VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Após demonstrar que não lê o próprio jornal, Folha some com noticiário sobre a “piscina do Lula no Alvorada”
Denúncias

Após demonstrar que não lê o próprio jornal, Folha some com noticiário sobre a “piscina do Lula no Alvorada”


14/11/2016 - 14h52

Folha e piscina 2

Da Redação

Nesse domingo (13/11), a Folha denunciou na capa da edição impressa: PF investiga se Odebrecht fez reforma de piscina para Lula.

Diz o texto:

A Polícia Federal investiga suspeitas de que a Odebrecht fez uma reforma na piscina do Palácio da Alvorada durante o segundo mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sem ter contrato com o governo e sem que a obra tivesse registro público.

Indícios de que isso ocorreu foram encontrados após análise de mensagens trocadas em 2008 pelo então presidente da empresa, Marcelo Odebrecht, com outros executivos investigados por causa de seu envolvimento com o esquema de corrupção revelado pela Operação Lava Jato.

A nova frente de investigação pode reforçar as acusações da Lava Jato contra o ex-presidente Lula. O petista responde a três inquéritos, que investigam favores e pagamentos que ele recebeu de empreiteiras como a Odebrecht após deixar o governo.

Se as novas suspeitas forem confirmadas, seria uma evidência de que o ex-presidente recebeu favores também no exercício do mandato, quando os negócios das empreiteiras receberam impulso do governo no Brasil e no exterior.

Documentos aos quais a Folha teve acesso confirmam que uma reforma foi realizada na piscina do Alvorada na época das mensagens encontradas pela polícia. Funcionários da Presidência da República e pessoas ligadas à Odebrecht confirmaram à reportagem que a empreiteira fez a obra sem ter contrato.

Poucas horas depois o jornalista Leandro Fortes desmontou em sua página na rede social o factoide.

Leandro descobriu que a própria Folha já tinha noticiado a reforma em 2006 e o pedido público de Lula, solicitando ajuda dos empresários.

folha 2006

Ou seja, com a matéria desse domingo sobre a piscina do Alvorada, a Folha demonstra que não lê a própria Folha.

Há pouco Leandro descobriu mais esta:

Leandro

Veja também:

Destruição a Jato. Assista!

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



46 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

FrancoAtirador

19 de novembro de 2016 às 09h07 Responder

RONALD

16 de novembro de 2016 às 11h43

Folha está mais para Quadrinhos. Só os que adoram bajular os bagos da direita que os oprimem, leem !!!!!

Responder

    RONALD

    16 de novembro de 2016 às 11h45

    Perdão, corrigindo: não são os bagos que os oprimem, mas a direita que os oprime, rsrs.

Praxedes

16 de novembro de 2016 às 07h48

EM GOIÂNIA, PAI MATA PRÓPRIO FILHO APÓS DISCUSSÃO SOBRE OCUPAÇÃO DAS ESCOLAS

Com a disseminação do ódio, a destruição dos valores morais e da justiça, chegamos finalmente ao nível de violência tantas vezes almejado pela Globo e pelos fascistas golpistas.

http://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/em-goiania-pai-mata-proprio-filho-apos-discussao-sobre-ocupacoes-em-escolas-80119/

Responder

    RONALD

    16 de novembro de 2016 às 11h47

    Praxedes, Temer LULIA é a filial do anticristo !!!!

FrancoAtirador

16 de novembro de 2016 às 07h21

.
.
Há Tempos, @s Jornalistas do Cartel de Mídia Haviam Perdido a Ética.

Agora, sob Patrocínio do Governo do Fantoche, Perderam a Vergonha.

https://twitter.com/Lalolealfilho
https://twitter.com/Lalolealfilho/status/798709204932591616

http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-ancora-willian-correa-afundou-o-roda-viva-sem-se-dar-conta-por-paulo-nogueira/
.
.

Responder

Miriam Lopes

15 de novembro de 2016 às 22h58

Sim, realmente são muitas as provas contra o Lula, está então é a pior, receber propina para reformar piscina em imóvel público da união. kkkk

Responder

FrancoAtirador

15 de novembro de 2016 às 21h56 Responder

Garoto

15 de novembro de 2016 às 20h43

O padrão jornalismo da invisibilidade, por Pedro Rafael Vilela
O Jornal de todos Brasis
http://jornalggn.com.br/noticia/o-padrao-jornalismo-da-invisibilidade-por-pedro-rafael-vilela

TER, 15/11/2016 – 11:10

do FNDC – Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação

O padrão jornalismo da invisibilidade

por Pedro Rafael Vilela

Meios de comunicação adotam estratégia da ocultação e criminalização na cobertura das manifestações do Dia Nacional de Greve, na última sexta-feira

Não é a primeira vez, nem será a última, mas não deixa de ser simbólica a (não) cobertura da mídia brasileira sobre os protestos e paralisações de diversas categorias profissionais ocorridos em mais de 21 estados e no Distrito Federal, na última sexta-feira (11), no Dia Nacional de Greve. Os atos, organizados por movimentos sociais e pelas principais centrais sindicais do país, contou com a participação de dezenas de milhares de trabalhadores e trabalhadoras, além de estudantes, que interromperam suas atividades em setores como transporte público, limpeza urbana, bancos, escolas e indústria, e foram às ruas das maiores cidades brasileiras para protestar contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 55, em tramitação no Senado. Se aprovada, essa PEC vai impor um congelamento nos gastos públicos, como saúde, educação, cultura e saneamento básico pelos próximos 20 anos, uma tragédia em termos de direitos sociais sem precedentes na história do Brasil.

