PATROCINE O VIOMUNDO

SOMOS 31.817 FAÇA PARTE !

Servidores dizem no STF que decreto de Dilma é inconstitucional

publicado em 9 de agosto de 2012 às 22:14

Segurança diante do Palácio do Planalto em dia de manifestação de servidores. (Foto Valter Campanato, ABr)

Condsef entra no STF contra decreto do governo que permite substituir servidor em greve

09/08/2012 – 18h27

Mariana Branco


Repórter da Agência Brasil

Brasília – Entidades representativas dos servidores públicos federais protocolaram na manhã de hoje (9) no Supremo Tribunal Federal (STF) uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) contra o Decreto 7.777/2012, editado pela presidenta Dilma Rousseff para garantir a continuidade da prestação de serviços durante a paralisação.

Os funcionários públicos alegam que a norma fere a Constituição Federal por permitir que trabalhadores estaduais, municipais e terceirizados exerçam funções que são prerrogativa de servidores da União. A ação é subscrita por 31 entidades que compõem o Fórum Nacional da Campanha Salarial de 2012.

De acordo com Sérgio Ronaldo da Silva, diretor da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), alguns sindicatos não conseguiram enviar a documentação a tempo para participar da ação. “Todos eles subscreveram. Os que não conseguiram mandar os documentos a tempo vão se agregar como coautores no decorrer da ação”, disse.

A ação de inconstitucionalidade foi ajuizada por meio de protocolo virtual, mas os servidores fizeram uma manifestação em frente ao STF para marcar a iniciativa. Segundo Sérgio Ronaldo da Silva, a expectativa dos funcionários é que o tribunal atue com rapidez. “A gente espera que o STF tenha celeridade para conceder uma liminar revogando esse decreto o mais rápido possível”, disse.

Além demanda jurídica aberta no STF, os servidores entregaram representação contra o governo brasileiro à Organização Internacional do Trabalho (OIT) no início da tarde, também referente ao Decreto 7.777. A OIT é uma agência da Organização das Nações Unidas (ONU) que tem como missão promover acesso de homens e mulheres ao trabalho decente.

Edição: Davi Oliveira

Leia também:

Altamiro Borges: Decreto antigreve de Dilma é “perigoso e inconstitucional”

Greve dos caminhoneiros é locaute

Marinalva Oliveira: Não há perspectiva de fim da greve nas universidades

Claudio Puty: Celpa, um caso clássico de Privataria Tucana

 

91 Comentários para “Servidores dizem no STF que decreto de Dilma é inconstitucional”

  1. dom, 19/08/2012 - 18:44
    ricardo

    os Petistas não têm interesse em melhoria no serviço público. sabe porque ? porque não fizeram concurso. entram em cargos comissionados apadrinhados.

    como são desqualificados, precisam do servidor para as atividades diárias.

    se o servidor faz greve, como eles ficarão ?

    a regra vale para os cretinos do PSDB, DEM, PPS. a diferença é que os últimos não mentiam. eles diziam que iriam desmontar e o fizeram. DILMA, a FHC de saias, mentiu. o concurso é a única forma de acesso sem apadrinhamento. o Herivelto Tucanalha sabe disso, por isso defende esse governo direitista travestido de popular.

    Ricardo.

  2. qui, 16/08/2012 - 20:45
    Tadeusz

    Enquanto a dona DILMA faz seu marketinzinho chinfrim, os navios cargueiros crescem de número aqui na baía de São Marcos, em São Luís. Contavam-se oito, dez há alguns anos atrás, hoje já são trinta e cinco. O que fazem? Vêm buscar minério de ferro e barra de alumínio, extraídas de nosso solo por multinacionais, sem pagar um mísero centavo de impostos, pois reina o mito neo-liberal, enfiado na goela de inocentes-úteis ou mesmo adotados de bom grado por traidores da pátria travestidos de governantes, de que exportação não deve ser onerada com impostos. Ah sim, ia me esquecendo, essas corporações tão pobrezinhas ainda exercem esse árduo e sacrificante mistér com a ajuda, a juros subsidiados, do erário público através do BNDES. Sem falar das hidroéletricas, como a famigerada de Belo Monte financiadas pelo dinheiro público e feitas sob medida para estes sugadores da riqueza pública.
    O que fica aqui? Poluição, destruição, um buracão, comunidades destroçadas, miséria, injustiça social.
    Mas se fosse diferente não seria o Brasil, certo?

  3. [...] Servidores dizem no STF que decreto de Dilma é inconstitucional [...]

  4. [...] Servidores dizem no STF que decreto de Dilma é inconstitucional [...]

  5. sáb, 11/08/2012 - 10:24
    Bonifa

    Meus amigos, podemos dar adeus aos últimos resquícios de quando o fornecimento de energia elétrica domiciliar no Brasil era um serviço básico fornecido pelo Estado. Vem aí o famigerado cartão de energia pré paga que transforma a energia na mais impiedosa forma de mercantilização que pode existir. O sistema faz economizar emdidores e funcionários e descarta a possibilidade do gato.Copiado dos paises africanos, onde estamos cansados de ficar horrorizados diante da imagem de favelas escuras, e filas enormes nas quais pobres e miseráveis imploram por um cartãozinho que faça com ele possa acender uma mísera lâmpada em sua maloca, enquanto os gordos capitalistas traficam cartões e enchem mais e mais seus cofres. Mesmo que o governo tente hipócritamente dizer que vai destribuir cartões para a pobreza, a pobreza sempre usa o que possa usar para trocar por comida e demais artigos de viver e morrer. A energia no Brasil já foi servida por crédito cidadão, espera transigente de pagamento e uma importante obrigação social. Não vamos esquecer destes tempos, que contribuiram para a dignidade democrática dos pobres. Agora vem um tempo de supercapitalismo energético, onde ela é rigorosamnte um luxuoso artigo de consumo que identifica a riqueza e o empobrecimento progressivo. E breve será a água. Quem sabe amanhã não será o ar?

  6. sáb, 11/08/2012 - 10:19
    Luiz Fortaleza

    É lamentável que servidores em greve da UFC fiquem em casa ou viaje ou vá à praia quando deveriam estar em protesto nas ruas. Funcionário público reclama, mas tem muita regalia e burla os horários de trabalho. Digo isso porque sei q uma funcionária q estava fazendo correção de normalização de um trabalho meu e q trabalha na editora, tava em casa, tranquila fazendo meu trabalho particular e disse que ia pra praia com os filhos enqto não se resolvia a questão da greve. Aí fica 4 gatos pingados acampados na Reitoria e o resto dos servidores em casa… Lugar de grevista é nas ruas, nas praças e não em casa.

  7. sáb, 11/08/2012 - 9:39
    O_Brasileiro

    “Reitores que pagam salários de grevistas devem responder por improbidade, diz AGU”
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/poderepolitica/1135488-reitores-que-pagam-salarios-de-grevistas-devem-responder-por-improbidade-diz-agu.shtml
    Acho que vai fazer falta pro pessoal que ganha 9.000, 10.000, 11.000 reais…

  8. sáb, 11/08/2012 - 7:49
    mfs

    O problema da greve é a conta. O argumento dos grevistas é que os 93 bilhões são fáceis de pagar. São, claro. Diga ao Congresso que vai votar o orçamento. Vamos cortar essa grana de onde? Da saúde ou da educação? OK, não pagamos aos banqueiros. Muita gente acha que esses tais pagamentos de juros são feitos com carros-forte recheados de notas de cem reais. E que essas notas agora iriam para outros bolsos. Não vou aqui detalhar como funciona a economia. Nem lembrar de que até as exportações brasileiras precisam ser financiadas ou que todas as poupanças e fundos giram em torno dos títulos públicos “que só beneficiam os banqueiros”. Suponho que a melhor maneira de eu conseguir crédito na praça para pagar minhas contas seja deixar todos os meus cartões estourarem e promissórias vencerem… Então, a conta tão alta de 93 paus poderia ser paga com a emissão e a volta da velha e boa inflação, que o PSDB logo lembrará que foi debelada pelos tucanos (o que é verdade – já nos estrepamos eleitoralmente quando denunciávamos a “farsa” do Real). Entramos então na crise mais grave ainda, culpamos os banqueiros e depois as indecisões do PT para engolirmos a vitória da direitona (pelo voto ou pelos meios ordinários típicos dessas bandas) e as tais “reformas necessárias” que todos já conhecemos dos exemplos grego e espanhol. Que os funcionários públicos trabalham muito e são fundamentais é óbvio, os transtornos provocados pela greve o confirmam. Mas por que é atitude direitista ter o bom senso de apontar o enorme gasto público que haveria, num momento de crise mundial? Dizer que o dinheiro público é de todos não quer dizer que é de qualquer um. Eu também acho que o salário-mínimo dos funcionários federais deveria ser 15.000,00 reais e que apontar para a renda per capita nacional é desvio economicista e oportunismo burguês.

  9. sáb, 11/08/2012 - 7:36
    Jose Mario HRP

    Desde as greves dos PMs e dos policiais civis que o PT perdeu o rumo, com o ministro da justiça e Jaques Wagner fazendo papel ridiculo!
    Voto no PT desde 88 e me dou o direito de escrever que o papel da Dilma é de algoz!
    CHEGA de palhaçada Dilma, a turma só quer aumento e não ficar rico!
    Os prof federais então querem direitos iguais para todos!
    Nem aumento é , só direitos iguais!
    CHEGA de palhaçada dona Dilma!

  10. sex, 10/08/2012 - 18:15
    O_Brasileiro

    Esse http://www.portaldatransparencia.gov.br é terrível!
    Clicar aleatoriamente em alguns servidores de classes que estão em greve, e ver pessoas que ganham 10.000, 15.000, 17.000 reais ou mais fazendo greve porque estão “ganhando pouco”, não tem preço!

  11. sex, 10/08/2012 - 17:28
    Herivelto Canales

    E tenho certeza que quando voltarem as aulas o preconceito contra os pobres voltarão a toda força, no intuito de diminuir-nos mais ainda.
    Pode deixar pessoal do contra:
    ESTOU VIVO E NA LUTA CONTRA PESSOAS QUE SÓ PENSAM NO PRÓPRIO RABO E NÃO NO SOCIAL.
    Porque não fazem greve ou manifestações públicas para a melhoria nas escolas públicas em todos os estados do Brasil?
    Porque não lutam por nossas crianças e analfabetos funcionais como eu?
    Esta greve eu apoiaria.
    Mas como não é:
    RA RÉ RI RÓ RUA.
    Parabéns Dilma Roussef!
    Parabéns Lula!

    • sáb, 11/08/2012 - 14:49
      João Cesar

      Por que não faz vc a greve pela educação fundamental e enisno médio? Seu burro! Os profesosres universitários são uma categoria profissional distinata dos professores do ensino fundamnental. Aliás, seu celerado, uma das reivindicações da greve é justamente pela carreitra única! Vc defeca pela boca o estrume que tem no cérebro! E o pior: é covarde e ataca so outros devido a sua ignorância e falta de saber! Não é preconceito contra vc, é a constatação da sua mediocirdade. Não tem nada a ver com classe social!

    • sáb, 11/08/2012 - 14:57
      Rodrigues

      Esse tal de Herivelto Canales, viu?! Até o nome é típico de perfil fake! Ou esse cara é um inocente útul ou é um pau mandado da PROIFES!
      Cheio de impropérios e falando bobagens como se espumasse pelos cantos da boca – tudo isso porque não tem argumentos nem sabe bem sobre o que está falando. O discurso do Herivelto se resume a senso comum e seu raciocínio binário é uma afronta a importância do que está em discussão aqui. Além disso, a vitimização é a estratégia típica do medíocre e mal caráter.

      • qui, 16/08/2012 - 11:07
        Herivelto Canales

        Espero que o governo arranque estes vagabundos que só querem uma aposentadoria gorda e estabilidade.
        Danem-se vocês seus otários.
        Cortar o ponto é pouco pra vocês,
        Vocês sim merecem cacetetes.
        Venham falar com Alckmin aqui.

      • dom, 19/08/2012 - 3:50
        Cesar

        Isso mesmo Herivelto Canalha! Espuma todo o seu ódio e frustração por vc não ter conseguido passar para um concurso público! Enquanto vc está aí se doendo de inveja e frustração, nossa luta continua forte, contra o neoliberalismo do governo Dilma! E vc fica aí, recebendo suas migalhas e babado ovo dos tucabalhas porque não teve competência para conseguir algo melhor. Otário!!

  12. sex, 10/08/2012 - 15:50
    Marcelo

    Não ha logica ou razão que justifique a existencia de duas categorias de trabalhadores , com deveres , obrigações e direitos diferenciados . Mas infelizmente aqui no Brasil é assim , temos o trabalhador de primeira categoria ( estatutarios ) e temos o trabalhador de segunda categoria ( CLT ). Nunca irei apoiar essa injustiça .

    PS: alguem aqui lembra de servidores publicos fazendo greve para tornar menos ruim o serviços prestados por eles a sociedade ?

  13. sex, 10/08/2012 - 15:44
    Marcos W.

    E se eu, cidadão que, junto com todos os demais brasileiros, quiser denunciar os servidores que deixam de prestar os serviços a que eu tenho direito, conforme a Constituição Federal, devo recorrer a quem?! Vai fazer greve na China! Ou em Cuba!

  14. sex, 10/08/2012 - 15:40
    Marcos W.

    Por que não fazem greve durante os governos do PSDB?! A necessidade de “reposição” depois, durante os governos do PT, não seria tão grande!

    • sex, 10/08/2012 - 20:02

      Você resumiu tudo que precisa ser dito sobre a “macheza” dos movimentos trabalhistas no país. Ao invés da universidade lutar por espaço no planejamento estratégico do país (inclusive tendo a chance de reforçar a função estratégica da educação) troca isso por ganhos salariais imediatos. Os trabalhadores da GM olham para isso e exclamam estarrecidos: e esses são os doutores?

      Ao invés de sentar junto para negociar, preferiu sentar contra. A opção histórica foi feita. Quando o PSDB voltar (e ele vai voltar, pois o Brasil é uma democracia…), o PT bem pode coçar a cabeça e concluir:

      “É… deixa os tucanos fazerem o que querem… tentamos do nosso modo, expandimos, investimos grana a dar com pau e o pessoal das universidades não gostou. Devemos ter feito tudo errado… Talvez os tucanos façam essas coisas de universidade, melhor que nós… Deixa o Paulo Renato trabalhar sossegado…”.

      E ai, meu rei, babau!

      PS. sou professor universitário.

      • sáb, 11/08/2012 - 7:51
        mfs

        Paulo Renato chegou aos últimos dias trabalhando sossegado para o mega grupo editoral espanhol ganhar as licitações do MEC do governo Lula…

      • sáb, 11/08/2012 - 10:57
        Leonardo Meireles Câmara

        Você está faltando com a verdade, duvido que você seja mesmo professor universitário. Está se escondendo atrás de um pseudônimo por que? Professores não precisam disto. Tudo que você diz é falácia. Os professores não aceitaram ganhos imediatos impostos pela Dilma. Aliás, nunca houve negociação. Nós queremos discutir a carreira e a forma de financiamento da educação.

        Você parece ser mais um daqueles que aparecem pra tumultuar, só isso. O objetivo desse tipo de comentário é evitar que a sociedade perceba que está alimentando gatos gordos escondidos atrás da Selic. Esse não é um governo para o povo, nem o foi o de Lula, muito menos o de FHC. É um governo para os bancos:

        http://www.cpers15nucleo.com.br/index.php?id=art1267

        Por um governo para o povo e contra os banqueiros!

  15. sex, 10/08/2012 - 14:25
    L.F.

    Quem será que dita as coisas para o Governo Federal? O servidores? Vejamos quem o Governo ouve e a quem o Governo tem que “implorar”:

    Correio Braziliense – 08/08/2012: “Servidores apontam intrnsigência do governo e vão continuar em greve”

    Estadão – 09/08/2012: “Governo quer que bancos emprestem mais”

    Vejamos outro exemplo, na área privada:

    Jornal do Brasil – 31/07/2012 – “Mantega diz que não cabe ao governo tratar de problemas da GM”

    Mundo Sindical – 02/08/2012 – “Metalúrgicos da GM param Dutra e pedem audiência com Dilma”

    Aí o Mantega ficou em saia justa:

    Reuters – 03/08/2012 – “Mantega diz que não tolerará demissões e que GM está contratando”

    É muita demonstração de alienação achar que é jogo político, porque não gostam do PSDB devem achar que é obrigação defender o governo do PT, custe o que custar.

  16. Braços cruzados, mãos abanando

    Os jornais dos últimos dois dias contrariaram a suspeita de que a grande mídia se aliou ao Planalto para desqualificar os grevistas da União. “Folha”, “Estado de São Paulo”, “Correio Brasiliense” e “Metro” deram primeira página ao tema, com variados graus de catastrofismo e pouca ou nenhuma crítica negativa aos trabalhadores. Reação oposta àquela diante da esquisitíssima paralisação dos metroviários paulistanos.

    Falta um debate objetivo sobre se os salários e as prerrogativas de certos setores do funcionalismo público federal merecem tamanha indignação e justificam os transtornos causados aos contribuintes. Tudo bem analisar reivindicações isoladas, mas, se a discussão versará sobre o valor “justo” dos rendimentos, a prudência recomenda que usemos alguma base comparativa no próprio país e entre categorias laborais semelhantes.

    Quanto ganham os professores das inúmeras faculdades privadas, que abrigam o enorme excedente acadêmico brasileiro? Que benefícios recebem? Existe banco de horas? Faltas abonadas? Plano de carreira? Façamos o mesmo levantamento (sempre observando a titulação) com os docentes dos sistemas estaduais e municipais, de primeiro e segundo graus. Agora analisemos as informações das universidades federais à luz desse quadro.

    [Mas atenção: cada vez que alguém sugerir que o trabalho num campus “vale mais” que no EEPSG caindo aos pedaços da periferia, será banhado em groselha e passará por um corredor polonês de professores subvalorizados].

    Admitamos, no entanto, que um miserê não abona outro, que direitos não são privilégios, etcetera. É possível, legal e economicamente, atender às exigências? As contas batem? De onde sairá a verba que ultrapassar o orçamento planejado? Não cabe ao Congresso discutir isso? E a tal crise? Uma despesa milionária extra não aumentaria a vulnerabilidade do país?

    São contas ardilosas, mas os sindicatos possuem meios e quadros para efetuá-las. O velho ramerrão das “mamatas que enriquecem os parasitas dos gabinetes” soa justo, mas tem rala serventia para o caso. Falta investigar planilhas, esfregar os dedinhos nos números, dar-se ao trabalho de satisfazer a curiosidade da platéia que paga impostos e nem cogita arriscar o pescoço numa greve.

    http://guilhermescalzilli.blogspot.com.br

    • sex, 10/08/2012 - 14:30
      L.F.

      Guilherme a verdade é que o pessoal “de lá” quer Estado Mínimo, e nunca demonstrou o contrário. Já o Governo Federal, embora eleito para a sociedade, se mostra muito mais disposto a atender aos mesmos interesses privados que era defendido pelo outro governo. Até jornalistas dito “independentes” estão alienados, se omitem quanto à questão.

  17. sex, 10/08/2012 - 13:30
    Luciano Prado

    Ministros do Supremo Tribunal Federal estão fulos da vida porque as greves estão desviando os holofotes do julgamento ao mesmo tempo em que as defesas dos réus estão destruindo as denúncias do perdido Procurador-Geral da República.

    Um horror!

    Alguns ministros já cogitam abastecer alguns órgãos da imprensa com o compromisso da não divulgação de seus nomes.

    Não se trata de bandidagem. Mas que parece, parece.

  18. sex, 10/08/2012 - 13:21
    Herivelto Canales

    Em minha opinião deveriam mandar todos os grevistas embora.
    Exoneração coletiva.
    A “ELITE INTELECTUAL” e a “ELITE DO FUNCIONALISMO PÚBLICO” é quem são o presidente do país?
    Este país tem uma Presidenta com P maiúsculo.
    Eu votei e apóio.
    Afinal EU VOTEI EM DILMA ROUSSEF e não desisto.
    Tenho 48 anos, meus filhos 20 e 24…
    Bem, quero dizer com isso que em meu ponto de vista ela e o PT tem mais 24 anos para provar ao povo que veio pelo povo.
    Quem não apóia a Presidenta Dilma, está contra a massa.
    Acordem!
    Estamos no século 21.
    Ninguém nos engana mais.

    • sex, 10/08/2012 - 14:27
      Luís

      Esse comentário bem que poderia fazer parte desse tumblr: http://governismodoencainfantil.tumblr.com/

      Aliás, já estou enviando.

      • sex, 10/08/2012 - 15:21
        João

        Boa! Aliás, fico imaginando o Herivelto nos anos 80 como fiscal do Sarney, depois defendendo o Collor e atacando os caras-pintadas, depois defendendo o Real e pedindo a reeleição do FHC. Herivelto é o cara que está sempre babando os ovos dos poderosos em torca de umas migalhas!

    • sex, 10/08/2012 - 15:04
      Rodrigues

      Este cara é um comédia! O discurso dele é eivado de preconceitos, de senso comum e conservadorismo. Herivelto é a versão século XXI da velhinha de Taubaté!

    • sex, 10/08/2012 - 16:43
      Júlio

      O troll Herivelto disse:
      “Tenho 48 anos, meus filhos 20 e 24…”
      O QUE ISSO TEM A VER COM O POST!

      E o troll Herivelto continua:
      “(…) em meu ponto de vista ela e o PT tem mais 24 anos para provar ao povo que veio pelo povo.”
      FRASE CONFUSA, TÍPICA DE ANALFABETOS FUNCIONAIS!

      Herivelto, acorDa vc, seu otário! Volta pra escola primária! A faculdade particular da esquina está te enganando, queimando dinheiro público do PROUNI! Você não consegue escrever um texto que faça sentido! Vc parece um analfabeto funcional!

  19. sex, 10/08/2012 - 13:13
    Marcos W.

    Os reajustes dados aos servidores federais depois de 2003 são os mais altos da história do Brasil. De qualquer forma, ninguém fica contente com o que acha pouco, e sempre é pouco. Dá-se a mão e querem o braço! Aliás, para fazer um discursilho em conformidade com a grande maioria dos comentaristas desse espaço, deve-se perguntar ao cidadão brasileiro que opinião ele tem sobre as greves!

  20. sex, 10/08/2012 - 12:21
    Leonardo Meireles Câmara

    O que impressiona são as discussões idiotas do tipo fulano ganha isso, beltrano ganha aquilo, isso já é demais etc…

    Qual a importância desse servidor público para a sociedade, quanto ele retorna de benefício? Já calcularam o que aconteceria se todos os policiais federais pedissem demissão? Qual o valor do trabalho de uma universidade? Quantas capacidades são ali formadas, quanto conhecimento ali é desenvolvido? E se não houvesse mais engenheiros, médicos ou advogados, físicos, químicos, matemáticos etc, por falta de professor qualificado?

    Essa discussão idiota e comezinha de alguns chegar a causar engulhos. Esse governinho ridículo que está a dez anos no poder veicula metade de tudo que é arrecado aos bancos e não se vê aqui nos comentários que essa é a fonte de todos os males. Que o objetivo é arrochar o salário de todos pra enriquecer os banqueiros, os verdadeiros donos do poder.

    Papo imbecil esse de que sindicato de servidor é controlado por partido radical. Esse tipo de imbecilidade costuma emanar de quem é partidário e não cidadão. Se esses partidos tivessem tanta influência, teriam mais votos, chega de falar bobagem.

    A situação só está chegando a este ponto porque a cúpula deste governo está recheada de sociopatas, não sabem dialogar, acham que sabem tudo e ali permanecerão para todo o sempre. Basta dialogar que a situação se resolve.

    • sex, 10/08/2012 - 12:36
      Marcelo

      Na verdade, a maior parte destes sindicatos é chapa branca. Trabalham para a Dilma e não para os servidores. então, antes de falar bobagens, as pessoas daqui deveriam usar um pouco mais de seus dois neurônios.

    • sex, 10/08/2012 - 14:29
      Marcia Noemia

      Sei que os servidores federais estão com muita raiva, mas alguns têm exagerado neste quesito. Não poupam palavras: “governo Dilma é tucano”, “neoliberal”… Parece que todos os males do funcionalismo vem do atual governo e também do anterior. Vejo cartazes: “Dilma quer acabar com a educação pública”; “Dilma quer acabar com as universidades”…Ora, sabemos que o sucateamento de alguns setores públicos não é de agora. Pelo contrário, o último governo melhorou não só salários, como a base de algumas isntituições públicas. Por isso, acho que há um exagero. Outros dizem: “meu salário miserável”… Sou funcionária pública estadual(professora ensino médio RJ) e comparo o meu salário e as condições de trabalho) com os professores do Pedro II e do colégio de aplicação da UFRJ. Se os deles são miseráveis, o meu é de submiserável. Um policial federal em início de carreira ganha 7000,00 reais e diz que é a categoria “mais desprezada pelo governo”; já os professores universitários dizem que são eles. Há problemas de defasagem salarial; há distorções e outros problemas sérios, mas acredito que muitos destes problemas são resultados das próprias estratégias sindicais e os acordos feitos anteriormente. Torço para que as partes entrem em acordo e, saiam cada uma, de suas intransigências.

      • sáb, 11/08/2012 - 15:34
        Leonardo Meireles Câmara

        Prezada Marcia,

        Como estou vendo esta situação de dentro, digo, sem medo de me equivocar, que só chegamos a este ponto pela incrível arrogância da cúpula do planalto, a começar pela presidente.

        Se não há condições de aumentos expressivos, de mudança na forma de financiamento dos serviços públicos, basta dialogar, basta o governo mostrar as planilhas. O que acontece é que simplesmente ela despreza todo mundo. Comporta-se como se fosse superior a todos.

        Ou seja, o que está causando toda esta revolta é a forma como ela trata as justas reivindicações que estão na mesa, com desprezo e fanfarra. Sim, fanfarra, querendo colocar trabalhadores do setor público contra o privado, com essa última declaração infeliz dela.

        Por que simplesmente o Brasil não pode ter uma taxa de juros civilizada e não essa agiotagem escancarada e injustificada que sangra a nação? O Brasil não precisa e nem pode manter esses juros absurdos, até por que isso péssimo para a macroeconomia.

        E me parece que esta é a sede de todos os problemas. Acontece algo, que não é transparente, que impede que se pare de gastar tanto dinheiro com bancos, e com empreiteiras também.

        Devido aos pequenos avanços sociais, tivemos paciência com o Lula durante todos estes anos, além do fato dele ser um hábil negociador. Agora, o fato concreto é que não se governa para o povo, mas se faz pequenas concessões aos mais pobres, enquanto grosso do erário vai para bilionários.

        A paciência acabou!

  21. [...] Servidores vão ao STF dizer que decreto antigreve de Dilma é inconstitucional [...]

  22. sex, 10/08/2012 - 11:59
    RicardãoCarioca

    Salários a partir de R$7000,00, estabilidade, aposentadoria integral, todos os benefícios legais e ainda fazem greve para ganharem mais?

    Quem é da iniciativa privada, como eu, não dá para concordar.

    A impressão é a de que alguns funcionários públicos, que já são de uma casta superior (pelos motivos linkados acima), querem se tornar marajás.

    • sex, 10/08/2012 - 12:14
      Marcelo

      Amigo,vc esta equivocado. Dilminha cortou a aposentadoria integral e os benefícios legais como vc diz, não existem. Pessoas como vc estão equivocadas e desinformadas acerca do funcionalimo público, fáceis de serem manipuladas. Salários altos só existem para uma casta do funcionalismo, sendo que a grande massa não ganha estes salários. Acorda

    • sex, 10/08/2012 - 13:51
      walterjr

      Mais um leitor da Folha equivocado, ou concurseiro frustrado.
      Salário de 7.000 :Meu amigo, salário inicial no judiciário 3.993,00, de professor universitário é 1200,00, de médico 2300,00.

      7 anos sem reajuste. A mesma inflação que come seu dinheiro come o nosso, só que você, auto proclamado da iniciativa privada, tem aumento todo ano, FGTS e salário desemprego se resolver mudar para algo melhor.

      estabilidade:Caso o colega não saiba , mas existe uma coisa que chama-se SUADES e o funcionário ineficiente pode sim, ser demitido,

      aposentadoria integral:existe aposentadoria integral só para os que entraram antes do FHC, os que entraram depois, não, e os que entraram após o governo DA FHCDilma vão ter que contribuir a mais pelo PRODESP

      todos os benefícios legais:Não tem data base, não tem direito de greve, não tem FGTS, não tem salário desemprego, não tem gratificação por produção, não tem participação em lucros
      .
      Enfim: você é mais um papagaio do PIG que não sabe nada de serviço público.
      Privatize tudo e você vai ter uma Justiça igual a TIM, uma polícia igual a Blackwater, uma saúde igual a Claro.

      Você quer um serviço público bom? Pague bem. Simples assim….

    • sex, 10/08/2012 - 13:59
      soutomenor

      Aposentadoria integral é ‘privilégio’? O certo seria então escravizar como a iniciativa privada faz? Vc só não apóia porque é da iniciativa privada? Sua opinião varia de acordo com o lado em que está?

      Previsto na CF revisão anual sempre na mesma data. Não cumprem, deixando acumular perda x perda, esperavam o quê?

      Saúde RJ declarou falência há tempos, enquanto jornais e governantes fingem não estar vendo. Pra citar somente um setor…

  23. sex, 10/08/2012 - 11:16
    Marco Roxo

    Pois é “companheiro” Vlad, em vez de me acusar de “neoliberal” use argumentos. Sou petista e funcionário público. Me impressiona o suporte a greve de categorias que, em sua maioria, têm um salário inicial que ultrapassa os R$ 7.000,00. Estamos falando de auditores fiscais, professores federais, policiais federais, policiais rodoviários federais. Veja essa não é uma greve de “barnabé”. É a nata do serviço público que está em greve liderados por radicais de esquerda no comando de suas instituições sindicais. Não há em nenhuma pauta de reivindicações a idéia de “recomposição” salarial, como entre trabalhadores privados. São greves por “equiparações”. Policias federais, agora de “nivel superior” querem equiparação a pares do seu nível de formação escolar (procuradores, advogados da união etc). Policiais Rodoviários querem se tornar de “nivel superior com outro plano de carreira. E professores querem outro “projeto de Estado” (ver http://www.andes.org.br), que os remunere bem e não cobre “produtividade”. Essa é a nossa “vanguarda sindical”. O funcionalismo público brasileiro se tornou uma espécie de “Coréia do Norte”, o último bastião do socialismo dos ilustrados. Em vez de se tornar instrumento de luta dos expoliados, o sindicalismo de estado corrobora a ideologia corporativa dos marajás, todos abonados, com filhos em escolas particulares e planos de saúde privados. Por último, acusam de traidor um governo que, pasmem, tem 75% de aprovação popular. Te pergunto de novo: não é a glória???

    • sex, 10/08/2012 - 12:15
      Marcelo

      Mais um sindicalista vendido

    • sex, 10/08/2012 - 12:27
      Mário SF Alves

      O anormal dessa história toda e que não fizeram isso enquanto o FHC sucateava o ensino público, e nem quando quase privatizou o Brasil. Bacana, não?
      Já sei, na moral, não tem nada de anormal. Á época, possivelmente, abrilhantada por elevadíssimos salários e, de igual forma, com tantas vagas em concursos públicos, quem iria querer entrar em greve, não?
      A ser assim, é de se presumir que o capitalismo no Brasil deve ter razões que a própria razão desconhece. OU, quem sabe, com um movimento dessa natureza não se estrá pretendo, ou, quem sabe, já na iminência de alavancar, uma passagem direta dessa ainda frágil precária democracia direto para o céu socialista?

    • sex, 10/08/2012 - 17:42
      Herivelto Canales

      É a glória!

      • sex, 10/08/2012 - 21:51
        João

        Herivelto Tucanales e suas exclamações de fé! Além de tucanales, o Herivelto deve ser daqueles crentes que pagam dízimo e emprestam a mulher para o pastor!

  24. sex, 10/08/2012 - 10:40
    L.F.

    Estado Mínimo já! Pra que pagar um absurdo de R$ 13 mil a R$ 19 mil mensais para servidores que autuaram a Vale em R$ 30 BILHÕES, por exemplo? Não pode! Estado Mínimo já! Eles tinham que ganhar no máximo uns R$ 3.500 por mês, e ainda tentar fazer um auto de infração milionário. Delegados da PF investigar grandes quadrilhas de corruptos (E CORRUPTORES, porque as pessoas acham que só existem corruptos), infiltradas nas casas legislativas e Executivo Federal, ganhando até R$ 19 mil por que quando poderiam muito bem sobreviver com uns R$ 3 mil ou R$ 4 mil? Aliás, seu banco já lucrou hoje?

    • sex, 10/08/2012 - 11:13
      Almir

      Estado Mínimo, é?

      Dê uma espiadinha no que o “Estado Mínimo” fez com a outrora rica e distinta Espanha: desemprego batendo nos 25%, as populãções de Sevilha e Cádiz saqueando supermercados etc.

      E ainda assim você está disposto a encarar?

    • sex, 10/08/2012 - 11:56
      RicardãoCarioca

      Se a Vale tivesse uma gestão honesta nos tempos do Rogê, não seria autuada em 30 bilhões e parabéns aos auditores fiscais que justificaram o seu salário.

      Santa inversão de valores, meldels.

  25. sex, 10/08/2012 - 10:29
    Luis Carlos

    Dilma = Serra. Nao precisa de mais explicações! Vejam os argumentos dos defensores da Dilma/PT nesses comentários, são os mesmos da turma do PSDB: “servidores públicos são preguiçosos e marajás!” “Greve é férias remunerada!” . Falaram tanto do PSDB e nao há mais nada parecido com um tucano do que um petista.

  26. sex, 10/08/2012 - 9:58
    Vlad

    Vixi! Por aqui grassa o mofado discurso neoliberal, até os chavões são os mesmos.
    Esse blog foi invadido pela tucanalha!!!
    Rééélpi!!!!
    …ou troca pra viomuro.

    º,..,º

  27. sex, 10/08/2012 - 9:36
    Marco Roxo

    Concordo com o Romanelli. Este movimento grevista está sendo conduzida pela nata do serviço público federal, que ganha muito, trabalha pouco e se dá ao luxo de tentar nos colocar reféns das suas reivindicações. No caso dos docentes, a greve é para impor um modelo de carreira inexistente em qualquer lugar do mundo. A presidente do ANDES afirmou que a entidade disputa um modelo de Estado e Universidade com o governo. O fato concreto é que os grevistas são estáveis, estão recebendo salários e não estão nem aí para os esforços do país para entrar em crise econômica. Fazem o que querem, dão prejuízos a todo mundo e não acontece nada. Os docentes federais querem um plano de carreira isento do “produtivismo”, “ascensão sem qualificação” e “expansão com qualidade”, o que pode ser traduzido por “nenhum sacrifício de nossa parte”. Ou seja, se recusam a dar aulas com turmas com mais de 30 alunos, salas sem ar condicionado, computadores etc etc. Fazer projetos para obter fomentos??? Parcerias com a iniciativa privada??? Nada disso. Tudo isso representa a “privatização” do ensino público. Enquanto isso, os cursos mais procurados continuam entregues a uma elite branca, com grana para pagar escolas PRIVADAS em horário integral, curso de inglês, francês etc para os seus filhos. Os grevistas estão cagando para o ensino fundamental, não estão nem aí para a política de cotas e não elaboram nenhuma estratégia para lidar com os alunos de escola pública, que para eles são os responsáveis pela universidade se tornar um “escolão”. Vejam, essa discussão inexistia nos anos 1970/80/90, quando a “ralé” não tinha acesso ao ensino público superior. Mas ela entrou na pauta graças a docentes que, paradoxalmente ingressaram na Universidade por força do REUNI, da “expansão sem qualidade”. Não é uma beleza?

  28. sex, 10/08/2012 - 9:32
    O_Brasileiro

    Hellooooooo!!!
    Genteeeeeeee, o governo TUCANOU!
    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1134882-rodovias-ferrovias-e-portos-terao-investimentos-de-r-100-bilhoes.shtml
    A pegadinha é “CONCESSÃO” no lugar de privatização!
    Ai depois não querem largar o filão, como as concessionárias das estradas no RS.
    Só acredito que eles vão investir alguma coisa quando eu vir!

  29. sex, 10/08/2012 - 8:38
    Arthemísia

    A Constituição garante o direito à greve, é fato. Mas o direito à greve sem consequências já é desejo oculto das categorias. Sou servidora pública e acho falta de maturidade continuarmos insistindo apenas em greve como recurso de pressão. Mas os sindicatos se recusam a pensar em outras alternativas.

    Caso o governo fique inerte durante as greves, o poder judiciário será acionado e condenará o executivo por não exercer suas funções. Nós, servidores públicos, temos que aceitar o fato de que a sociedade não está está a nosso dispor e sim o contrário. O governo está apenas procurando outros caminhos e nós, o que estamos fazendo? Recorrendo ao poder judiciário, ou melhor, judicializando a política. Para mim, isso é sinal de fraqueza e incompetência política.

    Não podemos esquecer que este governo sabe muito bem o que é articulação, greve, resistência, etc. Acho um absurdo quando as pessoas falam que estamos lidando com ditadores, com gente que não negocia.Esse é um governo eleito, que tem apoio da população, que tem política voltada para os interesses de outras parcelas da população que não apenas as elites. A questão é que é um governo que conhece todas as artimanhas de sindicalistas, posto que todo mundo que tá lá já fez isso um dia. E nossos sindicatos ficam utilizando as mesmas estratégias que o governo conhece tão bem. Ninguém sabe exatamente onde vai dar tudo isso, mas que as velhas táticas estão dando sinais de esgotamento isso estão.

    Tudo bem, a greve não está fraca, mas a sociedade não está nem aí para os grevistas. Enquanto as universidades federais estão em greve, os estudantes podem escolher entre as milhares de faculdades privadas que estão dando sopa por aí, coisa que não poderiam fazer há alguns anos. Percebem as mudanças na situação? Até planos de saúde barato estão vendendo aos montes. Para citar quem sabe usar as palavras: o tempo passou na janela e só Carolina não viu.

    • sex, 10/08/2012 - 9:02
      Julio Silveira

      Belo argumento desmobilizador. São com pessoas que pensam como vc, que estão em todas as classes de trabalhadores, que contam o dirigentes. Voce funciona como o agente do inimigo, infiltrado. Parabéns, mas se a greve resultar em algo positivo, o que não é garantia, visto que existem dois lados na disputa, por se trata disso, um cabo de guerra, voce com certeza terá o pudor de abrir mão da possivel conquista, estou certo?

      • sex, 10/08/2012 - 10:33
        assalariado.

        Caro Julio Silveira, me surpreendeu com essa resposta para Arthemísia. Desta vez, voce conseguiu enxergar a razão central dos ‘radicais’ assalariados que explorados pelo capital e seus agentes, levantam a cabeça e questionam seu algoz. Seja ele o patrão Estado, a serviço do capital que vivem as ocultas atrás do seu gerente da vez, seja ele patrão privado.

        Saudações.

      • sex, 10/08/2012 - 11:28
        Julio Silveira

        Prezado Assalariado, me desculpe, mas sua surpresa e por absoluta falta de percepção dos meus posicionamentos, as vezes contrariando petistas que esqueceram suas origens ou falsearam sobre elas. Sempre estive ao lado dem quem sempre estive. Saudações.

    • sex, 10/08/2012 - 14:36
      smilinguido

      outro recurso que não a greve???? 20 ave marias e 10 pai nossos???? vestir de branco e abraçar a repartição??? por a vassoura de cabeça pra baixo atrás da porta??? pegar o retrato da Dilma e por de ponta cabeça igual as moças casadeiras fazem com santo Antônio, até ela tender as reivindicações?
      ou algo mais radical…tipo..todo mundo em coro gritando..Governo feio, chato e bobo..e cabeça de melão????

    • sáb, 11/08/2012 - 10:04
      smilinguido

      seu marido que paga suas contas não é?

  30. sex, 10/08/2012 - 7:42
    Almir

    Vocês não estão atentando para as regras do “ajuste fiscal” que, se não forem cumpridas, serão motivo para impeachment do presidente. Se as depesas com pessoal, incluindo inativos e pensionistas (Art. 169 da Constituição Federal) ultrapassar 50 da receita corrente líquida (art. 19 da Lei de Responsabilidade Fiscal – Lei Complementar 101/2000), o governo terá de demitir servidores (ajuste fiscal forçado) senão o presidente será impichado. Sem esquecer que essas regras foram introzudidas pela dupla FHC/Serra.

    Com a crise provocada pelo neoliberalismo nos Estados Unidos e União Européia, os produtos brasileiros estão ficando sem mercado, e nossa economia desacelerando e reduzindo a arrecadação (de onde vem o dinheiro dos salários do servidores).

    Portanto, não adianta ficar feits criacinhas birrentas quando querem um brinquedo, custe o que custar, saia de onde sair o dinheiro.

    • sex, 10/08/2012 - 10:12
      Jose

      Almir, você está errado. Se ocorrer tal hipótese, basta o governo Dilma demitir (sim) os cargos comissionados que não fazem NADA… e olha que existem milhares… ela mesmo mantem em BH em um prédio do Banco do Brasil (Um andar inteiro, custo de obra elevadíssimo com suspeita de desacordo com a lei 8666, cargos comissionados da presidência sem fazer NADA)

    • sex, 10/08/2012 - 12:28
      Leonardo Meireles Câmara

      Você está equivocado. O dinheiro público está fluindo para o caixa dos bancos via SELIC. Só isso.

  31. sex, 10/08/2012 - 7:27
    Romanelli

    Tenho dito que pra mim greve é contra a MAIS VALIA, não contra a cidadania.

    O ESTADO em suas funções básicas não tem fins lucrativos, não expolia insumos produtivos.

    A POPULAÇÃO, que praticamente NÃO dispõe de poder de dissolução, o cidadão, não pode se ver alijado da prestação de serviços essenciais e monopolizados pelo ESTADO …MUITO menos deve ser impedido de exercer seus direitos básicos fundamentais (como o do ir e vir, da dignidade mínima, do socorro e amparo às vítimas etc) ou mesmo, tomado REFÉM por esta horda de SINDICALISTAS amotinados e chantagistas.

    Serviços tais como na justiça, saúde, segurança pública, desembaraço de portos, estradas e fronteiras, energia, comunicações, serviços funerários, transportes públicos, dentre outros, NÃO podem ficar vulneráveis a campanhas de reivindicação e/ou a voluntarismos políticos ..há que pensarmos em pormos um fim nisso !!!

    As corporações SINDICAIS e os administradores do ESTADO devem constantemente se garantirem duma avaliação justa, assim como da feitura duma política de cargos e salários de LP apelando para instrumentos éticos e institucionais.

    A INDEXAÇÃO ANUAL de inúmeros serviços e dissídios já passou, no BRASIL, da hora de existir ..se queremos acabar com boa parte (40% dizem alguns) da inflação INERCIAL (aquela que do ano passado pega neste ano o aluguel, transportes, escolas, serviços administrados, dvs contratos etc) há que pensarmos CIVILIZADAMENTE num armistício CÍVICO, em espaçarmos melhor a recomposição, e intercalarmos os diversos setores no tempo (tudo abatido do devido ganho de produtiva quando do caso)

    Pior ainda é vermos ocupações que sabidamente dispõe de segurança, estabilidade e de PÉSSIMA REPUTAÇÃO diante da sociedade frente a oferta de qualidade nos seus serviços, fora ainda de auferirem de ganhos médios e benefícios MUITO ACIMA do que a média da população, virem quase que cotidianamente brigarem apenas por seus interesses pequenos, esquecendo-se na outra ponta de se justificarem do MÉRITO e do pq de seus pleitos, como é o caso dos professores federais de ensino Universitário quem com seu radicalismo praticamente CAPARAM o desenvolvimento de um ano inteiro letivo pra uma geração inteira de brasileiros ..sinceramente, aqui, crime de lesa pátria se aplicado a seus líderes seria pouco

    • sex, 10/08/2012 - 9:25
      Fábio Rezende

      Concordo com voc/~e, com exceção da parte sobre os professores, porque essa categoria está, sim, mal remunerada, principalemte em relação a alguns meros burocratas de agências reguladoras e de outras autarquias.

      O problema está justamente aí; os gananciosos acabam não deixando que a escandalosa diferença entre salários seja diminuída. Quando os mal remunerados vão à luta, os remediados vão no vácuo e estragam tudo.

      • sex, 10/08/2012 - 11:37
        assalariado.

        Caro Fábio Rezende, será que voce esta dizendo a verdade em seu comentário de que és um assalariado? Então, por que abraças as ideias neoliberais do Romanelli? O discurso neoliberal em um primeiro momento tenta dividir os assalariados em luta. Em segundo lugar, nos colocam uns contra os outros, e assim vai, … Nunca se esqueça, seja salário alto ou baixo entre os assalariados, estamos todos na mesma condição nesta sociedade controlada pelo capital.

        Sim, nós assalariados, estamos todos na condição de explorados pelos donos dos meios de produção, organizados de forma camuflada dentro do Estado para defender a exploração permanente da classe trabalhadora, seja a nivel privado ou estatal. Este Romanelli fala muito em cidadania, mas quando os neoliberais estão no poder só fazem tirar nossos direitos para entrega -los para os bolsos patronais. Ah! sim, mesmo porque as diferenças salariais existentes entre os trabalhadores nesta sociedade capitalista, não é por acaso, é sim planejada, pelas elites para nos dividir, diante de um luta contra a burguesia capitalista. Afinal de contas, na real, quem escalona os salários, são os donos do capital ou os de condição de explorados?

        Abraços Fratenos.

  32. sex, 10/08/2012 - 7:26
    Julio Silveira

    Confesso, fui um dos culpados. Apoiei a indicação da Dilma pelo Lula desde a primeira hora, vi nela potencial administrativo. Apoiei evidentemente em meus posicionamentos nos blogs principalmente e em meus contatos com amigos, alguns petistas, que suspeitavam dela por não ser histórica. Hoje estou surpreso e frustrado, não vi essa faceta autoritária que ela demonstra, talvez por isso a midia esteja até pegando leve, afinal se vem bem representados. Fica dificil para que tem alguma noção politica sendo de esquerda estar feliz com os rumos que a Dilma tem dado nas negociações com os trabalhadores, outrora base deste governo vindo de um partido dito dos trabalhadores.

    • sex, 10/08/2012 - 10:17
      Luís

      Eu também sou culpado. Por ter votado nela. Deveria era ter votado nulo.

      Votamos em Dilma e no PT, mas parece que quem ganhou e está governando é o Serra e o PSDB.

      • sex, 10/08/2012 - 11:00
        assalariado.

        Caro Luís, qual seria a saida de voto, nestas eleições municipais? Se queremos de fato, começar a mudar/ criar hegemonia nesta correlação de forças, hoje, pró exploradores capitalistas. Teremos que, politicamente, nos articular na condição de explorados pelo capital, para dar um basta nesta ‘democracia’ burguesa onde os donos capital são, cinicamente, nos seus discursos, os exploradores neoliberais e seus genéricos. Sim, travestidos de defensores da cidadania.

        Abraços Fraternos.

  33. sex, 10/08/2012 - 7:07
    Marcos W.

    A presidenta está certíssima! O servidor excerce o direito de greve, e o governo trabalha para manter o serviço. De qualquer maneira, se o titular do poder é o povo, além de pagar os salários dos que trabalham e dos que não trabalham,voltem ao trabalho. A ironia de tudo é que os agentes da PRF, até outro dia, trabalhavam para desobstruir as rodovias do país( até prisões realizaram), em greve mal vista por muitos comentaristas desse espaço. Hoje, os mesmos policiais obstruem as rodovias e causam uma infinidade de problemas aos usuários. É um país surreal, no qual, da bagunça nunca surge a organização!

  34. sex, 10/08/2012 - 3:56

    Servidor público só pode ser demitido se chegar bêbado ao local de trabalho ou se faltar mais de 29 dias seguidos sem justificativa legalmente aceita.

    Se o sujeito for destemperado e inconsequente o suficiente para conseguir (conseguir!) ser enquadrado nessas condições, que seja demitido! Arre!!!

    Mais estabilidade que isso, “nêgo, Chicago não aguenta”…

  35. sex, 10/08/2012 - 1:43
    Angela Liuti

    A Presidenta, em quem votei, para termos cada vez mais governos arejados e abertos está tendo uma postura autoritaria inadimssivel num governo dito petista. Negociações trabalhistas fazem parte do jogo democratico ou não!? Cadê o jogo de cintura? Lula, Ideli Salvate,lideranças que forma forjadas nas lutas sindicais, negociadores natos, tem muito assinar ao ministerio do planejamento. è uma Tristeza esta situação pois os servidores tem seus direitos, se ganham melhor que a população em geral ou não tanto faz, aliás quermeos que servidores públçicos ganhem muito bem (mais que parlamentares por exemplo que tem todas aquelas mordomias. Os planos de careira dos servidores precisam sem respeitados,pois estudam, se preparam, prestam concursos,não entram pelas porta sdos fundos, são qualificados para bem atender a nós publico, população. Só faltava agor[a o governo Dilmaretroceder ao governo do FHC e chamar os servidores publicos de “vagabundos”.Desde o governo Lula os servidres não tiveram o tratamento que esperavam, muitos que eram da esquerda hoje saõ os maiores inimigos do governo federal o que é uma pena. Não sou servidora publica sou de movimentos sociais acompanho a luta dos servidores públicos, eles estão raivosos do governo do PT e com razão O mercado está dando as cartas no governo Dilma, infelizmente!Tire o Gerdau da sala ao lado por favor. Não queremos a privatização dos serviços públicos, nem que seviços públicos sejam feios por empresas terceirizadas. bem agora num periodo eleitoral não é salutar para o governo esta queda de braço.

    • sex, 10/08/2012 - 7:30
      Romanelli

      negociação usando o POVO como BUCHA de canhão ?? ..sei sei ..essa turma deveria plantar BATATA se soubesse como se faz

      trabalhar faz bem, e respeitar os outros inocentes tb

  36. sex, 10/08/2012 - 0:47
    João

    Foi só os servidores federais buscarem a recomposição salarial (nem é aumento) ou a reestruturaçao de carreira e o governo federal teve que deixar de laod a máscara de promotor dos excluídos e vulnerávies para sair em campo defendendo os interesses do capital financeiro internacional. Afinal, como salvar as finanças europeias sem precarizar a economia nacional? Falat muito pouco para Dilma se tornar um clone do FHC!

    • sex, 10/08/2012 - 7:31
      Romanelli

      sei sei ..todos ao mesmo tempo e depois de longos anos

      conta outra ..vamos no caso a caso ..os acontecimentos tratam de AMOTINADOS e oportunistas, a coisa é política, só isso

  37. sex, 10/08/2012 - 0:10
    SERGIO SANTANA

    Concordo com isso. Mas os servidores não podem castigar o contribuinte que paga os seus salários. E além de tudo, isso é burrice dos sindicatos, pois com essa atitude, colocam a população contra vocês servidores que, mesmo tendo razão, acabam perdendo-a, principalmente porque fazem a greve, tumultua a vida de nós, e ainda no final do mês recebem o salário sem desconto! Fazer greve assim é muito fácil!!!!!!!

    • sex, 10/08/2012 - 0:34
      Cícero

      A gente já ganha um salário miserável, e você ainda quer que nos desconte? Realmente nós não nos importamos com a sua volta pra casa. Vocês é que dão mole pra iniciativa privada! Devia reclamar é dos bancos e seus lucros, e não dos servidores. Continue fazendo o jogo do patrão, que a gente continua parando a ponte. Tá com pressa vai a pé!

    • sex, 10/08/2012 - 14:16
      walterjr

      Caríssimo.
      Servidor público também é contribuinte.
      E pior, sem a menor condição de sonegar, como você.
      Descontado na fonte.
      Vai reclamar da TIM que prejudica o contribuinte, da UNIMED,dos ônibus privatizados da sua cidade, dos bancos.
      Esses aí prejudicam muito mais o contribuinte do que uma greve de servidor público.
      Queria ver você com 7 anos sem sequer a recomposição da inflação.
      Eu pago aluguel, escola, plano de saude e imposto como todos vocês.
      Me desculpe, sou funcionário público por mérito,aprovado em concurso público.Reclame dos DAS milionários que sua presidenta mantém. São mais de 20000 só no executivo, sem concurso.

      • sex, 10/08/2012 - 17:45
        Herivelto Canales

        Faça como nós:
        Coloque seus filhos em escola pública.
        Economizará bastante.

      • sáb, 11/08/2012 - 0:01
        João

        Herivelto Tucanales, o torll a serviço da tucanalha paulistana, o filhotre de Sonsinha Francine com José Serra!!

  38. sex, 10/08/2012 - 0:06
    Eneágono Glutão

    Ela falou que o dinheiro, recurso tão escasso, vai ser usado prioritariamente para melhorar a situação dos que não estão empregados e dos que estão empregados mas sem estabilidade. Resumindo, mais dinheiro vai ser gasto com os mais vulneráveis.
    Os menos vulneráveis, servidores que contam com estabilidade, acabam sofrendo com isso. Os servidores estão olhando seus direitos, suas carreiras. Não estão errados. Ela tá pensando e fazendo muito pelos mais vulneráveis. Está certíssima. Merece o apoio dos que lutam pelos que mais sofrem.

  39. qui, 09/08/2012 - 23:53
    Wagner

    Já vimos tudo isso em tempos lúgubres não muito distantes: a demonização do serviço público como “ineficiente”, “caro”, “cabide de empregos”.

    Não é possível que tenhamos que enfrentar isso tudo de novo, e ainda mais num governo “trabalhista”.

    Os sindicatos devem ser extremamente firmes, os servidores não devem esmorecer e exigir coerência do Governo.

    NÓS NÃO VOTAMOS NO PSDB CARAMBA!

  40. .
    .
    Desqualificar ou desclassificar o servidor público,

    terceirizando, por decreto, a prestação do serviço,

    é retroceder ao tempo do neoliberalismo demotucano.

    É, além de inconstitucional, profundamente decepcionante.
    .
    .

    • sex, 10/08/2012 - 7:35
      Romanelli

      ahhh, tá bão ..só falta agota vocês dizerem que THC quando mandou invadir as refinarias estava errado tb

      aliás, estava sim ao meu ver, ele demorou MUITO pra tomar aquela decisão

    • sex, 10/08/2012 - 9:32
      Fábio Rezende

      É obrigação do governo manter os serviços sob sua responsabilidade. Querer que o governo não tenha opções é querer ganhar sem resistência. Isso não é luta, é covardia. A presidente vai reajustar os salários dos mais defasados e deixar os oportunistas para depois. Está certa ela, nos dois casos. Conheço bem a diferença de salários do Executivo e digo: mero graduado ganhar R$ 20 mil por mêm para bater carimbo e doutor ganhar R$ 10 mil para ensinar e pesquisar não é justo. Não deve haver aumentom para certas autarquias.
      E os serviços têm de continuar.
      Neguinho quer entrar na luta e quer que o outro lado fique amarrado.

Comentar