VIOMUNDO

Diário da Resistência


Jeferson Miola: Para violar os direitos da menina estuprada, a juíza-monstruosa violentou também o Código Penal
Você escreve

Jeferson Miola: Para violar os direitos da menina estuprada, a juíza-monstruosa violentou também o Código Penal


21/06/2022 - 23h45

A perversão da perversão: a juíza-monstruosa violentou a menina

Por Jeferson Miola, em seu blog                             

A perversão da perversão: uma menina de 11 anos de idade, estuprada e engravidada em decorrência do estupro, sofreu dupla violação.

Ela foi violentada pelo estuprador e, depois, não menos grave, esta criança de 11 anos foi violentada pela juíza Joana Ribeiro Zimmer, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

A juíza se mostrou absolutamente inapta e inepta para exercer o cargo de juíza, uma vez que comprovou desconhecer aspectos comezinhos da legislação pátria.

Ela cometeu várias violências e violações em série. São violências e violações que, pelos danos materiais e psicológicos produzidos à criança, são equiparáveis aos danos provocados pelo estuprador da menina.

Conforme denunciou reportagem do site The Intercept, a juíza decidiu pelo afastamento da menina da própria família, submetendo-a ao suplício de suportar a gravidez sozinha, desamparada, em um abrigo.

A monstruosa juíza pediu paciência à menina: “mais um pouquinho […], para ele [o feto] ter a chance de sobreviver mais, ele precisa tomar os medicamentos para o pulmão e se formar completamente”, argumentou ela, que asquerosamente chegou a perguntar à menina: “quer escolher o nome do bebê?”.

Para violar os direitos da criança de 11 anos, a juíza Joana Ribeiro Zimmer violou também o Código Penal, que garante o direito ao aborto, independentemente do estágio da gravidez, quando há risco de vida para a gestante e quando a gravidez é resultante de um estupro.

A juíza se assumiu como homicida em potencial, uma vez que a gravidez em criança de 11 anos, além de extremamente arriscada, sujeita a gestante infantil a efetivo risco de morte.

Especialistas alertam que gravidez em crianças até 14 anos causa maior mortalidade materna que em mulheres de 40 anos.

A juíza foi afastada do caso. Não porque deveria ser demitida do poder judiciário, mas porque, segundo institucionalmente alegado, alguns dias antes tinha sido promovida na carreira [sic].

É preciso, no entanto, não só demitir a juíza Joana Ribeiro Zimmer do judiciário, como processar esta figura monstruosa e vomitável pelos crimes hediondos que cometeu.

 





8 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

RiaJ Otim

22 de junho de 2022 às 13h09

as leis de deus é superior a qualquer lei feita por mãos imundas. Se deus quis e deixou acontecer é por ter plano para esses

Responder

UM

22 de junho de 2022 às 12h02

Tem que ver se não é quadrilha de tráfico de crianças, envolvendo médicos, promotores, juízes, desembargadores, abrigos etc.

Responder

abelardo

22 de junho de 2022 às 09h11

O judiciário terá que cortar da própria carne, o Núcleo venenoso que parece estar comandando o corporativismo imoral e vicioso que domina a Instituição. Quase sempre que um dos seus sofre denúncia, em lugar da punição é revelada uma suposta promoção, que sempre se faz surgir anterior ao delito cometido. Eita instituição bondosa da porra é este judiciário brasileiro, só tem gente boa e inocente.

Responder

Zé Maria

22 de junho de 2022 às 04h41

https://files.nsctotal.com.br/s3fs-public/styles/paragraph_image_style/public/graphql-upload-files/abuso%20sexual%20em%20chapeco.jpg

O TJ-SC “puniu a Monstragistrada” com uma Promoção [SIC] para
a Comarca de Brusque, Município Catarinense do Vale do Itajaí.

Mas a Corregedoria Nacional de Justiça do CNJ ainda pode puni-la
‘severamente’ com ‘Aposentadoria Compulsória’ [SIC].

Ainda não foram divulgadas pelo Ministério Público de Santa Catarina
quais medidas serão adotadas em relação à Promotora Mirela, de igual
[má] índole, que no dia 6 de maio – há 45 dias – ajuizou Ação Cautelar para que a menina estuprada fosse isolada da família e internada em um ‘Abrigo’.

https://www.instagram.com/p/CfCdQbfluab/
https://www.brasildefato.com.br/2022/06/20/juiza-de-sc-induz-menina-de-11-anos-gravida-apos-estupro-a-desistir-de-aborto-veja-repercussao

https://twitter.com/lolaescreva/status/1525195283059118082
https://www.brasildefato.com.br/2022/06/21/nao-estamos-falando-de-pai-e-sim-de-estuprador-diz-conselheiro-do-cnj-sobre-caso-em-sc

Responder

Zé Maria

22 de junho de 2022 às 02h19

O Fascismo é uma Desgraça Desumana.

Responder

    Zé Maria

    22 de junho de 2022 às 08h42

    https://midias.correiobraziliense.com.br/_midias/jpg/2022/06/21/675×450/1_procuradora-25916932.jpg

    https://www.diariodocentrodomundo.com.br/wp-content/uploads/2022/06/procuradora-agredida-1536×864.jpg

    NOTA DA SUBSEÇÃO DA OAB DE REGISTRO/SP

    “A 54ª Subseção da OAB – Registro [SP], por sua Diretoria e pela Comissão
    da Mulher Advogada, vem a público REPUDIAR a inadmissível, covarde
    e grotesca agressão física praticada pelo Procurador Municipal de Registro
    DEMETRIUS OLIVEIRA DE MACEDO (inscrito na OAB/SP N° 305.997) contra
    a Procuradora Municipal de Registro GABRIELA SAMADELLO MONTEIRO
    DE BARROS (OAB/SP N° 304-314), fato ocorrido ontem nas dependências
    da Procuradoria Geral do Município.

    Ressalta que a agressão acima mencionada atingiu a toda a Advocacia e
    a toda a sociedade de uma forma geral, causando indignação permanente.

    A 54ª Subseção representará de ofício o Procurador Municipal agressor perante
    a Comissão de Ética e Disciplina, por conduta indigna com a Advocacia,
    bem como acompanhará o desenrolar do inquérito policial relativo a ocorrência.

    Prestamos, por fim, toda solidariedade e apoio à Procuradora Municipal e sua família”

    A Associação Nacional dos Procuradores dos Estados e do DF (Anape)
    também emitiu nota em repúdio ao ataque sofrido pela procuradora
    [Advogada Pública].

    “A agressão, feita pelo procurador municipal, precisa ser severamente punida,
    como forma de assegurar o restabelecimento do Estado Democrático de Direito”, diz a nota da Anape.

    O documento diz ainda que o “ataque violento desrespeita os direitos e princípios
    fundamentais dos cidadãos e atinge a esfera moral e ética de todos os advogados
    públicos e advogadas públicas que exercem com rigor seu papel na sociedade”

    Por fim, a associação defende que é fundamental que os procuradores tenham segurança e autonomia para exercer sua função essencial à Justiça.

    “A Anape manifesta sua solidariedade à procuradora que estava no desempenho
    pleno das suas funções profissionais”.

    https://www.correiobraziliense.com.br/politica/2022/06/5016991-procuradora-e-agredida-violentamente-por-colega-dentro-de-prefeitura-em-sp.html

    https://pbs.twimg.com/media/FV0HttPWQAEmYoZ?format=jpg

    “Em quem ele votou?”
    #NuncaFalha

    https://twitter.com/Lolaescreva/status/1539394179528278017

    https://twitter.com/i/status/1539352800274038786
    https://www.diariodocentrodomundo.com.br/video-procuradora-e-agredida-por-colega-de-trabalho-apos-abertura-de-processo-contra-o-agressor/

    Zé Maria

    22 de junho de 2022 às 12h11

    https://www.diariodocentrodomundo.com.br/wp-content/uploads/2022/06/procuradora-agredida-1536×864.jpg

Zé Maria

22 de junho de 2022 às 01h50

O NeoFascismo tomou conta não só do MP como da Magistratura Brasileira.
Os Bolsonaristas Moro e Dallagnol possuem Discípulos em todo o País.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding