Stiglitz: Pacotes de austeridade matam crescimento

Tempo de leitura: < 1 min

O prêmio Nobel de Economia, Joseph Stiglitz, critica os pacotes de austeridade impostos a Portugal, Grécia e Irlanda e defende que governos devem “regular os abusos” cometidos pelos mercados. O economista critica a noção de que os países europeus periféricos são “pecadores” e que devem ser castigados, defendendo que esta é uma visão “mesquinha e parcialmente errada”.

do Esquerda.net, via Carta Maior

Data: 08/07/2011

Joseph Stiglitz, que participará numa conferência em Angola sobre o tema “A Crise Financeira Internacional: Riscos e Oportunidades para Economias Emergentes como Angola”, organizada pelo Sol e que marca o lançamento da revista Foreign Policy neste país, afirmou, em entrevista a esta última publicação, que “a principal razão para os déficits destes países (tal como nos EUA) é a falta de crescimento, que reduz as receitas fiscais e aumenta as despesas”. “Matar o crescimento, como fazem estes pacotes de austeridade é, por isso, contraproducente”, avançou o Nobel da Economia.

Stiglitz defende que os governos devem “encorajar o crescimento” e que deve existir uma maior assistência por parte da Europa aos países com maiores dificuldades, o que incluirá um fundo de solidariedade europeu para a estabilidade, menores taxas de juros e mais investimento.

O economista critica a noção de que os países europeus periféricos são “pecadores” e que devem ser castigados, defendendo que esta é uma visão “mesquinha e parcialmente errada”.

Joseph Stiglitz defende que é necessário que o governo tente regular os “abusos” dos mercados, na medida em que “vivemos num mundo pleno de assimetrias de informação, imperfeições de mercado e de concorrência, assimetrias de poder, fatores externos”.


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

João

deixa ver se eu entendi:

o cara é fera, ganhou prêmio Nobel de economia e vem dizer q "pacote de austeridade" geram recessão!?!?!?

mas isso a minha mãe tb sabe e ninguem discute!!!!!!!!

o prêmio Nobel fala q a "Europa" tinha q ajudar mais… e cobrar menos…

tá certo…

fico feliz em saber q gente inteligente tb fala bobagem!!!

JOSE DANTAS

Interessante que os cientistas criticam muito mais do que sugerem, até porque é muito mais cômodo ser atiradeira do que vidraça, em qualquer circunstância.
Aí quando se pergunta o que fazer, as soluções geralmente dependem de intermináveis análises, cujos resultados, quando aparecem, são contestados por outra leva de sabidos e por aí vai.
Enquanto isso, vida que segue, sob a batuta da realidade. As mordomias nas grandes potências inviabilizaram os preços dos seus produtos em relação ao que se produz, Deus sabe como, em países como a China, em consequência de uma globalização que não contava com uma via de mão dupla.
Ou seja, o mundo globalizado ficou muito pequeno e a pechincha funciona entre continentes como nos mercadinhos de uma comunidade qualquer. É o salve-se quem puder, enquanto não apelarem para a força bruta.

EUNAOSABIA

"""o que incluirá um fundo de solidariedade europeu para a estabilidade, menores taxas de juros e mais investimento.""" então tá baum…perfeitamente….

Mas isso está me parecendo almoço grátis…isso existe??? quem vai pagar essa conta???

    Tadeu

    Os alemães, como sempre.
    Quem trabalha paga a sua conta e a dos vagabundos.
    Lá e aqui.

ZePovinho

"….O Equador deu uma lição de soberania ao mundo e soube aproveitar os resultados da auditoria da dívida[13], anulando 70% de sua dívida externa em poder da banca privada internacional, o que está permitindo aumento dos investimentos sociais principalmente em saúde e educação, bem como a construção de rodovias de concreto, dentre outros investimentos reais".
http://www.rumosdobrasil.org.br/2011/07/09/crise-

Déficit e Dívida Pública 09/07/2011
Crise Européia: O Povo paga caro..

Crise Européia: O Povo paga caro pelas irresponsabilidades do Setor Financeiro

Riscos de transferência da Crise para o Brasil

Maria Lucia Fattorelli[1]

Provavelmente,a maior parte da nossa dívida pública interna(que nos leva 150-200 bilhões por ano em juros) seja ilegal porque o mecanismo que permite a garantia dos juros(no artigo 166) para ela foi colocado,na CF88,DEPOIS que a Assembléia Nacional Constituinte a votou em 1987.
Tá aqui: http://www.cic.unb.br/~pedro/trabs/fraudeac.html

Anatomia de uma fraude à Constituição
Adriano Benayon *
Pedro Antonio Dourado de Rezende **
Brasília, Agosto de 2006

VEJAM NESSE LINK,EM PDF,COMO TENTARAM QUEIMAR OS ARQUIVOS DA ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE POR MEIO DE UM ESTRANHO INCÊNDIO(EXPLOSÃO DO GERADOR DE ENERGIA DO ANEXO II DA CÃMARA DOS DEPUTADOS) NO CONGRESSO NACIONAL NO DIA 10/10/2003.ESTÁ NA PÁGINA 26 DO ARQUIVO EM PDF: http://www.cic.unb.br/~pedro/trabs/fraudeac_files

ZePovinho

SOCIALISMO EUROPEU TENTA RENASCER NA ESPANHA

"Há quem duvide que os votos sejam mais importates que os mercados. Gente que acredita que a política perdeu a batalha. É preciso retomar o discurso por aí. É preciso dizer que os problemas atuais tem sua origem em decisões que foram tomadas na política e devem ser corrigidos por meio da ação política. Os problemas do mundo são políticos. E é a política que deve romper a lógica de privilégios para poucos e perdas para todos". As palavras de Alfredo Rubalcaba,ex-ministro do Interior de Luis Zapatero, no lançamento de sua candidatura às eleições de março de 2012 pelo PSOE marcam um divisor no esfarelamento da socialdemocracia européia diante da crise que bate forte na UE, mas sobretudo na Espanha,Portugal, Grécia, Irlanda. Desgastado por decisões econômicas e sociais que mergulharam seu governo na indiferenciação do receituário neoliberal e acossado pelas maiores taxas de desemprego da Europa, motivo de forte descrédito junto à juventude 'indignada', o primeiro-ministro Jose Luis Zapatero tenta a volta por cima numa sucessão ameaçada pela desilusão da esquerda e pelos avanços regionais da direita. O nome de Rubalcaba foi consagrado na reunião do PSOE deste sábado montada para sinalizar uma espécie de retorno aos princípios dos socialistas espanhóis: Estado, democracia e desenvolvimento social foram os eixos norteadores dos compromissos resgatados. "A banca pode esperar, a juventude não"."Recuperar as finanças públicas com imposto sobre a herança". "Não ceder às privatizações, sobretudo a privatização do sistema de saúde" . "Criar um imposto sobre transações financeiras". Essas foram algumas das bandeiras da tradição socialdemocrata européia ressuscitadas no pontapé pela sucessão de Zapatero. A guinada à esquerda do PSOE tonou-se o assunto do dia da agenda política espanhola. Ela contrasta vivamente com decisões e discursos de outros partidos socialistas, casos da Grécia e de Portugal, mas do próprio governo Zapatero diante da crise. A 'virada' do PSOE pode sinalizar um ponto de inflexão na hegemonia da agenda conservadora na UE, refletida na desilusão crescente dos 'indignados' com a esquerda e em sucessivas vitórias eleitorais da direita. A União Européia tornou-se o epicentro da crise mundial. A rendição socialdemocrata tranformou o continente no principal laboratório de ressurgências mórbidas de práticas e princípios que origiram o maior desastre capitalista desde 1929. A disputa pela sucessão de Zapatero Espanha pode mudar esse roteiro.A ver.
(Carta Maior; Domingo, 10/07/ 2011)

ZePovinho

Tu viu essa,Azenha??Saiu na Folha de São Paulo:
http://www.jornaldabaixadarj.jex.com.br/governo+e

28/06/2011

GOVERNO CABRAL DEU R$ 50 BILHÕES DE BENEFÍCIOS A EMPRESAS!

(Folha SP, 27) Entre 2007 e 2010 cerca de 5.000 empresas deixaram de recolher R$ 50 bilhões aos cofres do Estado porque obtiveram renúncia fiscal do governo Sérgio Cabral (PMDB). Dados da Secretaria Estadual de Fazenda mostram que boates, motéis, mercearias, padarias, postos de gasolina e cabeleireiros foram beneficiados.
O montante da renúncia cresceu 72% em 2010, em relação a 2007. Os R$ 50 bilhões já são mais do que a metade do valor da receita tributária que foi de R$ 97 bilhões no mesmo período. Uma das empresas que se beneficiaram é a Werner Coiffeur que, nos últimos anos, cuidou dos cabelos da primeira-dama Adriana Ancelmo e do governador. A renúncia chegou a R$ 336 mil".

OS IMPOSTOS INDIRETOS(ICMS,ETC) SOBRE OS CONSUMIDORES NÃO FORAM DIMINUÍDOS EM NADA.O lance,mermão,é esse:Dar favores fiscais para contribuintes de campanhas políticas(além das verbas do BNDES,etc) e manter a tributação massiva em cima da massa ignara:nós.
Depois eles ficam dizendo que falta dinheiro para saúde,educação,defesa,infraestrutura.Na realidade,esses bandidos escolhem não tributar os ricos;o que faz com que o Estado tenha de se financiar tomando dinheiro emprestado de rentistas que cobram juros lá na lua:outro negócio nojento que rouba nosso dinheiro.
EU TAMBÉM QUERO ISENÇÃO FISCAL!!!!A ISONOMIA TRIBUTÁRIA É OUTRA CLÁUSULA PÉTREA DA CONSTITUIÇÃO!!VALE PARA TODOS!!!

Deixe seu comentário

Leia também