VIOMUNDO

Diário da Resistência


Você escreve

Nassif: Cabeças rolam por causa dos pedágios paulistas


09/07/2010 - 09h12

Pedágio derruba mais um jornalista da TV Cultura

Enviado por luisnassif, qui, 08/07/2010 – 22:25

Há uma semana, Gabriel Priolli foi indicado diretor de jornalismo da TV Cultura.

Ontem, planejou uma matéria sobre os pedágios paulistas. Foram ouvidos Geraldo Alckmin e Aluizio Mercadante, candidatos ao governo do estado. Tentou-se ouvir a Secretaria dos Transportes, que não quis dar entrevistas. O jornalismo pediu ao menos uma nota oficial. Acabaram não se pronunciando.

Sete horas da noite, o novo vice-presidente de conteúdo da TV Cultura, Fernando Vieira de Mello, chamou Priolli em sua sala. Na volta, Priolli informou que a matéria teria que ser derrubada. Tiveram que improvisar uma matéria anódina sobre as viagens dos candidatos.

Hoje, Priolli foi demitido do cargo. Não durou uma semana.

Semana passada foi Heródoto Barbeiro, demitido do cargo de apresentador do Roda Viva devido às perguntas sobre pedágio feitas ao candidato José Serra.

Para quem ainda têm dúvidas: a maior ameaça à liberdade de imprensa que esse país jamais enfrentou, nas últimas décadas, seria se, por desgraça, Serra juntasse ao poder de mídia, que já tem, o poder de Estado. 

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



119 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Cecília Faipó

01 de agosto de 2010 às 14h25

Esta corja politica se esbalda porque a sociedade não tem união…o politico descente teria reconstruído ou construído estradas s/ retirar um centavo do bolso do povo, afinal o quanto já foi roubado do povo e não construiram as estradas prometidas.Quantos anos ficaram paradas aquelas obras do Quércia na Castelo? Somente um movimento de união da sociedade vai mudar esta história. AÇÃO é a palavra chave conte comigo! Cecília Faipó

Responder

Esquemas Táticos

13 de julho de 2010 às 16h16

O Serra deu uma entrevista em Belo Horizonte dizendo que não teve participação na demissão dos jornalistas Heródoto Barbeiro e Gabriel Priolli. Ele acusou os blogs, aos quais se referiu como "sujos", "de Luis Nassif pra baixo" e os tuiteiros de tentarem pautar a imprensa com essa história. Disse que nunca teve gerência sobre a TV Cultura e acusou o governo federal de utilizar os meios de comunicação estatais (TV Brasil e Radiobrás entre elas) "de maneira política muito clara".

A entrevista está no blog da Bertha Maakaroun, do Estado de Minas/Diários Associados.
http://www.dzai.com.br/blogdabertha/blog/blogdabe
Serra nega ter pedido demissão de jornalista e acusa governo federal de usar estatais

Em entrevista aos repórteres Thiago Herdy, Elaine Pereira e Fernanda Penna, dos Diários Associados, ontem à noite, na sede da Tevê Alterosa, em Belo Horizonte, o candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra negou ter havido inteferência política na TV Cultura, emissora estatal paulista. A polêmica começou no fim da semana passada, quando o jornalista Gabriel Priolli foi afastado de suas funções, supostamente em função da produção de reportagem sobre o custo dos pedágios nas estradas de São Paulo.

Ao ser questionado por Thiago Herdy, o tucano garantiu não ter tido qualquer participação no episódio. A reboque, acusou o governo federal de fazer uso político das emissoras estatais. No início desta semana, a TV Cultura ofereceu um novo cargo ao jornalista e também negou ter havido qualquer motivação política na troca de funções de Priolli.

O senhor pediu a demissão do diretor de jornalismo da TV Cultura?

Serra: Eu nem soube, eu nem sabia quem era o diretor (de jornalismo da TV Cultura). Aí você tem os twitters e os blogs sujos que vão espalhando (isso) na esperança de fazer pauta para a imprensa. Se teve algo que nunca tutelei, foi a TV Cultura. Ao contrário, é o governo federal que tem as suas emissoras usadas de maneira política muito clara.

O senhor se refere à TV Brasil?

Serra: São as emissoras em geral, inclusive a TV Brasil.

Radiobrás?

Serra: É, totalmente.

De que forma isso acontece?

Serra: De várias maneiras, o jornalismo é bastante criativo para poder fazer isso, esse jornalismo oficialista. A TV Cultura tem autonomia completa, pode pegar o noticiário para ver. É só ir olhar para ver se alguma vez houve alguma espécie de favorecimento.

O que foi argumentado é que o tema pedágio é um tema que incomodaria o senhor, isso é verdade?

Serra: (Irritado, fechou a cara) Não, não é.

Ao fim da entrevista, o candidato do PSDB retomou o tema espontaneamente:

Serra: Esse negócio da TV Cultura é tudo lorota. Eu passei o meu mandato com a TV Cultura no meu pé no jornalismo, nunca fiz nada.

Mas e o Heródoto Barbeiro…

Serra: O Heródoto ia ser trocado pela Marília Gabriela, isso já ia acontecer. O Heródoto entrou porque a Lillian Witte Fibe não deu certo. Mas você acha que eu era consultado em relação a isso? Imagina. A gente fica sabendo pelo jornal, aliás, eu sempre fiz questão. Até porque se você manda admitir um cara, até o momento seguinte, você é responsável, então não adianta se meter. Eu não me meto.

Os blogs estão falando sobre isso…

Serra: Aí é de Luiz Nassif para baixo.

O Estadão deu…

Serra: Mas aí acaba pautando a imprensa.

Responder

Marat

10 de julho de 2010 às 22h50

O conluio PSDB/iniciativa privada nos têm dado inúmeros dissabores. É difícil aguentar tantos anos com administradores incompetentes e sem espírito público aqui em SP…

Responder

Adilson

10 de julho de 2010 às 18h01

Não sei qual é pior, se esse que mata jornalistas ou a que Hidebrando Pascoal usava.

Mas qualquer serra é serra, o efeito devastador é o mesmo!!!

Responder

ladyslime

10 de julho de 2010 às 14h02

O Serra me lembra a Rainha de Copas: "Cortem-lhe a cabeça!" a torto e a direito.

