Flash ad ID:10

PATROCINE O VIOMUNDO

SOMOS 31.817 FAÇA PARTE !

Serra usa Policarpo para tentar condenar Amaury

publicado em 20 de abril de 2012 às 3:05

por Luiz Carlos Azenha

A ação ordinária de indenização movida pelo candidato a prefeito José Serra contra o repórter Amaury Ribeiro Jr. traz como provas iniciais o indiciamento do jornalista pela PF e artigos de jornais e revistas.

“O primeiro réu, o jornalista Amaury Ribeiro Junior, ganhou especial destaque no noticiário policial em razão de suas atividades ilícitas durante a campanha para a Presidência da República em 2010″, diz a ação. “No episódio divulgado pela imprensa, conhecido como o “escândalo da quebra de sigilos”, segue, Amaury “foi indiciado na Polícia Federal por vários crimes e como o principal responsável pela violação do sigilo fiscal de diversas pessoas, dentre as quais a filha do requerente (Veronica Allende Serra), o genro do requerente (Alexandre Bourgeois) e o vice-presidente executivo do PSDB (Eduardo Jorge Caldas Pereira)”, continua.

Diz a ação que Serra ficou surpreso com as descobertas da imprensa. Uma reportagem da revista Veja foi juntada como prova. É a reportagem da edição 2167, assinada por Policarpo Junior e Daniel Pereira, intitulada Ordem na casa do Lago Sul. O texto foi recentemente citado pelo jornalista Luís Nassif como um dos que foram plantados na revista pela arapongagem financiada por Carlinhos Cachoeira. Sintomaticamente, diz Nassif, o artigo nunca menciona o nome de Idalberto Matias, o Dadá, embora nomeie todos os outros personagens da história. Dadá era o elo entre Cachoeira e a revista.

Quando entrevistei Amaury sobre a ação, ele disse não saber na época da campanha que Dadá tinha relações com Cachoeira e a revista.

Os advogados que representam José Serra também mencionam na ação, a título de prova, a entrevista dada pelo ex-delegado da PF Onézimo Sousa à Veja, em que ele diz que o “grupo de inteligência” da campanha de Dilma Rousseff  — do qual, na versão da revista, fazia parte Amaury — queria que ele espionasse a vida pessoal de José Serra. O repórter nega que tenha se formado um grupo de inteligência na casa do Lago Sul e afirma que o contato com os arapongas tinha o objetivo de descobrir quem estava vazando informações da campanha.

O problema de citar Onézimo é que ele, em depoimento dado à Polícia Federal, negou ter ouvido de Amaury pedido para espionar Serra.

“Aprofundadas as investigações pela Polícia Federal, o nome do jornalista contratado para integrar ‘a equipe de inteligência’ da campanha petista, Amaury Ribeiro Junior, foi fortemente ligado às quebras de sigilo” de pessoas ligadas a Serra, diz o texto.

Além do indiciamento de Amaury pela PF, os advogados de Serra juntaram como prova artigos da Folha de S. Paulo, um dos quais diz que Amaury “confirmou em depoimento à Polícia Federal que encomendou dados de dirigentes tucanos e familiares de José Serra”. Amaury diz que nunca confirmou isso — e será fácil tirar a dúvida, basta apresentar o depoimento dado pelo repórter à PF.

Antes de tratar do livro, especificamente, os advogados de Serra concluem que “sua pena [a de Amaury] estava contratada para um serviço e seu interesse no ataque à pessoa de José Serra era por paga”, ou seja, com dinheiro de gente ligada à campanha da então candidata Dilma Rousseff.

A versão sempre sustentada por Amaury é de que ele vinha escrevendo o livro Privataria Tucana há dez anos, obtendo documentos a partir de pedido de exceção de verdade feito em ação movida contra ele pelo tucano Ricardo Sergio de Oliveira.

“Os dossiês que preparara, com as invenções e ataques que articulara com base num acervo desconexo de documentos (alguns sigilosos, outros inócuos e muitos falsos), transformou-se no livro ao qual batizou com o nome de ‘Privataria Tucana’”, diz a ação.

Os advogados tentam provar que se trata não de um livro — mas de uma coletânea de dossiês — se apegando a dois detalhes.

Apesar do livro ter sido lançado em dezembro de 2011, na página 170 há a frase “o primo do hoje candidato tucano a Presidência da República”; Amaury escreve “Gregório Marim Preciado. Guarde esse nome” depois de ter dedicado um capítulo inteiro ao personagem.

“As duas passagens acima, longe de denunciarem a dislexia intelectual do réu Amaury, constituem indícios claros de que os textos respectivos, separados em capítulos que aparentemente não “conversam”, constituem peças separadas de dossiês preparados para a campanha eleitoral e fabricados para uso em momentos diversos e num cronograma inverso ao apresentado no livro”, diz a petição.

[Ou isso, ou o revisor da Geração Editorial é ruim, diria um estudante de Direito].

Finalmente, os advogados de Serra usam trechos de dois artigos publicados em O Globo para desqualificar o livro. Um deles, de Merval Pereira, A ficção de Amaury, diz que “o livro, portanto, continua sendo parte de sua atividade como propagandista da campanha petista e, evidentemente, tem pouca credibilidade na origem”. O outro, do historiador Marco Antonio Villa, diz que o livro teve como objetivo “triturar reputações”.

“Usou 130 páginas para transcrever documentos sem nenhuma relação com o texto, como uma tentativa de apresentar seriedade, pesquisa, na elaboração das calúnias. Na verdade, não tinha como ocupar as páginas do panfleto com outras reportagens requentadas (a maioria publicada na revista “IstoÉ”)”, diz trecho do artigo de Villa reproduzido na ação.

O problema de Serra usar gente ligada a O Globo contra Amaury é que o repórter ganhou um prêmio Esso quando trabalhava no jornal. E Merval Pereira, em discurso na Academia Brasileira de Letras, disse textualmente:

Dezoito anos depois, em 1999, O GLOBO deu outro “furo”, que provocou a reabertura do caso. A série de reportagens de Ascânio Seleme, Chico Otavio e Amaury Ribeiro Jr. ganhou o Prêmio Esso de Reportagem daquele ano e reabriu o caso, transformando o Capitão Wilson Machado e o sargento Guilherme Pereira do Rosário de vítimas em réus. O crime prescrevera, mas a verdade estava restabelecida. Eu era o diretor de redação do Globo naquela ocasião, e senti como se um ciclo histórico tivesse sido fechado, com a minha participação.

Na ação, o candidato a prefeito de São Paulo alega que Amaury o acusa de receber propinas e de ter criado uma rede de espionagem para investigar Aécio Neves. O repórter diz que pretende provar esta segunda acusação, mas nega que tenha feito a primeira.

Os advogados de Serra, no entanto, juntaram à petição inicial um artigo da Folha. O título diz: Jornalista acusa tucanos de receber propinas. O texto que aparece sublinhado:

Um livro que chegou à praça no fim de semana acusa o ex-governador José Serra de receber propinas de empresários que participaram das privatizações conduzidas pelo governo Fernando Henrique Cardoso.

Em outras palavras, neste caso os advogados de Serra não vão usar o que está no livro para tentar condenar o autor, mas o que a mídia diz que está no livro.

Leia também:

O contador e as fitas que estão por aí

 

85 Comentários para “Serra usa Policarpo para tentar condenar Amaury”

  1. dom, 23/12/2012 - 18:13
    Sagarana

    Porque o Lula nao faz o mesmo que Serra fez com o Amaury e processa o Marcos Valério?

  2. [...] Serra usa Policarpo para tentar condenar Amaury [...]

  3. qui, 26/04/2012 - 19:58
    Geralda

    A CPI da Privataria Tucana, será que vai se transformar em Pizza? Nós brasileiros aguardamos com muita ansiedade esta CPI.Tucanos têm que ir todos para o ralo.

  4. sáb, 21/04/2012 - 19:03
    José de Queiroz

    Engraçado, não citaram nada de Carta Capital ?

  5. sáb, 21/04/2012 - 19:00
    maria_do_carmo

    O maior pinochio de Sao Paulo Jose Serra. E hilario perdeu o rumo. Alias, esta tentando convencer os menos esclarecidos que esta precessando o Amaury, provavelmente os que nao leram o livro acreditem no maior golpista do Brasil enganou 190 milhoes de brasileiros no maior assalto da republica que fez a filha de laranja num enrredo digno de Al Capone. Serra caluniador usou Deus e a Igreja, totalmente sem pudor! Que nojo! O PSDB
    perdeu a vergonha e o respeito.

  6. sáb, 21/04/2012 - 13:35
    antonio bode

    Pois é. Somos livres no verbo, e Joaquim Barbosa falou de Peluso o que bem entendeu.
    Então falamos nós de José Serra que ele é: “ridículo”, “brega”, “caipira”, “corporativista”, “desleal”, “tirano” e “pequeno”.
    Além é claro, de que até o momento não se manifestou oficialmente sobre a Privataria Tucana e dos recursos públicos desviados para Bahamas e Ilhas Virgens.

  7. sáb, 21/04/2012 - 2:22
    Wilson Nascimento

    Este som do Gil é o num é cara do Padim Pade Cerra ?

    Pessoa nefasta
    Gilberto Gil

    Tu, pessoa nefasta
    Vê se afasta teu mal
    Teu astral que se arrasta tão baixo no chão
    Tu, pessoa nefasta
    Tens a aura da besta
    Essa alma bissexta, essa cara de cão

    Reza
    Chama pelo teu guia
    Ganha fé, sai a pé, vai até a Bahia
    Cai aos pés do Senhor do Bonfim
    Dobra
    Teus joelhos cem vezes
    Faz as pazes com os deuses
    Carrega contigo uma figa de puro marfim
    Pede
    Que te façam propícia
    Que retirem a cobiça, a preguiça, a malícia
    A polícia de cima de ti
    Basta
    Ver-te em teu mundo interno
    Pra sacar teu inferno
    Teu inferno é aqui

    Pessoa nefasta

    Tu, pessoa nefasta
    Gasta um dia da vida
    Tratando a ferida do teu coração
    Tu, pessoa nefasta
    Faz o espírito obeso
    Correr, perder peso, curar, ficar são

    Solta
    Com a alma no espaço
    Vagarás, vagarás, te tornarás bagaço
    Pedaço de tábua no mar
    Dia
    Após dia boiando
    Acabarás perdendo a ansiedade, a saudade
    A vontade de ser e de estar
    Livre
    Das dentadas do mundo
    Já não terás, no fundo, desejo profundo
    Por nada que não seja bom
    Não mais
    Que um pedaço de tábua
    A boiar sobre as águas
    Sem destino nenhum

    Pessoa nefasta

  8. sáb, 21/04/2012 - 1:18
    FrancoAtirador

    .
    .
    Em tempos de "jogos" em alta,

    o Frias disponibilizou um joguinho

    no Portal UOL, do Grupo Folha:

    http://jogosonline.uol.com.br/bolinha-de-papel-no

  9. sex, 20/04/2012 - 22:00
    FrancoAtirador

    .
    .
    VEJA, DEMÓSTENES, CACHOEIRA, PERILLO, SERRA: TUDO EM CASA

    Alexandre Oltramari, ex-repórter da Veja, foi assessor de Marconi Perillo
    na campanha do PSDB para o governo do estado de Goiás, em 2010.

    Márcio Aith, um dos editores executivos da VEJA, foi assessor de Serra
    na campanha do PSDB à Presidência da Rebública, em 2010.

    Policarpo Junior, Diretor da Sucursal da Veja em Brasília, é o assessor "fóda"
    de Carlinhos Cachoeira para assuntos de interesse do "BraZilBingos".

    Fabio Portela, editor da Revista Veja, será assessor de José Serra
    na campanha do PSDB à Prefeitura Municipal de São Paulo, em 2012.

    VEJA SÓ!
    .
    .

  10. sex, 20/04/2012 - 20:00
    Yarus

    "Cachoeira buscou governadores de MT, SC e PR

    Emails e telefonemas mostram movimentação do bicheiro e de seus aliados para manter o jogo nos três estados. Em Santa Catarina, ele diz ter tido a ajuda do governador de Goiás, Marconi Perillo. Todos negam relação com o contraventor.
    Na tentativa de emplacar prestação de serviços de loterias estaduais, o grupo do empresário de jogos de azar Carlinhos Cachoeira, preso na Operação Monte Carlo, buscou contato com os governadores recém-eleitos de Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB); de Santa Catarina, Raimundo Colombo (PSD e ex-DEM), e do Paraná, Beto Richa (PSDB). Segundo telefonemas de Cachoeira interceptados pela Polícia Federal, o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), ajudou a evitar a extinção de uma estatal que controla loterias em Santa Catarina. Perillo nega e os demais governadores dizem que não negociaram nada com o bicheiro, que é o centro das investigações da CPI criada na quinta-feira (19) no Congresso.

    No primeiro turno das eleições de 2010, Silval é reeleito em Mato Grosso. Beto Richa e Colombo ganham no Paraná e em Santa Catarina. Dois dias depois, em 5 de outubro, às 8h39, o ex-cunhado de Cachoeira, Adriano Aprígio de Souza, envia email ao argentino Roberto Coppola, consultor em jogos de azar. Ele comemora o resultado as urnas e pergunta como estão os contatos com os futuros governantes sobre as loterias estaduais. Questiona como teria sido a reunião de Coppola com Richa: “Roberto, viu o resultado no Mato Grosso? Foi reeleito o governador. E como ficou Santa Catarina agora? Paraná aquele encontro com foi bom (sic) com o governador eleito?”

    Em resposta, às 18h52, o argentino Roberto Coppola mistura português com espanhol para dizer que o grupo vai conseguir ver implantada a loteria no Mato Grosso e em Santa Catarina. Afirma ainda que se reuniu com Colombo e com Richa. No primeiro, o resultado teria sido “bom”, segundo ele porque o coordenador da campanha de Colombo é que seria designado para dirigir a loteria. Mas com Richa, porém, o problema era que seu antecessor, o hoje senador Roberto Requião (PMDB), extinguira a loteria estadual.

    “Em Santa Catarina también foi bon con Colombo porque o presidente da loteria era o jefe da campanha de Colombo. Em Paraná, fale com Beto Richa, o problema é que Requion por ler fecho a loteria e va a demorar, porque tein que facer uma nova lei. Esse filho da puta do Requion hasta que foi embora, incho o saco”, diz Copolla, no portunhol que usou no email…" http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/cachoe

  11. sex, 20/04/2012 - 18:16
    marcosomag

    Modificando um pouco o que dizia FHC: "SERRA parece perú bêbado na véspera do NATAL!"

  12. eu gostaria de ver um jornlismo com coragem apurar aligaçãod Paulo Preto com a mudança dass obras da Operação Urbana Água espraiada, que acabou transformando um tunel de 400m e outro de 2,4km a um custo superior a R$ 3 bilhões.

  13. sex, 20/04/2012 - 18:07
    Alexandre

    "… violação do sigilo fiscal de diversas pessoas, dentre as quais a filha do requerente (Veronica Allende Serra), o genro do requerente (Alexandre Bourgeois) e o vice-presidente executivo do PSDB (Eduardo Jorge Caldas Pereira)”

    Excerto da ação ordinária de indenização movida pelo candidato a prefeito José (S)erra contra o repórter Amaury Ribeiro Jr.

    LÁ VEM O RÁBULA 'BANANIENSE"!

    Tutte le persone buone! Di nobile famiglia!
    Tutte le persone buone!
    Mani pulite, i colletti bianchi, stampa bene …
    E 'la mia condanna!
    E 'vero?

    NOTA: traduzido a partir do 'google':

    Tudo gente boa! De família nobre!
    Todos gente boa!
    Mãos limpas, colarinhos brancos, fina estampa…
    É a minha sentença!
    É verdade?!

    República Destes Bananas Elitizados, Antinacionalistas, Abomináveis Lesa-pátria
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

    • sex, 20/04/2012 - 21:14
      Alexandre

      erratas desprezíveis: ajuste nas aspas e a ausência de uma desprezível vírgula!

      LÁ VEM O RÁBULA 'BANANIENSE’!

      … Todos, gente boa!…

      República Destes Bananas Elitizados, Antinacionalistas, Abomináveis Lesa-pátria
      Bahia, Feira de Santana
      Messias Franca de Macedo

  14. sex, 20/04/2012 - 17:26
    José Tavares

    Serra entrou com processo contra as infâmias do livro do Amaury.
    Serra vai dizer na campanha que não se pronunciará sobre as torpes acusações.

    "…esse assunto está na justiça, só falo depois da decisão judicial".

  15. sex, 20/04/2012 - 17:23
    Adilson

    Coitado do Tucano, pois a única prova que ele tem são as suas penas amestradas da mídia. Usar matérias das revistas e jornais Tucanos é mostra ao Brasil inteiro mais uma vez que essa mídia é partidária do PSDB sim. O pior é que essa mídia Tucana não faz mais nenhuma questão de esconder isso.

  16. sex, 20/04/2012 - 16:38
    Outro Antonio

    Só um juiz inapto ou desonesto vai dar andamento em um processo pautado por matérias e artigos que sairam em jornais e revistas, ainda pior se essas mídias forem do PIG. Um juíz honesto lê o livro, pede investigações para depois reverter o jogo e colocar o Chirico da Bolinha no xadrêz.

  17. sex, 20/04/2012 - 15:49
    Alexandre Felix

    Os amigos jornalistas podem me explicar por que a Rede Globo passou, de uma hora pra outra, a tratar o Cachoeira como "bicheiro" ? Antes era "empresário"…o que houve?

  18. sex, 20/04/2012 - 15:32
    José DF

    A folha e globo devem ter colocado seus departamentos jurídicos à disposição do Serra, visto que os advogados trabalham a defesa do tucano com opiniões pouco consistentes expressadas em tais veículos.
    Serra precisará mais do que a colaboração desinteressada da mídia para livrar-se das acusações.
    Para o academico Merval, o livro é uma "ficção". É uma crítica recorrente, sobretudo daqueles que "não leram e não gostaram". Os mesmo que até hoje creem nos dólares cubanos em caixas de uisque.
    As provas colhidas pelo jornalista me parecem muito mais robustas e verossímeis do que os fatos que desencadearam o mensalão. Ou "ficção", se preferirem.

  19. sex, 20/04/2012 - 14:59
    Felipe

    A defesa do Amaury jr, se é que precisa de alguma ajuda, seria o final desse texto.

    "Em outras palavras, neste caso os advogados de Serra não vão usar o que está no livro para tentar condenar o autor, mas o que a mídia diz que está no livro."
    Já que os advogados não refutam O livro, mas o que os jornalistas do PIG refutaram. Esse Serra é uma piada ou não é?

  20. sex, 20/04/2012 - 14:32
    MChagas

    O Policarpo, amigão do Cachoeira? A relação de investigados na CPI só faz aumentar.

  21. sex, 20/04/2012 - 14:30
    MChagas

    O objetivo da ação é usá-la como desculpa na eleição. Questionado sobre os fatos relatados no livro, o candidato Serra sempre poderá dizer que está se defendendo na justiça.Está sub-judice dirá o tucano, a a midia vai repercutir como sempre a justificativa exdrúxula. Como sempre faz aliás quando se trata de problemas no ninho tucano.

  22. sex, 20/04/2012 - 14:10
    João Alexandre

    "Provas" colhidas de O Globo, Folha, Veja,… Isto sim é sintomático!
    http://trololololololololololo.com/

  23. sex, 20/04/2012 - 13:59
    davi

    Esse senhor é tao sem inteligencia ou tao mal assessorado, que ainda vai dar chance ao Amaury de ganhar fama e vender muitos outros livros, e não vai ver o cheiro do lucro com a venda dos livros , além de provavelmente ter de arcar com as custas processuais

  24. sex, 20/04/2012 - 13:56
    ricardo silveira

    Se não fosse por causa da eleição teria processado antes. Será que ainda tem juiz que leva em conta fundamentação com base na Veja?

  25. sex, 20/04/2012 - 13:13
    beattrice

    Trata-se claramente de um suposto escudo para ser usado pelo Zé na campanha de 2012 à prefeitura de SP, é o famoso "escudo-palanque".

  26. sex, 20/04/2012 - 12:55
    Julio Silveira

    O que eu não consigo entender é como um livro é escrito com tanta base investigatória, vinda do judiciário e ninguem vai em cana. Será que nosso judiciário age politicamente para não prender ninguem que esteja no andar de cima. Por que acho que se fosse pobre metido em falcatrua já estaria na cadeia.
    O Livro só desmitifica ainda mais esse sistema que hoje possui poder para perdoar o Cacciola, enquanto mantem presos jovens paulistas baseados em acusações de um homem que se desmancha na primeira investigação séria feita por reportagem. Ou seja, para classe social baixa no Brasil viver é um risco até em se tratando das instituições. Rico não precisa nem ter vergonha de ser canalha é automaticamente perdoado pelos seus que comamdam.

  27. sex, 20/04/2012 - 12:54
    doctormario

    Serra está tentando se proteger para poder ir para a campaha para prefeito de São Paulo dizendo que o autor da "Privataria Tucana" está respondendo a um processo (sic). O fato é que até o processo terminar, o Amaury vai aparecer como culpado e com a reputação comprometida, como sempre acontece por aqui. A mídia marrom vai dar corda para isto e fazer as pessoas acreditarem que Serra está sendo caluniado. Quero dizer, as pessoas que se deixam influenciar pela imprensa marrom.

  28. sex, 20/04/2012 - 12:36
    EUNAOSABIA

    Ei pessooal, vocês lembram do Pagot? pois, ele mandou lembranças pra vocês… tá tudo na Revista Época…

    Ainda nem começou e o chumbo grosso já começa a cair nas suas cabeças… tô falando truta que foi tiro no pé.

    Amadores mesmo… quem manda… cadê o Avenger?

  29. sex, 20/04/2012 - 12:08
    Bonifa

    Esta ação recheada de notícias de uma imprensa políticamente comprometida, muitas das quais já publicamente tidas como inverídicas, poderá custar muito caro ao Serra. O juíz perceberá que há intenção clara de induzir o judiciário a erro. Movido apenas pela tentativa de mostrar ao público que teve indignação suficiente para recorrer à justiça, quando na campanha lhe perguntarem sobre o mensalão, Serra não avaliou bem o perigo que seria brincar deste modo com o Judiciário.

  30. sex, 20/04/2012 - 11:41
    Julio

    Sobre a arapongagem e plantação de reportagens com fins diversos:

    Sera que há como comprovar isso (a intenção) e levar adiante, judicialmente?

    é que muito se fala, mas acho que, da mesma forma que a gente sempre pede provas (de escandalos etc) e as coisas bem explicadas, não só especulação, o outro lado tambem vai pedir….

    []s

  31. sex, 20/04/2012 - 11:13
    sergio

    Logo Policarpo, o bicheiro. Serra já foi menos pior.

  32. sex, 20/04/2012 - 11:04
    Rui

    Uma cachoeira abundante, perto de uma serra, foi alvo da privataria. kkkkkkk

  33. sex, 20/04/2012 - 10:55
    RicardãoCarioca

    Cachoeira e Dadá são dois arquivos vivos. Se o tal contador do Cachoeira tem uma coleção de grampos guardadas num cofre, se torna outro arquivo vivo. Sei não… a vida desses três está por um fio. Queimar esses arquivos deve ser parte de um plano B ou C já planejado em algum covil reacionário por aí.

  34. sex, 20/04/2012 - 10:49
    PauloBR

    Dois comen´tariozinhos:

    1) Sobre o trecho de "A Privataria Tucana" que diz: "“o primo do hoje candidato tucano a Presidência da República”. Não se trata de erro na junção de dossiês diferentes, como alega Serra em sua ação, nem de erro de revisão, a respeito de haver muitos ao longo do livro. É simplesmente um fato. Serra, em qualquer momento que se escreva ou se leia, é e sempre será candidato à presidência (dos Estados Unidos) do Brasil. É uma condição patológica perene. Qualquer artigo na imprensa, qualquer vídeo no Youtube, a própria propositura da ação somente comprovam e reiteram que, em Serra, a candidatura à presidência é atemporal.

    2) Sobre os três últimos parágrafos de sua postagem. Azenha, o Amaury poderá em sua defesa simplesmente alegar que não afirmou o que a "Folha" – jornal com notórios laços comerciais com o governo de São Paulo, materializado pelas milhares de assinaturas não licitadas – lhe atribui ter dito. Ou chamar o jornal à lide, na qualidade de co-réu…

  35. sex, 20/04/2012 - 10:48
    Jairo_Beraldo

    As provas colhidas pelo magnifico Zé contra Amaury, são de incontestável e impar descrédito. Só um juiz que vive em Plutão, levará à serio tais provas incontundentes, irresponsáveis e inconsistentes, partindo até de um personagem que faz parte da cascateira quadrilha do Cachoeira. Mas é bom estar com um pé atrás – nunca se sabe o que pode sair da cabeça de um juiz.

    • sex, 20/04/2012 - 12:53
      Sérgio Ruiz

      Principalmente, Jairo, se cair nas mãos de algum juizinho demotucano. Aqui em SP tá cheio desses magistrados coligados com a podridão dos demotucanos e encobertados pelo pig cachoeirista.

  36. sex, 20/04/2012 - 10:36
    EUNAOSABIA

    A Delta é uma das maiores construtoras do PAC… vai chegar em vocês… quem manda cair na lábia do avenger?

    Grupo de Cachoeira diz ter discutido projeto com ministro Alexandre Padilha

    DE SÃO PAULO

    O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, teve o nome citado em uma conversa telefônica como tendo autorizado o grupo do empresário Carlos Cachoeira a dar sequência a um negócio na área da saúde, após reunião em Brasília.

    Na gravação feita pela Polícia Federal na Operação Monte Carlo, Wladimir Garcez, ex-vereador do PSDB de Goiânia e auxiliar de Cachoeira, conversa com o chefe.

    "Teve a conversa com o Padilha, todos os outros lá, o chefe de gabinete, e [ele] achou interessante: faz o projeto, mostra o que que é, ele fala o que que é possível lá dentro e dá para nós um veredito lá. Mas que autorizou a gente a tocar pra frente o negócio, que eles têm condição de ajudar", diz Garcez a Cachoeira, em março de 2011.

    A conversa não deixa claro qual é o interesse de Cachoeira -que, segundo a PF, é dono oculto de um laboratório e controla um instituto que reúne grandes empresas da área farmacêutica.

    Três meses depois, o empresário telefonou para outro auxiliar, Gleyb Cruz, e o orientou a acionar o primo do assessor do Palácio do Planalto Olavo Noleto, o designer Fernando Noleto Rosa, a respeito de assunto na área da saúde.

    "Encontra com ele pessoalmente", orienta Cachoeira.

    Documentos da Junta Comercial mostram que Fernando é sócio de Alan Silva, chefe de gabinete de Padilha quando ele era ministro de Relações Institucionais.

    Fernando confirmou ter se encontrado com Gleyb, Garcez e Cachoeira, que, diz ele, queriam abrir um canal de diálogo com Olavo. Segundo ele, o pedido não foi atendido.

    "[Cachoeira] queria que apresentasse as pessoas lá de dentro, pensando que eu tinha contato. Eu disse: 'Não tenho contato'. Todo mundo quer ser apresentado ao Olavo." Sobre o "negócio" na Saúde, Fernando disse não saber do que se tratava. Ele afirmou que é amigo de infância de Alan.

    Na mesma conversa, Garcez mencionou a Cachoeira o nome de "Olavo" como supostamente relacionado a outro projeto de interesse do grupo. "Tem um negócio aqui, aquele reconhecimento facial que nós olhamos lá em Brasília, tem um cara que colocou que está junto com o Olavo. [...] Vamos ver se nós fecha exclusividade para o Centro-Oeste."

    Olavo Noleto é assessor do Planalto desde 2003, tendo trabalhado com Padilha em 2009 e 2010.

    • sex, 20/04/2012 - 11:34
      Gerson Carneiro

      A empresa Delta Construções S/A também tem contratos celebrados com o Governo do Estado de São Paulo.

      Se fussar, pega o Serra e o Alckmin.

      Não adianta colar notícia do PIG aqui.

      Vocês estão no mato sem cachorro, rapaz.

    • sex, 20/04/2012 - 11:41
      Carlos

      O jenio do Çerra não sabia de nada sobre o tratado da Privataria Tucana. Filhinha rica, papai bobo.
      Cabe esclarecer que quem falou com o Noleto foi o Wladimir Garcez, número 2 do esquema Cachoeira, que foi Secretário da Segurança, ou coisa parecida, do EUNÃOSABIA Perillo. o meliante também foi tesoureiro/arrecadador na campanha do EUNÃOSABIA Perillo.
      EUNÃOSABIA esqueceu de mencionar essa mero detalhe, ou ele, igualzinho ao Çerra e ao Perillo, também não sabia.

    • sex, 20/04/2012 - 12:01
      Bonifa

      Tenha calma, não se precipite, EUNAOSABIA. Tudo será apurado, esta e outras constatações, incluindo aquelas que desvendarão os negócios de genéricos ligados a Serra ao tempo em que era ministro.

    • sex, 20/04/2012 - 12:23
      João Ferreira Bastos

      eunãosabia = augusto nunes

      • sex, 20/04/2012 - 13:56
        Fernando

        Ele é tão idiota, que escreve na coluna dele o mesmo que escreve nos comentários nos blogs sujos, em cada um com um pseudônimo (no Nassif ele usa Augusto), mas mesmos argumentos e colocações gramáticais.

        Quanto ao Serra, foram quase 6 meses para produzir uma defesa baseada em revista e jornais com sua "penas encomendadas", tudo isso com medo da tal "exceção da verdade", que alias é seu carma desde que foi "honesto" secretário do Montouro.

        Fico imaginando quantos grampos da PF estão em andamento, e quantos "jornalistas" estão sendo grampeados neste exato momento.

        eunãosabia, fique tranquilo que logo o Sr. vai ficar sabendo……….kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • sex, 20/04/2012 - 13:18
      beattrice

      Esperemeos que a CPI fotografe em que ministerios o senhor Carlos tinha contatos e negócios, ou melhor "negócios".

  37. sex, 20/04/2012 - 10:16
    Ataíde

    POLICIA DE SP ATIRA COM BALAS DE BORRACHA A ESMO http://www.spressosp.com.br/2012/04/garoto-que-pe

  38. cerra + pig + cachoeira + oposição demotucanapps = bandidagem sem igual. Processo de cerra contra Amaury: história baseada em ficção piguenta (e baseado estragado embalado por feagagacê).

  39. sex, 20/04/2012 - 9:34
    Danilo

    O PT, PSDB e até a PF ( Protogenes ) usou o Dadá várias vezes!

  40. sex, 20/04/2012 - 9:30
    renato de la rocha

    Ao processar o autor do livro – A PRIVATARIA TUCANA, o Zé mané $erra fez uma manobra diversionista para tentar se defender dos ataques que irá sofrer na campanha eleitoral e, mais uma vez, enganar os alienados paulistas que acreditam na máfia da mídia e nele. Agora ele terá uma "bela desculpa" para não comentar nada sobre o livro quando acusado de ser o PAI DA PRIVATARIA e um dos seus principais beneficiários.

  41. sex, 20/04/2012 - 9:29
    Leo

    As provas do Serra vem todas de noticas de recortes de jornais e para completar precisamente do PIG,onde manipular é o que importa.

  42. sex, 20/04/2012 - 9:00
    Gerson Carneiro

    <img src=http://a2.sphotos.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-snc7/p480x480/295024_2037019660891_1706248172_962695_1266022825_n.jpg>

    Será que o acordo para usar emprestado o Policarpo saiu dessa reunião?

    • sex, 20/04/2012 - 12:56
      doctormario

      Que concentração de mau-caratismo por metro quadrado…

    • sex, 20/04/2012 - 13:26
      abolicionista

      A famiglia reunida!! Só tem carcamano!! kkk

    • sex, 20/04/2012 - 13:35
      EUNAOSABIA

      Estão me vendo aí na foto, com meus ídolos injustiçados pela sanha ditatorial lulo-dilmo-chavista?!?

    • sex, 20/04/2012 - 18:43
      Alexandre

      … Ô prezado conterrâneo, Gerson Carneiro, e os dedos em formato de 'V', siô?! São os chifres dos DEMos, responde, "na lata", o matuto 'bananiense'! [RISOS]

      Lembrando o macaco Simão: "'Nois' sofre mas 'nois' goza!"
      É ou não é o país da piada pronta?!
      Creio que indubitavelmente!

      Felicidades!

      Messias Franca de Macedo
      Feira de Santana, Bahia
      República Destes Bananas

  43. sex, 20/04/2012 - 8:53
    Gersier

    Eita,esses tucanóides não aprendem.Outro tiro no pé.O Amaury agora terá mais munição na agulha,quer dizer,na ponta dos dedos para "digitalizar" o Privataria 2.Aguardemos.

  44. sex, 20/04/2012 - 8:51
    Flavio Lima

    Vai ser outro tiro de bazuca no pé. O Amaury esta comemorando esse processo, pois vai ter chance de mais um "exceção da verdade" , e acesso a mais documentos. Vamos ter Privataria II, III, IV, V…

  45. sex, 20/04/2012 - 8:48
    roberto

    Alguém acredita que criar artifícios jurídicos para evitar falar sobre o livro durante a campanha eleitoral vai livrar o Serra da derrota humilhante no primeiro turno?

  46. sex, 20/04/2012 - 8:19
    RicardãoCarioca

    Meu Deus! Tentar usar textos de Veja, Folha e O Globo para provar alguma coisa…
    Mas, na verdade, essa ação é factóide. Essa ação é para o PiG ter um arsenal pronto e guardado para ser usado contra o Amaury e contra o candidato que atacar Serra com esse assunto. Ou ainda, caso não haja ataques dos adversários, poderá servir também para colocar Serra na condição de político 'perseguido' e 'injustiçado' que só quer disputar a eleição de forma 'limpa' e 'honesta', sem atacar os demais.
    Esse processo é para dar munição ao PiG, portanto e não para se obter qualquer coisa na justiça.

    • sex, 20/04/2012 - 10:28
      Go Oliveria

      Mas Serra alimenta ($$$) o PÏG exatamente para estas horas 'deslunbrantes'!

    • sex, 20/04/2012 - 13:00
      Sérgio Ruiz

      É o pig novamente fazendo os trabalhos de advogado, promotor, juiz e carrasco a favor da corrupção demotucana, afinal eles também recebem sua parte do bolo, ou melhor, roubo$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$.

  47. sex, 20/04/2012 - 8:00
    Mr. Chance

    Processos contra desafetos baseados em artigos jornalísticos… Tá difícil entender porque o crime organizado cooptou a grande Imprensa brasileira, não?

  48. sex, 20/04/2012 - 4:00
    Gerson Carneiro

    Isso é mais um trololó do Serra.

    Ele está fazendo isso para dizer na campanha que está processando o Amaury, e dar a desculpa de que sobre isso não pode falar, caso alguém toque no assunto.

  49. sex, 20/04/2012 - 3:46
    Gerson Carneiro

    Isso deveria estar na sessão de "Humor".

    Serra e advogados esão fazendo uma crítica do livro, com base no PIG, e estão processando o Amaury porque não gostaram do livro.

    Só falta juntar no processo um vídeo de uma palestra do Amaury e chamar o Pascoale Cipro Neto para criticar a sintaxe da fala caipira do Amaury.

    Vou aproveitar e deixar uma coisa aqui para o Serra usar como prova também.

    <img src=http://a8.sphotos.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash2/p480x480/155423_3292062254583_1058553611_32475978_606510314_n.jpg>

  50. sex, 20/04/2012 - 3:32
    Gilson Rocha

    Mas esse Dadá andou por tudo
    que é canto.
    Engraçado é que ninguém nunca
    desconfiou que ele não era boa coisa?

  51. sex, 20/04/2012 - 3:25
    Gilson Rocha

    Não acho que ganhar prêmio diga
    alguma coisa.
    Agora, garanto que se as coisas forem
    feitas da maneira que tem que ser, a verdade
    aparece.
    Muito provavelmente tudo que está no livro será
    comprovado.
    Então acho que o Serra vai ter muitos problemas…

Comentar