Uma mudança constitucional tão drástica, num país que tivesse um sistema de comunicação plural e diverso, deveria gerar, para dizer o mínimo, um intenso debate na sociedade, com participação maciça da própria mídia na visibilidade e no esclarecimento das reais implicações da medida. Não é o que ocorre no Brasil.

A irrealidade da mídia

Em um de seus ensaios mais célebres, o jornalista e sociólogo Perseu Abramo descreveu com acuidade as múltiplas formas de manipulação da informação por parte da imprensa. Ao distinguir os quatro padrões básicos de distorção da realidade praticados pela mídia, Abramo chama a atenção para o padrão de ocultação, um dos mais recorrentes. Em suas próprias palavras, “é o padrão que se refere à ausência e à presença dos fatos reais na produção da imprensa. Não se trata, evidentemente, de fruto do desconhecimento, e nem mesmo de mera omissão diante do real. É, ao contrário, um deliberado silêncio militante sobre os fatos da realidade”.

Um outro padrão concebido por Perseu Abramo, o da fragmentação, tem a ver com a forma como a mídia, ao noticiar um fato, decompõe a totalidade desse fato, operando um processo de seleção de alguns aspectos, em detrimento de outros. É o que ocorre, por exemplo, quando a ênfase das matérias trata apenas das consequências dos bloqueios no trânsito e fechamento de rodovias, como que opondo os objetivos dos manifestantes ao do conjunto da população. Ao mesmo tempo que ressalta esse aspecto, silencia sobre as motivações das paralisações e se recusa até mesmo a dar voz aos envolvidos nas mobilizações para dialogue com a sociedade. Trata-se de uma inversão rasteira dos fatos e da própria realidade, mas que é absolutamente corriqueira na cobertura da mídia. Basicamente, esses dois padrões de manipulação, facilmente verificáveis, deram a tônica do noticiário na (não) repercussão das manifestações e paralisações no Dia Nacional de Greve. O Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) acompanhou com atenção a cobertura das principais redes de televisão, jornais e portais de notícias ao longo da sexta-feira e no dia seguinte. O resultado? Um tapa na cara da democracia e um descompromisso brutal com o direito à comunicação e informação da população brasileira.

Televisão: a gente não se vê por aqui

As principais emissoras de televisão aberta parecem ter disputado entre si o título de quem mais ignorou as expre

ssivas mobilizações do Dia Nacional de Greve. O Jornal Nacional, da Globo, noticiário de maior audiência na tevê brasileira, decidiu simplesmente não exibir um segundo sequer dos atos que paralisaram algumas das maiores cidades do país, apostando forte na estratégia da ocultação. Na opinião de Perseu Abramo, em seu ensaio sobre manipulação da grande imprensa, a mídia é mais perversa por aquilo que ela não veicula do que por aquilo que leva ao ar. É como se ela definisse os fatos sociais que merecem ser considerados fatos jornalísticos ou não. “Todos os fatos, toda realidade pode ser jornalística, e o que vai tornar jornalístico um fato independe de suas características reais intrínsecas, mas depende, sim, das características do órgão de imprensa, de sua visão de mundo, de sua linha editorial”.

A Globo News, canal de notícias das Organizações Globo na televisão por assinatura, que, durante as manifestações pró-impeachment de Dilma Rousseff dedicava praticamente a totalidade de sua programação aos protestos, dessa vez apenas cumpriu um lamentável protocolo de cobrir com distanciamento e até desprezo os atos do Dia Nacional de Greve. Exibindo notas curtas e panorâmicas ao longo de sua programação, sem sequer ouvir os porta-vozes dos atos, a emissora deu ênfase justamente às interrupções no trânsito e paralisação dos transportes públicos em cidades como São Paulo e Brasília. No programa Estúdio I, que se define pela característica de noticiário com análise, e vai ao ar de segunda à sexta, às 14h, a cobertura dos protestos seguiu a lógica de relatar superficialmente os acontecimentos. No momento de analisar a notícia, os participantes do programa praticamente ignoraram as causas do protesto e logo mudaram de assunto. Para se ter uma ideia, o programa dedicou mais tempo à matéria sobre o site de dicas econômicas de moda da filha do Donald Trump do que à repercussão da greve nacional, incluindo aí os comentários de estúdio.

