VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

CRM-MG vai denunciar cubanos, mas nega que sugeriu omissão de socorro

23 de agosto de 2013 às 19h11

João Batista Soares, presidente do CRM-MG: “Eu não disse que eu não disse!”

Presidente do CRM-MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de socorro

por Conceição Lemes

No meio desta tarde de sexta-feira 23, recebi este e-mail de Ana Reis, médica que sempre trabalhou com Saúde Coletiva:

Você já viu isto? A meu ver trata-se de um caso explícito de incitação à  omissão de socorro, salvo inautenticidade da matéria jornalística, o que requiriria imediata negação.

 Junto veio o link para o texto que reproduzo abaixo [os grifos em vermelho são meus]:

Ana Reis se referia, especificamente, ao trecho: “Vou orientar meus médicos a não socorrerem erros de médicos cubanos”, diz presidente do CRM/MG.

João Batista Gomes Soares, crítico ferocíssimo do programa Mais Médicos,  é o presidente do Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRM-MG).  

Essa declaração de João Batista, que está hoje em vários sites, deixou Ana Reis tão indignada que ela encaminhou denúncia ao Conselho Federal de Medicina (CFM) para que apurasse. Justificativa: A omissão de socorro é vedada pelo Código de Ética e punida pelo Código Penal.

“Um presidente de Conselho não pode incitar os colegas à omissão de socorro!”, condena Ana. “No caso de atendimento por charlatães, o que não é o caso dos médicos estrangeiros, não se pode socorrer uma pessoa vítima de prática enganosa? Onde já se viu isso?!”

“E quanto aos 54,5 % de reprovados no exame de 2012 do Cremesp, que receberam autorização para exercer a Medicina, e cobram o exame para  revalidação dos estrangeiros?!”, detona Ana. “Em defesa da integridade da população e do direito à assistência médica de qualidade, não se pode ter dois pesos e duas medidas.”

Em defesa da integridade da população e do direito à assistência médica de qualidade, não se pode ter dois pesos e duas medidas.”

Entrevistei, então, o presidente do CRM-MG sobre o Mais Médicos, incluindo as suas declarações.

Viomundo — Por que é contra a vinda dos médicos cubanos?

João Batista Soares —  Essa questão da vinda de qualquer médico para o Brasil, seja ele cubano ou não, é que ele cumpra o que está na lei de diretrizes e bases.  Então, se eles cumprirem a legislação, nós não somos contra. Nós somos contra se eles vem sob medida provisória.  É função do conselho fiscalizar o exercício da medicina.

Viomundo —  O senhor disse que se ouvir dizer que tem médico cubano atuando em Nova Lima, por exemplo, vai mandar lá uma equipe de fiscalização.

João Batista Soares — Nós vamos fazer isso em todas as regiões de Minas. Em todos os locais que a gente souber que tem médico cubano, nós vamos mandar a fiscalização, mas sem hostilização.

Viomundo — Mas disse que se o médico cubano não tiver o diploma revalidado no Brasil e  registro no CRM-MG, vai à delegacia denunciá-lo.

João Batista Soares –É exercício ilegal de  medicina.  Qualquer cidadão que exerce medicina sem registro no Conselho Regional de Medicina, nós denunciamos. Nós vamos denunciá-los [os cubanos] por exercício ilegal da medicina, da mesma forma que fazemos com charlatães e curadeiros.

Viomundo — Se isso acontecer, o que vai fazer?  

João Batista Soares –Eu vou à delegacia fazer uma ocorrência policial, que é o que a gente faz normalmente. Nós já tivemos prisão de falsos médicos.

Viomundo — Mas eles são médicos!

João Batista Soares — Mas não estão dentro da nossa legislação.

Viomundo —  O senhor disse também que irá orientar os seus médicos a não socorrerem erros de médicos cubanos.

João Batista Soares — Aí, houve uma interpretação um pouquinho superficial. Quando você pega um caso que já foi atendido por uma outra pessoa que você não sabe que é médico, você não é obrigado a assumir aquelas complicações.  Evidentemente que você vai atender o paciente, mas vai esclarecê-lo que qualquer complicação advinda daquela complicação não é de sua responsabilidade. Porque você pegou o caso  já num estágio avançado. Esse é o sentido.

Viomundo — Daria para  ser um pouquinho mais claro?

João Batista Soares —  O médico cubano atende um paciente na unidade básica de saúde com diarreia. Em Cuba, esses casos são tratados como diarreia. Então, ele trata como diarreia. Ele não consegue exame adequado e o diagnóstico de que aquilo é uma apendicite.  Nesse meio tempo, aquilo [o apêndice] inflama na barriga do indivíduo,  supura e inflama toda a barriga dele. Dá o que a gente chama de peritonite.

Na hora em que for operar esse paciente o risco é muito maior.  Eu vou ter que operar, mas vou ter que esclarecê-lo que o risco dele é muito maior. Também que o que ocorreu até aquele momento não é responsabilidade minha.  Eu me isento daquela responsabilidade. Eu registro isso.

O risco que ele vai correr muito aumentado pelo atraso do diagnóstico não é problema meu,  mas eu tenho de operá-lo. Quando acontece com um médico brasileiro, registrado, o paciente vem e denuncia no Conselho. Nós apuramos aqui e punimos esse médico.

E quando acontecer com esse indivíduo [médico cubano] que vem de lá sem cumprir as normas, como é que nós vamos fazer? Como esse indivíduo vai indenizar civilmente  o paciente se ele não tem patrimônio?

Viomundo — Está dizendo que não disse que vai orientar os seus médicos a não socorrerem erros de médicos cubanos?

João Batista Soares — Eu não estou dizendo que eu não disse. Eu estou dizendo que a interpretação é esta.

Viomundo — O senhor disse mesmo que vai orientar os seus médicos a não socorrerem erros de médicos cubanos?

João Batista Soares — Disse, mas a interpretação é outra, é sobre a responsabilidade.

[Gostou deste conteúdo? Ajude-nos a produzir mais, assinando o Viomundo]

Leia também:

Médico que duvida de estrangeiros tem filhos “importados” de Cuba

Mílton de Arruda Martins: “Elitização brutal” ajudou a concentrar médicos

O mau jornalismo da Folha no caso dos médicos “desistentes”

Juan Carlos Raxach: Carta de um médico cubano

Cebes: O SUS precisa de mais médicos. E muito mais!

Dr. Rosinha: Médicos estrangeiros são bem-vindos

Fátima Oliveira: Quem deve lavar as louças sujas são os governos

temer e aposentadoria 5
17 - fev 1

Vagner Freitas: Reforma do Temer quer acabar com sua aposentadoria; reaja agora ou morra trabalhando

15 de março, dia nacional contra a reforma da previdência

Lava Jato janot 2
17 - fev 6

Nassif: A Procuradoria Geral da República atua para quebrar a Odebrecht

A que interesses realmente servem a Lava Jato e PGR servem?

 

243 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Leitores falam sobre o fracasso do "maior protesto da História" no 7 de setembro. A Copa do Mundo vem aí - Viomundo - O que você não vê na mídia

08/09/2013 - 17h33

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Arthur Chioro: "Vamos fazer o melhor para que depois os médicos fiquem como funcionários" - Viomundo - O que você não vê na mídia

07/09/2013 - 23h09

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

André Singer: A esquerda ganhou a primeira partida - Viomundo - O que você não vê na mídia

07/09/2013 - 09h09

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Miguel do Rosário: José Dirceu e o declínio da Globo - Viomundo - O que você não vê na mídia

02/09/2013 - 20h01

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Em campanha, O Globo do Chile usa o espantalho do chavismo - Viomundo - O que você não vê na mídia

02/09/2013 - 12h18

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Paulo Metri: Falta o povo descobrir sobre a entrega de Libra - Viomundo - O que você não vê na mídia

02/09/2013 - 11h26

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Julie Feinsilver estudou a diplomacia médica cubana: mortalidade infantil cai 50%; FBI vigiou socióloga - Viomundo - O que você não vê na mídia

01/09/2013 - 16h57

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Tijolaço: Sobre os "pequenos maquiadores do monstro" - Viomundo - O que você não vê na mídia

01/09/2013 - 08h47

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Médica brasileira, formada em Cuba: Brasil é um país "medicalocêntrico" - Viomundo - O que você não vê na mídia

31/08/2013 - 13h36

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Médico de Goiás acha que foi demitido por causa dos cubanos; chefe do PSF diz que não - Viomundo - O que você não vê na mídia

30/08/2013 - 20h41

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Em livro, Palmério Dória revela identidade de deputado: gravou colegas que venderam votos para reeleger FHC - Viomundo - O que você não vê na mídia

30/08/2013 - 07h49

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Maria Luiza Tonelli: A histeria e o Estado democrático de Direito - Viomundo - O que você não vê na mídia

29/08/2013 - 22h04

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Izaías Almada: É doloroso ver médicos guevarianos vaiados por abdelmassihs - Viomundo - O que você não vê na mídia

29/08/2013 - 20h30

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Tijolaço: A fala de Jorge Pontual que a Globonews escondeu - Viomundo - O que você não vê na mídia

29/08/2013 - 18h50

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Adriane Fugh-Berman: Indústria farmacêutica expande diagnósticos e inventa novas doenças para vender remédios - Viomundo - O que você não vê na mídia

29/08/2013 - 18h18

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Dr. Rosinha: A tentativa de jogar no colo do PT a culpa exclusiva pela não cassação do deputado Donadon - Viomundo - O que você não vê na mídia

29/08/2013 - 16h16

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Movimentos sociais fazem novo ato na Globo sexta-feira - Viomundo - O que você não vê na mídia

29/08/2013 - 11h09

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

MPL e outras entidades acionam SP por repressão em junho - Viomundo - O que você não vê na mídia

29/08/2013 - 11h08

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Justiça decide: CRM-MG não pode negar registro a médicos estrangeiros - Viomundo - O que você não vê na mídia

28/08/2013 - 22h30

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Regulamento do Fundo Visanet prova que Pizzolato é inocente - Viomundo - O que você não vê na mídia

28/08/2013 - 17h59

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Juan Delgado: Brasileiros deveriam ir aos lugares mais pobres - Viomundo - O que você não vê na mídia

28/08/2013 - 14h56

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Cremego abriga ataque a Dilma e pede a médicos que denunciem SUS - Viomundo - O que você não vê na mídia

28/08/2013 - 13h08

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Diane Sousa: A cor da pele e a renda dos pacientes importa - Viomundo - O que você não vê na mídia

28/08/2013 - 12h42

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Jornal da Band: Os tucanos e a Castelo de Areia - Viomundo - O que você não vê na mídia

28/08/2013 - 12h17

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Médico brasileiro dá boas vindas aos cubanos: Que eles ajudem no "resgate do raciocínio clínico" - Viomundo - O que você não vê na mídia

27/08/2013 - 18h45

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Gerson Carneiro: Em Fortaleza, estupidez nota 1000 - Viomundo - O que você não vê na mídia

27/08/2013 - 11h39

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Fátima Oliveira: "Ah, pode dar uma olhadinha aqui?" - Viomundo - O que você não vê na mídia

27/08/2013 - 11h09

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

Eduardo Oliveira

25/08/2013 - 21h36

A atenção básica sempre vem sendo negada ao pacientes dos pequenos centros e periferias de grandes cidades. Esse Sr. João Batista estar presumindo, ou melhor, apostando, em um possível erro diagnóstico em uma das partes que não seja à de “seus médicos” ou dele. Vale relembrar sempre que a clínica é soberana, porém, o clinico não. Porque não se pensar em um duplo acerto de diagnósticos? A melhor forma do entendimento dessa alvissareira e corajosa iniciativa do Governo da Presidenta DILMA e do Ministro PADILHA, respaldados em tratados sérios e sem sofismas, é estudar os tratados internacionais em saúde pública onde se denota uma incursão séria do Estado Brasileiro em saúde pública. Ainda mais: autarquias e/ou seus membros não tem donos e se submetem às leis e tratados vigentes.

Responder

José Ricardo Romero

25/08/2013 - 20h23

Já que o procurador do Ministério Público do Trabalho está zeloso com as condições de trabalho dos médicos cubanos, que tal ele analisar as condições de trabalho dos bolsistas, mestrado, doutorado e pós-doutorado, da CAPES, CNPq e as FAPs como a FAPESP, que são os trabalhadores de nível superior que fazem a quase totalidade das pesquisas no Brasil para o crescimento da carreira dos seus orientadores nas universidades brasileiras. Estes bolsistas não são em nada diferentes dos médicos nacionais e estrangeiros do programa Mais Médicos. Eles também não são registrados, não pagam aposentadoria, plano médico, não têm 13º salário, não têm férias bem como não têm a menor segurança de trabalho. Dependem ano a ano da renovação de suas bolsas. Mas são aqueles que efetivamente metem a mão na massa. Não fossem os bolsistas, a pesquisa e a preparação de futuros docentes universitários não existiria. Mostre este senhor procurador a diferença em termos trabalhistas entre os bolsistas e os médicos do Mais Médicos!

Responder

Douglas da Mata

25/08/2013 - 19h12

Nos porões da ditadura? Sim, lá havia um médico, não para salvar ou diminuir a dor, mas para manter o “paciente” em condições clínicas de continuar sob suplício.

O atestado de óbito de Wladimir Herzog? Sim, foi assinado por um médico!

Auschiwtz, Dachau, etc? Sim, Joseph Mengele estava lá.

Costa Rica, Guatemala República Dominicana e arredores, com uso de cobaias humanas no estudo de infecção de sífilis, gonorreia e outras doenças infecto-contagiosas, que provocou pedido oficial de desculpas do presidente Obama? Sim, tudo era supervisionado por médicos-pesquisadores!

É este pessoal que quer o benefício da nossa comiseração e calma no julgamento quando são pegos externando seus piores sentimentos.

Não se trata de um médico isolado, mas o presidente de conselho de um dos maiores Estados do país.

Será que haverá passeatas, manifestos, abaixo-assinados, ações judiciais para deter este tipo subumano?

Responder

JOTACE

25/08/2013 - 18h30

O Sr. João Batista, presidente do CRM-MG, no seu afã de buscar publicidade para si, está a prestar seguidamente declarações que apenas servem para documentar seu imenso. injustificável e criminoso descaso para as populações carentes do Brasil. Seria mais correto de sua parte se desviasse o seu aparente zelo pelo cargo que ocupa e divulgasse o que tem feito como responsável pelo CRM de Minas. O Estado, como é por todos sabido, tem em muitos municípios uma qualidade de medicina – quando existente – invulgarmente pobre. É impensável o Sr. Baptista estar a pregar uma criminosa omissão de socorros médicos e num país como o Brasil, com problemas tão imensos quanto a sua geografia. Com tantas populações sofridas, abandonadas, como as do abandonado Vale do Jequitinhonha. Cuba há sido um exemplo para todo o mundo na área médica e para a qual vêm falhando até países errada e servilmente tidos como muito eficientes a respeito. É o caso típico dos Estados Unidos aonde o jornal USA Today, em sua edição de quarta-feira passada, dia 21, apresenta uma reportagem investigativa extemamente detalhada sobre o tema.

Responder

Paulo

25/08/2013 - 18h18

A “Belíndia”* na saúde do Norte de Minas
João Batista Gomes Soares

* Belíndia – mistura de Bélgica com Índia

O presidente do CRMMG, João Batista Gomes Soares, acompanhado do delegado regional de Montes Claros, Itagiba de Castro Filho e do médico fiscal do Conselho, Lincoln Porto Queiroz, estiveram em visita ao Norte de Minas, nas cidades de Salinas, Taiobeiras e Montes Claros. Durante a visita, encontraram com grupos de médicos em cada localidade, reforçando o papel do CRMMG junto aos colegas do interior, no sentido de contribuir efetivamente com a melhoria dos serviços prestados à população, principalmente com a garantia de condições adequadas de trabalho dos colegas. E essa é a questão que preocupa: os serviços de saúde não avançam se as condições de trabalho dos médicos não melhorarem. Foi o que ficou evidenciado em Salinas, Taiobeiras e Montes Claros.

Há falta de profissionais em áreas estratégicas para prestação de serviços. “A má remuneração, seja na questão salarial, seja na remuneração por serviços profissionais pela tabela do SUS, afasta os médicos de muitas cidades do interior. Quando a questão salarial é resolvida, a sobrecarga de trabalho torna inviável as demais atividades minimamente necessárias para um profissional que lida com o que de mais nobre existe: a vida humana, a saúde do cidadão”, explica Itagiba de Castro Filho, ao ressaltar que esses profissionais não gozam de horas de lazer com familiares, de tempo para estudo e de oportunidades de reciclagem de conhecimentos.

As instituições de saúde, por sua vez, se veem frente ao cotidiano de administrar prejuízos com a má remuneração da tabela do SUS. A abertura de UTIs no interior de Minas é vista com bons olhos pela população, pelos médicos e pela imprensa, mas constitui-se em um monstro devorador de recursos e que assombra os administradores dos hospitais. As novas unidades de Pirapora, Brasília de Minas, Taiobeiras e Janaúba vão melhorar significativamente a prestação de serviços na região. De acordo com o secretário de Estado de Saúde, Marcos Pestana, “o Norte de Minas serviu de laboratório para a implantação da rede, “inédita no mundo’’. Segundo ele, o sistema opera interligado com a saúde básica, na qual o Programa Saúde da Família faz a triagem dos pacientes, com base no Protocolo de Manchester.

Na prática, o que se viu em Montes Claros, no pronto-socorro da Santa Casa, foram cenas lamentáveis, mais próximas de uma catástrofe ou até mesmo de uma insurgência, para não dizer uma guerra. “Doentes amontoados, e não se trata de força de expressão, nos corredores, nas salas de observação e até mesmo internados em consultórios, impedindo o atendimento nestes locais. Pacientes e familiares se acotovelavam na grade de entrada para o local de atendimento. Havia oito pacientes intubados, alguns já por mais de cinco dias, trajando ainda as suas vestes, idosos na maca no chão, uma delas de 76 anos com pneumonia, ali estando por longos quatro dias. Para contrastar a situação, um paciente jovem, perambulando nos corredores, com ótimo aspecto geral, com luxação de coluna cervical e portando colar cervical, com grave risco de desenvolver traumatismo raquimedular, impossibilitado de ser liberado para residência”, relata o presidente do CRMMG.

O que faziam esses cidadãos naquele local? Aguardavam vagas em enfermarias, nas salas de cirurgia, nas UTIs. Mas lá estavam os médicos e toda a equipe de saúde, prestando assistência nas piores condições de trabalho que se pode imaginar, estressados, cansados, ameaçados algumas vezes.

Há que se reconhecer os avanços já conseguidos pela implantação do modelo assistencial no Norte de Minas. De acordo com Marcos Pestana, o criador do modelo internacional de urgência e emergência, o francês Miguel Martinez, esteve em Montes Claros e considerou o trabalho desenvolvido na região inovador. Na avaliação do secretário, entre cinco a dez anos, os dados estatísticos comprovarão a importância do investimento realizado no Norte de Minas, com a queda da mortalidade de pacientes.

Mas o problema é agora: um serviço de altíssima qualidade capaz de identificar a Urgência/Emergência, via um moderno Centro Regulador equipado com o que de mais avançado existe na área. Além disso, o sistema conta com seis UTIs móveis e 36 ambulâncias do Samu, além de um helicóptero que permite a remoção de pacientes graves.

De acordo com o delegado regional de Montes Claros, os problemas se agigantam depois do atendimento pré-hospitalar, quando o paciente chega ao PS e é entregue ao médico de plantão, contra recibo, mesmo sabendo que não haverá vagas para internar e não haverá vagas na UTI. “Ainda há uma aplicação equivocada do chamado ‘Protocolo de Manchester’ usado de forma imprecisa na pediatria conforme eu mesmo verifiquei”, lembra João Batista.

Mas os médicos estarão fazendo o que eles sabem fazer: atender o paciente em uma espécie de mistura de Bélgica com Índia que desafia economistas, cientistas sociais e governantes.

http://jornal.crmmg.org.br/v2/index.php?edicao=2009/26&titulo=A%20Bel%EDndia%20do%20Norte%20de%20Minas&pagina=ma07.php

Responder

    Douglas da Mata

    25/08/2013 - 19h58

    A lógica do CRM/MG e de quem apoia o fascismo de jaleco é:

    Ou muda tudo ao mesmo tempo agora, ou não muda nada, e seguimos com nosso sistema de castas e privilégios…

    Em nenhum pronunciamento ou protocolo do governo está escrito, dito, ou implícito que o programa Mais Médicos é a solução para os gargalos do SUS.

    Por outro lado, não há nenhum argumento sensato, por parte dos críticos do programa, capaz de dizer que aumentar a oferta de médicos em locais onde não os há, aumentará estes problemas ou impedirá que outras soluções estruturais e complementares sejam adotadas.

    Este tipo de cinismo é comum neste debate…E de tudo mais, médicos e suas corporações agem como se fossem vítimas inocentes do atual estado de coisas na saúde, esquecendo-se que boa parte da mercantilização do exercício da medicina tem as digitais dos médicos e seu senso de classe elitista.

Paulo

25/08/2013 - 17h38

A internet muitas vezes adota a cara de Tribunal de Exceção. Há vantagens e desvantagens.
Quero chamara atenção para uma coisa simples, até elementar: não se pode pisotear sobre a reputação de uma vida de dedicação a causas boas porque a pessoa disse uma ou passível de inerpretações danosas, algo indevido. Todos temos direito à defesa.
É o caso do Dr. João Batista, conselheiro experiente, muito dedicado à fiscalização da profissão médica e implacável com erros médicos, com a apuração das queixas que a população faz no CRM; com governos e prefeitos quando as condições de trabalho médico estão em desacordo com o desenvolvimento em condições éticas do exercíciio profissional. E está no CRM porque nos 25 anos em que é conselheiro jamais deixoud e atender a um chamado médico de verificação in loco das condições de trabalho. Ou seja, é uma pessoa que cumpre o seu dever e assim zela pela saúde da população. É o que tem feito a vida inteira. É um homem conservador mas é um humanista.
Não sei de qual partido ele é e nem se tem partido, mas acaba de sair de uma eleição muito difícil, onde a outra chapa centrou fogo no nome dele para dizer que era hora de outra chapa, hora da mudança. Mas a mudança, aqui em Minas todos sabem era encabeçada por uma aliança estranha: PSDB-UNIMED. Se uma chapa não era o melhor dos mundos, a outra era o fim do mundo. Como uma categoria entrega o seu Conselho profissional para um Plano de Saúde (UNIMED) e pro PSDB? A outra chapa passou a campanha eleitoral toda se defendendo dizendo que não era bancada pelo PSDB e nem pela UNIMED, mas a presença do dr. Rafael Guerra, fundador do PSDB e por muitos anos deputado federal do PSDB, secretário de saúde em governos do PSDB e um dos donos de uma escola de medicina particular (A Ciências Médicas em Belo Horizonte) nela já dizia tudo.
Vejam aqui: http://www.crmfortemedicovalorizado.com.br/quem-somos/
dr. Rafael Guerra
Secretário de Estado da Saúde de Minas Gerais (1995-1998).
Deputado Federal (1999-2003, 2003-2007, 2007-2011).
Presidente da Frente Parlamentar da Saúde (2003-2005, 2005-2007, 2007-2009).
Primeiro secretário da Mesa Diretora da Câmara Federal (2009-2011).

Assim acredito a chapa do dr. João Batista se reelegeu com votos da esquerda médica e aplicou fragorosa derrota ao PSDB, tão somente usando da máxima Projeto Ficha Limpa para Conselheiro

CRMMG – Projeto Ficha Limpa para conselheiro
João Batista Gomes Soares
Presidente do CRMMG

A Resolução CFM nº 1.993/2012, que regula medidas das eleições para os conselhos regionais em 2013, além de definir os prazos que envolvem o pleito e outras regras, define, principalmente, o perfil “ficha limpa” dos candidatos. Baseia-se em três princípios:

Exige ficha ética e legal do candidato
Limita o uso do poder econômico
Não permite o conflito de interesses do candidato
O papel julgador do conselheiro não permite que o mesmo tenha em seu histórico manchas éticas. Não aceita também médicos punidos quanto ao seu comportamento de cidadão perante as leis vigentes e também com punições éticas, tramitadas e julgadas. As ações penais e civis ocorridas em até oito anos também impedem o médico de candidatar-se.

O abuso comprovado do poder econômico não é permitido. Campanhas caras, bancadas por terceiros, podem inviabilizar candidatos e chapas, pois a resolução prevê quais os limites do uso da propaganda.

Candidatos que tenham conflito de interesses quanto ao cargo terão que abrir mão dele para assumirem a candidatura. Entendemos também que, após a eleição, o eleito não poderá abandonar o cargo de conselheiro para retornar àquele cargo de origem. Caso isso ocorra, o fato poderá ser considerado como prevaricação.

Em muitos casos, a nomenclatura do cargo muda, mas as características do cargo não. São as funções desempenhadas que caracterizam o conflito de interesses. Os vices ou similares também estão impedidos porque podem, a qualquer momento, assumir o cargo.

Cargos como os de diretores de planos de saúde e de presidentes de sindicatos e cooperativas em geral também envolvem grande conflito de interesses. Nos julgamentos, ao presidente sempre cabe perguntar se algum conselheiro está impedido de julgar aquele processo. Existem situações de parentesco, amizade pessoal e até relações professor-aluno que podem gerar dificuldades aos julgadores.

Enfim, o conselheiro assume o papel de juiz não togado e sua decisão define caminhos importantes e às vezes irreversíveis.

Vale destacar que o atual Conselho Regional de Medicina do Estado de Minas Gerais é o mais eficiente no Brasil, segundo o CFM. Destacamos ainda que os nossos processos são muito mais ágeis do que os que tramitam em outros órgãos julgadores

http://jornal.crmmg.org.br/v2/index.php?edicao=2013/47&titulo=Editorial&pagina=se01.php
23/08/2013 – 18:22 — Fonte: CRMMG

Nota de esclarecimento

O presidente do CRMMG, João Batista Gomes Soares, esclarece que sua declaração ao Jornal Estado de Minas “Vou orientar meus médicos a não socorrerem erros dos colegas cubanos” foi mal interpretada. De maneira alguma os médicos devem negar atendimento a uma pessoa que necessite de cuidados médicos.

Um médico, ao receber um paciente, passa a ser corresponsabilizado pelo que ocorrer com ele, ou seja, o médico deve sim prestar atendimento, mas não assumir erros de médicos sem registro ou participar de qualquer procedimento médico-cirurgico com os mesmos.

Outra questão é em relação a ser tutor de um médico sem registro. O médico também pode ser responsabilizado eticamente no caso de o profissional estrangeiro sem registro cometer algum erro. O CRMMG orienta aos médicos que não desempenhem essa função.

http://www.crmmg.org.br/interna.php?n1=13&n2=28&n3=200&pagina=201&noticia=4445

Responder

    Douglas da Mata

    25/08/2013 - 19h00

    Paulo, todos têm o direito de dizer(e até de fazer) asneira…Não têm o direito de tentar desdizer o que disse dando diploma de imbecil a audiência.

    Isto não revela humanismo, nem humanidade, mas arrogância, que desafiada pelos fatos o leva a chafurdar na pocilga de suas próprias incoerências.

    Todas as supostas “qualidades” desfiadas por você nada mais são que obrigações, e para isto que ele se candidata ao cargo que ocupa…

    Quanto a situação da eleição do conselho, só ratifica o que já dissemos, um covil de conservadores elitistas…

    Douglas da Mata

    25/08/2013 - 19h13

    Em tempo: quem pisoteou sobre a própria reputação foi o dotô menguele paõ de queijo…

    Ou será que devemos perdoar maluf por dizer estupra mas não mata! Afinal, foi só uma frase infeliz e fora do contexto, ou não foi?

    JOTACE

    25/08/2013 - 20h36

    Caro Paulo,

    Na sua tão manhosa quanto descabelada louvação ao colega, o João Baptista, você acertou em algo: envolveu no nome da Índia o pobre Norte de Minas Gerais tão esquecido de certos profissionais da medicina. Principalmente daqueles que, atrevidamente declaram que denunciariam os colegas cubanos e se omitiriam de prestar socorros médicos, se necessário fosse. Ou dos que o louvam e tentam justificá-lo depois de fazer tal declaração simplesmente criminosa, velhaca e aética. Pois é justamente com a Índia que o Brasil, por força da desatenção de autoridades (inclusive médicas) disputa vergonhosamente o campeonato mundial de leprosos. Infecção cujo nome certos sábios ‘doutores’ mudaram eufemística e oficialmente para “Mal de Hansen”, pra não ferir a sensibilidade do povo brasileiro e enganá-lo. Pacientes que os médicos cubanos jamais deixarão abandonados, pois se colocarão sempre que solicitados ao lado de alguns dedicados médicos brasileiros que os vêm assistindo mas em número insuficiente, queira ou não queira o Sr. João Baptista e seus assessores. Cordialmente, Jotace

Murdok

25/08/2013 - 17h10

Se tirar o bigode , fica parecido com o Aécio.

Responder

Murdok

25/08/2013 - 17h09

kkkkkkkkkkkk. Safadeza desse cara ai do conselho. Cadeia pra ele.

Responder

Rogério Correia: Aécio, atenção! Médicos cubanos vão ganhar mais que os mineiros - Viomundo - O que você não vê na mídia

25/08/2013 - 16h16

[…] Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de s… […]

Responder

sergio

25/08/2013 - 15h32

Deus, até que ponto vai a canalhice e descompromisso desses caras, foi só mexer nesses parasitas da medicina que fodem o povo no dia a dia que saem falando merda como esse senhor João Batista Soares aí de Minas Gerais achando que esses profissionais são a ultima recheada do pacote, com todo respeito fdps.

Responder

Francisco

25/08/2013 - 15h17

O que os médicos brasileiros precisam pra tomar vergonha nas ventas é de pacientes cubanos…

PS. O normal do brasileiro é sentar na sala de espera e reclamar pelos cantos: “que absurdo! Como é que pode?”…

Responder

Douglas da Mata

25/08/2013 - 14h52

Se o governo quiser, de fato, inverter a lógica desta discussão, a longo prazo, deve fazer o seguinte:

Vaga em universidade pública ou bolsa governamental para medicina só para pobre!

Depois, cinco anos de serviço civil obrigatório: tem que devolver o que recebeu!

Quem quiser fazer fortuna com medicina que pague por isto…simples assim.

Responder

Fabio Passos

25/08/2013 - 13h20

Não querem atender a população carente… e não quererem que médicos estrangeiros atendam.

Que tipos desprezíveis.
Leitores de veja… sem sombra de dúvida.

Responder

Diniz

25/08/2013 - 12h46

O corporativismo médico brasileiro está preocupado, não com a saúde dos brasileiros, mas que caia a sua máscara de medicina mercantilista. Cuba, um país muito mais pobre que o Brasil, tem índices de saúde muito melhores. A falácia de que os médicos cubanos trabalharão como escravos no Brasil, serve para escamotear a verdade: a de que escravos são o pobre povo brasileiro, vivendo doentes em insalubres senzalas, enquanto os doutores da casa-grande fingem se indignar com os grilhões desta escravidão social.

Responder

J.Carlos

25/08/2013 - 12h35

Se o J.Souza acha que o “Mais Médicos” é melhor do que o emprego dele, porquê não se inscreveu no programa?

Ainda sobre o “dr.puliça” do CRMMG, é reconhecidamente um troglodita.

Responder

Gerson Carneiro

25/08/2013 - 11h57

Qual prejuízo os médicos brasileiros terão com a vinda dos médicos cubanos?

Responder

    Carlos

    26/08/2013 - 12h35

    boa pergunta Gerson. Certamente, problema financeiro é que não será já que nossos caros médicos atendem mais em clínicas particulares e/ou grandes centros.
    A este cidadão que, segundo me parece, é totalmente inadequado para o cargo de preseidente de um conselho tão fundamental quanto o de medicina, uma outra coisa deve ser lembrada: Diarréia mata mais que apendicite.

Wildner Arcanjo de Morais

25/08/2013 - 11h33

Conhecendo os nosso “Médicos” e as nossas “Faculdades de Medicina” eu pergunto:

Onde estes médicos Cubanos vão atender mesmo? Como eu consigo uma ficha para um atendimento?

Chega dessa história de médico viciado em Exame Laboratorial e em jabá da Indústria de Farmacos. Queremos mesmo Médicos de verdade. Queremos aqueles que juraram o juramento de Hipócrates. Não aqueles do juramento de Hipócritas.

Responder

Fátima Oliveira

25/08/2013 - 10h13

O Dr. João Batista fala em seu nome. E se excedeu. É um cidadão brasileiro que responde por suas palavras e atos.
Não há uma definição do CRM-MG(que é um colegiado) de como fiscalizará, como procederá com médico estrangeiro trabalhando sem CRM no atual contexto, apenas que não liberará CRMs para quem não fez o Revalida, decisão praticamente consensual da maioria/quase totalidade dos médicos que conheço. Nada contra médicos estrangeiros trabalhando no Brasil, desde que comprovado pela lei existente a qualidade técnica, pois a moral há outros meios de comprovar com facilidade.
Esperamos que ele, digo o Dr. João Batista, que está há 25 anos como conselheiro do CRNMG, foi reeleito recentemente, receberá uma reprimida (ainda não sabemos o tipo permitido em lei) dos seus pares pelos exageros que enlameiam toda uma categoria. Mesmo ele dizendo que não pregou omissão de socorro, as palavras dele são cristalinas e o entendimento de quase todo mundo é que pregou.
Portanto, não considerem que o CRMMG e a categoria médica de Minas Gerais compactua das ideias raivosas dele. Estamos propondo, como médic@s, uma Assembleia Extraordinária emergencial da categoria centrada na postura do Dr. João Batista que terá de compreender que uma coisa é uma coisa (médico trabalhando sem CRM) e outra coisa é outra coisa (seres humanos em situação de emergência vítimas de erro médico, a quem negar socorro é crime), o que não quer dizer que ao se conduzir um caso de erro médico se assuma o erro de quem o cometeu. Ao contrário!

Responder

    Wildner Arcanjo de Morais

    25/08/2013 - 13h42

    Pois é, mas cadê a nota do colegiado do CRM/MG deixando isto bem claro (ou eles não tem voz própria?). Na minha pequena compreensão de mundo mais vale a máxima que diz: quem cala consente.

    Janice Freitas

    25/08/2013 - 16h42

    Considerando que estamos num fim de semana, dê um tempo aos conselheiros, que são de várias cidades do enorme Estado de Minas Gerais, tudo bem?

    Douglas da Mata

    25/08/2013 - 19h05

    Ué, a rapidez para falar não é a mesma para se desculpar, ou será que este asno falou sem que ninguém soubesse (o que eu duvido)?

    E a internet, e-mails, telefones celulares, isto não funciona lá pr’os lados de Minas, uai?

    Engraçado, para mobilizar discursos e protestos contra o programa, velocidade da luz, quando é para consertar as m..rdas, velocidade de jegue?

    edir

    25/08/2013 - 14h52

    Parabéns pela sua compreensäo. Sabemos que temos médicos exemplares no Brasil. O barulho dos contras ao programa Mais Médicos é täo grande e agressiva , que acaba queimando a imagem da categoria.

    Douglas da Mata

    25/08/2013 - 14h55

    Se não for censurado pública e institucionalmente pelos seus pares(ou serão cúmplices)ficará valendo a sua fala, que aliás, presenta o conselho.

    Não há atalhos: ou desdizem o que ele disse, ou valerá o que foi dito, ainda que este beócio insista em se desmentir…covardemente!

    Aliás, a covardia nem é novidade nos conselhos de medicina, pois a falácia da auto-regulação do exercício da medicina não resiste a um exame sério das estatísticas de erro que se amontoam na Justiça.

    Luís Carlos

    25/08/2013 - 15h17

    Reprimenda? Reprimenda se dá a criança que faz “arte”. Isso para um presidente de autarquia pública que incita os médicos “dele” a omitirem socorro, crime previsto no código penal? Ele deveria ser no mínimo cassado de seu cargo de presidente do CRM/MG, mas aí seria esperar demais de um conselho de categoria corporativo, não?

    Kadu

    25/08/2013 - 16h50

    O senhor também pode assassiná-lo, caso queira nobre Dr. Luis Carlos. Eu acho que a dra. Fátima usou bem o termo reprimenda, já que ela não sabia qual é a penalidade cabível. Como médico o senhor deve saber que não há penalidade de assassinato (pena de morte) em nenhum Conselho Profissional, mas se for adepto da Justiça com as Proprias Mãos, fique à vontade para dar vazão à sua sede de justiça e cometa o crime contra quem apenas anunciou a possibilidade de um crime e não o cometeu. E por favor, deixe de achincalhar médico e suas entidades de classe, ou então rasgue o seu diploma de médico e vá cantar em outra freguesia.

    Luís Carlos

    25/08/2013 - 17h04

    Mais uma defesa de quem “apenas anunciou” algo. É uma forma amena de se referir a quem fez algo indefensável. Claro, alguns defendem a impunidade dos colegas enquanto apontam o dedo em riste para quem não concorda. Aliás, sugiro a médicos e médicas de MG terem muito cuidado pois se forem contrários ao presidente do CRM/MG poderão eles/as serem cassados.
    “Canto na freguesia” que quiser, apesar de você crer que pode mandar em outras pessoas para defender seus colegas que incitam omissão de socorro. O corporativismo é podre e deve ser combatido sempre que tentar se sobrepor a necessidade social.
    Assassinos?!? Talvez sejam aqueles que fraudaram inscrições do programa Mais Médicos para impedir avanço do programa. Mais de 7 mil inscrições fraudadas. O CRM/MG fará algo sobre essa falta ética ou o CFM? Improvável.

    Douglas da Mata

    25/08/2013 - 19h03

    Luís Carlos, vamos a “reprimenda” ao “dotô” menguele pão de queijo: “ai-ai-ai-ai herr, essi minino, não fala mais asneira não sô!”

    JOTACE

    25/08/2013 - 22h52

    Prezada Fátima,

    Muito oportuna – e conveniente – a Assembléia Extraordinaria que avalie o pronunciamento obtuso e indecoroso do Sr. João Baptista e lhe faça, de fato, a mais que necessária reprimenda. E que não seja uma Assembéia a portas fechadas numa confraternização de família, mas de forma que o grande interessado, que é o povo, possa inteirar-se do que como se desenvolveria. De minha parte vejo outro problema que será criado pelos que são contrários ao Programa Mais Médicos e talvez mais cedo do que se imagine: a comprovação da qualidade técnica, especialmente no caso dos cubanos. Tal avaliação não deve ser exclusiva dos CRM’s – afinados que estão com os grandes laboratórios- porque irão seus membros ser juízes em causa própria. Inventarão na oportunidade o diabo para reprovarem os médicos cubanos por melhores que estes sejam. Sugiro uma mesa tripartite, onde figurem duas autoridades brasileiras. Sincera admiração, Jotace

    Luís Carlos

    26/08/2013 - 12h09

    Somando a sua sugestão, sugiro que haja pelo menos dois integrantes de usuários do SUS, representando conselho municipal de saúde, que é quem tem de fato interesse de receber serviços médicos do SUS.

    JOTACE

    26/08/2013 - 15h11

    Prezado Luis Carlos,

    Sua sugestão posta a seguir é oportuna e extremamente proveitosa. Como aliás as demais observações que tem feito sobre o tema dos serviços médicos no Brasil e a crítica abalizada e justíssima ao comportamento dos CRM’s. Grande abraço solidário, Jotace

    B. Pires

    29/08/2013 - 22h07

    Cadê a nota do conselho reprovando as palavras do Dr. (Dr.?) João Batista?

J Souza

25/08/2013 - 08h14

Bolsas dos “bondosos” médicos estrangeiros do programa “mais médicos” que vieram fazer curso de especialização no Brasil: R$ 10.000,00 (por 40 h semanais), sem necessidade de revalidação do diploma.

http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/arquivos/pdf/2013/Jul/12/edital_n_39_8_julho_2013.pdf

Salário de médico de hospital universitário federal brasileiro, para, além de dar assistência aos pacientes, ensinar os outros médicos: R$ 2.989,33 (por 20 horas semanais, ou seja, se for 40 horas semanais, R$ 5.978,66)

http://200.17.194.111/progepe/concursos/tecnico/2013_progepe/Edital%20318-12%20PROGEPE.pdf

http://www.ufpe.br/progepe/images/progepe/editais/2012/edital10.pdf

Responder

    Douglas da Mata

    25/08/2013 - 14h43

    Ué, e estas vagas não foram oferecidas antes a médicos brasileiros?

    Você insiste com esta lenga-lenga, não respondeu lá embaixo a esta questão, e fica repetindo como mantra.

    ‘Tá querendo nos convencer ou SE convencer?

    J Souza

    25/08/2013 - 19h17

    Me convencer…

    J Souza

    25/08/2013 - 21h48

    Nem tinha visto o que vocês comentaram (sem ler as leis, ou sem entendê-las) lá embaixo.
    Já respondi.

    Douglas da Mata

    26/08/2013 - 07h59

    Meu filho, eu entendi que há bolsas de especialização que pagam 3 mil reais aproximados.

    E então? Se esta é uma bolsa de 10 mil, por que os médicos não choveram em cima desta chance?

    Ahhhhh, especializar em atenção básica não vai dar rios de dinheiro depois, nem habilitar para clinicar no Sírio Libanês, não é?

    Douglas da Mata

    26/08/2013 - 08h09

    Os vencimentos colocados por você são a base, ou seja, o piso. Sobre estes vencimentos incidem as indenizações e vantagens pessoais, progressão de carreira, etc.

    Bom, mas eu pergunto novamente: Quantos médicos estão na classe C, D ou E?

    Diniz

    25/08/2013 - 15h15

    Pois é J. Souza, se o programa “Mais Médicos” é uma “mamata”, porque os médicos brasileiros se recusaram a esta “maravilha” e preferiram ficar trabalhando muito e ganhando mal ? Das duas uma: ou os médicos brasileiros são masoquistas, ou você, J. Souza, é um maniqueísta.
    Só para constar, avise a todos os médicos coxinhas brasileiros: AINDA DÁ TEMPO DE SE INSCREVER PARA O PROGRAMA MAIS MÉDICOS !

    J Souza

    25/08/2013 - 19h16

    Ok.

Romanelli

25/08/2013 - 08h14

Esta questão dos médicos tem o POTENCIAL de reeleger Dilma !!!

Esta certo o governo, certo diante de uma juventude que formada DE GRAÇA em universidades públicas ainda tem o direito de se negar a dedicar dois míseros anos de sua vida pra retribuir à parcela da sociedade mais humilde e que justamente aquela, mais sofrida, que os sustentaram via impostos regressivos.

Esta ceto o governo que não ficou paralisado diante deste SINDICATO do CRIME que conclama seus filiados a promoveram o preconceito e o lockout por todo país.

Sim, esta certo o governo que diante da realidade, de que a nossa sociedade esta FALIDA sobre os mais diversos aspectos, principalmente ético, mesmo assim buscou um sopro de coerência e criatividade pra tentar reverter estas nossas vergonhas nacionais que já viraram cina.

Parabéns Dilma !!!

Agora, agora pra ficar bonito só falta oferecer SIM hospitais, clinicas, postos, materiais e equipamentos em quantidade e qualidade.

..agora só falta o governo apresentar uma política INDISTINTA, preventiva, voltada a toda família.

..agora só falta o governo propor a CENTRALIZAÇÃO racional e produtiva do modelo, tanto na assistência como no fornecimento propriamente dito, como o da distribuição de medicamento.

..agora só falta o governo tentar entender pq os nossos cursos de medicina DEMORAM tanto tempo pra formar um profissional, ainda medíocre.

..agora só falta o governo acabar com as filas e HUMILHAÇÕES nos milhares de pontos de atendimentos espalhados pelo país.

Agora, AGORA só falta o governo dotar o país, nem que somente em seus pontos regionais (N, NE, CO e S) de um parque hospitalar similar ao que encontramos em SP por exemplo (Clinicas)

agora só falta o governo arrumar de vez o caos que se instalou e que nunca mais acabou nas Santas Casas do Brasil.

Enfim, agora só falta o governo fazer todo o resto que não tem feito nestes benditos quase 11 anos no poder.

http://www.mecatronicaatual.com.br/secoes/leitura/1173

Responder

anac

25/08/2013 - 06h35

Negam aos mais pobres o minimo. Até uma morte assistida. Deus nos livre desses abutres de jaleco.

Responder

Pisquila

25/08/2013 - 03h08

Todo esse bafafá sobre a vinda dos médicos estrangeiros para o Brasil, principalmente os médicos cubanos está sendo ótimo para desmascarar muitos picaretas de jaleco branco. Aliás, depois disso, sabemos que o famoso livro “O Médico e o Monstro” no Brasil deveria se chamar “O Médico e o Médico”, se formos basear nesse ser desprezível que este doutor de merda presidente do CRM/MG. Parece que os caras ainda não caíram na real de que estão queimando o próprio filme com a opinião pública.

Responder

    ANA SOUZA

    29/08/2013 - 02h25

    A classe médica brasileira a cada tentativa de travar o programa “mais
    médicos”, mete os pés pelas mãos, e o que acaba caindo mesmo é a máscara
    do discurso hipócrita do “interesse na saúde do povo brasileiro”. Povo
    esse, que como se sabe, durante anos a fio ela deixou morrer à mingua
    nas periferias e cafundós do país. Quem como eu, frequentou o tratamento
    VIP dispensado por esse profissionais as pessoas comuns (pobres),sentiu
    na pele o descaso que a população sofre o tempo todo. Resolveram se
    preocupar conosco agora???? Haja falsidade e cara de pau!!!

Douglas da Mata

24/08/2013 - 21h38

A indústria da medicina é poderosíssima.

Toda histeria em torno da oferta de médicos nos rincões brasileiros esconde, por óbvio, os interesses das corporações médicas.

Não é um lobby desprezível. Nossa cultura popular ungiu algumas profissões com o estigma do “doutor” como pronome de tratamento, ao invés de titulação acadêmica, revelando local privilegiado na hierarquia social que certas profissões detêm.

Advogados e médicos, principalmente, no Brasil, são sinônimo de prestígio e poder político, e esta constatação está na gênese da formação do Estado brasileiro, não à toa, patrimonialista e segregador.

Estas corporações construíram nichos de mercados no estamento, que contribuem na condição de causa e efeito para perpetuação destes privilégios.

Se por um lado, o Judiciário favorece a verticalização e afunilamento do acesso a Justiça, aumentando desigualdades e fornecendo o ambiente fértil para a mediação milionária dos “doutores de anel”, por outro lado, o conselho de classe, a OAB, promove uma contradição que seria cômica, se não fosse trágica: finge que não vê, mas lucra horrores com a indústria de diplomas e cursinhos, e depois, exige um exame absurdo e inconstitucional para o exercício da profissão: um estelionato marcado(ou consentido).

Na medicina, o funil vem bem antes, e a reserva de mercado também.

Um sistema curioso: vagas públicas de dificílimo acesso só permitem que famílias da classe B e A coloquem seus rebentos nestas entidades gratuitas.

O resto das vagas privadas, de alto custo, também só permite que os mais abastados estudem.

Só exceções honrosas furam este esquema!

Bom, como o corte para estudar medicina é sobretudo um corte de classe social(só estudam os mais ricos), serão estes médicos que exercerão medicina privada ou público-privada, porque não temos, de fato, saúde totalmente pública no Brasil.

Depois, fieis aos seus laços e expectativas de classe, os médicos partem para fazer suas fortunas e carreiras de influência sócio-política. E perpetuar o poder de sua casta!

A especialização é a porta de entrada para o paraíso, condenando a população pobre a ser atendida por generalistas que sempre estão ali porque ainda não conseguiram uma especialidade, como um bico, um biscate…

Depois de especializados, os médicos passam a exigir aquilo que a indústria de equipamentos médicos tem para vender, com procedimentos cada vez mais caros e sofisticados, não raro comprados com dispensa de licitações, e outros atalhos.

Ao contrário disto, o DataSUS e a OMS dizem que 60% dos atendimentos são concluídos no primeiro contato, caso houvesse clínicos dignos deste nome, capazes de manipular dois instrumentos fundamentais: as mãos e os ouvidos.

Os cursos e seminários, e outras atualizações são pagas pelas indústrias farmacêutica, em flagrante conflito de interesse e subordinação da ciência ao mercado, sem mencionar os “pequenos e cotidianos” subornos dos propagandistas de medicamentos nos consultórios.

Dias destes, fui ao médico e ele me deu um número de 0800…Se eu ligasse para o laboratório teria “desconto”, e claro, o laboratório saberia que o meu médico indicou o medicamento.

O laboratório é o Aché, o medicamento é Diosmin SDU, ‘tá aí a prova!

Bom, como se não bastasse tudo isto, os governos (inclusive este) mantêm o subsídio asqueroso da medicina privada, através das deduções no IRPF, ou seja, paga para os mais ricos possuírem planos e seguros de saúde, enquanto falta grana para o SUS.

Some-se a este descalabro, a mãozinha dos “dôtores” na sonegação fiscal, tanto de ISS, quanto na “venda de recibos”, prática corriqueira.

Por isto disse que não há saúde pública ainda neste país, embora o SUS esteja a caminho de se tornar isto…

Enfim, o que os fascistas de jaleco querem mascarar é este intenso debate, e o fato de que mais médicos no interior do país vai lhes roubar um sofisma poderoso: que é preciso muito recurso e salários altíssimos para fazer saúde pública de qualidade, além de revelar outra imagem simbolicamente impensável: médicos pardos e pobres (competentes) fazendo medicina para pobres!

Dados para reflexão:

Expectativa de vida em Cuba 78,7 anos.

7 médicos a cada 1000 habitantes.

Poderosa indústria de pesquisa em vacinas e medicamentos, apesar de todo embardo.

Sistema de saúde elogiado pela OMS.

Responder

    anac

    25/08/2013 - 06h41

    O Judiciario de Joaquim Barbosa, Luis mato no peito Fux, Ayres de Brito, Gilmar Dantas é elitista assim como na medicina a maioria dos profissionais médicos. Se não são ideologicamente de direita após cursar a faculdade 9 entre 10 se tornam. Alguns viram fascistas.

    Wildner Arcanjo de Morais

    25/08/2013 - 11h41

    Irretocável,

    Um tapa de luva cirúrgica, na cara dos nossos “Conselhos Médicos” e de seus Adendos mas claro, que não todos. Há os que são profissionais honrados e colocam o profissionalismo e o compromisso com a sociedade acima de qualquer outro ganho (que vem, de uma forma ou de outra).

    Enfim, o que falta é escrúpulo, vergonha. O que sobra é avareza, ganância, indiferença.

    E assim é a Medicina nessa protorepubliqueta de bananas…

Darci

24/08/2013 - 21h22

O maior temor desses senhores reacionários é a postura filosófica dos médicos que estão chegando. Medicina é uma profissão nobre destinada aos que querem servir a humanidade , não para fazer fortuna. Mercantilista é o mínimo que podemos chamar esses médicos (?). Sejam bentinhos os verdadeiros médicos.

Responder

ricardo silveira

24/08/2013 - 20h36

A reação dos médicos para defender interesses corporativos e contrários à população brasileira foi longe demais. Parece-me, que no curto e médio prazos a reserva de mercado dos médicos não está ameaçada, mas tem toda uma indústria da saúde que pode perder com exames e remédios desnecessários. Talvez seja esta a questão primeira que leva os médicos a se exporem de forma a não temer qualquer responsabilização, a ponto de chantagearem o Governo e, a rigor, a população brasileira.

Responder

augusto2

24/08/2013 - 19h59

Negocio é o seguinte:
…A persistirem os sintomas prevalecentes na Instituiçoes mÉdicas brasileiras,
o Dr. Freud Reich Jung deve ser consultado.

Responder

J Souza

24/08/2013 - 19h52

Os médicos residentes BRASILEIROS ou estrangeiros com diploma válido concursados que trabalham 60 horas por semana no SUS ganham R$ 2.976,26. Os médicos estrangeiros sem diploma revalidado do “mais médicos” ganharão R$ 10.000 por 40 h para fazer o mesmo curso de especialização!
Isonomia é isso ai…

Responder

    Douglas da Mata

    24/08/2013 - 20h50

    Isto é mentira. Nenhum profissional trabalha 60 horas semanais, e eu desafio a mostrar o contra-cheque com tais valores.

    J Souza

    24/08/2013 - 21h50

    Contra-cheque!?

    A Residência Médica é curso de especialização “lato sensu” regido por leis federais!
    http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=13086&Itemid=507

    LEI No 6.932, DE 7 DE JULHO DE 1981.
    Dispõe sobre as atividades do médico residente e dá outras providências.
    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6932.htm

    LEI Nº 11.381, DE 1º DE DEZEMBRO DE 2006.
    Altera a Lei no 6.932, de 7 de julho de 1981, que dispõe sobre as atividades do médico residente, e revoga dispositivos da Lei no 10.405, de 9 de janeiro de 2002.
    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11381.htm

    Douglas da Mata

    25/08/2013 - 10h01

    Hum, sei…você só esqueceu de dizer que o médico-residente não recebe apenas 2 mil e poucos reais, pois sua especialização é feita concomitantemente com suas atividades laborais.

    Ou seja: ganham para estudar, e ao mesmo tempo, podem exercer sua função de médico-generalista, e ganham BEM para isto.

    Não raro, são estas remunerações laborais pelo exercício da clínica médica que custeiam a residência paga em instituições privadas.

    Em suma: você esqueceu de dizer ainda(talvez seja descuido…eu entendo)que as vagas de 10 mil reais para estas bolsas estavam disponíveis a todos os médicos brasileiros antes de serem oferecidas aos médicos de outros países.

    Em relação às 60 horas, pelo jeito, seu silêncio pode ser considerado uma retratação.

    Tudo bem…nestes debates, a inclinação ao exagero é comum, dada a “paixão” com que nos entregamos ao debate.

    Wildner Arcanjo de Morais

    25/08/2013 - 11h47

    Pergunto eu:

    – Um residente pode trabalhar de forma autônoma, sem assistência de um tutor?

    – Um residente é obrigado a cumprir carga horária EXCLUSIVA?

    – O mais importante: O residente aceitaria trabalhar, para o Governo Brasileiro, de forma EXCLUSIVA, em qualquer lugar que fosse necessário, para receber o salário do programa mais médicos?

    Caso qualquer uma destas respostas seja sim, porque é que o tal RESIDENTE(?!?) não aceitou o referido acordo, com o Governo Brasileiro?

    Será hipocrisia?

    Será safadeza mesmo?

    J Souza

    25/08/2013 - 21h47

    Vocês todos simplesmente não leram as leis que estão nos links!
    Ou não sabem o que quer dizer “dedicação exclusiva” para os médicos residentes.
    Ou não entendem que as 60 horas são obrigatórias para os médicos residentes.
    Acho que o governo federal está escrevendo leis muito “complicadas”…

    Douglas da Mata

    26/08/2013 - 08h04

    Meu filho, quem não entende é você:

    Eu lhe desafio a mostrar um, apenas um médico que trabalhe 60 horas semanais, ainda que em dedicação exclusiva!

    Outra, eu lhe desafio a mostrar um médico que não exerça a medicina enquanto faz sua especialização, à custa, é verdade, de toda sorte de “ginástica e contorcionismo” para estar (ou dizer que está)em vários lugares ao mesmo tempo, como é comum com os médicos!

    É só isto…

    Você precisa sair fora da “caixinha”, só um pouquinho, não dói…

    Luís Carlos

    25/08/2013 - 11h09

    J Souza
    Foram oferecidas prioritariamente as vagas aos médicos formados no Brasil, mas poucos atenderam. Vimos muitas inscrições (mais de 7 mil não confirmadas, para não dizer que eram fraudes com objetivo de prejudicar o programa e assitência à população). Ainda assim o governo Federal, pela segunda vez abriu oportunidade aos médicos formados no Brasil, e novamente, muito poucos se inscreveram. Ninguém foi obrigado, pelo contrário, a oportunidade foi priorizada aos médicos formados no Brasil, e poucos responderam.

    J Souza

    25/08/2013 - 21h53

    Nem todo mundo quer ser especialista em “atenção básica em saúde”.
    Alguns querem ser cardiologistas, outros cirurgiões, outros patologistas, por exemplo.
    Nem por isso a bolsa deveria ser diferente!

    Luís Carlos

    26/08/2013 - 12h12

    Você tem razão ao dizer que nem todos querem ser epscailistas em atenção básica, mas é justamente essa amaior necessidade da saúde pública, portanto é a atenção básica que o SUS, seja pelo MS, estados e municípios devem priorizar, daí o Mais Médicos.

souza

24/08/2013 - 19h50

o risco é os de fora fazerem melhor que os daqui.

Responder

J.Carlos

24/08/2013 - 19h23

Quem quiser saber quem é este tal de dr.João Batista é só ler o que ele declarou quando considera os médicos de MG como “meus médicos”. Será que ele pensa que é uma espécie de feitor ou capataz dos médicos de MG? Os “meus médicos” vão aceitar passivamente este tratamento?

Responder

niveo campos e souza

24/08/2013 - 19h01

Tristes médicos brasileiros.
Arremedos de Hipócrates.

Niveo Campos e Souza

Responder

Nelson

24/08/2013 - 18h29

E pensar que esse absurdo saiu da boca de um ente que cursou uma universidade e, talvez, até mesmo alguma pós-graduação ou doutorado; um ser educado, portanto.

Será mesmo que somente a educação vai melhorar o país? Diante dessa interrogação, vou relatar uma vez mais uma experiência por que passei.

Há uns dez anos, assisti a uma palestra de um psicólogo. A certa altura, ele fez uma afirmação da qual eu nunca me esqueci: “A humanidade não precisa de inteligência, precisa de afeto”, disse ele. E complementou: ” A inteligência nos deu Nagasaki e Hiroshima”.

E ele não deixa de ter razão. Quem são os que ordenaram o despejo 4,5 milhões de toneladas de bombas e dezenas de milhões de litros de venenos sobre o Vietnam, e de milhares de toneladas de bombas contendo o extremamente mortífero urânio empobrecido sobre o Iraque?

Certamente, não são os cidadãos que ficam ali nas esquinas a venderem churros ou pipoca e que, por problemas ou dificuldades mil não conseguiram cursar um faculdade e tiveram que se contentar em viver alijados de empregos melhor remunerados.

Os que ordenaram tais morticínios, genocídios mesmo, são bem educados, pós-graduados, doutores e muitos até mesmo PHDs.

A pergunta final, inescapável: Que tipo de pessoa nossas universidades vêm formando?

Responder

    Ricardo

    01/09/2013 - 18h16

    Meu amigo, você está parcialmente enganado. Concordo contigo que inteligência e formação acadêmica não moldam caráter. Porém, a falta delas também não. O pipoqueiro, o vendedor de churros, etc. não ordenaram massacres e genocídios pois não estavam em posição para tal. Todos estamos sujeito a esse tipo de coisa. O problema está na natureza humana. Cabe a nós buscarmos a cura para o mal, começando em nós mesmos.

Zanchetta

24/08/2013 - 17h44

Se vier um médico norte-americano, não revalidar o diploma no Brasil e ele começar a praticar a medicina, tudo bem? Ou só cubano é que pode?

Responder

    Luís Carlos

    24/08/2013 - 18h23

    Algum argumento real ou só esses tirados dos articulistas da Veja e de dirigentes xenófobos de entidades médicas?

J Souza

24/08/2013 - 17h12

Os médicos estrangeiros não estão vindo por só por “bondade”!

Vieram e virão fazer CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO, com bolsas de R$ 10.000,00, que por sinal, é bem superior às dos pós-graduandos “strictu sensu” (mestrado e doutorado) e “lato sensu” (especialização, residência médica) brasileiros…

A medida provisória e o edital são claros!

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Mpv/mpv621.htm

http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/arquivos/pdf/2013/Jul/12/edital_n_39_8_julho_2013.pdf

Responder

    J Souza

    24/08/2013 - 17h25

    Enquanto um médico residente brasileiro, que trabalha por lei 60 horas semanais no SUS, incluindo plantões, ganha R$ 2.976,26 por mês, os médicos alunos de especialização do programa “mais médicos” vão ganhar R$ 10.000,00 por mês!!!
    Ou seja, três vezes mais do que os alunos com diploma válido no Brasil e que fizeram concurso público!

    Jorge

    24/08/2013 - 22h01

    Pois é. Em vez de oferecer essa oportunidade aos estrangeiros, o governo deveria ter primeiro oferecido aos médicos brasileiros e… Epa! Espere um minuto…

J.Carlos

24/08/2013 - 16h52

Este João Batista é famoso em MG como ultraconservador, extremista de direita e, provavelmente, da Opus Dei. E, infelizmente, os médicos mineiros são tão atrasados que o reelegeram para a presidência do CRMMG.

Responder

Gerson Carneiro

24/08/2013 - 16h33

Sabe o que eu acho fofo?

Demo-tucanos que sempre legislaram para retirar direitos trabalhistas de empregados domésticos brasileiros; que engavetam a PEC do trabalho escravo; que são contra cotas para negros em universidades… de repente aparecem preocupados com direitos trabalhistas de médicos cubanos.

Oh, é tão comovente!

Responder

    Zanchetta

    24/08/2013 - 17h40

    Sabe o que eu acho fofo?
    Petistas que sempre legislaram para garantir direitos trabalhistas de empregados domésticos brasileiros; que querem validar a PEC do trabalho escravo; que são a favor de cotas para negros em universidades… de repente aparecem despreocupados com direitos trabalhistas de médicos cubanos.
    Oh, é tão comovente!

    Lukas

    24/08/2013 - 17h47

    E vocês, que são contrários a terceirização e precarização do trabalho, são a favor.

    Fofo, né?

    Luís Carlos

    24/08/2013 - 19h23

    Vão defender os médicos sem fronteiras? Ou vão exigir direitos trabalhistas para médicos brasileiros e demais trabalhadores contratados por cooperativas médicas sem CLT ou Estatuto? Vão exigir CLT para os médicos que trabalham em hospitais filantrópicos ( a imensa maioria de médicos brasileiros que trabalham em hospitais filantrópicos no Brasil que não tem carteira assinada e ninguém, sejam vocês, CFM, CRM, sindicatos e federação médica, ninguém cobra)? Só cobram do SUS, aí querem ser trabalhadores de carteira assinada ou estatutários ( sem dedicação exclusiva claro) para deixarem o sonho, o ideal do “profissional liberal” do qual estão inebriados desde a formação acadêmica?

    Gerson Carneiro

    24/08/2013 - 18h33

    Então, vocês dois, fofos, deveriam ler sobre o contrato com os médicos cubanos.

    Ah, vocês dois são tão comoventes!

    Será que vão fazer biquinho por direitos trabalhistas dos médicos da Cruz Vermelha também? Huuuummm… magoei.

    lukas

    24/08/2013 - 19h38

    Medicos da CV podem trazer a familia? Dao seus salarios para algum governo? Esqueceu o cerebro no Taiti?

    Luís Carlos

    25/08/2013 - 11h32

    Lukas não quer os médicos cubanos (só os cubanos) no Brasil, mas quer que eles tragam suas famílias. O argumento é no mínimo contraditório e sem nenhuma coerência. Mas o que vale é estigmatizar o aspecto do “regime”, é colocar no centro do debate o clima atrasado e fora de época, e ultrapassado da “guerra fria” que sempre serviu muito bem aos interesses da ultra direita no Brasil, vira latas dos EUA, podendo assim dar golpe civil militar (depois como todos covardes que apoiaram aquela barbárie, culparam apenas os militares, pois não conseguiam olhar seus filhos de frente e assumir o que fizeram) com argumentos estapafúrdios de “ameaça vermelha”, “segurança nacional” e outras versões menos elaboradas, para esconderem suas próprias culpas pelas mortes e sofrimento causado por pura ignorância e intolerância. O clima de guerra fria recuperado das catacumbas da ditadura civil militar brasileira, cheira a integralismo e fascismo, defendido por articulistas da Veja, Globo, Estadão e Folha, além de outros menos votados, seguidores cegos do comando central da grande mídia, os vassalos da “livre economia de mercado”. Estadão fez editorial vergonhoso com esse mesmo discurso. Outros articulistas já fazem o mesmo. É o que restou não é mesmo? Perderam todos argumentos e agora só resta se entrincheirarem na recuperação do clima de guerra fria. Os EUA, como diziam com orgulho, não tem mais inimigos após a queda do muro de Berlim, mas ainda assim, o ridículo e descabido clima de guerra fria deve ser retirado do sepulcro com todo seu cheiro de podre. Escolheram seu discurso e seus parceiros, escolheram novamente como seus adversários o povo brasileiro. A história e a epistemologia não deixaram em branco a vergonha tática que se repete, com intolerância, guerra de classe inrustida e sem ser admitida, ódio a população pobre e toda violência característica da ideologia de violência que sustentam os defensores do neoliberalismo, cuja liberdade primeira deve ser a econômica, dos capitais, em detrimento da liberdade política e social.
    Ao Lukas, cabe lembrar que nosso soldados/as brasileiros/as também serviram em missão transitória no Haiti e não levaram as famílias. Porque é transitório, como a vinda de médicos formados fora do Brasil no Mais Médicos também é. Se quiserem trazer suas famílias, ficar no país e trabalharem em qualquer área da medicina, que façam o Revalida. Mas isso não importa não é Lukas. O que importa é o clima terrorista da guerra fria que “justifica” perseguições e injustiças a serem cometidas. Seus ideólogos estão preparando o campo, o cenário, mas muitos já conhecem a história para desmascará-los.

Isidoro Guedes

24/08/2013 - 15h32

Só pessoas corporativistas e sem nenhum tipo de solidarismo humanitário agem como este senhor (que infelizmente preside o CRM de Minas Gerais).
Infelizmente esse é o pensamento majoritário entre os médicos. Cuja grande maioria já foi cooptada para os interesses de uma medicina de mercado, que não privilegia vidas e sim negócios.
Sinceramente dá nojo de ouvir essa gente, que se vende mais caro do que Judas (que se vendeu apenas por trinta moedas), e que é muito mais covarde e traiçoeira que ele. Porque não tem respeito algum pela vida de seu semelhante (que hipocritamente jurou salvar acima de qualquer coisa).

Responder

Fabio

24/08/2013 - 15h06

engraçado ver esse senhor acusar os cubanos de não conseguirem diagnosticar uma apendicite, sendo que por experiência própria, já fui diagnosticado duas vezes com apendicite e em uma delas chegaram a marcar a cirurgia, isso quando criança e minha mãe desconfiou e foi ter outra opinião. Não fui operado em nenhum dos casos, e ja se passaram mais de 15 anos e ainda estou vivo e com apendice.

O que diria esse nobre senhor, que vocifera contra uma saúde que é considerada pela OMS, muito melhor que a nossa a quem ele tanto defende.

Responder

Messias Franca de Macedo

24/08/2013 - 15h00

“Esse trem só vai andar se encontrarem um petista a bordo.”

Comentário proferido por Wellington Lima

em ISTOÉ: A CONTA SECRETA
TUCANA. NÃO É AINDA
O DOSSIÊ CAYMAN
Apesar do MPF-SP, os tucanos de São Paulo continuam atolados dentro do ‘trensalão’

http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2013/08/24/istoe-a-conta-secreta-tucana-nao-e-o-dossie-cayman/#comment-1233922
24 de agosto de 2013 às 13:46

LÁ VEM O MATUTO PROCEDENTE DA ESTAÇÃO DE METRÔ(!)…

… Ainda que seja um passageiro [petista] sendo transportado para o trabalho [escravo(!)]!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

jgm

24/08/2013 - 14h44

É hora dos movimentos sociais chamar a população carente, e começar a protestar em frente as sedes dos Conselhos de medicina e dos consultorios deste carniceiro que enriquece as custa da população.

Responder

robson

24/08/2013 - 14h35

Jamais presenciei tanta xenofobia e preconceito como o desse presidente!!

Note que ele nada diz sobre médicos de outras nacionalidades que estão vindo também.

É PURO CORPORATIVISMO MESCLADO A SENTIMENTOS ELITISTAS!!

Responder

Marat

24/08/2013 - 14h15

O Brasil possui excelentes médicos, mas, há também muitos folgados e muitos incompetentes… Estes, se tiverem um pouco de boa vontade poderão aprender mais sobre Medicina, sobre relacionamento humano, psicologia e até mesmo sobre História do Brasil, pois os cubanos, além de inteligentes, possuem um estupendo sistema de ensino!

Responder

Lacax

24/08/2013 - 13h26

Pergunta!
Você acredita mesmo que Cuba tem 4000 médicos “sobrando” e de qualidade para emprestar ao Brasil?
Tem certeza?
Tente fazer uma análise imparcial…
Obrigado!

Responder

    Luís Carlos

    24/08/2013 - 18h21

    Análise se faz com base em fatos e evidências, caso contrário é “achologia” ou especulação. Sobre os fatos, sabidamente Cuba, há décadas forma médicos não apenas para sua população, mas para o mundo, disponibilizando formação em medicina para candidatos de mais de centena de países, inclusive dos EUA que tenta matar o povo cubano há cerca de 5 décadas. Cuba o faz por solidariedade, fundamental para combater o regime capitalista insustentável, mas também por saber que a medicina é área do conhecimento hegemonizada pelo capitalismo mundial, para dominar e escravizar a população do planeta. Manter a medicina fundamentada no Relatório Flexner encomendado pela “insuspeita” Fundação Carnegie, como ocorre desde 1910, é manter a reserva de mercado da indústria médica flexneriana e a dependência da população mundial desse modelo carniceiro. Cuba também faz da medicina àrea de exportação para sua sobreviência econômica, como outros países fazem de outras áreas. O Brasil, por exemplo, faz isso no futebol, os EUA fazem da área bélica/militar seu “top exportador”. Infelizmente esses países não escolheram área nobre da solidariedade mundial, como Cuba o fez, mas escolheram o esporte, ou pior, muito pior, a violência e a morte exportada para o mundo a fim de sustentar sua ideologia de violência. Por isso Cuba tem 4 mil médicos para disponibilizar para o Brasil e para outros países. Porém informo, Cuba tem mais, muito mais de 4 mil médicos à disposição.

    Douglas da Mata

    24/08/2013 - 21h41

    Cuba com menos Universidades e faculdades forma 3 a 4 vezes mais médicos que o Brasil.

    Cuba tem 7 médicos por mil habitantes, o Brasil, 1,9.

    É só fazer conta. Isto você aprendeu, né não?

    Pois bem, medicina em Cuba é serviço estratégico, e não carreira para perpetuar privilégio de classe…isto faz toda diferença!

Urbano

24/08/2013 - 13h01

Melhor um profissional mesmo com pouca bagagem, mas que seja íntegro do que um dito expert que seja mal intencionado.

Responder

Messias Franca de Macedo

24/08/2013 - 12h55

EM TEMPO: os médicos e as médicas estrangeiros que estão chegando para trabalhar e ajudar, é que deveriam solicitar proteção policial! 25(!) horas por dia!…

Que “ellite” medonha é essa, sô?!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

24/08/2013 - 12h44

E SE OS MÉDICOS
FOSSEM AMERICANOS ? Jornalista Paulo Henrique Amorim

Tentativa de resposta: teriam noites e noites de autógrafos! Palcos(!): sedes das entidades médicas – e projac!…

E VAPT VUPT!

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

24/08/2013 - 12h44

… E os médicos e as médicas estrangeiros que estão chegando para ajudar, já estão pedindo: “não nos tratem mal, por favor! Abaixo a violência!…”

Que “ellite” é essa, sô?!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Silas

24/08/2013 - 12h21

Ontem na faculdade estava conversando com uma amiga, que trabalha na área da saúde publica em São Paulo, perguntei a ela o que achava do mais médicos, ela me falou que é totalmente favorável.
E falou mais coisas também, que no hospital que trabalha que por sinal é um grande hospital, foi colocado ponto eletrônico com biometria para controle do horário dos médicos, o que acontece? Quebraram o aparelho e estão registrando em livro, até aguardar uma licitação para consertar o aparelho, com certeza não é o único nessa situação.
Agora uma coisa que ela me disse para a qual eu ainda não tinha atentado, e acho que mais ninguém. Quanto nossos estudantes de medicina estão fazendo residência em quem eles colocam em pratica o que aprenderam na faculdade, em quem eles cometem erros, quem morre nos erros médicos desses recém formados, os pobres e carentes que não tem condições de pagar um convenio.
Porém quando tem condições de atender não querem a população pobre e o que é pior não querem que outros médicos venham atender essas pessoas.

Responder

Maurilio Gadelha

24/08/2013 - 11h47

EXERCICIO ILEGAL DA MEDICINA é prescrever exame laboratorial e exigir o local onde deva ser realizado, chegando lá o laboratorio argumenta que o medico prescreveu o exame em dois locais, o plano de saude rejeita os dois exames, e o laboratorio manda acionar o plano de saude na justiça. O plano pede explicação ao medico, sobre os motivos da prescrição, e este se recusa a explicar.

Responder

    renato

    24/08/2013 - 12h49

    Você com certeza já passou por isto.
    Largue mão de Plano de saúde.
    Se puder pagar a vista consulta pague,
    pegue nota fiscal.
    Se precisar de outra coisa, vai ao SUS,
    se não te tratarem bem ligue ao SUS…
    A coisa acontece rapidinho.
    Experiência própria.
    Eles reclamam do SUS, mas quando o SUS
    liga, é um Deus nos acuda…
    Comprovo o que digo..

HenriqueD

24/08/2013 - 11h09

Nervosinho o rapaz. Isso é nojento, asqueroso. É instrutivo também: reivindicar saúde e educação com cartazes na rua é muito fácil e bonito. Muito chique! Dizer que o governo tem que fazer isso ou aquilo é fácil também. Sentar a uma mesa confortável e pontificar sobre as mazelas do pais, criticar resolver todas as coisas com discursos exaltados é muito ao gosto dos que não querem tirar a bunda da cadeira. O Governo propõe o concurso para médicos irem para regiões distantes, enxurradas de criticas; propõe a vinda de médicos estrangeiros, discursos delirantes e exaltados. As entidades medicas estão cometendo um ato de truculência contra a saúde do pais. Acho que sempre o fizeram, só que agora ficou muito claro. Desdizem com atos o que o discursinho cínico tenta esconder.

Responder

    Jane

    24/08/2013 - 11h34

    Senhor Henrique o governo federal não propôs concurso, mas trabalho precário, sem nenhum direito trabalhista, ao invés de salário: BOLSA.
    Quanto ao presidente do CRMMG é uma anta! E não representa o que pensam os médicos que são gente.

    Marx

    24/08/2013 - 19h44

    engraçado como a única coisa que ninguém lembra é que pessoas podem ser salvas simplesmente por uma medida provisória e 4 mil pessoas a mais no país.

rita

24/08/2013 - 10h57

tem um outro ponto esquisito: saiu na mídia que os médicos de cuba não terão direito ao salario pago pelo o governo federal. o valor será pago ao governo de cuba. se isso for verdade, é imoral!

Responder

    Elias

    24/08/2013 - 14h15

    Rita, com todo o respeito:

    O Brasil repassará ao governo cubano a mesma quantia destinada aos demais profissionais, R$ 10 mil. O repasse será feito por intermédio da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). “Nós repassamos o recurso para a Opas, que, por sua vez, passa ao Ministério da Saúde de Cuba, que paga os cubanos. Eles vão receber o salário que o governo paga em missões no exterior”, disse Jarbas Barbosa (secretário de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde). A Revolução Cubana, que teve início em 1959, segue até hoje uma conduta revolucionária. Os médicos que prestam serviços em várias países, o fazem voluntariamente, por solidariedade e também para angariar fundos à pátria que sofre o mais criminoso embargo da história contemporânea. Portanto, há de se entender que a reação contra os médicos cubanos tem tudo a ver com os que boicotam Cuba há mais de 50 anos.

    rita

    24/08/2013 - 19h10

    tá. passa ou repassa. e o médicos cubanos não vão receber nem 50 por cento do valor pago pelo o governo do brasil. não concordo com isso! pode ser legal mas é imoral!

    Luís Carlos

    25/08/2013 - 15h32

    “Imoral” em um regime capitalista que por si só é imoral, além de aético, como o nosso ou de outros países que o adotam. Num regime que busca diminuir as desiguales econômicas e sociais fabricados historicamente pelo ação humana, isso é absolutamente necessário, um imperativo ético. Imoral é pagar R$ 10.000,00 para um médico trabalhar e simplesmente não cumprir carga horária e ainda reclamar de “baixa remuneração” e exigir que a sociedade civil custeie carreira de Estado sem dedicação exclusiva para fazer do SUS m “bico”.

    edir

    25/08/2013 - 04h23

    Rita, voce esquece de uma coisa, o governo cubano gasta para formar esses profissionais, entäo é justo que parte desses salários volte para o governo. Näo é como aqui no Brasil que no final de um curso de medicina na USP fique em torno de 800 mil reais, e depois de formado o médico dá uma banana para o povo que pagou sua faculdade.

Jayme Vasconcellos Soares

24/08/2013 - 10h28

E viva Fidel Castro, que deu ao povo cubano, inclusive aos seus médicos dignidade, honra , integridade e competência para servir à humanidade, indiscriminadamente!

Responder

    lukas

    24/08/2013 - 13h47

    Ok, mas não permite que venham para o Brasil com suas familias e fica com a maior parte de seus salários.

    Então, VIVA!

    Luís Carlos

    24/08/2013 - 18h40

    Você quer que os médicos cubanos venham morar no Brasil com suas famílias para sempre? Ok, tudo bem. Porém a lógica do acordo bilateral entre Cuba e Brasil é de uma missão internacional temporária e transitória. Durante esse período cabe ao Brasil ampliar vagas nas graduações de medicina e residências para ampliar acesso da população a serviços de saúde médicos, e não ficar dependente de médicos cubanos pela eternidade.
    Como as missões de paz, por exemplo, de soldados brasileiros no Haiti. Eles/as não foram com as famílias e não ficaram eternamente naquele país. Ou só vale para nós e demais países, menos para Cuba?

    Nelson

    24/08/2013 - 18h45

    Pare alguns instantes para pensar; abra um pouco a tua mente, Lukas. Assim você se dará conta de que está apenas dando uma de ventríloquo dos governos dos EUA. Você está a repetir somente o que aqueles governos querem que entendamos e conheçamos sobre Cuba.
    Para tais governos e os tubarões daquele país, a independência e autonomia de um povo como o cubano é um acinte, um insulto. Eis o porquê de Cuba ser um grande.

Luis Fernando

24/08/2013 - 10h23

A grande questão é que a medicina cubana é preventiva, enquanto na maioria dos países, a medicina é curativa. Enquanto as escolas de medicina brasileira formam médicos para curar doenças, em Cuba, trabalham com a prevenção dessas doenças, o que torna muito mais barato o tratamento para o paciente e para o governo, evitando gastos excessivos com medicamentos.
É aí que está o ódio da máfia branca. Não trabalhando a prevenção, pacientes já adoentados lotam os consultórios particulares, compram planos de saúde caríssimos e favorecem a maior indústria do mundo, a farmacêutica. É por isso que várias indústrias farmacêuticas pagam até passagens aéreas e hospedagens para médicos em congressos, levam brindes, presenteiam com tablets e outros mimos para seus aliados de jaleco. E a vinda dos médicos cubanos vai atrapalhar o empregão daqueles médicos que trabalham em postos de saúde e que vão apenas passar cartão e ir embora. É por isso que a máfia branca está acuada e assustada, destilando seu ódio e preconceito contra médicos humanitários que desvendarão essa prática.

Responder

    Abdula Aziz

    24/08/2013 - 10h40

    Isso mesmo! Excelente resposta a essa máfia branca de mer…..!

    Wildner Arcanjo de Morais

    25/08/2013 - 11h57

    Aí vem o X da questão, sabe porque aqui é curativa e lá é preventiva? respondo com três palavaras: INDÚSTRIAS DE FÁRMACOS.

Barbosa

24/08/2013 - 10h18

Temos de entra na justiça contra esse cidadão, muitas ações de todo Brasil, eu mesmo vou ajuizar e você?

Responder

snd

24/08/2013 - 10h15

o sentido da declaração é claro pra qualquer um da área da saúde: é “não vou encobrir erros, só vou continuar encobrindo os erros de meus compatriotas”. quando um médico atende, principalmente, no público, paciente claramente vítima de um erro de outro médico, ele não denuncia. trata o paciente e dá uma desculpa qualquer.(tipo”é assim mesmo”). isso é comum principalmente com médicos legistas. não se atesta um erro médico, principalmente neste país onde os usuários carecem de conhecimento básico. é só ver quantos médicos já foram processados ou condenados. mas, qualquer erro de médico cubano será denunciado e escancarado em público. não é omissão de socorro, é: não haverá corporativismo com médico cubano. ou seja, para bom entendedor meia palavra basta.

Responder

josé carlos barbosa de madureira

24/08/2013 - 10h11

Pergunte a esse retardado, se é pra zelar o bom andamento da medicina, quando um paciente processa um médico por médico ou por falta grave a ética médica, ele não recebe punição desse mesmo conselho. Eu processei um médico por falta grave a ética médica e esse merda continua exercendo a profissão.
Quero saber por que?

Responder

    hudson

    24/08/2013 - 11h29

    Simples corporativismo hipocricas

Magda Viana Areias

24/08/2013 - 09h51

O presidente do CRMMG deu um tiro no pé e está pegando fogo. Falou baboseiras criminosas. Até entendo o sufoco em que estão. Nessa a catgoria perdeu 100% de tudo o que pleteiava. No Ato médico também e ele sequer entendeu que NINGUÉM no país pode mais ser criminalizado pelo exercício ilegal da medicina, é isso que está na Lei do Ato Médico.

Responder

Regina

24/08/2013 - 09h45

Credo!!!Mais um demente dando entrevistas contra o Mais Medicos. Agora, é verdade. O programa do Herodoto AINDA não entrevistou nenhum médico a favor do programa.Por que?

Responder

Magda Viana Areias

24/08/2013 - 09h36

Os médicos do Mais Médicos de qualquer nacionalidade trabalharão sem CRM ptoviório e definitivo. A responsabilidade pelo trabalho deles é da presidência da República, que descumpre a lei brasileira. Ou não é a presidência da República quem está assumindo o ônus e o bônus? Os CRMs deverão cumpri a missão deles de fiscalizar. Mais nada. Nenhum médico brasileiro é responsável pelas cagadas de qualquer colega, nativo ou estrangeiro, mas não pode omitir socorro quando as cagadas colocam a vida em risco. A lei o protege para tanto, é a mesma que o criminaliza se deixar o doente morrer sem atender.

Responder

    Luís Carlos

    24/08/2013 - 18h54

    Os conselhos de medicina (autarquias públicas) serão obrigados a emitir registros provisórios para os médicos intercambistas, conforme medida provisória assinada pela Presidenta Dilma. Para quem não sabe, medida provisória é prerrogativa do/a Presidente/a da República, conforme constituição Federal, devendo submeter ao poder legislativo em tempo hábil. CRMs poderão não expedir registros provisórios, porém deverão arcar com descumprimento da legislação nacional, nunca esquecendo que se tratam de autarquias públicas e não “club privé” como alguns querem fazer parecer, sendo processados pela Procuradoria Geral da República. Até este momento as entidades médicas perderam todas ações que tentaram. A tendência é manter esse cenário. Presidentes de CRMs poderão ser cassados de seus mandatos, e talvez, inclusive, coisa pior, por descumprimento de legislação ao negar registro provisório.

edir

24/08/2013 - 08h56

Há determinado tipo de gente neste mundo, que ,se a mäe tivesse abortado, nós estaríamos livres de problemas.

Responder

edir

24/08/2013 - 08h53

Gostaria de dizer a este senhor: respeite os médicos cubanos. Os usuários do SUS precisam deles.

Responder

Josh

24/08/2013 - 08h51

Cadê a população nas ruas para apoiar a vinda dos médicos? Na hora de criticar foi fácil, agora é a hora de mostrar aos hipócritas, como esse presidente do CRM/MG, que o Brasil precisa de médicos.

Responder

trombeta

24/08/2013 - 08h45

Mais um caso explícito de ódio das elites por um programa do governo que beneficia os pobres.

Roteiro clichê.

Responder

Ted Tarantula

24/08/2013 - 08h34

de fascista e de louco todo médico tem um pouco…pouco????? no caso dos nosso compatriotas…cala-te boca

Responder

Gerson Carneiro

24/08/2013 - 07h32

Paulinho, então com 10 anos, foi sedado e teve os órgãos retirados quando ainda estava vivo.

Tráfico de órgãos em Minas Gerais tem médico tucano envolvido.

O que fez o presidente do CRM/MG que agora quer ir à delegacia contra médicos cubanos?

Inclusive, o médico tucano suspeito de comandar a máfia do transplante é presidente da Comissão de Saúde do Parlamento de Minas Gerais.

O que o presidente do CRM/MG tem a dizer sobre isso?

http://www.viomundo.com.br/denuncias/querem-trocar-juiz-apos-vir-a-tona-nome-de-tucano-acusado-de-trafico-de-orgaos.html

Responder

    renato

    24/08/2013 - 12h44

    As prefeituras deveriam exigir nota fiscal.
    Aqui a nota sai on-line para a Prefeitura.
    Mas tem uns que te dão só o recibo e o carimbaço
    do CRM….
    Daí você olha e diz: e o cpf doutor.
    Eles estalão os olhos, e escrevem a mão.
    Prefeitura neles….imposto.
    Por que eu pago e não chio.

Sergio

24/08/2013 - 06h38

Então para o presidente do CRM/MG em Cuba não há escolas de medicina, mas de curandeirismo? Que formam proffisionais tão incompetentes que não saberiam diagnosticar uma apendicite, é isso? Ele devia ir mais longe até, devia ir com suas denúncias à OMS. Não existe medicina fora do Brasil!

Responder

ricardo silveira

24/08/2013 - 01h07

O Governo está agindo de forma serena e, a meu ver, de modo muito condescendente com essa elite de médicos brasileiros que age de forma corporativa e contra a população. Nunca vi médico pobre. A profissão de médico não pode ser exclusiva das classes privilegiadas. Isso tem que acabar.

Responder

artur

24/08/2013 - 00h57

médicos quem são? sejam de onde forem. pacientes serão so uma mercadoria ? HIPOCRATES AH HIPOCRATES

Responder

Christian Fernandes

24/08/2013 - 00h21

“Dá o que a gente chama de peritonite.”

Belo linguajar científico, hein, DOUTOR?

Não vou nem comentar a bizarrice de achar que algum médico do mundo não sabe identificar uma apendicite, exceto – OOOOPS! – aqueles picaretas que os CRMs Brasil afora insistem em acobertar. Um amigo meu é prova viva (mas por pouco!) dessas negligências em atenção básica, que, para o nobre presidente d CRM/MG, se resolve na delegacia. Washington Luis aprova essa!

Quanto aos demais direitismos, clássicos em diversionismos, nenhuma novidade. Nisso, o status quo está onde sempre esteve.

Responder

    maria edith ferrarezi

    24/08/2013 - 01h43

    O médico brasileiro se acha melhor que os cubanos.Esse senhor os acusa claramente.Mas,um pediatra receitou para uma criança com dor no ouvido um remédio que não se encontrava na farmácia.Os balconistas ficaram receosos de dizer o porque que não tinham o remédio.Dois dias depois outro médico disse que o remédio receitado era para dor de barriga de cavalo.Onde está a tão propalada qualidade dos nossos médicos.Só olham o computador,não nos olha e diz sempre :é virose.Quer mais?

Abel

23/08/2013 - 23h41

Olha a máfia de branco aí, gente!

Responder

Maria Carvalho

23/08/2013 - 23h41

A meu ver: o problema da “não aceitação” dos médicos estrangeiros para trabalharem nas cidades do interior deste nosso país, significa, apenas, uma coisa: “acho, sem nenhuma prova”, apenas por “ouvir dizer”, que não vai mais sobrar dinheiro para a “pretensa roubalheira dos prefeitos”. O dinheiro destinado à saude, agora, deve ser implementado para a “permanência” de médico na “cidade pequenininha”, que nunca havia visto um médico antes, pois, todo caso de atendimento médico sempre foi levado para a cidade “grande” (abarrotando os hospitais) e a prefeiturinha d]ficando com o saldo do fundo do SUS.
Questiono: hoje, diante da vinda de médicos estrangeiros (a mídia só se refere aos cubanos)”manifestantes sem causa”, aparecem, protestando por melhores condições de trabalho. Pergunto: por que, nenhum presidente de associação ou crm, nenhum médico, que recebia dinheiro das prefeituras, jamais, foi denunciar, na “midiazona” que não tinham condições mínimas de trabalho? Recebiam o dinheiro de uma, duas prefeituras e nunca reclamaram a falta de condições de atendimento?
A maioria dos médicos deste país, politicamente, estão à direita e não querem perder a “boquinha”…

Responder

Isabela

23/08/2013 - 23h29

Que nojo dessa pessoa! Eu me lastimo tanto, sinto um desânimo imenso: como pode uma figura dessa num posto desse? Eu não encontro mais esperança, não…

Responder

Euler

23/08/2013 - 23h11

Está na cara que o presidente do CRM/MG é um tucano, assumido ou dissimulado. Como tal, torce para que o plano Mais Médicos não funcione. Hoje pela manhã a Rádio Itatiaia, totalmente comprada pelo governo dos tucanos – como toda a mídia mineira – dedicou-se a criticar a vinda de médicos cubanos ao Brasil. Minas é um mau exemplo para falar do tema, pois não aplica sequer o mínimo exigido por lei na Saúde, nem na Educação. Minas é campeã nos casos de dengue. Deviam perguntar ao presidente do CRM – órgão geralmente omisso e corporativo – se ele vai se responsabilizar pelas mortes provocadas pela ausência dos médicos que forem impedidos de atuar graças à ação dos tais fiscais do CRM. Mandem médicos no lugar de fiscais, senhores do CRM, e a população agradecerá.

Responder

    Paulo

    25/08/2013 - 18h12

    Dr. João Batista não é tucano, derrotou os tucanos nas recentes eleições do CRMMG

    Euler

    25/08/2013 - 19h35

    Paulo, talvez o dr. João Batista não seja de fato um tucano, mas, que a declaração dele contra os médicos cubanos guarda afinidades com os tucanos, isso não há dúvida.

    Considero até que algumas críticas dos médicos contra o programa do governo federal tenham fundamentos que devem ser levados a sério. A questão das condições de trabalho inadequadas e da ausência de planos de carreira e a insegurança trabalhista são fortes argumentos. Mas, deve-se considerar o caráter humanitário da medida provisória do governo federal, voltada para atender as comunidades de baixa renda em locais onde os médicos brasileiros, por várias razões, não se dispõem a prestar serviços.

    Portanto, considero que seria melhor que os conselhos regionais de medicina se unissem não para detonar esta medida emergencial, mas para cobrar uma política séria, por parte dos governos – federal, estaduais e municipais, de forma compartilhada.

    Infelizmente, no Brasil, Saúde e Educação não são prioridade para nenhum governo.

Helio Filho

23/08/2013 - 22h57

Ihhh!!! Esse ai surtou de vez!
Chamem urgente um psiquiatra cubano pra ajustar a dose do medicamento.

Responder

Felício- Ensa

23/08/2013 - 22h55

Primeiramente, gostaria de deixar claro que sou contrário ao programa Mais Médicos. O problema referente a questão da saúde no Brasil não é ocasionado devido a falta de médicos, mas sim pela ausência de toda uma estrutura maior. Faltam enfermeiros, hospitais e a condição socioeconômica de algumas regiões fazem com que as pessoas de tais áreas não disponham de recursos financeiros suficientes para arcar com os custos de um tratamento, muitas vezes com valores elevados devido ao fato de a medicina brasileira ser curativa e não preventiva. Portanto , a medida tomada pelo governo não será capaz de melhorar o quadro nacional. Mas, é necessário ressaltar que , independente de um médico ser ou não favorável ao projeto, a ética existente neste setor deve sempre prevalecer e sendo assim, a vida de um paciente nunca poderá ser prejudicada devido a opiniões pessoais.

Responder

    Hernán

    24/08/2013 - 09h44

    A pior pediatra do meu filho foi uma professora universitária. A clínica tinha uma ótima infraestrutura, o HC também. O problema dela era de caráter. Finalmente fomos a um pediatra mais velho, sem tanto CV, ele acertava na mosca, só usou exames para confirmar, mas os diagnósticos sempre estavam certos. Ele pegou escarlatina por causa da Gripe A, outro grande roubo do Brasil. Como fecharam a escolinha, levamos ele a brincar a uma pracinha, que estava lotada, e lá pegou a escarlatina de um menino. Sou estrangeiro e fico apavorado como se consome remédio no Brasil! Tanta farmácia é sintoma de algo.

    Luís Carlos

    24/08/2013 - 18h58

    Sintoma de medicina orientada para as necessidades de mercado e não para demanda social e epidemiológica, fruto de um tal Relatório Flexner.

Geraldo

23/08/2013 - 22h50

Se estiver viajando na maionese, me perdoem, mas do jeito que estes direitistas estão agindo, como é o caso deste senhor aí do CRM/MG, pode haver até sabotagem do trabalho dos médicos que estão vindo; tudo para dar manchetes e mais manchetes para kamel e seus asseclas.

Responder

    Under_Siege@SAGGIO_2

    24/08/2013 - 07h32

    infelizmente também penso que as chances de que isto ocorra são muito grandes. infelizmente…
    :(

JULIO*Dilma2014/Contagem(MG)

23/08/2013 - 22h26

Que cara mais idiota meus deus, e ainda tem curso superior. Eta mafia do
jaleco branco maldita.

Responder

Cibele

23/08/2013 - 22h20

Excelente, Conceição. Parabéns ao Viomundo e a todos os contribuintes.

Responder

roberto almeida

23/08/2013 - 22h13

Se o Dr. Puliça for prestar queixa em delegacia de polícia contra os médicos estrangeiros, quem vai ser processado é ele, “por dar causa a instauração de inquérito policial contra quem sabe inocente”, como prevê o art. 339 do Código Penal (denunciação caluniosa). A medida provisória que cria o programa Mais Médicos legaliza a atuação de todos os médicos estrangeiros, portanto, estarão exercendo a profissão de forma legal. Aliás, é normal o Dr. Puliça não conhecer de direito. Não entende nem da sua profissão, vai entender de outra…

Responder

Luís Carlos

23/08/2013 - 22h09

Sugiro que sejam amplamente divulgadas as declarações do presidente do CRM/MG e do presidente do CFM para repassar às pessoas e demonstrar o desprezo de entidades médicas pelo povo, tamanha a má repercussão que estão causando. Os inábeis médicos das entidades classistas farão outras manifestações grotescas e preconceituosas como essas novamente, movidos pelo ódio e desqualificação política.

Responder

Maria Thereza

23/08/2013 - 22h08

Os conselhos de classe deveriam servir para proteger a sociedade de erros, omissões, desvios éticos dos profissionais filiados. Como sempre, viraram a coisa e os conselhos se tornaram protetores de seus membros. Especificamente, foi necessário criar uma Associação de Vítimas de Erros Médicos, já que recorrer ao Conselho se mostrou inútil. Esse senhor é caso de polícia, com uma passadinha num psiquiatra que não seja “dele”. Agora, vamos reconhecer e agradecer os coxinhas de jaleco, pois deram uma visibilidade enorme ao programa mais médicos, principalmente junto à população até agora desassistida que, a meu ver, contribuiu até para a recuperação da Dilma.

Responder

Marco

23/08/2013 - 22h08

Esse palerma deveria é estar investigando os médicos brasileiros que batem ponto e não trabalham!!!

Responder

Ozzy Gasosa

23/08/2013 - 22h05

Isso é um médico ou um doente mental?
Mas esse tucanato estão tirando as manguinhas de fora.
Para eles não há leis.

Responder

Lindivaldo

23/08/2013 - 22h04

Que absurdo!
Esta elite diz o que quer, porque acredita que é inimputável!!!

Responder

lidia virni

23/08/2013 - 22h03

Certamnteesse daí não encara a Medicina como ums sacerdócio e sim como um banco, uma empresa comercial, tudo é troca e no final das contas, é o dim-dim que interessa. Deixar morrer é uma maneira subrepticia de elimnar os indesejáveis para essa elite abjeta.

Responder

Luís Carlos

23/08/2013 - 22h03

O presidente do CRM/MG e o presidente do CFM que disse que os médicos cubanos causariam um genocídio deram demonstração inegável de quão ridículos, despreparados e desqualificados são, e também as entidades médicas que presidem. Declarações rasteiras e mentirosas do mais baixo nível que fazem a população perceber o quão ignominiosas são entidades médicas e seus vis objetivos corporativos. De ontem para cá ouvi de muitas pessoas simples a repulsa pelas declarações do inábil e despreparado presidente do CRM que simboliza muito bem a casta ignara de médicos a qual ele representa. Ressuscitam a guerra fria e fazem papel grotesco de justiceiros arrogantes.

Responder

anac

23/08/2013 - 22h01

Exercício “ilegal” da medicina? Só se o cidadão não fosse médico estaria praticando uma conduta delituosa. A MP 621/2013 reconhece o diploma dos referidos profissionais e autoriza a contratação. O “puliça” prender o médico estrangeiro seria abuso de autoridade, prevista na Lei Federal 4.898/65, inciso j, que dispõe ser abuso de autoridade qualquer atentado “aos direitos e garantias legais assegurados ao exercício profissional”.

Responder

FrancoAtirador

23/08/2013 - 22h00

.
.
Cada vez que pronuncia uma frase

o médico fascista comete um crime.
.
.

Responder

anac

23/08/2013 - 21h58

É o medico com fronteira. A fronteira é o dinheiro.
E salvem-se quem puder!

Responder

    anac

    23/08/2013 - 22h13

    É o candidato preferido da classe a presidente da nova organização comercial brasileira:
    Médicos com Fronteiras ou Médecins avec Frontières é uma organização brasileira comercial privatarista com fins lucrativos que vende serviços e produtos médicos a populações abastadas financeiramente, em preferencialmente cidades com shoppings de luxo e aeroportos internacionais.

    FrancoAtirador

    23/08/2013 - 22h30

    .
    .
    Ele é da região da Serra ‘do’ Canastra.
    .
    .

Gerson Carneiro

23/08/2013 - 21h57

Pois vem exatamente de Minas Gerais o caso dos médicos tucanos que retiram órgãos de pacientes vivos para traficar. E o presidente do CRM/MG não mandou fiscais lá. O que ele fez?

Responder

    Luís Carlos

    23/08/2013 - 22h04

    Parece que nada. Calou e consentiu?

Elias

23/08/2013 - 21h54

Esse sr. subverte a sigla que preside. Ele se faz presidente do Conselho Regional da Morte. E anuncia com todas as letras que cometerá crime doloso. Trata-se de um ser mais que desumano, um ser anti-humano que afirma descumprir o Juramento de Hipócrates sem nenhuma vergonha. Um ser desprezível, cheio de preconceitos, totalmente ignorante sobre os desígnios da Revolução Cubana. Aliás, a bem da verdade, esse sr. não está só, há muitos que a ele se igualam e desprezam essa corajosa empreitada de espalhar médicos nos mais desfavoráveis rincões do Brasil. Rincões esses que médicos brasileiros não têm nenhum interesse.

Responder

    Fabio Passos

    23/08/2013 - 22h34

    “Conselho Regional da Morte”

    Falou e disse!
    Este é o conselho que joão batista soares preside.

    Vou divulgar.

Jorge Santos

23/08/2013 - 21h53

Mafioso é mafioso. Da elite, é claro.

Responder

Gerson Carneiro

23/08/2013 - 21h47

Presidente do CRM/MG é o verdadeiro médico de porta de cadeia.

Responder

Gerson Carneiro

23/08/2013 - 21h46

Esse é o verdadeiro Médico de porta de cadeia.

Já pode ir dormir na porta da delegacia.

“Médicos estrangeiros desembarcam em BH para o Mais Médicos.

Ao todo, Minas vai receber 87 médicos pelo programa, sendo 71 brasileiros e 16 com registro profissional no exterior.”

Fonte: http://www.hojeemdia.com.br/minas/medicos-estrangeiros-desembarcam-em-bh-para-o-mais-medicos-1.161108

Responder

Fabio Passos

23/08/2013 - 21h29

Surpreendente.
Como é que pode este joão batista boares ser presidente do CRM de Minas Gerais?
Este sujeito é, na melhor hipótese, um imbecil.

Mas creio que é pior: Ele deve ser leitor da revista veja. rsrs

Por piedade…tomara que algum psiquiatra cubano acuda este cidadão.

Responder

    João Marques

    23/08/2013 - 21h55

    E eleitor de Aécio Neves.

    Fabio Passos

    23/08/2013 - 22h24

    aécio sem dúvida. rsrs
    E pede para vice o jair bolsonaro!

Gerson Carneiro

23/08/2013 - 21h25

Deveria ser cobrado como punição ao presidente do CRM/MG, cada atendimento bem sucedido por médicos cubanos, o valor correspondente ao preço que ele cobra pelo mesmo atendimento.

Responder

    Maria Thereza

    23/08/2013 - 22h03

    gostei da ideia. Apoiadísssimo.

Luís Carlos

23/08/2013 - 21h23

Nos próximos dias comissões representando o Mais Médicos irão aos conselhos de medicina para providenciar registros provisórios para os médicos intercambistas, acompanhados da Advocacia Geral da União. Quando baterem no CRM/MG o “valente” presidente da autarquia pública negará os registros? Não teve coragem de sustentar o que disse, terá coragem de negar os registros como presidente de autarquia pública?

Responder

    J Souza

    23/08/2013 - 22h07

    Vai registrar porque são estudantes.
    Médicos estrangeiros que vêm estudar no Brasil, recebem, como sempre aconteceu no país, um registro diferente, de médico estrangeiro, com duração e atividade limitadas.
    Se esses médicos se afastarem destas limitações, têm seu registro provisório cancelado.
    Apesar de “esconder” que os médicos serão estudantes no Brasil, é nisso que o governo federal se apoia para afirmar que o programa é legal. A legislação para médicos estrangeiros estudando no Brasil já é bem estabelecida.

    José Souza

    23/08/2013 - 23h20

    Luis Carlos, provavelmente ele sairá de férias um dia antes para poder falar que ele não assinou os papéis dos cubanos. CALA A BOCA JOÃO.

Karl

23/08/2013 - 21h22

Canalha, sem vergonha, direitista, nazista, fascista, assassino MAFIA DE BRANCO. Dois adendos:
1) A quem se refere todos esses adjetivos bondosos?
R: Não sei não.
2) Teria outro sentido isso, OU NÃO?
R: Talvez, OU NÃO, quem sabe?

Responder

iza

23/08/2013 - 21h20

Conheço o cabra aqui de BH.
Não vale um centavo!

Responder

Alberto Santos Neto

23/08/2013 - 21h19

Este sujeito não passa de uma fascista da pior espécie!

Responder

Marat

23/08/2013 - 21h18

Do jeito que essa turma é ignorante, atrasada e obtusa, não duvido que dirão que eles comem criancinhas…

Responder

    FrancoAtirador

    23/08/2013 - 21h57

    .
    .
    Imagina o que dirão, quando souberem

    que os russos stalinistas também vieram.

    “No total, 244 profissionais participarão do treinamento no país, sendo 99 brasileiros e 145 vindos de Portugal, Espanha, Argentina, Uruguai, Rússia e Itália.”

    (Vide link acima, no comentário das 21:45 do Gerson Carneiro)
    .
    .

    Marat

    24/08/2013 - 13h59

    Ha ha ha este imbecil, e os outros, que leem a veja ainda vão precisar de mãos cubanas ou russas em suas partes pudentas posteriores, para exames de próstata… ou será que eles preferem mãos peludas de médicos estadunidenses???????????????

marco

23/08/2013 - 21h16

Este tipo de vigarista,com diploma de médico,certamente se acha dono dos outros colegas,posto ter dito que vai mandar que não atendam pacientesn que por desventura,tenham sido vítima de erro médico.Acho que o vigarista em questão,certamente tem muitos colegas que concordam com ele,mas não pelo fato de os estrengeiros,não se submeterem as provas prescritas,segundo ele,e terem sido trazidos até o país,por força de Medida Provisória.Ora a alegação é simplesmente partidária,já que ele certamente e correligionário dos tucanos e o faz,não por discordar da vinda de médicos de fora,e sim porque foram trazidos pelo governo atual.Porém o mais sin tomático de suas declarações,reside na afirmativa dem que os tais médicos,não tem patrimônio.Ora um médico deveria preocupar-se com saúde e não patrimônio.Certamente se não é filhinho de papai,se tiver sido um dia pobre,não passa de mais um traidor de sua classe social.O pior é que este cidadão dedo-duro,tão em moda nos nossos dias,e conterrâneo de Tiradentes,mas deve preferir o Silvério dos Reis.

Responder

    Luís Carlos

    23/08/2013 - 21h52

    Ou prefere o Aécio e os bilhões que teria não investido no SUS. Mas aí o CRM/MG e seu “valente” presidente se cala, não denuncia e finge que não vê.

Zé Brasil

23/08/2013 - 21h14

Tem que falar para estas bestas corporativistas que nesta po#$# de País quem faz e gere a política médica é o Ministério da Saúde.

PQP! As máscaras vão caindo uma atrás da outra: a da imprensa já caiu de podre há muito tempo; a jurídica idem; as ditas elites: desde sempre.

Só mostram o de sempre, quer seja, sua face excludente, preconceituosa e egoísta.

Desculpe-me a todos, como Mineiro, por mais uma destas vinda de minha terra, a qual, por atos iguais a este, a cada dia torna-se mais difícil de nela reconhecer-me.

Responder

    JULIO*Dilma2014/Contagem(MG)

    23/08/2013 - 22h40

    Essas Minas Gerais, de Tiradentes, JK, Chico Xavier, Santos Dumont e tantos
    outros tambem reproduz um verme reacionário fascista deste. Perdão Brasil,
    como mineiro estou morrendo de vergonha deste cretino.

Gerson Carneiro

23/08/2013 - 21h04

Enquanto mais esses presidentes de CRM tentam se explicar mais se enrolam. Mais entram em contradição. Mais fica evidente a canalhice deles.

Responder

Odorico Carvalho

23/08/2013 - 21h01

Um tiro pela culatra. Os médicos, como forma de atrapalhar o governo, pedem a revalidação do diploma. O governo diz que a revalidação permitiria a esses médicos trabalharem em qualquer lugar do país. Sinuca de bico para os médicos brasileiros, não? Vão recuar?

Responder

Vagner

23/08/2013 - 21h01

Esse Senhor deve se retratar imediatamente. No mínimo esta a cometer um crime de Apologia ao Crime, entre outras. Os Pacientes de minas agradecem seu verme e desejam o mesmo para você, uma morte sem socorro, indigno da profissão, traidor.

Responder

Luís Carlos

23/08/2013 - 20h49

O presidente do CRM/MG foi flagrado ameaçando médicos cubanos de perseguição e, pior, incitando à omissão de socorro. Prática abjeta, repulsiva e covarde. Esta postura demonstra claramente o que entidades médicas defendem. Postura deplorável e vergonhosa. Deve ser denunciado ao “conselho de classe”… … de classe… …mas vai dar em nada. A corporação se protege e apenas perseguirá quem está disposto a atender a população, e não a quem incita omissão criminosa de socorro. O “conselho de classe” não punirá o presidente do CRM/MG, apenas médicos formados fora do Brasil, e se forem formados em Cuba, poderão ser ameaçados e perseguidos pelos isentos,justos e ciosos “conselhos de classe”.

Responder

maria de sobral

23/08/2013 - 20h45

“Vou orientar meus medicos a nao socorrerem erros…” Há outra interpretaçao pra esta afirmaçao contundente? Por mais que me esforce nao consigo interpretar diferente. Fala o que nao deve e se justifica de forma tal que subestima os outros. Se fosse sobre nao assumir a responsabilidade pelos erros diria, socorra,mas nao assuma o erro e isto se apuraria depois,caso existisse.
“Vou orientar MEUS medicos…” Grifo meu.

Responder

Gerson Carneiro

23/08/2013 - 20h36

Mãinha teve 13 filhos. Todos partos feitos por parteiras que não eram médicas. Terei que nascer novamente? Hein, seu dotô?

Responder

Sala Fério

23/08/2013 - 20h29

Têm que aprender também a sambar e a lista de todos os presidentes que já tivemos, além das capitais de cada estado e os principais times, antes de poderem atender a quem necessita?

Responder

t tonucci

23/08/2013 - 20h27

Moro em Nova Lima, que esta a 25 minutos de BH: quero ver ele mandar fiscalizar médico no Gado Bravo, norte de Minas.

Responder

    Luís Carlos

    23/08/2013 - 21h16

    Quem não tem coragem de assumir o que fala como ele, não tem coragem para fiscalizar no Gado Bravo e em lugar nenhum.

Terezinha

23/08/2013 - 20h27

Se houvesse judiciário sério neste país o presidente do CRM de Minas Gerais deveria ser preso. Pensa que a saúde das pessoas é mercadoria. É revoltante o corporativismo que chega tal grau de irresponsabilidade.

Responder

    gilson sampaio

    23/08/2013 - 20h49

    O Ministério Público Federal tem a obrigação de processar esse ogro por incitação à omissão de socorro. É crime pre-meditado e formação de quadrilha.
    Cadeia já pra esse esse arremedo de ser humano.

Leo V

23/08/2013 - 20h24

Então ele disse mesmo.

Pela entrevista percebe-se que no fundo o problema não é de cumprimento de legislação, mas outros interesses, porque ele joga pra opinião pública que médicos cubanos tendem a cometer erros (como se os médicos brasileiros não errassem).

Responder

    José Souza

    23/08/2013 - 23h10

    Leo V, saiu no blog “Com Texto Livre” de hoje, para cada 10,000 procedimentos os cubanos erram 11 e os brasileiros 67. Quem é melhor médico?

luisk2010

23/08/2013 - 20h22

Mas, o principal ele não desmente: a medicina curativa e a indústria dos exames são a sua prioridade; a medicina preventiva é por ele desprezada!

Responder

Gerson Carneiro

23/08/2013 - 20h19

Ele vai mandar fiscais. Deveria mandar médicos. E não o fez até hoje.

Responder

Gerson Carneiro

23/08/2013 - 20h15

“Disse, mas a interpretação é outra, é sobre a responsabilidade.”

Eu digo que vou matar esse sujeito, mas a interpretação é outra. Pronto, não posso ser incriminado.

Responder

Gerson Carneiro

23/08/2013 - 20h13

“O médico cubano atende um paciente na unidade básica de saúde com diarreia.”

Mas ele nega que o médico cubano é médico. Consegue entender?

Responder

    Ricardo

    23/08/2013 - 21h23

    Esse sujeito não passa de um racista asqueroso. Isso sim. Ele se refere aos médicos cubanos como “colegas cubanos”, ou seja, médicos cubanos.

    É tão revoltante ler isso. E, extamente porque é algo rasteiro, típico de canalhas selvagens. Ele assume que não está nem aí para a população, só quer ver o circo pegar fogo e fazer os cubanos se darem mal, e com eles os pacientes. Canalha.

    Além de que tem todo um tom de chefe de jagunços: “mando uma equipe…”

    José Souza

    23/08/2013 - 23h07

    Ricardo, e eu gostaria de ver a população da cidade onde ele enviar “uma equipe” barrar essa “equipe” e deixar o médico cubano trabalhar porque se retirar o médico cubano é a população quem vai ficar desassistida. Minas é um estado grande e ele não será reeleito para o bem da classe médica, com ou sem os cubanos.

Gerson Carneiro

23/08/2013 - 20h10

A máfia do estetoscópio não consegue disfarçar que sabota o Brasil em prol dos seus interesses particulares.

Dinheiro acima de tudo.

Responder

francisco niterói

23/08/2013 - 20h07

A primeira coisa que ele deveria orientar “os medicos deles” era dar recibos de suas consultas.

Ja estou de saco cheio de medicos enrolando pra dar recibo enquanto pago IR descontado na fonte.

Responder

    José Souza

    23/08/2013 - 23h02

    Francisco Niterói,o correto seria eles emitirem nota fiscal de prestação de serviço onde apareceria o ISS a ser recolhido. As prefeituras deveriam exigir a colocação de máquinas que emitem essa nota e, on line. Assim não haveria sonegação de ISS, normalmente pago por estimativa. Recibo não aparece o ISS e só tem utilidade para o imposto de renda.

    francisco niterói

    24/08/2013 - 07h38

    Jose souza

    Quando o atendimento é feito por medico autonomo, ele emite SIM RECIBOS.
    Vamos ver por tributo agira:

    ISS

    Quando o medico atende em nome de uma empresa, mesmo sendo um socio, é emitida NOTA FISCAL.

    No primeiro caso o medico pago um ISS fixo e no segundo caso a empresa paga o ISS com a aliquota definida, ou fixa, como em muitoa municipios.

    IR

    No primeiro caso o medico paga IR pessoa fisica. No segundo a empresa paga IR pessoa juridica e seus socios irao pagar IRPJ sobre seus resultados (lucro).

    Quando falei em recibo acima, estava sendo reducionista visto que grande oarte atende como autonomo, mas tentei deixar claro que a grande sonegacao esta ocorrendo no IR. A aliquota do ISS geralmente esta por volta de 5%. E a pessoa fisica paga em IR aliquota ate 27,5%.

    Edi Passos

    24/08/2013 - 23h47

    Na minha cidade a maioria dos médicos não emite nota fiscal e, em muitos consultórios e clínicas, quando você pede recibo o preço do serviço aumenta 30%, ou seja, ou você paga o IR do médico ou vira seu cúmplice no crime de sonegação fiscal!

renato

23/08/2013 - 20h04

“Meus Médicos”
Está parecendo Coronel de Exercíto. Meus Médicos.
Como se falasse por todos, como se médico fosse
uma raça alienigena, uma classe que não busca clientes
Me conta outra estória, este cara. esta pensando que Médico
não tem culhão. Para tomar atitudes totalmente dissonantes
ao seu sindicato.
Esta pensando que é Hitler, nem Hitler viveu folgado assim
Romel queria sua cabeça, e quase conseguiu.
Está deslizando na maionese, pensa que os médicos novos,
não sabem pensar, e que não conhecem o Sindicato que os
representa.

Responder

doutor natas

23/08/2013 - 19h56

manos e minas,
crm eh abreviatura de crime?

Responder

J Souza

23/08/2013 - 19h53

Não sei se o presidente do CRM-MG leu a medida provisória. Eu li e a interpretei de outra forma.
O CRM não têm que perseguir os médicos cubanos, que apenas fazem o que lhes é “solicitado” pelo governo cubano. Os médicos cubanos estarão no Brasil como bolsistas, como meros estagiários, como estudantes!
Ele tem que ir atrás, se necessário, é dos tutores, que são responsáveis pelo que os médicos cubanos fizerem no Brasil, seja para o bem, seja para o mal.
E estes tutores podem e devem ser responsabilizados junto ao CRM, se necessário, o que eu acredito que não deverá ocorrer com frequência.

P.S.: Continuo achando que os médicos estrangeiros são muito bem vindos. Mas a forma pela qual estão sendo trazidos é completamente equivocada.

Responder

    J Souza

    23/08/2013 - 20h42

    http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/arquivos/pdf/2013/Jul/12/edital_n_39_8_julho_2013.pdf

    “1.1. Este edital tem por objeto realizar chamamento público
    de médicos formados em instituições de educação superior brasileiras
    e estrangeiras, nos termos do art. 7º da Medida Provisória nº 621, 8
    de julho de 2013, e do art. 18 da Portaria Interministerial nº
    1369/MS/MEC, de 8 de julho de 2013, para adesão ao Projeto Mais
    Médicos para o Brasil, nos termos estabelecidos no presente Edital,
    com a finalidade de aperfeiçoar médicos na atenção básica em saúde
    em regiões prioritárias para o Sistema Único de Saúde (SUS), me-
    diante oferta de CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO por instituição pública de
    educação superior e atividades de ensino, pesquisa e extensão, que
    terá componente assistencial mediante integração ensino-serviço.”

    “7.5. As atividades de pesquisa, ensino e extensão dos mé-
    dicos participantes do Projeto serão supervisionadas por profissional
    médico, com avaliação sistemática presencial e à distância, conforme
    regras definidas pela Coordenação do Projeto e pelas instituições
    públicas de educação superior brasileiras participantes.”

    J Souza

    23/08/2013 - 20h48

    O governo não “contratou” ninguém, como a mídia vem equivocadamente propalando há meses!
    O governo está colocando estudantes de especialização para atender às regiões sem médicos. Ponto.

    Magda Viana Areias

    24/08/2013 - 09h42

    Como assim? Não entendi. Dá para explicar melhor?

Deixe uma resposta