VIOMUNDO

Senador do PT se diz traído por Dilma: Governo fecha acordo com Serra e concede cabeça-de-ponte a petrolíferas estrangeiras no pré-sal

24 de fevereiro de 2016 às 22h54

Captura de Tela 2016-02-24 às 22.53.17

por Luiz Carlos Azenha

Até a metade da tarde desta histórica quarta-feira um grupo de senadores do PT estava certo de que o governo Dilma iria se opor firmemente à aprovação, no Senado, do projeto do tucano José Serra que acaba com a obrigatoriedade legal de a Petrobrás ter participação mínima de 30% em todos as áreas do pré-sal.

Eles tinham se encontrado com os ministros da Casa Civil Jacques Wagner e da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, auxiliares próximos da presidente Dilma. Deles, ouviram que o governo se opunha ao projeto de Serra. Com a mesma impressão ficou o presidente da Federação Única dos Trabalhadores (FUP), José Maria Rangel, que acompanhou os petistas.

Durante todo o dia, ativistas do PT usaram as redes sociais para denunciar o projeto entreguista de Serra.

No entanto, quando o debate acalorado chegava ao ápice no Senado, os senadores José Serra e Romero Jucá se retiraram do plenário para negociar. Jucá apresentou um substitutivo que manteve a essência do projeto de Serra e recebeu apoio do governo Dilma. Depois que Jucá anunciou o acordo no plenário, ele foi aprovado por 40 votos a 26, com oposição dos senadores do PT menos Humberto Costa, que se absteve.

Minutos antes, assessores do senador petista Lindbergh Farias calculavam um placar de 36 a 34 para derrotar o projeto de Serra. Um deles resumiu: “O Senado tem gente bem definida, de direita e de esquerda. Mas tem um miolo que navega de acordo com a conveniência. Com o acordo, mudaram de lado. Agora, estes senadores ideologicamente indefinidos vão cobrar alguma emenda do governo e fica tudo por isso mesmo”.

Para Lindbergh, a presidente Dilma traiu os senadores petistas. No Facebook, ele desabafou:

VERGONHA!

Lutamos por dias em defesa da soberania nacional e do nosso patrimônio. Fizemos o debate no plenário, dialogamos com os movimentos e com os senadores e senadoras. A mudança de orientação do governo, durante a tarde de hoje, nos deixou perplexos e desarmou nossa luta, abrindo mão do enfrentamento em prol de um péssimo acordo com o PSDB que causa um prejuízo enorme ao Brasil.

Mas essa foi apenas a primeira batalha. Vamos continuar a debater com a sociedade, fortalecendo um grande movimento em defesa do pré-sal, influenciando o processo na Câmara e dizendo claramente: a presidenta Dilma precisa voltar para a posição original do governo e VETAR o PLS 131!

PETROBRAS NÃO PEDIU PARA SER DESOBRIGADA

A Petrobras não pediu ao senador José Serra, autor do projeto, para ser desobrigada da participação legal mínima de 30%. Apesar de seu perfil de homem do mercado, o presidente da estatal, Ademir Bendine, se disse contrário ao projeto.

A quem interessa a mudança? Às petrolíferas estrangeiras, obviamente. Em recente visita ao Brasil, o presidente da Shell, Ben van Beurden, disse claramente: “Isso (a abertura) disseminaria o risco, traria mais capacidade e mais investimento”.

Porém, como lembrou o ex-ministro das Minas e Energia Edison Lobão durante o debate no Senado, praticamente não há risco no pré-sal. A Petrobras não depende da capacidade tecnológica externa para explorar em águas profundas ou super-profundas. Lobão também argumentou que os investimentos da Petrobras serão pagos pelos próprios resultados da exploração.

A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) informou que a Petrobras tem reservas já garantidas de 14,5 bilhões de barris. Ou seja, não há pressa para fazer novos leilões. Por que o açodamento para votar o projeto de Serra em regime de urgência, sem passar pelas comissões do Senado? Por causa da fragilidade do governo. Com o acordo, é certo que o projeto passará pela Câmara e não será vetado pela presidente Dilma — a não ser que ela traia o acordo que fez com PMDB/PSDB.

AS CONSEQUÊNCIAS

Pelo acordo, a Petrobras terá preferência na exploração do pré-sal, mas a preferência terá de passar pelo crivo do Conselho Nacional de Política Energética, onde a Presidência da República tem grande peso.

O tuiteiro Claudio Calente foi preciso: “Quando um PSDB da vida assumir, já sabemos que a Petrobras não vai querer explorar mais nada do pré-sal”.

Ele resumiu as consequências do acordo Dilma-Jucá-Serra: o papel da Petrobras no pré-sal deixa de ser institucionalizado e passa a depender do governo de turno.

Também fica muito mais sujeito às pressões do lobby das petrolíferas, que é imenso.

Ao discursar hoje no Senado, o tucano Aécio Neves mencionou Adriano Pires, do Centro Brasileiro de Infra-Estrutura. O economista é frequentemente citado nos jornais e faz aparições na TV Globo. Os artigos deles são reproduzidos no site do Instituto Millenium. Antes de discursar, Aécio conversou com Alexandre. Os argumentos do economista salpicaram os discursos de senadores favoráveis ao projeto de Serra.

O lobby das petrolíferas conquistou hoje uma cabeça-de-ponte no pré-sal: eliminou os 30% obrigatórios da Petrobras. Também fazem parte de seus objetivos acabar com as exigências de conteúdo nacional e trocar o regime de partilha pelo de concessão, da era FHC. Nele, as petrolíferas adiantam um dinheiro ao Tesouro mas embolsam todos os lucros do petróleo posteriormente extraído.

No caso do pré-sal, isso é mamão com açúcar, dado o baixo risco de não encontrar petróleo e a possibilidade de ganhar dinheiro mesmo com o preço deprimido do produto (a Petrobras retira petróleo do pré-sal a U$ 8 ou U$ 9 o barril).

POSIÇÃO DÚBIA

Em janeiro deste ano, o Viomundo reproduziu com baixíssima repercussão notícia sobre uma visita do presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) ao ministro das Minas e Energia Eduardo Braga e à presidente Dilma Rousseff.

Ele saiu otimista de que a Petrobras perderia seu papel no pré-sal. Foi o que, para todos os efeitos, aconteceu nesta quarta-feira.

Uma imagem singela, de antes do debate desta tarde no Senado, assume significado em retrospectiva: ao lado de Renan Calheiros, que empurrou o projeto de Serra às pressas no Senado, aparecem o tucano e a senadora Sandra Braga, esposa de Eduardo Braga, o ministro de Dilma.

b5dcf5642586e3aedefe72f77f3e6efd

“Não tenho dúvida de que se o governo jogar com decisão e firmeza enterra o projeto entreguista de Serra”, escreveu o senador Roberto Requião no twitter antes da votação.

Depois, resumiu: “Deixamos de derrotar a proposta do Serra porque o governo se aliou a ele. Fique o registro para a história”.

E, em seguida, reproduziu o tweet da Carta Maior: “Serra, o vitorioso da noite: quebrou o regime da partilha como prometera à Chevron; ganhou respeitabilidade que nunca teve. Graças ao governo”.

Serra, num aparte durante o debate no Senado, incluiu o WikiLeaks entre os “blogs sujos”. Mas o telegrama vazado sobre ele não deixa dúvidas.

FullSizeRender (1)

Conforme noticiou a Folha em 2010:

“Deixa esses caras [do PT] fazerem o que eles quiserem. As rodadas de licitações não vão acontecer, e aí nós vamos mostrar a todos que o modelo antigo funcionava… E nós mudaremos de volta”, disse Serra a Patricia Pradal, diretora de Desenvolvimento de Negócios e Relações com o Governo da petroleira norte-americana Chevron, segundo relato do telegrama.

O despacho relata a frustração das petrolíferas com a falta de empenho da oposição em tentar derrubar a proposta do governo brasileiro.

O texto diz que Serra se opõe ao projeto, mas não tem “senso de urgência”. Questionado sobre o que as petroleiras fariam nesse meio tempo, Serra respondeu, sempre segundo o relato: “Vocês vão e voltam”.

A executiva da Chevron relatou a conversa com Serra ao representante de economia do consulado dos EUA no Rio. O cônsul Dennis Hearne repassou as informações no despacho “A indústria do petróleo conseguirá derrubar a lei do pré-sal?”.

A derrubada, diz o Viomundo, começou!

Abaixo, como votaram os senadores:

Captura de Tela 2016-02-25 às 00.13.13 Captura de Tela 2016-02-25 às 00.13.29 Captura de Tela 2016-02-25 às 00.15.35

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
Captura de Tela 2016-05-28 às 10.40.41
28 - mai 0

Diretor do Ministério da Saúde se demite denunciando retrocessos sob Ricardo Barros

O engenheiro Barros dispensou um técnico e colocou a mulher na comitiva! Diretor do Departamento de Aids, Fábio Mesquita, pede demissão por incompatibilidade com atual governo 27/05/2016, na Agência de Notícias da Aids Fábio Mesquita, diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais há três anos, anunciou hoje em sua página no Facebook que […]

62 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Fernando

17/04/2016 - 16h42

Eeeeeeeeee serra canalha não presta mesmo, nunca prestou, traiu a une traiu o brasil, um lixo de governador, se bem que são paulo merece!!!!!!!

Responder

maria de lourdes Vilaça

27/02/2016 - 02h10

Você disse tudo que eu queria saber para entender, gostaria de publicar seu comentário no meu face, é
possível? mas excluindo todos os outros.

Responder

Edivaldo

26/02/2016 - 00h59

Parabens Lindenberg Faria, Parabens Requião nobres senadores, brasileiro de verdade.

Responder

Urbano

25/02/2016 - 22h08

Salvo raríssimas exceções, os idiotas de ontem são os mesmíssimos de hoje; a única diferença é a leseira em idade mais avançada, inda mais se tiver recebido reforço da demência…

Responder

Gilberto Santel

25/02/2016 - 16h59

Sou pré-64.Fico imaginando os que agora atacam(com ou sem razão) o José Serra, hoje “entreguista”, “safado”,’reacionário” “amoral”, “demopessedebista”, “traidor lesa-pátria” e por ai segue seu enterro na mídia virtual.
E quem foi Serra?Apenas e tão somente o presidente da combativa, radical, nacionalista, progressista UNE(União Nacional dos Estudantes) quando aconteceu o golpe militar de 1964.Preso, exilado no Chile, um dos mais combativos e atuantes políticos da nova safra do MDB e depois PMDB.Que tanto lutaram pela redemocratização do pais.Principalmente através das Diretas Já e no Colégio Eleitoral que elegeu Tancredo Neves o presidente do Brasil em 1985.Ministro de estado, governador e prefeito de São Paulo, candidato duas vezes á Presidência,foi sempre considerado um político “de esquerda”.Hoje, Serra para essa mesma “esquerda” apenas se traduz apenas em um entreguista e privatista corrupto.Um homem nefasto aos reais interesses do país.Execrado por ex-companheiros de ideologia e atirado em sua honra pessoal ao mar de lama a que são condenados todos os que não cumprem o que a “inconspurcácel” cartilha do PT dita como norma de conduta política.Mensalão e Petrolão são dois exemplos emblemáticos desse procedimento ético.A desconstrução de Dilma já teve início.O resto fica por conta dos neo aloprados petistas de plantão.Defender a Petrobrás é um dever cívico.Ultrajar, todavia, quem tem história de vida comprovada , não é o caminho das pedras para defender bandeiras sócio-políticas por mais nobres que possam ser.

Responder

    Kepler Sales

    25/02/2016 - 19h11

    O que que tem tudo isso. Hoje, assim como Marta Suplicy e Dilma ele não passa de um traidor, lesa-pátria, demopsdpeemedebista e tudo que não presta.

    Carlos C.

    25/02/2016 - 23h02

    Caso você não saiba José Serra se encontrava em Santigo do Chile, quando ocorreu o golpe contra Salvador Allende. Havia sido preso e levado ao Estádio Nacional, juntamente com milhares de pessoas, presas também nesta ocasião. É isto que a ” História ” conta, agora eu te pergunto : como uma pessoa de esquerda e militante, que havia saído do país depois do golpe de 1964, de repente é presa em outro golpe ocorrido e reaparece milagrosamente nos Estados Unidos ? Simples meu caro, ele já havia sido cooptado pelos órgãos de inteligência norte americanos (CIA), isso é praxe deles fazerem. Qualquer dúvida, se informe na sorveteria Dileto.

    Vicente

    26/02/2016 - 09h12

    Para petistas, o Serra é direita, entreguista… para tucanos, o Serra é o mais social-democrata do partido.

Silvio R. Calaço

25/02/2016 - 16h07

E agora, PTlegos puxa-saco do PT, quem entregou a PETROBRAS? Serra, juntamente com o PSDB e Dilma juntamente com sua bancada! Vergonha, partido sem-vergonha!

Responder

alex

25/02/2016 - 15h15

AZENHA … e blognautas: alguém aqui tem a informação de quando isso será votado na Câmara?

Responder

emerson57

25/02/2016 - 15h01

Já deve ter começado a pressão das petroleiras alienígenas para contratar as melhores cabeças da Petrobrás. Junto com o petróleo irá a tecnologia das aguas profundas detidas por essa engenharia. Já não precisamos mais do submarino nuclear para defender o pré sal. Ele já foi entregue por módicos trinta dinheiros.
O povo brasileiro….bem o povo brasileiro sempre poderá plantar bananas.
Parabéns ao maior partido do Brasil, o PIG por mais essa proeza: arriamos as calças para os gringos. Por ninharias porque somos cucarachas.

Responder

Ana Maria Faria

25/02/2016 - 14h31

Concordo e transcrevo comentario do site: http://www.ceilandiaemalerta.com.br/veta-dilma-o-petroleo-e-nosso/
“Dilma cancelou uma visita à Fio Cruz, passou a tarde com o presidente da Petrobras e tentou barrar o projeto até às 18 horas. Vendo que a aliança PMDB/PSDB seria vitoriosa, Dilma convocou o líder Humberto Costa e exigiu a preferência da Petrobras no PLS 131. O substitutivo de Romero Jucá foi acertado de última hora e evitou que a estatal tivesse perdas maiores. Dilma argumentou que não abria mão da preferência da Petrobras nos novos campos. O grande problema foi a falta de comunicação do governo com sua base (deficiência crônica dos governos petistas) e acabou pegando Lindbergh, Requião e os demais de surpresa. Corre a versão de que o governo teve que fazer um recuo estratégico, afinal, a batalha ainda vai passar pela Câmara. Por último, cabe o veto presidencial. Sobre o veto, ele pode ocorrer devido à promessa da FUP, CUT e parlamentares petistas de que vão usar de todas as armas para barrar o projeto. Ou seja, vão fazer uma pressão que faltou nas últimas semanas. Eu, particularmente, fico muito consternado com a fragilidade de Dilma Rousseff no que concerne às disputas políticas, porém, acho precipitado e covarde fazer fogo amigo em um contexto de ameaças e golpes. “

Responder

Bacellar

25/02/2016 - 13h31

Quais são as alterações do substitutivo?

Não cabe à esquerda ficar choramingando, devemos iniciar uma pressão forte pelo veto. ” Ah mais houve acordo”…Quantos acordos foram rompidos pela oposição? Hora de combater fogo com fogo. Se a cúpula central do governo não faz sua parte temos que fazer a nossa; seguir denunciando, pressionando e exigindo o veto.

Responder

    mineiro

    25/02/2016 - 16h29

    concordo plenamente , so ficar descendo pau nesse desgoverno sem vergonha e traidor nao vai adiantar, mesmo que ele merece coisa ainda pior . mas temos que sim combater esse entreguismo a qualquer custo, porque o povo ta sozinho com poucos politicos de vergonha na cara , acredito eu ainda nao se vendeu. tem que partir do povo tambem para fazer presso em cima desses vendilhoes de patria. se existir alguma frente de esquerda que comece a mobilizar o povo , porque a coisa vai ficar ainda pior se ninguem fazer nada.

Messias Franca de Macedo

25/02/2016 - 13h21

… E SÓ FOR UMA SENHA CONTRA A SANHA?!

Em meio a este turbilhão golpista, a presidente Dilma Rousseff poderia ter emitido uma senha à nação:
dar voz e vez ao honesto, leal, generoso, sapiente e impávido povo trabalhador brasileiro!
Neste momento, não tendo, circunstancialmente, condições de barrar a sanha entreguista dos infames safados DEMoTucanos &$ PMDBostas, caberia ao povo arregimentar forças no sentido de escorraçar a turba antinacionalista, entreguista e [mega]corrupta!
Ou seja, ninguém duvide da resiliência da nossa presidente Dilma Vana Rousseff!
Mesmo porque para quem resistiu – durante longevos três anos- a todo infausto de violência de marginais fardados durante o regime militar, “dar um drible da vaca nestes safados” seria algo comezinho!

Gol de placa da presidente Dilma Rousseff?!
E/ou cheque-mate nos pilantras abestados?!
A conferir!

Responder

    Rodrigo

    25/02/2016 - 14h35

    Santa inocência, Batman.

Marat

25/02/2016 - 13h06

Dilmarta se rendeu aos paneleiros dos jardins e às dondocas, cuja profissão é ser esposa de maçom… Que vergonha. Sugestão: Use botox e faça plásticas, como a Marta (ou morta?)

Responder

Marat

25/02/2016 - 13h02

P$DB, DEM (o termo DEM e piada…) PMDB e demais escórias deveriam se unir e fundar um partido, o PM (Partido da Maçonaria). Seu símbolo seria o Clinton atrás do FHC, o nosso Mônico Lewinsko.

Responder

Marat

25/02/2016 - 13h01

É mais que urgente que os políticos dignos e honestos fundem um partido de ESQUERDA no Brasil! Dilma, o lixo do PSDB e a escória do PMDB (com raras exceções) ficariam de fora!

Responder

Marat

25/02/2016 - 12h59

Essa merda de polícia federal e esse bosta de ministro, o zé, poderiam mandar os figurões ali investigarem a propina que esses malandros do senado ganharam das petroleiras assassinas multinacionais

Responder

Irion

25/02/2016 - 12h47

Privatista a Dilma sempre foi, ao contrário do Lula. Entreguista ficamos sabendo agora! O PT precisa se desvincular de Dilma, parar de dar apoio a medidas neoliberais (tipo reforma da Previdência), se quiser ter um futuro político. Dilma não tem compromisso com ninguém!

Responder

Fernando

25/02/2016 - 12h45

Depois dessa, Obama pode até desativar a 4a frota.

Responder

Urbano

25/02/2016 - 12h16

E o ano de 1999 se repete… Daí vem a lembrança do antigo adágio: ‘Junta-te aos bons e serás um deles. Junta-te aos maus e serás pior do que eles’.

Responder

Messias Franca de Macedo

25/02/2016 - 11h55

[Da Série ‘Os ineditismos do Brasil’!]

AINDA SOBRE O ACORDÃO ENTREGUISTA DA NOVA PETROBRAX!

… É o primeiro projeto de Lei “aprovado por um governo que ainda não tomou posse”!
Ah esta TUcanalha golpista!
Ah esta Casa Grande infame e imunda!
Ah este ‘Império do Norte’ predador!
(…)

E ‘nois’ enterrados nas sombras profundas do pré-sal!

A sina [Kármica?!] de ser brasileiro!…

Responder

Rodrigo

25/02/2016 - 11h50

Grande parte da população já havia acordado para a mentirosa mor em janeiro do ano passado, com as promessas feitas até outubro sendo descumpridas uma após outra. Agora ela termina o ato enfiando punhal diretamente em sua base de apoio.

Essa senhora não se elege novamente nem para sindica de condomínio.

Responder

Messias Franca de Macedo

25/02/2016 - 11h43

… E a respeito da política de conteúdo nacional?!

E a preservação do conhecimento científico e tecnológico desenvolvido pela Petrobras?!
Será também entregue de bandeja aos estrangeiros predadores?!

(…)

Responder

    Hell Back

    25/02/2016 - 15h59

    E você ainda alguma dúvida?

Messias Franca de Macedo

25/02/2016 - 11h41

UMA DAS MUITAS PERGUNTAS QUE O BRASIL DO BEM TEM QUE FAZER AOS (IR)RESPONSÁVEIS PELO NEFASTO ACORDÃO

Como ficará a indústria naval brasileira?

À luz da reflexão, estive há poucos dias em Maragogipe.
Por muito tempo nesta cidade do recôncavo baiano a economia foi movida pela indústria de charutos [Fábrica Suerdieck] – e um pouco menos pela pesca.
Com a decadência da Fábrica a cidade vivenciou décadas de dificuldades econômico-sociais…
A alvorada dos tempos renasceria com a retomada da indústria naval.
Um estaleiro começara a funcionar, e um ‘boom’ de progressou iluminou a cidade:
geração de empregos e renda, reativação do comércio local, o sorriso da esperança nos lábios dos munícipes…
Pois bem, nesta mais recente viagem à Maragogipe [terra natal da minha mãe], encontramos a desolação, a tristeza campeando pelas águas, bosques e residências…

Portanto, presidente Dilma Rousseff, neste mísero acordão o que foi definido em relação a esse quadro de iníquo descalabro?
Ou a senhora pensa que “o controle remoto da Chevron, da Shell et caterva irá se apiedar e olhar para o povo maragogipano”?

Responder

Flavio de Oliveira Lima

25/02/2016 - 11h37

Hora de atravessar o Rubicão.
Por um partido de esquerda democrático!
Partido Socialista e Democrático até seria um bom nome, mas a confusão com social-democrata não recomenda.

Responder

    Messias Franca de Macedo

    25/02/2016 - 12h02

    Prezado e consciente Flávio,

    … Haveria também a confusão com a sigla PSD!
    Em sendo Partido Democrático Socialista, PDS!
    Cruz Credo!
    Risos

    No entanto, realmente, urge em nosso país a necessidade da criação de um Partido político de natureza democrática e socialista.

    Que tal,
    Liga Socialista e Democrática!
    Bom, aí, a turma do ‘BOSTOnaro &$ do (IN)Feliciano iria implicar com a nomenclatura!
    LSD é bastante sugestivo!

    Sinceramente, somente sorrindo!
    E, definitivamente, este não é um país minimamente sério!

jorge

25/02/2016 - 10h03

ESSA E´UMA PUNHALADA NAS COSTAS DO BRASIL E FERE DE MORTE A EDUCAÇAO SAUDE E OS PROGAMAS SOCIAIS E´TRISTE VER UMA MULHER QUE LUTOU CONTRA A DITADURA E CONTRA O ENTREGUISMO DAS RIQUEZAS BRASILEIRAS QUE VIU A MORTE DE PERTO MUITAS VEZES E MANTEVE SUA ALTIVEZ . E HOJE SE AJOELHA COMO UMA PROSTITUTA DOS SEUS ALGOZES COMO A PROSTITUTA MAIS CARA DO BRASIL TORNANDO ESSE PAIS PASTO PARA OS AMERICANOS PODE APOSTAR OUTRAS RIQUEZAS COMO AMAZONIA ETC TERAO EFEITO CASCATA A ESQUERDA TEM QUE SE LEVANTAR CONTRA O CONGRESSO FECHAR ESSE COVIL DE LADROES E FAR PRECISO SACRIFICAR VIDAS

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    25/02/2016 - 11h57

    Jorge, que tal escrever em minúsculas? Obrigado.

mineiro

25/02/2016 - 09h56

tava estranho de mais , esse congresso safado , sem vergonha, traidor , vende patria por esse projeto assim a torto e a direito, sem apoio desse desgoverno traidor , era praticamente impossivel sair bem sucedido. a verdade é que estao todos do mesmo lado ou melhor um lado so , o verdadeiro arquiteto dessa plano maligno é o governo, o senador vendedor de patria , o serra maligno é so testa de ferro. quem quer acabar com o brasil , nao é a oposiçao nao , é esse desgoverno traidor. gente para que ela vai vetar seno que ela apoiou o projeto. se nao tivesse apoio desse desgoverno , o projeto nem iria a votaçao.

Responder

Messias Franca de Macedo

25/02/2016 - 09h18

… Em paralelo, e se somente “agora” o governo identifica o DEMoTucano fascista “juiz” sérgio ‘mor(T)o’ em sendo um agente da conspiração contra mais de 54 milhões de votos, a atitude Constitucional da presidente Dilma Rousseff deveria ser o de ocupar, sistematicamente, cadeia nacional de rádio e televisão denunciando a tentativa do golpe de estado em curso…
Nada mais democrático, verdadeiramente republicano, civilizatório e… Constitucional.
Ou a presidente Dilma Roussef ainda mantem a tese de que o povão deve ser informado via controle remoto do *PIMG?!
*PIMG: Partido da Imprensa Mafiosa e Golpista

E a militância de esquerda?
Infartada numa UTI do SUS!

Responder

Sidnei Brito

25/02/2016 - 09h17

Ciro Gomes, em entrevista recente, falou do risco de o mandato de Dilma ser assegurado somente por aqueles que têm condições de defender a democracia em abstrato: os que têm bons empregos, com bons salários, que trabalham em salas com ar-condicionado. Noutras palavras, a defesa do mandato de Dilma seria só em respeito ao princípio democrático, não pelo que ela está fazendo nos governos, levado em frente por gente que valoriza a soberania popular, que respeita as regras do jogo acima de tudo etc.
A coisa parece estar caminhando para isso. Os que têm bons empregos, com bons salários, que trabalham em salas com ar-condicionado e que amam a democracia por princípio, é bom lembrar, dificilmente vão fazer passeata de 50.000 pessoas descendo a Consolação…
Bem, quanto a mim, já vou avisando: eu odeio ar-condicionado.

Responder

Messias Franca de Macedo

25/02/2016 - 09h17

… O pragmatismo irresponsável do governo Dilma Rousseff e seus asseclas não permitiu a seguinte leitura:
ainda que perdesse no voto, a vitória política estaria assegurada!
Ademais, como seria doce o gostinho de ver a presidente Dilma Rousseff vetando o projeto infame do entreguista/antinacionalista safado DEMoTucano José (S)erra!
Como disse uma senadora:
“é preferível perder do lado certo, a ganhar do lado errado!”
Ao que parece o governo Dilma Rousseff está do lado dos seus impiedosos algozes!

Responder

Messias Franca de Macedo

25/02/2016 - 09h16

“Eu nunca imaginaria que este governo exporia a bancada do PT a tamanho vexame!”
Dileto(a) (e)leitor(a), pasme, a declaração foi proferida por uma senadora do…
Errou quem pensou [senadora] do PT ou do PC do B!
No plenário do Senado Federal, a frase dilacerante foi da autoria de uma senadora do… PMDB!
Juro!
Coitado do Lindberg Farias!
Idem para o Humberto Costa!
Idem para o Roberto Requião!
(…)
E a traição do governo ocorrendo justamente na hora em que até o Cristovam Buarque já reconhecia necessitar de muito mais tempo para analisar o projeto [do entreguista safado José (S)erra – adendo nosso]
E a militância de esquerda?
Infartada numa UTI do SUS!

Responder

Adriana Vieira

25/02/2016 - 09h16

Quanta decepção com a Presidente Dilma. E pensar que comprei tanta briga por causa dela!!!

Responder

crazy horse

25/02/2016 - 08h39

Agora o governo acabou.

Responder

Fabio

25/02/2016 - 08h34

Nenhuma novidade vindo de um governo fraco e entreguista como esse.
Qual a missão da sra Dilma?
Afunda o Brasil, destruir a esquerda e enterrar tudo que o presidente Lula fez.
Dilma é uma vergonha, é realmente uma terrorista, com a missão de explodir o Brasil.

Responder

Ninguém

25/02/2016 - 08h17

Para mim, o governo Dilma acabou. Continuarei defendendo a democracia. Continuarei defendendo a luta contra o golpe. Continuarei defendendo a instituição da PR. Agora, defender e apoiar esse governo covarde, não dá mais.

Responder

Helena/S.André SP

25/02/2016 - 08h04

Senador Lindberg Farias, eu também me sinto traída por Dilma. O sr. não está sozinho nessa. E acabei de ler que o novo diretor de redação da revista Veja, sr. André Petry, é um jornalista que já se colocou contra o impeachment de Dilma. Não vou me surpreender nenhum pouco se a partir de agora até a Veja passar a tratar da. Dilma com mais condescendência. Afinal, seu governo “cedeu” ao que a direita queria. Quem cede uma vez, cederá sempre. E o povo que se exploda…..

Responder

Eugênio Diniz

25/02/2016 - 07h24

Que nojo! Que vontade de vomitar!

Responder

Jorge

25/02/2016 - 07h11

O governo Dilma e não o PT tem capitulado. O Presidente Lula defendeu a Petrobrás sem titubear, disse, inclusive, que não venderia nem mesmo os ativos. Esse governo, nem Lula defende. Companheiros e companheiras petistas, vamos salvar nosso partido e o presidente Lula, pois o governo que elegemos não nos pertence mais e nos persegue. Viva o PT! Viva Lula! Vamos nos organizar e retomar o nosso projeto de transformação! Dias melhores virão!

Responder

    mineiro

    25/02/2016 - 09h49

    se alguem ainda tinha duvida sobre esse fantoche de pres. agora nao tem mais. mas isso para min nao é novidade , desde o primeiro mandato ela ja tinha bandiado para o lado dos golpistas , so que nao mostrava , porque a situaçao nao estava ruim como agora. depois veio o segundo mandato que ela naos usou para ganhara as eleiçoes e depois um pe no nosso traseiro , pra min nao tinha mais duvida da traiçao dessa asquerosa maldita. entao gente , o povo , e os movimentos sociais que ainda nao compactua com essa traiçao e os politicos de bem , tem agora é que montar outra trincheira para defender é o nosso brasil. de agora em diante que se foda esse desgoverno maldito , pt safado e tudo mais. se o povo nao unir e faze pressao em cima dessa corja golpista , eles vao entregar tudo de mao beijada para os corvos dos la de fora. tem que preocupar agora é em defender o brasil ,esse desgoverno que vai para os quintos dos infernos. se bem que agora tanto faz tanto fez um como o outro , sao todos farinha do mesmo saco , agora é mesmo , nao é força de expressao mais nao. vamos lulinha paz e amor , o que voce tem a nos dizer sobre o seu fantoche traidor agora ? queremos ouvir , ate voce ela ta doida para ferrar. a luta agora é pelo brasil.

Julio Silveira

25/02/2016 - 05h18

A Dilma se mostrou traira a muito mais tempo, mas parece que a militância petista gosta de culpar o sofá.

Responder

Adilson

25/02/2016 - 03h33

Um governo que faz acordo com o reacionário, retrógrado e ultrapassado Chirico quer entrar para a história do Brasil pela porta dos fundos. Só nos resta os movimentos sociais, temos de exigir o veto desse monstro capitaneado pelo Cerra.

Responder

Caracol

25/02/2016 - 03h13

Mais do mesmo, só que sem máscara.
Razão tinha o Brizola, brasileiro de verdade, quando nos alertava: “trata-se do Conto do Operário”.
O que estamos assistindo é o Executivo puxar uma barbatana da sardinha pro seu lado, e assim faturar algumas migalhas da enorme grana que vai ser distribuída pelo lobby das petroleiras. Corrupção democratizada.
Sempre às custas do Brasil.
Para quem, como eu, viveu Getúlio Vargas, restam os sentimentos de frustração, tristeza e principalmente, vergonha.

Responder

    Nailza Ramos

    25/02/2016 - 09h41

    CALMA GENTE…NA POLÍTICA COMO NA GUERRA, HÁ MOMENTOS DE AVANÇAR E DE RECUAR….AS VEZES É PRECISO “DAR UNS DEDOS” PARA QUE NÃO LEVEM TODA A MÃO E O BRAÇO JUNTOS….

Luiz Clete

25/02/2016 - 01h17

O governo dilma acabou de vez, se liquefez a céu aberto.
Aos estrategistas do PT e do governo, quem não sabia que o serra, eleito qualquer coisa,
não iria propor isso? NUNCA me arrependi do meu voto, mas tenho esse sentimento ao ler
essa matéria, pois preferia que isso acontecesse em um governo aécio ou qualquer outro tucano.
As chances de eu votar no Lula ou em alguém do PT em 2018 é quase nula.
Essa não fosse uma derrota imposta pela mídia, judiciário, momento econômico, essa derrota foi mais um dar de ombros do governo para o legislativo e pelos erros de seus ministros.
Parabéns, PANELEIROS PAULISTAS, que muito preocupados com a corrupção, elegeu serra senador, essa vitória do entreguismo é de vocês também.

PRA MIM CHEGA DE DEFENDER O GOVERNO DILMECIO.

Responder

    cassio magalhaes

    25/02/2016 - 07h27

    Concordo! E se a lava jato e o tse recuar, saberemos o motivo desta decisão do governo.

    Marcos

    25/02/2016 - 07h38

    Sabe o que é pior, ao que tudo indica Aécio será presidente, dado o bombardeio que o PT sofre e decepção de quem votou em Dilma. Daí quando os que estão cegos acordarem e perceberem o golpe que foi dado contra o Brasil, ele vai poder dizer que o o governo do PT que abriu mão do pré-sal, que aumentou os impostos, que mexeu no direito dos trabalhadores, e o pior, não vai estar mentindo.

hb cwb

25/02/2016 - 00h56

Traição imperdoável, se for verdade, governabilidade não é sinônimo de traição! É o primeiro passo para perder o apoio de nós que votamos na Dilma e sempre defendemos o patrimônio nacional, entre governabilidade e governabilidade e o PT e o patrimônio nacional, continuo petista e defendendo o nosso patrimônio!

Responder

Antonio

25/02/2016 - 00h44

No segundo seguinte ao anúncio da aprovação desse projeto, terminou o governo covarde da dilma. (minúsculo).
dilma não traiu o senador, traiu mais de 54 milhões de brasileiros que acreditavam no Coração Valente que hoje vemos que é um coração covarde.
Trocou nossa soberania por mais três anos de mandato

Responder

JoãoP

25/02/2016 - 00h07

Ainda bem que os senadores do PT mantiveram a defesa dos interesses do País, mas a Presidenta… que decepção! Parabéns ao incansável Requião.

Responder

Lucas

24/02/2016 - 23h55

Sacanagem. Até hoje defendi o governo dilma, sou de esquerda. Começo a repensar minha posição (não ideológica) mas, de defender esse governo fraco e entreguista.

Responder

    Antonio

    25/02/2016 - 00h53

    São dois!

    Não dá mais para defender essa senhora!

Maria Carvalho

24/02/2016 - 23h33

Dilma só está “tentando respirar” até o final do mandato, para não sair “impichada”!
Apenas isso!
Estou revoltada!

Responder

    Antonio

    25/02/2016 - 00h56

    Então não seja covarde e renuncie!
    Fosse embora de cabeça erguida.
    De que adianta ficar!

    Hell Back

    25/02/2016 - 16h15

    Será que ela não negociou isso pelo encerramento do impeachment?

Nelson

24/02/2016 - 23h17

Mais uma “bola nas costas” dos trabalhadores, trabalhadoras e do povo brasileiro. Como eu já afirmei anteriormente, o governo Dilma está a fazer de tudo para ficar igualzinho aos governos tucanos.

Com um “aliado” desses os trabalhadores não precisam de inimigos. Ao invés de adotar a única posição que lhe resta para resgatar a credibilidade perante aqueles que a elegeram, a de romper com o neoliberalismo, Dilma resolver apertar aos mãos dos tucanos. Podemos “ensacar a viola” que este governo é”limão que não dá mais limonada”.

Responder

    Antonio

    25/02/2016 - 01h00

    Até agora dilma (minúscula) não procurou quem a elegeu.
    Hoje o Aécio em razão, mentiu, se não em questões econômicas, mentiu descaradamente quanto à soberania e o pré sal.
    Conhecemos hoje a verdadeira face do Coração Valente, o Coração Covarde!

Deixe uma resposta