VIOMUNDO

Diário da Resistência


Lula, você  é nosso Graúna; está sempre vendo esperança quando ninguém vê
Cartas para o Lula

Lula, você é nosso Graúna; está sempre vendo esperança quando ninguém vê


27/08/2019 - 02h07

 Curitiba, 25 de agosto de 2019.

Lula

Hoje o dia  foi relativamente agradável.

Com certeza,  melhor para mim do que para você por razões óbvias.

Olha, eu digo isso não é para te ofender nem magoar, mas para dizer o quanto Dallagnol e Moro (os criminosos da lava jato) estão roubando de sua vida.

E o que eles te roubam não tem valor monetário. Eles te roubam — e muito! — o prazer de estar com os filhos, netos, irmãos, amigos.

Concorda?

Isso me veio à cabeça quando fui caminhar. Havia sol, mas na sombra estava frio.

Vi famílias inteiras alegres, passeando: pai mãe, avô, avó, filhos e filhas; algumas até com cachorro.

Pensei na hora: Há mais de 500 dias estão roubando tudo isso do Lula.

De repente, um garotinho parou de costas para o sol e abriu as curtas perninhas.

A sombra formou um V.

Não tenho a mínima ideia do que significou para ele e o que  queria ver na própria sombra.

Mas eu vi um V de vitória. Vitória da sua e da nossa luta.

Estou viajando demais?

Fiquei em  dúvida se me incluía nesta vitória e quase não escrevo nossa.

Acabei escrevendo nossa porque são muitas as pessoas que lutam pela sua liberdade. Então por que não lutando também pela nossa liberdade?

Sim,  estamos prisioneiros, sim, de medo e incertezas.

Sua liberdade é importante para superarmos isso.

Lula, mesmo que já saibas, não é demais repetir: o Bolsonaro com seus discursos agressivos e odiosos mandou tocar fogo na Amazônia e os madeireiros e fazendeiros “obedeceram”.

Sonhavam com isso, sabe Deus, há quanto tempo.

Acho que você tem visto as fotografias do crime.

Elas são estarrecedoras, tristes. De chorar.

Você viu a foto (escrevi foto!) do Araquém Alcântara? Aquela do tamanduá mirim cego fugindo do fogo?

Triste e comovedora.

Você foi amigo do cartunista Henfil (1944-1988).

Bem, lembrei-me dele quando vi a foto feita pelo Araquém.

Não tem relação, mas lembrei-me do personagem “Tamanduá chupador de cérebros”, do Henfil.

Será que esse tamanduá não chupou o cérebro do Bolsonaro quando ele era jovem?

Você se lembra da Graúna, personagem também do Henfil?

Você pode não concordar ou até achar meio abestalhado, mas você é o nosso graúna, tá sempre vendo uma esperança.

Até breve.

Jorge Sanches.

PS. Desculpe, quero registrar mais duas coisas. Primeira, a morte da Fernanda Young. Na minha opinião, é mais uma que não resistiu ao fascismo e à imbecilidade, tanto que antes de morrer registrou: “lido com ignorâncias proferidas por um bando de escroto que mete Deus nos seus discursos hipócritas”.

Segunda: Bolsonaro responde de maneira machista a Macron. Ontem um seguidor do Bolsonaro postou foto dos dois casais (Bolsonaro e Michele/Macron e Brigitte), e escreveu: “Agora entende por que Macron persegue Bolsonaro?”.

Bolsonaro respondeu: “Não humilha cara. Kkkkkkk”.

Michele é mais nova que Bolsonaro, enquanto Brigitte é mais velha que Macron.

Fernanda Young não conseguiu lidar com este “bando de escroto”.

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

27 de agosto de 2019 às 15h26 Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.