VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Governador paulista quer “vender” 25% dos leitos hospitalares do SUS

21 de dezembro de 2010 às 16h39

por Conceição Lemes

A saúde pública no Estado de São Paulo está sendo privatizada a passos largos, em larga escala.

Na última quinta-feira, o governador Alberto Goldman (PSDB) tinha certeza de que acrescentaria novo capítulo a essa história: aprovar na Assembleia Legislativa o projeto de lei 45/10, que altera a lei das Organizações Sociais (OS), de 1998, permitindo que vendam a planos de saúde e clientes particulares até 25% dos leitos hospitalares (entre outros serviços) do Sistema Único de Saúde (SUS).

“A nova lei das OS reduzirá mais o já precário atendimento hospitalar da população pobre”, denuncia ao Viomundo o deputado estadual Adriano Diogo (PT), da Comissão de Higiene e Saúde da Assembleia Legislativa. “É a expansão da ‘quarteirização’ dos serviços públicos de saúde no Estado de São Paulo.”

A tentativa da quinta-feira fracassou. Além de aproximadamente  40% dos deputados não terem conseguido a reeleição (e estão faltando às sessões), o tema é impopular.

Resultado: na primeira votação, obteve apenas 35 votos favoráveis. Como é um projeto de lei complementar, necessita de 48 votos para aprovação. Hoje haverá nova votação. O projeto foi encaminhado pelo governador paulista à Assembleia Legislativa, em 1º de dezembro, em regime de urgência.

PROJETO 45/10: DUPLA PORTA E MAIS RECURSOS PARA OS DA SAÚDE

Teoricamente as OS são entidades filantrópicas. Só que, na prática, funcionam como empresas privadas, pois o contrato é por prestação de serviços.

A lei de OS, de 1998, estabelecia que apenas os novos hospitais públicos do estado de São Paulo poderiam passar para a administração das OS.  Porém, uma lei de 2009, do então governador José Serra (PSDB), derrubou essa ressalva. Ela permite transferir às  OS o gerenciamento de todos os hospitais públicos do estado. É o caminho para a terceirização completa.

Agora, o novo projeto do governador Alberto Goldman tenta avançar sobre os serviços desses hospitais públicos privatizados. Ele quer é que esses serviços não sejam destinados exclusivamente aos pacientes SUS. O projeto permite as OS venderem até 25% dos seus serviços aos planos de saúde e particulares. É o aprofundamento da  “quarteirização”, uma vez que atualmente as OS (que são as terceirizadas) já contratam hoje em dia alguns serviços.

Na prática, o projeto 45/10 institucionaliza a dupla porta, de iniciada no sistema público de São Paulo e hoje disseminada por muitos estados, considerada por vários especialistas uma ilegalidade.

Pela “porta 1”, entram os usuários do SUS. Pela “porta 2”, apenas os conveniados e particulares.  O argumento dos defensores da dupla-porta é que o pagamento dos serviços ajudaria a pagar a conta dos doentes do SUS.

A questão é que, nas mesmas instituições públicas, pacientes SUS têm diagnóstico e tratamento mais tardios do que conveniados ou particulares para males idênticos. E aí está x do problema, até porque esses hospitais foram construídos com recursos do SUS.

Tem mais. Na prática, o projeto do governador paulista cria uma nova fonte de financiamento para as OS. Ele prevê que o dinheiro arrecadado com a prestação desses serviços seja repassado diretamente às OS e não ao poder público, que as financia como manda a lei. Além de o Estado não ter ressarcimento, o recurso não será contabilizado na receita e na despesa pública, criando uma ilegalidade. Afinal, a Lei Estadual 9.058/94  já prevê que haja o ressarcimento para o Estado do gasto de usuários de planos de saúde se forem utilizados equipamentos públicos. Também as normas fixadas pela Lei Federal 9.656/ 1998 já prevêem o ressarcimento para o poder público.

E quem controla isso? Que garantia o Estado tem de que serão “vendidos” 25% e não 30% ou 40%, por exemplo? O próprio Tribunal de Contas do Estado de São Paulo reconhece que é difícil esse controle.

HOSPITAIS ADMINISTRADOS POR  OS CUSTAM 50% MAIS

Por que então o governador quer aprovar o projeto de lei 45/10, autorizando o uso de até 25% dos leitos da rede estadual por convênios e particulares?

A explicação é simples. O custo do gerenciamento dos hospitais públicos pelas OS é alto, ao contrário do que alardeiam os defensores desse sistema de administração.

O cruzamento de dados dos relatórios das OS com informações do Sistema de Gerenciamento da Execução Orçamentária do Estado de São Paulo (SIGEO) comprova isso.  Em 2008, os 13 hospitais públicos geridos na ocasião por OS receberam R$ 872 milhões.  Um gasto médio, portanto, de R$ 67 milhões. Já os 33 hospitais administrados diretamente pelo Estado gastaram R$ 1,49 bilhão.  Um gasto médio de R$ 45,4 milhões.

Resultado: em 2008, os hospitais geridos pelas OS custaram, em média, 50% mais do que os hospitais públicos geridos diretamente pelo poder público.

Em 2009, isso repete.  Os hospitais públicos geridos por OS receberam R$ 1,35 bilhão.  Um gasto médio de R$ 71 milhões. Já os hospitais administrados pelo Estado gastaram R$ 1,64 bilhão.  Um gasto médio de R$ 48,2 milhões. Ou seja, o gasto médio com os hospitais geridos pelas OS  ficou 47% mais caro.

A mesma tendência em 2010. Ainda com dados provisórios, os hospitais geridos por OS receberam R$ 1,6 bilhão. Isso representa um custo médio de R$ 76,3 milhões. Já os hospitais geridos pelo Estado gastaram até o momento, a quantia de R$ 1,45 bilhão, representando um custo médio anual de R$ 42,8 milhões.

Outro dado revelador. De 2006 a 2009, os gastos com as OS na Saúde saltaram de R$ 910  milhões para R$ 1,96 bilhão.  Um pulo de 114%. No mesmo período, o orçamento do Estado cresceu 47%. Ou seja, as despesas do Estado de São Paulo com a terceirização da saúde cresceram mais que o dobro do aumento do orçamento público.

Só que a sociedade não têm acesso a esses dados. O próprio Tribunal de Contas do Estado de São Paulo reconhece, insistimos, que o controle social sobre os gastos das OS é muito baixo.

ENTIDADES DE SAÚDE SÃO CONTRA

“Na verdade, a terceirização dos serviços de saúde, via OS, é uma forma de driblar a Lei de Responsabilidade Fiscal quanto ao gasto com pessoal”, faz outra denuncia ao Viomundo o deputado Adriano Diogo. “Enquanto ao poder público só é permitido gastar, no máximo, permite 46,5% da sua receita corrente líquida com pessoal, nas OS não há limite. Algumas gastam 70% com pessoal. Monta-se, assim, um sistema de contratação indireta de pessoal, sem nenhum limite. E o que é pior. Sem qualquer controle social.”

Não à toa as entidades de saúde são contrárias ao projeto de lei 45/10. Confira.

Maria do Carmo Cabral Carpintero, presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo: Há um equívoco básico no projeto: não podemos tratar uma patologia com um remédio fatal. Faltam recursos no sistema de Saúde, mas não iremos resolver o problema, diferenciando os pacientes que não têm convênio. Eles não podem ser tratados como cidadãos de segunda categoria. Isso fere o princípio da equidade, estabelecido pelo SUS.

Renato Azevedo Júnior, vice-presidente do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp): Faltam leitos na rede pública. Não podemos vendê-los. Embora a dupla porta não esteja prevista na lei, sabemos que na prática haverá duas filas para o atendimento nos hospitais públicos: dos pacientes do SUS e dos que têm plano de saúde. A solução para o setor está em aumentar os investimentos e melhorar a gestão do sistema público.

Rogério Giannini, presidente do Sindicato dos Psicólogos (SinPsi): Falta fiscalização na gestão das Organizações Sociais e o projeto vai estabelecer mesmo a dupla porta, uma entradinha para o SUS e outro para os convênios médicos. É uma proposta que vai causar fragilização do Sistema Único de Saúde.

Moacir Miniussi Bertolino Neto, representante do Conselho Regional de Psicologia: Estão privatizando o SUS em São Paulo. O projeto é inconstitucional, beneficia apenas empresários e instituições financeiras e vai aumentar ainda mais a espera por exames e procedimentos.

Benedito Augusto de Oliveira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde (SindSaúde):  Não há como regulamentar essa separação de leitos ou dizer a uma pessoa doente que ela ficou além da cota prevista pelo projeto. Isso é um crime. A proposta de privatização dos leitos antes que Alckmin assuma o Governo demonstra o interesse econômico e político do projeto.

Maria Ademilda Mastelar, do Conselho Estadual de Saúde (representante dos usuários): Faltam vagas para os pacientes do SUS em São Paulo, seja para internação ou exames. Não dá para pensar em qualquer proposta que possa reduzir ainda mais a oferta.

QUEM VOTOU CONTRA E A FAVOR DO PROJETO DE LEI 45/10

Os nomes em verde votaram a favor do projeto 45/10, do governador tucano.  Os escritos em vermelho, contra.

Descubra como o seu deputado estadual. Após a votação de hoje, publicaremos a lista atualizada.

 

114 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Apesar dos Escândalos das Organizações Sociais de Saúde(OSs) em todo o País Prefeitura de Barueri Insiste em Colocar Uma como Gestor do Hospital Municipal. | Jrholanda Barueri Blog

05/03/2017 - 15h42

[…] final do ano passado, o Viomundo já havia tornado público que, em 2008 e 2009, os hospitais geridos pelas OSS custaram, em média, aos cofres do Estado de […]

Responder

Américo Jurca

16/04/2014 - 14h01

Só falta saber quais são os interesses do PT por detrás desse posicionamento, óbvio.Pois todo mundo sabe que essa imprensa pseudo-alternativa, desses blogueiros que vêm de bajular o capital e se tornam “revolucionários” de repente,é nada além de braço venal da propaganda chapa-branca.
Todo mundo sabe que PT=PSDB=PMDB e igual a qualquer outro partido pró-mercado.Todos farinha do mesmo saco.
Como se o problema da saúde no Brasil, depois de mais de uma década de PT no poder, pudesse ser jogado nas costas do PSDB e dos outros.
É o fim.E tem gente que compra a conversa dessa imprensa chapa-branca.Os petistas, óbvio.É a eles que as meias-verdades interessam.
Obs. Claro que é a campanha do Padilha.Imagine se esses petistas fariam diferente agora!!Nunca.
O Gianazi, sim, faz por princípios, mas esses petistas??? É para rir, não é?

“Viomundo”!!!´Nossa, que imprensa imparcial e alternativa!!Estou comovido com a honestidade dessa gente!!rs

Obs. Acabo de ver aqui ao lado que, o “Viomundo Pelos Interesses do PT”,está reproduzindo o discurso altamente manipulador da Presidente da República, em que ela tenta fazer crer que esteja defendendo a Petrobrás e que não seja ela, Dilma,a figura que está no banco dos réus como dilapidadora da empresa!!
São muito cínicos.

Responder

Para o bem da saúde pública dos paulistanos, Haddad precisa abrir a caixa-preta das OSs « Viomundo – O que você não vê na mídia

30/10/2012 - 21h07

[…] De 2006 a 2009, por exemplo, os gastos do Estado saltaram de R$ 910  milhões para R$ 1,96 bilhão. Uma subida de 114%. No mesmo período, o orçamento  cresceu 47%. Ou seja, as despesas do Estado de São Paulo com a terceirização da saúde cresceram mais que o dobro do aumento do orçamento público. […]

Responder

F. Zaras

07/06/2012 - 23h53

Desta vez o Serra e o PSDB vão perder a Prefeitura e depois em 2014 será a vez de perderem o governo do estado paulista…É este o plano do PT, pegar o poder federal, do estado mais tico da união e a prefeitura paulistana, criando uma força de dominação que poderá salvar o país ou destruí-lo definitivamente.Se a ideologia de esquerda funcionar, então finalmente a Reforma Agraria vai ser uma realidade, a saúde pública melhorada, a educação atendida, a distribuição de renda aplicada, a produtividade industrial aumentada com qualidade, a redução de partidos políticos reduzida a apenas cinco partidos, a democracia implantada, enfim, tudo o que a ideologia de esquerda sempre prometeu e HOJE O PT é o porta-voz do clamor público por mudanças verdadeiras, se chegar a dominar o cenário político deste país, deverá permanecer no poder por meio século no mínimo…mas, se nada disso realizar com todo o poder nas mãos, então, poderemos dizer que o Brasil faliu pela sem-vergonhice do eleitor brasileiro, o único responsável pela situação em que o Brasil atravessa, pois é alienado e desinteressado e até preguiçoso demais para pesquisar o currículo dos candidatos a cargos eletivos.O caos levará à miséria absoluta e isto é o que vai acontecer se o PT for mais um partido similar a todos os outros.Espero que o projeto de mudança radical venha a se consolidar se o que prevejo pelo aspecto da história nacional de amanhã confirmar minha previsão.

Responder

Alckmin (PSDB/SP) vende até 25% dos leitos do SUS para reduzir rombo nas organizações sociais da saúde – OSS «

12/07/2011 - 20h25

[…] a lei de 2010, do ex-governador Alberto Goldman (PSDB) e aprovada pela Assembleia Legislativa, que permite vender até 25% dos leitos do SUS. Nesta regulamentação, fica claro que se transfere para as Organizações Sociais de Saúde (OSS) […]

Responder

Alckmin “vende” até 25% dos leitos hospitalares do SUS para reduzir rombo de R$ 147 milhões nas OSS | Viomundo - O que você não vê na mídia

12/07/2011 - 11h05

[…] a Constituição Federal, e com isso se destrói o próprio SUS. Reproduzimos abaixo matéria do Viomundo sobre o projeto de Lei que permite a ampliação da privatização na saúde e que, agora, foi […]

Responder

Plano de saúde reduz reembolso ao SUS | ImprenÇa

28/06/2011 - 10h50

[…] querendo privatizar o sistema de saúde, como vocês podem ler na matéria do Viomundo {{não acredite em mim}}, não é uma […]

Responder

Hospitais públicos de SP gerenciados por OSS: Rombo acumulado é de R$147,18 milhões « Fragmentos Ativos Notícias

24/06/2011 - 23h36

[…] para as OSS evidentemente encarece a saúde e tem prazo de validade.” No final do ano passado, o Viomundo já havia tornado público que, em 2008 e 2009, os hospitais geridos pelas OSS custaram, em média, aos cofres do Estado de […]

Responder

Hospitais públicos de SP gerenciados por OSS: Rombo acumulado é de R$147,18 milhões | Viva Marabá Pará Brasil

21/06/2011 - 19h45

[…] final do ano passado, o Viomundo já havia tornado público que, em 2008 e 2009, os hospitais geridos pelas OSS custaram, em média, aos cofres do Estado de […]

Responder

Hospitais públicos de SP gerenciados por OSS: A maioria no vermelho

21/06/2011 - 13h48

[…] final do ano passado, o Viomundo já havia tornado público que, em 2008 e 2009, os hospitais geridos pelas OSS custaram, em média, aos cofres do Estado de […]

Responder

Lais

23/02/2011 - 23h10

E o duro, duro mesmo, é você tratando de um paciente, no SUS , precisando fazer um exame – caro, necessário e disponível no nosso querido HC ( que agora tem o ICESP, homenageando o pai da pátria jornalística, o fulano lá da falha)… pois bem …. o hospital faz a solicitação do exame e entrega na mão do familiar, para que vá ao HC agendar o tal exame… horas de agonia… e a agenda ?…. para mais de 3 meses…. precisamos de um diagnóstico para ontem, saber o que acontece, planejar o tratamento mais eficaz, ajudar pelo menos a diminuir o sofrimento… daqui a 3 meses é muito tempo… o familiar da paciente apela para a empresa onde trabalha, ver se agiliza o exame…. custa 11.000,00 pagando particular… é isso…. para quem tem dinheiro São Paulo é um paraíso, tem de tudo, para ontem…. para quem não tem , é o inferno… E fico impressionada com a classe média deste país… todo mundo acha que vai ter como pagar convênio a vida toda, que nunca vai precisar do SUS porque isto é coisa de pobre… até o dia que tem um problema mais grave e o convênio maravilhoso lhe dá um pé na bunda, nega cobertura, diz que o procedimento é experimental…. ah ! e ainda tem o remédio… se for de alto custo, precisa apelar para o Governo que nenhum convênio cobre isto…. E as pessoas, ao invés de reclamar acham isto certo, querem mais é que tenha porta separada mesmo… brasileiro ( e não só só os paulistas, me desculpem !) é louco por um privilégio, por uma carteirada – nem que seja a carteirinha do convênio, rsrsrsrs… o des(governo) de São Paulo faz estas coisas, porque sabe que a gritaria vai ser pouca, e porque aqui já se instalou o conceito de "eu tenho porque posso pagar, se você não pode, problema seu" , vide pedágios abusivos, inspeção veicular, estacionamento de shopping…. a lista é infinita…

Responder

carlos

19/01/2011 - 22h09

muito bem psdb nao tem capacidade administrativa entao terceriza e a sua cara ,

Responder

renato

16/01/2011 - 11h13

isso que vemos hoje em questao a saude, e uma vergonha sem tamanho, os hospitais jao estao diferenciando setores para atender os convenios, com leitos e quartos diferenciados do sus, com acomodações de hospitais particulares para os convenios enquanto o povão vai continuar com a sucata do serviço publico. equipamentos novos ja estao no hospital penteado por exemplo mas so quem vai usar estes equipamentos serão os conveniados. E o povo como fica? fica com o que ja tem a sucata. Porque o ministerio publico não intervem, estao terceirizando nossa saúde e ninguem faz nada. sabendo que e inconstitucional ninguem faz nada. isto é uma vergonha nosso dinheiro, nosso leitos de hospitais que ja são pucos indo para empresas privadas que não investiram um real se quer. esse e o governo que voces votaram novamente. fiquem sem vagas nos hospitais quem sabe voces aprendam a votar.

Responder

Fernanda

30/12/2010 - 02h04

Pior ainda é ver tudo isso acontecer e saber que São Paulo votou macissamente em José Serra para presidente e elegeu maais uma vez o PSDB para governar o estado, ou melhor, pra manter a ditadura já existente.
E a culpa disso tudo é da população que votou?? NÃO! É da mídia de massa que deixa de noticiar fatos como esses, fazendo com que a maior parte da população paulista (classe pobre e média), que não tem acesso a um meio de midia alternativo, seja por falta de oportunidade ou por preguiça, acredite que nada de mais está ocorrendo, ou que se está não é de grande importância. Se fosse importante a GLOBO falaria, né?!

Responder

“Lei agride por completo a Constituição federal, um retrocesso social inadmissível” | Viomundo - O que você não vê na mídia

23/12/2010 - 23h37

[…] projeto, encaminhado pelo governador Alberto Goldman (PSDB) em regime de urgência, foi aprovado em 23 dias pela Assembleia Legislativa.  A nova lei permite que as Organizações […]

Responder

Augusto

23/12/2010 - 16h50

Mas vamos falar francamente, os tucanos só estão regularizando uma situação que já existe hoje em todo o Estado de São Paulo. Outro dia, minha mãe ficou precisou fazer uma cirurgia no joelho. O hospital tinha as tais duas portas. Enquanto minha mães estava lá, dei algumas voltas no hospital. A parte do SUS é abandonada. São dois mundo totalmente diferentes. As paredes são sujas, as camas enferrujadas e amontodas umas sobre as outras em quartos exprimidos, com 4, 6 doentes ao mesmo tempo. O mau cheiro é insuportável e é sentido logo que se entra nas alas. Poucos enfermeiros para atender os doentes. Médicos simplesmente não existem. É como se estivéssemos num campo de concentração nazista. Sem brincadeira nenhuma, é isso mesmo o que parece. Mas o povo também tem culpa nessa históira, não?

Responder

    Hellen

    28/12/2010 - 10h01

    absurdo

Pré-privatização do SUS em SP « Socióphagos

23/12/2010 - 16h38

[…] obteve ainda alguns votos do PMDB, PRB e  PR. Votaram  contra PT,  PSOL, 1 do PR e 1 do PDT. “A nova lei das OS reduzirá mais o já precário atendimento hospitalar da população pobre”, denunciou ao Viomundo o deputado estadual Adriano Diogo (PT), da Comissão de Higiene e Saúde […]

Responder

Não diga que não avisei.. » João Carlos online

23/12/2010 - 13h14

[…] “A nova lei das OS reduzirá mais o já precário atendimento hospitalar da população pobre”, denunciou ao Viomundo o deputado estadual Adriano Diogo (PT), da Comissão de Higiene e Saúde da Assembleia Legislativa. “É a expansão da ‘quarteirização’ dos serviços públicos de saúde no Estado de São Paulo.” […]

Responder

Deputados paulistas aprovam “venda” de 25% dos leitos do SUS a convênios e particulares; paciente SUS é lesadoculares; paciente SUS é lesado | Dilma Presidente

22/12/2010 - 19h49

[…] “A nova lei das OS reduzirá mais o já precário atendimento hospitalar da população pobre”, denunciou ao Viomundo o deputado estadual Adriano Diogo (PT), da Comissão de Higiene e Saúde da Assembleia Legislativa. “É a expansão da ‘quarteirização’ dos serviços públicos de saúde no Estado de São Paulo.” […]

Responder

Bancadas do PSDB, DEM, PV, PPS, PSB e PTB paulistas aprovam “venda” de até 25% dos leitos hospitalares do SUS a convênios e particulares | Viomundo - O que você não vê na mídia

22/12/2010 - 14h38

[…] “A nova lei das OS reduzirá mais o já precário atendimento hospitalar da população pobre”, denunciou ao Viomundo o deputado estadual Adriano Diogo (PT), da Comissão de Higiene e Saúde da Assembleia Legislativa. “É a expansão da ‘quarteirização’ dos serviços públicos de saúde no Estado de São Paulo.” […]

Responder

H. C. Paes

22/12/2010 - 14h08

Goldman quer urgência porque sabe que Alckmin não terá vida tão fácil na ALESP. A coalizão governista tem maioria muito mais apertada que a atual e o PT é o maior partido. Aliás, a não ser que o PV apóie Alckmin o que não é impossível, para chegar à maioria de 48 deputados será preciso cooptar o malufista sobrevivente da casa. E isso se o PMDB paulista não se bandear para o lado do Kassab e começar a se aproximar do governo federal.
Se o PV ficar na oposição e o malufista seguir o PP federal, a ALESP racha no meio com 47 para cada lado. E aí quero ver os demotucanos barrarem 70 CPIs.

Responder

diogojfaraujo

22/12/2010 - 14h03

Mas isso não é novidade… Vcs lembram do PAS???????

E o pobre que se exploda! Deveria trocar o "Non Dvcor Dvco" pela frase anterior… Não ia ficar tão legal, mas…

Responder

marcelo sant'anna

22/12/2010 - 13h56

Quando será que São Paulo dará o seu grito, seja ele de revolta, de dor ou de agonia?

Responder

ivan

22/12/2010 - 13h55

E o pior é o apoio do Adib Jatene às OS à porta dupla na Carta Capital desta semana.

Responder

Fabio

22/12/2010 - 13h24

O governo de Pernambuco possivelmente irá no mesmo caminho, implantou as OS's mesmo contra as entidades da saúde e os trabalhadores e não é de se espantar que em breve siga o caminho de São Paulo, infelizmente o PSB se aproxima cada dia mais do p$DB.

Responder

Silvio

22/12/2010 - 13h11

Azenha:
O governador atual, apenas está colocando algo que Serra queria colocar em pauta, mais não colocou por o problema eleições. No Viaduto do Chá, passam por dia entre 3 a 4 milhões de pessoa. O povo se tem que intervir, atuando como cidadão, recolher firmas para derrogar o aprovado pela maioria do PSDB, na Câmara Legislativa de São Paulo no dia 21 de dezembro. Colocar mesa e cadeira na rua letreiros informando e carro de som.Tem que ser algo feito pela sociedade independente dos partidos políticos.Não e possível que um sistema que já não atende bem ,ainda passe a diferenciar aos usuários.Imaginem um paciente que vai para a fila na noite, para ser atendido ao outro dia, quem sabe a que hora, ainda ser deixado de lado, por alguém que paga ,isso não e justo.Estes senhores Legisladores demonstram a pouca sensibilidade social, que tem e continuam querendo manter as diferenças sociais, ainda maiores. Estão com a palavra as ONGs, as Igrejas, Sindicatos etc.

Responder

ZePovinho

22/12/2010 - 13h02

VEJAM O QUE OS EUA QUEREM QUE O BRASIL ACEITE.SIMPLES ASSIM:
http://www.rodrigovianna.com.br/outras-palavras/b

wilson yoshio disse:
22 de dezembro de 2010 às 11:37

Caro Rodrigo,isso acontece, na pratica, rotineiramente em Okinawa. Militares sediados nas bases dos EUA, para espantar o tedio, dedicam se a estuprar e, as vezes, matar ( nao devem ter lido o “estupra mas nao mata” do, agora outra vez, deputado maluf)as jovens uchinanchus.Um dos motivos da populacao protestar,seguidamente, contra o governo japones e esse.Antes da midia, letargica e passiva, japonesa despertar, os agressores sao rapidamente embarcados e repatriados,sem nehuma explicacao ou repercussao posterior. Hoje, no NHK, tem uma nota sobre pagamentos do governo japones ao EUA,e oarce que nao e vazamento do wikileaks, no link: http://www.nhk.or.jp/nhkworld/portuguese/top/news

Tribunal Penal Internacional
EUA pressionou Brasil para dar imunidade aos seus militares em exercício no país

publicada quarta-feira, 22/12/2010 às 09:23 e atualizada quarta-feira, 22/12/2010 às 12:17

Brasil negociou imunidade a militares americanos no país

por Natalia Viana, no blog CartaCapital Wikileaks

Durante anos, o governo americano pressionou o Brasil a assinar um acordo que garantia imunidade judicial a cidadãos americanos que estiverem no país, em especial um tipo de “blindagem” contra o alcance do Tribunal Penal Internacional (TPI).

Documentos revelados pelo WikiLeaks mostram que o governo brasileiro chegou a acenar com um acordo “informal” nesse sentido, mas depois recuou.

Mesmo assim, de fato, o Brasil permite uma “blindagem” legal a crimes cometidos por militares americanos em território nacional………………………………………………………………………………………………………………

Responder

henrique de oliveira

22/12/2010 - 12h41

A coisa mais triste é ver que esse povo de São Paulo ainda vota nos demos-tucanos , já esta provado que eles não tem capacidade nem competencia para administrar nem barraquinha de cachorro quente , só sabem vender as coisas públicas.

Responder

Maximiliano

22/12/2010 - 12h32

FORA DE PAUTA!

Alguém tá conseguindo acessar o PHA?
Eu não estou conseguindo….

Responder

ricardo silveira

22/12/2010 - 12h18

Gente de esquerda que deixa de ser de esquerda vira, em regra, reacionário da pior espécie, se é que há algum diferente disso. Esse Golman, a exemplo do Freire, virou esse político autoritário e medíocre, exercendo do modo mais nocivo aos paulistas e brasileiros, certamente, os seus últimos momentos de vida pública com mandato popular.

Responder

Luci

22/12/2010 - 12h16

Projeto de quem odeia pobres, e não tem ética e não pratica a solidariedade como valor humano.

Responder

Luci

22/12/2010 - 12h01

O dia que o povo conhecer a Cosntituição Federal esta festa da oligarquia vai acabar.

Responder

Paulo Cezar da Silva

22/12/2010 - 11h59

Como sempre, a midia não cobre o governo de SP, e da prefeitura de SP, quando governados por PSDB e DEM. Minha visão do assunto é simples: eu faria o contrário do que está se fazendo aqui em SP, tornaria o sistema único de saúde inteiramente público, estatizando os convênios e hospitais privados, e ainda as escolas de medicina. 100% estatal, a exemplo da França e outros países. O sistema mixto brasileiro é ruim para o sistema público.

Responder

Luci

22/12/2010 - 11h52

São brasileiros? Para apoiar um projeto que vai prejudicar milhões de paulistas e paulistano, é de se perguntar quais grandes interesse capitalistas oligárquicos estão por trás, qual entrega de quem a quem? Quem está por trás dos privilégios e distinções imorais numa cidade que não respeita sua população pobre nem no momento de dor. É uma vergonha liderar um projeto desumano e desleal com quem elegeu um governante para cuidar de sua população.

Responder

Luis Armidoro

22/12/2010 - 10h41

Caros Azenha e amigos do blog:

O próximo passo, para "resolver o problema" da educação, será vender a rede de escolas e as universidades. Concordo com o Hiro, o P$DB é um partido anti-paulista; é um avatar do Partido Republicano dos EUA.

Responder

Frei José Basto

22/12/2010 - 10h33

O povo precisa é agir… Não basta votar, tem que participar!

Responder

Pedro

22/12/2010 - 10h17

Quando o governo de SP sair das mãos dos demotucanalhas a população sentirá a diferença…

Responder

Luiz Antônio

22/12/2010 - 10h03

O DEM/PSDB e associados querem americanizar a saúde no Brasil. Assim, cada vez que alguém necessita de internação, terá que levar um título de posse de algum imóvel como garantia ou um fiador com imóvel. Se não conseguir pagar (fato comum para a maioria da população), terá que entregar o imóvel (a própria casa se tiver só esse) ao hospital. Se não sair, a polícia irá, junto com o advogado do hospital expulsar o "invasor" de imóvel alheio (no caso, do hospital, claro).

Responder

David

22/12/2010 - 09h55

Gente o PT tentou implatar esse mesmo projeto (não sei se conseguiu) com o HUB (Hospital Universitário da Universidade de Brasília). PT e PSDB são todos iguais.

Responder

PAULO

22/12/2010 - 09h48

SE É ILEGAL, ALGUÉM DEVE TENTAR BARRAR ESSE ASSALTO. O PT EM SÃO PAULO PARECE ESTAR SEMPRE DORMINDO. A ENTREGA DO PATRIMONIO PAULISTA VAI CONTINUAR COM O METRÔ, ALINHA AMARELA JÁ É PRIVATIZADA (GRUPO CCR, O DOS PEDÁGIOS), NÃO FUNCIONA, NÃO TEM NINGUÉM TRABALHANDO, E NÃO VEJO NINGUÉM CRITICAR. ALIÁS DE QUEM É A CCR???

Responder

    Mauro Silva

    22/12/2010 - 10h48

    Caro Paulo
    O PT votou contra.
    O PIG da província, sustentado com propaganda do governo e estatais federais, apresentou ontem, nos telejornais, uma versão que dava a entender aos incautos que essa proposta era boa e o PT era contra porque só faz oposição sistemática.

Gerson Carneiro

22/12/2010 - 09h27

O pior é que muitos deles acabaram de ser reeleitos ou eleitos para o cargo de deputado federal, como é o caso desse Jonas Donizete de Campinas-SP, e nem tomaram posse já deram esse presente de agradecimento à população.

Meu deputado Olímpio Gomes, ou Major Olímpio, não decepciona. Esse foi o que passou um sarrafo no Paulo Renato quando da votação da outra sacanagem PL 29/09 que obriga os professores a fazer prova para ter aumento (ilusório) de salário.

Tem a lista atualizada?

O que significa "partido em obstrução"?

Responder

Paulo de Moraes

22/12/2010 - 08h54

A sociedade brasileira ainda precisa superar o ranço neoliberal que lhe impregnou a alma desde o final dos anos 80. Sob o discurso da eficiência, se esconde a falácia de que esta é uma característica própria do mercado, em oposição à ineficiência "nata" do funcionalismo público. Ora, o que precisamos é ter uma gestão do SUS eficiente sim, mas com um modelo de eficiência que não é/não pode ser medido pelo lucro, mas sim pela melhoria do nível de saúde da população, em sentido ampliado. Espero que, com o ministro Padilha, finalmente a saúde no Brasil recupere a identidade SUS – que vê a saúde como um direito de cidadania, e não como direito de consumidor!

Responder

Hiro

22/12/2010 - 07h11

Azenha, veja este vídeo. Os p$db atacaram profundamente o Estado de SP em todos os seus fundamentos. Além da saúde, veja tb a educação. Queira, por gentileza, ouvir este vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=Ncvvus3fVRA
Paulistas!: consultem todos os índices e históricos de todas as áreas do Estado de SP. Vejam com os seus próprios olhos. O p$db é um partido ANTI-paulista.

Responder

HiRo

22/12/2010 - 06h48

Isso é uma prova de que o p$db é um partido rigorosamente ANTI-Paulista. Destruiu a indústria paulista e entregaram e sucatearam todos os equipamentos públicos estaduais como bancos de desenvolvimento, energéticas, educação, telefonia e agora querem privatizar a saúde. A posição do SP no ranking do PIB nacional despencou humilhantemente. O p$db é um partido ANTI-paulista.

Responder

Aracy_

22/12/2010 - 04h25

As Organizações Sociais de Saúde são uma aberração: contratam profissionais sem concurso, praticam assédio moral e demitem sumariamente quem não cumpre a "produção de atendimento".
E quem garante que os planos de saúde não vão dar o calote no governo estadual?
O tucanato paulista faz mais mal à saúde da população do que a poluição, o cigarro, o álcool e outras drogas juntas.

Responder

Luís Alberto Furtado

22/12/2010 - 01h30

O governo federal tem de olhar bem para esses desvios de rota do SUS que tem acontecido em diferentes lugares. O horror tucano pelo SUS é regra geral. Em Minas o próprio governo Estadual também repassa serviços públicos; em Pernambuco, parece que o governador do PSB, Eduardo Campos também defende rotas desviantes. Ou se corrige agora ou depois vira tudo uma cidade arrasada de serviços de saúde que sejam públicos, como Maluf fez na cidade de São Paulo, que até hoje não se recuperou. O Minsitériod a Saúde tem de dar um basta nisso. Era pra ontem. Humberto Costa, Saraiva Felipe e Temporão, todos ministros de Lula não peitaram abertametene tais desmandos.

Responder

Urbano

22/12/2010 - 01h18

O negócio do tucanato é "pedagiar", no entanto, e o dinheiro? Quem sabe lá…

Responder

Jr.

22/12/2010 - 00h10

Vocês VIRGULA, caro Jairo… Não esqueça que Dilma teve 46% dos votos validos de sp, e por pouco a eleição para governador não foi ao segundo turno.
Apesar de termos de aguentar os tucanalhas por mais 4 anos, se o kassab conseguir sair candidato a governador, acho q os tucanalhas não vão apoiá-lo, então talvez seja mais fácil derrotá-los, pois estarão divididos. Isso pensando em 2014. Até lá, teremos de aguentar o picolé de chuchu…

Responder

aurica_sp

21/12/2010 - 23h41

Sinceramente não sei o que se passou na cabeça desse povo que decidiu continuar com o PSDB aqui em São Paulo. O Apartheid na saúde em SP começou com o Mario Covas. O que fazem com a saúde em SP é covardia e ninguém faz nada. Ai que tristeza, tem mais 4 anos deles ai no poder. "ERA UMA VEZ UMA ESTADO CHAMADO SÃO PAULO" que foi se definhando aos poucos graças ao Tucanato!!!

Responder

ZePovinho

21/12/2010 - 22h47

O paulista gosta de apanhar dos tucanos.Olha aí esse sucesso para a sado-política dos paulistas e paulistanos:

[youtube BSZPsxCniOY http://www.youtube.com/watch?v=BSZPsxCniOY youtube]

Responder

jcm

21/12/2010 - 22h42

O SUS é federal. Quer dizer que o governo federal põe dinheiro no sus de são paulo pra atender conveniados? Isso pode? O Governo federal não pode suspender o repasse para o sus de são paulo?

Responder

    Luis Armidoro

    22/12/2010 - 10h44

    JCM, tudo bem?

    A Carta Capital, em agosto de 2009, publicou reportagem mostrando que SP pega a grana do SUS (dinheiro público) e aplica no mercado financeiro. Para mim, isto bastava para uma intervenção em SP

Sérgio

21/12/2010 - 22h40

Irremediavelmente entreguistas !

Responder

Julian A-sangue

21/12/2010 - 22h35

Luiz Carlos Azenha, me desculpe, mas dizer que as "entidades de Saúde são contra" é errôneo. A privatização é um projeto muito maior que o Goldman, e começou antes, antes do Serra, que apenas aprofundou-a. Como funcionário do Hospital de Clínicas da UNICAMP, me arrisco ao lhe passar estes dados, pois por contrato sou proibido de passar "informações decorrentes da minha posição para outrem". Em breve assinarei minha rescisão contratual e estarei brlindado contra quaisquer "leaks".

A autarquização é praticamente uma realidade no Hospital de Clínicas, com a dissociação do HC da UNICAMP e sua ligação à Secretaria Estadual de Saúde, visando SIM, à venda de uma parcela dos leitos à iniciativa privada, MAS, principalmente, à UNIMED.

Vou relatar o caso da Políclinica da UNICAMP, a qual está dentro das dependências da universidade, utiliza um prédio da universidade, e funcionários da universidade, contratados pela FUNCAMP (Fundação Para o Desenvolvimento da Unicamp).

A FUNCAMP é a terceirização que utiliza verbas diretas do Estado para se manter. O contrato de trabalho é CLT, é feita uma prova capenga para simular um "concurso privado" e os contratados, via esta empresa "terceira" na verdade são pagos pelo Estado de São Paulo…

Pois eis que a Policlínica da UNIMED além de se utilizar do prédio da UNICAMP, faz uso de funcionários pagos pelo Estado de São Paulo! Os médicos (alguns cobram 400 reais pela consulta) não pagam os funcionários de seu próprio bolso para manter a clínica, tudo isso sob a conivência do Superintendente do HC, o excelentíssimo senhor Manoel, e do reitor tucano Fernando Costa.

Ao adentrar a Policlínica você logo vê o crachá da FUNCAMP na recepcionista! Todos os funcionários são pagos pelo Estado de São Paulo, e quem fica com o dinheiro??

Como se não bastasse, existe reserva de vaga em exames no próprio Hospital de Clínicas da Unicamp! Casos corriqueiros são de Endoscopias Simples (15711) e Eletroencefalogramas (26708), para não citar a apropriação que eles fazem das Coletas de Exames Laboratoriais (o "Prédio Verde" do HC).

Coloquei os códigos aos quais nos referimos aos procedimentos especializados na rotina de trabalho… É corriqueiro paciente da Policlínica, usuário da UNIMED, levar encaminhamento em caráter de "urgência" da Policlínica para o Hospital de Clínicas e agendarem o exame, os quais posteriormente são anexados aos prontuários médicos da Policlínica!

E a sujeira não para por aí não. Alguns médicos já têm os olhos brilhando ao fazer DOIS Pronto-Socorros no HC (um para o SUS, e outro para os Planos de Saúde), a recepção já foi modificada! E autarquização nem começou, apesar de que a Faculdade de Ciências Médicas já a aprovou. É o apartheid no pronto-socorro! Quem tiver plano de saúde vai ser atendido numa recepção mais bonita e sem pilhas de pessoas no corredor.

Estão depenando a pesquisa e a saúde de São Paulo! Querem acabar com tudo, é triste, pedi demissão pois não aguento mais. Trabalhar dentro da legalidade mas em desacordo com a ética acaba com o ser humano.

Responder

    Conceição Lemes

    21/12/2010 - 23h02

    Julian, conheço bem a dupla porta. Anos atrás fiz uma investigação sobre ela em dois grandes complexos hospitalares públicos de São Paulo. Só não entendi por que vc acha errôneo dizer que as entidades de sáude são contra o projeto. Daria para vc me explicar? Afinal, os sindicatos e conselhos são entidades, concorda? Já os planos de saúde são empresas. Outra coisa. Em nenhum momento eu disse que começou com o Goldman. O que é do Goldman é atual projeto, o 45/10. Na verdade, a dupla porta começou no Incor=SP. Abs

    Pall Kunkanen

    21/12/2010 - 23h50

    Julian
    na USP é a mesma coisa, funcionários da universidade pagos por ela trabalham para a ffm, que cobra 5% para fazer a administração do dinheiro. Nem louco entende. Como o estado banca o funcionário, e ainda paga mais 5% para a FFM "administrar" o dinheiro. Que lógica é essa? Qdo o hospital brigadeiro foi privatizado os médicos receberam a ordem de usar uma gaze e marcar duas, pois esta fantasma seria o lucro da dita cuja OS. Fica a dica de pauta para vc Azenha.

    Aracy_

    22/12/2010 - 04h37

    Julian Sangue Bom, minha solidariedade a você.
    Essas fundações privadas são mesmo um mal dentro das universidades paulistas. Lembra da Fundação Zerbini, com sua péssima administração e um rombo milionário que quase afundou o InCor? Pois é, o governo teve de colocar dinheiro do contribuinte para socorrer o hospital.

Messias Macedo

21/12/2010 - 22h03

… O PAC da Saúde – lastreado pela CPMF – vem aí para colocar estes DEMotucanos na UTI(!)…

Dá-lhe doutora Dilma Brasileira Rousseff!

República Destes Bananas Imbecilóides e Descompreendidos
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

David R. da Silva

21/12/2010 - 21h56

O Aécio do PSDB, não fez isso aqui em MINAS, em função da Constituição do Estado não permitir privatização de BEM PÚBLICO, ITAMAR FRANCO, colocou isso na Constituição MINEIRA, Aécio tentou mudar esse artigo, mas o desgaste Político era devastador. de Belo Horizonte.

Responder

David R. da Silva

21/12/2010 - 21h51

Os Políticos de São Paulo, PIROU GERAL! ENTREGUISTAS! MENTIROSOS! Isso é o PSDB, não tem compromisso como o POVO. Que Tristeza! Que Horror! de Belo Horizonte.

Responder

Rafael Sá

21/12/2010 - 21h45

Só uma pergunta, isso não é inconstitucional ?!?!?!

Não poderiam as organizações regionais da saúde em São Paulo, entrar com uma ação de inconstitucionalidade?

Responder

ROGERIO

21/12/2010 - 21h41

CONTINUA A SANHA PRIVATIZANTE DO PESSOAL DE FHC/CERRA.

Responder

ma.rosa

21/12/2010 - 21h36

"de cabo a rabo" deste pais, onde tem PSDB governando e essa desgraça: o que e "publico" nao presta, tem que ser privatizado!!!!. e a "PRIVATARIA" PSDBISTA!!!!

Responder

Roberto Locatelli

21/12/2010 - 21h33

Eles estão sucateando o estado de São Paulo. Reduzindo ônibus na capital, vendendo a Saúde a empresas privadas, cimentando a marginal do Tietê (que continua congestionada). Os paulistas que votaram nessa gente são uns otários.

Responder

    Luci

    22/12/2010 - 11h43

    Roberto são desumanos e estão desumanizando a cidade. São Paulo será um fantasma, estão destruindo a cidade, não existe solidariedade num projeto que quer privatizar a saúde para lucros de grupos capitalistas ganaciosos que não praticam a solidariedade fora de seus grupos sociais. Para eles o céu e para os outros o inferno. São Paulo é a cidade onde voce pode tomar ser agredido com uma lâmpada fluorescente, e não há uma única palavra do Governador ou do Prefeito condenando a ação de agressão. Quem somos nós? Privatizar a sáude é o início do fim, é desumano demais, imoral demais, gente que só visa o dinheiro, adora dinheiro, respira dinheiro.

Ane

21/12/2010 - 21h20

Azenha,
Isso tudo é muito grave.
Esse partidozinho já fez muito estrago na educação, e agora o alvo deles é a saúde.
Mas ao menos uma coisa creio que podemos fazer: uma petição pública contra esse decreto!
Seria pedir demais que nos lidere nessa batalha? Seu blog tem muitos leitores, que com certeza iriam aderir e conclamar seus conhecidos a assinar uma petição pública contra tamanha barbaridade.

Responder

Joaquim P. Lima

21/12/2010 - 21h04

Tenho vontade de dizer: 'paulistas devem se ferrar para aprender'. O problema é que a conta será paga pelos pobres.
Meus relacionamento com paulistas das capital e região – quando discuto sobre política sinto o ar de 'arrogância', como meu relacionamento é reduzido a um pequeno grupo social não é possivel universalizar a percepção, quero precaver do pre-conceito. Mas tenho pre-conceito, e vou lutar contra e investar se o juizo moral corresponde aos fatos. Paulistas, criaram o 'mateus' (psdb-dem) que o embale.

Nota: no estatuto do PSB é contra a privatização (apropriação dos bens público pelo privado), e a maioria dos psbistas votaram 'sim'; E daí psbistas vocês tem 'ombridade' ou não. É uma pro-vocação – vocare=chamamento para o uso da razão.

Responder

Luanay

21/12/2010 - 21h00

Caiam duros.

Esse governador Alberto Goldman foi oficialmente membro do Partido Comunista Brasileiro.

Alguém já fez algum estudo psicológico, psicanalítico, psicótico, psicografado, seja o o que for, sobre alguns ex-esquerdistas que, quando dotados de algum poder ou "aceitos" pela direita, se tornam mais direitistas que a própria extrema direita? Assumem com dedicação valores que sempre combateram?

Responder

Caio Freitas

21/12/2010 - 20h56

Desculpem a minha ignorância, mas nao entendi a moral da história deste PL. Ele destina 25% dos leitos de hospitais e clinicas publicas a usuários de plano de saúde? É isso mesmo? Pelo que sei, pessoas pagam planos de saúde para fugirem dos hospitais públicos. Quem irá aceitar isso? Quem vai trocar um hospital privado ruim por publico pior ainda?

Responder

    Aracy_

    22/12/2010 - 04h20

    Acontece que várias instituições públicas, principalmente hospitais-escola, têm profissionais mais qualificados e equipamentos de geração mais moderna do que muitos serviços privados.

    Aristharco

    22/12/2010 - 14h55

    Freitas: Pense em termos de interior onde não há hospitais privados disponíveis. Os mal intencionados tucanos querem tirar ainda mais do povo e ceder benesses aos poderosos planos como o cancro chamado Unimed por exemplo, tudo às custas do SUS, moleza não? E você acha que o opus dei, digo, o Alckmin que é médico vai fazer o que? Os paulistas estão andando para trás, pagam pedágios nas estradas, pagam a água terceirizada – Sabesp é um arremedo de estatal que joga para a torcida – que se tornou coqueluche para os prefeitinhos de olho no $ que estão privatizando a água adoidados; pagam a saúde o tal do AME do Zé era mais uma apropriação do bolso do compalido paulista.

Marat

21/12/2010 - 20h40

Os que votaram "sim" são os de sempre. Por isso é que SP está indo para o buraco!

Responder

Eduardo Guimarães

21/12/2010 - 20h21

Mais um post desse e eu mudo pro Nordeste ou pro Rio, porque São Paulo não dá mais. O povo é masoquista e eu odeio apanhar.

Responder

    Gerson Carneiro

    21/12/2010 - 21h55

    Então pode ir arrumando a mala.

    Eduardo Guimarães

    21/12/2010 - 23h15

    Tem um cantinho aí no cafofo?

    Gerson Carneiro

    22/12/2010 - 07h51

    Falei com Mãinha, e ela autorizou fazer um puxadinho aqui no barraco.
    Tu vai gostar. "A gente moramos" em um local bem localizado, tem até ponto de ônibus na porta.
    Quando bate uma vontade de trabalhar é só pegar o ônibus e ir. Antes a gente dá um mergulho no mar, se a vontade não passar aí não tem outro jeito senão pegar o ônibus e ir.

    Luis Fernando

    21/12/2010 - 23h01

    Faça isso Eduardo, o resto do país agradece a vinda de paulistas inteligentes e conscientes. deixe São Paulo para os medíocres.

    Eduardo Guimarães

    21/12/2010 - 23h14

    Também não é assim… rs… Tem muito paulista boa gente. Muitos. Mas, infelizmente, a maioria gosta mesmo é de apanhar

    Hiro

    22/12/2010 - 07h01

    Data venia, neste ponto eu discordo do grande Eduardo. O povo paulista é enganado fraudulentamente pelo PiG. No caso do Estado de SP, o PiG é quase um Estado. Até propaganda age com subreptício e msgs subliminares. Até decoração pública de Natal se tornou azul e amarela.
    Precisamos de sua ajuda, Eduardo. O p$db, pelos fatos históricos, constitui rigorosamente um brutal partido ANTI-paulista. O PIB comprova isto. A privatização-entrega e sucateamento de todos os equipamentos públicos tb comprova esta tese. O p$db destruiu a maior vocação paulista: a indústria e a desenvolvimentismo. Paulistas: o p$db é um partido ANTI-paulista! Brasileiros: o Estado de SP foi tomado por neoligarcas e precisa de sua ajuda.

    Silvio

    22/12/2010 - 13h33

    Hiro:
    Não e problema de jornal e problema de TV. O povo não lê o jornal e sô lê futebol. E não lêem, porque o jornal e caro e por outro lado, o brasileiro não tem apego à leitura. Os jornais chegam a uma parte sô, de sociedade paulista. O resto é desinformado mesmo, porque não gosta de intervir nos problemas políticos.

Polengo

21/12/2010 - 19h57

Incrível a falta de qualquer senso de comunidade e sociedade nas atitudes desses senhores DEMagogos e aliados.
Nada escapa; tentam de cara colocar tudo à venda, sem um pingo de discussão, reflexão bom senso ou mesmo vergonha na cara.

Alguns só não vendem a mãe porque não devem tê-la.

Responder

Adilson (Paulistano)

21/12/2010 - 19h55

Onde o PSDB coloca suas mãos pode ter certeza que causa um estrago, às vezes irreversível. O pior é a cara de pau do Aécio querer refundar o partido com falsos argumentos de se aproximar do povo com projetos sociais. Só se for o social em benefício das empresas privadas porque a única coisa que o PSDB faz para o povo é ferrá-los de verde e amarelo. Mas, diz o ditado que cada povo tem os políticos que merecem (vale aqui para os eleitores demotucanos). Se a maior parte do eleitorado de São Paulo acha bom essa corja Tucanalha então que sofra as consequências. Só vale lembrar que as pessoas que tem planos serão beneficiadas em detrimento dos mais humildes, mas como o mundo gira um dia essas pessoas poderão precisar da saúde pública e não encontrarão e daí irá pensar na besteira que fez em votar no partido das Elites (PSDB/DEM).

Responder

    Messias Macedo

    21/12/2010 - 21h58

    … O PSDB está em constante (re)afundação!…

    República Destes Bananas Imbecilóides e Descompreendidos
    Bahia, Feira de Santana
    Messias Franca de Macedo

Avelino

21/12/2010 - 19h44

R$ 140 mihões desviados da saude e ainda essa.Canalhas vendedores do Brasil.
Goldmam quem diria, o teu passado brilhante e o seu presente podre.

Responder

monge scéptico

21/12/2010 - 19h33

A "jenialidade" do "jênio" é transmissível, para aqueles fracos de carater e convicção.

Responder

Messias Macedo

21/12/2010 - 19h32

… Para os tucanos, dilapidar o patrimônio público significa proteger o Estado dos tentáculos usurpadores da classe trabalhadora….

República Destes Bananas Imbecilóides e Descompreendidos
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Macedo

21/12/2010 - 19h19

Lula viaja no teleférico
do Alemão com o vidro aberto
em http://www.conversaafiada.com.br

FALA MATUTO ‘BANANIENSE’
… [José] (S)erra irá voltar daqui a quatros anos:… Para encher o nosso saco e demonstrar o que significa campanha política na baixaria!… Ou seria baixaria na campanha política?… Com a palavra a Soninha!…

República Destes Bananas Descompreendidos
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Luci

21/12/2010 - 19h15

A oligarquia quer dominar a saúde pública para uferir lucrosa, isto é abuso de poder. Além da implantação na cidade de hospitais para multimilionários de sobrenome dos grupos sociais dominantes do poder, querem o público para privatizá-lo. Até quando os cargos eletivos serão utilizados para privilégios e distinções de grupos? Até quando?

Responder

José Manoel

21/12/2010 - 18h42

Azenha: é o que eles mais sabem fazer, ou seja, vender, doar e outros quetais……..

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    21/12/2010 - 19h12

    Vender, vender, vender. Eles querem vender tudo o que é público!

    Polengo

    21/12/2010 - 19h54

    Tem outra coisa que eles sabem fazer bem: afundar plataforma de petróleo.

    Jairo_Beraldo

    21/12/2010 - 20h33

    CALUNIA…tucano transfere, distribui, dá!

    Luci

    22/12/2010 - 11h38

    Azenha e como fica a res pública? Como fica a democracia? Saúde é questão de Segurança Pública, embora para muitos governantes Segurança Pública são armas e repressão. Saúde é Segurança Pública.
    Quais os sobrenomes das "famílias" que estão projetando apropriar-se do que pertence ao povo?

Glecio_Tavares

21/12/2010 - 18h23

Kassab na prefeitura tb esta detonando a saude. Fez um convenio para que a iniciativa privada construa hospitais. Alguém acha que a inciativa privada vai fazer isso sem visar lucros? O PT este ano errou ao demorar para definir a candidatura ao governo do estado, mas na próxima eleição teremos acordado muitos outros eleitores paulistas. Precisamos nos unir e continuar divulgando o total descaso desse partido da elite, o pig.

Responder

LUISA

21/12/2010 - 18h11

onde esta a revoluçao de 34 dos paulista
ou melhor onde esta os paulistas
vendo a REDE BOBO

Responder

Pepe

21/12/2010 - 17h34

Quer saber de mais? O povo merece isso mesmo. Paulista (principalmente paulistano) é metido à besta vota no que aí está por esnobismo. Votar no PT? é "out"… Ler o Estadão, a Folha e a Veja é "in". Onde já se viu votar em operário semi-analfabeto, ou em guerrilheira, terrorista e coisas que tais… Por isso tem mais é que se lascar, mesmo. Quem sabe assim vai aprender alguma coisinha. O problema é que não são os pobres, os mais prejudicados que votam na cambada. É a classe média, analfabeta política de pai, mãe e parteira a responsável por isso. Mas, com a melhoria da educação, graças aos programas do Governo Federal e não do governinho de São Paulo, a coisa vai acabar mudando. Se Deus quiser.

Responder

Gerson Carneiro

21/12/2010 - 17h26

Nove meses "governando" São Paulo e o Alberto Goldman dá à luz mais esse demônio.

Responder

    El Cid

    21/12/2010 - 18h07

    … Gersão, esse sujeito é o típico grão-tucano arrogante, autoritário e mentiroso !

    Jairo_Beraldo

    21/12/2010 - 20h34

    El Cid, tucano tem outra "qualidade" além das que voce colocou? Se tem, desconheço!

ZePovinho

21/12/2010 - 17h14

Dilma entendeu bem que Nelson Johnbim trabalha para os americanos:
http://www.forte.jor.br/2010/12/21/dilma-mantem-o

Em recado para a área militar, a presidente eleita, Dilma Rousseff, escanteou o ministro da Defesa, Nelson Jobim, do processo de confirmação nos cargos dos atuais comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica.

Dilma recebeu ontem, na Granja do Torto, separadamente, o general Enzo Peri, o almirante Júlio Soares de Moura Neto e o brigadeiro Juniti Saito, quando cobrou “lealdade” a ela, que é comandante-suprema das Forças Armadas. A presidente foi aconselhada e decidiu manter Jobim no Ministério por entender que a pasta está bem conduzida, em meio a um processo de consolidação da área da Defesa.

Responder

Julio Silveira

21/12/2010 - 17h14

Ah, esses tucanos, é a já percebida aversão a gestão da coisa publica. Se pudessem vendiam o ar se fosse publico. Parecem administradores de bancos adoram gerenciar dinheiro. Gerenciar serviços, bens e patrimonio publico dão trabalho, então vender é o lema.
Para que essa gente se habilita a governar, se o que eles preferem fazer quando são governo é transferir a iniciativa privada os bens e recursos publicos? Parecem estar unicamente voltados a acabar com o estado Brasileiro terceirizando-o.

Responder

    Ane

    21/12/2010 - 21h12

    Júlio,
    Seu argumento é perfeito!
    Não há o que comentar… Direto ao ponto!
    Parabéns!

Beto

21/12/2010 - 17h09

AHHHH São Paulo…correndo cada vez mais para o atraso.. em resumo, os tucanos fazem o que bem entendem para os amiguinhos deles ganharem mais dinheiro, e claro contando com a conveniência de nossa "eficiente" mídia. Este estado (minúscula mesmo) me deixa cada vez mais envergonhado, virou Currau eleitoral dos Tucanos que deitam e rolam com suas negociatas junto com seus comparsas… O que fazer para quebrar isto??? Já que o povo é imensamente conservador, sô… e não vejo futuramente sinais de mudança

Responder

    Pedro

    22/12/2010 - 03h36

    Palavrão…! – Beto, é com tristeza e vergonha que eu concordo contigo.
    Tá na hora dos partidos de oposição comportarem-se de maneira inteligente caso sejam, e já planejarem uma campanha onde de fato esclareçam ao povo essas maracutais do psdb.
    É uma pena que o psdb tenha conseguido transformar a arrogância do paulista de mente fraca num povo preconceituoso, e pelo que podemos constatar é uma maioria, pois sistematicamente eles tem conseguido reeleger essa turma.
    A cidade de São Paulo está um caos para ser transitada, esses imbecis ainda não perceberam que tem que haver investimento pesado em metrô e trem… ah!! mas a quantidade de trem no metrô seria pouco para cobrar pedágio e em seguida repassar para a iniciativa privada.
    Pré-conceito é via de mão dupla hein…!

carmen silvia

21/12/2010 - 17h01

Não tem muito o que argumentar encima de um projeto desse.É impensável que diante de tantos problemas que enfrenta a saúde pública nesse país,um preposto do Serra,no apagar das luzes de sua gestão envie pra votação um projeto que desumaniza ainda mais o atendimento para pacientes do serviço público de saúde.É uma proposta de acirramento do processo de mercantilização da saúde.Isso é leviano e sobretudo cínico

Responder

ZePovinho

21/12/2010 - 16h57

E quem vai ficar com os leitos,naturalmente,serão os empresários amigos do PSDB.E tome aparelhamento do Estado pelos amigos do partido!!!!!!!!!!!!

Responder

Celso

21/12/2010 - 16h56

Esse processo lembra a privatização, sob o signo de concessão, das rodovias paulistas. Patrimônio público sendo explorado pelo setor privado que não investe, não constrói e pega só o filé.

Responder

    Jairo_Beraldo

    21/12/2010 - 20h35

    É o jeito tucano de governar..paulista ADORA!

    aurica_sp

    21/12/2010 - 23h43

    Sou Paulista, não adoro este modelo que se estende no poder aqui. Graças a Deus nunca dei um voto ao PSDB, mais fazer o que se alguns Paulistas não pensam assim.

Bertold

21/12/2010 - 16h54

O pior de tudo isso é a sensação de impotência que temos de não poder barrar isso já que à grande midia toda em São Paulo se omite de noticiar, se algum veículo menor toca no assunto eles blindam o governo tucano e, finalmente e infelizmente, o Ministério Público Federal ou estadual, também o poder judiciário, não fazem nada. Tá na hora de umas manifestações mais radicais para mexer nesse estado de coisas. Em São Paulo, é preciso que se diga em alto e bom som. VIVEMOS NUMA DITADURA FASCISTA!

Responder

    Jairo_Beraldo

    21/12/2010 - 20h36

    Voces colocam eles lá e reclamam?

Deixe uma resposta