VIOMUNDO

Diário da Resistência


Você escreve

Datafolha: Aprovação do governo Dilma sobe para 49%


11/06/2011 - 18h32

11/06/2011 – 16h00

Aprovação de Dilma resiste à inflação e crise, diz Datafolha

do UOL

A crise que levou à demissão do ex-ministro Antonio Palocci (Casa Civil) e a alta da inflação não tiveram impacto negativo na aprovação do governo Dilma Rousseff.

Mas a imagem pessoal da presidente foi afetada, de acordo com a pesquisa. Houve ainda uma piora generalizada nas expectativas com a economia, principalmente em relação à inflação.

Pesquisa Datafolha realizada nos dias 9 e 10 de junho mostra que 49% dos entrevistados consideram Dilma como ótima ou boa. No último levantamento, de março, eram 47%.

O levantamento revela também que a maioria dos brasileiros quer que o ex-presidente Lula opine nas decisões de Dilma.

A margem de erro da pesquisa, que ouviu 2.188 pessoas em todo o país, é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.





70 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Lucas

13 de junho de 2011 às 18h52

"Aprovação de Dilma resiste à inflação e crise, diz Datafolha"

Tradução: "É gente, tentamos mas não deu."

Responder

Samuel Velasco

13 de junho de 2011 às 10h06

Complementando o comentário anterior, havia me esquecido de outra falha metodológica grave da Datafolha: eles não fazem amostra piloto antes de definir o tamanho da amostra e doravante determinar com segurança antes do início da prospecção de respondentes qual será a margem de erro. Sem amostra piloto, o próprio tamanho da amostra fica enviesado e invalida a pesquisa. A gente se acostumou a considerar que são metodologias diferentes e válidas, mas cientificamente falando, não são.
O INMETRO deveria fiscalizar esses produtos e normatizar os procedimentos para um instituto ser reconhecido como "de pesquisa" e não de achismo.

Responder

Samuel Velasco

13 de junho de 2011 às 09h58

A metodologia de "pesquisa" da Datafolha é completamente falha. Pra economizar (uma pesquisa boa feita com 2 mil respondentes não raramente gira entre 100 mil e 160 mil reais) a Datafolha não traça perfil populacional de acordo com o IBGE e não determina aleatoriamente de onde devem sair as respostas dos entrevistados. O que a Datafolha faz é escolher as pessoas na base da aparência, em locais públicos, de maneira a manter uma proporção com o perfil traçado pelo IBGE, na base da intuição. Por exemplo, se a população brasileira segundo o IBGE tem X percento de classe média, os entrevistadores da Datafolha vão coletar pessoas na rua pra responder na base do achismo: acho que este é classe média. Depois eles verificam se a proporção foi atingida e fica tudo por isso mesmo.
Uma pesquisa estará completamente enviesada a partir do momento que a amostragem não for aleatória.
Pode jogar no lixo que não serve de nada.
Acho que no caso desta pesquisa a respeito da popularidade da Dilma, pode aplicar uma margem de erro de 51%, pra cima ou pra baixo. Ela não diz nada, a Dilma tanto pode estar com 80% de aprovação como de 30%.
O Vox Populi não tem uma pesquisa semelhante? Os resultados são mais confiáveis.

Responder

    Vinícius

    13 de junho de 2011 às 12h57

    Samuel, tem mais uma. Se você conhecer as pessoas que eles contratam para fazer entrevista, vai ver que é gente fazendo bico; nada contra porque é nessa situação que estamos lá em casa agora, mas significa que eles não tem treinamento nenhum. Sem contar a falta de comprometimento. Quer dizer, essa coisa "intuitiva" fica mais aleatória ainda.

    Você sabe alguma coisa da metodologia do Vox?

CNunes

13 de junho de 2011 às 09h21

Avaliacao do governo, ops, digo, das ações contra o governo:

Desde de as ideias inicias da chamada administracao cientifica no final do sec 19,
ate as mais em voga metodoligias de avaliacao de desempenho o que mais define
o pensamento corporativo é planejar e controlar.
Ou seja, estabelecer objetivos e depois medir se as ações tomadas surtiram os efeitos
desejados.
A pesquisa datafolha ( sabe-se lá o rigor dessa pesquisa) é exatamente isso, medir ao final das 'crises' da inflacao e do palocci
o quanto o objetivo de minar o governo foi atingido, e talvez dar publicidade ou prestar contas
aos financiadores desse projeto.