No Jornal da Record, uma nota de 37 segundos, lida pelo apresentador, apenas mencionou protestos de estudantes e servidores do Rio de Janeiro contra atrasos nos salários por parte do governo estadual, com ênfase na repressão da Polícia Militar. O Jornal da Band, levado ao ar na noite da sexta-feira (11), como que reconhecendo a dificuldade em ignorar as manifestações, optou por um caminho misto, entre a ocultação e a distorção com doses generosas de criminalização da manifestação política e do próprio direito de greve. Na matéria de um minuto e 10 segundos, o telejornal enfocou imagens das manifestações pela ótica da paralisação do transporte público e bloqueio de ruas e rodovias, ressaltando a ideia de que os protestos “atrapalharam muita gente”. Os dois únicos entrevistados foram pessoas que criticaram as interrupções no trânsito, e não houve qualquer menção mais clara sobre os motivos do protesto.

Já o SBT Brasil, dentre os principais telejornais, foi o que exibiu a matéria mais equilibrada. Com 4min27 de duração, a reportagem seguiu a ênfase de relatar criticamente os bloqueios e paralisações de rodovias na primeira parte da matéria, mas foi a única a dar voz para lideranças dos movimentos (Raimundo Bonfim, da Central de Movimentos Populares e Rodrigo Rodrigues, secretário-geral da CUT Brasília). Destacou passeatas e protestos de estudantes e professores no Rio Grande Sul, que resultaram em forte repressão da Brigada Militar. Bom lembrar que diversas categorias de servidores estaduais do RS sofrem com salários atrasados há meses. A própria Brigada Militar, que reprimiu os protestos, corre o risco de nem sequer receber o 13º salário em decorrência da política de austeridade do governo Ivo Sartori (PMDB-RS), que tem penalizado principalmente os serviços públicos no estado.

Ocultação nos jornais

Os três maiores jornais impressos do país, em suas edições publicadas no sábado (12), decidiram deliberadamente ignorar os atos ocorridos no dia anterior. Até mesmo a Folha de S. Paulo, que se vende como veículo aberto ao debate e que busca exibir diversos pontos de vista políticos diferentes, não dedicou uma linha sequer ao assunto. No jornal O Globo, da família Marinho, idem. O Estadão, tido como o mais conservador entre os três, publicou uma nota pequena, na página interna B3, de economia, com cerca de 10 linhas, praticamente um registro dos protestos, e não uma cobertura. Nos portais de notícias UOL e G1, foram publicadas matérias sobre os protestos, repetindo a fórmula panorâmica de descrição dos atos a partir do ângulo das interrupções no transporte e paralisação das rodovias. Nenhuma dessas matérias ganhou destaque na página principal desses portais. Para encontra-las, os interessados teriam que buscar principalmente na página de últimas notícias ou no buscador do próprio site, o que diminui muito o potencial de audiência dessas notícias.

Censura privada na TV pública

Se o comportamento dos veículos privados de comunicação não chega a surpreender, foi lamentável constatar que as mesmas fórmulas de ocultação e cobertura superficial se aplicaram também à matéria exibida pela TV Brasil, emissora da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), no seu principal telejornal, o Repórter Brasil, na noite de sexta-feira. Em menos de dois minutos, a “reportagem” exibiu trechos dos protestos e paralisações em diversos estados. Novamente, destaque para os bloqueios de rodovias e paralisações no transporte público e nas escolas. Nenhum porta-voz dos trabalhadores foi ouvido para contextualizar o significado daqueles atos. Oferecer mecanismos para debate público acerca de temas de relevância nacional, como preconiza a lei de criação da EBC, mandou lembranças dessa vez. Esse episódio não parece estar desconectado da grave intervenção promovida por Michel Temer sobre a EBC, que praticamente eliminou as garantias de autonomia e independência de sua programação frente ao governo, ao extinguir principalmente o Conselho Curador e os mandatos do diretor-presidente e do diretor-geral.

O contraponto

Coube aos meios de comunicação alternativos oferecer uma cobertura decente e proporcional ao tamanho das paralisações e mobilizações da última sexta-feira. Apenas para ficar em um dos exemplos mais expressivos, a Mídia Ninja utilizou seus canais nas redes sociais para distribuir, ao longo de toda a sexta-feira, um rico conteúdo das manifestações, que incluía, principalmente, vídeos e fotos, com registro de paralisações em mais de 20 cidades, incluindo diferentes categorias: metroviários, rodoviários, professores, estudantes, trabalhadores da limpeza urbana, e muito mais. Vale destacar que, ao contrário da cobertura televisiva, onde as filmagens se deram com distanciamento, partir do topo de edifícios ou do alto dos helicópteros, a cobertura da Mídia Ninja se dá diretamente das manifestações, abrindo espaço para falas dos trabalhadores e capturando uma dimensão mais orgânica do significado desses atos. O portal Brasil de Fato também publicou dezenas de matérias e postagens destacando a abrangência das paralisações em todo o país.

Esse contraponto só reforça uma conclusão inevitável: a grande imprensa só não cobriu o Dia Nacional de Greve porque não quis. Ou melhor, porque tratou-se de uma deliberada decisão editorial de ignorá-lo e, com isso, alienar ainda mais o conjunto da sociedade sobre o debate do presente e do futuro do país. Não há democracia sem mídia democrática. E, sem democracia, não se constrói um país justo. Re-existir sempre, calar jamais!

Pedro Rafael é jornalista, mestre em comunicação pela Universidade de Brasília (UnB) e secretário-executivo do FNDC.
Colaboraram Bia Barbosa e Renata Mielli.

Tags

Responder

Cafu

15 de novembro de 2016 às 20h22

A ISTO É Dinheiro também sumiu com a matéria “Resgate Histórico”, assinada por Rodolfo Borges e escrita anos atrás. A reportagem trazia detalhes sobre a reforma, inclusive custos e patrocinadores, elogiava o resultado da restauração do Alvorada e continha uma entrevista com D. Marise sobre assunto.

http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/5911_RESGATE+HISTORICO

Responder

FrancoAtirador

15 de novembro de 2016 às 20h09 Responder

FrancoAtirador

15 de novembro de 2016 às 19h30

.
.
A Eleição de um Presidente Racista nos Estados Unidos da América,

em Pleno 3º Milênio Depois de Cristo, têm sido Altamente Instrutiva

para Evidenciar ao Mundo Todo a Tragédia Civilizatória Ocasionada

pela Globalização do Mercado Financeiro e das Mega-Corporações

por Aplicação Indiscriminada da Teoria da Desregulação Econômica.
.
Aqui na Colônia braZil, por exemplo, até mesmo Jornalistas da Globo
já foram Autorizados pelos Filhos Sem-Nome do Roberto Marinho

a afirmar – embora entre dentes – que o Neoliberalismo Fracassou
na União Européia e, agora, na Maior Democracia do Sistema Solar,

os United States of America, levando Milhões de Trabalhadore(a)s
[email protected] ao Desemprego e, por Consequência, à Pobreza.

E, mais, Famílias Inteiras da Classe Assalariada foram Abandonadas
pelo Estado, Sem Qualquer Assistência Médica e Previdência Social.

Donald Trump é o Produto Acabado do Sistema Impiedoso e Cruel
Idealizado na Gestão Reagan como sendo ‘Uma Ponte para o Futuro’,

que foi Mantido e Ampliado pelo Partido Democrata até a Crise Fatal,
e que hoje, na Contra-Mão da História, está Aqui em Implementação.
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    15 de novembro de 2016 às 19h43

    .
    .
    Detalhe

    Verifica-se que Neste Instante da Apuração das Eleições Presidenciais dos EUA,

    a Association Press (AP) informa que a Candidata que Perdeu o Pleito Eleitoral

    está 800 Mil Votos à Frente do Candidato Eleito Presidente dos Estados Unidos.

    Hillary Clinton = 61,32 Milhões de Votos (47,85%)

    Donald Trump = 60,52 Milhões de Votos (47,23%)
    .
    E Viva a Democracia Representativa Ocidental! [Dããã…]
    .
    http://especiais.g1.globo.com/mundo/eleicoes-nos-eua/2016/apuracao
    .
    .

Marivaldo do carmo silva

15 de novembro de 2016 às 16h06

Tem que; fechar pra balanco passar um pente fino e o que sobrar de bom iniciar 6ma nova policia sem vicios sem odios e sem preconceito contra pobres favelados e negros e sem subserviencia aos abastados.

Responder

Cláudio

15 de novembro de 2016 às 13h13

:
: * * * * 13:13 * * * * .:. Ouvindo As Vozes do Bra♥♥S♥♥il e postando: A grande mídia (mérdia) é composta por sabujos sujos e sabujas sujas a serviço dos ianque$ e do $ionismo de capital especulativo internacional e outras máfias (como a ma$$onaria) dos e das canalhas direitistas…
.
PARA A ENÉSIMA PUTifARIA ( patifaria + putaria ) DA DIREITA:
Foi com muito cálculo que se preparou mais essa para o PT (e/ou as esquerdas, o progressismo/trabalhismo). E, ao que parece, o partido não contava nem se preveniu para essa eventualidade. Aliás, é estranho o número de vezes que o PT é pego de calças curtas, desprevenido e perplexo. E, o que mais espanta, é que seus inimigos nem parecem ser tão espertos assim.
.
AS MORDOMIAS DOS MARAJÁS EM PÉ DE GUERRA:
Os 17 mil juízes receberam em média 46,1 mil por mês em 2015;
Os 1,2 mil promotores e procuradores de Justiça recebem salário máximo teórico de 33,7 mil mensais;
Magistrados e promotores têm auxílio-moradia de 4,3 mil mensais. Se morarem juntamente com um cônjuge que também tem direito a auxílio, ambos recebem da mesma forma;
Todos têm 60 dias de férias por ano e, em caso de trabalho fora do local, uma diária equivalente a 1/30 da remuneração mensal;
Pena máxima em caso de punição disciplinar: aposentadoria compulsória com salario integral (i$$o é punição mesmo ou é premiação ?…)
.

Poesia contra a distopia (Distopia = Ideia ou descrição de um país ou de uma sociedade imaginários em que tudo está organizado de uma forma opressiva, assustadora ou totalitária, por oposição à utopia. “Distopia”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/distopia [consultado em 01-10-2016].)

::
O fetiche da mercadoria
ou
dA coi$ificaçãØ do ser humano
……………………………………………………………para o poetamigo e Doutor em Comunicação Laerte Magalhães
.
.
………………………………………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØ
…………………………………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØ
……………………………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØØØ
………………………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØØØØØ
…………………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØØØØØØØ
……………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØØØØØØØØØ
…………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØØØØØØØØØØ
…………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØØØØØØØØØØ
…………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØØØØØØØØØØ
…………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØØØØØØØØØØ
…………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØØØØØØØØØØ
…………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØØØØØØØØØ
…………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØØØØØØØ
…………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØØØØØ
…………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØØØ
…………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØØØ
…………………………..ma$$ificaçãoma$$ificaçãoma$$ificaçãØ
…………………………………………………………………………………………………………(Cláudio Carvalho Fernandes)
.
O poema acima (O fetiche da mercadoria…) apresenta-se, no original, em forma de cubo, o protótipo da mercadoria.
::
Desalienando a ma$$ificação coi$ificante
.
É melhor
Ser um, mesmo que zero, à esquerda
Do que, títere-palhaço, a-penas (só) faz-ser nú-mero$-$$ à direita
…………………………………………….(Cláudio Carvalho Fernandes)
::
Poema Z
…………………………………………….Para Dilma, Lula e o PT e todas as forças progressistas brasileiras (e mundiais). Sinta-se homenageado/a, também.
.
Penso
Logo(S)
ReXisto
…………………………………………….(Cláudio Carvalho Fernandes)
::
Sempre
.
A vida
Entre duas pedras:
Sobre
Viver
Ou
Morrer
Sob…
…………………………………………….(Cláudio Carvalho Fernandes)
::
Tão duro mas tão terno
.
É preciso
Não ter esperança alguma
Para se construir
Da necessidade (de viver, do viver)
Algo melhor
Do que não ter esperança alguma
…………………………………………….(Cláudio Carvalho Fernandes)
::
Doce conformismo ?
Ou
Da “queda” da poesia para a história
.
As coisas são como são
E não como deveriam ser
Penar por elas é em vão (ou não)
(S)E ultrapassa o próprio viver
…………………………………………….(Cláudio Carvalho Fernandes)
::
ReXistência
.
Não deixe que aluguem o seu pensamento:
Simplesmente mude de canal ou desligue a TV
Diga “NãO” à Rede Goebbels
…………………………………………….(Cláudio Carvalho Fernandes)
::
(Em la lucha de clases)
.
Em la lucha de clases
Todas las armas son buenas
Piedras
Noches
Poemas
…………………………………………….(Paulo Leminski)
::
(Não é a beleza)
.
Não é a beleza
Mas sim a humanidade
O objetivo da literatura
…………………………………………….(Salamah Mussa)
::
A existência precede a essência.
…………………………………………….(Jean-Paul Sartre)
::
.:.

* 1 * 2 * 13 * 4
.:.
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
* * * * * * * * * * * * *
* * * *
Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já pra antonti (anteontem. Eu muito avisei…) !!!! Lula (sem vaselina) 2018 neles (que já tomaram DE QUATRO) !!!!
* * * *
* * * * * * * * * * * * *
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Responder

Messias Franca de Macedo

15 de novembro de 2016 às 11h14

… Ainda sobre leitores da ‘Folha’!

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

A Shell anuncia que não colocará dinheiro no país e o governo festeja!, por Rogério Maestri

TER, 15/11/2016 – 08:32

Este governo ou é muito burro ou é muito sem-vergonha!
(…)
O Temer aparece nas fotos sobre o anuncia da Shell rindo, é um verdadeiro palhaço e imbecil.

FONTE [LÍMPIDA!]: http://jornalggn.com.br/blog/rdmaestri/a-shell-anuncia-que-nao-colocara-dinheiro-no-pais-e-o-governo-festeja-por-rogerio-maestri

Responder

FrancoAtirador

15 de novembro de 2016 às 09h23 Responder

Geovani

15 de novembro de 2016 às 06h38

TEMER: MAIS ENROLADO DO QUE CARRETEL DE LINHA 50

OAB vai exigir impeachment do Traíra?

É o checão que pode implodir o Golpe!

publicado 14/11/2016

Do Blog do Altamiro Borges:

OAB pedirá a cassação de Temer?

Aparentemente, o Judas Michel Temer está com a bola toda. Tem maioria folgada na Câmara dos Deputados e no Senado, como revelam as votações da PEC da Morte e de outras sacanagens; conta com o apoio das elites empresariais, que orquestraram e financiaram o “golpe dos corruptos”; e segue blindado pela mídia chapa-branca. Mas, como disse Karl Marx, se a aparência fosse igual à essência não seria necessária a ciência. Nos últimos dias, os sinais de turbulência no covil só aumentaram. Prova disto é a surpreendente nota do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, um dos expoentes da cavalgada pelo impeachment de Dilma Rousseff, que agora já insinua que poderá apoiar o pedido de cassação do usurpador em análise no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Diante da bombástica revelação do cheque nominal da Andrade Gutierrez para Michel Temer, o velhaco golpista decretou neste sábado (12): “É absolutamente necessário e urgente o esclarecimento a respeito do repasse de R$ 1 milhão para a campanha que elegeu a chapa Dilma-Temer. A sociedade precisa saber se esses recursos são legítimos ou fruto de propina. Outro ponto que precisa ser esclarecido é sobre qual conta foi usada para receber o dinheiro. A OAB acompanha com atenção os desdobramentos desse fato para cumprir com rigor sua função de defender os interesses da sociedade e o cumprimento da Constituição. Se necessário, a OAB usará de suas prerrogativas constitucionais para fazer valer os interesses da cidadania [sic]”.

O cheque nominal de R$ 1 milhão

A fotocópia do cheque nominal foi encaminhada ao tribunal pelos advogados de defesa da presidenta Dilma. Ela evidencia que Michel Temer recebeu R$ 1 milhão da Andrade Gutierrez, uma das empreiteiras investigadas pela midiática Lava-Jato, nas eleições presidenciais de 2014. A iniciativa enfraqueceu a tese de alguns ministros do TSE da separação das contas de campanha da presidenta e do seu vice, que visa livrar a cara do golpista. “Os advogados da petista sustentam que Temer não apenas recebeu recursos das empreiteiras, como estava ciente do que ocorria na campanha eleitoral, justificando, portanto, o julgamento da chapa, e não de Dilma e de Temer”, observou o Jornal do Brasil. A defesa também acusou de “falso testemunho” o ex-presidente da Andrade Gutierrez, o mafioso Otávio Azevedo.

Em depoimento prestado no TSE, o empresário disse que a campanha da petista teria recebido o montante. “A defesa de Dilma demonstrou que o delator prestou falso testemunho, num esforço deliberado de prejudicar a ex-presidenta”, afirma Flávio Caetano, coordenador jurídico da campanha de reeleição. O advogado juntou aos documentos a cópia do cheque, no valor de R$ 1 milhão, depositado diretamente na conta da campanha de Michel Temer em 14 de julho de 2014. O dinheiro foi transferido eletronicamente pela Andrade Gutierrez à conta da direção nacional do PMDB, que fez depósito da grana por meio de cheque na conta de campanha do Judas. “Nunca houve a transferência do dinheiro do Diretório Nacional do PT para campanha de Dilma, como havia alegado o delator”, afirmou o advogado.

A iniciativa da defesa da petista complica os planos dos ministros do TSE que pretendiam limpar a barra de Michel Temer. Tanto que o clima no Palácio do Planalto é de forte apreensão, conforme atesta uma notinha da Folha golpista publicada nesta quinta-feira (10): “Um sinal de alerta acendeu-se entre tucanos e integrantes do governo: nos últimos dias, cresceu o temor de que o ministro Herman Benjamin recomende a cassação da chapa Dilma-Temer, sem separação de presidente e vice. Benjamin é o relator das ações no TSE e já se fala que seu voto não demorará a ser divulgado. Para auxiliares de Michel Temer, uma recomendação dessa natureza geraria incertezas no mercado financeiro, ainda que ela precise ser ratificada pelo restante da corte”. Ou seja: a batata do golpista pode estar assando!

A gráfica do amigo de Eliseu Padilha

Além do cheque nominal, outra denúncia complica a vida do usurpador. O site UOL postou na semana passada que o comitê da campanha de Michel Temer pagou quase R$ 2 milhões a uma gráfica cujo dono é cliente do escritório de advocacia do ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. De acordo com a reportagem, a Noschang Artes Gráficas tem sede em Tramandaí, cidade gaúcha onde o peemedebista foi prefeito entre 1989 e 1992. O proprietário da empresa é Paulo Noschang, que contratou o escritório de advocacia em 2011 para se defender das acusações de que faria parte de um esquema de desvio de verbas destinadas à educação após a deflagração da Operação Cartola.

Ainda segundo o UOL, documentos disponibilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral referentes à prestação de contas de 2014 do comitê de campanha de Michel Temer mostram que houve 39 pagamentos à empresa de Paulo Noschang entre 7 de agosto e 17 de outubro de 2014. Somados, eles totalizam R$ 1.988.716,00 (66% de tudo o que a empresa recebeu em 2014 por serviços prestados a campanhas eleitorais). Em apenas dois anos (2014 e 2015), a Noschang recebeu R$ 2,839 milhões do comitê de campanha de Michel Temer e da Fundação Ulisses Guimarães – que era presidida por Eliseu Padilha.

Diante de tantas denúncias, será que a golpista OAB “usará de suas prerrogativas constitucionais para fazer valer os interesses da cidadania”. A conferir!

Responder

Roberto

15 de novembro de 2016 às 06h22

Lula fez O CONTRÁRIO de Aécio. O mineirinho usou dinheiro PÚBLICO para construir um aeroporto privado para seu próprio uso. LULA captou dinheiro de empresas para conservação de patrimônio público. Aliás, a UNESCO reconheceu Brasília como patrimônio cultural da humanidade.

Responder

FrancoAtirador

15 de novembro de 2016 às 06h04

.
.
18/06/2012 12:55
RBA
.
Bolsa Família Contribui para Redução de Delitos em São Paulo
.
Um Estudo da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio),

realizado na Cidade de São Paulo, evidenciou que a Expansão do Programa

Bolsa Família foi Responsável pela Queda do Índice de Criminalidade na Capital.
.
A Redução da Desigualdade Proporcionada pelo Programa Federal [Lulo-Petista]

é, segundo o levantamento da PUC, a Principal Causa para a Redução da Violência.
.
O trabalho, feito para o Banco Mundial, comparou número de registros de ocorrência
de vários crimes – roubos, assaltos, agressões, atos de vandalismo etc., de 2006 a 2009,
em áreas de cerca de novecentas escolas públicas da cidade, antes e depois da expansão do Bolsa Família.
.
Em 2008, o Bolsa Família, que até ali atendia a famílias com adolescentes até 15 anos,
passou a incluir famílias com jovens de 16 e 17 anos.
.
“Comparamos os índices de criminalidade antes e depois de 2008 nas áreas de escolas
com ensino médio com maior e menor proporção de alunos beneficiários de 16 e 17 anos.
Nas áreas das escolas com mais beneficiários de 16 e 17 anos,
e que, logo, foi onde houve maior expansão do programa em 2008,
houve queda maior”, explicou o pesquisador João Manoel Pinho de Mello.
.
Pinho de Mello citou números conclusivos sobre o impacto do Bolsa Família
nos números da violência urbana em São Paulo:

“Pelos cálculos que fizemos, essa expansão do programa foi responsável
por 21% do total da queda da criminalidade nesse período na cidade,
que, segundo as estatísticas da polícia de São Paulo,
foi de 63% para taxas de homicídio.”
.
O motivo principal, dizem os autores, foi a queda da desigualdade
causada pelo aumento da renda das famílias beneficiadas.

“Há muitos estudos que ligam queda da desigualdade à queda da violência:
uma, mais sociológica, é que diminui a insatisfação social;
outra, econômica, é que o ganho relativo com ações ilegais diminui”,
relatou Rodrigo Soares, co-autor da pesquisa (ao lado de Laura Chioda).

“Outra razão é que muda a interação social dos jovens,
ao terem de frequentar a escola e conviver mais com gente que estuda”,
completou.
.
Um dos principais pesquisadores do país sobre Bolsa Família, Rodolfo Hoffmann,
professor de Economia da Unicamp, elogiou o estudo da PUC-Rio.

“Há ali evidências de que a expansão do programa contribuiu para reduzir
principalmente os crimes com motivação econômica.

De 20% a 25% da Redução da Desigualdade no País
podem ser Atribuídos ao Programa Bolsa-Família;

mas há Mais Fatores, como Maior Valor Real
do Salário Mínimo e Maior Escolaridade.”
.
http://www.redebrasilatual.com.br/cidades/2012/06/bolsa-familia-contribui-para-queda-da-violencia-em-sao-paulo-diz-estudo
.
.

Responder

FrancoAtirador

15 de novembro de 2016 às 00h03

.
.
#PáraTudo #OcupaTudo #Ocupar&Resistir

Universidade Federal do Espírito Santo em Greve Geral

Avenidas da Capital Vitória Ocupadas por Manifestantes

https://twitter.com/ocafezinho/status/798338837919498240
https://twitter.com/ocafezinho/status/798338647053385728
.
.

Responder

FrancoAtirador

14 de novembro de 2016 às 23h25

.
.
#CalExit https://youtu.be/bxzlsz3POpQ

California Wants To Exit USA Now That Donald Trump Is President
.
.

Responder

Nelson

14 de novembro de 2016 às 22h19

“Tempos sombrios: Fumaça de campos de petróleo atacados pelo Estados Islâmico barra luz solar e intoxica iraquianos”. Preocupação seletiva com os iraquianos.

Em 2003, as forças da Otan – capitaneadas pelos EUA – invadiram e ocuparam o Iraque e passaram a bombardear o país com bombas à base de urânio “empobrecido”, um dejeto altamente tóxico e que só degrada na natureza em nada menos que 4,5 bilhões de anos. [Urânio empobrecido, arma de extermínio da humanidade – http://resistir.info/eua/leuren_moret_entrev.html%5D

Esse urânio provocou a explosão de casos de tumores, leucemias, cânceres e do nascimento de crianças deformadas no país árabe. [Urânio empobrecido: Um crime de guerra dentro de uma guerra criminosa – http://resistir.info/iraque/du_21mar10.html%5D. E os órgãos da mídia hegemônica – Folha incluída – em momento algum demonstraram qualquer preocupação com a intoxicação do povo iraquiano.

Portanto, o que temos agora é uma cínica, hipócrita e abjeta preocupação seletiva para com o povo iraquiano da cidade de Mossul, que está, outra vez submetido a bombardeios assassinos da forças da Otan. Bombardeios perpetrados a mando de governos que, costumeiramente, fazem juras de amor eterno à democracia e à liberdade e de paixão pelos direitos humanos.

Responder

Jair de Souza

14 de novembro de 2016 às 21h43

Não devemos fezer-nos ilusão de que os donos da Folha estão se sentindo ridículos. Nada disso. A forma de agir da Folha e de dos outros órgãos das corporações midiáticas a serviço do grande capital é meticulosamente estudada e sempre visa gerar efeitos conformes com seus interesses. Eles sabem muito bem que não têm nenhuma credibilidade junto às pessoas conscientes e honestas, mas também sabem que entre seus seguidores não existe nenhuma preocupação com provas de malfeitorias praticadas por Lula e o PT, tudo de mal que aparece sobre eles vêm de encontro ao reforço de seus preconceitos. Assim, ler a Folha (ou acompanhar os outros órgãos das corporações) serve como um estimulante no cultivo de seu ódio profundamente enraizado. Os donos da Folha também sabem que junto àquela parcela da população que, apesar de não lhe ser adeptas, tem como única fonte de informação os meios corporativos, o efeito perverso vai se fazer sentir. É a tal história do “Onde tem fumaça, tem fogo”. Por isso, é preciso admitir que eles levam vantagem, mesmo quando suas práticas são as mais sórdidas. É lamentável, mas é assim que eles sabem tirar proveito do imenso poder de concentração que dispõem.

Responder

FrancoAtirador

14 de novembro de 2016 às 20h45

.
.
“Mera Constatação”

“Agora, a Maioria dos Meios de Comunicação Está Naquela Fase de Transição:

do Modo de Campanha – Negligente e Mesquinho – para Covarde e Corrupto”

Paul Krugman, via @Viomundo

https://twitter.com/paulkrugman/status/798227960037830656
.
.

Responder

Nicola

14 de novembro de 2016 às 19h56

O jornal publicou uma carta minha hoje. Sugiro ao Lula que ponha esta imprensa marron na justiça. E o que acontece com este “repórter? ” Nada?

Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

14 de novembro de 2016 às 19h48

Essa é a preocupação que eles tem com a verdade. Jornaleco de boteco. Até os jornais dos moradores de rua aqui de Porto Alegre tem credibilidade e essas antas fazem esse jornal escroto. Os Frias só entram em fria!

Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

14 de novembro de 2016 às 19h44

Essa doeu. Nem a Folha lê o jornaleco da Folha. Só coxinhas, mas estes não tem memória.

Responder

FrancoAtirador

14 de novembro de 2016 às 19h34

.
.
Donos das Empresas de Comunicação Estimulam as Ações Fascistas no braZil.
.
Jornalismo de Factoides Policialescos no Cartel Empresarial das Comunicações

Generaliza a Criminalidade, Maximiza a Insegurança, Fascistizando a Sociedade,

para Justificar a Ação Repressiva e Converter a Exceção da Força Bruta em Regra.
.
.
Nas 24 Horas do Dia é Disparada a Metralhadora Giratória sobre Pequenos Delitos
Praticados por Pessoas Pobres – como a Estudante que perdeu o Emprego e passou
a Vender Docinhos preparados com Cannabis, para continuar pagando a Faculdade –

enquanto são Omitidas as Notícias de Crimes Bilionários Contra a Ordem Tributária
como Fraudes Fiscais, Evasão de Divisas Praticados por Banqueiros e Empresários
Ricaços, incluindo Proprietários de Veículos de Mídia, que detêm o Poder Econômico.
.
.
Subentendidas no Enunciado Nazi-Fascista ‘Bandido Bom é Bandido Morto’
estão Algumas Mensagens Sub-Liminares Como ‘Petista Bom é Petista Morto’.

Logo em Seguida, o Mote é Estendido: ‘Esquerdista Bom é Esquerdista Morto’.
Depois vêm ‘Estudante Bom é Estudante Morto’, ‘Negro Bom é Negro Morto’,

‘Pobre Bom é Pobre Morto’ e, por fim, ‘Humanista Bom é Humanista Morto’.
.
.

Responder

Celso Junqueira

14 de novembro de 2016 às 15h38

Que vergonha. Que jornalismo escroto…

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.