VIOMUNDO

Diário da Resistência


Blog da Mulher

Quando a desinformação vira arma político-partidária todos perdemos


06/10/2010 - 11h16

Por Conceição Oliveira: blog Maria Frô, twitter: @maria_fro

Relutei em entrar no debate sobre como a descriminalização do aborto está sendo usada pela direita raivosa ou dissimulada nesta campanha eleitoral, pelo simples fato de que independente de quem assuma a Presidência no Brasil esta não é uma decisão do EXECUTIVO, mas papel do CONGRESSO. É dele a tarefa de discutir projetos desta natureza.

Portanto, o que quer que cada candidato tenha dito durante a campanha eleitoral é sempre expressão de uma visão individual. Todos os candidatos inclusive, José Serra, – que tem a mania de reivindicar projetos que não são seus e se esquecer daqueles que, embora positivos, são espinhosos eleitoramente – no início da campanha trataram a temática do aborto como uma grave questão de saúde pública.

Ao longo da campanha eleitoral, uma outra campanha subterrânea que foi ignorada pela cúpula petista ganhou proporções perigosas, não apenas à vitória da candidata Dilma Rousseff, mas à democracia. Falo da campanha insidiosa levada a cabo por uma senhora que assina Doris Hipólito e responde ao mail [email protected]. Ela é uma das responsáveis pela disseminação na rede e no mundo offline de panfletos mentirosos sobre a candidata Dilma Rousseff e a questão do aborto, sobre a união civil de homossexuais e sobre outros tópicos do Plano Nacional de Direitos Humanos 3. Esta senhora além de disseminar notícias falsas como esta aqui, dissemina na rede visões conservadoras como a do jurista Ives Gandra, emitidas em canais de tevê, como se fossem um tratado isento de partidarismo, como se fossem a expressão da verdade.

Tal campanha omite que todos os princípios observados no PNDH3 estavam presentes nos PNDH anteriores aprovados durante o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso.

Convido os leitores a ouvirem a entrevista do professor Paulo Sérgio Pinheiro que foi ministro do presidente Fernando Henrique Cardoso e responsável pela aprovação dos PNDH anteriores: CBN- Entrevista com Paulo Sérgio Pinheiro, membro da Comissão Interamericana de Direitos Humanos e consultor do Programa Nacional de Direitos Humanos. Quando o assunto em pauta são os Direitos Humanos, professor Paulo Sérgio Pinheiro é uma das figuras públicas mais respeitáveis no país e internacionalmente. A entrevista é bastante didática e contribui para esclarecer que toda esta campanha insidiosa, mentirosa e perigosa que utiliza uma leitura atravessada dos princípios estabelecidos no PNDH3 de modo político-partidário contra o PT e a candidata Dilma Rousseff trata-se não da defesa da liberdade de expressão ou dos valores humanistas, mas de uma expressão reacionária contra os Direitos Humanos, promovida pela direta excludente e preconceituosa que não se conforma por estar fora do poder e está disposta a tudo para retomá-lo.

Convido ainda os leitores deste blog a ler o surpreendente relato do advogado Arnóbio Rocha sobre a agressão sofrida ontem na escola pela sua filha de 9 anos por colegas de classe ao declarar os votos de seus pais à candidata Dilma Rousseff: “Quando os pais transmitem seus ódios aos filhos contra Dilma, não estamos mais numa sociedade democrática rompem-se os laços

Por outro lado há uma reação na própria esquerda, incluindo um membro da Comissão Nacional da Comunicação do PT que acusa as feministas pelas eleições presidenciais terem ido para o segundo turno. Este é o mesmo primarismo dos que acusam as feministas paulistas pela não eleição de Netinho de Paula ao Senado.

Estamos vivendo tempos de grande confronto de idéias e projetos políticos, espero que a sociedade brasileira use de bom senso e que estabeleça os valores democráticos e o apreço à verdade como bandeira política.

Para finalizar, reproduzo abaixo artigo da médica Fátima de Oliveira sobre a posição do Estado Brasileiro ao longo de algumas décadas diante da questão do aborto. É um texto sintético que nos permite ver como um Estado democrático age em relação às questões de saúde pública.

