VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Você escreve

Roger Abdelmassih: Advogados tentam revogar prisão mas não conseguem


14/09/2011 - 16h34

por Conceição Lemes

Os advogados Márcio Thomaz Bastos, João Luís de Oliveira e Jaqueline Furrier deram entrada no Fórum Central Criminal Barra Funda, em São Paulo, a um novo pedido de habeas corpus em favor do ex-médico Roger Abdelmassih.

Roger foi condenado pela juíza Kenarik Boujikian Felippe, da 16ª Vara Criminal, a 278 anos de prisão por abuso sexual de 39 mulheres (38 pacientes e uma funcionária), entre 1995 e 2008, em sua clínica de reprodução assistida. Está foragido desde 6 de janeiro deste ano.

O processo foi cadastrado e distribuído na quinta-feira passada, 8 de setembro. Ficou a cargo do desembargador José Raul Gavião de Almeida, da 6ª Câmara de Direito Criminal.

“Não posso me manifestar sobre processo que estou julgando”, afirmou o desembargador Gavião de Almeida a esta repórter. “A única coisa que posso dizer é que não concedi liminar, pois não é um processo que implica urgência. Remeti-o ao Ministério Público do Estado de São Paulo para que dê um parecer. Só depois é que o habeas corpus irá a julgamento, que será feito por três desembargadores.”

Isso significa que, numa primeira análise, o desembargador Gavião de Almeida não detectou nenhuma ilegalidade ou arbitrariedade na prisão de Roger. Em conseqüência, o processo vai correr normalmente. Irá para o MP, que dará um parecer. Depois, para a Câmara de Julgamento, quando os desembargadores julgarão o mérito do habeas corpus. Esse trâmite demora dois a três meses.

Em bom português: Advogados tentam revogar a prisão de Roger mas não conseguem. O desembargador Gavião de Almeida já havia negado dois habeas corpus para Roger.

Leia também:

Mayana Zatz, os embriões e a ética

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


46 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Mirella Garcia

16 de setembro de 2011 às 09h28

O cara foi CONDENADO, certo? Como revogar a prisão? Penso que isso simplesmente não existe.

Está certa a Conceição quando diz: "Em bom português: Advogados tentam revogar a prisão de Roger mas não conseguem. O desembargador Gavião de Almeida já havia negado dois habeas corpus para Roger".

Responder

Nelson Menezes

15 de setembro de 2011 às 17h28

Graças ao Gilmar Dantas o medico monstro estar a cumprir férias no Libano,se fosse no Irã um ladrão condenado perderia as mãos,no caso de estrupo o amigo do Gilmar perderia o ???

Responder

Antonio Lyra Filho

15 de setembro de 2011 às 10h42

Qual éa opinião de Gilmar Mendes sobre o assunto.

Responder

Paulo

15 de setembro de 2011 às 10h20

Esse jogo de palavras é que nem a sauva. Acaba com o Brasil.
Condenado a 278 anos mas existe lei que limita a 30 e outras que o libertariam em
05 anos ou menos.

A hipocrisia de alguns academicos e profissionais vai além do formalismo, atingindo a própria linguagem,

Responder

Julio Silveira

15 de setembro de 2011 às 10h02

Os advogados foram atrás no momento errado, deviam esperar que o GD estivesse lá num plantão noturno pra conseguir o HC.

Responder

FrancoAtirador

15 de setembro de 2011 às 09h56

.
.
Por que os crimes praticados pelos ricos ficam impunes, em 3 exemplos.

Presidente do STF, Gilmar Mendes, concede habeas corpus ao médico Roger Abdelmassih.

Ministro do STF, Marco Aurélio Mello, concede habeas corpus ao banqueiro Salvatore Cacciola.

Por 3 votos a 2, STJ anula ação da Operação Satiagraha e livra o banqueiro Daniel Dantas de condenação.
.
.

Responder

Bonifa

15 de setembro de 2011 às 09h07

Sei que não tem nada a ver com o caso, mas não posso me conter em comentar. O jogo Brasil X Argentina prendeu minha atenção do começo ao fim, embora estivesse cochilando quando começou. Há muito tempo não me interessava tanto pela seleção, por não sentir nela firmeza alguma. Mas observamos que o R. Gaúcho conseguiu voltar a ser um jogador brasileiro, o que prova que a doença européia não é irreversível. E o lance com o Leandro Damião só veio confirmar o que estavamos sentindo: havia verdadeira alma futebolística naquele jogo. Pois a Globo, por seus comentaristas, está dizendo que o jogo foi péssimo, uma decepção, passando pelo lance do Leandro como um acidente pontual. E afirmando mil vezes que é preciso convocar outros jogadores para a seleção. Está claro que a Globo quer ela mesma escalar a seleção e está claro que não gosta desta idéia de jogadores exclusivos do futebol brasileiro. O que é que a Globo está querendo, na verdade? Tudo nela esconde uma segunda intensão.

Responder

emerson57

15 de setembro de 2011 às 08h04

cadê o bloqueio dos bens do médico bandido?
cadê a associação dos ofendidos pelo criminoso?
cadê o famoso escritório de advocacia para advogar os direitos das vítimas?

parece que os ofendidos não são pobrinhos, dependentes de vales do governo.

se as vítimas não se unirem e fazer muito "barulho" e a ação cair na mão do ex presidente do supremo,
e é capaz que os condenados sejam as vítimas!!!!!!!!!

Responder

Helena Pahl

15 de setembro de 2011 às 07h07

Será que o casal 20 vai noticiar no JN? Imaginem se algum parente do LULA fosse paciente desse médico?

Responder

SILOÉ-RJ

15 de setembro de 2011 às 00h36

Ele está escondido embaixo da cama do GILMAR DANTAS, rezando pro julgamento cair nas mãos do mesmo.

Responder

visitante

14 de setembro de 2011 às 21h27

Onde está a prova de que ele se encontrava no Libano?

Responder

FrancoAtirador

14 de setembro de 2011 às 21h19

quarta-feira, 14 de setembro de 2011 18:59

Novais é 5º ministro a deixar governo Dilma em 3 meses

Por Hugo Bachega e Jeferson Ribeiro

BRASÍLIA (Reuters) – Pedro Novais (PMDB) pediu nesta quarta-feira demissão do cargo de ministro do Turismo após denúncias de uso indevido de dinheiro público. O pedido foi aceito pela presidente Dilma Rousseff, informou a Presidência.

Novais é o quinto ministro a deixar o governo Dilma em pouco mais de três meses, após as saídas de Antonio Palocci (Casa Civil), Alfredo Nascimento (Transportes), Nelson Jobim (Defesa) e Wagner Rossi (Agricultura).

Reportagem do jornal Folha de S.Paulo publicada nesta quarta acusou Novais de usar um funcionário contratado pela Câmara dos Deputados como motorista de sua mulher.

Na véspera, o jornal já havia afirmado que Novais, de 81 anos, usou recursos da Câmara quando era deputado para pagar o salário de uma empregada particular.

De acordo com a assessoria de imprensa da Presidência, o encontro entre Dilma, Novais e o vice-presidente Michel Temer, no qual o ministro entregou sua carta de demissão, foi rápido, durou de 15 a 20 minutos.

Ainda não foi definido o substituto de Novais na pasta, mas de acordo com o líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (RN), o nome sairá da bancada do partido na Casa. Segundo ele, o PMDB não apresentará nomes a Dilma, mas colocará à disposição da presidente todos os nomes da bancada.

Novais já havia enfrentado denúncias de uso indevido de dinheiro público quando foi indicado ao cargo no fim do ano passado. Ele anexou uma nota fiscal de um motel em São Luís (MA) numa prestação de contas quando era deputado. Posteriormente, ele devolveu os recursos à Câmara.

As novas denúncias deixaram Novais sem apoio político de parlamentares de seu partido, o PMDB, o que tornou impossível sua permanência no posto e levou a seu pedido de demissão.

Neste ano o Ministério do Turismo foi alvo da Operação Voucher, da Polícia Federal, que investigou desvio de recursos públicos destinados a convênios realizados pela pasta. Na ocasião, 36 pessoas foram presas, entre elas o então secretário-executivo e número dois da pasta Frederico Silva da Costa.

(Reportagem adicional de Maria Carolina Marcello)

Responder

Regina Braga

14 de setembro de 2011 às 21h16

Gente diferenciada é assim…

Responder

NilvaSader

14 de setembro de 2011 às 21h07

No final dos anos 80 o Márcio Thomás Bastos falou que jamais defenderia torturador e estuprador, porque tortura e estupro eram crimes hediondos. Parece que, já a algum tempo, ele mudou seus conceitos. Que pena!

Responder

    MChagas

    15 de setembro de 2011 às 09h04

    Business is Business my friend.

    Marat

    15 de setembro de 2011 às 10h08

    É Nilva, cada vez mais se percebe que discursinhos bonitos todos fazem diuturnamente, porém, com algum tipo de "incentivo", pedem para esquecermos o que disseram ou o que escreveram!

Ronaldo Luiz

14 de setembro de 2011 às 19h30

Advogados fazem o mesmo que as prostitutas. Por um bom dinheiro defendem qualquer bandido. Ignoram por completo o pudor e a dignidade. Orientam seus 'clientes' quer para absolvê-los, quer para desclassificar as provas e testemunhas, ou ainda para aliviar a pena ao máximo. Em fim, eles jogam contra a justiça. E como a justiça é cega, surda, muda e tetraplégica, acredita nas boas intenções dos causídicos.

Responder

Zelina

14 de setembro de 2011 às 19h10

Dizem que o referido senhor jamais saiu do Barsil e que está inclusive atendendo parte de sua clientela.
Nunca o prederam porque nãos e empenharam

Responder

rosangela

14 de setembro de 2011 às 19h08

Poder judiciario brasileiro é a causa da impunidade e corrupcao sem remedio deste país.

Responder

Marcos

14 de setembro de 2011 às 18h54

Habeas Corpus Processo nº 0227629-82.2011.8.26.0000 Relator(a): JOSÉ RAUL GAVIÃO DE ALMEIDA Órgão Julgador: 6ª Câmara de Direito Criminal Vistos. Os dedicados advogados Márcio Thomaz Bastos, José Luis Oliveira Lima e Jaqueline Furrier impetraram habeas corpus com escopo de anular o processo penal instaurado contra Roger Abdelmassih denunciado e condenado como infrator de 56 estupros (à época dos fatos classificados como estupro e atentado violento ao pudor) sob o fundamento de estar extinta a punibilidade pela ocorrência da decadência do direito de queixa, com exceção da atinente à vítima Cristiane da Silva Oliveira. Os impetrantes alegaram, em apertada síntese, que os delitos sexuais imputados ao ora paciente foram perpetrados sem violência real, o que impede a aplicação da súmula nº 608 do Supremo Tribunal Federal. RELATADO. A concessão de liminar em sede de habeas corpus é medida excepcional, sendo que no presente caso não se divisa ilegalidade manifesta a ponto de ensejar a antecipação do mérito do writ, nem a urgência na providência pretendida. Indefere-se, portanto, a liminar. A hipótese sub examine, em razão da documentação já apresentada, prescinde de pedido de informações. Assim, encaminhem-se os autos a E. Procuradoria de Justiça. Após, voltem conclusos. São Paulo, 14 de setembro de 2011. José Raul Gavião de Almeida Relator

Responder

O_Brasileiro

14 de setembro de 2011 às 18h41

O judiciariozinho brasileiro, que deu o maior incentivo para os motoristas bêbados continuarem matando no trânsito, vai fazer de tudo para soltar mais este meliante.
Continua valendo no Brasil a regra de que neste país só vai pra cadeia preto, pobre, puta… e, dependendo do ditador de plantão, alguns adversários políticos!
Este não é o país da impunidade, é o país da sacanagem!

Responder

Tomudjin

14 de setembro de 2011 às 18h25

Nenhuma das vítimas entenderam o significado de "poligamia". Muito menos ele.

Responder

Marcio H Silva

14 de setembro de 2011 às 17h57

Será que este cara fugiu mesmo para outro país? tenho minhas dúvidas.

Responder

    Gerson Carneiro

    14 de setembro de 2011 às 18h24

    É uma possibilidade.

maribel dias kroth

14 de setembro de 2011 às 17h50

Imorál deprimente ; como podemos confiar nessa justiça tão falha e desmerecedora de todo credito da população brasileira

Responder

Rogério Floripa

14 de setembro de 2011 às 17h46

E se fosse um pobre e preto?

Documentário – Os Segredos Sujos da FIFA – Mr. Teixeira, você recebeu subornos por parte da empresa Sanud? http://fwd4.me/0Aav

Responder

ZePovinho

14 de setembro de 2011 às 17h12

O STF deu um habeas corpus a esse estuprador e o cara fugiu para o Líbano.Temos,agora,o ex-ministro da justiça Marcio Thomaz Bastos defendendo esse salafrário,que estuprava mulheres se achando superior(ele dizia isso a elas) porque é era médico(vejam que o CRM só cassou o diploma dele depois de muita pressão da mídia-empresa).
Vale tudo por dinheiro,Marcio Thomaz Bastos???Seu senso de moral(mesmo que todos tenham direito à defesa) não lhe pesa não???

Responder

    Gerson Carneiro

    14 de setembro de 2011 às 17h53

    ZePovinho,

    Não fosse o Márcio Thomaz Bastos alguém seria, ainda que fosse o Zé Porta de Cadeia. A questão é o julgamento. Foi a decisão de quem o colocou em liberdade que permitiu que ele fugisse. Assim como serão os julgamentos daqui para frente dos inúmeros recursos que o réu irá interpor que gerarão nossa insatisfação ou satisfação.

    ZePovinho

    14 de setembro de 2011 às 19h58

    Gersão,meu conterrâneo nordestino

    O Márcio não está errado.Longe disso.Mesmo assim,ele podia ter escolhido.Uma democracia se faz com o compromisso dos cidadãos.Existe o plano legal(dos homens) e o plano moral.
    Eu não defenderia um sujeito desses.Que ele procurasse outro.

    Gerson Carneiro

    14 de setembro de 2011 às 20h43

    Eu também não defenderia.

    Defendo Lampião mas não defendo esse fí duma égua.

    FrancoAtirador

    14 de setembro de 2011 às 21h09

    .
    .
    Há mais coisas entre a Justiça e a Lei do que possam imaginar vossos vãos princípios éticos.
    .
    .

    Silvio I

    14 de setembro de 2011 às 18h20

    ZePovinho:
    A função do advogado e essa. Não se pode culpar ao advogado por defender um bandido.Por lei ele tem que ter defesa, assim como existira alguém que o vai acusar, ante o juiz.Dessa forma e que se faz justiça.Agora o que está ruim, a quantidade de vezes um camarada pode ir a reclamar a justiça, o que um Ministro passe por cima de todo o mundo e de um HC.

    ZePovinho

    14 de setembro de 2011 às 19h55

    Silvio

    Eu entendo.Uma vez,na Paraíba,trabalhei para o filho de Vital do Rêgo.Essa cara foi um dos relatores da CF88 e dizem que foi um dos grandes criminalistas do Brasil.Mas mesmo ele(que defendeu o esquadrão da morte na Campina Grande dos anos 70/80) dizia,em sala de aula(eu fui aluno dele na disciplina Insituições do Direito,que fazia parte das cadeiras de engenharia em Campina Grande),que,mesmo assim,o advogado podia escolher defender ou não determinado cliente.

Aline

14 de setembro de 2011 às 17h06

Vocês estão sabendo desses atos contra a corrupção na grande mídia?
No Rio de Janeiro, no dia 16, sexta, final da tarde,Cinelândia.
Detalhes: http://rioblogprog.blogspot.com/2011/09/ato-contr
Em São Paulo, capital, no dia 17,sábado,à tarde, vão do MASP.
Detalhes: : http://www.blogcidadania.com.br/2011/09/atos-cont
Os organizadores são gente de primeira, em termos políticos. É só abrir os endereços acima e confirmar.
A propaganda é feita por cada um de nós. Entre na corrente, arraste cinco e siga em frente! O tempo é pouco, Vamos que vamos!
.

Responder

    Janaína

    14 de setembro de 2011 às 20h35

    Aline
    Estarei na do Rio e já estou puxando uns dez.
    Vamos que vamos!

    Cristiana Castro

    14 de setembro de 2011 às 22h55

    Tb estarei lá.

    SILOÉ-RJ

    14 de setembro de 2011 às 23h35

    Também estarei lá com a minha galera!!!
    Abraço solidário.

    Bruno

    15 de setembro de 2011 às 10h25

    Bravo, Aline!
    Também estou divulgando adoidado, no maior entusiasmo. Certamente te vejo na manifestação aqui no Rio. Mas tomara que tenha tanta gente que a gente custe a se achar.
    E vamos que vamos!

Gerson Carneiro

14 de setembro de 2011 às 17h00

Então o monstro ainda pensa em voltar para o Brasil!

Mas ele está foragido, e do esconderijo, na condição de fugitivo, tenta revogar a prisão.

Se for deferido o pedido ele reaparece numa boa, volta a receber presentes e convidados em sua residência em São Paulo, e tudo bem? Não será ao menos castigado pela fuga?

Pode isso Arnaldo?

Responder

    Adilson

    15 de setembro de 2011 às 12h09

    Não sou advogado, mas acho que não há castigo para fuga no código penal.

    Gerson Carneiro

    15 de setembro de 2011 às 17h59

    Também não sou.

    Nesse caso o mandado de prisão não foi cumprido, o que é diferente do sujeito se evadir da instituição da qual se encontrava recolhido.

    Mas, é no mínimo um contrasenso porque a fundamentação do mandado de prisão é justamente o fato do sujeito se encontrar foragido.

    É uma das bizarrices do Código Penal. Sendo que a maior delas é a prescrição. O sujeito comete o crime mais absurdo que se possa imaginar, tipo esses cometidos pelo Roger Abdelmassih, contrata um advogado especialista em "esticar" o processo, como é o Márcio Thomaz Bastos, e depois se livra da pena porque simplesmente ocorreu a prescrição.

    Por esse tipo de fundamento exótico do Código Penal é que concluo que quem o escreve é quem comete crime. Ou seja, quem escreve a lei é quem comete crime e não quer ser punido.

Fabricio

14 de setembro de 2011 às 16h48

velho safado!!

Responder

Klaus

14 de setembro de 2011 às 16h42

Bandido enrolado sempre chama o Márcio Tomaz Bastos, sempre.

Responder

    ZePovinho

    14 de setembro de 2011 às 18h04

    Aqui é a única vez em que concordamos,meu amigo Klaus.

    Silvio I

    14 de setembro de 2011 às 18h13

    Klaus:
    Não e problema de bandido .E problema de bandido com muito dinheiro.Não sei quanto dinheiro você tem trata de ter como advogado a Tomas Bastos, si não tiver dinheiro vai a ficar sem roupa.

    Bonifa

    16 de setembro de 2011 às 10h50

    Conclusão: Justiça não é prá quem precisa, é prá quem pode pagar.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.