VIOMUNDO

Diário da Resistência


Tânia Mandarino: Sergio Moro, que já foi manchete nacional, vira não-notícia
Da esquerda para a direita: Mauro Ignácio (União), Alexandre Leprevost (Solidariedade), Sabino Picolo (União), Sergio Moro (União), Chico do Uberaba (ex-vereador), Mauro Bobato (Podemos), Fábio Aguayo (PSL)
Contra a maré 30/06/2022 - 13h49

Tânia Mandarino: Sergio Moro, que já foi manchete nacional, vira não-notícia


Por Tânia Mandarino

Por Tânia Mandarino*

O ex-juiz, ex-ministro da Justiça, ex-candidato a ministro do supremo, ex-candidato à presidência do Brasil e agora candidato-a-não-se-sabe-o-quê pelo Paraná após ser rechaçado por São Paulo, Sergio Moro, recebeu na manhã desta quinta (30) o título de cidadão honorário de Curitiba.

Foi em decorrência de uma decisão aprovada em 2016.

O ex-super-herói recebeu a “honraria” no plenário da Câmara em atividade fechada, às 9h20, em sessão não solene, como fazem as pessoas que querem ou precisam se esconder.

Segundo informações passadas pelo gabinete da presidência da Câmara Municipal de Curitiba (CMC), a sessão não poderia ser solene porque “quem entregou o título para ele foi o Chico do Uberaba, ex-vereador que propôs a comenda em 2016”.

Sem transmissão ao vivo, a não-notícia foi publicada em página interna do site da CMC às 10h45.

Porém, só uma hora e dez minutos depois o seu link apareceu na capa, indicando ser algo sem motivo de orgulho.

Até às 13h08, o Instagram da CMC não havia registrado nada a respeito.

E pasmem. O homenageado só publicou sobre o fato em suas redes duas horas e 40 minutos depois.

Seu primeiro Twitter após a sessão clandestina foi uma notinha de solidariedade ao deputado paulista Fernando Holiday, descendo a lenha no Petê. Já em seu Instagram, a última postagem, para variar, falava sobre Lula.

A sensação é de que a entrega da comenda se tratou apenas de uma formalidade decidida quando ele se achava invencível, e agora cumprida de modo clandestino, para que se produza material posterior de campanha vinculando  Moro ao Paraná.

E por falar em material de campanha, durante 10 dias o candidato manteve em todas as suas redes sociais um vídeo publicitário com imagens de Reinaldo Destemido, um trompetista goiano, residente em Curitiba há cinco anos, sem a sua autorização.

O trompetista ficara conhecido em 2018 quando o TRF4 manteve a condenação imposta por Moro a Lula e um vídeo seu viralizou tocando “Lula lá, brilha uma estrela” em uma janela na praça Santos Andrade em Curitiba.

O músico entrou na justiça e obteve uma liminar ordenando que o cidadão honorário de Curitiba retire o vídeo em até dois dias depois de ser intimado, sob pena de multa diária de mil reais em caso de exibição nas redes e de cinco mil reais em caso de exibição presencial.

Engraçado é que o slogan de Sergio Moro, repetido muitas vezes entre ecos metalizados ao final do referido, vídeo era “nada vai me deter”.

Só que, ao tomar conhecimento da ação, que também vai discutir danos morais causados pela exibição indevida do vídeo ao músico, Sergio Moro, sem alardes, tirou os vídeos de suas redes bem quietinho. Assim como também em surdina, de forma quase clandestina, recebeu o título indigitado na Câmara Municipal de Curitiba.

Câmara Municipal, aliás, que cassa o mandato de um jovem negro por racismo e premia um criminoso que tanto fez contra o Brasil além de ser responsável por milhões de desempregados em nosso país.

São as prioridades estabelecidas pela casa legislativa de uma cidade cujo prefeito pratica higienismo em noites de sábado com baixíssimas temperaturas, colocando centenas de pessoas com vassouras, sabão e potentes jatos d’água fria na Rua XV a fim de limpar o calçadão, expulsando das marquises pessoas em situação de rua sem lhes oferecer assistência enquanto a mídia local noticia: “O calçadão Rua XV de Novembro vai acordar mais bonito no domingo”.

O constrangimento na entrega do título a Moro na sala da presidência da Câmara é tangível como as duchas de água fria do prefeito Rafael Greca, que mudou novamente de partido na última sexta-feira.

Moro gosta de fazer associações sobre as quais o Brasil tem hoje a convicção de serem criminosas (Walter Delgatti assim o demonstrou).

Resta saber quais serão as associações que pretende seguir fazendo no Paraná para se transformar em candidato.

As que ele fez como juiz o Brasil inteiro já conhece. Até o STF já as declarou.

Resta saber se a punição oriunda do devido processo legal virá antes ou depois de ele conseguir o tão almejado foro privilegiado.

Parece que Deltan Dallagnol está melhor nesse páreo, fazendo lives para os irmãos da PIB – Primeira Igreja Batista de Curitiba. Há quatro meses das eleições, o ex-procurador já arrecadou R$ 124.079,00 da meta de R$ 300.000,00, para o financiamento de sua campanha.

*Tânia Mandarino é advogada. Integra o Coletivo Advogadas e Advogados pela Democracia (CAAD).

Leia também

Jeferson Miola: Sergio Moro a caminho da insignificância absoluta, seu lugar de origem

Zanin: ONU reconhece que Moro e Dallagnol violaram os direitos de Lula e dá 180 dias para o governo brasileiro divulgar a decisão e reparar danos causados ao ex-presidente; vídeo





16 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

03 de julho de 2022 às 15h00

Hoje, os NeoFascistas Paranaenses contam com
a Propaganda Imprensa-Empresa ‘Tradicional’
e, além dela, dos Institutos de Pesquisas Locais.

https://conteudo.imguol.com.br/c/noticias/dd/2022/06/10/parana-pesquisas—pesquisa-controversa-1654869781851_v2_450x1.jpg

“Atualmente, o Paraná Pesquisas ( IPP)realiza levantamentos por telefone,
com ‘operadores treinados conversando com eleitores’.

O instituto informou ao UOL que realiza pesquisas usando diferentes métodos,
a depender do que foi acordado com o financiador [!!!] do levantamento.

O IPP é uma empresa de Curitiba, fundada em 1990.
Realizou seu primeiro levantamento sobre intenções de voto
para presidente em 2013 e, desde então, divulga pesquisas eleitorais
pagas com recursos próprios ou de financiadores diversos.

Na eleição de 2018, o IPP fez pesquisas com entrevistas presenciais
de eleitores em suas casas financiadas pela empresa de Consultoria
de investimentos Empiricus [SIC] e pela Fundação Presidente Jânio Quadros,
ligada ao PRTB” [Partido pelo qual foi Eleito o Vice-Presidente General Mourão].

https://www.uol.com.br/eleicoes/2022/06/17/parana-pesquisas-presidente-parana-bolsonaro-lula.htm

Responder

Zé Maria

02 de julho de 2022 às 10h34

.
.
“Eu não quero saber de me vingar
de quem me causou Mal.

Eu quero que o Povo pare de sofrer
com o Mal que fizeram ao País.”

LULA
https://twitter.com/LulaOficial/status/1542832247790764032
.
.

Responder

Lidia

30 de junho de 2022 às 19h52

Podem fazer o comentário que melhor lhe prover, mas ele conseguiu fazer retornar milhões de volta para nós, o único, não esqueçam disso, temos muito respeito por ele, e ninguém é perfeito.

Responder

    Zé Maria

    01 de julho de 2022 às 15h45

    “nós” são os Acionistas Minoritários da Petrobras, que
    não pagam Imposto de Renda sobre Dividendos.

    Porque para o Brasil e o Povo Brasileiro o DD só deu Prejuízo.
    É um Criminoso!
    Só não foi pra Cadeia (ainda), porque o CNMP deu colher de chá.

    Zé Maria

    01 de julho de 2022 às 15h46

    E o Moro, o Incompetente Suspeito, idem.

    Tânia Mandarino

    01 de julho de 2022 às 15h56

    Obrigada, Lidia, por ler e comentar.

    Você já parou para pensar sobre o quanto é ínfimo o valor que a lava jato diz ter “retornado” para nós, diante do que perdemos?

    Zé Maria

    02 de julho de 2022 às 12h52

    Sinto muito, Dra. Tânia, mas é um estado desgraçado.
    Entre o Senador Botox e o Marréco de Maringá, qual pior?

    Zé Maria

    03 de julho de 2022 às 13h56

    Sobre o Questionamento, acima,
    da Dra. Tânia à Lídia:
    “quanto é ínfimo o valor que a lava jato
    diz ter ‘retornado’ para nós, diante do
    que perdemos?”

    Temos Estudos e Documentos para responder:

    Entre 2006 e 2013 [2º Governo LULA/1º Governo Dilma], houve grande crescimento dos investimentos no Setor Petrolífero do Brasil, não apenas
    em Exploração e Produção (E&P), mas também em Refino do Petróleo, em Biocombustíveis etc.

    Em 2014 [ainda no 1º Governo Dilma], foi anunciado um Novo Plano, com Grande Volume de Investimentos, dando continuidade à linha de Expansão do Setor.

    Em 2015, com a atuação da Operação Lava Jato, parte Relevante dos Investimentos
    foram Cancelados e a Petrobras voltou a investir basicamente em E&P,
    abandonando o objetivo de se transformar em Empresa Integrada.

    A partir de 2016 [Governo Temer (MDB)]*, também mudou a Política de
    Remuneração dos Acionistas [SIC] da Petrobras, com ampliação do
    Volume de Dividendos repassado a esses mesmos Acionistas da Estatal
    Petrolífera Brasileira.

    *[“No plano de negócios anunciado pelo presidente da Petrobras (no
    Governo Temer) em 2016, para os cinco anos seguintes, merecem
    destaque as seguintes metas (cumpridas literalmente pelo Governo Guedes/Bolsonaro):

    (i) redução de 25% nos investimentos, prevendo Cortes de US$ 98,8 Bilhões
    para US$ 74,1 bilhões;

    (ii) redução dos ativos da Petrobras, devendo a empresa sair integralmente
    de setores como os de gás liquefeito (GLP), biocombustíveis, petroquímicos
    e fertilizantes;

    (iii) realização de estudos para a venda da Liquigás e da BR Distribuidora;

    (iv) venda dos 47% de capital votante que a petroleira mantém na Braskem; e

    (v) implementação de uma nova política mantendo os Preços de Derivados
    do Petróleo em Paridade com o Mercado Internacional” (SIC). (Fonte: INEEP)*]

    “IMPLICAÇÕES ECONÔMICAS INTERSETORIAIS DA OPERAÇÃO LAVA JATO”

    1) A Operação Lava Jato [instalada em Curitiba/PR no ano de 2014]
    teve Impacto Político e também no Desenvolvimento de Setores
    Econômicos Estratégicos para o País.

    2) Afetou os setores envolvidos diretamente (Petróleo & Gás e
    Construção Civil), mas também uma Gama Importante de Outros
    Segmentos (devido aos Impactos Indiretos e ao Efeito Renda);

    3) De 2014 a 2017, a Lava Jato custou 4,4 Milhões de Empregos
    e 3,6% do PIB, cerca de R$ 417 Bilhões; desses, R$ 172.214.520
    apenas nos Setores do Petróleo/Gás (R$ 104.321.710) e da
    Construção Civil (R$ 67.892.810).

    4) O Brasil deixou de arrecadar R$ 47,4 Bilhões de Impostos
    e R$ 20,3 Bilhões em Contribuições sobre a Folha de Pagamento,
    além de ter Reduzido a Massa Salarial do país em R$ 85,8 Bilhões;•

    [Fonte: DIEESE]

    Íntegra do Estudo do DIEESE:
    (https://www.dieese.org.br/outraspublicacoes/2021/impactosLavaJatoEconomia.html)

    Leia também:

    11/04/2017
    “Três Mitos sobre a ‘corrupissáum’ e a Petrobras”
    *(https://ineep.org.br/tres-mitos-sobre-a-corrupcao-e-a-petrobras/)

    27/08/2018
    “Os Impactos Econômicos da Operação Lava Jato e o Desmonte da Petrobras”
    (https://ineep.org.br/os-impactos-economicos-da-operacao-lava-jato-e-o-desmonte-da-petrobras)

    02/05/2022
    “Prejuízo causado pela Lava Jato é 25 vezes maior que o valor ‘recuperado’, mostram estudos”
    (https://www.plural.jor.br/noticias/vizinhanca/prejuizo-causado-pela-lava-jato-e-25-vezes-maior-que-o-valor-recuperado-mostram-estudos)

Zé Maria

30 de junho de 2022 às 14h21

Por falar nesse Estado Infeliz,
de Maioria Branca Racista,
os Senadores do Paraná
não assinaram a CPI do MEC!