Respostas do Estado brasileiro à ilegalidade do aborto

Por: Fátima de Oliveira, in: Repressão policial, ideológica e política contra o aborto no Brasil

(O artigo também pode ser lido na íntegra, formato PDF, aqui)

O Código Penal não pune o aborto em caso de gravidez resultante de estupro e para salvar vida da gestante (1940): “Só meio século depois foi instalado na cidade de São Paulo o 1º Serviço Público de Aborto Previsto em Lei, na administração da prefeita Luiza Erundina. Antes disso, apenas na Unicamp (Campinas, SP), sob a responsabilidade do dr. Aníbal Faúndes, as mulheres encontravam solidariedade para o aborto quando engravidavam pós-estupro. Há mais de uma década gestantes que não desejavam levar adiante uma gravidez na condição de ‘caixão ambulante’ de fetos anencéfalos recorriam a juízes e ao Ministério Público, que em geral autorizavam a interrupção. A liminar encerra tão injusta peregrinação (…) Todos os tratados, convenções e conferências do Sistema Nações Unidas não proíbem o aborto e instam os países membros a atenderem com dignidade os casos de abortamentos inseguros” [Oliveira, Fátima. “Interrupção de gestação: um direito”. O Tempo, Belo Horizonte, 28/7/04].

1) Norma Técnica Prevenção e Tratamento dos Agravos Resultantes da Violência Sexual contra Mulheres e Meninas (1998), ministro da Saúde, José Serra, e coordenadora da Área Técnica de Saúde da Mulher, a médica e feminista Tânia Lago;

2) Gestação de Alto Risco: Manual Técnico (1999), ministro da Saúde, José Serra, coordenadora da Área Técnica de Saúde da Mulher, a médica e feminista Tânia Lago;

3) “Rever a legislação repressiva sobre o aborto: um compromisso do Brasil para com as mulheres”, documento da Secretaria Especial de Políticas para Mulheres, da Presidência da República, divulgado no dia 28 de setembro de 2003, por ocasião das atividades da Campanha 28 de Setembro, pela Descriminalização do Aborto na América Latina e no Caribe, no qual está escrito: “A legislação brasileira ainda não se adequou às recomendações do Plano de Ação da Conferência Mundial sobre a Mulher, realizada em Beijing, em 1995, que considerou o aborto uma questão de saúde pública e apontou para a necessidade do abrandamento de leis repressoras (…) O governo brasileiro é signatário de documentos de Conferências das Nações Unidas que consideram o aborto um grave problema de saúde pública (Cairo, 94) e recomendam que os países revisem as leis que penalizam a prática do aborto inseguro (Beijing, 95). E reafirma neste 28 de setembro – Dia pela Descriminalização do Aborto na América Latina e no Caribe – estes compromissos. Ministra Emilia Fernandes. Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres Presidência da República.”

4) Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher (2004), ministro da Saúde, Humberto Costa, e coordenadora da Área Técnica de Saúde da Mulher, a médica e feminista Maria José de Oliveira Araújo;

5) Seminário Internacional Políticas Públicas para as Mulheres na Área de Saúde: experiências Latino-americanas e do Caribe (25 a 27 de maio), idealizado e realizado pela Área Técnica de Saúde da Mulher do Ministério da Saúde, que resultou na criação do Fórum de Políticas Públicas para a Saúde das Mulheres Latino-americanas e do Caribe, espaço de intercâmbio de informações, experiências, articulação política e elaboração de mecanismos de cooperação entre os países membros, integrado por órgãos nacionais governamentais de mulheres e de saúde e organizações feministas nacionais e regionais (2004), ministro da Saúde, Humberto Costa, e coordenadora da Área Técnica de Saúde da Mulher, a médica e feminista Maria José de Oliveira Araújo;

6) Pacto Nacional pela Redução da Morte Materna e Neonatal (2004), ministro da Saúde: Humberto Costa; e coordenadora da Área Técnica de Saúde da Mulher: a médica e feminista Maria José de Oliveira Araújo; e

7) Norma Técnica de Atenção Humanizada ao Abortamento (2004), ministro da Saúde: Humberto Costa, e coordenadora da Área Técnica de Saúde da Mulher, a médica e feminista Maria José de Oliveira Araújo.

Ao mesmo tempo em que o governo responde às pressões do movimento feminista, ainda que tímida e lentamente, no tópico aborto (prevenção e atenção ao abortamento inseguro, das “Recomendações do Cairo”) o “núcleo duro” do governo silencia, e parece sucumbir diante das pressões diretas do Vaticano sob o governo do presidente Lula que, como sabemos, é um cristão/católico romano vulnerável. Em contraposição, e rompendo a ordem do governo de silenciar sobre o aborto, e entendendo que fazem parte de um “governo de coalizão nacional”, setores, notadamente Ministério da Saúde e Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, fazem a disputa ideológica no interior do governo.

Ao mesmo tempo, as forças conservadoras se movimentam também no Congresso Nacional, conforme quadro abaixo sobre Projetos de Lei sobre aborto apresentados em 2003, dos quais três mantêm o caráter restritivo e criminalizador (PL 809/03, 849/03 e 1.459/03), com aumento da pena (PL 1.459/03) e a instituição da legalidade da delação (PL 849/03). Considerando as antigas e novas proposições, o PL 1.135/1991 e o PL 21/2003 suprimem, no Código Penal, o artigo que criminaliza o aborto, portanto contam com o apoio do feminismo.





49 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Dilma e a ‘Operação doçura’ na mídia velha (via @maria_fro) « Blog do murilopohl

03 de março de 2011 às 17h02

[…] nórdica‘ como gostava de repetir o ex-presidente FHC, ‘poste’, ‘imunda‘, ‘abortista‘, ‘assassina de criancinhas’, ‘lésbica’ (como se isso fosse um defeito grave) e ainda […]

Responder

Post novo no blog da mulher: Dilma e a Operação ternurinha | Maria Frô

02 de março de 2011 às 21h52

[…] nórdica‘ como gostava de repetir o ex-presidente FHC, ‘poste’, ‘imunda‘, ‘abortista‘, ‘assassina de criancinhas’, ‘lésbica’ (como se isso fosse um defeito grave) e ainda […]

Responder

Dilma e a ‘Operação doçura’ na mídia velha | Viomundo - O que você não vê na mídia

02 de março de 2011 às 20h39

[…] como gostava de repetir o ex-presidente FHC, ‘poste’, ‘imunda‘, ‘abortista‘, ‘assassina de criancinhas’, ‘lésbica’ (como se isso fosse um […]

Responder

Uol.Dilma deve ser eleita com 55% dos votos, aponta pesquisa.Sobre a hipocrisia eleitoral: Mônica Serra e a ‘assassina de criancinhas’ | Epocaestado Brasil

31 de outubro de 2010 às 12h05

[…] falamos aqui que o PNDH3 não é uma invenção petista pois, além de incorporar em sua redação todos os planos anteriores do governo FHC (PNDH1 e […]

Responder

Malafaia.Sobre a hipocrisia eleitoral: Mônica Serra e a ‘assassina de criancinhas’ | Epocaestado Brasil

17 de outubro de 2010 às 17h46

[…] falamos aqui que o PNDH3 não é uma invenção petista pois, além de incorporar em sua redação todos os planos anteriores do governo FHC (PNDH1 e […]

Responder

Serra e o aborto: Pega na Mentira | Maria Frô

17 de outubro de 2010 às 13h36

[…] Mônica Serra aborta e diz que Dilma ‘mata criancinhas‘, a coordenadora da campanha de Serra aborta e Serra joga na lata do lixo toda a luta de Eva Blay, senadora tucana que propôs a descriminalização do aborto, Ruth Cardoso, ex-mulher do ex-presidente tucano FHC e outras feministas do PSDB e joga fora também a sua história enquanto ministro da saúde,  na luta pela descriminalização do aborto e pelo tratamento da questão como saúde pública. […]

Responder

Hipocrisia pouca? Não, bobagem… | Blog do Atheneu

16 de outubro de 2010 às 22h56

[…] falamos aqui que o PNDH3 não é uma invenção petista pois, além de incorporar em sua redação todos os planos anteriores do governo FHC (PNDH1 e […]

Responder

| ESTADO ANARQUISTA

16 de outubro de 2010 às 19h35

[…] falamos aqui que o PNDH3 não é uma invenção petista pois, além de incorporar em sua redação todos os planos anteriores do governo FHC (PNDH1 e […]

Responder

Sobre a hipocrisia eleitoral: Mônica Serra e a ‘assassina de criancinhas’ | Viomundo - O que você não vê na mídia

16 de outubro de 2010 às 15h25

[…] falamos aqui que o PNDH3 não é uma invenção petista pois, além de incorporar em sua redação todos os planos anteriores do governo FHC (PNDH1 e […]

Responder

tvsinal

13 de outubro de 2010 às 17h15

Existe uma enorme diferença entre descriminalizar e legalizar. Pelo jeito, você não sabe a diferença. A desinformação é uma grande aliada da ignorância.

Responder

Juarez

13 de outubro de 2010 às 15h00

Galera. Podem anotar o que vou dizer. Nosso país está melhorando econômicamente mas, em termos políticos está apenas engatinhando. O fato de a Dilma vencer o não, pouco mudará isso. O fortalecimento das igrejas pentecostais e da ala conservadora da igreja católica poderá causar enormes conflitos no futuro. Para muitos é impensável ver uma mulher no comando de um país imenso como o nosso, isso ameaça o poder político de muitos grupos, que farao de tudo para que isso não ocorra.

Responder

Lênin

10 de outubro de 2010 às 15h51

Pessoal, seguem duas entrevistas da Marilena Chauí (muita gente não gosta dela, mas as entrevistas estão muito boas) sobre o segundo turno nas eleições presidencias, que está assumindo o foco no aborto e como a desinformação não serve à democracia. http://www.redebrasilatual.com.br/temas/politica/… chaui http://www.redebrasilatual.com.br/temas/politica/… chaui

Responder

Maria

09 de outubro de 2010 às 21h30

Meu neto de 11 anos, foi hostilizado em uma escola particular também, só por falar que eu sua avó vou votar na Dilma!
Nunca pensei que aos 60 anos fosse assistir algo tão terrível como a campanha difamatória que estão fazendo com Dilma!
Eu tenho medo de Serra!!!

Responder

Fátima Oliveira

07 de outubro de 2010 às 20h06

Oi Conceiçoã, sou contemporânea de todas as lutas para fazer valer o disposto no Código Penal de 1940. Serra ministro não deu o menor trabalho para repetir em âmbito nacional o que Erundina fizera em Sampa. Era bem assessorado por uma feminista confi[avel, para ele e para as feministas. Defendo a legalização do aborto. Luto por ela, cotidianamente. E já disse e repito que não voto em candidaturas antiaborcionistas. Dilma está refém de alguns caciques de algumas religiões, já cantei essa pedra num artigo recente. Era o esperado. Serra se converteu ao antiaborcionismo. Ambos transforma a campanha em púlpito religioso. Dilma porque é refém e Serra agora por convição. É lamantável que num Estado laico as religiões toquem um processo de eleição à presidência da República

Responder

Serra mandará prender a coordenadora de sua campanha por ter feito aborto? | Maria Frô

07 de outubro de 2010 às 15h39

[…] entre evangélicos e católicos depois de sua atuação progressista no Ministério da Saúde, normatizando o aborto previsto em lei no SUS, agora canta em igreja e se diz contra […]

Responder

Juliana Paiva

07 de outubro de 2010 às 11h40

Como disseram, post muito inspirado, Conceição!
Sensacional como vc conseguiu condensar mta info. indispensável para pensarmos nas distorções feitas sobre o tema nessa campanha-baixaria.
Vamos divulgar, pessoal!

Responder

Mônica Rangel

07 de outubro de 2010 às 11h40

Conceição, estou abismada como conseguiram "vampirizar" o PNDH 3. Um projeto sério,(aliás,que já existia desde 1996, portanto desde o governo FHC) que contou com a participação da sociedade civil (ao todo foram 14.000 participantes) em 173 reuniões prévias e com a participação dos melhores consultores no que se refere ao tema. No formato que eu li, o programa todo tem 322 páginas, que viraram do dia para a noite, na boca dos religiosos fundamentalistas a versão mais básica e deturpada que poderiam criar: "Dilma quer matar as criancinhas e é a favor do casamento gay!" Que coisa triste! Sinceramente! A que ponto chegamos!
Só sei de uma coisa: se desde 96 tivéssemos conseguido implementar pelo menos um terço desse programa, talvez hoje as eleições não estariam nesse nível, talvez as pessoas estariam mais conscientes dos seus direitos e não se deixariam enganar tão facilmente.

