VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

A guerra contra os Guarani em Mato Grosso do Sul


09/01/2012 - 13h49

Produzido pelo parceiro Gustavo Costa:

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


13 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Eleitor de Marina diz que Dilma "se lixa" para biodiversidade « Viomundo - O que você não vê na mídia

28 de agosto de 2014 às 20h39

[…] A guerra contra os Guarani em Mato Grosso do Sul […]

Responder

CLAUDIO LUIZ PESSUTI

11 de janeiro de 2012 às 11h33

Bem , aqui ninguém vem falar mal de Mato Grosso do Sul, dizer que "sul matogressense e assim mesmo", "mato grosso do sul e uma cloaca", "MS ta cada vez pior"", "Este estado e isso ou aquilo", "bla, bla".Ai a culpa e da PF, da Dilma, interessante não?

Responder

Relatório da Funai conclui que morte de criança indígena é boato. E agora? | Maria Frô

10 de janeiro de 2012 às 13h59

[…] reportagem no estilo do documentário que Luiz Carlos Azenha fez sobre a Raposa Serra do Sol ou que Gustavo Costa produziu sobre os Kaiowá. Espero realmente que ela aconteça. Que jornalistas sérios se desloquem para a região, […]

Responder

ROSANE

10 de janeiro de 2012 às 12h40

Isso apenas mostra claramente que o Brasil é o país do atraso. E que o crescimento econômico, galgar algumas posições a mais, privilegiar os números, PIB, exportações, etc…, não basta para fazer desse país uma nação que honre seu povo, ou melhor seus povos. Não se pode falar em "confronto " quando as forças são assim tão desiguais, quando os fazendeiros ricos gordos, armados até os dentes, escondidos atrás de seus capangas, tem a proteção da "justiça", quando a polícia, inclusive a federal se faz de morta… Afinal esse país não tem governo mesmo, tem apenas "administradores", que administram o PIB, os juros , a inflação. Mas gente, direitos básicos, como saneamento, saúde, educação, justiça, direitos humanos, não tem nenhum peso diante da importância das exportações para a balança comercial. É um desgoverno desumano! Que nos humilha enquanto cidadãos. Que nos apequena diante da ganância desses bandidos endinheirados. Essa terra que os índios reivindicam, na verdade nem faria tanta falta a eles, mas não podem admitir que uma não-gente persista vivendo e ainda reivindique algum direito diante de seus olhos. Trata-se também de genocídio por preconceito e a FUNAI é vergonhosamente omissa, o governo federal é tristemente omisso. Nessa ora eu tenho vergonha de ser brasileira e de votar nas eleições em um governo fantoche dos interesses financeiros e tão desinteressado no destino do seu povo. Sem-tetos, sem -terras, índios, quilombolas, todos sem-direitos.

Responder

David

10 de janeiro de 2012 às 00h46

Vejam parte da pérola produzida pelas "autoridades" de MatoGrosso do Sul:
Veja a nota da PF:
Ainda, o fato dos cartuchos deflagrados encontrados na área estarem impregnados com sangue do Nizio, demonstra, provavelmente, que o próprio Nizio Gomes tenha procedido a colheita dos cartucho deflagrados, tendo em seguida entregue ao seu filho, principal testemunha, para que entregasse a polícia.
Outra observação é o fato dos cartuchos deflagados utilizados pelos agressores serem da cor verde, o que dificulta a localização dentro da mata, sendo muito mais difícil e demorado localizá-los do que cartuchos de outra cor. Daí a demora em avisar a agressão as autoridades, vez que os fatos ocorreram no amanhecer e a comunicação a polícia se deu por volta de 09hs40min do dia 18/11/2011, portanto, quase quatro horas de intervalo.
Refente ao Cacique Nizio Gomes, até o presente momento, a polícia federal ainda o considera desaparecido, até mesmo porque restam mais evidências de que ele esteja vivo do que morto.
Campo Grande/MS, 21 de dezembro de 2011.

Responder

Patricio

09 de janeiro de 2012 às 23h29

Fazendeiro de Mato Grosso (do Sul ou do Norte não sei explicar) é bicho ruim. Não se emendam. Não negociam, não aceitam as leis, se acham acima dos mortais e não querem paz. Matar índio nessa região é uma cruel tradição que vem de gerações, por todos os métodos conhecidos, desde antes do marechal Rondon. Sempre protegidos pelas forças armadas, policias, juízes e jagunços (o que não faz nenhuma diferença), os fazendeiros desfilam abertamente com seu arsenal e ninguém os incomoda. Quando passam pelas ruas, eles mesmos se aplaudem.

A solução desses conflitos só poderá com uma revolução agrária. Haverá outro modo?

Responder

Outro Antonio

09 de janeiro de 2012 às 22h50

Quanta dor de cotovelo nesta página. Essa direita, quando se trata de projetos para o País é completamente incompetente. Seu único objetivo é a corrupção.

Agora, que está faltando a Polícia Federal – gente de confiança da Dilma – protegendo os Ìndios está. Também está faltando o Governo Federal assistindo essas pessoas com alimentação e saúde. O Governo Federal tem obrigação de proteger e alimentar os índios.
Está esperando o que? Todos serem dizimados por esses capitães do mato?

Responder

souza

09 de janeiro de 2012 às 21h12

assisti a reportagens completa no programa domingo espetacular.
grileiros fora, já, índios guaranis, dentro, já.
isto vai mudar.

Responder

joão33

09 de janeiro de 2012 às 19h45

justiça não existe para pretos , pobres , p… , quanto menos para indios , o judiciário breasileiro e o ministério publico são os responsáveis por essa situação.

Responder

EUNAOSABIA

09 de janeiro de 2012 às 15h58

Cadê o Ministro da Justiça deste país?

Isso é responsabilidade do Ministro da Justiça.

Isso é responsabilidade do Governo Federal.

É muita incompetência, incapacidade e falta de comando.

A gente fica com a impressão que o país está sem comando mesmo.

Responder

Sagarana

09 de janeiro de 2012 às 15h08

Adoro o barulhinho da "ficha caindo". Cai, cai fichinha…Deixa cair companheiros!

Responder

Fernando

09 de janeiro de 2012 às 14h56

Ou os índios no Mato Grosso do Sul constituem um exército aos moldes do EZLN em Chiapas ou tão condenados à morte.

Responder

Alberto

09 de janeiro de 2012 às 14h31

Com os ruralistas cada vez mais poderosos, aliados do governo de Dilmão (como eles carinhosamente chamam nossa presidenta), esse sentimento ufanista de "progresso" e a relação distante que sempre existiu entre a população brasileira e os povos indígenas, eu não vejo esperança de melhoria para a situação indígena no país.

Um tempo atrás, uma vencedora do Nobel da Paz disse que o Brasil é o país que pior trata seus índios. Acho que não é pra tanto, mas honestamente não tenho conhecimento suficiente da situação dos índios de outros países pra concordar ou discordar dela, mas uma das coisas mais dramáticas sobre os índios brasileiros é que, além da direita que sempre viu índio apenas como impecilho ao "progresso do país", o prórpio governo, que é (foi?) um partido que historicamente luta pelos direitos de minorias oprimidas, ignora esses ataques ou ele mesmo ataca aos direitos de seus índios.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.