feitas no Banco Cruzeiro do Sul identificaram um rombo de cerca de R$ 1,3 bilhão. A princípio, foram detectadas fraudes parecidas com as do Banco Panamericano, instituição que pertencia ao Grupo Silvio Santos.

Agora vem a cereja do bolo: os controladores do Banco Cruzeiro do Sul são da família do Índio da Costa, o vice do Serra na chapa que disputou a última eleição presidencial.

Durante a intervenção os controladores serão afastados e a gestão será feita pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), instituição criada com objetivo de proteger os depósitos dos clientes do sistema financeiro no País.

Fointe: http://www.dgabc.com.br/News/5961366/bc-decreta-intervencao-no-banco-cruzeiro-do-sul.aspx

Marcelo de Matos

Eu não quero acabar de estragar o domingo. Minha filha trouxe um amigo mexicano do interior, com camisa da seleção e tudo, para assistir o jogo em casa. Nem o vinho que eu tanto gosto, nem a pizza desceram dessa vez. Agora li o texto do Clóvis Rossi, via blog do Favre: http://blogdofavre.ig.com.br/2012/06/a-banca-afunda-a-europa/
Para quem gosta de tragédia é um prato cheio. Até a Miriam Leitão vai vibrar.

Marcio H Silva

Porto Alegre (RS), 16 de julho de 2011

Caro Juremir (CORREIO DO POVO/POA/RS)

Meu nome é Maurício Girardi. Sou Físico. Pela manhã sou vice-diretor no Colégio Estadual Piratini, em Porto Alegre , onde à noite leciono a disciplina de Física para os três anos do Ensino Médio. Pois bem, olha só o que me aconteceu: estou eu dando aula para uma turma de segundo ano. Era 21/06/11 e, talvez, “pela entrada do inverno”, resolveu também ir á aula uma daquelas “alunas-turista” que aparecem vez por outra para “fazer uma social”.
Para rever os conhecidos. Por três vezes tive que pedir licença para a mocinha para poder explicar o conteúdo que abordávamos. Parece que estão fazendo um favor em nos permitir um espaço de fala. Eis que após insistentes pedidos, estando eu no meio de uma explicação que necessitava de bastante atenção de todos, toca o celular da aluna, interrompendo todo um processo de desenvolvimento de uma idéia e prejudicando o andamento da aula. Mudei o tom do pedido e aconselhei aquela menina que, se objetivo dela não era o de estudar, então que procurasse outro local, que fizesse um curso à distância ou coisa do gênero, pois ali naquela sala estavam pessoas que queriam aprender’ e que o Colégio é um local aonde se vai para estudar. Então, a “estudante” quis argumentar, quando falei que não discutiria mais com ela.
Neste momento tocou o sinal e fui para a troca de turma. A menina resolveu ir embora e desceu as escadas chorando por ter sido repreendida na frente de colegas. De casa, sua mãe ligou para a Escola e falou com o vice-diretor da noite, relatando que tinha conhecidos influentes em Porto Alegre e que aquilo não iria ficar assim. Em nenhum momento procurou escutar a minha versão nem mesmo para dizer, se fosse o caso, que minha postura teria sido errada. Tampouco procurou a diretoria da Escola.

Qual passo dado pela mãe? Polícia Civil!… Isso mesmo!… tive que comparecer no dia 13/07/11, na 8.ª (oitava Delegacia de Polícia de Porto Alegre) para prestar esclarecimentos por ter constrangido (“?”) uma adolescente (17 anos), que muito pouco frequenta as aulas e quando o faz é para importunar, atrapalhar seus colegas e professores’. A que ponto que chegamos? Isso é um desabafo!… Tenho 39 anos e resolvi ser professor porque sempre gostei de ensinar, de ver alguém se apropriar do conhecimento e crescer. Mas te confesso, está cada vez mais difícil.
Sinceramente, acho que é mais um professor que o Estado perde. Tenho outras opções no mercado. Em situações como essa, enxergamos a nossa fragilidade frente ao sistema. Como leitor da tua coluna, e sabendo que abordas com frequência temas relacionados à educação, ”te peço, encarecidamente, que dediques umas linhas a respeito da violência que é perpetrada contra os professores neste país”.

Fica cristalina a visão de que, neste país:

Ø NÃO PRECISAMOS DE PROFESSORES Ø NÃO PRECISAMOS DE EDUCAÇÃO
Ø AFINAL, PARA QUE SER UM PAÍS DE 1° MUNDO SE ESTÁ BOM ASSIM
Alguns exemplos atuais:
· Ronaldinho Gaúcho: R$ 1.400.000,00 por mês. Homenageado pela “Academia Brasileira de Letras”…
· Tiririca: R$ 36.000,00 por mês. Membro da “Comissão de Educação e Cultura do Congresso”…
TRADUZINDO: SÓ O SALÁRIO DO PALHAÇO, PAGA 30 PROFESSORES. PARA AQUELES QUE ACHAM QUE EDUCAÇÃO NÃO É IMPORTANTE: CONTRATE O TIRIRICA PARA DAR AULAS PARA SEU FILHO.
Um funcionário da empresa Sadia (nada contra) ganha hoje o mesmo salário de um “ACT” ou um professor iniciante, levando em consideração que, para trabalhar na empresa você precisa ter só o fundamental, ou seja, de que adianta estudar, fazer pós e mestrado? Piso Nacional dos professores: R$ 1.187,00… Moral da história: Os professores ganham pouco, porque “só servem para nos ensinar coisas inúteis” como: ler, escrever, pensar,formar cidadãos produtivos, etc., etc., etc….
SUGESTÃO: Mudar a grade curricular das escolas, que passariam a ter as seguintes matérias:
Ø Educação Física: Futebol;
Ø Música: Sertaneja, Pagode, Axé;
Ø História: Grandes Personagens da Corrupção Brasileira; Biografia dos Heróis do Big Brother; Evolução do Pensamento
das “Celebridades”
Ø História da Arte: De Carla Perez a Faustão;
Ø Matemática: Multiplicação fraudulenta do dinheiro de campanha;
Ø Cálculo: Percentual de Comissões e Propinas;
Ø Português e Literatura: ?… Para quê ?…
Ø Biologia, Física e Química: Excluídas por excesso de complexidade.
Está bom assim? … eu quero mais!…
ESSE É O NOSSO BRASIL …
Vejam o absurdo dos salários no Rio de Janeiro (o que não é diferente do resto do Brasil)
Ø BOPE – R$ 2.260,00………………….. para …….. Arriscar a vida;
Ø Bombeiro – R$ 960,00…………………para …….. Salvar vidas;
Ø Professor – R$ 728,00…………………para …….. Preparar para a vida;
Ø Médico – R$ 1.260,00………………….para …….. Manter a vida;
E o Deputado Federal?…..R$ 26.700,00 (fora as mordomias, gratificações, viagens internacionais, etc., etc., etc., para FERRAR com a vida de todo mundo, encher o bolso de dinheiro e ainda gratificar os seus “bajuladores” apaniguados naquela manobrinha conhecida do “por fora vazenildo”!).
IMPORTANTE:
Faça parte dessa “corrente patriótica” um instrumento de conscientização e de sensibilização dos nossos representantes eleitos para as Câmaras Municipais, Assembleias Estaduais e Congresso Nacional e, principalmente, para despertar desse “sono egoísta” as autoridades que governam este nosso maravilhoso país, pois eles estão inertes, confortavelmente sentados em suas “fofas” poltronas, de seus luxuosos gabinetes climatizados, nem aí para esse povo brasileiro. Acorda Brasília, acorda Brasil !…

    Bonifa

    Não é esta a melhor maneira de você defender sua causa. Misturando alhos e bugalhos e cometendo injustiças gratuitas. Procure mais profundidade e menos comparações revoltosas.

    Marcelo de Matos

    Márcio. Infelizmente nossa legislação é péssima. O aluno é intocável, não pode ser repreendido, nem suspenso. Expulso nem pensar. Se não restaurarem a autoridade dentro da escola as coisas só vão piorar. Você é dos poucos que ainda protestam e tentam fazer alguma coisa. A maioria acaba se conformando com a situação de desmonte do ensino público e faz de conta que ensina, enquanto aguarda a aposentadoria. Um abraço.

Tomudjin

Collor levou nosso dinheiro, Fernando levou nosso patrimônio. Por sorte, veio Lula e, devagarinho, está nos devolvendo tudo isso que tentaram nos levar… com uma pitada de patriotismo, é claro, mas é apenas para dar sabor ao nosso orgulho de sermos deliciosamente brasileiros.

O_Brasileiro

Texto muito esclarecedor… Mostra que o importante para a “elite” econômica não é ganhar mais, e sim, manter o poder!
Quando a Sra. Marinho convidou a Sra. Rousseff para sua mansão ainda durante a campanha de 2010, já estava sendo traçado o destino do atual governo. A Sra. Rousseff parece não ter a mesma resistência a “encantamentos” que tem (ou tinha!) o Sr. Lula da Silva.
O plano da “elite” prosseguiu com a aproximação entre a presidenta e a Folha de São Paulo.
A única a tentar derrubá-la é a revista Veja, provavelmente por dívidas não declaradas com um certo ex-governador de São Paulo.
Os demais oligopólios midiáticos têm seguido a estratégia de tentar afastar a Sra. Rousseff do Sr. Lula da Silva e cooptá-la para o aprofundamento do plano neoliberal. Pelo menos neste último ponto, têm tido bastante sucesso. E o país caminha rapidamente para a privatização, inclusive da Saúde, da Educação e da Segurança.
O bem-estar social europeu vai acabar!?
Pois o bem-estar social brasileiro, ao que tudo indica, nem existirá num futuro próximo!

    Elza

    Ah não O_Brasileiro concordo c/ vc até aqui”….. Os demais oligopólios midiáticos têm seguido a estratégia de tentar afastar a Sra. Rousseff do Sr. Lula da Silva e cooptá-la para o aprofundamento do plano neoliberal.”….. Recuso-me acreditar no restante do seu post. Ñ passa pelo meu coração q/ a presidente Dilma vá seguir por esses meandros, uma pessoa, que viveu na própria carne uma ditadura, q sofreu em 2010 durante a sua campanha p/ presidente as chacotas de uma direita extrema, ñ pode se perder em caminhos tortuosos e nefastos como o neoliberalismo. Ela ñ é presedente só dos pobres, nem da esquerda, ela eh presidente de td uma Nação, por isso tem q dialogar c/ tds os segmentos. A Dilma é inteligente, perspicaz acredito nela.

Mike Whitney: Uma campanha clandestina contra os direitos sociais « Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] [Para íntegra no Viomundo, clique aqui] […]

Deixe seu comentário

Leia também