Responder

Guto

07 de outubro de 2010 às 08h29

Hoje eu conversei com uma faxineira do condomínio. Super humilde e evangélica. Disse que iria votar no Serra porque não gosta Dilma. Perguntei porque e ela disse que o pastor falou sobre aborto e casamento gay. O pastor disse que seria obrigado a casar um casal gay… Tentei esclarecer e ela ouviu, disse que gosta do Lula mas que fica indecisa por causa dos pastores… Muito triste isso.

Responder

Cícero

06 de outubro de 2010 às 21h22

EU SOU CRISTÃO, E ESTOU IMPRESSIONADO COM CRISTÃOS PROPAGANDO A MENTIRA, EM NOME DE JESUS.

Responder

Alice Matos

06 de outubro de 2010 às 21h04

Conceição, um post inspirado. Parabéns. Muito boa a citação de como o Estado brasileiro tem tratado do assunto. Muita coisa eu desconhecia

Responder

abrantes

06 de outubro de 2010 às 17h26

Saiu no terra O padre José Augusto Canção Nova em seu sermão 05/10 pede aos seus fiéis que não votem em Dilma, no segundo turno pois ela e a favor da interrupção de gestações bláblá……muito agressivo ele ofende o Pt e Dilma
A besta do apocalipse está solta na canção nova 666

Responder

Josnei Di Carlo

06 de outubro de 2010 às 16h45

Navegando pelo Youtube, por causa da postagem "José Caetano: Qual é a do You Tube?", assisti a um vídeo muito bom sobre o aborto. Ele mostra que stand up comedy pode ser feita com coragem, sem moralismos toscos, e tocar em questões delicadas.

[youtube iN-ZdSCbJCo http://www.youtube.com/watch?v=iN-ZdSCbJCo youtube]

Responder

    Julia

    06 de outubro de 2010 às 18h35

    É "de esquerda" ser a favor do aborto e contra a pena de morte, enquanto direitistas defendem o direito do feto à vida, porque é sagrada, e o direito do Estado de matá-lo se ele der errado.
    Luis Fernando Veríssimo

Nilva

06 de outubro de 2010 às 15h53

Evangélicos vão fazer campanha contra Dilma no ES
agestado
O Fórum Político Evangélico do Espírito Santo e a Associação dos Pastores Evangélicos da Grande Vitória (APEGV) anunciaram que vão fazer campanha no Estado contra a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. A estimativa é que um terço da população capixaba seja evangélica, o que significa cerca de 1,2 milhão de pessoas.
http://br.eleicoes.yahoo.net/noticia/evang-licos-

Responder

Lênin

06 de outubro de 2010 às 15h12

Mais uma vez, paranbens Conceição.
Seu blog é muito bom!

Responder

    Alvaro Tadeu Silva

    06 de outubro de 2010 às 23h13

    Pois é, Lênin, quem bate em mulher é o lixo da política. De acordo. Mas se certos espancamentos não forem noticiados, não aconteceram, certo? Quando é alguém de humilde origem, pau nele, mas quando são os príncipes, duques e barões, pode, não é? Aquele ex-presidente que espancou a jornalista quando soube que ela estava grávida, isso não foi feio? Que demorou dezoito anos para reconhecer o filho bastardo? Aliás, só reconheceu porque o garoto ia completar dezoito anos e iria pra cima. Era muita grana para o menino ficar a ver navios. Na verdade, não reconheceu, apenas reconheceu na marra.

    Lênin

    07 de outubro de 2010 às 01h48

    Alvaro, vc está coberto de razão!!
    Temos a tendência de combater somente o que é noticiado.
    Acho que todos os barões e ricos que agridem mulheres também tem que ficar fora da política.
    Você está certissímo e peço desculpas se o que eu escrevi ficou com um tom preconceituoso.

    Lênin

    07 de outubro de 2010 às 01h51

    Mas, lembrando, o tópico é sobre o netinho e não sobre os outros políticos que agridem mulheres, que também não tem valor com ser-humano.
    Concordo com você, Álvaro.

    Lênin

    07 de outubro de 2010 às 02h22

    Álvaro, faço a mesma pergunta para você que fiz à Regina.
    Me desculpe a ignorância, mas vc poderia me dizer quem é esse ex-presidente? Não conheço essa história.
    Pelo menos me dê o nome dele, assim eu vou atrás.
    Ajude a reverter o que os PIGs fazem com as nossa cabeças, divulgue outros casos!!!
    Preste um serviço para nós e divulgue outros casos, não tenho como combater outros agressores se não fico sabendo.
    Por favor, não estou te desafiando, só pedindo que vc divulgue o que vc sabe.
    Obrigado!

Lênin

06 de outubro de 2010 às 15h10

Aliás, o Netinho de Paula não foi eleito por conta do PSDB ter utilizado os estado contra ele (Polícia Civil).
Usar a questão dele ter agredido mulheres é algo que qualquer partido político do MUNDO faria, é assim que a política é.
Por mais que feministas tenham participado da campanha (não sei se participaram, simplesmente não sei por não ter informações sobre os partidos), qualquer partido do mundo exploraria isto, com ajuda de feministas ou não.
Acho leviano e meio sacana culpar as feministas pela não eleição do Netinho.
Por sinal, que me desculpem os simpatizantes do Netinho, mas ainda bem que ele não foi eleito.
Quem bate em mulher não tem valor algum como ser humano.
Um lixo a menos na política.

Responder

    Regina

    06 de outubro de 2010 às 22h29

    Sou totalmente contrária a violência contra qualquer pessoa, combato isso. Mas, nessas discussões sobre Netinho, outras questões pesaram. Foram usados dois pesos e duas medidas. Existem famosos políticos eleitos, inclusive do alto escalão do PSDB, que dizem também agredir mulheres…. . Ninguem cita esses casos, porque interessava não o problema da agressão, mas a derrota de Netinho. Toda a cena do Aloysio com a Lei Maria da Penha me pareceu pura hipocisia.
    Como o paulista "surpreende" o brasileiro nas votações…Olhando os majoritários eleios do PSDB…. parece uma dupla com pouca sinceridade no rosto. Mas serão blindados pelo PIG e os leitores do PIG terão pouca oportunidade de saber o que verdadeiramente acontece no Estado mais rico do país.

    Lênin

    07 de outubro de 2010 às 02h09

    Regina, como eu disse, qualquer partido político do MUNDO usaria a questão do netinho contra ele.
    O governo do PSDB usou a polícia civil um pouco antes da eleição.
    Como eu disse no post acima, acho que os grandes do PSDB também não deveriam ser eleitos.
    Mas vc falou uma verdade, os PIGs jamais deixarão muitas histórias vazar, por isso a maioria (como eu fiz) vai bater no netinho.
    Com relação a violência, acredito que ninguém deve jamais ser agrdido, mas creio que contra a mulher é mais sério!
    A maioria das mulheres estão claramente em desvantagem contra os homens (me desculpe perguntar isto, mas vc já foi vítima de violência doméstica ou já conheceu um mulher que foi vítima? Se sim para um dos dois, sabe do que eu estou falando) e muitas vezes não conseguem se desligar da relação.

    Lênin

    07 de outubro de 2010 às 02h13

    Regina, peço desculpas pela ignorância, mas você poderia me citar os casos, bem como os nomes dos envolvidos do alto escalão do PSDB envolvidos com agressão à mulher??
    Assim posso dizer para as pessoas jamais votarem neles e lutar contra esses lixos.
    Não estou te afrontando não, jamais, só estou pedindo que me diga quem são esses lixos.
    Agradeço!

Lênin

06 de outubro de 2010 às 14h56

No outro post (sobre o dia 28) eu cansei de dizer sobre a ligação nefasta entre religião e política.
Religião e política sim, afinal a direita conservadora é ligada ao que? Marxismo? Anarquismo? Claro que não, é ligada, principalmente, à igreja católica.
Taí, o texto da Conceição só corrobora com tudo que eu disse.
Inclusive, abordando a questão do partidão da direita, o partido do "tio" Serra (o candidato de higienopólis, antro de conservadores).
Finalmente meu Deus, alguém foi direto ao ponto!!!
Parabens Conceição, vale a pena ler o seu blog!!!
Estou me tornando fã do seu blog!!
Abraços.

Responder

Combata as mentiras dos adversários de Dilma que chegam pela caixa de correio | Maria Frô

06 de outubro de 2010 às 14h43

[…] atenção se José Serra tem algum mérito esse é um deles, quando Ministro da Saúde ele assinou norma técnica para a realização do aborto em casos […]

Responder

Dilma a favor da vida | Maria Frô

06 de outubro de 2010 às 14h14

[…] mesmo Serra que hoje encampou todos os projetos da Direita normatizou o aborto no […]

Responder

FBI: José Serra e a questão do aborto | Maria Frô

06 de outubro de 2010 às 14h13

[…] abaixo o post do FBI e acrescento: ter normatizado o aborto no SUS em casos previstos em lei é uma das poucas medidas progressistas que Serra deveria se orgulhar de […]

Responder

Tânia Ferreira

06 de outubro de 2010 às 14h07

Conceição, post de brilhantismo inconfudível. Já soltei no mundo amiga!

Responder

@Valaci

06 de outubro de 2010 às 13h33

O debate sobre o aborto deveria levar a outro debate sobre um tema desafiador que é a prevenção. Sem concepção não há aborto. Com tanta informação disponível sobre prevenção,por que ainda há a gravidez indesejada? As pessoas não vão parar de praticar sexo,mas podem parar de engravidar.
Quais seriam os obstáculos para evitar uma gravidez? A igreja? A ética médica? O acesso aos meios de prevenção?
Se um casal decidir não ter filhos, o que os impede de fazer uma vazectomia ou ligadura de trompas aos 23 anos de idade, por exemplo?
Se uma moradora de rua , aos 23 anos desejar ligar as trompas… há algum impedimento? Não seria melhor o governo opinar e pensar que é menos traumático ligar as trompas do que fazer aborto uma vez por ano?
Não seria menos problemático fazer vazectomia a ter que socorrer um pai com filhos espalhados pelas ruas e sem condições financeiras para alimenta-los?

Tão importante quando o debate sobre aborto é debater a prevenção com toda a sociedade.

Responder

    Sonia Domingues

    06 de outubro de 2010 às 15h55

    Que tal a esterilização, em massa, dos pobres??? Esta solução combina com as que enumeraste no comentário.Te orienta, a vida não é assim como aparece na Globo!!!

No blog da mulher os pingos nos ‘is’ sobre PNDH3 e seu uso eleitoral | Maria Frô

06 de outubro de 2010 às 12h39

[…] outubro 6th, 2010 by mariafro Quando a desinformação vira arma político-partidária todos perdemos […]

Responder

NaMariaNews

06 de outubro de 2010 às 12h39

Conceição, por favor me desculpe: me dirigi ao Azenha em vez de vc, em meu comentário. Quando entrei aqui o post ainda nem estava nessa formatação, nem teu nome tinha. Só quando enviei vi tudo mudado. Sorry:-|

Responder

    Conceição Oliveira

    06 de outubro de 2010 às 12h47

    Para NaMariaNews
    Oi, querida, sem problemas, eu sempre esqueço de assinar os textos, mas neste espaço eles são meus ou selecionados por mim.
    bjs

NaMariaNews

06 de outubro de 2010 às 12h27

Que bom. Bela iniciativa, Azenha. Os nomes dos irresponsáveis e boateiros começa a aparecer fisicamente nessa rede de intrigas. Os outros precisam aparecer em avalanche, precisam ser estruturados, catalogados e estudados. Melhor argumentação impossível.

Antes que me esqueça, há que se localizar que a senhora assinante de injúrias, a dona Maria das Dores Hipólito Pires, vulgo Dóris Hipólito Pires, se assenta como presidente da ASSOCIAÇÃO NACIONAL MULHERES PELA VIDA – não tem site aparente, mas aparece no Canção Nova, que o cita como sendo este http://www.defesadavida.com/ – e em outros recintos semelhantes da web. Ela, mais do que ninguém não poderia difundir o que difundiu. Por que?

Oras, dá só uma olhada na belezura de texto que aparece em outro site tal qual: http://www.providafamilia.org.br/site/index.php, especificamente aqui: http://www.providafamilia.org.br/site/secoes_deta….

É um pronunciamento do Deputado SEVERINO CAVALCANTI (PPB/PE), na sessão de 8 de novembro de 2001, cujo título expressivo é "Luto nacional – três anos de vigência da norma técnica do aborto". Está citado o Sr. Serra com todas as letras e a Sra. das Dores (Dóris).

Diz-se lá: "Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados. Essa “Norma Técnica” que amanhã faz três anos é “totalmente ilegal e inconstitucional.” Foi um golpe dado pelos abortistas , e acatado de forma açodada pelo Ministério da Saúde ,para driblar o Congresso Nacional, onde encontravam barreiras intransponíveis para legalizar o aborto." "Nesta triste sexta-feira, dia 9 de novembro, em que se comemoram três anos desde que o Ministério da Saúde, a revelia deste Congresso, oficializou a matança dos inocentes no SUS, solidarizo-me com a manifestação em defesa da vida, que partirá da Catedral Metropolitana de Brasília às 9 horas, em direção ao prédio do Ministério da Saúde." "Parabenizo a todas as mulheres que promovem a Vida na pessoa da Professora Maria das Dores Hipólito Pires, a querida Dóris, que vem do Rio de Janeiro representando a Associação Nacional Mulheres pela Vida e apresentando ao Ministro da Saúde, José Serra ,assinaturas de mulheres contra a Norma Técnica do Aborto. "

PS – dessa Associação Pró-Vida e Pró-Família, onde apareceu o texto acima temos este aqui também, logo na cara do navegante: "Para entender o PT": http://www.providafamilia.org.br/site/_arquivos/2

Esse mapa tá ficando interessante. Azenha, não teria como colocar a imagem do cartaz da dona das Dores aqui no post? É fundamental. Coisas como "aborto até os 9 meses" é de lascar, fora todo o resto – aqui: http://twitpic.com/2u16k4

Responder

monge scéptico

06 de outubro de 2010 às 12h25

Pois é; cristo nada tem a ver com nada, do que está se tratando. Os dois velhinhos, são apenas
dois idotas, que não se respeitam. Por falta de percepção, é que se chega a tais absurdas conclusões.
SR.AZENHA; Ontem falavam (o PIG) que vinte e quatro mihôes, ficaram sem votar. É verdade?
IMPRESSIONANTE!!

Responder

daniel

06 de outubro de 2010 às 12h21

Fico muito preocupado. Quando algo de ruim acontece em seu governo, Serra não hesita e acusa o PT de ter provocado a situação. Imagine se for eleito? Será a verdadeira caça as bruxas. A classe média acéfala terá o seu bode expiatório para todos os problemas, e provavelmente tentará usar o "momentum". Que vença Dilma e afaste de vez esses brucutus!

Responder

eloir

06 de outubro de 2010 às 12h07

Minha namorada é eleitora cativa do Serra e da direitalha. Ontem ela chegou rindo em casa dizendo que passou por dois "velhinhos" e um deles dizia ao outro que não votaria mais na Dilma por ela ter dito que nem Jesus Cristo tiraria sua vitória nessas eleições. Isso me fez ficar preocupado. Percebo uma onda inversa se fortalecendo nas últimas semanas, movida pela intolerância religiosa, pelo preconceito, pelo debate raso e desqualificado e pela covardia de mentiras que se aproveitam da inocência e das crenças do povo. Não podemos nos calar. O PT precisa ter consciência de que algo mais sério do que o inicialmente detectado está em curso no país. Infelizmente minha namorada é fanática e não há argumentos que a demovam do seu voto, muito embora ela tenha me dito que no primeiro turno votou na Marina, mas com relação aos demais eleitores, podemos, sim, convencê-los de que o que está em jogo é este país de agora ou o de ontem, se o que eles querem é a volta da estagnação, ou a continuidade da geração de empregos e do aumento da renda, enfim. Os brasileiros precisam ter consciência da ameaça que é a candidatura tucana e todos os bastidores que a envolvem… Abraços.

Responder

    Kleber

    07 de outubro de 2010 às 00h59

    Eloir, acho que você deveria era trocar de namorada. Infelizmente ela não serve para você, a partir do momento que a pessoa com quem está junto de você tem ideologias e pensamentos contrários aos seus e que podem tornar a relação problemática. E acho que ela devia ter vergonha de ficar espalhando essas mentiras pros outros. Acho que o fim da relação poderia fazer ela refletir melhor sobre isso. Mas se ela não mudar, você pode e acho que todos aqui devem unir forças para combater esse falso moralismo e golpes baixos da direita desse pais.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding