VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Deputado Zé Maia atribui protesto de professores em greve à ingestão de “alguma substância”

08 de julho de 2011 às 10h20

Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais (Sind-UTE MG)


Os trabalhadores em educação da rede estadual de Minas Gerais estão em greve desde o dia 08 de junho pelo cumprimento da Lei Federal 11.738/08 que estipulou o Piso Salarial Profissional Nacional já declarado constitucional pelo Supremo Tribunal Federal. No dia 29 de junho, a categoria participou da reunião da Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, visando pressionar o governo e sua base aliada. Nesta reunião seria realizada Audiência Pública para discutir a dívida do Estado de Minas com a União e a categoria queria discutir a dívida do Governo de Minas com a categoria e com uma educação de qualidade.

O deputado Zé Maia (PSDB) é o presidente da comissão e presidia a reunião. Após  várias provocações e ataques aos professores, desrespeitou ainda mais a categoria com a afirmação transcrita acima e que consta das notas taquigráficas da ALMG e, portanto, são oficiais, comprováveis. Para ele, a forma como servidores públicos protestavam naquela reunião só poderia se justificar pela ingestão de alguma “substância” que fosse “não natural do ser humano”.

Trata-se de uma acusação gravíssima, oficialmente registrada, de um deputado estadual dirigida à categoria como forma de desqualificação e desmoralização.

Entre um insulto e outro ele dizia que educadores e educadoras estavam “desequilibrados” e “despreparados”; que deveriam ser “trocados”, insinuando que isso seria uma condição para que houvesse negociação.

É lamentável que um deputado estadual se agarre a imunidade parlamentar e se ache no direito de usar o seu mandato para tal comportamento.

Ele deveria ficar mais atento ao que o seu partido tem feito com a educação mineira: em 2009 investiu 20,15% em educação enquanto a Constituição Federal determina o percentual mínimo de 25%, faltam 1 milhão e meio de vagas na educação básica, a privatização do ensino médio profissionalizante, pagamento de vencimento básico de R$369,00 a um professor mineiro. É esta a dívida do Governo de Minas desde Aécio Neves que o Deputado, com os insultos, tentou nos calar durante a Audiência Pública.


 

112 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Joana da Guia Barbosa

06/07/2012 - 19h01

Quero endereço de email do Deputado Estadual Zé Maia para que eu possa enviar algo/pedido de meu interesse.

Responder

Vereador César

24/12/2011 - 21h05

O Azenha devia vir aqui na minha cidade ver o que a esposa desse deputado anda fazendo por aqui, desvios, superfaturamento, corrupção desviando o dinheiro do fundeb mas eles tem o poder, apesar das nossas denuncias ainda não conseguimos nada do Ministério publico.

Responder

Paulao

16/08/2011 - 07h20

Realmente concordo com o deputado Zé Maia, se nao querem trabalhar, tem muita gente que realmente quer e precisa trabalhar, mande todos embora e contrate novos no lugar pra ver se teremos mais greves. Esta virando moda greves de professores e policia civil, se a moda pegar o que sera do pais.

Responder

    Aninha

    29/04/2013 - 15h18

    Nao é que els nao querem trabalhar ele só querem o que de direito deles …
    agora si vc esta do lado do zé maia .. pega o salario que vcs recebem e paga os professores direitooo ta bom ?

    Paula

    12/07/2013 - 00h37

    Caro colega, pelas suas palavras acredito eu que nem o ensino superior deve ter, tenho pais professores, sou pós graduada e acabei de ingressar no mestrado. Só para sua informação: o que vai ser do futuro se os professores continuar com as graves? O que vai ser eu não sei… o que será se não fizerem greve eu vou te contar… vamos ser um pais sem Professores, para sua informação cursos que visa a didática estão sobrando vagas até em faculdades publicas, pq? Pelo simples fato que o salário de um professor (que da a base para qualquer um ingressar na faculdade hj) é melhor que a Bolsa Crak, você deve saber, que o PT criou a bolsa crak no valor de 1350 reais, agora vamos lá… um viciado tem o direito de ganhar mais que um professor, que ajuda e muitas vezes cria filhos dos outros… quando seu filho for p escola, agradeça por ele ainda ter um professor… e eu, eu simplesmente tenho pena de tanta ignorância em uma pessoa só.

Deputado Zé Maia (PSDB/MG) atribui protesto de professores em greve à ingestão de “alguma substância” « Dilma Presidente – @Porra_Serra_

16/08/2011 - 00h24

[…] Vi o Mundo Compartilhe:TwitterFacebookEmailPrintDiggRedditStumbleUponLinkedInLike this:LikeBe the first to like this post. […]

Responder

José

30/07/2011 - 22h49

Zé Maia, Aula de reforço a nível de 5º ano esta aí, participe, não perca tempo faça como seus colegas do Blog do Euler. Verifique .

Responder

PROFª SIM, DROG Ñ !

26/07/2011 - 21h00

Uma mãe de Itabira apoiando os professores e denunciando os desmandos do pessoal de lá… vejam aí http://www.youtube.com/watch?v=CVOAW6T8A5o

Responder

PROFª SIM, DROG Ñ !

26/07/2011 - 20h57

Professores do Rio de Janeiro, não vamos desistir do PISO vejam esse video e repassem http://www.youtube.com/watch?feature=player_embed

Responder

PROFª SIM, DROG Ñ !

26/07/2011 - 20h50

Vejam isso …
muito bom http://www.youtube.com/watch?v=CVOAW6T8A5o uma mãe da cidade de Ipatinga defendendo a Educação e os professores. É emocionante que lição de conhecimento de vida. Viva o povo brasileiro !

Responder

Luana

16/07/2011 - 19h09

Dep. Zé Maia.
Só recomendamos aquilo que gostamos e temos conhecimento !

Responder

PROFª SIM, DROG Ñ !

14/07/2011 - 15h57

http://www.youtube.com/watch?v=SGYUsgLK-28
Amigos , assistam e repassem por favor.

Responder

professora

13/07/2011 - 23h58

Nao estamos sob efeito de substância anormal ao ser humano, mas sim sob efeito de SUBSIDIO que é anormal a qualquer profissiomnal

Responder

Maria

13/07/2011 - 23h01

Tô de olho
È lamentável senhor deputado,se vc conseguiu essa posição é pq um dia
passou pelas mãos de um professor.
Reflita.

Responder

PROFª SIM, DROG Ñ !

13/07/2011 - 14h37

CADÊ OS ADVOGADOS DO SINDUTE E DA CGT? HÁ ANOS QUE ESTAMOS SEGUINDO O SINDUT E SÓ PERDENDO. PERDEMOS OS QUINQUÊNIOS , BIÊNIOS , O PISO ( PQ PEDI PRA Q SE IMPETRASSE O MANDADO DE SEGURANÇA UM DIA APÓS A VOTAÇAO NO STF. AGORA PERDI A DIGNIDADE. DE PROFESSORA PASSEI A USUÁRIA DE DROGAS… NÃO TEMOS ADICIONAL NOTURNO,TAMBÉM NÃO TEMOS TAXA DE PERICULOSIDADE, NEM AO MENOS VALE TRANSPORTE OU VALE ALIMENTAÇAO, O SALÁRIO NÃO ATINGE A 60 % DO SALÁRIO DO MERCADO, PRA NÍVEL SUPERIOR. PRA ONDE IREMOS ASSIM? PEDI ESMOLA E DORMI NAS PRAÇAS PQ É ISSO Q USUÁRIO FAZ .AINDA BEM Q NÃO NOS CHAMOU DE TRAFICANTES… PQ OS TRAJES NOSSOS NÃO SÃO DE TRAFICANTES… SEM FALAR Q GANHEI UM REBAIXAMENTO SALARIAL NA PROXIMA FOLHA ( INCONSTITUCIONAL ). SERÁ Q TEM ALGUM ADVOGADO NA CORTE INTERNACIONAL Q POSSA NÓS AJUDAR ? ( SEM ONUS ? PQ PROFESSOR NÃO PODE PAGAR … ) ISSO PROVA Q NOSSO SALÁRIO NÃO DÁ PRA USARMOS DROGAS PQ É UM PRODUTO MUIIIITO CARO, NEM CABE NO NOSSO ORÇAMENTO. E É BOM ELE NÃO DÁ IDEIA , POIS OS USUÁRIOS DIZEM Q USAM PRA NAUM TEREM AS SENSAÇÕES DE FRIO, FOME, DOR… E TEM PROFESSORES Q JÁ DEVEM ESTAR ASSIM COM O SALÁRIO Q ELES PAGAM A CHEFES DE FAMILIA.

Responder

    Conceição Lemes

    13/07/2011 - 15h29

    Profa, por favor, letras minúsculas nos próximos comentários. abs

Zelia

12/07/2011 - 16h46

Não podemos cair no mar de lamentações. Neste momento o que se impõe é Atitude é, Ação.
Devem existir meios legais para que os Poderes constituídos resgatem a "Justiça" tão aniquilada neste País e façam prevalecer as possibilidades legais que amparam a classe educacional.Não estamos pedindo , estamos exigindo.

Responder

PROFESSORES DE MG

11/07/2011 - 20h20

E AÍ PESSOAL DA LEI, DA JUSTIÇA, SERÁ QUE OS SENHORES VÃO FICAR AÍ PARADOS SEM FAZER NADA. ATÉ QUANDO UM POLÍTICO COMO ESSE ANASTASIA E OUTROS PODE NÃO CUMPRI UMA LEI? sERÁ QUE LEIS SÃO APENAS PARA OS MENORES DA POPULAÇÃO E RICOS E POLITICOS CORRUPTOS, NÃO? PRESTEM ATENÇÃO PORQUE JÁ HÁ MUITA GENTE NESSE PAÍS FAZENDO JUSTIÇA COM AS PRÓPRIAS MÃOS, PORQUE NÃO ACREDITAM MAIS NA JUSTIÇA

Responder

Fábio

11/07/2011 - 14h33

Este deputado não tem o direito de falar contra os professores. Ele quem é? Estudou? se estudou não aprendeu a ser educado!
Um ignorante!

Responder

Arnaldo

11/07/2011 - 10h13

Deputado Zé Maia, acho que você deveria respeitar essa classe que já tanto sofre com o descaso dos governos tucanos nos últimos anos aqui em MG, não foram professores que foram pego em Blitz no Rio de Janeiro embriagados/drogado foi o seu ídolo o Aécinho Malvadeza. Respeitem essa classe que já recebem um salário miserável e não tem condições nem sequer de compra esses tipos de substâncias que o senhor falou, já o aécinho malvadeza com o que enriqueceu como gov de Minas Gerais deve se esbanjar pelas ruas deste País.

Responder

Fidalgo

11/07/2011 - 09h28

Será que o Aecinho saberia dizer alguma coisa sobre essas substâncias?

Responder

Professora Cida

10/07/2011 - 20h56

É pela existência de políticos como esse que se explica a situação pela qual estamos passando. Que feio, hein, deputado? Dá nojo políticos assim.

Responder

marlene do bem

10/07/2011 - 13h00

Pessoal !!! "A boca fala daquilo que está cheio o coração !"
Boa substância , hem , deputado?!Foi com ela que vc se elegeu ?

Responder

Fatima

10/07/2011 - 10h35

Sao R I D I C U L O S os deputados sejam estaduais ou federais, nunca defedem os interresses dos eleitores e sim dos seus proprios bolsos, alias os policos em gerais sao ridiculos, para eu nao dizer outra coisa que penso!!!

Responder

Aracy_

10/07/2011 - 09h18

Os professores mineiros deveriam exigir direito de resposta ao Deputado Zé Maia: que ele fizesse uma tomografia da cabeça, para comparar com a do outro PSDbista, o da bolinha de papel.

Responder

Luiz Cruz

10/07/2011 - 08h11

Por eleger estes políticos compromissados apenas consigo mesmos é que o Estado de Minas Gerais está sempre perdendo. Triste é saber que o elemento fundamental para a consolidação da cidadania e do desenvolvimento do Estado, não faz parte da agenda deles: a EDUCAÇÃO.
O tucanato mineiro é perfumaria, marketing, enganação. Para isso tem muito dinheiro e inunda a imprensa mineira com verdadeiras fortunas.
Mais triste ainda é que não temos oposição. Não temos liderança! Vivemos ainda sob a sombra tenebrosa da ditadura. Precisaremos de bom tempo para superar. Enquanto isso, temos que ir identifcando esses tipos que usam a POLÍTICA PARTIDARIA BRASILEIRA só para proveito próprio.

Responder

giovannigouveia

10/07/2011 - 07h56

Uso de aditivos parece ser especialidade do PSDB, Afinal, não foi aecindopó quem perdeu a carteira por embriaguez?

Responder

polical mendigo SP

10/07/2011 - 00h30

substãncia não natural é inoculado pelo PSDbosta na mente do povo há decadas e não sair do poder. Quer saber? o povo merece se ferrer, pois foi ele que bnotou esses crapulas despeitados lá. Lá MG como aqui – SP, tudo igual, com os mesmos canalhas tucanos.

Responder

@NinaTeresa

09/07/2011 - 21h55

O Deputado se prova totalmente despreparado para ocupar o cargo que ocupa. Dizer em equívoco acusações completamente inverídicas sobre participantes de uma luta justa é mais do que prova disso. Sou aluna de escola pública e sofro consequências diretas dessa paralisação. Sei certamente o potencial dos professores, pois me ajudaram e ainda ajudam na minha formação, e por terem esse papel tão importante na minha vida e na vida de outros, a remuneração atual é ridícula. Mais do que obrigação e dever como um deputado, ele deveria ao menos saber o que falar. Não estou feliz com a greve, pois infelizmente me prejudica, porém sou a favor de professores ganharem o MERECIDO, sim isso quer dizer mais MUITO MAIS !!!!

Responder

Marcos AC Lopes

09/07/2011 - 21h11

O que não dá para entender é como os mineiros têm se deixado enganar pela turma do Aécio.O homem foi eleito uma primeira vez, se reelegeu folgado e elegeu o seu sucessor em 2010. Mineiro e Paulista: tudo a ver. E os professores contribuiram com seus votos para essa situação. Espero que tenham aprendido e escolham outro partido para governar o estado.Espero também que não queiram empurrar o Aecinho para presdiente.

Responder

    Euler Conrado

    10/07/2011 - 01h13

    Gozado, não sabia que o voto secreto vinha com essa identificação: "… e os professores contribuíram com seus votos para essa situação". Fale por você, caro Marcos, não por mim, que sou professor na rede estadual de Minas e jamais votei nos desgovernos Aécio/Anastasia – assim como acredito que a maioria dos professores também não o fez.

    Para entender a realidade de Minas é preciso entender um conjunto de fatores conjunturais e estruturais que contribuem para a vitória do grupo do neto de Tancredo. Entre os fatores está a aliança informal do governo federal com Aécio, que fez dobradinha com Lula na eleição anterior. Depois o PT entregou a prefeitura da Capital do estado para o candidato indicado pelo PSDB, Márcio Lacerda – apesar de haver uma oposição interna no PT contrária a esta aliança. Mas, falaram mais alto os interesses da manutenção da aliança informal para manter o poder federal.

    Além disso, a mídia mineira passou oito anos sem fazer uma única crítica ao governo Aécio / Anastasia. Já imaginaram viver num lugar onde as rádios, TVs e jornais elogiam 24 horas por dia o governante e não mostram uma única crítica? Pois esse lugar foi (continua sendo, embora menos, agora, graças principalmente à crescente influência da Internet) Minas Gerais.

    Um outro fator que contribuiu para a manutenção do governo nas mãos do grupo demotucano foi o crescimento econômico ocorrido no Brasil e em Minas, pelos fatores internos e externos conhecidos. Todos os governantes são beneficiados em tempos de falsos milagres econômicos. E em Minas este fator pesou ainda mais em função de desgovernos anteriores, que foram um fiasco, como os de Newton Cardoso, Eduardo "AI-5 digital" Azeredo e até o do agora santificado pela mídia Itamar Franco, que em oposição ao desgoverno FHC, praticamente nada fez.

    Através da maquiagem contábil, do crescimento na arrecadação e no violento confisco imposto aos servidores, Aécio e Anastasia puderam fazer obras faraônicas como a Cidade Administrativa, a Linha Verde, estradas e viadutos, que são apresentados em um bom programa eleitoral como resultado de eficiência administrativa.

    Junta-se a tudo isso a ausência de uma oposição consistente, já que o único partido que poderia fazer essa oposição para a disputa eleitoral, o PT, estava (e não sei se continua, porque não sou filiado a nenhum partido) subordinado ao projeto de manutenção do poder federal. E para este projeto, o governo de Minas foi sempre visto, até a última eleição, como aliado informal na luta contra os demotucanos paulistas. Isso pode mudar a partir de agora, mas até então as coisas funcionaram assim.

    Por isso, não queira atribuir aos professores a responsabilidade pela manutenção do desgoverno demotucano existente em Minas. Enquanto permanecer essa estrutura de comunicação nas mãos de poucas famílias a serviço das elites retrógradas; enquanto a realidade política brasileira impuser essas alianças espúrias e fisiológicas para a manutenção dos governos, para o gerenciamento da crise em favor do grande capital (tanto em Minas, quanto em qualquer outra esfera de poder, incluindo o federal), a democracia existente será uma democracia de fachada. Os mineiros terão a triste sina de ter que escolher entre o afilhado do neto de Tancredo e o ex- ministro das telecomunicações, como se diferença substancial houvesse entre eles.

    Em resumo, meu caro, é isso.

Luciano Prado

09/07/2011 - 21h02

A culpa é da população mineira que colocou os tucanos para tomar conta do galinheiro.

Ou será que os mineiros desejaram isso mesmo?

Responder

Hell Back™

09/07/2011 - 17h42

O "nobre deputado" está equivocadíssimo. Mesmo que os profissionais da educação quisessem usar as tais substâncias alegadas, o salário não permitiria tal coisa, pois é sabido que os entorpecentes em geral não são nada baratos.

Responder

Tales Lacerda

09/07/2011 - 15h53

Essa é a democracia do PSDB. Se o povo discorda, troque de povo!

Responder

Euler Conrado

09/07/2011 - 15h38

Não dá para levar a sério um deputado ridículo como este, pau mandado do governador. Eu estava da manifestação e a tal audiência foi encerrada, porque não permitimos que continuasse, dado ao cinismo da base governista na ALMG. O tema da audiência era sobre a dívida do estado com a União. Mas, a maior dívida do governo é para com os servidores públicos, especialmente os educadores, vítimas de muitos confiscos e choques de gestão. Por isso estamos em greve, que vai continuar, até a nossa vitória, com o pagamento do piso.

Responder

Luana

09/07/2011 - 14h08

Zé Maia desrespeitou os professores ao dizer que ingeriram "alguma substância", assim como nosso governador, Antonio Anastasia nos desrespeita ao disseminar na grande mídia que já cumpre o piso salarial nacional através de subsídios, o que é uma verdadeira mentira.

Responder

Pastordornel

09/07/2011 - 13h44

Infelizmente o sr deputado apela de uma forma deprimente por falta de argumentos diante dos fatos!!! Dizer de uma forma indireta que os professores estão agindo sob efeito de substâncias " estranhas" é no minímo digno de uma ação insana de um deputado que deve saber muito bem o que é usar isso, pois o PSDB é expert nisso. Exs.. Cerra, FHC, Aecio e tantos outros ópios da Politica ilusionista que fizeram por anos!!!!!
Lamentável!!!!

Responder

KARLA RICCO

09/07/2011 - 13h37

Não se pode usar em um estado livre e de direito – amparado pela imunidade parlamentar – acusações levianas sobre qualquer classe, principalmente a dos professores, sem que haja alguma punição.
Os educadores mineiros já sofrem pelos baixos salários, pelas condições de trabalho muitas vezes inadequadas, pela violência de alunos cada dia maior, não podem ser humilhados e desrespeitados em seu pleno direto de lutar por melhores salários e condições mais dignas de trabalho e de vida. O parlamentar certamente tem ou teve em sua família alguém q estudou em escola pública e os mesmos profissionais q ele desqualifica hoje certamente contribuiram para a formação de alguém próximo a ele.
Uma pergunta: Se o governo fosse de oposição ao seu partido, ele teria a mesma reação. Fica a replexão.

Responder

Rogerio Correia

09/07/2011 - 13h05

O que ocorre em Minas Gerais é um descalabro: o Estado está quebrado e tem dificuldades de honrar seus compromissos e investir em educação e saúde, por exemplo. Depois de um estelionato eleitoral, no qual a máquina de propaganda do governo Aécio/Anastasia foi vitoriosa na venda de uma imagem falsa de Minas, agora aparece a verdade: Minas tem uma dívida de 67 bilhões de reais e paga centenas de milhões em juros.
Por isso quer penalizar os servidores. O vencimento básico da maioria de professores varia de 300 a 800 reais. Só se "atinge" o piso nacional através da mágica de subsídios. Ou seja, Anastasia promove mais uma mentira, dizendo que paga o piso como vencimento básico!
Que assuma zerar gastos de publicidade e rever contratos "esquisitos" como os do Centro Administrativo, além de negócios suspeitos como do IPSEMG-FASANO, das obras superfaturadas do Mineirão e do Independência etc.
Rogério Correia-Líder do Bloco Minas Sem Censura

Responder

    Taiguara

    10/07/2011 - 15h44

    Prezado Deputado Rogério Correia; sobre a irresponsável dívida do Estado de Minas Gerais, teço as seguintes consideraçoes (essaltando que Minas Gerais é o estado da federação escolhido por empresários paulistas para abandonar suas Ferraris). Como já sabemos, a dívida histórica, consolidada, no início do governo demofrênico-tucanopata, era de aproximadamente 14 bilhões. Bem, após nove anos de viagens, baladas, pescoções em "piriguetes", fugas de bafômetros, quedas de cavalos (cavalo não desce escada, já dizia o Ibrahim), etc, etc, etc, essa dívida atinge galácticos 67 bilhões de reais. Como também já registrei, considero que é "um pouco demais da conta" para gastar numa estradinha verde, num parque de diversões (que eu chamo carinhosamente de Neveslândia) e em dois jogos Brasil X Argentina. Ainda que estes dois últimos eventos tivessem merecido tratamento de mega-produção holywoodiana. Gente….só aquele uníssono, sem ensaio, promovendo as preferências do nosso Governador e de Dom Dieguito, já valeu o investimento. Chego a dizer que, nos oito anos do governo do Presidente Lula, nem o Itamaraty foi mais atencioso com os Hermanos do que a torcida mineira.É deferência demais…agente nem ganhou os jogos. Mas, agora, quero deixar público o meu agradecimento ao Deputado Zeláia, que de forma serena, enfrentando uma turba de professores (argh!!! ô raça.. né mesmo deputado? Professores, policiais, profissionais da Saúde…) descobriu e, ao mesmo tempo, iluminou o caminho para que eu percebesse a direção onde procurar a motivação do astronômico endividamento do Estado:alguém andou consumindo "substancias não naturais para o ser humano" Como é que eu não pensei nisto antes?. Quem teria sido? Gente….é dinheiro prá dedéu! A título de ilustração: se transformados em pó (êpa, essa palavrinha persegue meus textos, não sei por que), faria corar de vergonha qualquer vulcão chileno. E, olha, não são "apenas" esses 53 bilhões que foram tomados e torrados pelos irresponsáveis. Não. Ainda tem a receita fazendária do Estado que, como sabemos extorque dos cidadãos as maiores taxas e impostos do país. Recentemente mesmo foram acoitados e pendurados nos relógios que medem a energia consumida pelos incautos cidadãos-contribuinte-eleitores mineiros, três demofrêncios-tucanopatas alienígenas derrotados e escorraçados de seus currais, a saber: Papaléu Paes do Amapá, Wilson de Souza do Mato Grosso e o inefável pernambucano Raul Jungmann (esse, eu até pensei que ia herdar a "boquinha" do Roberto Freire, lá em Sampa). Taí, escrevendo isso, caiu a ficha: agora já sei o que o Aócio quis dizer com a palavra "escárnio". Já imaginaram se um alucinado desses consegue se aboletar na cadeira de Presidente da República? Conseguem imaginar o tamanho do estrago, se elevado às dimensões nacionais? Todo dia, bem cedinho, eu acendo uma vela pro Zé Serra. Tô doido não! Vamos precisar do Dossiê Itagiba.

P A U L O P.

09/07/2011 - 11h41

Vejam esta…

“JUÍZA” ANULA A LEI ÁUREA

Segundo a juíza Marli Lopes Nogueira, da 20ª Vara do Trabalho do Distrito Federal o trabalho escravo não pode ser interrompido antes de completada a colheita da safra de cana. Foi esse o conteúdo da liminar que a “juíza” concedeu à empresa INFINITY AGRÍCOLA, suspendendo uma operação de resgate de trabalhadores escravos numa fazenda da empresa no município de Navaraí, no Mato Grosso do Sul.
http://redecastorphoto.blogspot.com/2011/07/juiza

Responder

    Hell Back™

    09/07/2011 - 18h38

    Que coisa mais nonsense.

Francisco de Castro

09/07/2011 - 11h09

Pra variar, mais uma asneira (que me desculpem os asnos) vinda de um representante desse partidozinho, o psdBosta… Ninho de víboras e parasitas do dinheiro público, traidores do interesse público da pior estirpe. É um partido que já nasceu doente. Não tem moral e nem ética, respondendo e defendendo unicamente aos seus interesses, sempre escusos. E esse comportamento canalha, pode ser facilmente localizado em qualquer parte do país onde haja um representante do psdBosta no poder. O partido destila mau caratismo. Para o bem do Brasil, com S, MERECE E DEVE ser extirpado da política nacional.

Responder

Leider_Lincoln

09/07/2011 - 10h45

O Klaus, que é mineiro, não apareceu por aqui… Estranho.

Responder

Cínico de plantão

09/07/2011 - 02h56

Enquanto o excelentíssimo deputado desmoraliza a pedra fundamental da sociedade brasileira, o MP perde tempo com um humorista. Dá-lhe Brasil.

Responder

    Leider_Lincoln

    09/07/2011 - 10h43

    O caso do Rafinha Bastos é paulista, o caso é mineiro. Um MP não tem jurisdição sobre o outro! E vivas a inteligência e a informação, ferramentas básicas para um cínico não fazer um papel ridículo!
    E pelo que o MP-MG processaria o deputado? Por ter sido eleito pelos mineiros?

ZePovinho

09/07/2011 - 00h11

O PSDB não equer cargos,apenas exige competência.Conta outra………………
http://maureliomello.blogspot.com/2011/07/corte.h

08/07/11
Corte?
http://contextolivre.blogspot.com/2011/07/acabo-d

do contexto livre
Amigos e colegas:

Acabo de ser demitido da Empresa Jornalística Folha Metropolitana um ano, um mês e quatro dias depois de ser contratado para ser repórter de política. Este não é meu primeiro trabalho e nunca tornei público o motivo da saída por julgar que admissão e demissão fazem parte da liturgia das empresas. Logo, jamais exporia as razões da saída, se o motivo fosse contenção de despesas, qualidade do trabalho prestado, incompatibilidade entre mim e a chefia…

Desta vez, porém, é diferente: a minha demissão ocorreu porque noticiei em primeira mão e venho acompanhando o caso de nepotismo na Secretaria de Estado da Energia, sob o deputado licenciado José Aníbal (PSDB). A notícia está na página 10 da edição desta quinta-feira do jornal Metrô News.

Na segunda-feira, fui para uma entrevista com o deputado Carlos Roberto de Campos (PSDB-SP), munido de várias perguntas, uma das quais sobre nepotismo. O Metrô News vem acompanhando o episódio da contratação de Mateus Achilles Gomes pelo secretário-adjunto da Pasta, Ricardo Achilles, desde o início de junho.

Uma das estratégias era ver a opinião de Carlos Roberto sobre o caso ocorrido na pasta comandada por José Aníbal, uma vez que o PSDB é muito veemente nas críticas contra irregularidades. Carlos Roberto não foi induzido ou coagido a falar, mas falou e criticou severamente Ricardo Achilles e o colega de ninho, José Aníbal. A matéria foi publicada hoje, claro, com o consentimento do editor-responsável.

Nesta tarde, Carlos Roberto foi à redação, conversou com a direção do jornal e exigiu que o veículo desse uma resposta. A resposta foi a minha demissão.

Acho que devo dar essa explicação a todos os que me acompanham diariamente, seja por meio das das reportagens da Folha Metropolitana e do Metrô News ou na coluna ‘Em Off’, que mantinha às quartas e sextas-feiras.

Aproveito para agradecer o carinho dos colegas e me desculpar por possíveis desencontro de ideias. Creiam, sempre coloquei a lealdade e o respeito acima dos interesses diversos que permeiam o posto que ocupava. Nunca pactuei com interesses outros que não fosse o de dar a notícia da forma mais correta. Nunca usei do cargo para fins de ética duvidosa. Nunca aceitei barganhar a notícia. Nunca ‘carlosrobertei’, nem ‘anibalizei’ meu trabalho.

Peço que me ajudem a multiplicar essa mensagem indignada. Reitero: entrar e sair de empresas é fato comum e essa não é a primeira vez que acontece. Nunca, porém, tornei público o motivo da saída, por entender que essa é uma particularidade que cabe a patrão e a empregado. Dessa vez, porém, minha saída teve motivação política. Por trabalhar de forma correta, acabei punido.

O ciclo na empresa está terminado.

Um forte abraço a todos.
Ricardo Gomez, jornalista

Responder

    Joanita

    09/07/2011 - 12h17

    Um depoimento deste me deixa muito infeliz e decepcionada. Pois o que a escola e a sociedade me ensinou desde pequena é que vivemos em sociedade democrata. Que democracia e esta? Que lugar é este onde se diz que tem que formar opinião e pessoas conhecedoras de seus papéis como cidadãos autônomos não tem acesso à verdade? Parabéns ao jornalista Ricardo por ter coragem de abrir a boca. Precisamos de reporteres assim: que usam as palavras para denunciar estes pilantras. Deus honra quem é honesto. Não vão lhe faltar proprostas de emprego. Um abraço.

João PR

08/07/2011 - 23h13

Os Professores de Minas Gerais deveriam escolher o dia em que o tal "deputado" falou tal barbaridade como um dia de luta da classe.
Aqui no Paraná, um dia o então Governador Alvaro Dias mandou a tropa de choque (com cavalaria) atacar uma passeata pacífica de Professores. Até hoje, neste fatídico dia, a classe pára no Paraná todo: ou seja, fazem uma paralisação, e passeatas para relembrar aquele ato do digníssimo atual senador do psdb.
Toda eleição o povo é lembrado disto. Vale lembrar que na última eleição para o Senado, por muito pouco a Gleisi Hofman não tirou a vaga do Álvaro.
Enfim, fica a sugestão aos Professores de MG.
Em tempo: há no youtube diversos vídeos sobre o ataque da tropa de choque contra os Professores. A imagem não é boa, pois é de 1988, mas vale a pena ver. Segue um endereço no qual poderão encontrar um dos muitos vídeos http://www.youtube.com/watch?v=zXlTb3hFo2A&fe

Responder

EDILANA

08/07/2011 - 23h02

OS PROFESSORES MINEIROS QUE TOMEM CUIDADO,POIS AQUI EM FORTALEZA NÃO SÓ NOS ACUSAM DE ESQUIZOFRÊNICOS (ACUSAÇÃO FEITA PELA PREFEITA LUIZIANE LINS QUE POR SINAL JÁ FOI PROFESSORA E COMANDOU GREVE) MAS AQUI TAMBÉM MANDAM BATER , JOGAR GÁS DE PUMENTA E NOS IMPEDEM DE ENTRAR NA CAMARA DOS VEREADORES,PRA PIORAR O JUDICIARIO ,JULGA NOSSA GREVE ILEGAL, POIS OS ALUNOS NÃO PODEM FICAR SEM MERENDA.TUDO ISSO POR QUE ESTAMOS TAMBÉM NA LUTA PELA IMPLANTAÇÃO DO PISO QUE, DIGA-SE DE PASSAGEM , É UM MÍSERO PISO ,MAS É LEI…

Responder

Kátia

08/07/2011 - 22h48

Ih… isso não tá me “CHEIRANDO” bem (rsrs). É nisso que dá! O cara conviveu tanto, que agora tá achando que a gente tb é da turma? Ô, vê se me erra! Sô professor “profissa” “mermão”. O único pó que cheiramos é PÓ-DE-GIZ e, aqui em Minas, nem recebemos mais por ele. Comprimido: só calmante pra agüentar políticos que nos roubam, mentem descaradamente e pra aguentar as contas que são maiores que o nosso pagamento; na veia, nós só tiramos sangue pra fazer os exames de rotina, mas se a cota do IPSEMG não tiver acabado, isso depois de dormir na fila. “Cigarrinho do diabo”? Bom DEUS está do lado: do lado dos humildes, desprezados, humilhados, roubados, injustiçados… portanto DEUS está conosco. Adivinha quem é que está do lado da mentira, da trapaça, da maldade, do egoísmo, da ganância. etc, etc, etc e ainda fumando um cigarrinho? HEIM, quem? Quem? DROGA MESMO é esse governo. Essa é a droga que respiramos todo dia. Essa é droga que está matando aos poucos os educadores e corroendo a educação pública

Responder

Rogério Trindade

08/07/2011 - 20h45

Sim, caro Zé Maia, os professores estavam mesmo sob o efeito de uma substância, uma substância vermelha que certamente não corre em suas veias: sangue. Não temos sangue de barata como vosmecê e Cia. Ltda. Experimente manter seus filhos (se tiver, pq gente da sua raça deve existir bem pouco) em uma escola pública e aí dará mais valor aos educadores. Acho até que estamos sendo muito comportadinhos!

Responder

    Marcone

    09/07/2011 - 15h53

    Este tal de Zé Maia, não confundir com José MAyer (ator) é um palhaço!!! Eles se escondem atrás desta imunidade estapafúrdia para dizer ASNEIRAS… Talvez seja porque o "nobre e asqueiroso" deputado tenha o costume de enveredar neste quesito de entorpecimento etílico para reconhecer outra pessoa nesta condições. Mais respeito palhaço deputado ou deputado palhaço??? Eis a questão!!!!

Polengo

08/07/2011 - 20h45

As pessoas que votaram neste aborto fracassado é que devem ter ingerido alguma “substância” que fosse “não natural do ser humano”.

Responder

@MGsemcensura

08/07/2011 - 20h36

A única carreira que interessa aos educadores e educadoras em greve nas Minas é a do compartilhamento do saber e das condições de transmitir conhecimento, além de receber. Lamentável essa atitude do deputado aecista.

Responder

Leona

08/07/2011 - 20h21

É um absurdo que que alguém eleito, teoricamente , pra representar os interesses do povo, seja lá por qual partido, tenha a desfaçatez de se referir a uma categoria profissional com tanta indignidade. Tais políticos se imaginam donos das cidades dos estados e do país. Estamos vivendo tempos nebulosos de desrespeito às leis e de inversão de valores. O trabalho de um professor durante toda a sua vida profissional representa um serviço de maior magnitude para a população do que alguns anos de mandato de tais deputados. Alguns deles utilizam os referidos mandatos para aumentar seus patrimônios, enquanto os professores precisam trablhar diuturnamente para garantir a sobrevivência.

Responder

El Cid

08/07/2011 - 19h53

O estado está quebrado? Cobrem das mineradoras o que nos devem e gastem em áreas essenciais para população como saúde e educação. A esperteza dos ladrões só entra em ação quando é para favorecer a eles próprios, eu quero saber o que este governo inútil e incompetente e os parlamentares mineiros tem a dizer sobre os royalties de mineração do estado.

Responder

Luciana Madeira

08/07/2011 - 19h42

Pó pará de atacar os tucanos mineiros: o alvo verdadeiro todo mundo sabe quem é.
MAs deixe de ser atrasdado. Aécio tá rifado faz tempo e tão gastando porva em defunto.
A próxima presidentE será Marina Silva (M maiúsculo não precisa de A no final), vice Amanda Gurgel, pelo PSUS.
Abraços…até a vitória!!
Perderam, corruptos!
Redes sociais RULES!

Responder

    Elton

    09/07/2011 - 12h37

    Horrível, sob todos os aspectos………

SILOÉ -RJ

08/07/2011 - 19h40

Deputado!!! Não julgue os outros por si e nem pelos seus pares.

Responder

Fabio_Passos

08/07/2011 - 19h19

Alguém precisa avisar o deputado zé maia que quem é chegado a "substâncias" é o chefinho dele: aécio neves.

Aécio foi acusado de forma velada pelo psdb de SP de ser cheirador de cocaína e teve carteira cassada no Rio por dirigir bêbado. É quem segura a coleira do deputado zé maia quem curte e abusa das "substâncias".

Este deputado zé maia deveria ter vergonha de ofender os professores.

Responder

Julio Silveira

08/07/2011 - 19h15

Pior é que essa gente se elege, podendo até ter recebido voto de professor.

Responder

Flávio Marcelo

08/07/2011 - 19h10

Prezado Azenha,

Muito obrigado pela abertura do espaço aos servidores da educação do estado de Minas Gerais.
Sem mais,
Flávio / Professor de geografia

Responder

Avelino

08/07/2011 - 18h58

Caro Azenha
Reivindicar para a direita, significa aumentar a miséria, reduzir salários, piorar o nivel de vida do povo.Ai eles entendem essa cantilena.A direita é corrupta por natureza e sobrevivência.
Esse deputado não é diferente do Serra, Alckmin e outros.
Saudações

Responder

antonio silva

08/07/2011 - 18h54

aqui em são paulo o governador que desrespeitou a categoria não se elegeu presidente da república, parece que o do bafômetro causador de estado de coisas daí de minas vai ter o mesmo destino…estão querendo peitar formadores de opinião… que perigo para estes políticos de lixo.

Responder

    joanita

    09/07/2011 - 12h31

    Concordo plenamente. Os políticos tem muito o que perder e nós não temos nada a perder só a ganhar. Somos formadores de opinião, sim. E sindicato tem força política sim.

Antonio da silva

08/07/2011 - 18h39

Os professores desrespeitados por esse deputado biltre e imbecil, colega do almofadinha do bafômetro overdose que era atendido(sic) em hospital mineiro pelas portas laterais para ocultar dos mineiros suas extravagâncias, caindo do cavalo, deixou os professores em petição de miséria tal qual fez seu colega de partido no estado de São Paulo o Zé Xirico. A maior arma dos professores e manter a mobilização e mostrar a população a irresponsabilidade administrativa do PSDB. Fiquem firmes na luta. Saudações.

Responder

@magramatos

08/07/2011 - 18h24

Político não pode ser analfabeto , !!!!!Creio que esse cidadão nunca usou um dicionário !!!!!!!!!! Que pena !!!! Do contrário não usaria linguagem butequeira !!!!!!!!!! Teria nível sua fala . Ele é novo , aprenderá por sim ,

Responder

monge scéptico

08/07/2011 - 16h58

Antes de dizer tal asneira, acho que o maia, deve ter fumado uma perna de judas.

Responder

Allan Erick

08/07/2011 - 16h43

Ele aprendeu com Khadafi.

Responder

Rosilene

08/07/2011 - 16h40

Quando afirmo que governantes deveriam ter curso superior não estou falando demais, olha este deputado Zé Maia das quantas zurrando ai, com certeza este fugiu da escola, pois qualquer leigo que tenha bom senso sabe que jamais deve dirigir a uma categoria dessa forma. Haja visto que este coitado de 4 em 4 anos fica mendigando votos e fica ai com palhaçada com uma classe de educadores graduados e pós graduados no momento de greve EXIGINDO seus direitos e não mendigando como ele de fato faz para chegar nessa cadeira, que por sua vez não é exigida nenhuma qualificação para tal. Com certeza é por isso que a educação é cada vez mais sucateada , pois como esses políticos só pensam em ficar à toa em "cargos" públicos sem nenhum grau de instrução é que pensam que o povo também não precisa ter conhecimento, e assim ficar falando bobagens como esse palhaço ai. LAMENTÁVEL!!!

Responder

    joanita

    09/07/2011 - 12h35

    Este palhaço esta simplismente dando um tiro no pé. Daqui a pouco está mendigando votos.

Jairo_Beraldo

08/07/2011 - 16h09

Ditos professores de UNIEsquinas como a Estácio de Sá, também tratam seus alunos desta forma, quando estes cobram mais coerencia em suas disciplinas…e a instituição "financeira", que teria que ser educadora, agradece!

Responder

    Elton

    08/07/2011 - 16h49

    É por isso que sempre fui CONTRA as UNIEsquinas. Grande parte delas criadas na gestão Paulo Renato Souza como ministro privatista da educação!!!

Zenha

08/07/2011 - 15h58

VERGONHA da ALMG nao fazer nada… desrespeito é pouco com os professores…
Se alguem ingeriu algo, ou foi ele ou foi o Abafometro do Aecio arriado do cavalo…

Responder

Wilma

08/07/2011 - 15h52

Que tal colegas, propor ao deputado trocar o seu ambiente de trabalho pelo ambiente escolar, enfrentando exaustiva carga horária de trabalho semanal, alunos indisciplinados e agressivos, famílias desestruturadas, violência nas escolas e ainda sendo "cobrado" da secretaria de estado da educação a produzir excelentes resultados nas avaliações externas. Ah! Com um detalhe muito importante!!! Ele (deputado) deverá receber ao final do mês, o salário pago aos professores de Minas; apesar de que ainda considero o bastante pelo que eles (deputados) fazem, ou seja, nada. Será que se o salário dos políticos ao final do mês, fosse no valor do salário de um professor de Minas Gerais eles ainda gostariam de serem eleitos? Ressalto algo muito interessante, é que para sermos professores/educadores temos que estudar muito, não só para adquirirmos uma formação acadêmica mas, sobretudo durante toda a nossa vida profissional. Agora para sermos "políticos" … Vocês já sabem…
Abraços

Responder

    Myriam

    08/07/2011 - 18h41

    Boa!

Wilma

08/07/2011 - 15h27

Para mim está mais do que claro, que quem ingeriu alguma "substância" foram os eleitores que votaram nesse deputado e na sua corja. Será que eles nunca frequentaram a escola? Porque tanto desrespeito para com os professores? Afinal somos pessoas que têm, nas mãos, o poder de transformar essa dura realidade em que vivemos. Digo aos colegas, que se os professores/educadores soubessem a força que têm dentro de sua sala de aula, não deixariam que pessoas como esse deputado e sua corja, fossem eleitos. Nós, cidadãos e professores, podemos tanto ELEGER como IMPEDIR, por meio do voto, que pessoas DESCOMPROMISSADAS com a efetiva QUALIDADE DA EDUCAÇÃO, com as condições de trabalho dos educadores, com os injustos salários pagos aos professores, cheguem ao PODER.

Responder

    José

    31/07/2011 - 20h33

    Gostei!

Neacir Silva

08/07/2011 - 14h39

Acredito que as substâncias que deveriam estar nas veias ou os nervos são: Descaso com a educação por parte do governo,falta de cumprimento das leis já aprovadas para o pagamento do piso,indignação pela falta de negociação com os educadores, omissão dos legisladores no exercício da cidadania,mentira dos governantes quando afirmam que a educação e saude e segurança sao prioridades em seus governos. Gostaria de saber como nossos governantes se sentiriam quando vissem seus direitos sendo lesados,seus filhos necessitando de cuidados básicos,familia lutando para se manter digna quanto a vida.

Responder

Gersier

08/07/2011 - 14h27

Em Minas como em São Paulo acontece de tudo e o PIG ó, fica caladinho,caladinho.Antes houve a greve dos policiais civis que durou meses.Em Minas como em São Paulo ainda existem os otários que votam nesses emplumados.

Responder

Luiz Clete

08/07/2011 - 14h15

Não podemos esperar uma transformação, uma melhoria na sociedade atraves dessa classe politica. Como está, está muito bom para eles e muito ruim pra nós. O poder não se suicida. Os parmamentares chegam ao poder atraves do voto popular, e esses, em sua maioria, votam sempre a favor do privado. Leis de interesses público não são votadas e quando são, ficam sem leis complementares, sem ter como aplica-las. Esse jogo já está manjado. O estado é usado e abusado em demasia pelo privado, vide o mais recente caso do BNDES e os pães ao pobre abilio. Houve um levante contra a realeza e suas benesses, agora é hora de um levante contra a classe politica e suas síncuras.

Responder

Pedro Velôso

08/07/2011 - 14h12

Terá sido algo na merenda escolar?

Responder

Bernardino

08/07/2011 - 14h09

YAWaRA,em SAO Paulo acontece amesma coisa,vendas de area piblica ao setor PRIVADO,eSSE Prefeito ai foi apoiado pelo sr PIMENTEL do PT,traira e falso SOcialista,perdeu a eleiçao para um a mumia como itamar,bem feito o povo deu o troco.LOgo,logo sera enxotado do ministerio por IMcompetencia.
EDUAÇAO pra eles é LIXO.ESquerda brasileira – PSDB,PT,PSB E PC do B: PARtidos SEM VERGONHAS e DESCARADOS sao todos Lambe-Botas do Mercado.Os da Direita nao falo.,pois sao ASSUMIDOS.
O pior tudo isso votado pelas ASSembleias e camaras municipais!!!!

Responder

Avelino

08/07/2011 - 14h09

Caro Azenha
Assim como cá, lá também muitos professores votaram nos carrascos, agoras reclamam das chibatadas.
Tucanos são os neoescravocratas.
Saudações

Responder

Marcelo Fraga

08/07/2011 - 14h08

Realmente. Na cabeça desses direitistas, tem que estar muito chapado para exigir direitos.
E esse tucano palhaço se utiliza da imunidade para ofender os professores, mas se nós o chamarmos dos nomes que lhe cabem, seremos processados.

Responder

Douglas Guimarães

08/07/2011 - 13h53

Minas Gerais precisa urgentemente de uma intervenção Federal.

O Governador está descumprindo a Lei do Piso Salarial e a Constituição!!!!!!!!

O nosso Estado não possui instituições democráticas independentes!!!!!!

Responder

Adilson

08/07/2011 - 13h45

Tem que mandar é ele vir aqui pro Rio pra ver qual o mineiro que anda tomando tudo quando é substância sem a menor cerimônia.

Ou melhor, deixa ele lá que de "Maia" aqui ninguém aguenta mais!!!

Responder

Maria Libia

08/07/2011 - 13h34

Bem feito pros mineiros, quem mandou votar neles. Garanto que muitos professores votaram nesses calhordas e agora se queixam. Tem que ter salário baixo mesmo. Só sabem reclamar e fazer greve prejudicando os alunos. Por que não vão ao supremo, exigir que a lei seja cumprida? Por que não pedem o impedimento do governador e que tais? Ora, vão chorar na cama que é lugar quente. Deixem de Bla-bla-bla.

Responder

    Gersier

    08/07/2011 - 16h43

    Pior que vc tem razão.Nas eleições discuti por diversas vezes com uma professora que achava o "aébrio" o máximo. Que ele tinha "consertado" a saude em Minas, Que ele estava ampliando hospitais em Minas,que ele "prestigiava" os professores e que como o anestesiado seria ainda melhor. Por diversas vezes disse a ela que ela deveria conversar com quem precisava do IPSEMG,que os hospitais estavam sendo ampliados com verbas oriundas do Governo Federal(Lula),que também era quem enviava o dinheiro da saúde cuja gestão é municipalizada. Mas como diz o "velho deitado",o pior cego é aquele que não quer ver,agora estão se danando e olha que só se pasaram seis meses.

    Maria Helena

    08/07/2011 - 21h55

    Concordo, que muitos professores votaram nessa corja de incompetentes. Se quiserem saber quem são, vou lhes dizer. São aqueles que hoje se encontram nas escolas, acovardados, fingindo que estão trabalhando. Ao invés de assumirem seu papel como cidadão consciente de seus direitos e deveres e somarem aos colegas que estão lutando para que uma lei seja cumprida.Estão esperando que os colegas lutem por eles. São um bando de covardes manipulados, que só sabem reclamar de tudo. Mas na hora de fazer alguma coisa preferem se omitirem, com isso impedir que as coisas se resolvam mais rapidamente. Enquanto tivermos professores assim podem ter certeza que vários maias, anst Asia, Aócio serão reproduzidos.

Lucas

08/07/2011 - 13h32

Deixem de bobagem. Qualquer pode identificar um bêbado ou doidão. Ele apenas confundiu. Os prof estavam alterados em função da fome. Com o salário q se paga em MG, tem servidor publico que passa necessidades. Agora, ele é deputado do PSDB. Deve ter experiência com drogados ou bebuns.
Na próxima assembléia só professores vão fazeer a passeata do bafômetro.

Responder

Gerson Carneiro

08/07/2011 - 13h25

Essa categoria "deputados" tem muito privilégio. Passou da hora de enquadrar essa categoria afim de sairem desse mundo de fantasia em que vivem. Imunidade; altos salários; bônus; forma de se eleger; quantidade de vezes que podem ser eleitos… benesses que não acabam mais, enfim. Essa turma só vai parar de debochar do sofrimento alheio quando tiver que fazer greve também para conseguir aumento. Se bem que eles já vivem em greve permanente.

Responder

Luis

08/07/2011 - 12h15

O distinto deputado é advogado e empresário do setor hoteleiro. Não reúne autoridade cientfica para diagnósticos médicos. Acusar professores de desequilibrados, baderneiros e seus líderes de usuários de substâncias não naturais é até permitido para o senso comum. Afinal, ele deve conhecer consumidores ilustres.

Responder

    Julio_De_Bem

    08/07/2011 - 13h00

    Pópará zé maia eheh

Yawara

08/07/2011 - 12h10

Não é só o governo de Minas que paga mal aos professores, mas, o prefeito(PSB-PT-PSDB) Márcio Lacerda de Belo Horizonte, anda fazendo a mesma coisa por aqui. E ainda, terceirizando a maioria dos serviços, só para empresas privadas que são dos amigos do rei(ele mesmo). Vendeu várias áreas públicas para a iniciativa privada, vide antigo mercado distrital do barroca, cujo a área foi comprada pelo pessoal do Hospital privado Mater-Dei por 53 milhões de reais. Estima-se que o atual prefeito já possui um gordo caixa de campanha(mais de 800 milhões de reais) para 2012 e está matando a empresas públicas por falta de investimento e pagamento decente aos funcionários. Tem empresa pública, digo: Empresa de Informática de Belo Horizonte – Prodabel com mais 1/3 de seus funcionários atuais via contratação sem concurso público, e sem falar em outros órgãos.

Responder

Barba

08/07/2011 - 12h09

E qual foi a substância que ele ingeriu antes ir trabalhar mesmo?

Responder

Armando S Marangoni

08/07/2011 - 11h56

Educação para todos significa mais gente crítica, menor possibilidade de manipulação da opinião pública, maior exigência de respeito aos direitos humanos e, principalmente, a melhor distribuição do poder político com limitação do abuso do poder econômico e escolhas mais bem fundamentadas. É a aristocracia no comando do país.

O controle da educação é feito politicamente pelos donos do capital, alguém tem dúvidas a esse respeito?

Aos donos do dinheiro interessa manter o poder. Qual é o meio mais eficaz para fazer isso? Resposta: mantendo o corpo docente desunido e desesperado de tal forma que não consigam concentrar-se em outra coisa senão a sua sobrevivência. Tática perfeita. Maquiavel deve estar em êxtase.

Responder

    Elton

    08/07/2011 - 16h53

    E a exemplo do que acontece em vários estados (PR e SC) não fazem concursos públicos há muito tempo, só contratam professores "temporários" e sem metade dos direitos trabalhistas. Além de desmobilizar a classe.

    @anabellbar

    14/07/2011 - 20h24

    Acresente-se o número absurdo e ilegal de professores nessas mesmas condições em São Paulo.

Neila

08/07/2011 - 12h55

A única droga que os educadores e educadoras estão usando recentemente é o salário pago pelo Anastasia.

Responder

    Cèsar

    24/12/2011 - 21h12

    Néla os professores sim estão usando uma substancia vermelha chamada de sangue que corre nas veias deles que com certeza não corre nas veias deste Senhor, por que a mulher dele é prefeita aqui em minha cidade e aqui impera o poder dos Maias, ditadora, opressora corrupta e a justiça aqui também é do lado deles não atende nossa denuncias.

Paulo

08/07/2011 - 11h54

Com essa total falta de respeito e total falta de comprimento com a lei, quem deveria ser trocado são os deputados e não os professores. Pergunta para o cidadão ai, se ele vai votar ou ja votou o seu proprio aumento!!!

Responder

Taiguara

08/07/2011 - 11h50

Mas que bobagem desse Zé Laia. A proximidade e a relação desse elemento com o Baladeiro do Baixo Leblon já seria mais que suficiente para considerá-lo, também , dependente cínico das drogas da dissimulação e do engodo. Se ele fala de "ingestão de alguma substância não natural ao ser humano". Calemo-nos. Deve saber do que fala. Ah! se em Minas houvesse um TCE….. Ele é um dos deputados que renunciaram ao mandato quando outorgaram ao Baladeiro do Baixo Leblon, e ao seu despachante, o Anastazista, a excrecência da Lei Delegada. O PERIGO MORA EM MINAS E, pior….dirige bêbado.

Responder

Antonio

08/07/2011 - 11h24

Pelo que o sóbrio Se-erra insinuou, não são os professores que usam pó lá em Minas. Também, não são eles que são parados ao dirigirem alcoolizados. Apesar de terem motivo de sobra para beberem. Como São Paulo, parece que Minas não aguenta mais um mandato dos demotucanalhas, que desmantelam o Estado, acabam com o trabalho, com a indústria e o comércio nacional e nos estados e municípios em que desgovernam para agradar aos ianques, para dar trabalho aos espanhóis, norte americanos e outros povos maravilhosos, que vivem da morte e desestruturação social dos povos.

Responder

Roberto Locatelli

08/07/2011 - 11h07

Em tempos de crise do capitalismo, a direita tenta criar um universo paralelo. Nesse outro mundo, o Brasil está afundando no Oceano Atlântico, e só o Zé Bolinha de Papel (ou o Aébrio Neves) terá sabedoria para salvá-lo.

Nesse mundo imaginário, trabalhadores que exigem salário digno estão sob efeito de drogas.

Detalhe: o valor atual do piso que os tucanos não querem pagar é de ralos R$ 1.187,97 para 40 horas semanais. E depois dizem que se preocupam com Educação.

Responder

mauro ramos

08/07/2011 - 11h03

ta falando do Aecio,ne,Ze Maia?

Responder

Titina

08/07/2011 - 11h01

A certeza de impunidade (imunidade parlamentar) é tão grande que, pouco lhes importa quebrar o decoro parlamentar com injúrias e difamações contra os profissionais da educação. O problema para esse tipo de político é que, professores de educação pública, são profissionais que tendo sua capacidade pedagógica otimizada, transformam as camadas menos beneficiadas em cidadãos críticos. Não há interesse em tornar a grande massa esclarecida e pronta a reivindicar seus direitos. São os coronéis mineiros em ação.
Titina

Responder

    Elton

    08/07/2011 - 16h54

    Quanto à impunidade, vide caso Bolsonaro……

Lucas

08/07/2011 - 10h50

Interessante. Ele usa os mesmos argumentos que o Qadaffi usou durante os protestos dele.

Responder

    Roberto Locatelli

    09/07/2011 - 20h35

    Rapá, é verdade!! O Kadaffi usou EXATAMENTE esse "argumento"!!

Marcelino Adami

08/07/2011 - 10h37

Eterna saudades de Lise

Responder

Deixe uma resposta