Responder

Klaus

13 de junho de 2011 às 08h24

Por que Lula tinha 83% de "ótimo/bom" e Dilma só 49%?

Responder

    Daniel

    13 de junho de 2011 às 09h40

    Por que não está 8 anos no governo?

    Bruno

    13 de junho de 2011 às 11h22

    Não só isso. O Lula já entrou no Governo como ícone popular. Os efeitos de um bom governo – aliados à imagem popular e populista que Lula sempre foi bom em fazer, ao contrário de Dilma – melhoram ainda mais a boa imagem do Presidente. Se a Dilma se sair bem dos primeiros dois anos de mandato, deve subir forte nas pesquisas. Mas acima de 80% para uma não-popular é muito difícil, mesmo se ela emplacar resultados melhores que os do antecessor.

    M. S. Romares

    13 de junho de 2011 às 12h35

    Agora fala que foi por graça e obra do farol. Ou se cansou do discurso surrado?? Essas viuvas não se mendam mesmo.

    Leider_Lincoln

    13 de junho de 2011 às 13h01

    Sejamos mais honestos: o Lula entrou no Governo, depois de Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP): com inflação na casa de dois dígitos, desemprego recorde, 1/4 de trilhão de dólares em dívida externa, de quatro para o FMI, sob apagão elétrico havia 9 meses, com as empresas públicas doadas aos amigos do rei, dólar a quase 4 reais e a auto-estima despedaçada era difícil haver coisa pior, não acha?

    beattrice

    13 de junho de 2011 às 16h42

    Coisa pior? Se tivesse entrado o Zé da Bolinha!!!!!!!!!

Cláudio Ribeiro

13 de junho de 2011 às 07h32

http://palavras-diversas.blogspot.com/2011/06/dat…

O Datafolha passa o recado da imprensa e da oposiçaõ para Dilma…O Instituto não fez a mediçaõ de popularidade e sim de algumas hipóteses…

Responder

João

12 de junho de 2011 às 22h20

Que chique!

Responder

Hanna

12 de junho de 2011 às 20h31

Eu também aprovo.
Contenção do reajuste do mínimo para manter as contas públicas administráveis, privatização dos caóticos aeroportos, fim da política externa porra-loca, kit-homo no lixo, convívio respeitoso com a imprensa livre.
Enfim, uma estadista moderna, competente e discreta.
É o que o Brasil precisa para começar a se tornar civilizado.
Essa sim é um exemplo para a juventude.

Responder

    Leider_Lincoln

    13 de junho de 2011 às 06h44

    Troll detected!

    Leider_Lincoln

    13 de junho de 2011 às 06h46

    Aproveite e me fala aonde você viu "imprensa livre"? Temos é um amontoado de redes golpistas e israelo-americanófilas que defende o interesse de gente mesquinha, como as pessoas para quem você trabalha…

    Bruno

    13 de junho de 2011 às 11h24

    A imprensa defende o que ela quiser, desde que não haja interferência do Poder Público. Ela é, felizmente, livre. Tanto que os blogueiros progressistas podem escrever o que quiserem, assim como a Globo pode babar ovo do Obama e a Veja pode xingar o Palocci (e poderá xingar sua sucessora) à vontade.

    M. S. Romares

    13 de junho de 2011 às 12h41

    Uma coisa é a crítica decente e honesta. Outra, bem diferente, é estimulada pelas mentiras, pelos factoides, pela distorção de fatos por "experts" a serviço de grupos pouco inescrupulosos. E voce sabe disso.

    Leider_Lincoln

    13 de junho de 2011 às 13h04

    Olha, acho que desde que ela seja responsabilizada criminalmente sempre que atentar contra o Estado de Direito, mentir, caluniar, difamar, se aliar a Estado estrangeiro, incitar ao crime, como acontece por exemplo nos Estados Unidos, na França, no Reino Unido e na Espanha, acho que é bastante justo. Ah, e lembrando que as concessões de radiodifusão são públicas e não privadas…
    Acho que já passou da hora de deixarmos de confundir liberdade de expressão com liberdade de empresa para caluniar, mentir, injuriar e trabalhar para Estados estrangeiro, não acha?

    SILOÉ -RJ

    14 de junho de 2011 às 00h16

    Pode não, vai: xingar, espernear, caluniar etctera e tal , só que: Os cães ladram e a caravana passa…

    Vinícius

    13 de junho de 2011 às 13h02

    Hahaha, a hanna é um soldado americano treinado para influenciar a opinião de internautas terceiro mundistas… http://migre.me/52TeU

    Bruno

    13 de junho de 2011 às 11h27

    Só não gostei da contenção do mínimo. Mais certo seria desatrelar as contas previdenciárias do salário mínimo para que este pudesse ser elevado de forma mais socialmente responsável sem arrebentar os cofres do INSS. Mas já passaram o FHC e o Lula e nenhum dos dois teve os cojones para fazê-lo. Infelizmente não creio que a Dilma tenha mais vontade de se estrepar com o funcionalismo público e com os sindicatos do que seus antecessores.

Elisabeth

12 de junho de 2011 às 15h58

E Datafolha informa que a popularidade de Dilma, seis meses depois da posse, cresceu e foi para 49% entre ótimo e bom, mesmo depois da volta da inflação, da estagnação do governo e da crise do Palocci. Não é diferente em relação ao Lula e ao FHC, quando chegaram a seis meses de governo, no primeiro mandato. Lula tinha aprovação de 42% e FHC alcançava 40%. Apenas a reprovação era diferente, pois a de Lula era de 17% e a de FHC de 20%. A de Dilma ficou em 7% ou 8%.

Responder

Pedro Luiz Paredes

12 de junho de 2011 às 14h52

Se ela não fosse covarde teria sua credibilidade abalada?

Responder

El Cid

12 de junho de 2011 às 14h30

A Itália esconde Jorge Troccoli

Do http://abobrinhaspsicodelicas.blogspot.com/

O que a "imprensa livre" brasileira não mostra: o caso Jorge Troccoli.

>Nas últimas semanas, o caso Cesare Battisti vem ocupando um grande espaço nos principais "veículos de comunicação" do país e a cobertura dada ao mesmo – para variar – tem sido extremamente tendenciosa. De modo geral, a grande imprensa brasileira tem feito coro às alegações do governo italiano de que o Brasil está concedendo o status de refugiado político a um "terrorista", condenado por quatro homicídios, em seu país natal.

No entanto, esta mesma imprensa – que se diz neutra, livre e isenta – esquece deliberadamente um episódio ocorrido no ano passado na "democrática" Itália e que merece ser lembrado, no momento em que acontece este contencioso entre o Brasil e o governo do Sr. Berlusconi: o caso do militar uruguaio Jorge Troccolli.

Capitão da marinha uruguaia, Troccoli teve uma atuação bastante ativa na tristemente famosa “Operação Condor” (que contou com a participação das ditaduras militares do Uruguai e de outros países sul-americanos), tendo sido responsável pela tortura e morte de mais de uma centena de opositores desses regimes, entre 1975 e 1983. Em 2002, o governo do Sr. Silvio Berlusconi – em sua segunda passagem pela chefia do gabinete de ministros da Itália – concedeu cidadania italiana ao Capitão Troccoli, mesmo sabendo das acusações de crime contra a humanidade que pesavam contra ele.

Em setembro do ano passado, o ministro da justiça da Itália, Angelino Alfano, negou-se à extraditar Troccoli para o Uruguai, alegando que ele é cidadão italiano, tomando como base jurídica um tratado assinado entre os dois países em 1879. Portanto, o mesmo governo que nega-se a extraditar um notório torturador, utilizando dessas filigranas jurídicas, é o mesmo que se considera ofendido pela não-extradição de Battisti, que seguiu todas as normas da legislação brasileira, que por sua vez se baseia em uma série de convenções internacionais.

A mídia golpista brasileira, interessada em atacar o governo Lula, opta por dar razão a um governo com notórias ligações com grupos neo-fascistas e com o crime organizado na Itália, como é o governo Berlusconi, ao invés de cobrir o caso Battisti com a isenção que seria necessária. E se é para dar opiniões pessoais e subjetivas – que é o que tem feito a maior parte dos principais articulistas da grande imprensa – eu prefiro concordar com a bela Carla Bruni, que apóia Battisti, do que com a deputada neo-fascista Alessandra Mussolini (neta do próprio), que faz parte da base de apoio de Berlusconi!!

Maiores informações sobre o caso Troccoli podem ser encontradas em um artigo publicado recentemente no jornal italiano "l'Unità".

