VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Afinal, Globo chama “Revolução” de ditadura, se diz vítima dela mas esconde o parto privilegiado do Jornal Nacional

23 de abril de 2015 às 13h17

21f01520d5393af4732968c1d673fdef

por Luiz Carlos Azenha

O locutor anuncia que a Globo, ao comemorar seus 50 anos, vai mostrar “cenas de novelas proibidas pela ditadura”. Existe aí um avanço: a Globo chamou a ditadura de “ditadura”. É muito diferente dos antigos programas do repórter Amaral Neto — também conhecido como Amoral Nato –, se não me engano aos domingos de manhã.

Neles, ao longo do que agora se tornou “ditadura”, o “governo” fazia milagres — propagados para todo o Brasil pela Globo.

Não faz muito tempo as Organizações Globo admitiram que foi um erro apoiar o golpe de 64. Mais recentemente, no Jornal Nacional, admitiram que na cobertura da campanha das Diretas, nos anos 80, a emissora enfatizou o aniversário de São Paulo num dia em que milhares de pessoas se reuniram na praça da Sé para pedir eleições diretas para presidente.

Sobre o episódio, escrevi no Facebook parafraseando a atriz Kate Lyra, que popularizou a frase fazendo humor na própria Globo:

BRASILEIRO É TÃO BONZINHO…

Os telespectadores do Jornal Nacional estão se desmanchando pelo fato de que a Globo fez mea culpa sobre o episódio das Diretas, admitindo que enfatizou o aniversário de São Paulo quando se tratava de uma gigantesca manifestação por eleições. As pessoas acham lindo quando repórteres com os quais desfrutam de uma intimidade televisiva de décadas recontam a História da emissora com toques de sinceridade, como este. O fato é que por baixo da forma atraente se esconde, de novo, uma grande mentira. O problema não foi APENAS a Globo ter chamado a manifestação das Diretas em São Paulo falando do aniversário da cidade. O fato PRINCIPAL é que a Globo desconheceu completamente todos os comícios anteriores, com milhares de pessoas em várias cidades do Brasil. Isso não é um “erro”, mas um crime jornalístico pelo qual a emissora deveria pedir desculpas sinceras aos telespectadores. Mas, circunscrever os fatos históricos, para vender deles a versão mais palatável para a emissora, na Globo tornou-se uma forma de arte. Não deixa de ser outra forma de manipulação de incautos.

Pois é disso que se trata. A contrição marqueteira da Globo permite à emissora apresentar o “outro lado”, segundo o qual ela foi vítima da ditadura. Na censura às novelas, por exemplo.

Isso permite encobrir o essencial e historicamente verdadeiro: houve uma simbiose entre a Globo e a ditadura militar. Roberto Marinho foi promotor e beneficiário da ditadura. Ainda em 1984, ou seja, mais de 20 anos depois do golpe, escreveu:

materia-o-globo-de-07-10-1984-2008-2

Mas a Globo aposta na desinformação dos mais jovens, que não viveram sob a ditadura, nem acompanharam pessoalmente o comportamento da Globo ao longo da História.

A eles, dedico minhas lembranças dos anos 60 e 70, em Bauru, no interior de São Paulo.

Era o tempo em que a Globo ainda estava em expansão. As imagens da emissora não chegavam a todo o Brasil via satélite. Um coronel do Exército, se não me engano de nome Amazonas, era o encarregado de implantar as torres rebatedoras que transmitiam o sinal da Globo cidade a cidade.

Havia clamor público, na época, por um sinal limpo de TV, já que era irritante ver fantasmas ou as imagens tremidas que nos chegavam, quando chegavam. Era comum que prefeitos da época se propusessem a resolver o problema, em busca de votos.

Havia outras emissoras, mas o sinal da Globo era o mais desejado. A emissora tinha herdado boa parte do elenco da Excelsior, cujo dono Mário Wallace Simonsen vinha sendo escorraçado pelos militares, por não ter apoiado o golpe tanto quanto Marinho.

Era projeto do “governo” — segundo a Globo, que hoje chama de “ditadura” –, por uma questão de segurança nacional, interligar todo o Brasil numa única rede de telecomunicações. E a Globo vinha na esteira da Embratel, a empresa estatal.

Como funcionava o esquema? As prefeituras doavam terrenos, num primeiro momento à Embratel. As torres eram espetadas com dinheiro público. Mas o sinal que carregavam era privado! Foi assim o parto de um telejornal de alcance nacional, o JN!

Já então, um caso de apropriação do público pelo privado. Um caso de simbiose entre um regime e um empresário, que em troca ofereceu uma cobertura jornalística amigável à ditadura, com programas como o de Amaral Neto.

Essa é uma História que a Globo não vai contar em seu especial de 50 anos.

Leia também:

Angela Carrato: Dez razões para “descomemorar” os 50 anos da Globo

Altamiro Borges: O Globo e PSDB em campanha para entregar o pré-sal

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

9 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Álvares de Souaz

23/04/2015 - 21h15

Perderam totalmente a compostura e o senso do ridículo. Realizam encenações que beiram o deboche e o escrache. São pessoas que, ou são definitivamente alienadas do mundo em que vivem, ou agem movidas pela mais perversa má fé, achando que podem iludir eternamente á todos nós.

Responder

Messias Franca de Macedo

23/04/2015 - 19h42

DENÚNCIA GRAVÍSSIMA! I
[Mais] Um escândalo criminoso perpetrado através de uma Concessionária Pública da área de Comunicações!
ENTENDA
Imaginando a patifaria que deve estar ocorrendo nas masmorras IMUNDAS das redações do PIGolpista e fascista, vedei as narinas, e acessei a GloboNews!
Uma coisa medonha!
Aliás, duas coisas medonhas!
Protagonizadas por duas [pseudo]jornalistas em polvorosa!
A âncora Leilane Neubarth “brincando de ping-pong [do mau gosto!]” com a congênere Eliane TACANHêde, a mesma Eliane TUCANêde, para os íntimos de carteirinha &$ dos Mensalões dos tipos ‘Téo Implicante Pereira’
&$ João Dória Junior, ambos “do Alckmin, do (S)erra, do Beto ‘Rincha’, do ‘Aécio Furnas Forever’ et caterva”!
“O ping-pong” desencadeado após a apresentação da matéria acerca do depoimento de hoje do empresário Augusto Mendonça Neto, presidente da Setal Engenharia e executivo da Toyo Setal Empreendimentos, à CPI da Petrobras!
No desespero, a Leilane “deu uma” (sic) de *Dona Maria, a Louca ou Maria Louca!
Sinceramente, eu nunca imaginei que os meus olhos – “que a terra um dia irá comê-los” – presenciassem estúpido desatino!
Não!
Aquilo não era uma jornalista!
Era uma performance pífia de atriz mambembe!
Fala, Leilane “o que os teus patrões barões Marinhos pagam para você vomitar, insolente”!:
“Huuuuumm! [Respirando fundo!] Quando a gente assiste a um depoimento deste, tão real, tão forte, tão transparente… Eu confesso: fico muito envergonhada, mais muito envergonhada!…
[E quase a Leilane “da Globo” (sic) é acometida de uma crise de choro convulsivo!
Em pleno estúdio do jornalismo da emissora!
Jornalismo ou entretenimento?!]
E, simplesmente, omitiram que o empresário afirmou que as delações ao PT eram Legais!
A [Eliane] TUCANêde “achou pouco”, e quis dar uma de defensora da tese esdrúxula de que “a roubalheira na Petrobras começou com os Tucanos [era FHC], mas [sempre o indefectível “MAS”!], a
corrupção mesmo, a corrupção, digamos, criminosa teve início com a ascensão de Lula ao poder”!
Deplorável!
RESCALDO: fiquei com pena dos(das) ‘assinantes’ que ainda se esforçam em acreditar nessas tolices e bravatas insanas!
Messias Franca de Macedo – um matuto ‘bananiense’ “envergonhado pelos que se dizem envergonhados(as)”!
Feira de Santana, Bahia
República de ‘Nois’ Bananas

Responder

Rodrigo Leme

23/04/2015 - 19h36

Por falar em cobrir o essencial é historicamente verdadeiro, saúdo a capacidade do Azenha de produzir conteúdo suficiente para não ter que falar do rombo de 21 BILHÕES na Petrobras. Porque esse vai exigir muita ginástica retórica da blogosfera governista.

Responder

    Alan

    24/04/2015 - 00h35

    Rodrigo, vc podia comentar em blogs e sites menos “chapa branca’, tipo o Implicante e Folha Política. E assim evitar esses “dessabores” com blogs “governistas”.
    Concorda?

    abolicionista

    25/04/2015 - 15h15

    Legal, Rods. A propósito, alguém aí sabe quando vai ser o próximo jogo do Corinthians?

Cláudio

23/04/2015 - 19h13

:
Ouvindo A Voz do Bra♥S♥il e postando: * 1 * 2 * 13 * 4 *************
Um poema (acróstico) para Dilma Rousseff, a depenadora de tucanus :
.
D ilma, coração valente,
I magem de todo o bem em que se sente
L ivre o amor maior pela brasileira gente
M uito humana e inteligente
A PresidentA do nosso Lula 2018 de novo Presidente
:
D ignidade
I ntegridade
L iberdade
M aturidade
A mabilidade
.:.
D uas vezes contra o espectro atro
I nscreveu já seu nome na história
L utando contra mídia venal & Cia e seu teatro
M ulher forte de mais uma vitória
A deixar tucanus na ó-posição de quatro ! ! ! ! de quatro ! ! ! ! de quatro ! ! ! ! DE QUATRO ! ! ! !
.
Outros acrósticos para a Mulher PresidentA que deixou definitivamente os tucanus de quatro:
.
D eixou a tucanalha ó-posição de quatro
I gual a como o Lula já fez
L utando contra o pig & Cia e seu teatro
M antendo a vitória mais uma vez
A pesar do contrário espectro atro.
.
D ona dos seus (e tão nossos) ideais
I ncansável batalhadora pelo bem
L utando pelos brasileiros le(g)ais
M ulher de fibra que vai além
A calentando para todos muito mais.
.
.
**** ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ **** ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥
♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ **** ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ ****
.
Acróstico para Dilma Roussef, a primeira mulher presidenta do Brasil
.
P rimeira mulher na presidência do Brasil
R evolucionária e valente guerreira
E special companheira desse nosso povo civil
S ensível amiga da terra brasileira
I nteligente e dedicada de verdade
D ecidida a mudar a situação nacional
E m uma outra melhor realidade
N a erradicação da pobreza por total
T anta dedicação ao nobre bem humano
A limentada em todo o seu generoso plano
.
D ilma Vana Rousseff, mulher de verdade
I nteligência e sensibilidade social
L ivre como a própria liberdade
M antendo-se sempre no bem ideal:
A mar a toda a humanidade
.
R evolucionária do bem fraterno
O amor de amar sem medidas
U ma guerrilheira de coração terno
S em medo de nada, destemida
S empre lutando por todos pelo melhor
E strela de primeira grandeza
F eliz ser de um sonho maior
F azendo acontecer sua feliz e plena certeza.
.
Autor: Cláudio Carvalho Fernandes (anarcoexistencialismo)
Teresina(PI), 13 de dezembro de 2013 – 13h13min
.
.
.
.
Poema acróstico para Lula, o maior e melhor brasileiro de todos os tempos
.
L ouvemos quem bem merece o mais pleno louvor
U m homem simples como as coisas boas da vida
Í ntimo camarada, nosso irmão e amigo de valor
Z elando sempre pelo bem da humanidade querida
.
I nimigo dos maus, amigo dos bons, trabalhador
N ascido do povo que muito o ama e admira
Á rvore de bons frutos, os de melhor sabor
C onsciência plena de tudo que no mundo gira
I magem perfeita do homem de si senhor
O humano defensor de humana lira
.
L uz de nossa gente, lutador incansável
U m verdadeiro herói do povo brasileiro
L úcido e consciente do mais admirável
A mor pelo ser humano e verdadeiro
.
D igno e sincero, fraterno e muito humano
A migo do povo, honesto e sempre lhano
.
S eja o meu/nosso canto para te louvar
I sso que a voz do povo já disse várias vezes
L ula, o Brasil vive mais feliz só por te amar
V itória da melhor sorte no número treze
A fazer do brasileiro a humanidade a se ampliar.
.
Autor: Cláudio Carvalho Fernandes (anarcoexistencialismo)
Teresina(PI), 09 de dezembro de 2013 – 13h13min
.
**** ************* **** ************* **** ************* **** *************
.
.
************* Abaixo o PIG brasileiro — Partido da Imprensa Golpista no Bra*♥S♥*il, na feliz definição do deputado Fernando Ferro; pig que é a míRdia que se acredita dona de mandato divino para governar.
.
************* Lei de Mídias Já!!!! **** “Com o tempo, uma imprensa [mídia] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma” **** Joseph Pulitzer. **** … “Se você não for cuidadoso(a), os jornais [mídias] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” **** Malcolm X. Ley de Medios Já ! ! ! !
.
************* “O propósito da mídia não é de informar o que acontece, mas sim de moldar a opinião pública de acordo com a vontade do poder corporativo dominante.”. Noam Chomsky.
.
************* “A população geral não sabe o que está acontecendo, e nem sequer sabem que não sabem”. Noam Chomsky.
.
.
.
************* Poemas engajados de Cláudio Carvalho Fernandes (anarcoexistencialismo):
.
.
**** Poema “Desalienando a ma$$ificaçãø Coisificante” /
.
É melhor /
ser um, mesmo que zero, à esquerda /
do que, títere-palhaço, a penas só faz-ser número$ à direita
.
.
.
**** Poema “Bistância” /
.
Tele Visão /
Tele Vazão /
Tele Vazio
.
.
.
**** Poema “Cem Rimas” /
(para o PT e o PSTU) /
.
A vida passa de graça /
E fica ainda mais rica /
Nos olhos de esperança /
Que às mãos multiplicam
.
.
.
**** Poema “Clic” /
.
A luz /
Assombra /
As sombras
.
.
.
**** “Poema Z” /
.
Penso /
Logo(S) /
Rexisto
.
.
.
**** Poema “massa”
.
a cidade cr e s c e
e a gente
desa
par
ec
e . . .
.
.
.
**** Poema “capitolismo”
.
predadores à espreita
muito mais que esperto
tem-se que ser sempre vivo
.
preço da evolução
lei da sobrevivência
juras de a-mor
juros e mais ou menos valia
.
antenas atentas
vigiam os espaços
(e o tempo)
da vida
mínima
nas promoções do dia-a(-)dia
.
é isto o que vinga:
a morte é hereditária…
.
.
.
**** Poema “doce conformismo? ou Da derrocada da poesia para a história”
.
as coisas são como são
e não como deveriam ser
penar por elas é em vão (ou não)
e ultrapassa o próprio viver
.
.
.
Poema de A a Z (POEMAZ)
.
Cantar contra
todo encanto
enquanto tudo
contar contra
.
.
.
**** “Poema Z” /
.
Penso /
Logo(S) /
Rexisto

****
*************

Responder

Julio Silveira

23/04/2015 - 16h38

Rsrsrs, realmente já é alguma coisa. Pode ser dizer ainda, um arrependimento um pouco incipiente. Mas pelo menos parece que começam a sair da marcha do soldado, para uma lenta caminhada em direção a democracia. É um passado que condena, que envergonha tanto que provavelmente prefeririam a negação, mas a verdade é dura a Globo apoiou a ditadura.

Responder

Bacellar

23/04/2015 - 16h33

Pois. Uma história feia, nojenta e inegável.

Responder

Pedro

23/04/2015 - 15h05

É sempre bom divulgar esse vídeo do youtube que mostra claramente como a Globo exaltava e fazia propaganda do regime ditatorial.

https://www.youtube.com/watch?v=YGiQXNf02eQ&feature=youtu.be

Responder

Deixe uma resposta