Responder

    beattrice

    10 de julho de 2010 às 21h13

    Ainda bem que vem ai a "ALICE".

Milton Hayek

10 de julho de 2010 às 16h13

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/serra-na

Serra não administra nem sua agenda
Enviado por luisnassif, sab, 10/07/2010 – 10:12

Conhece-se um bom gestor pela maneira como administra seu tempo. Quem não consegue administrar a própria agenda pode até ser bom estrategista, bom líder, mas gestor, definitivamente, não é.

Em dezembro descrevi o estilo Serra de gestão. Começava a trabalhar às 11 da manhã, geralmente fora do Palácio. Não mantinha reuniões periódicas com Secretários. Pouquíssimas vezes participou de reuniões inter-secretarias. Não tinha a menor idéia sobre o que cada secretaria estava produzindo – prova maior é o fato de, tendo a mais ampla exposição que a mídia já ofereceu a um governante, jamais ter conseguido passar a idéia sobre o que seu governo fazia. Suas libações noturnas provavelmente eram dedicadas a livros e filmes, dificilmente para estudar problemas administrativos do Estado.

Passou a imagem de bom administrador pelo estilo autoritário, de exigir providências – aliás, importante para quem administra a máquina pública. Mas nunca conseguiu organizar nem idéias, nem articular planos, nem dispor de acompanhamento das ações de secretários, para, aí sim, fazer exercer seu mando. E faltava algo fundamental para dar eficiência ao mando idéias claras para saber o quê e como decidir.

Quando ainda acreditava no potencial administrativo de Serra, sugeri que se inteirasse sobre planejamento estratégico, ferramentas de gestão. Sua resposta foi auto-suficiente, proporcional à sua insegurança interna: não preciso, porque faço acontecer. Quando encarar realidades mais complexas – respondi-lhe – você vai se perder.

Para ser um grande líder parlamentar – e Serra foi – bastava bons assessores acompanhando uma pauta restrita de assuntos e trazendo para ele o problema e a solução. Para gerenciar realidades complexas – como prefeitura e governo do Estado – não foi suficiente.

Mais: é absolutamente inseguro sobre sua capacidade de discernimento. Confrontado com qualquer evento que saia da rotina e que, principalmente, implique conflitos, trava. E não tem segurança sequer para juntar a equipe, ouvir as sugestões e arbitrar. Não soube como agir na greve da Polícia Civil, na crise da USP, no episódio das enchentes (sumiu de cena, não se soube de uma reunião de coordenação comandada por ele), no lançamento da sua candidatura, na escolha do seu vice, na reação à crise econômica global e – pela matéria do Estadão – é incapaz sequer de definir previamente sua agenda de candidato. Essa é a razão de jamais ter rompido com o fernandismo: sempre se escorou na visão mais pragmática de FHC sobre estratégias políticas.

Seus arrufos contra o mercadismo de FHC – chegou ao cúmulo de estimular uma CPI contra o Ministro da Fazenda Pedro Malan – era muito mais para conseguir cacife para se credenciar junto ao pai FHC.

Pior que isso, não pensar estrategicamente, não ter capacidade de escolha são características pessoais, que se tem ou não tem. Mas valorizar o planejamento é uma questão central. Não se exige de nenhum governante conhecimento prévio, qualidades pessoais de gestor. Mas exige-se que valorize o gestor e o planejamento.

No entanto, Serra manteve o desmonte de toda estrutura de planejamento do Estado, uma jóia criada antes dos anos 80, com instituições como Cepam, Fundap, Emplasa, o corpo técnico da DERSA, do Metrô, sendo submetidos ao sucateamento inexorável.

Ou seja, nesses seis anos como executivo, Serra comprovou não ser gestor (não administra), não ser líder (não definiu uma bandeira clara sequer para sua tropa), não ser planejador, não valorizar o planejamento e as boas práticas de gestão e muito menos ter vocação de estadista (ambição de mudar a natureza do Estado).

Nas mãos de governadores com visão – como Eduardo Campos, Paulo Hartung, Aécio/Anastasia, Marcelo Deda, Jacques Wagner – São Paulo não seria mais a locomotiva do país: seria o avião a jato.

Do Estadão

Agenda vira o maior segredo da campanha

Julia Duailibi – O Estado de S.Paulo

[youtube n5B_lU-Tjgo http://www.youtube.com/watch?v=n5B_lU-Tjgo youtube]

Responder

    beattrice

    10 de julho de 2010 às 16h42

    "Nas mãos de governadores com visão – como Eduardo Campos, Paulo Hartung, Aécio/Anastasia, Marcelo Deda, Jacques Wagner – São Paulo não seria mais a locomotiva do país: seria o avião a jato. "
    Menos, menos, a dupla AECIO/ANASTASIA não fica nada a dever à incompetência SERRA/ALckmin.
    Mas que no des-governo dele SP atuou pior que teco-teco enguiçado não há dúvida.

    José Malaquias

    10 de julho de 2010 às 21h41

    O texto é brilhante. A sensação que ficou do Governo Serra é de que ele dormiu quando começou a governar e acordou só agora. Mas os esquemas continuaram funcionando, tipo o Esquema dos Pedágios, das tercerizações etc.
    Eu pensei, que mesmo governando para a direita e para si próprio, ele faria um bom governo para concorrer à presidência. Foi um engano. Do demotucanato, essa foi a pior passagem, para meu espanto.

    José Malaquias

    10 de julho de 2010 às 21h47

    Sabe o que a mim parece? Que o Estado de São Paulo está no osso. E todo dinheiro que entrou precisou ser desviado para a campanha presidencial. Por isso não deu para fazer nada.

elvis

10 de julho de 2010 às 09h22

No paraná não é diferente, além de deter a mídia, rixa ainda compra pequenos partidos. é o modus operandi dos tucanos. aliás, tucano é um bicho predador, ele se alimenta de filhotes de outros passaros, tal qual o psdb que vive da morte de nossos filhos. Veja o caso de foz do iguaçu, onde morrem mais jovens assassinados neste país.

Responder

    Carlos

    10 de julho de 2010 às 16h01

    Destaque-se: Richa é parte/parcela do grupo que controla a prefeitura de Curitiba desde 1988. Passados 22 anos, não conseguiram – ou não quiseram? – solucionar o gravíííííííííísimo problema que é a destinação do lixo da cidade e região metropolitana.