Responder

    claudete

    12 de junho de 2011 às 18h12

    Acredito que nenhum terrorista ou torturador deve ficar impune, não importa quem for ou qual seu país.
    No entanto dois pesos e duas medidas sempre são aplicados dependendo dos interesses políticos de quem está no poder ou do país em questão.
    Então acho mesmo que a justiça é cega.
    Claudete

    Ronaldo Cananéia

    13 de junho de 2011 às 10h43

    PIG = veículos de ocupação do país

Elisabeth

12 de junho de 2011 às 14h08

Não resisti:
"É com profundo pesar que eu (FSP), baluarte do PIG, informo..

1) A crise que levou à demissão do ex-ministro Antonio Palocci (Casa Civil) naterça passada e a alta da inflação no país não tiveram impacto negativo naaprovação do governo Dilma Rousseff;

2) Segundo pesquisa [email protected] realizada nos dias 9 e 10 de junho, 49% dosentrevistados consideram a gestão Dilma como ótima ou boa.

No últimolevantamento, de março, eram 47%.

Sem mais a informar, me despeço muito aborrecido…

Responder

Elisabeth

12 de junho de 2011 às 14h06

Toma aí,!! Rs A mídia corporativa levou na cara… Adorei saber, que de março pra cá ate Dilma subiu nas pesquisas!! Março foi o mês que começou a idéia de crise inflacionária e depois crise Palocci! População não se deixa subestimar! Folha, veja, globo não tem este poder todo de manipulação com o povo! Olha que a pesquisa aumenta quando se pergunta sobre aprovação de Dilma…Ate sobem com o números do que acham razoável.

Responder

Maria Dirce

12 de junho de 2011 às 13h47

O povo emocionalmente é ligado ao Lula e isso é como tatuagem na pele não sai fácil.O povo acha que qquer coisa que aconteça de pior no governo Dilma, tem o Lula pra socorre-la, por isso eles querem a intereferencia de Lula, acho que isso não foi planfetagem da Folha para desconstruir Dilma, foi de verdade , o povo quer o Lula por perto.

Responder

O_Brasileiro

12 de junho de 2011 às 11h43

O PIG acha que o Lula tem que se calar, mas coloca todos os seus holofotes em FHC…
O tratamento diferente dado pelo PIG a ex-presidentes já diz tudo!!!
Se alguém ainda tem alguma dúvida de que a mídia golpista é meramente um partido político…

Responder

Claudio Gonçalves

12 de junho de 2011 às 11h41

A PIG está suprimindo o governo federal de todas as formas possiveis, jogando a população contra esta nova administração do pais. A "ARTE" de Bloggar por ter sido adotada por muitos "indignados" de nosso pais tornou-se uma ferramenta muito "perigosa" não só para os atuais comandantes do pais mas tambem e principalmente a nivel de Midia.

Responder

José Ivan M Aquino

12 de junho de 2011 às 11h35

Azenha,

Por favor, veja e comente, a matéria do ESP sobre o Plano Nacional de Educação na edição eletrônica de ontem(11/06/2011). É uma lástima de produção inconsequente para minar o Ministro da Educação e a Presidenta Dilma.

José Ivan Mayer de Aquino
Ação da Cidadania Contra a Fome, a Miséria e Pela Vida

Responder

Luiz Fortaleza

12 de junho de 2011 às 11h12

A midia empresarial tradicional não tem mais o monopólio da informação… a internet roubou seus espectadores, principalmente os da tv aberta. A circulação de ideias são várias na internet e este é um instrumento viciante onde a pedagogia da interação do conflito e confronto de opiniões educa. Um instrumento do capitalismo que pode voltar contra os próprios poderosos.

Responder

ejedelmal

12 de junho de 2011 às 10h50

O povo contra a "Opinião Pública".

Responder

Antônio de Sampaio

12 de junho de 2011 às 09h50

Ver pelego parasita elogiando o Data Falha não tem preço.

Responder

Antônio de Sampaio

12 de junho de 2011 às 09h49

Escuta aqui pelegada… mas a Folha de São Paulo não faz parte do PIG???

Não tem preço ver essa pelegada comemorando uma pesquisa do ""Data Falha""..

Pensam que enganam quem????

Responder

    Leider_Lincoln

    13 de junho de 2011 às 06h47

    Adotou nome de hominho de novo, Richard Smith? Não ficou com saudade de "Ubaldo" e "Henderson Sousa" não?

Gerson Carneiro

12 de junho de 2011 às 09h09

A velha mídia quando não tem o que fazer retira as telhas e lava uma por uma.

Responder

Leonardo

12 de junho de 2011 às 08h21

"Em carta, Dilma tece elogios e atribui fim da inflação a FHC"

Em carta recheada de elogios, a presidente Dilma Rousseff classificou Fernando Henrique Cardoso como “acadêmico inovador”, “político habilidoso” e “o presidente que contribuiu decisivamente para a consolidação da estabilidade econômica”. A mensagem foi publicada ontem em site especial criado para comemorar os 80 anos de FHC, que faz aniversário no próximo sábado. No texto, Dilma diz que o tucano acredita no “diálogo como força motriz da política”, “foi essencial para a consolidação da democracia brasileira” e luta por seus ideais “até os dias de hoje”.

“Não escondo que nos últimos anos tivemos e mantemos opiniões diferentes, mas justamente por isso maior é a minha admiração por sua abertura ao confronto franco e respeitoso de ideias.” A presidente também elogiou FHC por ter sido o primeiro antecessor desde Juscelino Kubitschek a entregar a faixa a um político oposicionista também eleito.

Despediu-se chamando o adversário de “querido presidente” e transmitindo-lhe um “afetuoso abraço”. Dilma conviveu com FHC em 2002, quando integrou a equipe de transição montada pelo então presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva.

O tom elogioso da carta de Dilma contrasta com a relação conflituosa entre Lula e FHC. Enquanto ocupou o Palácio do Planalto, o petista acusou o antecessor de deixar uma “herança maldita”. Em abril, o acusou de querer “esquecer o povão”, após o tucano defender que a oposição se volte para a “nova classe média”.

FHC se irritou e desafiou Lula a disputar uma nova eleição contra ele. Além da carta de Dilma, o site comemorativo reúne depoimentos elogiosos de políticos brasileiros e estrangeiros, como Bill Clinton e Tony Blair, ex-ministros, empresários e celebridades como Roberto Carlos, Paulo Coelho e o ex-jogador Ronaldo.

Responder

    M. S. Romares

    13 de junho de 2011 às 12h45

    Leia nas entrelinhas, trolzinho xoxo.

José do Ceará

12 de junho de 2011 às 07h19

O PIG vagabundo,fascista, e cúmplice do vampirão perdeu de novo.Temos Lula,Dilma e agora a gleisi,Vai encarar vampiro Serra?….

Responder

Miron

12 de junho de 2011 às 02h36

Vc confiaria numa pesquisa da Datafalha/PIG/PSDB sobre o governo Dilma ?? É mais uma mentira, mais uma falsificação, Dilma, no mínimo tem 55% de aprovação. Mesmo com o PIG não dando manchete para o programa que vai tirar 20 milhões da miséria.

Responder

luiz pinheiro

12 de junho de 2011 às 00h10

A crise do Palocci pesa bem menos na popularidade do governo do que muita gente pensa.
O que pesa mais é sempre a vida das pessoas: o emprego, as políticas sociais, a inflação que desacelerou, os alimentos e os combustíveis que pararam de subir, as novas vagas nas escolas tecnicas, a preocupação com as creches, o cuidado com os alunos do interior que moram longe da escola e receberam bicicletas… por aí vai.

Responder

Augusto

11 de junho de 2011 às 22h33

Reflete exatamente a propaganda midiática.

Responder

    Roberto Locatelli

    12 de junho de 2011 às 10h33

    É verdade, Augusto, a grande mídia é toda petista, como diz o insopitável Professor Hariovaldo (http://hariprado.wordpress.com).

    O veículo mais petista de todos é a revista Veja. Por isso eu não a compro mais. Não vou pagar pra ler um panfleto petista!

Yarus

11 de junho de 2011 às 22h22

Pesquisa feita logo após a saida do Malocci com a intenção de ver qual estrago o PIG tinha feito na Dilma…gostei do estrago.
Acrescente aí a Hoffmann e a Ideli, e quem estragou-se foi os PIGuentos.

Responder

ZePovinho

11 de junho de 2011 às 21h37

Parece que o teflon colou na Dilma………………..

Responder

Gustavo Pamplona

11 de junho de 2011 às 21h35

"O levantamento revela também que a maioria dos brasileiros quer que o ex-presidente Lula opine nas decisões de Dilma."

Que espécie de pesquisa de opinião pública é esta? Então quer dizer que perguntaram para as pessoas isto?

"O Sr. ou a Sra. gostaria que o ex-presidente Lula opine nas decisões do governo?"

Meus amigos… a Folha ainda estando diminuir o poder da presidenta… e aviso… ainda vão tentar diminuir bastante. E também não a consideram uma presidenta… O que eles quiseram dizer com isto foi:

"Ela é uma marionete do Lula"

Ainda bem que eu sou o único aqui que pensa "diferente" e sei ler muito bem as entrelinhas.

—-
Gustavo Eduardo Paim Pamplona -Belo Horizonte – MG
Desde Jun/2007 pensando "diferente" no "Vi o Mundo"! ;-)

Responder

    Gerson Carneiro

    12 de junho de 2011 às 09h05

    Quando eu crescer eu quero ser que nem o Smurf Ogênio.

    M. S. Romares

    13 de junho de 2011 às 12h47

    Gerson, no avatar desse pateta ele parece o "House", aquele do seriado chato pra caramba.

    Gustavo Pamplona

    12 de junho de 2011 às 11h51

    Retificando: "ainda estando diminuir" para "ainda está tentando diminuir"

    Polengo

    12 de junho de 2011 às 12h10

    "Ainda bem que eu sou o único aqui que pensa "diferente" e sei ler muito bem as entrelinhas."

    E ainda bem que é o único humilde aqui.

    Gustavo Pamplona

    12 de junho de 2011 às 16h28

    Polengo… você sabia que volta e meia as pessoas me pedem para eu ser "humilde"?

    O problema, meu amigo… é que tenho elevados níveis de "intelectância" (intelecto + elegância – um neologismo que inventei aqui outro dia) além do mais sou egocêntrico e às vezes quando o ego está muito elevado eu tenho que "massagear" (leia-se reduzir) um pouco.

    Não me considero "superior", seria superior se eu tivesse poderes especiais e também não inferiorizo ninguém… o problema… meu amigo é o seguinte:

    Sou apenas aquele tipo de sujeito com altíssima auto-estima e altíssima auto-confiança, ou em outras palavras, sou muito "foda"!!! hahahahhahaha

    Me desculpem pelo termo chulo acima, tenho por hábito não escrever termos chulos e jamais insulto alguém em meus comentários até porque isto denotaria falta de inteligência por parte do indíviduo já que somente pessoas inferiores possuem sentimentos desprezíveis. hahahhahhha

    —-
    Gustavo Eduardo Paim Pamplona – Belo Horizonte – MG
    Desde Jun/2007 sendo "foda" no "Vi o Mundo"! ;-)

Marta

11 de junho de 2011 às 21h33

Aposto que se perguntar quem é o persidente atual, 1/3 dos entrevistados não sabe.
Palocci, então, 80% deve achar que é marca de sabão em pó.

Responder

    Luiz Fortaleza

    12 de junho de 2011 às 08h22

    Vc subestima muito a capacidade de compreensão do povo, talvez pq vc esteja distante do povo, seja elite que fica em casa no conforto, em frente a esse computador, achando que a vida é aquilo o q vc pensa dela. Já dizia o velho Marx com seu método de conhecimento, é na realidade que se prova a verdade, é na realidade que se busca a verdade, e não na pura ideia, opinião ou dedução subjetiva.

    marcia

    12 de junho de 2011 às 09h07

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

rodrigo.aft

11 de junho de 2011 às 21h00

Azenha e demais colegas,

onde está a "CRISE" no governo Dilma? trocou e melhorou! se não der certo, troque até achar um perfil satisfatório, SEM CRISE COISA NENHUMA (só chororô de alas ficando sem poder)
não tem q privilegiar alas, ou correntes ou grupamentos ou partidos… tem q colocar o melhor perfil para a vaga e pronto!
quem precisa andar é o país, não satisfazer partidos COM QUADROS FRACOS.

se o pmdb ou outro quiser ministério, QUE APRESENTE UM PERFIL TÉCNICO COMPETENTE É HONESTO (como eles não devem ter, é por isso q só fazem acordos nos bastidores, pq na luz do dia, só tem vampiro, e vampiro não se dá bem com a luz do Sol, q é DESINFETANTE)

fazendo uma analogia de uma historinha com o pmdb,
se é ético, não é técnico;
sé é técnico, não é ético;
e se for ético e técnico, não é do pmdb!

já mencionei q na Itália (mas não falei q é um exemplo a ser seguido) trocam de lideranças toda hora, nas empresas fazem-se reestruturações de ambito até mundial e não acontece nada de drástico…
algumas turbulências e tudo volta ao normal (só com quem perdeu a boquinha, lógico! podia aproveitar e tirar os parasitas da banca e das empreiteras tbém).

só falta trocar mais uns 4 ou 5 q estão fora de sintonia com a agenda progressista DE ESQUERDA (deveriam estar no psdb, por ex.) e aí o bichoo pega!!! turbinas à toda!!!

mas como a Dilma é meio "mãezona", acho q não quer ver ninguém chorando pelos cantos… pelo menos agora! rsrs

(torcendo pra esse país decolar logo, e mandar gente de caráter dúbio e pessoas com desvios de conduta pra PQP! ponte que partiu, lógico! e fica pra lá de onde judas perdeu as botas, para q o pt de amanhã não seja o pmdb de hoje)

Responder

    rodrigo.aft

    12 de junho de 2011 às 10h39

    ao pessoal do pmdb,

    eu sermpre fui contra generalizações, e acabei usando uma,
    desculpem-me.

    sei q tem gente boa no partido, mas o q comentei serve de aviso à direção partidária: a imagem institucional fica aviltada qdo só se guinda a cargos importantes elementos leais ao partido, mas de base ética e técnica quase nula.
    a imagem partidária q o grande público guarda, bem como pessoas de outros partidos q não tem colegas ou conhecidos militantes no pmdb fica muito fragilizada pela direção partidária, por, quase q somente, dar cargos e visibilidade a elementos (talvez) fiéis ao partido, mas de péssima imagem pública.
    isto acaba resvalando nos elementos de boa índole do partido, q ficam com a mesma 'fama" dos ruins, pela condução equivocada da liderança partidária.

    este comentário serve tbém, em parte, para o pt e outros partidos progressistas de esquerda: ética, capacidade técnica e gerencial (isto não quer dizer necessidade de somente estudo formal – há donas de casa q administram melhor q pessoas com diploma), renovação (ou pelo menos, rodízio) de lideranças antes de valorizar somente a "fidelidade" partidária e o personalismo (acho q vcs sabem do q estou falando, não? se precisar explicar melhor, a gente pode lavar roupa suja em público).

    essas coisas enganam o público e a base partidária durante algum tempo, mas como toda "armação", qdo descoberta, cria um sentimento de raiva e indignação nos "enganados", e é de difícil "esquecimento" por parte de quem foi "lesado" (principalmente o grande público… estou avisando!!!).

    a luz do sol faz bem para todos!!! (partidos e população)

José Eduardo Camargo

11 de junho de 2011 às 20h58

É mais um cala a boca no "Tavinho" da Folha!…rs.

Responder

FrancoAtirador

11 de junho de 2011 às 20h55

.
.
“Juristas”, contem outra história, que inflação não cola

Por Brizola Neto, deputado federal, no Tijolaço

Ontem à noite, falando sobre a elevação da taxa de juros – a Síndrome de Estocolmo, leia aqui – procurei mostrar que a trajetória da inflação, este ano, é muito semelhante à do ano passado.

Os senhores “previsores de inflação”, anotem aí: mesmo com o “terrorismo de mercado”, teremos agora o mesmo fenômeno que tivemos no ano passado: os meses de junho, julho e agosto registrarão inflação muito próxima de zero e, talvez até, alguma pequena retração.

Isso não é “chute”, é o que os números mostram, se algum dos nossos “comentaristas econômicos” quiser ter algum trabalho de analisá-los fora das comparações estatísticas mais convenientes para produzirem impressões fortes, porém errôneas.

Os jornais divulgam hoje que a primeira prévia do IGP-M de junho – o que chamam de “inflação do aluguel, porque reajusta estes contratos – caiu 0,09%, após apresentar aumento de 0,70% em igual prévia do mesmo índice no mês passado.

Muito bom, não é verdade?

Não, não é muito bom, é uma queda enorme.

Porque o INPC de junho embute, todo ano, uma variação sazonal muito expressiva, que é a alta no índice da construção civil, provocada pela elevação dos custos de mão-de-obra, já que, nesse mês, capta-se a variação provocada pelo dissídio coletivo dos trabalhadores do setor. E que foi, em São Paulo – região que tem o maior peso -, de 9,75%.

Embora o INCC só componha 10% do IGP-M total, a variação foi alta: passou de 0,94% na pesquisa de maio para 2,97%, na soma ponderada dos 0,45% dos materiais com os 5,54% da mão de obra, em junho.

Trajetória semelhante à do ano passado, quando subiu de 0,55% para 2,18%.

Se “expurgarmos” a variação deste índice do índice total, o IGP-M registraria uma deflação de 0,37%, resultado da soma ponderada entre o Índice de Preços ao Consumidor (-0,18%) e o Índice de Preços no Atacado (-0,53%). O mesmo cálculo, no mesmo período do ano passado, indicaria uma inflação de 1,88%, sempre de acordo com a fórmula de cálculo da FGV(*).

Mais importância ainda tem o fato da queda estar concentrada nos preços por atacado que, em condições normais, tendem a repercutir, depois, no consumo de varejo.

As elevações de preço, é claro, são reais. Mas pontuais. São mais eficientemente enfrentadas com ações pontuais – as tais “intervenções do Estado”, que deixam os ortodoxos de cabelo em pé – do que com medidas generalizadas de desaceleração da economia que, como dizia a minha avó, arriscam a jogar fora a criança junto com a água do banho.

Economia é uma ciência, sim, mas é uma atividade humana, movida por desejos humanos, ainda que estes desejos humanos, para alguns indivíduos, sejam totalmente desumanos e não se envergonhem em trazer desemprego, empobrecimento e atraso.

Os formuladores do governo Dilma, que sofrem e tem de escorar as pressões de mercado com habilidade – reconheço – não podem perder de vista o cenário inteiro (e o cenário inteiro envolve as ondas do mercamídia, esta simbiose entre o mercado financeiro e a mídia que nos assola). O Brasil já entrou num processo de retração do crescimento. Pode ter sido necessário desacelerar este crescimento. Mas será imperdoável desfazê-lo.

<img src="http://www.tijolaco.com/wp-content/uploads/2011/06/ipgm10.jpg">

(*) a fórmula do Fundação Getúlio Vargas é:

IGP-M = IPA x 0,6 + IPC x 0,3 + INCC x 01
.
.

Responder

Leandritec

11 de junho de 2011 às 20h52

Chora, não vou ligar, não vou ligar. Ô coitado de FHC, de Cerra, Alckimin, Álvaro Dias e toda a tucanalha.

PSDB e Tortura, nunca mais.

Responder

Rasec

11 de junho de 2011 às 20h49

É de chorar de cagar em cima!
O DataSerra deu só isso?
o melhor é ignorar!
Vamos ver se a blogosfera aprende a tratar pesquisa como ela é: meio para os meios imporem o que querem!

Responder

Luiz

11 de junho de 2011 às 20h28

O povo já entendeu o que é o PIG ou seja os mercadores da desgraça.

Responder

Leonardo Scalercio

11 de junho de 2011 às 20h17

E isso tudo sem a ley de medios e numa pesquisa do PIG! Pois é, não adianta esses canalhas tentarem golpes e mais golpes. Em breve, a globo não vai influenciar mais ninguém. Acho que Dilma deveria convocar rede nacional de rádio e TV e comunicar melhor seus programas e sobre a plataforma P56. Com certeza, subiria para 65% sua aprovação.

Responder

Dôtô analfa

11 de junho de 2011 às 20h11

O "data falha" agora é sério?vão se catar…

Responder

Leonardo

11 de junho de 2011 às 19h51

Não confio me nada que vem do PIG.

Responder

VanderResende

11 de junho de 2011 às 19h17

Cheguei a ler artigos em que se afirmava, categoricamente, que a popularidade de Dilma cairia, pelo menos, uns 15%, com o PalocciGate

Responder

    Leider_Lincoln

    12 de junho de 2011 às 07h45

    Artigos escritos por eles, decerto. Eles inventam mentiras (até aí normal) e pior, acreditam nelas. É o limite entre o patético e o esquizofrênico; A grande questão é que ninguém se importa realmente com o que eles andam latindo na TV (entra por um ouvido e sai pelo outro, como se diz por aqui…). Só acreditam aqueles que QUEREM mesmo acreditar.

    Klaus

    13 de junho de 2011 às 08h24

    Tem a fonte ou é invenção sua?


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding