VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Vladimir Safatle: O “colapso moral” de David Cameron

16 de agosto de 2011 às 16h12

por Vladimir Safatle, na Folha de S. Paulo

Aqueles que se vêem como excluídos da sociedade não têm razão alguma para obedecer às suas normas.

Eis uma colocação trivial que qualquer habitante de metrópoles brasileiras aceitaria. Conhecemos bem tal situação social onde a exclusão e a falta de perspectiva gera a descrença (no melhor cenário) ou a violência (no pior) contra o império das normas sociais.

Muitos gostariam de chamar isso de “sociologismo vulgar”, como se fosse questão de afirmar que onde há pauperização sempre haverá crime.

Talvez seja o caso de simplesmente dizer que a pauperização e o sentimento de ter sido deixado de lado pelo Estado gera, de maneira forte, a desagregação do laço social.

Quando não há nada que sirva de contrapeso a tal processo, é fácil começar a ver carros queimados, lojas quebradas e outros atos de vandalismo.

Nesse sentido, há algo de profundamente cômico em ouvir o premiê britânico, David Cameron, afirmar que a Inglaterra está vivendo um “colapso moral” e que devemos colocar os confrontos em Londres e em outras cidades na conta da ausência de valores como “espírito de equipe, decência, dever e disciplina”.

Sim, as escolas e as famílias não ensinam mais esses grandes valores, mas, segundo o primeiro-ministro, em seu papel de último esteio moral da ilha, “desencorajam o trabalho” e fornecem “direitos sem responsabilidade”. Por muito pouco, não fomos brindados com a idéia inovadora de que as altas taxas de desemprego eram fruto da “preguiça”.

Alguém deveria ter dito a Cameron que ele não é exatamente um bom enunciador contra o colapso moral britânico, ainda mais depois de um de seus principais assessores ser pego envolvido no escândalo que expôs as relações incestuosas entre a política britânica e o magnata da mídia Rupert Murdoch.

Da mesma forma, quando seu governo destrói todo o resto de sistema público de educação e de assistência social após ter pago (com o beneplácito de seu partido) a conta de bancos responsáveis pela crise de 2008, há de se perguntar se o colapso moral vem da City ou de Tottenham.

Pelo menos Cameron mostrou o que o pensamento conservador pode nos oferecer hoje: ladainhas morais em vez de ações enérgicas contra os verdadeiros arruaceiros, ou seja, esses que operam no sistema financeiro internacional.

Enquanto isso não ocorrer, jovens roubando lojas de iPads e tênis continuarão dizendo: não aceitaremos estar fora do unive rso de consumo e sucesso individual que vocês mesmos inventaram. Nós entraremos nele, nem que seja saqueando.

Por isso, antes de cobrar responsabilidades de setores desfavorecidos da população, Cameron deve parar de tentar escapar de suas próprias.

Seumas Milne: Britânico rico tem 273 vezes mais renda que o pobre

Aqui, o artigo de Roger Cohen sobre os Sem Futuro

Apoie o VIOMUNDO

Crowdfunding

Veja como nos apoiar »

O lado sujo do futebol

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Entre os mais vendidos da VEJA, O Globo, Época e PublishNews. O Lado Sujo do Futebol é o retrato definitivo do que acontece além das quatro linhas. Um dos livros mais corajosos da história da literatura esportiva, revela informações contundentes sobre as negociatas que empestearam o futebol nos últimos anos. Mostra como João Havelange e Ricardo Teixeira desenvolveram um esquema mafioso de fraudes e conchavos, beneficiando a si e seus amigos. Fifa e CBF se tornaram um grande balcão de negócios, no qual são firmados acordos bilionários, que envolvem direitos de transmissão e materiais esportivos. Um grande jogo de bolas marcadas, cujo palco principal são as Copas do Mundo.

por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet.

Compre agora online e receba em sua casa!

 

14 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Paulo Nogueira Batista: Brasil tem munição contra a crise | Viomundo - O que você não vê na mídia

21/08/2011 - 17h32

[…] Vladimir Safatle: O “colapso moral” de David Cameron   […]

Responder

Regina Braga

17/08/2011 - 16h03

Graças a Deus que o povo inglês não segue os rumos dos lordes…Senão, imaginem o nível de corrupção,de ganância,de imoralidade que iria se transformar a Inglaterra .Grande parte do povo tbém é como nós brasileiros,disfuncionais.

Responder

Carlos Nunes

17/08/2011 - 09h37

Risco moral foi justamente o que foi adicionado ao sistema financeiro quando se impediu que as instituições financeiras, que fizeram avaliações erradas e se expuseram além de sua capacidade de honrar as dívidas, arcassem com o custo dos seus erros.

Responder

FrancoAtirador

17/08/2011 - 08h24

.
.
Fragmentos

O Sermão do Bom Ladrão, de Padre Antônio Vieira.

"Levarem os reis consigo ao paraíso os ladrões,
não só não é companhia indecente,
mas ação tão gloriosa e verdadeiramente real,
que com ela coroou e provou o mesmo Cristo
a verdade do seu reinado,
tanto que admitiu na cruz o título de rei.
Mas o que vemos praticar em todos os reinos do mundo
é, em vez de os reis levaram consigo os ladrões ao paraíso,
os ladrões são os que levam consigo os reis ao inferno."

"O ladrão que furta para comer, não vai, nem leva ao inferno;
os que não só vão, mas levam, de que eu trato, são outros ladrões,
de maior calibre e de mais alta esfera."

"os ladrões que mais própria e dignamente merecem este título
são aqueles a quem os reis encomendam os exércitos e legiões,
ou o governo das províncias, ou a administração das cidades,
os quais já com manha, já com força, roubam e despojam os povos.

Os outros ladrões roubam um homem; esses roubam cidades e reinos;
os outros furtam debaixo do seu risco; esses sem temor, nem perigo;
os outros, se furtam, são enforcados; esses furtam e enforcam."

http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/livros/r

Responder

João PR

16/08/2011 - 22h54

O que há, Senhor Cameron, é falta de oportunidades.

Tire tudo de um ser humano, só não tire a sua esperança. O neoliberalismo conseguiu tirar tudo, até a esperança dos excluídos da sociedade.

Só falta agora a Inglaterra fazer um muro separando os pobres dos ricos.

Responder

duarte

16/08/2011 - 20h44

Recebi emails de amigos que moram em Londres , eles me mostraram como é distorcido aqui no Brasil o que eles percebem por lá. O poder publico passou anos sem ver o caldeirão multiracial que estava se tornando a capital inglesa, mais de 125 línguas e dialetos falados diariamente e deixaram a bola entrar no gol sem o mínimo esboço de ação para impedir toda a confusão. Imaginem a população destes bairros sem os subsídios de gas e sem os centros culturais fechados pelo governo inglês, vendos seus avós e pais tremendo de frio, isso revolta, gera violência, mas eles não são marginais como a pinta a globo.

Este péssima leitura desta péssiima tv parece querer esconder que um pouco da solução seria manter os programas sociais e dar aos guetos um pouco de cidadania, talvez o ultiimo reduto neoliberal tenha rachado, mas a globo tratra o caso como se fosse uma rebelião de moleques. Com esta forma distorcida e maldosamente interpretada pela globo, me desfaço definitivamento dos botões 10 e 40 de meu controle pelo resto da vida, Feliz foi a inserção da entrevista do sociologo batendo forte nos dois ciborgs da globo que insistiam no levante como um ajuntamento de moleques e não uma revolta com a forma como estavam sendo tratados. A globo pensa que estamos em 70, onde muitas pessoas acreditavam em papai noel.

Responder

Werner_Piana

16/08/2011 - 20h38

Excelente texto. Safatle sempre ótimo.
Fora Cameron! Abaixo oligarcas financistas!

Responder

Leider_Lincoln

16/08/2011 - 19h44

Ele é um conservador, e é isso que eles fazem: se acuados, buscam culpados, não soluções!

Responder

Operante Livre

16/08/2011 - 19h39

O Vladimir diz que " Sim, as escolas e as famílias não ensinam mais esses grandes valores, mas, segundo o primeiro-ministro, em seu papel de último esteio moral da ilha, “desencorajam o trabalho” e fornecem “direitos sem responsabilidade”. Refere-se a "espírito de equipe, decência, dever e disciplina”.

Aí está o perigo. Muitas famílias e corporações ensinam o que nossos governantes demonstram como modelo. E nossos governantes não nos ensinam estes valores, os quais deveriam ser ligados pela solidariedade e fraternidade. O que vemos é a cobrança para que sejamos decentes e disciplinados no cumprimento dos deveres da Equipe DELES, da qual a maioria está marginalizada.

E, só para retomar a entrevista do Darcus Howe (publicado aqui), estes jovens que participam de manifestações populares que resultam de e em conflito não é crime e sim o que os coloca nessa situação de marginais nos processos de participação econômica e política.

A elite não conseguirá sustentar a ideologização (falseamento das justificativas) desses movimentos conflituosos. Ainda bem.

Responder

Operante Livre

16/08/2011 - 19h39

Espírito de equipe?
Os jovens em reivindicação, tem sim, muito espírito de equipe e solidariedade, o que à elite.
Sabem que não fazem parte da equipe do Cameron.

Responder

Fabio_Passos

16/08/2011 - 19h16

Falou e disse.

O colapso moral é dos oligarcas do sistema financeiro que são os donos do rabo de david cameron e de outros políticos farsantes da mesma laia.

Responder

Marcos Roma Santa

16/08/2011 - 18h36

É a mesma coisa aqui, no Brasil. Sexta-feira passada, a TV Record exibiu um canalhíssimo programa de reportagem sobre a relação dos brasileiros com práticas desonestas. Pois bem: todos os casos exibidos na dita reportagem eram protagonizados por gente simples, do povo (taxistas, donas-de-casa, técnicos de aparelhos eletrodomésticos etc.). O tonto do repórter dava-se ares caricaturais de Torquemada, julgando os atos desonestos daquelas pessoas, sem que, em nenhum momento, se discutissem os grandes crimes, os grandes roubos, os grandes golpes cometidos contra essa mesma população, pelos bispos macedos, pelos danieis dantas, pelos sergios cabrais, pelos bradescos, pelos itaús etc. etc. etc deste país. É muito cinismo e muita hipocrisia!

Responder

olney queiroz assis

16/08/2011 - 18h33

Este artigo do Vladimir demonstra a excelência do jornalista. Texto sintético, porém de uma precisão invejável. Todavia, causou-me espanto ter sido publicado na Folha.

Responder

flavio jose

16/08/2011 - 17h55

Aqueles que se vêem como excluídos da sociedade não têm razão alguma para obedecer às suas normas, o que é lamentavel é o Datane atribuir tudo a um simples assassinato da policia de londres. Afirmo que Datena ja era. Mentiu de maneira desmensurada para agradar aos patrões. O tempo dirá com a queda audiencia pela mudança de comportamento

Responder

Deixe uma resposta