Responder

    Tânia Mandarino

    01 de julho de 2022 às 15h58

    Pior, Zé Maria, que talvez esse senhor pretenda ser mais um a engrossar essa fileira de senadores.

    Abs.

    Zé Maria

    03 de julho de 2022 às 09h07

    Dra. Tânia.

    O Rio Grande do Sul não é
    muito diferente do Paraná.

    Olha só a última Enquete:
    para Senador(a) no:

    Estimulada

    General Hamilton Mourão: 22,7%
    Manuela d’Ávila: 20,5%
    Ana Amélia: 20,4%
    Lasier Martins: 7,5%
    Nelson Marchezan: 3,3%
    Comandante Nádia: 2,7%
    Não sabe/ Não respondeu: 8,6%
    Nenhum/ Branco/ Nulo: 14,4%

    A Manuelinha tá enfrentando
    uma Corja de Reacionários.

    Os estados da Região Sul do Brasil
    são os únicos de Maioria Branca,
    segundo o IBGE. Não é Coincidência.

    Zé Maria

    03 de julho de 2022 às 09h17

    A Margem de Erro dessa Pesquisa
    para o Senado no RS é de 2,5%.
    Foram 1.540 entrevistas com eleitores
    do Rio Grande do Sul entre os dias
    15 e 20 de maio.
    (Registro TSE: RS-05915/2022).

    Zé Maria

    03 de julho de 2022 às 09h29

    Nesta outra, a Margem de Erro é de (+/-) 3%:

    https://classic.exame.com/wp-content/uploads/2022/06/EXAME-IDEIA-SITE_RIO-GRANDE-DO-SUL5.jpg

    Zé Maria

    03 de julho de 2022 às 09h57

    O Lavajatismo – de Moro e DD – e o Bolsonarismo Miliciano
    promoveram o Ressurgimento do Fascismo no Sul do País
    de forma mais Contundente que no restante do Brasil.
    Na Primeira Década do Século 21, parecia que o Integralismo
    Reacionário de Plínio Salgado havia desaparecido – no Sul,
    especialmente – mas hoje vemos que retornou com força,
    intensificado pelo engajamento de Pastores e Maçons que
    atuam em Sodalícios nos Subterrâneos da Sociedade.

    Zé Maria

    03 de julho de 2022 às 10h59

    Foi a partir desses Contubérnios Patriarcais e Confrarias
    da Corrupção que se estruturaram nas Instituições Políticas,
    notadamente no Poder Legislativo, as Bancadas BBB (Boi,
    Bíbla, Bala) e o Genérico “Centrão”; com práticas proselitistas
    antidemocráticas e, por conseguinte, não republicanas que
    se estenderam, em geral aos demais poderes da Ré-Pública
    e também ao Ministério Público, dos quais atualmente são
    expoentes Bolsonaro, Moro e Dallagnol.
    .
    .
    Por tal razão, a Emergência do Retorno de LULA à Presidência da República
    e a Importância da Eleição de Parlamentares Não Dogmáticos, para restaurar
    os Princípios Republicanos, o Estado Laico, a Democracia Constitucional, a
    Civilidade, a Proteção aos Direitos Humanos, o Respeito à Dignidade da Pessoa,
    a Liberdade de Expressão do Pensamento, da Arte, da Cultura e da Mídia Plural
    e Democrática, em suma, o Estado de Direito.
    .
    Ainda temos Esperança de que a Luz da Consciência ilumine os Povos do Sul.
    .
    .

Zé Maria

30 de junho de 2022 às 14h14

Bem de acordo com o Conjunto de Crápulas
que cassaram um Vereador Negro/Pobre
representante de uma Comunidade Invisível
aos olhos dessa mesma Câmara Municipal
e de qualquer Ôtoridade, tanto de Curitiba
como do Estado do Paraná e do País.
Racistas!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura