VIOMUNDO

Diário da Resistência


Marcelo Zero aos que impediram Lula de velar o irmão: Vocês não têm decência?
Ministro Sérgio Moro, delegado Luciano Flores de Lima, juíza Carolina Lebbos, procurador Januário Paludo e desembargador Leandro Paulsen. Fotos: Agência Brasil, reprodução de vídeo, rede social e TRF-4
Você escreve

Marcelo Zero aos que impediram Lula de velar o irmão: Vocês não têm decência?


31/01/2019 - 02h26

A Indecência dos Creontes

por Marcelo Zero

Há leis que não precisam estar escritas. São parte constituinte da natureza humana. Estão gravadas na nossa alma, ou, se quiserem, no nosso DNA.

Os modernos as consideram os elementos que constituem o direito natural. Os antigos as chamavam de leis divinas.

São leis que estão acima das leis escritas pelos homens, das interpretações jurídicas conjunturais e, sobretudo, dos humores dos poderosos de plantão.

Sófocles, em Antígona, foi quem melhor traduziu a superioridade da lei natural, assentada na Justiça, da lei positiva, assentada no Poder.

Na peça, Antígona desafia o terrível rei Creonte, que havia proibido o enterro de Polinice, irmão da protagonista principal da tragédia.

Ela tenta enterrar seu irmão, conforme determina o costume religioso, a lei divina. É presa e condenada à morte por Creonte.

Numa das grandes passagens da literatura mundial, Antígona contesta a legitimidade da decisão de Creonte:

“( …) e a Justiça, a deusa que habita com as divindades subterrâneas, jamais estabeleceu tal decreto entre os humanos; nem eu creio que teu édito tenha forças bastante para conferir a um mortal o poder de infringir as leis divinas, que nunca foram escritas, mas são irrevogáveis (…)”

De fato, o enterro e as cerimônias funerárias, que os antigos gregos incluíam nas leis divinas, são indicativos da nossa humanidade.

Antropólogos consideram que um dos indícios do surgimento da humanidade é justamente o costume de enterrar e reverenciar os mortos.

As cerimônias funerárias fazem parte do sagrado, de algo que é profundamente humano. Por isso, elas são universais e transcendem culturas, épocas e leis.

Creonte, ao impedir cruelmente Antígona de enterrar seu irmão, afronta o humano e a justiça, e demonstra um poder que não tem nenhuma legitimidade.

Pois bem, o Brasil neofascista de hoje está cheio de “creontes”, autoridades que, embora poderosas, sofrem de nanismo moral e carecem de senso de humanidade e justiça.

O impedimento de Lula velar seu irmão equipara-se à crueldade abjeta de Creonte contra Antígona.

Com um sério agravante: a lei brasileira, a lei escrita, dava ao melhor presidente da nossa história o direito de fazê-lo.

Mesmo assim, nossos “creontes” inventaram “problemas logísticos” para impedir que a lei natural e a lei escrita fossem cumpridas.

Estranhamente, esses problemas logísticos não se manifestaram quando Battisti foi preso na Bolívia. De imediato, a PF enviou um jatinho para recolhê-lo.

Ademais, o PT ofereceu todo o transporte e a logística para levar Lula até São Bernardo. Em vão.

Os “creontes” afirmaram que havia “risco de fuga”. Como Lula, um homem de mais de 70 anos, e figura internacionalmente conhecida, poderia escafeder-se é mistério insondável.

O que não é mistério insondável é que o medo não era com uma possível fuga de Lula. O medo era, é e será com o que Lula representa.

Lula representa tudo o que eles odeiam mais.

Lula é aquela pobre criança do sertão nordestino que deveria ter morrido antes dos 5 anos, mas que sobreviveu.

Lula é aquele miserável retirante nordestino que veio para São Paulo buscar, contra todas as probabilidades, emprego e melhores condições de vida, e conseguiu.

Lula é aquele candidato que não devia ter chegado ao poder, mas chegou.

Lula é aquele presidente que devia ter fracassado, mas teve êxito extraordinário.

Lula é o excluído que devia ter ficado em seu lugar, mas não ficou.

Lula simboliza a possibilidade de um outro mundo, de um outro Brasil.

Lula é a ideia de um mundo justo e a esperança de um país melhor.

Para eles, Lula não deveria existir, mas existe.

Daí o ódio, daí a perseguição incessante e a cruel lawfare.

É o mesmo ódio que animava Creonte.

Na peça de Sófocles, Creonte afirma que nunca um “inimigo” lhe despertará empatia, mesmo após a morte. Em resposta, Antígona exclama que não nasceu para partilhar de ódios, mas apenas de amor.

O medo leva ao ódio, que, por sua vez, leva à crueldade e à indecência.

McCarthy, um Creonte moderno, fez toda sua carreira baseada no medo e no ódio aos “comunistas”, assim como hoje muitos fazem carreira no Brasil com base no medo e no ódio a Lula e ao PT.

Nessa cruzada, McCarthy, como acontece agora no Brasil, atropelou a justiça, o humano e todos os direitos, escritos e não escritos.

Chegou ao seu fim, um fim solitário, quando enfrentou o advogado Joseph Welch, que defendeu o Exército norte-americano de acusações de “infiltração comunista”.

Ante a acusação de que um dos auxiliares de Welch era um “comunista”, o grande advogado pronunciou sua fala imortal:

“Até o momento, senador, acho que não havia conseguido medir bem sua crueldade ou sua irresponsabilidade. Não vamos mais continuar a assassinar esse rapaz, senador. O senhor já fez o suficiente. Afinal, o senhor não tem senso de decência? ”

Creio que, ante essa absurda proibição de Lula velar seu irmão, aqueles que têm um mínimo de consciência e humanidade puderam medir a crueldade, o ódio e a desumanidade dos nossos “creontes”.

Só resta perguntar, como Joseph Welch, afinal, vocês não têm decência?

Obs. A decisão de Toffoli não muda nada. É tardia e ainda impõe que Lula tenha de estar enclausurado numa unidade militar. É ainda mais indecente.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

31 de janeiro de 2019 às 20h01

Pasadena e a Verdade dos Fatos

Em junho de 2014, O Globo informou que o Presidente da Petrobras
afirmou que a compra da refinaria de Pasadena, no Texas,
foi relativamente barata, com um preço abaixo de mercado,
e disse que Pasadena era lucrativa, argumentando render
faturamento de US$ 14 milhões por dia e lucro de US$ 62 milhões,
números referentes ao primeiro trimestre do ano.

Em agosto de 2014, o Estadão noticia que “Pasadena foi a única
a obter lucro no grupo Petrobras”, no primeiro semestre do ano, dentro do grupo Petrobras.
O lucro da unidade foi de cerca de US$ 130 milhões, motivado,
principalmente, pelo benefício do uso do petróleo
não convencional produzido nos Estados Unidos.

No relatório financeiro da Petrobras divulgado ao mercado,
a estatal relata que devido ao aumento de 8% da carga de petróleo
processada no exterior, entre o primeiro e segundo trimestres
do ano [2014],
a companhia conseguiu melhorar as margens de retorno,
com uma utilização avançada da capacidade de refino
de um óleo de boa qualidade, em Pasadena.
Apesar de não ter passado pelas reformas previstas no projeto
aprovado pela Petrobras em 2006, que adaptaria a refinaria
ao processamento do petróleo brasileiro do campo de Marlim,
do tipo pesado, a operação em Pasadena foi favorecida
pelo avanço da produção de petróleo não convencional,
do tipo leve, o chamado “shale oil and gas”.
Como nos Estados Unidos a exportação de petróleo depende
de aprovação do presidente da República,
é grande a disponibilidade interna do insumo,
próprio para a produção de combustíveis
de melhor qualidade e valor agregado.

Em março de 2014, o Jornalista Carioca Miguel do Rosario
já havia publicado reportagem com a seguinte manchete:

“FOLHA ENVIA REPÓRTER A PASADENA
E DESCOBRE, DE MÁ VONTADE,
QUE ELA DÁ LUCRO!”;
Acrescentando que “a jornalista Isabel Fleck viajou para lá
e publicou hoje [30/3/2014] sua primeira matéria sobre o tema.
E o que ela descobriu?
Que nos últimos dois anos, a refinaria teve seu melhor desempenho
desde 2005, ‘operando com uma boa margem’.
E com ‘média de 95% de aproveitamento’!”

https://www.ocafezinho.com/2014/03/30/folha-envia-reporter-a-pasadena-e-descobre-de-ma-vontade-que-ela-da-lucro/

Em dezembro de 2018 o Viomundo publica matéria
da Associação dos Engenheiros da Petrobrás (AEPET)
que afirma que Jair Bolsonaro mentiu ao dizer
que a Petrobrás não tem capacidade de investir:

https://www.viomundo.com.br/denuncias/bolsonaro-diz-que-a-petrobras-nao-tem-capacidade-de-investir-mentira-potencial-de-gerar-caixa-e-maior-que-o-da-exxon-explicacao-desenhada-para-bolsominions.html

Na mesma ocasião (05/12/2018) foi publicado
o seguinte comentário, aqui no Blog:

A Car Wash Operation identificou um lobista no Texas/USA, operando para 3 anãzinhas suíças/holandesas e deixaram as Gigantes Norte-Americanas do Petróleo livres para reaverem Pasadena, de graça.

https://br.reuters.com/article/topNews/idBRKCN1MZ2W3-OBRTP
https://www.opetroleo.com.br/exclusivo-chevron-negocia-compra-de-refinaria-da-petrobras-no-texas
https://www.dci.com.br/politica/lava-jato-investiga-gigantes-de-trading-por-propina-de-us-31-mi-na-petrobras-1.763459
https://www.opetroleo.com.br/exxon-mobil-planeja-triplicar-sua-producao-2/
https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/2017/01/economia/542228-exxon-mobil-vai-comprar-terras-na-bacia-do-permiano-no-texas.html

Responder

Zé Maria

31 de janeiro de 2019 às 18h16

Lula é o Prometeu Acorrentado que concedeu Benefícios Sociais do Estado aos Mais Pobres, contra a Vontade de Zeus=Mercado.
Por isso foi Acorrentado ao Rochedo, para que um juizéco Abutre
todo dia fosse lá arrancar-lhe um Pedaço do Fígado.
Enquanto um Procurador Hermes, Mensageiro das Togas,
Lacaio de Zeus=Mercado, vai periodicamente admoestá-lo
para ouvir a resposta de Prometeu:
“Prefiro meu Sofrimento à tua Escravidão”;
“Acho preferível estar Acorrentado a este Penhasco
a ser o Mensageiro Subserviente de Zeus=Mercado”.

https://yadi.sk/i/ya2H0OUM3TW4HX
https://onlinecursosgratuitos.com/06-livros-gratuitos-de-esquilo-para-baixar-em-pdf-tragedia-grega/

Responder

lulipe

31 de janeiro de 2019 às 17h16

“(…)Lula é aquela pobre criança do sertão nordestino que deveria ter morrido antes dos 5 anos, mas que sobreviveu.

Lula é aquele miserável retirante nordestino que veio para São Paulo buscar, contra todas as probabilidades, emprego e melhores condições de vida, e conseguiu.

Lula é aquele candidato que não devia ter chegado ao poder, mas chegou.

Lula é aquele presidente que devia ter fracassado, mas teve êxito extraordinário.

Lula é o excluído que devia ter ficado em seu lugar, mas não ficou.

Lula simboliza a possibilidade de um outro mundo, de um outro Brasil.

Lula é a ideia de um mundo justo e a esperança de um país melhor.

Para eles, Lula não deveria existir, mas existe. (…)

Lula é aquele que foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro.

Lula é aquele em quem milhões colocaram a confiança e foram traídos.

Lula é aquele que prefere pensar primeiramente nele, depois nele e por fim, nele mesmo em detrimento de todo mundo.

Lula é aquele que tá preso.

Lula é aquele que brevemente vai ser condenado em mais um processo criminal.

O choro é livre, lula não!

Responder

Cláudio

31 de janeiro de 2019 às 05h12

:
: Lula : o maior e melhor brasileiro de todos os tempos.

:.:

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.