VIOMUNDO

Propinoduto: Quando denunciado em manchete, tucano é apenas “político”

21 de novembro de 2013 às 11h28

Qui , 21/11/2013 às 07:14 | Atualizado em: 21/11/2013 às 09:16

Ex-diretor da Siemens envolve seis políticos com cartel

Fernando Gallo, Ricardo Chapola, Fausto Macedo | Agência Estado

do A Tarde, da Bahia

[Nota do Viomundo: Notem que no título eles são apenas “políticos”]

Em relatório entregue no dia 17 de abril ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), o ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer afirma que o hoje secretário da Casa Civil do governo Geraldo Alckmin (PSDB), deputado licenciado Edson Aparecido (PSDB), foi apontado pelo lobista Arthur Gomes Teixeira como um dos recebedores de propina das multinacionais suspeitas de participar do cartel dos trens em São Paulo.

O ex-executivo, que é um dos seis lenientes que assinaram um acordo um mês depois com o Cade em que a empresa alemã revela as ações do cartel de trens, também cita o deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP), aliado dos tucanos, como possível beneficiário.

Trata-se do primeiro documento oficial que vem a público que faz referência a supostas propinas pagas a políticos ligados a governos tucanos. Até agora, o Ministério Público e a Polícia Federal apontavam suspeitas de corrupção que envolviam apenas ex-diretores de estatais como a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

As acusações do ex-diretor da Siemens foram enviadas pelo Cade à Polícia Federal e anexadas ao inquérito que investiga o cartel de trens no Estado de São Paulo e no Distrito Federal.

No texto, Rheinheimer afirma ainda ter em seu poder “uma série documentos que provam a existência de um forte esquema de corrupção no Estado de São Paulo durante os governos (Mário) Covas, Alckmin e (José) Serra, e que tinha como objetivo principal o abastecimento do caixa 2 do PSDB e do DEM”.

“Trata-se de um esquema de corrupção de grandes proporções, porque envolve as maiores empresas multinacionais do ramo ferroviário como Alstom, Bombardier, Siemens e Caterpillar e os governos do Estado de São Paulo e do Distrito Federal”, escreveu.

Outros quatro políticos são citados pelo ex-diretor da Siemens como “envolvidos com a Procint”. A Procint Projetos e Consultoria Internacional, do lobista Athur Teixeira, segundo o Ministério Público e a Polícia Federal, é suspeita de intermediar propina a agentes públicos.

O documento faz menção ao senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), os secretários estaduais José Aníbal (Energia), deputado (PSDB-SP); Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos) e Rodrigo Garcia (Desenvolvimento Econômico).

Rheinheimer foi diretor da divisão de Transportes da Siemens, onde trabalhou por 22 anos, até março de 2007.

Ele e outro leniente prestaram depoimento à Polícia Federal em regime de colaboração premiada – em troca de eventual redução de pena ou até mesmo perdão judicial, eles decidiram contar o que sabem do cartel. Esses depoimentos estão sob sigilo.

Menções

Sobre Aparecido e Jardim, Rheinheimer sustenta em seu texto que “seus nomes foram mencionados pelo diretor-presidente da Procint, Arthur Teixeira, como sendo os destinatários de parte da comissão paga pelas empresas de sistemas (Alstom, Bombardier, Siemens, CAF, MGE, T’Trans, Temoinsa e Tejofran) à Procint”.

De Aloysio, Jurandir e Garcia, diz ter tido “a oportunidade de presenciar o estreito relacionamento do diretor-presidente da Procint, Arthur Teixeira, com estes políticos”. Sobre Aníbal, anotou: “Tratava diretamente com seu assessor, vice-prefeito de Mairiporã, Silvio Ranciaro.”

Ele ainda apontou o vice-governador do Distrito Federal, Tadeu Filipelli (PMDB), e o ex-governador do DF José Roberto Arruda como “políticos envolvidos com a MGE Transportes (Caterpillar)”. A MGE é apontada pelo Ministério Público e pela Polícia Federal como a outra rota da propina, via subcontratações – a empresa era fornecedora da Siemens e de outras companhias do cartel.

Rheinheimer diz ser o autor da carta anônima que deflagrou a investigação do cartel dos trens, enviada em 2008 ao ombudsman da Siemens. Ele relata ter feito as denúncias para se “defender de rumores sobre seu envolvimento neste escândalo”. O executivo assevera que, apesar de suas denúncias, a Siemens optou por “abafar o caso”.

Ameaça

No texto, ele se diz disposto a contar o que sabe, mas sugere receber em contrapartida sua nomeação para um alto cargo na mineradora Vale.

Rheinheimer afirma que queria induzir a Siemens a fazer uma autodenúncia ao Cade para facilitar a obtenção de autorização judicial para execução dos mandados de busca e apreensão nas outras empresas. Segundo ele, isso resolveria “o maior problema do Ministério Público de São Paulo, que é o acesso às provas para poder levar adiante suas investigações sobre corrupção ativa”.

“Além de envolver muitos projetos e dezenas de pessoas, o esquema de corrupção se estende por um longo período (1998-2012).” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia também:

Gerson Carneiro: Fujam para as montanhas!

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
25 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

FrancoAtirador

21/11/2013 - 18h41

.
.
ESTADÃO

“Cinco homens detidos em Minas Gerais”
“Dividiram uma única Sela” [!!!SIC!!!].

Pelo visto, os 5 homens foram a cavalo
de Belo Horizonte até Brasília.
E o cavalo nem banheiro tinha…

“Os cinco homens detidos em Minas Gerais, entre os quais Marcos Valério, dividiram uma única sela [!!!SIC!!!], sem banheiro.
Já Kátia Rabelo e Simone Vasconcelos ocuparam outro espaço, com direito a banheiro privativo.
Antes de seguirem para Brasília, os sete presos passaram por exame de corpo de delito.”

Sirvam-se de Print Screen:

(http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,dirceu-genoino-e-mais-sete-presos-em-minas-sao-transferidos-para-brasilia,1097356,0.htm)
.
.

Responder

Altemar

21/11/2013 - 16h54

Quem queria Manfred e Marísia mortos?

Responder

Mariza

21/11/2013 - 16h08

O que será que o PiG está tramando com essa denúncia mesmo de leve?

Responder

Roberto Locatelli

21/11/2013 - 15h54

A lei da ação e reação está a todo vapor no caso desse jornalecão: os donos estão tentando vende-lo, mas não há comprador interessado.

Responder

J.Carlos

21/11/2013 - 15h38

Matéria jornalística mostra fragilidade do candidato do psdb:

http://www.novojornal.com/politica/noticia/overdoses-de-aecio-e-a-morte-de-modelo-geram-retaliacao-19-11-2013.html

Responder

Francisco

21/11/2013 - 15h29

A nota no meio da página faz questão de lembrar que o Haddad “vaiado” é do PT. Um caso escabroso de corrupção que se estendeu durante mandatos e mais mandatos de um mesmo partido é de “políticos”.

Felizmente o povo brasileiro conhece a censura não é de hoje…

Num botequim, há algum tempo, saiu noticia na TV sobre um vereador ou prefeito do interior acusado de corrupção. Alguém perguntou de que partido o sujeito era. Um garçom comentou e um frequentador confirmou taciturno: não é do PT, não…

– Disseram ai?
– Não. Mas se fosse do PT, diziam…

Responder

Antonio C.

21/11/2013 - 14h15

Realmente, a página, no seu conjunto, é uma obra-prima do detrito sólido. Coloca a foto da Dilma com o Kassab, ao lado, chamada sobre o Genoíno e, acima, fala-se do trensalão. E o Haddad vaiado embaixo.

Responder

jose carlos lima

21/11/2013 - 14h15

NÃO VAMOS DEIXAR DE FALAR SOBRE O MENTIRÃO NUNCA, PELO MENOS ENQUANTO NÃO FOR FEITO JUSTIÇA – na época da ditadura, por causa da ditadura da Globo, eu ainda criança, pensei que Dilma, Genoino e outros fossem terroristas, afinal de contas o rádio repetiam o dia todo o discurso sobre os “mensaleiros”, ops, terroristas. Mas com o tempo tive acesso à verdade dos fatos e terminei me posicionando para o resto da vida ao lado dos “terroristas” e até votei numa delas prá presidente. Com isso estou querendo dizer que é só um a questão de tempo o outro lado da moeda vir à tona, não pense que o julgamento do mentirão será esquecido, claro que até hoje há quem pense que Dilma é terrorista, e se vc é um desses, isso não nos preocupa pq pessoas como vc estão do lado dos torturadores, mas para quem quiser ter acesso à verdade, segue coletânea de links para artigos da série O Mensalão Não Existiu. E não se apresse não, o tempo corre tão calmamente mas corre e um dia o povo brasileiro ficará sabendo de toda a verdade sobre esse julgamento farsesco, quando isso ocorrer quem sofrerá esculachos não será o Zé Genoino não, tá bom.

http://www.lexometro5.blogspot.com.br/2013/11/serie-especial-sobre-ap470-o-mensalao.html

Responder

PauloBR

21/11/2013 - 14h08

Vocês da sacanagem só viram a metade. A manchete menciona “políticos” e, logo abaixo, vem uma foto de… Dilma e Kassab. Para quem só vê jornal por alto, pendurado na banca…

Responder

leandro

21/11/2013 - 14h02

Olívio considera justa a prisão dos mensaleiros

“Funcionou o que deveria funcionar. O STF (Supremo Tribunal Federal) julgou e a Justiça determinou a prisão, cumpra-se a lei”, analisa o ex-presidente estadual e um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT).
No entendimento de Olívio Dutra, o desfecho da Ação Penal 470, conhecida popularmente como mensalão, foi uma resposta aos processos de corrupção que, historicamente, permeiam a política nacional, independentemente de partidos.

Responder

foo

21/11/2013 - 13h12

O nome dos tucanos de alta plumagem envolvidos só aparece no ***oitavo*** parágrafo:

“O documento faz menção ao senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), os secretários estaduais José Aníbal (Energia), deputado (PSDB-SP); Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos) e Rodrigo Garcia (Desenvolvimento Econômico).”

Se fossem do PT, a manchete seria:

ALOYSIO NUNES E JOSÉ ANIBAL ENVOLVIDOS NO PROPINODUTO

Mas como são do PSDB…

“Ex-diretor da Siemens envolve seis políticos com cartel”

Patético.

Responder

Mardones

21/11/2013 - 13h09

Depois do almoço, o site do uol resolveu incluir na chamada da matéria a palavra mais blindada do Brasil: PSDB.

Agora, os políticos – antes genéricos – ganharam partido. k k k k k

A blogosfera e os sujinhos estão sendo vigiados tb pelo PIG. k k k k k

Responder

Ozzy Gasosa

21/11/2013 - 12h39

A máfia tucana e o PIG são unidos até a morte.
Uns canalhas.

Responder

Mário SF Alves

21/11/2013 - 12h38

Enquanto isso, na BatCaverna… dois letreiros fluorescentes:

Logo na entrada, o regimento externo estampado em letras garrafais e em letreiro fosforescente (qual é mais tóxico o flúor ou o fósforo?):

“Aqui, não importa a cor do gato, importante é que ele pegue o rato.”

____________________________________

Cem metros mais adiante, outro letreiro (regimento interno da :

Art. 1º) Se for político do PT, rasga-se a Constituição e o rato o gato inventa.

Art. 2º) Atenção! Importantíssimo (com superlativo, mesmo)! Se for gente do PSDB, PiG e Cia, o gato nem tenta. O que era 700.000 vira setenta. O que era pra se hexa vira penta.

$ Único) Conforme consta no caput deste artigo e de agora em diante, o uso de instrumentos de tortura, especialmente, o casuístico, inconstitucional e antidemocrático dominó do fato, então, nem pensar. Está terminantemente proibido. Perdeu por completo a utilidade. Em em caso fortíto de acontecer do rato não ficar travado na antessala da BatCaverna, no engavetamento geral, e se, salvo possibilidade ainda mais remota, o rato chegar aqui, por cima dele o gato senta.

___________________________
Detalhe: Em todo o porão, o objeto mais aparente é o cinto de inutilidades. No cenário, salta aos olhos dois penduricalhos já bastante enferrujados. De um lado o PiG, de outro a ¹Teoria do Domínio do Fato, com os dizeres, “Isso, nem na Alemanha Nazista de 1939″.
_____________________________________________________
¹A teoria do domínio do fato (português brasileiro) ou teoria do domínio do facto (português europeu) afirma que é autor, e não mero partícipe, a pessoa que, mesmo não tendo praticado diretamente a Infração penal, decidiu e ordenou sua prática a subordinado seu, o qual foi efetivamente foi o agente que diretamente a praticou em obediência ao primeiro. O mentor da infração não é mero Partícipe, pois seu ato não se restringe a induzir ou instigar o agente infrator, pois havia relação de hierarquia e subordinação entre ambos, não de mera influência resistível.

Como desdobramento dessa teoria, se entende que uma pessoa que tenha autoridade direta e imediata a um agente, ou grupo de agentes que pratica ilicitude, em situação ou contexto que tem conhecimento , ou necessariamente deveria tê-lo, essa autoridade poderia ser responsabilizada pela infração do mesmo modo que os autores imediatos. Tal entendimento se choca com o Princípio da inocência, segundo o qual, todos são inocentes, até que se prove sua Culpabilidade, pois essa teoria diz que, para que a autoria seja comprovada, basta a dedução lógica e a Responsabilização objetiva, supervalorizando os indícios.

Criada por Hans Welzel em 1939 para julgar os crimes ocorridos na Alemanha pelo Partido Nazista, consiste na aplicação da pena ao mandante de um crime, mas como autor e não como partícipe do crime. Na época do julgamento dos crimes do Partido Nazista, devido à jurisprudência alemã, a teoria não foi aceita.1

Responder

    Mário SF Alves

    21/11/2013 - 14h06

    Correção: No penduricalhos do cinto de inutilidades, onde se lê “Isso, nem na Alemanha Nazista de 1939, leia-se “Isso, nem na Alemanha pós-nazista.”

Mariano

21/11/2013 - 12h17

No horroroso programa do jô, as “meninas do jô”, coitadas meu Deus perdoem que elas não sabem o que falam, mas o mensalão tucano prá elas é mensalão mineiro.

Responder

    marco

    21/11/2013 - 12h42

    O Jô não conta, ele é irmão do Roberto Gurgel.

Joao Carlos Santos

21/11/2013 - 12h11

Deixei um comentário no site CartaCapital dizendo que os PETISTAS apesar de serem GOVERNO e terem indicado 8 dos 11 ministros do STF foram CONDENADOS, estão na cadeia, isso significa o quê? Que o governo do PT é ou não democrático? Mesmo deixando apenas essa opinião, até o momento os moderadores não liberaram o comentário, mais de 3 horas já (foi as 07:30), agora são (11:00), então significa o quê no site da CartaCapital?

Responder

    Mário SF Alves

    21/11/2013 - 12h43

    Tem certeza que foi na Carta Capital? Tem certeza que não foi no site da Isto É ou no da (in)Veja?

    Lafaiete de Souza Spínola

    21/11/2013 - 13h14

    Mário,

    Sim, quase que não comento, hoje em dia, na Carta.

    Não sei o que passa!

    Lafaiete de Souza Spínola

    21/11/2013 - 13h09

    João Carlos,

    Hoje, está difícil deixar um comentário em Carta Capital.

    Ou os moderadores são outros ou recebem orientações complicadas para o julgamento.

    E por convicção, evito ataques pessoais!

    Mino Carta, o que passa?

Panino Manino

21/11/2013 - 11h41

Entregou geral em Abril, até agora nada.

Responder

Mardones

21/11/2013 - 11h38

Caixa Dois do PT é formação de quadrilha e merece as manobras criminosas do Barbosão e do PIG para eliminar os envolvidos no caso.

Caixa Dois do PSDB e do DEM seria um coletivo de quadrilha? rs rs rs.

Imagina o Gilmar Dantas julgando o metrosão:

Diria o Gilmar:

– Gran-des em-pre-sas mul-ti-na-ci-o-na-is corrompem políticos cheirosos e bem preparados do PSDB e da ARENA. Durante a Era PSDB-DEM que tem devastado o estado de São Paulo há anos a fio. k k k

Responder

Luís Carlos

21/11/2013 - 11h37

Tucano não tem partido? PSDB não é partido.

Responder

Deixe uma resposta