Armando do Prado

10 de julho de 2010 às 02h47

Inadmissível o comportamento autoritário do senhor Serra e sua entourage. E a mídia é sem vergonha, porquanto se submete gostosamente ao fascista pretendente a presidente. Que a democracia e os votos nos livrem de tal ameaça.

Responder

Milton Hayek

09 de julho de 2010 às 23h33

O filósofo Paulo Ghiraldelli Jr coloca a revista Veja na parede e explica o método Paulo Freire

[youtube BPrSTXK2Wto http://www.youtube.com/watch?v=BPrSTXK2Wto youtube]

Responder

Leider_Lincoln

09 de julho de 2010 às 23h15

Parece que eles recuaram, Azenha. Penas devem estar voando para todos os lados: http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/cultura-

Responder

    Henderson_hds

    10 de julho de 2010 às 16h37

    Vocês querem pautar a tv cultura agora? Se não vai ao ar um programa, lenha neles?
    Vejamos o desdobramento desse caso, mas uma coisa já é óbvia para aqueles que não se locomovem com as mãos no chão: já começou o ataque petista à liberdade de imprensa!!!!!!

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/764916-pt-sp-p

    Carlos

    10 de julho de 2010 às 18h10

    Paulistas têm o direito, sim, de discutir a pauta/programação da TV Cultura.

ANTONIO ATEU

09 de julho de 2010 às 23h06

O FRIO NA COLUNA DO PIG

Imprensa pede que governo do Equador pare com anúncios críticos na TV

DA REUTERS, EM QUITO

Grupos privados de mídia do Equador pediram que o governo esquerdista pare de exibir anúncios na TV estatal, durante as partidas da Copa do Mundo, que acusam jornalistas de distorcerem a verdade no país.

A associação equatoriana de televisão disse que as mensagens do governo "fomentaram a desunião e a estigmatização daqueles que não se submetem aos interesses dos poderosos".

Um anúncio que foi exibido durante os jogos da Copa sugere que jornalistas são mais leais às empresas que os pagam do que à busca pela verdade.

"A verdade deve ser o maior princípio por trás da liberdade de expressão", diz a propaganda.

Na semana passada, um comitê do Congresso aprovou um projeto de lei que cria um órgão de supervisão de mídia para assegurar que jornalistas produzam histórias "verdadeiras e razoáveis".

O projeto de lei agora vai para o Congresso para debate. A proposta é apoiada por legisladores alinhados ao presidente Rafael Correa, que regularmente critica jornais locais e emissoras de TV que questionam suas políticas de esquerda.

O órgão supervisor teria como objetivo garantir que a comunicação de massa é "verdadeira, razoável, dentro do contexto apropriado e baseada em múltiplas fontes".

O comitê de sete membros, que incluiria duas pessoas nomeadas pelo presidente, não poderia punir jornalistas por não atingirem esses "padrões de qualidade".

Responder

    Renato

    13 de julho de 2010 às 23h56

    Ou seja, Equador, Bolívia e Venezuela seguindo os mesmos caminhos de Cuba.
    Sem iniciativa privada, sem individualidade e sem expectativas de sonhos.

Milton Hayek

10 de julho de 2010 às 01h41

Rolam as pedras/Deixa rolar…….(Kiko Zambianchi)

Douglas Anfra
20 de maio de 2010 às 3:47

Segundo me contavam, o tucanato está em crise, desde que faleceu o Sr. Richtofen, coordenador do caixa 2 do tucanato em sampa. O PSDB, muito provavelmente, nunca mais verá a cor deste dinheiro. Diziam da filha loira burra, mas nem era tão burra assim. Desde então, toda a grana do PSDB necessita advir de obras, o que teria gerado conflitos entre a passagem de gestões Alckmin e Serra, em relação às fontes de propina de uns e de outros. Serra ganha politicamente na disputa, mas a grana que o financia busca novas fontes, no caso, as obras.
Obras financiadas pelo governo federal são rastreadas, então somente obras com terceirização passaram a ter a possibilidade de desviar grana, a custo de cortarem parte da grana delas, como no metrô que passou a utilizar material de terceira e mudar o contrato. Ela começa com licitação, mas prossegue terceirizando.
Mas esta grana só aparecerá com a linha amarela funcionando.
Outra fonte foram os decretos do Serra, que quase atingiram a USP, fizeram com que a grana das autarquias desaparecesse entre a dotação e o gasto formal, quando são aplicadas, o que permite aplicações financeiras não declaráveis, mas cujos rendimentos podem ser recolhidos sem o acompanhamento público, pois só pode ser feito por figuras específicas do judiciário e do governo.
http://www.conversaafiada.com.br/pig/2010/05/16/v

Responder

    Milton Hayek

    09 de julho de 2010 às 22h49

    Que vergonha,Dvoaraque!!!!!!!!!!!!!!!!!Receber salário desse esquema nojento é humilhante!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Milton Hayek

    09 de julho de 2010 às 22h51

    EHEHEHEHEHEHEHEHEHEHEHEHEHEHEHEHEHHEHEHEHEHHEEHEHEHEHEHEHEHEHEH

mac

10 de julho de 2010 às 01h23

TV Cultura afasta Gabriel Priolli uma semana após nomeá-lo diretor de jornalismo
http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/764729-tv-

Responder

Jeanette

10 de julho de 2010 às 00h37

Comentário sobre este assunto no blog do prof. Hariovaldo: http://hariprado.wordpress.com/2010/07/09/defenes

(Tem até uma enquete citando o nome do Azenha)

Responder

Antonio

09 de julho de 2010 às 20h06

Prezado Azenha,

Vou tratar abaixo de coisa muito séria:
É a criação da CARTILHA NACIONAL DO JORNALISTA ENTREVISTADOR DO SERRA (CNJ do Serra).
Sugiro que todos na comunidade enviem contribuições para essa maravilhosa cartilha.
O Dukrai escreveu umas proibições a jornalistas neste Blog e eu as emendei, criando assim a preciosa cartilha. Abaixo envio essa singela contribuição:

CARTILHA NACIONAL DO JORNALISTA ENTREVISTADOR DO SERRA (CNJ do Serra)

Dukrai
proibido falar em pedágio
proibido falar em enchente
proibido falar em vice
proibido falar em amante
proibido falar em greve
proibido falar em arruda
proibido falar em diploma
proibido falar em fernandenrique
proibido falar em vampiro
proibido falar em Mick Jagger

Antonio
proibido falar em Lula
proibido falar em privatizar
proibido falar em genéricos, se outro for o pai

Aceitamos colaborações para a Cartilha Nacional do Jornalista Entrevistador do Serra (CNJ do Serra)

Responder

    Samira I da Silva

    10 de julho de 2010 às 00h51

    Embora não seja da área, também quero participar dessa Cartilha. Então, aí vão minhas sugestões para a:
    CARTILHA NACIONAL DO JORNALISTA ENTREVISTADOR DO SERRA (CNJ do Serra)

    proibido falar em Real, se outro for o pai
    proibido falar em FAT, se outro for o pai
    proibido falar em Vale do Rio Doce
    proibido falar em PAC
    proibido falar do buraco do metrô
    proibido falar em terceirização
    proibido falar de Rouboanel
    proibido falar dos salários de fome de professores do Estado de São Paulo
    proibido falar dos salários de fome de policiais do Estado de São Paulo

    kimparanoid

    09 de julho de 2010 às 23h08

    Essa cartilha vai ser de grande utilidade pública, porque se a coisa continuar do jeito está não vai sobrar jornalista empregado pra entrevistar o ilustre candidato tucano (e a TV Cultura só vai apresentar programa de culinária).
    Aliás essa cartilha bem poderá servir de material didático para aquele colégio técnico que o governo paulista vai criar em parceria com globo, naquele terreno público gentilmente ocupado pela emissora.

    José Malaquias

    10 de julho de 2010 às 16h11

    Em solidariedade aos jornalistas despoticamente demitidos, vou dar minha contribuição à:
    CARTILHA NACIONAL DO JORNALISTA ENTREVISTADOR DO SERRA (CNJ do Serra)

    proibido falar que não existe projeto de governo
    proibido falar do combate às drogas em São Paulo
    proibido falar de neoliberalismo feito para afundar qualquer país
    proibido falar em enriquecimento ilícito
    proibido falar em corrupção
    proibido falar em governar para os amigos
    proibido falar de pobre
    proibido falar de nordestino
    proibido falar de trabalhador
    proibido falar da Dilma
    Proibido falar em sucateamento da educação em São Paulo
    Proibido falar em sucateamento da Saúde em São Paulo
    Proibido falar em sucateamento da Segurança Pública em São Paulo
    Proibido falar em Homer Simpson
    Proibido falar do diabo
    Proibido falar de Leviatã
    Proibido falar do abraço carinhoso no povo

    Cissa

    10 de julho de 2010 às 14h07

    Muito boa. Quero colaborar também para reforçar esse material de extrema importância para intensificarmos o debate sobre o significado da "liberdade de imprensa", abordada de forma convenientemente torta pelos mesmos que demitem, amordaçam, formatam e destroem a categoria de jornalistas.
    Minha contribuição à: CARTILHA NACIONAL DO JORNALISTA ENTREVISTADOR DO SERRA (CNJ do Serra)

    Proibido falar de Sistema Único de Saúde –
    Proibido falar de controle de dengue, da falta de vacinas e anestesias para partos em hospitais públicos
    Proibido falar de investimentos na atenção básica dos municípios
    Proibido falar de Samu
    Proibido falar de Saúde da Família
    Proibido falar de pesquisa pública
    Proibido falar de Estado como indutor de políticas públicas
    Proibido falar de democracia
    Proibido falar de conselhos populares
    Proibido falar de Conferências
    Proibido falar de Participação Popular
    Proibido falar de Orçamento Participativo
    Proibido falar de construção coletiva
    Proibido até pensar que um outro mundo é possível

    Samira I da Silva

    10 de julho de 2010 às 16h18

    Mais contribuições para a:
    CARTILHA NACIONAL DO JORNALISTA ENTREVISTADOR DO SERRA (CNJ do Serra)

    Proibido falar em descer o cacete em trabalhador
    Proibido falar em descer o cacete em flagelado das enchentes
    Proibido falar em descer o cacete em policiais grevistas
    Proibido falar em descer o cacete em trabalhador sem terra
    Proibido falar em descer o cacete em professor
    Mas pode falar da amante, se for discretamente

    Henderson_hds

    10 de julho de 2010 às 16h43

    Também quero dar minha contribuição: só que do lado oposto:

    O que não se deve perguntar a Dilma Russein ( isso se ela comparecer à entrevista):

    Sobre dossiê petista;
    sobre mensalão;
    sobre seu passado na Var-Palmares;
    sobre Lina Vieira;
    sobre a imane tributação do gobverno Lula;
    sobre o péssimo índice da educação brasileira;
    sobre seu vice, que foi citado numa planilha da Camargo Correa;
    sobre a CPI da Petrobras, que por obra da base governista chegou a um único ponto: A petrobrás é uma estatal;
    sobre o filho do Lula, que dá inveja a qualquer burguês moderno: de ninguém passou a milionário;
    sobre o MST, seu segundo partido;

    José Malaquias

    10 de julho de 2010 às 20h05

    Henderson, isso tá muito fraquinho cara. É trololó demotucano.

    Samira I da Silva

    10 de julho de 2010 às 19h53

    Aproveitando as idéias do Henderson, que escreve abaixo, tem mais contribuições para a:
    CARTILHA NACIONAL DO JORNALISTA ENTREVISTADOR DO SERRA (CNJ do Serra)

    Proibido falar sobre quem inventou os dossies trololó
    Proibido falar em mensalão e Daniel Dantas
    Proibido falar em mensalão mineiro
    Proibido falar em Distrito Federal – tá fora do mapa
    Proibido falar de MST e trabalho escravo no campo
    Proibido falar das mortes no campo
    Proibido fala de Álvaro Dias
    Proibido falar de Yeda Crusius
    Proibido falar em Rio Tietê cheio até a boca de terra
    Proibido falar em desvio de verba da Saúde para a ciranda financeira
    Proibido falar em Internet livre
    Proibido falar do PH
    Proibido falar de Daniel Dantas, salvo para dizer que ele é Brilhante
    Proibido falar em PIG
    Proibido falar em porquinhos
    Proibido falar em truculência
    Proibido falar em despotismo
    Proibido fala em inacabado e obra inacabada

    José Malaquias

    10 de julho de 2010 às 20h09

    Proibido falar de Índio – o Rei sou Eu

Almeida Bispo

09 de julho de 2010 às 19h40

O Nassif tá fora do ar. Tem mais de uma hora que tento acessar e não dá retorno. Seriam os bravos soldados de Serra intervindo?

Responder

maconheiro

09 de julho de 2010 às 19h33

o Serra só gosta do Reinaldo Azevedo e do Noblat . Eles se amam !!!

Responder

Marat

09 de julho de 2010 às 17h15

Essa é a demoracia do Serra, do PSDB e do PFL…

Responder

Geysa Guimarães

09 de julho de 2010 às 17h03

O modus operandi do Serra é esse, "discreto". Basta um telefonema para o seu controle particular da mídia.

Responder

Humberto de Alencar

09 de julho de 2010 às 16h43

Ainda bem que estes "monstros da guilhotina" da Imprensa não vão comandar o País. Nós, os nordestinos, já sabemos de que eles são capazes. Vade retro. Dia 03 de outubro a resposta. José Humberto de Alencar – [email protected] – cidade de Araripe – Ceará – RG 234.864 CE

Responder

Beto Magalhães

09 de julho de 2010 às 16h24

Esta experiência já foi feita aqui em Minas com o "Deus" Aécinho pautando a imprensa. É horrível.

Responder

beattrice

09 de julho de 2010 às 16h04

E vem aí apra substituir o Heródoto a Marília Globo Gabriela.

Responder

Fabricio

09 de julho de 2010 às 15h54

Os pedágios das federias, vide Fernão Dias, são muito mais baratos…..

Sua lógica é burra!

Responder

Carmen Pires

09 de julho de 2010 às 15h30

E assim os pedágios vão.

"Em vila do interior, se gasta R$17,60 em pedágio para ir à igreja ou ao cemitério"

Comunidade suíça localizada no km 62 da Rodovia Santos Dumont foi dividia ao meio, alterando a rotina dos moradores, dificultando o acesso à região e degradando o patrimônio.
http://www.pt-sp.org.br/noticia.asp?p=S%E3o%20Pau

Responder

    beattrice

    09 de julho de 2010 às 16h03

    Um bairro tradicional de imigrantes que paga pedágio para enterrar os mortos ou homenageá-los.
    Esse é o des-governo Serra + Alc-ckmin em SP.

sergio

09 de julho de 2010 às 15h29

chavez perto do serra é menino, esse marionete dos frias,marinhos e civitas é realmente vampiresco.

Responder

    Vicente

    09 de julho de 2010 às 19h39

    Carinha,

    Tu conseguiste, meu chapa, juntar a cambada toda num cesto só.

joão

09 de julho de 2010 às 15h17

que tal perguntar para o indio o que ele acha do preço cobrado do pedagio em são paulo

Responder

    beattrice

    09 de julho de 2010 às 16h20

    Se o Índio se atrever a responder, ele demite o Índio.

    Marat

    09 de julho de 2010 às 17h20

    O tal de Índio, coitado, será mais uma marionete nas mão do tenebroso Dt. T…

    Carlos

    09 de julho de 2010 às 16h30

    Mesma pergunta deve ser dirigida aos apoiadores do Serra nos estados – candidatos a governador, apo congresso nacional e às assembléias legislativas.

Luis

09 de julho de 2010 às 15h00

Poder de mídia + Poder de Estado = pilares para uma ditadura nos moldes do despotismo esclarecido mas sem qualquer fronteira limitada.

Responder

Paulo Marcel

09 de julho de 2010 às 14h50

Mais um sambou na TV Cultura, no samba do Pedágio de São Paulo.

Este samba é de Partido Alto.
Desta vez foi Gabriel Priolli.
A TV Cultura está sendo massacrada pela Censura.
Cadê o pessoal do Instituto Millenium? Os Paladinos da Democracia e Liberdade de Expressão.
Cadê a Globo, com Willian Boner e Fátima Bernardes? Cadê a Veja? Cadê a Folha de São Paulo? Cadê a Band? Cadê todo mundo???? Cadê os guerreiros da Liberdade de Imprensa? Os mesmos que Censuraram o PNDH III.
Cadê todo mundo??????
A TV Cultura está sendo massacrada pela Censura.
A direita Reeditou o AI-5.

A GENTE NÃO PODE BAIXAR A GUARDA!!!!!

Este ano vai ser de batalha… Uma batalha silenciosa que será ganha na surdina. No final, ninguém vai saber o que aconteceu, mas vai saber que vencemos.
http://todeolhomalandragem.blogspot.com

Responder

Armando P. Silva Jr.

09 de julho de 2010 às 14h49

Qual é a informação que os jornalistas tem do sr. Fernando Vieira de Melo, vice-presidente de conteúdo da TV Cultura?
Pelo que sei, já trabalhou na Jovem Pan, e Grupo Bandeirantes de Rádio e TV.
Pelo jeito, o forte dele não é liberdade de imprensa. Alguém poderia dar mais informações sobre esse sujeito.

Responder

Tomudjin

09 de julho de 2010 às 14h46

Algumas estradas pedagiadas, se quer, têm faixa adicional, ocasionando perda de tempo e insegurança nas ultrapassagens.
Tudo bem que usem a licitude para cobrarem tarifas absurdamente ilícitas, mas ocasionar risco aos motoristas com a inexistência de uma faixa adicional, é inconcebível. Além, é claro, da perda de tempo e, consequentemente, da perda de dinheiro. Dinheiro esse que sai dos bolsos dos motoristas que acreditam que têm o "direito constitucional?" de ir e vir nessas estradas.

Responder

O Brasileiro

09 de julho de 2010 às 14h26

Estou ansioso para ver a votação do Serra em SP… até mesmo, porque a Dilma não é nordestina como o Lula, e ainda tem curso superior… acho que ela os paulistas conseguem engolir melhor!!!

Responder

O Brasileiro

09 de julho de 2010 às 14h22

Isso, Milton. Você chegou ao ponto!
O dinheiro pra Folha. Campanha!
O dinheiro pra Veja. Campanha!
O dinheiro dos pedágios. Campanha!
Só a procuradora Cureau finge que não vê!!!

Responder

    Milton Hayek

    09 de julho de 2010 às 14h32

    Algum dia,Brasileiro,o modus operandi de eliminação de testemunhas de esquemas com dinheiro público vai explodir.Lembra daquele caso dos Sanguessugas com as ambulâncias???????????Abel Pereira,principal testemunha,teve um infarto jogando futebol.Ele trabalhava com Barjas Negri,assessor de Serra no Ministério da Saúde na época das compras de milhares de ambulâncias.
    Eu acredito em tudo porque foi o PIG quem disse……

    beattrice

    09 de julho de 2010 às 16h07

    O PiG não diz mas a população de Piracicaba jura que não foi infarto, que foi outra coisa.

Gerson Carneiro

09 de julho de 2010 às 14h09

[[youtube txaZpivkJkI http://www.youtube.com/watch?v=txaZpivkJkI youtube]

Responder

Mª vivamandela

09 de julho de 2010 às 13h41

Eu não consigo entender por que numa concessão pública e em plena DEMOCRACIA, esteja acontecendo tantos desmandos, É preciso que estejamos atentos! Esse "MODUS OPERANDIS" já conhecemos.

Responder

    beattrice

    09 de julho de 2010 às 16h16

    Porque no estado de SP a dinastia tucana trata o bem público como se fosse do estado, e o do estado como se fosse bem privado, deles.

    Marat

    09 de julho de 2010 às 17h22

    São Paulo é um feudo do PSDB/PFL. Por isso mesmo está atrasadíssimo na área política. Some-se a isso uma imprensa onde 90% é empregadinha desses políticos e os corajosos 10% perdem seus empregos, após ligações do nefando Serra e cia limitada…

Geraldo Mendes

09 de julho de 2010 às 13h38

Dilma quer que a sociedade civil e governo controlem a imprensa através de conselhos e normas, como os médicos, engenheiros, economistas, contadores, enfermeiros, etc, etc. O PIG quer ser controlado pelos déspotas, que compram assinaturas, mandam imprimir livros escolares, libera terreno, mas manda contratar e demitir jornalistas. De que lado está a liberdade de imprensa?

Responder

Antonio

09 de julho de 2010 às 13h21

Odorico Pedágio Paraguaçu não tem escrúpulos. É perigoso. Se fosse mais inteligente demitiria depois das eleições. É truculento. Um reizinho.
É isso que queremos para presidente do Brasil?

Responder

Henderson_hds

09 de julho de 2010 às 13h09

Ah, entendi. Serra, Marina e Dilma vão ao Roda Viva, Heródoto sai e a culpa é de… Serra. Isso mesmo.
Heródoto não fez nenhuma pergunta desconfortável a Dilma, não é? Dossiê…

Coitado do Serra, tudo que acontece é culpa dele. Repórter demitido, Serra. 6 multas a Lula, conluio do Serra.

Aliás, é verdade que vocês ficaram irritados com esta charge?
http://www.nanihumor.com/2010/07/programa-de-dilm

Responder

    nonon

    09 de julho de 2010 às 13h23

    De quem é a rede cultura? É da Marina eda Dilma ou é do governo estadual?

    Mª vivamandela

    09 de julho de 2010 às 13h34

    É culpa mesmo desse remendo de Ditadorzinho. E tu o que fazes aqui? Vai procurar a tua "MASSA CHEIROSA" e não nos importunes com tuas baboseiras. Tá com pena do Zé NOSFERATU, leva pra tua casa!
    O Lula foi multado porque o TSE é uma Instituição que faz parte da "Massa Cheirosa" e portanto vai multar sempre que se opor ao candidato deles.

    DOSSIÊS, SÃO BEM A CARA DAQUELES PELOS QUAIS TU É MANIPULADO, SÃO EXPERT NO ASSUNTO.

    Henderson_hds

    09 de julho de 2010 às 14h49

    Não iria perder meu tempo respondendo a uma fifura como você. Mas respeito o debate democrático, ao contrário de vocês.

    Primeiro: O que é "massa cheirosa" ? A elite? Então não faço parte disso.

    Segundo: O seu nível torna-se cediço quando apela a insultos ao sobrecabado José Serra.

    Por último: vá procurar um psicólogo. Você vive noutro mundo

    Mª vivamandela

    09 de julho de 2010 às 16h43

    Pois é, mas tu perdeu TEU TEMPO quando tu fica justificando. Pergunta da ELIANE CATANHEDE QUE ELA TE DIRÁ. O QUE É MASSA CHEIROSA, parece que tu adora o Zé Pedágio!
    Eu vivo no BRASIL e quero um país onde todos sejamos tratados com respeito e igualdade, isso não é o que desejam os DEMOTUCANOS.

    PS. AH! NÃO SOU FIFURA, SOU CIDADÃ COM OPINIÃO PRÓPRIA.

    Leider_Lincoln

    10 de julho de 2010 às 11h09

    Srta/Sra, esse Henderson deve ser uma piada dos criadores do Professor Hariovaldo, não se preocupa não.
    Quem escreve coisas como "seu nível torna-se cediço quando apela a insultos ao sobrecabado (…)"? Só um humorista ou um ridículo. É piada! ^^

    nonon

    09 de julho de 2010 às 13h37

    Pergunte ao Luis Nassif por que saiu da cultura.

    Julio Silveira

    09 de julho de 2010 às 13h44

    Que ingenuo. Não sabe que a TV Cultura é gerenciada pelo Estado de São Paulo, que por acaso é governado por tucanoides.

    Fabiano

    09 de julho de 2010 às 13h55

    Não sei se vc se deu conta que a notícia acima está falando de Gabriel Priolli e não de Heródoto.

    Marcia

    09 de julho de 2010 às 14h02

    Henderson, só lhe dou uma pequena margem de razão, o Serra é só o marionete bem pago, os que movem os cordéis são outros.

    Amarante

    09 de julho de 2010 às 14h04

    Quem está no governo de São Paulo e manda na TV Cultura é o PSDB. Quem ficou nervoso e não respondeu com educação a pergunta do Heródoto foi o Serra. Quem adora bater boca e desmoralizar jornalista, colocando toda a sua impáfia é o Serra.

    O que resta a vocês da oposição burra é esse humor barato de quinta, que me lembra o jornal da minha escola, que vamos combinar era menos apelativo.

    Marcos Álves

    09 de julho de 2010 às 14h08

    Caro Henderson, diz um ditado que "o pior cego é que aquele que não quer enxergar". Esta aí o seu problema…Os tucanalhas pediram, sim, as cabeças o Heródoto e do Priolli…E páre de babar os ovos dos caras, porque, senão, vai gastar a própria língua…Pela saco.

    Alexandre Fontenele

    09 de julho de 2010 às 14h12

    Ô Herderson a TV Cultura é controlada pelo Governo de São Paulo. Só o pessoal do PSDB do Serra pedágio poderia demitir os funcionários de lá.

    Henderson_hds

    09 de julho de 2010 às 14h46

    Enntão por que colocaram a Gabi? Uma profissional livre de quaisquer suspeitas?

    Odete

    09 de julho de 2010 às 16h36

    Livre de quaisquer suspeitas?!!!!! Ah, tá…….eu acredito. Aceitou o cargo e sabe que tem que dançar conforme a música (cantada por Serra et caterva, é claro).

    Marcelo Figueiredo

    09 de julho de 2010 às 14h14

    Concordo. O Serra não é culpado dos pedágios caros de SP. A culpa é de quem votou nele.

    Henderson_hds

    09 de julho de 2010 às 14h45

    As estradas de São Paulo são as melhores do país. Seja grato a isso.

    Mª vivamandela

    09 de julho de 2010 às 15h52

    TU AINDA ESTÁS POR AQUI? TU É PIOR QUE CERVEJA QUENTE CARA!

    GRANDE B… ! NÃO ESQUECE QUE FOI COM DINHEIRO PÚBLICO QUE FORAM FEITAS, NÃO SAIU DO BOLSO DO ZÉ NOSFERATU/PEDÁGIO/DEMOTUCANO.
    Obs; É FALTA DE EDUCAÇÃO ESCREVER TODO UM TEXTO COM LETRA MAIÚSCULA, MAS É A ÚNICA MANEIRA QUE ENCONTREI PRA SER GROSSEIRA CONTIGO.

    beattrice

    09 de julho de 2010 às 16h14

    De todas as mentiras do Serra, e são muitas, essa é uma das mais frequentes.

    beattrice

    09 de julho de 2010 às 16h15

    Na verdade, a culpa é de quem votou no Covas, porque ele nomeou o XUXU AL-ckmin OPUS DEI príncipe das privatarias no estado e o XUXU privatizou as estradas pualistas.

    O Brasileiro

    09 de julho de 2010 às 14h18

    A TV Cultura é subordinada ao PSDB, que governa SP há décadas, não ao PT, nem ao PV!!!
    Para bom entendedor…

    Henderson_hds

    09 de julho de 2010 às 14h44

    Se isso for verdade, por que colocaram a Gabi ? Ela se sujeitará a fazer o tão famigerado " jogo dos tucanos" para a Cultura?

    A sanha em achar defeitos na imprensa os leva a engendrar teorias vesanas sobre manipulações.

    Marat

    09 de julho de 2010 às 17h24

    Puxa vida… você tem razão… todos os outros internautas estão errados… Como não pensamos nisso antes? Dilma tem muito mais poder dentro da TV Cultura, que o "democrático" Serra… parabéns!!!

    santos

    09 de julho de 2010 às 18h22

    Henderson, o problema é que a TV Cultura é da ossada do Guverno de Sum Paulo que está na mão dos tucanos, entendeu, Mané?

    Leider_Lincoln

    09 de julho de 2010 às 19h53

    Meu caro troll a resposta que a Dilma deu nos aloprados d'a Folha virou hit. A farsa do dossiê virou fumaça: http://www.conversaafiada.com.br/politica/2010/07… e o PSDB é quem comanda a Rede Cultura e você tem a cara de pau e a desfaçatez de sugerir que foi o PT que mandou demitir dois repórteres que falaram ou tentaram falar sobre algo que constrange enormemente o Serra?
    O PT teria que ser formada por gente mais b.* que você, não acha? Ou então você acha que alguém aqui acredita em você, com essa credibilidade toda que você tem?

    Nelson Menezes

    10 de julho de 2010 às 01h17

    Oi Anderson vc precisa ir para casa,sua mamãe esta a sua esperneste endereço
    http http://www.nanihumor.com20107programa-vem pra casa filhinho

Marcelo de Matos

09 de julho de 2010 às 13h04

Penso que seria interessante que alguém mostrasse um comparativo entre os preços cobrados nas estradas brasileiras e no exterior. As estradas paulistas são boas, mas, os pedágios são muito caros e há muitos postos de arrecadação. É preciso mostrar os dados, por exemplo, quanto custa uma viagem de automóvel de São Paulo a Indaiatuba (90 Km) e São José do Rio Preto (450 km), ida e volta. Sei que para Indaiatuba são três pedágios bem caros, pagos na ida e na volta. A partir desses dados poderemos fazer uma campanha contra os altos preços do pedágio. Não é isso que faz o pessoal do DEM/PSDB com o impostômetro? Não dizem que pagamos muito imposto? Por que não criarmos o pedagiômetro?

Responder

dukrai

09 de julho de 2010 às 12h58

proibido falar em pedágio
proibido falar em enchente
proibido falar em vice
proibido falar em amante
proibido falar em greve
proibido falar em arruda
proibido falar em diploma
proibido falar em fernandenrique
proibido falar em vampiro
proibido falar em Mick Jagger

Responder

    O Brasileiro

    09 de julho de 2010 às 14h19

    E por enquanto, é proibido falar mal de Índio também!!!

    beattrice

    09 de julho de 2010 às 16h11

    E serão imediatamente revogadas as disposições em contrário. Amém.

    Marat

    09 de julho de 2010 às 17h25

    A impren$$$a sempre lutou contra os excluídos e os sacaneados, só que esse Índio ela apoiará!!!

    Antonio

    09 de julho de 2010 às 14h49

    proibido falar em Lula
    proibido falar em privatizar
    proibido falar em genéricos, se outro for o pai
    proibido falar em Real, se outro for o pai
    proibido falar em FAT, se outro for o pai
    proibido falar em Vale do Rio Doce
    proibido falar em PAC
    proibido falar do buraco do metrô
    proibido falar em terceirização
    proibido falar de Rouboanel
    proibido falar dos salários de fome de professores do Estado de São Paulo
    proibido falar dos salários de fome de policiais do Estado de São Paulo
    proibido falar do combate às drogas
    proibido falar que não existe projeto de governo
    proibido falar de neoliberalismo feito para afundar qualquer país
    proibido falar em enriquecimento ilícito
    proibido falar em corrupção
    proibido falar em governar para os amigos
    proibido falar de pobre
    proibido falar de nordestino
    proibido falar de trabalhador
    proibido falar da Dilma

Polengo

09 de julho de 2010 às 12h36

Essa história de pedágio é uma ofensa há muito tempo. Faz tempo que a coisa é indecente.
O lado triste é que está feito, e eu acredito mais em áudio do grampo sem áudio, mais na agenda da mocinha, mais no dossiê do mês passado e mais em duende do que numa revisão desses valores criminosos.
O lado feliz é que a bomba estourou na hora certa, e o mocinho calvo é tão ruim que nem disfarça – isso só enterrará mais a candidatura dele, junto com a laia dele – fora alguns que pularem fora, (que são os perigosos).

Responder

    Renato

    14 de julho de 2010 às 00h01

    Vocês preferem ficar parado duas horas na Régis Bittencourt em véspera de feriado, ou andar na estrada duplicada, com três faixas como a Bandeirantes?
    Prefiro a Bandeirantes.

Urbano

09 de julho de 2010 às 12h36

Eles estão na deles. Afinal, alguém tem que pagar a dívida e zé contra-rampa, o mitômano, é o cara.

Responder

Ismar Curi

09 de julho de 2010 às 12h21

Como é que se diz na mídia e pela boca da oposição, – o PT aparelha a máquina do Estado – . É isso. Entáo vamos lá, o caso da Cultura, e niguém fala do aparelho privado, que ao final das contas também é um aparelho de captura de corações e mentes, desse não se diz nada, pois, quem poderia dizer de si mesmo um covarde, um pulha, um canalha. Nem os tais ombudsman se arriscam a tais mea culpas sobre o aparelhamento de suas próprias máquinas. Aliás poderíamos afirmar de outro modo esse fenômeno, já que a "empresa do Estado" é uma máquina da democracia, isto é, da alteridade, enquanto a empresa privada não é obrigada a nada e só faz lucrar seus detentores, daí a importância da regulamentação externa, isto e, regulamentação democrática.

Responder

Milton Hayek

09 de julho de 2010 às 12h02

Quem mandou esses jornalistas tocarem numa das principais pernas do esquema de financiamanto de campanhas do PSDB,o famoso CAIXA 2 e CAIXA 3????????????????????????????????????????
Lembram do Manfred Richtoffen????????????Ele foi diretor da DERSA e,estranhamente,foi assassinado pela própria filha e mais dois rapazes.Dizem que eles mataram o engenheiro.Eu acredito porque o PIG disse…..

Responder

    beattrice

    09 de julho de 2010 às 16h09

    E para completar o assassinato se deu no auge das denúncias de superfaturamento do RODOANEL, de cujas obras o Manfred era o diretor.

Eduardo

09 de julho de 2010 às 11h56

Os paulistas não conhecem o zé, por isso o elegeram deputado, senador, prefeito da capital e governador. Só espero que não o elejam presidente (isso é que programa de ÍNDIO!!!!!!)

Responder

Felícia Mendes

09 de julho de 2010 às 11h51

INFELIZMENTE ainda existem alguns homens de ferro presos na época da ditadura militar, e para piorar são pessoas de grande importância no cenário nacional. Fernando Vieira de Mello abaixa a cabeça para os tucanos e proíbe o tema pedágio na TV CULTURA e segue em frete todo POMPOSO. Às margens vão se as demissões, Barbeiro e Priolli… Assim como os caras da cultura que fizeram esse papelão, os tucanos têm que ficar bem longe do governo de São Paulo. Chega! Mais de uma década de PSDB no comando. Passou da hora de uma renovação. Na luz que ainda resta no final do túnel temos um novo candidato, Paulo Skaf, que foi o único a fazer uma proposta diferente em relação a esse tema: Pedágio Sem Pagar.

Responder

    beattrice

    09 de julho de 2010 às 16h07

    SP não sobrevive a mais um mandato tucano, não sobrevive.

    Marat

    09 de julho de 2010 às 17h26

    Teremos de conviver com esses coronéis por um bom tempo, pois meu povo de SP não é politizado e, por tabela, não sabe votar!

Orlando Bernardes

09 de julho de 2010 às 11h47

Grandes democratas esse pessoal do PSDB. Aceitam numa boa o contraditório. E depois querem defender com unhas e dentes a liberdade de imprensa.

Responder

Tácio Nunes

09 de julho de 2010 às 11h43

É rapaz, bem que falaram que ele liga pros chefes pedindo a cabeça de jornalistas, mas ô Azenha, cadê a união dos jornalistas, a classe vai engolir calado? pensam que não é com eles, daqui a pouco vem e levam os que acham que não é com eles.

Responder

    beattrice

    09 de julho de 2010 às 16h06

    Aliás Azenha onde anda escondida a ABI tão ativa outrora neste país?

Amauri José

09 de julho de 2010 às 11h32

É isso ai , depois dizem que o Chávez é o ditador.

Responder

    Henderson_hds

    09 de julho de 2010 às 13h13

    Não. é a Dilma com o PNDH 3.

Marcos José

09 de julho de 2010 às 11h17

Aonde foi para a liberdade de imprensa, Governantes do Estado de São Paulo, cade o entusiasmo pela Revolução de 32, deve ter virado LIXOOOOOOOOOOO.

Responder

Luiz Rogerio

09 de julho de 2010 às 11h12

O Heródoto "barbeiro" foi mandado embora porque o Serra não tem cabelo, mas, e esse Priolli????

Responder

    Milton Hayek

    09 de julho de 2010 às 11h52

    Eu também acho que o Serra aproveitou a oportunidade para castigar o Heródoto Barbeiro por causa da imensa cabeleira deste.Eita inveja!!!!!!!!!!

    beattrice

    09 de julho de 2010 às 16h05

    Porque não gostava da mesma marca de spaghetti.

Jairo_Beraldo

09 de julho de 2010 às 10h21

Maldade do Nassif…o Zé de uma candura celestial, jamais iria perseguir quem quer que seja…ele gosta mesmo é de mandar descer a borracha em professores, policiais civis, mst….perseguir jamais…não o candido e democrata Zé.

Responder

Deixe uma resposta