VIOMUNDO

Diário da Resistência


Presidente da CUT: O povo já sabe que Bolsonaro quer acabar com a aposentadoria e beneficiar os bancos; veja fotos
Roberto Pariizotti/CUT
Você escreve

Presidente da CUT: O povo já sabe que Bolsonaro quer acabar com a aposentadoria e beneficiar os bancos; veja fotos


23/03/2019 - 11h18

Rumo à greve geral, mais de 70 mil pessoas ocupam Av. Paulista neste 22 de março

“Se colocar para votar a reforma da Previdência, nós vamos fazer a maior greve geral da história deste País”, afirma o presidente da CUT

Mais de 70 mil trabalhadores e trabalhadoras compareceram na tarde desta sexta-feira (22), Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência, na Avenida Paulista, em São Paulo, para protestar contra a reforma da Previdência do governo de Jair Bolsonaro (PSL), que retira direitos, diminui os valores dos benefícios, aumenta o tempo de contribuição e impõe a obrigatoriedade de idade mínima de 65 anos para homens e 62 anos para as mulheres terem direito à aposentadoria.

É o esquenta para a greve geral que a CUT e demais centrais sindicais vão organizar se o governo insistir em manter a tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 006/2019) que praticamente acaba com o direito à aposentadoria no Brasil.

A manifestação em São Paulo teve a adesão de diversas categorias, como a dos professores e professoras, que reuniu mais de 10 mil na Praça da República, no centro da capital. De lá, eles caminharam cerca de três quilômetros até a Avenida Paulista, para se encontrarem com os demais trabalhadores da saúde, bancários, químicos, metroviários, metalúrgicos, do comércio e serviços, além de servidores públicos municipais e estaduais, entre outras categorias.

   Professores e professoras na Praça da República, em São Paulo

A adesão massiva dos trabalhadores, trabalhadoras e da sociedade brasileira aos atos realizados em todo o Brasil foi comemorada pelo presidente da CUT, Vagner Freitas.

Para ele, a quantidade de pessoas que foram às ruas protestar contra a PEC de Bolsonaro mostra que a comunicação da CUT, demais centrais – Força Sindical, UGT, Intersindical, CSB, CTB, NCST, CGTB e CSP-Conlutas -, dos movimentos sociais e das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo foi mais eficiente que a do governo, que tentou enganar dizendo que a reforma era boa para o país.

“O povo sabe que Bolsonaro quer acabar com a aposentadoria e entregar a Previdência Pública para os bancos”, afirmou Vagner.

“Hoje é um esquenta. Vamos fazer outros atos rumo à greve geral”.

A manifestação dos trabalhadores também teve um ato ecumênico contra a violência. As vítimas do massacre da escola Raul Brasil foram lembradas.

“Isso é o que acontece quando pessoas influentes incentivam a violência. Nós queremos construir a paz e os direitos. É por isso que lutamos, por paz e justiça social”, finalizou o presidente da CUT.

Mobilização em todo país

Desde as primeiras horas da manhã, os trabalhadores e trabalhadoras realizaram panfletagens, assembleias no local de trabalho, diálogo com a população e atos em diversas cidades do país, como em Fortaleza, que reuniu 30 mil pessoas, e Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, que reuniu mais de 20 mil.

No período da tarde, além da capital paulista, os trabalhadores e trabalhadoras também se manifestaram em Pernambuco, Rio de Janeiro e Sergipe.

No Rio de Janeiro, os trabalhadores e trabalhadoras se concentraram na Candelária e depois seguiram em caminhada até a Central do Brasil.

Na Praça do Derby, região central de Recife, em Pernambuco, mais de 15 mil trabalhadores e trabalhadoras se reuniram contra a reforma da Previdência de Bolsonaro.

Já em Aracaju, os trabalhadores e trabalhadoras se concentraram em frente à Deso, na Rua Campo do Brito, depois seguiram em caminhada pelas ruas da cidade em defesa do direito à aposentadoria.

