VIOMUNDO

Uma explicação para a postura imperial de William Bonner

19 de agosto de 2014 às 08h26

por Luiz Carlos Azenha

Trata-se de um simulacro de jornalismo, que nem original é. Nos Estados Unidos, muitos âncoras se promoveram com agressividade em suposta defesa do “interesse público”. Eu friso o “suposta”. Lembro-me de um, da CNN, que fez fama atacando a “invasão do país por imigrantes ilegais”. Hoje muitos âncoras do jornalismo policial fazem o mesmo estilo, como se representassem a sociedade contra o crime.

William Bonner está assumindo o papel de garoto-propaganda da criminalização da política. Ao criminalizar a política, fazendo dela algo sujo e com o qual não devemos lidar, ganham as grandes corporações midiáticas. Quanto mais fracas forem as instituições, mais fortes ficam as empresas jornalísticas para extrair concessões de todo tipo — do Executivo, do Legislativo, do Judiciário.

A postura supostamente independente de Bonner, igualmente agressivo com todos os candidatos, faz parecer que as Organizações Globo pairam sobre a política, que nunca apoiaram a ditadura militar, nem tentaram “ganhar” eleições no grito. Que os irmãos Marinho não fazem politica diuturnamente, com lobistas em Brasília. Que os irmãos Marinho não tem lado, não fazem escolhas e nem defendem com unhas e dentes, se preciso atropelando as leis, os seus interesses. Como em “multa de 600 milhões de reais” por sonegar impostos na compra dos direitos de televisão das Copas de 2002 e 2006 (veja aqui, aqui e aqui).

A agressividade de Bonner também ajuda a mascarar onde se dá a verdadeira manipulação da emissora, nos dias de hoje: na pauta e no direcionamento dos recursos de investigação de que a Globo dispõe. Exemplo: hoje mesmo, no Bom Dia Brasil, uma dona-de-casa do interior de São Paulo explicava como está fazendo para economizar água.

A emissora não teve a curiosidade de explicar que a seca que afeta milhões no Estado não é apenas um problema climático, resulta também de falta de investimentos do governo de Geraldo Alckmin, que beneficiou acionistas da Sabesp quando deveria ter investido o dinheiro no aumento da capacidade de captação de água. Uma pauta complicada, não é mesmo?

A não ser que eu esteja enganado, a Globo não deslocou um repórter sequer para visitar o aeroporto de Montezuma, que Aécio Neves mandou reformar quando governador de Minas Gerais perto das terras de sua própria família. Vai ver que faltou dinheiro.

Tanto Alckmin quanto Aécio são tucanos. Na entrevista com Dilma, Bonner listou uma série de escândalos. Não falou, obviamente, de escândalos relacionados à iniciativa privada, nem em outras esferas de governo. Dilma poderia muito bem tê-lo lembrado disso, deixando claro que a corrupção é uma praga generalizada, inclusive na esfera privada, envolvendo entre outras coisas sonegação gigantesca de impostos. Mas aí já seria coisa para o Leonel Brizola.

Leia também:

O riso nervoso da mídia: Marina pode provocar hecatombe tucana no primeiro turno

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR

 

132 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Adriano Medeiros Costa

28/08/2014 - 02h35

Tem q ser MUITO idiota para levar esse cara a sério…

Responder

Brancaleone

21/08/2014 - 08h55

Sr. Azenha.
Realmente espero que leia as linhas seguintes não me importando muito se vai publicá-las ou não. Mas pelo saberá que existem pessoas que sabem como as coisas funcionam e não se deixam levar pela “outra mídia golpista”, para usar um dos manjados bordões da esquerda “rédibur cum uizqui”…
Antes de qualquer coisa, permita-me louvar seu profissionalismo. Se nos tempos da Globo o Sr. a defendia, agora em tempos de Record é justo que ataque a ex-patroa acusando-a de “mídia golpista” , “sonegadora” e outros raivosos adjetivos enquanto sistematicamente impede comentários sobre as diversas questões legais que envolvem a compra da Record e o uso do dinheiro no mínimo muito suspeito que a IURD usa para investir – Tanto as sonegações da Globo quanto a compra da Record e da Manchete são alvos de investigações e análises por parte da Receita Federal mas o Viomundo é claro e óbvio e ululante , só vê e publica o que é favorável ao seu atual patrão. Como eu já citei é louvável a sua atitude. Funcionário tem mesmo que obedecer – como, aliás, fizeram muitos soldados e oficiais nazistas e é claro que não estou chamando-o de nazista, mas apenas estabelecendo o comparativo entre “mandar e obedecer”.
Curiosamente alguns comentários contra genoino e zé dirceu são também suprimidos – talvez por serem “off-topic” já que deveriam estar em blogs policiais onde constam nomes de outros criminosos investigados, julgados e condenados na forma da Lei e da Constituição deste País. Neste caso não se sabe por que a proteção da Record (e sua) para estes elementos…
A esquerda e os petistas (coisas absolutamente distintas diga-se) que comentam no Viomundo são duma ingenuidade só igual à ingenuidade da direita Psdebista que realmente ( e infantilmente) acreditam que as associações partidárias neste País buscam servir a nação e o povo. Tanto eu quanto o Sr. sabemos que a política neste País se faz tão somente para atender os anseios de poder e grana de pessoas e grupos e é claro com o apoio de redes de TV (todas elas!!) e das diversas “midias golpistas” existentes.
Alguns comentarista da esquerda apavorada do Viomundo chegam a propor que a Presidenta Dilma use os mesmos meios que os Generais Presidentes usaram, com uso inclusive de censura e cassação de canais de TV – (coisa que a peronista retrógrada da Argentina está fazendo) – demonstrando claramente que a esquerda brasileira não difere em nada da direita – só usa desculpas diferentes para as mesmas imbecilidades.
Claro que continuarei a ler o Viomundo. É divertido. Certamente pouco comentarei já que o Sr. parece ser detentor de toda a verdade e o PT e a Presidenta Dilma são por demais perfeitos, honestos, competentes, impolutos, ilibados e decentes para receberem a mínima crítica que seja.
Abraços.

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    21/08/2014 - 09h31

    O sr. é cômico?

    PAULO FERREIRA

    21/08/2014 - 16h41

    não, la-comico!!![]

    Brancaleone

    21/08/2014 - 21h38

    Boa jogada.
    Já esperada, mas mesmo assim boa.
    Publica-se então o que não estava sendo publicado. A pecha de censura se esvai e esvazia meu comentário.

    Até tomei gosto do entrevero.

    Ronaldo Silva

    21/08/2014 - 21h41

    Eu acho que é o romanelli. kkkkk

    Ronaldo Silva

    21/08/2014 - 21h45

    A embromação sobre dizer nada de coisa alguma é idêntica.

José Souza

21/08/2014 - 07h08

Só tem uma solução: solicitar ao José Dirceu para fazer um projeto de lei extinguindo a rede bobo. Se isso for feito o Brizola virá auxiliá-lo, com certeza.

Responder

Brancaleone

21/08/2014 - 01h14

Vou tentar de novo. Vai que desta vez passa…
Numa destas pego o censor cochilando…

Bonner só fez aquilo que uns 50% dos brasileiros gostaria de fazer ou seja, perguntar pra Dilma o que ela anda fazendo com o emprego que arranjaram pra ela através do voto.

Estes mesmos 50% de cidadãos tambem querem saber porque a roubalheira e a corrupção estão como sempre ou seja, muito bem e obrigado por perguntar…

Os mesmos 50% de brasileiros querem saber porque o PT – partido da Dilma, insiste em afirmar que o genoino e o zé dirceu são santinhos inocentes, quando são bandidos mesmo, condenadaços mesmo…

Eles, os 50% ( e eu) tambem querem saber porque a economia tá ruim e piorando, se tem muita gente que se diz competente cuidando dela…

Porque a saúde anda ruim – e anda mesmo e se melhorou foi muito pouco pra 12 anos da mesma gente tocando o boteco…

Bonner não foi arrogante. Foi objetivo ao ponto da grosseria admito, mas ele estava lá para aquilo. Não era palanque nem comício e alem disso, a Dilma tem mais é que dar satisfação do que anda fazendo com os votos que recebe.

Responder

    Dudu

    28/08/2014 - 00h21

    Caro amigo
    Há duas questões centrais na entrevista do Bonner: a primeira é que ele representa, e bem, uma emissora que não tem qualquer compromisso com a democracia, muito pelo contrário; a segunda é que um entrevistador pode e deve ser objetivo, mas não precisa ser mal educado, escroto. Foi pura representação. Queria ver ele entrevistar o Ciro Gomes desse jeito. O Ciro iria trucidá-lo!

Mário SF Alves

20/08/2014 - 21h01

Esses jornalistas, colegas do patrão, jamais acreditaram na conquista da soberania do Brasil. Por isso são tão permeáveis aos desmandos, à influência e a tanto lixo do Hemisfério Norte.

Infelizmente não são só eles. Eles nada fariam se não houvesse total apoio de seus patrões-colegas.

E os patrões-colegas por sua vez nada fariam se não houvesse a exigência e total conivência daqueles que pagam os serviços de tais patrões.

______________________________________________
Pragmatismo?

Certamente; ainda que caolho.
___________________________________________________
Não lhes tiro parte da razão. Deve ser duro mesmo olhar para o aparato bélico dos irmãos [sócios publicamente inconfessáveis] do Norte e comparar com o nosso. Deve ser mesmo difícil olhar a tecnologia industrial do Norte e comparar com a nossa. Difícil acreditar naquele Brasil.

Por isso falam grosso com a Bolívia e fino com os SPYstates e assemelhados.

Esquecem os paradoxais humilhados-arrogantes e prepotentes que nossa vocação pra colônia acabou em 2003. “Esquecem” os humilhados-prepotentes que o Povo Brasileiro só não construiu ainda a soberania do Brasil porque ainda está preso ao seu poder ainda hegemônico e a depender dele tal esquema-dependência não mudaria jamais. Vide 1964, o golpe empresarial-militar que jogou o Brasil quase que definitivamente no colo dos exploradores externos. Vide o consórcio PiG/FHC. “Esquecem” eles que é justamente tal espúrio esquema o que mais [e realmente] mantém [até bem recentemente mantinha] esse gigantesco e potencialmente riquíssimo País tão vergonhosamente explorado e a sustentar a ganância, a potência e o “esplendor” tecnológico de estrangeiros.

Arrisco a dizer que os entendo. Aparentemente, deve ser mesmo muito mais cômodo [e seguro] continuar na tal sociedade humilhante e publicamente inconfessável. Eles sabem que o radicalismo neoliberal é-lhes o melhor caminho. AhÉsim, sem dúvida, o melhor meio de se manterem na sociedade oculta.

Humilhados, porém arrogantes e prepotentes, sempre.

Geoestratégia política? BRICS? Luta pela soberania? Política de verdade?

O quê?!! Pra quê?!!

Responder

    Mário SF Alves

    20/08/2014 - 21h52

    “Eles sabem que o radicalismo neoliberal é-lhes o melhor caminho. AhÉsim, sem dúvida, o melhor meio de se manterem na sociedade oculta.”
    __________________________
    Ou se não isso, quem sabe um híbrido disso com o anarco-capitalismo financeiro, quem sabe.

    Já pensou, que maravilha? Estado ínfimo, privatização geral de tudo o que é público, dos bancos públicos, da Petrobras, e, em contrapartida, um mar de agências [pseudo]reguladoras pra tudo. Já pensou todos os estados da federação regidos por tal suprema lógica?

    Sem o bode expiatório de governos progressistas, responsabilizar quem pela insegurança pública advinda do choque de incivilizações? Culpar quem pelo caos que adviria na educação pública? Culpar quem pela super-exploração de eventuais e minguados trabalhadores?

    Culpar os futuros e bem comportados [des]governos federais da república do estado ínfimo? Nem pensar. O deus mercado? Menos ainda.

Messias Franca de Macedo

20/08/2014 - 20h01

A resposta de Obama ao Bonner da Fox

Por Saul Leblon

FONTE: http://www.cartamaior.com.br/?/Editorial/A-resposta-de-Obama-ao-Bonner-da-Fox/31641&page=1

Responder

Sidnei Brito

20/08/2014 - 16h43

A excelente análise do Azenha não abordou talvez o principal ponto da violência – travestida de entrevista – impingida contra a presidenta Dilma.

Os apresentadores do JN foram, ao que parece, orientados a não deixá-la falar.

Como se sabe, eles não faziam perguntas: emitiam opinião (na verdade aquelas gororobas que encantam a classe média neoudenista manipulável dos grandes centros urbanos) e já chegavam com as respostas prontas, por assim dizer.

Está certo que a Globo é a casa de Faustão e Jô Soares, mas o Bonner abusou do “direito” de falar mais que o entrevistado!

O que parece estar passando despercebido é que isso é uma estratégia de combate, encampada pela Globo e, possivelmente, por outros meios de comunicação: não dar espaços para o PT e para Dilma.

A presidente vai ter o maior tempo de propaganda oficial no rádio e TV. Vai ser a chance dela de furar o bloqueio da mídia – bloqueio este de que ela não pode se lamentar, pois seu governo foi muito leniente com o monopólio midiático. A imprensa precisa, pois, de toda forma, negar voz a um governo que tem o que mostrar e tem recado para dar.

Observemos que o texto do Azenha fala das entrevistas do JN com os presidenciáveis, não limitando a tal atitude “imperial” de Bonner aos festivais de grosseria contra Dilma. E, de fato, causou espécie a dureza com que agiu contra os candidatos preferidos da plutocracia que a Globo representa: Aécio Neves e o finado Eduardo Campos.

A diferença capital em relação a Dilma, repitamos, foi a censura, foi a tentativa de silenciar, foi o negar a voz, foi, portanto, a postura ditatorial, o desprezo pela democracia.

Seria um grande erro achar que isso foi por acaso.

Responder

FrancoAtirador

20/08/2014 - 16h07

.
.
A TV GLOBO

VIROU FOX NEWS,

MELHOR DIZENDO:

PITBULL NEWS
.
.
A resposta de Obama ao Bonner da Fox

Por Saul Leblon, na Carta Maior

(http://www.cartamaior.com.br/?/Editorial/A-resposta-de-Obama-ao-Bonner-da-Fox/31641)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    20/08/2014 - 16h46

    .
    .
    […]
    Nem o lhano Barack Obama silenciou diante de um cerco de abrangência talvez até mais modesto.

    Na verdade, uma das denúncias mais duras da decadência dos princípios liberais na mídia partiu justamente dos porta-vozes do democrata.

    E ela se ajusta na medida ao que se passa no Brasil:

    Em 2009, Anita Dunn, Diretora de Comunicações de Obama e David Axelrod, principal assessor de comunicação, assim se referiram à rede Fox, do direitista Rupert Murdoch, ferrenho opositor de Obama:

    ‘A rede Fox está em guerra contra Barack Obama (…) não precisamos fingir que o modo como essa organização trabalha é jornalístico. Quando o presidente fala à Fox, já sabe que não falará à imprensa, propriamente dita. O presidente já sabe que estará debatendo com um partido da oposição’, resumiu a atilada Diretora de Comunicações da Casa Branca.

    Numa escalada de entrevistas e disparos cuidadosamente arquitetados, Dunn e Axelrod falaram alternadamente a diferentes segmentos midiáticos de todo o país. E o fizeram com o mesmo propósito: dar o nome aos bois e assim qualificar o sentido do cerco em torno de Obama.

    ‘Mr. Rupert Murdoch tem talento para fazer dinheiro, e eu entendo que sua programação é voltada a fazer dinheiro. Só o que argumentamos é que [seus veículos] não são um canal de notícias de verdade. Não só os âncoras, mas a programação toda. Não é notícia de verdade, mas é a pregação de um ponto de vista. E nós vamos tratá-los assim’, bateu Axelrod em seguida ao ataque de Anita Dunn.

    Não há muita diferença entre o que se passa nos EUA e a divisão de trabalho observada no Brasil, onde as rádios chutam o governo petista abaixo da linha da cintura; os jornalões dão ‘credibilidade’ à asfixia, enquanto a rede Globo faz a edição final no JN, transformando o boa noite diário da dupla Bonner e Poeta em uma espécie de ‘meus pêsames, brasileiros, pelo governo que escolheram; não repitam isso em outubro próximo, OK?’.

    É oportuno ressaltar, Barack Obama não delegou a tarefa de dar transparência a esse arsenal apenas aos assessores.

    O flexível democrata –não Chávez, não Cristina, não Correa– comprou a briga pessoalmente contra a Fox News e nem por isso deixou de ser reeleito.

    E o fez não apenas nos idos de 2009.

    Mas desde 2009…

    Em janeiro deste ano, em entrevista que foi ao ar em horário nobre, antes do Super Bowl, o mais importante evento esportivo do país, Obama –ao vivo– acusou novamente a emissora Fox News de manipular o noticiário para inflamar a opinião pública contra o seu governo.

    Repita-se: Obama disse isso ao vivo ao âncora Bill O’Reilly , apresentador de um dos programas mais populares do canal a cabo e autor de vários best-sellers com críticas às políticas do Partido Democrata norte-americano.

    A seguir, trechos da inspiradora transparência adotada pelo democrata nessa ‘sabatina’ feita pelo golpismo midiático de lá.
    Vale a pena ler de novo:

    O’Reilly, pergunta detalhes do plano de saúde compulsório aprovado por Obama no Congresso e sugere que se trata do “maior erro de sua Presidência”.

    Obama (sardônico) : ‘Bem, Bill, você mantém sempre uma longa lista dos meus erros como presidente, não é?’

    O’Reilly interrompe-o em seguida, várias vezes, quando Obama tentava explicar o ataque armado à embaixada norte-americana em Bengazi, na Líbia, que terminou com a morte do embaixador em setembro de 2012.

    Obama: ‘… e eu estou tentando explicar a você — se você quiser ouvir’.
    O’Reilly afirma que muitos acreditavam que Obama tentara encobrir o caso Bengazi em um momento em que estava em plena campanha pela reeleição.

    Obama: ‘Eles acreditam nisso porque pessoas como você continuam a dizer a eles que foi isso que aconteceu.’

    O’Reilly muda de assunto e diz que as isenções de imposto de renda de Obama discriminaram grupos à direita do Presidente. Em seguida dispara uma denúncia de corrupção na Receita Federal dos EUA.

    Obama: ‘Não houve nada disso; não foi isso que aconteceu. As pessoas puderam ver isso claramente nas muitas audiências a respeito da questão no Congresso’.

    O’Reilly insiste com o clássico: ‘muitas pessoas continuam achando suspeita a situação, senhor Presidente’

    Obama: ‘Esse tipo de coisa continua vindo à tona em parte por causa de você e sua rede de TV…’

    O’Reilly corta; afirma que várias “perguntas continuavam sem resposta’; insiste na corrupção na Receita Federal.

    Obama: ‘Estou lhe dizendo que não houve sequer corrupção; não houve nem mesmo uma migalha de corrupção’.

    A entrevista foi encerrada.

    (http://www.cartamaior.com.br/?/Editorial/A-resposta-de-Obama-ao-Bonner-da-Fox/31641&page=4)
    .
    .

    Mário SF Alves

    20/08/2014 - 21h18

    Eu, heim? Tem PiG por lá também?

    Achei que fosse exclusividade nossa. Pô, frustei.

    ________________________________
    Tô de sacanagem. O PiG é quase hegemônico no Ocidene. Só não tem conseguido falar grosso na Inglaterra, aquele ex-império que o grande alma, Gandhi, sem disparar um projétil, mandou de volta para casa.

    Ah, esqueci, na Argentina também não.
    ________________________________________________________________
    Mas, afinal o corporativismo barackobamico tá reclamando do quê?

    Ele não tem um PiG só dele? Ou o PiG dele só funciona contra o povo norte-americano?

Elias

20/08/2014 - 14h58

Parece que não tem nada a ver. Mas tem tudo a ver.

Bonner tinha ponto no ouvido. É de se crer que Kamel estava no comando. Portanto, o comandado só cumpriu ordens. Assim como os comandados do sionismo cumprem ordens e matam crianças e mulheres em Gaza.

Bonner é só um soldado que segue às ordens de Kamel e dos filhos de Roberto Marinho.

Responder

    Mário SF Alves

    20/08/2014 - 21h37

    Pô, Elias, se precisar a gente arranja um ponto pra presidenta Dilma também, né não?

    Já pensou?

    Ela podendo discorrer sobre exatamente tudo o que se tem feito de bom e necessário neste País. Da questão da infraestrutura produtiva, escoamento da produção, mobilidade urbana, educação e saúde, a agricultura familiar, já pensou? Já pensou na possibilidade dela poder descrever exatamente tudo o que se tem planejado para a definitiva construção da soberania e independência do Brasil?

    O bom de tudo isso é saber que felizmente ela não precisa de ponto nenhum.

Mário SF Alves

20/08/2014 - 14h48

A prepotência, a arrogância e a desfaçatez são tamanhas que esquecem que a candidata a presidente é também a presidenta da República e a Chefe de Estado. Impossível dissociar. No entanto… tentaram. Esvaziaram todo o saco de cascas de banana.

É o uso desse cachimbo… engendrado lá no vergonhoso 64… que põe ainda hoje essa boca midiática tão visivelmente torta.

Afinal, a ditadura não renovou a concessão da TV Tupi por quê, mesmo?
_____________________________

Segue a observação do Gersier:

“Repito aqui o que disse no CAF.
Nem uma entrevista da Presidenta Dilma me faz assistir a esse câncer incrustrado na democracia brasileira.Corrupta, filha da ditadura que esteve por trás da não renovação da concessão da TV Tupi pelos [por aqueles, adendo meu] generais brasileiros marionetes da CIA,que adquiriu a TV Paulista usando documentos falsificados e fazendo uso de assinatura falsificadas,sonegadora cujos proprietários são acusados de ter contas em paraíso fiscais,se acha no direito de cobrar o que nunca praticou. Estranho é o PT perder tempo com essa emissora mafiosa e inescrupulosa.”

Responder

Sérgio

20/08/2014 - 13h56

Pit-bonner. Tem de haver decoro parlamentar para políticos ou são
cassados. Jornalista não teria de ser demitido por falta de decoro
jornalístico? O dono também não deveria responder?

Responder

Hermes

20/08/2014 - 13h52

Mostrar poder, intimidar, marcar posição, oprimir. Isso me lembra o fascismo.

Responder

Mardones

20/08/2014 - 13h41

Apenas para parabenizá-lo por fazer parte desse novo Brasil que não vive mais do PIG para se informar e debater.

A resposta do Pit-Bonner – via twitter – é a mostra cabal que a blogosfera e seus sujinhos estão no caminho certo e incomodando os empregados e empregadores da Vênus e assemelhadas.

Vida longa a vocês!

P.s: quando é que o Pit-Bonner vai fazer uma reportagem sobre a sonegação da Globo?

Responder

Nelson

20/08/2014 - 13h17

Muitíssimo bem lembrado, Azenha. Que falta nos faz o “Tio Briza”.

Depois que ele se foi, parece não ter restado um único político com culhão para peitar a grande mídia desse país.

Responder

Costa

20/08/2014 - 10h35

Oxente e ainda precisa criminalizar a política? E o que está aí, é o que?

Responder

Mário SF Alves

20/08/2014 - 10h23

Vale (êpa! Vale?) reproduzir:

Claiton Souza

1) “Natal/19/08/2014.
Tem jornalista que não passa de jagunços/capangas, sempre travestidos de defensores da democracia e das liberdades, porem, que não passam de verdadeiros defensores das classes totalitárias, escravistas, celetistas e outras. Defendem somente os interesses de seus coronéis endinheirados, são de um servilismo que chega a certos casos as raias da obtusidade controlada, que ate o ignorante – como eu – consegue vislumbra.
Claiton de Souza.”

2) “Amigo Paulo Carlos D Amore, se você não compreendeu o texto, não posso fazer nada. Outra, não sou petista, porem tenho muito respeito pelo PT visto o que o Brasil melhorou com sua administração. Nos meus 72 anos de vida nunca vi uma administração federal de tão grande capacidade, nunca vi um controle de inflação tão duradouro, nunca vi uma oferta de emprego tão abrangente como agora, nunca vi um Brasil tão desenvolvido como agora, nunca vi salários melhores que agora. não sei o que você defende, eu com certeza defendo uma sociedade mais justa com todos os cidadãos, e o PT tem mostrado responsabilidade neste assunto.”
_________________________________________
Parabéns, Claiton. É disso que se trata. É da América Latina, e é também dos BRICS – da geoestratégia política – que se trata. Só faltou esclarecer a questão da CLT. Contudo, mais uma vez, parabéns.

Responder

Gerson Carneiro

20/08/2014 - 09h16

Na eleição de 2010 o William Bonner chegou a pedir desculpas ao Serra quando o entrevistava na bancada do Jornal Nacional.

O que mudou? Qual o motivo da brabeza do Bonner?

Justamente isso. Não tem o Serra e nem o Alckmin na disputa. O Bonner então não se sente obrigado a vestir máscara.

Havendo o Serra ou o Alckmin na disputa o Bonner não hesitaria em se manter no degrau mínimo de polidez. Em especial se estivesse frente a frente com um dos dois. Isso evidencia a preferência do Bonner.

Ou seja, como não há nem o Serra nem o Alckmin na disputa Bonner desce das tamancas e abandona o fingimento.

Responder

FrancoAtirador

20/08/2014 - 03h27

.
.
GLOBO E MITOMANIA: TUDO A VER.

Mitômano que descreveu cenas imaginárias
do acidente de Campos foi notícia meses atrás

Jornal GGN – O bombeiro Donizete Machado Junior que, em entrevista à Globonews, jurou ter fechado os “olhos verdes” do candidato Eduardo Campos, já esteve envolvido em casos recentes.

Segundo ele, teria sido demitido da empresa Santos-Brasil depois de ter admitido ser gay – e incluído o companheiro no plano de saúde da companhia.

Na entrevista à Globo, sobre o acidente, Donizete descreveu corpos de vítimas, inteiros, crianças queimadas, vários feridos dos prédios vizinhos sendo transportados para o hospital

(http://jornalggn.com.br/noticia/mitomano-que-descreveu-cenas-imaginarias-do-acidente-de-campos-foi-noticia-meses-atras)

A FONTE DAS ‘INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS’ DA REDE GLOBO:

(http://youtu.be/VTPiFNA5stY)
.
.

Responder

FrancoAtirador

20/08/2014 - 01h53

.
.
O PEGA-RATÃO DA FOLHA E DA GLOBO A RESPEITO DA SAÚDE PÚBLICA (SUS)

Ter, 19/08/2014 – 20:07
Jornal GGN

SUS é bom/excelente para 30% dos usuários,
regular para 44% e ruim para apenas 26%

Por Weden

Para confrontar a presidente e candidata Dilma Rousseff que,
na entrevista ao Jornal Nacional, ousou replicar as acusações da bancada,
a Globo requentou a pesquisa já divulgada pelo Datafolha
há alguns dias sobre a saúde pública e privada no Brasil.

Mas descobriu números que não gostaria de noticiar
e jogou estas informações para o o pé da matéria:

“Para os entrevistados que disseram ter utilizado algum serviço do SUS,
26% consideram a qualidade do atendimento como ruim ou péssimo;
44% avaliam como regular; e 30% considera a qualidade boa ou excelente”.

Percebe-se que a avaliação é de quem usou o SUS.

O que a Globo fez: misturou alguns dados para dar impressão de que 93% desaprovam o sistema. Ou mais especificamente:

1. Considerou alguma insatisfação como insatisfação total

2. Não discriminou dados de saúde pública e privada

3. Enfatizou a soma daqueles que consideram o sistema com ‘ruim’ ou ‘péssimo’ com os que o consideram ‘regular’.

4. Não diferenciou a opinião daqueles que usam o sistema de atendimento em postos e hospitais da opinião daqueles que não o utilizam para estes fins.

Para acentuar ‘a má avaliação’ sobre o SUS, a Globo contou com depoimentos de representantes da APM (Associação Paulista de Medicina) e do CFM (Conselho Federal de Medicina) que utilizaram-se de “retórica da vingança” contra o Governo.
É bom lembrar que estas entidades foram totalmente contra a vinda de médicos do exterior para atender pessoas no interior e nas periferias.

Um dos entrevistados chegou a afirmar que ‘é o pior momento do sistema de saúde em 40 anos’ de profissão. O que é mentira, já que o SUS tem pouco mais de 25 anos.

Emissora e entidades sonegam outras informações

Pior que produzir matéria com fins eleitorais, no entanto, é o que vem fazendo as entidades e a grande imprensa contra o Sistema Único de Saúde.

Podemos elencar algumas informações que poderiam servir de base para a avaliação da população brasileira.

O que a Globo, a APM e o CRM escondem da população.

1. Que a responsabilidade do SUS é compartilhada entre municípios, estados, Distrito Federal e União.

2. Que a atenção básica, por exigir adequação a realidades locais, pesa mais sobre a gestão dos municípios.

3. Que o SUS, que atende 100% da população, conta com pouco mais do dobro da receita das empresas de saúde privada, que atendem 25%.

4. Que, embora as empresas privadas tenham, portanto, quase o dobro da receita da Saúde Pública por habitante, ainda assim assistem a um aumento de 400% no número de reclamações em dez anos (as críticas ao setor privado foram ocultadas na pesquisa).

5. Que este número não aparece na mídia, porque estas empresas são grandes anunciantes.

6. Que programas do SUS são bem avaliados pela população: Farmácia Popular, vacinações e SAMU, etc.

7. Que todo mundo usa o SUS, embora não saiba (Campanhas de vacinação, por exemplo)

8. Que quando se diz que a saúde de SP é a melhor do país, se está dizendo apenas que o SUS de SP é o melhor do país, embora seja mentira. Estados do Sul, Distrito Federal e até Minas Gerais são mais bem avaliados.

9. Que conquistas do SUS, como redução da mortalidade infantil e maternal, combate a AIDs, campanhas de vacinação, etc, são reconhecidas em todo o mundo por agências internacionais.

10. Que a isenção fiscal, com dedução de gastos de saúde no imposto de renda, retira dinheiro da saúde pública

11. Que nenhum país com mais de 60 milhões de pessoas (Inglaterra ou França) ousou ter um plano universal e gratuito (ou seja, sem nenhuma forma de co-participação financeira ou desconto dos salários)

12. Que a participação social é um princípio do SUS. E portanto a população mais do que usuária poderia ser motivada a participar de conselhos municipais e estaduais.

13. Que o balanço da saúde pública no Brasil de agora é melhor que há mais de 25 anos pelo simples fato de que não havia saúde universal e gratuito. E isso foi destacado recentemente por um relatório do Banco Mundial.

14. Que, se não fosse o sistema de ressarcimento, seu plano de saúde seria mais caro.

15. Que, em tratamentos como diálise, o plano não garante muito mais que o quarto. O resto é responsabilidade pública, embora o plano não diga.

16.Que o Ministério da Saúde não faz mais campanhas porque tem que pagar pelo espaço ocupado em televisão, que, no entanto, é uma concessão pública.

17. Que hospital municipal é de responsabilidade, pasmem, municipal (controle e gerência), estadual é do estado, e federal é da União.

18. Que os números jogados no pé da matéria apontam para uma saúde “minimamente razoável” (ora, se 74% concordam que é de regular a bom, então é minimamente razoável).

19. Que os sistemas universais e gratuitos de países modelos como França e Inglaterra contam com três vezes mais recursos per capita que o SUS, simplesmente porque são países como esta proporcionalidade de PIB per capita.

20. Que vários tipos de transplante estão com a fila zerada ou quase zerada

21. Que existem hospitais de referência no SUS, como a rede Sarah, o Inca, e o Hospital de Barretos para o câncer.

22. Que, ao fazer campanha contra a CPMF, a mídia contribuiu para reduzir o financiamento do sistema. Bastava lutar pela vinculação da receita, por meio de uma emenda constitucional.

23. Que, ao sonegar milhões em impostos, como já comprovado, a empresa está prejudicando também a receita para a saúde.

24. Que tudo acima já deveria ser de conhecimento da população, se a Globo se comportasse, dentro do jornalismo, como uma emissora séria.

(http://jornalggn.com.br/blog/weden/sus-e-bom-para-30-dos-usuarios-regular-para-44-e-ruim-para-26)
(http://abre.ai/sus_bom)
.
.

Responder

Francisco

20/08/2014 - 00h55

Só existe Bonner porque deixam.

Qual a dificuldade de haver debates, dois contra dois e se revezando na TV pública?

Teríamos acesso a cada candidato que tivesse mais que um por cento de preferência.

Se a TV privada quisesse retransmitir, que ficasse a vontade…

Responder

Blanda

20/08/2014 - 00h33

Ao meu ver, é cômica a tentativa da Globo de tentar manter-se politicamente imparcial, já que seu direcionamento é claro. A emissora tendencia informações e tenta manter-se acima até mesmo do governo, controlando e definindo grande parte do cenário político nacional. Entretanto, tentam a todo custo mascarar-se por trás de uma falsa imagem de que a imprensa é democrática, justa e está a favor do povo. E os brasileiros, povo mal instruido desde sempre, caem nas garras dessa facção midiática e transforma-se nada mais do que fantoches das grandes empresas.

Responder

lulipe

19/08/2014 - 23h10

Sinceramente, tive pena da candidata, percebia-se que ela estava rezando para a entrevista acabar, ficou nervosa até quando usou o dilmês, fugiu da questão dos mensaleiros e faltou com a verdade quando disse que a CGU foi criada no governo lula. Mais uma entrevista desta e ela vai na jugular do entrevistador….

Responder

Arnaldo Costa

19/08/2014 - 21h51

É isso, matou a charada! Depois de serem rejeitados e expulsos dos protestos que ocorreram no início desse ano, estão querendo mostrar que estão do lado da multidão do”quanto pior, melhor”, ou traduzindo, contra tudo que eles nem sabe o que.

Responder

    luiz carlos ferreira

    19/08/2014 - 22h40

    Acabei de falar sobre terceirização em outra página. Então, esses pretensos arautos da informação acham-se superiores aos demais, simplesmente porque trabalham numa organização, manipuladora por sinal. Esquecem que nesse sistema capitalista, todos indistintamente, só tem valor enquanto são úteis para perpetrar as manobras de interesses de seus mentores/patrões. Depois se tornam meros papeis usados. Só não percebe isto os que não tem noção do que é o capitalismo.

FrancoAtirador

19/08/2014 - 21h31

.
.
EM NOTA OFICIAL, PRESIDENTE DO PSB

RESPONDE ÀS AGRESSÕES DIRIGIDAS A ELE

“PELO EX-JORNALISTA RICARDO NOBLAT”

QUE ASSINA UM “PASQUIM ELETRÔNICO”

HOSPEDADO NO SÍTIO DE ‘O GLOBO’

(oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2014/08/19/quem-conspira-contra-marina-por-ricardo-noblat)

19/08/2014
Portal do PSB

NOTA À SOCIEDADE

NOTA OFICIAL – 19/08/2014

“Hoje (19/08), fui agredido pelo pasquim eletrônico
assinado pelo ex-jornalista Ricardo Noblat.

A direita alugada não compreende minha integridade.

Irrita-lhe minha coerência política e meu papel como Presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB), de cuja refundação fui responsável em 1985.

Fui vítima de ataque, que me apontou como artífice de suposta conspiração contra Marina Silva.

Noblat pretendeu, em sua manifestação tomar verídica sua infundada tese, valendo-se de frase que atribuiu a Eduardo Campos, hoje morto.
Mortos não se defendem, tampouco atacam.

Logo que a tragédia da morte de Eduardo Campos se abateu sobre o meu País e meu partido, nessa ordem, começou o assédio para que o PSB anunciasse sua escolha óbvia para a recomposição da chapa presidencial.

A primeira cobrança foi feita ainda no aeroporto de Congonhas quando me deslocava para saber do nosso líder.

O mau jornalismo já estava açodado na noite daquela quarta-feira fatídica.

E não mais parou.

O partido e eu pessoalmente tomamos e mantivemos a decisão ética – incompreensível aos que carecem dessa matéria prima – de que só cuidaríamos de novos caminhos quando tivéssemos enterrado nosso amigo.

Vivíamos um luto e pedíamos respeito.

Distribuí nota com esses esclarecimentos, bem como dei fartas explicações aos que nos procuravam por definições.

Além da política, existem a vida e a morte,
além da fofoca, o respeito humano pelos que se foram e pelos que choravam.

Os idiotas de plantão desconheciam que eu havia conversado com Marina Silva sobre esse procedimento, com meus colegas de Executiva Nacional e com a família de Eduardo Campos.

Sepultado o líder, não cessam as dores.
Mas os entendimentos foram abertos, começando por conversar com Renata Campos e, em seguida, com Marina.

Amanhã será a vez dos partidos que integram nossa coligação.

Nesse meio tempo, ouvi os companheiros dirigentes e nossos principais quadros.

Não cabe a um presidente socialista ter candidato, mas conduzir o partido ao encontro da melhor solução e esta é aquela que mais nos une e nos faz vencer o transe e a campanha.

Cabe-me construir, ouvindo.
Buscar a melhor alternativa partidária para a cabeça de chapa e seu vice.
É o que estou fazendo.

Cabe-me levar o resultado aos partidos coligados e submeter nossa proposta.

Tal decisão não é ato de exclusiva vontade do PSB.

Muito menos pertence à imprensa, como alguns parecem acreditar.

E o PSB decide e só decide através de suas instâncias partidárias e meu dever é preservar essas instâncias e suas autonomias e exigir que elas sejam respeitadas.

Sempre procurei fazer a grande política, deixando a política miúda, da troca de favores, afagos e comissões para o baixo-clero.

E não faço de adversários eventuais inimigos de carreira.

Tanto eu quanto Eduardo sempre preservamos a amizade de Lula, de cujo governo fomos ministros dedicados.

Isso jamais impediu um legítimo projeto político do PSB e inclusive disputar com ele as eleições de 2002.

A Executiva Nacional, reafirmo, reúne-se amanhã, dia 20, na sede do PSB em Brasília, para opinar e votar na plenitude de sua independência e segundo suas consciências, atentos ao destino do nosso Brasil.

Nosso dever é com o destino do Brasil e os valores socialistas, os mesmos que pautaram a vida de João Mangabeira, Hermes Lima, Antônio Houaiss, Jamil Haddad, Miguel Arraes e Eduardo Campos.

Valores que levaram Eduardo ao projeto da candidatura presidencial.
Ele morreu lutando por isso.
Por isso não desistiremos do Brasil.

Roberto Amaral
Presidente Nacional do PSB

Brasília, 19 de agosto de 2014″

(http://www.psb40.org.br/not_det.asp?det=5747)
(http://abre.ai/pres_psb_x_noblat)
.
.

Responder

Vitória Nogueira Tavares

19/08/2014 - 21h31

O problema da maioria dos brasileiros é que eles pensam que toda a corrupção está em volta do PT, que tudo é culpa da Dilma e de seu governo.
Bonner realmente a massacrou com suas afirmativas, a interrompeu algumas vezes, assim a Globo acaba manipulando seus telespectadores em relação a candidata, com uma entrevista muito tendenciosa, o Willian não mediu esforços com suas perguntas, pegou pesado, mas até que Dilma soube respondê-las, apesar da postura um tanto agressiva de Bonner.

Responder

Marat

19/08/2014 - 21h01

Azenha, mais uma vez, parabéns!
Toda vez que um reaça vem com as pautas da Globo, para entabular conversa comigo, eu retruco com a incompetência e a corrupção do PSDB, e logo em seguida lembro que a imprensa é venal e parcialíssima, além de inimiga do Brasil. Eles ficam putos comigo… não sei porque!

Responder

C.Paoliello

19/08/2014 - 20h59

O pequeno boner não fez uma entrevista com a Presidenta Dilma, ele apenas quis dizer ao vivo o que ele e a pequena rede globo pensam (totalmente equivocados, mas pensam) sobre o grande governo dela. Por isso ele ocupou 40% da “entrevista”, ou seja, ele se achou a estrela do programa e quis dar o recado, arrogantemente, a quem é maior do que ele em tudo.

Será que a tosca dupla do jn agiria do mesmo modo se lhes perguntassem da oceânica sonegação de IR pela rede globo?

Responder

    Mário SF Alves

    20/08/2014 - 11h45

    Gostei disso. Encerram-se as eventuais e politicamente alienadas dúvidas. Valeu.

Alberto Vaz

19/08/2014 - 20h51

Votei no Brizola para governador/RJ em 1982; que decepção, haja vista o “incêndio” no Detran !!! Claro que não votei nele em 1986… Azenha, “acionistas da Sabesp” ??? de onde vc tirou isso, rapaz ??? Sabesp tem acionistas desde quando ??? “PresidentA” Dilma ??? de onde vcs tiraram isso ??? do Diário Oficial da União ??? Kkkkkkkk Meu Deus, por que as pessoas escrevem na internet com tanto ódio ??? A política brasileira só apresenta abordagens vergonhosas … Que tristeza…

Responder

    Caracol

    20/08/2014 - 05h00

    Ô amizadinha, não foi no Diário Oficial da União que o Azenha leu Presidenta não, foi nos dicionários Aurélio, Caldas Aulete, Houaiss, Vocabulário Ortográfico da Academia Brasileira de Letras, Michaelis e o Priberam da Língua Portuguesa (Portugal). Em todos eles consta que o termo Presidente tem dois gêneros, logo, Presidenta está certo.

    Isto aí é Língua Portuguesa.

    Agora… raiva e ódio são outras coisas. Vê se não mistura.

    Caracol

    20/08/2014 - 05h06

    Aliás… relendo vi que o pobre do Azenha nem falou em Presidenta.
    Somos eu e outros quem estamos falando.
    Presidenta.
    Pronto, falei.

Francisco Silva

19/08/2014 - 20h00

Texto ridículo, mais parcial do que a estupidez do Bonner, pelo menos o Global destribuíu suas patadas para todos os candidatos. Esse bloguezinho não esconde sua defesa incontinenti da Dilma. Alias os comentários são no mínimo pueris. uero é ver ver Dilma, Aécio, Marina e cia sendo pressionado, retirados fora de sua zona de conforto. Somente assim a verdade pode ser vislumbrada. Fui….

Responder

Francisco Silva

19/08/2014 - 19h56

Falta palavras para descrever essa matéria, se o Bonner foi mal educado, intransigente, grosseiro, fato que concordo. ocorreu com todos os candidatos entrevistado na Globo (que é uma corporação mal intencionada), alias salva da bancarrota pelo governo petista. Esse bloguizinho, que li pela primeira e última vez na vida foi infinitamente mais parcial do que a entrevista global. Pelo menos na Globo as porradas foram distribuídas para todos candidatos. Nessa reportagem a defesa do PT é descarada, as opiniões dos leitores são ridículas. Fuiiiiii….

Responder

Luiz Cestari

19/08/2014 - 19h54

Que saudades de Brizola para mostrar à filhote da ditadura(globo) que ela não tem moral para falar de democracia e defesa da sociedade, porque apoiou a ditadura e muito mesmo tem autoridade para falar de corrupção, pois o valor de sua sonegação em processo que corre na receita já passa de 600 milhões.

Brizola, jamais perderia a oportunidade que Dilma teve para jogar tudo isso na cara do Bonner que é pau mandado da família Marins. Aliás Brizola dizia sempre que se fosse eleito seu primeiro ato, no primeiro dia de seu governo seria extinguir a concessão da Globo, pois segundo ele (Brizola) a globo é um governo paralelo.

Brizola implorava um debate na globo, a globo nunca realizou debates no primeiro turno, depois que o pt chegou ao poder, como tentativa de mudar o rumo das eleições a globo passou a fazer debate no último dia possível, sem que os candidatos tenham mais em mãos o tempo de propaganda eleitoral para desfazer a manipulação que a Globo costuma fazer em seus telejornais, como já fez outras vezes no passado. Ex. com Collor e Lula.

Responder

irineu Almeida Baptista

19/08/2014 - 19h51

Em eleições passadas este pseudo jornalista usou do mesmo expediente, porém, gostaria lembrar ao Azenha que, se possível, busque as duas entrevistas feitas com Dilma na eleição passada (2010). Na entrevista dela como candidata ele parecia um Cão Raivoso e poderoso. Era o próprio Bozó (eu sou da Grobo), mas, terminado a eleição ele voltou a Brasilia p/ entrevistar a “nova” presidenta do Brasil e então pudemos ver quem era “aquele Cão Raivoso”. Coitadinho parecia um cachorrinho de pobre e morto de fome. Foi mansinho, quietinho, mansinho, etc… Naquele momento eu percebi quando um cidadão é homem de verdade ou quando não passa de um boneco. Se fosse homem, de fato, manteria com a presidenta a mesma postura de quando ela era candidata mas não foi isto que ele fez. Ali ele demonstrou que realmente não passa de um fantoche nas mãos dos Marinhos. Quem é homem de verdade não foge de suas idéias ou ideais esteja diante quem quer que seja. ELE É UM COVARDE!!!

Responder

Bernardo Pereira

19/08/2014 - 18h48

Um dos levantamentos do autor dessa reportagem é sobre a corrupção generalizada em nosso país. Muitos pensam que, por nosso país estar na mão de alguém do PT, todos os problemas dele são culpa do partido, esquecendo que, na maior parte dos casos, são outros partidos que “controlam” os estados. Outro ponto importante é a influencia da emissora de televisão globo. A postura de William Bonner, agressiva e direta, faz parecer que a emissora nunca sonegou impostos ao governo e nunca foi a favor da ditadura.

Responder

Marcos

19/08/2014 - 18h35

Chamar de entrevista o que se fez contra a entrevistada Dilma é atropelar e afrontar todos os princípios do jornalismo e profissionalismo. Apesar que tamanha grosseria da Rede Globo pelo pseudojornalismo do Ali Kluxka*** e do Bonner era previsível.

Responder

Lukas

19/08/2014 - 18h34

Sobre a sonegação da Globo, por que ninguém da blogosfera progressista ainda não questionou a Receita Federal? Ela que tem as respostas. Qual o búsilis?

Responder

    Julio Silveira

    19/08/2014 - 19h43

    Os blogs podem no máximo estrilar, o que não entendo mesmo é porque o governo dá cobertura. Por que o PT aceita que muitos de seus membros sejam cristianizados pelo grupo e não buscam trazer os donos do grupo para essas companhias. É um porre ver empregado de pretenso sonegador falar mal de sonegação e cheios de marra.

    Mário SF Alves

    20/08/2014 - 10h53

    Isso é ser [e/ou ter a obrigação de ser] democrata num país ideologicamente comandado por mídias partidarizadas, covardemente ultra-conservadoras; a maioria das quais, crias do autoritarismo e ainda hoje totalmente autoritárias.

    Paradoxal?

    Sim.

Euler

19/08/2014 - 18h30

Ótimo texto, Azenha. Considero um desrespeito ao país a postura desses “jornalistas”, aspas, a serviço dos piores interesses. Quem são eles para questionar a presidenta Dilma sobre qualquer coisa? A Globo, como foi bem lembrado, está envolvida com todo tipo de canalhice, safadeza e golpismo. Participou e apoiou o golpe de 1964, que interrompeu um processo de avanço democrático no país, e mergulhou o Brasil na perseguição e na entrega de todas as riquezas para os gringos e para a minoria rica do país.

Além disso, a Globo não explicou ainda sobre a sonegação de quase R$ 1 bilhão atualizados. Não se desculpou também dos inúmeros golpismos: o caso do Proconsult, que tentou roubar a eleição de Brizola no Rio; o caso do sequestro de Abílio Diniz, quando obrigaram os sequestradores a vestirem a camisa do PT em plena reta final das eleições; o caso da manipulação do debate eleitoral Lula x Collor, que roubou a eleição de Lula; o caso da bolinha de papel na careca de Serra; o caso das manifestações pela diretas-já, em SP, que a Globo apresentou como se fossem comemorações pelo aniversário de SP.

Enfim, essa emissora já deveria ter sido cassada há muito tempo, e os bens dos Marinhos congelados para devolver ao povo brasileiro os bilhões que foram apropriados através destas negociatas palacianas ao longo da últimas décadas.

Um absurdo que uma presidenta da República, eleita pela maioria do povo brasileiro, receba um tratamento indecoroso como este, de dois entrevistadores com a missão cretina de humilhar a presidenta, para tentar mostrar aos eleitores que o país precisa mudar de mãos.

O Brasil precisa acabar é com este criminoso monopólio da mídia nas mãos de Globo, Band, Itatiaia (Minas), RBS (RS) e por aí vai. São inimigos do povo com privilégios de usar concessões públicas para atacar os interesses da maioria do povo pobre, que diariamente é bombardeado por esta mídia tucana golpista, sem direito de resposta. Que liberdade de imprensa e que democracia são essas que nos impuseram?

Responder

FrancoAtirador

19/08/2014 - 18h29

.
.
Dos 16 minutos cronometrados,
Dilma falou 10 minutos e meio;
Bonner, 4 e meio,
e Patrícia quase 1 minuto.
Dá 65% para ela e 35% para eles.

Dilma pronunciou 1.383 palavras,
contra 980 da dupla (766 só do Bonner),
o que dá 60% x 40%.
Isso é escore de debate,
não de entrevista.
A dupla encaixou 26 acusações ao governo e ao PT;
algumas, com ponto de exclamação.

Nos quatro blocos temáticos
Bonner lançou no ar 13 pontos de interrogação, e Patrícia, dois.
A presidenta foi interrompida 19 vezes.

A mensagem do JN: “eles não gostam dela”

Por Ricardo Amaral, no GGN

A entrevista com a presidenta Dilma Rousseff expôs, com rara contundência, a parcialidade da Globo na cobertura do governo e do PT. Utilizando manhas de quem passou pelo pau-de-arara, Dilma pôs abaixo a tentativa da Globo de parecer “isenta” nesse capítulo das eleições. Isso não é banal, no momento em que a credibilidade da imprensa hegemônica segue abalada pelo fiasco histórico da “operação Copa”.

A credibilidade do jornalismo da Globo saiu mais uma vez arranhada pelos esgares de William Bonner e Patrícia Poeta. As expressões de contrariedade, os dedos em riste e as interrupções grosseiras falaram mais ao telespectador do que o conteúdo de perguntas e respostas. Por algum tempo, tudo que se disser no JN contra Dilma será recebido com suspeita, porque a mensagem mais forte do programa foi: eles não gostam dela.

Dos 16 minutos cronometrados, Dilma falou 10 minutos e meio; Bonner, 4 e meio, e Patrícia quase 1 minuto. Dá 65% para ela e 35% para eles. Dilma pronunciou 1.383 palavras, contra 980 da dupla (766 só do Bonner), o que dá 60% x 40%. Isso é escore de debate, não de entrevista. A dupla encaixou 26 acusações ao governo e ao PT; algumas, com ponto de exclamação.

Nos quatro blocos temáticos (corrupção, mensalão, saúde e economia) Bonner lançou no ar 13 pontos de interrogação, e Patrícia, dois. A presidenta foi interrompida 19 vezes. Tomou dedo na cara de Bonner e de Patrícia, que reclamou de uma resposta com um soquinho na mesa. Isso não é comportamento de jornalista. Na entrevista com Aécio Neves – que muitos acharam “dura”, embora tenha sido apenas previsível – a dupla fez quatro interrupções e cinco reiterações de perguntas.

Aprendi ainda foca que o segredo de uma entrevista ao vivo é dominar o assunto e buscar a pergunta seguinte na resposta do entrevistado. É uma arte difícil. Patrícia Poeta nunca soube fazer. Bonner acha que sabe – e que sabe muito. Por isso saiu-se ainda pior que a colega. Basta discordar do enunciado para desnorteá-los. Não sabem do que estão falando; seguem o roteiro e fazem cara de argúcia (com Dilma, usavam ponto eletrônico!).

Maus entrevistadores são incapazes de ouvir respostas e dialogar com o argumento do entrevistado. Não é só amadorismo; é presunção. Globais se consideram mais importantes que os candidatos. Acham-se a própria notícia. Diante da contradita, repetem a pergunta até se perderem. No limite, apelam para a fórmula binária: “eu digo isso; sim ou não?” Eduardo Campos saiu-se muito bem dessa briga com bêbados. Aécio tropeçou e caiu.

Para a Globo, pouco importa expor os editores chefe e assistente do JN a mais um vexame profissional. A Globo não quer ouvir respostas; quer repetir (e tentar sancionar) o próprio discurso. Bonner deve ter ensaiado em casa o que considerava seu momento de glória: chamar de corruptos os petistas do mensalão (“Eram corruptos!”), na cara da presidenta da República. Que audácia, hein, patrão…

Na primeira pergunta (69 segundos), a palavra corrupção foi repetida sete vezes; e estamos conversados. Depois de 12 anos (“mais de uma década, candidata!”) há “filas e filas nos hospitais”, cidadãos “muitas vezes são atendidos em macas”, “muitas vezes não conseguem fazer um exame de diagnóstico”. O país tem “inflação alta, indústrias com estoques elevados, ameaça de desemprego ali na frente”.

Repetir os mantras do noticiário negativo – sem de fato abrir a discussão sobre eles – era o primeiro dever de casa. O segundo era desconcertar a entrevistada, e foi aí que a bomba explodiu no colo dos entrevistadores. Dilma não abriu mão de responder as perguntas, retomando o fio da meada a cada interrupção. Advertida, fez-se de sonsa e continuou respondendo o que quis.

O jogo foi chato na maior parte do tempo, mas Dilma não entregou a posse de bola, não cedeu o controle da entrevista. E foram eles, William e Patrícia, que ficaram visivelmente desconcertados, a ponto de perder o respeito pela entrevistada – que o merecia, mesmo que não fosse presidenta da República.

Dilma não disse aos interrogadores o que eles queriam que ela dissesse, exceto ao concordar com Patrícia Poeta que “a saúde no país não é minimamente razoável”. Um pontinho vencido, foi tudo que conseguiram arrancar da interrogada. Por isso, o destaque nos sites da Globo foi o previsível silêncio de Dilma sobre o julgamento do mensalão – outra evidência de que eles consideram suas perguntas mais importantes do que as respostas da presidenta da República.

Qualquer analista dirá que a presidenta desperdiçou a oportunidade de ter sido mais assertiva da propaganda de seu governo. Quinze minutos no JN são uma grande chance de falar para milhões de eleitores, mas Dilma preferiu debater com Patrícia Poeta e William Bonner.

Ela passou informações relevantes: a inflação de julho ficou próxima de zero; o Mais Médicos atende 50 milhões de pessoas; o SAMU atende 149 milhões. Disse que o país enfrenta a crise sem demitir, sem arrochar salários e até diminuindo impostos. Podia ter dito muito mais, mas a disputa foi mais concentrada na forma que no conteúdo. E foi aí que Dilma venceu.

Dilma sorriu na medida certa e manteve-se serena durante todo o programa. Impôs-se um comportamento de presidenta da República, que contrastou, aos olhos dos telespectadores, com a atitude desrespeitosa e antiprofissional dos entrevistadores. Mesmo restrita a um cerimonial televisivo, foi uma sinalização relevante para uma imprensa cada vez mais assanhada no papel de oposição: digam o que quiserem, mas respeitem a presidenta eleita de todos os brasileiros.

(http://jornalggn.com.br/noticia/a-mensagem-do-jn-%E2%80%9Celes-nao-gostam-dela%E2%80%9D-por-ricardo-amaral)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    19/08/2014 - 19h05

    .
    .
    Do Twitter:

    @privatadocaribe

    “O candidato William Bonner
    quase não foi interrompido
    pela entrevistadora @dilmabr”

    (http://inacrux.com/all/501760030690267136)
    .
    .

    FrancoAtirador

    20/08/2014 - 02h24

    .
    .
    Conceição/Azenha.

    Esse vídeo não está mais no ar.

    Tenta este: http://youtu.be/8SStpxgsGco

    Mário SF Alves

    20/08/2014 - 11h05

    “Maus entrevistadores são incapazes de ouvir respostas e dialogar com o argumento do entrevistado. Não é só amadorismo; é presunção. Globais se consideram mais importantes que os candidatos. Acham-se a própria notícia. Diante da contradita, repetem a pergunta até se perderem. No limite, apelam para a fórmula binária: “eu digo isso; sim ou não?” Eduardo Campos saiu-se muito bem dessa briga com bêbados. Aécio tropeçou e caiu.”
    ______________________________
    É o uso do cachimbo, prezado Franco. É nisso que dá.
    _____________________________________________
    É nisso que deu e é nisso que tem de dar:

    “Repetir os mantras do noticiário negativo – sem de fato abrir a discussão sobre eles – era o primeiro dever de casa. O segundo era desconcertar a entrevistada, e foi aí que a bomba explodiu no colo dos entrevistadores. Dilma não abriu mão de responder as perguntas, retomando o fio da meada a cada interrupção. Advertida, fez-se de sonsa e continuou respondendo o que quis.”

Edgar Rocha

19/08/2014 - 18h11

A conclusão do texto é de uma exatidão cirúrgica. Como é que alguém que sobreviveu aos porões da ditadura, que teve casca de jacaré pra suportar vaias e injúrias, que bate assume uma postura de dama-de-ferro, reconhecidamente durona, se faz de morta diante da arrogância de um jornalista mal intencionado e cínico perante suas próprias contradições? Como se isto fosse suficiente pra aplacar as agressões que virá a sofrer – e já sofreu – por parte desta mídia podre. é possível intuir que, na verdade, Dilma esteja intimidada com sua própria postura. A impotência diante das falhas administrativas, das concessões ao conservadorismo, dos sapos engolidos devido a uma parte fisiológica da base de apoio – inclusive do PT – tenha travado sua capacidade de chutar o balde e dar aquela resposta atravessada que todo mundo espera que ela dê, como durante a primeira entrevista concedida a Patrícia Poeta no comecinho do mandato: “Me mostre o ‘dá cá’ que eu te mostro o toma lá”. Inesquecível e única, infelizmente.

Responder

    Mário SF Alves

    20/08/2014 - 11h21

    Calma, Edgar, calma. A hora é outra. Salvo engano, agora é tempo de geoestratégia política, não? [Até porque, aviões não explodem do nada, e isso ainda não foi esclarecido, ou foi?]

    Além do que, quem foi rei nunca perde a majestade e o “Me mostre o ‘dá cá’ que eu te mostro o toma lá” tá muito bem guardadinho e deve ser usado no tempo certo. Portanto…

Abelardo

19/08/2014 - 16h45

Mas aí já seria coisa para o Leonel Brizola.Vejo nessa frase o grande “X” da questão, quero dizer: Muitos partidos, políticos e governantes da atualidade temem o enfrentamento com a Globo para evitar que ela faça a mesma perseguição que ela fez com Brizola. Porém, mostram que estão desinformados e totalmente enganados e isso pode ser, talvez, pelo grande medo que possuem pela Globo. Em minha opinião, são pobres coitados que não sabem que o grande vencedor daquelas batalhas foi Leonel de Moura Brizola, que peitou, falou grosso e venceu subserviente Roberto Marinho. Nos tempos da ditadura, quando andava de braços dados com ela, era fácil para a Globo encarar Leonel Brizola, mas se fosse hoje em dia, com todos os escândalos em que a Globo se envolveu, tais como: O Proconsult e a tentativa de fraude eleitoral, a acusação de uso de documento fraudado para comprar o imóvel de sua sede em SP, a acusação documentada de Garotinho da transferência irregular de de milhões de reais feita por filho de Roberto Marinho, o criminoso golpe bilionário de sonegação de imposto de renda colocado nas redes mundiais e outras, eu penso que Brizola se não os colocasse em cana, afundaria de vez o ex império da Globo Overseas.

Responder

Luís Carlos

19/08/2014 - 16h05

Toda coregam do Bonner desaparece diante da sonegação de impostos do patrão.

Responder

Urbano

19/08/2014 - 15h13

Mas já está mais do que claro, bem cristalino até, que o negócio explorado pelo pig não é o jornalismo em si, mas tão somente fazer o papel de tapia, denominação essa usada antigamente no mundo do crime, a fim de que os bandidos fascistas da oposição ao Brasil, no caso os seus comparsas, possam praticar as mais diversas modalidades de crime, sem que sejam importunados por nada nem ninguém. E para piorar a situação vivida pelo Brasil, vão ver que entidades e pseudas autoridades constituídas estão dando cobertura a tudo isso. O poder de fogo desse conglomerado bandido é tão gritante, que até as autoridades competentes e honestas temem em se imiscuir, no intuito de salvaguardar o Brasil e o seu povo desses bandidos.

Responder

    Urbano

    19/08/2014 - 15h57

    É Presidenta… E a senhora em pior situação do que um pobre coitado lá das brenhas do Nordeste, com uma decrépita televisão de um único canal possível, sem ter e sem precisão de um controle remoto. E esse coitado, pelo menos ontem dia 18 de março de 2014, ainda teve uma vantagem sobre a senhora, que seria a de desconectar a tomada, uma vez que o botão liga-desliga não funciona… Para que todo o povo brasileiro, que está irmanado ao seu lado, não sofra por si e pelo que viram ontem o mal caratismo empregado contra a Senhora, só há uma solução, que vem a ser a Lei de Meios.

    Urbano

    19/08/2014 - 16h08

    … não sofra por si e pelo que viu ontem…

    zaca

    19/08/2014 - 18h03

    URBANO, você tem razão em parte do seu comentário, más deixe eu li atualizar as coisas aqui nas brenhas do nordeste. no interior de Tenente Ananias na tromba do elefante a mais de 400 km da capital Natal. aqui essa situação ERA NA ERA DO FHC, agora as coisas são outras no governo LULA E DILMA tem energia elétrica, tem antena parabólica, tem televisor com controle remoto e também tem computador com internet. pra você vê.

    Urbano

    19/08/2014 - 19h49

    Eu sei disso Zaca, de cor e salteado. É apenas o meu estilo de criar um ambiente, que mesmo inexistente como dizes, mas não impossível de haver. Amo o meu povo nordestino, brasileiro e do mundo. A única prova que tenho para comprovar isso é a minha encarniçada luta aqui no VIOMUNDO, em favor de todos eles, principalmente em relação aos menos afortunados, que são as vítimas preferidas dos nazi-fascistas, tanto os nacionais quanto os internacionais.

    Brancaleone

    21/08/2014 - 01h01

    Lei dos Meios, censura prévia de jornais, fim dos partidos de direita e porque não acabar duma vez com esta palhaçada de eleições? A esquerda, o PT e a Dilma que fiquem para sempre né??
    Noooossa!! Não tá parecendo os bons tempos dos anos 60 e 70? Só que naquele tempo pelo menos os malvados usavam fardas…

Belmiro Machado Filho

19/08/2014 - 15h03

O Bonner precisa consultar um psicólogo urgentemente. Problema: IMATURIDADE.A pessoa imatura tende a reagir agressivamente tentando fazer prevalecer seus pontos de vista. Insegurança, birra.

Responder

Rodrigo

19/08/2014 - 14h47

“Ao criminalizar a política, fazendo dela algo sujo e com o qual não devemos lidar, ganham as grandes corporações midiáticas.”

Mensalão petista, Mensalão tucano, desvio no metrô, aeroporto do Aécio, vereador do PT envolvido com PCC, precatórios, superfaturamento de obras da copa e tantas outras coisas. Quem torna e tornou a política esse ambiente imundo e fez com que a mesma caísse em total descrédito com a população foram os próprios políticos, e não a Globo.

E mais, que os Marinho adoram fazer política isso todos nós sabemos. Mas ao que parece alguns adoram esquecer que o Bispo Macedo com sua bancada, também curte mexer uns pauzinhos e ter as mãos beijadas também. Então por favor, não me venham com essa de que só a Globo, Veja, Estado ou Folha adora manipular massas. Se a política já está em total descrédito, a Imprensa não está muito atrás não.

Responder

    Rodrigo

    19/08/2014 - 15h03

    E só para complementar, essa não é uma critica apenas voltada a Record, onde o Azenha trabalha. Apenas estou sugerindo que não existe imprensa 100% independente no Brasil, pois sempre se esbarrará nos seus proprietários quando alguma coisa não lhes interessar.

carlos

19/08/2014 - 14h41

Esse tal Bonner, é muito mal educado, não deixa a pessoa concluir o raciocinio, eu no lugar dela tinha mandado ele se calar e pegar o boné e ir embora, eu não sei o qual é a educação que ele dá aos filhos dele pois se for essa educação ele estar ensinando errado.

Responder

Alemao

19/08/2014 - 14h34

Não entendi a revolta, o Bonner pegou muito mais leve com a candidata.

Responder

    Mário SF Alves

    20/08/2014 - 11h39

    “…o Bonner pegou muito mais leve com a candidata.”

    E aí Alemão que tal uma reflexão sobre essa frase?

    Analisemos a sequência de termos:

    “pegou muito mais leve”

    Logo, ele poderia ter pego menos leve, portanto, muito mais pesado, óbvio.

    Se assim é – e tem sido sido – eu te pergunto, com que poder? Quem ou o quê o empodera ou empoderou?

    A dúvida que fica é:

    Seria legítimo/democrático esse tal poder ou simplesmente estamos frente a frente com mais um surto de autoritarismo midiático?

Romanelli

19/08/2014 - 14h04

Discordo concordando

Não foi Willian que impôs candidatos CRIMINOSOS, bandidos, procurados, condenados, que fez vistas grossas a pessoas sabidamente DEONESTAS.

Não foi ele que em nome duma “governabilidade” resolveu se aliar a sucias de inimputáveis.

Desculpe, a política não precisa de quem as recrimine ..ela e os seus se fizeram um LIXO ..ela que transformou os honestos, probos, responsáveis e éticos e uma minoria quase que impossível de se averiguar.

Mentira, manipulação barata, hipocrisia, desconstrução, agressão e divisão, dualidade falsa ou programática, são algumas das suas filosofias e praticas.

NÃO é o POVO que não sabe votar Azenha ..são os partidos que não querem e não tem como nos oferecer pessoas CAPAZES, o que é bem diferente ..e tome TIRIRICA.

Aliás, some a isso as regras que tendem a perpetuar os de sempre no Poder ..com restrição a formação de partido, tempo assimétrico de mídia, deformidades na concessão de verbas ou, COMO AGORA< tentando se dificultar o uso de fontes alternativas de financiamento ..some tudo isso pra tentar entender que a nossa democracia, fora de ser oligarca e nepotista em seu DNA, é tudo, menos moral ou proporcionalmente representativa.

tá dominado, tá tudo dominado sim.

Responder

    Ronaldo Silva

    19/08/2014 - 22h27

    Enfim, vc vai votar no Aécio…clap clap clap…palmas para o espertão.

    Mário SF Alves

    20/08/2014 - 12h45

    É isso, Ronaldo. E o que é pior: tem muita gente, inclusive culta, inclusive pessoas de boa fé, que crêem piamente que o Brasil é uma ilha isolada do mundo. São as mesmas que crêem que o Poder Executivo da República Federativa do Brasil é igualmente uma toda poderosa e absoluta ilha dentro dessa outra gigantesca ilha.

    Esses acreditam em milagres, cruzam os braços pra política real e em nome de um impossível milagre, são capazes de votar contra o atual governo lento, porém, firme e progressista do Brasil.

    Agindo assim, que não lamentem o vir-a-ser das portas abertas ao acaso que tal atitude descortina.

    Infelizmente, pressinto que o poder que os faz acreditar num tal milagre jamais os protegerá.

Moacir Moreira

19/08/2014 - 12h49

Eu só queria ver se o Bonner teria moral para constranger o Roberto Requião…

Responder

    Laudiceia S.

    19/08/2014 - 16h22

    Ou o Ciro Gomes…

Bacellar

19/08/2014 - 12h49

Tinha aquele “hard talk” da BBC que seguia essa linha, porém com uma grande diferença; apesar da dureza o entrevistado não é interrompido a cada 4 segundos.
Mas é só um showzinho pros homers simpsons né Bonner?

Responder

Mário SF Alves

19/08/2014 - 12h39

É… é como se costumava dizer, o uso do cachimbo põe a boca torta.

Amparada pela ditadura, saindo ilesa de uma CPI no Congresso que investigou [ou pretendia investigar] a questão Globo versus a norte-americana Time Life, e sempre de braços dados com a ditadura, a Globo introjetou o complexo do o “Estado sou eu”. Deu nisso. Deu nessa arrogância toda, nesse destempero, nessa partidarização e espetacularização midiáticas, nessa agressividade [incontida] e indisfarçável ante políticos do PT.

Esqueceram que hoje a maioria dos brasileiros sabe que de “nacional” o JN só tem o nome.

________________________________________
Escândalo TV Globo x Time Life, caso que teve início em 1962 e que apenas foi encerrado em 1971.

Depoimento na CPI:

“Sr. Presidente, em meados de 1961 a TV Globo estava em seus primórdios, a TV Globo nesta época ainda pertencia à Rádio Globo, que obtivera a concessão. Nós já tínhamos um terreno, na Rua Von Martius, na Gávea, lugar considerado pelos técnicos como ideal para a instalação de um estúdio de televisão. Já tínhamos um projeto do eminente patrício Henrique Mindlin e já dávamos início às escavações para as fundações. Já tínhamos pago quase totalmente os equipamentos eletrônicos, bastantes para uma emissora de televisão. Já tínhamos começado a organizar os nossos planos de trabalho, já que nós tínhamos um pouco de experiência jornalística e de radiodifusão, mas nenhuma de televisão. Foi neste momento que duas organizações americanas, a NBC e a Time-Life, nos procuraram para participarem conosco do empreendimento que íamos levar a efeito. Embora os dois grupos tivessem chegado quase simultaneamente, as nossas preferências se voltaram para a organização do Time-Life, não só porque se tratava de uma grande organização jornalística como porque essa organização se lançara há alguns anos, com grande êxito, na televisão, passando o seu Departamento de Televisão a ser talvez o mais importante departamento daquela grande organização internacional. Estudamos o assunto detidamente com os nossos advogados, já que o Art. 160 da Constituição veda a propriedade e a direção das empresas jornalísticas e de radiodifusão, o que se pode entender, por analogia, à televisão, a estrangeiros. A propriedade e a direção das empresas jornalísticas, de rádio e televisão só podem ser exercidas por brasileiros natos. Estudamos, como disse, detidamente, e chegamos à conclusão de que poderíamos assinar dois contratos com o Time-Life. Um de assistência técnica, nos moldes de numerosos, de centenas, de milhares de contratos de assistência técnica que são estabelecidos com empresas brasileiras, até mesmo com empresas vedadas, como a Petrobrás, a qualquer capital estrangeiro. O outro contrato que achamos poder estabelecer foi uma conta de participação ‘joint venture’, que, como V. Ex.ªs sabem, é um contrato de financiamento aleatório, uma vez que não dá nenhum direito de direção ou de propriedade a uma empresa, apenas participando o financiador dessa empresa dos seus lucros e prejuízos”.

Fonte: http://memoriaglobo.globo.com/acusacoes-falsas/caso-time-life.htm

Em tempo:

Palavras-chave: Art. 160 da Constituição [de 46?]; “assistência técnica” [norte-americana]; Petrobrás; joint venture; fim do contrato.

Responder

    FrancoAtirador

    19/08/2014 - 18h50

    .
    .
    Artigo 160 da Constituição dos Estados Unidos do Brasil:

    Constituição de 1946

    Constituição dos Estados Unidos do Brasil,
    decretada pela Assembléia Constituinte.

    A Mesa da Assembléia Constituinte promulga a Constituição dos Estados Unidos do Brasil e o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, nos têrmos dos seus arts. 218 e 36, respectivamente, e manda a tôdas as autoridades, às quais couber o conhecimento e a execução dêsses atos, que os executem e façam executar e observar fiel e inteiramente como neles se contém.

    Publique-se e cumpra-se em todo o território nacional.

    Rio de Janeiro, 18 de setembro de 1946; 125º da Independência e 58º da República.

    FERNANDO DE MELLO VIANNA
    Presidente

    Georgino Avelino
    1º Secretário

    Lauro Lopes
    2º Secretário

    Lauro Montenegro
    3º Secretário

    Ruy Almeida
    4º Secretário.

    Nós, os representantes do povo brasileiro, reunidos, sob a proteção de Deus, em Assembléia Constituinte para organizar um regime democrático, decretamos e promulgamos a seguinte

    CONSTITUIÇÃO DOS ESTADOS UNIDOS DO BRASIL
    […]
    TÍTULO V
    Da Ordem Econômica e Social
    […]
    Art. 160. É vedada a propriedade de emprêsas jornalísticas, sejam políticas ou simplesmente noticiosas, assim como a de radiodifusão, a sociedades anônimas por ações ao portador e a estrangeiros.
    Nem êsses, nem pessoas jurídicas, excetuados os partidos políticos nacionais, poderão ser acionistas de sociedades anônimas proprietárias dessas emprêsas.
    A brasileiros (art. 129, nº s I e II) caberá, exclusivamente, a responsabilidade principal delas e a sua orientação intelectual e administrativa.

    (http://www2.camara.leg.br/legin/fed/consti/1940-1949/constituicao-1946-18-julho-1946-365199-republicacao-1-pl.html)
    .
    .

    Mário SF Alves

    20/08/2014 - 14h09

    “Nem êsses, nem pessoas jurídicas…”

    É aí que a coisa pega!

José Neto

19/08/2014 - 12h31

A GROBO aguarde DILMA. Ela não vai esquecer !

Responder

    Adma

    19/08/2014 - 17h41

    Será mesmo? Ou vai fazer omelete com Ana Maria Braga no segundo mandato?

    lulipe

    19/08/2014 - 23h05

    E em papai-noel, você acredita João???

    Mário SF Alves

    20/08/2014 - 14h05

    Uai, Lulipe, desacreditando seu guru?

    Ou será que essa estória de Foro de São Paulo não passa de mais uma novela olavo-carvalhinesca.

Demetrius

19/08/2014 - 12h28

#EuVooDeAecio

Responder

    Hell Back

    23/08/2014 - 01h16

    “#EuVooDeAecio” e #EuVooDeNESCIO rs

Urbano

19/08/2014 - 12h28

O pistolâncora de aluguel mais rápido no coice de rifle da groubostonoma… Ademais, qual a necessidade da Presidenta Dilma ir para essa pantomima, tão somente para ser achincalhada? Indo tem muito mais a perder do que a ganhar. Só para se ter uma ideia do tratamento recebido, nem a contrapartida do boa noite recebeu do ponner nem da poueta.

Responder

    Mário SF Alves

    20/08/2014 - 10h08

    Tempo cronometrado, Urbano. “Milimetricamente” cronometrerado. É a programação. Sem esse cuidado pode haver atrasos na apresentação da novela e sem novela já viu, né, não entra a grana da propaganda [a maioria enganosa].

    Enfim, são seres que se tornaram escravos… escravos do tempo cronometrado. Contudo, parece, são felizes assim.

    A única infelicidade deles é a existência do PT. E ficam muito tristes, irritados e frustrados quando o poder de suas lentes se revela impotente para massacrar alguém, especialmente se esse alguém for um político do PT.

Guimarães

19/08/2014 - 12h21

Bonner, o cão farejador de honestidade dos irmãos Marinho, se deu mal: não conseguiu achar os seiscentos milhões de reais que a Globo sonegou do direito de transmissão de duas copas do mundo. E, depois dessa, ainda tentou inocular o vírus da raiva em Dilma, em vão. Só chamando a carrocinha.

Responder

Carlos Henrique

19/08/2014 - 12h20

Cronica perfeita!

Responder

Denis Bueno

19/08/2014 - 12h20

O engraçado é que se ele pega leve, o senhor estaria aqui perguntando o porque dele não fazer as perguntas que todos queremos fazer. O que fazer então senhor Azenha??? Qual a postura deveria ter??? Engraçado os comentários, pois ele teve a mesma postura com todos candidatos?? Haters Gonna Hate!!! Simples assim. O esporte preferido do Brasileiro é esse inclusive do jornalista que não sabe o que quer!!! O que você quer cara pálida?? Me diga qual a postura que ele deveria ter??? Deveria dar uma de louco e não perguntar para o Aécio sobre o aeroporto da cidade de Claúdio??? E também não deveria ter perguntado a Campos sobre o Nepotismo?? E seguindo a mesma linha não deveria perguntar a Dilma sobre a corrupção em seu partido?? Hipocrisia a gente vê por aqui!!!

Responder

jarbas antonio machado

19/08/2014 - 12h18

A direção de jornalismo da rede globo perdeu uma grande oportunidade de fazer um trabalho jornalistico melhor …
Perguntas mal elaboradas , tempo excessivos nas perguntas , menos importância nos conteúdos das mesmas ….Nenhum presidente , mesmo em campanha , jamis vai emitir opinião contra a suprema corte …Se assim o fizesse , também poderia aguir o jornalista se haveria algum Marinho ou a Senhora LILI Marinho presa por sonêgação …ou no passado no caso conhecido como “”” CIDADÃO KEN..!!!. Para presidente da república ou para uma empresa que detem uma concessão publica tem os mesmos princípios constitucionais … POIS SE VAMOS CORTAR NA PRÓPRIA CARNE , DEVERIA -SE CAÇAR ESTA CONCESSÃO PUBLICA DE QUEM NÃO CUMPRE A LEI …SONEGA IMPOSTOS DEVIDOS …TAMBÉM É CRIME …. COM A PALAVRA O SUPREMA CORTE … SOLDADO CHUMBINHO , PARA <>….VOLTA FÁTIMA BERNARDES….. PELO AMOR DE DEUS …VOLTA RÁPIDO …

Responder

Athos

19/08/2014 - 12h17

Excelente artigo Azenha.
Matou a pau. É isso mesmo.

Responder

Maria Izabel L Silva

19/08/2014 - 12h00

Dilma não é boa de televisão nem de entrevistas. Lula é mediano. Fera mesmo é o Zé Dirceu. Tem uma memoria de elefante, consegue citar dados e fatos, fazer comparações, analises, com a maior desenvoltura. Como se fosse uma conversa qualquer. Quem já viu o Zé Dirceu falar, não esquece jamais. Não é a toa que ele foi neutralizado. Não vi nenhuma das entrevistas por que não vejo o JN há mais de 10 anos. Vi a Renata Loprete entrevistando a Dilma na Globo News semanas atrás, e gostei muito. Foi uma entrevista civilizada, e a Renata foi educada sem ser submissa. Quando deixam a Dilma falar, ela consegue passar a mensagem.

Responder

    Denis Bueno

    19/08/2014 - 12h24

    São só 15 minutos senhora, se deixar politico falando ele sai pela tangente e não fala nada.

antonio simas

19/08/2014 - 11h58

“O Imperador Sr. Willian Napoleão Bonnerparte”.
A Globo abre empresa em paraíso fiscal, compra direitos para transmitir o futebol, repassa para ela mesma, na operação sonega quase um bilhão de reais e o Imperador Willian vem falar em corrupção. Faz-me rir coxinha.

Responder

EMERSON

19/08/2014 - 11h44

Essa empresa de comunicação precisa passar pelo que passaram empresas poderosas na Argentina e Venezuela, para aprenderem que não são donas da vontade da maioria, tentando impor valores e manipular a opinião dos demais com seus galãs e fadinhas das noticias!

Responder

Mauricio Gomes

19/08/2014 - 11h33

Brasília 19/08/2014

A mídia, a midiocracia, muito Zorro!!!…nenhum sargento Garcia.

Elegeram e derrubaram Fernando Collor, quem são eles? Quem eles pensão que são?

Bonner se prestando a PseudoZorro é o fim da picada!

Responder

Fernando

19/08/2014 - 11h32

Faltou culhão pra Dilma ir pra cima do Bonner.

Responder

Elias

19/08/2014 - 11h26

Dilma enfrentou o UFC de Bonner com judô. Conseguiu dois wazari, venceu a luta, tudo bem. Poderia vencer com Ippon, Mas Bonner luta sujo demais.

Responder

Gilson

19/08/2014 - 11h18

Não gostei da minha Presidenta,precisava peitar o arrogante,pois ela não tem rabo de palha,mas a Globo tem.

Responder

Vini

19/08/2014 - 11h02

Quanta gente alienada que visita esse site, não é possível. Em TODAS as entrevistas os entrevistadores buscaram colocar os candidatos na parede e ressaltaram os pontos controversos de suas gestões anteriores. Os de Dilma são muitos.
Não dá pra acreditar que ao assistir essa entrevista coloquem a culpa nos entrevistadores e não avaliem a postura da presidente.
O fato de não comentar a atitude do partido foi patético. Usou a mesma brecha que o Lula usava em dizer que não comenta decisões do Judiciário. Mas o cerne não era o mérito das decisões judiciais, mas sim do PARTIDO que era conivente com essa patifaria toda.
Um péssimo texto escrito por um petista, nada mais.

Responder

    Jorge Leite Pinto

    19/08/2014 - 13h27

    Pois é. Você é daqueles que gosta de briga de criança em calçada, com cuspe na cara e pontapé no saco…
    A postura CORRETA é RIGOROSAMENTE esta: UM PODER NÃO PODE INTERFERIR EM OUTRO (muito menos dar pitacos). O que vocês, entreguistas derrotados queriam era ver ela cair na casca de banana idiota do cretino. Se deram mal!
    É a democracia, estúpido!

Marcos

19/08/2014 - 10h53

Fiquei com a nítida impressão que Bonner ficou irritado com a paciência defensiva de Dilma. Partiu para cima e perdeu a compostura. A ajudante é aquele animalzinho que se coloca no presépio, tem pouca utilidade mesmo….Em todo caso, vale lembrar Sun-Tzu ( em A arte da guerra) : “A invencibilidade está na defesa; a possibilidade de vitória, no ataque. Quem se defende mostra que sua força é inadequada; quem ataca , mostra que ela é abundante “.

Responder

Antonio José

19/08/2014 - 10h29

Com a derrocada da audiência do JN da Globo, o Bonner está tentando ser mais realista que o Rei, ou melhor, mais “malvado que o carrasco”, como forma de superar os seus colegas de redação e ser um dos poucos sobreviventes do jornalismo fracassado dos Marinho e, como lhe interessa muito, continuar ser muito bem pago e ajudar os patrões a manter a sonegação de mais de R$ 1 BILHÃO, em valores atualizados!

Responder

Zé Brasil

19/08/2014 - 10h26

O rapazola não foi tão assim marrento quando o microfone da reportagem ficou aberto ao final de seu boa noite naquela distante noite de 1996 durante a olimpíada de Atlanta,GA.

Alguém ainda se lembra do fato ou mesmo tem o vídeo?

Gostaria de ver o rapaz apontar dedo na cara de homem, mas aí é querer demais do rapazola.

Responder

Gersier

19/08/2014 - 10h06

Repito aqui o que disse no CAF.
Nem uma entrevista da Presidenta Dilma me faz assistir a esse câncer incrustrado na democracia brasileira.Corrupta, filha da ditadura que esteve por trás da não renovação da concessão da TV Tupi pelos generais brasileiros marionetes da CIA,que adquiriu a TV Paulista usando documentos falsificados e fazendo uso de assinatura falsificadas,sonegadora cujos proprietários são acusados de ter contas em paraíso fiscais,se acha no direito de cobrar o que nunca praticou. Estranho é o PT perder tempo com essa emissora mafiosa e inescrupulosa.

Responder

Igor Tkaczenko

19/08/2014 - 09h42

A Dilma pautou e destruiu as investidas agressivas. Foi muito bem, não enxergo perda de oportunidade, ela não tem que entrar na questão da sonegação da Globo dentro da própria Globo, isso é passar uma ideia menor, de picuinha. Tinha ouvido falar que a entrevista foi um ataque covarde, bom, foi um ataque sim, mas dentro dos moldes “normais” da Globo. Perguntas axiomáticas com o intuito de passar uma verdade estabelecida, e não para debates, porém, volto a repetir, a Dilma conseguiu responder e pautou o tempo muito bem no gasto sobre explicações da saúde e foi precisa nas respostas sobre o combate à corrupção. Sobre a economia, bom, aí faltou tempo, né? Porém, pior foi essa falta de tempo para o entrevistador. Inflação zero é muito mais que um argumento, é história, é fato, Sr Bonner.

Responder

Gerson Carneiro

19/08/2014 - 09h35

No dia da morte do Eduardo Campos o William Bonner em pleno JN ficou exibindo as fotos dele com o Eduardo que havia tirado na noite anterior.

Exibicionista, aproveitou para fazer autopromoção.

Falar mais o quê?

Responder

Fernando

19/08/2014 - 09h34

Azenha, concordo com a postura agressiva do Bonner, entretanto, a Dilma só encheu linguiça.

Usa palavras como “justamente”, “estratégicamente”, “sistematicamente” toda hora de uma forma sem sentido, em uma espécie de Bingo Corporativo para rebuscar melhor a fala dela e ganhar um tempo.

Em muita coisa sem a tal postura do Willian, acelerando tudo, a entrevista não teria passado do primeiro tema da corrupção, ele exagerou, mas a Dilma enrolou MUITO.

Responder

José X.

19/08/2014 - 09h13

Gente, até parece que a Dilma iria se deixar intimidar por esses jornalistinhas pão com ovo. Quem fala cara a cara com lideres mundiais e administra com competência um país do tamanho do Brasil, enfrentando o boicote de toda a mídia, está muito acima dessa gentinha que só está acostumada a ler o que está escrito no teleprompter e a repetir o que ouve no ponto eletrônico.

Responder

Isabela

19/08/2014 - 09h10

Não gostei da entrevista: foi truncada, confusa… bateram de frente mesmo!

Responder

Caracol

19/08/2014 - 09h10

Tem que ser idiota, imbecil e, no mínimo, um proxeneta político – e ainda por cima babaca – para sugerir que um chefe de Estado não seja otimista, mas sim pessimista, como pretendem esses pseudo entrevistadores.
O que é que eles querem? Que um CHEFE DE ESTADO (não de Governo, mas sim de ESTADO!) diga algo como “olha, a situação está difícil, mas vai piorar, ih, vocês ainda não viram nada, apertem os cintos, vocês vão logo, logo passar fome!”
Sabe? Esses caras são tão babacas… será que o povo brasileiro é tão idiota como eles pensam ou desejam que seja?
Aliás, acho que vamos ver em outubro um fenômeno formidável: o PIG pautou o Judiciário, pautou o Legislativo e pautou o Executivo, mas NÃO VAI PAUTAR o eleitor brasileiro.
E aí? Como é que vai ficar? Essas concessões públicas vão fechar por suicídio? Ou vão precisar de um empurrãozinho?

Responder

    Jose Carlos

    19/08/2014 - 16h14

    Xará, muito bom.

Ninguém

19/08/2014 - 08h56

Acho que a Dilma perdeu uma oportunidade de ouro. Deveria ter aproveitado para falar da sonegação, que é o maior crime que se comete contra o erário público, e cobrar o DARF da Globo. Ali, ao vivo, “para todo o Brasil”. Aliás, nunca é demais lembrar que o pior do PT é a falta de comunicação.

Responder

    Sidnei Brito

    19/08/2014 - 11h13

    Poderia até ter mantido a “pauta” dele e ter falado, em tese, da corrupção de servidores públicos, que se vendem para sumir processos na Receita Federal…

    Léo

    19/08/2014 - 11h57

    Concordo.

Zanchetta

19/08/2014 - 08h50

Tio Aécio Neves após o Jornal Nacional:
– Alô, é da Globo?
– É, sim. Quem é?
– É o Aécio!
– Ô, senador! Já sabemos, o senhor vai reclamar porque o tempo da presidenta estourou!
Aécio – Vô, não, sô!
– Não?
– Não! Eu liguei pra pedir proceis deixar ela falando a noite inteira. Tem jeito?

Responder

    Marcello

    19/08/2014 - 10h45

    Pois é… Quem sabe o Aécio ouvindo a presidenta Dilma falar a noite inteira não conseguiria ficar mais inteligente?

Carlos Roberto

19/08/2014 - 08h48

Dilma enfrentou seus ALGOZES pela primeira vez com serenidade, por isso Dilma foi muito bem.

Responder

    Gustavo

    19/08/2014 - 11h33

    HAHAHAHAHAHAAHA
    De qual entrevista você está falando?

Caracol

19/08/2014 - 08h36

É verdade, Azenha, se hoje vivo fosse, o Brizola ia causar uma hecatombe na vida política desses bostinhas todos que estão por aí falando e fazendo merda. Ia ser até covardia, imagina o Brizola pulverizando um Aécio…

Responder

    Viviane

    19/08/2014 - 12h52

    Triste é que, se Brizola fosse vivo e candidato, a globo nem se arriscaria a fazer entrevistas ao vivo com ele. Já pensou a saia justa para os “jornalistas”? Aliás, alguma vez a globo entrevistou o Brizola? Por favor, quem souber, responda!

    Zanchetta

    19/08/2014 - 16h39

    Pena mesmo é Rui Barbosa não estar vivo para declamar algumas verdade no JN…

claiton de souza

19/08/2014 - 08h36

Natal/19/08/2014.
Tem jornalista que não passa de jagunços/capangas, sempre travestidos de defensores da democracia e das liberdades, porem, que não passam de verdadeiros defensores das classes totalitárias, escravistas, celetistas e outras. Defendem somente os interesses de seus coronéis endinheirados, são de um servilismo que chega a certos casos as raias da obtusidade controlada, que ate o ignorante – como eu – consegue vislumbra.
Claiton de Souza.

Responder

    L@!r [email protected]+e5

    19/08/2014 - 12h11

    O brasileiro é o único povo do mundo que defende banqueiro. É o único povo do mundo que paga um absurdo por um carro e põe a culpa no “Custo Brasil”, ignorando os lucros absurdos das montadoras. Como diz Mino Carta, no Brasil, o jornalista chama o patrão de colega.

    Marcus Mello

    19/08/2014 - 12h37

    Suponho que jornalismo independente, isento e apartidário seja este, praticado aqui.

    josé santos

    19/08/2014 - 12h40

    4. As entrevistas políticas são, por natureza, confrontacionais (estranho seria que não fossem e que jornalista e político tivessem uma relação de cumplicidade). Uma vez que o agente político que está a falar não tem ninguém de outra força política que lhe faça o contraditório (como aconteceria num debate), essa função é assumida pelo entrevistador. O entrevistador faz o contraditório, assume o papel de advogado do diabo. Portanto, o jornalista suspende por momentos a sua isenção para questionar o entrevistado. Isto é uma prática absolutamente normal. O entrevistador não o faz para “atacar” o entrevistado, mas simplesmente para fazer o contraditório. Acontece até frequentemente fazer perguntas com as quais não concorda, mas sabe que o seu papel é fazer de “oposição” ao entrevistado.

Deixe uma resposta