VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Site da Comissão do Futuro da Ciência Brasileira está no ar

16 de agosto de 2011 às 22h28

por Conceição Lemes

Duas ótimas notícias.

Primeira: entrou hoje no ar o site da Comissão do Futuro da Ciência Brasileira, cujo slogan é Ciência para todos. Fica aqui

Presidida pelo professor Miguel Nicolelis, a comissão, criada oficialmente em maio, tem nomes nacionais e estrangeiros de uma gama grande de áreas.  Ela avaliará o estado atual da ciência brasileira, seus processos, mecanismos de fomento, estrutura dos institutos e órgãos de produção científica. Mecanismo muito usado lá fora, está estreando aqui.

“O objetivo da comissão  é fazer um diagnóstico profundo do estado atual da ciência brasileira, recomendar soluções para seus problemas e propor um plano estratégico para os próximos 10 anos”, afirma Nicolelis, convidado pelo ministro da Ciência e Tecnologia (MCT), Aloizio Mercadante, para criar a comissão e presidi-la. “Esperamos que a ciência brasileira dê um salto qualitativo que lhe possibilite ser protagonista no cenário científico mundial e possa contribuir com a sociedade.”

Segunda ótima notícia: a “casa” está aberta a todos que quiserem debater a prática e a educação da ciência: de crianças a adultos. Entidades científicas, pesquisadores, universitários, estudantes e professores do ensino fundamental, médio e técnico, trabalhadores… Pela primeira vez, uma comissão desse porte abre as suas “portas” para a sociedade.

“Está na hora de acabarmos com a ideia equivocada de que a ciência deve ser monopólio de uns poucos acadêmicos”, afirma Nicolelis. “Queremos que todos os segmentos participem do processo de discussão sobre a ciência brasileira, para que o seu resultado final retrate, de fato, a nossa realidade. Queremos a visão de quem está nas trincheiras, vivendo os problemas no dia a dia, de Norte a Sul, de Leste a Oeste.”

O site foi criado com recursos privados, para não onerar o Ministério da Ciência e Tecnologia. Para participar, é simples. Basta ir aqui e se inscrever.

Você pode participar dos grupos de discussão que já estão sendo criados. Por exemplo, Neurociência, Propostas para a Ciência. Biotecnologia, Filosofia da Mente, Análise do Comportamento, Inteligência Artificial. Ou criar um. É importante contemplem todos os tipos de interesse.

Você pode postar vídeos, fotos, relatos de iniciativas boas e ruins na prática ou na educação da ciência. Será criado um espaço específico para denúncias.

Importante: a comissão será independente, e os seus membros trabalharão voluntariamente. Integram-na:

Presidente: Miguel A. L. Nicolelis, Duke University e ELS-IINN

Membros efetivos

Alan Rudolph, Biólogo, International Neuroscience Foundation, EUA

Alexander Triebnigg, Médico, Presidente da Novartis, Brasil

Conceição Lemes*, Jornalista, Brasil

Débora Calheiros, Pesquisadora, Embrapa, Brasil

Fábio Pugliese, assessor jurídico da Comissão, UFSC, Florianópolis, Brasil

Idan Segeve, Neurocientista computacional, Universidade Hebraica, Israel

Jon H. Kaas, Neurocientista, Vanderbilt University, US National Academy of Science, EUA

Luiz A. Baccalá, Engenheiro, Escola Politécnica, USP, Brasil

Luiz Gonzaga Belluzzo, Economista, Professor Emérito Unicamp, Brasil

Mariano Sigman, Neurocientista, Universidade de Buenos Aires, Argentina

Marilena Chauí, Filósofa e Professora, USP, Brasil

Mariluce Moura, Jornalista, Fapesf, Brasil

Mauro Copelli, Físico, UFPE, Brasil

Patrick Aebischer, Neurocientista, Presidente da École Polytechnique Fédérale de Lausanne, Suíça

Ricardo Abramovay, Cientista Político, FEA-USP, Brasil

Robert Bishop, Cientista Computacional, ex-CEO da Silicon Graphics, EUA

Ronald Cicurel, Matemático e Filósofo, Suíça

Selma Jeronimo, Médica-pesquisadora, UFRN, Brasil

Stevens Rehens, Biólogo, UFRJ, Brasil

Thereza Brino, Educadora em Tecnologia da Informação, Brasil

Victor Nussenzweig, Médico, New York University, Brasil/EUA

William Feiereisen, Cientista Computacional, Intel, EUA

* Eu, Conceição Lemes, a convite do professor Miguel Nicolelis, participo  da Comissão do Futuro da Ciência Brasileira. O meu trabalho é voluntário e não receberei nenhum vencimento por ele.

@conceicao_lemes , siga à vontade

Nicolelis e a Comissão da Ciência Brasileira: Estratégias para o futuro

Nicolelis lança o Manifesto da Ciência Tropical

Só no Brasil educação é discutida por comentarista esportivo

Ciência brasileira na prestigiosa Science

Nicolelis: “Século XXI pode vir a ser o século do Brasil”

 

10 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Kacau Araujo

11/01/2016 - 11h49

Quando clicamos no link para o site da Comissão, abre uma pagina em japonês ou coreano talvez, gostaria muito de poder acessar o site da Comissão do futuro.

Responder

camila

17/08/2011 - 15h53

Conceição, primeiramente muito prazer em falar com vc! Me chamo Camila, sou neta do Telê Santana, gostaria de te agradecer por todo o trabalho e a energia que você colocou para esclarecer o caso do atendimento médico no caso do AVC de meu avô e também para esclarecer às pessoas sobre como temos hospitais e médicos despreparados para um pronto atendimento de casos de AVC. Admiro muito o seu trabalho de importância pública. Te parabenizo pelo convite para participar desta Comissão! Sem dúvida uma maravilhosa iniciativa! Gostaria de me comunicar com você para conversarmos. Meu e-mail [email protected]. Um grande abraço!

Responder

Aracy_

17/08/2011 - 13h22

Parabéns à Conceição e aos demais membros da Comissão. Ciência para todos!

Responder

Armando S Marangoni

17/08/2011 - 12h25

Alguém se lembra da coleção Os Cientistas? Alguém se lembra da coleção Os Cientistas?
Tinha onze para doze anos quando a comecei e fui até o fim. Usava o dinheiro da mesada para comprá-los. Ficava sem um tostão, mas feliz.
Hoje, 40 anos depois, sinto-me privilegiado pelo contato que tive com a experimentação a partir de uma teoria. Entender e compreender a mecânica dos fenômenos naturais, mesmo que em ritmo não acadêmico, ajuda-me a entender e compreender a natureza, e imagino que não seja diferente para a maioria.
Questões politicas, no entanto, sempre serão artefatos com que se deve aprender a lidar quando há poder sobre o outro envolvido. Incômodo, mas necessário para manter sob bom controle o que precisa ser controlado.
Somos um imenso país. Apesar de jovem, temos uma cultura de tolerância que pode ser representada pelo sincretismo religioso, ou pela falta de marcos e outros engessamentos culturais. Isso tudo nos deixa vulneráveis à sanha dos que lidam com o mundo como lidam com suas fazendas de gado ou de gente.
O conhecimento individual permite ao sujeito postar-se na realidade: conhecimento científico é fundamental e conhecimento de si é essencial se o que se deseja é ver e viver por inteiro.

Responder

Anoimoi

17/08/2011 - 11h16

Quando alguém vai aprender para que serve e-mail?????

Responder

Hans Bintje

17/08/2011 - 11h03

Conceição Lemes

Fiquei frustrado. Não quero uma "Comissão do Futuro", gostaria de lidar com uma "Comissão do Perene".

Uma mísera levedura – que tanto auê provoca nos debates sobre biocombustíveis – existe há pelo menos 500 milhões de anos.

E, em comparação, ela é muito jovem. O Universo tem pelo menos 14.000 milhões de anos.

O objetivo deveria ser a procura de uma melhor interação com o que temos ao nosso redor, desde cultivar um tomateiro até identificar as menores partículas que compõem a matéria.

Lembro que "Perene" não é sinônimo de "Eterno". Deixemos a "eternidade" com a religião.

O "Perene" é reconhecer que os continentes são como balsas navegando num mar de rocha derretida e que a crosta terrestre é mais fina, proporcionalmente, que a casca amarela em relação ao tamanho de uma laranja.

E que todos nós vivemos e amamos neste mundo tão frágil.

Responder

Julio Silveira

17/08/2011 - 09h52

Adoro ciência. Sonho ver meu país protagonista nas diversas areas, democratizando os resultados e o saber.

Responder

Charles

17/08/2011 - 07h55

Bom saber do site, realmente! Parabéns ao blog!!

Mas, apenas emitindo opinião: Nicolelis pretende ser o baluarte da ciência brasileira, e criou uma comissão formada por seus colaboradores mais próximos, no Brasil e no exterior. Mas Nicolelis não representa a ciência brasileira, não para a maioria dos cientistas brasileiros!! Concordo com o que li há algum tempo neste mesmo blog, de que se ele realmente quiser defender uma ciência brasileira diferente para as próximas décadas ele precisa VIVER a ciência brasileira, tem que estar aqui!! Não basta ter certidão brasileira para dizer-se brasileiro! É preciso sentir na pele as dificuldades que a burocracia e a falta de estrutura nos impõem a cada dia, e ainda assim estufar o peito e querer seguir adiante. É só ver a história da formação do IINN-ELS para entender que Nicolelis sempre viveu outra realidade (pelo menos antes da debandada de cientistas do INN para a UFRN). A proposta de Nicolelis poderia ser levada a uma Instituição Representativa, como a SBPC, demonstraria mais autruísmo, menos vaidade. A maioria dos cientistas brasileiros não se sente representada por Nicolelis!

Responder

Dani

17/08/2011 - 01h17

Conceição, adorei saber sobre o o site da Comissão do Futuro da Ciência Brasileira. Parabéns pra você, querida.

Responder

    Conceição Lemes

    17/08/2011 - 01h57

    Obrigada, Dani, pelo carinho. bjs

Deixe uma resposta