Em Belo Horizonte, sob a coordenação do Sind-UTE/MG, a caminhada dos trabalhadores em educação contra a reforma da Previdência saiu da Assembleia Legislativa e foi até a Praça Sete, onde foi encerrada.


Fotos de BH: Vera Lima/Studium

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

24 de março de 2019 às 23h40

https://pbs.twimg.com/media/D2b2iF3WkAAIre6.jpg
Não tem mais como parar esse Trem!

Responder

    Zé Maria

    25 de março de 2019 às 14h00

    Banqueiros e Especuladores da BM&F Bovespa sentiram o Tombo

    25.mar.2019 às 2h01
    Folha de S.Paulo
    Edição impressa

    Coluna da Jornalista Monica Bergamo

    A aprovação à reforma da Previdência caiu mais de 30 pontos
    na semana passada, de acordo com um índice de sentimento
    das redes sociais desenvolvido pela startup Arquimedes.

    A empresa, que fornece dados para o mercado financeiro e empresas,
    classifica o conteúdo das publicações como negativo ou positivo.
    Depois, quantifica o compartilhamento e o alcance
    de cada uma delas, classificando a repercussão de zero a cem.

    Aumentaram o mau humor em relação ao governo a notícia
    da liberação de R$ 1 bilhão em emendas para congressistas,
    os ataques de Jair Bolsonaro a uma jornalista, a prisão de milicianos
    acusados de matar a vereadora Marielle Franco —
    e especialmente a proposta de previdência dos militares.

    https://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/2019/03/senado-tambem-esta-disposto-a-por-pedras-no-caminho-de-pacote-de-moro.shtml

Zé Maria

23 de março de 2019 às 15h47

https://pbs.twimg.com/media/D2S_erOW0AIkgUM.png

Na tal Reforma da Previdência dos Militares
Jair Bolsonaro embutiu promoção automática,
na Aposentadoria, concedeu reajuste salarial
e manteve ou estendeu privilégios a inativos.

https://twitter.com/Jorgedomar/status/1109221969113894917

Responder

Zé Maria

23 de março de 2019 às 15h27

Quando é em favor dos ricos e privilegiados,
como agora na Defórma da Milícia do Guedes,
a Rede Globo e Jair Bolsonaro estão juntinhos.

Responder

João bravo

23 de março de 2019 às 14h13

filosofia, amor pela sabedoria.Não sou á favor das drogas,mas que o bagulho é bom é.
Vamos filosofar um pouco?…muito bem, vamos lá.
Se existir algum cérebro, me acompanhe, por gentileza.
Vamos falar um pouco sobre drogas, não quero com isto defender o uso do bagulho, só quero que me respondam onde está a novidade neste tema.
Só para assustar os pais, seu filho é drogado, então esta condenado, não ébem assim, é bom lhe dar o beneficio da dúvida
Dizem que a árvore da vida, era na verdade, um pé de maconha e que Buda era o maior maconheiro que já existiu, só queria fumar o bagulho, ficar de barato, pensando na vida, depois batia a laríca se entupia de rango, certa vez fez uma galinha com molho só sobrou os pisantes e a mente,por isso era gordo,não existia academia, nem pilates, já não podia nem andar só parava sentado a criatura, e os senhores em algum tempo em suas vidas pegaram a imagem do meliante e colocaram sentado em cima de suas moedinhas, para que elas reproduzissem. Buda foi pego duas vezes, mas não por tráfico, por posse,não era otário, levava consigo apenas umas folhinhas e deixava a árvore, foi enquadrado em um dos artigos dos dez mandamentos.
Onde esta a filosofia nisto,a sim, como aquele sábio,que foi pego pelo discipulo plantando tâmaras, que sabidamente ele não iria colher, pois ela leva 90 anos para dar frutos.
O sábio então falou que o quintal era seu, que plantava o quê queria, não precisa que nenhum filho da puta o lembrasse.

Responder

a.ali

23 de março de 2019 às 11h58

encara bozo e camarilha!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.